“Extra! Extra! Estrela de Hollywood tem HIV”


The-Guardian-logo1

A década de 1980 está de volta: não na forma de estrelas pop do sexo masculino usando delineador, mas em manchetes gotejando o estigma. “Pânico de HIV em Hollywood”, anuncia o jornal The Sun. “Uma lista de astros que tiveram o diagnóstico abala o showbiz” e “Astro mulherengo tem uma lista de ex-amantes”, acrescenta. Ver a combinação de “HIV” e “pânico” na imprensa não é algo que a minha geração está acostumada; mas três décadas atrás, esta era uma norma trágica. Para aqueles que passaram boa parte de suas vidas fazendo campanha para superar o estigma dessa doença tratável, estamos num dia sombrio. “Mesmo com os avanços na testagem e no tratamento do HIV, ainda permanecem preconceitos infundados”, afirma a organização Terrence Higgins Trust. “Atitudes como esta é que perpetuam o estigma do HIV.”

hollywood-hiv

Se uma celebridade — ou qualquer outra pessoa — tem HIV, realmente não é da sua conta. E retratá-los como uma arma biológica ambulante, portadores de uma peste que os torna uma ameaça para os outros, tem consequências terríveis. A caça às bruxas feita pelos tabloides ajuda a fazer com que as pessoas que vivem com HIV se sintam isoladas, aumentando a depressão e a ansiedade. E isso leva menos pessoas a decidirem fazer o teste.

Cerca de uma em cada quatro pessoas com HIV não sabem que o tem, e isso ajuda o vírus a se espalhar. De fato, os casos de HIV continuam a aumentar: aproximadamente 110.000 britânicos vivem com a doença; em 2013, foram 6.000 novos diagnósticos. Quatro em 10 pessoas que são diagnosticadas estão em estágio avançado da infecção pelo HIV. A necessidade de incentivar o teste para garantir a detecção e o tratamento precoce fala por si só. E o The Sun só vai minar estes esforços.

Obviamente, não deve haver complacência quando se trata de travar a propagação do HIV. Mas o que torna a história do The Sun tão fora de sincronia com a realidade é que o HIV não é mais uma sentença de morte neste país. Pacientes tratados adequadamente podem esperar viver uma vida normal e com expectativa de vida normal. Os tratamentos atuais são tão eficazes, lembra o Terrence Higgins Trust, que são capazes de reduzir o HIV a um nível indetectável, o que significa que aqueles que vivem com o vírus não podem transmiti-lo.

“A vida com HIV mudou enormemente. Está na hora da percepção pública se atualizar.” — Tom Hayes

Estamos em um bom momento para o tratamento e para a prevenção do HIV. Quando tomada diariamente por aqueles sem a doença, estudos mostram que a profilaxia pré-exposição (PrEP) pode ser totalmente eficaz em impedir as pessoas de se infectarem. O National Health Service (NHS) ainda se recusa a prescrever o medicamento para indivíduos sob alto risco de infecção — embora seja muito mais barato do que tratar as pessoas após a infecção e embora ativistas estejam fazendo seu melhor para forçar as autoridades médicas a rever sua posição. Novos tratamentos parecem estar a caminho, tal como uma injeção a cada um ou dois meses, em vez do incômodo regime diário de comprimidos.

Elton John
Elton John acredita que só vamos superar o HIV “erradicando seu sintoma mais letal: o estigma.” Foto de Roger Askew/Rex

“A epidemia de HIV se tornou um meio de reforçar preconceitos e discriminações existentes para com os homens gays.”

E o estigma ainda permanece. Seria fácil desconsiderá-lo, como algo confinado à extrema direita, mas isso também não é verdade. Você poderia esperar apoio e solidariedade entre homens homossexuais; afinal de contas, o HIV era um trauma que abateu os gays desproporcionalmente na década de 1980, e a memória coletiva dessa calamidade perdura entre a geração mais jovem. Muitos homossexuais mais velhos viram seus parceiros e amigos sofrerem mortes horríveis; e a epidemia de HIV se tornou um meio de reforçar preconceitos e discriminações existentes para com os homens gays como um todo.

