Notícias
Comentários 65

PrEP infantil previne transmissão na amamentação


nm-logo-3Um estudo feito em quatro países da África, publicado no The Lancet, mostra que administrar uma fórmula líquida de medicamentos para o HIV em bebês com até 12 meses, durante a fase de amamentação com as suas mães soropositivas, é altamente eficaz em protegê-los da infecção, incluindo no período de 6 a 12 meses após o nascimento, o qual não tinha sido analisado em pesquisas anteriores. O estudo é pelo professor Philippe Van de Perre, do Institut national de la santé et de la recherche médicale (INSERM), em  Montpellier, França, e seus colegas.

Estratégias para prevenir a transmissão vertical do HIV-1 pós-parto na África, incluindo proteger diretamente as crianças através de profilaxia com formulações pediátricas especiais de medicamentos para o HIV, nunca haviam sido avaliadas depois de 6 meses de amamentação, apesar da amamentação ser recomendada até 12 meses após nascimento. Neste novo estudo, os autores tinham como objetivo comparar a eficácia e a segurança da profilaxia infantil com dois regimes de drogas (Lamivudina ou Lopinavir/Ritonavir) para evitar a transmissão pós-parto do HIV-1 em até 50 semanas de amamentação.

N00774_H

Os autores fizeram um estudo randomizado controlado em quatro locais em Burkina Faso, África do Sul, Uganda e Zâmbia, em crianças nascidas de mães infectadas pelo HIV que ainda não eram elegíveis para a terapia antirretroviral, segundo as diretrizes que existiam quando o estudo começou (no entanto, hoje, a OMS aconselha que todas as pessoas diagnosticadas com HIV começem imediatamente o tratamento, independentemente da contagem de CD4).

Nesse estudo, bebês soronegativos com até 7 dias de idade foram randomizados para receber Lamivudina ou Lopinavir/Ritonavir (formulações líquidas pediátricas, duas vezes por dia) até 1 semana após a interrupção total da amamentação ou na visita final, na semana 50. Entre novembro de 2009 e maio de 2012, 1.273 crianças foram inscritas no estudo e 1.236 foram analisadas; 615 atribuídas a Lopinavir/Ritonavir e 621 atribuídas a Lamivudina. Um total de 17 infecções pelo HIV foram diagnosticadas no período do estudo (oito no grupo Lopinavir/Ritonavir e nove do grupo Lamivudina), resultando em taxas cumulativas de infecção pelo HIV-1 de 1,4% e 1,5%, respectivamente, e o que significa que as taxas de infecção não diferiram entre os dois regimes de medicamentos. Eventos adversos clínicos e biológicos graves não diferiram entre os grupos. Os autores disseram:

“Fundamentalmente, cerca de metade das infecções pós-parto do HIV-1 em ambos os grupos ocorreram após 6 meses de amamentação, enquanto a exposição do HIV foi muito reduzida durante este período por causa da alimentação mista (diminuindo a ingestão de leite) e algumas mulheres que pararam de amamentar antes de 50 semanas. Este achado justifica a extensão da profilaxia prépexposição (PrEP infantil) até o final da exposição ao HIV e a necessidade de informar as mães sobre o risco persistente de transmissão durante a amamentação, para evitar a interrupção do tratamento de seus bebês muito cedo.”

Uma análise posterior dos dados sugeriu que a maioria das infecções pelo HIV nos bebês dos dois grupos ocorreu por causa da falta de adesão aos medicamentos do estudo, em vez de uma falha do medicamento para proteger o bebê. Os autores disseram:

“Portanto, a adesão ao medicamento continua a ser um fator essencial para o sucesso da PrEP infantil. Mais pesquisas são necessárias para formulações pediátricas orais mais palatáveis e drogas injetáveis de ação prolongada.”

Os dados mostraram que quando a droga foi tomada corretamente, as taxas de infecção pelo HIV caíram para 0,2% para o grupo Lopinavir/Ritonavir e 0,8% no grupo Lamivudina, novamente sem uma diferença estatisticamente significativa entre os grupos. Os autores concluem:

 “A PrEP infantil provou ser uma alternativa eficaz e segura para evitar a transmissão pós-parto do HIV-1 para as mães que não estão prontas ou preparadas para começar a terapia antirretroviral a longo prazo. Além disso, a adição da PrEP infantil em bebês amamentados cujas mães estão a tomando antirretrovirais é uma estratégia que deve ser avaliada — ao nível da população, em países onde o tratamento materno não pode ser implementado de maneira universal, tal como recomendado pela OMS. Nessas situações, a PrEP infantil, seja com Lopinavir/Ritonavir, Lamivudina ou Nevirapina durante toda a duração do aleitamento materno também é aconselhável.”

O professor Hoosen Coovadia, especialista em em saúde maternal, do adolescente e da criança na Escola de Saúde Pública da Universidade de Witwatersrand, em Durban, África do Sul e a Dra. Dhayendre Moodley, do Center for the Aids Programme of Research na África do Sul e da Women’s Health and HIV Research Unit da Universidade de KwaZulu Natal, em Durban, África do Sul, dizem que os dados deste estudo mostram que “a profilaxia infantil diminui substancialmente o risco de transmissão do HIV durante e a amamentação, funciona em uma escala maior do que estudada anteriormente e é eficaz e segura.”

