Notícias
Comentários 172

Supercomputador revela como o HIV se move dentro do corpo

Um pequeno vislumbre de como o HIV viaja através do corpo foi simulado pela primeira vez em supercomputadores dos Estados Unidos. Depois de dois anos trabalhando, os supercomputadores da Universidade de Illinois conseguiram modelar o comportamento de 64 milhões de átomos do HIV e, enfim, capturar 1,2 microssegundos da vida de um capsídeo do vírus — uma pequena gaiola de proteína que transporta o HIV para dentro do núcleo de uma célula humana.

A simulação foi realizada no supercomputador Titan, do Departamento de Energia, enquanto a análise dos dados foi feita pelo supercomputador Blue Waters, no National Center for Supercomputing Applications. Este método de estudo de grandes sistemas biológicos com simulações de dinâmica molecular, chamado de “microscopia computacional”, foi desenvolvido e liderado por Juan Perilla e pelo falecido Klaus Schulten.

A simulação com o HIV revelou várias características do capsídeo, com diferentes partes da proteína que oscilam em diferentes frequências. Segundo Perilla, é provável que o capsídeo compartilhe informações com seus semelhantes, ajudando-os a navegar pelo seu ambiente. O estudo também descobriu que íons fluem dentro e fora dos poros do capsídeo e se mantêm em diferentes polos: negativo, no interior, e positivo, no exterior — isso é o que mantém a estrutura do capsídeo unida.

Estes segredos da estrutura da capsídeo podem ajudar a expor as suas vulnerabilidades. Por isso, os pesquisadores acreditam que a simulação ajudará os cientistas a descobrir uma maneira de quebrar essa estrutura do HIV, fazendo-a explodir antes que possa infectar uma célula humana e, assim, levando à cura. A pesquisa foi publicada na Nature Communications.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

172 comentários

  1. Ney diz

    Todo arsenal tecnológico voltado contra este desagradável e minúsculo ser que tanto nos faz mal. Mas a cada momento penso que estamos perto de elimina ló de uma vez. Obrigado pela postagem. É preciso conhecer o inimigo para depois aniquila-lo. RSS na fé que vamos

  2. Maycon diz

    JS saiu a estátistica das mortes por AIDS no mundo!o índice caiu pela metade (lembrando que só metade dos portadores tem acesso ao tratamento). Alegria pra quem ainda tem dúvida do potencial do tratamento.

    • JuniorRN diz

      Maicon, a estatística revela que enquanto as infecções pelo HIV diminuíram no mundo no Brasil elas aumentaram. Os políticos brasileiros estão mais preocupados consigo mesmos e não com a saúde da população. Temos mais propagandas eleitorais do que campanhas de prevenção.

      • Caio PE diz

        Aumenta no Brasil devido a vários fatores: falta de informação de muita gente, embora exista internet pra isso (pois se depender de TV e rádio, ali só passam propagandas e programas fúteis, basta ver as novelas nojentas da Globo). Mas existe muita gente que não tem informação, pelo fato de serem ignorantes (ignorantes no sentido de falta de instrução mesmo). Já outras, sabem da existência do vírus, sabe da PEP, sabe da camisinha, sabe da PrEP, mas mesmo assim se expõem. Minha opinião.

  3. Rafael diz

    Acabei de receber o exame confirmatório reagente. Não sei definir o que estou sentindo no momento, além de culpa e solidão. Apesar disso, este blog tem sido um alento desde que soube q teria q repetir os exames. Espero conseguir êxito.

    • João diz

      Se acalme! Parece clichê mas VAI PASSAR! Força…coragem…nao deixe se abater. Leia muito…leia as postagens aqui…os comments…leia textos edificantes… cuide de vc!

    • Tiago diz

      É duro Rafael, mas força… Agora, mais do que nunca, não nos podemos dar ao luxo de ficarmos abatidos. Os primeiros dias para mim foram os mais difíceis, entre um turbilhão de pensamentos e outro de emoções, me distraí devorando informação sobre o assunto, enquanto aguardava a poeira baixar. 15 dias depois, ainda estou a varrer e contar os pedaços… :/

      Força… E liberte-se dessa culpa. Você não cometeu nenhum crime, apenas não se preveniu o suficiente por não estar ciente da dimensão do perigo, sendo que esta é uma epidemia silenciosa, que se mascara durante muito tempo em pessoas aparentemente saudáveis e que ataca num ponto fraco.

      Abraços

      • Rafael diz

        Já estou me sentindo melhor do que ontem. Minha suspeita é de que fui contaminado há, no mínimo, 2 anos. Ou seja, que bom q o diagnóstico veio. Tenho recebido apoio do médico que pediu o exame, e já me deu uma lista de infectologistas, falando sobre cada um dos que ele conhece. Um ser humano maravilhoso. O exame do meu namorado, deu negativo, apesar de transarmos todo esse tempo sem camisinha. Mas vai refazer os exames mais algumas vezes nos próximos meses. Ele tem me apoiado bastante, hj até me levou a um centro budista para meditação. Amanhã vou marcar o infecto. Sem contar q tenho a sorte de ter um emprego público e um bom plano de saúde. Só fui ao médico pra usar o plano, e olha o que descobri! Enfim, tô me restabelecendo rápido e acredito q me tornarei um ser humano melhor c essa condição! Obrigado pela mensagem!

    • Adriano diz

      Rafael, descobri tem pouco mais de um mês e desde então tenho me informado aqui no blog. Como você, sofri muito, me senti muito mal, perdido e sozinho. Vai achar comentários meus nas últimas publicações bem triste. Hoje, essa dor forte passou. Comecei o tratamento e sempre venho por aqui para ler as postagens e os comentários dos amigos, as informações que me dão sempre me acalmam e eu consigo me sentir melhor com minha nova condição. Sempre que me sinto triste, lembro de vir aqui! Rsrs Força, coragem, se informe sempre (em sites de confiança) e se cuide.
      Um abraço

      • Rafael diz

        Obrigado pelas palavras, Adriano! Hj já estou bem melhor q ontem!

        • Tiago diz

          Já eu, hoje fiz a terceira coleta para o exame confirmatório. Já saíram até os resultados do meu CD4 (545/33,8%) e CV (27.600), mas ainda precisa uma 3a coleta para confirmar a 2a coleta de confirmação da 1a coleta do exame confirmatório… suspiro

          Próxima segunda tenho a segunda consulta com o infecto, espero poder iniciar logo o tratamento… Assustadora essa falta de medicamentos um pouco por todo o país, mais ainda num momento em que se fala de alta de resistência do HIV aos ARVs.

    • Altemir da Fontoura diz

      Cara. Sou um dos sobreviventes, do período pré AZT, (Não cozinho, na primeira fervura, risos!)estou super bem e continuo a usar ARVs básicos. Hoje a coisa mudou muito, não é mais tão duro viver sob essa condição. Não é por isso, que vais sair contando sobre o teu diagnóstico para o mundo, calma! O segredo é não abrir o jogo, como ninguém, procurar um bom infectologista e viver com qualidade. Somos iguais e passamos despercebidos.
      Sempre lembrando, que o fato de não se proteger, vai fazer outras pessoas sofrerem, além do risco de contrais cerpas mais resistentes ou outras doenças, que podem, ai sim, complicar a situação.
      Carrego comigo uma verdade: Nunca contaminei ninguém! Também não me contaminei com outras doenças ou serpas resistentes aos antiretrovirais!
      Viva em paz, pratique algum esporte e a vida será normal. Novidades, chegam todos os anos. Hoje, quem mantem carga viral indetectável e toma a “cápsula mágica”, corretamente,. tem a possibilidade de ter filhos e muito mais…
      Grande abraço!!

  4. Arthur diz

    JS por favor posta a matéria de hoje do Dayli Mail traduzida. Se entendi bem, me parece que num estudo em que injetaram o vírus em vacas, elas passaram a produzir anticorpos de longa duração e é possível estrair um desses anticorpos para criar uma vacina que neutraliza o vírus nos seres humanos infectados. Fiquei bastante empolgado.

  5. Tiago diz

    Falo por mim, por falta de consciência do grau de risco sobretudo. Saber da existência do vírus não chegou, infelizmente, e olhe que eu tive contato próximo (há anos cheguei a me relacionar com um soropositivo), mas com o passar do tempo e sem contato direto o vírus e seu mundo foi ficando cada vez mais distante, como ouvir falar de Ébola lá na África… #SQN

    PEP e PrEP já tinha ouvido falar, mas apenas muito vagamente. Na correria do dia-a-dia, nem pensei em me informar… Um ou outro deslize aconteceu e, na minha ignorância, acabei me iludindo das minhas chances e do risco em que me coloquei a cada vez. De repente um check-up e o diagnóstico, mergulho de cabeça neste mundo e me deparo, estes dias, com uma estimativa de que entre homens que fazem sexo com outros homens a taxa de infecção pode chegar a 10%, um valor bem mais alto do eu alguma vez imaginei, o equivalente a dizer que, a cada 10 pessoas, 1 é portadora do vírus. Não, não é lá na África. É no bairro, do lado de casa e – agora – dentro de casa…

    Pessoalmente, o choque dessa súbita tomada de consciência foi tão grande que me já por várias vezes senti vontade de falar do meu diagnóstico para alguns amigos, como um alerta de que a situação está bem mais preta do que muitos de nós imaginamos…

      • Tiago diz

        É uma história que se deve se repetir bastante, interiorsp.

        p.s. o meu comentário acima era em resposta ao Caio, foi no feed principal por erro.

    • Decano diz

      Nossa, Tiago, me senti exatamente assim. Já passei dos trinta (fui exposto a filmes, novelas, jornais, revistas, TV), numa época em que não existia Internet e o alarde em torno da aids (nem se falava tanto em HIV) era monumental.

      Minha primeira relação foi somente aos 21 anos…

      Sempre tive informação e acesso aos métodos de prevenção (nunca tive pena de comprar camisinha; pois infelizmente, tem gente que tem disso; economiza na camisinha mas não no cigarro, na cerveja; e tem preguiça de ir ao PS pegar as camisas do SUS), e simplesmente não sei o que aconteceu comigo. Desconfio que foi em uma relação casual, mesmo protegidinho, aconteceu. E sempre usei conforme as cartilhas…

      Espero ter paciência para ver uma melhora. A mídia ainda nos atormenta, mas também nos dá esperança. Quem ousaria falar em cura há 5, 10 anos… Dia desses li uma entrevista com um pesquisador no qual ele disse que não acreditaria em uma cura no ano passado, mas que nesse ano já apostava que uma cura estava por vir.

      Boa sorte para todos nós.

      • Tiago diz

        É Decano… No meu caso eu realmente vacilei umas poucas vezes nos últimos 2 anos. Conto com uma mão as vezes que transei sem camisinha nesse período, mas – como se diz – basta uma vez…

        Isso fora um encontro casual durante o qual até hoje suspeito o outro ter tirado a camisinha antes do final… Na época, achei que poderia ser neura minha, sei lá… Não me passava pela cabeça alguém o fazer. Pior que esta semana saiu o resultado dos meus exames CV e, pelo que li e pelas minhas contas, existe uma chance da infecção ter acontecido no período desse encontro.

        Enfim, desde o primeiro dia decidi que não buscaria culpados nem ficaria remoendo o passado. Assumo a responsabilidade e que, por mais natural que seja o desejo de sabermos “como aconteceu”, fato é que dificilmente alguma vez saberemos com certeza. E no meu caso, talvez seja melhor não saber mesmo.

        Quanto a cura, confesso-me cético, sem ser pessimista, embora a diversidade de pesquisas e resultados recentes seja beeeem animadora.

        Boa sorte para todos nós mesmo.
        Abraços

        • Altemir diz

          Mesmo que não aconteça a cura, temos ainda o tratamento convencional, que tem ótimos resultados e deve ser acompanhado do mesmo tipo de prevenção de antes. Não contaminar e não se contaminado por outras doenças! O tratamento com ArVs é mais simples do que o tratamento para diabetes, colesterol alto e asma.

        • Decano diz

          Ei cara,

          As coisas vão melhorar.

          Quando descobri há seis anos, nunca achei que fossem passar seis anos, só nesse período muito muito mudou, tanto no tratamento quanto na prevenção…

          Nesses seis anos fiz tanta coisa que você nem imagina…

          Se você consegue passar um mês passa dois, passa um ano, passa um tempão…

          Também sou cético em relação a cura, mas hoje em dias as coisas estão mudando com uma velocidade muito rápida (é tudo, não só o hiv). Compare com a realidade dos anos 80 e 90…Em pouquíssimo tempo mudou-se muito. Q olha que 20, 30 anos não são nada se for levada em conta a dificuldade do HIV.

          Muitas pessoas dos anos 80 estão vivas até hoje e muito bem.

          Outros que tomavam dezenas de medicamentos por dia (40, 50) nos anos 90, hoje tomam bem menos…

          Conheço até alguns de demoraram 10, 15 anos para iniciar a TARV.

          A vacina de antirretrovirais já tá na esquina.

          Dá para driblar os efeitos colaterais…

          Boa semana para ti e para todos…

  6. Rodrigues diz

    Cabe a todos nós propagarmos essas informações. Sou soronegativo e meu namorado é positivo. Sou profissional de saúde e achava que sabia sobre HIV até me deparar com essa situação. Tive que me informar e descobri que não sabia de nada. Toda informação é bem vinda para impedir novas infecções e diminuir o preconceito com os positivos. Falo por mim, quando descobri a sorologia do meu namorado (que já está em tratamento há dois anos) me vi sem chão, não sabia o que fazer, o que pensar. Graças a esse blog me tranquilizei, obtive informações sobre estar indetectável e sobre as inúmeras vantagens do tratamento, sobre PrEP ( que desejo aderir assim que disponível no SUS) e sobre mais assuntos. Informações que deveriam ser difundidas pela grande mídia e que, com certeza, iriam ajudar a diminuir o número de novas infecções.
    Gostaria que me falassem como vocês lidam com relacionamentos sorodiscordantes, tenho medo de sufocar meu namorado com esse assunto. Não quero fazer parecer que o HIV tem um espaço entre nós, porque de fato não tem.

    • Francis diz

      Nossa entrei a pouco aqui pra ver uma reportagem. Passo pela msm situação, q meu marido é soropositivo e eu não. As vezes tenho esse medo.

    • Life diz

      Vivo essa situação, sou + e minha esposa – / gostaria de conversar sobre com quem estiver interessado.

    • SP+- diz

      Rodrigues,
      Sou soro- num relacionamento sorodiscordante, descobri a sorologia dele com quase 3 anos de relacionamento sem proteção, e cheguei ao blog pelo mesmo motivo que vc, a busca por informações.

      No nosso caso eu sou a única pessoa que sabe da sorologia então eu entendo que cabe a mim ser o porto seguro dele, não pq foi estabelecido, mas por respeito, carinho e amor.

      Sobre sufocar, eu enxergo que dá mesma forma q eu cheguei aqui, vc e outros, fazemos em busca de informação, para entender melhor, acabar com qq preconceito e pra poder cuidar melhor deles, aconselhar e nos manter informado sobre as novidades quanto a tratamentos etc. Então tudo que descubro ou qq assunto relacionado eu converso com ele, que parece estar bem em poder abordar o assunto.

      Também questiono resultados de exames etc pra saber se as taxas alterando mesmo que dentro da normalidade simplesmente por preocupação, pq não mudamos em nada nossos hábitos após a Tarv e ele está indetectavel, tomamos suplementos, as vezes abusamos da bebida ao sair, sendo 100% sincero até 1 comprimido de ecstasy 1 ou 2 vezes no ano, essas coisas que jovens fazem e quero poder medir o quanto isso impacta nos resultados de fígado, rins etc pra poder desencanar de vez….

      Quando li a palavra indetectaveis pela primeira vez, eu que me considerava uma pessoa bem informada sobre hiv, achei que eram aqueles portadores da doença que não são reconhecidos por não terem sinais físicos da doença, veja o tamanho do absurdo *rs

      Sobre a PrEP, mesmo ele estando indetectavel e já tendo entendido que não transmite, queremos fazer uso justamente pelos motivos da matéria anterior, sobre os rebotes. Após quase 3 anos de relacionamento sério está sendo mto complicado lidar com a camisinha de repente…. Acho que a PrEP chega num momento oportuno aonde divide a responsabilidade da prevenção entre os 2.

      Então eu acho que o HIV entre sorodiscordantes não deve ser um tabu, e pra que ele não se torne acho importante explorar todos os tópicos entre o casal, esgotar todas as dúvidas e receios pra que o assunto não assombre o relacionamento no futuro (após 3 meses da descoberta ainda estamos nessa fase de explorar o assunto)

      É isso aí. Agora conte vc um pouco mais sobre como vcs lidam, e dos motivos que motivam q PrEP pra vcs, pq temos mtos assuntos sobre a sorologia mas pouquíssimo sobre os casais em si…

      Vlw abraços

      • Rodrigues diz

        SP+-
        Então, nós achamos que a prevenção combinada é o mais importante, a PrEP foi idéia dele, eu usaria preservativo tranquilamente. Ele ainda tem bastante medo e pouca informação, apenas toma o remédio certinho. Eu me importo mais com os exames e tento trazer as informações mais recentes pra deixar ele mais tranquilo em relação à sua sorologia. A decisão de aderir à PrEP envolve vários motivos, a divisão da responsabilidade de prevenção, o risco de ocorrência de rebote viral ( embora eu ache extremamente improvável que ocorra) ou resistência viral.
        Eu descobri tudo de maneira inusitada ( fui pegar uma coisa no guarda roupas e achei a TARV), foi um choque e fiquei sem chão. Ele achou que eu iria deixá-lo por isso, e ele também pensou em me deixar. Mas eu o amo e o bem que ele me faz é impagável. Estou feliz com ele e quero apenas manter essa felicidade.

      • Mariah diz

        Uaau! Me indentifiquei muito com você! Penso, sinto e hajo da mesma forma! Tambem somos sorodiscordantes e 99% do tempo até esqueço disso!! Parabens por sua atitude!!

    • Tiago diz

      Depois que saiu o meu diagnóstico positivo, há cerca de 20 dias, passei dias de angústia temendo a possibilidade do meu parceiro estar negativo e de lhe ter transmitido (entretanto ele fez exame e saiu negativo). Nem conseguia pensar em sexo. Agora, nem importa mais… No final, o “estamos juntos” que ouvi dele foram palavras ocas, que hoje ecoam no silêncio e distância que só têm aumentado a cada dia… Vida que segue.

      Parabéns para vocês acima, que não deixaram vencer o medo… Parabéns mesmo.
      Amor, de verdade, é só para os fortes.

      • Rodrigues diz

        Tiago
        É uma situação extremamente difícil para as duas partes, penso que a partir de agora, só ficarão na sua vida aqueles que merecerem ficar. O HIV ainda causa bastante medo da maioria das pessoas, não temos muita informação sobre ele e achamos que sabemos. Quando nos deparamos com esse diagnóstico ficamos totalmente sem chão. Apenas o tempo coloca as coisas no lugar. Precisei de um tempo para colocar as idéias no lugar e perceber o tamanho do amor que sinto pelo meu parceiro. Tente informar o seu sobre o HIV e veja se ainda assim ele se afasta. Se, mesmo com conhecimento, ele se afastar de você, acredite em mim, você é que ficou livre!!
        Desejo sucesso para você nessa sua nova jornada, fique indetectável e siga a sua vida da melhor maneira possível, nada mudará se você não permitir que mude. Um grande abraço.
        Quem quiser manter contato, meu email é j.enfr@hotmail.com

        • Tiago diz

          Não tenho dúvida alguma que seja extremamente difícil para ambas as partes Rodrigues, pois um dia também já estive do outro lado do diagnóstico. Sei que não é fácil, nada fácil… Só lamento as palavras que não se refletem em atos… Preferia não as ter ouvido ou ouvir a dura sinceridade de um “preciso de um tempo”… Do jeito que está, é mais uma dificuldade e incerteza com a qual tenho que lidar, num momento já bem difícil e tão cheio de incertezas…

          Enfim, por isso mesmo repito, parabéns para vocês que apesar do medo e na falta de chão escolheram ficar e enfrentar juntos as dificuldades.

          Desejo-vos toda a felicidade e que sigam dando ao mundo um belo exemplo de amor.

          Abraços

    • Ledos diz

      Oi galera dos relacionamentos discordantes! Eu vivo um relacionamento sorodiscordante a 2 anos, eu sou negativo e ele positivo. Descobrimos a sorologia dele juntos, após vários meses de relacionamento, ele teve um quadro de herpes zoster. Sempre tive as informações básicas de sintomas e todo o clichê a respeito da doença aids, mas nada sobre viver com hiv. Dia 3 de janeiro de 2016, a bomba caiu nas nossas vidas…foi assustador! Um misto de sensações, eramos soro interrogativos até então, e óbviamente ja tinhamos feito incontáveis sexos sem camisinha, eramos namorados, a gente sempre acaba fazendo isso. Fiquei de luto, por mim, por ele, por nós…de cara com tosa aquela situação. Me muni de confirmações, vindas de boas fontes, confiáveis, e vi que eu so sahia o básico ultrapassado. Conheci esse blog, que me ajudou muito e até hj eu venho cnversar. Esperei mais de 50 dias, após a descoberta da sorologia dele e nosso ultimo sexo sem camisinha, me enchi de coragem e fui fazer meus testes. Todos negativos! Estamos juntos desde 2015, o amor é o mesmo, passamos por vários momentos, tudo foi superado, tido valeu a pena viver, tudo isso só me melhorou como ser humano. Ele está em tratamento desde o Janeiro de 2016 quando foi diagnosticado. No segundo exame já estava indetectável! E nós nem lembramos mais do hiv, só na hora do remédio, que eu sempre levo na cama pra ele, pois faço questao de estar junto, me sinto parte dele nessa história. Esse é um resuminho da minha história. Quem quiser saber mais, manda mensagem aqui. Beijo no coraçao de todos. E muita sabedoria e paz pra quem tá chegando nesse mundo agora. Vai dar tudo certo…
      (perdoem os erros, tô rapidão no celular)

      • Carlosp diz

        Ledos, ele estando indetectável, vocês fazem sexo sem preservativo?

    • Ledos diz

      Acho q poderiamos criar un grupo no kik, p falarmos melhor…duvidas mais intinas e trocar experiencias. Tô aberto ao dialogo. Bj

  7. Luckinas diz

    Galera, estou buscando o grupo do qual eu participava no KIK… mudei de celular e todos os dados foram apagados. Sou o luckinas que mora nos EUA. Se alguem lembrar de mim, por favor, adicionem meu perfil de novo. Obrigado (username: luckinas)

  8. GUTO diz

    “Casos de infecção por HIV crescem 3% no Brasil desde 2010, diz Unaids”…
    “OMS alerta para alta nos casos de resistência do vírus HIV”… Relatório chama a atenção para as mutações do vírus. De acordo com médico especialista, tomar os remédios de forma errada é a maneira mais comum de criar uma versão resistente às drogas. Disponível em: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/oms-alerta-para-alta-nos-casos-de-resistencia-do-hiv.ghtml
    Notícias desanimadoras no que concerne às políticas públicas em prevenção sexual e à própria consciência humana. A última coisa que o mundo precisa é de uma CEPA do vírus HIV resistente aos medicamentos disponíveis no mercado. As pessoas, por mais utópico que pareça, parecem estagnadas na sua própria ignorância.
    Vida e paz para todos!

    • Tiago diz

      Eu não entendi essa estatística de crescimento de casos de infecção em 3% desde 2010. Estes dias li uma nota técnica do MS, com data de 2012, que reportava 215.000 pessoas em tratamento, sendo que – 5 anos depois – são mais do dobro.

    • Tiago diz

      p.s. A quem leia o meu comentário anterior, hoje tropecei num artigo que respondeu a minha dúvida. O aumento de 3% é sobre o número de NOVOS casos a cada ano, não sobre o total de casos de infecção.

