Notícias
Comentários 216

Quem tem carga viral indetectável precisa usar camisinha?


Aidsmap

Em face das extensas pesquisa mostrando que as pessoas que vivem com HIV e que estão em terapia antirretroviral com carga viral estável e indetectável têm uma probabilidade extremamente baixa de transmitir o vírus, a maioria dos participantes da IDWeek 2016, em Nova Orleans, disseram acreditar que ainda deveriam ser aconselhados a usar preservativos — uma proporção que aumentou depois de um debate em que se discutiram as evidências.

Roy Gulick e Lisa Winston na IDWeek 2016. (Foto por Liz Highleyman, hivandhepatitis.com)

Lisa Winston, da Universidade da Califórnia em São Francisco, argumentou sobre o lado “a favor”, enquanto Roy Gulick da Weill Medical College da Universidade de Cornell tomou a posição “contra”. Antes do debate, os participantes do auditório foram solicitados a votar se acham que é totalmente desnecessário que homens com carga viral indetectável usem preservativo, se é desnecessário quando a carga viral for continuamente indetectável por um ano ou se os preservativos sempre devem ser usados. De início, 63,5% votaram por usar sempre preservativo, 12,8% disseram que era completamente desnecessário e 23,6% achavam que era desnecessário em determinadas condições.

 

Continuar a usar camisinha

A Dra. Winston deu três argumentos para o uso contínuo do preservativo:

  • Os preservativos previnem a transmissão de outras doenças além do HIV.
  • A carga viral indetectável pode tornar-se detectável.
  • A transmissão do HIV é teoricamente possível quando a carga viral é indetectável no plasma sanguíneo ou no sêmen.

Doenças sexualmente transmissíveis, além do HIV, foram a principal preocupação da Dra. Winston. Ela chamou atenção para o recente relatório anual de vigilância de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, que mostrou que os casos de clamídia, gonorreia e sífilis nos Estados Unidos atingiram seu nível mais alto. Ela também citou uma análise do programa permanente de profilaxia pré-exposição (PrEP) de São Francisco, que descobriu que, após seis meses em PrEP, 30% dos participantes foram diagnosticados com pelo menos uma DST, um número que aumentou 50% após 12 meses — mas não houve novas infecções pelo HIV.

“Acho que muitas pessoas poderiam dizer que subestimamos as outras DST”, disse Winston. “Houve essa ideia de que — contanto que você não contraia o HIV — embora seja bom evitar outras DSTs, podemos muito bem tratá-las e por isso elas não são tão importantes. Mas eu acho agora estamos apreciando o quão assustadoras algumas destas outras DSTs podem ser.” Relatos recentes têm descrito vários casos de sífilis ocular em Seattle e São Francisco, enquanto a taxa de sífilis congênita transmitida de mulheres grávidas para seus bebês está aumentando. “Sífilis pode cegar”, disse Winston.

A gonorreia está se tornando cada vez mais resistente aos medicamentos. Atualmente, há apenas um regime combinando de duas drogas recomendado nos Estados Unidos, mas funcionários de saúde pública no Havaí identificaram recentemente o primeiro grupo de casos de gonorreia com resistência a ambos os medicamentos.

Além disso, há novas DSTs emergentes, incluindo os vírus ebola e zika. Foram notificados casos em que o zika é eliminada no sêmen mesmo após meses da infecção. A duração total do período de infecciosidade ainda é desconhecida. O vírus da hepatite C também emergiu como outra importante DST, sendo o sexo anal sem preservativo um dos vários fatores de risco.

“Parece coisa antiquada estar falando sobre preservativos, mas acontece que a camisinha funciona — elas funcionam para prevenir muitas, senão a maioria, das infecções sexualmente transmissíveis”, disse Winston. “Nossa outra opção é dizer às pessoas para parar de ter relações sexuais.”

Winston também argumentou que a carga viral indetectável do HIV pode tornar-se detectável por uma variedade de razões, incluindo a falta de doses de antirretrovirais e outras doenças concorrentes. Um estudo que analisou mais de 14.500 pessoas sob tratamento antirretroviral em seis clínicas de cuidados de saúde especializadas em HIV constatou que a carga viral destas pessoas excedia 1.500 cópias/ml durante 23% do tempo, 79% das pessoas tinham carga viral detectável e 17% tinham carga viral acima de 1.500 cópias após um teste indetectável.

Finalmente, a Dra. Winston sugeriu que casos raros de infecção pelo HIV podem ocorrer mesmo quando a carga viral é suprimida. Estudos têm mostrado que alguns homens podem ter HIV detectável no seu sêmen, mesmo quando a carga viral no plasma sanguíneo está abaixo do limite de detecção. Embora o estudo Partner não tenha observado infecções pelo HIV geneticamente relacionadas entre os casais sorodiscordantes, o limite superior do intervalo de confiança permitiria 0,3 novas infecções por 100 casais-ano ou 0,71 por 100 casais-ano, considerando apenas o sexo anal sem preservativo.

“Se você observar pessoas suficientes por um período suficientemente longo de tempo, provavelmente verá transmissões ocasionais — elas serão raras, mas elas provavelmente ocorrerão”, concluiu a Dra. Winston. “Você gosta de risco quando aconselha seus pacientes?”

 

A camisinha não é necessária

O Dr. Gulick assumiu o papel de oposição, enfatizando que vários estudos a respeito da transmissão do HIV entre casais sorodiscordantes não observaram novas infecções ligadas quando o parceiro soropositivo estava em tratamento antirretroviral e carga viral indetectável.

“A camisinha certamente funciona, mas você tem que colocá-las corretamente, caso contrário elas podem falhar”, disse ele. “Vamos falar a verdade: ninguém quer usar camisinha se não for preciso.”

Ainda no ano 2000, pesquisadores relataram que entre uma coorte de mais de 400 casais heterossexuais sorodiscordantes em Rakai, Uganda, nenhum caso de transmissão do HIV ocorreu quando a carga viral estava abaixo de 1.500 cópias/ml. Em janeiro de 2008, a Swiss Aids Commission publicou a famosa Declaração Suíça, afirmando que uma pessoa infectada pelo HIV em tratamento antirretroviral potente “não é sexualmente infecciosa”, desde que mantenha uma carga viral indetectável e não tenha outra DSTs simultaneamente ao HIV.

O HPTN 052, um grande estudo randomizado sobre o tratamento antirretroviral como prevenção, analisou 1.763 casais sorodiscordantes heterossexuais na África, Ásia e nas Américas. O parceiro soropositivo foi aleatoriamente designado para iniciar o tratamento antirretroviral imediatamente ou para esperar até que a contagem de CD4 fosse inferior a 250 células/mm³. Myron Cohen relatou pela primeira vez os resultados na conferência da International Aids Society de 2011, mostrando que o tratamento antirretroviral iniciado imediatamente reduziu o risco de infecção em 96%.

Uma metanálise canadense de seis estudos de coorte envolvendo um total de mais de 7.000 casais sorodiscordantes encontrou zero nova infecção quando o parceiro soropositivo tinha carga viral indetectável. Mais recentemente, o estudo Partner analisou mais de 1.100 casais sorodiscordantes, incluindo 340 casais homossexuais, em que o parceiro soropositivo tinha carga viral suprimida. Depois de cerca de 58.000 atos sexuais totais relatados, o estudo não documentou qualquer caso de transmissão do HIV entre os casais.

 

Vivendo perigosamente

A Dra. Winston ponderou que parceiros supostamente monogâmicos não são, de fato, sempre monogâmicos. De fato, o HPTN 052 documentou 26 infecções não ligadas entre os parceiros e o estudo Partner viu 11 dessas infecções, nas quais os parceiros soronegativos adquiriram o HIV de alguém que não era seu parceiro estável. “A monogamia é complicada”, disse ela. “Às vezes, mesmo quando acredita-se no contrário, as pessoas acabam por ter relações sexuais com alguém que não é seu cônjuge ou parceiro estável.”

A resposta do Dr. Gulick enfatizou os riscos comparativos, observando que as pessoas muitas vezes se preocupam com as coisas erradas, como acidentes de avião, por exemplo, mesmo quando os acidentes de carro são muito mais comuns. Ele acrescentou que, embora as taxas de incidência de DST em estudos com o Truvada sejam muitas vezes altas, o número de infecções pelo HIV entre as pessoas que utilizam este medicamento consistentemente tem sido extremamente baixo ou nulo. As DSTs são geralmente tratáveis. Além disso, as pessoas que tomam PrEP podem ser testadas para DSTs mais frequentemente e tratadas mais rapidamente, para que assim se antecipe o cuidado das DSTs as previnam de se disseminar com o passar do tempo.

“A Dra. Lisa Winston tentou nos assustar, do mesmo jeito que as pessoas têm feito há muitos anos”, disse o Dr. Gulick. “Não devemos perder tempo nos preocupando com coisas que não acontecem com muita frequência. Eu apresentei os dados: dentre mais de 15 mil casais sorodiscordantes, todos com carga viral suprimida sob terapia antirretroviral, quantos transmitiram o HIV ao seu parceiro soronegativo? Nenhum.”

Apesar da abundância de provas oferecidas pelo Dr. Gulick, o público da IDWeek permaneceu cauteloso. Repetindo a mesma pesquisa após o debate, a proporção que recomendaria que os homens soropositivos com carga viral indetectável sempre usassem preservativos subiu para 69,6%.

É importante notar que a pergunta que costava no programa da IDWeek tinha sido formulada como: “Homens com carga viral do HIV indetectável precisam usar camisinha?”, enquanto a pergunta projetada na tela durante a sessão era: “Homens soropositivos com carga viral indetectável devem ser aconselhados a usar preservativos para prevenir a transmissão do HIV?” Essas perguntas podem ter respostas diferentes, uma vez que a razão mais convincente para se usar preservativos pode ser prevenir doenças que não o HIV.

Também vale a pena notar que os profissionais de saúde podem ser mais avessos ao risco relacionado à saúde do que a população em geral — especialmente quando se trata de sexo e, ainda mais, sexo gay. Em outra apresentação na conferência HIV Research For Prevention (HIVR4P), pesquisadores relataram resultados de um levantamento feito por estudantes de medicina que mostrou que eles estariam menos dispostos a prescrever PrEP a gays — precisamente o grupo mais necessitado de um método de prevenção eficaz — que não eram monogâmicos e que não usavam ou planejaram parar de usar preservativos, mostrando que, em alguns casos, a ideologia pode vencer as evidências. [IDWeek é um evento direcionado para profissionais de saúde.]

 

Por Liz Highleyman em 2 de novembro de 2016 para AidsmapReferência: Do HIV viral load undetectable males need to wear a condom? Clinical Controversies. IDWeek, session 807-808, 2016.

216 comentários

  1. Diego diz

    Uma coisa é certa: USE CAMISINHA!
    Tá uma epidemia horrível de Sífilis, sério!
    E eu fui “carimbado” 2x em 40 dias, podem acreditar! E JURO, fui contaminado somente recebendo sexo oral!

    O pior de tudo é levar injeção de benzetacil na bunda em dose dupla!

    Abram os olhos! Depois dessa experiência, estou preferindo nem transar mais!!

    • Luana diz

      Ah! neim Diego, tem dó, cria tipo, 2 x em sexo oral… fazendo né… porque recebendo voce não pega sífilis não… afinal sífilis é doença venérea, ou seja do sexo, e raramente da sífilis na boca…cuidado com o que voce coloca na boca… se cuide mais!!!

      • Diego diz

        Pesquisa e pergunta pra algum infectologista então, Luana!
        Nem precisa ir até um infecto, procura já no Google que vc vai ver que ferida do cancro na garganta e na boca existe, SIM!

        To mentindo?

        • Luana diz

          Existe sim, mas é raríssimo!!! E voce teve tanto azar que pegou sífilis 2 x seguidas, apenas rebendo sexo oral… isso é conversa pra boi dormir… vai contar essa pra outro!!! voce sabe muito bem como pegou 2 x sífilis e não foi recebendo sexo oral, para de contar mentira e aprenda a se cuidar mais!!!

          • Diego diz

            Luana,
            na boa, vou ficar inventando aqui pra que se nem sabem quem eu sou?
            Fica aí com o que tu acha então! Boa sorte ai!
            Aprenda vc a se cuidar tbm.. pegou HIV como? Pelo ar!
            Se toca! Sem educação nenhuma!

            • Luana diz

              Não querido Diego, peguei hiv do meu ex marido, um dentista, com quem eu casei no civil e religioso, há 28 anos atrás, fazendo sexo como todo mundo faz, fazendo filho como fiz o meu filho,que graças ao bom Deus nasceu negativo, é inteligente, formado na faculdade e empresário de sucesso!!! percebe-se pelos seus comentários que o baixo nível aqui não é meu, pois nunca agredi ninguem aqui, muito menos contei mentiras descaradas, pelo contrário sempre procurei ajudar a pessoas que tem dúvidas. Eu me cuidei e vivo bem com hiv há 28 anos e desejo o mesmo para voce, que voce viva bem, com qualidade de vida boa, o mesmo tempo que vivi e ainda vou viver, pois estou muito bem de saude por ter me cuidado, nunca fui promíscua, nunca usei drogas e muito menos nunca precisei me prostituir, pois além de ter estudado muito, trabalhado muito sempre fui de família de classe média, nunca precisei de ganhar dinheiro fazendo sexo!!!

              • Diego diz

                Kkkkkkkkkk meu Deus! Falta de sexo deixa as pessoas assim? Só pq não transa os outros são promíscuos? Ter graduação não faz ninguém melhor! Empresário de sucesso, dentista o que for! Todos estão sujeitos e doença não tem cara e nem escolaridade! Respeite pra ser respeitada! Tudo que vc falou aqui pra mim é BALELA! E o que muda? Nada! Nem pra vc, muito menos p/mim! Passe bem e se cuida tbm! O veneno da língua tb pode matar! E não sou BB, desculpa ai se tua idade é alta!

      • Diego diz

        Vou inventar pra que? To ganhando milhões com essa invenção! aff

        eu não fiz sexo oral, to falando que RECEBI!
        E a “ferida” que apareceu, a do cancro, foi no meu pênis, ou seja, não preciso falar mais nada né?

        Estou sendo gentil em alertar… Querem ficar cegos ai e fingir que não é um fato, BOA SORTE!
        TOMARA que ninguém pegue! Pq se pegar, vão lembrar do que falei.

        abraços

    • cariocarj diz

      Você pegou SÍFILIS essa bactéria apenas recebendo sexo oral no seu pênis ??

      Essa informação pra mim é nova, pois sei que quando você realizar o sexo oral num possível portador (infectado(a) de qualquer DST é sim possível a contaminação.

      • Diego diz

        cariocarj, eu não tenho pq inventar, né? to falando como alerta!
        Pq JURO, não fiz sexo oral em ninguém!!! Apenas recebi e a ferida que surgiu foi no meu pênis.
        Todos sabem que a ferida que aparece é o local onde a bactéria entra!!
        Eu fiquei doido, pq pensa só: tomei as injeções dia 15/set desse ano, e agora, 45 dias depois, meu infecto disse que eu fui reinfectado.
        Não tem erro! Eu n transei sem camisinha nesse tempo (nem com camisinha!).
        Aconteceu exatamente isso, e ele me disse que se pega sim sífilis recebendo sexo oral.

        A notícia é péssima né? mas vou fazer o que? realidade dos fatos, infelizmente!

        (ainda tenho mais 2 injeções pra tomar!) 😦

        • cariocarj diz

          Fiquei surpreso com essa informação.

          Sempre nos meus exames de rotina a cada 5 meses, inclusive vou realizar na próxima semana, faço VDRL e nunca peguei essa bactéria na vida.

          Obs.:

          Eu acredito muito no que os infectos falam e informam, porque conheço alguns que participam sempre de congressos fora do País sobre o HIV.

          • Diego diz

            Fiquei tão surpreso quanto vc!
            E poxa, que bom que nunca pegou, pq olha, sinceramente, consegui ficar com mais nojo de uma dst do que HIV.
            Essa sífilis é uma sarna! Deus me livre disso!

          • Luana diz

            Oi carioca eu tambem nunca peguei sífilis, nem gonorréia nem outro tipo de DST a não ser hiv. tamebem não tenho hepatite C nem nnunca peguei heptite B, uma vez tive cândida quando estava grávida o meu filho, ma tratei a candidíase e ficou tudo bem.

            • Diego diz

              Não se cuidou né? Pegou candidíase! Na próxima se cuida mais!

              Fácil defecar pelos dedos e vir julgar né? Chamando os outros de mentiroso!
              Já li teus comentários em outras notícias aqui… Já deu pra perceber o “nível alto” de diálogo que vc tem! Parabéns! Inteligentona!

              • Luana diz

                Ah! neim Diego… peguei cãndida sim do meu marido, afinal mulher nenhuma sua camisinha com seus maridos, porém creio que elas deveriam usar, pois se eu usasse eu não teria pegado hiv dele, daí é muito diferente de pegar sífilis 2 x seguidas recebendo sexo oral… não sou inteligentona não BB, só tenho um pouquinho mais de experiência, idade e conhecimento que voce,afinal sou médica veterinaria com mestrado em zootecnia e animais tambem tem virus da imunodeficiência felina, virus da imunodeficiência canina, virus a imunodeficiência símia, etc. Se cuide +++ BB.

                • Diego diz

                  O que eu quero saber da tua formação? Não sabe nada da minha vida! Me chamou de mentiroso sem me conhecer, sendo que não ganho nada mentindo aqui, ate pq não tem identidade revelada de ninguém aqui! Vc só mostrou que a formação que vc DIZ ter não te ajudou em nada! Pq vc tem pensamento ignorante! Julga as pessoas com HIV como promíscuas e se acha melhor pq pegou o vírus marido! Tenho é pena de pessoas como vc! Falou ate em prostituição! E se fosse prostituição? oq vc tem a ver com isso? Vai ver ta ai o motivo de ter sido traída ne? Quem começou descer o nível foi vc me chamando de mentiroso e falando pra eu me cuidar e agora quer dar uma de donzela educada e inteligente! Faz me rir! Sem educação alguma! Vai evoluir! Pela idade que diz ter, mostrou que não aprendeu nada com a vida!

                  • Luana diz

                    Eu traída? voce é louco? usa drogas? é alcoolatra? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk deve estar tomando o 3×1 né? cuidado hein, procuraseu infecto, poisalguns que usam efavirenz ficam malucos e agressivos de verdade!!!

                    • Pedro diz

                      Luana
                      Coitada vc já provou que ficou louca, que fulaninha chata aff…

                    • Gutan diz

                      Luana,
                      Vá se tratar (da cabeça). Você é um ser infeliz, asqueroso e desprezível!

                  • Luana diz

                    Ajudou sim sabe porque? Minha formação já me deu 20 anos de vida,espero que voce consiga ter mais 20 anos de vida tambem, me ajudou sim, porque posso pagar um bom plano de saude, pagar consultas de 450-600 reais, para médicos super especcializados, com doutorado, posso fazer exames de ultima geração, participar de congressos, ler publicações em inglês, espanhol, italiano, além de portugues, converso com pessoas do mundo inteiro sobre hiv , dos Estados Unidos até o Japão e da Inglaterra até à Australia, tenho informações super atualizadas sobre o assunto, assim eu posso me cuidar melhor e não ficar pegando DSTs. Quanto ao resto é voce que esta dizendo pois eu nunca disse que sou melhor, porque eu peguei hiv do meu marido ou na minha profissão, o pior tipo de soro + é aquele que fica se comparando á outros soro +.

                    • Alessandro diz

                      Nunca vi tanta soberba em um local onde isso nem deveria existir, ok vc é a pica das galáxias, vide pelas suas fotos do Facebook, tirando foto ao lado de Camaro etc, sua vida se resume a isso ? Que triste eu fico pela sua forma de pensar, idade já tem, ou pensando bem, isso deve ter sido algum colateral dos medicamentos… Só pode !!!

                    • AmigoSP diz

                      pena que seu dinheiro não pode te fazer mais doce e menos rancorosa com a vida

                    • Pequena + diz

                      Luana

                      Por favor…
                      Quer dizer que para estar bem tem que se pagar consultas de 450-600 reais???
                      Que bom vc poder pagar né!!!
                      Afh
                      Desnecessário comentários como o seu por aqui.
                      Pense nas pessoas que chegam aqui apavoradas, vão achar que ter HIV e se tratar pelo SUS é assinar atestado de morte.
                      Meu tratamento é feito totalmente pelo SUS.
                      Meu infecto é maravilhoso, vive participando em congressos nacionais sobre o assunto e é super bem informado.
                      E outra coisa me cuido também e não surto como vc disse por tomar o 3×1.
                      Cuidado com o que comenta aqui, por favor.
                      #FICAADICA
                      Pequena +

          • Gil diz

            Nem todos são bem informados, nem todos vão a congressos e muitos profissionais usam essa oportunidade de congresso para viajar com lind@s acompanhantes.

    • Rock Hudson diz

      Da próxima vez peça ao médico para adicionar xilocaina na injeção que não vai doer nada. Claro, se houver outra infecção.

      • Luana diz

        Alessando, o camaro preto é do meu filho, o meu é amarelo, tambem tenho uma BMW X6 e daí? se eu posso ter compro mesmo, mas o que eu quero ter ainda é uma ferrari… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Guto diz

      Vocês que não acreditam que pode pegar sífilis recebendo sexo oral, só consigo pensar uma coisa: vocês não fazem a menor ideia do que é um dark-room de sauna ou clube de sexo. Se vocês soubessem como é a dinâmica de uma noitada dessas, vocês entenderiam. Apenas entendedores entenderão.

  2. Luana diz

    Claro que deve usar camisinha sempre!!! Os portadores do virus HIV tem que concientizar que indetectável não é cura e que o uso da camisinha tambem é para se proteger da contaminação por outra cepa do virus hiv, bem como de outras doenças sexualmente transmissíveis, afinal quem já tem o sistema imunológico abalado, esta mais sujeito à outras infecções.

    • Dare to live diz

      Meu infectologista disse a mesma coisa… Camisinha sempre para não contrair uma cepa do vírus mais gravosa entre outras DSTs!!!!

  3. Alessandro diz

    Poxa mas essa questão é complexa, exemo: eu estiver namorando com uma garota sorodiscordante ou que seja tbm positiva, e ambos estiver indetectável ou apenas ela ou eu, e não tivéssemos mais nenhuma DST, eu Não usaria preservativo, mas apenas nesse caso, pq se for uma pessoa cujo n conheço qualquer sorologia que seja eu usaria n para transmitir o HIV pra ela, pois tenho certeza que isso não iria ocorrer, mas sim para me proteger de pegar outra coisa… Simples assim.

  4. Maxwell diz

    Achei interessante você colocar a enquete para nós votarmos também.
    Apesar que a pergunta em si abre um leque de questionamentos na cabeça de quem vai responder.
    “Você acha que quem tem carga viral indetectável precisa usar camisinha?”
    Eu respondi que SIM, pq apesar de acreditar que não somos mais vetores do vírus HIV MAS há outras DSTs por aí assolando em demasia como a sífilis, hepatite. Parece realmente que se coloca o HIV como a “pior” das DSTs e como se encontra controlada as pessoas não dão tanta importância as outras DSTs (até a hora de receberem o resultado de positivo de novo pra outra DST).
    Então minha resposta não se baseia em ser um um possível vetor ou não do HIV mas de que foi confiando na saúde (externa) do outro que acabei por me infectar com o HIV então pra não ser mais “vítima” de outra DST prefiro usar camisinha.

  5. Pessoal, é só usar a lógica: se uma pessoa está em PREP (tomando o Truvada) e fizer sexo desprotegido, ela está protegida pelo medicamento. Moro fora do Brasil e aqui todo mundo que toma Truvada já eliminou a camisinha (fato!). Portanto, se o Truvada pode proteger de pegar o vírus HIV num percentual altíssimo, vc acha mesmo que se você que está tomando seu medicamento é fizer sexo desprotegido vai pegar uma nova cepa? Vamos abrir a cabeça, galera! É a mesma lógica! Vc não vai pegar! Pode pegar outra DST, mas desse mal, fiquem tranquilos! Quem aqui já conheceu alguém que se recontaminou? Isso é medo burro, pq já estamos calejados por causa desse vírus! Não vai haver recontaminaçao. Precisa ter muito peito pra afirmar um negócio desse, mas fora do Brasil esse discurso está mais do que garantido.

    • Luana diz

      Pois eu conheço um soro + que pegou outra cepa de hiv muito mais resistente de um gringo da Itália e se deu muito mal porque tambem pegou hepatite C junto… Sabemos que quem tem hiv e hepaite C tem problemas maiores, porque o fígado nem sempre suporta o tratamento com ARVs e para hepatite C… Se cuidem garotos!!!

      • cariocarj diz

        Isso é verdade é um complicador. Ter o Hiv, tomar os ARVs e cuidar seja ela Hepatite B ou C.

        O meu infecto já comentou comigo,que só nesse hospital particular em trabalha já está há 11 anos, que só perdeu (faleceu) um paciente portador do hiv, porque o mesmo teve complicações para hepatite B. Do resto está todo mundo bem vivo.

    • Luana diz

      Como moramos no Brasil… queridos se preotejam…principlmente da hepatite C que anda junto com o hiv em muitos soropositivos!!!

    • Cuidado! diz

      Conheço um rapaz que já tinha HIV e pegou uma cepa de virus resistente aos medicamentos. Ele já mudou o tratamento uma vez e a carga viral dele não desceu. Vai tentar uma terceira opção de tratamento pra ver se dessa vez a carga viral desce. É perigoso, gente! O melhor a fazer é se proteger.

  6. Luana diz

    Obrigado pelo post do vídeo luquinha… espetacular!!! ele fala + que1000 palavras!!!

  7. Paraense+ diz

    Estou indetectável há mais de um ano, minha esposa também, e há mais de um ano que não usamos camisinha…até agora tem dado tudo certo.

  8. danny diz

    tenho medo de tudo, ,tenho certeza que peguei o virus no meu trabalho, pois trabalho em resgates de vitimas em acidentes, nao sei de que maneira,talvez pela mucosa do olho, ou um descuido da luva de procedimento estar com problemas, nao sei dizer ao certo,mas enfim, agora me cuido de tudo, coloko 2 luvas em cada mao para atender alguem e oculos de proteçao,qualquer gota de sangue imadiatamente derramo insidim sobre a gota.estou indetectavel, e cd4 quase 900.ainda bem q sou divorciado e nao passei nada a ninguem,tenho certeza,mas preciza se cuidar e muito ainda mais quem trabalha na area de saude,se fazer sexo nao custa nada por um prservativo, seu cuidem, vale a pena,

  9. danny diz

    Luana! me diz uma coisa, vc toma o 3×1 ?minha infecto disse q estou bem e sem efeitos colaterais,q devo continuar tomando o 3×1.existe problemas em continuar com esse medicamento?

    • Luana diz

      Oi Danny, não tomo 3 x 1 não, sou da época em que tomava o efavirenz em associação com AZT e Didanosina, usei essa prescrição por uns 8 anos ou mais, então meu virus ficou resistente ao efavirenz, por isso não posso usar 3×1 , uso o tratamento de 2 terapias que foi publicado aqui ou seja, um inibidor de protease Sulfato de Atanazavir 300 mg associado ao Ritonavir 100mg + lamivudina 300 mg ; faço essa terapia há 5 anos e não fiquei resistente mais à nenhum ARV, não fique com medo não, afinal já existem tratamentos bem modernos pra o virus HIV e a cura esta próxima, eu vivo com hiv há 28 anos e faço tratamento há 20 anos, tenho uma vida satisfatória, dirijo, viajo, trabalho, cuido da minha casa e da minha vida. O estigma do hiv é muito pior que o virus em si. Com o tempo de uso dos ARVs o seu virus vai enfraquecendo e seu sistema imunológico vai fortalecendo, voce em que se cuidar, e ter medo de outras DTS, eu acho que peguei o hiv do meu ex marido, mas tambem tenho essa dúvida se não peguei da profissão, pois sou veterinária e os animais tambem tem o virus da imunodeficiência (felina= FIV), canina = CIV. símia = SIV, pode ter ocorrido alguma contaminação sei lá, porque eu nunca fui promiscua e nunca usei drogas; mas isso agora é o que menos importa pois já sou soro + mesmo, tambem não me preocupo muito com isso mais não, com o tempo voce acostuma em ser soro+. O importante é fazer o seu tratamento direito, fazer os exames e tomar seu remédo, o resto a gente vai levando. Vai dar tudo certo com voce tambem. Procure ser feliz e fazer o que voce gosta, pois já foi provado cientificmente que a felicidade fortalece o sistema imunológico.

    • Maxwell diz

      Danny me desculpe me intrometer no seu questionamento mas se vc se sente bem com a medicação e ela está controlando bem o vírus não tem o pq de mudar a não ser o caso de vc engravidar que ao que conta pelo que li o uso do 3×1 não é recomendado pra grávidas ou pessoas com propensão a depressão.

  10. Luana diz

    Ah! todos ARVs tem efeitos colaterais, mas esses medicamentos mais modernos os efeitos colaterais são menores. Discute isso com seu médico, afinal, cada pessoa pode ter um efeito colateral difernte e algumas pessoas se dão muito bem com o 3×1 e não tem efeito colateral nenhum, nem sentem nada.

  11. Batista diz

    Lu, pela sua experiência, você já deve ter lido durante esse tempo várias promessas de cura. Você acha que está mais perto ou só é um “bum de notícias para vender jornal?” Porque há pelo menos uma década se fala em cura, mas até agora nada de concreto. Acredita que demora quanto tempo?

    • Luana diz

      Oi Batista, eu pelo menos acredito que a cura esta muito perto sim, apostei com meu médico que em 2-3 anos a cura chega,daí combinamos de reunir todos os seus pacientes soro+ e fazer um grande churrasco aqui, para comemorar a cura da aids, leia sobre as ultimas noticias do VORINOSTAT na net, os cientistas estão muito otimistas com ele. Tambem acredito na cura através da produção do soro anti hiv, como é feito o SORO ANTI TETÂNICO, O SORO ANTI RÁBICO E SORO ANTI OFÍDICO. Os pesquisadores estão muito preocupados com a vacina, mas primeiro tem que ser produzido o soro, daí com os virus inativados, fica facil facil a produção de uma vacina polivalente e eficiente. A vacina é para os soro negativos, pois vacina é prevenção, não é cura. Para os soro + é necessário um tratamento eficiente que inativa o virus presentes no organismo dos soro +. e virus inativado = vacina.
      Virus inativado = tornar o virus sem capaciade infectante.

  12. Matheus diz

    Parabéns Luana,vc é um exemplo de como devemos lhe dar com o HIV…matenha-se sempre por aqui…muitos aqui são récem diagnosticados e precisam de opiniões de pessoas mais experientes como vc.

    • Luana diz

      Oi Matheus, obrigado, precisando estou aí, estou lutandocontra essevirus há 20 anos em tratamento, mais 8 anos ue demorei para desenvolver aids, o pessoal atualmene tem muito maisinformação e aceso ao tratamento e ARVs de melhor qualidade, não vejo porque tanto desespero, afinal somos muito maiores que esse vírus!!! meu face é EVALU VETERINARIA, mensagens somente IN BOX por favor.

  13. mb+ diz

    Mais conhecida como uma doença sexualmente transmissível, a sífilis também pode ser passada através da saliva, se estiver no segundo estágio da doença, quando surgem pequenas feridas na boca. O problema é que por ser uma ferida pequena, que pode estar na parte interior dos lábios, qualquer um pode pegar sífilis sem nem se dar conta do risco.

    David uip.

    • Diego diz

      Isso mesmo cara! A senhora educada ali disse que não! Nossa, discordei de uma pessoa que sabe mais que o infectologista! Kkkk O fato de ter Hiv há 28 anos faz dela se achar no direito de vir aqui ofender os outros gratuitamente! Fui obrigado a ler “cuidado com oq vc coloca na boca!” .. É muito sem noção mesmo! Se quisesse fazer sexo oral em qualquer um, oq ela tem a ver com isso? Fico indignado com gente desse tipo! Vergonha alheia total!!!!!

      • Luana diz

        Sem noção é voce seu babaca… sou uma Doutora e não somente uma senhora!!! Conheço muito mais do que muitos infectologistas sim, afinal voce conhece a historia do virus hiv? Foi um mutação do SIV do chimpanzés… Continuo afirmando que raramente se pega sífilis 2 x seguidas por receber sexo oral, eu não acredito nisso e pronto!!!

        • Diego diz

          Doutora uma ova! Pra mim vc ese mostrou sem educação! Pq não me dirigi a vc no início da conversa e foi vc quem veio querendo me ofender! O que acredita ou não pra mim tanto faz!

        • AmigoSP diz

          triste ver isso!
          pode ser dra. mas de que adianta ser dra. se não tem educação?

  14. Luana diz

    Outra coisa Diego, em momento algum eu ofendi voce, voce que vestiu a carapuça, quiz somente fazer uma brincadeira com voce e voce mesmo se denunciou!!! kkkkkkkkkkkkkk o corpo éseu esim voce faz o ue quiser com ele, isso pe problema seu, me desculpe pela brincadeira.
    Não quero mais conversa com voce e por favor não se dirija mais a mim aqui e muito menos pronuncie o meu nome, pois não vou te responderr mais, pessoas como voce não merecem nem resposta.

  15. Paraense+ diz

    Poxa…essa novela estava ficando interessante. Não vai ter continuação, não ?. Pelo menos reprisa vai ???…kkkkkkkkk

    • Diego diz

      Oq depender de mim, acabou! Fico INDIGNADO com esses Soro+ que se acham melhores pq pegaram o vírus por traição do companheiro! Rebaixando os outros como se todo mundo tivesse pego esse vírus pq é promíscuo! Não conhece as pessoas p/falar e mesmo se conhecesse, oq tem a ver com isso?? O site aqui é pra ajudar, não pra vir ficar bancando o super graduado e ofendendo os outros! Ainda fala q foi brincadeira! Sem comentários mesmo! Parei!

    • Luana diz

      Não vai não Paraense, pode ficar tranquilo, parei por aqui, estou no face falando com amigos deSan Francisco- Califórnia, lá sim o nível é outro!!!

  16. Diego diz

    Eu me denunciei! Kkkkk Procurando onde que devo satisfações da minha vida pra alguém! A pessoa se mete no que escrevi, me chama de mentiroso, insinua que não tenho formação e faço programa e depois sai ofendidinha kkkkkk mereço !!!! N me dirijo mesmo mais, pq não me interessa oq vc tem pra dizer. . N me acrescentou em nada! E pelo visto na maioria tb, pelos negativos do seus comentários preconceituosos! Passe bem!

    • Luana diz

      Tem gente batendo as bielas aqui!!! Psicologos são pra isso e as vezes podem ajudar!!!

  17. “A coisa que precisamos fazer é evitar sífilis e hepatite C. Essas duas infecções podem ser muito desagradáveis. A supressão virológica do HIV leva à uma situação de ausência de infecciosidade e as pessoas não se infectam novamente pelo HIV se estão em tratamento e já estão indetectáveis” – Dr Paul Sax, Diretor do Programa de HIV e Divisão de Doenças Infecciosas do Brigham and Women’s Hospital, Boston, USA.

    Só sair um pouco da caixinha e fazer algumas pesquisas científicas fora do Brasil que vocês vão ver que existe mundo para além das fronteiras do Brasil.

    Não se limitem apenas a experiências de vida pessoal. Quanto mais conhecimento, menos medo, mais conforto e segurança para cada um de vocês.

    Experiência pessoal tem viés de pessoa pra pessoa. Sugiro serem científicos e não se basearem apenas no que uma pesoa passou, no que um médico disse! Pesquisem! Falem com pessoas que estão no mundo todo, não só as pessoas que estão no seu bairro!

  18. Paulo diz

    O primeiro comentário da Luana, respondendo ao Diego, já foi na voadora. E com muito deboche. Acho que para uma doutora, o nível de argumentação deveria ser melhor. E não entendi ela se irritar com o fato dele dizer que ela talvez tenha sido traída. Taí uma coisa que não entendi muito bem: se ela se contaminou através do marido, ele pegou como?

    • Luana diz

      E eu acho que ficar mentindo aqui não é legal, o que o Diego postou foi uma mentira cabeluda, pois ninguem pega sífilis 2 x seguidas recebendo sexo oral. Qualquer infecto competente pode confirmar isso.

    • Luana diz

      Oi Paulo, para sua informação o meu ex marido era usuário de drogas, maconha, cocaína, haxiche,etc, hiv transmite por agulhas contaminadas também voce sabe disso né? ta vendo como voces gostam de julgaras pessoas e ficam aí uerendo me cruxificar1 Ah neim, Eu tenho certeza de que nunca fui traída por ele, mesmo porque ele era muito ciumento e ficava o tempo todo correndo atrás de mim, não tinha nem tempo para pensarem outra ou outro, pois sei que homens transam com mulheres, com homens, com travestis e até com animais!!!

  19. MB+ diz

    Kkkkkkk
    Estou conversando com pessoas de San Francisco …

    Bem as pessoas acabam cuidando tanto de animais que acabam se tornando um…

    Mas aqui não foi feito para se julgar os outros e sim para se ajudar …o rapaz simplesmente falou que pegou sífilis ao receber sexo oral sem camisinha o que tem isso demais … sou de classe média também com 3 faculdades mas isso não me livrou do hiv portanto sou um reles mortal como todos … acredito em tudo o que me dizem até que se prove ao contrário e até o momento não tenho provas que não se transmite sífilis desta forma …Se me apresentarem algo conclusivo e com base científica …volto e peço desculpas …aliás tenho 15 anos de soro + ….mas a cada dia aprendo algo novo .
    Humildade é um bem que se deve ter para vencer não só o hiv mas muitas outras coisas na vida.

    • Luana diz

      Tomar 3×1 dá isso mesmo, ver extraterrestres é normal para quem toma efavirenz, já tomei ele 8 anos seguidos, falei com varios ETs tambem kkkkkkkkkkkkkkk

    • Luana diz

      As pessoas trabalham tanto com animais que acabam se tornando o que MB+? Animais? Cachorros? cavalos? porcos?
      Afinal somos todos animais, e os humanos são os unicos animais capazes de destruirem uns aos outros.
      Humildade? Quem falou que eu sou humilde? Mas não sou mesmo, ando de BMW X6, de camaro amarelo, de camaro preto, afinal estudei muito, trabalhei muito e ganhei muito $$$ para isso!!!
      Se eu fosse humilde, o mundo, o hiv e a aids já teriam me matado, e para falar a verdade eu não to neim aí pra esse tal de Diego, pra esse tal de Paulo e para voce. pra quem venceu algo muito pior como a aids em 1996 e esta vencendo o hiv à 20 anos esse tipo de comentário não me interessa, justamente por isso não falava com soro + à mais de 10 anos e vou voltar a conviver somente com os soro negativos novamente.

      Fica humilde pra voce ver se vai vencer o hiv, vencer o hiv é para os fortes e não para os fracos.

      E para quem fala ingles e espanhol e gosta de namorar, fazer amigos, vai aí uma dica de sites internacionais para fazer amizades, distrair, namorar e até casar para quem quiser. Eu pelo menos tenho amigos no mundo inteiro e falo com eles diariamente para treinar o meu ingles e espanhol.

      https://www.internationalcupid.com
      http://www.russiancupid.com
      https://www.internationalcupid.com

    • Luana diz

      Sim estou conversando com amigos de sn francisco – california – USA sim, porque? isso é algum problema para voce?

      As pessoas trabalham tanto com animais que acabam se tornando o que MB+? Animais? Cachorros? cavalos? porcos?
      Afinal somos todos animais, e os humanos são os únicos animais capazes de destruirem uns aos outros.
      Humildade? Quem falou que eu sou humilde? Mas não sou mesmo, ando de BMW X6, de camaro amarelo, de camaro preto, afinal estudei muito, trabalhei muito e ganhei muito $$$ para isso!!!
      Se eu fosse humilde, o mundo, o hiv e a aids já teriam me matado, e para falar a verdade eu não to neim aí pra esse tal de Diego, pra esse tal de Paulo e para voce. pra quem venceu algo muito pior como a aids em 1996 e esta vencendo o hiv à 20 anos esse tipo de comentário não me interessa, justamente por isso não falava com soro + à mais de 10 anos e vou voltar a conviver somente com os soro negativos novamente.

      Fica humilde pra voce ver se vai vencer o hiv, vencer o hiv é para os fortes e não para os fracos.

      E para quem fala ingles e espanhol e gosta de namorar, fazer amigos, vai aí uma dica de sites internacionais para fazer amizades, distrair, namorar e até casar para quem quiser. Eu pelo menos tenho amigos no mundo inteiro e falo com eles diariamente para treinar o meu ingles e espanhol.

      • roger diz

        Achei a cura do hiv!!!!!A lingua da luana tem o antidoto…….kkkkkkkk …..cade o alexandre para dar uns conselhos para ela?

  20. Paraense+ diz

    Kkkkkk…estou conversando com uns ETs de Marte. Lá eles já encontraram a cura…lá, sim, o nível é outro. Desculpem a brincadeira, gente. É só pra quebrar esse clima belicista, momentâneo, e descontrair a galera. Afinal, também, dá pra fazer piada com HIV.KKKKK.

    • Luana diz

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkk speak english no is for all peoples… have friends in all world no is for all peoples also… excuse me please, but that is the really!!!

    • luquinha diz

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  21. Tonzinho diz

    Antes do Hiv eu tive sífilis, não tive absolutamente nada de machucados, feridas ou manchas externas. Mas tive febre, dor de cabeça, mal estar, indisposição, parecia dengue mesmo. Quando fiz o teste deu positivo. Tomei 6 doses de penicilina dividido em 3 semanas e pronto, passou. Foi um alerta, não me cuidei e fui infectado.

  22. Luana, com seus anos de experiência com o vírus e conhecedora de todas as ramificações de DSTs existentes, você poderia discordar sendo um pouco mais educada e polida. Segue alguns exemplos:

    “Tenho percebido que…(argumento)”;
    “Com meus anos de experiência percebo que (argumento)”;
    “Partindo do meu ponto de vista e do que já li a respeito, penso que (argumento)”.

    Essa necessidade de auto afirmação aqui da sua classe social, do seu status intelectual, não vai te fazer mais ou menos respeitada. Aqui, somos unidos por um objetivo em comum: sermos humildes e melhores a cada dia.

    Fica uma dica amiga. Talvez vc possa contribuir de uma forma muito mais rica, sendo um pouco mais assertiva.

  23. Luana diz

    Oi Thecurevacine, não tenho interesse em comentarios como os seus e por favor leia os meus posts anteriores aqui, voce esta mal infomado. Quanto aos outros provavelmente são pessoas frustadas e ignorantes, não tenho interesse nos comentarios deles tambem.

  24. Luana diz

    Yes MB+ iam talking with my friends from San Francisco in California USA, why? This is a problem for you?

    As pessoas trabalham tanto com animais que acabam se tornando o que MB+? Animais? Cachorros? cavalos? porcos?
    Afinal somos todos animais, e os humanos são os unicos animais capazes de destruirem uns aos outros.
    Humildade? Quem falou que eu sou humilde? Mas não sou mesmo, ando de BMW X6, de camaro amarelo, de camaro preto, afinal estudei muito, trabalhei muito e ganhei muito $$$ para isso!!!
    Se eu fosse humilde, o mundo, o hiv e a aids já teriam me matado, e para falar a verdade eu não to neim aí pra esse tal de Diego, pra esse tal de Paulo e para voce. pra quem venceu algo muito pior como a aids em 1996 e esta vencendo o hiv à 20 anos esse tipo de comentário não me interessa, justamente por isso não falava com soro + à mais de 10 anos e vou voltar a conviver somente com os soro negativos novamente.

    Fica humilde pra voce ver se vai vencer o hiv, vencer o hiv é para os fortes e não para os fracos.

    E para quem fala ingles e espanhol e gosta de namorar, fazer amigos, vai aí uma dica de sites internacionais para fazer amizades, distrair, namorar e até casar para quem quiser. Eu pelo menos tenho amigos no mundo inteiro e falo com eles diariamente para treinar o meu ingles e espanhol.

    https://www.internationalcupid.com
    http://www.russiancupid.com
    https://www.internationalcupid.com

  25. MB+ diz

    Jesus …
    Não acreditava mas o hiv causa mesmo demência …
    Vivendo e aprendendo .

    • Luana diz

      CUIDADO QUE A INVEJA MATA!!! VENCER HIV NÃO É PARA QUALQUER UM NÃO!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Luana diz

      Voce não sabe nem ler, não falei que gost ode psiquiatras, mesmo porque não preciso dele, menos ainda, eu falei que ACREDITO EM PSIQUIATRAS PORQUE SÃO MEDICOS QUE ESTUDARAM PARA CURAR AS PESSOAS.
      É bom ter do do viruzinho mesmo… acabei com ele e acabo com qualquer um que tentar abaixar minah alta etima, não tenho medo de voce não seu mal educado, gorda com 63 kilos e 1,64 m de altura isso sem salto om alto 15 vou para 1,79 e 63 kilos, corpinho de manequim kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sou linda, bela, loira com 80 cm de cabelos naturais, ah! e tem rapaz da idade do meu filho (28 anos) querendo me pegar seu babaca… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sei muito bem quem ou e não to neim aí pra sua opinião…
      sua informação não guardo nomes que não me interessam, não acredito em psicanalise… deixam as pessoas mais revoltadas do que felizes…

      • Fernando Rodrigues diz

        Cala te. Já nem consigo ler o teu nome. Que prepotência.

  26. Luana, só pra medida de informação e não por auto afirmação, sou psicólogo especializado em Psiconeuroimunologia. Atualmente estou estudando fora do país medidas para diminuir estados depressivos causados por algumas ARVs. Acesso esse site semanalmente desde outubro de 2015, inclusive li seu comentário no post anterior alegando que o HIV causa lipodistrófica, da qual discordo, pois quando o paciente está em supressão viral (indetectável), não há vírus suficiente no plasma para causa a lipodistrofia, que por sinal você veio a apresentar por diversos favores, como: 1) uso de quantidade excessiva de TARV; 2) medicamentos ultrapassados (antigo AZT, por exemplo); 3) antigamente só entrava em TARV paciente que chegassem a CD4 inferior a 350 cópias/ml, o qual resultava em uma maior ação do vírus nos tecidos. Por essa razão, a lipodistrofia não é mais mencionada nos novos medicamentos e em razão do novo protocolo de TARV para início imediato.
    A diferença aqui é que algumas pessoas precisam se auto afirmar conhecedoras para adquirir respeito de anônimos. Existe nesse site muitos profissionais da área da saúde e interessados (assim como você) em buscar conhecimento. E alguns, assim como eu, preferem ser discretos e não entrar em polêmicas. Mas se você prefere agir assim, respeito sua posição. Bom descanso, lhe desejo uma ótima cirurgia e excelente recuperação.

    • Luana diz

      Eu não preciso me autofirmar em nada, sou uma pessoa que não se preocupa mais com o que os outros pensam de mim, tenho esse direito, pois já passei pela vida, ou seja, já tive um filho, já plantei varias arvores e já escrevi 3 livros e varios artigos em jornais. Sou verdadeira e falo o que penso só isso. ACHO QEU AQUI NÃO É LOAL PARA FICAR CONTANDO MENTIRAS!!! Conheço muito bem o meu caráter e não estou preocupada com minhA reputação, OU SEJA COM QUE OS OUTROS PENSM DE MIM!

  27. Luana diz

    Não acredito em psicologos,prefiro os psiquiatras quesão médios, para mim Froid não passa de um louco, alcóolatrae que não foi capaz de nem parar de fumar, as teorias dele não tem nenhum interese para mim, pois até hoje nã oencontrei nenhum psicólogo capaz de me ajudar!
    Quanto à lipodistrofia meu querido, vou postar um artigo aqui que muitas pessoas tem lipodistrofia genética, que apresentam depósitos de gorduras em determinadas regiões do organismo e não necesariamente tem queter hiv ou tomar ARVs para ter lipodistrofia, voce esta mal informado como todos os psicologos que já aconheci até hoje.

    • Gil diz

      !!!!!!
      Como se todo psicólogo fosse discípulo de Freud. Alguém que não sabe esta diferença mas sai relinchando e confunde hábitos de um autor com sua obra, tem de mostrar “os diproma” e jurar magreza e lindeza.
      Na bmw na certa tá escrito: “foi Deus que mim deu”

    • Luana diz

      é esse aí mesmo FREUD ou FROID ou FROYD, um louco, bêbado e alcoolatra, cuja maior frustação foi não ter consiguido parar de fumar, um pobre coitado, que falou um monte besteiras que eu não acredito em nada das teorias dele, eu acredito em psiquiatras que são médicos que estudaram par tratar e curar esses sim são os verdadeiros anjos de Deus na terra!!!

  28. Maxwell diz

    Adoro uma discussão então vou entrar nessa que está ocorrendo aqui.
    Luana há uns textos atrás você fez um relato que emocionou muitos aqui e com certeza ajudou muitos dos que estão iniciando nessa empreitada contra o hiv. Em um outro texto li um relato seu q vc comentou que estava pra fazer, se não me falhe a memória, ponte de safena jogando a culpa de ter que fazer isso por conta de muita medicação que vc tomou a longo dos anos mesmo praticando uma vida saudável e comendo de forma saudável. Depois até informou seu facebook pra quem quisesse lhe ver como está bem hoje depois de longo anos de positiva.
    Pois bem, eu dei uma espiada e também posso afirmar só de olhar pra suas fotos que a necessidade de vc fazer a ponte de safena não é só por causa da medicação como vc quis levantar (demonizando a medicação) mas por desleixo seu quanto à sua alimentação, já que vc aparenta está meio gordinha e me transparece que você não se cuida tão bem o quanto diz nas entrelinhas daqui.
    Eu não iria comentar isso antes por uma questão de educação mas quero saber como vc se sente ao ler essa minha visão sobre você? É bom ser julgada por quem não lhe conhece? Não? Então não julgue também o rapaz. Se o mesmo fez ou não sexo oral, é um problema dele. Pra isso que serve as mãozinhas aqui pra cima e pra baixo, sem precisarmos ter esse bate boca que não agrega em nada quanto à notícia em si.

    • Luana diz

      Voce esta enganado baby, eu não estou gordinha não, tenho 1,64 m e 63 kg de peso, voce que não deve estar enxergando bem, porque para uma mulher de 57 anos eu estou muito bem, linda e loira, belíssima!!! Pelo que percebi esse blog é de gays frustados e mal amados, que fiam maltratando as mulehres que se manifestam aqui, para expula-las do blog isso sim.

      • Luana diz

        Ah tenho 1,64 m descalça com alto 15 vou para 1,79 e 63 kg de peso, corpinho de maneuqim baby!!! kkkkkkkkkkkkk se isso for gorda o que sobra para os gordos coitados! voces podem tentar me agredir que nada disso me pega, estou vacinda contra soro + frustados e mentirosos!!!

    • Luana diz

      QUERIDO NÃO GUARDO NOME DE QUEM NÃO ME INTERESSA, COMO VOCE E CHAMA MESMO? E O PAI DA PSICANÁLISE QUEM É MESMO?

  29. MB+ diz

    Kkkkkkk

    Aí …essa doeu velha e gorda …Kkkkkkk.

    E gosta tanto de psiquiatra …velha gorda e louca ….Kkkkkkk. …Por isso ela não dá tanta importância para o hiv …esse mal é o menor…
    Tô até com do do viruzinho

    Fala tantas línguas e não sabe nem o nome do pai da psicanálise

    • Luana diz

      É bom ter do do viruzinho mesmo… acabei com ele e acabo com qualquer um que tentar abaixar minah alta etima, não tenho medo de voce não seu mal educado, gorda com 63 kilos e 1,64 m de altura isso sem salto om alto 15 vou para 1,79 e 63 kilos, corpinho de manequim kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sou linda, bela, loira com 80 cm de cabelos naturais, ah! e tem rapaz da idade do meu filho (28 anos) querendo me pegar seu babaca… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sei muito bem quem ou e não to neim aí pra sua opinião…
      sua informação não guardo nomes que não me interessam, não acredito em psicanalise… deixam as pessoas mais agressivas, revoltadas e infelizes…

  30. GOIANO + diz

    Vamos falar da Iorguteira Top Therme, a iorguteira mais vendida de todo o Brasil !!

    -,-

    • Luana diz

      BOA GOIANO, ESTÃO QUASE ME CRUXIFICANDO AQUI SÓ PORQUE FIZ UM BRINCADEIRA COM O DIEGO E ELE NÃO GOSTOU, JÁ COLOCARAM MAIS DE MIL PALAVRAS NA MINHA BOCA, AFFFFFFFFFFFF….

      • Marcus diz

        Estão te crucificando porque vc foi preconceituosa, prepotente e soberba em diversos aspectos num ambiente onde se prega a igualdade, humildade e irmandade.

  31. Ok pessoal, acho que a discussão está caminhando para um caminho não saudável. Vamos por um fim nisso. O artigo é sério e ofensas aqui não vai levar a lugar algum. Boa noite para o pessoal do Brasil.

  32. GOIANO + diz

    Gente ! Entra no kik, e vão brigar por lá ! por favor, isso aqui não é bate papó não !
    Mais Respeito !!

  33. Luana diz

    POR MIM NINGUEM ME OFENDEU NÃO, TÔ NEM AÍ… TÔ NEIM AÍ… SOU MUITO MAIS EU, UM DIA VOCES CHEGAM LÁ SE DEUS ABENÇOAR TODOS VOCES, COMO ELE TE M ME ABENÇOADO!

    VOU DORMIR MEUS QUERIDOS, NÃO ESTOU MAIS ABERTA A DISCUSSÕES NÃO!!!
    SE CUIDEM GAROTOS E CUIDADO COM O UE VOCES COLOCAM NA BOCA!!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Luana diz

      Boa noite thecurevacine, estou me desligando desse blog, infelizmente há 20 nos tento me relacionar com pessoas soro + e só encontro pessoas revoltadas e agressivas, como se o mundo inteiro tivesse culpa de termos contraído o virus hiv.
      Vou continuar convivendo com soronegativos como faço há anos, são pessoas menos agressivas e menos traumatizadas.
      Desejo boa saude para todos!!!

