Autoaceitação

Home Fóruns Vivendo com HIV Autoaceitação

Este tópico contém respostas, possui 11 vozes e foi atualizado pela última vez por  Jim 1 semana, 4 dias atrás.

  • Autor
    Posts
  • #22091 Resposta

    EuPositivoSC
    Participante

    Essa é – eu acho – a primeira participação em um fórum aqui no jovemsoropositivo.com, e estou meio tenso com a responsabilidade hahaha. Pensei em sugerir uma conversa sobre alimentação ou sobre rotina saudável aqui na aba “Vivendo com HIV”, mas decidi pegar um pouco mais pesado comigo mesmo e encarar algumas coisas que tenho ignorado desde que me descobri uma pessoa vivendo com o vírus. Queria falar sobre a autoaceitação vivendo com HIV. Eu não consigo me aceitar positivo. Isso é comum? Vocês se reconhecem como positivos? Hoje criei meu perfil no WordPress para interagir mais aqui no site e tals, e na hora de subir a foto de miniatura foi mto desconfortável para mim: me ver em fotos depois do diagnóstico é terrível. Confesso que nunca mais me olhei nos olhos e conversei comigo mesmo desde o dia 06/03 do ano passado, quando fui diagnosticado. Que triste isso, não é? Pois eu me curtia pra caramba haha e hoje eu não consigo me redescobrir. No banho ou antes de dormir é quando eu me desconecto da rotina e paro para pensar: o que que eu fiz com minha vida? E é como se eu fosse tomado por um medo selvagem que esmaga meu conhecimento sobre o HIV e minha auto estima, aí eu bloqueio tudo e começo a cantar alguma música e disfarço de mim mesmo a minha condição. Nunca paro para pensar no fato que tenho HIV, nem mesmo todo dia quando tomo os medicamentos. Acho que ainda estou anestesiado. Me sinto impotente e concluo que as consequencias físicas do HIV não são nada perto da devastação mental que ele provoca.
    E vocês? Quanto tempo demorou para que assimilassem e aceitassem a nova condição de vida? Será que isso algum dia passa?

  • #22092 Resposta

    Chel

    Olá Positivo SC. Eu também gostaria muito de debater sobre o nosso emocional… E sim… O meu também não esta legal. Não consigo mais fazer planos e nem ser feliz como eu era. Dizem que com o tempo as coisas melhoram mas tem 1 ano e 5 meses que fui diagnosticado e as coisas as vezes pioram. Uma proporção tão grande que já fui parar algumas vezes no hospital por ter feito algumas besteiras. Sei que não estamos sozinhos e mesmo rodeados de pessoas que também tem o mesmo diagnóstico nos sentimos, alias eu me sinto.

    • #22365 Resposta

      Eu

      Como fazer para excluir uma imagem que foi publicada com o texto aqui, me ajudem.

  • #22093 Resposta

    Roger

    Realmente o emocional precisa ser controlado e não é fácil lidar de início, com o tempo vamos nos acostumando. Minha infecção é de Outubro de 2017 e comecei a fazer o uso do AVrs em janeiro. Ainda me cobro muito por não ter se prevenido o suficiente e ainda mais por não ter buscado fazer o uso da PEP. Todos os dias e em todos os momentos quando lembro do HIV procuro mentalizar e repito o seguinte: EU ME AMO, ME ACEITO E ME APROVO NESTA ATUAL CONDIÇÃO E AGRADEÇO A CADA DIA.

  • #22094 Resposta

    @positivosc

    Oba! Conversas! Achei que fosse demorar mais para alguém ler/responder. Que legal!

    CHEL
    É dureza né? Eu tive momentos de pensamento suicida na semana que fui diagnosticado, mas por sorte tudo se ajeitou e não executei nada. Não execute nada tbm, por favor hehe. Eu penso que as perspectivas são boas para os positivos e suicidio vai ser desperdício logo, logo.
    Eu não sei pq não consigo sair dessa posição de estagnação frente ao vírus. Estou com saúde, minha rotina não mudou em nada, nada mesmo, mas ainda assim sinto cheiro de falência social e física todo o tempo. Parece que carimbaram minha testa com a palavra INFERIOR bem grande. Concluí várias vezes que tinha preconceito com soropositivos, só isso para explicar essa supressão de estima que venho sentindo. Nunca fui uma pessoa com tabus, sempre lí muito sobre “flagelos sociais” como prostituição, travestis, soropositivos, isso sempre me interessou pq era um mundo que eu não vivia, então queria entender e contribuir, na medida do possível. Achei que fosse livre de pudores mas hj vejo que não era não. Eu fui infectado em uma única relação extraconjugal que tive em 15 anos de casamento. Bastou 1 vez e deu essa merda toda. Desde então me sinto uma pessoa suja, traidora, imoral, insensível, instável, galinha, irresponsável… E eu tinha muito orgulho do marido dedicado que fui durante 15 anos. Sério mesmo. Eu tinha orgulho de ser companheiro, pau para toda obra, eu peitava os problemas sem medo algum, saí da casa dos meus pais pq não queria trabalhar na roça. Estudei, casei, consegui um ótimo emprego, viajei o mundo, casa, carro, apto na praia, tudo consegui peitando a vida nesses 34 anos de existência, mas hj em dia sou um ser medroso,um cagão kkkk. A minha escolha errada dessa transa extraconjugal fez com que eu seja hoje um cara que não decide nem um restaurante pata ir jantar. Não me sinto capaz de assumir o controle de nada na minha vida, e isso é ruim pq eu sempre fui bastannte destemido, sabe? O porto seguro de muita gente. Não sei pedir ajuda. Não aceito demonstrar fraqueza. Até isso o HIV está consumindo aqui dentro.
    Não me reconheço mais e não tenho forças para pedur ajuda. Nem sei como fazer isso, pq nunca fiz antes, mas tenho esperança que isso é passageiro. Em breve espero voltar a ser racional e entender como voltar a ser quem eu era antes ou recuperar boa parte daquilo que um dia já fui, pq era muito legal ser assim 🙁

  • #22095 Resposta

    @positivosc

    ROGER

    Cara, sua infecção é mais recente que a minha. Sou de junho do ano passado. Eu comecei a medicação no mesmo dia do diagnóstico. 35 dias depois já estava indetectável. Eu preciso achar uma forma de fazer o que você faz: quando parar para pensar no vírus e na infecção e em tudo que me levou a isso, preciso converter as coisas negativas em otimismo e de repente gratidão, ou pelo menos conseguir me manter neutro. Neutralizar esses sentimentos todos me parece a melhor forma de sair dessa enrascada psicológica que o HIV nos mete diariamente.

    OBS: sou só eu ou vcs tbm um bloqueio para falar coisas como: pensar positivo, ser positivo, coisa positiva na minha vida… o HIV resignificou até essa palavra pra mim kkkk. Não a uso desde o diagnóstico (nas conversas do dia a dia e tal). Vai entender…

  • #22096 Resposta

    Clever

    Bom dia.
    Também tenho passado por esses momentos de angústia. Saber que temos que conviver com isso para sempre. Estou nessa desde janeiro de 2018. E já estou indetectável. Mas sempre me assombra o que poderá acontecer ou surgir de efeitos colaterais. Bem, força para todos nós.

    • #22097 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      CLEVER
      Que bom que está indetectável. Assim vc elimina quase que totalmente os riscos de desenvolver alguma doença oportunista. Os efeitos colaterais imediatos parece-me que não ocorreram, certo? Vc deve estar tomando o Dolutegravir, ele realmente não dá nada mesmo, é ótimo. E a longo prazo, eu acho que a cura vai demorar muito, mas totalmente acredito no surgimento de drogas que eliminem riscos secundários da medicação dada a toxicidade de algumas delas, então anime-se, pois fisicamente temos tudo para seguirmos saudáveis. Repito o que eu disse no início desse tópico: os efeitos psicológicos do HIV devastam mais que as questões físicas e é contra isso que temos que lutar.
      Dá uma olhada em uns vídeos no Youtube da Silvinha Almeida. Ela tem mais de 20 anos de HIV, nunca desenvolveu nenhuma doença ou complicação da doença, e isso que começou o tratamento com drogas bem menos eficientes que as que temos atualmente. Precisamos cuidar da nossa cabeça, pra isso não há remédio e muitas vezes mata mais que a dor física 🙁

  • #22098 Resposta

    Gc04

    E ae galera!
    Logo esse sentimento ruim passa e tudo volta ao normal, as vezes ate melhor que antes, começamos anos cuidar melhor e a dar importância pra algumas coisas que achávamos não ser.
    Mas é isso é um dia após o outro tudo vai melhorando.
    É difícil sim mas melhora, sempre melhora.
    A parte mais difícil é conhecer alguém e se abrir pra alguém pra uma nova relação. Aí complicada.
    Alguém sabe algum app prático e mais reservado ????

  • #22099 Resposta

    Guilherme Alguém

    Oi,gente, como vão?

    Bom,escrevo em meio a uma confusão mental, de modo que ordenar meu pensamento é uma tarefa complicada. Descobri meu estado sorológico em Janeiro desse ano e ainda não comecei com a medicação! Os dias iniciais foram os piores,passei horas,dias,deitado, sem fazer nada,sem pensar em nada,perdido no vazio do medo, que me foi devastador! Comecei a me alimentar, a fazer atividades físicas para preparar meu corpo para a medicação, que devo iniciar no próximo mês.
    Nesses dias,não tenho co seguido estar entre muitas pessoas, tenho dormido muito mais qie o normal e desejado nunca mais acordar! Faço mestrado e estou com os prazos de minha dissertação todos atrasados! Que ironia:eu estudo a construção social das doenças!
    Acredito ter contraído o HIV em novembro, em minha única situação de risco. A culpa que sinto tem funcionado como uma arma! Voltei para casa de meus pais, olho minhas fotos infantis e tudo que penso é: cara, que vacilo! O que você fez?
    Sem delongas,sempre gostei muito de escrever, a poesia semore foi uma aliada, nesse momento de sombras e abismos, ela me fugiu!

    Ainda ontem me lembrei de um livro de uma autor alemão, que insiste que qiem quiser nascer,tem que destruir um mundo,assim como o faz a ave qie sai do ovo! Como ouvi de uma amiga,viver derepente seja subir uma escada rolante pelo lado que desce!

    Me desculpem o desabafo e as circunstâncias tristes que informam minha fala!
    Um abraço a todos!

    • #22100 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Gc04

      Eu, mesmo pós diagnóstico, consegui resgatar meu casamento. É muito difícil, agora vivo uma relação sorodiscordante e isso tem seus dilemas… Mas não tenho do que reclamar, apenas agradecer ao meu companheiro que está ao meu lado mesmo depois de tudo que aconteceu com a gente. Porém imagino que seja difícil mesmo encontrar alguém. Se algum dia eu tiver que me relacionar com alguém novo (espero que não hehehe) eu penso que buscaria outro soropositivo, pois me parece ser “mais fácil”…
      Sobre algum APP, o Lucian Ambros lançou um que se chamava Posithividades, mas acho que está fora do ar no momento pq pelo que sei ele está sendo reformulado. Vale a pena dar uma checada, pois era bem legal a proposta. De repente vale até um contato com o Lucian, vc acha fácil ele nas redes sociais. É um menino bem gente boa e pode dar mais detalhes sobre os rumos do App.

      • Esta resposta foi modificada 11 meses, 1 semana atrás por  EuPositivoSC.
    • #22101 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Guilherme Alguém

      Bem isso que sinto: O QUE VOCÊ FOI FAZER DA SUA VIDA, RAPAZ?
      É terrível essa sensação, a culpa é uma inimiga bem implacável, essa caralha! hahahahaha

      A medicação faz a gente se sentir melhor no sentido de: estou fazendo o que posso para remediar essa enrascada que me enfiei, e confesso que fisicamente eu estou bem, então acho que você ficará tbm, mas psicologicamente o buraco é mais embaixo. Recomendo terapia, isso ajuda, pelo menos vc pode se abrir sem muito julgamento. Eu não contei pra minha família, apenas para 2 ou 3 amigos, e confesso que até me arrependi, por mais que eles me deem suporte sempre, hoje, quase 1 ano após o diagnóstico, não contaria não. Não tenho medo que as pessoas saibam da minha condição, só mantenho no anonimato pq realmente não queria falar pros meus pais e irmã. Penso que eles entenderiam, eles sabem do panorama do HIV nos dias atuais, me apoiariam, tenho certeza, mas tbm sei que eles iam sentir o que sinto, a agonia, o não contentamento… Enfim…

      Boa sorte no início da medicação, não vai sentir nada, tenho certeza. Vai dar tudo certo e se posso te dar uma dica é: procure um psicólogo, cuide da cabeça da mesma forma que do corpo.

      • Esta resposta foi modificada 11 meses, 1 semana atrás por  EuPositivoSC.
  • #22104 Resposta

    Anonimofer

    Olá, Positivo SC.
    A autoaceitação não é moleza, eu aceitei a minha nova visão de vida, porém não vejo a necessidade de falar para outras pessoas que vivo com hiv, apenas para minha familia e namorada, e também quando faço meus exames de rotina e alguém pergunta se tomo medicamento dirariamente, aí falo da TARV, no mais nao vejo necessidade de panfletar para que outras pessoas aceitem o meu diagnóstico. Isso cabe apenas a nós mesmo.. ou se vc for ativista, logo tem q dá a cara a tapa, no mais não vejo necessidade. A aceitação cabe a nós Reagentes.
    Não deixe os planos de lado, serão eles que lhe darão forças.
    Fui diagnósticado em 07/2017, oito meses se foram e estou firme, mais forte e conciente.
    Abraços.

    • #22105 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Anonimofer

      Obrigado pelas palavras. Me forço a não parar meus projetos e faz sentido que me mantenha ocupado, pois sem isso não sei como estaria não. É foda hehe
      Bom falar com todos aqui, especialmente pq não precisamos enfrentar julgamentos. Ambiente seguro.

      Abraços

      • #22106 Resposta

        Anonimofer

        Sim, e está correto. Sem planos e projetos, até o homem mais saudável sucumbiria. Pense nisto…

  • #22138 Resposta

    Anderson

    Boa tarde,

    Como já foi dito a auto aceitação é um processo longo, no meu caso eu sempre tive problemas de me olhar no espelho, poucas vezes gostei do que eu vi…imagina agora sendo positivo.
    Às vezes eu esqueço que tenho, outras lembro 24h, enfim.
    Ao amigo que descobriu em Janeiro ( não consegui ler o nome), todos nós vacilamos mas como minha vó diz: Não adianta chorar em cima do leite derramado.
    O importante é manter ou procurar encontrar a paz, fazer as pazes com os erros e seguir em frente.
    Esse vírus de merda é insignificante perto dos nossos sonhos, conquistas e desejos.

    • #22155 Resposta

      @positivosc

      Queria a estabilidade de bloquear os pensamentos ruins… é bem como vc disse, Anderson: tem dias que nem me lembro, já outros é da hora que acordo até desmaiar de sono a noite. Queria saber equilibrar hehehe

  • #22156 Resposta

    Chel

    Positivo SC Sei que realmente é difícil,como te falei, também estou passando por uns momentos nada bons, mas não se sinta inferior jamais. Olha tudo que você conquistou ao longo do tempo. Batalhou muito pra isso. Creio que você é um cara forte e precisa trabalhar isso em você. Não fique se martirizado por algo que aconteceu… Já passou… Temos que olhar para o futuro,correr atrás de nossos sonhos e amar… Digo… Nos amar e viver cada momento, cada suspiro, cada segundo e minuto. Se olhe nos olhos e converse consigo… Cuide de você com carinho e não se julgue. Estamos juntos nessa e qualquer coisa que precisar conte comigo. Um Grande abraço. Chel

  • #22166 Resposta

    Horus

    Oi pessoal!
    Eu li os comentários de vcs de confesso que fiquei um pouco triste. Obviamente que eu sei como é passar por todo esse desespero da descoberta. Eu descobri q era positivo em março de 2017 e levei 3meses pra conseguir parar de chorar e pensar em suicídio. Até q acordei e pensei: OU EU OU ELE vai vencer essa parada, pq se eu continuar assim a tristeza e culpa só irão crescer.
    Isso foi como um novo start! Enchi meu coração de esperança e aos poucos fui me reerguendo. E hoje to aqui de boas convivendo com o “maldito” dentro de mim mas ele tá lá indetectável até o dia em q vai ser expulso de vez.
    Eu acho q cada pessoa que descobre ser positivo e começa um tratamento já é um vencedor.
    Então cada vez que vcs ficarem triste lembrem que estão vivos, que tiveram uma nova oportunidade, existe tantas situações piores e nós só temos um maldito vírus q pode ser controlado.
    Queria poder conhecer todos vcs!
    Abraços!
    🙂

  • #22174 Resposta

    Anonimofer

    Alguém foi no Lollapalooza ?
    Meu Deus o que foi aquele show do The Killers ? Meu CD4 deve ter ido a 1000.. boa semana posotivos, seguimos juntos nessa..

    • #22191 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Anonimofer

      HAHAHA meu CD4 deve ter ido a 1000 foi boa.
      Eu não fui não, não gosto desse agito todo. Sou velho 😉

      Falando em CD4, ontem tive consulta com meu infecto, o meu chegou em 1240. Fiquei bem feliz. Por enquanto, tudo certo e a vida segue 😀

      • Esta resposta foi modificada 11 meses atrás por  EuPositivoSC.
  • #22195 Resposta

    Lucasmat
    Participante

    Oi amigos, meu resultado sai hoje-amanhã. Estou com muito medo, tive vários sintomas, já estou sofrendo por antecedência.

  • #22196 Resposta

    Lucasmat
    Participante

    Estou terminando a faculdade, tcc, tenho oab e aniversário semana que vem, parece que meu chão vai cair se der reagente.

  • #22197 Resposta

    AnonimoFer
    Membro

    Não sofra por antecipação meu caro!!!

  • #22198 Resposta

    Lucasmat
    Participante

    Valeu @anonimofer mas ta foda sabe…. não estou bem as semanas.

  • #22199 Resposta

    Lucasmat
    Participante

    Dormir é a única coisa que me alivia ultimamente.

  • #22201 Resposta

    Dissensão

    Fui diagnosticado ontem, dia 27/03/2018. Sempre fui consciente de que, cedo ou tarde, ele iria me encontrar. Sexo sem proteção, drogas… Relacionei-me com um rapaz que é HIV+, com proteção, porém sem o medo e o preconceito de contrair o vírus.
    “N” coisas passaram pela minha cabeça durante o dia de ontem, mas a autodestruição parece-me a última opção. Não sei se tenho autonomia e “envergadura moral” para compartilhar algo relevante aqui no fórum, mas até o momento percebo que é uma doença como outra qualquer.
    O que me magoa e frustra é minha família: contar ou não contar? Além da homoafetividade, será que meus pais merecem mais este “fardo”? Mais esta preocupação?

    • #22234 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Dissensão

      Não conta. Não agora. Você me pareceu ter estrutura para levar esse fardinho sozinho (ou com amigos, enfim…) por algum tempo, então não conta pq uma vez revelado não tem como desrevelar kkkkk. Eu sinto bem isso que vc falou: meus pais entenderiam, ajudariam como pudessem, mas é aquela coisa: O FARDO que eles vão carregar junto comigo durante essa jornada. Penso que os danos do HIV eu preciso carregar, foi responsabilidade minha, mas pedir que meus pais me ajudem a carregar isso não é justo com eles. Não contei, não vou contar nunca pq estou me esforçando ao máximo para ficar bem fisicamente, justamente para manter isso só para mim. Se um dia eles descobrirem não será o fim do mundo, mas vai me afetar muito saber que eu os expus a isso.

      Boa sorte aí e se precisar conversar, tens a gente pra quebrar um galho por enquanto 😀

  • #22202 Resposta

    Sol
    Participante

    Oi pessoal, fui diagnosticada em maio de 2016. Também não tive coragem de contar para a minha família pois eles têm muito preconceito por falta de informação sobre o HIV, contém apenas para 2 amigos mais próximos e meu último parceiro que felizmente não contraiu esse vírus que vai me perseguir para o resto da vida.
    Acredito ter sido infectada 3 anos antes, porém perdi o contato com meu parceiro da época. Quando recebi o diagnóstico chorei muito durante a primeira semana, mas logo depois vi que nada disso iria atrapalhar nenhum dos meus planos nem mudaria radicalmente minha vida. Logo procurei um infectologista para começar logo meu tratamento, meu CD4 na época era um pouco acima de 200. Até hoje ele só passou de 500 uma vez, minha meta agora é sempre ter melhores resultados nos próximos exames.
    No mais minha vida tem sido normal, nem me lembro que vivo com HIV, somente quando tenho que buscar os remédios, fazer os exames de rotina, ou quando algum amigo que não sabe da minha condição comenta (sempre de forma preconceituosa).
    Porém uma coisa que tenho consciência é que tenho evitado ter relacionamentos desde que descobri minha sorologia, imagino mil situações ruins que podem acontecer caso eu me relacione com alguém que me paralisam e fazem com que eu nem comece nada com ninguém.
    Acho que conversar aqui é muito importante para trocarmos experiências e darmos apoio uns aos outros. Não conheço ninguém pessoalmente que também tenha HIV, sinto muita falta de pessoas para conversar sobre isso. Acho que esse fórum veio na hora certa.

    • #22235 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Sol

      Lembro da minha primeira relação pós diagnóstico. Foi foda. tenso demais. MAs depois a gente vai aprendendo a se sentir seguro. Tudo vai se encaixar hehe

      Sobre amigos “reais” positivos, tbm não tenho. Queria ter, pq acho que isso renderia conversas boas na mesa do bar 🙁

      Se alguém morar por Balneário Camboriú/SC, dá um toque 😀

  • #22203 Resposta

    Anonimofer

    @positivasol não acho que não se relacionar seja a melhor saída.. se quiser se relacionar, você também tem todo o direito de ser feliz !! Bom dia.

  • #22207 Resposta

    Lucasmat
    Participante

    Bom dia pessoal, saiu meu resultado! Depois de mais de um mês de aflição, deu não reagente. Mas saibam que estarei sempre orando por vocês, tudo isso foi um aprendizado. Estejam fortes, Deus está com cada um! Deus abençoe, estarei orando/rezando para cada um.

    • #22233 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Que bom que deu negativo. Agora é só se cuidar, Lucas, pq viver com HIV não é um horror sem fim, mas é bem mais legal viver sem hahaha

  • #22241 Resposta

    Luiz Fernando

    Oi boa noite, to com 3 meses que descobrir que sou soro positivo, ja entrei com tratamento, mais para mim parece que estou em meio a pesadelo, to lutando todo dia para nao ficar deprimido, mais sinto que estou perdendo as forças… é muito difícil, para mim ficar em meio social.. agora para mim e melhor ficar em casa tenho tido medo as vzs..minha carga viral deu 38.000 ando meio confuso com tudo isso..

    • #22250 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Luiz Fernando

      Se já começou o tratamento há 3 meses atrás, essas 38.000 cópias já devem ter sido reduzidas para níveis indetectáveis, pois com 30, 40 dias, isso já é possível com a medicação atual. Sobre o isolamento, normal tbm. Eu mesmo lembro-me da primeira vez que saí após meu diagnóstico. Fui em uma festa de aniversário de uma amiga. Reví pessoas que fizeram parte da minha vida e passei a noite toda me sentindo inferiorizado, amedrontado, triste, envergonhado e foi terrível, uma agonia. Com o tempo isso tende a diminuir, mas eu acho que você não precisa esperar isso se dissolver naturalmente: procure um psicólogo e acelere esse processo de recuperação mental. Os serviços públicos de saúde tem psicólogos gratuitos ou invista em um da rede particular. É importante, pq fisicamente você ficará bem, tome sua medicação corretamente e ela vai trabalhar sozinha e te deixar saudável… Já a questão psicológica exige mais dedicação e atenção. Preste atenção nisso, por favor. É normal ficar sem chão? É! É normal se sentir inferiorizado e fraco frente a isso tudo? Sim! Só não é normal saber que está sentido isso tudo e achar que você merece passar por essa depressão.

      Abraço e fique bem. Qualquer coisa,. escreve aqui que tentamos ajudar 😀

      • Esta resposta foi modificada 10 meses, 3 semanas atrás por  EuPositivoSC.
  • #22242 Resposta

    Anderson

    Luiz Fernando, boa noite.

    Compreendo o que você está passando, o importante é procurar ficar bem emocionante, ficar isolado só faz a gente ficar pior.
    No dia 15/09/2017, as 11h35min, também me descobrir positivo, chorei muito mas hoje eu aceito essa condição e HIV é um pequeno detalhe na minha vida.
    Abraços, fique bem

  • #22256 Resposta

    Garoto guerreiro CE

    Bom… Lendo sobre este tópico, relembro quando descobri em 2007 e de lá para cá passei por várias fases e hoje estou lutando comigo mesmo e estou vencendo. Não vou dizer que seja fácil em você se aceitar. Mas lhe garanto que se você se conhecer melhor, você dirar para você mesmo que o pior já passou. Então não seja duro consigo próprio. E lute contra seu medo e seja feliz.

  • #22270 Resposta

    André

    Descobri a sorologia em 2017, em uma brincadeira eu diria. Pior, é saber que sendo da área da saúde poderia ter me prevenido mais. Mas o vírus não me assustou, comecei o ttratamento, apenas contei para 2 amigos e acho mais que suficiente. As vezes não é fácil, é chato ter que todo mês ir buscar a medicação(alias essa é a pior parte) mas estou bem, feliz, vivo normal, estudo, me divirto, malho faço tudo. Fiquem bem, não fiquem pensando que devem contar para alguém, apenas façam disso só mais uma tarefa diária.

  • #22283 Resposta

    Andres

    Olá, Positivo SC, saudações a todos. A auto aceitação é, seguramente, um dos combates mais duros a ser travado no convívio do HIV, chego a dizer que talvez seja mais complexo que controlar a carga viral com os medicamentos antirretrovirais. Para dor física, remédio; para dores emocionais, o tempo e a esperança. Estou prestes a completar três meses diagnóstico e tratamento, ainda ecoa na minha memória, todas as noites, as palavras da minha médica: “acostume-se a conviver com uma doença crônica e, sobretudo, e mais importante, cure essa doença na sua cabeça para que não atormente seu espírito e coração”. Ela estava correta, a doença me consumia o dia todo, sentia-me sujo, promíscuo, pensando insistentemente quando fui infectado e a razão pela qual isso aconteceu. Esse foi o roteiro do filme da minha história no primeiro mês. Qualquer sintoma que sentia logo buscava uma vinculação com à doença, usando sempre o Google para isso. Embora as informações sejam importantes, nem sempre elas nos ajudam, em especial quando estamos debilitados emocionalmente, tendemos sempre a vê-las pela perspectiva mais trágica. É verdade que, embora tudo pareça ser estranhamente difícil, chega um momento que você deve pôr um fim as dores emocionais, elas, igualmente um câncer, se não controladas te consumirão. E se nos determos friamente na questão, pouca coisa em nossas vidas mudou, muito embora sejam significativas. Passamos a tomar medicamentos em um horário fixo (o que muitas pessoas o fazem ao redor do planeta), reduzimos drasticamente o consumo de álcool (o que é muito positivo para saúde), nossas refeições agora estão mais balanceadas (sinal de vida longa), nos preocupamos em fazer atividades físicas (a aparência agradece), enfim, começamos a ter posturas muito maduras em relação a nossa existência e nossa saúde, o que deveríamos ter feito espontaneamente nos foi dado pelo destino de nossas ações. Não é fácil, mas também não é impossível. Aceitar-se é um passo, arrisco a dizer que é todo o caminho, para levar uma vida normal. Aproxima-se o terceiro mês de tratamento, todos os dias lembro que tenho HIV, considerando que todos os dias tomo remédio, mas não me perturbo mais quanto a estar sujo, sentir-me promíscuo, amaldiçoado ou algo do gênero, hoje reconheço, a duras penas, que grande parte desse sentimento que existia em mim era fruto do meu preconceito quanto à doença, quando descobri o que era, e o estigma que se pode sentir, eu pensei que era o momento de colocar um fim a agonia que sentia, de fato nada ainda mudou, além é claro da morte do meu preconceito. Viver com HIV está sendo para mim um retorno a mim mesmo, as angústias que sentia, os traumas da vida, dos sofrimentos, com ele, descobri que posso encará-los frente a frente e de cara limpa, pois já não há mais nada a temer. Se hoje é um dia relativamente difícil no íntimo da tua existência, confia e aguarda a certeza que dias melhores inevitavelmente virão e com eles a comprovação de que tudo, um dia, passará. Abraços fraternos a todos, parabéns pela iniciativa do debate.

    • #22284 Resposta

      @positivoSC

      Andres
      Coerente tua fala e de qualidade. Estou nessa jornada há quase 1 ano e muitas barreiras já venci. Acredito que sou capaz de vencer a psicológica também. Aceito a infecção, não sofro com os medicamentos, é mais o lance do julgamento mesmo, de pensar que eu cheguei até aqui e me enfiei nisso. Mas uma hora vai passar. Sei que vai. Vamos em frente, sempre.

  • #22293 Resposta

    Guilherme Alguém

    É de fato, amigos, uma tarefa diária! Iniciei a TARV na última sexta-feira, e embora me sentisse preparado, fui pego por uma tormenta de medos e inseguranças. Por ora, minha vida está paralisada, não consigo respeitar os prazos do mestrado e sofro muito com isso! Por sorte, meu orientador, embora não saiba de minha sorologia, entende que as questões da alma são incontornáveis! Uma coisa que tem me ajudado no inverso emocional que se estabeleceu em mim é tentar viver uma vida inteira no ciclo de 24 hrs, na ingestão da medicação. Entendo que não precisa ser assim, mas ao menos por enquanto, isso me ajuda a deixar as coisas mais leves! Sei que o tempo é um grande aliado e por isso o tenho como amigo, mas anseio vislumbrar saídas! Ontem estava bem, ri muito, almocei com a família, hoje foi desterritorializado, perdi o chão, mas sei também que não tem tempestade eterna! Toda vida tem seu peso, não? Minha pesquisa de mestrado está no campo da saúde pública, de modo que não consigo fazer as leituras sem me deparar com os mais profundos medos que me assolam. Sei também que isso logo passa e a vida volta ao rumo! Lidei com muita coisa difícil na vida e aprendi que tudo depende do modo como a gente enfrenta as coisas. Na contramão das ideologias da leveza, não acho que a vida em sí seja leve ou harmônica, ao contrário, é toda permeada de conflitos e contradições, contudo, cabe a você experimentá-la ou não sob os signos da calma e da tranquilidade! Meu medo tem a ver com os efeitos a longo prazo da medicação, em tentar imaginar como será minha velhice, meu estado ósseo daqui vinte anos, mesmo sabendo que o futuro é inapreensível e, ao mesmo tempo, inescapável. Avante, dia após dia! Obrigado por estarem, ainda que virtualmente, comigo nessa! Um abraço!

    • #22295 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Guilherme. Tem muito chão ainda antes dos temidos 15/20 anos de medicação. Como vc é da área da saúde, deve saber melhor que eu que as pesquisas não param. Nesse período acho muito difícil não aparecer a cura ou medicamentos menos nocivos, não é mesmo? Já há o Tenofovir menos nocivo, só não o temos aqui no Brasil ainda, mas vai chegar. E novas drogas também, melhores ainda. Vamos acreditar na ciência e fazer nossa parte até lá. Ficaremos bem 😉

  • #22294 Resposta

    Andres

    Olá, Guilherme. Fui aprovado na seleção do Doutorado em Dezembro do ano passado, em janeiro descobri meu diagnóstico, exatos quatro meses. No começo foi uma barra fazer as disciplinas, receber as orientações, enfim. Agora já está tudo mais tranquilo, as coisas entram no seu eixo, invariavelmente. Caso queira trocar ideias sobre pesquisa e sobre a vida me envia um e-mail.

    andrespositividade@gmail.com

    Abraços

  • #22322 Resposta

    Roger

    Guilherme,

    Quando recebi o diagnóstico o que veio a mente além de tantas outras preocupações com minha saúde e corpo foi essa frase de Socrátes “So sei que nada sei”. Agora que sou soropositivo aprendi e estou adotando uma nova maneira de viver. Quanto ao futuro ele não nos pertence. Vamos vivendo dia após dia na certeza que dias melhores virão.

  • #22329 Resposta

    Fernando Silva

    Olá amigos, fui fazer um exame de rotina e o médico incluiu o HIV. Não sei se tenho há 4 anos ou a 4 meses, quando sai de um relacionamento é “me joguei no mundo”.
    Ontem às 18hs saiu o resultado. Positivo.
    Não consigo chorar desde então, também não dormi. Não consegui sentir culpa, só raiva, de mim. Só sinto um nó na garganta, que me tirou o apetite e me dá náusea.
    32 anos, solteiro, bem sucedido, abusei da sorte e cai. Mas não quero perder essa, odeio perder.
    Gosto muito da vida pra pensar em suicídio e ler vcs foi um choque. Em parte, concordo com o que alguns disseram mas não com outros.
    Contei pro meu ex, afinal, não consigo precisar desde quando tenho o vírus, nem no médico eu voltei, só na segunda-feira e ela ainda vai me encaminhar para o infectologista. Preciso sobreviver sem enlouquecer esses próximos 15 dias.
    Vou precisar muito de vocês. Vou ler, reler, conversar, escrever. Meu e-mail está aqui. Nos falamos.

  • #22330 Resposta

    Andres

    Olá, Fernando. De momento, a única palavra que talvez, mais tarde, faça sentido é: calma. Do diagnóstico ao tratamento é um baque natural, sobretudo quando se tem o espírito aguerrido como o seu, tenho certeza que não perderá a luta. Não é nada romântico estar com a soropositividade, mas também não é esse bicho de sete cabeça, nem o fim da linha, ao contrário, eu vejo como uma refundação de nós mesmos, cuide dos sentimentos, mantenha-se nas atividades normais que desenvolve, cultive bons pensamentos. Estamos à disposição para ajuda-lo. Abraços!!!

  • #22331 Resposta

    Anderson

    Fernando, boa noite.
    Sei o quanto é difícil essa descoberta, passei pelo mesmo choque a exatos 7 meses atrás.
    O importante agora é tentar manter a calma.

    Vai dá tudo certo.

    Se quiser conversar, posso passar meu e-mail ou telefone

  • #22332 Resposta

    2018

    Meu diagnostico se deu nos primeiros dias de 2018 e desde então ando vagando entre o céu e o inferno. Minha autoestima nunca foi lá essas coisas, então da para imaginar como fiquei após o diagnostico. Minha primeira atitude foi dividir o problema com o meu companheiro, um casamento de 20 anos. Foi nele que tive o primeiro conforto, o primeiro momento de paz após a noticia. Foram dias sem dormir, sem conseguir trabalhar, só pensamentos negativos e sentimento de culpa, não conseguia estar com outras pessoas, só me sentia em paz ao lado do meu companheiro. Poucos dias após o diagnostico busquei um infectologista e logo iniciei o tratamento com o dtg que me traz muito desconforto gastrointestinal, mas tolerável, muito mais tolerável do que a dor que as vezes bate na alma, que os pesadelos sombrios que passaram a ocupar as minhas noites e que o vazio que parece ocupar meu peito.

    Meu companheiro, sorodiscordante, está sempre ao meu lado, mais amável e carinhoso após tudo isso. Foi ele a primeira pessoa a me falar: “Não se culpe, não procure culpados e não, não é um castigo”, dias depois, escutei o mesmo mantra sendo entoado pelo meu infectologista. Não dividi esse fardo com mais ninguém, apenas com meu médico, com o meu parceiro e agora com vocês.

    É fato que os sentimentos de hoje não são os mesmos de 3 meses atrás , os ancioliticos e antidepressivos já não são mais necessários, apenas os comprimidos para dormir. Voltei a trabalhar e retomar minha vida, mas essa nova condição martela na minha cabeça o dia inteiro, sem dó, administrar o psicologico tem sido bem complicado. Ler as historias e depoimentos aqui no site tem ajudado muito, sempre encontro semelhanças, mas somente hoje, lendo esse fórum, me senti a vontade para escrever um pouco da minha historia.

    Saude e sucesso à todos vocês.

  • #22342 Resposta

    Guilherme Alguém

    Oi gente, como vão?

    Completei ontem uma semana de tratamento: uma semana difícil, semana de pagar boletos! hahaha, Quanto ao remédio? Sem efeito algum!
    Andei bem triste e confuso, evidente, mas sinto que agora tenho conseguido olhar para tudo isso de maneira mais centrada e justa. A vida é um caminho em direção a nós mesmos, então resolvi mudar as minhas questões. Não pergunto mais o porque, agora a questão é o que posso aprender com essa nova situação.
    Me peguei mergulhado na literatura existencialista, tão importante para mim, e lá relembrei de uma frase: a ave sai do ovo. o ovo é o mundo. quem quiser nascer tem que destruir um mundo!
    Se o movimento natural do feto é o nascimento, o meu é a redescoberta, é a produção de novos sentidos.
    Eu me sinto bem, de verdade, o que não significa que as horas ruins já não me incomodam mais, afinal todos nós temos as horas e dias de morte. Mas como aprendi com um monge zen budista, a gente morre para uma coisa para poder nascer para muitas outras.
    Não consigo me aceitar completamente, a nova condição é complexa e exige muito trabalho sobre o tempo, porque ele sozinho não afz nada, mas sinto que já tenho caminhado nesse sentido! Se minhas intervenções anteriores foram marcadas por um tom de desespero, essa é a calma quem me motiva!
    Um dia de cada vez! Dia após dia! E assim sigo, feliz, calmo e desejoso de continuar vivo e com muita qualidade de vida!

    Um abraço aos amigos e para quem descobriu a sorologia agora: calma, aos poucos a vida volta ao rumo, sempre volta! Viver o luto é essencial para que morra o que precisa morrer, mas o destino da fênix é o renascimento!

  • #22355 Resposta

    José

    Oi gente, essa questão da autoaceitação é algo bem delicado depois que você tem um diagnóstico que associa as imagens e notícias do passado. Quando soube, quase desmaie, e a médica que me atendeu negou minha condição, isso foi em março de 2016, e foi num hospital de emergência da rede privada, através do meu plano de saúde. Tive de viajar para estudos e não fiz o teste o de estava, adoeci todo o tempo em que estive fora de casa estudando. Quando voltei, em dezembro, próximo as festas de fim de ano, não fiz o teste, deixei para fazer em janeiro, primeiro pelo plano, demoraram com o resultado, solicitaram um novo, dai já sabia que algo estava errado, entoa fui até ao posto de atendimento público mela fiz o teste rápido que confirmou, tive crises de choro pânico, e fiquei meses tentando entender como seria minha vida em diante. Tudo seguiu bem, em tratamento, mas minha estima não ficou nada boa e ainda não está. Esse ano após um ano de tratamento descubro que peguei sífilis, pois havia em algum momento chutado o balde e me entreguei para morte novamente, com esse segundo diagnóstico da sífilis, fiquei mais arrasado e mal, as crises de pânico voltaram, mas resolvi fazer terapia. Espero que me ajude a encarar melhor tudo isso, mas um grande medo me assombra, a falta de medicamentos. Então, quando tento viver uma vida mais tranquila a realidade da condição atual de minha vida me puxa e me deixa sem ar, sem chão, sem sentido.

  • #22357 Resposta

    preocupado

    teste

  • #22364 Resposta

    Garoto SC
    Participante

    Saudações à todos! 🙂

    Sou novo aqui no site e antes de tudo queria dizer que fico feliz por ter este espaço para tirar dúvidas e compartilhar experiências. Procurei em vários sites, mas infelizmente poucos possuem algum tipo de recurso para interagir com as pessoas.

    A autoaceitação depende de muitos fatores, mas eu diria que o tempo e a informação são cruciais para que as pessoas soropositivas aceitem sua condição. Antes de receber meu diagnóstico, que ocorreu em março do ano passado, eu afirmava que não tinha preconceito algum com a doença… até o momento que me vi fazendo parte desta realidade.

    No momento que recebi o diagnóstico passou um filme pela minha cabeça. Pensei na minha família, nos meus amigos, no meu trabalho e como eu iria esconder isso de todos. O preconceito das pessoas se tornou um dos meus maiores medos nesse momento. Depois disso veio a preocupação com os efeitos colaterais dos remédios, que para minha felicidade não houve nenhum. Fora todas essas preocupações, o processo de autoaceitação pra mim foi (e ainda é) difícil e doloroso em alguns momentos.

    No início de tudo eu me sentia “sujo” e tinha perdido a motivação para fazer várias coisas do meu dia a dia. Só agora, depois de um ano, é que as coisas começaram a melhorar. Fiz amizade com uma pessoa incrível em um outro site e hoje somos muito amigos, apesar de morarmos em estados diferentes. Acho que quando você tem uma pessoa na mesma situação que a sua ou mesmo alguém para compartilhar suas angústias, as coisas começam a melhorar. Você percebe que não está sozinho. O mundo que antes era cinza começa a tomar cor novamente.

    Não vou me prolongar mais porque o texto está começando a ficar grande, hahaha! xD
    Mas é isso aí, gente! Lembrem-se que não estamos sozinhos e que basta seguir o tratamento corretamente para ter uma vida normal novamente. De resto, deixem que o tempo conserte as cicatrizes e qualquer rancor que tenha ficado no passado. 😀

  • #22374 Resposta

    Helena Fagundes

    Oi para todos
    Tenho 26 anos , e descobri ser soropositiva em Dezembro de 2014.
    Confesso que foi muito difícil pra mim acreditar que isso estava acontecendo comigo, eu não queria que ninguém soubesse , nem a minha família , mas depois todos ficaram sabendo e isso foi fundamental pra mim pois eles me ajudaram muito na parte do emocional.
    Sempre fui emotiva , mas depois que comecei tomar a medicação que foi em janeiro de 2015, sinto que fiquei mais emotiva acho que em parte os antiretrovirais ajudaram um pouco nisso,tomo o 3 em 1 Tenofovir, lamivudina e efavirenz ,tem horas que bate uma tristeza em mim. Apesar de ter uma saúde boa , não fico doente , mas no fundo eu me sinto triste.
    Sou casada com a mesma pessoa que me passou o vírus, acho que isso foi parte fundamental pra eu conseguir aceitar pq não me imagino em um outro relacionamento onde eu tenha que expor tudo o que houve na minha vida.
    As vezes não lembro que tenho isso , mas as vezes me pego com pensamentos só nisso . Enfim é complicado . Mas aceitar eu sempre aceitei desde quando eu descobri.

  • #22375 Resposta

    cris

    Ola, sou nova aqui e essa é a primeira vez que escrevo sobre essa doença. Descobri em dezembro de 2016 e só posso dizer que foi HORRÍVEL. Não entrava na minha cabeça as palavras do infectologista me dizendo que era HIV positiva e se eu sabia o que isso significava. Fui internada com candidíase e várias infecções juntas.Ele falou que o importante era se tratar , tomar os remédios que com o tempo a vida voltaria ao normal, mas me desculpem nunca será normal como antes.
    O preconceito existe e é muito forte, contei para pouquíssimas pessoas, só meu filho, uma irmã e uma amiga. Em janeiro de 2017 conheci uma pessoa e começamos a namorar não contei nada e isso me atormentava o tempo todo, até que em julho resolvi me separar e contei a verdade toda depois, ele ficou sem chão por ter mentido, fiz errado, deveria ter contado no início, nunca façam isso, não contar não é certo com o outro.o que me absolveu da culpa é que estava com carga viral zerada e que tinha quase certeza de não te lo infectado. Voltamos a namorar mas o relacionamento é complicado, ele tem medo de pegar a doença e perdeu o desejo por mim.
    Essa é a pior parte, a de namorar, ninguém quer ter relações íntimas com uma pessoa soropositiva, não adianta nos enganarmos.
    Sei que temos de aceitar essa nova condição pq é para sempre, mas é muito díficil, tenho um filho jovem para criar e é o que me da forças.

  • #22412 Resposta

    Dani S.

    Olá, boa tarde.
    Sou soro + desde dez/2014 (desde 10/12/2014)
    Resumidamente. Sou solteiro, tive alguns relacionamentos homo e alguns héteros, mas mais homo. Confiei, mas a CULPA não é só da pessoa que me infectou, mas, sim, minha também, então sempre penso: 50% de culpa e eu acredito mesmo que a pessoa que me relacionei não sabia que tinha, pois eu creio que n tenha me passado de propósito.. Desconfio quem seja. Não tive uma vida de “putaria”, mas vacilei, sim, reconheço meu erro e já passou a fase de me vitimizar, principalmente a fase do “luto”, é duro.
    Em agosto de 2014 n comecei a ter algumas feridas e infecções e ai fui no “doutor google” e podia ser de tudo, inclusive algo relacionado ao HIV. Aí me tratei, mas as infecções voltaram e sabe a partir daí (set/2014) passou pela minha cabeça “não, isso não está acontecendo cmgo.. é só uma infecção que não vai aparecer mais e não é mais nada grave’, me tratei e apareceram manchas no meu pé.. e consultando o “doutor google” podia ser um câncer (sarkoma de kaposi) e de pronto me lembrei de uma novela em que uma enfermeira descobriu ser portadora do HIV qdo apareceram essas lesões, pensei, puta merda, já estou com Aids, câncer, vou morrer etc e o desespero veio. Aí outras manchas, inclusive no órgão genital (era uma DST, agora IST – Sífilis). Pensei: será que vou no dermatologista pra ver essas manchas no corpo, ou vou em um urologista pra ver essa ferida que poderia (e foi) uma DST? OU será que não posso estar mesmo infectado com HIV e estar mal mesmo de saúde? Aí pensei, se sim, tenho que fazer exame/teste etc, mas aí pensei, ONDE? pois moro numa pequena cidade e aqui não faria, não com medo do diagnóstico, mas sim por medo, vergonha, receio (FUI PRECONCEITUOSO, CONFESSO – e ainda fui depois do diagnóstico). Aí pesquisei nas cidades vizinhas e pensei em fazer numa cidade aqui perto e aí beleza, mas quando? Fiquei pirando, dores de cabeça e etc mas até que um dia criei coragem e fui, sozinho ao laboratório e fiz o exame. Cheguei lá e falei (baixo): olha quero fazer dois exames… um de glicose e outro do hiv… aí ela já me olhou diferente, mas não senti preconceito nada, ela só me deu um papel que eu estava autorizando a fazer um novo exame caso fosse necessário. Fui fazer e a moça que colheu meu material foi muitooooooooo simpática (inclusive ela disse mais tarde que se “apaixonou” por mim hehe), conversamos bem rapidamente e ela disse que aquilo era coisa da minha cabeça. Isso foi num sábado, ai beleza, voltei pra casa (que fica em outra cidade) com aquela sensação de “dever cumprido”, mas ao mesmo tempo com medo do resultado. O resultado da glicose iria sair pela internet e o do HIV só pessoalmente. No sábado ainda me lembro até hoje saí, fui num churrasco, me diverti, mas quando foi segunda perto de 18h o cara do laboratório me ligou: boa tarde.. vc é o fulano de tal? e eu disse sim, ai ele disse,, olha vc precisa repetir um exame aqui. e eu perguntei mas por quê? e ele disse pois seria necessário e perguntou qdo eu iria e eu disse q assim que pudesse.. desliguei o telefone e pronto: meu mundo acabou, pois já tinha pesquisa na internet que quando pedem pra vc repetir é pq deu positivo no primeiro exame. Aí meu estado de saúde só piorou: dores e dores de cabeça, me senti fraco, lembro que emagreci bastante (uns 5 quilos). Ai fui num médico aqui perto e disse pra ele q estava com muita dor de cabeça (não falei nada do meu estado de saúde, exames q tinha feito etc) e ele recomendou eu fazer uma tomografia e que eu tinha era enxaqueca, receitou remédios e tal. Tomei os remédios mas as dores não passavam. Ao mesmo tempo em que pensei estar infectado tbm pensei: vai que o material era insuficiente, ou eles misturaram meu material com outro, ou que eu tenho uma doença autoimune, ou seja, não queria aceitar o diagnóstico. Fiz a tomografia era nada e ai o médico receitou mais remedios pra dores de cabeça. Não passou. Pensei em voltar ao hospital do plano de saúde e ser sincero com o médico que me atendesse. Fui atendido por uma médica simpática e ela disse que provavelmente eu tinha hiv e podia ter outras DSTs.. e me receitou uma sééeeeeeeerie de exames, de DSTs e etc (eram mais de 20!). Aí fui colher o material e no dia perguntei pra moça que me atendeu porque eu estava repetindo.. umas moças me olharam de modo estranho sabe (elas já sabiam..) aí me passaram o telefone pra farmacêutica bioquímica e ela disse “é, em princípio deu positivo.. ” POR TELEFONE me deu praticamente o diagnóstico (eles não podiam fazer isso), mas eu queria saber o pq de repetir, mas até as moças do laboratório criticaram a farmacêutica por ter dado o resultado praticamente por telefone.. colhi o material e marcaram uma data pra eu pegar o resultado..
    Aí qdo ficou pronto eu fui.. peguei.. e li “reagente pro HIV..” nossa, mesmo sabendo que podia estar infectado ainda tinha esperanças, ai me mandaram pra uma sala e uma moça do laboratório foi conversar cmgo e explicou que o resultado deu positivo, que nao era o fim, que é uma doença que trata com remédios e a pessoa se cuidar nao morre, que conhece mtas pessoas que têm hiv e que casaram, tiveram filhos etc.. aí me indicou alguns médicos infectos pq eu pedi, inclsive me encaminhou pro CTA. De lá ainda fiz alguns outros exames, e a moça que me atendeu foi mto simpática, eu chorei um monte (antes de fazer o novo exame já tinha chorado litros..) e eu disse q queria me matar, que nao ia contar pra ngm etc e ela me deu um abraço dizendo pra eu contar ao menos pra algum familiar bem próximo tipo mãe etc e que nada de se matar etc.
    De lá fui pro CTA (fui bem louco..) pra iniciar tratamento com médico etc.
    Marquei a consulta. Voltei pra casa e juro pra vcs, qdo estava na estrada pensei em me matar, tipo jogar o carro no poste, tirar o cinto, sei lá, mas olha, pensei muitooo, e aquilo passou,
    voltei pra casa e perguntaram e eu disse que nao era nada, que estava bem, mas qdo fui na casa de uma outra irmã de noite fazer algo chequei chorando e ela se assustou e ela disse aconteceu algo e eu disse nada, e ela insistindo e eu chorando.. ai disse pra ela que os exames nao deram bom que teria que voltar pra uma consulta na data seguinte e ela: ou vc fala pra mãe ou me deixa eu ir junto.Ai falei, pra mãe não, por favor. Ai ela foi cmgo e qdo estávamos na eestrada ela perguntou o que era.. cancer? a ultima coisa q perguntou foi do HIV e eu disse: É. aí parei o carro no posto pra abastecer ela me deu um abraço dizendo que nao estava sozinho e que me ama mto e que esstaria ao meu lado. Fomos até a consulta. Fui atendido e marcamos os exames: CD4 etc.
    Meu CD4 estava perto de 300 e a CV perto de 10mil (acho q era isso). Não estava com AIDS, mas se nao me tratasse o qto antes podia evoluir e pegar uma doença oportunista etc.
    Qdo voltamos pra casa ela disse: vc tem q contar pra mãe e eu disse nao por favor, ela disse q a minha mae ia me entender e que daria apoio e a minha outro irmao tbm, ai ela contou pra minha mae e irma e ai qdo cheguei em casa disse: mae vem aqui no quarto, preciso te contar uma coisa. ela disse.. mãe.. eu estou com.. ela vc está com AIDS neh? é AIDS? chorando e eu chorando tbm, e eu disse mae é HIV ainda nao eh AIDS e expliquei pra ela e nisso chegou minha irma e que deram o maior apoio etc que me amavam (primeira vez na vida me senti amado de verdade) e aquilo que me fortaleceu sabe, se eu n tivesse contado nao ia conseguir aguentar sozinho.
    Comecei o tratamento em janeiro/2015 e até então estou bem.
    No começo tive aversão ao sexo.. só de me tocar sentia nojo.. pq lembrava do sexo. Até pra me masturbar não conseguia.. olha, demorei uns 3 meses até essa fase.
    Hoje confesso a vcs que estou bem, fui em psicóloga (recomendo a todos, independentemente do diagnóstico do hiv), mas fui mais por conta de outro problema pessoal, ai falamos do hiv, preciso voltar a fazer a terapia pois me ajudou mto.
    Estou indetectável, sem mais outra IST e o pensamento de dar cabo a minha própria vida passou e acredito pq contei pra familiares próximos que me deram o maior apoio.
    Eu tinha preconceito cmgo mesmo, que coisa né?! haha
    Hoje vou levando a vida, poucas pessoas sabem do meu diagnóstico e pretendo que fique assim, pois n preciso q os outro saibam (minha opinião).
    Desculpem-me pelo longo texto.
    Mas quem acabou de se descobrir ou que tem pensamentos ruins: vcs não estão sozinhos, se tiver alguém de confiança, conte, essa é a minha sugestão pq aguentar isso sozinho não é nada fácil.
    Bom domingo a todos.

    • #22417 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Gosto assim: histórias longas e cheias de detalhes. Leio tudo 😀

  • #22421 Resposta

    Daniel S.

    hahahhaah
    E isso que após enviar o texto me lembrei de outros “detalhes” mas não tão relevantes.

    Positivo SC.
    Enviei algumas dúvidas no tópico troca remédios/esquema. Se puder me ajudar e responder lá? Agradeço desde já.

    Uma excelente semana a todos!

  • #22425 Resposta

    Dan

    Oi meninos, tudo bem?! Nossa, faz alguns dias que entro aqui. Já li várias histórias. Mas ando meio neurótico e preocupado, e o pior: logo em uma semana próxima a uma prova, que considero importante. Enfim, não vou me alongar muito. Eu já acho que estou com HIV, apesar de ter sido minha primeira transa e ter usado o preservativo, mas nos últimos 2 meses, considero que qualquer coisa pode ser um sintoma. Minha língua tá estranha, meio branca (mas não sei se é alguma infecção oportunista), fico medindo minha temperatura a todo instante. Tá fod@. Há uns 15 dias fui no infecto e ele passou vários exames (inclusive para HIV), ele tentou me tranquilizar um pouco, dizendo que o risco era mínimo, então eu falei que usei preservativo, exceto quando recebi sexo oral do carinha. Mas sei lá, conheci esse garoto em aplicativo. Então, na minha cabeça já acho que ele ficou com meio mundo de gente;ok, pessoas, eu sei que estou sendo moralista e preconceituoso. Mas enfim, é o que vem a minha cabeça! Aliás, meus Deus onde eu tava com a minha cabeça(?), ah já sei, no pinto. Só pode! Nossa, isso tem me consumido de um jeito… só estou deixando passar essa prova, pra fazer os exames. Desculpem-me pelo tom de desabafo. Abs a todos!

  • #22426 Resposta

    Rafa+

    Boa noite pessoal,
    Agradeço a todos pelos relatos… fui diagnosticado recentemente e não sinto vontade de contar para ninguém… acredito que tenho conseguido lidar bem e quando a cabeça tá ocupada, nem lembro de nada, porém alguns momentos são difíceis, passo horas e horas lendo a respeito na internet. Esse fórum foi o melhor recurso que encontrei ate o momento, tanto é que senti vontade de falar.
    Gostei do comentário de um colega nosso aqui.. “se conseguimos lidar com isso, com o que não vamos conseguir?”
    Só fico chateado às vezes sabendo que posso ter pego através de uma pessoa que confiava muito, ainda n ei se devo falar com ela…pq de certo modo havia pedido pra ela fazer o exame um tempo atrás e ela nunca mais comentou a respeito.. enfim, é o passado. Acredito que faz parte da autoaceitação e em breve estarei melhor….

    Temos que continuar com esse fórum, vários relatos me ajudaram muito e vão ajudar muitas outras pessoas.

  • #22427 Resposta

    Roger

    Olá Dan,

    Se você usou preservativo e fez apenas sexo oral acredito que não contraiu o HIV. Fique tranquilo… deve ser preocupação sua.

    Abraços e se cuide!

  • #22464 Resposta

    Dan

    Oi Roger! Grato amigo pelo apoio! Vai dar tudo certo sim, a até realizar os exames, vou tentar parar com esse desespero. É que sofro de ansiedade, desde sempre rs; então, já viu né! Hehehe. Apesar disso, sexo agora, só com alguém em que eu realmente confie e tenha segurança, seja física ou emocional. E claro, sempre com preservativo! Um abraço e qualquer coisa volto a comentar aqui! 🙂

  • #22466 Resposta

    Anderson

    Querido Dan, como vai?
    Imagino que esteja ansioso, porque leu várias notícias do tipo: Sintomas do HIV, antecipo que muitas pessoas tem e nem sabem pq não aparentam sintomas.
    O nosso corpo reage da maneira que pensamos, se vc colocou na cabeça que está com HIV, qualquer dor na perna vc já vai sofrer por antecipação.
    Se você tem dúvida faça um teste é rápido, simples é sigiloso. Se for negativo, cuide-se e não abra mão da camisinha. Se for positivo, cuide-se também, o hiv nao é mais aquela doença terrível dos anos 80 e 90.
    Seja o protagonista da sua própria história, abraços.

    • #22467 Resposta

      Anderson

      Como você recebeu o sexo oral as chances são mínimas de contrair algo.

  • #22473 Resposta

    Lucasmat

    Gente, eu já havia falado aqui do meu não reagente, fiz dois exames; um com 15 dias da relação e um com 44/45 dias contados da relação, todos deram não reagentes. Mas de tanto procurar na internet, ainda dizem que esse tempo é pouco, mesmo sendo mais de 30 dias, meu medo retornou. Tenho arrotos excessivos, as vezes me dá coceira. O metodo do meu exame só aparece assim; metodo – quimioluminescência – 4 geração, PORÉM, não fala se busca antígenos, aquele p24 que sempre falam que busca nos exames de 4 geração, nem menciona no resultado.
    Essa novela parece nunca acabar, estou com uma depressão nervosa.

    Obrigado,

    • #22474 Resposta

      Anderson

      Boa tarde,

      Você já fez dois testes e ambos deram negativos, desencana desses sintomas criados na sua cabeça.
      Vale a pena procurar uma ajuda psicológica.

      Abraços.

  • #22546 Resposta

    Lucasmath

    Então pessoal, fui no CTA e fiz agora com 78 dias, deu não reagente, porém o TÉCNICO em enfermagem me deixou com mais medo, pedindo pra repetir com 60 dias,não aguento mais.

  • #22547 Resposta

    Lucasmath

    E ainda penso, nos de laboratórios que fiz, consta 4 geração, mas não faz NENHUMA menção nos antígenos, não to entendendo. é Quimiolumenescência

    • #22549 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Lucas. Recomendo que esqueça isso. Já deu tempo de aparecer algo e se tivesse que positivar, já teria positivado. O MS determina que a janela atual é de 30 dias, e não mais 90 como antigamente. Faz em 30 dias, não deu nada? Ótimo, vai viver. Repete em 60 dias para ver se você não é um caso raro, e em 90 dias para ver se você não foi uma das poucas pessoas no mundo que demoraram tanto para soroconverter (quase impossível).

      E cuide-se para não passar por isso novamente, meu caro, pq pelo visto você não lidaria muito bem com uma possível infecção.

      Abraço.

      • #22550 Resposta

        Lucasmath

        Positivo SC, então, o meu último foi no CTA com 78 dias, mas o enfermeiro me assustou dizendo fazer até os 6 meses. Obrigado pelo apoio, sei que deve ser chato ficar te enchendo aqui. Tenho ainda medo, pois lábios sangram, pele muito sensível e vermelha. E o pior… arrotos constantes.

        Obrigado pela sua atenção, fico sempre aqui no f5, esperando alguem que possa me responder.

        To achando que as vezes posso ser caso de soroconversão tardia.

      • #22551 Resposta

        EuPositivoSC
        Participante

        Oi. Olha, não me enche o saco não, estamos aqui para compartilhar e ajudar. Cara, não faz sentido vc associar esses sintomas ao HIV por uma questão bem lógica: se esses sintomas estão tão fortes, não teria como vc ter um HIV tão atuante e os exames deixarem de identificar. Uma coisa está ligada a outra. Se tem efeito físico da fase aguda, tem exame reagente sendo impresso hehe.
        Não se deixe levar por pessoal de CTA. Infectologistas renomados já dão como certo o prazo de 30 dias, tem mto enfermeiro bom, mas tem mtos tansos tbm.

        Acho que deves procurar um médico para fazer exames de outras coisas não relacionadas ao HIV, pq mesmo supondo que vc estivesse infectado, esses sintomas não são característicos de fase aguda: arrotos, pelo vermelha… a pele poseria ficar vermelha se vc estivesse iniciando o tratamento com os remédios para o HIV ou se já estivesse em fase de Aids. Fica frio. A relação sintomas que vc tem x fatos relacionados ao hiv, não procede.

        Mês passado fui consultar um pneumologista pq estava certo que estava com câncer, pneumonia ou tuberculose. CERTO! Respiração curta, cansaço excessivo, tosse, fadiga… fui lá crente que estava fodido. Fumo e tals. Tava bem preocupado. Resultado: minha capacidade pulmonar é acima da média, meu pulmão é limpo como de uma criança. Era tudo coisa da minha cabeça, psicólico alterado.

        Comece a investigar outras causas desses sintomas e não espere por um HIV entre elas, pois se fosse, não terias essas alterações físicas sem os exames apontarem o vírus no teu corpo. Os sintomas vem durante ou depois da soroconversao.

        Abraço

  • #22548 Resposta

    Daniel

    Bom dia a todos,

    que tenhamos sempre a certeza que estamos vivendo bem a cada dia. Confiemos em Deus para quem acredita ou na vida para quem não acredita, e sigamos vivendo um dia de cada vez.
    Eu vivo com hiv a 4 anos e sinceramente vivo bem como já falei em um post, a um bom tempo não me condeno, não tenho medo, não me culpo, não me julgo, vivo, apenas vivo e intensamente.
    Trabalho em uma empresa privada das 07:30H as 17:30H todos os dos dias e quase todos os dias e finais de semana ainda me envolvo em um trabalho social religioso de uma associação, que coincidentemente tem vida em sua razão social. Não me permito mais ficar triste por ter adquirido esse virus ele é tão pequeno perto das realidades que ajudo alcoolismo, droga, depressão, sindrome do pânico, pessoas que não sorriem a anos, separações dolorosas, tentativa de suicidio e suicidio, falta de esperança amor e caridade e falta de alegria.
    Quando olho para mim realidade agradeço a Deus a maturidade que Ele me permitiu ter com essa doença, de olhar para todos os meus problemas e dizer, isso é facil vou resolver; isso é dificil tambem consigo resolver.
    Me abro com meu amigos mais proximos inclusive com um grupo que tenho como filhos do coração são 10 jovens de 18 a 21 anos que sabem da minha sorologia e me amam e sempre estão ao meu lado.
    Vamos em frente a vida é um presente, abrir e fazer a experiência de ve-la ou deixa-la fechada embrulhada sem saber como é, é escolha de cada um.
    Desenvolvi a capacidade de ouvir as pessoas acho que é isso que mais faço o dia todo, porque tenho dentro de mim a riqueza da empatia.
    Vamos em frente!!!
    Deus abençoe a todos

    Caso queiram meu contato: Danielive34@gmail.com

    • #22558 Resposta

      Daniel. S

      Nossa, Daniel, disse tudo!
      Realmente, não podemos deixar que esse vírus nos deixe levar pra baixo, não podemos deixar ele ser maior que nós; SOMOS MAIS!!!! PENSEM SEMPRE ASSIM! Eu descobri a minha sorologia faz mais 3 anos (3 anos e 4 meses e pouco), mas sinceramente, penso: e se fosse um câncer incurável? por exemplo, nossa! sinceramente (NÃO ESTOU FALANDO POR TODOS!!!!) mas pensando dessa forma o preconceito vem de nós mesmos (EU TIVE PRECONCEITO CMGO MESMO POR MTO TEMPO!). Sigamos em frente. É fato, é óbvio que não é “qualquer gripezinha etc”; é uma doença grave, incurável (ainda, mas eu tenho fé que a cura total ou a funcional logo virá 😉 ), que faz com que tenhamos que tomar os remédios todos os dias. PORÉM, esses mesmos remédios nos deixam vivos e sim com uma vida saudável (remédios + alimentação + algum exercício físico + livre de algum tipo de outra doença), prova disso é o fato de que se vc estiver indetectável PODE TER FILHOS!
      Para vc que está se culpando, se sentindo aflito, com pensamentos negativos, por favor, procure uma ajuda psicológica, vai melhorar mto a sua visão e seu pensamento.
      Sigamos em frente.
      Fiquem todos bem.
      Ótimo final de semana a todos (estou tomando uma Eisenbahn bem gelada só pra consignar :D)
      Abraços.

  • #22555 Resposta

    Filipe

    Não tenho forças nem para ler as postagens de vocês… queria ler, mas fico ou engasgado ou com raiva da vida

    • #22556 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Não sei se vc vai ler, penso que não – dada sua postagem recente hehe – mas cara, procura alguma ajuda psicológica. Eu não sei tua idade, mas a não ser que vc tenha uns 70/80 anos, tem muita vida pela frente, e ela pode ser de qualidade, sem engasgos. Dias tristes todos nós temos, todos em algum momento lamentamos, muitos queriam voltar atrás, mas infelizmente não é possível. A gente pode ter uma vida de merda ou com qualidade. É possível. Uma questão que eu sempre tive medo foi da morte. Antes do diagnóstico eu chegava a chorar quando conversava com meu marido sobre o fim da vida e tals, nunca queria encarar a morte de frente. Aí veio o HIV e meu medo passou. Me deu força, me alertou sobre a mortalidade, encaro de frente. Vai chegar pra mim, para você, para todo mundo. Até lá, que possamos viver. É isso que viemos fazer aqui na terra: viver, sermos felizes, gastar o dinheiro que ganharmos, viajarmos, saírmos, transarmos… Lamentar, engasgar, ficar com ódio da vida é compreensível e acredito que nós, soro+, somos até mais propensos a fazer isso e esse sentimento nos ajuda a justificar nossa condição, é como se tivéssemos embasamento para sermos tristes, um aval do universo para a a infelicidade se instalar permanentemente. Não dá para ser assim. Não merecemos isso.

      Se precisar conversar, escreve aí ou e-mail: eupositivosc@gmail.com

      abraço

  • #22557 Resposta

    Anderson

    É óbvio que ninguém aqui queria ter hiv, pra você que está lendo, a vida não acaba após o recebimento do papel escrito “reagente”.Sim, você vai chorar, culpar, pensar várias besteiras…mas logo verá que a vida continua e tem que ser assim.

  • #22635 Resposta

    Marcos

    Aceitar-se! Esta foi uma etapa que consegui passar em apenas uma semana. Li muita coisa, pesquisei tudo que pude e me convenci de que não tenho culpa alguma, e nem quem me passou.
    Contei para minha namorada (que mora comigo em uma república) na mesma hora que fiquei sabendo. Choramos muito e passamos três dias péssimos. O teste dela deu negativo, embora tenha que repetir mais algumas vezes. Mas mesmo assim, depois que fomos entendendo melhor como pode ser normal a vida de um soropositivo, ficamos bem. Confesso que a aceitação DELA foi essencial para que eu me aceitasse.
    Faz apenas uma semana, e já estamos tranquilos, graças aos depoimentos que vimos e ao médico infectologista.
    Também somos da área da saúde e isso nos ajudou a encarar melhor as coisas.
    Em relação a contar para meus pais, desisti. Eles ainda possuem aquela visão antiga do HIV e ficariam muito tristes atoa, pois posso lidar com isso é sei que estou bem. Quem sabe se um dia eu piorar muito, eu conte. Mas tomando os medicamentos certinho parece que isso nunca deverá ocorrer.

    Um fato interessante:
    Sempre usei camisinha mas em alguns momentos devo ter vacilado (tipo aquela coisa de começar sem e depois colocar ou sei lá). Numa dessas me enrolei, acredito que no começo de 2017.
    Camisinha é desde o começo! Todos sabemos disso, mas às vezes confiamos nas pessoas puramente por intuição e é aí que podemos nos infectar ou infectar outras pessoas. Graças à camisinha transo com minha namorada há um ano e ela não se infectou. Continuaremos assim, e agora com mais cuidado! E se Deus quiser, com minha carga viral indetectável.
    Valeeu!!

  • #22651 Resposta

    Incerto

    Lendo aqui a história de vocês fico feliz de ver como vocês tem força. Não sou soropositivo (ou pelo menos, não era, estou esperando a janela passar pra fazer exames 🙂 ) mas tenho uma pergunta. Alguém aqui se infectou por sexo oral? Eu penso que ninguém usa proteção pra sexo oral, mas aí você lê por aí que é possível e fica na aflição.

    Fora isso, estou aqui e pretendo olhar o fórum com alguma frequência caso alguém queria conversar 🙂 (independente dos meus resultados)

  • #22652 Resposta

    Rodrigo

    Boa noite a todos. Para mim, depois de toda a tormenta e aprender aceitar a minha falha em me proteger, difcil tem sido a medicação. Uso dolutegravir e mais duas combinações de lamivudina e tenorfovir. Um ano após o início percebi que meu rosto afinou.. ficou mais fino.. perdi massa magra no rosto é isso tem me incomodado. Tanto que tem dias que fico triste apenas de me olhar no espelho. Me vejo outra pessoas e não consigo me disvencilhar da imagem que eu tinha de mim mesmo. Não tenho me aceitado. Alguém passa por isso com essas novas medicações?

    • #22654 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Rodrigo. Você faz atividade física? É comum os remédios alterarem o tônus muscular. Eles ficam mais flácidos e perdem volume. É fato. Uma forma de evitar isso é se exercitando. Na real é a única forma. Seu corpo ficará mais definido e isso vai dar a impressão que você está com o físico em dia e vai melhorar a autoestima. Fica de olho na alimentação, também.
      Não tem como te dizer que isso é coisa da sua cabeça por 2 motivos:
      – vc se conhece e sabe que mudou
      – os remédios alteram sim a musculatura
      Mas o que não está batendo para mim é que esse afinamento e perda de gordura é uma característica de liposdistrofia, mas a medicação atual já não provoca essas alterações na face.

      Dá uma revisada no combo atividade + alimentação + nutrição que há formas de resolver isso e voltar a se sentir bem.

      Abraço

  • #22653 Resposta

    Roger

    Rodrigo,

    Eu também notei uma leve alteração na massa do meu rosto, faço uso da medicação desde janeiro deste ano… inclusive a aparência a área em volta dos olhos apareceu e ficou mais notável as linhas de expressão/rugas… pensei que pode ser um sinal de envelhecimento precoce do HIV, ou sinal de stress a preocupação o psicológico abalado pois ainda estou bastante deprimido ou é da medicação. Se alguém aqui souber ou passou por isso deixe o seu relato. Obrigado.

    • #22655 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Roger.
      Deve ser stress e preocupação que estão te deixando abatido.
      Com tão pouco tempo de medicação não seria possível experimentar efeitos colaterais dessa ordem (alterações físicas).

      Não deixa isso avançar: começa uma atividade física urgentemente hehehe e freie isso. Vc vai ver seu corpo mudando para melhor.

      O envelhecimento precoce acontece sim no corpo do soropositivo, mas demora anos, as vezes mais de uma década para algo acontecer relacionado mais para a parte óssea e de algum órgão interno. Pele e gordura sofrem pouco com isso e essas 2 questões podem ser tratadas com cremes e exercícios. Revisa tua alimentação, nutrição e inclui exercicios de peso para definir ou crescer e vc vai recuperar a auto estima rapidinho.

      Fica calmo, não estás no bico do corvo hauahaua Vc pode e vai ter saúde e sex appeal por muitas décadas ainda.

      Brincadeiras a parte, pensa que é responsabilidade nossa fazer nosso físico andar para frente. Se ficarmos parados, tristes, entregues, sendo soropositivos ou não, nossos músculos vão se deteriorando. O stress acaba con o camarada. Falo isso por experiência própria. Já fui parar no hospital 2x po perda de memória devido à bloqueio por stress, meu físico ruiu, nada relacionado ao HIV, mas fiquei com quase 10k a menos. Tenho quase 2m, 95k, com 10k a menos parecia um cadaver kkkkk

      É possível fazer as pazes com o espelho, mas isso vai exigir empenho.

      Boa sorte aí.

      Abraço

  • #22658 Resposta

    Nando

    Boa Noite!

    Sou soropositivo de transmissão vertical, e fui diagnosticado com 1ano de idade.
    Desde então sou acompanhado no médico, e tomo os antr diariamente, na época da adolescência fui meio rebelde e não me aceitava, a ponto de parar de tomar os medicamentos, graças a Deus nada de grave acontecei comigo, e hoje, 21 anos depois de descobrir que convivia com o vírus estou indetectável e com muita saúde. Perdi vários coquetéis por não tomar certo, e hoje me arrependo disso, pois, se eu vacilar com esse que tomo, as chances de ter outro são minimas..

    Conheci o blog a pouco tempo, e essa é minha segunda postagem no fórum.

  • #22676 Resposta

    Wallace

    Boa noite!

    Há dois meses recebi o diagnóstico que era soropositivo e 15 dias venho me tratando com os remédios, nos exames de rotina a doutora solicitou também o teste de HIV e o resultado foi reagente, fiquei surpreso e repeti o exame, reagente novamente.
    A surpresa foi mais por eu sempre ter mantido as minhas relações usando preservativo, porém talvez o mal uso do mesmo ou % de chance de falha aconteceu comigo rs, infelizmente.
    Faz 1 ano que não estou mais com a pessoa que possivelmente me transmitiu o vírus e fico me perguntando se o cara sabia que tinha e não me contou, enfim, talvez não soubesse também.

    Mas em relação à aceitação, poxa, alguns amigos e primos que super confio estão me dando muita força, pq fiquei muito chateado com a notícia, estou aceitando aos poucos ainda, prefiri não contar para meus pais, pq parece que estou morrendo e pretendo viver muito e ficar indetectável iguail muita gente aqui
    Valeu

    • #22677 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Wallace
      Isso mesmo, não conta agora para eles. Se não tem certeza, não se sente seguro, não conta, pq uma vez contado, não dá para “descontar” hauahauahau
      Espere ficar indetectável, e aí vc senta e conta, se for o caso. Sobre ficar indetectável, se está tomando há 15 dias, provável que em mais 30 já estejas indetectável, é mto rápido, teu próximo exame de carga viral tem muitas chances de já vir zerado 😉

  • #22740 Resposta

    Tony Adam

    Oi gente
    Fui diagnosticado dia 23 de março. O pior momento aconteceu durante alguns dias antes e no momento do resultado. Isso por que o pessoal do laboratório teve o pudor de me ligar e dizer que o resultado deu anômalo, inconclusivo kkkk… Jesus Cristo!, foi difícil passar por essa dúvida por uma semana. Mas eles precisavam fazer isso, pra eu ir lá fazer outro teste, confirmatório. Mas antes, fiz um teste rápido no posto de saúde e o resultado também deu indeterminado; achei que isso acontece quando a infecção é recente, por causa da soroconversão. Depois eu fiz o segundo teste no laboratório, mais preciso, que detecta as proteínas do vírus. Quando recebi, no dia 23, veio os dois resultados – que caramba de indeterminado nada – veio os dois positivo mesmo kkk. A mulher que me entregou olhou o resultado, embalou num plástico e me entregou – “tenha um ótimo dia”. Maravilhoso dia. Hahaha, mas não deu nada não – eu fiquei bem triste no momento que eu li o resultado: “amostra reagente para HIV-1”. Depois desse episódio, nunca tratei com tanta responsabilidade algo na minha vida: me informei na internet e livros, fui em vários hospitais do SUS em busca de acolhimento imediato – e encontrei. Fiz os exames, hoje agradeço a Deus por tomar o dolutegravir. Quando vou tomá-lo, pela manhã, fico muito feliz por não ser o efavirenz – pelo que já li sobre ele, tenho até medo de pronunciar! Imagino que cada comprimido vem com uma dose de vida – e hoje dou muito valor a cada parte da vida. Mas também sinto-me muito sozinho… Não contei pra ninguém minha sorologia e às vezes eu me sinto tão só nessa caminhada! Que bom que achei esse site.

    • #22741 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi Tony.
      Aproveite os momentos de solidão nessa caminhada para se conhecer, se analisar, se sentir bem contigo mesmo. E quando isso não for interessante, estaremos aqui para acolhida, ajuda, suporte, conselhos, vida! hehe

      Abraço

  • #22754 Resposta

    Porthos

    Caro @positivosc, pode ter certeza de que esse sentimento passará. Cada ser humano reage de uma maneira distinta, mas, no fim das contas, a vida volta a andar ao passo de outrora. Lembre-se: você não É assim, você ESTÁ assim. Essa é uma máxima que muitos psiquiatras usam para pacientes que estão passando por alguma turbulência psíquica e isso inclui a notícia de um diagnóstico deste tipo. Você não perdeu nada daquele homem que lutou para conquistar tudo o que descreveu em um dos seus comentários, acredite. Você não é sujo, imoral, insensível. Você continua a ser destemido, inteligente, bonito e capaz de romper com a inércia que o HIV lhe causa – e que causa a muitos. E que isto sirva para todos deste tópico.

    com carinho,

    Porthos.

    • #22755 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Obrigado pela mensagem. A cada mês acho que me fortaleço, sabe? Essa semana deu uma caída na minha animação pq semana que vem vai fazer 1 ano do meu diagnóstico, mas ainda assim penso que aos poucos tô superando. Falar com o pessoal daqui ajuda. Ajudar pessoas com informação vai fortalecendo a gente. Batemos tanto na tecla que tudo vai ficar bem (e vai mesmo) que uma hora deixa de ser “da boca pra fora” e passamos a assimilar de verdade hehe.

      Forte abraço.

  • #22780 Resposta

    P
    Participante

    Boa noite,

    Vejo vocês expondo no fórum as situações do dia-a-dia e, também, as emocionais de diferentes formas e logo começo a pensar em como venho me sentindo. Não tem sido fácil. Descobri minha sorologia em 2013 quando ainda era universitário. Na época foi um baque tremendo, ao ponto de sair do consultório e começar a andar no meio da rua em horário de pico – algo inconsciente tomou conta de mim na ocasião. Acho que aquele momento foi marcado como a primeira vez em que não queria mais viver. Depois do diagnóstico e da primeira semana as coisas aparentemente acalmaram, apesar de que ainda penso em não viver mais. Uma das coisas que contribui para aumentar o fardo que carrego é o fato de não ter compartilhado com ninguém que sou portador do vírus. É algo deprimente e solitário alicerçado em um excesso de medo da reação das pessoas mais próximas. O resultado disso foi o desenvolvimento de um quadro depressivo e, em certo grau, o isolamento social. Criei uma certa dificuldade de relacionamento como amigo ou mesmo como namorado. Bom… vocês também desenvolveram quadros depressivos com pensamentos suicidas e ficaram mais isolados da sociedade?

    P.

    • #22786 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi P.
      Boa noite

      Olha, nos primeiros meses de diagnóstico eu saia para rua, chegava em casa e chorava. Me sentia inferior a todo mundo. Lembro que uns 5 dias depois fui em um aniversário dos filhos de uma amiga e encontrei muitos amigos lá, gente que tinha uma vida “pior” que a minha, mas que depois do diagnóstico passei a invejar e sentir como se eles tivessem vantagem em viver, fossem mais merecedores, nao fossem tão burros como eu fui… Tinha (ou tenho) uma vida bem ok, meus amigos admiram minhas conquistas e tudo mais, mas naquele dia me senti tão inferior, tão triste, que olha… nem sei explicar.

      Isso continuou por muito tempo, forte. Hoje em dia, às vezes ainda tenho esses momentos de auto sabotagem.

      Tbm desenvolvi não apego a vida. Tive 2 episódios onde busquei o fim da vida, fui salvo pela minha mãe e outra vez pelo meu infectologista e pelo meu marido. Depois disso comecei a tratar meus pensamentos com psicologia, ajudou um pouco, mas não curou. Hoje mesmo pensei sobre isso, depois de quase 1 ano de diagnóstico e desses 2 episódios que relatei a pouco.

      Eu moro em SC, estou sozinho em SP desde terça-feira esperando um voo internacional. Vim para cá pq fiquei com medo de que na minha cidade faltasse combustível para os aviões (cidade pequena, parou tudo com essa greve), enfim… Decidi vir e ficar esperando aqui em SP o voo, por garantia. Péssima ideia. Sempre viajo com meu marido, faz 15 anos que estamos juntos e nunca nos separamos por 1 final de semana sequer. Amanhã embarco sozinho para passar 2 meses fora para resolver coisas importantes… Muita pressão. Estava agora a tarde aqui no hotel, fui até a sacada fumar um cigarro, sentei no chão e fiquei pensando: to longe do meu marido, to indo ficar 2 meses sozinho resolvendo pepino, estou trancado num hotel ha 3 dias… tá tudo muito diferente da minha rotina. Estava frio demais, ventando muito. O sol estava indo embora, estava tudo muito melancólico, triste. Comecei a pensar no meu diagnóstico, agora dia 6 faz 1 ano que descobri minha sorologia, fui ficando triste, chorei, me machuquei com a ponta do cigarro tentando para a dor que estava sentindo. Não adiantou e agora ganhei uma cicatriz física desse dia terrível. Toda vez que olhar para esse queimado, vou sentir o mesmo frio que senti hj a tarde. A angústia e a frustração.
      E é assim mesmo, essa montanha russa. Era me queimar ou pular da sacada hahaha. Escolhi o menos pior. Resolveu alguma coisa? NADINHA. Consigo controlar esse tipi de coisa? DE FORMA ALGUMA. Kkkk

      Enfim, meu texto está desconexo. Eu estou desconexo no dia de hoje. Queria dizer que te entendo, que sinto essa sensação de auto rejeição social e auto sabotagem. É muito fácil chegar ao fundo do poço psicológico quando se tem HIV. As vezes sinto que sou uma sombra do que um dia já fui, e aí me isolo como forma de punição ou reação a vergonha. E o pior é que tenho plena consciência do que estou fazendo, mas não consigo reverter.

      Um dia de cada vez, não é mesmo?!

      Fique bem, qualquer coisa que precisar, fala.

      Geralmente sou mais legal é otimista, mas hj tá foda ser eu hauahuahaua

      Abraço

  • #22781 Resposta

    Daniel s

    Gente
    Sei que o post não diz respeito do que vou falar . Mas esta correndo no whats e Facebook que domingo meia noite os caminhoneiros vão parar tudo. . Tudo, tudo, tudo.. diz que nem carro pequeno passa. Procede essa informação?
    Alguém tá sabendo algo e que acredita nisso?
    Se for verdade pelo que vi nem carregamento com remédios, insulmos hospitalares vão passar. Gente estou preocupado 🙁

    • #22785 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Espero que seja boato. Isso está saindo do controle, gerando caos na vida das pessoas e não resolvendo porra nenhuma 🤷🏼‍♂️

  • #22783 Resposta

    Roger

    Seria bom se pudéssemos conversar em tempo real. Isso ajudaria a todos. Algumas pessoas aqui usam o app o kik eu não o conheço. O Skype seria uma sugestão pois permite comunicação e tb tem o recurso de voz e vídeo em tempo real. Mas penso que a maioria dos soropositivos que escrevem aqui querem se preservar.

  • #22788 Resposta

    Daniel S.

    Pois é, Positivo SC,
    Isso pra mim já passou dos limites, pq de qualquer forma vamos acabar “pagando o pato”, infelizmente não existe fórmula mágica (reduzir os impostos), mas em compensação o governo tira verba de outras áreas.. mas enfim, tbm estou achando que seja boato, hje não vi mais nada).

    Roger
    Legal a ideia, gostei.
    Seria bom mesmo, principalmente pra quem está na fase da aceitação. Mas acho que seria bom de um modo geral, pelo que vi aqui no site tem muita gente legal.

    Abraços a todos.

  • #22789 Resposta

    Eu

    Eu

  • #22792 Resposta

    kiss

    Gente bom dia! Nossa de certa forma é muito bacana compartilhar cada ideia, cada desabafo, embora sinta muitos momentos de desespero!! EuPositivoSC vc é um espetáculo de pessoa e espero que não permita essa nova condição apagar todo esse seu brilho! Sei que a trajetória não é fácil, mas é possível viver sim! Vc é um privilegiado, estudou, como mesmo falou viaja, tem um companheiro maravilhoso, família, então veja o lado bom da vida! Esse momento sei que não é fácil esses questionamentos sempre vão surgir. Temos manias de nos fazer pequenos e estamos querendo que os outros nos aceitem da melhor forma possível…Incrível isso! Pense em quantas pessoas vivem com doenças terríveis com pouco expectativa de vida, então por que sofrer por antecipação??? Precisamos viver um dia de cada vez, parar de nos culpar, nos julgar, o peso da doença em sí já é por demais pesado!!! Sejamos mais suaves conosco mesmo…Precisamos ser pacientes e ter mais amor pela vida!!!
    Mês que vem completo 10 anos de meu diagnóstico, estou viva, não como eu queria é claro! Pois muitos sonhos ficaram em segundo plano. Acabei vivendo muito em função do diagnóstico por muito tempo e esqueci de viver…Triste erro, pois viver é um privilégio e sonhar nos dá asas e nos permite saborear essa breve passagem aqui…Morrer faz parte da vida e de alguma forma todos vão…Depois do meu diagnóstico muitas pessoas que pensei estar saudáveis já partiram dessa vida, por motivo a ou b não importa! Então precisamos viver e ser feliz, compartilhar isso não é uma obrigação e apenas nos torna mais seletivos, precisamos selecionar quem merece estar ao nosso lado nesse momento tão crucial…Neste momento quisera eu ter condições de viajar e viajar mundo afora, pois tudo seria bem mais fácil!!! Todos temos medos, dias de angústias, de vergonha, de culpa, porém nada disso muda essa nova condição…Já vivi momentos terríveis (o diagnóstico e aderir os medicamentos) sofri demais e calada para não fazer meus familiares sofre tbem…Mas vida que segue…Se quiser trocar ideia neurifreires@yahoo.com.br será um prazer!!!

    • #22805 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi Neuri
      Obrigado pela resposta ao meu dia ruim hehe. Hj já estou melhor, cansado, mas melhor. Estou há 2 dias vivendo em aeroporto, pelo menos deu tudo certo, entrei na Turquia e agorinha na Itália com 2 meses de tratamento na mochila, ninguém perguntou nadinha e fora o cansaço, tá tudo melhor na minha vida.

      Eu geralmente sou bem otimista, sabe? Consigo ver que tem gente numa vida muitos mais ferrada que a minha, com a saúde comprometida por enfermidades mais agressivas, e geralmente contorno minhas crises me apegando a esse tipo de coisa, mas as vezes não é tão eficaz hahaha Aí desanda tudo.

      Forte abraço para você e mais uma vez obrigado pelo retorno e disponibilidade.

  • #22793 Resposta

    P
    Participante

    EuPositivoSC, compreendo bem esses momentos de fraqueza. Sei o tanto que é difícil manter a mente sã para não cometer nenhum ato extremo. Obrigado pelas palavras amiga e uma ótima viagem p Vc.

    Kiss, vc tem toda razão do mundo… existem pessoas com outras doenças e problemas que são “piores” que os nossos. Muitos partem antes enquanto a gente segue a batalha da vida. Tbm entendo perfeitamente o que é carregar sozinho, sem ter o apoio de amigos e familiares. Infelizmente, há dias que são mais tristes, cinzentos e frios, e sinto que não vou aguentar. Já outros dias são mais leves e eu, por exemplo, esqueço da minha condição e vou adiante.

    Bom espero que todos aqui fiquem bem…

    P.

  • #22794 Resposta

    Roger

    Olá Kiss, obrigado por compartilhar um pouco da sua vivência com esse texto bem motivador. Ler relatos de outras pessoas nos ajuda a ir superando.

    Abraços. Paz e saúde a todos nós!

  • #22795 Resposta

    Roger

    EUPOSITIVOSC,

    Nada de ficar pra baixo, sentindo-se inferior hein… ainda mais você que sempre está aqui nos confortando e compartilhando com mensagens de forma muito positiva. Gostaria de fazer uma pergunta: Qual o seu medo após o diagnóstico positivo?
    As vezes penso que se tivesse a cura para o HIV, será que as pessoas não iriam se infectar novamente? Sem o HIV será que nós não continuaríamos nos arriscando???
    Vai completar seis meses da minha descoberta e confesso que fiquei deprimido sim e o psicológico/emocional afeta muito, mas ando superando a cada dia. Não pensei em jamais tirar minha vida ou cometer algo neste sentido. O que mais quero é viver ao lado da minha família e de pessoas que me faz o bem. O que me preocupa e me deixa deprimido é o preconceito e preocupação em faltar remédios. A morte é um fato que virá seja mais cedo ou mais tarde. Abraços e fique bem!

  • #22796 Resposta

    Daniel S.

    Positivo SC
    Nada de ficar triste, meu caro. Vc é uma pessoa legal, mesmo não o conhecendo pessoalmente.
    Não faça besteiras, ok? Aliás, isso vale para todos.
    Eu tbm tenho meus momentos de tristeza, tem q cuidar pra não se tornar uma depressão.
    No começo do diagnóstico que pensei em tirar a vida.. mas isso passou, penso que tenho um propósito nesta vida. E que assim seja!
    Um abraço a todos!

    • #22900 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Ahahaha Daniel, querido.
      Um abraço para você. No dia que estava lendo os comentários após meu desequilíbrio em SP e toda aquela confusão, estava sem internet garantida, roubando sinal em aeroporto, aí estava difícil hehe.
      Mas fiquei feliz com sua msg e deixo aqui um abraço para vc.
      PS: sei que em SC tá um frio do cão! Proteja-se. Olha a gripe. Hahaha
      Abraço

  • #22798 Resposta

    Marcos

    EupositivoSC você é o cara. O primeiro conforto que tive após meu diagnóstico há 1 mês foi aqui com os comentários dos participantes e suas respostas que me fizeram entender muita coisa e ver como é possível viver bem com o HIV. Exatamente hj terminei o primeiro potinho de medicamento é amanhã começo o novo, que já está aqui do lado..rs
    É normal ficarmos meio pra baixo em alguns dias, mas desistir jamais! Ainda mais você que ajuda tanta gente e merece ser muito feliz ainda nessa vida.
    Eu estive muito triste na minha primeira semana, depois ficou tudo bem. Fico triste quando vejo minha namorada preocupada, isso me baqueia um pouco, mas poxa, estamos com saúde, não estamos doentes. Temos que ser felizes e aproveitar a vida. Se um dia ficarmos doentes, vamos lutar e vencer. E como hoje em dia temos quase a mesma expectativa de vida de quem não possui HIV, temos boas chances de ver surgir novos medicamentos e ter qualidade de vida muito boa. Bola pra frente pq não somos inferiores a ninguém! Isso que você sentiu foi saudade. Mas lembre que vc está no caminho certo, está viajando pra garantir um futuro mais de boa. Saudade faz parte. Evite ficar sozinho, se distraia, telefone para as pessoas pra bater papo, assista filmes e séries, jogue vídeo game hauhauahua tem muita coisa divertida pra distrair..
    Abração!! Obrigado por tudo

  • #22799 Resposta

    kiss

    Vdd P vivemos dias de todas as cores…Mas penso que precisamos ter bom ânimo, se manter apegado a uma fé imensa e seguir adiante. Perguntas sempre vão existir, no entanto nenhuma delas vai mudar o que aconteceu…Agora é tentar viver da melhor forma possível, comer bem, tomar a medicação corretamente, fazer atividade física e seguir a vida da melhor forma possível! Pior que tudo é a ignorância sobre o assunto (falta de conhecimento plena). O estigma dos anos 80 ainda é muito forte e as pessoas não entendem que o tempo passou,a ciência evoluiu sim e hje há tratamentos bem eficaz! Por isso é fundamental não se desesperar e acabar contando para quem nem merece saber, no intuito de achar que todo mundo tem boa intenção em estender a mão!!! Triste engano!!! Mas vejam que esperança boa poder casar, ter filhos saudáveis, viver a vida intensamente…Não podemos transferir essa responsabilidade aos outros, nem tão pouco viver de “si” o tempo não volta… Meu médico anterior falava veja o lado bom, vcs têm a saúde monitorada de forma diferenciada, tudo é motivo de alerta, só que a neurose é tão absurda que tudo atribuímos à sorologia e esquecemos que estando indetectável estamos sujeitos a doenças como qualquer pessoa, e é natural…Gripe, resfriado, dor na garganta, enfim essas coisas de rotina…
    Estar bem emocionalmente ajuda e muito a vida prosseguir…Viver um dia de cada vez e sonhar tendo gratidão pela vida sempre é relevante nessa etapa da vida!!! Bora viver sem medo e alimentando a fé na esperança de dias melhores….Estamos juntos!!!! Forças a todos!!!

  • #22801 Resposta

    Paulo Rodrigues

    Muita luta interna pra aguentar esse HIV. Bom, me chamo Paulo, sou do interior de SP, fui diagnosticado em 2007,com 22anos, hoje tenho 33 anos e como todo mundo no começo não é fácil, sempre tem aquela vozinha na cabeça falando o que não deve, te colocando pra baixo, fazendo se sentir inferior. Mas a boa notícia é que tudo isso passa, basta a gente querer viver, basta a gente tomar as rédeas da vida. Quando fui diagnosticado, morava longe da família, tinha pouco suporte e sozinho nada é fácil. Me agarrei no trabalho e tentei não deixar me abater. No começo perdi 45 kilos, e aos poucos fui tomando forma de novo. Tenho uma vida saudável, alimentação boa, exercícios não tão regulares, mas mesmo assim ainda bem. Sou casado há oito anos, com meu parceiro negativo. Nunca deixei de sonhar com o “príncipe encantado” nem com o “pote de ouro no final do arco-íris”. Uma vida de lutas internas, que até hoje persistem, mas que já consigo ver a luzinha no final do túnel. Uma vez, certa pessoa me disse que nunca devemos deixar a peteca cair, e se ela cair, devemos pegar de novo.
    A peteca vai cair diversas vezes, e você com toda garra e determinação tem que pega-la.
    Faz muito tempo que não entro neste site, hoje meio deprê, senti vontade, e assim toca a vida. Às vezes somente em você ver o que as pessoas passam, você se sente confortado. Para os “recém descobertos” fica a dica: não deixe a peteca cair, e se cair pega de novo, não é vergonha nenhuma pedir ajuda se não conseguir pegar sozinho.
    Um abraço pra tod@s.

  • #22807 Resposta

    EuPositivoSC
    Participante

    Pessoal
    Obrigado pelas respostas. Lí todas, absorvi todas, comecei a responder individualmente mas foram tantas e tô tão corrido roubando wi-fi de alguém que não colocou senha no compartilhamento do celular que não consigo responder paa cada um. Agora estou bem, animado, feliz, tentarei segurar os próximos rojões sem tanto desespero. Aos poucos pego (amos) o jeito, não é?

    Un bacio a tutti 😉

  • #22810 Resposta

    Fernando

    Alguém me ajude

  • #22812 Resposta

    Fernando

    Pessoal após quanto tempo após a exposição vocês foram positivados no examé? Dúvidas sobre janela imunológica por favor uma luz.

    • #22814 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Olá. Atualmente com 30 dias a partir do contato de risco e com um Não Reagente na mão, já é possível respirar tranquilo. A maioria dos laboratórios usa equipamentos que com esse período já dão segurança no diagnóstico.
      Repita com 60 dias, por desencargo, e em 90 paa ver se vc não é um espanto da natureza e soroconverteu tardiamente.

      Sobre prazos, varia de pessoa para pessoa. Uma semana, duas, três… depende. Mas alguns órgãos de saúde são unânimes em dizer: 30 dias já é suficiente.

  • #22817 Resposta

    Marcos

    Oi, após 30 dias parece que a chance de se converter é de 0,001 (ou menos).
    Eu descobri minha sorologia há 5 semanas, minha namorada fez o teste e deu negativo. Ela repetiu HOJE e GRAÇAS A DEUS deu negativo novamente. O médico disse que ela não precisa repetir mais os exames, apenas a cada 6 meses, pois somos um casal sorodivergente agora, e temos que manter esses cuidados.
    Nunca tive problema com camisinha, mas infelizmente em alguma relação passada me descuidei e deu no que deu. Mas ainda bem que com a minha namorada só não usei camisinha uma ou outra vez em mais de 2 anos, e por sorte ela não pegou o vírus.
    Estou aliviado e ela muito mais né kkkkk Agora o negócio é mantermos sempre os cuidados e vida que segue!! 🙂

  • #22829 Resposta

    LucasMatti

    Oi, já é meu 4 exames, 3 de laboratórios e um teste rápido. Último fiz com 102 dias e deu negativo, tão falando que tem que repetir até aos 180 dias. To louco já

    • #22832 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Relaxa. Reaxa e não faz mais (pelo menos não por essa exposição em questão)… Obvio que a cada contato de risco é prexiso fazer o exame, mas isolando esse que estamos falando, há mais de 100 dias, esquece. Não gasta mais sangue pq se fosse pra soroconveter, já teria acontecido. Respire em paz, vá viver!

  • #22833 Resposta

    LucasMatti

    Obrigado PositivoSC, você é o cara mais fofo e prestativo desse site. Responde sempre com paciência e carinho. Então, eu me assusto pq tinha pegado gonorreia, já tratei, mas levei um susto sabe. Tem uma infectologista que anda assustando tdoo mundo falando que precisa fazer com 180 dias. Para eu não criar anticorpos em 100 dias, eu seria mt doente né?

    • #22840 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Imagina, nem agradeça. Estou retribuindo a boa acolhida que tive aqui no site quando eu chequei desesperado achando que ia morrer em 15 dias hahaha.
      Cuide-se daqui para frente. Você contraiu gonorreia, mas poderia ter sido algo mais preocupante, não é mesmo? Passado esse susto, não relaxe na prevenção. Viver com HIV é possível, mas viver sem é melhor, vai por mim! Hahaha
      Abraço

      • Esta resposta foi modificada 8 meses, 2 semanas atrás por  EuPositivoSC.
  • #22838 Resposta

    Fernando

    Obrigado PositivoSC pela força desejo a todos força e muita felicidade todos nós merecemos e acima de tudo esperança, aliás vocês já leram o último post 😃😄 acho que falta pouco agora galera, eu acredito que não mais de 5 anos e a vacina chega. Imagino o impacto que isso vai ter mundo, dias melhores e não mais pessoas se escondendo ou com medo.
    Forte abraço a todos.

    • #22842 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi. Obrigado 😊
      Também estou animado com as últimas notícias sobre a cura ou neutralização do vírus. Uma hora vai chegar isso aê. Até lá, seguimos com nossos remédios pq quando isso acontecer temos que estar com nosso organismo bom paa sermos elegíveis e termos mais sucesso nos programas de supressão viral.
      Vamos em frente!

  • #22848 Resposta

    Fernando Pires
    Participante

    Olá pessoal gostaria de saber de vocês referente a fase aguda sintomas e como foi? Eu ando bem mal faz quase 4 meses sentindo de tudo, dores pelo corpo, linfonodulos entre outros, só não tive febre, fiz vários exames e testes ja com 90 dias todos negativos. Não sei se por estar sentido tantos sintomas meu exame da negativo apesar de ter feito vários inclusive o 4 geração com 60 dias. Tentei doar sangue mais não consegui porque meu nível de ferro estava baixo, mais uma evidência, não sei mais o que fazer, detalhe meu caso foi com uma seringa (winstrow) que talvez possa ter sido compartilhada na hora não me atentei a isso que vacilo. DeSde de já grato.

    • #22850 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi.

      Olha, se bobear vc está tendo essas alterações corporais como resultado da injeção de winstrol, dependendo da dose aplicada.
      Se você fez os testes para HIV com 60 e 90 dias e deram negativos, são negativos, oras, hehehe.
      Comece a buscar outros motivos para esses sintomas, pois as chances de ser outra coisa que está te gerando isso são imensamente maiores que uma falha nos diferentes testes de hiv que vc já fez.

      Mas, respondendo sua pergunta, eu senti um leve desconforto intestinal, linfonodos no pescoço e cansaso extremo.

      Abraço

      • Esta resposta foi modificada 8 meses, 2 semanas atrás por  EuPositivoSC.
  • #22907 Resposta

    Fernando Pires
    Participante

    Obrigado positivoSC.

    Então tá difícil porque quase 4 meses nessa situação fiz os testes todos negativos o cara falou que eu podia ficar tranquilo, mais sei lá ainda não estou, estou mesmo numa pior é não consigo falar com ninguém sobre isso apenas um amigo meu que sabe, queria falar com a minha esposa mais tenho medo até porque coloquei a minha vida e a dela em risco com esse vacilo. Espero que de tudo certo.

    • #22910 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Olha, é quase cientificamente impossível vc ter uma exposição, ser infectado e 4 meses depois não ter soroconvertido. Seria uma raridade da natureza hehehe.
      Você pode estar tendo reflexos do alto stress, da reação da injeção que tomou, de qualquer outra coisa que não seja HIV. Com 4 meses é vários testes negativos depois, no seu lugar, eu ficaria bem feliz e seguiria a vida.
      Faz um exame chamado PCR, é muito sensível, detecta rastros mínimos de HIV no sangue e bem precocemente. Ele é meio caro, acho que chga perto dos R$1.000, mas se vcctiver plano de saúde, geralmente eles cobrem. Se no PCR der negativo, esquece essa história.

      Abraço e fique bem.

  • #22912 Resposta

    Fernando Pires
    Participante

    Oi posítivosc sim tô quase achando isso, porque se fosse a fase aguda já estaria durando 4 meses e não li nenhuma informação sobre tempo tão longo. Desculpe a pergunta mais quanto tempo durou a sua?
    Não sei se é verdade mais li em alguns sites que dizem que a janela imunológica e 180 dias vc foi diagnósticado antes desse período?
    Eu tbem realizei o teste sorológico de 4 geração que também deu negativo.
    Vou tentar doar sangue essa semana porque eles realizam o teste Nat e igual a pcr. Fé que tudo data certo.

  • #22914 Resposta

    kiss

    Olá guerreiros e guerreiras, espero que todos estejam bem! Vejo que algo comum à maioria aqui é que temos dias de várias cores mesmo, ou seja, dias de muita tristeza, pensamentos negativos, mas outros de pura alegria e prazer de viver!!! Penso que seja fundamental manter o equilíbrio independente do momento! olha quanta evolução do surgimento da doença até hoje…Mas é claro, precisamos nos cuidar, com remédios sempre em dia, alimentação saudável, prática de atividade física, tudo isso associado a uma mente saudável nos garante vida longa! Desejo forças e serenidade a todos…Saibam que dias ruins todo mundo independente de uma patologia tem! Portanto, temos que viver com menos culpas, mais sabedoria, menos questionamentos e paz na alma acima de tudo!!!! A fé nos fortalece a cada dia!!! Juntos somos mais fortes!!! Excelente semana a todos!!!!

  • #22916 Resposta

    Marcos

    Pires, tudo bem?
    Olha, meus sintomas da fase aguda duraram 15 dias. Tive dor no corpo, muito suor noturno e febre baixa. Na segunda semana apareceram os linfonodos no pescoço.
    E cara, acho que você está preocupado atoa. Se vc fez todos esses exames pode ficar tranquilo que você não tem HIV.
    Massssss, eu acho que se você tem essa dúvida não seria bom doar sangue, não é? Mesmo que não seja HIV pode ser alguma outra infecção

  • #22917 Resposta

    Fernando Pires
    Participante

    Obrigado Marcos vlw pela força.
    Eu ia tentar fazer a doação mais votaria pela exclusão do sangue para que elé não fosse utilizado somente analisado aí não teria risco pra outras pessoas.

  • #22918 Resposta

    Thayna

    Olá pessoal … achei esse blog muito interessante e gostaria de compartilha com vocês um pouco da minha vida ! Faz 1 ano mais ou menos que descobrir ser soropositiva e isso acabou com meu mundo… No meu caso contrai através da minha mãe na gestação que não teve os devidos cuidados por vergonha e não deixou que eu fizesse exame enquanto era criança e então após algumas suspeitas fui realizar o exame e positivo ! Até hoje eu não aceitei ainda e bem provável que eu nunca vou aceitar, não é como você pega uma gripe, muda totalmente seu modo de viver e seus pensamentos ! Depois de diversas tentativas de esconder meu exame minha mãe e meu pai (que também contraiu) veio conversa comigo como se fosse uma coisa normal que eu poderia viver normal, sendo que não é verdade …. E hoje ninguém da minha família se fala mais nisso, e como se ninguém recorde a tragédia que fizeram na minha vida, apenas pergunta se estou fazendo meu tratamento certo! Eu sinto vergonha de fica perto das pessoas, mesmo sabendo que ninguém sabe oque eu tenho … Há 2 anos fiquei entre a vida e a morte e fui submetida a uma cirurgia que perdi minhas 2 trompas por péssimos médicos e foi um tremendo choque que também não consigo supera ! E hoje estou aqui com 21 anos, não posso engravida como uma mulher normal e se um dia eu tiver condições para engravidar por inseminação não posso amamenta meu bbe porque sou postiva e talvez nunca ou pode demorar até, não vou consegui perdoa minha mãe porque sei que ela poderia ter evitado tudo isso !

    • #22919 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi, bom dia.
      Olha, eu tbm não sei como reagiria sendo infectado por transmissão vertical. Deve ser uma sensação meio raivosa mesmo. Entendo.
      O que eu penso é que há 21 anos atrás, sua mãe de repente não tinha informações ou até muitos métodos para evitar a transmissão para você. As coisas eram diferentes, penso eu. Ninguém deseja isso para seu filho. Penso que de tudo que você falou, a coisa que pode te confortar e que é simples de se fazer, é a conversa. Me parece que você fica super irritada com o fato de todos levarem a vida sem tocar nesse assunto, e você gostaria de conversar com eles seja para desabafar, compartilhar, receber apoio, enfim… Isso demonstraria preocupação deles contigo, certo? Se você está se sentindo abandonada nesse mar de sentimentos, chame eles para conversar, peça que te expliquem, chore se tiver que chorar, brigue se tiver que brigar… tente construir laços que há muito se romperam. Não estás sozinha, não te abandonarão. As vezes eles tem coisas para dizer e não sabem como chegar até você.

      Pensa que esse cenário já está montado na tua vida há 21 anos. Quem sabe seja hora de mudar ele um pouco, abrir mais o jogo, ter menos mágoa. Juntos somos mais fortes, com HIV ou não ☺️

      Abraço

  • #23015 Resposta

    carioca

    Boa noite! Sou novo no site. Faz uma semana que descobri ser soropositivo. Ainda estou anestesiado. Meu único relacionamento sem proteção foi o suficiente para me deixar marcado pro resto da vida. Tenho 29 anos e resido sozinho no Rio de Janeiro. Estou chorando constantemente diante do resultado. Eu já previa que seria positivo, pois demorou para sair o resultado do HIV. Tudo começou quando apareceu uma íngua em minha virilha. Pesquisei na internet e já começou meu sofrimento. No dia seguinte procurei um urologista que solicitou diversos exames. Como o resultado do HIV estava demorando a sair, já estava prevendo o resultado positivo. Lembro-me de que no dia, uma sexta-feira dia 15/06/2018. Estava indo trabalhar. Antes passei no Mosteiro São Bento, pois queria “conversar” com Deus. Estava angustiado, sofrendo! Entrei no site da clínica para consultar o resultado, constava ” em andamento”. Continuei na igreja do Mosteiro admirando as obras. Era 11h. Precisava ir para meu trabalho. Entrei novamente no site da clínica pelo celular – Reagente para HIV! Senti aquele frio na espinha, meu corpo gelou. Naquele momento não me sentia. Não sabia o que fazer, o que pensar. Pensava no pior, na morte, no futuro, no que seria de mim! Saber do meu resultado positivo logo depois de pedir clamor a Deus, foi um contra senso. Fui trabalhar me segurando para não chorar. Perdi a fome naquele dia. No fim do expediente, fui pra casa. Desabei! Chorei muito. Ainda não acredito. Parece ser um pesadelo. Meu pensamentos mudaram. Não sou o mesmo cara de antes do resultado. :/

  • #23016 Resposta

    Anderson

    Carioca,

    Imagino o quanto está sendo difícil neste momento essa descoberta.
    O importante agora é se cuidar, tomar o remédio e ocupar a mente. E quando estiver muito triste vem aqui desabafar conosco.
    Não pare sua vida e seus sonhos devido a um vírus tão insignificante.

    Abraços.

  • #23017 Resposta

    Lucas Pizzon

    Boa noite a todos!

    Carioca,

    por mais difícil que possa parecer esse momento, não desanime! Não pense no pior! Essa dor vai passar, cara. Acredite!
    Também senti a mesma coisa, assim como quase todos daqui. Mas uma coisa é certa, isso vai passar.
    Você voltará a sentir alegria de viver.
    Voltará a ver a vida de forma leve.
    Isso é questão de tempo…
    Você perceberá que o diagnóstico não é o fim, mas o começo de uma vida muito melhor. Uma vida em que você se cuidará como nunca se cuidou antes.
    Por ora, cuide da sua saúde física (alimentação, exercícios).. E, principalmente, neste momento, de sua mente.
    Pense em como seria pior se fosse um câncer, que não dá chances a ninguém.. Um diabetes em que as complicações são horríveis e, muitas vezes, vc sequer pode comer um simples docinho. Ou outras doenças tão ruins também.
    Enfim, hoje é possível viver com qualidade de vida com o HIV.
    Mesmo a vida amorosa, você verá que ela não acabou. Talvez hj, como aconteceu comigo na época, vc não sinta desejo sexual, mas saiba que isso também vai normalizar.
    Eu mesmo era solteiro, hj estou casado e muito feliz, correndo atrás de alguns sonhos e metas de minha vida.
    Foque em seus sonhos, realize-os!
    Este é só o começo de uma vida muito melhor que está por vir. Acredite!
    Que Deus te abençoe imensamente e lhe conforte.

  • #23018 Resposta

    Marcos

    Carioca..
    Eu também descobri recentemente. Foi no dia 2/05. Nunca vou me esquecer desse dia. Foi péssimo, chorei muito com minha namorada. Nem sei como ou quando peguei, porque sempre usei camisinha (mas alguma vez não devo ter usado direito ou começado sem, sei lá). Graças a deus (e às camisinhas) minha namorada não estava infectada.
    Mas o que eu posso te dizer é que logo passa essa tristeza. Tem dias que eu já nem lembro que tenho o HIV, só lembro na hora de tomar o remédio..rs
    É importante saber que nada vai mudar na nossa vida. Querendo ou nao, ainda temos aquela ideia antiga de que o HIV vai nos matar, mas isso é mito. Se tomarmos os remédios certinho nossa perspectiva de vida é semelhante ao de uma pessoa soro negativa.
    O que me tranquilizou bastante foi ver vários vídeos e ler muitas pessoas falando sobre a vida com HIV. Aos poucos nossa cabeça vai se acalmando e percebemos que não é um bicho de sete cabeças.
    Agora vc provavelmente vai fazer um monte de exames e vai comemorar cada um deles que terão resultados bons. Comigo foi assim..rs Minha saúde está perfeita.
    Logo sai meu resultado de carga viral e cd4. Se der “indetectável” vou ficar muito feliz mesmo. Mas se aí da não der, eu faço novamente no mês que vem é uma hora chega lá..
    Tenha paciência que logo essa tristeza vai passar. Eu havia iniciado tratamento com uma psicóloga, mas já até desisti. Estou me sentindo bem 🙂 Você também vai ficar bem!!

  • #23030 Resposta

    edgar pereira
    Participante

    Oi galera,tambm gostaria de paetlhar minha experiência eu namorei com uma mulher soro+ sem saber do diagnóstico dela, o relacionamento durou cerca de 6 meses usamos preservativo poucas vezes terninamos em fevereiro deste ano tenho feito testes ate agora Junho e dá sempre negativo estou paranoico a pele das minhas pernas se descamando um pouquinho marquei um novo exame para quinta feira espero que de negativo pois eu tenho muito medo e nem sei como encarar essa faze da minha vida espero que os testes negativos que eu tenho que já São mais de 30 testes n sejam falsos negativos bom galera quem poder me ajudar aqui agradeceria bjos

    • #23040 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Edgar. Se sua última exposição foi em fevereiro e você já fez tantos testes, é cientificamente impossível ter dado falso negativo em todos ou você não ter soroconvertido ainda. Esses problemas de pele devem ser algum tipo de dermatite nervosa por conta dessa história toda.
      Pode parar de fazer exames e aceitar que você não está vivendo com HIV. Se já fez mais de 30 testes, pare com isso, por favor hahaha. Impossível você estar na condição de soropositivo com tantos testes e todos darem algum tipo de erro. Relaxa, sério. Vá viver e previna-se nas relações futuras.

  • #23031 Resposta

    Carlos
    Participante

    Amigos com 5 testes rápidos, com uma janela de 128 sendo o último com teste biomanguinho de fluido oral, os primeiros foram foram aqueles de furo no dedo, precisa fazer outros!!

    • #23041 Resposta

      EuPositivoSC
      Participante

      Oi. Não precisa mais fazer nada para esta última exposição que você teve há 128 dias atrás (se teve outras depois disso, aí o contador zera e precisa refazer heheheh).
      Hoje em dia a janela segura é de 30 dias. Repete-se com 60 para ver se vc não é a exceção das excessões soroconvertendo tardiamente, mas com 30 já dá para ficar HIPER tranquilo. Se vc fez 5 testes divididos ao longo de 180 dias e todos deram negativo, fique tranquilo e tire isso da cabeça ok? Previna-se daqui para frente e repita os testes anualmente, pois se algum dia você for infectado, é vital saber disso cedo.
      Os testes que você fez, não tendo nenhuma outra exposição nessa janela de 180 dias, são definitivos!

  • #23032 Resposta

    Carlos
    Participante

    Quem puder me ajudar eu agradeço, pois desde fevereiro eu não sei o que é viver

  • #23042 Resposta

    Marcos

    Calma, muito provavelmente você não se infectou. E se tivesse se infectado, não seria o fim do mundo.
    Em questão de saúde nada muda. Você toma 1 remédios por dia certinho e vai ter sua saúde boa, vivendo da mesma forma de quem não tem HIV.
    O que tem te deixado tão aflito?

  • #23052 Resposta

    Daniel

    Bom dia meus queridos

    neste mês de Julho fazem 4 anos que descobri ser portador do virus hiv, e posso dizer que apesar de alguns meses tristes no inicio o que é comum para a maioria das pessoas, aprendi a lidar bem com essa situação.
    Sei lá hoje até esqueço o motivo de tomar o meu remédio todos os dias a noite uso o 3×1. Minha consulta mas demoro para ser atendido do que propriamente na sala com a médica não passa de 15 minutos.
    Vico uma vida tranquila, feliz, aprendendo a cada dia com as situações e pessoas, agradeço a Deus todos os dias pelo dom da vida.
    Busco ajudar o maximo de pessoas que posso, não para em mim, vou além, me desgasto e me desdobro,mas claro tambem teno que me cuidar; alimentação, evitar excessos.
    Hoje fazem 22 dias que não fumo e deixei de lado a cerveja, porque era algo que já não me fava prazer, se tornou mais uma coisa de necessidade e também estou bem.
    Uso uma estratégia comigo que é observar os presentes e coisas incríveis que Deus e a vida me dá diariamente.Ai não paro nas minhas dificuldades.
    Quero agradecer esse blog por toda força que me deu no começo, foi atraves destes site destas pessoas que comentavem os post que conseguir ver por cima do muro dos meus medos a preciosidade da vida com hiv.
    Caso queiram manter contato segue meu e-mail danielive34@gmail.com
    Vamos que vamos há muitaaaaaaaaaaaaaaa vida pra se viver!!! Alegria no coração e na alma. TMJ galera

  • #23077 Resposta

    Henrique94

    Essa é a minha primeira vez aqui no fórum, vivo com o vírus a alguns anos e sempre tive problemas em aceitar essa condição, depois do diagnóstico aos 19 anos a vida nunca mais foi a mesma, me sinto sujo e inferior, não consigo ter mais o prazer que sentia durante o sexo, parece que algo sempre bloqueia o clímax do momento. Talvez seja o receio da possibilidade acidental de propagar o vírus ou até o fato de precisar omitir a condição dos parceiros ocasionais, fazendo com que eu me sinta um farsante, o preconceito e a maldade são desastrosos. No momento estou num relacionamento sorodiscordante, ele sabe, contei na semana em que nos conhecemos, porém não tenho nenhum amigo soropositivo com quem eu possa falar sobre com empatia, nem meu psicólogo sabe, moro numa cidade relativamente pequena e não confio a confissão. Aqui no fórum eu sei que posso desabafar. Abraço a todos.

  • #25237 Resposta

    Rodrigo

    Oi alguem ai ainda q possa me ajudar?

  • #25241 Resposta

    Jim
    Participante

    Olá Rodrigo,

    Acredito que o fórum siga funcionando por mais um tempo. Responderei ao seu outro post.

    Abraço!

Responder a: Autoaceitação
Sua informação: