Notícias
Comentários 63

Cigarro é pior que HIV


eurekalert 300 cmyk

Novo estudo conduzido por pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts descobriu que fumar cigarros reduz substancialmente a vida de pessoas vivendo com HIV nos EUA, potencialmente mais do que o próprio HIV. O relatório foi publicado on-line no Journal of Infectious Diseases.

“Uma pessoa com HIV que toma medicamentos antirretrovirais e que fuma é muito mais propensa a morrer de uma doença relacionada ao tabagismo do que do HIV”

“Uma pessoa com HIV que toma medicamentos antirretrovirais e que fuma é muito mais propensa a morrer de uma doença relacionada ao tabagismo do que do HIV”, diz Krishna Reddy da divisão de cuidados críticos de saúde e pulmonares do Hospital Geral de Massachusetts e do Medical Practice Evaluation Center e quem liderou o estudo. “A boa notícia é que parar de fumar pode aumentar muito a vida útil, e nunca é tarde demais para parar.”

Embora apenas 15% da população adulta geral dos EUA seja fumante de cigarros, entre as pessoas que vivem com o HIV a taxa de tabagismo é superior a 40%, enquanto 20% são ex-fumantes. O uso generalizado de medicamentos antivirais hoje permite que as pessoas com HIV vivam mais tempo, mas os fumantes com HIV estão desenvolvendo doenças relacionadas ao fumo — como câncer de pulmão, doenças cardíacas e doença pulmonar obstrutiva crônica (às vezes chamada de enfisema). As taxas são mais elevadas do que em indivíduos não infectados pelo HIV.

Os pesquisadores usaram dados epidemiológicos para estimar a expectativa de vida média de pessoas vivendo com HIV, separando-os em grupos de fumantes atuais, ex-fumantes ou que nunca fumaram. Aplicando um modelo de simulação desenvolvido pela equipe, eles demonstraram que uma pessoa com HIV poderia perder mais de 8 anos de vida apenas em decorrência do hábitos de fumar e não relacionado à infecção pelo HIV.

Eles também descobriram que, se um quarto das pessoas que recebem cuidados de saúde para o HIV nos EUA parassem de fumar agora, mais de 25 mil anos de vida seriam salvos no total. Aliás, o estudo descobriu que, para uma pessoa de 40 anos de idade e que recebe cuidados para o HIV, mas — tal como costuma acontecer nos EUA — que não segue perfeitamente seu tratamento como recomendado, o tabagismo reduz sua expectativa de vida em mais de 6 anos, em comparação com um não-fumante que é igualmente não aderente perfeitamente ao tratamento antiviral. Para quem adere bem aos medicamentos anti-HIV, o fumo reduz a expectativa de vida em mais de 8 anos — cerca do dobro do impacto do próprio HIV — em comparação com um não-fumante que adere perfeitamente ao tratamento. Para aqueles que já eram fumantes quando começaram tratamento para o HIV, parar de fumar, particularmente em idades mais jovens, demonstrou reverter grande parte da perda da expectativa de vida.

“É hora de reconhecer que fumar é atualmente o principal assassino das pessoas com HIV que estão recebendo tratamento”

“Cessar o tabagismo deve ser uma parte fundamental do cuidado das pessoas que vivem com HIV para melhorar sua expectativa de vida e sua qualidade de vida”, diz o coautor do estudo Travis Baggett, da divisão geral de medicina interna do Hospital Geral de Massachusetts e do Centro de Pesquisa e Tratamento do Tabaco. Rochelle Walensky, da divisão de doenças infecciosas do Hospital Geral de Massachusetts e autora sênior do estudo, diz: “É hora de reconhecer que fumar é atualmente o principal assassino das pessoas com HIV que estão recebendo tratamento.”

Reddy acrescenta: “Infelizmente, as intervenções para cessar o tabagismo não foram amplamente incorporadas nos cuidados do HIV. Dado o quão comum é o tabagismo entre as pessoas com HIV, agora é a hora de mudar isso.” Reddy é professor de Medicina, Baggett é professor assistente de Medicina e Walensky é professora de Medicina na Harvard Medical School.

Em 3 de novembro de 2016 pelo EurekAlert!

Anúncios

63 comentários

  1. Junior diz

    Eu gostaria muito de parar…. Já tentei diversas vezes mas é tão difícil 😢

    • ARLAN diz

      Pede para seu infecto te prescrever um medicamento chamado BUP, ele otimo para parar de fumar.

