OMS reconhece que quem tem carga viral indetectável não transmite HIV

A Organização Mundial da Saúde, OMS, publicou uma nota em que reconhece que quem vive com HIV, faz tratamento antirretroviral e tem carga viral indetectável não transite o HIV.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lidera a resposta do setor da saúde ao HIV como parte do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids. A OMS trabalha para aumentar o acesso ao teste de HIV, à terapia antirretroviral e ao monitoramento da carga viral, para melhorar o manejo clínico do HIV como uma prioridade urgente de saúde pública para prevenir a morbidade e mortalidade relacionadas ao HIV.

A ciência relacionada ao uso da terapia antirretroviral como uma ferramenta adicional de prevenção é clara: não há evidências de que os indivíduos que conseguiram e mantiveram com êxito a supressão viral através da terapia antirretroviral transmitam o vírus sexualmente para seus parceiros negativos para o HIV. Os benefícios preventivos da terapia antirretroviral devem ser adequadamente enfatizados nos programas de tratamento e prevenção ao HIV.

A OMS reconhece que a conscientização sobre os benefícios de tratamento e prevenção da terapia antirretroviral deve ser promovida, a fim de incentivar a adesão ao teste de HIV e para apoiar as pessoas a terem acesso e aderirem à terapia antirretroviral o mais cedo possível.

A orientação da OMS para o HIV promove a equidade em saúde, igualdade de gênero e direitos humanos. Continua a pressionar por maiores esforços no fornecimento de prevenção primária e na abordagem das barreiras estruturais que aumentam a vulnerabilidade de pessoas e comunidades ao HIV.

 

Antirretrovirais, supressão viral e transmissão do HIV: as evidências

Há vários anos, há evidências de que a terapia antirretroviral previne a morbidade e a mortalidade das pessoas com HIV e também tem claros benefícios na prevenção do HIV. Vários estudos de coorte confirmaram os benefícios de prevenção do HIV da terapia antirretroviral. Ensaios clínicos randomizados  são o melhor padrão para evidências científicas e, em 2011, um estudo feito em diversos países, o HPTN 052, mostrou redução na transmissão do HIV em casais sorodiscordantes (algumas vezes referidos como sorodiferentes), onde o parceiro com HIV e um contagem de CD4 entre 350 e 550 células/µL iniciou a terapia antirretroviral. Isso levou a OMS a recomendar no início de 20127que:

  • pessoas com HIV em um relacionamento sorodiscordante devem ser informadas de que a terapia antirretroviral também é recomendada para reduzir a transmissão do HIV ao parceiro não infectado; e
  • parceiros soropositivos com uma contagem de CD4 acima de 350 células/µL em relacionamento sorodiscordante devem receber a terapia antirretroviral para reduzir a transmissão do HIV ao parceiro não infectado.

Essas recomendações, reconhecendo os benefícios preventivos da terapia antirretroviral, foram feitas quando as recomendações globais foram para iniciação da terapia antirretroviral em contagens abaixo de 350 células CD4/µL, antes da evidência disponível  apoiar os benefícios clínicos da terapia antirretroviral imediata, recomendada pela OMS recomendou em setembro de 2015.

Evidências adicionais, de que a terapia antirretroviral bem sucedida com supressão viral impede a transmissão do HIV para parceiros sexuais, confirmaram os achados do HPTN 052. O estudo Partner e Opposites Attract não relataram nenhuma transmissão quando a carga viral era indetectável, abaixo de 200 cópias/mL.

Esses dados levaram a um consenso crescente de que as pessoas que alcançaram e mantiveram carga viral indetectável não podem transmitir o HIV sexualmente para seus parceiros.

Esforço necessário para aumentar o acesso a testes, terapia antirretroviral, monitoramento de carga viral e cuidados de saúde

O principal objetivo da terapia antirretroviral é proporcionar benefícios clínicos para as pessoas que vivem com o HIV. O aumento da terapia antirretroviral, particularmente em países de baixa e média renda, resultou em ganhos significativos na saúde, bem como reduções na morbidade e mortalidade relacionadas ao HIV. Recomenda-se que as pessoas com HIV iniciem a terapia antirretroviral logo que são diagnosticados, para sua própria saúde. Também deve ser enfatizado que o início da terapia antirretroviral e a supressão viral impedem a transmissão sexual do HIV.

Um progresso significativo foi alcançado com a meta 90-90-90 das Nações Unidas. No entanto, existem lacunas significativas e desafios remanescentes. A OMS recomenda o monitoramento da carga viral para garantir que a supressão da carga viral seja alcançada e mantida, mas ainda permanecem grandes lacunas no acesso global, particularmente em países de baixa e média renda e em áreas rurais.

A maioria das infecções por HIV ocorre em transmissão a partir de alguém que não sabe que tem HIV. Há um risco maior de transmissão do HIV a partir de pessoas recém infectadas e isso geralmente ocorre bem antes de as pessoas procurarem o teste. A transmissão do HIV também ocorre quando alguém com HIV não está em tratamento ou está em tratamento e não tem o vírus suprimido (porque não está em tratamento antirretroviral há tempo suficiente, toma os antirretroviraiss de modo não ideal, ou está falhando devido a fatores como resistência aos medicamentos). Os dados da cascata de cuidados para o HIV de vários países indicam que 19% (nem intervalo de incerteza de 5 a 40%) das pessoas em tratamento que foram submetidas a testes de carga viral não são suprimidas por vírus. Isso exige ênfase contínua em: aumento do acesso aos testes e vinculação à terapia antirretroviral; monitorar e responder à resistência aos medicamentos; apoiar a adesão à terapia antirretroviral; melhorar a conscientização sobre a condição sorológica dos parceiros de pessoas com HIV; e acesso ao monitoramento da carga viral para apoiar o tratamento eficaz e orientar as decisões sobre a prevenção do HIV e escolhas de concepção mais seguras.

Ainda é necessária uma resposta abrangente ao HIV

Embora a incidência do HIV continue a diminuir, particularmente em países de alta renda, 1,8 milhão de pessoas foram infectadas em 2016 e, fora da África subsaariana, alguns países continuam a experimentar um número crescente de novas infecções pelo HIV. A continuação da transmissão do HIV também está sendo relatada em áreas com alta cobertura de terapia antirretroviral. Portanto, testes de HIV, antirretrovirais e monitoramento da carga viral são necessários, juntamente com a combinação primária de prevenção do HIV (preservativos masculinos e femininos, redução de danos para pessoas que injetam drogas, circuncisão masculina voluntária e profilaxia pré-exposição).

Os preservativos continuam sendo um componente essencial na resposta ao HIV. O apoio ao acesso e uso do preservativo proporciona uma prevenção eficaz do HIV para milhões de pessoas nas situações descritas acima. Também permite que as pessoas se protejam de outras infecções sexualmente transmissíveis, incluindo as hepatites B e C, e previne gravidezes indesejadas.

Entretanto, a nociva dinâmica de desigualdade de gênero, a violência interpessoal e o uso de substâncias podem minar a negociação de preservativos e, por isso, pesquisas sobre comportamento sexual estão em andamento e devem ser incentivadas. Além de garantir que a gama de opções de prevenção esteja disponível, o apoio ao conhecimento mais amplo dos benefícios preventivos da terapia antirretroviral pode reduzir o estigma e permitir que pessoas que têm carga viral indetectável pela terapia antirretroviral façam escolhas informadas em suas vidas sexuais.

Fonte
Fonte:
  • Del Romero J, Castilla J, Hernando V, Rodriguez C, Garcia S. Combined antiretroviral treatment and heterosexual transmission of HIV-1: cross sectional and prospective cohort study. BMJ 2010;340:c2205.
  • Donnell D, Baeten J, Kiarie J, Thomas K, Stevens W, Cohen C, McIntyre J, Lingappa J, Celum C. Heterosexual HIV-1 transmission after initiation of antiretroviral therapy: a prospective cohort analysis. Lancet 2010;6736(10).
  • Melo MG, Santos BR, Lira RD, Varella IS, Turella ML, Rocha TM, Nielsen-Saines K. Sexual Transmission of HIV-1 Among serodiscordant couples in Porto Alegre, Southern Brazil. Sex Transm Dis 2008;35:912-915.
  • Musicco M, Lazzarin A, Nicolosi A, Gasparini M, Costigliola P, Arici C, Saracco A. Antiretroviral treatment of men infected with human immunodeficiency virus type 1 reduces the incidence of heterosexual transmission. Arch Intern Med 1994;154:1971-1976.
  • Reynolds S, Makumbi F, Kagaayi J, Nakigozi G, Galiwongo R, Quinn T, Wawer M, Gray R, Serwadda D. ART reduced the rate of sexual transmission of HIV among HIV-discordant couples in rural Rakai, Uganda. In: 16th Conference on Retroviruses and Opportunistic Infections: Abstract 52a. Montreal, Canada, 8-11 February 2009.
  • Cohen MS, Chen YQ, McCauley M, et al. Prevention of HIV-1 infection with early antiretroviral therapy. N. Engl. J. Med 2011; 365: 493–505
  • Guidance on couples HIV testing and counselling – including antiretroviral therapy for treatment and prevention in serodiscordant couples WHO 2012 http://www.who.int/hiv/pub/guidelines/9789241501972/en/
  • Guideline on when to start antiretroviral therapy and on pre-exposure prophylaxis for HIV WHO 2015 http://www.who.int/hiv/pub/guidelines/earlyrelease-arv/en/
  • Rodger AJ et al for the PARTNER study group. Sexual activity without condoms and risk of HIV transmission in serodifferent couples when the HIV-positive partner is using suppressive antiretroviral therapy. JAMA, 2016;316(2):1-11
  • 13.Grulich A et al. HIV treatment prevents HIV transmission in male serodiscordant couples in Australia, Thailand and Brazil. IAS 2017, Paris. Oral abstract TUAC0506LB. http://programme.ias2017.org/Abstract/Abstract/5469
  • World Health Organization. Progress Report 2016: Prevent HIV, Test and Treat All. WHO support for country impact. 2016. http://www.who.int/hiv/pub/progressreports/2016-progress-report/en/
  • Bluma G, Brenner MR, Routy J-P, Moisi D, Michel Ntemgwa C M, et al. (2007). High rates of forward transmission events after acute/early HIV-1 infection. J. Infect. Dis. 195 (7): 951–959.
  • Courtney Peasant, Gilbert R. Parra and Theresa M. Okwumabua (2014) Condoms Negotiation: Findings and Future Directions, The Journal of Sex Research, https://doi.org/10.1080/00224499.2013.868861
Anúncios
avatar
16 Comment threads
86 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
32 Comment authors
MineiroRioFernandesGilFeliz Recent comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Inscrever-se  
Receber notificação
Fabio
Visitante
Fabio

