Notícias
Comentários 41

Zika vírus em imunocomprometidos


Public Health England

Exemplos publicados de infecção pelo vírus zika em indivíduos imunodeprimidos ou imunossuprimidos são muito escassos. Apesar do zika ter sido descoberto mais de 60 anos atrás, sabemos surpreendentemente pouco sobre a patogênese e imunologia da infecção pelo vírus zika em seres humanos.

Uma vez que o zika é um flavivírus, é provável que ambas as respostas inatas e adaptativas sejam necessárias para interromper a replicação viral e eliminar o vírus, de modo que as condições médicas ou intervenções que influenciam as respostas imunes inatas e/ou adaptáveis ​​podem alterar o curso da doença clínica, incluindo os sintomas, a gravidade e a duração da infecção.

Provisoriamente, até que dados de casos e grandes estudos controlados observacionais apareçam, (note que estes podem não estar próximos), extrapolar a partir da experiência de infecções causadas por flavivírus similares, como o vírus da dengue, parece razoável.

Mais uma vez, os dados publicados sobre a infecção pelo vírus da dengue em doentes imunocomprometidos vêm de relatos ou de pequenas séries de casos, muitas vezes em populações de pacientes mistos (por exemplo, com variabilidade nas condições subjacentes e intervenções, diferentes graus de imunossupressão, origens étnicas e geográficas diferentes).

A partir dos dados disponíveis, os resultados clínicos gerais sobre a infecção pelo vírus da dengue em pacientes imunocomprometidos parecem ser semelhantes aos da infecção pelo vírus da dengue em pacientes imunocompetentes. Com base na experiência com infecções agudas por vírus de RNA em geral, os pacientes imunocomprometidos podem ter sintomas atípicos, incluindo ausência de febre.

Existe um risco teórico de viremia prolongada de dengue em doentes profundamente imunocomprometidos (usando as definições do Green Book, o qual considera uma contagem de CD4 igual ou superior à 500 células como saudável, entre 499 e 200 células como moderadamente comprometido, e abaixo de 199 células como severamente imunocomprometido), e não é claro se o vírus também pode permanecer em determinados órgãos depois de ser eliminado do sangue. As mesmas teorias podem ser aplicadas ao vírus zika em pacientes imunocomprometidos, na ausência de dados de estudos específicos. Não há dados confiáveis ​​disponíveis a partir de qualquer grupo de pacientes para avaliar a duração da detecção viral por RNA no sangue, sêmen ou outras substâncias.

Aedes-aegypti

Aedes aegypti, mosquito transmissor de dengue e zika.

Conselhos práticos aos pacientes imunocomprometidos

Como os riscos são susceptíveis de variação de acordo com a imunossupressão envolvida, dicas de viagem terão de ser adaptadas para cada indivíduo, com as recomendações mais importantes sendo feitas para pacientes gravemente imunocomprometidos (conforme a lista do Green Book). Sugere-se os seguintes conselhos que podem ser fornecidos aos pacientes por seus médicos:

  • Considerar se viajar para uma área com transmissão ativa do vírus zika é necessário. O seu médico ou especialista pode ser capaz de ajudar a avaliar os potenciais riscos de infecção pelo vírus zika e outras infecções associadas com viagens.
  • Se viajar para uma área de transmissão de vírus zika é inevitável, então você deve adotar e aderir a medidas escrupulosas para evitar a mordida do mosquito. Veja também um folheto sobre como evitar a picada do mosquito.
  • Notificar o seu médico e/ou especialista se, no prazo de duas semanas de voltar de uma área com transmissão ativa de zika, você apresentar quaisquer novos sintomas, particularmente sintomas que podem ser associados com a infecção pelo vírus zika (febre, dor nas articulações, erupção cutânea, conjuntivite, dor de cabeça, dor muscular, dor atrás dos olhos).
  • Há uma preocupação especial sobre a infecção pelo vírus zika em mulheres que estão grávidas ou que estão planejando engravidar, independentemente de problemas imunológicos subjacentes ou não. Contate o seu médico de família ou especialista para informação adicional.
  • A transmissão sexual da infecção pelo vírus zika do homem para a mulher parece ser rara no geral, e pouco se sabe sobre a transmissão sexual do vírus zika em pessoas com problemas imunológicos. Se você tem preocupações sobre o potencial de transmissão sexual do vírus zika, depois de visitar uma área com transmissão ativa deste vírus ou na sequência de uma infecção pelo vírus zika, contate seu médico ou especialista.
Em 17 de fevereiro de 2016 pelo Public Health England

Crown Copyright

Anúncios

41 comentários

  1. Joseph diz

    Tive zika virus. Minha imunidade estava muito boa, e acabei tendo todos os sintomas possíveis. Durante isso, meu hemograma teve alteração de Leucócitos, mas minhas plaquetas e linfocitos permaneceram normais, como antes. Minha médica disse que é normal variação no número de leucocitos durante infecções assim, que o importante é que meus linfocitos tavam com valores ótimos (ou seja, em nada tinha a ver com meu tratamento de hiv).

    Eu estava super preocupado, mas percebo hoje que nós, portadores de hiv, temos condições de vidas normais – e até melhor que soronegativos, em alguns casos. Devemos separar as neuras da realidade, e não envolver hiv em tudo e nos cuidar!

    • Guto Recife diz

      Bom dia joseph, eu tive uma virose e resultado : cd4 baixou. Relato aqui para todos o ocorrido.

      eu fiz meus exames na terca feira de manhã ( cd4 e carga viral). Fiz justamente no dia em que acordei super mal , corpo cansado, no início de uma diarreia e sem falar que tb estava muito cansado de viagem e não tinha dormido bem duas noites. Resultado: acabei de ver que meu cd4 caiu de 603 para 332. Estou me sentindo super bem sabe, malhando, comendo direitinho, estou com o peso bom tb. Será que o cd4 caiu tanto por conta desse meu mal estar ? Eu estou melhor hj mas desde terça-feira que eu estava com diarreia e mal estar. Gente será que foi isto que fez cair drasticamente?

  2. davi-pe diz

    Confesso que tenho medo de ter zika, ja tive dengue antes do hiv e foi sofrencia

  3. carla diz

    gente estou a mais de dois anos tomando as tres pilulas uma pela manha e duas a noite, fui conversar com meu infecto sobre a troca para o tres em um ( ou seja aquela unica dose), e ele disse que eu nao podia pois esse tratamento e apenas para quem esta em inicio , ou seja, so para os portadores novos da doenca. Alguem saberia me dizer se isso e verdade?

    • MB+ diz

      Carla,

      Primeiramente qual o taramento você faz ? ou seja qual é a medicação que voce toma?
      Se seu tratamento é realizado com os medicamentos contidos na formulação do 3 em 1 ou seja efavirenz , tenofovir e lamivudina seu medico esta completamente errado em não lhe ofertar o comprimido unico , visto que este já foi integrado na grade para fornecimento a “todos” os pacientes que usam esta combinação independente de ser novo ou não.
      Agora se seu tratamento é a base de outros componentes que não seja os citados acima ai convêm conversar com seu medico e pesar os pros e os contras de uma troca para este esquema pois se este esquema utilizado por você esta dando resultado não convêm trocar e iniciar um novo , apesar da conveniência de se tomar um comprimido somente há de se pesar o período de adaptação que “pode” ocasionar efeitos colaterais desagradáveis.
      Converse com seu medico a respeito , mas acredito que você toma outra combinação pois os farmacêuticos responsáveis pela distribuição dos medicamentos estão orientados a troca do coquetel separado pelo comprimido único mesmo que na receita apareceram separados.
      e de onde você é?

      • carla diz

        Ola MB+ sou aqui de Manaus/Am e tomo exatamente esse mesmo efavirenz, tenofovir, e lamivudina, a mais de dois anos, e quando perguntei se poderia trocar pela dose unica a resposta que recebi foi essa, que apenas seria ofertada para os casos novos. entao o governo vai continuar produzindo o outro assim mesmo?

        • Rick diz

          Acredito que sim viu Carla até porque não só pode haver uma opção de tratamento não é?

      • carla diz

        Sou de Manaus/Am e realmente faço esse com efavirenz , tenofovir e lamivudina, e quando questionei ele me disse que eu iria continuar com esse e que o dose unica seria para “casos novos” . entao o governo vai continuar fabricando os dois produtos???

        • MB+ diz

          Carla .

          Pera aí. ..Há algo errado com a postura de seu médico ou mesmo dos funcionários que lhe fornecem as medicações o AM junto com o RS foram os dois estados que tiveram o privilégio de iniciar o fornecimento do 3 em 1 e depois aos demais estados do Brasil.
          Sugiro que converse com seu médico e exija o medicamento em dose única pois o ministério da saúde oferta este a todos os soropositivo sendo recém diagnosticado ou não.
          Procure a farmácia onde retira seu medicamento e pode sim pedir que lhe seja fornecido o 3 em 1 …É um direito seu e um dever do estado este fornecimento.
          Caso lhe neguem me passe o nome do sae ou cta onde você se trata que faço eu mesmo uma reclamação é apuro o porque da negativa da entrega desse medicamento.
          Boa sorte e espero que consiga.

        • Alex diz

          Na verdade não é o governo quem fabrica, ele compra de uma indústria, mas acredito que sim, irá continuar comprando as duas versões, pois quem já tomava separado não pode ser necessariamente obrigado a mudar.

          Já quanto a mudar de versão, imagino que ele te passou informação errada, pois vc pode sim mudar, a não ser q aí no seu estado existe falta de medicamento da dose única e restringiram só para novos, o que acho improvável. Se for possível e mesmo assim ele persistir na informação errada, eu mudaria de médico, pois demonstra desinformação ou desinteresse com o paciente.

          • MB+ diz

            Alex no caso destes 3 medicamentos todos são fabricados no Brasil (farmanguinhos) alias não só esses 3 mas dos 22 medicamentos ofertados pelo SUS 11 sao de fabricação própria.
            E sim continuaram sendo ofertados separadamente pois essa é apenas uma das combinações que os 3 aparecem juntos .

        • Paulo Roberto diz

          Carla, talvez esteja faltando o 3 em 1 aí no AM. Aqui em Minas Gerais está em falta há mais de quinze dias. Os pacientes que se tratavam com o 3 em 1 estão voltando para as terapias anteriores, devido à escassez do medicamento – sabe-se lá por que motivos…
          Já presenciei uma confusão medonha por causa disso no CTA onde me trato, e isso foi na semana passada.

  4. Pessoal, existe algum grupo de whatsapp que vocês trocam experiéncias sobre o hiv?

  5. Lucas diz

    Na época do natal do ano passado apresentei todos os sintomas da Zika (com EXCESSÃO de febre e conjuntivite). Durou aproximadamente 1 semana (talvez um pouco mais). No entanto eu cheguei a ir ao posto, porém a fila estava gigante. Como não estava com febre voltei pra casa. Depois melhorei.

  6. Alex diz

    Só não entendi porque, como fala na matéria, no caso de dengue as pessoas que possuem imunidade comprometida não apresentam febre, alguém sabe? É porque o corpo está frágil o bastante que não consegue lutar contra ela por meio da febre (considerando que a febre seja um sintoma que o corpo está lutando contra algo)?

    • davi-pe diz

      Paulo Roberto…essa noticia é de 2013. Não sei no que deu e tb não sei pq alguns sites resolveram republicar agora.

      • Paulo Roberto diz

        ORA, ORA… E eu pensando que fosse NOVIDADE…
        Obrigado, Davi. Mas ainda tenho esperança.

      • Alexandre diz

        Num deu nada. Serviu apenas como prova conceito.Infelizmente, para a cura fracassou!

        • Paulo Roberto diz

          Pois é, Alexandre. Mas por que motivos estão retornando com a matéria, como se fosse novidade, em vários sites?
          Essa eu não entendi…

        • D_Pr diz

          Fala Alexandre, tudo certo? Pode me deixar teu e-mail?

          Será que teremos novidades da CROI 2016?

          • Alexandre diz

            otimista22@bol.com.br! Sobre o CROI 2016, do fundo do meu coração, me cansei de criar expectativas em vão. Todo ano é a mesma merda. Novos dados da epidemia, novos protocolos de PREP e PEP e novos protocolos de tratamento. Nunca, desde 2010, li algo que foi dito em qualquer CROI que eu ficasse impressionado. Tudo que é dito lá a gente já leu meses antes. Sobre o estudo dinamarquês, o Panobinostat, que foi o reversor de latência usado pelos pesquisadores, foi muito fraco, tirou apenas uma pequena quantidade de vírus de seus reservatórios. Mas serviu como prova conceito de que é possível tirar esses vírus de suas tocas. Valeu!

  7. Paulo Roberto diz

    Uma pergunta: Alguém sabe me informar os motivos pelos quais NA COLÔMBIA está havendo uma EPIDEMIA DE ZIKA, porém, sem NEM UM CASO DE MICROCEFALIA sequer?
    Não é, no mínimo, ESTRANHO?

  8. Iago diz

    Paulo Roberto, não está faltando em Minas inteiro. Deve ser na sua cidade. Em Juiz de fora está tudo normal com relação à medicação.

  9. Guto diz

    Bom dia gente, estou super preocupado ,eu fiz meus exames na terca feira de manhã ( cd4 e carga viral). Fiz justamente no dia em que acordei super mal , corpo cansado, no início de uma diarreia e sem falar que tb estava muito cansado de viagem e não tinha dormido bem duas noites. Resultado: acabei de ver que meu cd4 caiu de 603 para 332. Estou me sentindo super bem sabe, malhando, comendo direitinho, estou com o peso bom tb. Será que o cd4 caiu tanto por conta desse meu mal estar ? Eu estou melhor hj mas desde terça-feira que eu estava com diarreia e mal estar. Estou aguardando o carga viral.

    • Homem23:55 diz

      Guto,

      O Horário influencia MUITO, devido ciclo do nosso corpo.
      Por exemplo, nas primeiras horas do dia, o CD4 tende a ser baixo… e tem um pico la pelas 15h…

      Qual foram os horários?

      abraço

  10. hiv+20 diz

    pessoal, atrasei meu horário de 3 em 1 por 3hrs. to preocupadissimo……ja aconteceu com vcs? tenho carga viral zerada e imunidade excelente

    • Alex diz

      No seu caso, como só foi uma vez e por pouco tempo, não tem problema.

      Os remédios constantes do 3 em 1 possuem um tempo estimado q permanecem no corpo, o que tem o tempo mais curto se não me engano permanece por 10 horas (o que não quer dizer que vc tem essa margem de tempo para atrasar a medicação), daí o motivo de não se preocupar com essa ocorrência q foi só uma vez.

    • Salvador diz

      Meu infecto foi categórico sobre tomar a medicação imediatamente antes de dormir. Independente da hora. A meia vida das drogas é longa. Atrasar ou antecipar um pouco não faz diferença. Só não pode é deixar de tomar.

  11. Amigo paz diz

    Pessoal, tudo bem? Encontrar este blog me deu a sensação de ter encontrado um lugar seguro no meio de um tiroteio. Acordei a pouco com a cabeça já cheia de pensamentos. Descobri a pouco que estou contaminado com HpV, e finalmente criei coragem para fazer o exame de HIV, que receberei o resultado em 3 dias. Estou bastante preocupado, acho q estou sofrendo muito por antecipação mas, na verdade, já estou me preparando para o pior. Provável que eu irei precisar muito da ajuda de vocês, não contei a ninguém da aflição q estou passando, tanto que resolvi procurar um médico e fazer exames em outro estado. A sensação que tenho é que não vejo mais futuro, as pessoas já percebem o meu silêncio, geralmente me pego olhando as coisas que gosto de fazer e pensando como será Aqui para frente, caso o exame de positivo. Resolvi comentar aqui pois eu precisarei de ajuda de vocês, pelo menos na troca de experiências. Estou com muita fé em Deus que, caso o resultado seja positivo, irei encarar esta doença e continuarei lutando pela minha vida. Este blog é excelente! Abraço a todos!

    • Alex diz

      Se precisar conversar, pode criar um perfil no kik ou skype que te add. Seja forte e independente do resultado passe a ver a vida com outros olhos daqui pra frente.

      • José diz

        Caro Alex caso tenha um grupo no kik só para positivos, se possível me add. Estou como: oliveirze

  12. Rodrigo diz

    Olá amigos, fui diagnosticado + em setembro de 2015, há cinco meses. Iniciei o tratamento com o 3:1 e hoje estou indetectável e com o CD4 800. Na ocasião o que me levou a descobrir foi um HPV. Neste período tratei as lesões externas e ontem o meu médico ( coloproctologista) sugeriu cauterizar ou fazer um procedimento cirúrgico com o bisturi elétrico para retirada das lesões internas. Alguém já fez este procedimento cirúrgico? Estou preocupado com o pós operatório, não sei se preciso contar com ajuda de alguém depois ou se consigo me virar sozinho.

    Obrigado!!!!

  13. Pablo diz

    Oi Rodrigo. O q me levou a descobrir o hiv tbem foi um hpv que causou lesões, tipo umas verrugas, ao redor dos lábios. Fiz cauterização no dermatologista e foi super de boa. Ele m recomendou usar por oito dias uma pomada bem cara pra finalizar o tratamento com ele. Após isso, era pra começar o tratamento antiviral para subir a imunidade. Desde então as lesões não apareceram mais. Onde são suas lesões?

  14. Rodrigo diz

    Oi Pablo, obrigado por relatar sua experiência. Minhas lesões são no canal retal, somente o médico pode trata-las. Ele está sugerindo a cirurgia pelo efeito imediato, porém destaca os dias de recuperação (cerca de 20 dias). Já o ácido são cerca de 04 semana de aplicações. Queria trocar experiência sobre o pós operatório desta intervenção.

    Obrigado a todxs

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s