Injeção mensal de antirretrovirais está cada vez mais perto

[mks_dropcap style=”letter” size=”52″ bg_color=”#ffffff” txt_color=”#000000″]U[/mks_dropcap]ma injeção mensal para controlar o HIV mostrou-se tão eficaz quanto os atuais comprimidos antirretrovirais diários, de acordo com um estudo da GlaxoSmithKline, a GSK. Esse estudo abre caminho para um novo e mais simples regime de tratamento.

A injeção experimental com dois antirretrovirais, Cabotegravir e Rilpivirina, mostrou-se capaz de suprimir o HIV em uma coorte de adultos que não tinham experimentado o tradicional regime oral diário de três medicamentos. No estudo, os adultos com HIV foram, primeiro, colocados em um programa de 20 semanas com comprimidos diários para suprimir o vírus, antes deste tratamento ser substituído pelas injeções mensais. Após 48 semanas, as injeções mantiveram uma taxa de supressão similar ao comprimidos orais.

Os resultados reforçam um importante estudo anterior, que envolveu adultos que estavam usando um esquema oral de três medicamentos para controlar o vírus. John C. Pottage, diretor médico da ViiV Healthcare, uma subdivisão da GSK, disse que o estudo forneceu mais evidências de que uma injeção de ação prolongada pode vir a ser uma alternativa à terapia oral diária para pessoas que já atingiram a supressão viral.

“Este regime pode transformar o tratamento contra o HIV, reduzindo a quantidade de vezes que uma pessoa recebe o tratamento num ano: de 365 para 12”, disse ele. “Trabalhar em novos métodos de tratamento contra o HIV, incluindo terapias injetáveis ​​de ação prolongada, faz parte do nosso objetivo de tornar o HIV uma parte cada vez mais insignificante na vida das pessoas que vivem com o HIV.”

A ViiV Healthcare, que também é propriedade da Pfizer e da Shionogi, espera que este trabalho no desenvolvimento de terapias com dois medicamentos ajude a empresa a competir com a Gilead Sciences, farmacêutica norte-americana que domina o mercado de US$ 26 bilhões ao ano.

Publicado por

Jovem Soropositivo

Jovem paulistano nascido em 1984, que descobriu ser portador do HIV em outubro de 2010. É colaborador do HuffPost Brasil e autor do blog Diário de um Jovem Soropositivo.

17 comentários em “Injeção mensal de antirretrovirais está cada vez mais perto”

  1. E as opçoes farmacologicas aumentando! Independentemente de quando vira a cura, vejo um grande avanço no tratamento nos proximos 5 anos. Tomara que o governo brasileiro possa incorporar essas mudanças assim que aprovadas pelas agencias americana e europeia. Vamos em frente confiantes!

    1. Meu Deus!!! Se isso se concretizar é ouro sobre azul e uma diminuição abismal aos cofres dos Estados que proporcionam esse tratamento de graça.

  2. Que excelente notícia, espero que isso se concretize muito mais rápido que a gente pensa. Já pensou que sonho tomar apenas uma injeção mensal ao invés de comprimidos todos os dias? Amém. ☺️

    Agora uma dúvida sobre o tratamento. Eu iniciei no mês de maio deste ano com o tenofovir + lamivudina e mais o dolutegravir, dois meses depois já fiquei indetectável no exame de carga viral, porém de umas semanas pra cá percebi que emagreci uns 2kg. Isso é normal no início do tratamento essa perda de peso? Alguém já passou por isso? Talvez seja minha rotina de emprego novo e correria mas pode ser outra coisa. Se alguém viveu algo parecido e quiser compartilhar fico grato. 🙂

  3. Ótimo! Espero que saia em 2019 mesmo, pois vejo q há anos vem se falando dessas injeções e já mostraram eficácia nos testes! E que o Brasil adote de imediato!

    1. Os ricos já a usam então quando o custo for baixo para fabricação, ai deverá ser acessível para “todos” os países compradores de retroviral.

    2. caso seja aprovado para uso como tratamento para ser disponibilizado para todos pacientes acredito que só a partir de 2028 além do pais se mostrar disponibilidade nessa opção.
      As vezes pesquisamos e descobrimos tantas formas de controlar esse vírus que fica difícil ter esperanças quando tudo fica apenas no papel.

  4. Pessoal só teve três ocasiaõ que chorei mais que hoje . quando perdi mãe , quando descobri ser hiv positivo e quando a mulher que eu amo me deixou por descobrir da minha sorologia
    Hoje vi o filme Bohemian Rhapsody super recomendo , agora leve o lençol , pois e triste mais e lindo

    1. Amigo, foi por traição ou pela sorologia mesmo que ela te deixou? Claro, se não quiser falar a respeito tudo bem..

  5. Muito bonito tudo isso, mas “tornar o HIV uma parte cada vez mais insignificante na vida das pessoas com HIV” só será possível quando eliminarem grande parte dos efeitos colaterais severos causados pelos antiretrovirais… quando isso ocorrer, aí sim, essa doença estará superada.

    1. Sem contar que ele está dentro de nós vivendo, mas para sua sobrevivendia será necessario um estrago em nosso corpo (virus + efeitos colaterais das tarvs), não que ele queira nos destruir. (para nos alimentarmos tiramos as frutas das arvores, legumes das…).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.