Notícias
Comentários 38

Sangamo divulga dados de dois estudos de terapia genética


Sangamo

A Sangamo BioSciences Inc., líder em edição terapêutica de genoma, anunciou a divulgação dos dados da Fase 2 de dois estudos clínicos da companhia que estão curso, (coorte 3* SB-728-1101 e SB-728-MR-1401) de SB-728-T, que estão sendo desenvolvidos para o controle funcional do HIV/aids. Os dados comparativos preliminares sugerem que a aplicação adenoviral de nucleases de dedo de zinco (ZFNs) em células T pode ter efeito imuno-estimulador único, para o controle da infecção aguda e, mais importante, para a redução do reservatório de HIV.

“Os dados preliminares da Fase 2 sugerem superioridade do produto SB-728-T, o qual foi aplicado às células CD4 e CD8 através de adenovírus, administrado em dois dos três indivíduos tratados inicialmente e fora de terapia antirretroviral há mais de um ano”, afirmou o Dr. Dale Ando, vice-presidente de desenvolvimento terapêutico e diretor médico oficial da Sangamo. “O adenovírus utilizado para entregar os ZFNs de modificação de CCR5 em células-T pode atuar como um ‘adjuvante’, proporcionando estimulação imunológica adicional, além do pré-condicionamento oferecido pelo medicamento Cytoxan (ciclofosfamida), e aumentando a expansão das células CD8, uma vez que são infundidas de volta para o indivíduo. Esta expansão pode aumentar a probabilidade de controle da carga viral, mesmo na ausência da terapia antirretroviral, particularmente em indivíduos infectados pelo HIV que apresentam apenas um repertório limitado de atividade anti-HIV.”

“A proporção de indivíduos tratados que estabeleceram controle da carga viral é impressionante e pode refletir a reprogramação do sistema imunológico.”

“A proporção de indivíduos tratados na coorte 3* com adenovírus modificado que responderam e estabeleceram controle da carga viral mesmo na ausência de terapia antirretroviral é muito impressionante e pode refletir a reprogramação do sistema imunológico”, afirmou o codiretor Pierre Rafick Sekaly, Ph.D.,da CHAR Proteomic e Systems Biology Core do Departamento de Patologia da Case Western Reserve University. “Estes dados sugerem que a Sangamo desenvolveu um produto que pode potencialmente proteger o sistema imunológico, restaurando a homeostase das células T e a função das células T CD4, permitindo assim o controle imunológico durável do HIV pelas células T CD8.”

“A infusão de CCR5 modificado levou à restauração da homeostase de células T, reduzindo o reservatório de HIV ao longo do tempo.”

“A observação do controle funcional em alguns indivíduos da coorte 3* complementa a observação da redução significativa do reservatório de HIV na coorte de não-respondedores imunológicos (estudo SB-728-0902). Neste estudo, a infusão de CCR5 modificado em células T levou à restauração da homeostase de células T e a um subconjunto de células T de memória estaminais resistentes ao HIV, que foram efetivamente diluídas, reduzindo o reservatório de HIV ao longo do tempo”, comentou adiante o Dr. Sekaly.

Os dados demonstram que o SB-728-T produzido usando o RNA mensageiro (mRNA) e a entrega adenoviral de ZFNs para modificar o CCR5 das células T CD4 e CD8 foi seguro e bem tolerado, seguindo um regime Cytoxan. O produto que usa mRNA apresentou maior acumulação de células T CD4, CD8 e de células com CCR5 modificado, em três doses comparadas com 2 doses repetidas, com células modificadas persistindo na circulação. No entanto, os dados preliminares sugerem que a entrega adenoviral pode aumentar a expansão de células CD8 em comparação com a entrega do mRNA. Além disso, uma proporção mais elevada de indivíduos infectados com HIV tratados com o SB-728-T adenoviral alcançaram o controle durável da carga viral durante a interrupção de tratamento antirretroviral, do que aqueles tratados com um produto gerado utilizando entrega de mRNA ou a entrega adenoviral apenas de células CD4. Ambos os métodos de entrega alcançaram níveis semelhantes de CCR5 modificado em células T.

7-hiv-persistence-workshop

Os dados preliminares destes dois estudos de Fase 2 foram apresentados pelo Dr. Ando no 7º Workshop Internacional sobre Persistência do HIV Durante a Terapia, considerada a oficina de referência sobre reservatórios de HIV e estratégias de erradicação, que aconteceu em Miami, Flórida, entre 8 a 11 de dezembro de 2015. As análises que exploram o potencial do mecanismo de ação do SB-728-T na redução do reservatório de HIV em pacientes soropositivos não-respondedores imunológicos foram resumidas em uma apresentação feita pelo Dr. Sekaly, intitulada “A Resposta Antiinflamatória e a Cura do HIV”.

Estudos anteriores da Sangamo sobre o ZFP Therapeutic®, produzido usando a entrega adenoviral de ZFNs, utilizaram um produto de SB-728-T retirado de células CD8 e aplicado em células T CD4. Relatórios publicados anteriormente sugeriam que os indivíduos que controlam naturalmente a infecção pelo HIV, os chamados “controladores de elite”, ativam suas células CD8 com baixa expressão de CCR5. Por esta razão, o SB-728-T, avaliado em ambos os estudos descritos nesta apresentação, foi fabricado de forma a conter ambas células T CD4 e CD8 modificadas com ZFNs.

Os estudos compararam dois grupos de pacientes que receberam um tratamento de pré-condicionamento com Cytoxan e doses semelhantes de CD4 e células T CD8 modificadas através de ZFNs para interromper a expressão de CCR5, um co-receptor essencial para a entrada do HIV. Um grupo de indivíduos (coorte 3* SB-728-1101) recebeu uma única dose de células que foram modificadas utilizando ZFNs entregues numa formulação adenoviral, enquanto o segundo grupo (SB-728-MR-1401, n=8) recebeu uma dose equivalente total de células modificadas, distribuídas por dois ou três tratamentos, que tinham sido fabricadas utilizando eletroporação de ZFNs entregue com mRNA. Na coorte 3* foram tratadas quatro pessoas (de um total previsto de oito indivíduos) e três indivíduos completaram o protocolo de 16 semanas com interrupção de tratamento. Ambos os métodos geraram níveis semelhantes de CCR5 em decorrência de ZFNs e ambos os tratamentos se mostraram seguros e bem tolerados. O Cytoxan é um medicamento que é utilizado para reduzir transitoriamente o número de células T no corpo, as quais, em seguida à suspensão do uso do fármaco, repovoam rapidamente — e é neste ambiente de “crescimento” que o SB-728-T é infundido.

“A aplicação adenoviral de ZFNs em células T pode ter efeito imuno-estimulador único para o controle da infecção aguda e para a redução do reservatório de HIV.”

“Já demonstramos anteriormente que a entrega de ZFNs para ambas as células T e células estaminais hematopoiéticas usando mRNA e eletroporação resulta em altos níveis de edição de genoma em escala clínica e continuamos a usar esse método para todos as outras aplicações ex vivo”, afirmou Geoff Nichol, vice-presidente executivo de pesquisa e desenvolvimento da Sangamo. “A aplicação adenoviral de ZFNs em células T pode ter efeito imuno-estimulador único para o controle da infecção aguda e, baseado em estudos anteriores, para a redução do reservatório de HIV. Estamos ansiosos para receber dados adicionais de mais cinco indivíduos da coorte 3* em 2016.”