    • SAR diz

      A respeito da afirmação do Diego e da dúvida da Luana, sugiro que acessem o links:

      Clique para acessar o SifilisGEIDST.pdf


      Clique para acessar o v81n02a02.pdf

      Descobri há menos de dois meses que sou portador do vírus HIV e a partir de então, estou sempre por aqui com o objetivo de me informar e me fortalecer através de depoimentos e experiências de pessoas que estão na mesma condição. Obviamente, que pontos de vista diferentes sempre existirão e isso é saudável para que a discussão sobre os temas tornem-se abrangentes. Mas, humildemente, sugiro que esse blog seja para discussões sadias, trocas de informações pautadas em artigos científicos de relevância e que o respeito prevaleça. Sou graduado, mestre e doutor na área de Ciências e isso não me garantiu imunidade diante do vírus HIV. Estamos todos na mesma condição e o importante é que o respeito prevaleça. Deixemos esse veículo de comunicação para informar e ajudar, assim como tem me ajudado da data que descobri até hoje.

      Abraço pra quem é de abraço e um beijo pra quem é de beijo!

  34. Luana diz

    Verdade SAR, menos = soro – são + = são melhores, tô fora de soro+

  35. Luana diz

    Medicina

    Depois da tragédia envolvendo a morte de 108 pesquisadores da AIDs no acidente com o avião da Malaysia Airlines, enfim boas notícias! Cientistas conseguiram, pela primeira vez expulsar o HIV de uma célula. O anúncio foi feito na Conferência Internacional sobre a Aids, realizada em Melbourne, na Austrália, exatamente para onde os estudiosos do voo MH17 estavam indo.

    O feito, considera um novo “primeiro passo” na busca da cura da doença, foi alcançado através do uso do remédio Romidepsin, aplicado em casos de câncer, em pacientes com Aids. Com ele, o vírus sai das células que está infectando e vai para a corrente sanguínea, onde as próprias células do sistema imunológico humano atacam o vírus. Os efeitos foram observados em cinco dos seis pacientes que participaram do estudo.

    Leia mais sobre o “primeiro passo da cura”:

    A ciência finalmente descobriu como dar o último golpe no HIV, que transmite a Aids: arrancando o vírus dos lugares onde ele se esconde no corpo humano. Cientistas anunciaram ter conseguido expulsar o vírus da Aids, dormente em glóbulos brancos, usando um medicamento destinado ao tratamento de câncer. A capacidade do código genético do HIV de se esconder em células e despertar anos mais tarde, é um dos principais obstáculos para se chegar a uma cura.

    A nova pesquisa, publicada na edição esta semana da “Nature”, abre a perspectiva de a ciência dominar uma maneira de tirar o HIV de seu “esconderijo” para eliminá-lo. Usando a droga quimioterápica Vorinostat, os pesquisadores americanos conseguiram despertar e “desmascarar” o vírus latente em glóbulos brancos CD4+T de oito pacientes. Com a droga, eles saíam dos glóbulos brancos, ficando momentaneamente sem poder voltar. O HIV é um retrovírus, o que significa que injeta seu DNA em células hospedeiras, que viram fábricas de vírus.

    “Após uma única dose da droga, pelo menos por um momento, o Vorinostat faz com que o vírus saia do seu esconderijo”, disse David Margolis, um dos autores do estudo. Sem uma célula hospedeira, em teoria, ele morre em questão de minutos. “Esta é uma prova do conceito de que o vírus pode ser alvejado especificamente dentro de um paciente por uma droga e, essencialmente, abre o caminho para que esta classe de fármacos seja estudada para o uso desta maneira”.

    O remédio

    O medicamento tem como alvo uma enzima que permite ao vírus ficar latente. Os autores ressalvaram que o efeito observado no Vorinostat é apenas um indicativo de que uma cura pode ser alcançada por esse caminho, mas que ele ainda precisa ser mais explorado.

    “Há uma possibilidade de que isso possa funcionar. Mas, se é apenas 99% verdade e 1% dos vírus escapar, não haverá sucesso. É por isso que temos que ter cuidado com o nosso trabalho e o que afirmamos a respeito dele“, disse Margolis à agência AFP.

    Cautela e euforia

    Os pesquisadores mantêm cautela, mas a possibilidade tem gerado euforia em setores da comunidade científica. Parece que, depois de passar as últimas décadas tomando dribles do vírus, a humanidade finalmente pode ter descoberto uma forma de encurralá-lo.

    “Há dois anos, se alguém falasse em cura, seria considerado maluco. Isso era considerado impossível“, diz John Frater, imunologista da Universidade de Oxford e um dos líderes do Cherub (Collaborative HIV Eradication of Viral Reservoirs), projeto que reúne cinco universidades inglesas num estudo contra o vírus.

    “Estou genuinamente entusiasmado“, afirma. A técnica de expulsão do HIV é a inovação científica mais importante, e instigante, das últimas décadas.

  36. Luana diz

    http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2014/04/23/lipodistrofia-altera-corpo-de-quem-vive-com-aids.htm

    Lipodistrofia altera corpo de quem vive com Aids; entenda o problema:

    Para mim, foi pior do que quando recebi o diagnóstico de HIV positivo.” É assim que Silmara Retti, escritora e fundadora do Instituto Blablablá Posithivo, de Ubatuba (litoral de São Paulo), descreve o sentimento que a acometeu quando notou que estava desenvolvendo a lipodistrofia. Iguais a ela, milhares de mulheres vivendo com HIV/Aids sofrem ao enxergarem no espelho a própria imagem alterada. “Homens também, mas nas mulheres a mudança é mais visível, pois seus corpos ficam masculinizados”, explica Mário Warde, cirurgião plástico do Instituto de Infectologia Emilio Ribas

    Por causa do impacto dessas alterações físicas na autoestima das pessoas, com reflexo em todas as áreas da vida, principalmente na saúde, a Agência de Notícias da Aids começa a publicar hoje uma série de matérias sobre o assunto.

    Passados 32 anos da descoberta do vírus e 18 do início da oferta universal e gratuita dos antirretrovirais no Brasil, o que permitiu ao tratamento da Aids imensos avanços, a lipodistrofia, hoje, é uma das maiores preocupações de quem vive com HIV. Ela gerou mais um estigma ao deixar visível o que passou a ser chamada de a nova cara da Aids: rostos marcados por sulcos, afinamento de braços, quadris e pernas, perda de gordura nos glúteos e aumento na região abdominal, no peito e nas costas, devido à alteração na distribuição da gordura corporal.

    “Os infectologistas não dão muita importância a esse quadro, pois julgam que o mais grave eles já conseguiram, que é acertar nos remédios para garantir nossa sobrevivência”, diz Silmara Retti, que já foi submetida a tratamentos reparadores. “Depois de tanta luta para nos colocarem de pé, nossos médicos temem que a gente passe por cirurgias que impliquem riscos para a nossa saúde”, diz Liana Souza, outra que já fez correções.

    Realmente, acertar o esquema de antirretrovirais de um paciente e garantir a ele qualidade de vida é uma vitória inestimável. Mas, por paradoxal que pareça, essa vitória, tantas e tantas vezes, é ameaçada por mulheres e homens que acabam desistindo de tomar os antirretrovirais justamente porque não querem desenvolver a lipodistrofia. E as consequências de tal atitude são de alto risco para a vida do paciente, com aumento da carga viral, desenvolvimento de resistência viral aos medicamentos, progressão da deficiência imunológica e outros.

    “Felizmente, a mentalidade dos médicos está mudando. Os infectologistas estão olhando mais para a qualidade de vida do paciente e não só para os números laboratoriais. Assim, eles começam a dar mais indicações cirúrgicas”, diz Mário Warde, que integrou o grupo técnico responsável pela portaria do Sistema Único de Saúde (SUS) permitindo o uso do polimetilmetacrilato (PMMA) na reconstrução facial e trabalhou protocolando preenchimentos de 2003 a 2005.

    Como se desenvolve

    Responsável pelo ambulatório de lipodistrofia do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP (CRT), a infectologista Mylva Fonsi diz que o desenvolvimento das alterações físicas causa muito prejuízo à adesão ao tratamento porque, muitas vezes, as pessoas o veem como uma causa isolada. “E não é. É uma síndrome metabólica caracterizada por uma junção de fatores, como alteração de colesterol, triglicérides, intolerância à glicose, diabetes, hipertensão arterial, osteoporose precoce. Apré-disposição genética é um importante fator individual, sendo impossível prever quem e de que forma cada um desenvolverá essa síndrome”, esclarece Mylva.

    Nas pessoas com HIV, segundo a infectologista, somam-se a esses fatores o próprio vírus, a medicação antirretroviral e a junção dos dois. Mylva explica que essas alterações físicas, mais conhecidas como lipodistrofia, podem se manifestar de três formas: lipoatrofia, lipohipertrofia e mista.

    A lipoatrofia se caracteriza pela perda da gordura nas pernas, nos braços, no glúteo e no rosto. A camada gordurosa subcutânea – logo abaixo da pele – conhecida como coxim, diminui, deixando à mostra vasos e veias. Acontece que essa camada de gordura não é um enfeite – como tudo no organismo humano, ela tem sua função. “Esse coxim funciona como isolante, impedindo, por exemplo, que um corte chegue ao músculo ou à veia” continua Mylva.

    Na lipohipertrofia há um acúmulo da gordura na região central do corpo (giba, tórax e abdome). Essa gordura pode se acumular no subcutâneo ou ser visceral (junto aos órgãos abdominais). A gordura visceral é tipicamente utilizada pelo organismo para armazenamento de energia de reserva.”É aquela que, caso você passe um dia sem comer, é utilizada para obtenção de energia”, diz a infectologista Mylva.

    O vírus ou os antirretrovirais?

    No caso específico das pessoas vivendo com HIV, qual seria o maior vilão da lipodistrofia, o próprio vírus ou os medicamentos? Uma das pioneiras na técnica de preenchimento com PMMA em São Paulo, a médica anestesista Suzana Barreto acredita que são os antirretrovirais, especialmente os mais antigos. Ela observou em seus 16 anos de prática que, com a evolução dos medicamentos, a incidência de lipodistrofia diminuiu,assim como o seu nível de desenvolvimento. “Antes, os efeitos eram muito mais progressivos. Hoje, ficou mais fácil estagná-los.”

    A infectologista Zarifa Khoury, dos hospitais Emílio Ribas,Albert Einstein e do Programa Municipal de DST/Aids, assim com Mylva e Mário Warde conta que o medicamento Estavudina já foi considerado o grande vilão da lipoatrofia. “Foi um medicamento muito usado para substituir o AZT”, explica Zarifa. “E foi constatado que ele teve muita responsabilidade na perda da gordura facial. Hoje em dia, a Estavudina quase não é mais usada.”

    Warde lembra que houve uma época em que o medicamento Crixivan foi considerado o vilão da gordura abdominal. Mylva constatou, no CRT, casos em que a troca de medicamento trouxe melhora para o paciente. E Zarifa já viu pacientes que nunca tomaram antirretrovirais desenvolverem lipodistrofia.

    “O HIV amplifica a predisposição genética para a lipodistrofia. Ele é um risco a mais. Por isso, pessoas que não tomam antirretrovirais também desenvolvem os sintomas”, continua Zarifa, lembrando que o avanço da idade constitui outro risco, porque, naturalmente, o organismo vai tendo mais dificuldade de trabalhar. “Na verdade, é bem semelhante ao envelhecimento muito rápido, exacerbado e precoce”, complementa Mylva.

    Prevenção

    A boa notícia que esses especialistas têm para dar é que é possível prevenir a síndrome lipodistrófica e até mesmo reverter alguns aspectos quando ela já se instalou. A primeira dica é um programa de atividades físicas regulares. Além de fortalecer a musculatura,o que melhora o visual, o exercício tem a função de ajudar no controle do peso. Segundo o educador físico Reinaldo Sobrinho, que ajudou a criar o programa de exercícios para pessoas vivendo com HIV na rede municipal de São Paulo, o ideal é associar musculação com treinos aeróbicos, como caminhadas ou corridas. “Assim, além de queimar gorduras, a pessoa fortalece o coração, prevenindo problemas cardíacos, que são maiores em soropositivos”, diz Sobrinho.

    “Controlar o peso é essencial “, ensina Mylva. “Se não há excesso de gordura no corpo, ele não tem como acumular.” Dentro desse raciocínio, a alimentação surge como outro cuidado e aí é a dica é a de sempre: comer de acordo com a idade, o tipo físico, evitando exageros e sempre dando preferência a alimentos saudáveis.

    (Agência de Notícias da Aids)

  37. H/SP+ diz

    Olá,
    Sou soro+, indetectável e tenho uma relação sorodiscordante! Há 6 meses decidimos tirar a camisinha, sou passivo e fizemos teste no inicio (inclusive VDRL) e repetimos de 2 em 2 meses e por enquanto tudo normal, nao houve transmissão e meu noivo NÃO toma truvarda! Sei que isso é muito particular de cada um e uma decisão que deve ser tomada em comum acordo, caso se tenha uma relação firme e confiável…. fica aqui meu relato!

  38. Batista diz

    Discussão deplorável. JS você poderia publicar algum artigo ou emitir algum comentário com base científica acerca da lipodistrofia nos dias atuais em soropositivos. Se ainda é causada pelo tratamento com ARVs, ou apenas pela infecção do HIV sem o uso de medicamentos ou o fator genético tem influência nesse problema. Há muita informação divergente, quanto mais pesquisa mais dúvidas. Fica a sugestão.

  39. Pedro diz

    Essa luana deve um fake desocupado, pq apareceu só agora do nada? Ou será que é mais pessoal sem mais nada pra fazer na vida?

    • Diego diz

      Hahaahahahah nunca li tanta asneira na minha vida!
      Kkkk
      ‘Nunca fui traida pq meu marido não tinha tempo p/isso, era mt ciumento! ” kkk pobre iludida!
      Maconha, Haxixe passsando Hiv? Kkk No mínimo ele usava coisas bem pesadas pra compartilhar seringas, ne? Pra um dentista inteligentissimo de alto nível, feio né? Claro, ele jamais te traiu pq ja se viu que ele era um santo e vc é/era linda e amável(como se mostrou aqui), jamais ele faria isso! Rsrsrs sendo irônico, lógico!
      Teu dinheiro é bom, mas não foi o suficiente pra acabar com o vírus né? Que pena! E tbm não foi suficiente pra te transformar numa pessoa melhor, sem soberba! Se outros países são melhores, pq então não se muda de uma vez? É um favor que faz com essa tua linha de responder e tratar as pessoas!
      Eu trocaria qualquer $ pra me ver livre do vírus, mas isso a Senhora doutora não consegue né? Do que adianta estudar tanto e continuar desse jeito?

      Graças ao bom Deus, tenho a carga viral indetctavel pq me cuido mt bem, como a maioria aqui! Não sou o rei da sabedoria, sou ser humano com vontade de aprender mais e mais e sou Jovem, realmente, solteiro e transo mesmo! Pq é MUITO BOM! Infelizmente outras Dst estão ai e não ta escrito na cara de ninguém!
      Se eu quisesse ficar me elogiando aqui, falando da minha juventude, q posso sair com quem quiser pois sou bonito, corpo saradao pra 1,86 90kg e 5% de gordura corporal de muito treino, alimentação e vida saudável, e que sou formado, trabalho, ganho bem e o suficiente pra poder ter a maioria das coisas que eu quero p/ser feliz, ficaria aqui enumerando e me elogiando… a troco de que ? Nada! Não preciso disso!

      Somente alertei aos amigos inteligentes realmente aqui, pq foi uma experiência que eu jamais imaginava passar!
      N transo sem camisinha mesmo indetctavel por medo mesmo assim de passar hiv p/outros e tb pra não pegar outras doenças e me surpreendi pegando sífilis da maneira como eu relatei. Agora se acreditam ou não, indiferente. Minha vida segue o fluxo, termino o tratamento e volto a estaca zero.. Sendo feliz, saudável e GRAÇAS A DEUS com muita humildade!

      Passem todos mt bem! Bjo no ♥ amados e logo estaremos livres disso! Questão de tempo! 😉

  40. mb+ diz

    Kkkkkk
    Agora eu fiquei doce doce doce
    Igual a um caramelo
    Tenho hiv e ando de camaro amarelo

    • Paraense+ diz

      Kkkkkkkkk…Sabadão aí e eu me C…de tanto rir dessa maluca. Olha ô Angelina Jolie, depois do tsunami, não generalize quanto aqui só ter gays. Eu não sou gay, mas tenho muitos conhecidos que são e respeito e tolero à todos.Pra concluir, acho que tá faltando uma boa dose de RIVOTRIL na tua vida. Vou continuar me divertindo. Bom fim de semana à todos !.

      • vivendopositivo diz

        Mas se tomar rivotril o efavirenz não dá “barato” =(

    • Paraense+ diz

      mb+ imagina só isso tendo um surto de raiva no trânsito… Vai sobrar só o chassi do Camaro.kkkkkkk

      • luquinha diz

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • luquinha diz

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  41. Ser+H diz

    Isso aqui ficou muito chato: blog da Luana. Dá um tempo mulher. O respeito ao tempo alheio é uma cortesia que ae impõe. Virou um monólogo.

  42. SAR diz

    Descobri há menos de dois meses que sou portador do vírus HIV e a partir de então, estou sempre por aqui com o objetivo de me informar e me fortalecer através de depoimentos e experiências de pessoas que estão na mesma condição. Obviamente, que pontos de vista diferentes sempre existirão e isso é saudável para que a discussão sobre os temas tornem-se abrangentes. Mas, humildemente, sugiro que esse blog seja para discussões sadias, trocas de informações pautadas em artigos científicos de relevância e que o respeito prevaleça. Sou graduado, mestre e doutor na área de Ciências e isso não me garantiu imunidade diante do vírus HIV. Estamos todos na mesma condição e o importante é que o respeito prevaleça. Deixemos esse veículo de comunicação para informar e ajudar, assim como tem me ajudado da data que descobri até hoje.

    Abraço pra quem é de abraço e um beijo pra quem é de beijo!

    • ArielLima diz

      Espero que agora “retornemos a nossa programação normal”.

