Notícias
Comentários 68

Cura “clássica” do HIV permanece um desafio


medpagetoday

A história sugere que encontrar uma cura “clássica” para o HIV — limpar o vírus do corpo — vai ser uma tarefa difícil, disse um alto funcionário americano.

Por outro lado, um objetivo menos aspiracional — o de alcançar a remissão sustentada do vírus — parece ser mais provável, no estado atual da ciência médica, de acordo com o Anthony Fauci, médico e diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos..

O sistema imunológico humano pode lidar com outros vírus, mas o HIV quase nunca é vencido para curar a infecção, “nós temos que fazer coisas que a natureza nunca antes fez”, disse Fauci a repórteres que se reuniam na Conferência Internacional de Aids. Uma cura clássica “certamente não é impossível, mas muito desafiadora, por causa da natureza muito especial do HIV”, disse Fauci antes de dar um discurso em um simpósio pré-conferência, dedicado à ciência da cura do HIV.

Essa “natureza especial” do HIV é um enigma bem conhecido — o vírus se insere no genoma das células do sistema imunológico, o próprio mecanismo que o corpo usa para se livrar de patógenos. Muitas dessas células morrem produzindo novas partículas virais, o que conduz à deficiência imune, se o processo não for interrompido por medicação, enquanto outras continuam dormentes.

Se o tratamento for interrompido, este reservatório de células infectadas é capaz de reiniciar a proliferação do HIV, geralmente dentro de dias ou semanas. Atualmente, não há nenhuma maneira conhecida para se livrar destes reservatórios virais. Fauci observou que há quatro principais abordagens para a cura clássica, algumas mais promissoras do que outras. Todas têm sido tentadas, mas até agora sem sucesso.

  • Tentativas de esgotar os reservatórios com diversos medicamentos já remontam duas décadas; todos os pacientes tiveram volta da infecção assim que os medicamentos anti-HIV são interrompidos.
  • Atacar as células dos reservatório com terapias imunotóxicas, uma abordagem emprestada da oncologia, está mostrando “alguma promessa” nos primeiros estudos aplicados ao HIV.
  • Tentativas de transplantar células-tronco do sistema imunológico que carecem de uma proteína necessária para o HIV infectá-las; o “Paciente de Berlim”, Timothy Brown, foi o primeiro — e até agora o único — caso em que a abordagem foi bem sucedida.
  • “Editar” células do sistema imunológico para torná-las imunes ao HIV, uma ideia inspirada no caso de Timothy Brown; é muito cedo para dizer se o procedimento a ser feito vai funcionar ou se ele pode ser amplamente aplicado.

HIV_3D_modelo

Alcançar a remissão viral sustentada, a qual permitiria que os medicamentos anti-HIV fossem interrompidos por longos períodos de tempo sem medo de rebote viral, é “provavelmente mais viável”, disse Fauci. Para que essa abordagem funcione, “você precisa ter um pequeno reservatório e um sistema imunológico competente”, disse ele. Em outras palavras, os pacientes precisam de ser tratados tão rapidamente quanto possível após a infecção, algo que agora é reconhecido nas diretrizes de tratamento, para reduzir o crescimento do reservatório e o dano sobre o sistema imunológico. Em casos raros, observou, o tratamento precoce por si só pode ser suficiente para que o sistema imunológico de um paciente consiga mais tarde controlar o vírus.

Fauci disse que outra abordagem consiste em desenvolver uma vacina terapêutica — um medicamento que iria estimular o sistema imunológico e permitir-lhe lutar contra o vírus. Nenhuma tentativa dessas teve sucesso até agora, mas os estudos clínicos estão em andamento, disse ele.

Mas a descoberta de mais de 200 anticorpos amplamente neutralizantes contra o HIV sugere que eles poderiam formar a base de uma terceira abordagem, acrescentou. No decurso da maior parte das outras infecções, tais anticorpos são produzidos dentro de dias ou semanas, mas no caso do HIV eles levam anos, e por vez eles são de pouca utilidade para um paciente. Fauci disse que vários laboratórios, inclusive o dele próprio, estão realizando estudos para ver se a transferência passiva de anticorpos amplamente neutralizantes pode induzir a remissão de longa duração.

vrc01

A resposta? Ainda não. Porém, em um pequeno grupo de pacientes com o vírus totalmente controlado por medicação, infusões de um anticorpo apelidado de VRC01 estendeu o tempo que os pacientes poderiam permanecer fora de seus medicamentos anti-HIV, para uma média de 39 dias. Dados históricos sugerem que o rebote viral começa geralmente entre 11 e 28 dias. O resultado é “não um ‘golasso'”, disse Fauci, mas sugere que houve um avanço.

Quando ele e seus colegas mergulharam mais profundamente sobre os dados, descobriram que os pacientes que tinham resistência pré-existente para VRC01 tendiam a se recuperar no mesmo momento que os controles históricos, enquanto aqueles cujo vírus era sensível ao anticorpo tiveram mais tempo para se recuperar. É possível que o anticorpo tenha de ser mais potente e de longa duração, segundo ele, ou — em paralelo com a atual terapia do HIV de três medicamentos — mais anticorpos têm de ser utilizados.

A perspectiva de uma cura para o HIV, por muito tempo considerada impossível, tem ressonado há vários anos. Ela é especialmente importante para as crianças soropositivas, que enfrentam uma vida que jamais será livre de fortes medicamentos poderosos, comentou a Dra. Jintanat Ananworanich, PhD, do Programa de Pesquisa em HIV das Forças Armadas dos EUA. “Ter uma remissão, ter uma cura seria um impacto enorme”, afirmou.

Segundo Ananworanich, as crianças são candidatas ideais para uma cura utilizando os critérios de Fauci, uma vez que elas quase sempre podem ser tratadas muito cedo no curso da doença. E uma que o seu sistema imunológico está se desenvolvendo, pode ser mais difícil do vírus se esconder em um reservatório.

Embora muitas pessoas ainda não esetjam em tratamento em todo o mundo, as terapias atuais são altamente eficazes, fáceis de tomar, geralmente bem toleradas e oferecem uma vida quase normal. Segundo Fauci, médico e cientistas “tem de ter certeza de que a cura seja melhor para o paciente do que o que eles estão recebendo agora”.

Por Michael Smith para o MedPage Today em 16 de julho de 2016

Anúncios

68 comentários

  1. Pedro Dias diz

    Resumindo: Pode mas não deve, tem como mas não sabem como, balela e balela desses cientistas e estudiosos. Temos que dar graças a Deus por termos medicamentos e só, mas que isso é ilusão.

  2. Nahash diz

    Hello ? Chega de tanta enganação minha gente , as pessoas precisam de fatos concretos e não história ou disse que me disse , ficar trazendo informações que não sejam críveis dentro da veracidade e gravidade que muitos vivem a mais de 30 anos ,já está mais que na hora de um basta em notícias que não sejam mais que animadoras , dizer que fulano disse que talvez não dê ou não ache a possível cura ,porque não façamos uma campanha em prol da cura imediata já que os laboratórios querem ganhar dinheiro , todos esses milhões de pessoas que anceiam por isso , porque eles não fabricam um remédio pra acabar com corruptos e seres medíocres que se tornam bilionários com a desgraca alheia .Provavelmente estes não tem filhos , ou são seres do submundo ?filhos de chocadeira .

  3. Henrique diz

    Esse textou abordou tudo que ja foi postado aqui no blog sobre cura e etc, ou seja, sempre falam a mesma coisa só mudam o título hehe. Enfim, bora tomando o remédio e esperando a boa vontade da ciência descobrir uma maneira de acabar com esse vírus.

  4. Acredito que o grande problema dos cientistas é eliminar o vírus do nosso corpo sem causar uma seqüela, acho que muitos aki vivem como se estivéssemos nos anos 80 e 90, temos que acreditar em viver bem sem neuras e pensamentos negativos, conheci pessoas que no passado morreram e não tiveram a oportunidade que nós temos de tomar um comprimido por dia e pensar em projetos futuros, sei que é difícil mas não podemos deixar de viver e acreditar.

  5. Roberto diz

    Eu sinceramente não acredito mais em cura mas tenho esperança, minima mas tenho, morrerei de velhice com o vírus em minha corrente sanguínea, hoje a única coisa que quero é que seja comercializado alguma medicação que se tome um comprimido a cada duas semanas ou alguma medicação injetável que se tome uma vez ao mês, seria excelente.

  6. Por mais que a cura naum venha por agora ja obtivemos um grande avanço.vamos continuar acreditando .um dia Deus ha de iluminar os cientistas e erradicar de vez esses virus.acredito que logo vamos ter a vacina como complemento dos retrovirais.

  7. Acreboy diz

    Resumo da opera: se estar vivo, viva. Se a cura vier, será bem recebida, senão, a saúde é que importa.

  8. Fábio diz

    Eu não ligo de tomar os remédios todos os dias. Durante meu dia, apenas dois minutos estão dedicados na rotina de pegar um copo de água e ingerir. Um dia refleti, toda mulher tem que ter a preocupação de todos os dias de tomar o anticoncepcional, e não sofre por esse ato, porque eu tenho que sofrer para tomar um comprimido que me mantém vivo. Eu fico contente por essas pesquisas, espero em breve ter em mãos novos remédios que não afetem os rins, fígado, que cause intolerância à glicose e que aumente o triglicerídeos. Essas novas drogas irá trazer uma cura funcional, e já será uma vitória para todos. Por trás de toda essa nossa.ambicao pela cura, é para nos livrarmos do tabu do HIV, de todo o preconceito, e muitos a culpa, não exatamente da rotina de tomar o único medicamento que grande maioria faz uso. Seja qual for nossa crença vamos pedir a Deus sabedoria para esses pesquisadores que nos tragam o melhor tratamento atóxico e também a cura! Beijos a todos nós que vivemos positivamente!

    • Marcos diz

      A grande questão, Fábio (aliás amo esse nome e seria o nome do meu filho se eu o fosse ter, mas não) não é simplesmente ter de tomar um remédio todo dia. Graças a Deus e todos que tem lutado de verdade (salvo o interesse mesquinho da industria farmacêutica capitalista que sobrevive da tragédia humana) temos a medicação que nos mantém vivo e em condições de vida normal, mas é sabido que pra esse bônus tem ônus: os efeitos colaterais a longo prazo; coisa que que é soro negativo não tem, além do estigma, preconceito e até mesmo a visão quase unanime da sociedade em geral de que somos “contagiosos”, o que debilita nossa vida social, emocional e amorosa. Viver com esses estigmas e com o peso de “se não tomar eu morro”, “ninguém vai transar comigo sem medo”, “não poderei assumir uma relação sem me abrir e correr o risco de ser rejeitado e posteriormente exposto” é devastador, e por isso eu quero sim uma cura! A cura não é especulação, ela é possível sim, partindo do princípio que uma pessoa já foi curada, ela existe. O que estão fazendo na Dinamarca já funcionou em laboratório, já está sendo testado em humanos. Pra que sermos tão pessimistas? Basta lembrar que em 1983 (quando eu nasci) quem acreditaria que pudesse existir um tratamento eficaz, quando a sentença de morte era certa e nem se sabia qual era o agente causador? Só 16 anos depois é que esse tratamento veio. Existem questões políticas, jogos de interesse e tudo mais atrasando, mas acredito piamente na cura, tanto por parte da ciência, quanto por intermédio da fé em Deus que, segundo minha crença particular, deu ao homem inteligência para chegar a tal ponto. Muita paz e saúde sempre, bora lutar e ser confiante!

  9. Alemão diz

    E agora, gente? E aquela pesquisa promissora na Dinamarca? Tem tantos estudos por aí que eu vi que estavam na fase final e dando certo, mas nunca mais vi falarem mais nada, parece que estão abafando o(s) caso(s)… Eu acredito que a cura vai chegar e nos curar talvez daqui uma década, mas eu sinto que tem muita gente que parece que não quer que a cura seja alcançada, sei lá! O que vocês acham?