Resumo dos estudos clínicos

Sobre a coorte 3* do SB-728-1101: O SB-728-1101 é um estudo aberto e multicêntrico, projetado principalmente para avaliar a segurança e tolerabilidade do SB-728-T administrado após pré-condicionamento com ciclofosfamida (Cytoxan), sobre o enxerto, carga viral e contagem total de células T no sangue periférico. Os indivíduos da coorte 3* do estudo foram tratados com uma preparação de um máximo de 40 bilhões de células T CD4 e CD8 modificadas com ZFNs. O estudo utiliza um vetor adenoviral para aplicar os ZFNs em células T isoladas. Quatro semanas após a última infusão de SB-728-T, os indivíduos com contagens de CD4 ≥ 500 células/mm³ são submetidos a 16 semanas de interrupção de tratamento antirretroviral. A terapia antirretroviral é reiniciada em indivíduos cuja contagem de células T CD4 cair e/ou naqueles em que a quantidade de RNA do HIV aumenta para certos níveis pré-definidos. Ao final da interrupção de tratamento, indivíduos com uma carga viral detectável sustentada ou diminuição do número de células T CD4 são restabelecidos ao tratamento antirretroviral. Foram selecionados até oito indivíduos para participar do estudo.

Sobre o SB-728-mR-1401: O SB-728-mR-1401 é um estudo aberto e multicêntrico projetado principalmente para avaliar a segurança, tolerabilidade e os efeitos de doses repetidas de SB-728-T, contendo ambas as células CD4 e CD8 após administração de ciclofosfamida para pré-condicionamento, sobre o enxerto, carga viral e contagem total de CD4 e CD8 no sangue periférico. O estudo usou um novo processo de fabricação, usando eletroporação de mRNA que codifica as ZFNs, em vez de um vetor adenoviral, para entregar os ZFNs em células T isoladas. Este processo permite a repetição da administração do produto. Até oito indivíduos foram inscritos em dois grupos. Cada indivíduo recebeu um total de até 40 bilhões de células T modificadas com ZFNs. O primeiro grupo recebeu esta dose em duas infusões de doses iguais de SB-728mR-T, com 14 dias de intervalo após a administração de 1g de ciclofosfamida para pré-condicionamento, e dois dias antes da primeira infusão de SB-728mR-T. O segundo grupo recebeu três infusões de doses iguais de células. Acredita-se que dividir a dose total de células e a administrar sequencialmente dessa maneira pode maximizar o enxerto total de células. Quatro semanas após a última perfusão de SB-728-MR, os indivíduos com contagens de CD4 ≥ 500 células/mm³ foram submetidos a 16 semanas de interrupção de tratamento antirretroviral. A terapia antirretroviral é reiniciada em indivíduos cuja contagem de células T CD4 cair e/ou naqueles em que a quantidade de RNA do HIV aumenta para certos níveis pré-definidos. Ao final da interrupção de tratamento, indivíduos com uma carga viral detectável sustentada ou diminuição do número de células T CD4 são restabelecidos ao tratamento antirretroviral.

Sobre o SB-728-T: O SB-728-T é um medicamento da Sangamo, gerado pela modificação de gene mediada por ZFNs, que codificam o receptor de CCR5 nas próprias células-T de um paciente. A modificação de ZFNs interrompe a expressão do referido co-receptor, essencial para a entrada do HIV, tornando, assim, as células resistentes à infecção pelo HIV. A abordagem baseia-se na observação de que uma mutação de ocorrência natural no gene CCR5, chamada CCR5 delta-32, fornece proteção contra a infecção pelo HIV. Indivíduos nos quais ambas as cópias do gene CCR5 transportam a mutação delta-32 não são, geralmente, susceptíveis a mais comum a cepa de HIV.

Sobre a Sangamo: A Sangamo BioSciences Inc. está focada em Engineering Genetic CuresTM, que é a engenharia genética para a cura de doenças infecciosas monogênicas, implementando o uso de sua proteína de ligação de DNA no genoma, para edição terapêutica e regulação gênica. A companhia possui um programa clínico de Fase 2 para avaliar a segurança e eficácia do ZFP Therapeutics® para o tratamento de HIV/aids (SB-728). Outros programas terapêuticos da Sangamo estão focados em doenças monogênicas e raras. A empresa formou uma parceria estratégica com a Biogen Inc. para hemoglobinopatias, como anemia falciforme e talassemia beta, e com a Shire International GmbH para desenvolver terapias para a doença de Huntington. Também estabeleceu parcerias estratégicas com empresas para aplicações não terapêuticas de sua tecnologia, incluindo a Dow AgroSciences e Sigma-Aldrich Corporation.

Em 11 de dezembro de 2015 pela assessoria de imprensa da Sangamo. Este comunicado de imprensa pode conter declarações prospectivas baseadas nas atuais expectativas da Sangamo. Essas declarações prospectivas incluem, sem limitação, as referências relacionadas com a pesquisa e desenvolvimento de novas aplicações terapêuticas de tecnologias da Sangamo para o tratamento de HIV/aids, incluindo uma cura funcional potencial para HIV/aids. Os resultados reais podem diferir materialmente destas declarações prospectivas devido a uma série de fatores, incluindo incertezas relativas ao início e à conclusão dos estágios dos estudos clínicos, os quais irão validar e apoiar a tolerabilidade e eficácia destes medicamentos, os desafios tecnológicos e a capacidade da Sangamo para desenvolver produtos comercialmente viáveis. A Sangamo não assume qualquer obrigação de atualizar as informações prospectivas contidas neste comunicado de imprensa.

Anúncios

38 comentários

  1. Leão diz

    Outra boa notícia:

    NOVO ANTICORPO ESTUDO LANÇA LUZ SOBRE BUSCA DE VACINA CONTRA HIV

    Quando um time de futebol perde um jogo, o treinador pode ter jogadores Assista vídeos do concurso para determinar como as peças foram executadas e como eles poderiam fazer melhor da próxima vez.

    Em certo sentido, isso é o que os cientistas do Instituto de Pesquisa Scripps fez. Eles recentemente realizou pesquisas onde eles examinaram como a luta contra o HIV anticorpos evoluem para combater o vírus.

    Muito como um time de futebol, os anticorpos dentro do corpo humano precisam de tempo para descobrir como melhor ataque seu adversário. Eles evoluem e crescem mais inteligentes ao longo do tempo.

    Pode levar uma família de anticorpos chamado PGT121 cerca de dois anos para descobrir uma maneira de lutar, com sucesso, HIV, ou “ganhar o jogo,” por assim dizer. Mas claro, depois de dois anos, o vírus se espalhou em torno do corpo, feito seu dano e está se escondendo nos bolsos latentes.

    “O vírus está sempre tentando escapar do sistema imunológico, e o sistema imunológico – através de anticorpos – tenta ir atrás dela,” disse Fernando Garces, pesquisador associado no Scripps, em um comunicado à imprensa. “O que faz a família PGT121 de anticorpos tão especiais é que é tem encontrado maneiras de contra-ataque o vírus, enquanto muitas outras famílias de anticorpos não conseguem fazê-lo.”

    Garces, principal autor da pesquisa publicada hoje no jornal de imunidade, e seus colegas usadas técnicas de imagem de alta resolução para examinar como membros da equipe PG121 evoluem ao longo do tempo como lutar contra HIV. Os anticorpos PG121 estão entre aqueles conhecidos como “amplamente neutralizando”, significando que demonstraram ter a capacidade de lançar uma ofensiva contra muitas cepas do vírus HIV ràpidamente em mudança.

    Notícias relacionadas: Anticorpo que penetra o ponto fraco do HIV pode levar a vacina

    Os cientistas foram capazes de examinar como o PG121 tenta penetrar o escudo de glicano do HIV, uma camada de açúcares que protegem o vírus. Alguns dos anticorpos levam muito tempo durante o processo de evolução, tentando penetrar um glicano chamado N137 glicano, enquanto outros eventualmente ir preferivelmente após um glicano diferente e penetram HIV dessa forma.

