Notícias
Comentários 38

Caminhada Noturna

projeto-caminhada-noturna

No dia 01/12, quinta-feira, Dia Mundial de Combate a Aids, o Projeto Caminhada Noturna juntamente com Dra. Glória Brunetti, estarão promovendo uma Caminhada em prol dos 35 anos de Luta Contra a Epidemia.

Este evento, tem como objetivo, aumentar a sensibilização em relação ao HIV/aids para a população em geral, enfatizando os 35 anos de trajetória da epidemia, suas vitórias, seus desafios e homenagear a todos aqueles que tombaram frente a este vírus. Para tanto faremos uma Caminhada Cultural Noturna pelo Centro Histórico de São Paulo, com paradas estratégicas em frente a locais de destaque como Vale do Anhangabaú, CTA- Henrique de Souza Filho – Henfil entre outros Nestas paradas, o guia Laércio de Carvalho, abordará fatos importantes relacionados ao local e sua história e também será exposto de modo breve por mim e por amigos da área, temas que abordem HIV/Aids como: história e evolução da doença, epidemiologia atual Brasil, mortalidade São Paulo – Brasi e prevenção.

Programamos leitura de crônicas e poesias de pessoas que faleceram de HIV como Caio Fernando de Abreu e Betinho.

A participação é gratuita e os participantes receberão um bottom comemorativo do evento onde haverá espaço central para escrever o nome de alguém que faleceu ou luta contra o HIV/Aids e que naquele dia, será homenageado e fará simbolicamente o passeio conosco pelo Centro de São Paulo .

Estamos falando de rápida sensibilização e empatia, valorizando também todos aqueles que trabalham, pesquisam e lutam contra este vírus e esta epidemia, tudo num contexto leve e cultural

Dia: 01/12/ 2016, quinta-feira
Saída: 20 horas do Teatro Municipal São Paulo

Anúncios
Este post foi publicado em: Notícias
Etiquetado como:

por

Jovem paulistano nascido em 1984, que descobriu ser portador do HIV em outubro de 2010. É colaborador do HuffPost Brasil e autor do blog Diário de um Jovem Soropositivo.

38 comentários

  1. Junior diz

    Oi pessoal, tudo bem? Queria relatos de pessoas que interromperam o tratamento, independente do motivo, e ficou algum tempo sem tomar a medicação. Por quanto tempo ficou? Quanto tempo demorou para retornar ao tratamento? Em quanto tempo deixou de ser indetectável? O quanto a carga viral aumentou? Alguém tem alguma história assim e poderia compartilhar? É só por curiosidade mesmo… Obrigado!!

    • Caio PE diz

      Isso varia de pessoa para pessoa. Perguntei isso a uma infecto de Recife e ela disse que medicina não é matemática e não há precisão sobre isso. No entanto, ela disse que, geralmente (não universalmente) cerca de 3 a 4 dias sem tomar a medicação corretamente, os níveis virais já podem começar a surgir no sangue (lentamente). E mais, quando eles surgem (tal data não é precisa), eles podem surgir com mutações resistentes às medicações, já que, para o correto efeito dos medicamentos e da supressão viral, os ARVs devem ser tomados ininterruptamente. É como se a carga viral voltasse “com tudo”, já que agora a mesma medicação não fará mais efeito. Isso, inclusive, é a causa maior de internações referentes ao desenvolvimento das infecções oportunistas: as pessoas acham que estão bem só porque não sentem nada, param de tomar a medicação e vão parar no hospital. Mal sabem elas que estão bem justamente devido aos ARVs. Uma coisa é fato: as pessoas que se tratam corretamente podem sim parar no hospital, mas não devido às complicações causadas pelo vírus.

  2. Positivo Azul diz

    Conheci uma pessoa que ficou tres meses sem a medicacao poque estava indetectavel e achou que era uma pessoa forte e podia adiar o uso do tratamento porque nao sentia absolutamente nada, desde entao comecou a sentir se mal achando que estaria com gripe mas logo em seguida foi internada e diagnosticada com pnemonia ficou 1 semana em UTI porque o medico disse que nesse periodo que ela ficou sem o tratamento o virus soufreu uma mutacao e criou uma resistencia e no 8 dia infelizmente veio a falecer. E claro que a suspensao do tratamento por conta propria varia de pessoa para pessoa mas que as vezes o preco a se pagar por isso pode ser a vida. Pra que arriscar ? Pra que ser tao imprudente e irresponsavel com sigo mesmo e com ate outras pessoas que se preocupam com voce, por exemplo pai, mae, esposa(o), de mais valor a vida em quanto voce a tem. Nos como seres humanos do bem temos a obrigacao de cuidar mos de nos mesmos para que nao nos prejudiquemos a nos mesmos e muito menos aos outros a nao ser alguns seres que existem por ai que se quer pode se chamar de humanos, que nao minha opniao sao uns bichos asqueirosos, nojentos que sabe que tem o virus e sai por ai transmitindo e propagando o virus como se a vida do proximo nao valesse nada. Cuide de sua saude fisica e mental para que voce possa viver bem e em paz com sigo mesmo e com os outros. Va se tratar se voce quer ter uma vida normal e com saude. Desculpe o modo de que como escrevi mas a verdade e essa e para muitos e dificil de digerir.

    • Junior diz

      Positivo Azul, embora eu tenha pedido que pessoas compartilhassem SUAS experiências de interrupção de tratamento, agradeço você por ter tirado um tempo para contar a triste história dessa pessoa que faleceu em apenas oito dia. Bastante impactante e acredito que muito improvável. No entanto queria te convidar para repensar o restante da sua fala… Cuidado para não criar certezas e produzir julgamentos sobre como as pessoas devem viver suas vidas. Como soropositivo, acho muito ruim quando os outros julgam e ditam regras sobre modos de vida. Te convido também, humildemente, para repensar essa história de “pessoas de bem” (um discurso moral muito problemático). Esse tipo de comentário acaba impedindo o diálogo e faz com que as pessoas não se sintam a vontade para conversar sobre suas dúvidas, curiosidades, inquietações e etc. Queria chamar atenção também para o fato de que hora nenhuma eu disse que pretendo abandonar o meu tratamento, ou disse que alguém o deveria fazer… Mas acho importante conversar sobre isso e gostaria MUITO de ouvir de pessoas que já passaram por isso. Refaço meu convite…

  3. Pedro diz

    1 de Dezembro, será que os prédios, monumentos farão alguma homenagem ao dezembro vermelho, sempre percebo o outubro rosa o novembro azul que não deixam de ser importantes. Sobre o dezembro vejo a mídia noticiando vagamente como se não fosse uma prioridade e além do mais estigmatizando os sorospositivo, não vejo sequer relatos sobre os avanços e a importância do tratamento em estar indetectável.

  4. Oi+ diz

    Olá, pessoal, tudo bem? Faço tratamento há mais ou menos 5 meses e com dois meses fiquei indetectável, atualmente estou tendo alguns episódios de suores noturnos, mas nada muito pesado, vocês acreditam que isso possa ser um indicativo de que meu vírus se tornou resistente a algum dos medicamentos que tomo?

    • Caio PE diz

      Se está indetectável significa que o tratamento está em fase de sucesso (continue tomando corretamente os ARVs). Procure seu infecto para tirar essa dúvida do suor noturno. Possa ser que seja uma reação da combinação de ARV que vc esteja tomando.

  5. Positivo Azul diz

    Pedro
    Eu partilarmente fico muito triste netse mes porque a midia ao inves de combater o preconceito contra as pessoas soropositivas ela faz justamente o contrario, relatam sobre a importancia de fazer o teste e se tratar e claro, mas nos descrevem como se fosse mos uma bomba biologia, na maioria das vezes nao sabem distiguir HIV de AIDS. Colocando na cabeca de soronegativos que nos somos uma ameaca e que somos culpados por nossa condicao. Mas em fim o combate nao tem que ser somente no mes de Dezembro, tem que ser dia a dia, 365 dias por ano. Chegamos a realidade que nao e um mes vermelho e sim o ano todo. Vamos nos cuidar galera e fazer nossa parte.

    • Gohan diz

      As pessoas ligam HIV a pessoas promiscuas, drogadas e Homossexuais.

  6. Positivo Azul diz

    Pedro
    Eu partilarmente fico muito triste neste mes porque a midia ao inves de combater o preconceito contra as pessoas soropositivas ela faz justamente o contrario, relatam sobre a importancia de fazer o teste e se tratar e claro, mas nos descrevem como se fosse mos uma bomba biologica, na maioria das vezes nao sabem distinguir HIV de AIDS. Colocando na cabeca de soronegativos que nos somos uma ameaca e que somos culpados por nossa condicao. Mas em fim o combate nao tem que ser somente no mes de Dezembro, tem que ser dia a dia, 365 dias por ano. Chegamos a realidade que nao e um mes vermelho e sim o ano todo. Vamos nos cuidar galera e fazer nossa parte.

  7. Daniel Lemos diz

    boa tarde.

    o que tivemos de avanço efetivo esse ano ?

    pra mim os assuntos prioritários sao 1. Cura 2. retrovirais de longa duração

    abs

    • Victor diz

      Novidades para 2017 (talvez algumas para 2018):

      O primeiro regime 4×1 em comprimido único com um inibidor de protease (darunavir/colbicistat/emtricitabina/tenofovir AF).
      O primeiro regime 3×1 com um inibidor de integrase contendo o novo Tenofovir AF (bictegravir/emtricitabina/tenofovir AF).
      O primeiro regime de longa duração injetavel mensal (cabotegravir + rilpivirina), que servirá também como profilaxia pré-exposicao (Prep).
      Dois novos inibidores de entrada para pessoas com vírus multi-resistentes e opções mínimas de tratamento: ibalizumab e fostemsavir.
      Terapia dupla com dolutegravir + lamivudina (estudo atualmente em fase 3).
      Uma nova formulação do Raltegravir, que será administrado em dose única diária.
      Doravirina, uma nova droga NNRTI, que tem atividade contra vírus resistentes ao efavirenz e á nevirapina. Ela está sendo formulada em um regime de comprimido único diário, com Lamivudina e Tenofovir.

      Sem previsões para a cura! A maioria dos cientistas que estão á frente das maiores pesquisas afirma que não a veremos antes de 10 a 15 anos, mas dizem que “nunca se sabe”.

      Um abraço a todos e ótimo fim de ano!

      • ArielLima diz

        Que venha logo esse injetável mensal. E que um dia se torne bimestral, trimestral…

  8. Miguel diz

    Hoje aparece tanta notícia de cura que parece que é só ir na farmácia e escolher o que te convém… quem sabe um dia bem próximo isso torna-se realidade! Força e Fé a todos!

  9. Positividade diz

    Acabei de vê q começaram um teste com uma vacina na África do sul, uma vacina melhorada de uma q testaram em 2003, estao utilizando 5 mil pessoas e vão publicar resultados em 2020. Mas pelo q entendi estao vacinando os não soropositivos. Alguém sabe se essa vacina servirá para os soropositivos tb?
    http://www.bahianoticias.com.br/noticia/199708-039-hvtn-702-039-pesquisadores-testam-vacina-experimental-contra-hiv-na-africa-do-sul.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

  10. Mineiro007+ diz

    1 de Dezembro era para alertar sobre a doença, de fazer o teste de HIV, de adotar a terapia antirretroviral e diminuir o estigma que cada vez cresce pela falta de conhecimento da população “burra” brasileira. Acabei de ver uma publicação de um ator onde ele dizia: “Protege-se. Pois viver com HIV não rola” ? Como assim não rola ? Até agora estou tentando entender esse trecho e a mensagem que ele quis passar.

  11. luquinha diz

    Se a caminhada fosse de dia , os participantes teriam ganho um boné e um óculos escuros para se esconder quer dizer se proteger do sol
    Mais como é a noite vão ganhar um botton .

    • Alexandre diz

      O vídeo do Dr. Ricardo tem como título “Perspectivas para o HIV”. Assisti 3x e até agora não sei qual a perspectiva dele. KKKKKKKKK!

  12. Na verdade o título do vídeo não condiz com o que foi explanado pelo Dr. Ricardo. Ele simplesmente fez um resumo do que acontece com o HIV no corpo humano e falou brevemente sobre a pesquisa que ele está conduzindo (que eu rezo para que dê certo).
    Vamos torcer para que dê certo e funcione como um tratamento de cura, pois sinceramente já estou de saco cheio dessa porra desse vírus no meu corpo.
    Abraços.

  13. Acadêmico-RS diz

    Com a adesão e sucesso dos antirretrovirais às pesquisas enfraqueceram. Essa semana li em um noticiário sobre o novo vírus do HIV resistente a todos os antirretrovirais existentes. O novo vírus está se espalhando pelo continente africano. O fim da epidemia estava com data marcada para até 2030. A descoberta do novo vírus tem deixado os médicos e os cientistas muito preocupados. Acredito que muitas pesquisas tomaram outro rumo. A possível cura chegará daqui uns 10 anos ou menos. Não estou querendo assustar ninguém, mas o nosso problema está perto de ser resolvido. Não vamos nós expor mais uma vez, pois não se sabe quase nada sobre o novo vírus. Um abraço a todos!

    • cariocarj diz

      Acadêmico RS, você cursa medicina, certo ?

      Qual é sua ou vai sua área de especialização.

      • Acadêmico-RS diz

        CARIOCA RJ: Sim. Ainda vou levar alguns anos para concluir o curso. Meu sonho era seguir na área de cirurgia plástica. Infelizmente meus planos mudaram com o resultado do exame de HIV. Se tudo de certo pretendo entrar em algum grupo de pesquisa assim que concluir o curso.

  14. Pedro Dias diz

    Pessoal, eu iniciei meu tratamento há 1 ano atrás com o 3×1, tive bastante tontura nos primeiros meses, fadiga, etc. Mas ainda sim suportei tudo e fiquei 1 ano com esse esquema, até que o mesmo me causou uma hepatoxidade grave e meu médico resolveu mudar o esquema para: raltegravir + lamivudina + tenofovir, ainda não comecei esse novo esquema, só na próxima semana. Já sei que são 3 comprimidos ao dia, sendo DOIS pela manhã e UM após 12h…O que tem me preocupado é a administração disso, pois sem que preciso tomar nas horas corretas para que o mesmo não falhe e supra meu tratamento. Como vocês fazem quando estão na rua, ou numa festa e já deu o horário do seu remédio? Como administram esses horários com a vida social? A coisa boa do 3×1 no meu caso era a questão ser um comprimido ao dia que tornava tudo mais fácil. Alguém ai pode me ajudar? Alguém usa esse esquema? Quais os efeitos colaterais iniciais do mesmo? Brigado mesmo

    • Luiz Carlos diz

      Meu médico sempre foi muito aberto comigo quando eu precisei trocar de esquema (por problemas com o EFV). Ele me deu todas as opções e optei por ATZ/r + TDF + 3TC justamente por eu poder tomar apenas uma vez no dia. As medicações são tolerantes a uma pequena variação de horários. Eu costumo tomar sempre por volta das 23h durante a semana, na hora de dormir, mas no final de semana às vezes acabo tomando lá pelas 4 da manhã, se saio para uma festa, por exemplo.

      Temos que tomar a medicação todo dia, procurar nos regrarmos quanto a horário, mas não é um regime extremamente militar. Há uma pequena tolerância. Uma única vez eu esqueci de tomar a medicação, e acordei no dia seguinte assustado umas 9h da manhã, vi que não tinha tomado (pois uso pill box para controlar), e tomei. Mandei mensagem logo em seguida para o meu médico e ele disse para ficar tranquilo. Não tive nenhum problema.

      Antes que me negativem, não estou dizendo que é festa da uva, mas que devemos viver nossas vidas também, não adianta passar o dia inteiro pensando “meu Deus, tenho que tomar o remédio daqui a 3 h 47 min…”

      Eu sempre usei pill box e recomendo MUITO, pois é algo de 5 reais que tira aquela agonia de tomar, esquecer que tomou, e passar o dia inteiro pensando se tomou ou não. Sobre ir à festas, etc, depende muito do efeito da medicação no seu organismo. Se você não sente efeito ao tomar a medicação, é só levar os comprimidos em um potinho.

      Eu, por precaução, sempre tenho um potinho (bem pequeno) em lugares estratégicos, como no carro e na mochila do computador, coisas que estão todo dia comigo. Se por algum motivo absurdo eu esquecer ou me deparar com uma situação que não estou em casa, tenho remédios próximos. Sempre tomando o cuidado de guardar em um lugar fresco, escuro, etc, como todo medicamento.

      Abraços.

    • Caio PE diz

      Coloque celular para tocar na hora e leve os comprimidos em um pedaço de papel alumínio no bolso para onde for.

  15. Lucas-BA diz

    Galera. Tem 4 meses que fui diagnosticado com HIV, à 3 meses faço o uso do 3×1, mas eu estava em um período de concurso. Perdi 5 quilos durante os 3 meses de uso do 3×1 . É normal essa perda de peso ? Ela controla com o tempo? Ou preciso pedir o meu médico para mudar a medicação ? Isso incomoda bastante, ainda mais em cidade pequena que o povo fala de todo mundo…

    • Positivo diz

      Lucas- BA, ja faz 8 meses que estou tomando o 3 em1, só tive reação da tontura nos 3 primeiros dias , q foi diminuindo ao longo da primeira semana, Com relação ao peso, eu não tive perda de peso, ao contrario, eu ganhei nesses 8 meses 2 quilos. obs: sou uma pessoa q nunca gostei de beber nem fumar e ja faz cinco anos que tenho uma rotina de academia, musculação e umas 4 vezes na semana de corrida na esteira. Parece que a indicação dos médicos para fazer musculação (sem exageros) para aumentar ou nao perder massa muscular no corpo e fazer exercícios aeróbicos (como corrida) ajuda e muito na autoestima e na distribuição da gordura no corpo. Com essa rotina eu estou conseguindo controlar meu peso e nunca ninguém chegou a questionar se eu estava com alguma doença. Mas informe ao seu medico se vc esta perdendo peso, pois cada um se adapta ao remédio de um jeito. Bom tratamento. Abraços

  16. Antonio diz

    Pessoal quem recomenda um bom médico em SP que atenda por convênio Bradesco, na região da Paulista ou centro.
    Por favor.
    Mande o contato por aqui ou pelo e-mail por favor
    antonio.almeica@gmail.com

  17. André diz

    Amigos, preciso saber se quando se inicia a medicação acontece alguma alteração física perceptível pra quem convive em casa ou no trabalho. Tive uma situação de risco seguida de sintomas e estou nesse período de aguardar exames. Se der positivo não quero contar a ninguém. De já agradeço.

    • Luiz Carlos diz

      Varia muito de pessoa pra pessoa e de medicamento pra medicamento. No caso do Efavirenz acho que o mais perceptível é o rash cutâneo, que você pode dizer que é uma alergia. No caso do Atazanavir é a icterícia, que você pode dizer que é Síndrome de Gilbert…

    • Jorgito diz

      O mais comum é não aparecer nada. No meu caso especificamente não apareceu absolutamente nada. Eu tomo o esquema do Atazanavir, que pode causar icterícia, mas em mim não apareceu. É mais comum não aparecer nada, qualquer que seja o esquema.

  18. Atonio Rodrigues diz

    Estou tomando o 3×1 há 15 dias, estava depressivo e desesperado, quando passei a acompanhar as opiniões aqui postadas,todas muio otimistas, foi um grande alívio , ainda não consigo dormir direito e
    e sempre bate aquele desespero, observo que quase todos são jovens, tenho 64 anos, diabetico e hipertenso, gostaria de ouvir pessoas nessa situação.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s