Notícias
Comentários 67

Ministério da Saúde se pronuncia sobre a falta de antirretrovirais


O Ministério da Saúde adquire e distribui regularmente, para mais de 500 mil pessoas, 37 apresentações de medicamentos antirretrovirais que compõem o tratamento e a prevenção do HIV/aids. O orçamento destinado a manter os estoques é assegurado por lei. Atualmente, 87 insumos estratégicos são gerenciados pelo Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV).

No decorrer do mês de julho, ocorreram algumas restrições na cadeia logística de cinco dos 37 medicamentos distribuídos no país. Mesmo assim, os envios asseguraram o abastecimento nos estados por até trinta dias. Nesse contexto, o DIAHV enviou, de forma transparente e periódica, aos coordenadores estaduais e aos responsáveis pela logística dos antirretrovirais lista com a data de chegada dos cinco medicamentos. Sendo eles: Zidovudina solução oral; Zidovudina 300mg + Lamivudina 150mg; Ritonavir solução oral; Tenofovir 300mg + Lamivudina 300mg + Efavirenz 600mg (3 em 1); Abacavir solução oral. A equipe do DIAHV trabalhou arduamente em parceria com outras áreas do Ministério da Saúde e coordenações estaduais e municipais, e não poupou esforços, para assegurar o abastecimento e a regularização desses medicamentos.

O Ministério da Saúde receberá 12,1 milhões de comprimidos antirretrovirais na composição “três em um” (Efavirenz + Tenofovir + Lamivudina), com previsão de entrega aos estados até 15 de agosto. Esse quantitativo, somado às 6,7 milhões de unidades do medicamento já distribuídas no mês de julho, completará o estoque para três meses, retomando assim o fluxo de distribuição. Nesse sentido, o DIAHV busca sanar e evitar quaisquer restrições relacionadas ao abastecimento ou suprimento dos medicamentos no país.

Já foi finalizada também pelo Ministério da Saúde a aquisição de uma nova compra de exames de carga viral para o HIV. O volume total do primeiro lote está previsto para chegar até o final da primeira quinzena de agosto e deve ser distribuído a todos os laboratórios até dia 18/08. O quantitativo vai atender a demanda nos estados. Até final do mês de agosto será recebida a segunda remessa, que, somada à primeira, completará quatro meses de abastecimento, normalizando assim o fluxo de distribuição. Por uma medida preventiva, o DIAHV emitiu nota em maio deste ano solicitando aos estados que priorizassem as gestantes e os recém-nascidos. Os testes de carga viral são realizados a cada seis meses em pessoas vivendo com o HIV, para monitorar a infecção. Em 2016, já foram realizados mais de 550 mil exames em todo o país.


Fonte: Assessoria de Comunicação do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Anúncios
Este post foi publicado em: Notícias
Etiquetado como:

por

Jovem paulistano nascido em 1984, que descobriu ser portador do HIV em outubro de 2010. É colaborador do HuffPost Brasil e autor do blog Diário de um Jovem Soropositivo.

67 comentários

  1. Ney diz

    Precisamos ficar vigilantes. Medicamentos e ações preventivas são fundamentais no combate ao HIV. Não vamos baixa a guarda para que o indectavel continue indectavel e intransmissível. Vamos a luta amigos. Valeu pela postagem.

  2. Tiago diz

    Nos últimos anos o governo Brasileiro tem sido exemplo para o mundo no combate à epidemia. Cair dessa posição para se colocar noutra inversa, de um país em risco de se tornar uma mega-incubadora de um super-HIV, por conta de interrupções de abastecimento, seria lamentável e trágico, não só para o Brasil mas para o mundo inteiro.

    Que bom que o MS se pronunciou.
    Agora é torcer para o abastecimento normalizar logo.

    • Caio PE diz

      A questão não é somente “torcer”: é ficar cobrando, no pé, denunciando se necessário: ONGs, IMPRENSA (RÁDIO E TV), MPF, SECRETARIAS DA SAÚDE etc.

      • Tiago diz

        Grande Caio,

        Cobrar é importante, mas melhor ainda é saber dosar a cobrança.

        A meu ver, o MS já se pronunciou e respondeu aos nossos questionamentos e cobranças. Agora, também acho que devemos dar o tempo que as medidas necessitam para ter efeito. Minha opinião apenas…

        Enquanto isso, sejamos mais vigilantes e menos chatos. Não me parece sensato antagonizarmos o governo, fora que precisamos de paz também. Não só de ARVs depende a nossa saúde. E se o MS faltar à palavra, cá estaremos para cobrar de novo.

        Abraços guerreiro.

  3. ruan diz

    tem que ficar vigilantes isso nunca pode faltar pra quem precisa ha estados que estavam dando somente 2 vidros do remedio, para 60 dias sendo que o normal seria p 90 dias.Temos que ficar sempre vigilantes e cobrar dessa cambada de políticos recursos nos orçamentos para tal.

    • Carlão diz

      Ruan aqui na cidade onde faço a consulta ganhava no maximo pra dois meses agora quando não falta mal dá pra um mês

  4. Bruno diz

    Gente é possível a contaminar com hiv através de peido? Eu to falando sério. Uma senhora sentou perto de mim no ônibus, peidou e eu inalei o gás. Um mês depois fiz o teste e deu positivo. Eu ja fiz sexo sem camisinha mas com pessoas que me garantiram não ter hiv. Então so posso ter sido contaminado através do flato daquela mulher. Qual é a opinião de vocês a respeito? meu infecto disse que nunca ouviu falar desse tipo de infecção.

    • Tiago diz

      Minha opinião, que talvez não lhe agrade mas que você pediu, é que você poderia crescer e se fazer homem (humano, sabe?), ao invés de vir aqui desperdiçar seu tempo de vida e fazer papel de troll imaturo e imbecil.

      Duvidando que seja soropositivo, desejo – sinceramente – que nunca tenha que engolir as suas próprias besteiras com um diagnóstico positivo – seu ou de alguém muito amado -, seja por um deslize, uma falha na camisinha, uma transfusão ou contato com sangue ou instrumentos médicos contaminados…

      Se cuide!

    • paraensepositivo diz

      Bruno,você está infectado com a mais pura ignorância, fala sério rapaz. Eu até entendo por que essa senhora peidou do teu lado, foi pra afastar tanta asneira de perto dela.

    • Gil diz

      Caro Bruno,
      Se você pensar bem, a sua gracinha mostra muito sobre seu caráter. Sobre a necessidade de aparecer, de mobilizar pessoas. E isso é pior que o HIV, pois prejudica as pessoas, com ignorância projetada, mostra o tipo de caráter ruim e de certa perturbação psíquica. Sua mãe deve ter vergonha de ter te parido.

    • Emilio diz

      Qual foi a garantia q as pessoas q vc transou sem camisinha lhe deu? Bem, até um.exame negativo não é garantia tendo em vista a janela imunológica. Agora uma coisa é certo: esse peito foi diabólico, pois seu cérebro virou cocô tamanha a potência desse pedido.

      • Luquinha diz

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk vou ri ate 2050 com essa foto tudo haver , Bruno você deve ter cagado no pau isso sim .

      • paraensepositivo diz

        Já pensou ?, os vírus agarrados nas moléculas do flato querendo entrar nas narinas do Bruno. Outra solução seria colocar um filtro no fiofó pra evitar que o HIV saia voando por aí 😭😂🤔

  5. Riquinho Rico diz

    Temer ,filha da puta, não fisestes questão de estar no poder, bicho corrupto, então pelo menos cuida da saúde caralho ….ASQUEROSO DE MERDA!!!!!

  6. Guilherme diz

    Espero que não seja discurso retórico!!!! Ficarei tranquilo, quando a farmaceutica onde faço a dispensação falar que está regularizado. Porém, vamos torcer que essa realidade retorne em nossas vidas e façamr valer nossos direitos!!!! Sempre Alertas!!! Abraços a todos!!!

  7. Lecinho diz

    Bom saber que eles se pronunciaram, não só na questão dos antirretrovirais, mais no exame de carga viral, que também é essencial. O Bom Dia Brasil hoje fez uma ótima matéria sobre o assunto. Só que o que vai chegar pra suprir os estados como o meu(PE) que está sem estoque, será só pra gravidas.A 16 dias comecei a medicação e nunca fiz o exame e agora entendo porque…Mais a duvida é, se só será pra gravidas, quando chegará estoque para os que farão pela primeira vez, e os que já a anos fazem esse controle essencial?É preocupante…

  8. Serginho... diz

    Alguém sabe se existe algum projeto de troca do 3×1 pelo dolutegravir?? Trocar 600 mg do efv por 50 de dgt seria bem mais inocivo para o organismo.. abraço a todos…

    • Luiz Carlos diz

      Existe sim. Está sendo um trabalho de farmacovigilância em todas as UDMs do país para avaliar as respostas e efeitos colaterais do DTG. Sobre a troca, aqui entra um pouco da minha especulação:

      Levando em conta que a adesão ao DTG demorou a ocorrer um pouco mais do que o planejado, creio que devemos ter a orientação de mudança para o DTG para as pessoas que tem contraindicação ao 3×1 e algum efeito adverso à TARV atual a partir do início de 2018. Lá por meados~final de 2018 imagino que passe a existir a recomendação de troca direta para contraindicação ao 3×1.

      Abraços

  9. LEandro diz

    lecinho, uma dica engravida se kkk assim vc ja faz o exame “brincadeira…” TOMA CERTINHO O REMEDIO que nem precisa de exame quase … tenho a 3 anos fiz 3 de carga só e 1 de cd4…
    abraço…
    SERGINHO pensei mesma coisa… e ate comentei com minha medica ontem ahahha
    falei assim: se o tres em um esta em falta imagina o dolutegravir… ai ela falou… esse tem de monte pq quase ninguem ainda usa … tem de estoque…
    e comentou que a ordem era fracionar ao maximo o 3 em 1 ate normalizar… peguei pra 30 dias só ontem… antes pegava pra 90 dias…
    “preocupado pois pretendo faer intercambio” e queria levar uns 6 meses mas acho que vai ser impossivel.

    • Tiago diz

      Leandro, vou fazer papel de assistência ao Luiz Carlos mais uma vez rs, replicando um comentário recente dele que lembrei, com instruções sobre tratamentos e intercâmbios…

      Segue abaixo.
      Abraços

      “Minhas sugestões (e, inclusive, o que eu fiz quando fui estudar no exterior) são as seguintes:

      1) Construa um estoque do seu ARV atual. Você pode retirar seus ARVs sempre 5 dias antes de fechar 30 dias (algumas farmácias permitem até 7 dias antes). Faça retiradas mensais retirando sempre 5 dias antes que, até setembro, você terá pelo menos 15 dias extras de ARV, se você já não tem um estoque.

      2) Consulte com seu infecto antes da viagem, fale sobre o intercâmbio – aqui o importante é ter uma relação boa com o infecto, bem como estar consultando com um bom profissional – e solicite que ele deixe o formulário de dispensa para o tempo que você irá ficar fora, se possível alguns formulários reserva também. Peça também que ele faça uma receita branca em Inglês listando os ARVs que você utiliza, informando que a medicação é para uso pessoal. Não é necessário listar o motivo da utilização dos medicamentos (e.g. não é necessário listar que os medicamentos são para tratamento do HIV ou listar o CID 10).

      3) Contate uma pessoa de confiança que possa retirar os ARVs para você. Dependendo da cidade, alguém do próprio grupo do Kik pode lhe ajudar. Se for uma pessoa soronegativa, peça que ela lhe acompanhe até a farmácia e mostre como você pega os medicamentos, indique a ela quando retirar, lembre-a da importância deste tratamento para você, etc. É importante deixar avisado na farmácia que esta pessoa irá fazer a retirada dos ARVs para você enquanto você estiver fora.

      4) Deixe um documento de identificação (e.g. segunda via da CNH ou do RG – não pode ser xerox) com a pessoa que fará a retirada dos ARVs. Deixe também os formulários de dispensa e a receita branca do seu médico (procure deixar pelo menos umas 20 cópias da receita branca – você já irá entender o porquê).

      5) Escolha um serviço de correios confiável (como a UPS ou DHL) para que a pessoa no Brasil envie as medicações para você.

      Aqui entra uma dica: se a pessoa retirar os medicamentos para, por exemplo, 3 meses, é importante que ela envie cada um dos meses em remessas separadas (e espaçadas por pelo menos alguns dias, já que normalmente estas empresas agrupam remessas em voos mais espaçados para regiões mais distantes). Desta forma, caso uma das remessas se perca, você perde a medicação para um mês, não para três, e pode compensá-la com seu estoque feito anteriormente.