  9. Ombro Amigo diz

    Olá, caros amigos! Faz um tempão que não apareço por aqui…espero que estejam todos bens, desfrutando de boa saúde e seguindo o tratamento religiosamente. Eu queria compartilhar um documento muito interessante sobre os tempos difíceis da AIDS: uma reportagem sobre a quinta conferência internacional de AIDS em Montreal em meados de 1989. Se discutia possíveis tratamentos para os portadores: medicações como a pentamidina e alternativas como a raiz do pepino chinês ou até mesmo alho eram cogitados para o tratamento!

  10. Ney diz

    Oi pessoal de 23 a 26 de julho Paris estará sediando A conferência Mundial sobre hiv. Fiquemos de olho pois muitas novidades serão apresentadas. De antemão fiquei muito triste ao saber que o presidente dos estados unidos Trump está querendo diminuir investimento em pesquisas para cura e tratamento do HIV. Realmente preocupante. Mas vamos aguardar a pressão opinião pública. Investimento não podem parar. Rumo a CURA galera.

  11. Gaucho30 diz

    Olá Pessoal! Alguém conhece soropositivos na Espanha? Sabem se lá recebem gratuitamente o Genvoya ? Obrigado.

      • Good Vibes diz

        Fábio, você sentiu/sente algum efeito colateral com o Triumeq?

        • Fabio diz

          Nada….ja estou nele desde fevereiro…na verdade no começo tive um pouco de gases, mas agora esta normal.

        • Cris Jorge diz

          Eu senti graves efeitos secundários com o TRIUMEQ, o efeito colateral foi uma grave colite, que durante 6 meses me levou a vários médicos, exames, gastroenterologistas, tratamentos para a colite e não passava… Até que ,minha infeto pensou: O TRIUMEQ não causa efeitos secundários, mas, neste caso pode estar causando…. Parei de tomar, alterei o esquema para RALTEGRAVIR + TRUVADA, e em uma semana fiquei 100% curado da Colite 🙂

          Vale dizer que, iniciei o Dolutegravir em Maio dia 06 de 2015, e os efeitos secundários só vieram 4 meses depois. No inicio nada de efeito secundário.

          Já tomo Raltegravir há 18 meses sem nenhum efeito secundário.
          Já o vamoso Triumeq, o melhor anti retroviral de todos, me dava cansaço, náusea, queimação no corpo, formigueiro e uma valente COLITE.

          Estou muito satisfeito com o meu esquema atual, só é pena que o Raltegravir tem de ser tomado 2x ao dia de 12 em 12 horas.

          • Fabio diz

            Caramba, espero nao passar por isso, mas se sentir algo, com certeza compartilharei aqui com todos. Vc mora aonde Cris Jorge?!

            • Cris Jorge diz

              Moro em Portugal, aqui o Dolutegravir (constituinte do TRIUMEQ) é dado a todos logo após diagnostico, desde 2014.

              Não tenha medo do TRIUMEQ, ele é um dos melhores (se não melhor) antirretroviral disponível no momento (melhores virão em breve).

              Os efeitos secundários que relatei, são muito mas muito raros, eu apenas tive azar. Mas não se preocupa, se o TRIUMEQ der algum efeito secundário, há muitas opções para troca.
              O esquema que tomo atual RALTEGRAVIR + TRUVADA, é similar ao TRIUMEQ, e a mim não dá um único efeito secundário, nem cansaço, nem diarreia, nem colite, nada, zero efeito secundário :).

              Se for tomar o Triumeq tome sem medo, vai correr bem e terá um esquema muito bom, dos melhores que existem, com o mínimo de efeitos secundários.

              🙂

              • Fabio diz

                Sim, estou com ele desde fevereiro e ate agora nada, enfim…que tenhamos muita saude e disposicao para enfrentarmos esse pequeno intruso. Boa sorte pra vc ai!

  12. Lara diz

    Essa semana assistindo ao Jornal Nacional acompanhei números crescentes de morte por Aids no Brasil e o surgimento de novas cepas do vírus. Penso que para nós soropositivos essas informações são filtradas em razão de Boss própria condição; por conta do HIV temos bastante informações a respeito. Mas aí eu fiquei pensando em como essa situação chega para os pouco informados, para os que nada sabem. Será que isso aumenta o preconceito ? ” aumenta o número de Aids no Brasil, pessoas morrendo, doença incurável ” e por aí vai… ok é uma realidade que tem que ser enfrentada e solucionadas pelas políticas públicas, mas aí me questionei tmb o porque de não falarem sobre a Prep, a PEP, sobre os indetectáveis, sobre a não -transmissão dos que estão em tratamento e tem a saúde monitorada. Sei lá, pode ter sido meu estado de espirito no momento, mas me senti mal, como uma ameaça para os outros. Queria muito que esse pensamento de não- transmissão pelos indetectáveis fosse disseminado em grande escala pra que passássemos despercebidos como quem tem qualquer outra doença crônica mas que não fosse visto como uma bomba relógio, par que em relações pessoais/amorosas as pessoas não tivessem medo de nós, para que o HIV não fosse visto como uma ameaça para as pessoas. Quero muito isso e muitas outras coisas boa para todos nós. É apenas um desabafo e uma vontade imensa de ser livre de toda essa ignorância e preconceito que muitas vezes me faz ter medo e ser refem em muitas situações.

    • Luiz Bruno Vasconcelos diz

      Estou indetectável num relacionamento sorodiscordante. Há poucos dias meu namorado fez exame e está com virus. Estamos juntos desde 2014 e até o ano passado ele estava negativo.
      Na próxima consulta vou ver com o meu médico se tem como saber se eu, mesmo estando indetectável, transmiti o vírus. Antes eu estava certo que indetectável não transmite, agora não.

      • Tiago diz

        Luiz, vou responder com base no que li, talvez o Luiz Carlos possa esclarecer ou me corrigir. Creio que é possível sim descobrir se a transmissão ocorreu de si, se não estou em erro pelo exame de genotipagem do HIV, só que é um exame bem caro (mais de 2k) e exigiria ambos fazerem o exame, que identificaria se são portadores da mesma família de vírus.

        Li que pode ser difícil conseguir este exame pelo público e até pelo privado, certamente pelo custo, e que normalmente só o liberam em casos de resistência ao tratamento atual, quando usam o exame para identificar a família do vírus, suas resistências e assim definir um novo tratamento.

        No vosso caso não sei se seria liberado. Pelo que li, seria bom até fazerem, pois se for o caso de serem portadores de famílias diferentes, existe um risco de se co-infectarem com uma nova família de HIV, com diferentes resistências, o que pode impactar no tratamento.

        Quanto a ser possível transmitir estando indetectável, infelizmente existe sempre a probabilidade de rebote ou blip, por remota que seja.

      • Cris Jorge diz

        Se você está indetetavel e sempre esteve (desde que toma arv´s) não tem como transmitir o vírus. Relembro que novamente semana passada saiu mais um estudo que comprava que a infeção não ocorre quando o parceiro positivo está indetetável.

        O exame de ADN VIRAL é muito caro, aqui em Portugal é um absurdo o preço, mas sim, é possível saber se o vírus é o mesmo.

  13. Sorocaba diz

    Galera gostei dos comentarios acima! Eu acho sim que no Brasil existe muita desinformação. Ahhh se eu visitasse esse site antes. Olha fui infectado pelo companheiro e ele morreu. Descobriu tarde e mesmo sabendo nao me avisou. Transamos com camisinha mas ele escondido tirou pois dificultava a ereçāo e eu não vi pois estava de costas. Bom terminou eu olhei no chao e achei estranho. Parecia q a camisinha nao tinha sido usada. Mas achei q era encanaçao pois vi ele colocando a camisinha. Sou flex e sempre transei com camisinha. Eu usei com ele quando fui ativo. Discordo q no Brasil tem muita informação. Aprendi muuuuito aqui e pessoalmente. Nao sou positivo, eu estou positivo, mas um dia sendo com uma cura ou deixando esse mundo vou deixar de estar positivo. Vou lutar por isso!

  14. Renato diz

    Se alguém puder me incluir no grupo do KIK, por favor: renatozze

    Obrigado!

  15. Mathias diz

    Bom dia!