Contudo, o estigma do HIV também é enorme entre gays. Aqueles que falam abertamente sobre a sua condição sorológica correm o risco de serem evitados; a equipe do Terrence Higgins Trust sabe de histórias de homens gays soropositivos sendo repreendidos em aplicativos de namoro simplesmente por estarem lá. Existe uma tradição trágica de grupos oprimidos absorverem os preconceitos e comportamento de seus opressores. Em grande parte da nossa história, os homens gays têm sido tratados como leprosos; na melhor das hipóteses, como objetos de piedade; e comumente como objeto de desgosto. As pessoas se sentem desconfortáveis ​​em torno deles, ameaçados pela sua própria presença. E hoje essa é a forma como muitos homens gays tratam as pessoas com HIV.

“Rachel é centrada e confiante — e incapaz de contar às pessoas que é soropositiva.” — Verity Sullivan

Há, talvez, um sintoma surpreendente de uma pandemia que afeta particularmente os gays: homofobia internalizada. Mesmo depois de grandes progressos ao longo de décadas na luta LGBT pela emancipação, os homens gays ainda são, muitas vezes, vistos como algo sujo e errado. No entanto, subconscientemente, a epidemia de HIV — e a forma como ela foi estigmatizada como “peste gay” — reforçou tais sentimentos. Eu sei de muitos homens gays que, não muito depois de um encontro sexual, começam a se preocupar se um súbito acesso de espirros é evidência de estarem infectados com o HIV.

Embora a batalha contra a homofobia esteja longe de terminar, muitos homens gays sentem que ganharam alguma aceitação, mesmo respeitabilidade, as quais as gerações anteriores só poderiam ter sonhado. Mas justamente porque é tão recente, ela parece precária: o HIV é um lembrete de uma era tão perto da nossa. Temos progredido a uma respeitabilidade que poderia ser perdida de uma hora para outra, revivendo novamente o estigma que as gerações anteriores tiveram de enfrentar.

the sun-hiv

Ver o estigma do HIV ostentar-se no mainstream — depois de tanto esforço e de tantos anos dedicados a superá-lo — é deprimente, de fato. Ainda assim, isso leva o foco da nossa atenção à existência contínua deste fenômeno mortal. Elton John está certo de que o HIV só vai ser superado “erradicando o seu sintoma mais mortal: o estigma.”

Há pessoas que leem isto aqui e adiam um teste de HIV, pois temem que sua vida seja arruinada: não pela doença em si, mas pelas associações que se agarram ao resultado do teste. Jornais lidos por milhões podem fazer pior. Assim como o estigma associado à vergonha internalizada de tantos homens gays. Ambos precisam se reavaliar.

Owen-Jones-LPor Owen Jones em 11 de novembro de 2015 para The Guardian. Owen Jones é um colunista e autor de Chavs: The Demonisation of the Working Class and The EstablishmentAnd How They Get Away With It.

Anúncios

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Receber notificação
mariaaq
Visitante
Descobri no início deste ano, foi um susto. Como uma sentença de morte, no dia seguinte já fui internada com uma pneumonia muito, muito grave. Um dia depois, já estava em coma na uti, e fiquei por 3 meses internada. Já estou em casa, graças à Deus. Mas eu não sei quem sabe, não tenho vontade de contar. Sei que há muito, muito, muito preconceito. Estou tratando de depressão e não sei como vai ser o meu futuro. Estou tratando com o meu médico do hospital, está tudo ótimo. Mas, o que me dói é o preconceito, que as pessoas… Ler mais »
Alex
Visitante

O pessoal aqui tem um grupo no app KiK e costumam se auto ajudar por lá. Vc pode criar um e deixar seu contato aqui, ou alguém pode deixar o contato pra vc add.

Mas fica bem, todos sabemos o que vc tá passando. O preconceito acho que é geral, apesar de que talvez nós algumas vzs vemos ele maior do que é, o que não quer dizer que se deve sair contando pra todos, mas parece existir bastante caso de relacionamentos sorodiscordantes por aí, o que mostra que o vírus não é impedimento quando o outro quer amar.

junior1092
Visitante

Se puder me add no grupo kik

Junior1092

Leão
Visitante

Cara, eu sou só um cara normal, com emprego normal que estuda e tenta melhorar de vida.
No passado eu já fiz bico como modelo fotográfico, naquela época o HIV nem sonhava existir na minha vida. Mas acredito que se hoje descobrirem sobre minha sorologia, vou me tornar uma estrela, mas nada de glamour. Vai parecer mais como aberração e todos vão me perguntar desde quando sei que fui infectado, tudo isso por medo de ter vivido a meu lado.
Preconceito gera novas infecções e menos cuidados como fazer o tão famoso teste.

Cauā+
Visitante

Uma faca de dois gume
Por um lado, contar a sorologia explicar para as pessoas ajuda a desmistificar o preconceito, a espalhar a informação, no entanto, ao colocar a cara no sol, bater no peito e dizer ser soropositivo, nunca se sabe o que te espera por parte das pessoas, seja em casa, convivio social, no trabalho etc…
Ainda estou preferindo ficar calado, deixar só pra mim!

Alessandro
Visitante
Eu experimentei contar a uma mulher que eu estava conhecendo, ela estava muito afim não passava um dia sem me ligar, falar no whats várias vezes e etc… Me senti bem e resolvi falar a ela… E ela disse que o vô dela tinha hepatite b e tal e que conhecia isso… Fez que isso seria “tranquilo” para ela… Mas não foi bem assim… Ela aos poucos foi reduzindo contato, até chegar um ponto de eu chamar para conversar e ela simplesmente me ignorar, até me deletar e bloquear de todas formas de contatos possíveis, na boa é covardia demais,… Ler mais »
J.B
Visitante
Boa noite. Galera já faz 1 ano e 8 meses que estou com carga viral indetectavel. nunca tive nenhuma outra dst. E estou muito bem fisicamente e psicológicamente. meu esquema é o 2×1 + novir+ ritonavir. O infecto que me receitou este tratamento disse que seria o melhor caso fosse um cepa resistente. Só depois. Que iniciei o tratamento que foi feito genotipagem.. E passado a fazê das caraminholas eu comprei Vontade de continuar em frente. Resolvi assumi um relacionamento com uma princesa que fez curtinho comigo. Ano que vem estaremos na.faculdade. Eu tenho 27 anos.e.ela 25. A pergunta é… Ler mais »
J.B
Visitante

Desculpem pelos.erros estou com o celular e no ônibus.. Tradutor dando trabalho kkk

Vida03
Visitante
mariaaq nao pense assim tambem peguei no ano passado pelo meu namorido ele nao sabia mas ja estava no corpo dele ha temposs…tenho 10 anos com ele tive muita sorte ter pego e descoberto cedo ele quase morreu pois contraiu doencas oportunistas….bemmm passado 1 ano de tantas turbulencias,comecei tomar em janeiro os remedios nao tive nenhum efeito colateral….logico q qdo eu fiz [ja tinha feito 1 ano antes deu negativo] pensei putz e agora?pensei na minha mae como ela ia reagir….mas tenho uma força espiritual muito grande enfrentei a familia dele sabe a minha so meu irmao e minha mae… Ler mais »
AmigoPositivo
Visitante

Vou desistir de viver uma grande história por medo da rejeição. Passei 1 ano inteiro solteiro depois de um relacionamento conturbado e quando finalmente encontrei uma pessoa incrível, veio o diagnóstico! Vivo normal desde que descobri, mas o medo da solidão me atormenta. Não tenho medo de morrer, já passou, minha saúde está ótima, mas a rejeição me amedronta muito… 🙁

borgesz
Visitante

Cara rejeição é foda sempre. Numa sociedade estilo Globo de viver (ilusões, que seja né!) e medíocre rejeitam por qualquer diferença do padrão. Ainda mais quando falamos diferenças carregadas de estigmas..
Força rapá. Um abraço

HopeAlways
Visitante

Materia sensacional, acabar com o estigma é necessario e começa em nós mesmos. Não ao estigma e ao preconceito de qualquer especie. Parabens pela materia meu amigo JS. 😀

Alvaro Infante
Visitante

Pois é… Difícil eliminar estigmas dos negativos, quando entre os positivos eles são muito forte tb.

Junior
Visitante

Também sinto o mesmo!

M.
Visitante

Terrível isso em pleno 2015, mas confesso que fiquei super curioso. Acho que se existissem muitas celebridades que assumissem sua sorologia, poderia até ajudar a desmistificar o Hiv… mas os primeiros a assumirem com certeza seriam metralhados 🙁 super complicado.

Gabriel Ritieli
Visitante

Até mesmo na internet a gente só vê notícias do tipo: “Fisioterapeuta ameaça infectar sua mãe de 65 anos”. “Jovens soropositivos transam sem camisinha, mesmo sabendo que estão infectados diz estudos” “Posts sobre surto de hiv em Ouro Preto circulam pelas redes sociais e deixam moradores preocupados” A mídia geralmente não publica coisas positivas, só matérias ruins. Isso, infelizmente,só aumenta o preconceito e o medo das pessoas. Há na internet muitos posts de Jornais conhecidos que não dizem soro positivos, mas aidéticos de cara. É muita ignorância.

Zimba
Visitante
Infelizmente esse estágio em que celebridades possam assumir sua sorologia para abrir a mente das pessoas ainda está longe… Mas torço pra essa etapa nem chegar, pois confio que ainda a cura ou um quase-cura vai acontecer em breve!! Já postei aqui meu caso há pouco tempo. Descobri dia 03/09, hoje exatamente 71 dias… Já desconfiava ter o vírus há muito tempo, porem cai com a cara no chão quando meu infecto disse que, pelos meus exames, a infecção é praticamente recente. Tive a sorte de ter sinais de infecção aguda e com medo de realmente ter a doença e… Ler mais »
Alex
Visitante
Passo/passei por situação semelhante, descobri no início da infecção, perdi peso e estou lutando para recuperar, isso foi uma das coisas mais difíceis no início, juntamente com não ter contado pra ninguém. Tbm este ano, do contágio e descoberta, foi quando comecei a ter vontade de ter um relacionamento sério, coisa que sempre tinha me esquivado até então e estava decidido a mudar, e aí surgiu isso. Tbm tive e talvez ainda tenha, menos do que antes talvez, questionamentos internos quanto a sexualidade, e agora com as limitações, estigma e preconceitos decorrentes do vírus fica parecendo que essas coisas são… Ler mais »
Zimba
Visitante

me add Alex
diegocardoso1986@hotmail.com
abraços

Alex
Visitante

Te add!

Peter
Visitante

Alex, podemos conversar!?
petermead29@outlook.com
abs

Alex
Visitante

Sim, add!

Peter
Visitante

Oi Zimba, força cara! Tudo vai fixar bem!
Abs

Alan30rj
Visitante

Olá Zimba, deixe seu skype para trocarmos uma ideia. Fourte abraço!

lis4ndro
Visitante
Qd fui diagnosticado, estava em um relacionamento de 9 meses com uma pessoa q dizia q me amava, nunca havíamos nos expostos, minha contaminação foi de uma exposição anterior ao relacionamento, msm assim o levei p fazer o teste, q deu negativo. Msm dilacerado por dentro, procurei forças p n me abater, como vi que ele lidou de uma maneira negativa com minha condição ofereci para ajudá-lo a entender melhor, inclusive ele havia concordado em ir a uma psicóloga q eu havia agendado para ele. Ele n compareceu a consulta, me mandou uma msg para eu sumir, trocou o número… Ler mais »
Zimba
Visitante
Poxa lis4andro, me impressionei com seu relato, mas te entendo perfeitamente! Pensei justamente fazer a mesma coisa, mas sei que, ao contrário de vc, vou me afundar ainda mais. Creio que vc deve tentar esquecer isso mesmo cara, seguir a vida e se preocupar com tua saúde. Eu n consegui ter relacionamento já antes do HIV, imagina agora, MAS…Serio mesmo, não precisa vc falar p/pessoa que vc está se relacionando cara, eu acho isso pelo menos! Se vc se trata, e está indetectável, usa camisinha e deu! É o que eu pretendo fazer! Não estou nem um pouco disposto a… Ler mais »
Alex
Visitante
Vc disse que é covarde, mas não é não, pelo menos não é tanto quanto diz ser, falar pra pessoa e levá-la para um psicólogo é um ato de coragem, de força, como tbm ir passar esse período longe. Tbm pensei e ainda penso em se mudar e ir recomeçar uma nova vida longe, não como meio de fugir, porque sei que continuarei com o vírus, mas para começar em um lugar de maneira mais leve. As vzs sinto que o vírus me matou de uma forma, não que eu não vá viver normalmente, porque isso eu sei que aparentemente… Ler mais »
Gabriel Ritieli
Visitante
Você não é covarde. Eu acredito que essa necessidade de ficar só tende a passar.. É uma situação muito complicada e cada um de nós reage de um jeito a ela. Eu, no primeiro momento, contei para os meus amigos porque me sentia muito só, angustiado, precisava do carinho deles. Tive muito medo! Mas depois de um tempo percebi que não podia contar apenas com a foça que eles me transmitiam… o tempo passava e eu me sentia fraco demais, ainda num mundo conturbado, como é o LGBT. Então, resolvi me afastar, pra me fortalecer. Entendi que eu precisava gostar… Ler mais »
meunome
Visitante

Essa é a minha situação há mais de 6 anos, tenho agora 30 e tudo começou aos meus 23. Desde então sou incapaz de relacionamento, tenho poucas amizades e ninguém sabe. Já contei para alguém uma vez, no começo, e quando não quis ficar mais, acabou contando para outra pessoa.
Então decidi de não contar mais… Simplesmente tenho mais valor a enfrentar a solidão do que a rejeição. Entendo a sua situação.

Alan30rj
Visitante

lis4ndro,
Não fique assim rapaz! que acha de conversarmos um pouco? vc tem skype? abraços,!

Leão
Visitante

Alan, eu poderia falar um pouco com você no KiK?

Sorodiscordante
Visitante
Me solidarizo com sua história de vida e digo para seguir firme que uma hora vai encontrar alguém que te ame de verdade. Eu mesmo não abandonei meu parceiro quando ele soube que havia contraído em uma relação extra conjugal. Estamos juntos e pretendo continuar com ele. Sua postagem me chamou atenção em relação a conseguir autorização para levar 6 meses de medicamento. Aqui na nossa cidade foi informado que no máximo fornecem dois meses, mesmo para paciente que vá morar fora por algum tempo. Disseram que a solução seria alguém pegar e enviar via correios para o exterior. Poderia… Ler mais »
Martin
Visitante

Gente, uma dúvida. Algumas pessoas falaram ai em cima que não usando camisinha não precisa contar a quem você estiver se relacionando. Estou em tratamento há quase 2 anos, e, nesse tempo, não tivem coragem de conhecer ninguém a fundo. A dúvida Eh: ok, não presida contar, mas se o parceiro perguntar ou exigir fazer o teste, o que dizer? Entre Meus amigos é comum que ao começar um namoro, em poucos dias os dois já fazem um teste de hiv. Isso me artomenta se o cara perguntar, vou entrar em pânico. O que vcs fariam?

Curioso
Visitante

Acho que se vc vai entrar num namoro é porque confia e tem que existir cumplicidade, e teria que dizer, e pedir pra outra pessoa fazer tbm.

Gabriel Ritieli
Visitante

Espelho**

Gil
Visitante
OLÁ PESSOAL! Somos os primeiros que devemos nos aceitar. Estar infectado não é estar sujo, impuro, não nos tornamos seres gosmentos pela sorologia. Para que as pessoas percam o estigma, não posso sair sorrindo como se nada fosse nada, mas também não fazer um clima terrível, como se fosse a revelação de uma bomba, de um estado terminal. O processo de vitimização (acho que é assim a palavra) é que faz o choque e, dele , para a exclusão, o outro sair de nossas vidas, até porque, como leigos, não sabem lidar com aquilo que não dominam. E outros, saem… Ler mais »
Gil
Visitante
Não sou lá muito exemplo a ninguém, mas deixe-me contar o meu caso: Ao descobrir, a angústia (uma semana) se transformou em força! Fui ao Centro de Referência, procurei um psicólogo que trabalhasse com esta temática e este público, procurei leitura, apoio, que encontrei neste blog e terapia! Sim, psicólogos também precisam! Contei para minha esposa, cujo teste deu negativo (alívio e alegria). Contei para muita gente que convive comigo, pois senti que seria preciso: meus 2 chefes, para as pessoas que trabalham comigo (2 secretárias, 3 pessoas que assessoram meu trabalho na universidade e mais 3 da minha equipe… Ler mais »
Brumo
Visitante

Pessoal, antes eu conseguia pegar medicação no cta para 2 meses, porém, desde mês passado que só consigo pegar mensal. A farmacêutica disse que estão fazendo “balanço” no estoque da farmácia, mas que em breve voltarão a liberar para 2 meses. No cta de vcs também está assim? É um transtorno ter que ir lá todo mês, sair mais cedo do trabalho (a distribuição é de 7h às 12h), enfrentrar aquele climão que é esperar ser atendido, fora a exposição desnecessária, etc.

Curioso
Visitante

Nunca consegui pegar pra mais de um mês.

Gabriel Ritieli
Visitante

Também não consegui, me disseram a mesma coisa Bruno.

Peter
Visitante

Em SP é para 3 meses!

Paulo Roberto
Visitante

Também nunca consegui pegar para mais de um mês.

Luiz Carlos
Visitante

Em Curitiba só deixam pegar dispensa pra mais de um mês se ligar com antecedência e for justificado. Última vez que peguei por 2 meses tive que levar o comprovante das passagens aéreas pra mostrar que eu ia ficar fora.

Paciente e Otimista
Visitante

Boa Noite a todos amigos!!! Então a algum tempo fui até o CTA me consultar com minha Infectologista, e falando sobre estigma me senti hiper de mãos atadas devido a isso. Todos ali sabiam que quem se consulta-se ali tinham HIV, mas já estava meio acostumado com a rotina. Logo antes de entrar havia uma mulher que tinha descoberto fazia 1 semana, só chorava e dizia que queria morrer. Entrei pra me consultar e chorei junto a minha médica pois não aguentei não poder confortá-la e dizer como é o tratamento. Chega de preconceito, chega de estigma.

Alex
Visitante

Pessoal, alguém aqui sabe como estão as pesquisas do metódo de tratamento (que alegava ter possibilidades de cura) do pesquisador Luiz Francisco Pianowski ou que fim tiveram?
Li em entrevistas dele há meses que na melhor das hipóteses em 2015 o medicamento estaria comercialmente viável, e sem otimismo que em 2020, mas depois não vi mais nada sobre.

Paulo Roberto
Visitante

Alex,
Eu enviei vários e-mails para o Dr. Luiz Pianowsky, e JAMAIS obtive resposta.
Tentei ligar para os número que foram publicados junto com a matéria, mas estes números são do pessoal do DEPARTAMENTO DE JORNALISMO (???), e não me deram nenhuma informação a respeito de NADA.
Mas fica tranquilo, de um jeito ou de outro a cura virá.

Alex
Visitante

Pois é, tbm já enviei emails para ele e não me respondeu. Ele tbm está no Facebook, embora não tentei contato por lá.

Gil
Visitante
Minha micose na virilha de estimação, que vem com stress e porque tenho enxugado mal após os treinos voltou. Sempre usava cetoconazol e como sei que é um remédio forte, li a bula e vi que com ritovavir e outros inibidores de protease ele dá reação e é proibido. Já tinha tomado 3. Parei. Quase pirei de noia ontem por causa da mancada. Diz na bula de perda do efeito a potencializar a ação retroviral, de lesões no fígado a outras coisas. Alguém pode me explicar o que sabem ou ouviram? Vou ao médico nesta semana, mas sempre é bom… Ler mais »
Alex
Visitante

Eu usei o cetoconazol nas costas, em forma de pomada, inclusive receitado pelo infectologista, que sabia que iria iniciar o remédio 3 em 1.

Será que tem tbm algum problema usar junto com ele? Ou por que é em forma de pomada isso não interfere? Tbm pergunto aqui pra quem sabe ouvir de alguém que tenha informação a respeito.

EGC
Visitante
Oregon pesquisador: Na porta de cura de HIV?? Testes em humanos definida para começar no próximo ano Dr. Louis Picker foi em uma missão para acabar com o vírus da imunodeficiência humana, desde que ele se formou na escola de medicina no início da epidemia de Aids no início dos anos 80. Picker vem trabalhando em uma vacina contra o HIV durante 15 anos na Oregon Health & Science University, em Portland. Ele procura criar tanto uma vacina preventiva como uma terapêutica para o vírus que causa a AIDS. “Nós temos uma vacina real e esperam começar a testá-la em… Ler mais »
Homem23:55h
Visitante
Amigos, Descobri que sou soropositivo a menos de um mês. Descobri bem cedo, pois faço exames sempre. Meu mundo caiu, chorei muito. Precisa contar pra alguem que confie e desabafar. (Faz parte) Ja li tudo de possam imaginar na web. Estou bastante confiante que vai dar tudo certo. Ja fui em dois infectogistas (medico), um deles queria esperar o CD4 baixar pra depois comecar com o 3 em 1 (remedios), mas achei melhor não correr riscos e já estou tomando (estou me adaptando muito bem, comecei dia 13/11/15). Tenho feito exercícios fisicos, me alimentando bem (de 3 em 3 horas).… Ler mais »
Alex
Visitante
Pode criar sim o site, caso não tenha problema com isso, é bom para desmistificar o vírus. Ainda existe a percepção de que as pessoas com hiv possuem cara de doente e são dignas de pena. Confesso que não faço isso por medo de preconceito e porque escolhi não contar pra ninguém. Como vc disse que já leu mt sobre hiv, deve ter visto o vídeo “O Lado Positivo do Fabrício”, que foi um dos melhores conteúdos que já vi, por mostrar uma pessoa aparentemente bem apresentada e inteligente, falando que possui hiv. Pelo que vi depois ele não produziu… Ler mais »
Alexandre
Visitante

