Notícias
Comentários 48

O primeiro tratamento com dois antirretrovirais

Ontem, 21 de novembro de 2017, a Food and Drug Administration (FDA) americana aprovou o primeiro regime de tratamento completo com apenas dois antirretrovirais, em vez dos três ou mais medicamentos que costumam por padrão compor as terapias para quem vive com HIV. Esse novo tratamento é composto por Dolutegravir e Rilpivirina, vendido nos Estados Unidos num único comprimido de dose fixa com nome comercial Juluca, produzido pela ViiV Healthcare e pela Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson. Esse novo medicamento poderá ser usado por pessoas que vivem com HIV-1 e que já têm carga viral indetectável em seu regime estável há pelo menos seis meses, sem histórico de falhas no tratamento e sem problemas associados à resistência viral com os componentes do Juluca.

“Limitar o número de medicamentos em qualquer regime de tratamento do HIV pode ajudar a reduzir a toxicidade para os pacientes”, disse a Dra. Debra Birnkrant, diretora da Divisão de Produtos Antivirais no Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA. Menos antirretrovirais significa menos toxicidade, pelo menos na teoria. Pesquisas futuras devem indicar se o regime de dois antirretrovirais realmente confere uma vantagem de segurança a longo prazo em relação aos regimes atuais que incluem três ou mais antirretrovirais, em particular no que diz respeito à saúde dos ossos e dos rins.

A segurança e a eficácia do Juluca em adultos foram avaliadas em dois estudos clínicos, Sword 1 e 2, divulgados em fevereiro de 2017 durante a Conference on Retroviruses and Opportunistic Infections (CROI), em Seattle. Esses estudos incluíram 1.024 participantes cujo vírus já estava suprimido por seus atuais medicamentos contra o HIV. Os participantes foram então aleatoriamente designados para continuar com seu tratamento atual contra o HIV ou para mudar para o Juluca. Os resultados mostraram que o novo medicamento foi eficaz em manter o vírus suprimido. Nesses estudos, os efeitos colaterais mais comuns entre aqueles que tomaram Juluca foram diarreia e dor de cabeça, cada um deles relatado por 2% dos participantes.

 

Anúncios

48 comentários

  1. SAR diz

    Excelente notícia! Espero que, muito em breve, tenhamos acesso a essa nova combinação. No meu caso, deixar de tomar duas drogas, certamente, teria seus benefícios a longo prazo. Enquanto não há a cura é bom saber que, cada vez mais, há a preocupação na pesquisa de formulações mais modernas e eficientes na supressão viral.

    • Cristiano diz

      Não vejo a hora John, embora eu seja gay eu tinha planejado em ser pai com uma amiga minha que quer uma produção independente,porém meus planos foram por água abaixo depois que descobri em Janeiro de 2016, mas se a cura vier há uma esperança

      • Emílio diz

        Que coincidência. Eu tbem ia ser pai com uma amiga e descobri em março de 2015. Fui infectado 5 meses antes. Tbem aguardo a cura para realizar o sonho de ser pai…..

  2. Gil diz

    Cristiano, a exemplo do CEO (digamos assim) da página, o JS, você pode sim, “fazer” um filho com sua amiga em produção independente, sem risco de contaminação a ela ou ao feto, se estiver indetectável há mais de 6 meses e tomando os antiretrovirais direitinho, sabia?
    Não desista de seus sonhos, pois não e o HIV que lhe impedirá de ser feliz, de ser pai, de nada.
    Pesquise sobre o que te afirmo, creio até que você sabe, então não se deixe abater.

    • Cristiano diz

      Obrigado Gil, vou procurar me informar mais a respeito do assunto !!! Mas confesso que embora seja indetectável,me bate um pouco de “receio,ou medo” de transmitir algo pra alguém mesmo sem querer,é muita responsabilidade e jamais me perdoaria. Mas obrigado pelo comentário eu irei pesquisar… Grande abraço !

