Notícias
Comentários 44

Antirretrovirais melhoram o fígado


Aidsmap

O início da terapia antirretroviral está associado à melhorias na função do fígado em homens soropositivos com e sem coinfecção com hepatite viral, segundo relatório publicado no Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes.

Os pacientes inscritos no Multicenter Aids Cohort Study (MACS) tiveram sua função hepática monitorizada de acordo com o índice de relação entre aspartato aminotransferase e plaquetas (APRI, do inglês aspartate aminotransferase to platelet ratio index), antes e após o início da terapia para o HIV. A função hepática diminuiu significativamente em ambos os homens mono e coinfectados, no período anterior ao início da terapia antirretroviral. A iniciação de antirretrovirais foi associada à uma melhora no APRI, e isto foi associado à carga viral. Os efeitos benéficos da terapia antirretroviral diminuíram depois de dois anos nos homens mono-infectados, possivelmente por causa das toxicidades associadas aos antigos medicamentos anti-HIV.

“Efeitos hepáticos benéficos da terapia antirretroviral são mediados através da supressão da replicação do HIV.”

“Nós demonstramos que a terapia antirretroviral está associada à melhora do APRI em homens infectados pelo HIV com e sem hepatite viral”, disseram os pesquisadores. “Observamos que homens com RNA do HIV indetectável tiveram maiores diminuições no APRI e que o efeito foi reduzido progressivamente com o aumento do RNA do HIV, o que apoia a hipótese de que os efeitos hepáticos benéficos da terapia antiretroviral são mediados através da supressão da replicação do HIV.”

A doença hepática é uma das principais causas de doença grave e morte em pacientes soropositivos que são coinfectados com HBV e/ou HCV. O declínio na função do fígado também foi observados em homens com mono-infecção pelo HIV. A imunossupressão tem sido postulada como uma das causas de disfunção hepática no contexto da infecção pelo HIV não tratada. Antirretrovirais podem melhorar a saúde do fígado, mas vários medicamentos anti-HIV são conhecidos por apresentar toxicidade hepática.

Para obter uma compreensão clara dos efeitos da terapia antirretroviral sobre a função hepática, os pesquisadores desenharam um estudo prospectivo envolvendo homens soropositivos com e sem coinfecção por hepatite. O APRI, um marcador para avaliar a função hepática, foi monitorado antes e depois do início do tratamento. A população do estudo foi composta por 494 homens, 53 dos quais tinham coinfecção por hepatite viral (24 HIV/HCV, 27 HIV/HBV, 2 HIV/HBV/HCV). A função hepática foi medida quatro anos antes e um ano antes da terapia antirretroviral ser iniciada. A mesma avaliação foi repetida dois e cinco anos após o início do tratamento.

Mais de três quartos dos pacientes (79%) iniciaram o tratamento antirretroviral antes de 2001 e 87% receberam a terapia com inibidores da transcriptase reversa tóxicos, tais como Didanosina e Estavudina. A análise inicial mostrou aumentos significativos no APRI na fase pré-tratamento, tanto para os pacientes mono e coinfectados (0,49-0,55, p<0,01; 1,26-1,62, p=0,02, respectivamente). Em contraste, nos primeiros dois anos após o início da terapia antirretroviral, o APRI médio diminuiu em ambos os grupos mono-infectados (0,55 a 0,53, p=0,01) e coinfectados (1,62 a 1,31, p=0,07).

Após o ajuste para fatores como idade, raça e contagem de células CD4, o APRI nos homens mono-infectados aumentou 17% no período anterior ao início da terapia. Alterações na função hepática nos primeiros dois anos após o início do tratamento estavam relacionados com a carga viral. O APRI diminuiu 16% nos homens com supressão viral, 2% nos pacientes com carga viral entre 500 e 75.000 cópias/ml e aumentou em 47% nos indivíduos com carga viral acima de 75.000 cópias/ml. A análise feita cinco anos após o início do tratamento mostrou aumento global no APRI, mas este não voltou para os níveis pré-tratamento.

Entre os homens coinfectados, a análise multivariada mostrou um aumento médio de 34% no APRI no período pré-tratamento. Similarmente, em pacientes mono-infectados as alterações no APRI nos dois anos após o início do tratamento foram associadas com a carga viral. Os pacientes com supressão viral tiveram uma diminuição de 22%, enquanto que aqueles com uma carga viral entre 500 e 75.000 cópias/ml tiveram uma diminuição de 13%. Havia muito poucos pacientes com carga viral muito alta para analisar rigorosamente o impacto do tratamento sobre a função hepática nesta situação.

Ao contrário dos pacientes mono-infectados, o APRI continuou a diminuir entre os homens coinfectados com supressão viral (p=0,03) até o ponto de acompanhamento em cinco anos (média de 8% de redução). A exposição cumulativa aos inibidores da transcriptase reversa mais antigos e mais tóxicos foi associada com maior APRI após o início do tratamento. Depois de levar isso em conta, a função do fígado em cinco anos após o início dos antirretrovirais entre os homens mono-infectados com supressão viral foi significativamente melhor do que a observada no período anterior ao início do tratamento.

“Esta melhoria é maior naqueles que conseguiram um RNA do HIV indetectável.”

“O APRI melhorou com a supressão da replicação do RNA do HIV em homens coinfectados com hepatite viral e HIV e nos mono-infectados, nos dois primeiros anos após o início do tratamento”, concluem os autores. “Esta melhoria é maior naqueles que conseguiram um RNA do HIV indetectável”. Eles pedem mais pesquisas, a fim de elucidar os mecanismos para esta melhoria e ver se os benefícios persistem no longo prazo, com as mais recentes combinações de tratamento para o HIV.

Por Michael Carter em 17 de março de 2016 para o Aidsmap

Referências: Price JC et al. Highly active antiretroviral therapy mitigates liver disease in HIV infection. J Acquir Immune Defic Syndr, online edition. DOI: 10.1097/QAI.0000000000000981, 2016.
Anúncios

44 comentários

    • Zen diz

      Eu quando vi falando sobre CRISPR no Fantastico logo pensei no HIV. Na epoca, porem, eu nao sabia que era portador rs. Se foi testado em vitru, em quanto tempo chegara a fase final de testes em humanos?
      Acho que ja vi noticias dessa vacina que está na fase III em 2004 ou 2007, ou seja, demora um bucado. Mas chegará o dia.

    • oliveirarenato diz

      pois é galerinha , uma ótima noticia nos Estados Unidos !!!! párece que a cura esta a caminho !!!! otimistaaaaaa

  1. goiano + diz

    Paulistano Positivo, Acabei de ver isso !! TOPP – onde tem fumaça tem fogo heim !!
    To bem esperançoso !

    • Paulistano Positivo diz

      Pois é, goiano +… Apesar de tudo, temos sorte de estarmos vivendo numa época com muitas descobertas promissoras contra esse vírus. São várias frentes de pesquisas em andamento, cada uma com sua proposta. Logo, uma, ou várias, emplacarão – tenho certeza disso. Estou muito esperançoso também.

      Abraço

  2. Matheus diz

    Temos sorte em relação ao passado e azar em relação ao futuro…pq no passado era uma doença sem tratamento…hj é uma doença com tratatamento mas não curável…e no futuro será uma doença curável.

  3. David diz

    Pessoal, gostaria que me ajudassem. Estou em tratamento há quase 2 meses (3×1) com um infecto particular, ainda não fiz os exames depois que comecei o tratamento, e ontem tive minha primeira consulta com uma médica no posto de saúde e ela me disse algumas coisas duvidosas:

    — Que pessoas com hiv tem 10 vezes mais chances de contrair pneumonia, e mandou que eu fizesse um exame específico pra ver isso.
    — Proibiu o uso de quaisquer suplementos alimentares (whey, creatina, etc), além do uso “moderado” de bebidas alcoólicas, pois segundo ela interferem na TARV.
    — Que SÓ posso tomar a TARV com no máximo 20min de atraso, caso exceda, ela perde o efeito.
    — Mesmo INDETECTÁVEL, se alguma pessoa tiver contato comigo, seja por um pouco de sangue ou relação sexual desprotegida, eu devo contar pra pessoa e ela procurar um posto de saúde com no máximo 2hrs pois ela poderá se infectar.

    Pelo pouco que já li, creio que essas informações estão um pouco “exageradas”, o infecto de vcs já comentou algo do tipo?? Por favor me ajudem, pois estou um pouco apreensivo com isso tudo. Obrigado.

    • Ricardo - Gru diz

      David, não confere estas informações, as que tenho da minha infecto aqui da cidade são outras, vejamos :
      1) Pessoas com CV indetectável, com as vacinas em dia e fazendo o tratamento corretamente corre na mesma velocidade que uma pessoa “normal” em contrair a pneumonia.
      2) Suplementos alimentares e uso de bebidas alcoólicas pode, desde que seja moderado, isto independente de ser ou não soro+.
      3) Pode ocorrer atraso sim em tomar a TARV, o que não é aconselhável é ter falha terapêutica mais de 03 vezes no mês…até porque a eficácia do remédio gira em torno de 36hs dentro do organismo.
      4) Pelo que leio e releio, uma pessoa indetectável tem chance quase nula de ser agente transmissor do vírus. Mas independente de ficar ou não exposto, o uso da camisinha é sempre necessário, em todas as ocasiões.
      5) Conheço casais sorodiscordantes que até fizeram tratamento para terem filho e tanto a mãe e o bebê não ficaram expostos aos vírus.
      **Estou passando as orientações que recebi/ouvi.

      Enfim, como bem disse o “D_Pr”, o lance é ela rasgar o diploma ou se atualizar.

      Forte abraço.

    • MB+ diz

      Davi.

      Vamos lá .

      1- Pessoas HIV positivas que não estão em tratamento , com carga viral alta e CD4 baixos ( menos que 200) tem sim 10 vezes mais chances de contrair pneumonia do que qualquer soro negativo não por ser portadora do vírus mas pelos fatos descritos acima.
      Agora pessoas mesmo que HIV positivas mas que se encontram em tratamento com carga viral baixa ou indetectável com CD4 superior a 200 tem as mesmas chances de uma pessoa soronegativa de contrair pneumonia ou outras enfermidades fúngicas , viral ou bacteriana.

      2- Suplementos alimentares como você descreveu são metabolizados figado , rins e pâncreas e como os Arvs são de um certo modo um pouco agressivo a estes órgãos devem sim ser evitados ,principalmente a creatina , no inicio da terapia após uma analise e exames seu infecto poderá avaliar se você pode ou não fazer uso destes suplementos ou não pois cada pessoa tem um organismo diferente e só o medico pode avaliar os riscos e liberar ou não certas coisas.
      Bebidas alcoólicas não faz bem para ninguém mas não há correlação entre perca da efetividade dos ARVs com o uso concomitante a essa bebidas , no caso de recreativa e esporádica pois ai se aplica o velho jargão :

      ¨Pessoas HIV positivas são pessoas normais e devem viver normalmente como outras quaisquer”.

      E quem não curte uma cervejinha no final de semana ?

      3- Quanto a tomada dos ARVs existe varias formulações e combinações disponíveis hoje no Brasil umas com meia vida mais longa outras um pouco mais apertadas , mas como não sei sua combinação vou me ater no 3 em 1 que é o mais tomado no Brasil e este tem meia vida de até 3 horas para mais ou menos sem o risco de perder o efeito.
      Afirmar que depois de 20 minutos há a perca de efeito é um certo exagero , não devemos ser reféns de relógio e nem tão negligente quanto ao horário de tomada medicamentosa temos que ter uma disciplina quanto ao horário mas não nos tornarmos escravos do mesmo.

      4 – Indetectável tem chances minimas de transmissão viral em relações sexuais e não há um estudo conclusivo quanto ao acidente envolvendo sangue vivo e cortes ou mucosas ( mas há médicos que entendem que seja igual a relação sexual próxima do zero) ” Lembrando somente se estiver em TARV e indetectável a mais de ¨meses e sem outra DST” , neste caso não é necessário caso não se sinta a vontade de você revelar sua sorologia pois o protocolo clinico não recomenda a PEP neste caso , e o mais importante o período caso haja um acidente e voce queira que a pessoa realize o tratamento pós exposição não é de 2 horas e sim de até 72 horas apos o fato .

      Lembrando que não somos uma bomba relógio perto de explodir.
      Somos seres humanos que conquistamos o direito a vida graças a medicação diária e o que nos torna pessoas normais como outras quaisquer , e vou até mais longe somos até melhores pois somos e sabemos o que temos e nos tratamos o que nos torna não transmissores deste bostinha.
      Ao contrario de muitos que se escondem até atras de aventais brancos e sem saber espalham o vírus por onde passam , talvez não o vírus HIV mas um pior o da arrogância , do despreparo , da ignorância , da inercia , e outros vírus muito piores que o próprio HIV e para estes não existe preservativos , PEP , PReP ou outra coisa que os curem.

      • Alex diz

        GRU, li a parte que vc falou “não é aconselhável é ter falha terapêutica mais de 03 vezes no mês”, o que é falha terapêutica? é não tomar o remédio ou tomar fora do horário?

        • nÃO TOMAR O REMEDIO, POIS COMO ELE DISSE A MEIA VIDA DO REMEDIO PODE CHEGAR EM ATE 36 HS, A FALHA TERAPEUTICA É NÃO TOMAR O REMEDIO, ATRASOS PODEM OCORRER, MAIS SEMPRE TOME O REMEDIO

    • Troca de medico, por vc e por sua saude, passa o endereço dessa que não vou mais nem de gratis.

  4. Luquinha diz

    Deixa eu ver se eu tiro alguma vantagem , vou ligar para 135 e vou dar entrada na minha aposentadoria do inss , antes que a cura chegue .

  5. Gente não consigo masis me iludir enquanto ainda está em fase de estudo.
    Deveria ser algo com aconteceu com o paciente de Berlim, simplesmente aconteceu e pronto!
    Mesmo assim ele só foi considerado curado após 5 anos.
    Agora imaginem, já tem pesquisas em estudo a mais de 10 anos e até agora nenhuma notícia de que deu tudo certo, só vejo lançando a cada dia novos remédios para manter os + indetectáveis.
    A CRISPR ta só no começo, acho eu, até ter um resultado vai demorar mais uns 10 anos.
    Queria que acontecesse o acaso, simplesmente acontecesse e pronto! Aí sim ficaria realizada!
    Mas vamos que vamos, pelo menos os cientistas estão tentando…

  6. Rapaz diz

    Alguém tem alguma informação atualizada sobre a pesquisa da Unifesp que passou no fantástico em Janeiro do presente ano?

  7. Zen diz

    fiz Kik: zenpositivo. Quem tiver me add ai. Hoje a noite começo a tomar o 3×1. Ansioso.

  8. Saulo diz

    Olá, bom dia.
    Estou tomando o 3×1 há dois meses, tive carga viral 95.000 e CD4 400, o antiviral ele ajuda a aumentar a imunidade? Será que já estou indetectável?
    Apareceu HPV é minha preocupação e se minha imunidade está baixando, o que vocês acham?

    • Ser+H diz

      Saulo fique tranquilo. Em 6 meses estará indetectavel. A TARV faz com que o HIV não consiga mais se multiplicar no teu organismo. Sem ela vc teria mais 1 bilhão de novos virus no seu corpo por dia. O teu sistema imunológico vai se recompor devagarinho e é ele quem vai matar os vírus da corrente sanguínea. Claro que permanece nos reservatórios onde o ARV não consegue chegar. Por isso tem que tomar regradamente todo dia para evitar proliferação e resistência do HIV. Viva bem.

    • Ser+H diz

      Para curar HPV use a pomada FITOSCAR. Comigo funcionou. Use por 3 a 4 meses e as lesões vão desaparecer.

  9. Homem23:55 diz

    La vem a Mariah com coisas diferentes (risos)
    E a Mutamba? Como foi a experiência?

    • Zen diz

      Fiquei de te mandar e-mail. Vc tem kik? Se sim, me add ai: zenpositivo
      Abraço.

  10. Então Himem23:55, fiz o tratamento, mas meus amiguinhos daqui me deixaram super pra baixo.
    Mas nem estou mais pensando nisso.

  11. Ah! Sobre essa descoberta dos Estados Unidos, que comentaram “agora vai”…
    Vai, vai se iludindo!
    Não confio em mais nada.

  12. Positividade de Luz diz

    Será que dar uns pegas num baseado pode ser perigoso pra nossa imunidade?
    Nem cigarro fumo e nem bebo nada,mas de vez enquando dou uns tapas na pantera!!!!
    Se alguém souber responder…
    Detalhe,meu cd4 é superior a 1000 e sou indetectável….

    • Antonio diz

      Tudo com moderação nao faz mal. Se vc gosta fuma de vez em quando, mas reduz, pega leva, este é um palpite! é igual o álcool, um pouco de vez em quando faz bem para a cabeça!!

      • Positividade de Luz diz

        valeu hehe,afinal abri mão de tudo,ao menos um beckinho de vez enquando né kkkk

  13. M. diz

    Gente, hoje faz 1 semana que comecei o tratamento 3×1 e hoje dei febre e minha pele esta toda empolada, o que fazer?

    • Alex diz

      A febre acho que não é efeito do 3×1, lembre que continua sendo uma pessoa passível de doenças, mas a pele empolada é bem provável que seja, pois pode causar esse efeito após alguns dias e depois passa.

      Se tiver contato com seu médico, fale pra ele, ele deve passar um antialérgico. Também tive manchas vermelhas alguns dias após o 3×1, duraram poucos dias, tomei antialérgico receitado pelo médico.

    • Homem23:55 diz

      M.

      Tambem tive rash cutâneo e depois passou.
      Acho estranho a febre. Fale com seu medico ou vai no posto.
      Talvez possa ser outra coisa, como uma simples gripe, mas é bom averiguar sim.

      Nos dê notícias. E fique tranquilo que o rash vai passar em alguns dias. Diga a quem perguntar que comeu comida estragada… hahahha

      melhoras!

    • Pedro diz

      M.
      Antialérgico p manchas ( loratadina). Passa rápido. Se persistir procure seu médico.

  14. Alex diz

    Não entendi mt bem, durante mt tempo disseram que os antirretrovirais prejudica ou pode prejudicar os rins e fígado. Afinal, os antirretrovirais prejudicam ou melhoram o fígado?

  15. GABRIEL RODAR diz

    Oi Bruno te de desejo força rapaz… Se quiser bater um papo me adiciona no Kik pra quem não sabe é um aplicativo de mensagens instantaneas parecido com whatsapp… me procura lá temos um grupo de acolhimento meu username é ( vidaquesesegue ) força ai…

  16. Destinatário diz

    Oi Pessoal! Tenho uma dúvida, sou recém diagnóstico a 3 meses, no primeiro exame minha carga viral deu 23.000 cópias e cd4 de 800 agora 3 meses depois minha carga viral deu 8.500 cópias e cd4 de 500 como é possível minha carga viral diminuir assim sem eu ter começado a tomar a TARV? Podem me ajudar! Obrigado!

  17. M. diz

    Gente to tomando anti-histamínico mas nada, parece que o rash cultuando só piora! Não sei mais o que fazer, já estou preocupado level 1000!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s