      IMPORTANTE: Cada remessa deve conter os medicamentos e a cópia da receita branca em inglês.
      O custo do envio não costuma ser tão barato, cerca de USD 80 para os EUA, mas é muito mais barato do que comprar os ARVs nos EUA, além de que o esquema utilizado lá não é o mesmo do Brasil (a maioria dos ARVs comerciais utiliza o abacavir no lugar do tenofovir).

      Outras considerações:

      – Algumas regiões tem farmácias mais rígidas, portanto é importante consultar como funciona a retirada dos medicamentos por terceiros, documentos necessários, etc.

      – Fique atento também à data do exame de CV, já que algumas farmácias não liberam o medicamento caso a data no campo do formulário exceda 6 meses. Converse com seu infecto e discuta como vocês podem resolver esta situação.

      – Como já mencionei, a relação com o infecto é fundamental, bem como ter um bom infecto, que possa lhe auxiliar neste processo.

      Caso você encontre algum seguro que cubra as medicações e prefira retirá-las lá, mesmo que o custo seja mais elevado, vá em frente, só certifique-se de que seu infecto está sabendo, justamente pela troca da medicação. Alguns testes, como a genotipagem do alelo HLA-B*5701 para verificar a hipersensibilidade ao abacavir podem ser feitos aqui mesmo no Brasil, já eliminando possíveis problemas futuros.

      Este é um guia meio generalizado mas foi o caminho que eu segui. Caso alguém queira adicionar informações e dicas, fiquem à vontade 🙂

      Abraços!”

  10. Renato diz

    Pessoal, a UNAIDS, através do seu assessor de Mobilização Social e Trabalho em Rede, Cleiton Euzébio de Lima, me reiterou que qualquer reclamação e informação sobre problemas na entrega/falta/distribuição dos medicamentos podem ser feitas ou solicitadas através do e-mail logistica@aids.gov.br.

    Segundo o MS, a situação deve normalizar a partir da semana que vem. Mas fiquemos atentos e vigilantes! O processo deve demorar uns dias em virtude de remessas, armazenamento, transporte e logísticas de cada Estado.

    Forte abraço!

  11. nuvemcarioca diz

    Pessoal, tenho acompanhado o site, o que tem me ajudado a apoiar uma amiga que descobriu tardiamente ter o HIV. Ela creditava o emagrecimento e outros sinais às dietas loucas que fazia e quando descobriu o que realmente tinha por trás daquilo, seu CD4 estava em 10!
    Agora ela está em tratamento há 4 meses, muito debilitada mas com melhoras em algumas coisas, mas o CD4 não aumentou nem 10 pontos, apesar da carga viral ter zerado. Ele demora muito pra subir assim? Como é?
    Tento dar força e apoiar e, apesar de saber que as doenças são assim, uns superam outros não, por ela achar que a chance dela é zero, quer desistir e eu não sei o que fazer pra incentivar. Ela não quer contar para a família, então somente um número reduzido de pessoas sabe e eu gostaria de ajudar.
    Agradeço o espaço maravilhoso de vocês e admiro a luta de todos.

    • Luiz Carlos diz

      Nuvemcarioca,

      A recuperação do CD4, especialmente em pessoas já muito imunodeprimidas, é difícil de ser monitorada, porque qualquer comparação com os linfócitos totais já gera valores muito fora da curva. Passar de CD4 de 10 para 20, para quem está nessa situação, já é como dobrar a imunidade. Infelizmente esta recuperação depende muito de cada pessoa.

      O importante é que ela já sabe do diagnóstico, já está em tratamento e, na ocorrência de qualquer infecção oportunista, os médicos já têm uma visão muito melhor de como proceder em combatê-la. Continue dando forças a ela, e espero que ela tenha uma recuperação boa ao longo do tempo.

      Abraços!

      • nuvemcarioca diz

        Obrigada, Luiz Carlos! Estou fazendo o possível para incentiva-la a esta luta. Agradeço por alguém responder.

  12. Everton diz

    Aqui onde moro no RS,parece que normalizou,só que o 3×1,trocaram o laboratório fornecedor,com antigo laboratório não tinha reações adversas,espero que com essa troca,não tenha.

  13. Bruno diz

    não foi nem uma gracinha, o que é óbvio para você pode ser dúvida para mim. Eu realmente estou com essa dúvida. Visto que o flato é um gás e como qualquer gás pode adrentar a corrente sanguínea após inalado…Dai surgiu Minh dúvida. Eu tenho uma criança em casa e não durmo com medo e peidar perto dela, ela respirar e se contaminar, eu so dormirei tranquilo quando estiver indetectavel.

    • Rodrigo29 diz

      Bruno o HIV é transmitido apenas pelo sangue ou sêmem, nemhuma outra forma, muito menos por gás.

    • Yan diz

      O flato é um conjunto de gases, mas não carrega vírus. E não é cocaína para você cheirar sozinho cada átomo de pó! Aliás, quem cheira muito pó fica assim, “paranoico” com as mais loucas teorias. Um flato entraria só no seu nariz, imbecil?
      Sendo assim, haveria milhões de contaminados a mais. E mesmo que você tivesse um nariz maior que o Rogério Ceni, cheirar tudo de um futum sozinho é uma proeza muito escrota, algo entre a burrice suprema e a perturbação mental.
      Vá comer um feijão com repolho, nabo com batata-doce, dois litros de baré cola e se tranca no quarto! Faça um favor à humanidade, Asno, asfixie-se!

    • Everton diz

      Se peido transmitise hiv,todo dia haveria milhões de infecções,dentro dos trens,dos ônibus,ou tu tá de brincadeira ou tu tá fora da casinha.

    • Pronto Falei diz

      Bruno, se você realmente se infectou, foi justamente porque você é imbecil e saiu dando pra todo mundo sem camisinha.

      • Tiago diz

        Infelizmente, este tipo de pensamento e comentário também só ajuda a aumentar o preconceito que soropositividade = promiscuidade. Não precisa sair dando para todo o mundo sem camisinha.
        Basta uma vez, fora que existem outras formas de transmissão, inclusive a vertical (de pai/mãe para filhos).

        • Pronto Falei diz

          Peço desculpas pelo comentário, gente. É que não me contive de ver esse tal Bruno zombando da nossa cara sem ninguém dizer nada.

    • Tiago diz

      Bruno, já deu cara…

      Faça um favor a si e ao mundo… Já que veio até aqui, fique por perto e leia algumas histórias, se informe sobre o vírus, converse com seus amigos sobre o assunto e se proteja, porque a bruxa está solta, anda pela sombra da noite e bate à porta até de quem acha que se protege.

      E se amanhã – batendo na madeira (bati mesmo, viu?) – tiver o azar de contrair ou de algum amigo seu contrair – como no caso contado pela nuvemcarioca -, pelo menos estará melhor preparado para lidar com a situação e cá estaremos para ajudar a aliviar medos e dúvidas.

  14. Jdd diz

    Pessoal
    Faço uso do 3×1 há mais de um ano, sofro com insônia, desânimo, confusões mentais etc. Penso em mudar de medicamento… tomo o 3×1 religiosamente às 22 horas, penso em mudar o horário de ingestao do medicamento para mais cedo, umas 20 horas para (para ver se consigo dormir ). Ainda não falei com meu infecto sobre isso, mas gostaria de saber a opinião de vocês. Se alguém passou por isso e o que fez. Agradeço pela atenção! Meu e-mail: lara.leal@yahoo.com.br

  15. Mana diz

    Queridos amigos, ou melhor, anjos!

    Quero agradecer a todos que frequentam esse website é o JS que me fortaleceu nessa minha jornada. Após alguns anos vivendo com o vírus HIV acredito que chegou o momento de partir. Foi uma decisão muito pensada e maturada no decorrer de vários meses mas chegou o momento. Estou desistindo do tratamento e não mais retornarei, não aguento mais os efeitos colaterais e todo o estigma ( preconceito ) que sofremos no nosso dia a dia. Não consigo comer o que quero ou beber como antes ou fumar, enfim, cancei!
    Tentei verificar uma clínica na Suica que me recebesse mas nenhuma autorizaram minha ida e nem reconheceram a gravidade do problema. Minha família não sabe e nem quero que eles participem disso então peguei minhas férias acumuladas e sairei do país! Não quero tristezas ou choros estou fazendo isso de uma forma muito serena e convicta de que será o melhor para mim! Mas uma vez obrigado a todos!

    • Luiz Carlos diz

      Mana,

      Para tudo na vida existe uma alternativa, uma saída, uma outra opção. São nos momentos ruins que temos que aprender a nos fortalecermos, para olharmos para trás dia após dia aproveitando os momentos bons. Sempre digo aos meus amigos: que infeliz seria a vida se tivéssemos apenas dias felizes, pois não saberíamos o que é tristeza, logo não seríamos felizes. Um não vive sem o outro.

      Sobre os efeitos colaterais dos seus ARVs, não tem problema, podemos trocar os ARVs. Se seu infecto não quer mudá-los, não tem problema, podemos mudar de infecto. Sobre comer, beber e fumar, vamos mudar os ARVs para que você possa voltar a fazer o que quer. Para tudo há uma opção, sempre existe uma saída e ela é mais fácil do que parece.

      Viver com HIV é difícil, mas muitas vezes o estigma e o preconceito mora mais na nossa cabeça do que ele realmente aparece. Sabemos que ele existe, e não podemos deixar de combatê-lo, mas também não podemos deixar que ele nos consuma.

      Vamos trabalhar nisso, podemos trabalhar juntos, procurar outras alternativas e fazer com que isto seja só mais um dia ruim, para olharmos pra trás lá na frente e podermos refletir.

      Peço apenas que você converse com alguém, alguém desconhecido, que com certeza vai lhe escutar sem nenhum estigma ou preconceito. Pode até ser que esse alguém seja eu, nunca se sabe. Acesse o site http://www.cvv.org.br/ ou ligue 141, converse por chat, e-mail, Skype ou telefone, como preferir.

      Conte conosco por aqui 🙂

      Abraços!

    • paraensepositivo diz

      Essa é uma decisão muito pessoal mas eu, no teu lugar, ia fazer as coisas que me dessem prazer,no teu caso: fumar,beber, comer o que gosta mas não pode etc, etc, etc. Afinal se é pra morrer vamos morrer satisfeitos…

    • Tiago diz

      Mana,

      Depressão é coisa séria. Mexe com os nossos sentimentos e pensamentos, reforçando na mente os piores cenários e jogando sombra nas oportunidades que a vida nos coloca. Mexe com o nosso físico, com os níveis e a qualidade de energia do nosso corpo. A intensa turbulência mental e emocional associada à depressão usa energia, num ciclo extremamente vicioso que pode levar à exaustão mental e física. A própria depressão gera motivos para nos sentirmos cada vez mais deprimidos e exaustos e não atinge apenas a cabeça, mas o corpo inteiro, porque nos suga de energia. Quem nunca passou por algo assim e chegou no fundo do poço, nunca entenderá realmente.

      Ninguém aqui sabe das suas dificuldades para poder julgar a sua depressão ou decisão, mas quem já tenha passado por uma depressão profunda e dela tenha recuperado, sabe bem que boa parte dessas dificuldades que sentimos são sem dúvida reais – porque realmente as sentimos – mas num grau bastante ampliado pelo nosso estado mental depressivo.

      Num estágio mais avançado de uma depressão profunda, até os esforços mentais e físicos mais rotineiros equivalem a levantar um pequeno peso estando completamente exausto. Porque realmente estamos mentalmente e energeticamente exaustos e assim ficaremos enquanto não conseguirmos quebrar o ciclo vicioso. Por isso dormimos tanto. Por isso sentimos que não tem outro jeito. E por isso é importante buscar ajuda quando chegamos nesse ponto e não ver isso como uma derrota. Pelo contrário, esse pode ser o momento em que viramos a chave.

      Como alguém que já esteve onde hoje você se encontra – mais fundo até – o que posso lhe dizer é que do fundo do poço só tem uma direção; para cima. E com a casca que pode criar de tanta cicatriz, acredite que virá melhor preparada. Mas tem que escolher viver, cuidar de si e mudar hábitos, um passo de cada vez, e se permitir fazer um pouco de tudo o que realmente sente falta, com moderação. Soluções existem, salvo raras exceções.

      Sobre o estigma, o Luiz falou algo que acredito fazer muito sentido. Muitas vezes, os estigmas e preconceitos que sentimos escondem-se também na nossa própria cabeça, ainda que de forma passiva. Piadinhas e comentários perjorativos como até aqui lemos machucam tanto mais quanto o estigma reside em nós mesmos e tanto menos quanto percebemos que a ignorância e covardia em que se baseiam é – de verdade – um tipo de vírus mental infinitamente mais perigoso e destruidor que o HIV… Porque inclusive ajuda a propagar preconceitos que ajudam à transmissão do HIV e agravo da epidemia… E ainda passa de boca para ouvido pelo ar. Muito pior que flatulência.

      Busque ajuda. Abra o seu coração, identifique os desafios, busque soluções e ouse mudar o que tiver que mudar. Quem sabe amanhã estará olhando para este momento, como o momento em que você deu a virada que necessitava dar, para viver a vida de uma forma bem mais próxima ao que sempre desejou.

      Força.

    • Rômulo diz

      1 – Vc pode mudar sua medicação pra amenizar/eliminar os efeitos colaterais, converse com seu infecto.

      2 – Vc se tratou até agora, vai jogar todo este tempo/sacrificio fora desta forma ?! Deixou de ter seus prazeres em vão ?!

      3 – Vc realmente se importa com a opinião alheia ? Se bobear vc é uma pessoa melhor do que as outras pessoas…

      4 – Seus parentes sentirão sua falta, eles não sabem da sua condição, como acha que ficarão ?!

      5 – Tem gente que queria ter uma oportunidade de continuar vivendo como vc e morreu pois ainda não existiam TARVs que segurassem durante décadas… pense nisso !

      Acho legal vc expor isso pois entendo que queria apenas desabafar… mas tbm mostra que vc procura ajuda e não esta “serena e convicta”, da uma chance p/ pessoas que querem te ajudar, segue as dicas do Luiz Carlos, neste estagio que esta, acho que não custa nada.

  16. Mai diz

    Acordei com a notícia: “Temer corta verba para tratamento do HIV e pacientes não conseguem mais fazer exames pelo SUS “😡The Mônio!

    • Tiago diz

      Onde Mai? Busquei e não encontrei nada recente sobre cortes no tratamento de HIV…

    • Rômulo diz

      Até onde sei o problema eram os testes p/ HIV… os kits de teste estavam em falta e talz…

    • Lecinho diz

      Deve ser os exames de carga viral, que realmente o estoque está faltando em alguns estados, vai chegar, mais nao suficiente para todos que tem o virus e está em tratamento, só para gravidas. É um dos meus dilemas e preocupações pois assim nunca saberei tão cedo como está o virus no meu sangue 😦

  17. Luciano diz

    Mana. Beijo vai com Deus. Quer morrer não precisa anunciar. Ok Querida. Mas tomara que a morte venha rápido porque quando seu cd4 cair pela falta de tratamento pode ser que voce fique apenas cega, por causa de uma toxoplasmose. Quando a fumar e comer besteira nem você nem um soronegativo pode. Ok?! A vida é pra quem aguenta o tranco. O mundo é lugar para gente que tem gratidão, coisa que voce não tem. Meu pai morreu em 1992 quando eu era uma criança pq não teve oportunidade de tratamento. Eu o vi definhar, secar, pesar 30 quilos e lutar para viver. Agora du ingratidão com o tratamento atual (1 comprimido ao dia dependendo do tratamento) me da nojo. Muita gente se deixou a dormir noites e noites, de comer e de fumar para trazer para você o tratamento avançado que temos hoje. Bjos e boa sorte em seu suicídio. Covarde.

  18. Luciano diz

    Mana. Beijo vai com Deus. Quer morrer não precisa anunciar. Ok Querida. Mas tomara que a morte venha rápido porque quando seu cd4 cair pela falta de tratamento pode ser que voce fique apenas cega, por causa de uma toxoplasmose. Quanto a fumar e comer besteira nem você nem um soronegativo pode. Ok?! A vida é pra quem aguenta o tranco. O mundo é lugar para gente que tem gratidão, coisa que voce não tem. Meu pai morreu em 1992 quando eu era uma criança pq não teve oportunidade de tratamento. Eu o vi definhar, secar, pesar 30 quilos, perder a visão, ficar surdo, com 29 anos e ainda assim lutar para viver. Agora tua ingratidão com o tratamento atual (1 comprimido ao dia dependendo do tratamento) me da nojo. Muita gente deixou de dormir noites e noites, de comer e de fumar para trazer para você o tratamento avançado que temos hoje. Bjos e boa sorte em seu suicídio. Covarde. (corrigindo erros do corretor)

  19. Gente, sou profissional da Saúde, dentista, e tenho medo de que minha condição me impossibilite de exercer minha profissão que é minha grande paixão, existe alguma coisa a respeito disso? Desde já obrigado!

    • Luiz Carlos diz

      O sigilo da sua sorologia é um direito seu. Como profissional da área da saúde, espero que você tenha aprendido durante seu curso a previnir o contato direto com sangue e outros fluídos das pessoas que você atende, justamente para evitar exposição a qualquer infecção transmitida por estes meios.

      Me desculpe mas ou você não estudou direito durante a faculdade ou sua pergunta não faz nenhum sentido.

  20. Rodrigo diz

    Pessoal, bom dia. Venho acompanhando sempre o blog que me ajudou muito na minha caminhada. Sou diagnosticado há 2 anos e meios em tratamento pelo mesmo período com o 3×1. Hoje fui à farmácia onde retiro a medicação e fui informado que estava em falta. Sempre retirei de dois em dois meses e essa é a primeira situação de não ter remédio que enfrento. Estou indetectável há 1 ano e meio CD4 nas alturas mas tenho medicação para apenas mais 4 dias. Algum
    Problema de tomar dia sim/dia não?

  21. Tiago diz

    Oi Rodrigo,

    Creio que o melhor cenário agora seria garantir alguns dias a mais de medicação, pelo menos… Alguém uma vez aqui sugeriu entrar em contato com ONGs locais a ver se conseguem ajudar, pelo menos com mais alguns dias, caso a distribuição não normalize a tempo. Outra opção seria encontrar alguém que tenha um estoque bom e esteja disposto a dispensar, talvez no kik ou em algum grupo de apoio no face. Pelo comunicado, a situação deverá normalizar no dia 18, o que seria daqui a 3 dias. Então, vale ficar de olho na farmácia e até sondar se têm previsão de chegada, mencionando até o comunicado do Ministério da Saúde. De qualquer forma, creio que seria bom ter um plano B que cubra pelos menos alguns dias e evitar mexer no tratamento.

    Creio, no entanto, dada a situação crítica do seu estoque, que cabe e vale o envio de uma mensagem ao seu Ministério Público Estadual relatando o sucedido e solicitando a intervenção do MP para a fiscalização e normalização da distribuição dentro do prazo comunicado pelo Ministério da Saúde. Fique de olho na farmácia e avise aqui até dia 18 se não normalizar, pois aí será caso de fazer denúncia, mas esperemos não chegar nisso.

    Talvez seja bom também dizer aqui em que cidade fica, quem sabe alguém aqui pode ajudar com mais informações onde buscar ajuda.

    Boa sorte! Abraços

    • Rodrigo diz

      Oi Tiago! Primeiramente obrigado por me dar alguns inputs que poderiam ajudar nesse período crítico. Hoje fui a farmácia e o estoque parece ter se normalizado. Consegui retirar as duas dispensações como de praxe, apesar da pessoa responsável mencionar que tem sido uma medicação que de fato está bem dificil de reposição. Pelo visto, vou ter que buscar uma forma de criar um estoque reserva, para caso ocorra uma situação como essas, ou quem sabe, ajudar a quem se encontrar no mesmo problema.

      Abraços,

      • Tiago diz

        Ah, legal Rodrigo! Que alívio…
        Então, a forma mais falada de criar estoque, envolveria pedir ao infecto receitas de 30 dias – se não estou em erro – e pegar a cada 25, mas tem de verificar com a farmácia se pode pegar antes e quantos dias antes pode pegar. Pegará mais vezes ao ano, mas dependendo de quantos dias antes puder pegar, dá para construir um estoque bom. Em 6 meses, cria um estoque para um mês inteiro.

      • Tiago diz

        p.s. Essa conta de criar em 6 meses um estoque para um mês foi baseada em poder pegar 5 dias antes.

  22. micheli diz

    alguem soro positivo pra conversar estou mt triste .. zap 3197888254

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s