  3. Gil diz

    OLHA SÓ… JULUCA, BEM VINDO.
    Nome de mascote. Tomara que o Brasil adote esta terapia. E vou ver se, mesmo com estes dois comprimidos em separado, eu mude meu esquema. Embora eu esteja 100% adaptado, HÁ CHANCES (não quer dizer que vá ocorrer) de danos ao fígado, rins e ossos com longo tempo de uso. Se tiver como mudar, eu vou.
    Atualmente uso o atazanavir + ritonavir + Lamivudina com tenofovir.
    Não tive reações, mas como há pequeno risco, e na terapia JULUCA há menos chance e não tem atazanavir, vou tentar.
    Logo estaremos com a injeção de 60 dias e com a cura chegando nos próximos anos.
    SAÚDE SEMPRE!!!! Abraço, pessoal!

    • Paulo Roberto diz

      Vi esta notícia e corri para comentar aqui, Jeff, mas você chegou na minha frente.
      Será que alguém pode verificar a veracidade dessa boa nova?
      Eu às vezes fico desanimado com a falta de notícias sobre a cura do HIV, mas lendo notícias assim, o desânimo vai embora e vejo a esperança renascer.

    • Renatttinho diz

      Jeff
      Olá tudo bem então eu moro no EUA e é sim verdade ..
      Eu tive consulta hj com minha infecto e ela me propôs este medicamento mas como eu estou gripado a alguns dias por conta de uma viajem que fiz e acabei recusando ..
      Alias o tratamento aqui é bem avançado o 3 x 1 q tomo é diferente dos que tem no BR.
      Bom mais por fim é verdade mesmo e com relação a vacina aqui vamos dizer que causou bastante alvoroço porem o CDC parou de comentar sobre a vacina ..
      Bom fica com DEUS
      Abraços
      Renattinho

  4. Henrique diz

    Pessoal, recebi o meu exame de contagem do vírus e o resultado deu menos de 40 cópias. Isso quer dizer que estou indetectável? Pensei que viria apenas a palavra indetectável.

    • SAR diz

      Henrique,

      Sim, o resultado mostra que você está indetectável! Parabéns!

  5. Solangedoenças diz

    Sou positiva desde 1990 ,cada um é um uns emagressem outros ganham peso uns dormem como anjo outros tem insônia uns confiante outros com medo enfim não se preucupem tanto deixem essa ansiedade de lado e vivam o melhor que puder sorriam e bebam muita água problemas clínicos procure seus médicos eles vão orientar da melhor forma possível a vida não vale um vírus somos trem bala um dia vamos partir aproveitem cante brinca vivam e pense que temos o tempo de Deus bjs

  6. Solangedoenças diz

    Tenham fé e mantenham a esperança dias melhores virão sorriam sempre bjs

  7. Chloe diz

    Ele não serve para quem teve resistência viral ou para quem teve falha de tratamento ?

    Quando você é virgem de medicamento, que eu saiba não se cria resistência(Dolutegravir por exemplo). Agora precisa fazer as combinações certa para não adquirir a resistência. No início da Pandemia o virus criava resistência em 7 semanas com as medicações usadas de forma errada.

  8. Rômulo diz

    Há um bom tempo atrás o Luiz Carlos falou que até o final de 2018 teria o atual DTG + o 2×1 em 1 comprimido, então creio eu que só após isso que este Juluca irá entrar nas nossas vidas…

  9. Daniel diz

    Andei pensando na evolução do tratamento. Antigamente se tratava com vários comprimidos, hoje com 3 em 1. E agora com 2 comprimidos em apenas 1 comprimido. Não vejo uma evolução maior no campo do hiv se não a cura da infecção. E vocês? O que acham?

  10. Caio PE diz

    Nome bem suave para um comprimido tão importante. Mas… Quabdo chegará ao Brasil ?

  11. Positividade Sempre diz

    Fico feliz com os avanços. Fiz 02 anos de diagnóstico. Estou malhando, com o corpo melhor que antes da descoberta. Sem efeitos colaterais dos medicamentos (3×1), mas fico encafifado com o trecho “em particular no que diz respeito à saúde dos ossos e dos rins”, realmente impossível não pensar em uma bomba relógio que a a longo prazo explode em um problema renal ou ósseo, ou não, essa dúvida é que me deixa intrigado…

  12. TriploX diz

    Faça como seu nick, amigo, “Positividade sempre”. O tempo das coisas a Deus pertence. Viva e tente viver da melhor forma. Sempre torcendo q as coisas melhorem p/ nós. De resto não devemos ficar encucados.
    Abraços e boa sorte!

  13. Rayo de Fé diz

    Por falar em medicamentos…Há um bom tempo tento criar coragem para compartilhar com vocês algo que me inquieta todos os dias.
    Uma pessoa muito importante para mim descobriu em meados de março deste ano ser portadora do HIV. Foi desesperador, não sabíamos nada a respeito, somente sobre aqueles casos dos famosos (Cazuza, Renato Russo, Freddie Mercury,…) que faleceram tão jovens e sobre um primo distante que morreu aos 50 e poucos anos em janeiro ou fevereiro.
    Pois bem, fomos ao hospital geral e lá uma enfermeira informou que era preciso uma consulta para que fosse prescrevido o medicamento que seriam na verdade dois para então ter acesso ao tratamento. Chegando na médica (que não era do hospital, mas sim do plano de saúde), ela prescreveu um único comprimido (no caso, o 3 em 1). Quando questionei do porquê de ser apenas um, ela foi bem curta e disse que era o protocolo e que todos iniciavam com o 3 em 1 e questionou quem era a médica se era ela ou quem nos atendeu no hospital geral (em tom irônico e grosseiro). Ficamos com o pé atrás, mas resolvemos confiar. Não tínhamos conhecimento de nada sobre esse tipo de medicamento, estávamos buscando que o tratamento fosse logo iniciado, visto que a pessoa já apresentava herpes zoster. No entanto, depois que o tratamento foi iniciado e os nervos se acalmaram, através do Jovem Soropositivo e de outras fontes, tomei conhecimento de que a médica deixou de passar o que há de melhor atualmente que é o dolutegravir para passar o 3 em 1 e o motivo aparente é o desconhecimento do novo medicamento, ignorância. Sinto muita indignação, me sinto incapaz, não sei o que fazer. Ver a pessoa sentir efeitos colaterais me machuca imensamente. Gostaria muito que essa pessoa pudesse tomar o dolutegravir que era um direito por estar iniciando o tratamento este ano. Há algo que eu possa fazer para que ela tenha acesso ao dolutegravir?

    • Sp+- diz

      Rayo de Fé,
      Quais efeitos colaterais está tendo?
      Faz quanto tempo que esta tomando o 3×1?

    • paraensepositivo diz

      Diga para a pessoa marcar uma outra consulta e relatar que não tem condições de continuar com o 3×1 pois está tendo efeitos terríveis, invente efeitos, tais como insônia, alucinações, pensamentos suicidas etc… Te garanto que funciona e logo eles substituem o 3×1 por outro, quem sabe até pelo “lutegravir”. Eu tomei esse 3×1 por cinco meses, depois falei que estava sentindo isso, e estava mesmo, e então me receitaram outra medicação- Atazanavir, ritonavir e o 2×1 a qual uso até hoje sem efeitos indesejáveis.

  14. Jonas diz

    Aqui no DF fui pegar o 3×1 e mudou a embalagem do produto, certamente o fabricante e o tamanho do comprimido diminuiu bastante. Alguém percebeu isso?

  15. AnonimoFer diz

    Pessoal, no inicio do mês recebi os exames de cd4 em 700 e CV indetectavel, porém agora recebi o de Vitaminas C e D, ambos baixissimos. A Vitamina C abaixo do limitrofe.. 2,1…

    Estou com dores de garganta e as inguas que tratei 10 dias internados em Setembro, voltaram essa semana, não quero perder mais dias de trabalho por isto… como previnir essas inflamações crônicas q nunca tive antes..

