Todos os posts com a tag: campanhas

Screen Shot 2016-06-26 at 3.22.29 PM

A contradição entre o discurso sobre o fim da epidemia e a realidade

Este artigo reflete criticamente sobre a atual resposta brasileira à epidemia de HIV e aids a partir de três importantes provocações: Estamos realmente próximos ao “fim da aids” (ou de “uma geração livre da aids”)? Estamos vivendo uma nova era (de respostas biomédicas que substituem as respostas sociais e políticas)? Dentro deste quadro, a resposta comunitária frente à epidemia ainda importa (ainda vale a pena continuar nesta luta, principalmente se tudo estaria quase resolvido)? As reflexões que deram origem a este artigo foram apresentadas durante a abertura do 8° Encontro Estadual das ONGs/Aids do Rio de Janeiro, em agosto de 2015. Anúncios

Avalie isto:

Foto: Larissa Cargnin

Movimento faz ato em defesa do SUS no Rio de Janeiro

A manutenção do Sistema Único de Saúde e mais investimento e qualidade para a saúde pública no Brasil. Foi isso que reivindicou o Grupo Pela Vidda-RJ, em ato realizado no último dia 23, em frente à Igreja da Candelária, no Centro do Rio de Janeiro. Com palavras de ordem, como “Um SUS melhor para o Brasil” e “O SUS é do povo brasileiro”, faixas com artigos da Declaração dos Direitos Fundamentais da Pessoa que Vive com HIV e aids, placas, cartazes, velas e apitos, cerca de 50 participantes se manifestaram em defesa do SUS, da democracia, do respeito e pelo fim do preconceito e do estigma. “Onde eu vou fazer meu tratamento e meus exames, se o SUS acabar ou sua qualidade diminuir?” Durante o ato, os manifestantes destacaram a importância do Sistema Único de Saúde para a população brasileira e sua importância para a luta contra a aids. Pessoas que vivem com HIV estiveram na manifestação e perguntaram: “onde eu vou fazer meu tratamento e meus exames, se o SUS acabar ou sua qualidade diminuir?”. “Nós …

Avalie isto:

Eu só Quero Amar GShow

Malhação tem nova série original no Gshow sobre casais sorodiferentes

A Malhação: Seu Lugar no Mundo lançou neste sábado, 2 de abril, uma nova série original chamada Eu Só Quero Amar, cujo tema central será a vida de casais sorodiferentes (quando dos parceiros um vive com HIV e o outro não). A série, que é um misto de documentário e ficção, é fruto da parceria entre o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS) e a área de Responsabilidade Social da Globo, iniciada com o lançamento da campanha Viver Melhor, em setembro de 2015. O ponto de partida da série é o casal Henrique e Camila, interpretado pelos atores Thales Cavalcanti e Manuela Llerena. Henrique vive com HIV e namora Camila na trama da série teen. Depois de uma história conturbada e cheia de obstáculos, os dois resolveram bancar a relação enfrentando até mesmo a resistência dos pais de Camila. O objetivo da série é aprofundar para o público jovem o debate sobre esta relação e principalmente sobre a vida de um casal sorodiferente, desde os desafios no convívio social — como enfrentamento do estigma …

Avalie isto:

Seminario_HIV_e_Direito_USP

Seminário de HIV e Direito(s)

Data: 29 de fevereiro de 2016 Local: Faculdade de Direito da USP — Largo São Francisco, 95, São Paulo/SP Objetivo: Promover o diálogo sobre o impacto da desigualdade, da discriminação e da criminalização do HIV no enfrentamento à epidemia de aids, assim como discutir o papel do sistema de justiça na promoção e defesa de direitos humanos e na busca da Zero Discriminação. Horário Programação 9:00h Abertura Conrado Hübner Mendes (USP) Georgiana Braga-Orillard (Diretora do UNAIDS no Brasil) 9:15h Mesa 1 – Discriminação e criminalização do HIV Moderador: Conrado Hübner Mendes (USP) 1) Georgiana Braga-Orillard (UNAIDS): Criminalização do HIV no Brasil e no mundo 2) Nara Santos (UNODC): Drogas, sistema judiciário e vulnerabilidade ao HIV 3) Rodrigo Augusto T. da Silva (Defensoria SP): Discriminação contra pessoas com HIV/aids e desafios da legislação (Lei Federal 12984/14 e Lei Estadual 11.999/02) 10:45h Intervalo 11:00h Mesa 2 – Populações vulneráveis, discriminação e direitos Moderadora: Sheila Neder (USP) 1) Rafaelly Wiest (ABGLT): Transfobia e direitos da população trans no Brasil 2) Pierre Freitaz (Rede de Adolescentes e Jovens Vivendo com …

Avalie isto:

Post-1-facebook

Não precisamos voltar a atacar o HIV com preconceito e terrorismo

Texto escrito por Gabriel Estrëla Desde 2012, no Brasil, é possível ter acesso ao tratamento de profilaxia pós-exposição ao HIV em situações de sexo sem preservativo, ou em caso de acidentes em relação a este. O tratamento já existia desde a década de 90, foi estendido para vítimas de violência sexual em 2011 e para qualquer acidente sexual no ano seguinte. Foi apenas em 2015, no entanto, que o Ministério da Saúde lançou um documento que padroniza a prática médica em relação à PEP: o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT). O PCDT serve como um referencial para que esse atendimento seja o melhor possível, considerando a realidade brasileira, e, desde seu lançamento, vários centros de saúde já fazem a dispensa de antirretroviral para profilaxia pós-exposição. Recentemente, ainda, o Ministério preparou uma plataforma online (também disponível como aplicativo) para que as pessoas acessem mais informações sobre a profilaxia e possam procurar uma unidade de atendimento próximo a elas. Parece um grande avanço, não é? Mas, ainda assim, durante o primeiro carnaval em que a PEP vem sendo amplamente difundida, …

Avalie isto:

UNAIDS_BRASIL

Participe da construção da nova Declaração Política sobre HIV/Aids

Durante o mês de junho de 2016, acontecerá em Nova Iorque a Reunião de Alto Nível sobre HIV/Aids, após a qual será emitida uma Declaração Política que delineará as linhas estratégicas da resposta ao HIV nos próximos anos. Trata-se de uma das maiores oportunidades de incidência política no futuro próximo. As Declarações Políticas sobre HIV/Aids são importantes (ver as Declarações de 2011 e 2006), pois têm sido historicamente a base para programas mundiais que têm feito a diferença na epidemia do HIV, como a já alcançada meta 15 por 15 (colocar em 15 milhões de pessoas até 2015). A incidência política tem sido chave para a inclusão de metas claras e ambiciosas sobre prevenção, tratamento, direitos humanos e financiamento. Faça ouvir a sua voz sobre o conteúdo da Declaração Política da Reunião de Alto Nível sobre HIV/aids e participe da pesquisa aqui. O prazo para preencher a pesquisa vai até 18 de fevereiro. Publicado pelo Unaids Brasil em 12 de fevereiro de 2016

Avalie isto:

TOP100

2º turno do Top Blog

O Diário de um Jovem Soropositivo é um dos 100 finalistas do Prêmio Top Blog 2015, um concurso entre blogs voltados ao público brasileiro, na editoria Saúde e Bem-estar, direcionada a temas como alimentação, atividade física, medicina, entre outros relacionados. Vote aqui! Começou hoje o 2º turno! De acordo com o regulamento dessa competição, o período de votação do Primeiro Turno pelo Júri Popular, representado pelos internautas por meio de voto eletrônico, vai até o dia 18/12/2015, às 18h (horário de Brasília). No dia 11/01/2016, será divulgada a lista dos 100 blogs mais votados em cada editoria, que passam para o Segundo Turno da votação pelo Júri Popular. Os votos do Primeiro Turno não serão computados para o Segundo Turno. Os blogs que não se classificarem entre os 100 blogs mais votados de cada editoria ainda podem concorrer no Segundo Turno à premiação pelo Júri Técnico, formado por profissionais atuantes nos segmentos relacionados às editorias. A divulgação dos finalistas será no dia 20/04/2016. Os três blogs vencedores pela votação do Júri Popular e os três blogs …

Avalie isto:

emilio ribas

Manifesto dos Médicos Residentes do Instituto de Infectologia Emílio Ribas

“O Instituto de Infectologia Emílio Ribas (IIER), fundado em 1880 com o objetivo de combater a epidemia de varíola que assolava o Estado de São Paulo, à época aberto apenas em tempos de surtos, se consolidou ao longo dos anos como o maior serviço de infectologia da América Latina. Serviu de sentinela e fiel combatente às grandes epidemias como difteria, febre tifóide, peste bubônica, gripe espanhola, sarampo e meningite. Atualmente, é considerado referência nacional e internacional em moléstias infecciosas e principal centro de cuidado e atenção ao paciente que convive com o HIV. Temos vivido momentos angustiantes no que diz respeito à falta de insumos básicos para o bom atendimento dos pacientes. O Brasil vive um momento crítico do ponto de vista político e econômico. Historicamente, a saúde pública vem sendo sucateada, culminando com piora importante nos últimos anos e tornando-se inaceitável nos últimos meses. O Emílio Ribas também vem sofrendo. Apesar da tentativa de melhorias na qualidade da infraestrutura, temos vivido momentos angustiantes no que diz respeito à falta de insumos básicos para o …

Avalie isto: