Fixação no HIV

Home Fóruns Recém-diagnosticados Fixação no HIV

Este tópico contém respostas, possui 4 vozes e foi atualizado pela última vez por  Rodrigo 1 semana, 3 dias atrás.

  • Autor
    Posts
  • #23638 Resposta

    1RapazSC
    Participante

    Boa noite,
    Fui recém diagnosticado, cerca de uma semana, fiz a coleta para carga viral hoje e minha consulta com o virologista para início do tratamento é daqui a dez dias(infelizmente, por mim já estaria tomando) mas minha grande dúvida é;

    Gostaria de saber das pessoas que já convivem com isso à um tempo.. como é os pensamentos de vcs em relação à isto. Oq tem me preocupado é que cada flash livre de pensamento que me ocorre, eu só penso no HIV, isso melhora? Meu medo é que minha vida se torne isso, todos os dias, várias vezes ao dia, estes pensamentos.

    A pagina e seus relatos me ajudaram muito já em questão de aceitação e até mesmo em entendimento do que é o HIV, hoje tudo que eu mais quero é inciar esse tratamento(apesar do medo dos efeitos colaterais) e me tornar “indetectável”, tanto como calmante dos pensamentos quanto por medo de passar à alguém.

    Agradeço muito quem poder me dar uma luz sobre isso.

  • #23639 Resposta

    EuPositivoSC
    Participante

    Olá, como vai?

    Sobre o início da tomada dos medicamentos: 10 dias não são nada hehe. Sei que a gente fica ansioso para começar logo, mas fica frio que 10 dias vão voar. OS remédios fazem efeito logo no início. Eu, por exemplo, fiquei indetectável entre o 30º e o 45º dia após começar a tomá-los. Então a coisa é rápida, logo você estará indetectável. Sobre os colaterais: fica frio novamente. A maioria das pessoas experimenta alguma alteração nos primeiros 10/15 dias (suor excessivo, dor de cabeça, enjoo, diarreia) Veja bem, falei que é alguma delas, não todas. Você não vai passar por isso tudo. Tem gente que não sente absolutamente nada. Eu, por exemplo, senti apenas o lance do suor excessivo a noite. Acordava bem suadão, mas passou na primeira semana de tratamento. Salvo alguma orientação específica do seu médico, você vai começar com Dolutegravir + Tenofovir + Lamivudina. São remédios muito bons, a chance de dar algum colateral muito forte nesse início é bem pequena. Se rolar algo, vai ser bem contornável. Sério mesmo. E sobre o longo prazo, cara, estamos em 2018, logo teremos novidades no tratamento, injeções, terapia dupla aqui no Brasil, alguma coisa assim… Então não precisa se preocupar que tudo vai ficar bem para você. Começa o tratamento e antes de algum efeito de longo prazo aparecer, se a cura funcional ainda não existir, você já estará com uma medicação bem menos tóxica. Não vai dar tempo de sofrer algo físico como consequência do tratamento. Isso é fato.

    Vistas essas questões técnicas, vamos ao subjetivo hahaha Eu sou soro+ há 1 ano e meio +-. Mesmo sendo novato nesse lance, te digo: viver com HIV, fisicamente, é relativamente tranquilo. A devastação é mais psicológica mesmo. Eu não sei de que região de SC você é, mas se for de Balneário, Itajaí ou aqui por perto, tenho uma psicóloga que me ajudou bastante no começo. Ela que iniciou os serviços de atendimento aos soro+ aqui na região, ha 20 anos, então ela sabe muito sobre a infecção e sabe dos efeitos psicológicos nos pacientes e trata isso bem satisfatoriamente. Cuide da sua cabeça, faça exercícios, viva bem, feliz.

    É normal vc pensar em HIV 50 horas por dia hahaha. Confesso que até hoje ainda tenho alguns dias ruins, mas a maioria deles é feliz, só lembro da infecção quando tomo meu remédio pela manhã. O resto do dia segue normal. Mas isso acontece só com o tempo mesmo. Nos primeiros 4 meses eu queria apenas chorar e morrer hahahaha. Fiquei muito triste, qualquer espirro eu já achava que era morte vindo me buscar. Eu me sentia um lixo, fadado ao fracasso. Meus dias foram preenchidos apenas por coisas relacionadas ao HIV – pesquisas, lamentação, medo, tudo. Era um movimento cerebral vicioso: achei que era meu fim, que nunca ia superar isso. Tinha medo que me encostassem, quando ia visitar minha mãe lavava meus copos 3x depois de usar. Não gostava de abraçar ninguém. Era uma neurose sem fim. Me sentia radioativo, sendo devorado de dentro para fora. Cada segundo entre o diagnóstico e o começo do tratamento parecia uma eternidade, parecia que o vírus ia me eliminar em 10 dias sem remédios, e não é assim hehehe. Depois de um tempo você vê que sua vida não mudou em quase nada. É normal ter dias ruins onde vc pensa “poderia ter passado sem essa merda? Poderia!”, mas ai logo vc supera e segue em frente. A vida não parou, não. Neste momento você está focando todas as suas energias e pensamentos nesse diagnóstico. Mas em pouco tempo você vai começar a dar espaço para outros problemas chegarem, as contas, os problemas na faculdade, as brigas familiares hahahahah E aí o HIV vai saindo do foco, sabe? Um problema vai encobrindo o outro e em algum tempo o HIV vai se resumir em 2 comprimidos diários e uma lembrança de uma escolha ruim que você fez, mas que tem solução.

    É sério. Não estou falando apenas para te confortar. Se vc leu alguns posts meus aqui, sempre falo que a pessoa tem mesmo que chorar, se lamentar, chegar no fundo do poço, fazer drama e tudo mais. Ela tem direito de fazer isso por qto tempo quiser, HIV não é fácil mesmo, então está liberado isso tudo… Mas vai chegar um momento em que até o universo vai cansar de tanta lamentação e vai arrumar algum outro problema para essa pessoa se ocupar hahaha E o HIV vai ficando de lado. Então é muito normal você só pensar nisso por 1, 3 , 5, 20 meses, mas vai chegar um momento que a coisa vai ser mais suave. Esquecer 100%, jamais, mas você vai aprender a olhar para isso com mais carinho consigo mesmo, e mesmo quando for pesar no HIV vai ser menos violento, você se acostuma, se aceita, volta a viver normalmente. Acredite!

    Bom, é isso, cara. Se eu puder te ajudar em algo mais, conte comigo. Essa agonia vai passar. Esse medo vai passar. Viver com HIV nos primeiros meses de diagnóstico é bem ruim mesmo, mas não vai ser sempre assim, não.

    • Esta resposta foi modificada 5 meses, 1 semana atrás por  EuPositivoSC.
    • #23649 Resposta

      1RapazSC
      Participante

      EuPositivoSC se não sabe o quanto me ajuda ler algo assim! Realmente ando bem pilhado para que esses 10 dias passem logo e eu inicie esse tratamento logo.. sinto esta necessidade de ficar indetectável. Eu sou de Blumenau, é próximo, estou sempre por Itajaí e BC sim, após a consulta com o virologista já tenho a psicologa agendada para o próximo horário como atendimento padrão, mas realmente gostaria de um acompanhamento maior. A ficha já está caindo, por tudo que eu já li, li dnv e dnv e dnv eu sei que não é o fim do mundo, mas por ser algo que eu ainda não vivi(a questão do tratamento e a rotina) ainda me assusta um pouco!
      Sei que a muitas pessoas que convivem com isto por aí, até me assustei ontem quando fui fazer a coleta para carga viral, meu horário era um dos primeiros e já tinha do mais de 50 senhas, replicando aos dias da semana da pra se ter uma noção de que são muitos..
      Ainda não conheço o virologista nem a psicóloga mas os aguardo ansioso para tirar algumas grandes dúvidas hahaha. Muito obrigado novamente.

  • #23651 Resposta

    Igor

    Rapaz, vivo como se tivesse tomando um suplemento alimentar. Acordo, tomo o remédio, e sigo a rotina sem nenhum estresse. Não me sinto um “soropositivo”, como se carregasse uma marca. Acompanho meus exames junto ao médico, tomo dois comprimidos pela manhã. Vejo um estudo ou notícia aqui e ali, e é isso. Aqui no blog tem um texto muito interessante quando o JS fala que deixou de ser “jovem” e ser “soropositivo”, quando ele fez 30 anos e 4 anos de diagnóstico.

    Acho importante não mudar muito a rotina, alimentação, bebidas, saídas, cigarros. Se adapta aos poucos, diminui o dano no caso de cigarro e bebida, ou seja, fume menos até parar. Sobre bebidas, acompanhe seus exames e se tiver tudo ok não tem o que se preocupar. Em geral, bebida e cigarro é prejudicial e o ideal para qualquer pessoa é não fazer uso, principalmente do cigarro né?

    Falo pra não mudar radicalmente de um dia para o outro pq a gente acaba se sentindo um ET, perde as nossas referências. A recomendação de vida saudável de que tem HIV é a mesma recomendada para quem não tem. Então se precisa mudar algo nos seus hábitos, mude, mas comece devagar. (consulte um nutricionista se quiser também, pq não?).

    Se você se adaptou à medicação então não deve ter dificuldade de voltar à sua vida comum, seus planos, prazeres etc. Se algo te sufoca, faça terapia. Todo mundo deveria fazer terapia, aliás. Eu sentia muita vergonha por ser portador do HIV, mas depois desencanei.

    • #23654 Resposta

      1RapazSC
      Participante

      Obrigado por compartilhar Igor! A quanto tempo você é soro+? E vc levou muito tempo a chegar à esse status “desencanado”? haha

      • #23656 Resposta

        Igor

        Sou portador do HIV desde 2012, descobri uns 3 meses depois da exposição. (Sua exposição foi recente?)

        Eu estava num momento de me aceitar como gay e aí aparece essa bomba, ainda fiz uso do kaletra, um medicamento que me causava mta diarréia rs. Tbm senti coceiras e dificuldades de dormir no início. Mas vai saber o que era o baque psicólogo de ser diagnosticado, efeitos do remédio ou drama existencial por me entender como gay?

        Quando finalmente fui pro dolutegravir foi maravilhoso pq não senti absolutamente nada com a nova medicação e nem houve alteração ruim nos meus exames.

        Nos primeiros 8 meses foi muito bad, contando desde a exposição. Depois estava tranquilo (sem medo) tomando a medicação, mas fiquei mais um ano com muita vergonha de mim mesmo. Depois fui melhorando, comecei a tomar o 3×1 e achava ótimo ter apenas um comprimido pra tomar no dia.

        Então posso falar que com 1 e 8 meses eu estava desencanado. Fiz e faço terapia tbm. Mas eram outros tempos, outros medicamentos, eu tinha pouca informação, e outras questões existenciais em jogo. Por isso acho que se vc se adapta ao medicamento num instante vc fica bem, na virada do ano, por exemplo, momento que a gente renova nossas perspectivas, acho que vc vai estar mais pleno, “empoderado” de sua condição e saber lidar com isso com sabedoria. Eu espero e desejo isso a você.

        Cada um tem seu tempo, tem sua própria dinâmica de vida, não se cobre por isso. Procure sempre se elaborar, se fortalecer a nesse processo. Pode ser muito tranquilo e leve conduzir sua vida tratamento.

        O que não quer dizer que não há ha um rigor a ser seguido. Existe uma seriedade no tratamento, assumimos um compromisso conosco e com quem nos relacionamos. Assumimos um compromisso com a sociedade tbm, pq hj o tratamento é o gratuito e universal, protegido por lei, e a gente luta para estar sempre atualizado com as melhores técnicas e medicamentos disponível no mundo. (Por isso é tão preocupante a conjuntura política que está se armando no país )

      • #23657 Resposta

        1RapazSC
        Participante

        Boa tarde Igor, acredito que minha exposição foi á uns 2 meses, estou esperando este primeiro exame para confirmar pela quantidade do vírus no meu organismo(não sei ainda se é possível mas acredito que sim).

        Não conhecia esse Kaletra, mas o google já me ajudou, pelo que conversei, imagino que eu inicie já no Dolutegravir(tomara), eu tenho lido tanto, mas tanto, e perguntado pra Deus e o mundo várias questões e isso já me ajudou muito, por ser algo extremamente recente pra mim, acredito que estou bem, mas realmente quero iniciar a terapia para ficar ainda melhor, como respaldei minha preocupação é a fixação, não quero viver em torno do vírus em cada brecha livre que meu cérebro acha, mas acredito que com o tempo isso vai passar e eu ei de conseguir também! Te agradeço muito por ter me ajudado aqui! Grande abraço!

  • #25197 Resposta

    Jim
    Participante

    Eu também tive essa fase meio “down” de adaptação. Os psicólogos chama essa fase de luto. No caso de HIV positivo temos a sensação de luto de nossa saúde e de nossa vida antes da infecção.

    Agora estou mais desencanado. Já estou indetectável e com a carga zerada. Melhorei minha dieta e voltei a academia depois de alguns anos. Tbm procurei um profissional para me indicar alimentação, suplementação e vitaminas para o meu caso.

    Abraço e boa sorte!

  • #25198 Resposta

    Jim
    Participante

    Ah, mas tenho que confessar… a cada 2 ou 3 dias faço buscas por novos tratamentos, notícia sobre pesquisas, etc.

  • #25238 Resposta

    Rodrigo

    Boa noite acho q estou com o virus devido aos sintomas da fase aguda e outros q continua a aparecer alguem aqui q foi recem diagnosticado pode falar quais foram os sintomas q sentiu e tempo q levou pra aparecer ate receber o diagnostico de positivo+ ? Ainda estou no periodo de janela imunologica e os resultados de teste rapidos tem dado nao reagentes eu acho q contraí o virus e meu corpo ainda nao deu tempo de criar anti corpos.

    • #25243 Resposta

      1RapazSC
      Participante

      Vamos lá Rodrigo que algumas coisas você está confundindo.

      A fase aguda da doença é quando você já tem tanto vírus circulando pelo corpo que a infecção do HIV passou a condição de AIDS, que é quando seu sistema imunológico já está mais debilitado e propenso a outras doenças oportunistas. Então se você estivesse nessa fase, seu exame com certeza daria Reagente. Por você dizer que está na “janela imunológica” não tem como estar nessa fase.

      Sobre os meus sintomas e diagnóstico: eu descobri 4 meses após minha exposição, foi um caso específico, e foi um susto, pode ser que se eu fizesse um mês após a exposição eu já daria reagente, pode ser que não, fui fazer o exame só por desencargo de consciência mesmo. Meus sintomas foram muito parecido com uma gripe! Cansaço, sonolência, lembro que tive umas ínguas na região do pescoço e maxilar(nódulos internos) e lembro que ao engolir eu escutava como se fosse “bolhas” no ouvido. Esses foram os meus sintomas na semana após a exposição, que é quando o vírus mais se multiplica.

      Quanto tempo faz sua exposição? Você deveria procurar um infectologista e dividir seus medos pra receber a ajuda especializada.

      Abraço

  • #25255 Resposta

    Rodrigo

    @1rapazsc obrigado pela atençao e responder a minha angustia ta sendo muito dificil esperar acabar essa janela imunologica

Responder a: Fixação no HIV
Sua informação: