Quanto tempo até sofrermos rebote viral?

Depois de analisar a carga viral de 16.101 pessoas ao longo de sete anos, pesquisadores ingleses concluíram que uma proporção substancial das pessoas que vivem com HIV e que estão fazendo tratamento antirretroviral não vão experimentar rebote viral durante suas vidas.

O estudo, U.K. Collaborative HIV Cohort, publicado no Lancet, incluiu participantes que iniciaram a terapia antirretroviral e que atingiram carga viral indetectável, definida por uma quantidade inferior à 50 cópias/mL de sangue, dentro de 9 meses após o início do tratamento. O rebote viral foi definido como a primeira carga viral única com mais de 200 cópias/mL ou pela interrupção do tratamento com mais de 1 mês de duração. O objetivo dos pesquisadores era calcular a média de tempo, após o início do tratamento antirretroviral, que os pacientes levam para sofrer o primeiro rebote viral. O estudo incluiu participantes que iniciaram o tratamento entre 1º de janeiro de 1998 a 31 de maio de 2013.

Durante o estudo, dentre os 16.101 participantes, 4.519 experimentaram rebote viral — dos quais 1.414 (31%) foram interrupções de tratamento e 3.105 (69%) foram rebotes virais únicos com mais de 200 cópias/mL. Destes 3.105 rebotes virais, 1.322 (29%) voltaram a ter carga viral inferior à 50 cópias/mL na medição seguinte, sem necessidade de troca de tratamento antirretroviral. Isto quer dizer que 29% dos rebotes virais são de fato elevações temporárias na carga viral.

Em outras palavras, as taxas de rebote viral foram geralmente baixas e, conforme descobriram os cientistas, elas diminuíram substancialmente ao longo de um período de sete anos. Entre homens que fazem sexo com homens com mais de 45 anos, a taxa estimada de rebote viral é de 1,4% ao ano. Esta porcentagem cai ainda mais quando combinada com o fato de que em 29% das pessoas o rebote viral é temporário.

Em entrevista ao Infectious Disease Special Edition, o Dr. Andrew Phillips, um dos autores do estudo e professor de epidemiologia do University College London, disse que “este trabalho sugere que uma proporção substancial de pessoas que fazem tratamento para o HIV e que são suficientemente aderentes aos medicamentos podem manter o vírus suprimido por toda suas vidas.”

O Dr. Phillips e seus colegas observaram que esses dados são promissores para pacientes com HIV que mantém adesão ao tratamento antirretroviral e que fazem os testes para acompanhamento do estado de saúde. “Nossas descobertas apoiam a estratégia de encorajar o teste de HIV em pessoas que podem ter adquirido o HIV e iniciar a terapia nas pessoas diagnosticadas com o vírus, para benefícios pessoais e de saúde pública”, disse o Dr. Phillips.

Anúncios
avatar
39 Comment threads
52 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
47 Comment authors
VisitantecaioPaulistano PositivoOi+Paulistano Positivo Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Inscrever-se  
Receber notificação
Raquel
Visitante
Raquel

Eu espero nao ter esse problema.
Fiquei indetectavel em 40 dias,mas a custa de muito sacrificio.
Esse AZT é uma merda(desculpe pela palavra).

valdirene
Visitante
valdirene

Imagine antigamente que so tinha ele? Coitada das pessoas!

binhomais
Visitante

Excelente estudo Jotinha, mais um ponto de tranquilidade que temos.

Abç

Ney
Visitante
Ney

Meu grande objetivo é me manter indectavel. Assim não contraio doença oportunista ou transmissão do vírus. E graças que o dolutegravir pouco efeito colateral dá em mim. Parabéns pela reportagem. Obrigado e continuemos com a troca de informações. Valeu.

Tiago
Visitante
Tiago

Boa notícia.
Uma dúvida, o “rebote viral” é o tal “blip”?
Ou são eventos distintos?

Caio PE
Visitante
Caio PE

rebote viral = escapa viral = blip viral

Maxwell
Visitante
Maxwell

Olá. Alguém aqui conseguiu passar pra medicação nova (com o dolutegravir) já tendo usado uma outra combinação antes? Eu sempre usei o Atazanavir/ritonavir/tenofovir + lamivudina já por 3 anos e meu médico hoje me receitou trocar a medicação por conta da bilirrubina alterada. (Sempre foi alterada e até vem diminuindo ao longo desses anos mas mesmo assim ele quis). Eu disse a ele que não poderia ir pro 3×1 por conta do sistema neurológico (já que faço uso de medicamentos para ansiedade) e em comum acordo com ele, ele também não me receitou o kaletra (por que não quero viver… Ler mais »

João
Visitante
João

Eu tentei e não rolou! Não basta o médico prescrever não! O sistema do SUS não aceita! Tem um protocolo! Aliás todos os médicos deveriam saber disso e não nos prescrever evitando assim uma frustração!

telma
Membro
telma

dolutegravir é so pra quem inicia o tratamento agora ou se vc tem resistência que no seu caso teria que ter resistencia ao atazanavir mais ainda assim eles empurram o kaletra é o protocolo do sus

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Não é liberado no sistema de logística ainda Maxwell. Mesmo que você tente, ou seu próprio médico vá até a farmácia (como já aconteceu em outro caso aqui no blog), esta mudança não está liberada ainda e não será possível efetuar a troca. Seu médico deve lhe colocar no Darunavir (DRV/r), já que o Kaletra (LPV/r) já está sendo substituído pelo DRV/r desde o início do mês. O único inconveniente do DRV/r é que ele é tomado de 12 em 12 horas, mas é uma TARV muito mais nova que o ATZ/r. Outro detalhe é que a elevação das bilirrubinas… Ler mais »

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Cabe adicionar aqui ainda para não deixar nenhuma dúvida: tanto o DRV/r quanto o ATZ/r são esquemas muito bons. Como falei, se o único risco que seu médico avaliou para a troca é a elevação das bilirrubinas indiretas (frisando a palavra indiretas), cabe a você e a ele avaliarem o que você prefere: tomar a TARV 2x por dia (DRV/r) ou permanecer no ATZ/r que é administrado 1x por dia apenas, já que a elevação das bilirrubinas indiretas é causada por um mecanismo que não tem nenhum efeito exceto o estético. Cada pessoa tem que avaliar com seu infecto os… Ler mais »

Maxwell
Visitante
Maxwell

Realmente a mim não me incomoda aparecer de vez em quando os olhos amarelados. E olhe que ao longo do tempo vem diminuindo essa bilirrubina indireta. Já cheguei no começo a ter 12 e agora está em 4. Ele disse que não é só por conta da icterícia mas que a alta taxa de bilirrubina poderia ao longo do tempo implicar em problemas neurológicos. E sinceramente eu gostaria de continuar com esse esquema que já tomo a 3 anos e estou acostumado. Ele disse que o darunavir estava para ser descontinuado e o dolutegravir seria colocado em substituição do mesmo.… Ler mais »

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Tinha esse mesmo esquema, o amarelo no olho era complicado mesmo..tomava a água do mundo todinha e não resolvia.

Bilirrubina pra lah de alterada, quase 10…era praticamente uma hepatite!

Meu medico alterou o esquema alegando esse problema, mas não foi liberado Dolutegravir, foi liberado Darunavir + Ritonavir + Lamivudina dois em um. Esse esquema eh muito bom, só são muitos comprimidos, mas isso não eh problema. Efeitos colaterais = imperceptiveis..

Maxwell
Visitante
Maxwell

Fui hoje com a receita que o médico me deu com a prescrição da nova combinação com o dolutegravir na farmácia onde pego minha medicação. Ele tinha me dado também um bilhete explicando o pq de solicitar a alteração mas a farmacêutica nem deu bola pra esse bilhete. Pegou a receita, lançou no sistema, mandou eu assinar a guia como sempre e ME DEU A NOVA MEDICAÇÃO. Felizão da vida.
Acho que depende muito de farmácia pra farmácia. Eu fui na cara e coragem e consegui.

Luiz Victor
Visitante
Luiz Victor

Ótimo artigo. Ou seja, é imprescindível que soropositivos nunca façam sexo sem proteção, mesmo com outros soros, pois caso o paciente esteja silenciosamente atravessando um blip/reboot no momento do ato sexual, os problemas serão ainda maiores. A tentação é grande, mas é preciso superá-la com consciência e responsabilidade. Quem não tem vontade? Porém, pensemos com a razão e não nos deixemos nos levar pela emoção, que sempre traz arrependimentos e consequências tristes. Em tempo: estou me tratando há 45 dias com a nova TARV (DTG + 2 em 1) sem qualquer efeito colateral presente até o momento. Descobri o vírus… Ler mais »

Verdes Olhos
Membro
Verdes Olhos

Com todo o respeito, recomendo que você se informe melhor sobre estudos como o “Partner”. É imprescindível que pessoas HIV+ se tratem diariamente com antirretrovirais. Agora, essa obrigatoriedade da camisinha já vem há muito tempo sendo derrubada, contanto que a pessoa esteja indetectável – e é uma pena que até mesmo os portadores ainda continuem com essa visão preconceituosa e ultrapassada a respeito de si mesmos. Parece uma culpa católica mal-resolvida. Tome seus remédios e goze a vida, literalmente.

Abraços.

caio
Visitante
caio

Muito infeliz um comentário como seu, uma vez que o uso da camisinha não está focando somente na proteção contra o HIV , mas também a as IST´s.

Lecinho
Membro
Lecinho

descobri a dois dias e queria saber se vou ter muito efeitos colaterais quando começar a tomar os remedios. Nao estou doente, mais estou muito abaixo do peso normal

telma
Membro
telma

Uma cura para o HIV se aproxima uma vez que os supercomputadores revelam como o vírus se move
Ciência …….. https://www.youtube.com/watch?v=gxywFmRl-4Y#action=share

telma
Membro
telma

A simulação levou dois anos para completar e envolveu a análise de 64 milhões de átomos do vírus do HIV Grace Shallow @Grace_Shallow 19 de julho de 2017 Um breve vislumbre de como o HIV viaja através do corpo foi simulado pela primeira vez em supercomputadores nos EUA. Durante dois anos, vários supercomputadores da Universidade de Illinois modelaram o comportamento de 64 milhões de átomos para capturar 1,2 microssegundos da vida de uma cápside do HIV, uma gaiola de proteína que transporta o vírus do HIV para o núcleo de uma célula humana. A simulação da cápside foi realizada no… Ler mais »

Luquinha
Visitante
Luquinha

Eu tinha esquecido dos supercomputadores , não é que o bichinho estava trabalhando há 2 anos …”.Porra tem hora que minha cabeça , parece que vai dar um nó “

G+21
Visitante
G+21

Luquinhas me passa teu Kiki?

Caio PE
Visitante
Caio PE

Isso mostra que o tratamento deve ser mantido. É mais uma comprovação dos benefícios da TARV, iniciada de maneira precoce.

Alexandre
Visitante
Alexandre

Boa noite! fui ao médico hoje e sempre usei o Kaletra por 4anos e nunca tive efeito colateral nenhum, mas hj não entendi o porquê trocaram minha medicação, estou morrendo de medo de tomar o Atazanavir é ter efeito colateral tipo ficar com olhos bem amarelado 🙁

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Alexandre, já havia citado no post anterior sobre o Kaletra, segue o post novamente: O Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle dos das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde (DIAHV) irá substituir o medicamento lopinavir/ritonavir – mais conhecido por Kaletra® – pelo atazanavir/ritonavir para pessoas vivendo com HIV/aids acima de 12 anos de idade. Considerado obsoleto, o lopinavir está sendo excluído dos principais protocolos internacionais devido à alta toxicidade e aos efeitos colaterais tais como intolerância gastrintestinal e aumento do risco cardiovascular, além da posologia mais complexa, que requer o uso de quatro… Ler mais »

Alexandre
Visitante
Alexandre

ok…obrigado pela ajuda, estou aqui meio apreensivo mas tenho que esperar pra vê como meu organismo vai reagir … e qualquer coisa volto a conversar com a minha médica..

Serginho...
Visitante
Serginho...

Comecei a tomar o 3x 1 com 116 cópias por ml e CD4 1300 ..fiquei indectavel em menos de um mês e hoje levo uma vida normal com minha companheira que é soronegativa…o governo tinha que fazer uma campanha em massa pra população em geral fazer o teste assim como eu fiz esporadicamente…sempre afirmo que o medo do diagnóstico é infinitamente pior que a própria doença..uma forte abraço e saúde pra tidos..

César Augusto Barbosa
Visitante
César Augusto Barbosa

Bom dia Serginho, sou soropositivo desde 2003 faço os exames continuo e sempre foi indetectável. A minha esposa é soronegativa, ela faz os exames continuo de prevenção,somos muito precavido nas nossas relações. Vivemos muito bem graças a Deus, concordo plenamente com você pela sua opinião acima,parabéns, um abraço.

Denys
Visitante
Denys

Gostaria de saber o que está emperrando a descoberta da vacina pra acabar com esse mal de uma vez por todas? Com a palavra os governos que mais investem na área…….

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

http://www.alphr.com/science/1006346/cure-hiv-supercomputers-virus
Ta aqui a reportagem tb. Q venha e logo essa cura.

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Ha fiquei sem entender tb se eh blip ou rebote a ponto de trocar a medicação.

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

É considerado blip quando a CV sai de níveis indetectáveis para um nível detectável baixo, geralmente de 50 até 1000 cópias/ml, e retorna a níveis indetectáveis em seguida. Rebote, pelo estudo acima, foi considerado quando o nível sai de indetectável e atinge 200 cópias/ml ou pela interrupção de TARV com mais de um mês de duração. Em suma, todo blip faz parte de um rebote, mas nem todo rebote é um blip. Para ser apenas um blip é necessário que a CV volte a estar indetectável. É normal todas PVHIV terem blips, porém como fazemos exames de CV muito espaçados,… Ler mais »

Wsb
Visitante
Wsb

Em 20 dias fiquei indetectável estava com
Carga viral 8.300 cópias
Estou feliz e aliviado, agora é manter assim até sair a cura.

Meu cd4 subiu de 253 pra 279

Caio PE
Visitante
Caio PE

É isso que eu nãp entendo (Luiz Carlos, favor ajudar): como pode existir uma CV considerada baixa (no caso do colega acima), mas o CD4 também não está elevado ? Não deveria ser inversamente proporcional essa relação ? Em quais casos isso pode ocorrer ?

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Caio, uma CV de 8.300 cópias não é considerada baixa, ela está inclusive bem dentro da curva de distribuição normal, que fica entre 3 e 4 (log10) na maior parte da fase assintomática (de latência clínica). Claro que, como sempre friso aqui, há várias questões a serem ponderadas: 1) O número absoluto do CD4 não quer dizer praticamente nada, a não ser que ele esteja extremamente baixo ou extremamente alto. O mais importante é a relação CD4/Linfócitos totais e a relação CD4/CD8. 2) Na própria tabela deste estudo você pode observar que existe uma faixa de 3% das pessoas com… Ler mais »

Renatto
Visitante
Renatto

No meu caso minha cv TVa em 4.000 e pouco, e o cd 230, quando fiquei sabendo,tbm achei baixa a cv em relação ao cd4 .

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

A CV muitas vezes pode parecer baixa quando comparada com a de outras pessoas que tinham CV de 50.000, 100.000 cópias/ml, mas é apenas uma questão ilusória de estatística pura. A multiplicação do vírus é exponencial, por isto dá esta impressão. É como tínhamos nas aulas de biologia, 1 célula se divide em 2, 2 em 4, 4 em 8 e assim por diante. Por isto costumeiramente medimos a CV em logarítmico com base 10 e, muitas vezes, ela vem expressada desta forma também no seu exame. Os estatísticos vão me matar, mas para deixar claro de forma simples, o… Ler mais »

Wbs
Visitante
Wbs

Caio não sei se tem haver com alimentação eu não me alimento muito com verduras e legumes, minha alimentação era basicamente pizza, sanduíches e batata frita, apesar das atividades físicas que faço a 9 anos. Tenho 1.85 altura e peso 80kg meu índice de massa corporal é bom, não bebo e nem fumo.
Acho que minha imunidade é baixa devido à alimentação mesmo só pode. Espero que meu cd4 aumente logo, vcs sabem dizer em quanto tempo posso dobrar meu cd4?

Renato
Visitante
Renato

Wbs, mantenha a alimentação que tens feito! Claro que, eventualmete, a refeição “lixo”, usando o termo que estamos acostumados a ouvir quando treinamos, vai ser inevitável. Com certeza tua imunidade vai subir com o tempo e no próximo exame vai estar maior. Acontece muito de, em alguns casos, esse crescimento ser gradual e/ou lento. Terá meses com mais CD4, outros com menos. Cada um tem a sua média padrão, e isso não significa que, se for um pouco mais baixa do que esperamos seja algo ruim. Uns dão um salto logo no início do tratamento e depois o nível cai… Ler mais »

Caio PE
Visitante
Caio PE

É como foi citado aqui, cada um é cada um. O importante é manter a CV indetectável. O resto é como já foi citado aqui: alimentação equilibrada, atividade física, vacinação em dia e … … …

Tati
Visitante
Tati

A minha tbm é baixa e sempre me alimentei bem, vai entender!

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Números absolutos de CD4 “altos e baixos” são pura ilusão. Não deixe se levar por isto. Se você medir seu CD4 no final de um processo infeccioso como um resfriado, ele estará alto. Se você estiver bem e for medir no final da tarde, provavelmente ele estará mais baixo. Se você ficar levando em consideração apenas os números absolutos, uma hora ou outra irá ficar frustrado. É importante entender que muitas pessoas vivem com CD4 de 200, 250, ao longo de toda vida (pessoas soronegativas inclusive). Isto não faz delas mais ou menos imunes. Como já mencionei, milhares de fatores… Ler mais »

Mai
Visitante
DoBemDF
Visitante
DoBemDF

Hoje saiu mais uma reportagem no UOL dizendo que os casos de AIDS no Brasil aumentaram na contramão do resto do mundo. Mais uma reportagem que confunde “portador do HIV” e “doente de AIDS”. Será que nunca vao compreender a diferença? Deixei meu comentario lá tentando informar melhor o povo. Todavia, a qualidade dos demais comentários que li é de dar medo…

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

No G1 pelo menos publicaram como “OMS alerta para alta nos casos de resistência do vírus HIV”, e entrevistaram o Dr. Kallas, médico do JS.

Ainda assim, os comentários realmente são “padrão G1”. Eu evito lê-los, em qualquer notícia.

Abraços

paraensepositivo
Visitante
paraensepositivo

Dois anos e meio de tratamento, um Blip (42 cópias) há três meses atrás, totalmente conformado com a minha condição, com tudo e com todos e ainda esperando a CURA…

Ney
Visitante
Ney

Oi amigo quer dizer que antes era zero e que agora subiu para 42? E o que seu médico falou??

Joh Marques
Visitante
Joh Marques

Fui detectado positivo em 10 de abril, desde então faço uso do dolutegravir e tenofovir uma vez ao dia, ainda não realizei exames para verificar minha CV e isso me deixa um pouco preocupado. Que garantias eu tenho de que meu tratamento está dando certo? E toda essa história de blip, danos neurológicos, lipodistrofia… Qual é a possibilidade de sofrer disso? Não tive efeitos colaterais, faço academia e levo uma vida normal, mas mesmo assim, como tudo o que é novo estou preocupado com o futuro e minha expectativa de vida… O que vocês poderiam me falar em relação a… Ler mais »

Rômulo
Visitante
Rômulo

Relaxa rapaz… a minha médica não seguiu protocolo e já to no quarto mês e nada de teste p/ checar o CV… tomo a mesma TARV que vc e segundo uma outra médica que fui ” …é quase impossível o HIV ter resistência ao DTG… por se tratar de medicamento de primeira linha…” .

Quando puder faça mas fica tranquilo que o DTG é bem eficaz e quase não-tóxico.

emilio
Visitante
emilio

vi hoje no jornal hoje que existe uma cepa de virus resistente aos remedios. motivo para pânico?

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

De forma alguma. Volta e meia aparecem casos de resistência à TARVs mais antigas como o Efavirenz, mesmo aqui no blog, porém existem dezenas de outras terapias com os quais não há resistência cruzada.

A matéria está no G1 e em alguns outros portais, mas como sempre foi um pouco mal escrita e leva a interpretações mais sensacionalistas.

Abraços

Renato
Visitante
Renato

Perfeito, Luiz! Algumas matérias, ao invés de esclarecerem totalmente o estudo, apenas ‘jogam’ e interpretam como querem. O certo seria destacar que a resistência ocorre quando o tratamento não é seguido à risca, sem interrupções para que não ocorra a troca de medicamentos. O que também causaria, em alguns casos, essa resistência. Resta torcermos para que os países corram, segundo recomendação da OMS, e revaliem alguns procedimentos. Principalmente o acesso e o acompanhento para início e continuidade dos tratamentos, evitanto com que novas cepas sejam passadas a diante.

Abraço.

telma
Membro
telma

Bictegravir (GS-9883) Bictegravir (BIC) é um INSTI de uma vez por dia desenvolvido pela Gilead Sciences que, ao contrário do antecessor aprovado pela FDA, elvitegravir (EVG, disponível como componente de Stribild e Genvoya), não requer aumento. Ele demonstrou atividade contra vários subtipos de HIV-1, bem como HIV-2. BIC não está sendo desenvolvido como um ARV autônomo, mas exclusivamente como um componente de um STR que também contém TAF e FTC. Um novo pedido de droga (NDA) solicitando a aprovação do FDA foi apresentado pela Gilead em junho; Um depósito EMA é antecipado neste verão. As avaliações in vitro demonstraram que… Ler mais »

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Recomendo que poste o link do estudo, se necessário com o link do Google Tradutor para aqueles que não entendem inglês, ao invés de postar um Ctrl+C Ctrl+V do Google Tradutor desse tamanho.

Abraços.

telma
Membro
telma

A Viriom espera obter as primeiras autorizações de mercado para Elsulfavirine fora dos EUA em 2017 e expandir a comercialização de terapias e medicamentos preventivos com parceiros regionais e globais

telma
Membro
telma

Albuvirtide é um tratamento de mudança de paradigma de acção prolongada de inibidor de fus do VIH para o tratamento de infecção por HIV e SIDA. Um NDA foi aceito pela China FDA em julho de 2016. Ele pode se tornar o primeiro do mundo de longa acção anti-HIV nova droga já aprovada. Albuvirtide poderia potencialmente aumentar a adesão do paciente, melhorar a qualidade de vida e reduzir os custos de tratamento para os doentes infectados pelo HIV-drogas experiente e virgens de tratamento.

Luquinha
Visitante
Luquinha

Fabricio
Visitante
Fabricio

Olá pessoal,
Hoje fui buscar meu remédio 3×1 no Emilio Ribas, SP/SP, e me entregaram apenas 1 frasco.
Informaram que os estoques estão baixos. Devemos nos preocupar? O que devemos fazer para nos antecipar a falta de remédios?

Renato
Visitante
Renato

Fabrício, ocorreu atraso na distribuição em alguns Estados. Muitas farmácias ainda enfrentam o problema e estão evitando fazer a dispensa de medicamentos para 2 meses, é uma forma de garantir estoque. Além disso, frascos também foram fracionados e divididos em dois, com 15 comprimidos apenas, fazendo que com as pessoas retornassem novamente. Além disso, houve diminuição na distribuição para alguns Estados, coisa que o Governo Federal nega. Desde abril estão sendo relatados estes problemas, mas dizem que até o final deste mês (Julho) a situação deve estar normalizada. A preocupação existe e nos deixa apreensivos. Esperemos que a questão política… Ler mais »

Fabricio
Visitante
Fabricio

Obrigado Renato, prefiro ser positivo (rsrsrs) e acreditar, assim como voce, que tudo vai se normalizar. Abraço

RoDigo
Visitante
RoDigo

Fabrício, faço o tratamento também em SP e uso o 3×1 desde 2015 e sempre retirei na farmácia para 03 meses, nunca tive problema! Hoje fui retirar no meu CTA e o farmacêutico me deu pra 01 mês também fiquei preocupado, me disse que estava liberando somente 01 frasco por conta do estoque. Ele me disse que há 20 dias a entrega está atrasada e me informou pra dar uma ligada no começo do mês que vem. Eu vi em sites de notícia que o Ritonavir estava em falta e o Dolutegravir, porém até o 3×1 que é o esquema… Ler mais »

Renato
Visitante
Renato

RoDigo! Em Porto Alegre houve o mesmo problema. Inclusive chegou a faltar medicamentos para gestantes e crianças recém nascidas. O Governo Estadual abriu processo licitatório para contratar uma empresa de distribuição para resolver o problema. Por aqui, os problemas foram de distribuição, más condições de armazenamento (absurdo!) e diminuição no repasse pelo Governo Federal, mas a situação parece estar se normalizando.

Abraço.

Lucio SOuza
Visitante
Lucio SOuza

semana passada retirei no Emilio Ribas para tres meses, dei sorte entao.

Fabricio
Visitante
Fabricio

Olá RoDigo,
Sim, este controle de estoque é importante para que não falte medicação para outros, mas concordo com você que baixos estoques no Emilio Ribas é preocupante. Como você disse, é um dos mais importantes centros do Brasil. O deputado Jean Wyllis recentemente fez uma publicação no seu Twitter acusando o Ministerio da Saúde de negligência porque há falta desta medicação por todo o país. Preocupa a invisibilidade dos soropositivos no Brasil e isso nos torna mais vulneráveis ainda porque perdemos voz. Mas vamos ter esperança que esta situação dos estoques se normalize em breve.
Abraço

Maycon
Visitante
Maycon

Mato Grosso do Sul também enfrenta o mesmo problema!

Maycon
Visitante
Maycon

Mato Grosso do Sul também enfrenta o mesmo problema!

Wbs
Visitante
Wbs

Eu comecei tratamento em maio moro em Belo Horizonte e meu infecto ema farmácia sempre me disse que pego medicamento referente. 01 mês e tenho a opção de 01 vez no ano pegar para 2 meses. Estranho aqui em Belo Horizonte não darem para 2 ou 3 meses como São Paulo e outras cidades

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Bom e fica a pergunta …. quanto tempo vamos durar vivos e sem problemas sem os remédios? Vamos cair feito moscas?! É isso que o governo quer?!

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Os cientistas podem estar um passo mais perto de uma cura para o HIV: a injeção evita que o vírus se espalhe e possa livrar os portadores da doença. Parece que inocular Hiv em vacas fez desenvolveram imunidade.
http://www.dailymail.co.uk/health/article-4714564/Scientists-one-step-closer-HIV-cure.html

Transmite ou Não?
Visitante
Transmite ou Não?

Aquele estudo que fala que os hiv+ com vírus suprimido pode transar sem camisinha porque com cv zerada não transmite vírus, é invalidado por essa história de blip? Se existe bilp o hiv+ que toma tarv pode transmitir quando estiver na fase de blip?

SP+-
Visitante
SP+-

Luiz Carlos,
uma dúvida sobre o blip e o rebote.

Pode acontecer mesmo seguindo religiosamente o tratamento do 3×1 de vir um rebote e não voltar mais pro indetectável?

Tb tenho a dúvida se pode criar resistência ao medicamento mesmo sem falhar ou se somente causa resistência quando esquece de tomar uma dose etc.

Última dúvida é quanto a tomar 2x o medicamento no dia quando esquece se tomou a dose do dia já, se isso contribui também pra criar resistência e causar um rebote…

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

SP+-, parte das suas perguntas está respondida no próprio post: A primeira delas, sobre seguir religiosamente o tratamento, vir um rebote e não voltar mais para o indetectável está aqui: “Entre homens que fazem sexo com homens com mais de 45 anos, a taxa estimada de rebote viral é de 1,4% ao ano. Esta porcentagem cai ainda mais quando combinada com o fato de que em 29% das pessoas o rebote viral é temporário.” – A chance é praticamente nula, ainda mais levando em conta que estamos falando de um estudo que durou 7 anos. Nestes 7 anos os ARVs… Ler mais »

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Artigo recente e detalhado sobre como está o avanço sobre o dissulfiram para reverter a latencia do hiv. E tb como se recruta para esses estudos. #querominhavidadevolta #vamoslutarpelacura #naovamosnosacomodar #unidossomosmaisforte #vamosincentivarestudodecura
https://aidsinfo.nih.gov/drugs/565/disulfiram/0/patient

Sorocaba
Visitante
Sorocaba

Se a cura vier das vacinas geradas em vacas prometo nunca mais comer elas kkkkk tadinhas.

Pedro
Visitante
Pedro

2 anos de tratamento com 3×1 e indetectável, nunca deixei de tomar um dia. No último exame carga viral 104 cópias. .. repetir o exame depois de um mês, menos de 40 cópias… Mas não indetectavel ainda…

Fabricio
Visitante
Fabricio

Pedro,
No Brasil considera-se indetectável menos de 20 cópias, dependendo do laboratório, mas meu médico disse que nos laboratórios do SUS são menos de 40 cópias, ou seja, pelas referências do SUS você estaria intedectável. Fale com seu médico mas não entre em pânico.
Abraço

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Para os efeitos da maioria dos estudos, < 50 cópias é indetectável. É o padrão que trabalhamos e é o padrão que o MS segue.

Abraços

PAULISTANO POSITIVO
Visitante
PAULISTANO POSITIVO

Faz muito tempo que não posto aqui. Só para compartilhar… Descobri minha sorologia no final de 2013 e desde então faço o uso religiosamente dos ARVs. A partir disso minha carga carga viral passou a ser indetectável. Em março deste ano, em consulta médica, trocamos o esquema de medicamento incluindo o DOLUTEGRAVIR na terapia, ficando abacavir, lamivudina e dolutegravir – antes tomava o raltegravir. Na mesma ocasião meu médico até me liberou para fazer a bateria de exames que faço de 3 em 3 meses para fazer de 6 em 6. No entanto, resolvi antecipar um pouco os exames, pois… Ler mais »

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Como mencionei acima, não é nada para se preocupar, mesmo! 52 cópias/mL é muito possivelmente um blip.

Respire, mantenha seus hábitos e não pense nisto. Aguarde o próximo exame de CV, e se isto estiver lhe consumindo muito, peça a seu infecto um exame de CV com distância de 1 mês desde que lhe retornou 52 cópias/mL.

Como já mencionei, não é nada alarmante, blips acontecem, principalmente com a adaptação a nova medicação.

Abraços

Paulistano Positivo
Visitante
Paulistano Positivo

Obrigado pelas palavras, Luiz!
Refiz os exames 2 dias depois, em outro laboratório. Veio indetectável, inclusive o número de CD4 estava muito melhor que o anterior.
Foi um blip … um erro laboratorial … vai saber.
De qualquer forma, foi bom para eu continuar agradecido e não esquecer que hoje as coisas são bem melhores do que no início.

Garoto
Visitante
Garoto

Pessoal, preciso da ajuda de vocês. Após começar a tomar AZT tenho notado uma mudança no odor da minha pele, ou seja, começei q sentir um cheiro forte e desagradável, que mina antes havia sentido. Alguém já passou por isso ou sabe o motivo? Obrigado.

Rodrigo29
Visitante
Rodrigo29

Por que você toma essa porcaria de AZT? AZT está sendo descontinuado…

Paulistano Positivo
Visitante
Paulistano Positivo

Garoto,

Em qual Estado vc mora?
Como disse o Rodrigo29, o AZT não é mais usado como 1ª linha de tratamento.
Fico de bobeira como alguns médicos, que tratam de uma doença séria como esta, não tem o mínimo de conhecimento, pois não há que se prescrever AZT. Ou é o que tem? Vejo muitos comentários por aqui com esquemas de tratamento muito fora das normativas de tratamento. Que loucura !!

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Alguns médicos infelizmente param no tempo. Eu realmente espero que tenha sido apenas um erro de digitação de AZT para ATZ. Caso contrário, Garoto, procure outro infecto com urgência, pois você não está sendo bem orientado.

Abraços

Oi+
Visitante
Oi+

Pessoal, não consegui pegar medicação hoje, em consequência disso, vou ficar sem tomar no domingo.
Há alguma chance do meu tratamento ser comprometido? Levando em conta que eu nunca fiquei um dia sequer sem tomar?

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Por apenas um dia não há tantos motivos para se preocupar. Se você conseguir, procure retirar a TARV o mais cedo possível na segunda e tome a medicação. Caso só consiga retirar no final do dia, mantenha seu horário normal de tomar a medicação. Apenas não tome-a duas vezes tentando compensar ou algo assim.

Os ARVs atuais são bem tolerantes ao esquecimento de dose. Procure manter uma alimentação saudável nestes dias, sem nada que possa colaborar para piora na imunidade ou retardar o metabolismo, como cafeína e álcool.

Abraços!

Paulistano Positivo
Visitante
Paulistano Positivo

Oi +,

Sei que não foi essa sua pergunta, mas tente se programar para pegar a outra remessa de medicação quando vc perceber que a sua esteja faltando pelo menos umas 2 semanas para acabar. Assim, o risco de vc ficar sem dininui.

Visitante
Visitante
Visitante

Pessoal, alguém pode me ajudar…estou um pouco assustado! Faço uso do esquema 3×1 há 3 anos….e desde então minha carga viral tem se mantido indetectável. Ocorre que realizei um exame para quantificação da carga viral, que acusou presença de 58 cópias/ml. Minha consulta com o médico é só na próxima semana…mas estou bastante angustiado. Alguém sabe me dizer se essa variação é normal? ou isso já seria indicativo de falha terapêutica?
Muito Obrigado a todos.