Notícias
Comentários 61

Ritonavir, Saquinavir e degeneração neuronal


scidaily-logo1

Os medicamentos antirretrovirais têm representado uma mudança de vida para pacientes com HIV, mas podem ter efeitos colaterais significativos. Cada vez mais vidências têm relacionado estes medicamentos à distúrbios neurocognitivos associados ao HIV, que podem se manifestar com esquecimento, confusão e mudanças comportamentais e motoras. Contudo, ainda não havia uma explicação clara sobre como estes fármacos influenciam o cérebro.

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia já localizaram alguns dos principais causadores de danos neuronais. Seu estudo sugere que alguns inibidores da protease, dentre os medicamentos mais eficazes contra o HIV, levam à produção de peptídeos beta amilóides, frequentemente associados à doença de Alzheimer. Os medicamentos induzem a um aumento nos níveis da enzima que cliva a proteína precursora de amilóide (PPA), para produzir beta amilóide, que é responsável pelos danos aos neurônios.

“Os inibidores de protease são terapias antivirais muito eficazes, mas têm toxicidade inerente”

Notadamente, a inibição dessa enzima, chamada BACE1, protegeu as células cerebrais humanas e de roedores contra danos, sugerindo que o tratamento desta via com um novo fármaco poderia minimizar danos aos neurônios em pacientes sob terapias antirretrovirais. “Os inibidores de protease são terapias antivirais muito eficazes, mas têm toxicidade inerente”, disse Kelly Jordan-Sciutto, presidente e professora do departamento de patologia da Penn School of Dental Medicine e autora sênior do estudo. “Nossas descobertas nos fazem repensar como estamos usando estes medicamentos e até mesmo considerar desenvolver uma terapia adjuvante para reduzir alguns desses efeitos negativos.” O estudo foi publicado no American Journal of Pathology.

Os inibidores da protease, tais como o Ritonavir e o Saquinavir, são parte essencial do coquetel de medicamentos que conseguiu reduzir a mortalidade de pessoas infectadas pelo HIV em 50%. Embora compostos mais recentes façam parte dos tratamentos de primeira linha para pacientes nos Estados Unidos, esses inibidores de protease continuam amplamente utilizados na África e em outras áreas em desenvolvimento atingidas duramente pelo HIV/aids. Esses remédios agem bloqueando enzimas virais necessárias para a criação de partículas infecciosas que permitem que o vírus se espalhe pelo corpo.

brain-1

Pesquisas anteriores da equipe de Jordan-Sciutto sugeriram, entretanto, que os inibidores de protease podem ter efeitos tóxicos sobre o sistema nervoso central. Um dos estudos, por exemplo, demonstrou que eles desencadearam a ativação de vias de resposta ao estresse, incluindo o estresse oxidativo e um processo chamado de resposta a proteínas mal enoveladas, ou UPR, do inglês unfolded protein response. A UPR acontece quando a célula detecta proteínas mal enoveladas ou modificadas, causando uma interrupção na tradução de proteínas. Sua função é proteger uma célula de proteínas aberrantes, mas, quando cronicamente ativada, pode levar a danos celulares ou à morte.

Mesmo após esses estudos, não ficou claro se a UPR vista em pacientes com HIV foi induzida como resultado do vírus ou do tratamento e pelas moléculas mediadas por ele. Além disso, os pesquisadores ficaram intrigados com as descobertas do colega e coautor Robert Vassar, da Northwestern University, que mostraram que o estresse induzido pela UPR levou à ativação da BACE1, a enzima que despedaça a PPA para produzir beta amilóide.

“A UPR é ativada em pacientes com HIV, tanto dentro como fora da terapia antirretroviral”

“O estudo emergiu dessas três linhas de evidências convergentes”, disse Jordan-Sciutto. “Sabíamos que a UPR é ativada em pacientes com HIV, tanto dentro como fora da terapia antirretroviral, sabíamos que, apesar da terapia antirretroviral, a deficiência cognitiva persiste nesses pacientes e sabíamos que a ativação da UPR leva a um aumento de BACE1.” Para determinar se e como os danos neuronais resultam do tratamento com medicamentos e para determinar o papel da BACE1, a equipe investigou os efeitos dos inibidores de protease em dois modelos animais e, em seguida, investigou o mecanismo de ação em células em cultura.

Primeiro, para confirmar que os próprios medicamentos, e não a infecção subjacente ao HIV, eram responsáveis pelos danos neuronais, eles examinaram uma população de macacos, alguns dos quais com SIV, um retrovírus muito semelhante ao HIV que afeta primatas não humanos. Os pesquisadores descobriram que os animais infectados com SIV que tinham sido tratados tinham aumento da expressão de PPA em seus neurônios, sinal de danos e um aumento de BACE1 em comparação com animais não tratados.

brain

Eles ainda confirmaram que os medicamentos eram os culpados em causar estas mudanças, administrando Ritonavir e Saquinavir em ratos adultos saudáveis. Novamente, observaram aumentos significativos de BACE1. Voltando às células em cultura, eles descobriram que a administração de Ritonavir ou Saquinavir em doses equivalentes às observadas no sangue de seres humanos tratados levou a aumentos dramáticos em marcadores moleculares associados com UPR, bem como a aumentos na expressão de BACE1. Além disso, eles demonstraram que o aumento de BACE1 levou diretamente a um aumento no processamento de PPA. A aplicação de um inibidor de BACE1 a células cerebrais de ratos em cultura evitou o dano que o tratamento com Ritonavir induziu.

“O próprio vírus causa um estresse, mas os medicamentos estão causando um estresse adicional e danos aos neurônios”

“Juntando isso com nossos achados anteriores sobre estresse oxidativo, parece que os medicamentos estão desencadeando um estresse oxidativo que está prejudicando as proteínas e induzindo a resposta à proteínas mal enoveladas”, disse Cagla Akay Espinoza, cientista de pesquisa no laboratório da Jordan-Sciutto e coautor do estudo. “O próprio vírus causa um estresse, mas os medicamentos estão causando um estresse adicional e danos aos neurônios, em parte pela BACE1 levando ao processamento abaixo da proteína precursora amilóide”.

Um conjunto final de experimentos mostrou que uma enzima chamada PERK, que tem um papel importante na UPR, ajudou a mediar o aumento da expressão de BACE1 em neurônios, desencadeado por inibidores de protease. “Estamos muito interessados no papel do PERK neste processo”, disse Jordan-Sciutto. “A segmentação PERK e/ou BACE1 poderia ajudar a contribuir para uma abordagem terapêutica para tratar medicamentos associados a distúrbios cognitivos”.

As novas descobertas abrem uma série de vias para pesquisas futuras. A equipe gostaria de explorar a possibilidade desta via de danos neuronais se aplicar a outros medicamentos contra o HIV e sobre como a UPR difere de acordo com a fonte sua indução, se é o vírus ou os medicamentos. Além disso, dada a ligação entre beta amilóide, PPA e doença de Alzheimer, a equipe está curiosa para saber mais sobre como estes peptídeos contribuem para os distúrbios visto tanto nesta doença quanto nos distúrbios neurocognitivos associados ao HIV.

Em 16 de dezembro de 2016 por ScienceDaily

Fonte: Materiais oferecidos pela University of Pennsylvania. Referência: Patrick J. Gannon, Cagla Akay-Espinoza, Alan C. Yee, Lisa A. Briand, Michelle A. Erickson, Benjamin B. Gelman, Yan Gao, Norman J. Haughey, M. Christine Zink, Janice E. Clements, Nicholas S. Kim, Gabriel Van De Walle, Brigid K. Jensen, Robert Vassar, R. Christopher Pierce, Alexander J. Gill, Dennis L. Kolson, J. Alan Diehl, Joseph L. Mankowski, Kelly L. Jordan-Sciutto. HIV Protease Inhibitors Alter Amyloid Precursor Protein Processing via β-Site Amyloid Precursor Protein Cleaving Enzyme-1 Translational Up-Regulation. The American Journal of Pathology, 2017; 187 (1): 91 DOI: 10.1016/j.ajpath.2016.09.006
Anúncios

61 comentários

  1. Maxwell diz

    Faço uso do ritonavir e realmente percebo que problemas como esquecimento e confusão além de falta de concentração para conseguir estudar estão presentes na minha vida depois de um período de dois anos de medicação (já os uso há dois anos e 9 meses).

  2. João diz

    Desde novembro estou tomando um esquema que tem Ritonavir combinado com Tenofovir+Lamivudina e Atanazir, após falha do 3×1. Contrai HIV e sífilis, certamente, em fevereiro, e diagnosticado no início de maio. Como tive sífilis fiquei muito doente, na verdade quase morri. Comecei o tratamento em junho com 3×1, chegando a 800 cópias em final de agosto. Em outubro, com novo exame, voltou a subir. Nesse momento estava em tratamento com dois infectologistas, um do SUS e outro particular. O do SUS chegou a passar AZT para eu tomar até o teste de genotipagem ficar pronto. Não aguentei esse e outros remédios do esquema passado por ele, caí de cama com apenas uma dose. Por isso optei pelo particular, que passou uma medicação que até agora tem sido excelente. Não tive efeitos colaterais, diferente do 3×1 que me deixou em depressão, somado ao diagnóstico positivo, e muito perturbado durante a madrugada.

    Confesso que essa notícia me deixou bastante preocupado. Na próxima consulta com meu infecto será a primeira coisa que quero conversar com ele. Sou muito leigo no assunto, tentando aprender um pouco agora, mas o Ritonavir pode ser substituído pelo Dolutegravir?

    Parabéns JS pelo blog. É bastante esclarecedor, assim como quem comenta nele. Forte abraço e saúde a todos!

    • AmigoSp diz

      Olá.
      Dolutegravir substitui o ATAZANAVIR.

      O esquema com o Dolutegtavir é associado ao Tenofovir + Lamivudina

  3. Carlos diz

    Acredito que não tenha muito ganho ficar se limitando por isso.
    Devemos desafiar mais nosso cérebro a sempre estar sendo usado e ”forçado”.
    Pode ser mais difícil para nós? Talvez.
    Mas o organismo humano tem habilidades de superação.
    As pesquisas não preveem todas variáveis.

  4. Miguel diz

    Agora a escolha é sua.. ou morre de aids ou morre de alzheimer…

    • danny diz

      pode ser que morrer de alzaimer seja mais reconfortante.pois nem vamos saber doq estaremos morrendo,

  5. Alex diz

    Eu cogitei desde o início que o 3×1 tbm pudesse causar isso, notei uma significa perda de produtividade. Pode ser q não tenha relação direta com o medicamento, e sim c o lado emocional, mas ainda acho q pode ter relação sim.

  6. Antonio diz

    Calma gente tudo é probabilidade, não quer dizer que isso é uma sentença: Vai tem alzheimer!!!

    • M. Gabriel diz

      dolutegravir é excelente! estou iniciando com ele, para sorte a minha. Uma pena ainda não estar disponivel para todos, mas creio que em breve estará!!!

  7. AmigoSp diz

    Amigos…alguém aqui já fez exame de genotipagem? Nesse exame obtém-se o subtipo do HIV que vc tem no organismo.

    O meu é o subtipo F/B.
    Qual é o de vocês?

  8. Joao diz

    Senhos Cientientitas , com todo respeito a suas pesquisas . Mais nós queremos #ACura

    • M. Gabriel diz

      Creio que já exista!!!! mas ainda não é interessante para a industria farmacêutica!!!

  9. Ricardo diz

    Também faço uso do Ritonavir ,Biovir e Fosanprenavir e fiquei bastante preocupado com essas novas descobertas, já tinha notado algumas vezes ,esquecimentos e confusões,mas fora isso estou super bem,com CV indetectável. Tomara que não seja assim tão prejudicial, ou que novas drogas menos invasivas sejam descobertas.

    • Acho que o estudo acima sugere que o Ritonavir e o Saquinavir podem resultar em danos neuronais. Apesar de ter alguns indicativos importantes que sustentam essa hipótese, este estudo ainda não me parece ser conclusivo, uma vez que a confirmação da hipótese foi feita em modelos animais e em cultura de células. Para ser conclusivo, entendo que essa hipótese precisaria, agora, seguir para uma etapa de confirmação em humanos e em larga escala

  10. Gil diz

    Sinceramente? Não vejo que há certeza e adequado controle nas variáveis da pesquisa. Este método já derrubou pesquisas de colesterol, de síntese de proteínas e seus metabólitos, por exemplo.
    Tem muitas variáveis dentro do aumento da beta-amiloide e muito questionamento em congressos sobre a real relação desta proteína com a desestrutura das vias neurais que causam o Alzheimer.
    Veja que uma coisa é Alzheimer, a outra esquecimento, stress, nível de estresse, alimentação, incidência genética, gatilhos, o cacete a 4… já tem até gente citando aí que após 2 anos e pouco já está esquecido, mas esquecimento e Alzheimer tem relação no diagnóstico, mas depende de idade, pir exemplo, tempo de uso, dosagem, toxidade específica…
    O que eu digo: gente, relaxem. Calmaaaa!
    Não é assim, tomou, adoeceu. Esta nossa paranoia tem a ver com nossa resistência a tomar a medicação, a meu ver, porque tomando-os e atribuindo qualidades aos remédios, é como se aceitássemos o vírus.
    E daqui, uns anos, poucos anos, teremos mais opções de remédios que não tenham a eterna ameaça de toxidade, dentro do Serviço Público de Saúde.
    Isso se a cura não chegar antes!!
    Otimismo, gente! Isso ajuda a melhorar qualquer condição clínica!!

    • Antonio diz

      perfeito seu post. A pesquisa deste porte faz se necessária e é bem vinda. Mas como o colega disse tem muito ainda a ser estudado e verificado!

  11. Paraense+ diz

    Andava buscando explicações pra tanto esquecimento… agora sei de quem é a culpa. Há um bom tempo que venho esquecendo de pagar minhas contas. Vou trocar de remédio .😀😁😂😇

  12. Ser+H diz

    Enquanto lembrar o endereço desse blog significa que a TARV mantém a sua memoria intacta. Xô paranóia.

  13. roger diz

    Uhummm!!!!!conheço tanta gente tomando antiretroviral a uns 20 anos e estao otimos sem esta besteirada toda……otima noticia de natal—-quando e cura vem com. Este papo de talvez mais quando e problema vai acontecer?

  14. roger diz

    Joga na minha frente umas notas de 100,00 pra ver se eu esqueço…kkkkkkk vou na loja e compro tudo em roupas para o natal…..

  15. Alex diz

    Alguém aqui tbm sentiu diminuição da capacidade cognitiva após o uso do 3×1?

    E esses estudos acima tbm se aplicam ao dolutegravir?

  16. lara diz

    Essa semana em uma rodinha de conversa ouvi que se vc fizer uma tomografia e for +, o médico consegue detectar sua condição, mesmo que vc não mencione o fato…na hora eu fiz aquela cara de ” hãm?!? Como assim?!?!” … sinceramente nunca ouvi falar nada a respeito…

    • Chamber diz

      Deve ser pelo fato do timo e do baço ficarem aumentados com a infecção.mas se tomar a medicacao a chaces deles voltarem ao tamanho normal.

  17. Mar+ diz

    Eu sempre tive péssima memória pra determinados assuntos. Na faculdade e no trabalho sempre usei artifícios pra suprir esse problema, e assim venho me saindo bem até demais. Faço uso, há 1 ano, de um esquema composto pelo Ritonavir. Ontem, na minha consulta, acabei não levando minha agenda com anotações e lá rolou aquele vácuo, que já é normal em mim. Mas esse vácuo chamou a atenção do meu médico. Imagina que ele me perguntou até o dia e a data? Kkkkkkk Claro que eu respondi corretamente, né!
    Acho que 1 ano não é suficiente para os medicamentos causarem efeitos colaterais como esses, mas agora ficarei mais atento.

  18. Gil diz

    Pessoal, esquecimento de tarefas, objetos não quer dizer Alzheimer. Nem com mais de 60 anos, onde os sintomas mais típicos surgem de forma intensa.
    Esquecer compromissos e lembrar depois, deixar o celular ou a carteira em casa, no trabalho ou na casa dos outros… tem a ver com stress e falta de atenção no que faz (stress, também).
    Alzheimer tem a ver com falar várias vezes a mesma coisa para as mesmas pessoas e jura que nunca disse, mesmo sendo advertido da situação, repetir tarefas que diz que não fez, se perder em ambientes públicos sem saber de onde veio, pra onde vai e o que está fazendo ali em mais de dois episódios em menos de seis meses (mas que pode ter várias outras causas, cimo stress grave, tumores, etc).
    E, além disso, é muito comum perder além da memória de curto prazo: habilidades cognitivas, ou seja, raciocínio, atenção, memória, articulação mental e capacidade de aprendizado, mesmo em áreas próximas às que você domina; perdas intelectuais, como linguagem, raciocínio, senso percepção…
    Alterações de humor, de sono, quebra de hábitos há muito arraigados… alterações emocionais, longos períodos parado, olhando pro nada… inicialmente todos estes sintomas, se surgirem, aparecem de forma sutil, muito velada e aumentam progressivamente após ficarem mais visíveis.
    Não são todos estes sintomas. A maioria dos protocolos para definição do diagnóstico engloba dois sintomas nos últimos seis meses, sendo um a perda de memória e repetições.
    O QUE A MAIORIA DAS PESSOAS DE MEIA IDADE APRESENTA É DÉFICIT DE ATENÇÃO, POIS SEM CONCENTRAÇÃO E PERMANÊNCIA NO FOCO, A PESSOA NÃO ALIMENTA O CÉREBRO COM DADOS A SEREM RETIDOS, ou seja, prejudica a memória.
    Estamos desatentos, não com Alzheimer.

  19. André diz

    Amigos, a malhacao é obrigatória p quem faz tratamento? Se eu tomar a medicação e não malhar posso ficar com braços e pernas finas?

    • Gil diz

      É bom manter a forma, malhar, pois sem exagerar aumenta a imunidade, a produção de cd4 e cd8 e aumenta a vontade de tomar água, o que ajuda os Rins a eliminar as toxinas do organismo e retirar os metabólitos da medicação. Mas não tem mais essa de braço fino, perna fina devido á medicação, o que chamavam de lipodistrofia e afetava pernas, braços e rosto e glúteos. É passado, ainda bem!

  20. Oliveira diz

    Por favor preciso de tirar uma DUVIDA … semana passada fiz nova coleta para meus exames de CV e CD4 .. e hoje o laboratorio me ligou dizendo que preciso fazer uma nova coleta para meu CD4 e CD8 ,eu nunca vi isso !!! O que sera que aconteceu ??? Estou preocupado 🤔 alguem aqui ja passou por isso???? Estou preocupado !!!

  21. Renato diz

    Pessoal quanto tempo vcs levaram pra perceber que poderiam levar uma vida normal ? A aceitar essa condição ,pois tô muito perdido ,faz quase 90 dias q estou de atestado por ter descoberto através de uma doença oportunista ,deve ser mais fácil quando não é necessário parar a vida por um tempo,tenho que reconquistar minha autoconfiança!!

    • Paraense+ diz

      Depende muito Renato. É uma coisa que varia de pessoa pra pessoa. Mas, comece o tratamento, trate a doença oportunista que, naturalmente, tudo vai melhorando com a evolução do seu quadro clínico pra melhor. Não tem uma “fórmula” para a superação do problema. Encare de frente e pronto. É isso aí.

      • danny diz

        sabe minha gente,tomem o remedio na hora prevista q cada um toma e faz de conta q nao tem nada, vao levando a vida normal,eu nem fico lendo bobagens que me deixam preocupado.

  22. Renato diz

    Quando li sobre lipodistrofia minha pressão subiu quase tive um treco ,pois a gente encontra muita matéria negativa na net,hj procuro ler só as q possam me ajudar de forma positiva! Só faz três meses q fiquei sabendo.

    • Gil diz

      OLÁ RENATO!
      Tomo um polivitamínico, tipo “materna”, mas porque fiz bariátrica (redução do estômago, em maio), tomo vitamina D (1000ui diários), ômega 3, e uma cápsula de ômega 3,6 e 9 (óleo de linhaça). Faço 45 a uma hora de exercícios, diariamente, muita água e sigo a vida (ou a vida me segue, KKK).

  23. Ricardo diz

    Gente, sempre passo aqui a procura de informação e também leio os comentários e voto.
    Hoje estou precisando desabafar, e talvez uma alma boa que me dê uma orientação.
    Sou soroconvertido desde 2010. Tenho 53 anos, e já passei por tratamentos diversos, incluindo AZT. Que me lembre passei com 3 médicos. Atualmente faço 3X1.
    Acontece que nada, nada que eu faça impede de eu emagrecer.
    Onde será que estou errando ?
    Paralelo ao tratamento estou a 3 meses com uma nutróloga, e nada. Continuo definhando a olhos vistos.
    Eu não sei se o nível dos meus médicos ( conveniados em Santos ) está fraco.
    Já pensei até em ir pra São Paulo.
    O que será que pode estar acontecendo ?
    Vocês me desculpem o desabafo, mas gente, isto está me tirando o chão.
    Até no salão onde eu corto cabelo de mês em mês, sempre tem comentário.
    Leio tanto depoimento de gente que fala que leva de boa o tratamento.
    Por que o meu não? O que está de errado ?
    Sei que deveria tentar ter mais força, mas a verdade é que o espelho está falando mais alto, e isto me incomoda.
    Desculpem apelar ao grupo. Talvez alguém tenha uma palavra, uma indicação.
    Sei que talvez por identificação vocês não vão criticar o desespero.
    Preciso de uma luz.
    Obrigado.

    • Pequena + diz

      Ricardo

      Boa noite 🙂
      Nos seus exames de rotina está incluso o da tiroide?
      Dependendo se ela estiver em desiquilíbrio vc pode engordar ou emagrecer demasiadamente.
      Porque eu mesma nesses 3 anos que descobri minha sorologia e em 2 anos tomando o 3 1, não engordei nem emagreci uma grama.
      Tente esse caminho com um médico seu de confiança, não custa tentar.
      Um forte abraço Pequena + ❤

    • Alex diz

      Tente tomar algum suplemento vitamínico diário, pode ajudar, a exemplo de Centrum ou algum outro. E estabelecer também uma dieta mínima de calorias por dia.

    • ArielLima diz

      Não creio que seja por conta do HIV. Mas emagrecimento não é doença, é sinal. Só um médico pode avaliar vc e direcionar a investigação. Ficar em casa na neura só vai fazer vc piorar.

    • Jorgito diz

      Ricardo, o ideal é você procurar um médico pra fazer uma pesquisa sobre o que está causando o emagrecimento. Pode começar por um clínico, que peça uma bateria de exames e te indique um especialista, conforme os indícios que surgirem a partir dos resultados desses primeiros exames. Esse emagrecimento pode ter ou não ter relação com o HIV. E pode ter ou não relação com os medicamentos que você está tomando pra infecção. Só um médico ou uma equipe de médicos poderá dizer. Inclusive te aconselho a pegar a opinião de mais de um médico. Hoje em dia não dá pra confiar. Boa sorte. Vai dar certo. Abraço.

  24. Oliveira diz

    Por favor preciso de tirar uma DUVIDA … semana passada fiz nova coleta para meus exames de CV e CD4 .. e hoje o laboratorio me ligou dizendo que preciso fazer uma nova coleta para meu CD4 e CD8 ,eu nunca vi isso !!! O que sera que aconteceu ??? Estou preocupado 🤔 alguem aqui ja passou por isso???? Estou preocupado !!!

  25. Oliveira diz

    Pessoal

    Por favor preciso de tirar uma DUVIDA … semana passada fiz nova coleta para meus exames de CV e CD4 .. e hoje o laboratorio me ligou dizendo que preciso fazer uma nova coleta para meu CD4 e CD8 ,eu nunca vi isso !!! O que sera que aconteceu ??? Estou preocupado 🤔 alguem aqui ja passou por isso???? Estou preocupado !!!

    • FG-PR diz

      Isso já aconteceu comigo, às vezes a amostra de sangue estraga, ou algum estagiário desastrado derruba o frasco, enfim, não se preocupe, não deve ser nada demais. No meu caso eu colhi novamente uma amostra e o resultado deu normal.

      • Oliveira diz

        Obrigado FG-PR
        Fiquei preocupado ..pois isso nunca aconteceu…dae ja viu ne ??? Pedir pra repetir coleta ou exame ja imaginamos que deu zebra de Novo…espero estar tudo bem com meu cd4….

    • ArielLima diz

      Tem a noticia completa? Pois nesse site parece que tem que ter assinatura.

  26. Dhivo diz

    Ricardo como o amigo ai de cima disse tome um suplemento vitamínico tipo Centrum
    Meu companheiro teve pneumocistose e ficou internado por 20 dias voltou para casa com. 16 kgs a menos.
    Desde a alta dele ele toma além do 3×1 o Centrum e vitamina c já recuperou 14 kgs.
    Não se preocupe creio q quanto mais vc ficar com isso na cabeça pior vc vai ficar.
    Espero ter ajudado.bjao

    • Mel diz

      Pessoas
      Bom dia

      Eu descobri minha sorologia tem 4 meses e graças a um bom acompanhamento médico e antiretrovirais minha CV está indetectavel.
      Eu procuro levar uma vida absolutamente normal, sempre pratiquei musculação e sou adepta a corrida, tenho uma alimentação muito saudável e graças a Deus não tive nenhum efeito colateral grave fora o amarelamento dos olhos por causa da alteração da bilirrubina, mas também não é nada grave aumenta se não durmo bem ou se não tomo muita água…
      Com relação aos remédios como sempre suplementei e sempre tomei comprimidos incluir mais 3 no “bolo” não foi um problema pra mim.
      Ninguém sabe da minha sorologia, meus pais têm idade, cuido deles é não quero preocupa-los sem necessidade.
      Sinceramente falando não tive confiança em nenhum amigo a ponto de contar pra algum deles ate mesmo porque não quero ter está prova de fogo, de de repente descobrir que não tenho tantos amigos sinceros como pode parecer.
      Meu grande problema é a parte amorosa, eu conheci uma pessoa no dia em que fiquei sabendo da minha sorologia ( descobri e fui em uma festa extravasar ao invés de chorar )
      E estamos juntos até hoje…pode ser que vire algo sério mas tenho muito receio da rejeição quando contar…pode ser que eu me afaste por conta disso.
      Gostaria de saber a opinião de vocês e se alguém já entrou em sites de relacionamento de soro positivos e como foi a experiência.
      Na minha visão seria o melhor dos mundos poder ter um companheiro que vive isso mas não queria alguém depressivo e sim com uma vida normal…
      Estou bem confusa com relação a isso
      Não sei se invisto na relação atual se desisto…

      • Thayane diz

        Mel…

        O meu conselho é você contar a pessoa quando estiver preparada para entender a decisão dela quanto a continuar o relacionamento, eu vivo um relacionamento sorodiscordante tbm e estou muito feliz, ele é a única pessoa que sabe da minha condição e me dá muita força e amor… tudo vai dar certo para vc, viva e seja feliz!

      • Ana diz

        Mel,
        Eu concordo com a Thayane e acho que você deve seguir em frente com esse relacionamento e contar quando se sentir à vontade e confiante. Eu te entendo perfeitamente quanto ao medo de se relacionar porque tenho um pouco também, eu descobri a minha sorologia esse ano e a única pessoa que sabe é a minha mãe. Eu não gosto muito de conhecer pessoas pela internet, mas baixei e utilizei um app de relacionamento para soropositivos há um tempo atrás e não gostei muito porque parece que ninguém está muito aberto a conversa, além do que a maioria do público que percebi era homosexual, então pra mim não adiantou muito. Eu também adoraria conhecer alguém que estivesse na mesma condição que eu, mas se não for possível, terei que me relacionar com um soronegativo, até porque sou uma pessoa normal como sempre fui. Nós temos que fazer o possível para afastar esse medo e assim, tirar esses bloqueios que a nossa mente cria!
        Boa sorte e felicidades com essa pessoa!
        Se quiser conversar, conte comigo!
        anafernandes2016@bol.com.br

  27. Pedro diz

    Alguém aqui faz uso de algum anabolizante? Nunca foi tão difícil ganhar peso, estou preocupado. Dieta e suplementos não tem adiantado.

  28. Mel diz

    Thayane
    Obrigada ..vou passar o ano.novo c ele é deixar as coisas acontecerem…
    Como você contou ? como foi?
    ( se quiset dividir claro!!)

  29. Junior diz

    Gente!Ta todo mundo fudido,resta apenas aceitar✨🙏🏽✨ Apenas isso!!

  30. Frederico diz

    Qualquer medicamento para soropositivo irá deixar sequelas. Eu tomo 3X1 tenofovir, lamivudine, efavirenz há 3 anos e tenho confusão mental, dores de cabeça intensa, zumbido nos ouvidos, indisposição e muito esquecimento. Fiquei 23 dias sem tomar o medicamento e minha qualidade de vida melhorou muito, principalmente o zumbido do ouvido que parou. Hoje em dia eu tomo os medicamentos e continuo tendo uma péssima qualidade de vida. Mas o importante é que ainda estou vivo.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s