    Sempre acompanho as publicações e os comentários aqui postados. Sinto-me mais fortalecido mentalmente ao perceber que não estou sozinho. Fui diagnosticado em Junho Maio (2017). Foi uma sensação muito estranha, que não consigo mensurar (medo x alivio X culpa X força…). Mas decidi viver! Fui diagnosticado com Sífilis e Toxoplasmose (ativa) mas já tomei os medicamentos para as respectivas enfermidades. Minha carga viral: 7.900 cópias, CD4: 848, CD8: 2.300 (Será que os resultados dos meus exames ainda estão bons?). Comecei o tratamento com o dolutegravir x Lamivudina x Tenofovir… durante esses 2 meses e meio não senti absolutamente nada de efeito colateral. Sinto-me forte, engordei 5 kg depois que comecei tratamento ( estou com 87 agora), por sinal acima do peso rsrs…A única coisa que me preocupa é que quero preservar minha condição sorologica, não quero que mais alguém descubra…Sou do interior e decidi tratar na Capital (Goiânia) justamente por isso. Será que tem chance de profissionais de saúde da minha cidade descobrirem acessando informações (depois do diagnóstico não uso mais unidades da minha cidade)? É realmente sigiloso essa questão de cadastro para medicação? Fiz cadastro no Sus de Goiânia para infecto e pegar medicamento, mas decidi tratar com infecto particular.O Sus comunica ou envia cartas para secretarias do município que resido sobre essas informações? Só de pensar de alguma carta sobre o assunto chegando na porta da minha casa me deixa estressante (paranóia). Parece bobeira, mas é a única coisa que tem tirado a minha paz….Por favor, se alguém que tenha mais experiência puder me ajudar, serei muito grato. Desejo a todos uma vida repleta de realizações. Que Deus abençoe a todos!

    • Gil diz

      Tranquilo, amigo. Ninguém vai acessar e sair contando o seu prontuário e suas condições de vida e de sorologia. Mathias, relaxe, continue com a medicação e as coisas ficarão bem, você continuará normalmente a sua vida. Apenas use preservativo nas próximas relações sexuais e/ou exija que as pessoas que você quer transar ou transa usem também.
      Suas taxas precisam ser analisadas por um infectologista, mas seja otimista, o pior você já passou!
      Um abraço, saúde e sucesso.

  16. Cara legal diz

    Gostaria de uma informação acerca da prestação de concursos públicos para pessoas com a nossa condição. Somos barrados nos exames? Tenho desejo de estudar e prestar concurso, mas não queria perder tempo caso não fosse possível. Obrigado desde já.

    • Gui diz

      Cara lega, boa noite! Sou funcionário público federal e quando dos meus exames, foi solicitado apenas hemograma e perfil lipídico. Não se preocupe, a sorologia para o HIV não é exigida. Bons estudos e sucesso!

    • Maxwell diz

      Só será barrado para concursos que envolvam as forças armadas (aqui se inclui PM e bombeiros)

    • Gil diz

      OLÁ,
      Sou funcionário da prefeitura, nunca pediram nada do tipo, até porque a legislação não permite.
      Fique tranquilo e estude bem.
      Abraço, sorte, saúde e sucesso!

  17. Gaucho30 diz

    Pessoal por favor alguém sabe onde posso comprar o 3×1 (efavirenz, tenofovir e lamivudina) ou alguém que tenha sobrando pra me vender? Sou do RS e aqui está faltando medicamento! Não consegui retirar, e a farmacêutica do SAE disse não tem nem previsão de quando vai chegar.

      • Gaucho30 diz

        Em Quaraí – RS, também estão sem medicamentos na minha cidade Alegrete – RS.

    • GeminiRS diz

      Onde eu retiro em POA estavam fracionando a entrega em 15 comprimidos. Mas a situação pelo visto foi regularizada pois da última vez já recebi o frasco completo.

    • Ser+H diz

      Caso em sua cidade ou estado haja da falta de medicamentos ARV, você poderá fazer a denúncia ao Ministério Público Federal que entrará com Ação Cívil Pública contra a União. Segue o link para fazer a denúncia. Um serviço acessível ao cidadão. http://www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/sac

  18. Moreno+RJ diz

    Descobri ser positivo em 2014 tomo o 3x 1 regularmente sem efeito colateral forte. No máximo uma leve tontura e as vezes sensação de ressaca pela manhã.
    Os exames de sangue estão excelentes. Cv zerada, cd4 768, fígado ótimo e colesterol e glicose tbm.
    A neura no início da descoberta é normal, com o passar dos anos e no meu caso já se vão 3 anos acaba a tal neura.
    Hoje é vida normal. Meu noivo é negativo e nosso relacionamento vai muito bem.

    • Lucio SOuza diz

      muito bacana, lendo a matéria pensei em alguns pontos:

      tomara que nao adotem como o tratamento para apenas novos casos quando vier pra ca e sim para todos.
      nao sei se ja estão vendo a questao de efeitos colaterais (se for somente diarreia e dor de cabeca, é mto melhor que os atuais do 3×1)

    • Jorgito diz

      O que eu gostaria de saber é se a vantagem dessa injeção se resume à comodidade de não ter que tomar comprimidos todos os dias, ou se os efeitos colaterais também são menores.

  19. Mana diz

    Gente quantas notícias boas na IAS2017 ( tirando o aumento de diagnósticos no Brasil ) acredito que em 40 anos teremos algo próximo da cura mas até lá muita inovação!

  20. Mana diz

    Infelizmente a notícia do Brasil era a tragedia anunciada desde quanto ainda no governo Lula os recursos para conscientização do HIV foram gradativamente diminuindo até chegar a quase anulação pelo ex-Ministro Padilha. Temos que voltar a colocar o combate ao HIV de volta ao hall de prioridades do ministério da Saúde mas com essa dança das cadeiras fica difícil! Fora que o problema do medicamento é muito sério!

  21. Stranger diz

    quem quiser bater papo pra trocar experiências, só mandar um “Oi!” no KIK: @jogarconversa

  22. Cara legal diz

    Gostaria de uma informação acerca da prestação de concursos públicos para pessoas com a nossa condição. Somos barrados nos exames? Tenho desejo de estudar e prestar concurso, mas não queria perder tempo caso não fosse possível. Obrigado desde já..

    • Ser+H diz

      Não há nenhuma restrição ao soropositivo para prestar concurso público. Nem pode haver qualquer discriminação. É lei.

      • Caio PE diz

        A seleção pode solicitar exames de glicose, LDH, LDL etc, mas não podem solicitar o Anti-HIV. É discriminatório. Caso solicite, cabe recurso e denúncia.

    • Luiz Carlos diz

      Só para complementar, como já infomaram, não podem pedir sorologia para HIV em concursos públicos, porém para Exército/Marinha/Aeronáutica é solicitado e, infelizmente, você será desclassificado. É o nosso Brasil de opostos…

      Abraços

  23. Sorocaba diz

    Olha to um pouco assustado com esse lance de falta de remedio. Vou passar no medico essa semana e pegar no msm dia o 3×1. Pra quem tem mais tempo de tratamento foi sempre assim e depois normalisa ou eh agora que está desse jeito?

    • Renato diz

      Sorocaba, ano passado chegou a se falar do problema, mas foram casos isolados. Esse ano a coisa teve uma proporção maior, de Norte a Sul do país. Em 4 anos de tratamento, é a primeira vez que vejo acontecer aqui em Porto Alegre. Os estoques já estão normalizando, mas fica o alerta e a preocupação.

      Brabo é saber que as remessas aos Estados diminuiram, com dados divulgados e concretos, e o Ministério da Saúde afirmar que está tudo normal, sem falta de medicamentos e que é apenas problemas de logística e distribuição. Quando não, houveram sim problemas de licitação e atraso nas compras. Por isso precisamos fazer chegar mais alto, não apenas em portais e/ou noticiários locais. Temos que meter o dedo no ministro, no presidente e órgãos responsáveis. O bom é que ONGS e sites específicos sobre nosso assunto, e algumas pessoas mais influentes, estão em cima. Dia a dia!

      Vamos torcer para que a situação normalize para todos. Um abraço!

      • Sorocaba diz

        Vlw Renato. Mas demorei pra perder o medo de morrer e agora assim com essas noticias de falta de remedio voltei a ficar assustado!

  24. Rodrigo diz

    Olá pessoal , a 1 ano tomo o 3×1 so que este mês de julho fui na farmácia pegar e não tinha , a farmacêutica me deu o 2×1 (tenofovir e lamivudina) e o efavirenz , o problema que depois de uma semana fui olhar a validade do efavirenz e o mesmo venceu nesse mês. Agora estou na dúvida se isso vai afetar no meu tratamento. Sou de Belém até então nunca tinha tido esse problema de falta de medicação.

    • Luiz Carlos diz

      Lá vem no corpo da notícia… “Portadores de AIDS reclamam…” se nem os jornalistas se informam e acabam propagando desinformação, quem dirá o resto da população.

      Abraços

  25. Cbb diz

    Hj é um grande dia pra mim e para a minha saúde. Fui a consulta e recebi a notícia de que já estou indetectável e que de agora em diante não tinha muito que me preocupar com o CD4 mas sim em manter a CV indetectável. Mas feliz ainda é que a minha esposa que se encontra em estado de gestação fez as análises todas e mantém-se soronegativa. Mto obrigado a este blogue que não me deixou cair em desespero e me mostrou que o que aconteceu cmgo foi apenas um percalço e não o fim da vida.

  26. Ferdinando diz

    Em 40 anos já existirá a cura, basta ser coerente, a ciência vem fazendo descobertas incriveis, a cada dia eles vão descobrindo mais do virus. Acredito que ate 2022 ja tenham descoberto. É mais facil dizer que esta bem perto do que longe, os avanços são enormes, a descoberta irá marcar o seculo. Por isso mantenham se firme, esse virus em breve ser aniquilado da vida de cada um, não desanimem, vcs são guerreiros, pessoas que de maneira nenhuma se entregou. A vitoria chegará, acompanho o blog.

  27. Cbb diz

    Hj foi um dia que feliz pra mim, pq após a consulta com o meu infectologista Cubano fui informado que estou com a CV indetectável e que já não precisava me preocupar tanto com o CD4, pois o mais importante agora era tomar correctamente os ARVs e me manter nesta condição.
    Mas mais feliz ainda pq a minha esposa se encontra em estado de gestação e, após ter feito todas as análises confirmou-se que ela é soronegativa e que está a espera de um rapaz.
    Só tenho a agradecer a este blogue que não me deixou cometer nenhuma loucura, me mostrando que a condição de soropositivo não é o fim da vida, mas sim o percalço perfeitamente controlável.
    Bem haja a todos os companheiros que com a informação atempada e saber têm sabido ajudar muitos de nós, não só brasileiros como tb de outras paragens, como é o meu caso que sou Angolano.
    Valeu JS

    • Luiz Carlos diz

      Só queria salientar uma frase sobre o que eu apostei que aconteceria a partir do ano que vem: “Colocando uma perspectiva de aumento nesse orçamento para podermos fazer a troca do efavirenz para o dolutegravir.” 🙂

      • Desconhecido diz

        Comecei meu tratamento com o dolutegravir, e confesso que estou na torcida para que todos os outros mudem pra ele. Nunca senti nenhum efeito colateral, sem contar que notei mudanças de 100% em minha saude em menos de 4 semanas de uso.

        • Tom diz

          Oi cara, vc tem kik? Estou com as minhas primeiras caixas p iniciar a tomar….
          Gostaria de bater um papo
          antonio.together

        • Tom diz

          Oi cara, vc tem kik? Estou com as minhas primeiras caixas p iniciar a tomar….
          Gostaria de bater um papo
          antonio.together

  28. BROTHER CE diz

    LEIO OS COMENTÁRIOS DE TODOS VOCÊS, AS PALAVRAS DE CONFORTO E PERCEBO O AMOR E AFETO QUE FALTA NO MUNDO E NO NOSSO DIA-A-DIA. QUE DEUS CONTINUE ILUMINANDO CADA UM DE VOCÊS. SOMOS SERES ILUMINADOS E COM A MISSÃO DE FORTALECER E ABRACAR OUTRAS PESSOAS QUE COMO NÓS UM DIA PASSOU OU PASSARÁ POR ESSA SOBRA NEGRA QUE É A DESCOBERTA DO VIRUS, MAS QUE LOGO VEM O SOL E A LUZ DE DEUS ILUMINANDO NOSSAS VIDAS E NOS FORTALECENDO E RENOVANDO NOSSA FÉ. UM GRANDE ABRAÇO A TODOS. COM CARINHO!

  29. Renato diz

    Bom dia!

    Boas novas para quem reivindicava a volta dos exames de CD4 no serviço público:

    NOTA DO Ministério da Saúde SOBRE O RESTABELECIMENTO DOS EXAMES DE CARGA VIRAL NO PAÍS

    “Prezados senhores e senhoras, boa tarde!

    Considerando a Nota Técnica n.º 119/2017/DIAHV/SVS/MS, referente aos testes para quantificação da carga viral do HIV, informamos que o pregão eletrônico ocorreu no dia 19/06/2017 com sucesso e que a empresa vencedora do certame foi a ABBOTT, atual fornecedora dos testes ao MS.

    Neste momento estão sendo tomadas as providencias administrativas e também quanto a importação dos testes para posterior distribuição aos laboratórios da rede pública.

    A expectativa é que todos os laboratórios recebam os testes no mês de agosto e restabeleçam o processamento das amostras de todos os pacientes.

    Assim que a distribuição ocorrer, será emitido um comunicado de suspensão da priorização proposta pela Nota Técnica n.º 119/2017.

    Atenciosamente

    Logística de medicamentos e insumos laboratoriais
    Ministério da Saúde
    Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais”

  30. Vida diz

    Luiz Carlos, bom dia!
    Mais uma vez agradeço sua participação neste blog…. vc e show!!
    Preciso tirar uma dúvida com vc. Sou casada há 25 anos e 24 anos sem o uso de preservativo.
    Na data de hoje o preservativo escapou. Ele está indetectável, no último exame (realizado em maio). Devo tomar alguma providência?
    Um abraço

    • Luiz Carlos diz

      Olá Vida, bom dia.

      Apesar de o risco de transmissão entre casais sorodiscordantes ser zero segundo o maior estudo já feito até então, recomendo que se dirija ao SAE/CTA e informe que esteve em uma situação de risco e deseja receber a PEP. O período mais eficaz da PEP é nas primeiras 72 horas após a relação sexual porém, quanto antes, melhor.

      Abraços!

  31. M. diz

    Boa tarde, estou em formando em um curso da área da saúde, e estava me preparando pra fazer o concurso do exercito para exercer a área que estou formando. Hoje fui ler o edital com mais calma e simplesmente caso passe na prova escrita eles exigem o teste para HIV, não sendo admitido caso positivo, pra mim isso foi discriminador. Podem realmente fazer isso? O que pensam sobre o assunto?

  32. Caio PE diz

    Luiz Carlos, favor esclarecer: realizei exames laboratoriais, todos normais, exceto a creatinina que acusou o limite mínimo de referência do laboratório. Uso o 2×1 + ATZ/r. O que pode ser ? Algum risco ? Agradeço,

    • Luiz Carlos diz

      Olá Caio, primeiro, como sempre friso, se está no limite mas está dentro do limite, continua sendo nível normal.

      Não há muito com o que se preocupar com a creatinina baixa, normalmente a creatinina alta costuma ser um problema maior. Pessoas que tem muito pouca massa muscular costumam ter a creatinina mais baixa.

      Cabe ao seu infecto avaliar, mas a princípio não é nada preocupante.

      Abraços

  33. Lara diz

    Gente vocês sabem se há contra-indicaçao ao uso de hibisco na forma de chá ? Interfere na eficácia do dolutegravir ?

  34. SP+- diz

    Luiz Carlos,
    pergunto a você, querido oráculo, pq até pesquisei na Internet e nada me esclareceu, do porque os nutricionistas pedem para os soropositivos evitarem o leite.

    No caso, o leite com baixa lactose pode ser ingerido normalmente substituindo o leite comum?

    Obrigado 🙂

    • Tiago diz

      SP+, me metendo na pergunta, pelo que já li, acredita-se que o consumo de leite pode causar danos no fígado, especialmente em fígados já danificados. Como o tratamento de HIV sobrecarrega e depende de um fígado em bom funcionamento, entendo a recomendação como uma precaução a médio-longo prazo.

      • Luiz Carlos diz

        Na realidade SP+- e Tiago, é um assunto controverso. Existem alguns estudos de mais de 20 anos atrás dizendo que PVHIV em tratamento com TARV tendem a apresentar má absorção da lactose, que acaba futuramente levando ao desenvolvimento da intolerância à lactose.

        Fato é que a intolerância à lactose vem crescendo muito no Brasil e no mundo, então fica difícil definir que isto está relacionado apenas ao HIV, pois sabemos que há muitos outros fatores que levam a esta intolerância e temos ARVs muito mais novos no mercado, que possuem danos e efeitos colaterais bem menores dos que tínhamos há 20 anos atrás.

        O leite não é prejudicial ao fígado ainda não danificado, pelo contrário, ele costuma ser um aliado pois ajuda a “limpar” o fígado do álcool, por exemplo. Alguns estudos também apontam que a lactose pode ser prejudicial para quem já possui danos hepáticos.

        A conclusão é a mesma que eu acabo dando nestas situações relacionadas a comidas e bebidas:

        Tudo em excesso faz mal. Temos que procura nos alimentarmos bem independente da nossa sorologia. Para quem sente que o leite e derivados “não descem”, vale a pena experimentar os produtos sem lactose, ou diminuir o consumo de alguns produtos que possuem muita lactose, como leite condensado, queijos processados, requeijão, etc.

        Tudo consumido com parcimônia vai colocar seu organismo no lugar certo, é a máxima de que “o simples funciona”. Não podemos nos limitar, mas também não podemos exagerar.

        Abraços!

        • Tiago diz

          Valeu Luiz, também entendo dessa forma. Moderação e atenção ao próprio organismo acima de tudo. Eu adoro o meu café com leite pela manhã e dificilmente o eliminarei e seus derivados totalmente da minha alimentação, a menos que seja identificada intolerância ou surjam complicações maiores no fígado, que por hora parecem ser temporárias e nada graves. De qualquer forma, estou mais atento para não abusar, especialmente dos derivados mais processados, que já tendo a evitar mesmo.

  35. Nutricionista diz

    sp+-
    serei claro e objetivo, o leite de vaca foi feito para bezerros, humanos toman o leite materno, enfim, ele é inflamatorio, pessoas com as itis, devem evitar, nós + ja vivemos inflamados… entao não vejo vantagem alguma em consumilo…

  36. Olá, sou uma mulher de 30 anos com HIV e fiz um blog pra compartilhar experiências e desabafos sobre essa nova fase da minha vida! 🙂

      • Oi, é só clicar aqui no meu nome! 🙂 De qualquer forma é mulhercomhiv. blogspot. com. br (tudo junto, mas n consigo postar link) abraços!

    • Luiz Carlos diz

      Imagina Caio, todos nós passamos pelos mesmos problemas, só tento ajudar com o pouquinho que posso. Obrigado pelo carinho!

  37. Vida diz

    Luiz Carlos.
    Muito obrigada pelo esclarecimento.
    Vc e um ser humano maravilhoso.
    Abraços !!

      • Luiz, vc sabe me dizer se dá pra ter uma noção do tempo de contaminação pelo número da carga viral? Como saber se a pessoa tem há mais de 10 anos, por ex? Me falaram que CV a milhão indica mais de 5 anos, vc sabe se essa informação é verdadeira?

        • Luiz Carlos diz

          Não existe correlação entre carga viral e tempo de infecção. Até hoje não há como precisar quando a pessoa foi infectada, seja em dias ou em anos.

          Abraços

          • É porque comecei a adoecer em 2015 e descobri em 2017. Mas a infecto me disse que minha carga viral e meu cd4 eram de mais de 3 anos e menos de 5 (cd4 104 e cv 400 mil) Acontece que ou é de 2015 ou é de 2009 pra baixo, n tem como ser de outro momento. Então eu já tava enlouquecendo, falei até com ex namorado de décadas, um estresse só.

  38. Vida diz

    Aproveitando o comentário sobre o leite. Vcs que realizam acompanhamento nutricional , possuem algumas dicas sobre alimentação? Meu marido e super resistente ainda sobre procurar especialistas em HIV. Eu tento fazer o que posso.
    Obrigada

  39. SP+- diz

    Luiz Carlos,
    dessa vez escrevo somente para agradecer mesmo. Quero sentir segurança, esse blog é especialmente vc têm me ajudado mto.

    Obrigado. De coração.

    • Luiz Carlos diz

      Imagina, não precisa agradecer, estamos aqui para nos ajudarmos. Estou sempre às ordens!

  40. Jdd diz

    Pessoal
    Faço uso do 3×1 há um ano… sou indetectável, meus exames estão sempre ok, porém, sofro com insônia e desânimo…Alguém aqui passa ou passou por isso ? O que fazem para melhorar?

    • Lucio SOuza diz

      estou na mesma, nao quero tomar remedios psiquiatricos, estou procurando um psicologo, comeco semana que vem

      estou muito desanimado

      • Luiz Carlos diz

        Jdd e Lucio, o Efavirenz é um componente do 3×1 que pode levar a um quadro de depressão leve a grave. Vocês devem mencionar estes sintomas aos seus infectos pois eles precisam fazer o acompanhamento adequado. O acompanhamento psicológico também é fundamental, independente da TARV, e o auxílio psiquiátrico é importante no diagnóstico de algum quadro de depressão causado pelos medicamentos.

        Eu sei que, dependendo da cidade, é difícil encontrar profissionais bons e volta e meia temos que procurar outras opiniões, mas é sempre importante pedir opinião de mais de um profissional, seja o infecto, o psiquiatra ou o psicólogo.

        Abraços!

        • Tiago diz

          Luiz, disse aqui que “é sempre importante pedir opinião de mais de um profissional, seja o infecto, o psiquiatra ou o psicólogo”.

          Ainda só tive uma consulta com um infecto, pelo Dr. Consulta, e até ao momento não tenho motivos de queixa, mas há dias me perguntei se seria recomendável consultar outro, para ter uma segunda opinião, fosse pelo SUS ou particular.

          Pela sua experiência, recomendaria fazê-lo num primeiro momento, antes de iniciar ou no início do tratamento? Não tenho muita noção se nesta fase pode fazer muita ou pouca diferença…

          • Luiz Carlos diz

            Tiago, depende, é uma pergunta difícil de responder. Vai depender muito da boa relação que você sentir com o seu infecto. De início, se não houver nenhum fator de risco, o próprio sistema de logística só vai lhe permitir receber o DTG. O que vai dizer se você deve procurar outras opiniões é mais pra frente, caso você tenha algum efeito colateral ou algum outro problema que possa ser relacionado aos ARVs.

            Eu sempre que posso procuro dois profissionais e escuto duas opiniões. Em alguns casos (como otorrinolaringologia, considerando que eu tenho bronquite, rinite, sinusite e asma), passei por quatro médicos até encontrar o que me atendesse da melhor forma, me ouvisse, avaliasse meus sintomas e solucionasse o meu problema (que, de certa forma, não tem muita solução), mas que reduzisse ao mínimo os efeitos que sinto.

            Minha recomendação básica é procurar sempre pelo menos duas opiniões, e ver com quem você se sente melhor. Se for no serviço público ou convênio particular, não há ônus nenhum. Infelizmente, para quem não possui um plano de saúde, esta opção acaba saindo um pouco mais cara.

            Abraços

            • Fernando-PR diz

              Luiz boa tarde, eu apresentei resistência ao efavirenz e meu infecto mudou para o esquema Atazanavir Ritonavir Tenofovir Lamivudina, no entanto tenho percebido os olhos em determinados dias com a parte branca um pouco mais amarelada, o que tem sido um inconveniente porque, as pessoas ficam me perguntando se esta tudo bem, é desagradável, mas meu medico não quer mudar por enquanto medicação. Sendo assim desculpe pode ate ser uma pergunta boba, sei que chá de dente de leão é muito bom para saúde e também para auxilio da normalização e eliminação de excessos de bilirrubina do organismo dentre outros benefícios, sabe me dizer se uso desse tipo de chá atrapalha meu novo esquema?

            • Tiago diz

              Entendi Luiz, foi o que imaginei… Pelo menos no meu caso talvez não justifique, levando em conta que me senti bem atendido e o tratamento inicial segue uma diretriz e a menos que surjam complicações…

              Valeu, mais uma vez. Abraços e saúde aí!

    • Ser+H diz

      Jdd também fazia uso do 3×1 há 2 anos. Insônia, depressão e desânimo são os efeitos do Efavirenz. Após muitas queixas com o infectologista ele resolveu alterar para o esquema Atazanavir Ritonavir Tenofovir Lamivudina. Há duas semanas no novo tratamento e me sinto muito melhor. Sem necessidade de usar mais o Rivotril para me induzir ao sono. Sensação de que fiz uma “cirurgia de catarata no meu cérebro”. 🙂 Se não tiver melhoras com o 3×1, faça as queixas a cada consulta com o médico e também com a pessoa que lhe faz a entrega dos remédios. No meu CTA vi que a farmacêutica fez anotações no meu prontuário “on-line” sobre as queixas que também são acessadas pelo médico depois.

      • Fernando-PR diz

        Ser+H por acaso você teve alteração na cor da parte branca dos olhos, eu tive que mudar de medicação e meus olhos em determinados dias estão um pouco amarelados.

        • Ser+H diz

          Fernando, não tive essa reação com o uso do novo medicamento, por enquanto.

        • Luiz Carlos diz

          Fernando-PR, a icterícia é um efeito muito comum do ATZ/r. A elevação das bilirrubinas indiretas por conta do ATZ/r causa amarelamento dos olhos e, em pessoas com pele mais clara, da pele também, porém é um efeito puramente estético, não causa nenhum mal no organismo.

          Posso falar com propriedade pois uso este esquema e também tenho este efeito colateral. Sobre chás, não recomendo pois a grande maioria é diurética. A melhor coisa é tomar muita água, manter o corpo hidratado e evitar diuréticos como a cafeína e o álcool. Experimente se forçar a tomar pelo menos duas garrafinhas de 500 ml de água por dia e você irá perceber que o amarelamento fica praticamente imperceptível.

          Se perguntarem você pode falar que possui Síndrome de Gilbert e deixe que quem perguntou vá pesquisar.

          Abraços!

      • Renato diz

        A retirada do efanvirez ,pra mim tbm foi um divisor de águas ,ainda aguentei por seis meses,mas n tinha vida!

      • Eu tomo tenofovir, desoproxila + lamivudina e dolutegravir há meses e não tenho reação alguma (além de uma leve alergia que tive no começo, uma mancha no rosto, que saiu com antialérgico) Mas confesso que tenho medo dos sintomas a longo prazo.

  41. SAR diz

    Olá Fernando-PR,

    Eu faço uso do mesmo esquema que você há 9 meses. O amarelamento da pele e dos olhos é por conta do Atazanavir. Ele como você, provavelmente, sabe causa alteração nas bilirrubinas. O que posso te dizer é que hoje, meses depois do início do meu tratamento, esse efeito é, praticamente, imperceptível. Minha infectologista disse que a tendência com o passar do tempo é haver um decréscimo nos índices de bilirrubinas e, assim, percebemos uma melhora significativa em relação a este efeito colateral.

    Abraço.

  42. Edu diz

    Luiz Carlos tem algum contato para que possamos conversar? Percebo que tem experiência no assunto, preciso muoto conversar com alguém como vc.

  43. Esb diz

    Luiz sou casado a 9 anos a 2 meses descobrir ser soropositivo e minha esposa não, pq ela não pegou de mim? Ela nunca fez sexo anal.
    Ela fez exame hiv dez 2016 e maio 2017 junto comigo só que o meu deu positivo

    • Luiz Carlos diz

      Esb, o risco de transmissão em sexo pênis-vaginal receptivo é de cerca de 0,08%, ou 8 transmissões a cada 10.000 exposições ao vírus. Isto significa em teoria que você teria que ter 1.250 relações com sua esposa sem camisinha enquanto portador do HIV para ter chance de em uma delas ocorrer a transmissão.

      Abraços

      • CARACA, então sou muito azarada, pq fiquei com o boy algumas vezes e já pegar o vírus. Tem que rir pra não chorar.

        • Luiz Carlos diz

          Esta é a probabilidade média. É claro que existem centenas de outros fatores que influenciam nesta probabilidade, feridas, algum desgaste emocional que possa ter provocado queda de imunidade, carga viral da pessoa com HIV, enfim, cada organismo é um organismo.

  44. Marcio diz

    Ola, boa noite me descobri soro positivo tem 1 mês, estava olhando o YouTube vi uma planta medicinal do Tocantins uma planta chamada Matumba, ha ouviram falar ?
    Dizem que ela é uma retroviral que extermina o vírus.
    Boa noite galera.

    • Imagina, cuidado com essas informações. As pessoas abusam da boa fé dos soropositivos pra render em cima deles. A cura está próxima, acredito, mas ainda n foi encontrada.

    • Luiz Carlos diz

      Marcio, acho que basta você ler um pouquinho das coisas que são publicadas por aqui para entender que se uma planta tratasse o HIV, ninguém estaria aqui sofrendo e trocando experiências de efeitos colaterais com medicamentos.

  45. CACA diz

    Não sei se vcs viram a capa da Galileu de Agosto, sobre o preconceito com os positivos. Ler os comentários no face abaixo da foto da capa foi desesperador… como a sociedade brasileira é podre. Tem hora que bate um desânimo de continuar…

    • Eu prometi pra mim que ia seguir em frente e apenas continuar a vida que já levava antes. Mas como mulher, solteira, que pegou HIV com alguém que nem namorado era, sei que o preconceito alheio vai me derrubar em algum momento. Às vezes dá uma vontade de desistir. Que negócio pesado de carregar…

      • Cristiane diz

        Luara ,sou solteira e duvido com vc ,parte em comuns do seu relato ,só q estava namorando e fui doar sangue q descobri ,foi terrível ,mas passou ,hj estou solteira e infelizmente me limite a conhecer só pessoas como nós,pq o preconceito e demais infelizmente,trabalho na área da saúde e como sofro ao ver comentários sobre as pessoas da mesma condição ,mas não deixo passar e informo aos ignorantes funcionais q nao é bem assim,q HIV ,e AIDS e diferente sim!estamos na luta ,mesmo off LINE não aceito preconceito de ninguém !

    • Tiago diz

      Sinceramente, melhor nem ler esse tipo de comentários. Gente ignorante existe em qualquer parte do mundo e – acredite – muitas vezes o que difere de um país para outro não é o preconceito, apenas o quanto as pessoas são mais ou menos abertamente preconceituosas.

      Sem contar que hoje em dia, as redes sociais parecem estar tomadas por uma raça de mal-amados trolls que, na falta de um talento criativo que as coloque no centro das atenções, optam pelo caminho fácil; causar e se profissionalizar nisso.

      Nem perca seu tempo e muito menos seu ânimo. Entre ser humano+ ou troll-, ainda opto pelo primeiro.

      Por outro lado, um dos amigos a quem confidenciei meu diagnóstico me mostrou a publicação do próprio Gabriel no Instagram e, em compensação, lá li imensos comentários de apoio.

  46. Anônimo diz

    Galera que tal de KIK é esse que vcs estão falando? 🤔 acompanho o blog e quando estou pra baixo vcs não têm ideia do quanto me dão forças pra continuar alguuns de vcs até falam em cura descobrir ser + no final de 2014 por uma doação de sangue e hoje estou indetectável faço atividades física procuro me alimentar bem só me trava muito ainda ter um relacionamento amoroso pois não sei como a tal pessoa reagiria tenho 23 anos abraço turma fiquem com Deus!

  47. Decano diz

    Oi…

    Tem algum amigo (a) aqui que poderia me passar links sobre suplementos alimentares e o uso da TARV, principalmente o Dulutegravir, Tenofovir e Lamiduvina ?

    Pode ser em outro idiomas…

    Agradeço desde já

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s