    No experimento, quando pesquisadores removido o N137 glicano, observaram que os anticorpos eram muito mais preparados para a luta contra o HIV. Eles não precisam de dois anos para descobrir como ganhar o jogo, porque eles poderiam vir acima com um “final run”, por assim dizer.

    “Que sugere possíveis estratégias para como um podem eliciar os anticorpos através de vacinação,”, relatou o pesquisador Ian Wilson na versão de notícias. “A mensagem de take-away é que você realmente tem que acompanhar a evolução do anticorpo e o antígeno (o destino de um vírus) para entender como a resposta imune metas HIV.”

    Adicionado Wilson, Hansen professor de biologia estrutural e presidente do departamento de estrutural integrativa e biologia computacional na Scripps: “Se você poderia produzir esses anticorpos por meio de vacinação, que seria um começo fantástico para a prevenção do HIV.”

    Notícias relacionadas: Ferrar o sistema imunológico para lutar contra o HIV: A nova direção para uma vacina.

    OBS: Usei o Bing Tradutor para postar o texto.
    Fonte: http://www.hivequal.org/hiv-equal-online/new-antibody-study-sheds-light-on-search-for-hiv-vaccine

    • Alex diz

      Nesse caso essa estratégia poderia funcionar somente para vacina? Não poderia funcionar para cura?

      • Alexandre diz

        Uma vacina preventiva nos ajudaria a ficar funcionalmente curados, tendo em vista que os ARV’s eliminam o vírus circulante, daí vc poderia parar de tomá-los e deixar que a vacina preventiva cuidasse dos vírus que saíssem dos reservatórios até que esses se esgotassem. Estaríamos curados, sacou?

        • Leão diz

          Perdoe a demora Alex. Mas que bom, o Alexandre respondeu perfeitamente. Obrigado.

  2. Matheus diz

    Quanto mais descobertas melhor…não vai levar muito tempo para neutralizarem de vez esse vírus…muitos já apareceram e foram combatidos…agora o Hiv é o alvo da vez!

  3. Gil diz

    Ontem conversei com a Dra Joana D´arc, aqui em JP. A mulher é uma sumidade em termos de conhecimento em HIV/AIDS.
    Ela me disse que em menos de dez anos haverá uma cura funcional, até porque devem primeiro definir ao certo o que se quer dizer como cura funcional aos portadores.
    A cura esterilizante, que perguntei a seguir, ela respondeu que também virá em breve, pois há muitos estudos já em fase 3 (não sei o que isso quer dizer, nem perguntei), muitas terapias genéticas em conjunto com medicações, que darão certo. Ela ainda frisou: talvez mais de uma forma de cura… de tantas pesquisas boas surgindo.
    Questionei quanto ao uso de TARV, se em dez anos, 15 anos com estas medicações disponíveis a nós, ainda estaremos sadios. Ela me disse que sim, se os soropositivos cuidarem da saúde, não exagerarem na bebida, se fizerem exercícios e dormirem bem e tomarem direitinho as doses diárias. E disse ainda: mas em dez anos, com certeza, teremos muitas medicações melhores, que não causem danos a fígado, nem ossos, nem rins. E eu insisti: mas estas atuais, causam tais destruições? “Tem estudos que dizem causar a longo prazo e em pessoas mais debilitadas. Mas se sabe que tudo depende do organismo. Os remédios de hoje em dia já estão muito melhores e muita coisa que se achava, já não é verdade…
    Resolvi repassar, pois isso me encheu de ânimo e esperança!

    • Paulo Roberto diz

      Gil, que ótima notícia, amigo… Em breve acho que todos poderemos comemorar…
      Vamos começar a planejar: ONDE SERÁ O CHURRASCÃO DA CURA, GALERA???

    • Isadora diz

      E quanto a lipodistrofia?…é o pior efeito colateral e indesejado por muitos, pois sabemos que a maior barreira para o uso da medicação é justamente esse Gil.

