Notícias
Comentários 88

Álcool pode ser mais prejudicial para pessoas com HIV


Aidsmap

Limites seguros para o consumo de álcool para pessoas que vivem com HIV, especialmente aqueles que não estão sob terapia antirretroviral, podem ser menores do que as recomendações para o resto da população, de acordo com o que sugere um grande estudo feito nos Estados Unidos. Os resultados foram publicados no jornal Drug and Alcohol Dependence.

As descobertas do estudo indicam que apenas um único país — o Reino Unido — recomenda um nível de consumo de álcool para a população em geral que também minimiza os danos do consumo de álcool nas pessoas que vivem com o HIV. Todos os limites de consumo seguro de álcool recomendados por outros países ainda colocam as pessoas com HIV sob maior risco de sofrer com os efeitos nocivos do álcool, em comparação com os seus homólogos sem HIV. O estudo descobriu que beber mais de 14 unidades por semana — equivalente à cerca de uma dose por dia em termos norte-americanos — aumenta o risco de morte para os homens com HIV. O risco aumentado de morte só se tornou evidente para os homens sem HIV em níveis mais elevados de consumo de álcool.

Atualmente, as recomendações sobre o consumo seguro de álcool variam muito de país para país. Recentemente, o Reino Unido publicou uma recomendação de consumo máximo de 14 unidades de álcool por semana, para homens e mulheres, em comparação com o equivalente de 24 unidades por semana para homens nos Estados Unidos (equivalente à 14 bebidas por semana) e 35 unidades por semana na Espanha. A orientação dos Estados Unidos sugere que as mulheres restrinjam a ingestão de álcool para 12 unidades por semana, enquanto a orientação espanhola não recomenda mais de 21 unidades por semana para mulheres.

O alto consumo de álcool aumenta o risco de desenvolvimento de uma ampla gama de tipos de câncer, particularmente câncer de mama em mulheres e câncer de intestino, esôfago, boca e garganta em ambos os sexos. O risco de câncer na boca, garganta e esôfago pode ser ainda maior por conta de tabagismo. O álcool também aumenta o risco absoluto de câncer de fígado. O alto consumo de álcool também aumenta o risco de acidente vascular cerebral e doença cardiovascular, através do aumento da pressão arterial. Há um grande debate a respeito da eventual proteção que uma pequena quantidade de álcool poderia oferecer contra doenças cardíacas.

Em suas novas recomendações, o Reino Unido calculou que, para uma pessoa que bebe 14 unidades ou menos por semana, o risco de morrer de uma condição relacionada ao álcool é de 1 em 100. Em um comunicado para a imprensa emitido pela Science Media Centre, no mês passado, o professor Matt Field do Liverpool University’s UK Centre for Tobacco and Alcohol Studies estabeleceu o risco absoluto de alguns tipos de câncer em níveis mais elevados de consumo de álcool:

“Entre os homens, cerca de 8 em 1.000 não-bebedores ou bebedores que aderem ao limite semanal (de não mais que 14 unidades por semana) estão em risco de desenvolver câncer de fígado. Essa taxa sobe para 11 em 1.000 para os homens que bebem entre 14 e 35 unidades por semana. Mas, para o câncer do esôfago, as taxas são aumentadas para os homens que bebem até mesmo dentro da orientação semanal (13 em 1.000), em comparação com aqueles que se abstêm completamente (6 em ​​1.000), e ainda maior para aqueles que excedem a diretriz (25 por 1.000 em homens que bebem entre 14 e 35 unidades por semana).”

 

O Veterans Aging Cohort Study

O estudo dos Estados Unidos foi concebido para testar se o consumo de álcool está associado a um maior grau de danos na população de soropositivos, em comparação com uma população não infectada com características semelhantes. A população do estudo consistiu de veteranos militares que recebem cuidados de saúde através da Veterans Health Administration, nos Estados Unidos, e que tinham sido inscritos no Veterans Aging Cohort Study (VACS). O estudo envolveu 18.145 pessoas com HIV e 42.228 indivíduos não infectados que relataram qualquer consumo de álcool, num questionário que incluía uma série de perguntas sobre o uso do álcool, como parte da rotina acompanhamento médico. As mulheres do estudo, que constituíam apenas 3% da população do VACS, foram excluídas do estudo e, portanto, tornando mais difícil tirar quaisquer conclusões confiáveis ​​sobre os resultados em mulheres.

Os pesquisadores olharam para a mortalidade e “lesão fisiológica” — marcadores laboratoriais que predizem doenças físicas. Este último foi calculado usando o Índice VACS, um sistema de pontuação que contabiliza hospitalização e morbidade, incluindo fraturas. A pontuação do Índice VACS pareceu sofrer alterações diante do consumo de álcool e uso de drogas, bem como às mudanças na adesão ao tratamento. A pontuação é calculada utilizando as seguintes medidas: hemoglobina, função renal, infecção para hepatite C, carga viral, contagem de CD4 e FIB-4 pontuação calculada com referência a ALT/AST e contagem de plaquetas.

A idade média dos participantes do estudo era de 52,5 anos para os homens que vivem com HIV e 54 anos para os homens não infectados. 31% das pessoas com HIV e 16% daqueles sem HIV tiveram infecção por hepatite C. Aproximadamente três quartos dos homens com HIV (76%) tinham carga viral indetectável.

Embora a maioria das pessoas com HIV que relataram uso de álcool eram bebedores leves ou moderados, que consomem menos de 14 bebidas por semana (81%), os pesquisadores classificaram 24% dos homens com HIV como tendo um nível “não saudável” de consumo de álcool, com base em suas respostas ao questionário, o qual perguntava sobre o número de dias em que o consumo de álcool ocorria, a quantidade de bebida e a frequência de abuso da bebida (seis ou mais bebidas em um dia). Um bebedor do sexo masculino se enquadraria nesta categoria se relatasse beber não mais do que duas a três vezes por semana, ter bebido pelo menos três bebidas em cada ocasião, ou ter relatado nunca consumir seis ou mais bebidas em uma ocasião. Os limites “não saudáveis” para beber eram mais baixos para as mulheres e para as pessoas com idade superior a 65 anos.

Durante um período médio de acompanhamento de 4,8 anos, a taxa de mortalidade foi de 2,7 óbitos por 100 pessoas-ano entre os homens com HIV e 1,8 por 100 pessoas-ano entre os homens sem HIV. Quando as taxas de mortalidade foram plotadas pelo consumo de álcool, os homens que vivem com o HIV com maior gama de consumo, seja pelo número total de bebidas (70 ou mais bebidas por mês), pela pontuação do questionário ou pelo consumo diário, apresentaram taxas de mortalidade quase duas vezes mais altas que aqueles com menor consumo (cerca de 5 mortes por 100 pessoas-ano). A diferença na mortalidade foi muito menos evidente para os homens sem infecção pelo HIV (os quais apresentaram um aumento aproximado de 25% na mortalidade).

A mortalidade em todos os níveis de consumo de álcool foi maior para os homens com HIV do que aqueles sem HIV, e a diferença nas taxas de mortalidade tornou-se maior à medida que o consumo de álcool aumentou.

Um padrão semelhante ficou evidente quando os valores médios do Índice VACS foram comparados com os diferentes níveis de consumo de álcool. O uso do Índice VACS — que se correlaciona com lesão fisiológica — mostrou que não havia nenhum nível de consumo de álcool que se mostrou protetor em homens com HIV, enquanto que beber entre 3 a 29 bebidas por mês oferecia proteção para as pessoas sem infecção pelo HIV.

A análise multivariada ajustada de acordo com raça, tabagismo e hepatite C mostrou que os homens com HIV que bebiam de 30 a 69 drinques por mês tiveram um risco 30% maior de morte, durante o período de acompanhamento do estudo, do que homens que bebiam apenas 1 ou 2 drinques por mês. Homens com HIV que bebiam mais de 70 bebidas por mês apresentaram 50% maior risco de morte. Em comparação, aqueles sem HIV tiveram um risco aumentado de mortalidade somente quando consumiram mais de 70 drinques por mês.

 

Por que o álcool é mais prejudicial para as pessoas com HIV?

Os pesquisadores dizem que as pessoas com HIV provavelmente são mais vulneráveis ​​aos efeitos nocivos do álcool, porque têm maiores níveis de álcool no sangue para cada unidade de exposição — uma explicação apoiada por um estudo separado da coorte VACS, que mostrou que as pessoas com HIV relatam intoxicação mesmo em níveis mais baixos do consumo de álcool, com efeito ainda mais pronunciado em pessoas com carga viral detectável. Os autores desse estudo sugerem que a absorção de álcool pode ser maior em pessoas com infecção pelo HIV não tratada devido à “disfunção da barreira intestinal”, e ao fato do índice de massa corporal ser, em média, menor em pessoas com HIV. Outro estudo descobriu que os níveis de álcool no sangue são mais elevados em infecções por HIV não tratadas. Os pesquisadores concluíram que “indivíduos soropositivos que consomem mais de 30 drinques por mês estão em maior risco de mortalidade, por todas as causas e fragilidade fisiológica.”

 

Implicações para as recomendações sobre consumo de álcool

Trinta doses por mês pode não parecer muito, mas diferentes países têm diferentes formas de calcular o consumo de álcool. Nos Estados Unidos, uma “dose padrão” contém 14g de álcool. Na Austrália, uma “bebida padrão”contém 10g de álcool. No Reino Unido, uma “unidade” de álcool contém 8g de álcool. Em unidades do Reino Unido, 70 drinques por mês é o equivalente a 30 unidades por semana, enquanto 30 drinques por mês — o nível em que o dano se tornou evidente na coorte de veteranos norte-americanos — é o equivalente a 13 unidades por semana — quase o mesmo que o novo limite para consumo mais seguro de álcool recomendado para a população em geral pelo Departamento de Saúde do Reino Unido no mês passado (de 14 unidades).

Em termos práticos, o Reino Unido recomenda beber não mais do que seis copos de vinho, ou seis litros de cerveja, ou 14 pequenas medidas de bebida, a cada semana, distribuídos por vários dias.

Como as pessoas escolhem interpretar estes resultados vai depender de sua atitude diante do risco. Para alguns, a abstinência total pode ser a única maneira confortável de lidar com o risco relacionado ao álcool, mas outros podem concluir que o aumento do risco absoluto de efeitos nocivos do álcool para pessoas com HIV detectado neste estudo é pequeno o suficiente para fazer pouca diferença sobre seus pontos de vista a respeito do consumo de álcool.

A principal limitação deste estudo é que ele olhou para o consumo de álcool apenas em homens. Mais pesquisas são necessárias em uma grande coorte de mulheres com HIV, onde possam ser gravadas informações confiáveis ​​sobre o consumo de álcool. No entanto, o maior dano causado por uma unidade de álcool em mulheres já está bem estabelecido, o que sugere que os resultados para os homens são susceptíveis de serem aplicados às mulheres, embora em níveis mais baixos de consumo de álcool.

Em 10 de fevereiro de 2016 por Aidsmap

Referências: Justice A et al. Risk of mortality and physiologic injury evident with lower alcohol exposure among HIV infected compared with uninfected men. Drug and Alcohol Dependence, advance online publication, February 2016. McGinnis K et al. Number of drinks needed to “feel a buzz” by HIV status and viral load in men. AIDS & Behavior, advance online publication 17 April 2015.
Anúncios

88 comentários

  1. Homem23:55 diz

    É como eu disse…
    Quem escolheu tomar a TARV, optou pela saúde, optou por viver mais…

    É incoerente ingerir bebidas alcoólicas.

    • P+ diz

      Você não está vendo pelo lado de quem bebe socialmente. Não é porque escolhemos o TARV (e eu escolhi desde o dia do meu diagnóstico, em setembro passado) que precisamos nos restringir a tudo que possa (possa, não necessariamente irá) nos fazer mal.
      Sou jovem (20 anos), sou universitário, sou pesquisar junior, sou baladeiro, e gosto de tomar cerveja e chopp (recomendo de o vinho).
      Evito tomar destilados, e evito exagerar também. Eu optei por VIVER mais, e não apenas existir. A vida continua, gente. A única diferença é o comprimido diário (e faz tanta diferença assim?).
      Abraços 😊

      • Homem23:55 diz

        P+
        Seu ponto de vista! Sejamos felizes!!
        Tem mundo pra todos!! hahhaha

        “Como as pessoas escolhem interpretar estes resultados vai depender de sua atitude diante do risco. Para alguns, a abstinência total pode ser a única maneira confortável de lidar com o risco relacionado ao álcool, mas outros podem concluir que o aumento do risco absoluto de efeitos nocivos do álcool para pessoas com HIV detectado neste estudo é pequeno o suficiente para fazer pouca diferença sobre seus pontos de vista a respeito do consumo de álcool.”

        Abraço

      • WB diz

        Gostei da parte: “eu optei por viver mais, e não apenas existir” -penso da mesma forma!

        • Paulo Roberto diz

          Tá, a frase é muito bonita… Mas para alguém VIVER e não APENAS EXISTIR, essa pessoa PRECISA de álcool?
          Eu penso que não. Já bebi muito, hoje bebo socialmente, mas mesmo assim estou revendo meus conceitos. Há o cigarro também, um problema sério que eu tenho enfrentado. Sinto dificuldade em largar, embora fume pouco.
          Para mim, álcool e cigarro são UM PAR DE MULETAS.
          Como disse, depois dessa postagem vou rever minha DECISÃO DE VIVER. E viver SEM MULETAS.

      • Pedro diz

        Acho um pouco egoista esse comentario, ninguem é sozinho no mundo,sua saude esta ligada diretamente, a felicidade das pessoas que vc ama, e que te amam também. Voce estando doente, todos ao seu redor adoecem. Se precisa de alcool pra viver, ou ser feliz, entao vc não esta vivendo. Eu preciso de saúde pra viver, preciso de pessoas que gostem de mim ao meu lado, preciso da felicidade delas, ao amor companheirismo. Ser feliz, sim, é viver. Se a restrição de alcool, melhora minha saude, ou é um fator de risco a menos na minha vida, pq nao aderir a isso? Meu namorado é soropositivo, eu nao. E me doi muito quando qualquer coisa acontece com ele, ate uma gripe, pra mim é motivo de preocupação. Esta mais q provado que o alcool, nao faz bem a saude de qualquer pessoa. Entao porque não evitar ou restringir o consumo??

    • P+ diz

      Homem23:55, claro que tem mundo pra todos!
      Só não vale julgar os amiguinhos que (like me) gostam de tomar uma cervejinha no fim de semana. Essa é uma pesquisa, como tantas, e como o título mesmo fala, sugere que o álcool “pode” ser mais prejudicial para nós. Mas também podemos desenvolver outras doenças, como também sugerem outras pesquisas.
      O que quero dizer é que sim, devemos nos cuidar. Entretanto, para mim, precisamos ser mais positivos na vida. Nossa positividade não deve se restringir à nossa sorologia para o HIV. A vida traz mais coisas boas do que ruins. Vamos aproveitá-las e seguir em frente.
      Se não estamos menos saudáveis, se não estamos passando por dificuldades, se não morremos ontem, hoje também é nosso dia de viver. 😉
      Abraços!

      • Homem23:55 diz

        P+

        Obrigado pelas dicas.

        Minha intenção foi outra, estou sempre por aqui e já conversei sobre isso em outros posts por isso me referi “É como eu disse”…

        De certa forma foi legal, pois a maioria do pessoal respeitou e expôs seu ponto. E todos refletimos juntos.

        Quanto ao julgar, não me cabe nem a moral, porque antes de HIV eu vivia bêbado.
        Foi apenas um ponto de vista, ao qual neste momento serve a mim…

        Concordo contigo, que cada um tem uma forma de viver e isso que dá graça à existência, pois somos todos diferentes.

        abraco

        • Paulo Roberto diz

          Amigo Homem23:55,
          No início deste mês eu conheci uma comunidade de VEGANOS. Sim, aquelas pessoas que não comem carne, nem ovos, nem nada de produtos lácteos. Eles também não bebem, não fumam e nem usam nenhuma droga.
          Compraram um sítio bem grande aqui perto da minha cidade e eles mesmos plantam e colhem a maior parte do que consomem.
          Notei a presença de um senhor que, muito ativo nos trabalhos, parecia ser um pouco mais velho do que eu (tenho 49). Pois é. Mas ele tem mais de 70 anos!!!
          Ao escolher a propriedade que compraram, eles verificaram até mesmo a qualidade da nascente de água!!!
          Pode parecer bobagem, mas nem um deles sequer tem problemas crônicos de saúde, como hipertensão, diabetes, essas coisas.
          Juro que tive vontade de me juntar a eles. E estou pensando seriamente no caso, embora para mim, no momento, isso seja impossível. Mas estou fazendo planos…
          Os produtos que eles não têm como produzir em seu sítio, eles encomendam de uma firma que não me lembro o nome, mas, segundo eles, é uma das únicas confiáveis, que não usa agrotóxico nem nenhum tipo de adubo químico em sua produção: arroz integral, vermelho (eu nunca tinha visto antes), granola, frutas secas, essas coisas.
          Também conhecem muito a respeito de plantas medicinais.
          Não utilizam açúcar (eles têm um adoçante natural), enfim, é uma comunidade muito consciente dos males que a química provoca em nosso organismo.
          Admiro tua determinação em zerar o consumo de bebida. Queria fazer o mesmo com o cigarro, que não largo por falta de coragem.
          Quanto à bebida, passei dez anos sem ingerir uma gota de álcool sequer. Voltei a beber, mas muito pouco, no ano passado. Uma taça de vinho aos domingos, às vezes uma cervejinha aos sábados… Mesmo assim, em casa, pois dirigir bêbado é muita irresponsabilidade.
          Enfim, quero te dizer que a cada postagem tua eu te admiro mais, pela tua força, pela tua fé, pela esperança que você traz em suas palavras.
          Grande abraço
          Paulo Roberto

          • Zimba diz

            Paulo,
            bacana cara!
            Sou vegano tem 5 anos e não vivo em sítio, infelizmente, mas dá pra viver uma vida mais “natural” na cidade grande, sim!
            Lógico que vc vai ouvir 1000 piadas de gente chata e inconveniente …. mas isso pouco importa!
            Em relação ao dia-dia, na verdade Veganos não consomem produtos de origem animal, sendo alimentação, vestuário ou qualquer outra coisa… Mas em relação as outras coisas, bebida por exemplo, não tem nada a ver… Lógico que vai de cada um saber o que é melhor pra si… Mas o foco desse estilo de vida é o respeito aos animais, exclusivamente!
            Acredito que isso ligado ao cuiidado com a saúde no nosso caso ajuda muito!
            abração

            • Paulo Roberto diz

              Ow, Zimba… Eu amo os animais. Como carne, sim, é verdade, mas é uma questão de ter sido criado dessa forma.
              Amo e protejo os animais. Ajudo a uma associação de proteção aos animais aqui em minha pequena cidade sempre que posso. Até há pouco tempo eu tinha gatos e cachorros, mas eles foram morrendo de velhice e eu acabei por me mudar para um apartamento, onde não é permitido ter animais.
              Os cachorros que restaram eu doei para um amigo que mora num sítio.
              Os passarinhos vêm comer o alpiste e semente que coloco em minha varanda, e uma rolinha fez um ninho num vaso de plantas, chocou os ovos e lá estão vivendo…
              Eu estou pensando seriamente na possibilidade de “virar” vegano, mas tenho dúvidas quando à nutrição e também se vou aguentar ficar sem carne, leite, ovos e queijo – ADORO QUEIJO, com goiabada, pois sou mineiríssimo!
              Mas prometo que assim que puder vou fazer outra visita à comunidade e me inteirar melhor dos fatos.
              Grande abraço!!!

              • Zimba diz

                Paulo, não quero te julgar… mas tbm fui criado dessa forma e meus pais comem mais carne que um leão! 😦
                Na minha casa o freezer é até o topo de tanta carne que tem, o que eu considero ruim, mas não posso fazer a cabeça de ninguém, né? Tento ajudar da maneira que dá!
                A questão mesmo é força de vontade! Ter um ideal, procurar mudar o paladar, pq SIM, nós somos acostumados com essa alimentação que fomos criados!
                Eu odiava saladas, odiava comida integral e hj aprendi a não só gostar como ter necessidade de comer isso todo dia!
                Não consigo nem ver carnes na minha frente, e olha que eu comia muito! É tudo questão de adaptação, entende?
                Não vai pelos outros, e sim pelo que vc sente!
                Eu fui mt criticado ,mas mantive o que eu quis e hj nem que eu quisesse voltaria a comer…
                Enfim, o que eu indicaria é começar aos poucos.
                Iniciei parando de comer carnes vermelhas… 3 meses depois cortei frango, peixes e tudo que vinha deles… E mais adiante, por vontade própria cortei leite, derivados, ovos, e tudo que vem origem animal… É um processo que vc mesmo vai sentir vontade quando começar a mudar.
                Acredito, com toda ctz, que isso me ajudou muito a me manter saudável, mesmo sendo soro+.
                Meu infecto se impressionou com meus exames, tanto de glicose,como colesterol bom e ruim, entre outras coisas…
                Segundo ele, se eu n tivesse sentido a fase aguda do HIV, jamais saberia a sorologia tão cedo.

                Se quiser conversar: diegocardoso1986@hotmail.com

              • Zimba diz

                Paulo, sem contar que existem versões de queijo sem origem animal que, acredite, o gosto e a textura é praticamente a mesma!
                Procure: Mandiokeijo! Top demais! sem contar que é gordura zero!
                Mas te dizer que ao mudar de alimentação, perdi alguns vícios, como próprio queijo mesmo!
                Hj como naquela vontade exagerada mesmo.. Vc acaba aprendendo a ter controle de si!
                Melhor decisão da minha vida, pode ter certeza!

            • Homem23:55 diz

              Oi Zimba,

              Tudo bem?
              Estou pensando em me tornar ovolacto, mas tenho receio pelo ser soro+

              Podemos conversar por email?
              Caso sim, meu email e:
              homemsoropositivo@hotmail.com

              Paulo Roberto,

              Tenho certeza que no momento certo, você deixará o cigarro. O fato de perceber, já e um primeiro passo…

              Obrigado! Conte comigo!!

              abraco

              • Zimba diz

                Homem 23:55, relatei para o Paulo Roberto no texto acima como foi meu processo de mudança.
                Comecei mesmo sendo ovo-lacto, e minha saúde já melhorou dai por diante…
                A questão ser soro+ não vai mudar, pelo contrário, vai te ajudar a se manter saudável.
                Meu índice de colesterol é baixíssimo, glicose muito menos.
                Sem contar que treino feito um condenado, braço 42cm, corpo trincadão e só com proteínas vegetais, desde 2010.
                1,81 já pesei 91kg com 5%de gordura corporal… Depois de descobrir a minha sorologia, acabei desanimado e fui até 82kg, mas ergui a cabeça e já to com 86kgs novamente!

                manda um e-mail ai:
                diegocardoso1986@hotmail.com

      • ROCK HUDSON diz

        Acho que o álcool é uma bomba para qualquer um que tome medicamentos controlados ou fortes e que podem impactar a saúde de um modo geral. Mas cada um sabe de si. Por exemplo muitos sabiam dos riscos de transar sem camisinha e certamente pesaram os prós e contras.
        Outra coisa, mania que esse povo tem de achar que qualquer um que pensa diferente dele o está “julgando” , e mesmo que fosse? Eu posso emitir a minha opinião sobre qualquer assunto, esse é um direito constitucional. Quem beber vai se ferrar mais cedo ou mais tarde. Se eu estou julgando vocês? foda-se.

        • Paulo Roberto diz

          Por isso é que eu postei lá em cima que, PARA MIM, álcool e cigarro são UM PAR DE MULETAS, Rock… Estou sim, decidido a repensar sobre essas duas coisas: sei que vou precisar de ajuda para deixar o cigarro, e vou procurar amanhã mesmo um Posto de Saúde e me inscrever em um programa antitabagismo, embora eu fume muito pouco (quatro a seis cigarros por dia) e beba menos ainda.
          Não foi minha intenção julgar ninguém. Estou julgando a mim mesmo.
          Abçs
          Paulo Roberto

      • Rick diz

        Pois é Paulo, com tantas, festas, shows, aniversários e comemorações acho justo tomar uma cervejinha, vinho, vodka ou sei lá o quê… É óbvio que ninguém vai fazer isso todos os dias né? E acredito que não influencie no tratamento… Meu médico me disse que só NÃO PODE ESQUECER DE TOMAR OS MEDICAMENTOS….

  2. Juka diz

    Eu entendi bem?? 6litros de cerveja por semana?? Eu então to na média já q não devo beber nem três litros…

  3. Pedro diz

    Eu acredito que tudo moderado não tem problema algum… Não adianta postar “sermão” ou contar vitória só porque você não bebe nenhum tipo de álcool por escolha própria. Existem pessoas que bem socialmente, que não enchem a cara, que bebem apenas em alguns fds (como já disse) e se isso está associado com uma vida saudável em outros fatores como: alimentação, exercícios diários e outros cuidados com a saúde não há mal algum. Façam seus exames regularmente, acompanhados de seus médicos e trilhem o caminho da VIDA . grande abraço.

    • ROCK HUDSON diz

      Tudo moderado não tem problema algum? Será mesmo? Muitos faziam sexo sem proteção “moderadamente” e creio que não têm essa mesma opinião. Outros usaram drogas “moderadamente” e hoje nem estão mais aqui. Em certos coisas a radicalização é necessária. TARV e álcool não combinam, é bomba !!!

  4. kaio diz

    Acredito que enquanto soropositivos é necessário refletirmos sobre os efeitos a longo prazo. Essa história de que para curtir é preciso estar bêbado é mito. Meu infectologista defende: quanto menos bebida melhor. Antes do HIV eu bebia pelo menos três vezes por semana com os amigos e fumava 40 cigarros por dia. Hoje, um ano e meio depois, dá pra contar nos dedos as vezes que bebi uma cerveja, além de ter parado com o cigarro. Saúde à todos! Vamos nos cuidar galera! Bjo

    • Paulo Roberto diz

      KAIO,
      então me diga: como você conseguiu parar de fumar?
      Pergunto porque, embora fume pouco e mesmo assim, cigarros considerados fracos, eu não consegui parar.
      Perco o sono, fico nervoso, angustiado, andando de um lado para o outro, com um mau-humor insuportável. E, por incrível que possa parecer, quando estou sem o cigarro, minha pressão SOBE.
      Como você conseguiu a proeza de parar de fumar?

      • davi-pe diz

        Paulo Roberto… Tbm não consigo largar o cigarro, ate falei pro meu medico e ele pergtou se eu fumava mto…ai falei q não então ele pediu pra manerar mesmo e q bom seria deixar.

        • Paulo Roberto diz

          Pois é, Davi, mas eu tenho dificuldade em deixar de fumar, apesar de fumar pouco.
          Hoje fui ao Posto de Saúde, mas o médico que cuida da terapia antitabagismo está de férias.
          Vou aguardar até que ele volte.

  5. Juka diz

    Ah não, minha cervejinha de domingo vou ter q parar? Não!!! Basta de tantas renúncias. O que vale uma vida longa de renúncias e privações ou uma vida média vivendo e tendo prazeres e momentos de descontração???

  6. Luiz diz

    Js… Por favor.. Seria legal um post sobre zika/chicungunha/dengue.

      • Luis diz

        Kkkkkkkkkkkk… Não js..sobre orientações específicas, Pq eu li que tem imunidade mais baixa está sujeita a complicações, queria saber se isso procede. Meu infecto disse pra eu não me preocupar, mas…

        • Luis,

          Se a sua contagem de CD4 estiver normal, seu sistema imune responderá como o de um soronegativo a essas infecções. Inexiste razão para se preocupar mesmo.

          Abraço

    • Cezar diz

      Saiu matérias que mostra que o tal zika TB se esconde em áreas do corpo onde o ‘sistema imunológico não chega’. Sorte que não ataca o cd4, não eh mesmo?

      • Dani Santos diz

        kk já pensou, com HIV e agora ZIKA. A pessoa é um poço de vírus kk

    • Paulo Roberto diz

      Taí, Luiz. Com a palavra, a mulher-sapiens, criadora da mosquita:


      Só prá descontrair um pouco…

  7. Maxwell diz

    Não bebo álcool algum (nem socialmente) mesmo antes do diagnóstico. Escolha minha. Mas compactuo com o pensamento do Juka: “O que vale uma vida longa de renúncias e privações ou uma vida média vivendo e tendo prazeres e momentos de descontração???”
    Tudo que é em excesso faz mal. Posso dizer que mais fará mal ao nosso organismo a ingestão de medicamentos todo o santo dia do que beber socialmente e esporadicamente.
    Preferia morrer aos 50 anos aproveitando o máximo de minha juventude e vida adulta a viver 90 anos me restringindo das coisas que me fazem feliz.

    • Bruno + diz

      Detesto sermão de gnte que não bebe !! ” quase apontando ” tá vendo, eu falei ”
      O comprimido diário vai fazer muito mais mal a longo prazo, do que uma cerveja moderada . Encher a cara todo dia EH uma coisa, beber socialmente no final de semana é outra ! Vida é vida, tem HIV, não EH deixar de ter vida ou ser feliz, ter HIV EH ser mais consciente e se amar mais, e não se restringir de tudo.

  8. Thiago + diz

    Ainda bem que essa notícia veio depois do carnaval !
    Eu de qualquer forma, anônimos deixar de beber mesmo !

  9. VIDAQUESEGUE diz

    Olá P+ concordo com você viu, na vida tudo tem que ter moderação não adianta ficarmos encanados com as coisas e deixar de viver e apenas existir eu optei por dar um tempo na bebida mas por conta do meu cd4 mas assim que me recuperar totalmente vou conversar com meu médico e falar abertamente que bebo socialmente aos finais de semana sem grandes exageros.

    • P+ diz

      Sim, verdade!
      Eu não tive esse problema porque meu CD4 está bom (ainda bem rs).
      2 ou 3 copos no fim de semana não farão mal. Aquela baladinha que a gente quer tanto ir também não vai fará. Aquela viagem pro litoral pro refrescar a cabeça muito menos…
      Vamos continuar estudando, trabalhando, festando, beijando na boca, transando, mandando nudes (tô aceitando, viu gente? :p)… Como seu nome aí, “vida que segue”.
      Abraços!

  10. Edy diz

    Ola amigos e amigas voltei tava de férias então esse problema de beber ou não vai de cada um eu bebo mais socialmente em festa ou quando saio com um dos meus irmão é gosto quando vc encontra alguns amigos ou familiares e bebe uma cervejinha mais é como dizem cada um abe de si proprio

    • Renato,

      Essa notícia que você compartilhou é reprodução de uma notícia publicada em 2013, pelo jornal britânico The Telegraph.

      O jornalista que escreveu a matéria exagerou um pouco no otimismo e escreveu uma machete que dava margem de erro à interpretações. No subtítulo da machete dizia que “Os primeiros resultados são esperados ‘em alguns meses’” — e não a cura em si. Somente no texto da notícia é que o jornalista esclarece que “cinco anos” seria um prazo razoável para a conclusão da pesquisa e possivelmente a cura do HIV.

      Os próprios pesquisadores dinamarqueses, ativistas e outros veículos de imprensa menos sensacionalistas publicaram erratas logo em seguida.

      Os pesquisadores dinamarqueses continuam a pesquisar sobre a cura, mas nada indica que ela vem em poucos meses — assim como não veio em 2013.

    • Renato diz

      Vi hoje circular pelo FB e não vi a data. Mea culpa. Talvez seja melhor remover o post, então. De qualquer forma, aproveito para dizer que te enviei uma mensagem há umas semanas relatando um blog que copiou indevidamente um texto seu como se fosse daquele blogueiro. Lá no email tem o link. Um abraço e parabéns pelo seu blog. Sou seguidor.

  11. Dante diz

    Gente, álcool é nocivo pra quem bebe até cair todo dia, não vamos pirar… A única coisa que parei foi com os destilados porque, PRA MIM, sempre foram mais agressivos! Digo, pro MEU organismo)!

  12. Gustavo diz

    Eu bebo as vezes…. Como eu nao saio yodo fds, e eu so bebo quando eu saio, entao acho q bebo pouco. Acho q tudo controlado pode. Todos nós sabemos q uma vida totalmente contraria do obvio da saúde como nao fazer exercícios, comer tudo qegordura eaunda por cima encher a cara sempre, faz com q deminua a saúde. Mas a vida ta ae gente… Vamos viveeeeeer… #soumuitofeliz

  13. jc diz

    Eu bebo sim…estou vivendo !. Tem gente que não bebe e tá morrendo…

  14. CarlosMG diz

    Bom,

    o HIV chegou para mim e duas mensagens sobressaíram: a necessidade de cuidar da saúde com afinco; a importância de curtir a vida, nossos amigos, família e amores.

    Desta forma, tento equilibrar saúde com as oportunidades de estar com quem eu gosto e fazendo o que eu gosto. Bebo sim, mas em uma quantidade e frequência menor. Não vou me privar de tudo. Trabalho a todo tempo pra pensar que tenho que ter atenção redobrada com a saúde, mas isso não faz de mim um ser extraterrestre.

    Enfim, meus colegas de luta, gostaria muito de trocar mais experiências e conversar com vocês, que produzem comentários e mensagens tão legais. Vocês tem algum grupo no KIK?

  15. ...tHeCuRe!!! diz

    …bebo porque é líquido se fosse sólido comelo-ia!!! mais vale ser soropositivo vendo o mundo girar do que parado no tempo esperando a morte chegarrr!!!

  16. excesso não é bom pra ninguém…
    a vida continua…
    acredito em possibilidades e não em restrições extremas
    cada um sabe o melhor pra si.
    como o colega bem disse acima: “eu optei por viver mais, e não apenas existir”
    gde abraço
    CB

  17. Gil diz

    Eu, como bom catarinense, adoro cerveja! Minha infecto, hiper religiosa e conservadora, diz que o álcool interfere no efeito das TARV, mas vi muita crença e moralismo no discurso. Aí, li, pesquisei, consultei outros médicos e, no máximo, vi um estudo que afirma que o álcool em maiores quantidades atrasa em até 40% a absorção de um dos remédios. Cada um precisa saber onde seu calo aperta, mas que esteja bem informado!
    Só diminuí a cerveja para duas a três latinhas diárias entre sexta e domingo, e nem sempre.
    Estou indetectável e curei-me da hepatite B, que estava em remissão. Ainda assim, uns tem o fígado e o intestino mais sensível que o outro.
    Sabemos que a TARV afeta o fígado, mas isso não quer dizer que o corpo vai pifar de vez amanhã por causa de umas latas… moderação, otimismo, disciplina com a medicação e fé na cura!

  18. Oi gente sou enebiafa chequei aqui no blog destruida arrasada pois descobri meu diagnóstico pois pretendo engravidar e ai paaaa po si ti vo lembro desse dia e nunca vou me esquece todo ano sempre fazia exame sempre fui namoradora mais me cuidava tinham vários exames negativo e no dia falei pra medica fala logo que tenho que trabalhar toda segura de mim sabe .confesso que meu último exame tinha dois anos e a duvida e se pequei do meu ex ou meu atual mais não tenho coragem de preucura meu ex pois se não foi ele ele com certeza vai espalha pra todo mundo esse blogo Jovemsoropositivo.com foi minha luz no fim do túnel hoje tem 4 meses comecei a medicação tem cinco dias esperei passa as festas fim do ano e carnaval meu cd4 está muito bom assim a medica falou e quanse não to sentido enfeito colaterais ate agora sou uma beberona de vira noite com os amigos bebendo e fazendo churrasco mais falei pra mim mesma que vou para de beber pelo menos nada de cervejada pelos uns três a quatro meses e depois so de leve quero viver e viver bem essa e minha meta agora que bom que tem esse blog maravilhoso Jovemsoropositivo.com não sei o que seria de mim sem ele obrigado gente e e isso to bem mais tranquila e ainda penso em ter meu bebê sei que não vou amamentar e vai ser cesariana mais não perdi a esperança pois tenho dificuldade pra engravidar mais so posso engravidar daqui a seis meses quando ficar indetetctivel e isso falei a bessa kkkkkkkkk

    • Juka diz

      Oi amor, tbem descobri q era positivo qdo fui fazer exames para engravidar uma amiga(inseminação) .era meu maior sonho, aliás, é.infelizmente a dor foi pior pq eu queria q esse pesadelo acontecesse depois q eu tivesse meu filho…mas não controlamos o destino né? Q deus possa nos iluminar….

    • Pedro diz

      eneaibfa
      Esses sonhos passam, os meus pareciam intermináveis, porém passou.

  19. R_ diz

    Pessoal eu comecei o tratamento em 02/12 e nessa semana estou sentindo muita dores nas costas, vcs tem algum tipo de dor, estou tomando dorflex todos dia para suportar e umas dores de cabeça tb… Alguém sabe se é normal ?

    • R_

      Talvez nem sejam causadas pelo tratamento, essas dores. Espere uma semana ou duas; se não melhorar, vá ao seu infecto. O próprio nervosismo de estar começando o tratamento pode causar isso.

      Qual é o seu esquema?

      Abraço

      • Barasa
        Estou tomando 3×1 antes de dormir, só as dores q estão me encomodando agora 😪

    • Matheus diz

      Davi eu tenho una gânglios palpáveis…mas é bem abaixo do queixo…nunca sumiram,mas tbm nunca aumentaram e são indolores.

  20. Edu diz

    Pessoal,
    Não precisamos exagerar e sair cortando tudo de uma vez, estou com a galera que bebe socialmente, vez ou outra, sem se embriagar, cair e vomitar. Esse comportamento faz mal a qq pessoa, independente da sorologia.
    Parei com o cigarro um mês após o diagnóstico, pq já o devia ter feito antes. Faz mal pra td mundo, independente da sorologia também. Eu fumava pouco e fumava pq gostava.
    O que todo soropositivo precisa é cuidar da sua saúde, não apenas no que diz respeito ao álcool, às drogas, mas também aos açúcares, às gorduras, enfim, à alimentação. Mas isso não deveria ser feito por todos, independente de suas sorologias? Pois é!

    Kik Edu.1978

  21. Joseph diz

    Quando vou beber, no dia tomo muita água, muito suco detoxi e como muitas verduras. No dia seguinte, triplico tudo isso. E olha, que só costumo tomar uns 4 copos de catuaba (bem no máximo), porque fico chapado logo.
    Comigo não tem sobrevida nenhuma, tem é vida após hiv.

  22. P+ diz

    Pessoas, para quem está indetectável, vocês demoraram para alcançá-la?
    Em 3 meses e meio de tratamento minha CV caiu de 7000 para 500, mas meu infectologista disse que o ideal era que ela já estivesse indetectável.
    Mês que vem vou fazer outra CV, só que tenho um pouco de receio de continuar detectável e ter que mudar a medicação. Meu infectologista disse que isso é normal e que a CV pode levar até 6 meses pra ficar indetectável, mas não é o ideal. Por isso minha preocupação.
    Abraços!

  23. Pablo diz

    Boa noite. Gostaria de saber se os portadores de hiv tem direito a isenção do imposto de renda estando na ativa? O meu FGTS consegui sacar bem de boa.

    • “Isenção no Imposto de Renda:

      A pessoa que foi diagnosticada com Aids pode receber os valores, em razão de aposentadoria, reforma ou pensão, isentos de imposto de renda. Para reconhecimento de isenção, a doença deve ser comprovada mediante laudo pericial emitido por serviço médico oficial da União, dos Estados, do DF e dos Municípios, devendo ser fixado o prazo de validade do laudo pericial, no caso de doenças passíveis de controle.

      Os rendimentos recebidos de aposentadoria ou pensão, embora acumuladamente, não sofrem tributação por força do disposto na Lei 7.713/88, que isenta referidos rendimentos recebidos por portador de doença grave. A isenção aplica-se aos rendimentos de aposentadoria, reforma ou pensão, inclusive os recebidos acumuladamente, relativos a período anterior à data em que foi contraída a moléstia grave, desde que percebidos a partir:

      Do mês da concessão da pensão, aposentadoria ou reforma, se a doença for preexistente ou a aposentadoria ou reforma for por ela motivada;

      Do mês da emissão do laudo pericial que reconhecer a doença contraída após a aposentadoria, reforma ou concessão da pensão;

      Da data em que a doença for contraída, quando identificada no laudo pericial emitido posteriormente à concessão da pensão, aposentadoria ou reforma.

      A comprovação deve ser feita mediante laudo pericial emitido por serviço médico oficial da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios.

      É isenta do imposto de renda, a complementação de aposentadoria, reforma ou pensão, recebida de entidade de previdência privada, Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi) ou Programa Gerador de Benefício Livre (PGBL), exceto a pensão decorrente de doença profissional.

      Por fim, os valores recebidos a título de pensão, em cumprimento de acordo ou decisão judicial, inclusive a prestação de alimentos provisionais, estão contemplados pela isenção de portadores de moléstia grave.”

      Veja mais aqui.

      • Gil diz

        Caro JS…
        Por favor, ilumine-me na minha doce ignorância…
        Eu NÃO fui diagnosticado com AIDS, tenho, a exemplo de ti e da maioria aqui, o virus, mas sem desenvolver, estou saudável e tal…
        Mas se levar o diagnóstico, com laudo médico de que sou soropositivo, eu fico isento do Leão? A lei faz a diferenciação entre soropositivo e doente?
        Desculpe perguntar, mas é uma dúvida que me faz ficar otimista, não tive coragem de sair expondo ao meu contador, que é também um colega em comum do meu círculo de amizades… Tens como clarear?
        Abraço e Obrigado!

  24. Leo diz

    Por favor, alguém me ajude. Passei em um concurso público e serei chamado esse mês ainda para minha nomeação. Eis que fui olhar os exames necessários que devo fazer, e fiquei apavorado. Entre eles estão: tsh, t3, t4, tds de hepatites, vdrl, celula l.e, antiestreptosolina, fator reumatico, acído urico, creatinina, hemograma plaquetas, glicemia jejum, trigli, colest total, laudo dermatológico, psiquiatrico, cardiológico, raio x torax com laudo, e mais um bocado de exame. Alguém em tarv ja fez esses exames seja pra adm. pública ou privada? Abraços.

    • Gil diz

      Ninguém pode pedir exames para HIV como testes de seleção. E estando bem de saúde, sem algum fator impeditivo para o exercício imediato da função, não pode ser barrado da posse do cargo. Mesmo que fosse doença degenerativa, câncer, com prognóstico ruim, ainda assim, no momento da posse, estando bem, a lei te garante a posse do cargo e o exercício da função. Eu estive em dúvida pela mesma situação que a sua (aprovado em concurso) e consultei um advogado que me explicou isso e li outras jurisprudências.

  25. Henrique diz

    Uma pessoa indetectável e tomando a medicação depois de anos tem chance de desenvolver AIDS? Ou não tem chances?

  26. Galera, desculpa usar esse espaço pra isso… Acontece que to numa fase muito difícil, sei que todo mundo teve essa fase, mas só queria desabafar 😦 to muito triste, não quero parecer egoísta, nada disso. É pq eu sou muito novo, nunca imaginei que passaria por essa situação. Eu queria dar um fim nisso tudo, to péssimo 😦 só não o faço por causa da minha mãe. Nem o ensino médio eu terminei, o meu último ano começou agora e eu só fui um dia, e ainda saí mais cedo pq estou muito mal, fisicamente e emocionalmente falando. Ninguém ao meu redor me entende, só fico dentro de casa o dia inteiro, nem na varanda eu vou! Tudo que eu quero é me sentir bem de novo…

    • P+ diz

      Todos nós tivemos essa fase de luto, Felipe. Ninguém imaginava passar por isso. Ninguém queria ter passado por isso, aliás. Mas passamos, e ainda estamos aqui.
      Chore, chore bastante. Deixe sair. Aproveite o fim de semana e conheça o HIV, e que existe vida após o diagnóstico positivo. Que você não morreu ontem, que hoje você também pode viver.
      Que você, como eu, e como todos aqui, tem um futuro pela frente. Temos que realizar nossos sonhos. Temos que nos divertir, estudar, trabalhar, amar nossa família e amigos.
      Vá ao CTA, converse com o psicólogo. E se permite alguns dias de luto. E quando estes dias voltarem, se permita de novo. E quando eles passarem, veja que a vida é muito maior que o HIV.
      Comece o tratamento, se alimente melhor, faça atividades físicas. Continue sua vida. Mantenha sua mente ocupada. Pode demorar mais uma semana. Pode demorar mais um mês. Mas você vai acordar e ver que está bem novamente. E tudo vai valer a pena.
      Abraços. 😀

    • Ra diz

      Felipe..não fique assim!! Posso te garantir que tudo passa e sua vida continua normalmente.. se quiser um amigo para conversar, só mandar um e-mail escorpions67 gmail.com! Abraços

  27. Boa noite !
    O que posso dizer sobre ser soro positivo… Que superei a fase do susto que hoje estou bem e que me tornei uma pessoa melhor ! Preconceito ? Muito ainda mas as pessoas que importam estão ao meu lado.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s