  43. cariocarj diz

    Vamos agregar conhecimento, sem baixarias, (lavando roupa suja), ofensas ao próximo, vamos ajudar ao semelhante aflito porque foi recém infectado, ofensas, xingamentos isso não leva ninguém a lugar nenhum e ninguém ganha nada com isso, porque seja Rico ou Pobre um dia todos nós vamos para mesmo buraco e ali a cortina dessa vida terrena ser fechará.

    Todos nós estamos aqui para ler informações atualizadas e novidades do que existe no mundo com relação ao HIV, pesquisas, novas terapias e todos aqui com certeza almejam e sonham em um dia ficar livre do vírus e não ter que mais uso dos medicamentos.

    Temos os mesmos sonhos, objetivos que é a cura do HIV em nosso organismo. Fé e Paz !

  44. luquinha diz

    Saberiam me informar se este link que postei acima e um seriado sobre hiv pela hbo ? Saberiam o horário embora não tenha muito tempo posso gravar , e outra vocês viram pode transar 58000 vezes que não passa o vírus .

    • Will diz

      luquinha, “How To Get Away With Murder” não é um seriado sobre HIV, mas 1 dos personagens que ficou mais evidente nas 2a e 3a temporadas (o Oliver, que é super fofo S2 haha) descobriu que tem HIV e há algumas discussões em torno do tema.
      Não sei em qual emissora passa no Brasil, mas no Netflix já tem disponível as 2 primeiras temporadas completas.
      Eu particularmente adoro o seriado, mas sou suspeito pra falar pq sou viciado em séries hehe

  45. AmigoSP diz

    Tbm acho que seria legal um post novo e mais esclarecedor (envolvendo algum estudo puplicado) sobre a Lipodistrofia.
    Meu médico é o DR ESPER KALLAS , e pelo que ele me disse a Lipodistrofia hoje acomete pouquissimas pessoas. Segundo o DR. Esper, os médicamentos usados hoje em dia não causam lipodistrofia!

    Mas fiquei com uma dúvida: Os soro+ podem desenvolver a lipodistrofia ou são os ARVs que podem desenvolve-lá?

    Obrigado!

  46. RecentWave diz

    E eu achando que o trem aqui estava bombando nos coments sobre o assunto do texto… Parabéns Luana e Diego pela novela mexicana. Fiquei com preguiça e pulei 90% do “conteúdo” postado acima, independente de quem está certo ou errado.

    Voltando ao assunto do texto a resposta no meu caso é simples. Em uma relação sorodiscordante estável estando eu indetectável, eu não uso preservativo muitas das vezes e não me sinto uma ameaça por isso. Se pesquisas dizem quem eu não corro risco de passar hiv para meu parceiro porquê eu iria discordar? Agora eu correria rico de pegar alguma outra DST. Sim, corro, mas quem visita o médico constantemente e faz exames constantemente, este risco é minimizado.
    Agora fora desta relação eu uso preservativo mais para me proteger do que preocupado em passar HIV para outra pessoa. É egoismo da minha parte? Não, é a realidade pura e simples.

  47. André diz

    Gente, o efavirenz causa essas alucinações só no início do tratamento?

      • Marcos. diz

        Muito relativo. Eu nunca senti nada dessas alucinações. Varia muito de pessoa pra pessoa.

    • vivendopositivo diz

      Se tomar umas 5 gotas de rivotril juntos com o comprimido minimiza em 90% a tontura. Pelo menos comigo. Também estou há quase dois anos e sinto tontura. Alucinações só aconteceram bem no começo.

    • davi-pe diz

      Andre.
      Varia mto. No inicio eu tive bastante, qse 1 ano e meio depois não sinto mais nada.

  48. Gil+ diz

    Liga para esses tipos de comentarios nao Luana, voce é um pessoa linda, maravilhosa e poderosa, além de muito inteligente, podemos perceber isso, pelos seus posts anteriores. Vi voce e esta muito bem mesmo, voce esta melhor do que muitas pessoas que não tem hiv.
    Esse tipo de pessoa que ficam faendo comentários maldosos com voce e te “discriminando” são uns pobres coitados de uns ignorantes e promiscuos, que mal sabem o que dizem.

    • diego diz

      Gil+, já deu pra perceber que vc não leu os comentários desde o inicio, né?

    • Gil diz

      Pessoal, voltei. 176 posts…
      Eu fiquei tão perplexo com a discussão aqui que, confesso, só pensei uma coisa:
      A DOIDA EXIBICIONISTA SÓ PODE SER MULHER DO ALEXANDRE (disse o nome!)!!
      Caro inimigo virtual, perdoo você, pois, conhecendo sua esposa, um misto de anã de jardim, rapunzel de zona, caricatura de nova rica de periferia (tipo personagem de novela das 7) e lesada por ansiolíticos, eu entendo sua raiva, sua grosseria, sua gentileza de coice-de-mula. Não é fácil. Ainda mais que vc tem sequelas das drogas que usou (na certa pra encarar o sexo com ela e a matraca solta dela)
      Se vc já a afastou de seu convívio, sugiro que nós possamos nos unir para defenestrar esse Exu-Tranca Rua e devolver o blog ao JS, que nos suporta.
      Eu sou tagarela, chato, textão e pego pesado com vc, mas essa besta-fera superou tudo!!
      Pessoal, ela provou que há coisas piores que o vírus HIV: a ostentação (se verdadeira ou não, não faz a mínima diferença) num país de miseráveis, a soberba, a ultrapassada mania de colocar diploma na frente do caráter, a necessidade de dominar o espaço e ser dona da verdade… a necessidade de humilhar ou ridicularizar de graça alguém que veio informar… tudo de ruim veio nela.
      Brincadeiras à parte com muitos e porque muitas vezes sou grosseiro quando o A… me espinafrava, poucas vezes vi alguém tão perturbada, tão fora da casinha…

      • Will diz

        Hahuahuahahahahahaha, tb me atrasei pra “festa”, Gil…
        Aliás, to rindo muito aqui com o “defenestrar”, fazia séculos que não ouvia (nesse caso, lia) essa palavra kkkkkkkkkkkkkk… E tenho 110% de certeza que a suposta Doutora Luana não sabe o que é isso, “fora da casinha” realmente define a pessoa >.<

  49. Gil+ diz

    http://colegiogenoma.com.br/blog/cura-aids/

    A cura da Aids

    A ciência já sabe como dar o golpe final no vírus HIV: expulsá-lo do corpo humano. Conheça os bastidores da descoberta médica mais importante dos últimos 25 anos – e as histórias de pessoas que já foram curadas da doença

    por Reportagem Alexandre de Santi, Valquíria Vita e Bruno Garattoni

    Ele é rudimentar. É uma bolinha minúscula, de 130 nanômetros, com apenas nove genes dentro. O vírus HIV não se compara, nem de longe, à sofisticação de uma célula humana (que tem 20 mil genes) ou mesmo uma bactéria (500 genes). Mas ele mudou a história da humanidade: espalhou pânico, transformou hábitos, arrasou países africanos, matou 30 milhões de pessoas. O homem respondeu criando os antirretrovirais, remédios que contêm a multiplicação do vírus e evitam que o soropositivo morra de Aids. Hoje, 8 milhões de pessoas têm as vidas preservadas por esses medicamentos. Eles não são uma cura, pois não eliminam o vírus – que continua escondido no organismo.

    Mas essa história está prestes a dar uma virada dramática. A ciência finalmente descobriu como dar o último passo: arrancar o HIV dos lugares onde ele se esconde no corpo humano. No último ano, vários grupos de pesquisadores comprovaram que é possível expulsar o HIV de seus esconderijos e jogá-lo de volta na corrente sanguínea – de onde ele poderia ser eliminado, livrando completamente o organismo do vírus. Ou seja, cura. Os pesquisadores mantêm cautela, mas a possibilidade tem gerado euforia em setores da comunidade científica. Parece que, depois de passar as últimas décadas tomando dribles do vírus, a humanidade finalmente pode ter descoberto uma forma de encurralá-lo. “Há dois anos, se alguém falasse em cura, seria considerado maluco. Isso era considerado impossível”, diz John Frater, imunologista da Universidade de Oxford e um dos líderes do Cherub (Collaborative HIV Eradication of Viral Reservoirs), projeto que reúne cinco universidades inglesas num estudo contra o vírus. “Estou genuinamente entusiasmado”, afirma.

    A técnica de expulsão do HIV é a inovação científica mais importante, e instigante, das últimas décadas. Mas não é a única novidade na luta contra o vírus. Há pessoas que, por meio de outros procedimentos médicos, foram curadas da Aids. Em alguns casos, elas desenvolveram resistência ao HIV; em outros, o vírus desapareceu do organismo. Você vai conhecer essas histórias a seguir.

    ONDE O VÍRUS SE ESCONDE
    Como o HIV é muito pequeno, penetra facilmente nas mucosas genitais durante o sexo, e delas vai para a corrente sanguínea, onde encontra sua vítima: as células T, peças centrais do sistema imunológico. O vírus penetra nessas células e as escraviza, transformando-as em máquinas de produzir HIV. É um processo diabolicamente eficiente, que gera 100 bilhões de novas cópias do vírus por dia. No começo, a pessoa não sente nada, no máximo febre e um mal-estar discreto. Mas as células T vão morrendo até que, após alguns anos, o sistema imunológico fica comprometido – e a Aids se instala.

    Existem dois tipos de células T: as ativas e as inativas. É como no exército. Alguns soldados estão de prontidão nos quartéis e outros vivem na reserva, podendo ser convocados em caso de emergência. O HIV infecta tanto as células ativas quanto as inativas. O problema é que os medicamentos antirretrovirais só agem nas células ativas. Nas células inativas, que vivem numa espécie de hibernação, o remédio não faz efeito. Isso porque essas células não contêm um montão de HIV dentro. Na verdade, é algo mais assustador ainda.

    Elas têm o vírus HIV copiado dentro do próprio código genético. Isso significa que, conforme vão sendo ativadas pelo organismo (um processo natural, que acontece ao longo da vida de todo mundo), começam a se reproduzir – e fabricar enormes quantidades do vírus. É por isso que os medicamentos antirretrovirais não curam a Aids. As células T inativas funcionam como um enorme reservatório de vírus. Ele até vai sendo esvaziado aos poucos, na medida em que as células inativas vão sendo repostas pelo organismo e o vírus vai sendo eliminado pelos medicamentos, mas isso leva uma eternidade: segundo estimativas, pelo menos 60 anos. Ou seja, o portador de HIV tem mesmo de passar a vida toda tomando antirretrovirais (que provocam efeitos colaterais como hipertensão, diabetes e danos aos rins, fígado e ossos).

    A menos que exista uma forma de esvaziar à força os reservatórios de HIV.

    Essa possibilidade começou a se desenhar em outubro de 2006, quando o governo americano autorizou a venda de um novo medicamento, chamado vorinostat. Esse remédio foi criado para tratar o linfoma cutâneo de células T, um câncer no sistema imunológico. Esse câncer se manifesta na forma de lesões na pele, mas se origina no sangue. Ele é tratado com quimioterapia. Mas a quimioterapia só funciona bem com tumores que se multiplicam bastante (porque ela age na reprodução celular). E o linfoma cutâneo não é assim. Por algum motivo, ele faz o corpo aumentar a produção de histona deacetilase (HDAC), um tipo de enzima que faz as células pararem de se reproduzir. E isso reduz o efeito da quimioterapia. O vorinostat bloqueia a ação dessa enzima, colocando o câncer de novo em estado de multiplicação – e vulnerável à quimiotepia. Atiçar o câncer é uma estratégia arriscada. Por isso, o vorinostat só é usado em casos graves, nos quais dá resultado (70% dos pacientes respondem a ele).
    A infecção – e o caminho da cura
    O segredo está em acordar células dormentes, onde o HIV fica escondido1. Contaminação
    O HIV entra no organismo. Ele se instala nas células T, que são responsáveis por coordenar a ação do sistema imunológico. Há dois tipos de célula T: ativa e inativa. O vírus invade ambos os tipos.

    Invasão do DNA
    O HIV entra na célula e se infiltra no núcleo dela, onde está o DNA. As células ativas se multiplicam – e, com isso, multiplicam o HIV.

    As células inativas não se multiplicam. Graças à ação de uma enzima, elas ficam dormentes (e o vírus também).

    O tratamento tradicional
    Os medicamentos antiretrovirais, usados hoje, conseguem bloquear a progressão do HIV – e controlar a Aids. Mas não agem nas células inativas, onde o vírus fica escondido. Se a pessoa parar de tomar os antirretrovirais, o HIV “escondido” acorda. E a Aids volta.
    A nova tática
    Um novo tipo de medicamento é capaz de fazer as células inativas acordarem: e botarem para fora o HIV que trazem escondido. O vírus é jogado na corrente sanguínea.
    A eliminação
    Os antirretrovirais agem sobre o HIV, permitindo que ele seja eliminado.Os reservatórios vão sendo esvaziados, até não restar mais vírus.

    Mais tarde, alguns pesquisadores descobriram que o vorinostat também tinha outro efeito: ele desperta as células T adormecidas. E isso é valiosíssimo no combate ao HIV. Porque quando essas células acordam, elas começam a se reproduzir e jogar vírus no sangue – onde ele fica vulnerável à ação dos remédios antirretrovirais. O HIV é eliminado, as células T morrem e, se esse processo for repetido por tempo suficiente, é possível eliminar todas as células infectadas – e sacar o HIV do organismo.

    David Margolis, da Universidade da Carolina do Norte (EUA), foi o primeiro cientista a testar esse procedimento. “Tive a ideia de acordar o HIV e empurrá-lo para fora do corpo, permitindo a erradicação do vírus”, diz. Depois de obter resultados positivos em testes de laboratório, ele ficou três anos pedindo permissão às autoridades de saúde americanas para fazer um estudo em humanos. O vorinostat tem efeitos colaterais, como fadiga, diarreia, hiperglicemia e anemia. Em casos raros, pode levar à formação de coágulos no sangue, o que é perigoso. Mas o grande receio era quanto ao vírus da Aids. Afinal, acordar células dormentes e estimulá-las a produzir HIV envolve risco. E se o vírus surgisse com alguma mutação, e os medicamentos antirretrovirais não fizessem efeito contra ele? Os pacientes seriam inundados pelo HIV, e morreriam.

    Mesmo assim, Margolis obteve autorização para fazer o teste em oito portadores de HIV, que receberam vorinostat. Os resultados foram publicados em 2012 – e reanimaram o interesse da comunidade científica. Uma única dose de vorinostat aumentou em mais de quatro vezes a quantidade de vírus no sangue dos pacientes. Ou seja, a tese se comprovou. Funcionou. O remédio conseguiu o que era considerado impossível: expulsar o HIV de seus reservatórios (e fez isso sem provocar efeitos colaterais relevantes). Mas foi um estudo de breve duração. Agora, Margolis está realizando uma nova experiência, na qual os pacientes recebem mais doses de vorinostat, durante mais tempo.

    Pelo menos um estudo, feito pela Universidade de Aarhus (Dinamarca) em parceria com a Universidade do Colorado (EUA), comprovou o mesmo efeito em células humanas testadas em laboratório. “Ainda temos um longo caminho, mas acredito que a cura para o HIV seja alcançável”, diz Ole Søgaard, líder do estudo dinamarquês. Søgaard está finalizando um novo estudo, desta vez dando o remédio diretamente a pacientes, e publicará os resultados nos próximos meses. Pesquisadores da Universidade de Monash, na Austrália, também estão testando o vorinostat e devem publicar resultados em breve. A equipe pioneira, de David Margolis, continua aperfeiçoando a técnica – em estudos que envolveram cientistas da Universidade da Califórnia e uma pesquisadora da multinacional farmacêutica Merck.

    Ainda há dúvidas sobre o procedimento. Qual a dose ideal do medicamento? Por quanto tempo? Ele é o remédio ideal, ou surgirão outros? “É como o AZT, que foi a primeira droga da sua classe (antirretroviral). Talvez a gente encontre drogas melhores, ou resultados melhores combinando essa droga com outras”, diz Margolis.

    Também há um dilema ético envolvido. Como convencer um paciente que toma antirretrovirais, e por isso está com o HIV sob controle, a participar de um estudo que envolve risco de acordar uma doença letal? “Os métodos que temos hoje são eficazes, relativamente seguros, bem tolerados e não tão caros”, afirma Daniel Kuritzkes, chefe do AIDS Clinical Trials Group (ACTG), um dos maiores grupos de pesquisa na área.

    Além disso, um paciente curado pode ser facilmente reinfectado – basta fazer sexo sem proteção com alguém que tenha HIV. O ideal mesmo seria criar uma vacina contra o vírus. Infelizmente, o vírus conseguiu burlar todos os esforços nesse sentido. Há várias razões que dificultam o desenvolvimento de uma vacina. A primeira é a intensa variabilidade do vírus. Embora o HIV seja dividido em somente dois tipos, 1 e 2 (que têm origem em primatas diferentes), ele sofre constantes mutações dentro de cada tipo. Estima-se que a capacidade de mutação do HIV seja mil vezes maior que a do genoma humano. Isso torna o HIV imprevisível e complica bastante as coisas. Como preparar o corpo para se defender se ninguém sabe exatamente como o vírus pode se comportar? Mesmo assim, os esforços seguem: em maio, um novo teste de vacina foi anunciado por pesquisadores do Imperial College, de Londres, que farão um estudo em Ruanda e Nigéria e divulgarão os resultados em 2015.

    Mas, mesmo sem uma vacina, e com a técnica de desinfecção ainda em testes iniciais, já existem pessoas que chegaram lá – foram curadas do HIV.
    Nós e eles
    A longa história da Aids na Terra1959
    Surgem os primeiros registros de homens morrendo devido a infecções de origem inexplicável. Um deles, que morreu no Congo, teve tecidos do seu corpo preservados e analisados nos anos 90. Eles continham HIV.

    1981
    O governo dos EUA publica um relatório descrevendo os casos de cinco homens homossexuais de Los Angeles, que tinham uma série de infecções raras. É o primeiro registro oficial da doença. Duas das vítimas morreram antes mesmo da publicação do artigo.

    1983
    Em abril, o Center for Disease Control (CDC), dos EUA, estima que dezenas de milhares de pessoas estejam infectadas pela doença. Ela ganha o nome de Aids (síndrome de imunodeficiência adquirida, em inglês).

    1984
    O pesquisador Robert Gallo, do Instituto Nacional do Câncer dos EUA, afirma que a Aids é causada por um vírus.

    1985
    O ator americano Rock Hudson morre de Aids. É a primeira grande celebridade a ser vitimada pela doença, que já tem casos em todo o planeta.

    1986
    O Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus batiza o causador da Aids de Human Immunodeficiency Virus (HIV), ou vírus da imunodeficiência humana.

    1987
    O governo americano aprova o uso da zidovudina (AZT), primeiro medicamento a combater o HIV.

    1989
    Magro e abatido, o cantor Cazuza anuncia publicamente que está com Aids. Morreria em 1990 depois de uma agonia que expôs a fragilidade das vítimas.

    1991
    O laço vermelho se torna o símbolo da luta contra a Aids. Magic Johnson, estrela do basquete dos EUA, anuncia que é soropositivo. O cantor Freddie Mercury, do Queen, morre vítima da doença.

    1993
    O filme Filadélfia, em que Tom Hanks interpreta um advogado com HIV, chega aos cinemas. O bailarino Rudolf Nureyev e o tenista Arthur Ashe morrem de Aids.

    1994
    A epidemia atinge 1 milhão de casos no mundo.

    1995
    Surge a terapia antirretroviral altamente ativa (highly active antiretroviral therapy – HAART), um coquetel de drogas que impede a progressão do HIV.

    1997
    O número de pessoas infectadas chega a 30 milhões no mundo.

    2000
    A busca por uma vacina se torna prioridade global na pesquisa contra o HIV.

    2003
    Cientistas comprovam que o HIV veio dos chimpanzés. O laboratório VaxGen, um dos que desenvolve vacinas, anuncia que os testes em humanos falharam.

    2007
    Médicos anunciam que um paciente está livre do HIV. Timothy Brown, conhecido como Paciente de Berlim, não registra a presença do vírus no corpo desde então.

    2009 a 2013
    São publicados os primeiros estudos sobre eliminação de reservatórios do HIV, apontando um caminho para a cura. A busca por vacinas continua.

    OS PRIMEIROS CURADOS

    Em 1995, o americano Timothy Ray Brown descobriu que era soropositivo. Logo começou a tomar os medicamentos antirretrovirais e estava indo bem, até que em 2007, quando estava morando na Alemanha, ele começou a se sentir muito fraco. E descobriu que estava com leucemia, um câncer que ataca as células T (pois é, justo elas). Seu médico, o oncologista Gero Hütter, se lembrou do seguinte: no norte da Europa, uma em cada cem pessoas é imune ao vírus da Aids. Devido a uma mutação genética, elas não produzem uma proteína chamada CCR5. E sem essa proteína, o vírus da Aids não consegue entrar nas células.

    Como Timothy estava com leucemia, teria de receber um transplante de medula óssea. Nesse tipo de transplante, o sistema imunológico do paciente é morto (por meio de quimioterapia) e substituído pelas células do doador. O médico teve a ideia de usar, como doadora, uma pessoa que fosse imune ao vírus da Aids. Dessa forma, quem sabe, poderia acertar dois alvos com um só tiro: curar Timothy da leucemia e do HIV.

    O primeiro transplante não teve o efeito esperado, e a leucemia voltou. Timothy aceitou se submeter a um segundo. Funcionou. Ele ficou um ano no hospital, teve várias complicações de saúde, mas se tornou o primeiro humano na história a ser curado do HIV. Parou de tomar os antirretrovirais, e o vírus nunca voltou. Timothy ficou conhecido como o “Paciente de Berlim”. Em julho deste ano, dois casos semelhantes ao dele foram apresentados na conferência da International Aids Society. Mas, nesses casos, os transplantes foram feitos há pouco tempo e ainda é cedo para dizer que o HIV não retornou.

    Seja como for, transplante de medula é uma técnica complexa, que depende de fatores muito específicos – o procedimento de Timothy tinha apenas 5% de chance de sucesso. “Esse paciente ganhou na loteria”, afirma Caio Rosenthal, infectologista do hospital Emílio Ribas, de São Paulo. Além de pouco eficaz, o procedimento é muito arriscado. “A pessoa que vai receber o transplante de medula fica completamente sem defesas [imunológicas] durante um período”, explica Dirceu Greco, diretor do departamento de DST e Aids do Ministério da Saúde.

    Além das pessoas que não produzem a proteína CCR5, há outro tipo de gente resistente ao HIV: os chamados controladores de elite. Eles são infectados pelo vírus, mas não desenvolvem Aids. “De todas as pessoas infectadas, 5% são chamados progressores lentos. Eles têm carga viral baixa e só vão ficar doentes muitos anos depois. E, dentro desses 5%, há também uma porcentagem de controladores de elite, que apresentam carga viral há mais de dez anos e conseguem viver sem remédios”, explica Breno Riegel, infectologista do Hospital Conceição, de Porto Alegre, e colaborador de estudos internacionais – incluindo uma pesquisa com antirretrovirais que foi considerada a mais importante do mundo em 2011 pelo jornal científico Science.

    Para ser um controlador de elite, ou uma pessoa imune ao HIV, é preciso nascer com determinadas mutações genéticas. Mas também existe gente que se torna controladora de elite. Em março deste ano, pesquisadores do Instituto Pasteur, de Paris, apresentaram um estudo demonstrando a cura funcional de 14 pacientes franceses portadores do HIV. A palavra funcional significa que eles ainda carregam o vírus, mas não desenvolvem a Aids – mesmo tendo parado de tomar medicamentos antirretrovirais. Esses pacientes são identificados pela sigla Visconti, que vem de Viro-immunological Sustained Control After Treatment Interruption (Controle Viro-imunológico Sustentado Após a Interrupção do Tratamento). O líder do estudo, Asier Sáez-Cirión, destaca uma característica importante desses pacientes. Quando se descobriram infectados pelo HIV, na década passada, eles logo passaram a tomar o coquetel antirretroviral. Começaram a tomar os remédios no máximo 70 dias depois da contaminação. E essa rapidez ajudou muito. “Tratando desde cedo, você limita a entrada de vírus nos reservatórios (as células T inativas)”, diz Sáez-Cirión. E isso teoricamente permite que, depois de alguns anos tomando o remédio, seja possível parar com ele – e mesmo assim não desenvolver Aids. Na prática, as coisas costumam ser diferentes. “Quando a pessoa chega ao médico, na maioria das vezes ela já está soropositiva há anos, e daí o tratamento já não é mais tão eficiente”, explica Rosenthal. Um paciente que carrega o vírus há dez anos, por exemplo, já está com danos graves ao sistema imunológico.

    Os pacientes do grupo Visconti tomaram os remédios durante três anos até que interromperam o tratamento. Eles conseguiram se manter saudáveis mesmo sem os antirretrovirais e estão assim há cerca de sete anos. Um deles está há uma década sem a medicação. Sáez-Cirión se refere a essa cura como “estado de remissão do vírus” – pois o HIV continua presente no corpo, ainda que não provoque o desenvolvimento da Aids. “Quando vimos os resultados, percebemos que isso pode ser um grande passo para a luta contra o HIV. Ficamos muito emocionados. Queremos reforçar a mensagem de que o tratamento precoce é importante”, diz Sáez-Cirión.

    O tratamento precoce foi responsável por um caso ainda mais impressionante. Em março deste ano, cientistas americanos revelaram que um bebê (que não teve o nome nem o sexo divulgados) havia sido curado do HIV. Se uma grávida sabe que tem o vírus da Aids e recebe tratamento adequado, com medicamentos antiretrovirais, há 96% de chance de que o bebê nasça sem o vírus. Mas, neste caso, não foi assim. A mãe da criança, que não havia recebido atendimento pré-natal, chegou ao hospital já em trabalho de parto. Um teste feito na hora detectou que ela tinha HIV. Era tarde demais para tratar a mãe e impedir que transmitisse a doença para o filho.

    Então os médicos fizeram o parto e levaram o recém-nascido para a pediatra Hanna Gay, da Universidade do Mississipi. Ela decidiu tratar o bebê com altas doses de antiretrovirais, que foram mantidos durante os primeiros 18 meses da vida da criança. A partir daí, a mãe sumiu e não veio mais pegar os remédios. Ela ficou dez meses sem aparecer, e o bebê não recebeu nenhum tratamento durante esse período. O que era um caso de relapso materno acabou resultando numa descoberta científica incrível: mesmo sem nenhum remédio, o HIV não retornou. Não havia mais vírus no sangue da criança. Aparentemente, o tratamento ultraprecoce evitou que o HIV entrasse nos reservatórios (mesma coisa que teria acontecido com os pacientes franceses).
    Humanos x HIV
    Veja quem já está vencendo a doença – e comoTerapia atual
    Como é? – O portador de HIV recebe uma combinação de medicamentos (o chamado coquetel de antiretrovirais) que impede a multiplicação do vírus. A quantidade de HIV no sangue despenca, chegando a níveis muito baixos.

    A pessoa desenvolve Aids? – Não.

    Pode transmitir o vírus? – Sim. O HIV permanece escondido no organismo.

    Terapia de próxima geração
    Como é? – O portador de HIV recebe um medicamento que acorda as células onde o vírus estava escondido. Em seguida, toma o coquetel de antiretrovirais – que impedem a multiplicação do HIV. Com o tempo, isso pode levar à eliminação total do vírus do organismo.

    Pode transmitir o vírus? – Em tese, não. Mas a técnica ainda está em fase experimental.

    Geneticamente imune
    Como é? – Existem pessoas que nascem com uma mutação na proteína CCR5 – e isso impede o HIV de entrar nas células.

    Pode transmitir o vírus? – Há controvérsias. Embora o HIV não consiga se multiplicar, é possível que algumas cópias dele se instalem no organismo – o suficiente para infectar alguém.

    Supercontrolador
    Como é? – É uma pessoa cujo sistema imunológico consegue controlar o HIV, mesmo sem a ajuda de remédios. Ainda não se sabe o que torna uma pessoa controladora de elite. É o caso dos pacientes franceses do grupo Visconti.

    Pode transmitir o vírus? – Sim.

    Bebê de Mississipi
    Como é? – O filho de uma mulher HIV-positiva começou a receber o coquetel de antirretrovirais logo após o nascimento. O vírus sumiu.

    Pode transmitir o vírus? – Em tese, não. O bebê está aparentemente curado, com carga viral indetectável.

    Paciente de Berlim
    Como é? – Recebeu um transplante de medula óssea de um paciente que tinha CCR5 mutante, ou seja, era imune ao HIV. Com isso, ele também adquiriu imunidade ao vírus.

    Pode transmitir o vírus? – Em tese, não. O HIV desapareceu do organismo.

    REENGENHARIA GENÉTICA

    A expulsão do vírus, o tratamento ultraprecoce, as vacinas e os transplantes não são as únicas frentes de pesquisa contra o HIV. Existe mais uma, que consegue ser ainda mais ousada: modificar geneticamente o corpo humano para torná-lo resistente ao vírus. A técnica foi idealizada em 2008 e está sendo desenvolvida pela Universidade do Sul da Califórnia em parceria com a empresa de biotecnologia Sangamo BioSciences. Primeiro, obtém-se uma amostra de células T do paciente (coletando um pouco de sangue). Em seguida, usando técnicas de manipulação genética, essas células são alteradas. Elas passam a produzir uma versão deficiente da proteína CCR5 – aquela proteína essencial para o vírus da Aids. As células geneticamente modificadas são reinjetadas na pessoa, se multiplicam e aos poucos vão substituindo as células T normais. E o paciente adquire imunidade ao HIV. Essa é a ideia.

    A técnica já foi testada em algumas pessoas. A mais famosa delas é um homem, identificado apenas como “Paciente de Trenton” (o nome vem da cidade onde mora, em Nova Jersey). Ele recebeu as células modificadas e parou de tomar os medicamentos anti-HIV. Num primeiro momento, a quantidade de vírus em seu sangue disparou. Mas em seguida despencou, até zerar. O HIV sumiu. “Eu me senti um super-homem”, disse o paciente ao jornal New York Times. O resultado é animador, mas ainda não pode ser considerado cura. O estudo durou pouquíssimo tempo, apenas três meses (depois disso, o homem voltou a tomar os antirretrovirais, de forma preventiva). Seria preciso esperar mais para assegurar que o vírus não iria voltar. Além disso, o Paciente de Trenton possuía uma mutação genética que debilitava um pouco a proteína CCR5. Ele não era imune ao HIV, mas essa mutação pode ter aumentado a eficácia do tratamento – que não funcionou tão bem com os outros pacientes. Há um novo teste em curso, com nove soropositivos, e os resultados serão publicados até o final do ano.

    Há um detalhe especialmente intrigante. No Paciente de Trenton, apenas 13,5% das células T adquiriram resistência ao vírus durante o estudo. Todas as demais continuaram vulneráveis. Mas essa mudança, modesta, já foi suficiente para que o organismo virasse o jogo contra o HIV e o eliminasse completamente do sangue. Talvez seja possível estender os limites do corpo humano – e, com uma pequena ajuda, torná-lo capaz de vencer a Aids. Talvez as drogas que expulsam o vírus de seus reservatórios funcionem cada vez melhor, e se tornem lugar-comum daqui a alguns anos. Talvez os tratamentos ultraprecoces livrem milhões de pessoas do vírus. Mas notícias promissoras não significam que devamos baixar a guarda. Pelo contrário. A prevenção e o sexo seguro (com camisinha) continuam sendo essenciais. Para de fato vencer a Aids, a humanidade terá de apelar para as armas mais poderosas que existem: a inteligência e o bom senso. Afinal, se o vírus pode evoluir, nós também.

    O primeiro curado

    O americano Timothy Ray Brown, 47, recebeu um transplante experimental de medula óssea – e, por conta disso, seu corpo se livrou do vírus HIV. Aqui, ele conta como foi o processo, e como vive hoje em dia.

    O transplante, que você recebeu em 2009, era um procedimento arriscado, que poderia levar à morte. Por que você aceitou?
    Quando os médicos começaram a tentar me convencer, eu disse não, porque o vírus HIV estava em remissão (sob controle). Mas eu tive leucemia, e tive de fazer o transplante por causa dela. Não fiz por causa da Aids; fiz por causa da leucemia.

    E como você se sentiu quando descobriu que estava curado do HIV?
    Eu não acreditei muito, até que o Dr. (Gero) Hütter publicou o caso no New England Journal of Medicine (em 2009). Aí eu pensei: ok, se outras pessoas acreditam que aconteceu, então eu vou acreditar. Se cientistas estavam acreditando, então era verdade. Me senti aliviado. Isso mudou a minha vida.

    Você se sente curado?
    Eu definitivamente me sinto curado. Meu corpo foi analisado da cabeça aos pés, fiz inúmeros exames de sangue, e não há sinal do HIV no meu corpo.

    Como é a sua rotina médica?
    Quando eu estava morando em São Francisco, ia ao médico pelo menos uma vez por mês. Mas, desde que me mudei para Las Vegas (onde administra uma fundação de luta contra a Aids), só vou ao médico se tiver necessidade. Mas eu continuo participando de estudos que possam ajudar mais pessoas a serem curadas.
    O placar do jogo
    Números da epidemia que mudou o mundo- 26% da população na Suazilândia tem o vírus. É o país com maior incidência de contaminação.

    – Em Bangladesh, menos de 0,1% da população está infectada. É a menor proporção.

    – Mais de metade dos infectados são mulheres, mas o problema é muito pior no sul da África, onde mulheres representam 58% dos infectados.

    – Até 2015, o orçamento estimado para combater a Aids no mundo inteiro é de US$ 24 bilhões anuais.

    – Somente nos EUA, foram gastos US$ 344 bilhões no combate à Aids desde 1981.

    – 30 milhões de pessoas já morreram de Aids

    – Cerca de 15 milhões de pessoas têm acesso a tratamento com antirretrovirais.

    – Nas Maldivas, menos de 100 pessoas possuem o vírus. É o país de menor incidência.

    – Na África do Sul, 5,6 milhões de pessoas estão infectadas. É o líder mundial.

    – 34 milhões estão infectadas no mundo.

    PARA SABER MAIS

    Administration of vorinostat disrupts HIV-1 latency in patients on antiretroviral therapy.
    D.M. Margolis e outros, Nature, 2012.

    Histone Deacetylase Inhibitors for Purging HIV-1 from the Latent Reservoir.
    Thomas Rasmussen e outros, Molecular Medicine Journal, 2011.

    Expression of Latent HIV Induced by the Potent HDAC Inhibitor Suberoylanilide Hydroxamic Acid.
    D.M. Margolis, Daria Hazuda e outros, Aids Research and Human Retroviruses, 2009.

    Establishment of HIV-1 resistance in CD4+ T cells by genome editing.
    Elena E. Perez e outros, Nature Biotechnology, 2008.

  50. Miguel diz

    Quando acessamos o blog e vamos ler os comentários dos leitores, queremos informações e opiniões, o que está faltando aqui é um pouco de respeito uns com os outros, me descobri soropositivo há menos de um ano, estou vivendo normal fora alguns detalhes, sempre tive uma boa aparência a lipodistrófia me assusta bastante, a gente aqui tem que ser mais acolhedor e sempre pensar no próximo tentem não assustar quem já não estar bem psicologicamente logicamente de início todos sofremos e vamos viver não temos data de validade …

  51. luquinha diz

    A matéria Israelense teve matéria ate mesmo no renomado jornal Britânico Independent alguém poderia passar mais informações ?

    • luquinha diz

      Alex gostei deste trecho, No entanto, os autores ressaltaram que mesmo se você estiver exposto a algum elemento cancerígeno – seja um vírus, um produto químico ou radiação – isso não significa necessariamente que você vai desenvolver câncer. “A maioria das pessoas agora sabe que fumar causa câncer de pulmão, mas apenas 11% dos fumantes têm câncer de pulmão. Algumas pessoas são mais suscetíveis por causa de genética, estilo de vida, nutrição ou idade quando a exposição ocorre.”, disse Birnbaum.
      Agora se o cobalto e seus derivados provocar câncer e na minha opinião eles sabem muito bem a resposta , tem que se conversar $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
      Agora, neste blog já foi postado por exemplo que a Fé , deixa sua carga viral indetectável , e isso foi uma pesquisa com soropositivos lá da década de 80 , pegaram 10 pacientes 5 tinha fé e 5 não tinham os que não tinham foram embora e isso não sou eu que estou criando , há uma pesquisa , acredito que a força do pensamento não podemos pensar e temer tanto a vou morrer de câncer , é claro que uma matéria desta assusta . Assustar sim entristecer jamais , pois a tristeza (depressão )mata

  52. Leonardo diz

    O mais patético é a tal da Luana comentando com outros fakes, e respondendo-os. Que falta do que fazer.

    JS, vc poderia excluí-la do blog, por gentileza? Tumulto desnecessário.

  53. Caio PE diz

    Alguém sabe informar aqui se o “sarro” entre dois homens há risco de transmissão do virus de um para o outro ? O famoso sarro, esfrega-esfrega, briga de espadas (sem penetração) etc. Perguntaram a mim mas eu não soube informar. Algum especialista sabe dizer ? E o tal líquido pré- ejaculatório nesse sarro ?

    • Marcus diz

      É legal essa dúvida pq me remeteu à forma de infecção pelo sexo hétero. Me corrijam se eu estiver errado: na relação pênis e vagina os fluídos de ambos (pre-semen do homem e lubrificação da mulher)se misturam durante o ato da relação formando uma liga que serve de ponte para o HIV ir de um corpo ao outro. Acredito que na luta de espadas se houver a baba presente nos dois, pode haver essa liga, depende de intensidade da luta, rs

  54. MB+ diz

    Caio …
    Que eu saiba não , mas dependendo do que e aonde você está esfregando .
    Tipo a espada na espada não
    A espada na bainha sim
    Isso para soro interrogativo ou com carga viral detectável e só para o hiv …Já para outras dst há sim risco grande de contágio ( sífilis , hepatite e gonorréia)

  55. luquinha diz

    É Caio ou André ? A ordem dos fatores não alteram os produtos …….de nada

  56. Cbb diz

    Boa noite JS. Julgo que este espaço não foi aberto para dizer quem somos ou o que temos ou conseguimos ganhar na vida, mas sim para nos congregarmos e saber o que se passa ou o que está a ser feito em prol da doença que nos apoquenta. Mas mas importante ainda é saber que não são só cidadãos brasileiros que checam ou procuram notícias neste espaço, como eu por exemplo, que sou Angolano, e que foi através deste blogue que passei a saber de muita coisa, como a capacidade de se ser indetectável se se fazer o uso correcto dos ARVs ou ainda que não é preciso se tomar os ARVs em horário religiosamente fixo, o que é um ganho tremendamente grande pra quem tem pouca ou quase nenhuma informação dos seus infectologistas. O que eu mesmo gostaria de saber é me manter mais tranquilo é se estas últimas novidades podem significar alguma coisa pra nós e se o consumo de cerveja atrapalha o tratamento, mesmo a tomar os ARVs todos os dias antes de dormir.

    • MB+ diz

      Cbb

      Cara beber moderadamente não faz mal e não interfere no tratamento .
      Agora encher a cara e se embriagar regularmente não faz mal para os positivos mas sim para todo ser humano.
      Somos pessas normais e como pessoas normais podemos e devemos fazer coisas normais…Como beber uma geladinha de vez em quando.

    • Antonio diz

      O alcool nao reage com os compostos que compõem ARVs. Dentro de uma “normalidade”, vc pode beber sua cerveja, seu vinho ou whisky.

  57. Herivaldo Virulato diz

    Eu não li todos os comentários por razões óbvias. Mas, falando do texto publicado, se o medo é de sífilis, acho que a pergunta deveria ser: “todas as pessoas deveriam usar camisinha”?

    Agora, se a pergunta é só para os soropositivos, e o vírus da sífilis não é uma exclusividade nossa, eu acho que a transmissão de sífilis deveria ser excluída da equação.

    A pergunta deveria ser: “camisinha é necessária para previnir a transmissão do hiv a partir de um paciente com cv indetectável?”

    A única resposta que me parece razoável é: não.

    No dia em que a sociedade se convencer que os soropositivos indetectáveis são parceiros sexuais seguros erradicaremos o vírus em uma geração.

    Mas não tenho experança de que as pessoas cheguem a esse nível de compreensão.

  58. Caio PE diz

    Tentando responder a minha pergunta: pelo que eu sei, o sarro, se for entre as espadas, sem tocar na glande, nao tem problema. Se tocar, acho que corre risco. Cadê o Victor para esclarecer isso melhor? Ou alguém que entende ?!

  59. Jonas diz

    Ainda sobre Luana e Diego. O que foi aquilo? Espero que tenham se acalmado. Luana, não deve estar bem psicologicamente, uma cirurgia mexe com a psique. Quanto ao Diego. Não devia ter alimentado. A experiência é sua. Acho mesmo que as formas de transmissão em se tratando de bactérias são mesmo uma incógnita, mas não precisava se incomodar tanto. Muita calma nestas horas! Espero que nenhum novo diagnosticado tenha descoberto este blog em momento tão inoportuno, momento baixaria. Eu quando encontrei este espaço foi um bálsamo. Encontrei camaradagem, informação, desabafos. Um ambiente super amistoso. Peguei HIV no submundo, de modo que não tenho nenhum amigo ou amiga que tenha o vírus, pelo menos que eu saiba. Foi bom demais encontrar todos vcs aqui, vivendo as mesmas experiências que eu, sejam ricos com camaro, profissionais que ralam o dia inteiro como eu, gays, heteros, bi, homens ou mulheres, ateus ou religiosos, não importa, pessoas. Não, não Luana e Diego mais amor. Sugiro de boa, um pedido de desculpas um ao outro, por meio deste espaço que não é de vcs é nosso. Luana não vá para uma cirurgia com esta mágoa no coração. Sim, vcs se ofenderam muito um ao outro. Paz e bem!

    • diego diz

      A intenção não foi ofender, somente me defender! Peço desculpas aos que leram !
      Só compartilhei da experiência p/todos pensarem um pouco e tomar um pouco mais de cuidado (que eu não tive!)
      Quanto a Luana, SEJA FELIZ!
      Abraços

  60. Gia diz

    Boa noite!

    Não sei se aqui é o espaço certo, mas preciso desabar! Fui diagnosticada com HIV em maio deste ano. Junto tive sífilis. As duas quase me mataram. Cheguei rapidamente a CD4 97 com carga viral de 586.169. Fui tratada da sífilis e comecei a tomar o 3×1. Em julho fiz novo exame de CV e Cd4. A carga baixou para 886 e meu CD4 foi para 377. Achei que tudo estava indo bem, até novo exame em no final de agosto. a CV baixou muito pouco, 869 com CD4 em 342 com percentual de 11.16, que o infecto particular que procurei após iniciar o tratamento no SUS disse que estava bom. Agora em 18 de outubro, tomando de forma regrada o 3×1 e não tendo contato sexual com ninguém, minha CV subiu muito. Foi para 6.649 e o CD4 caiu para 282, com percentual de 11.12.

    Estava fazendo acompanhamento paralelamente com o médico do SUS e particular. Acabei optando apenas pelo do SUS. Hoje tive nova consulta no CTA, o médico pediu um teste de genotipagem que fica pronto em 15 de dezembro, e trocou o 3×1 pela combinação de Tenovir (1 comprimido, 1x ao dia), Zidovudina/Lamivudina (1 comprimido em 12/12h) e Lopinavir/Ritonavir (2 comprimidos em 12/12h). Esse novo esquema é até o resultado de genotipagem sair e ele saber qual os médicos adequados para mim. Fiquei muito abalada porque ele receitou o temido AZT por esse mês pré genotipagem, e fiquei com muito medo pelos riscos de lipodistrofia. Ele me acalmou dizendo que com um mês não aconteceria, e que isso tem a ver com a genética de cada pessoa. E que faria de tudo para não colocar o AZT a longo prazo.

    Justo quando estava saindo de uma forte depressão, voltei a academia em julho e tentando manter a positividade isso aconteceu. Fiquei sem chão e tentei me matar num ato de impulso. Fui impedida pela minha mãe, que desde que fui diagnosticada vem me dando todo o apoio do mundo. Agora estou mais calma e sei que esse mês com o AZT será necessário. Mas deixei muito claro para o infecto que não o tomarei a longo prazo. Peço desculpas por usar o espaço para esse desabafo, mas é que estou muito abalada. Apenas minha mãe e uma amiga próxima sabem que tenho HIV. As vezes me sinto sufocada.

    • Alice diz

      Azt assusta mesmo! Eu sou alérgica ao 3:1 e também fiquei brava quando me receitaram Biovir. Tô tomando desde julho, tudo ok, lipodistrofia zero. Não te assusta, isso acontecia ao longo dos anos, não era repentino. Agora vou ter que trocar de novo porque me deu anemia e o médico acha que é do azt, mas tudo bem. É só trocar! Tem noção da sorte que temos por existirem opções hoje? Nos anos 80 restava esperar! Lembra que remédios melhores vão chegar ano q vem aqui e muitas pesquisas estão rolando. Acalma esse coração, já pensou chegar no purgatório e ficar sabendo que a cura foi encontrada ou um tratamento de longa duração apareceu em seguida? Já tive depressão, não menospreza o tratamento que tudo vai voltar a ter cor um dia. Te cuida, fica em paz.

    • SAR diz

      Boa noite Gia,

      Sei exatamente o que você está passando. De antemão digo para que tenhas fé e a certeza que tudo ficará bem. Vendo os seus resultados laboratoriais digo que você está bem melhor que eu. Em 13/09/2016 fui ao laboratório realizar exames de rotina incluindo exames de DSTs (Sífilis, Hepatites A, B e C e Sorologia para HIV-1/HIV-2). A solicitação de exames para DSTs partiu de mim pois surgiram umas manchas avermelhadas na minha região lombar, que hoje sei que não havia relação nenhuma com o vírus HIV. Dia 15/09/2016 os exames ficaram totalmente prontos. Exames anteriores realizados em 2011 mostraram que eu tinha Sífilis (VDRL – 1/32) e FTA-ABS Igg (Reagente) essa infecção foi imediatamente tratada com duas doses de Penicilina. Exames recentes mostraram que estou curado e que possuo anticorpos para a doença. No conjunto de exames de 2011, descobri também que tinha Hepatite B, fui vacinado e hoje estou curado e possuo anticorpos para Hepatite B. Voltando para os exames recentes me telefonaram do laboratório para que fosse fazer nova coleta. Eu já sabia que se isso acontecesse era porque algo havia acontecido. Entrei em desespero, não conseguia nem chorar. Fiquei imóvel e não sei como consegui ir dirigindo até o laboratório para a nova coleta. É uma sensação horrível. E para minha maior surpresa era o tão temido HIV que estava presente em meu sangue. Exames posteriores solicitados pela minha médica infectologista mostram que eu estava com um CD4 de 58 células/microlitro e CV = 12.690 cópias/mL. Pelo valor de CD4 eu estou com AIDS, porém não tive sintoma algum, não tive febre, diarréia, cansaço, fadiga entre outros sintomas de AIDS. Comecei meu tratamento, muito depressivo, em 03/10/2016 com os ARVs e também estou fazendo profilaxia (com a finalidade de me proteger de infecções oportunistas). Minha infectologista não quis começar com o 3×1 uma vez que, um dos componentes o Efavirenz poderia potencializar os sintomas de depressão. Faço uso da terapia com Atazanavir 300mg, Ritonavir (100 mg) e (tenofovir 300 mg + lamivudina 300 mg) e graças à Deus me adaptei muito bem e sequer tive alguns dos possíveis efeitos colaterais. Hoje tive em consulta com minha infectologista (um anjo) e ela me animou muito. Pediu alguns poucos exames para verificar as enzimas do fígado (TGO e TGP), bilirrubinas e etc. Mas adiantou que exames de Linfócitos CD4 e CV só farei em março/2017 isso por que comecei recentemente com os ARVs. Estou muito otimista, tenho me sentido muito bem e minha médica é em grande parte responsável por isso. Meu conselho para você eu li em algum dos comentários aqui. ” Não deixe esse bichinho intruso acabar com seus sonhos, planos e objetivos. Não temos prazo de validade”). Estou tentando pensar exatamente assim e seguir minha vida. Procure por informações positivas, esse blog é ótimo para isso. Cerque-se de coisas boas, positivas e que te coloquem pra cima. Tenha fé que tudo ficará bem com você. Tenho orado muito para que Deus abençoe todos os que estão nessa condição e que Ele ilumine os cientistas para que, muito em breve, tenhamos a cura.

      Observação: Em conversa com minha infectologista hoje perguntei se era conveniente fazer um exame de CV para ver se com o uso dos ARVs ela está decrescendo e até mesmo para saber se meu vírus não possui alguma resistência a algum componente do esquema. Ela disse que quanto a isso não deveria me preocupar pois estou tomando dois inibidores de protease (atazanavir e ritonavir) e dois inibidores da transcriptase reversa (tenofovir e lamivudina). Se um deles falhar eu tenho outro na reserva. Você disse que faz uso do 3×1 e ela também comentou que o Efavirenz é o antirretroviral que pode apresentar maior resistência em um tratamento primário (entendi como tratamento primário o tratamento inicial, ou seja, você começou a terapia com o 3×1). Talvez essas oscilações na sua CV seja resistência ao Efavirenz. Essa certeza você terá com o teste de genotipatigem. Se for isso, converse com seu médico sobre a possibilidade de um novo esquema excluindo, obviamente, o AZT. Quanto a lipodistrofia ela disse que isso pode ocorrer a longo prazo e varia de pessoa para pessoa não somente pelo efeito dos ARVs, mas também pelo próprio vírus HIV. Continue se cuidando e se alimentando bem. Mais graves que os incômodos estéticos provocados pela lipodistrofia são os problemas relacionados ao quadro clínico como: aumento da glicemia, triglicerídeos e outros). Essas são as palavras da minha infectologista.

      Abraço e fique bem!

    • Jorgito diz

      Olha Gia, o que existe é um estigma muito grande em cima do AZT. Calma, a droga é boa. É extremamente eficaz na contenção do vírus e nao vai te causar lipodistrofia assim de uma hora pra outra não. Esse preconceito generalizado em torno do medicamento se dá muito em função dos efeitos que as dosagens utilizadas na década de 80 causavam. Foi o primeiro remédio contra a doença e era utilizado em monoterapia. O processo de lipodistrofia, se interrompido logo no início, é reversível. É só mudar o medicamento. Não há porque se desesperar.
      Quando eu descobri que havia sido infectado pelo vírus, pensei em me matar. Não queria viver com o vírus. Não me conformava com a ideia de ser um HIV positivo. Eu tinha um preconceito enorme com a doença. Mas uma noite eu pensei “vou continuar, vou pagar pra ver, se estou pronto pra morrer, então agora o que vier é lucro”. Nessa hora, estranhamente, eu fui assaltado de uma paz enorme, foi a primeira noite em que consegui dormir depois de uma semana de desespero. Depois fui descobrindo que minha vida iria continuar bem, que o tratamento era avançado e os colaterais não eram tão sinistros quanto eu imaginava. Hoje vejo que minha vida praticamente não mudou nada, não sinto absolutamente nada e não me vejo como um HIV positivo, mas como o mesmo cara de sempre, que, por acaso, é HIV positivo. Agora, tem uma coisa, sou safo, apesar de não ter mais preconceito com a doença sei o que é o preconceito, porque já tive. Então não conto pra ninguém. Mas é um segredo que pra mim é tranquilo de guardar e não me incomoda tanto.

  61. MB+ diz

    Gia

    Primeiramente vamos nos acalmar certo?
    Pensar em morte , suicídio e efeitos colaterais a longo prazo não vai trazer nenhum resultado para o seu presente .
    O seu médico fez certo em lhe passar essa combinação que mesmo contendo o azt não é de todas as piores pois como ele mesmo disse é só para controlar sua CV até o teste de genotipagem ficar pronto …com ele em mãos juntos vocês poderão decidir o que é melhor para você e sua saúde e acredito que ele lhe indicará o melhor …Temos aí batendo as portas um novo medicamento que no seu caso poderá ser utilizado .
    Agora vamos botar um sorriso neste rosto que acredito ser lindo e ter foco na vida …pois a vontade de viver superará quaisquer outros problemas que venha a acontecer …um passo por vez é que se chega ao destino então vamos caminhar até dezembro com essa combinação e depois coisas boas podem acontecer .
    Força foco e fé ..

  62. Life4ever diz

    Boa noite,

    Fui diagnosticado recentemente com hiv e uma suposta hepatite c – digo isso pois tenho dois exames discordantes e estou aguardando o resultado de um mais avançado – pois bem, tenho ciência de que a infecção foi muito recente e quem tenho menos de 4 meses de infecção…. descobri ainda na fase aguda, quando senti febre, dor de cabeça, mal estar e diarreia. Passado algumas semanas me senti bem de novo, todos os sintomas passaram exceto um, que não me causa desconforto, mas que me deixa meio “apreensivo” que são umas pintas vermelhas bem pequenas, como picada de mosquito, que aparecem nas mãos, pernas pés e as vezes no rosto… são pequenas e em pouca quantidade, costumam desaparecer em alguns dias. Como eu disse… não são muitas, na verdade são quase impercepitíveis, porém são frequentes desde quando tive a fase aguda. Ainda nao estou tomando a medicação, estou esperando o resultado de alguns exames e creio que daqui pro mês que vem eu comece. Bom, o que quero saber e se mais alguém aqui teve/tem este sintoma e se ele perdurou mesmo por meses? E se teve, ao iniciar o tratamento eles sumiram ??

    • SAR diz

      Boa noite Life4ever,

      Recentemente fui diagnosticado ser portador do vírus HIV, descobri meu diagnóstico por conta de umas manchas avermelhadas (com prurido) que tive na região lombar. Antenado sempre com os principais sintomas da infecção por HIV procurei, imediatamente, uma dermatologista para entender quais as causas das manchas. A primeira pergunta que fiz a ela era se aquelas manchas avermelhadas tinha alguma relação com o vírus HIV. A resposta que tive foi: Não! Então, foi aí que pedi exames para DSTs. Ela disse que as manchas eram características de eczema. Ela me receitou um antialérgico (não histamínico) e um creme. As manchas em 3 dias secaram e pararam de coçar. A minha sugestão para você é que procure um dermatologista de sua confiança para ver se essas manchas tem alguma relação com o HIV ou não. Não sei se você solicitou exame de sífilis (VDRL), caso não, sugiro que ao procurar o seu infecto ou dermatologista solicite. Desejo que fiques bem!

      Abraço!

    • Silva diz

      Life4ever,

      Não fique tão preocupado quanto as manchas, isso é muito relativo, inclusive pode ser em função de stress. Eu passei no ano passado por uma situação de risco, as bolinhas ficaram saindo no meu corpo por pelo menos seis meses, e Felizmente meus exames deram negativos, mas tive uma infecção viral que não descobri qual era. Eu suspeito muito da mononucleose. Boa sorte, tomara que seja só um susto no seu caso, já que tem exames divergentes.

  63. luquinha diz

    Life 4 ever Some tudo , tenta segurar o máximo possível para entrar na medicação , pois assim será privilegiada (o) de entrar com droga de ouro , Abraços e boa sorte !

  64. Gabriel diz

    Despois de tanta baixaria um acalento para alma esse post do Gil+. Muito obrigado por nos lembrar de que as coisas estão “andando”.

    Querida Gia,

    Sei o quanto é difícil quando as coisas não saem como gostaríamos principalmente quando se trata da nossa condição + , por hora o seu médico fez o certo… Genotipagem e substituição da sua medicação. Melhor que, de repente, continuar com a medicação e seu cd4 cair mais ainda e as coisas saírem do controle. Azt será temporário como o médico falou. Em pouco tempo de uso não causará dano algum.

    Quantos aos maus pensamentos, sugiro você buscar alternativas como meditação, observar a natureza, as crianças e os animais… Escutar aquele seu cantor favorito. Visitar um azilo e escutar um pouco as pessoas mais experientes. Lembre-se que a vida deve ser preservada acima de qualquer coisa e isso também depende de você. Tudo é temporário, tudo passa.

    Um beijo no seu coração.

    Amigos, mais amor por favor!

  65. Rodrigo10 diz

    Salve galera. Estive olhando o Blog por esses dias mas as brigas me desanimaram de dar um oi pra vocês. Fiquei só lendo de longe.
    Que bom ver o pessoal normal de novo, Gil, Luquinha, e a galea nova que dá pra ver que são do bem =)

  66. Rodrigo10 diz

    Gia,
    O teste de genotipagem vai ajudar muito. Ele deveria ser a primeira coisa a ser feita na verdade. Você vai ver que existe uma gama enorme se medicamentos hoje em dia, e todos eles muito bons. Incluzive vovozão AZT, segundo o infectologista ele foi usado de maneira errada no passado, só ele sem nenhuma combinação, e quanto o vírus resistia eles aumentavam a dose, o que só trazia efeitos colaterais e nada resolvia. Naquela época normalmente as pessoas já estavam com AIDS avançada e tal. E a dose cavalar provocava a lipodistrofia e outros problemas em pouco tempo. Por isso ficou esse estigma com o AZT, mas é sim um medicamento bom.
    Quem é infectado hoje tem bem mais recursos a favor, pois muitos colegas já estão aí há 20 anos tomando TARV, já trilharam o caminho das pedras, sofreram com terapias terríveis para as coisas estarem onde estão. Por isso respeito muito os depoimentos deles.
    Confie, vai dar tudo certo Gia, os médicos são bons, os medicamentos também, e você é uma do bem, coisas boas te esperam.
    Boa noite!

  67. Gil diz

    Pessoal, o Gil+ não é o mesmo que euzinho, o Gil, psicólogo. Nada contra, nem diria nada, mas como ele apoia aquela excrescência que se apoderou da área de comentários do blog, melhor deixar claro para os amigos não se confundirem.

  68. Gil diz

    PESSOAL…. confesso que não me doeu, nem me surpreendeu, vindo de quem veio, desfazer a Psicologia e nem sequer saber diferenciá-la da Psicanálise em si.
    Nada a dizer para confrontar alguém que acredita em mutamba, além de defecar as toneladas de pérolas ultrapassadas (aquelas da distrofia foram toscas!), erros de gramática e imbecilidades, mas jura ser doutora-ostentação (nem aqui, nem na jaula dela!)
    Mas é bom esclarecer, principalmente aos jovens e novatos no blog que a Psicologia clínica é de fundamental importância na recuperação emocional, principalmente naqueles que se sentiram devastados com o diagnóstico de HIV e não encontram forças para superar o baque.
    Dizer que psicologia não funciona ou coisas assim é típico de quem tentou terapia e não conseguiu arguir para ter insight, pois umas das condições de um bom processo analítico é SER INTELIGENTE.
    Além disso, a psicoterapia é a mais forte aliada da terapia medicamentosa que psiquiatras e neurologistas prescrevem no combate a transtornos emocionais.
    A Psicologia é uma ciência que une as Ciências Humanas com as Ciências Biológicas e Sociais, que vê a pessoa como um ser biopsicossocial e é reconhecida como ciência e profissão em todas as nações, embora existam pessoas que não acreditam ou tentem desfazer, por neuroses (e recalques) que não cabem análise neste espaço, assim como existe gente que não acredita que os humanos foram à Lua.
    Basta ver as milhares de pessoas que fazem terapia e melhoram substancialmente, que se curam de suas neuroses e recalques (claro, nem tod@s, porque precisa olhar-se no espelho da alma, também, e o falso brilho auto-atribuído ofusca, mesmo os que não veem um palmo à frente)
    Assim como a Psicanálise dá embasamento às principais teorias da Psicologia, mesmo quando não acolhidas por outras linhas teóricas (como a cognitiva comportamental), que não a tem como objeto de estudo, mas não a refutam. Com o avanço das neurociências, das imagens do cérebro em pleno funcionamento durante eventos que despertam emoções e sensações diversas, descobre-se que FREUD está a cada dia mais atualizado. Não é à toa que é considerado por todos os cientistas e universidades de renome, ao lado de Darwin, Da Vinci, Beethoven e Einstein um dos maiores gênios que a Humanidade conviveu.
    Até aparecer a besta-fera de salto 15… (aí, a lista aumenta…pra ela!)

  69. Sandrinha diz

    Há muitos vírus piores que o HIV :
    A soberba. A ignorância. O uso de posição social ou de titulação como forma de oprimir ou se sobrepor, mesmo que as palavras traiam, mesmo que o caráter se mostre podre. Isso deve ser um vírus, também, pior que qualquer câncer.
    A necessidade de tomar os espaços, de se apoderar do coletivo.
    O orgulho vazio, de coisas vazias. De uma mente inquieta, de tão vazia.
    A ostentação, num país tão desigual, onde crianças morrem de fome, onde se sabe que a corrupção é pai e mãe da riqueza de 99% dos emergentes, mostra que a origem do material tem tudo pra ser ilícita.
    E eu, que pensava que tanta futilidade só se via em perua de novela.
    Essa é velha, mas tenho de dizer: Tem gente tão pobre, mas tão pobre, que a única coisa que tem é dinheiro (embora uma coisa é mostrar, a outra é ter $ de verdade).
    Nunca escrevi antes, só lia. Mas essa coisa detonou o blog. Totalmente Fora da casinha!

  70. Gil diz

    GENTE, GENTE!
    Analisei, analisei… DESCOBRI:
    A besta-fera ostentação (que fala ingreis e tem diproma) é ESPOSA DO ALEXANDRE!!
    Agora eu sei porque ele é tão puto com a vida, tão estúpido!
    Eu te entendo, cara! Com uma mulher assim, só com muita droga na cara pra encarar.
    Se vc já se afastou dela, sugiro que unamos nossas forças contra esse Exu-Tranca rua!
    O direito de brigar aqui no blog é nosso (mas perdemos feio pra ela), ela nem pra isso serve!
    Depois de tudo que li, te perdoo, Alexandre, te entendo!

    • Alexandre diz

      Olha quem se lembrou de mim, de novo. Beleza, Gil? Só te peço para vc não se lembrar de mim durante seu banho, por favor. Não, Gil, essa Luana não é a minha esposa, não, apesar de falar muito bem o inglês. Minha esposa não é positiva. Mas a Luana lhe pode ser útil. Ela é veterinária.
      E o Gil+ não é vocezinho, como vc mesmo disse, né? “Olha gente, o Gil+ não é o mesmo que euzinho.” Coisa meiga!
      Como foi a briga de espadas com Caio? Quem ganhou, vocezinho ou elezinho? Sinal que sua bariátrica já teve o resultado esperado. Já consegue até fazer briguinha de espada com seu amante. Legal! Tudo de bom pra vcs.
      Aproveitando, aquela “pequena” (que lhe é peculiar) postagem sua lá em cima está muito bem atualizada, né? O bebê de Mississipi já voltou ao coquetel há mais de 01 ano e estudos recentes comprovam que indetectáveis não transmitem HIV, ao contrário do que a sua bem atualizada matéria diz.
      Parabéns, Gil! Continue nos atualizando assim, e com matérias sucintas como aquela. Vc e a Luana estão no mesmo nível de atualização.

      • Gil diz

        Alexandre, aquela querida não é sua esposa? O quê? É SUA MÃE? Nossa desculpe.
        Claro, claro, faz todo o sentido. O “meu noivo”, o Caio-PE, me disse que você era playboy ostentação, mimado. Filho dela, só pode!
        A da briga de espadas eu ri muito com o termo. A bariátrica foi boa, obrigado pela menção! Vc é um fofo quando se preocupa comigo, Cherry…
        Mas não faria, se curtisse sexo com homens, iria direto pro “vamu-vê”, mas isso não é de sua conta. Quanto a lembrar de ti no banho, cuidado com suas fantasias. Aliás, o “euzinho” foi fofo e gay mesmo, pensando em você, prato cheio pra tu me tirar onda e se denunciar nas suas fantasias.
        Bingo! A mente perturbada não deixa passar nada. Tem um gaydar bem afiado para quem se diz hétero!
        MAS acho que teve um engano: AQUELA MATERIAZINHA GIGANTESCA não fui eu, nem seria, também acho minhas postagens grandes, mas aquela foi um exagero de tamanho e de informação desatualizada. Não foi mesmo, desculpa te frustrar. Também sei do bebê do Mississipi, e até faz mais de ano que voltou a tomar remédio.
        Desculpe falar de coisa útil e séria com você, mas imaginei que você acharia que aquele GIL+ seria eu, Xandynho (kkk). Errou de novo. Lamento frustrar-te: a matéria, FELIZMENTE NÃO É POSTAGEM MINHA.

        • Caio PE diz

          Eita Alexandre mimado e playboy. Deve ter um cargo comi$$ionado nesse governo. Deve ter uma fantasia com um “macho nordestino”, mas se reprime. Coitado do Gil !

        • Alexandre diz

          KKKKKKKKK! Os dois que não me esquecem e depois tentam inverter o jogo. Gilzinho, já falei que não ia mais mexer com vc mas vc não me deixa quieto. Que paixão é essa? Vai se fuder pra lá e deixa eu me fuder pra cá. Cuidado com as referências que vc faz, principalmente a minha família, no caso a minha mãe, pois eu nunca falei da sua esposa e dos seus filhos. Se não tem argumento para discutir aqui e precisa apelar para esses meios, tome cuidado. Isso pode ser perigoso pra nós 2. Me referi a uma única mãe aqui pq ele se referiu a minha primeiro. Gil, quando vc lia as minhas postagens mas não respondia, pq não podia, o blog era muito melhor. Toma seu caminho e deixa eu no meu. Percebe-se que vc não tem pacientes, pq chato desse jeito e com esse tempo que vc tem…

          • Gilmar de Oliveira diz

            Xandynho, vc se dá ao direito de dizer o que quiser, quando quiser a quem quiser.
            Com um pingo de vergonha e decência (sua mae te educou com isso?) na sua mente perturbada, aguentaria o troco.
            Muitas vezes, eu estava quieto e você foi me xingando. Agora, toma!
            Tu podes provocar porque se acha melhor? Tudo leva a crer que há parentesco com a rapunzel gagá, é muita semelhança na arrogância e estupidez.
            Provoca, não dá conta e toma toco, daí vem reclamar com mimimi. Você não negou, a loira Besta-fera (mais feia que tuas postagens) que baixou aqui deve ser a sua Mamis…
            Não tenho medo algum de suas advertências.
            Se falar dos meus filhos, à vontade… São pequenos, mas pode xingá-los e amaldiçoa-los com força. Minha esposa junto! Aproveite e me detona também. Tô cagando pra ti…
            Aqui, somos personagens. Vc é deplorável, expõe uma pessoa que, na realidade, é infantil, arrogante e prepotente.
            Se quiser ameaçar mesmo, manda um e-mail pra psicoglmr@gmail.com
            Venha pra realidade, encare a “bichinha doida” aqui, pago até sua passagem pra um cara a cara.
            Quanto a ter pacientes, posso nao ter nenhum ou agenda cheia, todas as tardes, 14-20h. Posso ser vadio ou dizer que exerço cargo na coordenação e supervisão de projetos numa universidade de manhã, quem sabe, eu faça meu tempo.
            Mas isso não é de sua conta, e pode ser mentira, também. O certo é que vc é uma mente perturbada. Ah, esses dias te usei num grupo de Psicopatologia. Rimos muito de ti e todos atestaram seu transtorno. Beijo!

          • Gil diz

            Tá bom, Mente Perturbada.
            Agora, que conheci a Rapunzel dos “diproma e do ingreis” com parentesco direto com vc, tu já era!
            Acordo de silêncio. Abandonarei minha petulância contra vc. Desci demais, não preciso detonar aqui. Gilzinho Paz e Amor.
            Se não mexer comigo, não leva. Nem com meu bofe, o Caio da Espada Lutadora (grande pessoa, aliás!)

  71. Goiano+ diz

    A Briga de vocês é desnecessária. Pelo amor de Deus ! Quantos anos vocês tem ?!!
    Quanta futilidade diante de tanta coisa interessante nesse blog.
    Tenham vergonha e respeito, admirava cada um pelos comentários até então pertinentes.
    Mais ta virando um circo ! Senso por favor !!

    Não se esqueçam, que muitas gente desesperada entra aqui, procurando por um fio de vida pra continuar os seus dias … E vocês dão essa vergonha de toda vez entrar aqui, e deparar com essas briguinhas ! Anem pelo amor de Deus !

  72. MB+ diz

    Gil ….Alexandre … Caio
    Saudades de vocês ….
    Affs tudo voltando a normalidade …graças a Deus .

    • Gil diz

      KKKKK…. a gente briga, faz barraco, mas perdemos feio pro barrilzinho loiro ostentação de salto 15 (com escadinha). O Alexandre a elogiou pelo inglês macarrônico dela… mãe e filho estudando “ingreis” juntos, só falta vocabulário e ortografia. De resto, nível igual.

    • Caio PE diz

      Estamos aqui: às vezes o Alexandre sente nossa falta, aí eu apareço. Quem sabe ele quer uma “briga de espadas” também.
      Abraços a todos (sem excessão)!

  73. Felipe diz

    Eu acho que tem que continuar usando camisinha, sim! Li alguns comentários sobre sífilis. Eu estava vendo esses dias, no UOL, que é a próxima preocupação do governo. Parece que a sífilis está vindo cada vez mais forte.

  74. André diz

    O infecto disse que lipodistrofia é coisa do passado, isso procede? Ou a lipodistrofia ainda assusta?

    • Gil diz

      As medicações atuais não causam lipodistrofia. Há vários posts do JS feitos ainda neste ano, mostrando notícias e divulgando artigos sobre o tem. Os infectologistas que eu conheci foram claros: as atuais TARV´s não causam lipodistrofia.
      Tem umas pessoas bem desatualizadas que falaram que causam problemas no coração, e mais um monte de efeitos.
      A longo prazo, alguns ARV´s causam perda de massa óssea em algumas pessoas e problemas nos rins e fígado, mas não são todos os casos e a longo prazo.

  75. André diz

    A benevolência de vocês em ajudar a quem está angustiado chega a emocionar. Obrigado pela informação e pela força. Saúde e paz.

  76. GYM diz

    Não estou querendo defender a Luana (Não gosto de alguns comentários dela) e nem julgar o “Diego”. Já fui contaminado com a sífilis. Fiz sexo oral em uma parceira com sífilis e ela em mim. Tudo indica que fui contaminado por ela, pois tive contato com alguma secreção dela na hora do ato sexual. Fiz o tratamento certo, 3 em 3 meses fiz exames para acompanhar a eliminação do vírus. Achei estranho o rapaz pegar 2x o vírus da sífilis. E depois tive contato de novo com essa parceira, mas não peguei de novo o vírus da sífilis… Estranha essa história, de pegar sífilis recebendo oral.

    • diego diz

      GYM,
      Só notei que fui “reinfectado” pq a ferida do cancro reapareceu!
      Segundo o infecto, depois de tratado caso o tratamento não desse certo (quase impossível), não voltaria da estaca ZERO, que é a ferida inicial, ou seja, peguei a bactéria de novo.

      Eu agi com irresponsabilidade, claro, mas se eu tivesse feito sexo oral, falaria, ÓBVIO! Qual motivo de não falar?
      Não peguei a bactéria pela 2º vez seguida pela mesma pessoa… Não tive relacionamento com a 1ª novamente. Foi isso que mais me surpreendeu!

      Cheguei a pensar que a infecção não tinha sido curada com as injeções, mas meu infecto garantiu que não: fui reinfectado!

      Foi só um relato, nada a mais!
      O barraco ali foi desnecessário, claro! Me desculpem…
      Na Sexta-Feira eu fiquei chateado com essa história da Sifilis e as dores da benzetacil, dai veio essa Senhora me chamar de mentiroso… Acabei perdendo a razão e baixando o nível.

      abraços a todos!

    • cariocarj diz

      GYM

      O agente causador da Sífilis não é um vírus ! É sim uma Bactéria.

  77. Gohan diz

    Boa Tarde a todos, Fui infectado em 03 de setembro, comecei a ter sintomas do HIV em 05 de outubro e de la pra ca os sintomas nao pararam, fiz teste rapido e deu negativo, porem tenho certeza estar infectado. Nao tenho com quem conversar, voces podem me dizer em quanto tempo estarei com AIDS , se não tomar a medicação?

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s