Em 20 de novembro de 2015 pelo News Medical

Anúncios

65 comentários

  1. Cris diz

    Interessante. Mas e as maes nao estão em tratamento? Indetetaveis? Não haverá menor risco caso as mães estejam indetetaveis? No estudos em relacao ao sexo nao ocorreram transmissoes entre parceiros com sorologia diferente, no caso de mães a amamentar não deveria ocorrer o mesmo?

    • “Os autores fizeram um estudo randomizado controlado em quatro locais em Burkina Faso, África do Sul, Uganda e Zâmbia, em crianças nascidas de mães infectadas pelo HIV que ainda não eram elegíveis para a terapia antirretroviral, segundo as diretrizes que existiam quando o estudo começou (no entanto, hoje, a OMS aconselha que todas as pessoas diagnosticadas com HIV começem imediatamente o tratamento, independentemente da contagem de CD4).”

  2. Cauã+ diz

    Realmente interessante. Quanto mais possíveis infecções impedir, melhor!

  3. Lizel diz

    Algum de vcs sonham em ter filhos depois de descobrir ser soropositivos?
    Eu tenho 29 anos, não tenho filhos. A única da minha casa que não tem. Estava pensando em ter um daqui a uns 3 anos, isso foi antes de descobrir minha sorologia.
    Então alguém ainda tem esse desejo de ter filhos ?
    Abraço de luz para todos ! 😊

    • vanessa diz

      Lizel, eu quero ter filhos tenho 39 anos, pra piorar o relógio biológico já tá batendo na porta, mas enfim conversei com meu médico a respeito e com assistente social, porém o que mais me dá medo é qdo for engravidar tem que trocar o esquema, pq esse 3 x1 da má formação no BB, isso meu médico deixou bem claro , e no momento esse remédio é o melhor que tem, a troca do esquema segundo ele põde trazer problemas que não tive tipo diarréia perda de peso, falou quanto mais tempo puder adiar troca de esquema melhor!! penso nisso direto!! Me deixa triste…. alguém conversou com o médico sobre isso???
      Beijos

      • lizel mais diz

        Ai ta vendo!!!!!! É isso que me desanima na questão de ter filho. 😦 Eles falam que e possivel mas quando manifestamos o desejo de ter filhos aparece todas essas complicações. A quanto tempo vc ja tem o HIV? lizel.mais@gmail.com se quiser conversa mais sobre isso ta ai meu contato . Beijinhos!!!!

      • Alex diz

        Vanessa, já q vc já se informou com um médico, sabe se a mesma regra ocorre com o homem? Por exemplo, pelo q já li dizem que o homem indetectável consegue ter filho negativo engravidando a mulher (negativa) pelas vias naturais, mas ele teria que trocar a medicação ou não? Tem tbm a técnica de lavagem de esperma, q dizem q o homem sendo indetectável não é necessária, nesse caso tbm teria q trocar a medicação?

        • AmigoGyn+ diz

          Gostaria muito de saber a resposta dessa sua pergunta Alex !! 😦

        • Alessandro diz

          No caso da mulher a Tarv é mudada pelo fato de interferir na formação do feto, no caso dos homens não precisa mudar o esquema, mas sim estar indetectável a pelo menos 1 ano.

        • vanessa diz

          Alex, desculpa demorar pra responder, eu quase não venho aqui rs, mas é exatamente o que o Alessandro falou apenas a mulher precisa mudar a medição, e é pelas vias normais, ninguém me falou sobre inseminação!!
          E Lizel, eu descobri minha sorologia em outubro de 2012!!!

          Bjs

  4. Gaúcha diz

    Lizel… Eu tenho 27 anos e desejo de ter filhos sim, só tenho medo de não encontrar alguém que me aceite como sou para tê-los. Adorei a notícia, pois acho a amamentação um momento muito lindo da relação mae-bebe. Enquanto isso, sigo com meus filhos de 4 patas 😁… Mudando de saco para mala: carga viral de 100.000 e cd4 de 600 parece ser infecção recente? 💋

    • Alessandro diz

      Parece estar passando da sua fase aguda da infecção, onde a carga viral vai cair e seu cd4 tbm… Aí assim que o cd4 estiver bem baixo o vírus volta a subir novamente esse valor, é que assim… Na fase aguda o vírus pode chegar aos milhões, porém seu cd4 estará alto, com o tempo o corpo da uma resposta robusta e abaixa essa carga viral… Porém o vírus começa a driblhar o sistema imunológico e começa a derrubar o cd4 e proporcionalmente subir a carga viral.

    • vivendopositivo diz

      O único dado que pode garantir se é infecção recente ou não, é um exame chamado western blot. Meu infecto falou que cd4 e cv não serve para estimar período de infecção porque o sistema imunológico das pessoas reagem de forma totalmente diferente. Sobre ter filhos biológicos, conversei com ele hoje na consulta, e está plenamente convencido que um indetectável não transmite, portanto pode seguir para os meios naturais de fecundação. Inclusive falou ter dois pacientes “de elite” que não tomam nada, e indetectáveis há anos.

      • Gaúcha diz

        Eu fiz este exame, mas não entendo nada do que aparece no resultado… Sei que não faz diferença saber se é recente ou não, mas as vezes me pego pensando nisso… Na verdade me pego sempre pensando em algo relacionado ao HIV. As vezes percebo que estou pensando a mesma coisa pela milésima vez, é muito chato! 😓 mas bom ler isto em relação aos filhos!

        • Digo diz

          Gaúcha, estou positivo há 5 anos e até hoje me pago pensando nisso (senão, nem nesse blog estava, não é mesmo?), imaginando quando contraí, etc… é chato, mas acho que normal. O que não podemos é deixar que esses pensamentos paralisem nossas vidas.

          • Gaúcha diz

            Não sei, na verdade acho que poderia estar nesse blog caso tivesse algum familiar passando por isso, etc. Mas sei que pensaremos sempre, o que queria era que estes pensamentos não causassem tanto sofrimento. espero que em algum momento possa pensar sobre isso como penso em tantas outras coisas.

  5. Alessandro diz

    Pois é eu tenho 30 anos e ainda n tenho filhos, e tbm espero encontrar uma garota que entenda e queira ter, dizem que pode ser feita inseminação… Pode ser um meio…

  6. Gaúcha diz

    Faz sentido Alessandro… Se for assim, iniciei a tarv com essas contagens, ou seja, comecei a me tratar antes do vírus prejudicar muito meu sistema imunológico, certo? Espero que sim… 🙏 não tenho medo de nada relacionado à saúde, pois sei que hoje o medicamento é bastante eficaz. Tenho medo é dessa parte afetiva e do preconceito… Quanto a ter filhos, pelo que leio pode até ser concebido de forma natural com acompanhamento médico e com uso de tarv… Vcs já passaram pela experiência de contar para alguém que são positivos? Já contei para uma pessoa e foi super tranquilo, mas sei lá… É tudo muito novo! Conversar com vocês me faz um bem incrível… 🙂 ps: relacionamento hoje em dia é difícil para todo mundo… 💋

    • Alessandro diz

      Eu já contei e foi frustrante… A garota se declarava diariamente, estavamos saindo a um tempo e resolvi contar… Ela foi me deixando aos poucos até me ignorar de todas as formas possíveis de contato, para mulheres acredito que seja .aos fácil, eu mesmo em 2008 aceitei me relacionar com uma garota que tinha HIV porém as mulheres já ficam 8395857 pés atrás rsrs, mas é assim mesmo n podemos culpar ninguém mas que é difícil é.

      • Gaúcha diz

        Tento pensar que serve como uma seleção natural para as pessoas que entrarão na nossa vida heheh

      • Alex diz

        Pq vc acha q as mulheres ficam com pé atrás? Pergunto pq n tenho experiência pós descoberta do hiv.

        • Alessandro diz

          Pelo fato das mulheres no ato sexual ser receptivo e elas vão buscar a respeito de porcentagem de infecção etc… E o ato sexual receptivo tem maiores chances de contágio, ou seja é bem mais difícil uma mulher soronegativa aceitar um homem soropositivo que o inverso dessa situação.

        • angelica diz

          Tem um mês que descobrir que sou soropositiva,quero novamente ser mãe,e vejo que os estudos estão avançando,isso é uma esperança pra todos nós.
          Eu sou + e meu marido -,vivemos uma vida normal de casal,nos cuidando e usando preservativo,hoje irei no infecto conversar sobre isso.Gosto muito de lê a postagem de ambos,apreendemos com cada um.

    • Gil diz

      OLÁ GAÚCHA!

      Eu contei para as pessoas certas, as necessárias. Se alguém sabe não sendo por mim (porque se contamos para mais um não é mais segredo, né?), está lidando bem.
      A gente não pode querer controlar a reação do outro. mas podemos escolher quem queremos bem e quem já sentimos ter o equilíbrio para lidar melhor com a informação.
      Eu me infectei no final do ano, tudo aparenta ser de forma proposital. Comecei a ter alterações no corpo em abril, onde descobri minha sorologia. Esposa não se infectou.
      Estou indetectável, tive uma série de doenças que vieram juntas, mas todas já superadas.
      Levo a vida normalmente, embora o fígado ñão esteja bem, até exagero nos fins de semana.
      Se levares um vida equilibrada, se tiveres pessoas do bem e contidas a teu redor, conte a elas. Mas explique as coisas que agora vc sabe: o que é ser indetectável, que você não vai morrer de AIDS, que é diferente ter HIV e ter AIDS, que não transmite. Mesmo que saibam, sempre é bom frisar, pois para quem não está no meio desse turbilhão, é muita informação.
      Pense sim, em ter filhos. É possível, sim, de boa. Mas tudo com a máxima e rigorosa atenção médica.

      • Gaúcha diz

        Obrigada pelo depoimento, Gil… Bom ler histórias positivas. Concordo quando tu diz que devemos nos cercar de pessoas que nos querem bem, e isto serve para quem tem e para quem não tem HIV, né! Que bom que tu já te curou dos problemas de saúde que teve, mas fiquei curiosa… Teu fígado não está bem pq?

        • Gil diz

          OI, GAÚCHA.
          Eu tive hepatite B e já tinha esteatose, ou seja, acúmula de gordura no fígado. Engordei muito rápido em 2014, saí de SC e fui para o Nordeste, acho que comi muito acarajé, muita tapioca, rsrs. Fiquei sozinho, longe da família e deprimi. Aí, saía sozinho e comia, bebi demais da conta, coisa que não fazia. E ficava no esquema cerveja, videogame, parei de me exercitar. Foram 15 quilos rapidinho. O fígado gritou. E minha infecção é de dezembro, mas acusou reagente para hepatite B, agora já remida, deu IGg. Mas a esteatose não melhorou, ainda mais com o fígado abalado e comecei a TARV, sei que ela não ajuda muito ao fígado, não.
          Então eu vou pegar leve, daqui pra frente.
          O jeito é praticar esporte, é beber menos cerveja, comer de forma equilibrada e longe de gorduras, muita água e alto astral. Até um dia acharmos a cura…

          • Gaúcha diz

            Ah, entendi! Eu deprimi bastante depois do diagnóstico, agora que estou tentando voltar ao normal, mas ainda não consegui completamente. Me sinto diferente de todo mundo. Mas é isso, vamos pegar leve para esperar a cura! Vocês acham que ela demora muito?

  7. Moro41 diz

    Boa noite; descobri a uns 7 meses minha sorologia, hoje estou bem depois de ter passado maus bocados, principalmente psicológicos. Penso sim em ter filho, apesar de ja ter uma, o complicado eh encontrar uma pessoa que aceite minha condição. Penso ser mais facil encontrar uma outra pessoa tbm soropositiva para um relacionamento, ai me pegunto, aonde? Nao conheco pessoas soropositivas, poderia ser em sites de relacionamento, mas tbm tenho medo de me expor, em resumo: complicado…rs, mas vamos la, bola pra frente

    • Alessandro diz

      Poise deveria ter um meio de conhecer outras pessoas tbm soropositivas… Tipo uma rede social… As pessoas ir conversando e de conhecer, seria muito mais fácil até para trocar idéia e ter um possível relacionamento… Tudo é possível.

      • Gaúcha diz

        Verdade… Mas se a gente não tem coragem de se expor, como faria isso? Eu não tenho pelo menos 😥

    • Alex diz

      Já pensei sobre isso e ainda penso de vez em quando, mas parei de pensar tanto em relacionamento apenas com outra pessoa q tbm tenha o vírus, pq se a pessoa gosta da gente ela vai gostar independente disso, porque é algo controlável de forma que não pode transmitir pra pessoa e permite uma vida razoavelmente normal, tirando o fato de por enquanto precisar tomar remédios todos os dias.

      E se a pessoa não aceitar vc assim? Então ela não gostava tanto de vc e talvez não valesse a pena mesmo. Se fosse pra agir assim então quer dizer que se vc está com uma pessoa e futuramente por ventura ela tenha algum problema isso significaria o fim do relacionamento? Não, quando existe amor essas coisas ficam pequenas e se superam, eu mesmo já fui apaixonado por alguem e não tive coragem de dizer, se eu não tivesse o vírus hj e a pessoa chegasse pra mim dizendo que queria ficar comigo, não seria isso que iria impedir.

      Acho que a parte difícil pode ser encontrar alguém com esse nível de amor, deve ser mais fácil para os hiv negativos fazerem essa “busca” por um relacionamento porque eles têm tempo de iniciar uma relação com um nível de amor baixo e ao longo do tempo isso ir se intensificando ao ponto em que nenhum vírus será capaz de acabar o sentimento. No caso de alguém com hiv, tenho a sensação de que um nível de amor nessa intensidade teria que começar já no início do relacionamento pra pessoa estar mais tendenciosa a aceitar e continuar, o que parece ser mais difícil, mas acho que possível.

      • Alex diz

        Como aqui não permite editar, só corrigindo o trecho acima, rs:
        “eu mesmo já fui apaixonado por alguem e não tive coragem de dizer, se eu não tivesse o vírus hj e a pessoa chegasse pra mim dizendo que tem o vírus e queria ficar comigo, não seria isso que iria impedir.”

  8. Gaúcha diz

    Pois é, é estranho… Penso que se a gente conta de cara, ainda não deu tempo de a pessoa realmente nos conhecer e conseguir transpor a questão do vírus… E se conta depois, a pessoa pode se sentir enganada (e muitos de nós, como eu, por exemplo, não se sentiria bem escondendo algo) então não sei como fazer… Por isso o ideal seria que a sociedade evoluísse ao ponto de podermos falar abertamente sobre isso, mas não é o caso. Como diz o J.S esta é uma complicação que não deveria existir, pois racionalmente a coisa é muito mais simples do que no imaginário, mas todos um dia vamos nos lembrar do momento em que nos questionávamos sobre isso e perceber que era mais simples do que esperávamos 🙏 força galera 😁

  9. Silvio Berenguer diz

    Cansado de tanta nótícia de Pep, Prep, ARV evoluindo, mas a cura, nada de concreto.

  10. CRIKA diz

    OLA A TODOS !! A TEMPOS LEIO ESTE BLOG .GOSTO MUITO DAS HISTORIAS DE QUEM LIDA BEM COM SUA SOROLOGIA , NÃO E O MEU CASO , ACREDITO QUE FOI TRANSMITIDO P MIM PELO MEU EX NAMORADO SOUBE QDO FUI FAZER UMA DOAÇÃO DE SANGUE A MAIS OU MENOS UM ANO E E SEIS MESES.NÃO SUPEREI ESTA NOTICIA HJ NÃO ESTOU MAIS COM ESSE MEU EX, ELE TB FEZ O TESTE E DEU POSITIVO.ESSA NOTICIA E MUITO BOA QUEM SABE NO FUTURO TODAS AS MULHERES PODEM AMAMENTAR SEUS FILHOS . SÓ DUAS PESSOAS SABEM SOBRE MINHA SOROLOGIA , COMO TRABALHO NA ÁREA DA SAÚDE SOU MUITO CONHECIDA NESTE MEIO E COMPLICADO E VEJO QTO E O PRECONCEITO DOS COLEGAS DA ÁREA ., TENTO DISFARÇAR AO MAXIMO P NÃO FICAR TRISTE COM ESSE PRECONCEITO VELADO QUE VEJO EM MUITAS PESSOAS , ATE EM CASA VEJO COMO E DIFÍCIL COMPARTILHAR ESTÁ NOTICIA DE SER HIV +.SOBRE RELACIONAMENTOS AINDA ESTOU CAUTELOSA EM NAO QUERER ME ENVOLVER , ACHO QUE FUTURAMENTE QUERO TER UM RELACIONAMENTO SERIO POREM NESTE MOMENTO TO ME FOCANDO EM MINHA SAUDE. ABRAÇOS A TODOS VCS E OBRIGADA PELOS DEPOIMENTOS ME ALEGRA VER TANTA GENTE AUTO ASTRAL NESTE BLOG.

  11. Lizel diz

    Boa tarde gente.
    Estou precisando da opinião de vcs.
    Eu sei quem foi o meu transmissor, e sei tbm que ele não tem ideia de que ele tem o vírus.
    Eu e ele tivemos apenas 1 transa sem camisinha e logo nessa primeira aconteceu isso. Não tive relações com outras pessoas somente ele !
    A dívida é…
    Me afasto e me cuido, ou mantenho contato?
    Por favor me ajudem.
    Detalhe , ele é uma pessoa super pública e influente na minha cidade.( Trabalha na prefeitura)

    • André diz

      Se vc acredita que ele não sabe da condição dele a coisa sensata seria informá-lo para fazer o exame. Se não quer se expor, mande uma mensagem via rede social para ele através de um perfil falso e exponha sua situação (que você (como anônima) se descobriu Positiva e que como teve relações com ele sem preservativos que ele procure fazer o exame para se der positivo ele procurar se tratar e não expor outras pessoas ao vírus.

      • lizel diz

        Andre ele nao usa rede social.
        ja pensei ate em mandar um bilhetinho anonimo. 😦

        • Silvio Berenguer diz

          Olha, só me disseram que é anti ético, mas o que fiz foi, mandar uma mensagem de texto (sms) pro celular da pessoa que eu acho que me infectou, mandando ela ir fazer exames, isso com um chip que comprei só pra isso, e terá que arrumar um cpf neutro, pra cadastrar a linha deste chip. Ou , se souber o endereço da pessoa onde ela reside, carta anônima ou telegrama, essas coisas que não usamos mais, servem nessas horas.

    • Gil diz

      LIZEL!

      Conte, sim. Se ele não sabe, não fez por mal. É uma forma de evitar que ele espalhe mais o vírus por aí. É pior para todos nós termos mais pessoas infectadas. É dor, é sofrimento na hora que o vírus atacar. É leito de hospital, é custo de medicamento, médico… se não quiseres ver primeiro que, antes de tudo, é um ser humano que você poderia poupar de sofrer… uma pessoa que um dia você gostou que vai sofrer muito, que tem parentes que podem ser legais e que sofrerão muito!
      Ele sabendo poderá evitar que pessoas inocentes sofram. Não sabendo, pode espalhar sofrimento a tantas pessoas.
      Você gostaria que te contassem, não é? E o melhor é ir OLHO NO OLHO. Bilhete, carta… não precisa tanta cena. Lidar com nossos demônios, com nossas situações difíceis é uma forma de superar dificuldades.
      Creio que seu caráter é de alguém que pensa no bem comum, na ajuda sem esperar algo em troca. Conte a ele ONTEM! A CADA DIA O VIRUS ESTÁ LÁ DESTRUINDO A SAÚDE DELE…

      • Alessandro diz

        Penso que o problema possa ser o seguinte… e se n for ele ?? ai ela acabou se expondo… realmente é complicado.

  12. Gaúcha diz

    é difícil essa questão né? Como era o relacionamento de vocês? Acho que isso faz toda diferença… Se quiser conversar, deixei meu e-mail para ti ali em cima… itmk1208@gmail.com 💋

  13. Edy diz

    Ola pessoal do blog em outubro fez um ano que descobri que sou + ja faço uso dos medicamento e graças a Deus meu ultimo exame deu indetectavel eu tenho um filho mais não é meu biologico ele é adotado que minha mãe adotou da minha prima e como ele estava sem pai elas me pediu pra eu registrar ele como pai ele é minha vida hoje ele esta com 12 anos é um amor de criança bom eu não penso em ter um filho pois eu teria que ter muita sertesa que se uma garota engravidade de mim a criança não nasceria com o virus eu gostaria muito de me relacionar com uma pessoa sendo + ou – mais é como eu vejo as pessoas que tem o HIV preferem ficar mais no anonimato não gosta muito de ser expor tambem pelo preconseito e li que no mundo existe milhões de pessoas infectadas mais como eu não conheço ninguem as vezes da a impressão que eu sou o unico no mundo eu li uma noticia que me mandarão que uma equipe de cientista fizeram uma expectativa para a descoberta da cura do HIV em 5 anos bom ja passou 01 ano falta 04 mais as vezes fico pensando como seria o mundo se descobrisem a cura do HIV se com o virus rodando pelo mundo muitos não se cuidam pra não pegarem e quando descobrirem a cura como vai ser no começo que eu descobri eu chorava muito bom ainda choro srsrsr ai eu fui conversar com o padre da igreja que eu freguento e ele me disse que não era pra eu se preocupar ta certo que é um baqui mais logo vão descobrir a cura é como a tuberculose quando surgil a anos atras muitas pessoas morreram e descobriram a cura so tem de dar tempo ao tempo e ter fé em Deus hoje eu estou bem ao contrario de antes atras mais as vezes bate uma tristeza e da vontade de chorar acho que é pelo motivo de estar sozinho e ter que carregar esse fardo sozinho mais é como eu falo cada um tem seu fardo pra carregar e esse é o meu e vou carregalo até onde Deus permitir e sozinho pois o fardo é meu e não tenho que dividir ele com ninguem.
    Beijos e abraços a todos e vamos se juntar todos em uma oração pra que Deus ajude todos nois não so nois que temos o virus mais todos que nesecitem de ajuda e obrigado por vcs sempre estarem ai um forte abraço e saude pra nois todos Amém

  14. Amigo+ diz

    Olá, pessoal, só pra dar uma forcinha pra galera que tá prestes a começar o tratamento: senti pouquíssimos efeitos colaterais iniciais. Minha infecto orientou que eu tomasse ao deitar. Não tive os tais sonhos vívidos, não tive suor na madrugada, não tive sensação de ressaca no outro dia. O que está acontecendo é uma levíssima tontura ao acordar que passa depois de um banho e um café. FORÇA AÍ!

    • Edy diz

      Ola Amigo+ então no começo eu senti suor a noite nossa como eu suava e quando eu acordava me sentia como se estivese de ressaca agora graças a Deus não sinto mais isso tinha muita insonia agora dormo bem então agora eu sei o que fazer pois todos os dias quando acordo eu acordo com um pouco de tontura que passa aos poucos acho que é porque eu não sou acostumado a tomar café logo quando eu acordo agora depois de ter lido o que vc falou vou começar a tomar café ao acordar e obrigado por essa sua explicação

      • Amigo+ diz

        Edy, que bom que seus efeitos também foram “amenos”. Como disse, não tive o tal suor durante a madrugada, e a sensação de ressaca, se cheguei a ter, foi tão pouca que nem percebi, rs. É interessante tomar um café reforçado ao acordar mesmo, não só pra quem toma esse tipo de medicação, mas pra qualquer pessoa, viu? Um abraço e espero que cada dia seus efeitos se tornem menores…

  15. Olá pessoal !!!

    Gostaria da opinião de vocês. Eu faço uso do coquetel (Efavirenz, Lamivudina e Tenofovir), assim como muitos daqui como já observei, vai fazer 3 anos em janeiro/2016. No início sofremos alguns efeitos colaterais como tonteiras, alterações no sono, sonhos vívidos e etc e com o passar do tempo esses efeitos vão ficando mais brando até cessarem quase que completamente. Sempre tomo às 21:00h após a janta e são raras vezes que sinto alguma tonteira, porém isso ocorre quando apenas quando não como nada e vou deitar logo após. Porém o que venho percebido nesses 3 anos é que quase sempre sinto alguns desconfortos tipo insônia, irritabilidade, preguiça, leve depressão e uma certa indiferença em executar determinadas ações (vontade de não fazer nada). Tudo isso vem sendo constante, com períodos mais amenos, e outros mais intensos, mas nunca cessaram de vez. A princípio, pensei que fosse algo normal, e meio que já estava me acostumando com isso, pensando que fazia parte de algum processo metabólico em relação a idade (tenho 40 anos). Porém isso tem afetado bastante minha vida profissional e pessoal e comecei a realmente a duvidar se essa “qualidade de vida” era algo normal e passageiro. E depois de algumas pesquisas e conversando com algumas pessoas que fazem uso da mesma TARV, soube por uma delas, inclusive meu médico que é bem possível que seja efeito do Efavirenz. Outro amigo que mora na França, fazia o uso da mesma TARV mudando para o Stribild disse que teve melhoras consideráveis. Consultando meu médico ele disse que embora meu tratamento tem tido resultados bastante satisfatórios (Carga viral indetectável por mais de 1 ano e CD4 = 460), ele disse que se realmente perceber que isso está de fato prejudicando muito minha qualidade a ponto de valer a pena fazer um substituição de TARV, ele poderia me recomendar outras 2 opções, que seriam:

    (1cp Lamivudina + Tenofovir 1x dia) + (1cp Nevirapina 2x dia)
    ou
    (1cp Lamivudina + Tenofovir 1x dia) + (1cp Atazanavir 1x dia) + (1 cp Ritonavir 1x dia)

    Pois então gostaria de saber a opinião de quem faz uso de alguma dessas TARVs quanto a efeitos colaterais, durabilidade dos mesmos e dicas para amenizá-los. Dependendo das respostas talvez eu me encoraje a fazer essa mudança. Obrigado à todos !!

  16. leocd4 diz

    Olá pessoal !!!

    Gostaria da opinião de vocês. Eu faço uso do coquetel (Efavirenz, Lamivudina e Tenofovir), assim como muitos daqui como já observei, vai fazer 3 anos em janeiro/2016. No início sofremos alguns efeitos colaterais como tonteiras, alterações no sono, sonhos vívidos e etc e com o passar do tempo esses efeitos vão ficando mais brando até cessarem quase que completamente. Sempre tomo às 21:00h após a janta e são raras vezes que sinto alguma tonteira, porém isso ocorre quando apenas quando não como nada e vou deitar logo após. Porém o que venho percebido nesses 3 anos é que quase sempre sinto alguns desconfortos tipo insônia, irritabilidade, preguiça, leve depressão e uma certa indiferença em executar determinadas ações (vontade de não fazer nada). Tudo isso vem sendo constante, com períodos mais amenos, e outros mais intensos, mas nunca cessaram de vez. A princípio, pensei que fosse algo normal, e meio que já estava me acostumando com isso, pensando que fazia parte de algum processo metabólico em relação a idade (tenho 40 anos). Porém isso tem afetado bastante minha vida profissional e pessoal e comecei a realmente a duvidar se essa “qualidade de vida” era algo normal e passageiro. E depois de algumas pesquisas e conversando com algumas pessoas que fazem uso da mesma TARV, soube por uma delas, inclusive meu médico que é bem possível que seja efeito do Efavirenz. Outro amigo que mora na França, fazia o uso da mesma TARV mudando para o Stribild disse que teve melhoras consideráveis. Consultando meu médico ele disse que embora meu tratamento tem tido resultados bastante satisfatórios (Carga viral indetectável por mais de 1 ano e CD4 = 460), ele disse que se realmente perceber que isso está de fato prejudicando muito minha qualidade a ponto de valer a pena fazer um substituição de TARV, ele poderia me recomendar outras 2 opções, que seriam:
    (1cp Lamivudina + Tenofovir 1x dia) + (1cp Nevirapina 2x dia)
    ou
    (1cp Lamivudina + Tenofovir 1x dia) + (1cp Atazanavir 1x dia) + (1 cp Ritonavir 1x dia)

    Pois então gostaria de saber a opinião de quem faz uso de alguma dessas TARVs quanto a efeitos colaterais, durabilidade dos mesmos e dicas para amenizá-los. Dependendo das respostas talvez eu me encoraje a fazer essa mudança. Obrigado à todos !!

    • FG-PR diz

      Leocd4 e faço uso de Atazanavir+Lamivudina+tenofovir+Ritonavir a 1 ano e meio, sinceramente acredito que não poderia ter escolhido melhor combinação, tomo 3 comprimidos pela manhã e não sinto absolutamente nada, no começo tive uma leve ectiricia que passa se tomar uns 2 litros de água por dia. Sem contar que não tive nenhuma alteração em meus exames de rotina. Eu particularmente acho que vale a pena trocar se vc não está se sentindo bem com sua combinação atual.

      • J.B diz

        fg-PR. Também faço uso do mesmo esquema que o seu. já faz 2 anos. E esta tudo indo bem. Ictería do no começo da mesmo. Mas Depois fica de boa. penso em casar e ter filhos mas ainda está cedo. Espero em dias de luz pra todos nós. Tenho presenciado últimamente muitas descobertas científicas. Acredito que logo teremos a notícia do século.

    • GompMais diz

      Faz 3 meses que tomo o esquema com atanazavir/ritonavir. No início sentia uma leve sensação estranha, parecida com fraqueza, que ocorria de 3 em 3 horas, no entanto era só comer alguma coisa que passava, e durante uns 2 meses uma levíssima icterícia que ninguém percebia, somente eu, e hoje chegando a 4 meses em tarv, ela já não existe mais. Tomo os três comprimidos após o almoço e até agora está tudo tranquilo. Sem interferência no sono, libido ou apetite.

  17. Gaúcha diz

    Tomo a mesma medicação e sinto tudo que tu descreveu, mas como faz pouco tempo (3 meses) que descobri meu diagnóstico, associei a depressão e vou iniciar o uso de antidepressivo. Não tinha me dado conta que poderia ser do efavirenz, mas acho uma pena, pois é tão confortável tomar só 1 comprimido por dia…

  18. Paulo Roberto diz

    Quando uma mulher se declarou a mim, vi tanta sinceridade nos olhos dela que disse a verdade: eu sou soropositivo!
    Pensei que ela fosse se afastar, mas, ao contrário: ela aceitou sem problemas o fato de eu ser soropositivo, mas ficou reticente quanto a ter filhos.
    Aliás, eu não quero ter filhos. Na minha idade, quase 50 anos, ter um filho seria a última coisa que eu iria querer. Já pensaram, aos 65, correndo atrás de um adolescente pelas ruas? Eu não tenho paciência nem quero isso para mim.
    Ocorre que, desde que me descobri soropositivo, eu perdi o interesse pelo sexo. Eu não quero manter relações sexuais com ninguém.
    Nem homem, nem mulher. Eu sei que é um bloqueio de minha mente, mas eu aceitei isso e, confesso, não quero mudar. TALVEZ, se um dia eu for curado,eu volte a procurar alguém, mas no momento, isso não passa pela minha cabeça.
    Isso foi o que ela não aceitou. Então, cada um foi para o seu lado, ela arrumou outro cara e eu continuei sozinho.
    Não julgo quem quer ter filhos: cada um sabe de si, sabe o que é melhor para si. Eu decidi que o melhor para mim é viver sozinho e não ter filhos.
    Pode ser que, mais tarde, eu venha a me arrepender. Mas simplesmente não tenho cabeça para isso, no momento.
    A única coisa que eu quero, neste momento, é SER CURADO. Só isso bastaria para que eu vivesse o resto da minha vida muito feliz.
    Vejo que as pesquisas prometem. Às vezes, me pego desanimado, porque tantas vezes tivemos notícias de promessas e ficaram só nisso.
    Mas eu tenho fé de que, um dia, um desses estudos vai fazer a diferença na vida de todos nós. E estaremos livres desse jugo.
    Grande abraço a todos
    Paulo Roberto

  19. Goiano + diz

    Amigos tenho uma pergunta, faz um mês que descobri ser +, estou tentando levar tudo da melhor forma, não nego que minha cabeça ainda está a mil, choro, as vezes me culpo, mais logo penso, que nada disso é o fim, e tento levantar a cabeça.
    Tenho uma carga viral baixa, 1920 – e uma imunidade relativamente boa 571, já li tantas coisas em relação a ser Low controls, e pessoas de ELITE, que começo a pensar que eu poderia, estar nessa categoria, a infectologista me deixou muito em duvida, e perguntou pra mim se gostaria de começar o tratamento, ???? eu disse que não sabia responder !!

