Ministério da Saúde distribui 22,9 milhões de “3 em 1”

[dropcap]Q[/dropcap]uase 23 milhões de comprimidos do medicamento antirretroviral “3 em 1” chegaram ao Brasil e serão distribuídos pelo Ministério da Saúde até a próxima sexta-feira (23/03) aos 232 mil pacientes que estão em tratamento no país.

A carga de 90 toneladas vai abastecer os estoques de todos os estados e do Distrito Federal. Os estados de Acre, Amazonas, Alagoas, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Roraima, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Bahia, Pará, Paraná, Pernambuco e São Paulo receberão o medicamento a partir desta terça-feira (20/03). Os demais serão abastecidos até sexta-feira.

O “3 em 1” é composto pelos antirretrovirais Tenofovir (300mg), Lamivudina (300mg) e Efavirenz (600mg) e está em distribuição pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde junho de 2014. A carga de novos medicamentos será suficiente para atender cerca de quatro meses de consumo dos pacientes já em tratamento.

Os medicamentos foram adquiridos por meio de um termo de cooperação de R$ 24,6 milhões estabelecido entre o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Os comprimidos são importados da Índia, uma vez que não há produção desses medicamentos no Brasil.

“O montante recebido dará continuidade ao trabalho de tratamento às pessoas vivendo com HIV no país de forma gratuita”, afirmou a diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV), Adele Benzaken – acrescentando que “a carga atual é fruto de planejamento de compra realizado com pelo menos um ano de antecedência, para que tivéssemos condições de atender a toda demanda das pessoas que fazem uso do medicamento em todo o país”.

[dropcap]V[/dropcap]indo da Índia, O carregamento das 90 toneladas com os 22,9 milhões de comprimidos demandou um extenso processo de negociação. Foram necessários um voo charter – que leva a carga de uma outra companhia para um destino que fica fora de sua rota de operação regular – e de autorizações para escalas em dois países. Entre Bombaim (Índia) e Brasília, houve parada técnica em Riad (Arábia Saudita) e de recarga de combustível em Dakar (Catar). O voo em charter ocorreu para minimizar a possibilidade de avarias na carga, acomodada em caixas especiais para reduzir o risco de danos ao material transportado – como exposição à umidade, chuva e altas temperaturas. Além disso, a Opas realizou mais de uma licitação internacional para reduzir o risco de o Brasil ficar sem os medicamentos em tempo hábil.

Fonte: Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais em 19/03/2018

 

Anúncios

26
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
12 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
20 Comment authors
LeoMarcosLuizDanielJohn Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Inscrever-se  
Receber notificação
Bruno
Visitante
Bruno

Ministério da Saúde não fez mais que a obrigação.

Fábio+Soares
Visitante
Fábio+Soares

Cada frasco com o 3×1 sai em média de 26 reais para o governo. Isso talvez seja mais barato do quê investir em prevenção e na cura dessa doença. Além do mais quanto mais pessoas dependerem de medicamentos que possam salvar a sua vida, mais o governo terá essas pessoas em suas mãos. Por isso não se investe na cura dessa e de tantas outras doenças

EuPositivoSC
Membro
EuPositivoSC

Enquanto estiverem empenhados em resolver, tudo lindo… Espero que o próximo presidente seja ativo na área da saúde.

Anderson
Visitante
Anderson

Desculpe me pela ignorância, mas quem toma o 2×1 vai mudar p esse?

Positivo Azul
Visitante
Positivo Azul

@Anderson
Se estiver referindo ao “Efavirenz+Tenovir+Lamivudina”
Não, o “2×1” é uma combinação mais “recente”

Anderson
Visitante
Anderson

Positivo Azul, muito obrigado.

Uso o dolutegravir, por isso fiquei com dúvida.

Roger76
Visitante
Roger76

Lendo essa matéria fiquei um pouco apreensivo em relação a ser dependente do governo para receber os remédios e pensei por alguns instantes… se um dia faltar medicamentos? E bem complexo essa logística de distribuição que envolve planejamento, verba e ainda o Brasil depende da Ìndia para importar/comprar os remédios. Espero que o próximo governo tenha comprometimento e faça o mesmo e que venha em breve venha remédios injetáveis e por períodos mais longo.

Horus
Membro
Horus

Oi pessoal! Agora em Março de 2018 eu completei um ano que sou positivo. Passou tão rápido… Hoje foi dia de consulta médica e sai de lá muito feliz. O meu medico conversou cmgo sobre os “indetectaveis” . Que nos q estamos nessa condição há mais de seis meses não passamos o vírus. Sei q a maioria aqui sabe dessa informação mas ouvir do médico que se eu estiver em uma relação monogâmica o sexo pode ser sem camisinha sem medo nenhum de contaminar o parceiro e e tbm que n dependo mais da inseminação artificial para ter filhos foi… Ler mais »

FSP
Visitante
FSP

Penso da mesma forma, e hoje estou namorando, e pretendo me casar com minha esposa. Conversei com meu médico sobre filhos, e ele me falou a mesma coisa. Eu achava que a melhor forma era inseminação artificial, contudo ele me disse que posso ter filhos normalmente com meu histórico de tratamento.

