Notícias
Comentários 65

Dolutegravir é mais rápido em reduzir a carga viral do sêmen


idibell

Mais de 2 milhões de pessoas foram infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) em 2015, sendo a transmissão sexual o principal canal de infecção. Pesquisadores do Grupo de Infecções do Trato Respiratório e Pacientes Imunocomprometidos do Instituto de Pesquisa Biomédica de Bellvitge (IDIBELL), liderados pelo Dr. Daniel Podzamczer, avaliaram a velocidade com que um novo medicamento antirretroviral, o Dolutegravir, é capaz de reduzir a carga viral no sêmen, uma área do corpo considerada um reservatório do vírus e os medicamentos têm mais dificuldade em chegar. Os resultados, publicados no Journal of Infectious Diseases, mostram o potencial desses novos tratamentos em reduzir as chances de transmissão sexual do vírus.

“No caso de casais sorodiscordantes, enquanto a carga viral do parceiro diminui, recomenda-se que a pessoa soronegativa tome profilaxia, além dos preservativos”

Os tratamentos antirretrovirais atuais são capazes de diminuir a carga viral do sangue e torná-la indetectável dentro de seis a nove meses do início do tratamento na maioria dos pacientes, embora se estime que cerca de 5 a 25% dos pacientes mantenham níveis detectáveis de vírus no sêmen após este período, devido a vários fatores que nem sempre são conhecidos. “Portanto, no caso de casais sorodiscordantes ,nos quais apenas um dos parceiros é portador do vírus, enquanto a carga viral do parceiro diminui tanto no sangue quanto nos reservatórios, recomenda-se que a pessoa soronegativa tome medicamentos antirretrovirais como profilaxia, além dos preservativos”, diz o Dr. Podzamczer.

No entanto, existem novos fármacos, conhecidos como inibidores da integrase, que podem agir muito mais rapidamente. “Neste estudo, nos concentramos em avaliar a taxa de queda da carga viral em pacientes que receberam esses novos tratamentos, em especial o Dolutegravir”, explica o Dr. Arkaitz Imaz, primeiro autor do estudo. “Medimos a carga viral no sangue e no sêmen antes de iniciar o tratamento, aos 3 dias, aos 7, aos 14, no primeiro mês, no terceiro mês e no sexto mês. Sabemos que a carga viral cai rapidamente durante os primeiros dias e semanas. Adaptando um modelo matemático-estatístico complexo aos nossos dados e às características dos nossos pacientes, foi possível obter um modelo cinético específico da carga viral para cada fluído, sangue e sêmen, sob este regime de tratamento.”

dolutegravir

Os pesquisadores observaram que, embora a taxa de queda na carga viral seja significativamente maior no sangue do que no sêmen durante os primeiros dias, ela é é igual durante a segunda fase de queda. No entanto, apesar da diferença de velocidade, a carga viral se torna indetectável mais rapidamente no sêmen do que no sangue porque os valores de base são muito mais elevados no sangue, ou seja, há muitos mais vírus a eliminar. “Esses resultados sugerem a possibilidade de reduzir o tempo de profilaxia ao usar esses novos tratamentos”, observam os pesquisadores.

“A concentração de Dolutegravir no sêmen é mais que suficiente para garantir a queda da carga viral neste reservatório”

Por outro lado, o padrão de queda é muito mais homogêneo no sangue do que no sêmen. A heterogeneidade no sêmen demonstra a natureza diferencial e mais imprevisível deste fluído como reservatório do vírus. Nesse sentido, é interessante notar que não existe uma correlação clara entre a concentração de medicamento no sêmen e a diminuição da carga viral: “a concentração de Dolutegravir no sêmen é mais que suficiente para garantir a queda da carga viral neste reservatório”, explica o Dr. Podzamczer, “porque mesmo que apenas 7 a 8% do medicamento do sangue chegue ao sêmen, a proporção de medicamento ativo no sêmen é muito maior do que a observada no sangue. Isso era algo que não sabíamos até agora.”

“Se reduzimos o tempo de queda da carga viral, reduzimos claramente a possibilidade de transmissão”

Atualmente, inibidores de integrase são recomendados por todas as diretrizes clínicas como a primeira linha de tratamento. “Nosso estudo reforça essa decisão, especialmente à luz do cenário atual de transmissão do HIV. Se reduzimos o tempo de queda da carga viral, reduzimos claramente a possibilidade de transmissão, especialmente entre os grupos de alta prevalência do HIV”, argumenta o Dr. Imaz. No editorial que o Journal of Infectious Diseases dedica ao artigo, ressalta-se a necessidade de replicar este estudo com outros novos fármacos atualmente em desenvolvimento, tal como os antirretrovirais de longa duração, para avaliar o potencial destas novas terapias e sua atividade neste reservatório viral.

O trabalho foi realizado em colaboração com o Dr. Jordi Niubó, também membro doGrupo de Infecções do Trato Respiratório e Pacientes Imunocomprometidos do IDIBELL, e com os grupos de pesquisa da Dra. Angela D. Kashuba, do Centro de Pesquisas sobre Aids da Carolina do Norte,  e o Dr. Javier Martínez-Picado, do IrsiCaixa Aids Research Institute.

Em 22 de novembro por IDIBELL

Fonte:  Imaz A, Martinez-Picado J, Niubó J, Kashuba AD, Ferrer E, Ouchi D, Sykes C, Rozas N, Acerete L, Curto J, Vila A, Podzamczer D. HIV-1-RNA Decay and Dolutegravir Concentrations in Semen of Patients Starting a First Antiretroviral Regimen. J Infect Dis. 201
Anúncios

65 comentários

  1. cbb diz

    Alguém poderia me responder se tomando os meus ARVs durante 4 meses seguidos, religiosamente a mesma hora, eu poderia já estar com a carga viral indetectável, sendo que neste espaço de tempo o cd4 saiu de 326 a 648.
    Pergunto isto porque aqui no meu país, Angola, no centro onde faço as consultas não fazem exame de carga viral.
    Por favor alguém me dê uma ideia pq estou mesmo muito preocupado, pq 4 meses dps de ter iniciado o tratamento tive uma relação em que o meu preservativo rebentou e só dei conta no fim do coito. Mas passados 5 meses a minha parceira não apresentou os sintomas de infecção pelo vírus hiv.

    • Bem provável que sim. Comigo foi exatamente nesse tempo tomando o 3×1!
      Se tomar certinho sem falhas com certeza já está Indetectável.
      Outro ponto importante é o cansaço que vai embora e as inguas no pescoço que somem quando o vírus está suprimido!

      • Matheus diz

        Lulicilio onde era suas ínguas do pescoço…e demorou muito para elas sumirem?

    • Eletrax diz

      E bem relativo isso de ficar indetectav cBB isso vária de pessoa por pessoa.eu mesmo com 5 meses de tratamento fiquei indetectav.como tem pessoas que fica seis a oito meses.mas a melhor forma de saber e fazendo a carga virar.

    • Gil diz

      É bem provável que você esteja com taxas indetectaveis sim, após 4 meses de tratamento

  2. Matheus diz

    Cbb em 4 meses de tratamento seu CD4 dobrou e já está na taxa de normalidade(acima de 500) muito provavelmente vc já está indetectável…fique calmo e continue seu tratamento a risca,abraço aos nossos amigos angolanos.

  3. cbb diz

    Mto grato pela atenção dispensada companheiro. Um forte abraço aos nossos irmãos brasileiros e em especial a todos os companheiros nesta luta terrível que é combater esse vírus maldito.
    A propósito o 3×1 que nos é receitado é composto por tenofavir, erimitrobicina e efavirenz e vejo que esta combinação pode trazer sérias complicações de saúde a longo prazo. Gostaria de saber se esse longo prazo se refere à qto tempo de concreto, visto que estou em tratamento desde 11 de Março de 2016, após ter descoberto a minha soropositividade a 2 de Fevereiro.

  4. Maycon diz

    Uns 20 anos! Mas é reversível… Relaxe pois até lah jah teremos dado um fim nesse vírus.

  5. rodrigo diz

    Faço uso atualmente do 3×1 há 2 meses, sou portador há mais de 5 anos, antes eu estava usando efavirenz+biovir, sempre tomei as medicações nas horas certas, nunca interrompi em nenhum momento , meu ultimo cd4 realizado há 2 meses deu 488 , a sífilis também reapareceu alta, tomei 2 benzetacil em setembro , 2 dias atrás fiz o VDRL pois estava sentido muito calor e sensação de sufoco , e deu 1/64, pedi pelo menos uma benzetacil pois eu estava muito preocupado , o clinico geral pediu para eu retornar ao infecto para fazer o tratamento .Durante esse período de tratamento eu sempre me preveni , estou com medo do coquetel 3×1 estar falhando. Uma vez se contraindo sifilis, ela sempre reaparece ?

