Notícias
Comentários 59

Supremo Tribunal britânico obriga sistema de saúde a considerar PrEP


NAT

O National Aids Trust (NAT) está satisfeito com o julgamento do Supremo Tribunal que afirma que o National Health Service (NHS) da Inglaterra agiu ilegalmente ao retirar a PrEP, um medicamento que pode mudar a prevenção da transmissão do HIV, de seu processo de tomada de decisão.

Quando, depois de 18 meses de preparação, o NHS abandonou de repente seu trabalho sobre a PrEP, o NAT considerou que não tinha outra opção a não ser desafiá-los por meio de uma revisão judicial. Hoje, o tribunal decidiu que a interpretação da lei feita pelo NHS era incorreta. A PrEP é urgentemente necessária e tem mostrado ter bom custo-benefício. O NAT sempre acreditou que não há impedimento legal para a PrEP ser encomendada pelo NHS — e o tribunal concorda.

Deborah Gold, chefe executiva do NAT, disse: “Esta é uma notícia fantástica. É justificativa que muitas pessoas que foram deixadas para trás, quando o NHS absolveu-se da responsabilidade da PrEP, mereciam. O julgamento confirmou nosso ponto de vista: é perfeitamente lícito o NHS oferecer PrEP. Agora, o NHS deve fazer exatamente isso.”

Mais de 4.000 pessoas estão contraindo HIV a cada ano no Reino Unido — precisamos desesperadamente de novas opções de prevenção para acrescentar ao uso do preservativo. A PrEP funciona. Ele economiza dinheiro e vai fazer uma enorme diferença na vida de homens e mulheres em todo o país, que estão em risco de contrair o HIV. O atraso na aprovação da PrEP é antiético e oneroso.

Em seu julgamento, o Justice Green escreveu: “Ninguém duvida de que a medicina preventiva faz sentido. Mas um órgão governamental diz que não tem poder para prestar o serviço e as autoridades locais dizem que não têm dinheiro. O Requerente está preso entre os dois e as potenciais vítimas desta discordância são aquelas que vão contrair o HIV/aids, mas que não o contrairiam se a política de prevenção fosse totalmente implementada.” Ele ainda conclui que, em todos os cenários possíveis que foram explorados na revisão judicial, o NHS tem sim o poder oferecer a PrEP.

É extremamente decepcionante que o NHS tenha decidido apelar da decisão, especialmente levando em conta os argumentos amplos e bem fundamentados que ela contém. O apelo vai atrasar ainda mais clareza nesta área, e significa que qualquer oferta potencial de PrEP não terá lugar durante meses. Na sequência desta decisão, haverá agora uma consulta pública de 30 dias sobre PrEP, que deve começar quase imediatamente. Uma comissão do NHS vai reconsiderar o caso, mas anúncios finais e a oferta real de PrEP dependem do resultado do recurso.

 

Sobre o NAT

O National Aids Trust (NAT) é uma organização de caridade líder no Reino Unido dedicada a transformar a resposta da sociedade contra o HIV. Nós fornecemos novas ideias, conhecimentos e recursos práticos. Nós defendemos os direitos das pessoas vivendo com HIV e fazemos campanha para haja mudança. Moldar atitudes. Desafiar a injustiça. Mudar a vida.

Neste caso, o NAT foi representado pela seguinte equipe jurídica:

  • Procurador: Adam Hundt de Deighton Pierce Glynn;
  • Advogados: Karon Monaghan QC, da Matrix Chambers, e Zoë Leventhal, da Landmark Chambers.

 

O que é PrEP?

A profilaxia pré-exposição (PrEP) inclui pessoas soronegativas tomarem um medicamento antirretroviral para evitar contrair o HIV. Vários estudos em todo o mundo têm demonstrado que a PrEP é altamente eficaz na redução do risco de contrair o HIV. Os resultados de um estudo feito na Inglaterra, em 2015, provam que a PrEP funciona e que as preocupações sobre sua eficácia no mundo real não tinham fundamento. Leia mais sobre este estuo aqui: www.proud.mrc.ac.uk

A maioria dos estudos de PrEP e as orientações do CDC americano consistem em tomar a PrEP todos os dias. Um estudo na França, chamado ANRS IPERGAY, debruçou-se sobre a eficácia da PrEP quando tomada “sob demanda”, isto é, não diariamente, mas apenas antes e depois do sexo. Neste estudo, também foi demonstrado um significativo benefício preventivo.

Em 2 de agosto de 2016 pelo NAT

Anúncios
Este post foi publicado em: Notícias
Etiquetado como: , ,

por

Jovem paulistano nascido em 1984, que descobriu ser portador do HIV em outubro de 2010. É colaborador do HuffPost Brasil e autor do blog Diário de um Jovem Soropositivo.

59 comentários

    • A curto prazo, sim, é verdade! Mas, a longo prazo, não.

      Se as novas infecções anuais, que podem ser estimadas baseadas nas infecções que aconteceram nos últimos anos, forem prevenidas graças à PrEP, então ela não representa um gasto, mas uma economia.

      Afinal, tratar com um único remédio, durante o tempo em que um indivíduo que está sob maior risco de infecção é mais sexualmente ativo, é mais econômico do que tratar esse mesmo indivíduo após a infecção, com uma terapia antirretroviral vitalícia e de três medicamentos.

  1. pedroks399 diz

    Tenho medo é de uma bagunça parecida com essa ao trocar os governos. Com relação ao SUS e etc. Muito medo. Mas de qualquer forma temos que ter fé. Espero que não negligenciem os coquetéis ou privatizem 100% a saúde.

    • Ombro Amigo diz

      Embora o seu temor seja natural, fique tranquilo porque a distribuição gratuita de ARV’s para todo o país é garantido por lei federal desde dezembro de 1996. Além disso, existe uma cláusula na Constituição Federal de 1988 que garante o direito à saúde como direito fundamental. Significa que para mudar isso, primeiro: teria de ser derrubada a lei federal que garante a distribuição gratuita dos ARVs [o que daria uma péssima repercussão nacional e internacional, já que o Brasil é referência mundial na área]. Além disso, a queda dessa lei teria forte resistência social, pública e política.

      E o mais importante: para extinguir o SUS e privatizar totalmente a saúde, teria de se fazer uma nova Constituição, já que a cláusula que garante o direito à saúde é pétrea [ou seja, não pode ser mudada por nenhum projeto de lei] e a Carta Magna está acima de qualquer projeto de lei em qualquer esfera pública.

  2. Maxwell diz

    Sabe o que acho que deveria ser uma luta para os nossos representantes positivos e ONGS que trabalham em nosso benefício? Fazer com que o Ministério Público baixe uma portaria para que em TODO o BRASIL a pessoa que depois de ficar indetectável ter o DIREITO de tirar a medicação para 2 (ou 3) meses de uma vez só. Pois já que o HIV é uma doença crônica e cheia de preconceito não precisaríamos está a pegar a medicação todo o mês (depois de indetectável). Só ficaria “obrigado” a pegar mensalmente aqueles que ainda não estão indetectáveis já que o remédio em questão ainda estaria sendo avaliado se combate de fato o vírus alocado no paciente. Pois vejo que em algumas cidades alguns pacientes pegam medicação para 3 meses (2 meses) e em outros só pegam pra um mês. Isso está errado. Tem que ser igual para TODOS

    • Brumo diz

      Pego para 2 meses desde sempre. Depende muito do CTA e da logística da farmácia. Na cidade vizinha, por exemplo, a entrega é mensal…

    • Fersp diz

      Fato, melhoraria muito a qualidade de vida de muitos que se cuidam e prezam pela saúde de todos, inclusive a nossa psicológica.

    • Xavier diz

      Aqui também é pra 60 dias, casos indetectáveis há mais de 1 ano 90 dias.

  3. Vitória diz

    Pessoal,

    Pelo que sei, se eu tomo o 3 em 1, eu posso me recontaminar pelo HIV, certo?

    Então, além do 3 em 1 eu poderia tomar PrEP ou PEP para evitar pegar nova variante do vírus?

    Como evitar ser recontaminados?

    Isso me confunde…Obrigada

    • Usando a Tarv não existe recontaminação de HIV – balela
      Existe perigo de contrair outras DST – fato

      • Quiz dizer que usando Tarv não tem recontaminação, se falarem que tem recontaminação é balela

    • Vitória,
      Até onde eu sei, se você faz tratamento antirretroviral, não é preciso (e nem faz sentido) fazer uso de PrEP ou PEP. O tratamento antirretroviral funciona como prevenção ao HIV para os outros e para você também. Isso não vale, claro, para outras DSTs, além do HIV. 😉

    • Fabio diz

      O perigo seria se infectar com um vírus resistente aos ARVs que você já está tomando.

      • Vitória diz

        Isso quer dizer que a Prep ou Pep não valem para todos os vírus? Ou 99%?

        E, caso eu tome o 3×1, e venha a me contaminar por um vírus resistente, é como se eu fosse o 1% da Prep ou Pep?

  4. May diz

    ECG essa pesquisa é talvez a melhor dos últimos anos! Descobriram uma célula capaz de penetrar nos reservatórios, além da possibilidade dela ser sinalizada com proteínas. Essa sim, é uma pesquisa que causa ansiedade e traz uma luz no campo científico. Algo que fez até a incrédula da Lewin se manifestar.

    • Alexandre diz

      Começar os testes em 05 anos? Daqui a 20 teremos a resposta. Mas de fato é uma bela proposta!!! Vou apelidar o EGC de Leleco, aquele personagem da novela que se casou com uma jovem mulher. O EGC sempre está por “dentro das novas”!!!
      Grande abraço, EGC!

      • D_Pr diz

        Fala Alexandre, beleza?

        To rindo com o Leleco, mas o caminho é através dos folículos das células B? O Dr. Louis Picker (Oregon) tá nessa direção também, não é?

        Como dizem por aí, pasto novo cura cavalo cansado…juízo hein EGC.

        • Voces são foda, rsrs, Alexandre Leleco nem conheço mais pelo nome voce to fudido, rsrs, eai Dpr pasto novo é bom mesmo mais da muito problema, rsrs, abraço camaradas.

          • Voces são foda, rsrs, Alexandre Leleco nem conheço mais pelo nome to fudido mesmo, rsrs, eai Dpr pasto novo é bom mesmo mais da muito problema, rsrs, abraço camaradas.

            • Ha esqueci,rsrs Po Alexandre tudo 20 anos rsrs, desse jeito fudeu, caraio ajuda ai, nos proximos chupa uns 12 anos po, rsrs, mais pensando bem para um nunca, 20 ta bom, Abraço

                • Alexandre diz

                  Kkkkkkkk! Chupa é foda. EGC, mas muito antes de 20 anos teremos coisas boas. Eu disse 20 anos para essa estratégia. D_Pr, o Picker está testando a dele para prevenção, por enquanto. Uma coisa que ponderei com o Barasa foi que, se alguma estratégia se mostrar curativa ela deve ser implantada bem antes de cumprir todos aqueles cansativos e desgastantes protocolos da FDA.
                  Grande abraço aos 3!

  5. pedroks399 diz

    Cara isso me da mais medo. Eles atropelam tanto a constituição e criam tantas medidas provisórias queseila . É mais fácil eles não acabarem com o tratamento pela nossa reputação perante o exterior do que perante a constituição. Enfim vamos ter fé que Deus é justo.
    Ah e mesmo cheio de sintomas meu exame deu negativo com 26/30/40 sendo o primeiro um de químio num seioqhe lá das quantas. Vou esperar mais e fazer outro.
    Já li tudo do blog JS e me responda aquele documentário vida positiva é você de costas de amarelo não é? RS

  6. Caio diz

    Existe sim a possibilidade de recontaminação mesmo você estando indetectável. Os seus medicamentos são para uma variante específica (cepa) do vírus. Caso você seja contaminado com um vírus resistente a sua medicação habitual, pode haver replicação dele sim. Inclusive li aqui que um internauta de Goiânia foi contaminado por um vírus resistente ao EFV (ele fez genotipagem). O 3×1 poderia ser comprometido no caso dele. Embora o 3×1 tenha como composição o TDF e a 3TC, o EFV deixaria de fazer efeito (no caso específico dele).
    Eu, talvez, não tenha o vírus pois estou fazendo uso da PEP (embora cerca de 2 semanas após exposição) eu sinta alguns sintomas estranhos. Mas eu estudei e pesquisei muito sobre o vírus, sem contat que tenho uma colega infecto. Sou do Recife.

    • balela,
      posta ai algum artigo
      3X1 tres medicações
      uma das tres faz o papel da prevenção
      reinfecção nunca se estiver com tarv

      • Fabio diz

        Existe a possibilidade de ser infectado por um vírus resistente às 3 medicações do 3 em 1. É uma possibilidade remota mas que deve ser considerada. Um infectologista me disse, inclusive, que existem hoje vírus resistentes a todos os ARVs existentes.

        • Juka diz

          Nossa!! Isso é assustador.entao quer dizer q se um infeliz pegar esse vírus vai morrer à míngua igual cazuza como se estivesse nos anos 80?

          • Caio PE diz

            Juca e Leo

            Existe sim a possibilidade de vírus resustente a todas as medicações (mas isso é raríssimo). Para que isso acontecesse, uma pessoa deveria adquirir tal vírus (em caso de exposição sexual) se ela fosse totalmente promíscua (transassse sem proteção com muitas pessoas e muitas vezes) pois essas pesssoas poderiam ter falha terapêutica em diversos esquemas de ARVs.
            Num caso extremo como esse, morrer feito o Cazuza não pois tal pessoa iria ter um acompanhamento de perto e prevenção de doenças. Mas que ela estaria “lascada” com certeza sim.
            Em relação ao CD4, não precisa de jejum, mas como já foi dito aqui, é importante coletar no mesmo horário pois essas células variam em quantidade ao longo do dia, por motivos biológicos e fatores externos também.

          • Zimba diz

            Nada a ver! Nunca vi comentário nenhum que nenhum ARV seria capaz de combater!
            Ao não ser que o estágio da doença já estivesse alto, sem chances mesmo!
            Pra q ficar vendo pelo em ovo sem precisar? pra por medo nos outros? N entendo!

            • Fabio diz

              Tem tudo a ver! Se nunca viu comentário nenhum a respeito do tema, não quer dizer que a afirmação seja falsa. Te aconselho a pesquisar mais a respeito do assunto, você verá artigos onde especialistas falam de vírus resistentes a todos os tratamentos existentes atualmente. Isso acontece principalmente na África. Mas esses vírus já circulam também no Brasil. Nada impede, inclusive, que um africano contaminado venha ao Brasil e transmita um vírus desses, iniciando toda uma cadeia de transmissão a partir daí. Com a globalização, isso é algo mais do que plausível. Não se trata de procurar cabelo em ovo sem precisar, é algo real. Nem se trata de colocar medo nos outros, apenas informar, pra que as pessoas tomem decisões conscientes. Tem muita gente que se infectou, faz uso de ARVs e acha que com isso tem carta branca pra fazer sexo sem camisinha a vontade, porque, por um lado não vai transmitir o vírus pra ninguém e por outro está completamente protegida do HIV pelos remédios que toma, desconsiderando a possibilidade de nova infecção. Não é assim. Apesar de não haver risco considerável de transmissão (mesmo isso é contestado por alguns especialistas), pode haver uma nova infecção sim. É preciso ficar esperto e se prevenir. Cada um assume os riscos decorrentes de suas próprias condutas. Mas é bem melhor estar munido de informações pra ponderação desses riscos e assunção de condutas conscientes. Pra mim já basta ter sido pego por essa armadilha uma vez.

              • Caio PE diz

                Concordo totalmente Fábio. Seu caso é um exemplo de aquisição de vírus resistente: o EFV já não faz efeito em você. Embora tenham alternativas muito melhores que ele: o RIT e o ATZ (que fazem parte da PEP) já seria um esquema bom.