Aí está a minha esperança. Mas não fica claro se é preventiva ou curativa. Em outra matéria que eu li ele fala o seguinte: “uma proteção de 50% parece pouca, mas imaginem 50% a menos de novas infecções no ano?” E compara a vacina dele com aquela tailandesa, que era preventiva. Mas também vem a entrevista desse soro+ aí falando que está muito esperançoso com essa vacina, e o próprio Picker fala que não podemos ser complacentes com o atual tratamento.
Difícil saber se a vacina dele é preventiva ou curativa.

EGC
Visitante

Alexandre lembrei de vc nessa materia, vc mesmo que falou desse pesquisador, eu entendi que esta vacina servira para prevenção e para eliminação total, como aconteceu na pesquisa com macacos, se der certo seria a media que vc tambem comentou uns 7 anos para a realidade, mais se vier otimo, ainda tenho um led no fim do tunel.

Alexandre
Visitante

Boa, EGC. E mesmo que ela seja preventiva ela serviria pra gente, também. Eu penso assim: a gente toma os ARV e zera o vírus no sangue, daí a gente toma a vacina Picker e fica protegido dos vírus que sairão dos reservatórios. Pimba! Adeus ARV. EGC, me parece que já tem gente testando essa vacina, meio que escondido. Meu grande amigo Barasa me disse isso. Parece que ele viu num forum americano. Será???

D_Pr
Visitante

Alexandre, o grande! EGC meu amigo!

Rockefeller, seria o primeiro palpite de alguém escondendo coisas e com certeza deve ter mais estudos não divulgados…. Adeus ARV’s em breve.7 anos é pouquíssimo tempo…

Abraço.

EGC
Visitante

Tem uma materia mais detalhada desse pesquisador no blog somosmaispositivos

Daniel1989
Visitante

Olá amigos, acompanho o blog mesmo sem ser HIV+.

Passei por uma situação de risco que me fez buscar opiniões em todo lugar, hoje espero estar livre do virus, já que meu ultimo exame foi 100 dias depois da relação.

Conheci histórias emocionantes nos comentarios, quero desejar muita força e alegria pra quem recebe o diagnostico positivo.

Não desista da vida, ela é muito maior do que um virus, e logo teremos a cura definitiva, estou na torcida e continuarei acompanhando o blog.

Parabens JS, seu canal é muito importante para todos aqui.

Leão
Visitante
Gente, venho compartilhar uma situação constrangedora… Meu infectologista vai mudar de cidade, segundo ele o interior oferece mais vantagens para quem quer abrir sua própria clínica. Faço acompanhamento com ele há 90 dias desde que recebi o resultado. Um cara super humano, me passou telefone pessoal, Facebook e até WhatsApp. Nossa relação foi cultivada como amizade desde a primeira consulta, com a sua mudança ele me perguntou se eu teria interesse em continuar o atendimento com uma médica de sua confiança, jovem, brincalhona e sempre disponível. Não exitei, disse sim na hora! Pois bem, hoje foi minha primeira consulta com… Ler mais »
Cauã+
Visitante

Nossa cara que foda :/
Aconselho te a trocar de infecto, para alguém q te deixe a vontade e te trate como pessoa normal, q é o q nós somos.
Amo meu infecto, me trata super bem, quando eu arrumo algumas neuras sobre doenças ou algo do tipo, Ele logo trata de me corrigir e me lembrar q sou normal e q estou vulnerável as mesmas doenças q Ele ou qualquer outra pessoa negativa está.
Fique bem, Abraço!

Tom
Visitante

Cauã, o teu infecto é de SP?
O meu infecto está parando de atender pelo meu convênio, e eu já estava com vontade de mudar…Ele fala muito pouco cara…só responde o que pergunto…não me deixa muito seguro…

Cauã+
Visitante

Tom

Meu infecto é de Goiânia
Já pensou em tratar com o Dr. Esper Kallas? É o médico do autor do Blog e vários outros aqui.

Tom
Visitante

Oi Cauã,
Já pensei sim no Dr. Esper, mesmo sabendo que o valor da consulta dele é quase o dobro do que costuma ser outro médico… mas estou avaliando sim… O meu infecto passou a atender particular..então decidi mudar, fiz um segundo exame de carga viral agora…começar tarv…enfim…

obrigado cara….

gustavi
Visitante

comecei a tomar hj o 3 em 1, estou mto tonto e confuso.. isso passa?