Esse site é muito top, gosto muito – pessoal uma dúvida, eu gostaria de fazer o teste, nunca fiz e tenho medo de fazer; eu sempre transei com prostitutas com camisinha, só que fico com medo de algumas delas ter contaminado e furado a camisinha, e fico pensando nisso há mais de 6 anos, não consigo ter paz – entrei aqui para desabafar um pouco, por que esse pensamento está me matando, era isso queria compartilhar com vocês, agradeço a esse site maravilhoso que tira nossas dúvidas.

Henrique
Visitante
Henrique

Se seu medo é o protocolo pra fazer exame no CTA, então compre o teste rápido em farmácia. Ou pela internet ou na farmácia da sua cidade mesmo. Se der negativo e vc quiser ter uma confirmação laboratorial, então vá um clínico geral e peça um check-up completo, com todos exames de sangue, radiografias, eletrocardiograma etc aí no meio vc pede as sorologias. Bom que vc vai pedir ao médico os exames mais tranquilo pq tu já fez o teste rápido e também com essa bateria de exames vc vai estar por dentro da sua saúde em geral. Se der… Ler mais »

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Que bom isso. Quanto mais se reafirmar essa constatação científica, mais o medo de relacionamentos com soropositivos vai perdendo força.

Luciano
Visitante
Luciano

Eu positivo só a vacina pra imunizar os soro- tirará esse medo dos soronegativos de se infectar ao se relacionar com soropositivos.

+SC
Membro
+SC

Não, não só a vacina.
Informação soma para que a pessoa que for se relacionar com você também perca o medo.

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Concordo. Informação, para quem sabe interpretar, é essencial no processo de aceitação – seja para nós soro+ nos aceitarmos ou para quem nos cerca ficar mais tranquilo, também.

+SC
Membro
+SC

Verdade!
É nítido quando achamos pessoas que não se aceitaram.
Abraço.

Luciano
Visitante
Luciano

” Informação soma para que a pessoa que for se relacionar com você também perca o medo. ”

Quanta inocência!

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Ok Luciano. Se você acredita nisso, beleza. Não vou discutir com você.
Abraço.

Luciano
Visitante
Luciano

A questão não sou eu acreditar mas os soronegativos acreditarem.

Se coloque no lugar deles, você confiaria nisso? Difícil né?

Não vê que quem tem que acreditar nisso são os soro- e nenhum deles quer se colocar no mínimo risco.

Você acredita que não contamina pois já é soro+ e espera que eles acreditem também, eles não acreditam.

GioZB
Visitante
GioZB

Conheço alguns amigos soro+ que tiveram relacionamentos com soro- e com informação, entenderam que indetectável = intranmissível e decidiram de comum acordo abdicar do preservativo na hora do sexo. E continuam felizes e sorodiferentes <3

Luciano
Visitante
Luciano

Engraçado isso GioZB

Toda hora aparece um cara que conhece não sei quantas pessoas que adoram soropositivos, transam sem camisinha sabendo que a pessoa tem a doença, se relacionam numa boa, só conversa fiada.

No mundo Real é totalmente o contrário, é isso todo mundo vê, novamente a prática derruba a teoria, e a realidade vence a fantasia.

Positivo Azul
Visitante
Positivo Azul

O fato da pessoa ter o vírus não significa que ela é doente.
Acho melhor você procurar ajuda psicologia e informativa, enquanto todos lutam para combater esse estigma pessoas como você desinformada ou que necessita de um pouco de atenção ´psicológica relutam em alimentar a discriminação e falsas noticias.

Luciano
Visitante
Luciano

E acho melhor você parar de mentir Positivo Azul, acha que nasci ontem? Eu sou soropositivo e acompanho de perto a lista de todos.

Soropositivos continuam sofrendo preconceito a beça.