  4. Gil diz

    Ah, pessoal,
    A medicação NORVIR, o ritonavir já chegou nas farmácias da Paraíba.
    Em Pernambuco não faltou, liguei lá. Natal, também tem.
    Aqui chegou um pequeno lote, para quem já estava sem (meu caso, tinha 2 comprimidos) e na quinta já está a caminho o lote no Centro de Distribuição. Menos mal!!

  5. B 1 diz

    Gil, tbem sou de JP, essa sua infecto atende em qual hospital? Se quiser entrar em contato instala o Kik e me chama, paraibanojp

  6. Gil diz

    Olá , B1.
    Eu usava o kik, mas troquei de aparelho, não instalei mais… tive medo do filho ficar lendo as conversas. Adolescentezinho é fogo…
    Sou atendido pela dra Érika Araruna, que atende no instituto do cérebro, ao lado do posto extra, lateral da epitácio, no bairro estados. Lá atende a dra joana darc, particular, apenas. As duas atendem também Clementino Vargas.
    Vou instalar o kik, mas o meu email é psicoglmr@gmail.com
    Me escreve quando puder. Abraço.

  7. Alex diz

    Em resumo, o q essa matéria quis dizer? Testes de um tratamento em dose única? É isso?

    • A matéria quis dizer que esses dois estudos dão indícios de que, no futuro, uma ou duas doses de aplicação dessa terapia genética, que é capaz de mudar as células do sistema imune, pode vir a nos tornar resistentes ao HIV, sem precisar de antirretrovirais. Se essa resistência pode vir a ser duradoura, levando à cura funcional, ou se é limitada a 16 semanas, ainda não sabemos.

  8. Sebastian diz

    Ontem foi a minha primeira consulta com a infectologista. Fui diagnosticado no dia 03/12/2015 e até ontem minha vida estava totalmente virada do avesso. Porém, momentos antes de seguir para a policlínica eu abri o jogo para família… Acreditem, eles não só me apoiaram como fizeram questão de me acompanhar na consulta. De ontem pra cá, o “fardo” diminui quase de 99% é a frase “O Amor cura” já é uma séria candidata a título de uma futura biografia que eu ainda pretendo escrever. Vamos em frente, a vida continua e de uma forma ainda mais bela e cheia de amor :*

    • Em_Frente diz

      Sebastian, agarre esse amor e usufrua e seja feliz! Isso é o que eu chamo de SORTE NO AMOR! hehe! São poucos os que têm coragem de contar pras famílias e alguns quando contam são rejeitados! abraço!

  9. Confusa diz

    Parecia tão mais simples aquele do alcoolismo o dissulfiram, o que houve? Não deu certo?

  10. Raylander diz

    E aquela vacina espanhola HTI de tudo que li parece ser a mais promissora… Li uma manchete de 2013 e outra de 2015 sobre a cura dinamarquesa fruto de uma pesquisa Liderada por Sogaard, alguém tem mais informações?

      • Raylander diz

        Não moro na região nordeste …Mas então alguém sabe dizer algo mais sobre a cura dinamarquesa e a vacina espanhola HTI ? Nickcaffiole sabe me dizer se é normal alguma alteração no hemograma de soropositvo recente?

        • Oi Raylander… depende. Se sua imunidade estiver baixa SIM. Pois através do hemograma podemos fazer uma análise de possivel presença de quaisquer outras infecções. dá pra se ter uma noção de infecção, porém não da pra saber qual infecção necessariamente seja. Dai precisa de outros exames mais específicos.

  11. ROCK HUDSON diz

    Oi Jovem ! como eu faço para ter acesso aos artigos de 2011, 2012 etc que estão no arquivo? Tentei ir lá no arquivo e o sistema não permite acesso ao texto completo (a apenas uma parte) e nem aos comentários

  12. Sigamos na luta com fé e destreza, confiando que surgirá algo novo para nós. Abraços e boa sorte a todos!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s