              • Zimba diz

                Fabio, p/mim é procurar pelo em ovo, sim! Vou pesquisar mais sobre o assunto em troca do que? ficar com medo?
                Transar adoidado por ai sem camisinha é loucura não só por outros tipos de HIV, mas por outras DST.
                Agora quem tá desesperado, recém diagnosticado, vem aqui e lê esses comentários, já morre de medo!
                Acho desnecessário!
                mas né… continue procurando desvantagens.. Se acha que isso é conveniente pra vc, ok!

  7. Marcus diz

    Gente, qnd vcs saem de madrugada vcs tomam o 3×1 antes ou dps de ir dormir? Tem problema tomar ele dps que chegar? Obg

    • Caio PE diz

      O ideal é tomar SEMPRE nos mesmos horários (ou os mais próximos possíveis dele) para evitar a queda da concentração de remédio no sangue e induzir a replicação viral. Se, depois de tomar você for sair, não tem problema. O importante é manter o horário o mais fiel possível, sempre.

    • Juka diz

      Eu tomo tdos os dias no mesmo horário…mesmo na balada…foi assim q a professora me ensinou…

    • Zimba diz

      Marcus,
      Meu infecto me alertou tomar antes de dormir!
      Se for pra balada, tome qndo chegar!
      Segundo ele, o 3X1 pode trazer efeitos desagradáveis, e o próprio remédio tem ação de mais de 1 dia.
      Atrasar um pouco não muda nada! Exagero!

  8. Leo diz

    Pessoal, alguém saberia me dizer se é necessário jejum para exame de carga viral e cd4/cd8?

    • Luiz Carlos diz

      Não é necessário jejum, mas é interessante procurar fazer a coleta sempre no mesmo horário, pois a contagem de CD4 é afetada pelo ciclo circadiano (ciclo biológico dos seres vivos).

  9. May diz

    Não né Juka! Existem 25 antirretrovirais disponíveis. Vai ter que mudar o esquema!

    • Caio PE diz

      Exatamente: vai ter de mudar o esquema (dependendo da resistência todo o esquema, as 3 drogas). O único caso em que uma pessoa possa adquirir um vírus altamente resistente a todos os ARVs disponíveis seria se essa pessoa (em caso de exposição sexual) transasse com a “torcida do flamengo inteira”, ou seja, uma pessoa promíscua, mas promíscua MESMO.

      • Fabio diz

        Não. Bastaria adquirir o vírus de uma pessoa que já o possuísse resistente. Isso seria possível até mesmo em uma única relação sexual. A cadeia é complexa. Basta pensar em uma pessoa muito promíscua, que se contamine com diversos vírus resistentes a diversas drogas. Esses vírus sofram mutações ao se reproduzirem e se tornem resistentes a todas as drogas que existem hoje. Uma outra pessoa pode adquirir esse vírus já resistente da primeira em uma única relação sexual.

        • Caio diz

          Para Fábio

          Uma pessoa que tivesse o azar se ter um vírus altamente, super resistente seria apenas ser acompanhada bem de perto pelos profissionais de saúde e prevenção de doenças. Além disso não sei o que seria mais possível fazer.

      • Caio Pe diz

        Emum caso extremo como esse, resistente a todos, a única coisa que a equipe de saúde vai poder fazer é acompanhar de perto e tratar as infecções oportunistas e mais nada.

  10. Daniel diz

    Olá, como estão as pesquisas e políticas públicas em relação ao PrEP no Brasil? Obrigado.

    • Rafael diz

      Ultima vez que soube da Prep em São Paulo, o estudo já estava em fase de finalização, com a forma de terapia oral diária. A nova proposta para a Prep será na forma injetável com novos voluntários no futuro.

  11. Caio PE diz

    Fábio, quanto está a sua CV ? E se vc já marcou consulta com o infecto para iniciar a tarv ?

    • Fabio diz

      27 mil de CV
      CD4 528
      Já marquei 3 infectologistas. Vou ver de qual gosto mais, o esquema proposto por cada um, ponderar com qual vou ficar e começar logo.

  12. Sobre tudo é benéfico publicações como esta dando esperança aquem a muito tempo ja não tem

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s