Horus
Membro
Horus

Foi uma das melhores coisas que eu escutei! Pq apesar da gente saber das informações por aqui é mto importante essa opinião prossional e tbm achei incrível saber que eles já estão passando essas informações nos consultórios pq há pouco tempo atrás eles falavam tipo que tinha risco mínimo e hoje dizem q realmente n passa o vírus!!!

John
Visitante
John

Compartilho dessa mesma alegria que a sua Horus. Completei um ano de sorologia positiva. Quando minha médica falou que podia namorar meu parceiro (que também é soropositivo) sem ter o risco da gente de contaminar um ou outro fique muito feliz.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Após seis meses recebendo apenas um frasco para 30 dias, semana passada voltei a receber dois frascos, para 60 dias. Espero que assim continue, pois, além do inconveniente (mínimo) de ter de voltar todo mês à farmácia, que acabou ficando lotada nesse período, ainda tem o estresse causado pelo medo de o medicamento faltar.

Horus
Membro
Horus

Em um ano de tratamento nunca recebi para 60 dias, sempre foi para 30!
Queria dessa forma tbm 🙁

Seth RJ
Visitante
Seth RJ

E o dolutegravir, gente? Alguém sabe quando sai pra todos?

telma
Visitante
telma

3×1 é remedio antigo quero saber sobre os medicamentos de resgate porque toda hora estão faltando , Efavirenz nem é mais usado em varios países , se o raltegravir que é mais barato pelo preço que esta no conitec , ja está em falta imagina dolutegravir .A arrregadação de imposto no primeiro trimestre foi recorde , entao propagandas como está é so pra iludir eleitores em ano de eleição , cuidado com falso profetas FAÇO DAS PALAVRAS DO BRUNO AS MINHAS O MINISTERIO DA SAUDE NAO FAZ MAIS QUE SUA OBRIGAÇÃO ,CHEGA DE IMPOSTOS FINANCIAREM VIAGENS E MORDOMIAS PRA ESSES… Ler mais »

telma
Visitante
telma

TAF na argentina aqui tenofovir normal outros paises raltegravir hd 1200mg aqui duas vezes ao dia raltegravir 400mg o retrocesso no programa dst aids no brasil é visivel . Abraços a todos e todas e a luta continua

Wellington
Visitante
Wellington

TAF,eu preciso dessa vwrsão do tenofovir

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Uuuuufa! tava tenso…

Caio PE
Visitante
Caio PE

Ainda no 3×1 ? Deveriam mudar para o DTG. Esse 3×1 ninguém merece !

Bruno
Visitante
Bruno

A mudança pro DTG pra quem usa o 3×1 ainda não é permitida pelo SUS

Luiz
Visitante
Luiz

Eu consegui mudar, mas só foi possível porque ou eu parava com o 3X1 ou começava a tomar antidepressivos. Estava a mais de um ano com os mesmos sintomas do início do tratamento.

Leo
Visitante
Leo

Luiz, e agora com o DTG, seus sintomas de depressão sumiram? Você continua tomando antidepressivos?

Mark
Visitante
Mark

Ainda bem q me livrei desse veneno,, é horrível esse 3×1 ,, me deixava “bêbado” ao tomar, tinha pesadelos e acordava “pesado”.. Estou tomando dolutegravir pois na falta da minha médica a suplente me passou esse,, sem dúvida Muuuuuuito melhor, efeito colateral o (zero).
Mas o 3×1 me salvou pois tomei por 4 anos,,.
Tenho uma relação sorodiscordante e transamos sem camisinha a anos,,. Graças a essas drogas 🙂

Daniel
Visitante
Daniel

Como voce conseguiu mudar do 3×1 para o Dulotegravir? Aqui em Belo Horizonte eu estou penando pra mudar, mas o sistema nao autoriza.

Fábio+Soares
Visitante
Fábio+Soares

Tem que trocar o efavirenz pelo atazanavir e se vc nao se sentir bem com este, vc troca pelo darunavir. Se mesmo assim vc não conseguir se adequar com essa medicação daí vc pede o Dolutegravir.
O que importa mesmo é se sentir bem com a medicação e principalmente ter um bom médico que te entenda. Pois a maioria só quer ferrar com a gnt. Acham que somos promíscuos e que por isso devemos “sofrer ” com os efeitos colaterais da medicacao.

Também uso o Dolutegravir. Me sinto ótimo

Marcos
Visitante
Marcos

A três meses eu recebo só um frasco aqui em Goiânia, isso nunca aconteceu comigo, sempre recebia 2 até 3. Espero que nessa semana eu receba pelo menos 2, é muito desgastante pra mim ter que me deslocar no meio da semana pra pegar a medicação sem atrapalhar meu trabalho. Se fosse liberada também a venda pelo valor de custo dele eu até acharia mais prático comprar numa farmácia e garantir meu tratamento.