Alex
Visitante
No primeiro e segundo dia de remédio esses efeitos são meio fortes, depois eles ainda continuarão mas bem menor. Acho que a maioria toma o remédio a noite em um horário antes de dormir, pois no outro dia se acorda sem sentir mais nada. Tbm dizem que é melhor tomar o remédio longe de horário de alimentação, pois a alimentação parece potencializar o efeito de tontura, mas essas coisas pode variar conforme o organismo e vc vai perceber por vc mesmo. Mas nunca pare de tomar o remédio, se sentir algum efeito mt forte fale com seu médio e se… Ler mais »
Gil
Visitante

Gustavi, passa, sim. Todos que tomam as combinações antiretrovirais, principalmente por causa do efavirenz, ficam zonzos, até confusos. Mantenha a força, sempre tomando a medicação!

Riquinho Rico
Visitante

A um ano que tomo o 3×1 e minha CV caiu de 80 mil para 5 mil o meu infecto disse-me que seria necessário fazer a genotipagem pois a CV já deveria estar zerada e que provavelmente teria que trocar a combinação meu cd4 está em 570. Minha consulta é na quarta dia 18 /11 e desde já estou com muito medo já que não sinto nada tomando o 3×1 só senti no começo tonturas não sei como será o novo esquema alguém já passou por isso? é angustiante

M.
Visitante

Eu tbm não sinto nada tomando o 3×1 (então acho que isso não quer dizer muito), mas estou indetectável desde o 2º mês…. Eu descobri muito cedo, tinha apenas 12.000 de carga viral.

Cauã+
Visitante

Riquinho

É realmente estranho que esteja há 1 ano em tratamento a CV ainda não esteja indectável. Talvez seria realmente necessário a troca de medicação, pode ser q o vírus presente em seu organismo seja resistente ao esquema de medicação atual que você faz uso.
Eu estava com CV em 180.081 e em 4 meses já estava indectável.
Mas não se desespere, nosso organismo foi feito para acostumar e desacostumar com tudo, caso não se adapte a nova medicação, converse novamente com seu infecto para trocar a medicação por outro esquema que lhe seja mais cômodo.

Amigo+
Visitante

CauÃ+,
vi uma comentário seu, que é de Goiânia e se adaptou muito bem com seu infecto, descobri minha sorologia tem um mês, e estou com muitas duvidas além dos medos .. enfim .. Sou da mesma cidade que você, e gostaria de tirar umas duvidas em relação ao infectologista, estou um pouco perdido e acredito que vc poderia me ajudar.
Se poder e tiver algum e-mail, que eu possa entrar em contato com você, seria importante pra mim. !
obrigado amigo , abraço

Cauã+
Visitante

Amigo+

Se puder lhe ajudar, ficarei feliz
Mande e-mail em:
cauanetto@hotmail.com

Responderei assim que possível. Abraço!

Gutan
Visitante

Rico,
Fique tranquilo, com a genotipagem voce vai tomar uma medicação eficaz. Tem muitas opções, inclusive o SUS importa de outro país se tiver indicação para isso. Boa sorte.

Riquinho Rico
Visitante

Obrigado Gutan , na realidade o que eu tenho medo é mais dos efeitos colaterais
E de alguém perceber aparentemente .O preconceito é o pior de tudo!!!!

Leão
Visitante

Ok… Todos que tem Twitter já puderam ver que o ator em questão é Charlie Sheen. Ele confirmou que sabe a respeito de sua sorologia há cerca de 4 anos e tentou explicar o que é estar indetectável.

DD+
Visitante
http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/droga-contra-alcoolismo-pode-ajudar-no-combate-ao-hiv-18069347 RIO — O dissulfiram é uma droga bastante utilizada no tratamento do alcoolismo, mas suas propriedades estão se mostrando fundamentais no combate ao HIV. Testes clínicos conduzidos por pesquisadores dos institutos Peter Doherty para Infecção e Imunidade e The Alfred, na Austrália, em parceria com a Universidade da Califórnia, nos EUA, demonstraram que o medicamento é capaz de ativar cepas do vírus escondidos no organismo, feito considerado essencial na busca de uma cura para a Aids. O estudo foi publicado nesta terça-feira, na revista científica “The Lancet HIV”. — O teste demonstrou claramente que o dissulfiram não é seguro… Ler mais »