      • davi-pe diz

        Arlan…

        Ja usei esse remédio…nao me ajudou mto, axo q parar vai alem de remédios…é força própria mesmo. Abs

      • Gil diz

        A medicação bupropiona não é um remédio específico para ajudar no tabagismo, embora esta crença seja recorrente. Muitos pacientes relatam alterações emocionais graves como efeitos colatetais.
        Eu acompanho pacientes fazendo uso da sertralina (zoloft) com muito menos desejo de fumar e maior sensação de saciedade, seja de fome, seja do desejo de fumar, além de menor chance de compulsão de todos os tipos, pela forma como o zoloft age no cérebro.

        • JJ diz

          Olá Gil, mas na bula do bupropiona diz q é p ajudar a parar de fumar.
          Não sou nem fui fumante, porém, minha endocrinologista me receitou “wellbutrin” para diminuir ansiedade, e confesso, o medicamento não só reduziu minha ansiedade como mudou completamente minha vida e para muito, muito melhor.
          Com o uso da bupropiona descobri q o extremo “mau humor” q eu sentia era uma doença e pude experimentar o q é uma vida livre do mau humor, livre do ódio, do rancor, do estresse exagerado sem grandes motivações.
          Não estou dizendo q é para tds usarem, apenas informo q pra mim foi bom, único efeito adverso q percebi foi q às vzs eu via as coisas tremendo, mas foi só no início.

          • Gil diz

            Ajudar a parar de fumar porque o uso de BUP é associado à diminuição da ansiedade, em transtorno misto ansioso-depressivo, que em geral, pode gerar compulsões. É um efeito paralelo, não é usado exatamente para diminuir o vício, apenas ajuda, quando age nos mecanismos de ansiedade. Neste caso, é um bom aliado. Na Psiquiatria e farmacologia é visto como uma medicação “xoxa” (informações que colhi aqui com o pessoal da área, na ´poca que tomei e quis saber porque passei mal, inclusive com pensamentos paranoicos e efeito antagônico de ansiedade, Se fala que é uma medicação em desuso, porque temos outras mais eficazes e com menos danos e efeitos colaterias, além de menores interações, que deixam a vida da pessoa um menos restritiva. Também ela costuma não ser amiga de rins e fígado, conforme a bula, e sabendo que nossa TARV diária também nos força estes órgãos, acho que complica. Mas se estiver fazendo bem, tranquilo, use sem medo, principalmente se fizer você parar de fumar.

    • davi-pe diz

      Junior…
      Eu tb. Luto todos os dias…mais ta difícil viu. Tento evitar ao máximo, mais parar mesmo não conseguir ainda. Abs

  2. Positividade de luz diz

    Mais de 20 anos de vício,depois de fazer uma biópsia na boca,graças a Deus,não deu nada,só deu vergonha na cara e parei com essa merda!!! olha que eu fumava 2 maços por dia hein,às vezes um bom susto NOS DESPERTA PARA A VIDA!!!

  3. Cbb diz

    Ultimamente temos sido bombardeados com notícias altamente encorajadoras de uma possível cura, seja ela funcional ou total. Gostaria de saber aqui entre os meus amigos de patologia se isso é o prenúncio de algo sustentável ou apenas falácias dos mais entendidos na matéria? Será que alguém me poderia dar uma informação sobre um componente dos ARVs 3×1 que são disponibilizados aqui em Angola chamado erimitrobicina. Vejo que qdo abordam a questão dos ARVs 3×1 que usam no Brasil nunca citaram o componente acima descrito.

    • cariocarj diz

      cbb

      O 3×1 disponibilizado no Brasil como tratamento para 1ª linha são compostos pelas seguintes substâncias: Tenofovir 300 mg + Lamivudina 300 mg + Efavirenz 600 mg

      Em 2017 Teremos mudanças para melhor, com a saída do Efavirenz e será disponibilizado o Dolutegravir conhecido como Tivicay.

      Irá ficar assim o esquema: 2×1 ( Tenofovir + Lamivudina) + Dolutegravir

    • vivendopositivo diz

      Emtricitabina. No brasil, a lamivudina entra no lugar dela. Ele funciona como booster. Não faz muita diferença, é da mesma classe da lamivudina.

  4. J.B diz

    Passo dias e meses sem fumar nenhum cigarro se quer. Mas as vezes saio com uns amigos que fumam e na roda bebendo umas cervejas acabo acendendo alguns cigarros. no outro dia e sempre igual gosto amargo na boca. roupas fedendo. Da nojo mas faço isso a mais de 15 anos.Kkkkkk como é digo só pra relaxa.

  5. Hello diz

    Cannabis pode tipo um cigarrinho por dia???
    Tipo à noite depois de um dia de trabalho e aula à noite???
    Tenho essa dúvida é já questionei meu infectologistas mas ele não me deu nenhum argumento concreto… 🤔🤔

    • Will diz

      Hello, claro que pode! Vc é don@ do seu próprio corpo e sabe o que é melhor pra vc. Até onde eu saiba, a maconha não interfere na eficácia dos ARVs, mas posso estar enganado.

      As únicas ressalvas que eu faria são: como a cannabis não é regulamentada no Brasil, é complicado saber a procedência e a qualidade do produto adquirido. Então saiba escolher sua verdinha haha…
      Outra coisa: o mais ideal seria vc consumir maconha como alimento, por exemplo junto com bolos, biscoitos, brigadeiros caseiros, etc. Isso elimina os malefícios da fumaça do cigarrinho. Nesse caso, vc precisa de uma quantidade um pouco maior pra dar o “barato” e esse barato demora mais pra fazer efeito no organismo. Por causa dessa demora, tenha um pouco mais de paciência e cuidado pra não ingerir muita cannabis, ou pode dar “bad trip” hehe.

    • Jorgito diz

      Em alguns estados dos EUA em que a maconha é liberado apenas para consumo medicinal, um dos casos de receita da erva é justamente infecção por HIV/AIDS. Mas, como já foi dito, a grande diferença é que lá você fuma a erva pura, aqui vc fuma a erva mesclada com uma série de produtos químicos extremamente danosos ao organismo.

      • Alex diz

        Curioso, então, em tese, não haveria grande prejuízo se ao invés de fumar maconha, comer maconha?

        • Will diz

          Alex, em tese sim!! Como o JS falou, o que faz mal é a fumaça do cigarro da maconha, não a maconha em si (lógico, desde que usada de forma moderada).
          Maconha NÃO causa dependência química, apenas pode causar dependência psicológica, o que é completamente diferente.
          Inclusive, li esses dias um estudo realizado nos EUA que pra uma pessoa ter overdose de cannabis, ela precisaria consumir cerca de 7 toneladas do produto em 15 minutos!!!

          Só corrigindo o que o Jorgito falou, já existem 4 estados norte-americanos (+ o Distrito de Columbia) onde é permitido o uso RECREATIVO de Marijuana, e essa semana mais 4 estados votaram a favor da regulamentação dela para uso recreativo.
          No que se refere ao uso medicinal, este já foi legalizado em mais de 20 estados por lá.

          Não existe lógica alguma em continuar proibindo o uso dessa droga. Com a regulamentação, todo mundo sai ganhando: o governo arrecada mais impostos, há um controle e fiscalização maiores sobre a qualidade do produto, diminuição do tráfico, etc.
          Acho uma tremenda hipocrisia regulamentar o uso do álcool e tabaco, que podem provocar dependência física e química, e continuar barrando a maconha.
          Ironicamente, a legalização da maconha encontra seus maiores opositores justamente nas 2 indústrias citadas acima, além do setor farmacêutico, os quais temem perder sua lucratividade.

  6. Rodrigo10 diz

    Me animei quando li a manchete da matéria mas desanimei ao ler o conteúdo. O que eu queria ver era um comparativo de saúde entre um soronegativo fumante e sedentário VS um soropositivo que não fuma , não bebe, tem alimentação saudável e prática exercícios.
    Abraços

  7. SoroRJ diz

    Não vejo a hora da cura definitiva ou funcional chegar. Vou cair no forró !

  8. Will diz

    Resumindo a notícia: cigarro faz muito mal à saúde…

    Até entendo o propósito e as boas intenções de se fazer estudos do tipo, mas sei lá, pra mim é querer comparar maçãs e laranjas.
    É como dizer: “Não é bacana ter HIV, mas olha, cigarro é MUUUITO pior”. Não sei até que ponto tentar “demonizar” o tabagismo, que todo mundo já sabe que é maléfico, ajuda na desestigmatização do HIV, mas enfim…

  9. Leo diz

    Tipo a enfermeira que disse que é melhor ter hiv do que diabetes. Eu mereço…

    • GF-SP diz

      Diabetes é horrivel. Uma doença que mata mais que cancer e HIV juntos, se não me falha a memoria. Os cuidados que vc precisa ter são infinitamente ruins. Uma tia faleceu disso e era triste ter que medir a glicose o dia inteiro, anotar e tomar insulina.

  10. Rodrigo10 diz

    Então Leo, quando a minha namorada pegou o exame era um sábado, ficamos desesperados, sem saber o que fazer então levei ela num médico (Clínico Geral de plantão) pra pelo menos saber os próximos passos, pegar um encaminhamento para um infectologista e tranquilizar ela um pouco. E ele me falou a mesma coisa que a enfermeira que você comentou. Ele nos falou: “Olha.. sei que estão preocupados, mas olha pra mim.. sou um medi e peso 175kg, estou com diabetes, colesterol, e várias doenças da obesidade, que acredite é pior do que um HIV sob controle.” Eu nunca soube se ele quis ajudar ou ser realista ou sei lá.
    Mas isso é um fato, os soropositivos acabam cuidando mais da saúde e sendo mais saudáveis que muitos soronegativos.
    Minha namorada parou de fumar, não bebe nada de álcool e caminhamos pelo menos duas vezes por semana.

  11. Paulo Roberto diz

    Há muito tempo não escrevo no blog, mas sempre que dá, leio as notícias.
    Saudades do Gil e de tantos outros!
    Mas eu quero é NOTÍCIAS DE CURA!!!
    Sei que estou bem. Os medicamentos me garantem a saúde, e os virus estão quietinhos, dormindo…
    Mas eu quero a CURA!!!
    Ultimamente não temos tido muitas notícias sobre a cura… Por que será?

    • Daniel Lemos diz

      paulo,

      tb quero noticia de cura, CURA. adoro o blog e acho os posts interessantissimos.
      tento nao trazer negatividade aqui.
      mas cura é o que realmente e unicamente me interessa. (talvez cura funcional mas principalmente esterelizante).
      eu tenho a sensação que os médicos não são sinceros, com todo respeito. eu nao quero criar polemica, mas faco questao de ser um paciente dificil. questiono tudo. amanha tenho consulta – sigo no SUS. questuiono tudo, tiro a medica da zona de conforto. falo pra ela que nao to feliz tomando ARV pq nao quero tomar isso a vida toda e quero cura. vou cobrar melhorias e atitude.

      Abracos!!!

  12. Bruna diz

    Jovem, eu sei que deve ser chato ler isso. Eu te acompanho desde o início em 2010 quando me tornei uma sorointerrogativa aparentemente crônica. Acho que meus colegas de desespero desapareceram daqui inclusive rs. Mas volta e meia estou aqui quando me sinto aflita e sinto muita falta dos seus relatos, principalmente sobre suas garotas. Eu sempre torcia pra dar certo e espero que você esteja vivendo feliz com alguma personagem de uma história não contada. Quem te lê nesses últimos posts não faz ideia do seu talento para a escrita. Compraria um livro seu fácil.

  13. D_Pr diz

    JS

    “…que não segue perfeitamente seu tratamento como recomendado, o tabagismo reduz sua expectativa de vida em mais de 6 anos, em comparação com um não-fumante que é igualmente não aderente perfeitamente ao tratamento antiviral. Para quem adere bem aos medicamentos anti-HIV, o fumo reduz a expectativa de vida em mais de 8 anos — cerca do dobro do impacto do próprio HIV — em comparação com um não-fumante que adere perfeitamente ao tratamento.,,”

    E qual seria a expectativa de vida de cada caso?

    • luquinha diz

      Estava sentindo sua falta D-Pr amado , seus comentários são de suma importância , abraços

      • D_Pr diz

        Luquinha, você é a gentileza em pessoa! Como está?

        E nosso amigo casca grossa?

  14. Rodrigo10 diz

    D_PR
    Sei que direcionou a pergunta ao JS mas estava repensando o que escreveu.

    “Para quem adere bem aos medicamentos anti-HIV, o fumo reduz a expectativa de vida em mais de 8 anos — cerca do dobro do impacto do próprio HIV — em comparação com um não-fumante que adere perfeitamente ao tratamento.,,”

    No meu entendimento então a matéria afirma que um não fumante que adere perfeitamente ao tratamento tem uma expectativa de vida média menor em 4 anos quando comparado com um soronegativo.
    Resumindo entendo que um soro+ vive 4 a menos que um soro-.
    Concordam?

    Porém temos que considerar que existem muitos outros fatores e tudo isso é baseado em médias. Pois entre os soronegativos e positivos existem pessoas que cuidam mais ou menos da saúde, questões genéticas, tabagismo, outras DSTS, etc.

    Traduzindo o que a matéria quer dizer é que:
    “Se você é soronegativo, pare de fumar. Mas se você é soropositivo PARE DE FUMAR POH!!!!!!!!!!”

  15. Jorgito diz

    Impressionante como entre os soropositivos o índice de fumantes é bem mais alto do que entre soronegativos. Acho que ainda rola aquele pensamento “pra quem já tá fudido, fudido e meio”. Eu lembro que estava tentando parar de fumar, estava havia então uma semana sem fumar, quando descobri minha sorologia. Fiquei tão desesperado que voltei com tudo, fumava duas carteiras por dia, nas primeiras semanas. Depois o desespero passou e diminuí bastante. Mas ainda não consegui parar completamente. Fiquei muito chateado no dia em que li na bula do Ritonavir que o tabaco diminuía sua concentração no organismo. Decidi que iria parar, fiquei dois dias sem fumar, mas acabei voltando. Esse vício é uma merda.

  16. Tor diz

    Galera, acabei de voltar de uma infectologista particular e ela me recusou a passar o teste de HIV, sendo que semana que vem completo 60 dias da exposição e 30 dias do fim da PEP. Questionei ela sobre a janela imunológica que aumenta ccm a profilaxia, segundo informações aqui do site, e a mesma disse que estava tudo certo. Meu último exame foi com 40 dias da exposição e deu negativo. Ela pediu pra voltar em fevereiro. É claro que não me sinto seguro. Tive sintomas, estou preocupado, mas a mesma nem deu bola.

    • JJ diz

      Vai fazer o teste rápido num local público e sai da dúvida rapidinho.

    • Alex diz

      Ao q sei, em clínica particular não precisa de receita pra fazer o exame.

  17. Batista diz

    Sugiro ao JS que bloquei comentários de sorointerrogativos, é complicado. Não acreditam em exames, em médicos, em nada. A doença não é física e sim mental, procurem um psiquiatra. Essa turma invadem todos os blogs possíveis sob o tema e não se contentam com os resultados.

    • Tor diz

      Eu quero acreditar, mas aqui mesmo no site mesmo tem uma informação de que são 30 dias pós a PEP. Eu só achei estranho ela não atender a essa janela.

  18. Anjo diz

    Ola ,ultimamente ,estou tendo ,dor de cabeça, alguem aki passa por isso tbm ?

    • JJ diz

      Olá Anjo, acredito q se vc não sentia essas dores antes, então não deve ser dos arvs.

  19. Rodrigo10 diz

    O 3×1 pode dar dor de cabeça anjo, por isso os médicos indicam você tomar antes de dormir, porém, podem ser outras inúmeras coisas, tipo algo que você está comendo. O ideal é consultar seu médico. Evite paracetamol. Novalgina é melhor para soro+ pois sobrecarrega um pouco menos o fígado (segundo nosso infecto). Abs!

  20. luquinha diz

    Eu fumava mais que puta de cabaré , 80 cigarros por dia , já sai as 3 da manhã para comprar , eu tive que dar férias há 3 pessoas que me ajudavam na minha casa , me tranquei , foi muito muito muito difícil , eu rolava eu gritava eu chorava , foram quase 1 mês sem sair de casa , hoje não fumo , na verdade não lembro , mais também eu não me atrevo a colocar 1 cigarro na boca , pois sei qual seria o destino …..Mais a cerveja essa não consigo parar

  21. Maycon diz

    Uma vacina experimental HIV da Johnson & Johnson combinado com um reforço do sistema imunológico da Gilead Sciences Inc mostrou a promessa em manter o vírus sob controle em macacos, mesmo depois de tratamentos tinham parado, marcando mais um passo em direção ao desenvolvimento de uma cura funcional chamada para o HIV .

    Ambas as empresas estão testando os produtos separadamente em ensaios em estágio inicial em pessoas com HIV.

    O estudo, publicado na quarta-feira na revista Nature, avaliou macacos infectados com o vírus da imunodeficiência símia, a versão símia do HIV, e mostrou os tratamentos foram muito mais eficazes quando utilizados em conjunto do que separadamente.

    Todos os nove macacos que receberam ambos os tratamentos apresentaram redução significativamente as cargas virais. Em três deles, a terapia de combinação manteve o vírus sob controle durante seis meses após terapia anti-retroviral ou ART drogas foram parados.

    O estudo é parte dos esforços em curso para desenvolver um chamado de cura funcional para o HIV que permitiria que as pessoas infectadas com o vírus de parar de tomar terapia anti-retroviral diária.

  22. Pablo diz

    Um fato relevante que gostaria de compartilhar cm os amigos aqui é que, mesmo antes do hiv eu ja era mt preocupado com a saúde. Após o diagnóstico e após entender mais sobre o vírus, os meus cuidados redobraram e meus exames rotineiros provam que minha saúde está ótima. Hiv indetectável em pouco tempo. Com relação ao cigarro não é novidade que são muitos seus malefícios. Entendo que não é fácil parar. Tive exemplos na família. Mas esforcem-se para para, sejamos regra dos com nosso tratamento e saúde a todos nós. Boa noite.

  23. E. diz

    Boa noite, galera.

    Faço uso do 3×1 e gostaria de saber sobre o uso recreativo do ecstasy. Eu consumia esporadicamente antes de iniciar a medicação e parei porque, em meio a inúmeras pesquisas, vi que era uma das únicas drogas não aconselhadas pra quem faz tratamento com efavirenz. Foi reportado uma caso de morte nos EUA (se não me engano) ligado ao uso de efavirenz + ecstasy. Mas me pergunto: só foi esse caso? Só por causa desse caso o ecstasy ficou demonizado? Queria saber se alguém tem mais informações ou se faz uso de ecstasy.

    Obrigado!

  24. Rodrigo10 diz

    “O uso do ecstasy pode causar lesão no fígado, que fica amolecido, além de aumentar de tamanho, com tendência a sangramentos. Dependendo do grau de toxicidade, o quadro evolui para hepatite fulminante, podendo causar a morte caso não haja um transplante de fígado.”

    O extasy metaboliza no fígado, assim como o 3×1. Ambos são fortes. Seu fígado vai derreter.
    Sem mais..

  25. Beatriz diz

    alguns cientistas desenvolveram um pen drive que identifica em 20 minutos se a pessoa tem hiv e sua carga viral, basta uma gota de sangue no pen drive conecta no PC e já já o resultado; vale a pena posta uma nota joven isso ira facilitar muito a vida de pessoas que convivem com vírus!!

  26. junior diz

    Não quero incitar aqui o uso de drogas, mas tendo em vista nossa condição nada deve ser de uso exagerado. Meu médico permitiu o uso do êxtase, entretanto sou um usuário ocasional. Raramente uso e meus exames estão ótimos. Segundo pesquisas as interações mais perigosas das drogas recreativas é em relação ao ritonavir que pode aumentar a concentração de algumas drogas no sangue trazendo riscos. Mas cuidar da saúde ainda é importante. As pessoas erram em ralação ao exagero em tudo. Não quero ser sensacionalista e dizer que o fígado vai derreter. Acho que cada um sabe o que faz, mas deve- se tomar mais cuidado.

  27. Firula1 diz

    Gostaria de conversar com o pessoal daqui tirar duvidas e trocar experiências. Meu kik firula1 sou a 1 ano mais ou menos…

  28. Maria diz

    Sou hiv+ e me sinto muito fraca. Sem disposição p nada. Uso 3×1. Os médicos parece q não ouvem essas minhas condições físicas. Já pedi vitaminas e nada. O q fazer?

    • AnonimoFer diz

      Maria,

      Já tentou praticar esportes? Até uma leve caminhada poderá te livrar da fadiga ..

      Uso a terapia 2×1 DTG, as vezes sinto cansaço, mas qdo pratico esportes é o momento q me liberto, me sinto VIVO e me livro da fadiga.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s