Não seja burro se contrai é o vírus HIV, ninguém pega AIDS, a pessoa contrai o vírus estando doente ou não.

Lucas Pizzon
Membro
Lucas Pizzon

Tenho certeza que não. Sou + e meu marido soronegativo. Mesmo discordantes ele mais do que eu quis o casamento.. E com relação ao preservativo, não usamos, por opção dele. Claro que informação é importante. Desmistifica. Não sou hipócrita de falar que sem informação isso aconteceria. Claro que não! Eu mesmo antes de me soroconverter não tinha a menor noção dessas questões e, certamente não teria coragem de me relacionar com um positivo. Não foi o caso dele… Ele teve toda informação, leu inúmeras vezes sobre o assunto… Ele sabe tudo que preciso fazer para mantê-lo fora de risco. Tanto… Ler mais »

Rio
Visitante
Rio

Bom dia!
Atualmente vivo em uma relação na qual sou soro negativo e meu companheiro é soro positivo. Estamos juntos há mais de 3 anos, ele está indetectável e somos felizes. O fato de ele ter HIV nunca foi problema para nossa relação.

+SC
Membro
+SC

E pq vou ficar criando situações hipotéticas? Isso não faz sentido nenhum.
Ninguém no primeiro encontro vai falar que é soropositivo.
Se coloque em uma situação real! Difícil né?
Com minha atual namorada foi tranquilo, somos do mesmo curso, ela já tinha bastante informação sobre o HIV.
E quem disse que eu não acredito que contamina? Existe a re-infecção! Antes de abrirmos mãos do preservativo ela testou para saber se não era portadora.
Se informe mais, Luciano! Pq tá difícil.
Já tem algumas postagens que tu só comenta merda!

Luciano
Visitante
Luciano

E por que inventar fantasias de acordo com o que você vive?

Seu particular não é regra sua anta.

Pegue um contexto todo, 99% das pessoas sabe como pega, como não pega HIV e ainda assim sentem medo do soropositivo mesmo em situações bque não contamina.

Acha que mais uma informação vai mudar alguma coisa? o próprio Jovem já disse uma vez qu explicou tudo pra mulher e ela fugiu dele.

Acorda anta, sua suposta namorada é a exceção e não na regra, uma informação a mais uma menos não mudará nada.

Só uma vacina pra imunizar ou a cura acabará com o preconceito.

Allpiste
Membro
Allpiste

Achismo

Positivo Azul
Visitante
Positivo Azul

Acho melhor você procurar ajuda psicologia e informativa, enquanto todos lutam para combater esse estigma pessoas como você desinformada ou que necessita de um pouco de atenção ´psicológica relutam em alimentar a discriminação e falsas noticias.

Luciano
Visitante
Luciano

Esse +SC é mais um criador de fantasias e ilusões que alimenta os outros, baseia-se em uma suposta relação com uma soronegativa pra arrotar que a informação vence o preconceito. 99% das pessoas sabem como pega e como não pega HIV e mesmo assim o preconceito continua intenso, basta dizer que é soropositivo e ver as pessoas se afastarem de você. Até médico s ultrainformados tem preconceitos. Vá no blog: Papo de Homem e vejo o preconceito que o médico dono do blog tem contra soropositivos e ele tem todas informações. Informação a mais ou menos não muda em nada… Ler mais »

Allpiste
Membro
Allpiste

Achismo

+SC
Membro
+SC

AHAHAHAHAHAHAHAH mano como vc é patético. E dai que o médico dono do blog papo de homem tem preconceito?

Na minha faculdade tem diversos médicos cheio de preconceito, isso significa que todos serão? Pode deixar que qualquer dia eu gravo um porno com a minha SUPOSTA namorada soronegativa para te provar algo, ah vá a merda amigão!
Bixo, informação muda muita coisa sim, mas não vou ficar explicando muita coisa para vc.

Peço muitas desculpas para os que estão lendo, principalmente para o JS, que organiza esse blog, posta várias informações legais, e reune pessoas que buscam recuperar sua saúde mental.

+SC
Membro
+SC

Mas a questão é: Luciano, se você não está aqui para somar, saber debater, se sensibilizar para o momento dos outros… o que vc faz aqui, brother? Vaza cara, é muito triste falar isso, mas se tu quer destilar ódio, V A Z A.
Nós soropositivos já temos bastante fantasmas na vida, e mais um fantasma seria você, falando merda em um lugar onde todos buscam compartilhar boas experiencias. Tens 6 anos de HIV e o ódio que eu tinha quando descobri no primeiro,
Vai buscar Deus na tua vida

Luciano
Visitante
Luciano

Já falei pra pegar a regra sua ameba e não a exceção, 99% das pessoas sabem como pega e como não pega e o preconceito continua sendo regra. Acha que a informação vai curar o medo que as pessoas tem? HIV é uma doença transmissível, por isso existe, foi assim no tem de Cristo com a lepra, o mundo não vai mudar por você colega, você que tem que se adaptar pro mundo. Se as pessoas tem preconceito contra o HIV é sempre, não diga que tem, a vida infelizmente pra nós é essa, agora se assume, suposta uma soronegat… Ler mais »

Luciano
Visitante
Luciano

+SC vocês estão aqui buscando muleta, se iludir e eu não estou afim de iludir ninguém.

