Procura-se: casais sorodiscordantes

TV

Emissora brasileira procura três diferentes perfis de casais jovens sorodiscordantes, preferencialmente do Rio de Janeiro, para websérie:

  1. Um casal sorodiferente heterossexual e jovem (entre 18 e 28 anos). O homem vive com HIV e a mulher, não. Preferencialmente, o homem deve ter sido infectado através de transmissão vertical.
  2. Um casal sorodiferente heterossexual e jovem (entre 18 e 28 anos). A mulher vive com HIV e o homem, não. Ela pode ter contraído o HIV a partir de outro parceiro, através do compartilhamento de seringas, transfusão de sangue ou transmissão vertical.
  3. Um casal sorodiferente heterossexual e jovem com filho(s) (entre 20 e 35 anos).

Se você acredita que se encaixa em algum destes perfis, entre em contato!

Anúncios

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Receber notificação
daniel-rj
Visitante

Poupe-me desse circo. Qm qr particiar do circo? Em que vai acrescentar na minha vida ou na do outro? Essas series so serve pra ridicularizar as pessoas…pq a vdd eles omitem

Alex
Visitante

Eu não acho, pelo menos não necessariamente. Gostei da ideia da série, desde que a depender da forma a ser abordada, que ao que parece deve ser bom.

Deve ser bom porque mostra para sociedade que alguém com HIV pode ter uma relação normal com outra pessoa, sem oferecer risco para ela e inclusive ter filhos. Além de também deixar mais claro para pessoas com HIV que existe a possibilidade de se relacionar com alguém que não tenha o vírus.

...Breno...
Visitante

É só o que faltava, eles ganharem milhões a custa de pessoas inocentes…
Eles nem ligam para as pessoas, o que interessa é esse Ibope que não nos serve de nada…
Mais respeito por favor….

Alex
Visitante

Se eles ganham milhões ou não, continuarão ganhando falando de qualquer assunto, e se for pra falar de algo que pode ajudar a reduzir o estigma é melhor.

Tom Silva
Visitante

Acho que tá na hora de quebrar este preconceito bobo que muita gente ainda tem sobre o HIV, se eles, os especialistas dizem que os indetectáveis não tem qualquer risco de passar o vírus para pessoas negativas, então, tem é que ser mesmo divulgado, mas com total responsabilidade, clareza e sem distorção das coisas.

Lucas
Visitante

Realmente o mundo está de pá virada, reclamam de estigma de preconceito que a mídia isso, que a mídia aquilo… e quando alguma emissora se dispõe a fazer algo bacana, vem um bando criticar, preferem ficar a mercê do isolamento social.

Mídia tem que falar mesmo, desmistificar… mostrar a realidade, a vida normal que levamos. Só não me candidato por não me encaixar nos critérios.

Breno/ salvador-Ba
Visitante

É isso aí… Se nao ter alguém pra mostrar que não tem risco nenhum, vamos viver como leprosos de amtigamente. Eu só acho que deveriam ter casais homossexuais também. Ainda vejo muita gente reclamando de mudança, sem querer mudar. Exigir que as pessoas mudem o conceito do HIV, sem querer que falem dele… Talvez o preconceito esteja nos próprios soropositivos, que nao aceitam a condição. É hora de mudar, eu nao me candidatei por nao me encaixar também, mas achei super válido a proposta.