Árvore genealógica do vírus latente

Pesquisadores desenvolveram uma nova maneira de datar as cepas de HIV que estão “hibernando”, o que representa um avanço para a pesquisa de cura do HIV e confirma que as cepas latentes do HIV podem persistir no corpo por décadas.

“Sem identificá-lo, não podemos curá-lo”, disse a Dr. Zabrina Brumme, diretora do laboratório BC Centre for Excellence in HIV/Aids, o BC-CfE, e principal autora do estudo. “Há muito tempo os cientistas sabem que cepas de HIV podem permanecer em hibernação no organismo de um indivíduo vivendo com HIV, reativando muitos anos depois. Nosso estudo confirma que o reservatório latente do HIV é geneticamente diverso e pode conter cepas virais que remontam à transmissão.”

Além do BC-CfE, o estudo foi conduzido junto da Universidade Simon Fraser (SFU), em parceria com a Universidade da Columbia Britânica (UBC) e a Western University. “O BC-CfE tem sido consistentemente um líder nacional e global em pesquisa sobre o HIV e na implementação de estratégias de tratamento como prevenção.

“Ao criar árvores genealógicas de vírus, usando uma técnica chamada filogenética molecular, podemos reconstruir a história evolutiva do HIV dentro de uma pessoa”, disse Brad Jones, um Ph.D. estudante com UBC no BC-CfE e o primeiro autor do estudo. “Em essência, criamos uma ‘máquina do tempo’ altamente calibrada que nos dá um marco de tempo específico para quando cada cepa do HIV dormente apareceu originalmente em uma pessoa.”

As cepas de HIV inativas, que integraram seu DNA ao das células do corpo, podem persistir por anos e são inacessíveis pelos tratamentos antirretrovirais atuais e pelo sistema imunológico. Entretanto, essas cepas podem reativar a qualquer momento e é por isso que, para evitar essa reativação, o tratamento do HIV precisa ser mantido por toda a vida.

“Pesquisas anteriores já haviam revelado que o reservatório do HIV era geneticamente complexo. Com nosso método, podemos agora entender essa complexidade com maior granularidade, identificando exatamente quando cada cepa original do HIV apareceu originalmente em uma pessoa”, disse o Dr. Jeffrey Joy, pesquisador no BC-CfE e coautor do estudo.

“A fim de erradicar o HIV do corpo de uma pessoa, você primeiro precisa conhecer as características do HIV no reservatório latente”, disse o Dr. Art Poon, professor assistente em Patologia e Medicina Laboratorial na Western University e também coautor do estudo. “Estamos fornecendo um método para medir melhor a linha do tempo da latência e evolução do vírus dentro de um indivíduo que vive com o HIV”.

Para “datar” cepas de HIV inativas no reservatório viral, os pesquisadores precisaram comparar essas cepas com aquelas que evoluíram dentro de um indivíduo vivendo com HIV durante toda a história de sua infecção. O BC-CfE é uma das poucas instituições em todo o mundo capazes de tal pesquisa, graças à manutenção de um repositório histórico de amostras de sangue de indivíduos diagnosticados com HIV no BC. Esses espécimes datam de 1996 e foram originalmente coletados para testes de carga viral e resistência a drogas.

Anúncios
avatar
14 Comment threads
22 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
Jorgito1RapazSCRafaeltelmaJoao Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Inscrever-se  
Receber notificação
O Vida
Membro
O Vida

Gente, a coisa é muito mais complicada.
Na verdade não existe um exame como ressonância q aponte onde estão as células dormentes e, ainda mais, sem saber onde estão espalhadas essas celular não tem como ataca-las.

jopositivi
Visitante
jopositivi

Alguém me ajuda ai?
Tomo o 2×1( dolutegravir lamivudina e tenofovir) desde fevereiro. Fikei indetectável logo no segundo mês. Não tenho efeitos colaterais . Porém sinto dores nas articulações. Não chega a ser uma dor a ponto de incomodar, mas fico preocupado se com o tempo de uso do medicamento, esse incômodo nas minhas articulações vai aumentar. Eu consigo malhar de boa essa dor não chega a prejudicar milha malhação.

Alguém já passou por isso? Alguém tem informações a respeito? Obrigado

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Com atividades físicas regulares, essas dores tendem a sumir. Pelo menos no meu caso, somem. Se fico 15, 20 dias sem treinar, começam as dores. Volto à academia e tudo se resolve.

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

bom saber SC vou correr pra academia pois estou tendo as mesmas dores fracas nas articulações . tomo o 2×1 dulotegravir

Allpiste
Membro
Allpiste

Salve Jopositivi. Eu sinto exatamente a mesma coisa. Acredito seja o tenofovir. Agora, faz 1 mês que estou tomando apenas dtg e lamivudina. Diminuiu bem a dor nas articulações. Sinto apenas nos dedos das mãos, durante a noite, no meio da madrugada. Durante o dia some tudo. Mas o eupositivosc tem razão. Academia ajuda muito. Tenho ido sempre.
Um abraço.
Allpe

Fabio
Visitante
Fabio

Vitamina D3 10.000 unidadeds internacionais por dia. As dores sumirão

luquinha
Visitante
luquinha

Sabe aquelas duas crianças com hiv que ninguém queria ? Ele deu muito amor e carinho . Descanse em paz Mr. Catra

Matheus
Visitante
Matheus

Jovem Soropositivo mesmo com CD4 de 255 você não tinha sintoma nenhum quando descobriu?

Lara
Visitante
Lara

O meu era 96. Nunca tive nem gripe … mistérios do corpo humano…

Matheus
Visitante
Matheus

Como anda a vacina com o anticorpo que neutraliza 99% das cepas do HIV?

HomemSP
Visitante
HomemSP

Por favor, alguém pode dividir informação comigo?

Fiz meus exames e minhas plaquetas estão abaixo do normal.
Alguém já passou por isso?
Sabem o que significa? (avanço da doença, normal em soropositivos, etc…?)

Matheus
Visitante
Matheus

Normal não é em ninguém, vai ver o que é isso.

Rômulo Monteiro
Visitante
Rômulo Monteiro

Antes do HIV minhas plaquetas ja eram abaixo do normal em quantidade… nenhum médico nunca falou nada… apesar que o volume delas era alto.

O Vida
Membro
O Vida

Se o seu CD4 estava muito baixo, tipo abaixo de 150, a recuperação é mais lenta, pois o linfócitos foram muito atacados.
Já vi relatos de pessoas a tratamento a muito tempo e o CD4 não passa de 350.
No meu caso em 2016 o meu CD4 estava em 120 o último exame em Jul/18 já estava em 450 com total de plaquetas de 130.000.

HomemSP
Visitante
HomemSP

OVida

Descobri bem cedo.
Mas nao fiz genotipagem.
Depois quando remedio nao funcionou como deveria, na genotipagem descobrimos o motivo.

Mas meu CD4 mais baixo estava em 800.

Agora o que acho estranho é essa baixa nas plaquetas… E nao achei nenhuma relação pela WEB. Apenas hoje vi que 16% dos soropositivos sofrem com plaquetopenia.

Ja estou com medico marcado, mas ainda assim desconfiando que tenho todas as doenças do mundo… Rsss

Complicado!! 🙂

obrigado a todos que responderam

Junior
Visitante
Junior

Descobri que tenho hiv mas vou começar a trabalhar em uma outra cidade, então não tem como eu me tratar na cidade que eu moro por causa dos horarios do CTA, alguem sabe me dizer se posso pegar os remedios e fazer os exames de rotina na cidade que vou trabalhar?

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

pode sim. eu moro em uma cidade e pego medicamentos em outra

O Vida
Membro
O Vida

Folha de S. Paulo”: Em guerra bilionária, farmacêutica tenta barrar genérico contra hepatite C A farmacêutica americana Gilead está barrando a compra de um medicamento genérico para hepatite C que geraria uma economia de cerca de R$ 1 bilhão ao ano para o governo brasileiro. A Gilead produz o sofosbuvir, um antiviral que cura a hepatite C em 95% dos casos e revolucionou o tratamento desde 2014. Antes, a terapia mais eficaz disponível curava em apenas 50% dos casos. Neste ano, o Ministério da Saúde anunciou um plano para eliminar a hepatite C até 2030, e o SUS passou a… Ler mais »

Mark
Visitante
Mark

Olá pessoal,, mudei de 3×1 pra o dolutegravir ,,, tô percebendo uma baixa considerável no meu líbido, fico pensando que seja por conta do medicamento,,, alguém percebeu ou pode relatar algo parecido se seria culpa do remédio??

HomemSP
Visitante
HomemSP

Tambem troquei do 3×1 para 2×1 + dolutegravir
Não vi relação nenhuma.
Contigo da mesma forma.

Subversivo
Membro
Subversivo

Por que não consigo contar minha história nos comentários? O que há de errado com o que estou escrevendo para que o moderador vete?

Marcus
Visitante
Marcus

Pessoal, eu sei que não é relacionado ao post, mas preciso da orientação de vocês: estou indetectável há 2 anos, sou passivo, volta e meia acontece de eu ter relação sem camisinha confiando que não transmitirei por estar indetectável, mas no fundo fico com medo de estar prejudicando os outros. Hoje quase ninguém mais usa, e se eu falo a pessoa já vem logo “vc não se garante?”, enfim, eu acredito que eu não ofereça risco, haja vista que eu sendo passivo o risco já seria menor de qualquer forma. O que vocês acham?

Fábio Soares
Visitante
Fábio Soares

Acho falta de responsabilidade tua. Vc pode contrair outras doenças ao não usar o preservativo. Fique atento, um dia você poderá se arrepender de não estar usando .

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Pronto… lah vem os ” corretos” de plantão apedrejar o garoto. Afinal aqui tem todos telhado de vidro. Então não venham fazer a santa. Parabéns, vc usa uma forma de prevençao muito eficaz que eh o uso correto do seu medicamento anti HIV. Tem uma matéria muito boa aqui do JS mostrando o estudo, de quem realmente vale apena prestar atençao, e que diz que indetectável é igual a intransmissílvel. E então o seu HIV vc não passa. Mas vc pode pegar outras DSTs tipo Sífilis e passar essas outras DSTs caso as tenha. Ou pegar um vírus resistente ao… Ler mais »

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Marcus. Tudo bem vc e seu parceiro (a) optarem por não utilizar o preservativo. Adultos fazem escolhas. Você estando indetectável, não tem como você transmitir, fica frio. Mas penso que se você está desconfortável com isso – e está, pois relatou medo, desconforto – passe a usar o preservativo e pronto. Se a pessoa perguntar “você não se garante?”, responde: me garanto, mas não posso garantir os seus 50% nessa história. hehehe Aí você estará sendo honesto, afinal falou que conhece a sua sorologia – e ela é positiva, mas a pessoa nem precisa saber, e vai usar o preservativo,… Ler mais »

Joao
Visitante
Joao

Marcus , eu passo justamente por isso mais vou te falar eu não faço sexo sem camisinha 2 caras já me perguntaram na cama “por que vc tem hiv “ eu respondo que não é peço pra colocar a camisinha , só a gente que vive esse diagnóstico sabe como é , enfim abraço

telma
Membro
telma

Doravirine estabelece um novo padrão para NNRTIs – mas qual o papel do tratamento para o HIV A classe de medicamentos para HIV chamada “inibidores não-nucleosídeos da transcriptase reversa”, ou NNRTIs, deve ter algo de complexo de inferioridade. Primeiro, qualquer coisa definida pelo que não é já está em apuros. Acredite em mim, a hepatite C ficou entusiasmada quando conseguiu eliminar o rótulo de “hepatite não A, não B”. Segundo, apesar de sua alta potência antiviral e boa tolerabilidade, os NNRTIs sempre foram uma reflexão tardia em relação aos inibidores de protease (IPs) ao discutir como a terapia combinada transformou… Ler mais »

Rafael
Visitante
Rafael

https://revistaladoa.com.br/2018/09/noticias/nao-e-problema-meu-diz-candidato-sobre-prevencao-e-tratamento-de-hiv/

JS, faça uma matéria alertando sobre os riscos que o Bolsonaro representa para o Brasil e nosso tratamento! Confesso que estou com medo. 😰

1RapazSC
Membro
1RapazSC

Rafael realmente é algo preocupante, mas mesmo eleito para poder barrar algo deste peso ele teria que enfrentar diversos ministérios e comissões de direitos humanos, não seria algo que ele simplesmente iria decidir e ponto, não estou o defendendo até pq não é meu candidato, mas acredito(EU) que ele não conseguiria levar adiante tal decisão.

Jorgito
Visitante
Jorgito

Pessoal, estou com uma inflamação/infecção feia de garganta e o médico me receitou um antibiótico e um corticoide e agora estou lendo na bula do ritonavir uma interação perigosa com o corticoide. Como vocês fazem nesses casos de inflamação/infecção? Eu não quis dizer para o médico que sou soropositivo, porque tenho vergonha e tenho medo disso sair se espalhando também, nunca se sabe se o médico conhece alguém que você conhece, esse tipo de coisa. Estou muito preocupado com essa quantidade gigantesca de interações medicamentosas.