    • Tom diz

      Rodrigo, segundo meu infecto, a sífilis fica controlada após a penicilia, fica inativa, com exames sempre indicando taxa baixa (1/4, 1/8), mas em algumas condiçòes de imunidade baixa, a taxa pode aumentar, sendo necessario novo tratamento… Pode ocorrer nova infecção, novo contato com alguém infectado….

  6. Tom diz

    Pessoal, quanto à integração do dolutegtravir em primeira linha, alguèm sabe se isso ocorrerà oficialmente no inicio de 2017? Em minha última consulta, peguei receita do infecto pra começar meu tratamento, com 3×1 agora em dezembro… Meu cd4 està acima de 500 e carga viral baixa (menos de 5mil).. Eu poderia aguardar mais um pouco p iniciar tratmento….Tenho receio dos efeitos do efavirenz..Mas para o medico, o dolutegravir pode não ser disponibilizado logo..

  7. R tentandosuperar diz

    O meu CD4 está acima de 1000 e minha carga viral 14000, o meu médico me aconselhou a não iniciar o tratamento por enquanto. Já tenho 8 meses de diagnostico e não tive nenhum sintoma ..Com alguém foi assim? Estava conversando na sala de espera com outro paciente e ele já está dois anos de diagnostico e sem tratamento.

    • Tom diz

      O meu infecto vem deixando que eu escolha o momento de iniciar..por enquanto ele disse que a escolha é minha… cd4 acima de 500 e carga viral baixa..embora ele me lembre que o protocolo atual é começar o quanto antes…. Acabei de pegar receita p iniciar tratamento com 3X1…. ainda em dúvida…por causa dessa noticia do dolutegravir…

    • Goiano + diz

      R Tentandosuperar, Meu cd4 esta 650, e minha carga viral esta 3.122, sou diagnosticado desde de agosto de 2015, sou assintomático, e minha infecto recomendou eu não iniciar o tratamento por enquanto, ou se iniciar, esperar o novo medicamento em 2017 ( dolutegravir ).
      Não sei ao certo se irei iniciar a medicação em Janeiro. A inicio do seu tratamento sempre é um conversa franca com seu medico e você, baseado nos exames que tem feito.
      Detectável ou indetectável, camisinha SEMPRE.

    • Luiz Carlos diz

      É a famosa “faca de dois gumes”. Por um lado, para quem tem o sistema imunológico bom, faz sentido do ponto de vista clínico esperar pelo DTG, pela menor toxicidade, menores efeitos colaterais, etc. Por outro, na minha percepção, além de você estar cada vez mais tendo seu sistema imunológico atacado e “perdendo imunidade” que você terá que recuperar depois, quando se sabe que é soropositivo, se carrega carga viral no sangue, se por algum motivo qualquer você transar e a camisinha estourar, eu me colocaria a responsabilidade por transmitir o vírus inteiramente em mim, e me sentiria muito culpado, talvez pelo resto da vida, se a pessoa com quem tive relação sexual adquirisse o vírus, apesar de hoje existir PEP e etc.

    • César diz

      Eu vou completar 10 anos sem tratamento. Minha carga viral é apenas 200 cópias, sempre foi assim, baixíssima. O meu médico pressiona para eu começar o tratamento, porque agora o protocolo do Ministério da Saúde é enfiar o coquetel goela abaixo. Comigo não!

  8. Leoz diz

    Estou sofrendo muito de icterícia nos olhos devido ao atazanavir. Tive alergia ao efavirenz anteriormente. Será que poderei trocar minha medicação pelo dolutegravir? Não aguento mais as pessoas me olhando e perguntando se estou doente. Minha vontade é so de ficar em casa. Se não puder trocar vou parar a medicação. Minha vontade é de morrer de uma vez. Desculpem.

    • Caio PE diz

      Cara, tome bastante água (no mínimo 2l) ao longo do dia para “dissolver” as bilirrubinas. Elas é que causam o amarelo nos olhos e na pele. No mais acredite: essa combinação é muito boa que vc está usando. Posologia muito cômoda e efeitos colaterais “baixos”. Acredite!

      • Rick diz

        Caio qual seu esquema ? Ritonavir + atazanavir? Lamivudina + tenefovir? Saúde!!!

    • luk diz

      Leoz, estou passando pela mesma situação que você. Após 5 meses sem a carca viral zerar, fiz a genotipagem e deu resistência ao EFV. Troquei para o mesmo esquema que você está utilizando e após 2 meses nesse novo esquema, peguei hoje o resultado da minha CV: 100 cópias. Também estou com os olhos amarelados e é muito desagradável quando perguntam o porquê dos olhos amarelos. Poderia dizer pra você beber muita água que isso logo vai passar, foi o que me disseram e há 1 mês eu bebo cerca de 3 a 4 litros de água por dia. Tem dias que esta menos amarelo, tem dias que está mais amarelo. Meu conselho é que você encontre uma forma de lidar com as pessoas que percebem e perguntam o que está acontecendo. Ainda é muito difícil pra mim tb lidar com essa questão. Eu estava me isolando do mundo, fugindo das pessoas, sempre me escondendo. isso é um erro. Procure uma forma de lidar com isso.
      Você pode inventar alguma história, como eu fiz no início (Hepatite A, por exemplo), você pode dizer que já percebeu e que não é nada demais, pode não dizer nada e, se a pessoa insistir você pode pedir que a pessoa não fale mais no assunto, você pode falar a verdade, entre outras alternativas. O que você não pode é deixar que essa situação te leve pro isolamento, te deixe mal. Não existe opção correta a seguir, a opção correta é aquela que deixará seu coração em paz. É o que eu tenho tentado… ficar em paz. Um acompanhamento psicológico ajuda mt também…
      Caso queira conversar mais, fique a vontade para me escrever.
      luktudonovo@hotmail.com

    • cariocarj diz

      Leoz

      O que o EFV lhe provocou para você ter alergia a ele ? Que sintomas ? O que provocou ?

    • Mutatis MUTANDIS diz

      Leoz, é cíclico….vai e volta…vai e volta…essa icterícia é triste, mas tem coisa pior…e é muito forte no começo.

      Minha Bilirrubina já chegou a incrível marca de 08….pessoas “normais” é 2…cara, parecia uma gema de ovo…

      Num tenho como fugir dela, gosto desse esquema, praticamente não tem efeitos colaterais (pelo menos nesses 03 anos que uso..), exceto esse amarelão…

      Mas passa…tome seu peso x 35 de água/dia. Ou seja, se vc pesa 70kg, vc faz a conta de 70×35=2450, isto é, vc tem de tomar 2L 450ml de água por dia (água é agua, não é suco…desculpe a redundância…rsrsrs). Essa fórmula foi uma nutricionista renomada daqui que me ensinou…mas, cá pra nós, apenas ameniza (pelo menos no meu caso).

      Se um amigo mais chegado, irmao, ou coisa parecida, perguntar vc fala que desenvolveu Síndrome de Gilbert e pronto…as pessoas se acostumam, mas fundamentalmente nós é que temos de nos acostumar….é foda…desculpe o palavrão.

      definitivamente não precisamos dar satisfação de nossas particularidades pra todo mundo…

      Desculpa a grosseria, mas é que o povo só quer saber da vida alheia mesmo… sob o pretexto de ajudar….

  9. Positivo + diz

    Tom
    Se eu fosse você não esperaria acontecer para iniciar o tratamento uma vez que o vírus pode aumentar sua carga virar rapidamente e seu CD4 despertar em curto prazo sem falar nas doenças oportunistas como a pneumonia por exemplo que pode ser fatal. Referente ao Dolutegravir isso deve estar disponível provavelmente em Março em diante, sabe como é burocrático esse nosso país né embora graças a Deus pelo menos o tratamento temos a disposição. Cuide se logo esqueça de “medicamentos promessas”.

  10. Augusto diz

    Sera que Janeiro teremos o Dolutegravir? Estou aguardando o inicio do meu tratamento pra começar com ele

    • Luiz Carlos diz

      Duvido muito. Foi dito que estaria disponível “em 2017″…

  11. Paciente e otimista diz

    Boa noite a todos, qual a opinião de vcs em relação a essa nova forma do ministério da saúde de informatizar o sistema, sendo que tudo ficará no histórico do , e o sigilo em relação ao HIV? Como fica?

  12. Mineiro007+ diz

    Minha carga viral estava 450 e o CD4 acima de 1200. Minha médica me aconselhou iniciar o tratamento no mesmo dia. Será que fiz errado ? Deveria ter esperado o Dolutegravir ? Ou fiz o certo ?! Fico confuso…

    • Tom diz

      Mineiro, o protocolo hoje é de que se deve iniciar o tratamento logo após o diagnóstico, pois evita transmissão e danos ao sistema imunológico. Mas percebo, pelos comentários aqui, que alguns infectos seguem exatamente o protocolo, enquanto outros, permitem que o paciente tome a decisão.
      O meu infecto, que é particular, vinha deixando eu escolher, porque estou com carga abaixo de 5mil e cd4 entre 500-700… Na última consulta, eu quis falar sobre o inicio do tratamento…mas ele não pensou em alternativas..nada..só falou do 3X1 que é a primeira linha… e me deu a receita. Ele acha que o DTG pode demorar a ser disponibilizado…
      Mas se você iniciou o tratamento e está tolerando bem, sucesso!! fez boa escolha…
      boa sorte!

      • Mineiro007+ diz

        TOM. Obrigado pelas informações. Estou tomando o 3×1 a 3 meses, o único efeito colateral foi a perda de peso 4 quilos. Estou ótimo, graças a Deus e minha médica. Mas as vezes alguns comentários me assusta. Muitos falam mal do 3×1, que ele é muito tóxico…
        Mais uma vez, obrigado !

    • Marc diz

      Comentario um pouco atrasado rsrrsr.
      Nossa, sua medica teria enlouquecido comigo, pois só iniciei o tratamento após quase 10 anos com CD4 a 178.
      Só comecei em fevereiro desse ano,2017 com o Dolutegravir. obs: nunca fiquei doente nesse periodo, apenas alguns resfriados de leve.

  13. Ph diz

    Luk e Leoz,

    Eu tomo Atazanavir. Mudei pq meu esquema com 3×1 me deixava exausto o dia todo. Foi a melhor coisa que fiz. Até onde ouvi do meu infecto, isso de ficar amarelo é meio genético. Ou vc vai ter ou não vai ter. Eu não tive. Estou muito feliz tomando 3 comp por dia.
    Existe na sequancia outro esquema pra qual não se der bem com o Atazanavir. Que é um precursor do Darunavir (não me lembro o nome). Converse com seu médico sobre trocar.
    Qt ao que falar pros amigos, fala que vc investigou e descobriu que tem Síndrome de Gilbert.
    É uma Sd. Genética que alguma pessoas tem, onde se elas se estressarem, ou dormirem pouco, ou não beber água, ou se alimentam mal, o olho fica amarelado.
    Aí depois eles vão no Google pesquisar.

    Se quiser conversar sobre isso no Kik, o meu é Ph_Tc

    Se cuidem.

    • Caio PE diz

      De fato, são 3 comprimidos que se tomam 1x ao dia: TDF, 3TC e ATZ/r. Os efeitos colaterais são mais “brandos”. Dizem que o EFZ é terrível. Mas isso varia de organismo para organismo.

  14. Azul Positivo diz

    Quanto mais cedo voce comecar a se tratar melhores serao os resultados. Evite que sua carga viral aumente e seu cd4 diminua, de valor no que voce ja tem em maos, esse virus nao tem um botao de pausa. Verifique com seu medico sobre a possivel mudanca de medicacao assim que o Dolutegravir estiver realmente disponivel. Referente os efeitos colaterais isso varia de pessoa para pessoa e existem outras combinacoes. Tome a medicacao diaria prescrita pelo seu medico corretente. Fiquem com Deus e a vida continua …

  15. Victor diz

    Não é apenas uma questão de transmissão. Esperar para tratar porque?! TODOS os estudos mostram que só há benefícios em iniciar o tratamento de forma precoce! As pessoas ficam imaginando que o Dolutegravir é isento de efeitos colaterais, mas estudos recentes mostram que não é bem assim. As taxas de descontinuação são semelhantes ás do efavirenz.

    A seguir, trecho de entrevista de 2015 do infectologista Ricardo Diaz, da UNIFESP. Vale a leitura! Logo abaixo, link da entrevista completa.

    Qual é a relação entre o tratamento precoce do HIV e a cura da aids?

    Como eu falei, o vírus vai entrando em latência e essa é uma barreira grande para a cura. Uma quantidade de células simplesmente se desliga e o vírus fica lá quietinho. Essas células latentes vão aumentando de forma progressiva. Depois de um ano de infecção, a pessoa tem mais células latentes do que tinha no momento que ela se infectou. Depois de dois anos, ela tem mais ainda, então, quanto mais o tempo passa sem tratamento, mais as células aumentam. As pessoas que tratam mais precocemente estão mais próximas da cura porque têm uma barreira menor a ser vencida.

    http://agenciaaids.com.br/home/noticias/volta_item/23818

  16. Pablo diz

    Os efeitos colaterais variam mt de pessoa pra pessoa. Eu não tive nenhum efeito sequer do efavirenz que todos tem medo. Na primeira semana uns sonhos loucos, somente. Trabalho normalmente, faço atividade física ao ar livre, saio com amigos, dou belas risadas, choro qdo é preciso. A vida é mesmo assim. Lendo os comentários, eu aconselharia a iniciarem o tratamento o qto antes. Só consigo pensar em benefícios fazendo o tratamento. Se não fizer, já é outra história. De qualquer forma, cada um tem livre arbítrio. Todas as noites eu rezo/oro agradecendo a Deus e ao universo pela oportunidade de poder saber minha sorologia a tempo e ter a oportunidade de poder me tratar. Saude a todos.

  17. Marcus diz

    Gente, falam tanto desse Efavirenz que eu fico morrendo de medo. To tomando desde maio, o único efeito que tive foi náusea por uma semana, depois passou. O grande problema dele é a depressão, mas eu já tinha, e aguda, então não sei dizer se foi o remédio que piorou, se foi o estresse da nova condição, a não aceitação, sei lá, a depressão piorou muito, mas não teria coragem de trocar um medicamento que tá funcionando, prefiro ter opções se um dia ele falhar. Eu emagreci muito, depois de começar tomar uns 5 quilos, já tinha perdido 5 quando tive o diagnóstico e entrei em depressão, e agora não engordo nem a pau (nem me entupindo de comer) mas isso não chega a ser ruim, sinto falta da minha bunda, mas me livrei da barriga, rs. Os sonhos de fato são mais vívidos mas não chegam a ser pesadelos ou alucinação, só parecem mais reais (quando o sonho é bom, isso até é bom, rs). Eu sinceramente não vejo esse terror todo, efeitos vão ter, mas são sutis perto dos efeitos de quem se tratava nos anos 90 ou do terror das pessoas que nos anos 80 tinham só o diagnóstico e um “boa sorte”. Dolutegravir é mais moderno, mas é novo, quem pode garantir os efeitos a longo prazo? Sabe aquela coisa: Vc tá num emprego há anos, já sabe dos defeitos do seu chefe, repartição, tudo enfim, mas o salário ta garantido, sua posição tudo certo, vem uma empresa nova e promissora, vc vai arriscar sem conhecer nada direito, nada a longo prazo. Sei la, o bem da verdade é que eu queria um remédinho que acordasse todos os vírus latentes e fossem morrendo um a um até ouvir do infecto, “a partir de agora vc ta curado, chega de remédio e se cuida pra não passar por isso outra vez…”

  18. João diz

    Notícias assim me deixam um pouco confuso, porque algumas falam que indetectáveis não transmitem o vírus (Estudo PARTNER 2, por exemplo), ou seja, não estaria presente no semem. Mas aqui a notícia segue por outro caminho, mais incerto, onde entendo que mesmo indetectavel há risco. Para onde ir?

  19. Pedro Dias diz

    Pessoal, eu iniciei meu tratamento há 1 ano atrás com o 3×1, tive bastante tontura nos primeiros meses, fadiga, etc. Mas ainda sim suportei tudo e fiquei 1 ano com esse esquema, até que o mesmo me causou uma hepatoxidade grave e meu médico resolveu mudar o esquema para: raltegravir + lamivudina + tenofovir, ainda não comecei esse novo esquema, só na próxima semana. Já sei que são 3 comprimidos ao dia, sendo DOIS pela manhã e UM após 12h…O que tem me preocupado é a administração disso, pois sem que preciso tomar nas horas corretas para que o mesmo não falhe e supra meu tratamento. Como vocês fazem quando estão na rua, ou numa festa e já deu o horário do seu remédio? Como administram esses horários com a vida social? A coisa boa do 3×1 no meu caso era a questão ser um comprimido ao dia que tornava tudo mais fácil. Alguém ai pode me ajudar? Alguém usa esse esquema? Quais os efeitos colaterais iniciais do mesmo? Brigado mesmo

  20. Mauricio diz

    Alguém sabe sabe se p 3×1 pode ter o efeito de ganhar peso ou perder peso ou não tem ligação com isso? pois perdi uns kilos até saber meu diagnostico, estou a 1 mes no 3×1 e não ganhei peso mesmo comendo feito um desesperado.rsrs

    PS: Eu sempre fui gordinho,rsrs

    • Marcus Vinicius diz

      Depois que comecei com o efavirez posso comer um boi que não engordo uma grama e se comer pouco um dia já perco peso, na academia então, o que eu nao perdia antes, hj perco só de passar na roleta, que mágica é essa eu não sei, rs

      • Mauricio diz

        Há quanto tempo vc esta tomando os remédios? acho que tem haver coma neura.rsrs, tipo eu me peso quase todos os dias, acho que vou dá uma desencanada com isso e continuar dizendo que emagreci pela anemia, espero ganhar pelo menos mais 5 dos 15 que perdi. vlw

        • Caio diz

          Eu perti 7 kg Mauricio, desde que me infectei em janeiro. Começo hoje meu tratamento. Mas com essa medicação nova. Espero não emagrecer mais ou vou sumir… Eu bem quero começar a treinar, mas com esse medo também.

  21. caio diz

    Hoje começo meu tratamento, e o medico me receitou o Dolutegravir + Tenofovir +Lamivudina. Sorte pra mim nesse novo periodo. Perdi 8 kg desde a infecção do HIV em janeiro.

  22. João diz

    Que Deus te ilumine, Caio! E a vida tem que continuar. Um grande abraço!

  23. João diz

    Estou tomando PEP fazem 22 dias. Namoro há 3 meses e meu namorado nao sabia de sua condição. Qdo num dia o preservativo rompeu se e juntos fomos fazer o teste rápido. A surpresa… Estou ansioso pra saber, sei que posso está, e já estou me preparando para o que vier. O fato de eu ter sido ativo, não sei se diminui e não outras dsts. Se alguém tiver algo pra falar a respeito agradeço. Eu e ele continuamos, não tah sendo fácil.

  24. João diz

    Não sei se diminui as chances e não haver outras dsts.* Peço a Deus entendimento e conforto. Agradeço a todos desse blog, abraco

  25. telma diz

    Dolutegravir está me dando bastante enjoos nao sei é pq meu corpo ainda ta se adaptando a medicaçao , so sei que nao existe ainda MEDICAÇAO QUE NAO TENHA NENHUM EFEITO COLATERAL , DESEJO BOA SORTE A TODOS

  26. Felipe interior sp diz

    Eu tb sinto enjoos com o dolutegravir. Mas são moderados, diminuem durante o dia. Estou na minha primeira semana de medicação, acredito ser normal essa fase etc. Do resto estou bem, dormindo e comendo bem, sem perca de peso etc. Descobri a quase dois meses, comecei a medição agora pq eu quis, o médico me deu a opção de querer começar agora ou não, como estou em uma relação sorodiscordante resolvi começar pra dar mais segurança a ele em caso de alguma exposição acidental.

  27. Gustavo diz

    Ontem fez 30 dias que comecei a tomar o novo Dolutegravir + Lamivudina + Tenofovir, receitado pelo meu infecto após exposição recente ao vírus hiv, com Cd4 em 514 e carga viral com 39.600 cópias. Não senti nenhum efeito colateral. Estou muito tranquilo pois achei que fosse ser difícil sair da fase da descoberta/aceitação, mas está sendo muito tranquilo e nem lembro que tenho o vírus, nem na hora da tomada da medicação. É como se eu estivesse tomando vitamina. Segundo o meu Infecto, a cura não passa de 2020, está muito próxima… assim espero!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s