Notícias
Comentários 85

OMS confirma benefícios da terapia antirretroviral


WHO

Adultos e crianças com HIV que iniciam a terapia antirretroviral o mais cedo possível reduzem o risco de desenvolver infecções graves relacionadas ao HIV, de acordo com a nova descoberta, publicada na revista Clinical Infectious Diseases, em 15 de Junho de 2016.

Duas análises, apoiados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), conduzidos em adultos e crianças, em colaboração com a Universidade de Columbia, a London School of Hygiene & Tropical Medicine e a Universidade McGill são as primeiras análises sistemáticas e abrangentes globais de dados sobre relacionados às infecções oportunistas decorrentes do HIV ao longo de um período de 20 anos, em 3 regiões do mundo: África, Ásia e América Latina. As duas análises compararam o risco de infecções graves relacionadas ao HIV antes e após o início do tratamento antirretroviral, estimado, assim, o número global de casos de infecção que teriam sido impedidos (usando dados de 2013) e os custos evitados, se a o tratamento tivesse sido iniciado mais cedo.

“Infecções oportunistas e outras infecções são a principal causa de morte em adultos e crianças com HIV.”

“Infecções oportunistas e outras infecções são a principal causa de morte em adultos e crianças com HIV”, disse Philippa Easterbrook do Departamento de HIV da OMS. “Houve estimativas anteriores sobre o impacto do tratamento na redução de mortes e de novas infecções pelo HIV, mas não sobre o seu impacto em cada uma das infecções graves a que as pessoas com HIV são vulneráveis, especialmente em ambientes de baixa renda. Saber o quão comum essas infecções são é importante para o planejamento de serviços de saúde ao HIV nesses países, incluindo aquisição de medicamentos e testes de diagnóstico.”

Em 126 estudos diferentes com base em quase meio milhão de pacientes adultos com HIV, as infecções mais comuns foram candidíase oral, tuberculose, herpes e pneumonia bacteriana — cada uma das quais ocorreram em aproximadamente 5% dos adultos antes do início do tratamento. Houve uma redução significativa no risco de desenvolvimento de todas as infecções para aqueles em tratamento antirretroviral, de 57% para 91%, e esta margem foi maior no primeiro ano de tratamento. Estima-se que o tratamento antirretroviral iniciado cedo teria impedido pelo menos 900.000 casos de infecções com risco de vida e salvo cerca de US$ 50 milhões em 2013.

Na segunda análise — 88 estudos com base em 55.679 crianças infectadas pelo HIV –, pneumonia bacteriana e tuberculose foram as infecções mais comuns, cada uma delas ocorrendo em cerca de 25% das crianças antes do tratamento antirretroviral. Tal como aconteceu nos estudos com adultos, houve uma redução no risco de todas as infecções para aqueles em tratamento, mas esta redução foi a maior (mais de 80%) para a diarreia relacionada com o HIV, toxoplasmose cerebral e tuberculose, com um menor impacto sobre septicemia bacteriana e pneumonia. Estima-se que mais acesso mais cedo ao tratamento poderia ter evitado, pelo menos, 161.000 casos de infecções graves em crianças, permitindo poupar cerca de US$ 17 milhões em 2013.

“Nosso estudo mostra que o efeito do tratamento antirretroviral na redução das infecções relacionadas com o HIV em crianças é tão dramático como o observado em adultos.”

“Em comparação com os adultos, há sempre uma relativa falta de dados sobre crianças infectadas pelo HIV para informar as diretrizes e, por isso, as práticas de tratamento antirretroviral em crianças têm sido muito menos bem-sucedidas”, disse a coautora Dra. Marie-Renée B-Lajoie, de Universidade McGill. “Mas nosso estudo mostra que o efeito do tratamento antirretroviral na redução das infecções relacionadas com o HIV em crianças é tão dramático como o observado em adultos.”

“O efeito da terapia antirretroviral sobre infecções graves em adultos nessas configurações de baixa renda foi ainda mais impressionante do que a observada em países de alta renda.”

A coautora Dra. Andrea Low, da Universidade de Columbia, comentou que “o nível de efeito da terapia antirretroviral sobre infecções graves em adultos nessas configurações de baixa renda foi ainda mais impressionante do que a observada em países de alta renda”. No entanto, ela também observou que a interpretação da variação regional na incidência e no efeito da terapia antirretroviral é limitado, uma vez que havia lacunas significativas nos dados de algumas regiões, como na América Latina.

“A terapia antirretroviral tem um efeito dramático na redução das taxas de mortalidade, bem como nas novas infecções pelo HIV.”

Dr. Gottfried Hirnschall, diretor do departamento de HIV da OMS, concluiu: “Sabemos que a terapia antirretroviral tem um efeito dramático na redução das taxas de mortalidade, bem como nas novas infecções pelo HIV. Estes resultados demonstram que o tratamento tem o mesmo efeito na redução do risco de infecções graves relacionadas ao HIV em adultos e crianças, explicando, portanto, a redução nas taxas de mortalidade. Isso reforça a necessidade de priorizar continuamente a expansão do acesso ao tratamento. As novas orientações da OMS recomendam começar o tratamento antirretroviral em todas as pessoas infectadas pelo HIV o mais breve possível, independentemente do estágio da infecção.”

Em 20 de junho de 2016 pela OMS

Anúncios

85 comentários

  1. Henrique diz

    E o impacto do antiretroviral na saúde da pessoa? Seria vantajoso iniciar o tratamento bem cedo ou isso só é vantajoso para o “governo” economizar para que não aconteça outras infecções através desse indivíduo soropositivo? Descobri ser soropositivo praticamente na infeccao aguda e me arrependo de ter iniciado a Tarv de imediato, visto que meu cd4 estava em 720. Iniciei a tarv devido a longa palestra que minha medica deu e expos sobre a importância. Hj com 3 meses de tratamento, vejo q eu poderia esperar mais e só iniciar o tratamento quando meu cd4 estivesse abaixo de 300. Mas enfim, existem estudos que dizem que é importante iniciar o tratamento o mais rápido possível, mas, e o nosso organismo? Ele nao sofre com o remedio diário? Fica aqui a minha dúvida e meu medo.

      • Fabio diz

        Acho meio exagerado dizer que os efeitos colaterais são quase inexistentes. Principalmente quando pensamos nos efeitos sobre rins e fígado a médio e longo prazo.

        • Luquinha diz

          Fabio comparado a antes não e não , antigamente usava a palma da mão para tomar as medicações , tinha que cercar o vírus de todas as formas , por causa disso o nome coquetel hoje antirretroviral ,você só usa dois dedinhos para tomar .

      • lucas durante diz

        boa tarde, por favor eu gostaria de falar por e-mail com o senhor a respeito do virus hiv. peço por favor se poderia me mandar um e-mail para conversarmos
        meu e-mail é lcsdurante@gmail.com

    • Maia diz

      É verdade Henrique infelizmente os governos estão mais preocupados em resolver os problemas deles e acima de tudo economizar nisso, e nós é que acabamos prejudicados.
      E ninguém aqui fala das implicações negativas que a longo prazo a medicação traz para o indivíduo sero positivo.
      Eu felizmente fui aconselhada por uma médica de família a não iniciar o tratamento e estou desde 2011 sem eles, saudável e sem nenhuma complicação. E pretendo ficar sem eles por muito tempo.

      • Zen diz

        Olá Maia. Minha médica disse para eu iniciar a medicação seguindo o protocolo hoje estabelecido. Eu optei por não tomar. Ela disse que em outros casos iria insistir, mas como sou da área da saúde e me cuido muito bem ela disse que podemos ir monitorando. Gostaria de saber da sua evolução quanto a cd4 e cv, bem como outras coisas. Poderia me enviar seu email?

    • Goiano + diz

      HENRIQUE preciso concordar com tudo que vc disse !! Esse eh o meu medo tbm !! Efatizam muito nao transmissao e tudo mais, mas nunca escuto algo sobre o impacto que todo esse remedio um dia possa provocar !! POR isso, eu juntamente com minha medica, decidimos esperar, descobri ser positivo em outubro de 2015, tenho uma carga viral baixa de 1720 e cd4 650 … Tomo todos os cuidados necessario e sou observado pela medica, tenho minha saude plena, sou feliz , e nao tenho medo do remedio. Entendo todos os estudos que falam a respeito das TARVS e tudo mais, mais nunca leio seu impacto no futuro !! Escolhi esperar !!!

    • Rick Santos diz

      Eu acho que não podemos culpar apenas o governo. Hoje temos um dos melhores Programas de combate ao HIV/Aids do mundo. Se estamos infectados é por descuido nosso, erros que cometemos por não termos tido os cuidados necessários, por confiarmos muito na sorte ou em nossos parceiros ou parceiras sexuais. Enfim, ao invés de criticarmos os medicamentos que temos hoje, que são infinitamente melhores dos que haviam há 10 anos atrás, deviamos agradecer por estarmos vivos e vivendo com a qualidade de vida que estes medicamentos podem oferecer, porque sem eles talvez muitos de nós não estariam aqui para contar a história, como muitos infectados da década de 80 e inicio dos anos 90, que mesmo lutando não conseguiram vencer o vírus HIV. Eu me sinto sortudo de ter contraído esse negócio num período em que a medicina evoluiu e chegamos a uma situação de vivermos sem desenvolver nenhuma doença oportunista ao longo de anos, seguindo o tratamento e uma vida mais saudável com atividades físicas e alimentação saudável. Saúde e paz para todos.

      • Revoltado diz

        Volta pra escola Rick Santos, tomamos medicação do fim da década de 90.

  2. Luquinha diz

    Se eu tivesse conhecido beste blog antes , nao teria comesado tardiamente.O vida o ceus!

  3. AmigoSP diz

    Quando tempo vc demorou para iniciar seu tratamento após descobrir sua Sorologia, Luquinha?

    • Luquinha diz

      Amigo sp , o meu caso foi muito triste , eu cheguei na fase aguda , eu nunca imaginei que aquilo pudesse estar acontecendo ( ou não queria imaginar ) em março do ano corrente completou 3 anos , como eu fumava uma media de 120 cigarros por dia e trabalhava muito , achei que pudesse ser isso , mais as coisas foram piorando , fiz uma ultrassonografia e meu baço estava crescendo , foi ai que este medico me disse , que a baixa imunidade leva a isso , ou seja estava investigando um câncer rssr pois cada vez mais eu perdia mais peso , foram vários exames ate mesmo hiv e minha surpresa deu não reagente , exames daqui exames dali , muito apreensivo , eu sabia que não estava bem , devido ter erro no meu exame de hiv , os médicos achavam que estava com algum linfoma . Devido ao preconceito eu preferia estar , olha só que burrice a minha , ate que veio a triste confirmação , é uma longa historia quem sabe um dia vamos sentar e conversar .
      Hoje vivo bem , voltei a ser bonito , graças a Deus não sinto nada , estou na corrida contra o tempo , devido aos efeitos de longa duração ? Sim , uma corrida que vou chegar na frente , já vou pra Quase 4 anos de vida , quantas pessoas queriam ter a mesma sorte que eu , e não teve .
      Mais respondendo a sua pergunta logo assim que ouve a confirmação , foi inserido a medicação , a quantidade de vírus era tão grande que foi inserido o lamivudina .

                        Abraços
      
      • Gustavo diz

        Lucas depois de quanto tempo da relação de risco seu exame deu positivo?

        • Luquinha diz

          Gustavo vou tentar te responder , desculpa se não há nas minhas escritas concordâncias verbais ou nominais pois depois que eu posto eu vejo o quanto eu erro , mais a minha vida e muito corrida , mais deixa assim pois se não for assim não vai ser eu entende , mais deixa para os gênios que eu admiro aqui , tipo tem uns caras que sabe muito , mb+ , Jovem positivo ,Alexandre, D-pr,carioca rj , barasa , egc , Paulo Roberto,agora Ricardo gru e tantos outros e isso e muito bom , sabe porque ? Tipo assim se você quiser falar comigo de exame de primeira geração segunda geração eu vou viver aqui nessa terra 10 geração e não vou entender , mais esse blog me da o conhecimento para conversar com quaisquer imunologista ou infecto no Brasil ou fora dele entende , e o que eu faço , daqui a 1 mês terei consulta , acredito que vou ter alguma novidade .
          Mais te respondendo , isso não foi coisa de agora não foi algo de 11 há 15 anos atrás isso em 2013 , pois nessa época eu viajava muito pra Trindade Pernambuco ,pois eu ia comprar ouro branco pois a carreta saia por um preço bom ,nessa época eu tinha de 21 há 25 anos nessa época eu morava em Rio ,São Paulo e Pernambuco ,e pecava muito eu bebia muito , provavelmente foi uma Pernambucana que me passou , nunca mais a vi só sei que era linda por dentro e por fora , só sei que mora na Inglaterra , falo para muito rs

  4. AmigoSP diz

    Boa Tarde Amigos,
    Descobri minha sorologia no dia 5/2, então marquei uma consulta com o Dr. Esper Kallas já com o resultado da primeira carga viral em mãos (CV = 2.000 cópias/ml), o Esper me disse que minha CV estava baixa, então pediu para que eu repetisse os exames. 20 dias depois dessa primeira coleta de CV, obtive o novo valor de CV = 800 cópias, o Esper me disse que eu poderia ser o tal “controlador de elite”, então pediu para eu fazer uma nova coleta, onde obtive valor de 163 cópias/ml (sem medicamento nenhum).
    Ele me explicou que me enquadro como “controlador virológico” (quase um controlador de elite), disse que eu poderia escolher entre tomar a medicação agora (inicio imediato) ou esperar até o ano que vem, já que à partir de 2017 teremos os medicamentos “novos” oferecidos pelo SUS no Brasil.

    Semana passada fiz um novo exame de carga viral e obtive valor de 300 cópias/ml, segundo o Esper essa variação é “normal”. Queria saber qual é a opinião de vocês sobre o meu caso?
    Na minha pele vocês iniciariam o ARV?
    Estou num relacionamento sorodiscordante e penso em tomar o ARV para “encerrar” esse assunto e ficar zerado logo, visto que me preocupo muito com a sorologia do meu parceiro, usamos sempre preservativo, até mesmo para masturbação.

    Ah, acabei não comentando, meus exames de cd4/cd8 sempre se mantém estaveis (cd4/cd8 = de 1,0 em média). Meus ecames de Proteína C relativa (inflamação sem mantém zerados também)

    O Esper me ofereceu a combinação:

    ATAZANAVIR + 2.TENOFOVIR E LAMIVUDINA + 3. RITONAVIR (Um comprimido de cada ao acordar), disse que o ef colateral mais provável é a ictericia.

    Gostaria de opiniões.

    Obrigado pela atenção e parabéns pelas informações do Blog, Jovem.

    • FG-PR diz

      Não posso opinar sobre se é ideal começar ou não a TARV, pois acho que essa é uma decisão sua.
      Quanto a combinação que o Ésper te ofereceu é a mesma que uso a 2 anos, o único efeito que tive foi a ectiricia, mas passa se beber ao menos 2 litros de água diário, e hoje minha bilirrubina que é responsável pela ectiricia está normalizada, do mais não sinto absolutamente nada e meus exames periódicos estão todos normais.
      Tomo meus comprimidos na hora do almoço, mas já tomei pela manhã antes, o único inconveniente de tomar pela manhã é no final de semana ter que acordar cedo, tomar café da amanhã pra tomar o medicamento, pois essa combinação tem que ser ingerida com alimentos.

    • Positivo diz

      Se eu fosse um controlador de elite e conseguisse manter a cv baixa, iria atrasar o máximo o início da medicação. Independente da sua decisão, você está em ótimas mãos com o dr. Esper. Simplesmente um dos melhores infectologistas especialista em hiv do mundo.

    • Gil diz

      A medicação é a mesma que uso, em mim e em 3 amigos que conheci e tomam, não deu icterícia. Para mim, deu enjoo leve quando comi comida mais gordurosa. Passei a tomar à noite e pronto. Na verdade, nos primeiros 15 dias achei o “branco dos olhos” levemente amarelados, mas minha esposa e amigos do trabalho disseram que não. E olhe, que eu tratava ainda a hepatite B.
      Pode ir tranquilo, se quiseres, para a medicação, parando com a preocupação.
      Mas com controle do organismo sendo tão eficaz, será que uma boa conversa com o parceiro não seria tão eficaz quanto à medicacao, sobre os riscos de contágio? Ao menos a masturbação seria mais tranqüila, sem camisinha, já que o vírus morre no contato com ar e com luz…

    • Luquinha diz

      Amigo sp eu no seu lugar tomaria e acabava logo com essa porra ,(ficaria indetectável ) eu não sei como funciona em São Paulo , mais no Rio a Fio Cruz oferece o truvada , seu parceiro pode tomar .Pelo que percebo estão meio assustado , masturbar de camisinha , não tá tudo acabado ? não ! Garanto que ainda vão brincar muito de tiro ao alvo , seja feliz , beijo no coração

    • Fabio diz

      Alguém sabe me dizer como é esta questão de protocolo na escolha do medicamento? O protocolo não é iniciar com o 3 em 1? Porque alguns iniciam com outros medicamentos? E se o vírus for resistente ao 3 em 1 os outros medicamentos tem colaterais muito fortes? São muito tóxicos?

      • Ser+H diz

        3 x 1 é o mais barato e de mais fácil adesão por ser só um comprimido.

        • Fabio diz

          A vantagem do 3 em 1 é somente a facilidade de adesão ou é também o menos tóxico?

          • Ser+H diz

            Fabio esse 3×1 não é dos menos tóxicos, mas é eficiente no controle do HIV. Há outras combinações de drogas menos nocivas. Mas por ora, para nós brasileiros, é o que há.

          • Ricardo - Guarulhos diz

            Fabio, de acordo com a minha infecto, o 3×1 é melhor para adesão e tbm menos tóxico (pelo menos aqui no Brasil). E sua eficácia em manter indetectável pode durar décadas ou até mesmo nem ter necessidade de trocar a medicação.

      • FG-PR diz

        Fábio existe sim o protocolo que indica o 3X1 com tratamento de primeira linha, porém você pode sim solicitar a combinação de segunda linha (Atazanavir+Ritonavir+Tenofivir/Laminudina), essa combinação tende a ser menos tóxica que a 3X1 é geralmente não causa efeitos colaterais a não ser ectiricia que pode ser controlado tomando ao menos 2 litros de água por dia, além de que após um ano tende a desaparecer.
        Muito se fala de o 3X1 ser de mais fácil adesão, mas sinceramente não vejo nenhuma diferença entre tomar um comprimido enorme e tomar três comprimidos de tamanho normal, além que pra mim vantagem seria se esse comprimido fosse menos tóxico.
        Eu escolhi junto com meu infecto tomar a combinação de 2 segunda linha e agradeço a ele por me indicar essa combinação.

    • Goiano + diz

      eu nao tomaria !!! Espere pro ano que vem !! Voce esta bem e sua saude otima !! alem do mais tem um medico que te da a seguranca em poder iniciar ano que vem !

    • Olá AmigoSP, também me trato com o Ésper, Dra. Vivian, Jessica… Então, no seu caso eu iniciaria sim! A medicação que ele te recomendou é idêntica a que uso, a qual é muito boa por sinal, não sofro nenhum efeito! E tendo em vista essa sua relação discordante e tamanha preocupação nas melhores horas com o seu parceiro, compensa e muito zerar essa carga e reduzir à zero o risco de transmissão, inclusive até optando por transar sem camisinha, caso tenham em dia exames das demais DSTs e de fato sejam monogâmicos. Falo por experiência própria! Espero ter ajudado, abraços!

  5. Ricardo - Gru diz

    Graças a Deus eu comecei meu tratamento 01 (um) mês após a confirmação do diagnóstico! Algumas pessoas ficam protelando o inicio, é bobeira, o negocio é iniciar o mais rápido possível para evitar a replicação do vírus evitando danos ao sistema imunológico. Faço 02(dois) anos de tratamento mês que vem e logo no primeiro exame (pós TARV) estava indetectável, isto pq a quantidade de vírus no exame inicial passava de 1milhão ml3, até a minha infecto ficou impressionada com a quantidade de vírus inicial e a baixa tão rápido. Hj vivo super bem, nem lembro deste “carinha” chato que está bem trancado em algum lugar do meu corpo. Abração para todos.

  6. Serginho.. diz

    Descobri a sorologia em 28/01/2016..mas desconfiava desde que o fim de 2012 q poderia estar infectado …pois tive todos os sintomas da fase aguda mas foi feito um teste rápido e deu negativo. .sendo q a médica pedeiu pra repetir o exame em 3 meses mas optei por ligar o foda- se e não fazer…. qd a menina q eu me relacionava q eu desconfiava ter me infectado morreu. .eu decidi então fazer e bingo..foi até mais tranquilo pra mim porque só tive certeza de algo q eu ja desconfiava….eu era viciado em gatotas de programas e essa em especial me relacionei varia vezes sem camisinha. .inclusive fazendo anal….meu primeiro exame deu 113 cópias de carga viral e 1,300 de linfócitos ja inicei os exames desde janeiro mas até agora não me chamaram pro infecto..queria saber dos senhores q tem mais experiência. .se com essa carga viral e com essa quantidade de cd4 posso ter infecções oportunistas?? Obg a todos!

    • Paulo diz

      Serginho, vc fez dois exames rápidos e deram negativos? Eles foram feitos respeitando a janela?

      • Serginho.. diz

        Paulo qd fiz meu primeiro teste eu estava na fase aguda…deu negativo mas a medica mandou eu repetir rm 3 neses e eu não fiz..isso foi no fim de 2012..no fim de 2015 a menina q eu desconfiava ter me infectado morreu..pois ela não se tratava..então resolvir fazer em janeiro deste ano e não deu outra..os dois testes rapidos deram positivos..pra mim foi até um pouco mais tranquilo saber pois eu ja desconfiava..mas até hoje graças a deus nunca tive sintomas nenhum e minha saude esta ótima sem tomar o taarv..mas quero começar logo pra matar o mal pela raiz..abraços. .

  7. Serginho.. diz

    Foi 1.300 só de cd4…o cd8 e os outros linfócitos tb estava excelente. .

  8. Marcelo+ diz

    Boa noite…
    E complicado opinar sobre o momento adequado para começar com medicação.
    No meu caso comecei usar a medição um mês depois da confirmação.
    Fiquei preocupado com o risco que corria…trabalho na área da saúde e estou constantemente exposto a vírus e bactérias uso máscara nas minhas 12 horas quando estou de plantão na área vermelha do pam.
    Meus amigos de trabalho até questiona meu excesso de zelo…pedi para mudar de setor e para constar só com laudo médico e com cid da doença não estou preparado para expor minha condição.
    A hora certa de começar a tomar a medicação vai depender da exposição de cada indivíduo e os fatores de risco…

  9. anjo (terapeuta) diz

    Qual a medicaçao para quem esta com hiv tipo II. Um amigo deu reagente para hiv I E II ele afirma q se contaminou de alguem q era reagente para hiv I. E que esta indetectavel sera possivel isso ou ele deve esta enganado.

  10. Tom diz

    Eu não comecei a terapia ainda, embora esteja há 3 anos positivo. Descobri logo no início e meu infecto, por enquanto, deixou a decisão comigo….

  11. Fabio diz

    Descobri há dois meses que estou contaminado. Que coisa terrível. No final do ano passado fiz dois exames com intervalo de um mês entre um e outro, sendo que ambos deram negativo. Só de pensar que há cerca de seis meses atrás estava limpo e agora estou com essa parada me dá uma angústia tremenda. Eu ainda havia dito na época pra mim mesmo que iria passar a me cuidar e voltei a vacilar, que burrada. Daqui a duas semanas quero começar o tratamento. E o pior é que eu olho pra trás e percebo que tinha tudo, uma saúde de ferro, boa condição financeira e não era feliz; tento penetrar no significado do meu comportamento irresponsável e autodestrutivo, se teria havido alguma razão psicológica oculta pra ter sido tão leviano com minha própria vida, tendo relações sexuais sem preservativo, mas não encontro nada. A única coisa que percebo com clareza é que quero viver, que não queria ter feito isso comigo, que estou arrependido, que queria viver com saúde, queria ter minha saúde de volta… espero que o tratamento me dê uma boa qualidade de vida. Fico pensando, tentando resgatar na memória qual foi a última época em que eu era feliz e quando me lembro… espero conseguir resgatar aquele sentimento e esquecer essa condição.

    • Leonardo diz

      Quem fica contaminado são alimentos, rios, mares, etc. Nós estamos infectados pelo vírus hiv.

      • Gil diz

        Desculpe discordar, Antônio… mas compreender a dinâmica do passado, com a devida ajuda profissional, é prevenir a repetição de erros daquelas épocas e melhorar o presente.
        Se entendêssemos melhor as dicas da História, no sentido coletivo, o Brasil seria um país decente. Mas as aulas de História sempre erraram a abordagem e foram mal vistas e mal dadas. No plano individual, o Brasil despreza a psicoterapia, que em geral é cara e com problema de formação de profissionais de alta qualidade.
        Mas ao encontrares um bom profissional, que te atenda com técnica adequada e isenção, você verá a diferença na qualidade de vida e na resolução de conflitos que podem afetar nossa vida, mesmo sem sabermos da existência.
        Abraço, amigo! Sucesso.

        • Antonio diz

          O que eu quis dizer gil, que não adianta perguntar por que aconteceu? por que comigo. Mas sim o que posso fazer hoje para o amanha ser melhor. claro que sei e concordo com o aspecto mais amplo do pensar no passado que vc escreveu.

    • Gil diz

      Procure por psicoterapia. Não é porque está com HIV que sua conduta de autosabotagem vai parar. Na verdade, a terapia vai prevenir e te fazer viver com mais tranquilidade e menor angústia. Fica a dixa, sucesso,amigo!

    • Paulo diz

      Fabio, como assim seus exames, mesmo respeitando a janela, deram negativo? Ou vc se contaminou após os exames?

      • Fabio diz

        Sim, os exames do final do ano passado respeitaram a janela. Fiz um exame Elisa, quarta geração e um Pcr qualitativo, isso com 3 meses de janela. Ou seja certeza que estava limpo até final do ano passado. Contraí o vírus de seis meses pra cá.

    • Lia diz

      Fique tranquilo a 8 anos sou soro positiva a 3 anos tomo as medicações…Diferente dos q algumas pessoas diziam não tive nenhum efeito colateral com as medicações…Sempre tive uma ótima saúde, ao descobrir a doença minha saúde melhorou ainda mais…Acho q todo mundo passa pelo q vc está passando…Pare de se culpar…Vc não foi o único q vacilou…Vc terá forças para superar essa crise…O tempo te mostrará q vc não terá uma vida vida tão diferente das pessoas soronegativas…Hoje eu só lembro q sou soro positivo quando faço os exames a cada 6 meses…E quando vou a infectologista, mas lá eu me sinto bem…Além de minha médica ela é a minha amiga…Q DEUS te abençoe Fábio!

      • Fabio diz

        Valeu pelas palavras, querida! Aos poucos creio que vou me adaptar a esse novo contexto sim.

  12. Maia diz

    Sou sero positiva desde 2011 e até agora ainda não iniciei o tratamento e de lá até cá nunca tive nenhuma complicação de saúde por conta disso ou outro motivo, levo a minha vida normal e procuro sempre ter uma vida saudável… na minha opinião é relativo iniciar ou não com o tratamento, principalmente se há condição para se manter saudável sem a medicação.
    Até certo ponto aumenta a minha auto estima poder ñ depender da medicação, me da mais força para cuidar de mim e estar bem… pretendo continuar por mais 10anos sem precisar da medicação rsrsrsrsrs

    • Goiano + diz

      Concordo MAIA, sempre esteja em observação para analisar suas cargas. as minhas por exemplo nunca passaram de 2.000, e meu cd4 nunca foi abaaixo de 650 .. tenho minha saude plena, todos os exames otimos e estou sempre juntamente com meu medico sob observação, caso algo mude, iremos optar pelo tratamento, mas por enquanto, não pretendo depender da medicação !!

  13. Serginho.. diz

    Fabio vc tem uma história meio parecida comigo…sempre tive uma boa condição financeira e gastei rios de dinheiro com farras e prostitutas. .eu era até meio preconceito com essa doença. .falava q isso era doença de gay..paguei pela minha própria língua. .não abaixe a cabeça não brother. .nada e mais valioso q a nossa vida..tente esquecer um pouco do passado e bola pra frente..uma diabetes ..uma cardiopatia severa ou um cancer terminal seria bem pior..já q com os modernos medicamentos de hoje todos os soropositivos podem levar uma vida normal. .abraço a todos. ..

    • Fabio diz

      Sim, esse negócio de vício em prostitutas é a minha história. Pior de tudo é que quando eu era mais novo era bem mais responsável, isso que me dá mais grilo. Eu regredi, ao invés de amadurecer, fui me tornando mais irresponsável. Saio com prostitutas desde os 18 anos e sempre utilizei preservativos, até meus 33 anos (hoje tenho 35). Dos 18 até os 28 nem sexo oral sem camisinha eu me dispunha a receber de prostitutas e jamais praticava sexo oral ativo com as mesmas, somente com namorada. Quando praticava sexo eventual com alguma menina que não fosse prostituta, da mesma maneira, sempre utilizava preservativo. Apenas com namoradas eu fazia sexo sem camisinha e ainda sim, sempre propunha que ambos fizéssemos exames antes de retirar a camisinha da relação. Lembro uma vez, quando eu tinha em torno de 23 anos, que a camisinha estourou com uma prostituta. Fiquei tão paranóico que disse pra mim mesmo que nunca mais iria sair com prostitutas na minha vida. Fui ao médico e ele me perguntou se eu havia percebido o momento em que a camisinha estourara e se havia me lavado; eu disse que sim, percebera imediatamente o momento em que havia estourado e havia retirado o pênis logo em seguida e me lavado com sabonete. Ele falou que então dificilmente eu teria contraído HIV. Comecei a pesquisar e vi que não se contraia o vírus tão facilmente. Decidi então que continuaria saindo com prostitutas, que não haveria problema algum se me cuidasse. Por volta dos 28 – 29 anos passei a praticar sexo oral receptivo com prostitutas e com meninas que eu conhecia eventualmente, sem maiores preocupações, mas em regra não praticava sexo oral ativo (só em algumas situações pontuais) e na hora da penetração sempre colocava a camisinha, sem exceções. Com namoradas a mesma política de sempre, praticava sexo sem camisinha tranquilamente, mas com exames prévios de ambas as partes, deixando claro que falo em namoradas considerando o lapso temporal, sempre tive apenas uma namorada por vez. Também fazia exames com frequência, de seis em seis meses. A partir dos 33 – 34 anos é que fui me tornando mais irresponsável, em regra utilizando preservativos, mas em determinadas situações abolindo o uso dos mesmos em sexo eventual, inclusive, em algumas situações, até mesmo com prostitutas. Foi loucura demais, insanidade mesmo. O alcool entrou forte na jogada e eu nem pensava em nada. Só depois, no dia seguinte, aquela ressaca de alcool e culpa me matando. Continuava com a mesma política de exames de seis em seis meses e digo que tive a minha chance. Mas nem assim. Eu tive tempo de consertar, mas acabei entrando numas de comportamento compulsivo, foda… Agora vou ter que ir me acostumando com a ideia. Pretendo procurar um psicólogo ou psicanalista, conforme sugestão de outro usuário, pra ver se assimilo melhor isso aí. Meu maior medo é ter um vírus resistente ao tratamento. Se eu viver mais uns 20 anos com qualidade, pra mim, sinceramente, já tá valendo demais. O que não quero é ir ficando velho, sozinho e cheio de problemas de saúde decorrentes desses remédios, tendo que lidar com tudo sem qualquer apoio, é complicado. Não pretendo contar pra ninguém da família; minha mãe eu não quero nem que sonhe com isso.

      • Letícia diz

        Minha história é um pouco parecida Fábio se quiser conversar me manda Msg que passarei meu whts !! Vou colocar um nome fantasia aqui Letícia! tenho 30 anos 41 92257206

      • Luciana diz

        Minha história é um pouco parecida Fábio se quiser conversar me manda Msg que passarei meu whts Lhu tenho 30 anos 41 92257206

  14. m. diz

    Comei meu tarv recentimente, 2 meses, e estou notando bastante icterícia, li que e apenas estético e normal, mas o que pode ser feito para melhorar o quadro?

    • HeldeR diz

      M. Beba muita agua, mais que 2L diarios e em 1 semana isso deve passar. É a mesma orientaçao pra quem toma PEP.

    • Oi m.

      Beba bastante água, isso ajuda a amenizar esse efeito colateral medicação. Fiz uso de PEP e o atazanavir me causava isso

  15. Serginho.. diz

    Gil..vc q parece ser o mais experientes no assunto ..estou desde janeiro fazendo toda a rotina dos exames. …carga viral…cd4 e 8.. raio x do torax. .eletro…tomei as vacinas da hepatite e da h1n1.. mas até agora não me chamaram pro infecto..pois estou fazendo tudo pelo sus.. ..eu com 113 copias de carga viral e 1,300 de cd4 corro algum risco de infecção oportunista? Abraço brother. .

  16. Vivo diz

    oi, povo! pra quem quiser trocar experiências e informações, aí vai meu kik: my_meta

  17. Corujinho diz

    Oi gente. Fiquei super motivado com o relacionamento entre vocês e decidi comentar um pouco e tirar uma dúvida. Descobri que sou soro em agosto/2015, contudo comecei o tratamento em outubro.Esse fim de semana, ontem pra ser mais preciso, acordei com a garganta um pouco irritada, amidalas inchadas, e febre. Tô com muito medo e angustiado de uma possível falha terapêutica. Vocês podem me ajudar nisso?

      • Corujinho diz

        O último foi em março e já estava indetectável.Com um pouco menos de 6 meses de 3×1.

    • Pequena + diz

      Corujinho boa noite 😉

      Querido se acalme, vamos gripar, ter dores de garganta, viroses, vamos ter dores nas costas, dores de estômago, alergias, diarreias, furúnculos como qualquer pessoa, independente de termos HIV ou não…rs…
      Eu passei por isso logo depois que me descobri soropositiva, fiquei morrendo de medo, fui ao CTA, a enfermeira sorriu e me disse essas coisas que acabei de te dizer.
      Já que vc está muito angustiado procure o CTA que vc se trata e tire suas dúvidas com seu infecto ou com as enfermeiras, eles são os únicos que podem dizer o que vc pode ou não tomar, leve a listinha de medicamentos que vc costumava tomar para esses tipos de probleminhas corriqueiros.
      Eu tenho cólicas menstruais terríveis e estava morrendo de medo de tomar meu remédio de costume, levei o nome e meu infecto disse que posso tomar sem medo.
      Se acalme, mantenha o foco, tenha fé e força 🙂
      Viver com HIV não é um bicho de sete cabeças, hoje em dia me cuido muita mais que antes, e te garanto, tenho melhor qualidade de vida agora.
      Um forte abraço Pequena + ❤

      • Corujinho diz

        Eu sei, mas o primeiro dia de febre foi muito preocupante, pq eu fiquei com o corpo bem cansado, e com febre de quase 39 graus.Tentei marcar com minha médica no CTA hoje, mas ela só atende quarta-feira. Tô tomando Nimesulida por conta própria e já ajudou bastante.As amídalas estavam mais inchadas que o normal e bastante doloridas(depois me dei conta que elas não ficavam doloridas, mesmo antes do diagnóstico), e já não estão mais,também não sinto mais febre. Acho que foi por conta de muita fumaça na rua(sou do NE, aí as pessoas aqui fazem fogueira na rua), e isso deve ter inflamado. De qualquer forma, agradeço o apoio e a compreensão de vocês, e me desculpem por parecer tão desesperado.Um beijo no coração de vocês. Obrigado.

  18. Paulista+ diz

    Alguém aqui ja conseguiu tirar o bilhete especial em SP por ser portador de HIV nos ultimos meses? Já estão aceitando ou ainda não está valendo? Obrigado!!

  19. Luna + diz

    Boa noite! A bastante tempo que acompanho este blog e sempre leio os comentários, as vezes sinto que conheço muitos de vcs pessoalmente! Eu fui diagnosticada em outubro de 2015 e iniciei a tarv um mes depois! Pra falar a verdade dentro do possível até enfrentei numa boa meu diagnóstico, mas o que tem me atormentado é o medo de ter espoxto minha filha de algum modo quando não sabia da doença! Ja pensei um milhão de vezes em contar a ela e pedir que faça o teste mas não consigo!

    • Antonio diz

      mas que idade tem sua filha? Se a exposição foi depois dela nascer não tem a menos chance dele ter HIV, se tiver não foi por vc!

      • Luna + diz

        Boa noite Antônio, minha filha tem 18 anos, mas o caso é o seguinte cerca de 1 ano antes do diagnóstico sofri um acidente de moto junto com ela, na ocasião não sei se ja estava doente ou não! E ambas ficamos feridas, e dormíamos na mesma cama inclusive! Pode ser paranóia minha mas essa dúvida me atormenta bastante. Toda vez que ela tem qualquer problema de saúde fico de coração na mão. Mas não tenho coragem de contar! Sinto como se essa responsabilidade fosse so minha pra carregar não quero ver ela passando por isso, mesmo porque acredito que ela não tem estrutura emocional pra suportar algo assim numa boa. Se não fosse essa dúvida me corroendo por dentro eu estaria numa boa!

    • Serginho.. diz

      Luna ..se não for no parto ou no amamentamento..não tem como vc ter infectado a sua filha….agora se ela nasceu a pouco tempo e vc não tem noção da data q vc contraiu o vírus. .é melhor q faça o teste nela..pois nas crianças o virus costuma a se manifestar mais cedo q em adultos. ..boa sorte e fiqur com Deus..

  20. Gil diz

    Querido Serginho,
    De longe, não tenho metade da experiência dos demais aqui, quanto os que escrevem há mais tempo, peaquisam mais, se informam mais.
    Estas dúvidas você precisa tirar com seu médico, ir ao CTA, pedir ao menos para conversar, se não obtiver a consulta.
    Mas com 113 cópias (número baixíssimo) e cd4 acima de 1000 (alto, excelente), mesmo sem TARV sua saúde tá excelente!! Infecção oportunista é em casos de cd4 muito baixo mesmo, não é teu caso…rsrs
    Mas reitero: MÉDICO PARA TIRAR DUVIDAS.

    • Serginho.. diz

      Obrigado gil…realmente sou um cara com uma saúde boa..não fumo….não uso drogas. .cervejinha só no fds….mas tinha esse probleminnha de se relacionar sem camisinha com garotas de programa. .mas enfim. .vou aguardar até o próximo exame q e em outubro. …se minha carga viral estivar baixa ainda vou aguardar mais um pouco pra tomar a medicação. …obrigado irmão abraços. .

  21. Bom dia! Assim como o AmigoSP, o JS e outros aqui frequente também faço acompanhamento com o Dr. Ésper, ou seja, já devo ter visto alguns de vocês por lá, rs! Então, uso uma medicação muito boa, em 2 meses fiquei INDETECTÁVEL, não sofro nenhum efeito colateral, nenhum mesmo! Exames tudo ok, saúde ok, sono ok, psico ok… Coração vai mais ou menos, mas tudo bem, rs! Eu nunca sou de comentar nada aqui mas sempre leio o que posso e acho uma tremenda besteira vocês se preocuparem com os efeitos a médio / longo prazo… Vamos ser sinceros e pôr na balança algumas coisas ora, é muito melhor você ter algo controlado no seu organismo, não oferecer mais risco com quem se relaciona e não adiar o inadiável (pois um dia a fase aguda vai chegar) do que ficar prolatando algo que não tem mais jeito (pelo menos por enquanto) e se sentir uma bomba relógio, pelo menos era como eu me sentia antes sabendo que a cada milésimo de segundo o vírus se replicava mais e mais… Então vamos deixar de resistência, porque de “resistente” já basta o HIV! Quero que todos vocês que ainda não começaram a TARV comece o mais breve e comece a derrotar esse vírus pelo menos de uma forma que já se sintam melhores. Só vim falar isso aqui porque pensava igualzinho a cada um de vocês que ainda não começaram, ou seja, me identifique! E é justamente por conhecimento de causa e por ter passado por esses ritos, que vai desde o diagnóstico até o início do tratamento, que peço a vocês que não posterguem, INICIEM JÁ! Vão logo conversar com o médico de vocês e pegar a receita o quanto antes! Lembrem-se que o HIV causa uma inflamação muito maior no organismo quando está se replicando em relação quando está controlado, ou seja, é bem simples, é uma relação custo / benefício que mesmo comparando com os efeitos da medicação a longo prazo ainda saímos no lucro quando estamos em TARV. No mais, espero ter ajudado vocês. 🙂

  22. Gusta diz

    Pra mim, eu achava. Começar a medicação o quanto antes era melhor…. Meu cd4 era 850 e carga viral era de 24mil quando comecei a tomar…..

  23. Leonardo diz

    Olá pessoal, bom dia!
    Iniciei o Tarv há pouco mais de 1 semana e tenho algumas duvidas qto a medicação prescrita pela minha médica, muito competente por sinal, Dra. Lia Adeler Scherman, alguém a conhece?
    Então, tomo apenas 1 comprimido por dia, onde consta na caixa as substâncias Efavirenz, Lamivudina e Tenofovir disoproxil. Os comrpimidos são de cor alaranjada, de um lado tem os números 1,2 e 7 e do outro o número 1 em algarismo romano.
    Alguém faz uso desse mesmo 3 em 1 que poderia me dar esclarecimentos sobre?
    Fui testado positivo em março de 2010, salvo engano e só agora iniciei o tratamento após ter um crise violenta de diarréia, quase 1 mês pra ser exato, o que me fez perder considerável peso corporal e me deixou muito mal em todos os sentidos.
    Após início com a medicação tive uma melhora considerável, exceto pelo fato de ainda estar tendo um pouco de diarréia, o que estou tratando com repositores ds flora intestinal e remédio como o imosec.
    Gostaria que, quem puder conversar, que me add no kik: leolegal.rj
    Comecei a ler o blog há pouco tempo e estou gostando bastante.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s