Pessoas que buscam o mais fácil na vida sempre acabam na lama, eu também sou soropositivo e nem por isso fico buscando ilusões, curas milagrosas, promessas de vida normal.

A verdade dói, sempre vai doer, ninguém gosta de ouvir a verdade principalmente quando ela é ruim, mas vale uma crítica verdadeira que um elogio falso, já diz o ditado.

Escute as ilusões que quiser amigo só tenha o bom senso e a maturidade de entender que elas não irão acontecer.

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Ignorar certas coisas é o melhor a se fazer. Vai por mim… hehehe

Allpiste
Membro
Allpiste

Tudo que esse Luciano fala, tudo, absolutamente tudo, é baseado unicamente no achismo dele. A ciência faz milhares de estudos, os médicos analisam, os laboratórios adotam técnicas e afirmam que os soropositivos, com os tratamentos atuais, tem a mesma expectativa de vida dos demais. O Luciano, com base no seu achismo, diz que não. E insiste, afirmando que isso reforça o seu realismo. Com base em quê ? No seu achismo do tipo ” a mídia não divulga”, “A televisão não mostra”…Sim, isso mesmo Luciano, não mostram, os médicos mentem, afinal, os alienígenas nos perseguem não é mesmo? Afinal, você… Ler mais »

Luciano
Visitante
Luciano

Alpiste e você acredita no que os outros dizem? Você tem que acreditar é no que você vê. Dos 4 soropositivos que vi até hoje só 1 tá vivo e tomava medicação certinha, só que a doença não se baseia só em subir o CD4 não, até um médico de postinho pode te dizer isso. Ela causa envelhecimento precoce sim, os remédios alteram as enzimas do fígado, o HIV altera o DNA, eu sou amigo de um ativista e ele mesmo relatou isso, também percebi porque não vou acreditar no que eu vejo mas vou acreditar no que os outros… Ler mais »

Allpiste
Membro
Allpiste

Ahhhhh agora eu entendi. Você estava na minha consulta para saber o que o Dr. Esper me falou não é mesmo? Bem que eu vi uma planta na sala! Fique com a sua versão da vida Luciano, eu fico com as palavras do Dr. Esper.

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Não espero nada de ninguém, compreensão de ninguém. Não quero saber o que os soronegativos pensam a respeito de mim, do risco…. Não espero nem que você venha comentar nas minhas respostas. Desculpe, vou ignorá-lo a partir de agora. Seja feliz do seu jeito, com o que você acredita.

Fui.

Luciano
Visitante
Luciano

O melhor que você tem a fazer é ignorar mesmo colega pois o preconceito vaí continuar com ou sem informação.

Use a cabeça.

Abraço!

Positivo Azul
Visitante
Positivo Azul

[spoiler title=” “] Como a sua desinformação é gritante.

Allpiste
Membro
Allpiste

Achismo

Allpiste
Membro
Allpiste

Achismo

Arthur
Membro
Arthur

Isso é tão interessante. Eu não tenho minha sorologia divulgada para muitas pessoas, porque não sou obrigado. Mas semana passada aconteceu uma coisa tão interessante. Eu vivo uma relação sorodiscordante há anos. Um amigo da minha esposa acabou por contrair o HIV. Ele ficou mal pra caramba. Eu disse pra ela convidá-lo pra ir lá em casa, e assim que ele chegou começou logo a chorar preocupado com o estado sorológico. A primeira coisa que fiz foi mostrar o meu primeiro exame com o resultado de reagente pra ele. Ele não sabia de mim, e a conversa foi completamente diferente.… Ler mais »

Henrique
Visitante
Curto
Visitante
Curto

Vai procurar ajuda psicológica luciano e para de encher o saco dos meninos e meninas do blog.

Bruninho
Visitante
Bruninho

Gente. Mudando de assunto. Preciso de ajuda de voces. Estou no meu primeiro emprego em um cal center ja tem 6 meses. E desde que comecei a trabalhar, a partir do 3 mes comecei a apresentar atestados. O primeiro foi um de 2 dias por arrancar um siso. O segundo foi um de 3 dias por amigdlite fortissima, depois fui trabalhar mas voltei pra casa por ter uma crise de panico, no outro mes fiquei mais 3 dias em casa por bacteria na garganta novamente. E esse mes mais 1 atestado de 3 dias por bacteria na garganta novamente. Eu… Ler mais »

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Eu não entendo nada dessas questões jurídicas, mas espero que alguém te dê uma luz 😀

Luciano
Visitante
Luciano

Seu organismo não deve estar respondendo ao tratamento.

Lucas Pizzon
Membro
Lucas Pizzon

Olá Bruninho. Então amigo.. A verdade é que não há benefício que o enquadre perante o INSS, se sua carga viral e seu quadro de saúde estiver bom. Digo bom, pq para ser afastado e ficar recebendo benefício o soropositivo tem que estar em estágio de aids (geralmente). Isso é levado em consideração, uma vez que hoje é perfeitamente que um soropositivo tenha uma vida normal como qualquer soronegativo, ou seja, saudável… [ser positivo não dá direito a receber benefício em virtude de uma gripe, por exemplo] Pq vc não tente algo, como mudar a direção do ar condicionado caso… Ler mais »

Sepher
Membro
Sepher

Alguém aqui já teve de trocar de TARV devido a reações hepatóxicas graves? E se trocou, para qual?

Há 3 meses atrás tive de interromper o tratamento com o DTG+2×1, depois de uma crise de fígado que me derrubou e dos nos meus exames de TGO/TGP virem 9/4x acima do VR e 22/8x acima da minha média de exames anteriores.

Devo voltar ao meu infecto no final do mês com os resultados dos exames pós-interrupção, que entretanto voltaram ao normal, mas estou hesitante de testar outra TARV, já que – supostamente – a que tomava é a menos tóxica.

Allpiste
Membro
Allpiste

Isto só é possível em alguns pacientes que tenham co-infecção, em geral hepatite c avançada. Ou, em casos de problemas hepáticos preexistentes ao uso do dtg. Você já fez esses exames?

Sepher
Membro
Sepher

Oi Allpiste.

Não segundo diversos estudos, não é só em caso de co-infecção de hepatite não. Em caso de sintomatologia hepática acompanhada de hepatoxicidade severa identificada nos exames de TGO/TGP também. Foi o meu caso. Todos os meus exames de hepatite vieram não reagente e os sintomas da crise hepática cessaram e os exames normalizaram após a interrupção do tratamento, o que indica que foi reação adversa à TARV. O único exame que me falta dos que foram solicitados é um ultra-som, para avaliar os danos. Vou fazer na sexta-feira.

Sepher
Membro
Sepher

“6. Therapeutic management   The three main considerations necessary for the management of transaminase elevation after the introduction of HAART are severity, clinical impact and etiologic mechanisms. Suspicion of hypersensitivity reactions or lactic acidosis, and the presence of liver decompensation, are all reasons to stop treatment [76]. Severe liver toxicity (grades 3-4), even in the absence of symptoms warrants discontinuation of the antiretroviral therapy.   In the remaining cases, decisions should be made on an individual basis. If liver steatosis is present, it is indicated to pursue the removal of predisposing factors. If the patient is taking an antiretroviral with… Ler mais »

Sepher
Membro
Sepher

Só uma nota: eu não tenho histórico médico de problemas hepáticos anteriores e só bebo álcool quando o rei faz anos – mesmo assim moderadamente – mas num ultra-som que fiz durante um check-up geral há um ano, quando descobri minha sorologia, foram identificados alguns danos no fígado. Na época minha infecto perguntou se já tinha tido alguma hepatite. Respondi que não (os exames confirmaram), mas que poderia ser resultado de uma hepatite medicamentosa, já que em 2011 fiquei internado 7 dias tomando vários antibióticos, por conta de uma infecção generalisada por uma apêndice que estorou. Marquei uma consulta com… Ler mais »

Allpiste
Membro
Allpiste

Ou seja: um possível “problema hepático preexistente ao uso do DTG”.
Desejo melhoras e que tudo corra bem para você. A verdade é que essa questão é sempre muito dependente particular de cada um. Não dá pra generalizar. É como o efeito colateral.
um abraço.

Luciano
Visitante
Luciano

É sério que vocês querem se convencer e convencer os outros que preconceito contra o soropositivo é exceção?

É sério mesmo?

O positivo sofrer preconceito é exceção e não a regra?

Depois que eu falo de ilusões ainda acham ruim.

Acordem pra vida!

Allpiste
Membro
Allpiste

A única pessoa que está dizendo isso, de todos os posts acima, é você. Ninguém escreveu isso. Apenas estão dizendo que iniciativas como a da oms ajudam a diminuir o estigma.