  16. SAR diz

    AnonimoFer,

    Quanto aos baixos índices de vitaminas C e D, o melhor será conversar com o seu infectologista sobre a melhor forma de reposição. Não aconselho você se automedicar. Agora sabendo que estás indetectável e mesmo assim, surgiu ínguas é preciso verificar o motivo, certamente, não é por conta do HIV, uma vez que, está suprimido. O surgimento de ínguas é um sinal de que seu corpo está reagindo a algum agente infeccioso. Pode ser pela própria infecção na garganta, ou até mesmo, uma outra infecção ativa. É interessante levar esses sintomas ao conhecimento do seu infectologista e verificar a causa.

    Abraço.

  17. Bruno F diz

    Olá,irei iniciar o tratamento HIV na próxima semana. Desde minha infância tenho dificuldade para engolir comprimidos e sempre mastigo, apesar do gosto ruim da maioria, não tenho dificuldades quanto a isso. Gostaria de saber se mastigar antirretrovirais pode influenciar no resultado do tratamento ou se a forma de ingestão não influencia.

    • Luis Gustavo diz

      Bruno F,nao pode mastigar os comprimidos,a propria bula do remédio fala isso,faça um esforço e tente engolir os comprimidos inteiros mesmo,eu coloco no meio da lingua e tomo com uma golada grande de agua,ae desce sem problemas.

  18. AnonimoFer diz

    Valeu SAR muito obrigado pelo retorno, estive no PS ontem e o médico disse q pode ser uma nova infecção respiratória…

    O que mais me preocupa é a proximidade dos casos.. o ultrassom acusou que os linfonodos aumentados novamente..

    Agora preciso esperar meu infecto pra ver o que dirá.

    Abraços.

  19. Bruno Salvador diz

    Corrigindo: meu tratamento são com apenas 2 comprimidos e não 2 em 1 como pus acima.

    • Jonah diz

      Bruno, não faça isso. Aliás, pessoal, atenção com algumas coisas que podem atrapalhar a absorção dos medicamentos. Por exemplo, tomá-los com leite, com Coca-Cola, além de ervas e outras coisas que podem causar interação medicamentosa.

      Perguntem ao seus médicos o que evitar. Não basta só seguir a TARV em dia, mas também tomar esses cuidados essenciais.

  20. Karol diz

    Eu particularmente não me preocupo com problemas a longo prazo, vivo o hoje ,conheço tantas pessoas que não tem hiv morrem do nada , não vou me deixar abater por causa de um vírus ou viver em função dele , aprendi a viver intensamente , quando me imagino daqui a 20 ou 30 anos me imagino curada eu sei que a cura está próxima eu creio nisso!

  21. LucasPE diz

    Amados, alguém sabe se há algum estudo em andamento no Brasil com a duo-terapia DOLUTEGRAVIR+LAMIVUDINA. Soube de alguns estudos promissores no exterior com esta formulação, que mantêm carga virar indetectavel com ausência dos efeitos colaterais do EFAVIRENZ. Abraço!

  22. LucasPE diz

    Amados, alguém sabe se há algum estudo em andamento no Brasil com a duo-terapia DOLUTEGRAVIR+LAMIVUDINA. Soube de alguns estudos promissores no exterior com esta formulação, que mantêm carga Viral indetectavel com ausência dos efeitos colaterais do TENOFOVIR . Abraço!
    ( comentário de correção ao anterior)

  23. Fabricio diz

    Feliz por saber que o tratamento evolui, agora, quando teremos o Dolutegravir como opção de tratamento universal aos que já estão no TARV há algum tempo? Quero muito deixar o efsvirenz e experimentar um tratamento dito mais moderno. Alguém saberia?

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s