    NO começo da consulta, ela optou em eu não começar a tomar nada. Comecei a imaginar que meu corpo poderia de alguma forma combater o virus, por isso minha carga viral eh baixa, Sendo assim, quando mais eu evitasse de toma a medicação seria de alguma forma bom pra mim.

    Questionei muito a medica e por fim ela decidiu que eu começasse a toma o 3×1, ela olhou meus linfócitos lá, que apresentava 3856 ( não entendo isso ), foi onde depois de muito eu questionar, ela achou melhor começar, já retirei a medicação, MAIS ELA ME DEIXOU EM DUVIDA, ( tudo que eu menos precisava agora ) e agora fico pensando, que talvez eu poderia esperar mais, pra ver se essa carga viral abaixasse mais sem a medicação, poise que se eu começar a tomar o medicamento ai não poderei parar. Que DUVIDA, as vezes acho que eles focam muito no inicio recente do tratamento, mais pra EVITAR A TRANSMISSÃO, E NÃO PORQUE O REMÉDIO ME FARIA BEM.
    Mesmo sem tomar a medicação, é claro que todo cuidado é pouco, por agora nem tenho cabeça ainda pra me relacionar, só estou com receio de tomar a medicação, sabendo que talvez eu poderia me incluir na categoria daquele que o corpo conseguem diminuir a carga viral sem medicação. Não tenho medo do remédio, mais se existe algo que eu posso evitar isso seria ótimo, pois se eu começar não poderei parar .

    O que acham … gostaria de ajuda de vocês ou algum link de estudo, ou uma orientação, pra saber se devo esperar, e observar se essa carga viral aumenta, meu cd4 esta 571, mais acredito ter baixado, por conta da noticia e de tudo que ultimamente tenho passado, talvez com mais execícios, alimentação melhor possa ate subir. Algum medico ou amigo por ai, consegue entender minha cabeça ?!!

  20. Edy diz

    Ola amigos antes quando eu tomava os 3 comprimidos eu não me sentia muito bem agora tomando 1 estou bem melhor mesmo sabendo que juntando os 3 que é 1 eu sinto ainda alguns sintomas um pouco chatos mas passa conforme o dia vai passando ao acordar sinto uma preguiça pra se levantar da cama e isso andou me afetando no serviço acabei perdendo 8dias das minhas férias porque as vez a preguiça é tanta que não consigo me levantar da cama ainda ao acordar sinto um pouco de tontura mais é como falei antes eu não sou acostumado a tomar café logo quando eu acordo mais reparei se eu comer algo ou tomar agua passa então assim quando eu acordo eu tomo um copo da agua gostaria que me responde sem algo qual é o melhor horario de se tomar o medicamento eu tomo as 22hrs pois é a hora que ja vou dormir foi o que a minha médica me orientou a fazer tomar antes de dormir estou pensando tomar ele as 21:30 mais como eu faço academia as vezes eu chego da academia as 21horas ai tenho medo de atrasar pra tomar o remédio sempre tomei na hora certa.

  21. ola penso em ter filhos sim,…mas deus foi muito maravilhoso como ditado falava deus escreve certo por linhas tortas…em 2013 tinha feito exame de rotina pra engravidar de hiv deu negativo teste rapido so de rotina pois nunca tinha feito tudo okk…larguei o remedio e começamos a ter relacoes sem nada mas nao engravidei e comecei usar camisinha pois ele ficou desempregado.no comeco de 2014 ele comecou a ter sintomas e setembro descobrimos q ele era e eu tinha pego tambem…entao tenho uma conclusao tudo tem sua hora….hoje depois de 1 ano,tomo desde janeiro deste ano sou indectavel e ele tambem pensamos em ter proximo 2 anos pois tenho 31 anos….tudo tem seu tempo pra acontecer …ja conversei com o medico pode engravidar ,mas ai tem que trocar o medicamento depois volta pro mesmo….por causa da gravidez….tudo e uma questao de tempo e paciencia….

    • vanessa diz

      Bahia 333
      Boa tarde, li o que escreveu, minha dúvida sobre é… Pode retornar ao mesmo medicamento? Meu médico disse que não! Tem que ser trocado por outro uma vez que para o vírus se torna resistente aquele remédio, fiquei na dúvida agora…

  22. daniellemos diz

    alguem de São Paulo capital teria um infecto para recomendar?
    Desde julho ja passei por dois e não me dou bem com eles. frios e não dispostos a responder as minhas dúvidas.
    eu verifico depois se ele ou ela atende pelo meu plano de saúde.
    Gostaria muito de encontrar um infecto confiável mas que tenha o minimo de bom trato.
    obrigado!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s