Luciano
Visitante
Luciano

Não minta allpiste, tenha hombridade. Estou falando acima que o preconceito continuará porque ele é regra e muita gente está me respondendo que muita gente o aceitou, que namora um soronegativo que aceitou numa boa, que não sofreu preconceito. Não vi ninguém dizendo que sofreu preconceito, que não sofrer preconceito é uma exceção, estão colocando que não sofrer preconceito é regra. Só iludindos os demais, isso que é feio, invés de falar a verdade fica mentindo. Tá igual o PVS que tem HIV e diz que não tem pra ter um argumento que na mente dele serve como resposta. Só… Ler mais »

Doug
Visitante
Doug

Luciano, vou tentar me explicar com seriedade e respeito pelo que você afirma. Acredito que todos não estão negando que preconceito exista. Ele existe, existiu e existirá para muitas coisas: desigualdade social, gênero, sexualidade e também para os soro diferentes. O mais importante aqui, analisando o que você escreve é que pelas SUAS EXPERIÊNCIAS PESSOAIS e do círculo que o rodeia, você percebe que todos os soropositivos sofrem preconceito. Você não concorda que sua experiência pode estar enviesada levando em consideração os seguintes pontos: 1) sua estratégia de compartilhar seu estado sorológico a uma pessoa pode não estar sendo feita… Ler mais »

Luciano
Visitante
Luciano

Errado de novo Doug! Aqui eu comento sobre diversos assuntos, desde cura a preconceito, nesse post foi sobre preconceito, nos demais sobre cura e testes e janela imunológica. ” Divulgar status sorológico ” Kkkkkkkkkkkkkk, é cada uma Já tenho 6 anos de sorologia, sei como devo me portar e quem tem que saber da minha sorologia já sabe, e as pessoas que sabem não cometem qualquer ato de preconceito comigo. Aqui eu apenas me dedico a falar somente a realidade nua e crua deixando de lado qualquer tipo de ilusão e extremismos que possa praticar o soropositivo. Apenas colaboro com… Ler mais »

Botini
Visitante
Botini

canseira desse caramarada

maxwell
Visitante
maxwell

Acho que vc deve ser um gay passivo, certo? Pq pelo meu conhecimento de relacionamentos sorodiscordantes a maior parte deles que se dá certo é quando o positivo é o ativo da relação. Isso vale para relações heterossexuais. Os homens heteros e gays ativos tem MUITO MAIS CHANCE de conseguir encontrar um parceiro que tenha a mente mais aberta e aceita se lançar numa relação discordante do que uma mulher hetero ou um gay passivo positivos.

Vida nova
Membro
Vida nova

ISSO e muito bom estamos sempre com medo de infectar outras pessoas e não pensamos em nos mesmos… peguei hiv numa relação solida de 10 anos já tinha feitos exames não deram nada porem ele nunca fez descobrimos quando ele estava em fase de aids quase morreu porem se recuperou ai que descobri os medicos me avisaram que ele já tinha há muito tempo e foi por sorte talvez que eu não tivesse pegado antes após a doença continuei com ele o perdoei fiquei mais 4 anos porem não deu certo mais…estou com hiv a 3 anos e 3 anos… Ler mais »

Luciano
Visitante
Luciano

Só falou o óbvio. Se cuida.

Um Abraço!

AnonimoFer
Membro
AnonimoFer

Se nós mesmos não criarmos uma expectativa de vida, vencendo as dores e as barreiras do dia a dia, que aparecerem, não é o outro que fará por nós… pense nisso… vc não é mais soropositovo ou menos por ser ou conhecer ativista e casas de apoio, todos sabemos o quanto eh dificil acordar e vir esse pensamento logo na primeira hora do dia… portanto, tente ao menos tente respeitar os outros que nao tiveram medo de compartilhar a sorologia com a parceira, como eu, e seguir em frente ….e também respeite da mesma forma , q nao tenho há… Ler mais »

zed
Visitante
zed

Olá. Com estes casos de sarampo no país, me parece que haverá vacinação no meu Estado. Gostaria de saber se quem tem HIV pode tomar, porque ouvi na tv que tem doenças que baixam a imunidade não deveria tomar. Obs. já tomei vacina de sarampo na infância. Abs.

Allpiste
Membro
Allpiste

Pessoal, as participações nesse blog já foram bem mais elevadas. Ninguém chamava o outro de “anta”, ou havia qualquer mal estar entre os participantes. Infelizmente, com a chegada de perfis falsos, com histórias muito esquisitas e inventadas de como se infectaram, os comentários estão muito ruins e os xingamentos denegrindo a excelente iniciativa do JS que, assim como eu, também tem filhos para cuidar e os teve após o HIV. Por isso, vou dar um tempo por aqui, com pesar, mas até que os perfis falsos saiam e a inteligência volte. Vou trabalhar e cuidar dos meus filhos. Deixo um… Ler mais »

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Obrigado pela parte que me toca hehe.
Tá um clima tenso mesmo e decidi não mais responder ou confrontar alguns participantes nos comentários pq estava me irritando demais. Sugiro que as pessoas façam o mesmo, mas cada um é cada um 🤷🏼‍♂️

Abraço para vc e veja que tem meu e-mail ali na minha foto. Qualquer coisa, me encontras fácil 👍🏻

Até logo mais.

+SC
Membro
+SC

Perfeito, Allpiste!
Gostaria de pedir desculpa aos leitores sério deste blog, pq eu realmente perdi a linha “debatendo” com o Luciano.
Não é da minha educação trabalhar daquela forma, mas ele realmente conseguiu tirar minha paciência nesses 2 últimos dias.
Abraço e espero que você volte logo!