  10. Ombro Amigo diz

    Sonhar não custa e nem faz mal…quem sabe um dia, venha uma boa notícia… Nunca deixemos de sonhar, porque os sonhos não envelhecem. E foi fruto de um mero acaso que a penicilina foi descoberta [quando o cientista Alexander Fleming esqueceu placas com culturas de bactérias durante suas férias].

    Já se passaram 35 anos do surgimento da AIDS, pode parecer muito, mas não é nada se compararmos à doenças que apavoraram a humanidade como a peste bubônica e varíola, conhecidas há séculos. Os cientistas ainda estão descobrindo como a doença age e podemos afirmar que quem está começando o tratamento com os antirretrovirais hoje terá uma qualidade de vida muito melhor de quem tomou os primeiros e agressivos coquetéis há 20 anos ou ainda de quem começou tomando AZT no começo dos anos 90.

    Há 25 ou 30 anos, o HIV era sentença de morte e hoje, um soropositivo saudável pode viver plenamente sem qualquer indício aparente do vírus. E apesar de tudo, até me surpreende a rápida evolução do tratamento. Hoje temos o comprimido 3×1, o Dolutegravir e já temos expectativa para tratamentos ainda mais espaçados! Só não devemos perder a esperança e nem a fé em Deus…

    • Cris diz

      O dolutegravir (aqui em Portugal é dado como primeira linha de tratamento) é muito bom e potente, e dos melhores antirretrovirais para a maior parte das pessoas, mas a mim, ia destruindo a minha saúde com os efeitos secundários severos.

      Agora estou com o Truvada mais o Raltegravir e estou bem, sem efeitos secundários nenhuns.

      Só tenho de tomar de manhã e de tarde.

      • Fernando Rodrigues diz

        0lá Cris. eu também sou português. Descbri recentemente que sou VIH positivo. queres trocar mal ou contato, também estou com truvada e raltegravir mas com alguns efeitos secundários.

        • Cris diz

          Olá Fernando, podemos trocar de email sim, mas por aqui?
          Não quero expor aqui o meu email.
          Tenho de criar um email fictício.
          Que efeitos secundários? Eu zero.
          Mas com o dolutegravir (o mais potente antirretroviral até agora) e com menos efeitos secundários supostamente, eu tive imenso e alguns graves.

  11. Novato diz

    Olá, pessoal.
    Gostaria de compartilhar uma situação. Atualmente estou trabalhando em uma empresa que pode me mandar para qualquer parte do país trabalhar, realizar treinamentos e posteriormente me alocar em uma cidade que não seja a atual que moro. Fico pensando: como vou lidar com a retirada de remédios, consultas e etc? Alguém vive essa situação? As consultas semestrais acho que são possíveis de serem realizadas, mesmo que tenha que ir para a rede privada. Mas e os remédios que pego a cada dois meses e precisa ser sempre no mesmo local? Já li coisas sobre pacientes que pagam umvalor X para que alguém pegue os remédios e envia para eles por correio, coisas do gênero. Não queria ficar trocando de posto de retirada a cada mudança de endereço, compreendem? Alguém pode me ajudar?
    Obrigado.

    • cami diz

      Pede algum familiar para retirar e mandar por correio.Eu faço assim

    • lucas diz

      Se for no Brasil vc pode pedir para seu médico transferir o seu prontuário a outro posto(cidade,estado,etc..) e se tratar por lá.

  12. Lovestoned diz

    Eu penso ser uma batalha válida,
    Infelizmente não escolhi me infectar, mas também não me previni para que isso não acontecesse, enfim agradeço a Deus todos os dias por estar viva e não podemos deixar de acreditar que apesar dos pesares tudo vai dar certo!

    • Ricardo Costa diz

      nessa remissão clássica eu nao acredito. ha reservatórios de virus no cérebro e um so deixado para trás …. reinfecta o o indivíduo de novo. No cérebro nao se vai medicações para tal fim.

  13. Ricardo - Gru diz

    O que me deixa mais preocupado em relação a tudo isto são os novos casos que vem surgindo diariamente e não são poucos ! Isto pode causar um “superavit” de pessoas com HIV e um “deficit” de medicamentos/atendimentos. As pessoas não estão se atentando em se cuidar, eu sou prova disto, infelizmente tive pessoas próximas que foram vitimados pela AIDS (inicio dos anos 90, perdi uma prima), tenho um amigo soro+ há anos, me cuidando e tal, acabei confiando numa pessoa e contrai o HIV, imagina quem está iniciando a vida sexual agora, sem referencia de nada…a situação tende a expandir, infelizmente. Já que a cura está dificil de ser alcançada, o Governo tinha que investir na divulgação de prevenção na tentativa de diminuir novos casos. Mas vamos acreditar que algum dia alguém atira no que viu e acerta o que não viu, afinal na medicina temos tantos casos assim…quem sabe um dia do nada a cura aparece! (sonhar faz parte, kkkk)

    • Rafael diz

      Se o “Paciente de Berlin”, foi curado, por que não o resto da Humanidade? Hoje podemos dizer que o HIV não é mais causador de uma doença incurável! Hoje ele não é mais mortal.

      Como pode ter animais que possuem o virus e não tem problema nenhum?!

      Que a engenharia genética possa bloquear esse vírus de todas as formas e proteger nossas
      Celulas de defesa.

  14. Maycon diz

    Como eu sempre pensei! Impossível. Ele entra no genoma e se mantém lá. Não há como arrancá-lo… Precisaria de ciência a nível molecular muito bem estruturada e a ciência é uma criança nessa área. Não há nada igual na natureza! Se assemelha a um câncer isso, só que espalhado por todos os órgãos. Não existe medicamento atóxico. Morreremos com isso e na melhor das hipóteses, não disso.

  15. Maycon diz

    Nem essa remissão eles daram conta! O vírus se modifica com extrema facilidade. O anticorpo utilizado nessa semana, não funcionará nas outras. Em um dado momento, tudo volta para as TARV’S.

  16. P+ diz

    Pessoas, eu queria conversar com os soropositivos que moram/moraram fora do país.
    Tô pensando em aplicar para um doutorado pleno no exterior, e aí tô verificando as opções de países e instituições. Eu sei que nos EUA o tratamento não é gratuito, mas também não sei se os planos de saúde contemplados pelo governo cobrem o tratamento (ao menos parcialmente).

    Enfim, será que vocês podem contar a experiência de vocês, pfv? Acho que essa troca vai ser muito válida pra minha tomada de decisão em cima disso. Valeus! 😉

    • Arthur diz

      Caro P+, eu pensei a mesma coisa. Mas todos os países onde existem bolsas de estudo, sem haver a necessidade de esperar a Bolsa CAPES, o tratamento é pago (e caro – NZ, Austrália etc)… Alguns deles, como o Canadá, nem aceita que apliquemos nas universidades.

      Eu já até procurei instituições filantrópicas pra ajudar com uma “bolsa antirretroviral”, mas é bem difícil…

      Eu já quase desisti de fazer doutorado fora, e vou ficar por aqui mesmo… 😦

      • P+ diz

        Arthur, mas o CNPq abriu um edital para doutorado pleno no exterior. No meu caso, demora mais uns dois anos pra eu poder aplicar, mas já tô verificando isso para poder iniciar o contato com as universidades e pesquisadores que se alinharem com minha pesquisa.

        Essa questão é difícil mesmo. Eu vou direcionar essa escolha para países europeus que oferecem o tratamento antirretroviral gratuitamente, como aqui no Brasil: Irlanda, Dinamarca, Reino Unido, etc. Provavelmente meu orientador aqui no Brasil vai querer que eu aplique pra uma universidade americana também (é óbvio), mas aí eu antes eu quero verificar com a Embaixada Brasileira e com o meu CTA aqui se há a possibilidade de manter o tratamento lá, seja enviando medicação daqui do Brasil ou comprando lá com apoio do governo.

        Enfim, temos que verificar isso. Eu gostaria de conversar mais com você, Arthur, já que ambos somos da Academia!

    • Alex diz

      Uma opção é vir estudar na Europa. O tratamento aqui é grátis e de primeira linha. Comecei o meu tratamento há um ano, com Stribild, e agora acabaram de trocar para um mais novo, chamado Genvoya. Nenhuma complicação, nenhum efeito colateral e totalmente gratuito.

      • Anderson diz

        Aí fica a pergunta: por que esses medicamentos de primeira linha, como o Stribild e o Genvoya não chegam ao Brasil, que foi o pioneiro a tratar gratuitamente pacientes portadores do vírus HIV e pessoas com Aids? Muito, mas muito estranho isso! Sofro diariamente com os efeitos colaterais do 3X1 (Efavirenz, Tenofovir e Lavivudina). Sempre fico estranho quando tomo esse medicamento, paracendo que usei drogas iícitas.

        • O efavirenz para mim era um bomba que doía o corpo todo, me deixava bêbado meio que dopado e sempre com pesadelos monstruosos, tonteiras que no outro dia eu mal conseguia levantar. Ja o lamivudina e tenofovir não senti efeitos colaterais. O maldito efavirenz deixa as pessoas depressivas, sem força de trabalhar e sem força pra viver. Não sei ainda como infectologistas conseguem dizer de boca cheia que Efavirenz é o santo graal e de ponta. Muitos soro positivos estão morrendo por não suportar essa droga e logo abandonam a medicação. Alguns soropositivos ainda não sabem também que podem exigir a troca desse bicho. Graças a Deus consegui trocar para um combinação sem efeitos colaterais.

  17. Novato diz

    Boa tarde alguém pode me ajudar. Soube do resultado a 10 dias e estou sem nenhum suporte, quero conversar com alguém. Não sei minha carga, está demorando mto o processo de ser diagnosticado e receber orientações, fiz o exame hj e vou pegar o resultado daqui 20 dias, ou seja será 30 dias do diagnóstico até iniciar o tratamento. Nesse meio tempo eu ando encanado com tudo, cada espinha que aparece eu me sinto dissolvendo. Acredito que a pior parte é esse abandono psicológico, fruto de medo e encanação. Tenho tido muitos espasmos (sem dor) desde que soube, agora eu não sei identificar se é stress ou sintomas. O que rola no corpo antes de iniciar o tratamento? O que sentiram? Não achei nada sobre isso online, nenhum site ou blog. O infecto que me atendeu foi arrogante nao se propôs a ajudar ou tirar dúvidas, um completo abandono além de não pedir exames exceto o cd4 e carga mas os demais não foram solicitados, não deveria ter de urina, fezes, toxoplasmose e etc…? É mais desesperadora essa angústia de achar que estou com mil doenças do que o hiv propriamente dito. Os dias se arrastam, meu rendimento caiu no trabalho e não conheço ninguém soropositivo pra dar aquele apoio moral de situação conhecida e sentida na pele. Tenho 25 anos. Me ajudem com experiências, medos e certezas que as coisas vao ficar bem. Email: novatopositivo@gmail.com

    • Ricardo - Gru diz

      Primeiro você deve manter a calma, você não irá morrer assim tão rápido e tão logo iniciar o tratamento verá que tudo isto que vc está passando é tudo psicossomática que deixa todos nós maluco no inicio do diagnóstico. Qto aos espasmos isto é em razão do stress que vc está passando atualmente, não tem nada a ver com o HIV. Mantenha a calma e quando estiver angustiado ore, é a melhor solução para resolver os problemas, Deus tudo sabe, tudo ouve, tudo vê (assim eu creio!). Tente tomar algum ansiolítico ou alguma coisa para amenizar sua ansiedade. Fique bem que tudo ficará bem. Forte abraço.

    • Herico diz

      Oi meu caro sei bem como é esse turbilhão de sensações q vc estar sentido. Qualquer coisa chama no kik que a gente troca umas idéias
      Nick: Herico_antunes

  18. Gil diz

    Se a gente analisar pelas notícias que temos, e sendo estas notícias as opiniões de pessoas de peso na área, concluímos que, antes de 10 anos, não sai nada.
    Mas a ciência atual dá saltos evolutivos muito grandes, em pouco tempo.
    A minha torcida é que num futuro próximo, uns 5 anos, tenhamos as vacinas de 8 semanas.
    Com isso, a questão da toxidade diminuirá.
    E para 10-12-15 anos, aí teremos muitas e muitas pesquisas baseadas em terapias genéticas, em nanotecnologia, engenharia molecular e biotecnologia, que neste prazo trarão cura funcional.
    Não é legal ter esta porcaria de vírus no corpo, mas temos. A TARV nos mantém saudáveis, é um alento, melhor que virar um esqueleto morto-vivo como a pessoa fica sem tratamento, sofrendo, esperando a morte chegar.
    Não precisamos acreditar em teoria da conspiração, de que esconder a cura trará lucro para as indústrias farmacêuticas. Afinal, elas não dependem da produção hoje em dia, para terem lucratividade. O lucro é em ações, é em conceito, em preparação para o futuro.
    Ou seja: se tem potencial de crescimento e inovação, as ações sobem muito, e é isto que move a economia etérea dos dias atuais. Quem tiver a cura ficará rico sem produzir um ml de vacina ou uma pílula sequer, só no potencial de vender ideias, as ações é que enriquecem.
    Tenhamos fé e perseverança, tenhamos paciência, pensar um dia de cada vez fará toda a diferença na qualidade de vida.

  19. Gil diz

    Outra questão: muita gente dando indiretas porque o JS está trazendo notícias e comentários que não trazem a boa-nova tão esperada. Pessoal: acho que ele e cada um de nós tem ânsia pela grande notícia chegar… mas o papel dele com o magnífico espaço deste blog é nos manter informados, promover o debate, a troca de informações.
    Se as notícias não são as que esperamos, ora, ele faz mais que o papel dele.
    Às vezes, eu penso que ele tem é muita paciência, porque já faz muito em manter este espaço, ele poderia simplesmente fechar o blog.
    Faz as informações chegarem até nós e tem mané que o espinafra, ainda por cima.
    Como se ele fosse o culpado da cura não sair…
    Às vezes, penso que ansiolítico tinha de ser colocado na caixa de água de uns e outros em litros, kilos, toneladas…

    • Paulo Roberto diz

      Gil… Você, como sempre, sereno, sincero e calmo… Que bom!

      • Gil diz

        OI Paulo, querido amigo, tô com saudade de conversar com você. Embora eu esteja numa época de correria, vou tirar um tempo e te ligar, irmão! Só me manda um e-mail para psicoglmr@gmail.com com teu telefone, que não consigo achar onde está.
        Abração, amigo!

        • Paulo Roberto diz

          Gil, vou te escrever hoje mesmo!
          Também estou numa correria danada…
          Abraços!

    • Mutatis Mutandis diz

      Gil, falou bem….Também acho que esse incansável amigo é uma pessoa que muito nos dá, oferece um espaço que sabe lá Deus quanto lhe custa (de tempo, dinheiro e dedicação..)

      Parece que os usuários do blog ficam exigindo que ele poste notícias boas…é o que tem pra hoje e pronto, caros colegas!

      JS, não se canse, garoto!

  20. Ricardo Costa diz

    São 35 anos desse vírus que so tem cérebro. Ja sabemos que jamais haverá cura para esse vírus camaleão. Isso é fato. Que os cientistas parem de gastar milhões se não bi. Que esses cientistas criem algo como cura funcional de uma vacina uma vez por ano….. no caso a Espanha tem estudos e testes sobre essa vacina. Esse hiv fdp crava as unhas em nosso DNA e so sai morto com as células… então que gastem essa grana em algo de remissão por um tempo ou uma vacina a cada 4 meses para nos livrarmos do cocktail hiv de todos os dias. Ja sabemos que jamais haverá cura para esse vírus. Queremos estudos em cura funcional pois a mesma é com certeza mais plausível e certeira.

      • Ricardo Costa diz

        Não é pessimismo não caro amigo. É realidade. nem a técnica mais avançada CRISPR Cass9 vai tirar 100% desse vírus maldito do corpo, tecidos e órgãos. Pois, no cérebro há reservatórios desse vírus e no cérebro não se mexe e drogas para alcançar ali vai deixar um estrago monstruoso no cidadão senão a morte. Um so vírus deixado para trás começará o processo de reinfecção do corpo todo. São 35 anos desse vírus inteligente que so tem cérebro. Acordem e saem desse mundinho de ilusão e fantasia de que a cura está próxima. As propagandas de cientistas dizendo que em 2 anos teremos cura ja é escutada desde 1985. De la pra ca continuam com essa mesma jogada de marketing para arrecadarem milhões de dólares para encherem os bolsos deles. Agora uma cura funcional ou medicações espaçadas … com certeza é mais provável e viável de acontecer. Se vc me acha pessimista eu te acho burrinho demais e suas ilusões tbm não deveriam estar aqui.

  21. Juka diz

    Enquanto a cura não chega eu vou vivendo, livre, leve, solto, bonito e feliz……a vida é o agora.

  22. Maycon diz

    Infelizmente, as pessoas não possuem a noção do que seja um vírus com a capacidade de se esconder dentro de uma molécula inserida no núcleo celular. Como tirar todas? Não temos nem métodos de saber quantas células reservatório o corpo possui. Com apenas um vírus, todo o processo volta a acontecer.
    Pensem, como eliminar se nosso corpo não consegue lutar contra o vírus? Os métodos não permitem tirá – lo dos reservatórios. Nem mesmo saber quantos reservatórios o corpo possui. Repito, eles ficam nessa de “ah é aspiracional”, “ah vai ser muito difícil” e talz. Porque a sociedade pede as pesquisas e tem muita gente vivendo da grana das bolsas e salários.

    • Henrique diz

      Maycon, pegue sua negativadade e pessimismo e guarde para você, até porque se todos pensassem como vc, nem a Tarv existiria. Se nao quer acrescentar nao tente atrapalhar.

    • GF-SP diz

      Já tem estudos e testes para que o pet scan consiga visualizar os reservatórios. Então assim que conseguirem contar o virus as estratégias deverão ser aperfeiçoadas.

  23. serfeliz diz

    Em relacao a pesquisa da USP , pode se tomar qualquer microbiotico ou so serve o yakult?Nao acho de forma alguma.

  24. Lucas diz

    Ola caros amigos, alguém poderia indicar algum grupo no kik, é sempre bom poder trocar experiência com pessoas que passam pela mesma situação que eu.

  25. Lucas diz

    Ola gente estava lendo os comentários mas, e quanto o crisper kas09 acho q isso pois tem matérias de que os cientistas ja conseguiram remover das células e tecidos vivos o hiv alguém sabe em q pé esta isso

  26. Ricardo Costa diz

    ACORDEM POPULAÇÃO!. Esses 35 anos de hiv ja provou que jamais haverá uma cura para tal e sim algo na toma de remédios mais espaçados ou algo a cada 4 meses ou 6 ou ate mesmo uma vez por ano. Nem a técnica CRISPR Cass9 de ultima geraçao vai tirar esse vírus totalmente. E um so virus deixado para trás começará o processo de reinfecção total. Vcs ja pararam para pensar que no cérebro se tem hiv? Pois é, no cérebro não se mexe e com isso ali vai ser um reservatório eterno desse vírus fdp.

  27. Francisco diz

    O mais concreto e em vias de chegar é a medicação via injetável em doses espaçadas, isso que meu infecto me informou… Já está de bom tamanho… é bem menos atóxico e só necessário se preocupar em lembrar a injeção… Que venha!

  28. Rafa-PE diz

    Oi, Gente!
    Sou novato, meu primeiro post. Esse blog é ótimo e todos que comentam aqui tb, tem me ajudado bastante para assimilar as informações e com depoimentos de conforto!

  29. RafaPE diz

    Alguém poderia também me adicionar no kik? Seja num grupo ou individualmente, preciso conversar e me acalmar!
    RafaCasa27

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s