PVS
Visitante
PVS

Realmente! Não só a sua paciência, mas tb a de alguns de nós. No fim, problema resolvido … thanks god!

Beto
Visitante
Beto

Allpi, na faca isso. Vc sempre colaborou com informaçoes bacanas, como disse nosso amigo “nao fique dando biscoito para o Luciano”, ok? Vamos focar no que interessa, na nossa vibraçao de alegria e vida, e nos esquecer de pessoas que so querem colaborar para deixar o mundo um lugar ruim. O JS ja excluiu esse cara do site, e reforço com ele a ideia de filtrar os comentarios desse tipo de gente, pois provavelmente ele vai inventar outro perfil fake e tentar continuar espalhando vibraçao negativa por ai. Infelizmente ha muitos como ele nao so aqui mas em toda noticia… Ler mais »

Gil
Visitante
Gil

Será que desta vez consigo comentar algo e saber como faço para ler os comentários? Ainda estou perdido, querendo voltar a discutir no site…

Carla
Membro

JS, não tem como você não aprovar os comentários do Luciano? essa pessoa só serve para distorcer todas as informações que você divulga aqui no site. Obrigada.

Allpiste
Membro
Allpiste

Pessoal, apenas para lembrar que, na próxima semana, em Amsterdã, teremos um dos eventos mais importantes do ano sobre hiv. Ressalto a importante apresentação do estudo Gemini, conduzido pela GSK que prova a possibilidade de fazermos dual therapy com dolutegravir e lamivudina, apenas. Medicamentos que já estão disponíveis no sus gratuitamente. Vamos torcer! Tirar o tenofovir é danoso aos ossos e rins já será demaaaaaisss!

Beto
Visitante
Beto

Allpi: é verdade que existe uma tendencia de simplificaçao do regime com 2 medicamentos apenas, mas uma certa cautela é preciso nesse ponto. Isso porque seria interessante haver estudos de longo prazo mostrando que a terapia dupla nao favorece o desenvolvimento de resistencia aos medicamentos, como ja demonstrado em alguns estudos com darunavir e lamivudina. A vantagem é que o DTL tem alta barreira genetica e é muito potente, mas acredito que as diretrizes brasileiras so seguirao essa recomendaçao de simplificaçao de regime depois de estudos mais a longo prazo sobre isso. Abraço!

Allpiste
Membro
Allpiste

Com certeza beto! Muita calma nessa hora, mas o estudo vem apresentar dados de 96 semanas….base de segurança exigida pelo Fda. Claro, também vou analisar com parcimônia, mas se for bem aceito esse no meio científico, essa hipótese deve baratear o custo para o mundo e reduzir a toxicidade. A longo prazo, acredito que pode fazer diferença, por conta do tenofovir fumarato, que já associou toxicidade hepática e renal, em alguns casos. Na minha opinião, é uma guerra de farmacêuticas que, no fim, pode nos ajudar. A Gilead acabou de aprovar na europa o bictegravir, baseado no tenofovir alafenamide. Há… Ler mais »

Fernandes
Membro
Fernandes

Será mostrado também aquele estudo da cura que faz o viria sair da latência ?

Feliz+
Membro
Feliz+

Parabéns pelas informações …muito bom estar por aqui , e sentir que podemos nos ajudar …

luquinha
Visitante
Gil
Visitante
Gil

Ufaaa… agora acho que consegui achar o setor de comentários do blog. E olha que sou antenado e domino informática (podem rir, dizer que oh, sim, dá pra ver…). Desde a mudança tentei entrar em contato e saber como comentar, pois fiz tantos amigos aqui.
Mas também quem lembra de mim sabe que estou muito, muito na correria do trabalho, viagens, cursos, palestras e nem sequer tive tempo de ficar fuçando e achar os comentários.
Perdi muita discussão boa e muita treta, creio.
Teve esse Luciano, meu G-zuiz, que imbecil!!
Jovem, TÔ na área de volta. Teu blog tá lindo, mas tá complicado.

Allpiste
Membro
Allpiste
Gil
Visitante
Gil

Ainda não tenho certeza se entrei… se alguém ler esta mensagem, dá um OLÁ no e-mail psicoglmr@gmail.com, por favor. É que escrevi e não encontro a minha mensagem escrita nos comentários. Me sinto preso em outra dimensão. Depois que o blog mudou, não consegui escrever mais nada, não achava onde comentar.

Mineiro
Visitante
Mineiro

Sou soropositivo e namoro a 1 ano e 4 meses, numa relação sorodiscordante. No ínício usávamos preservativo e após muita leitura, adesão ao tratatamento decidimos não usar mais. MInha infectologista foi contra e hj e sempre ele faz testes rápidos nas minhas consultas e sempre deu negativo. Vou levar essa reportagem pra médica!!! Abraços a todos!