Notícias
Comentários 56

Países negam antirretrovirais a imigrantes sem documentos


medscape-logo

Imigrantes que chegam na Europa vindo de países de baixa e média renda e que se infectaram com o HIV começam a terapia antirretroviral mais tarde do que as populações nativas e em contagens de CD4 mais baixas, indica uma nova pesquisa. Uma grande parte das pessoas que vivem com HIV na Europa são imigrantes e, nesse sentido, elas estão mais propensas a desenvolver doenças relacionadas à aids, disse a Dra. Julia del Amo, PhD, do Centro Nacional de Epidemiologia, Instituto de Saúde Carlos III, em Madrid.

A Dra. del Amo apresentou as conclusões iniciais do estudo clínico aMASE (advancing Migrant Access to Health Services in Europe) na 15ª Conferência Europeia sobre Aids. Os resultados vêm de uma pesquisa com 2.249 imigrantes que vivem em nove países europeus.

A maioria dos entrevistados adquiriu o HIV no país para o qual migraram, ao invés de em seu país de origem. Em geral, a maioria dos governos da União Europeia e do Espaço Econômico Europeu têm programas completo de tratamento para imigrantes, de acordo com o relatório do progresso de 2014 do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças. Somente na Finlândia, Itália e Letônia o tratamento não é distribuído em grande escala.

Ainda assim, a situação é diferente para os imigrantes em situação irregular, que recebem tratamento completo para o HIV em apenas 15 dos 27 países. Em outros países, os imigrantes vão para clínicas para fazer o teste e não recebem tratamento se eles não apresentarem documentos válidos de cidadania no país. Por isso, muitos nem sequer vão fazer o teste, pois sabem que não tem direito ao tratamento, disse a Dra. del Amo.

“É um desastre de saúde pública.”

“É um desastre de saúde pública”, disse a Dra. del Amo ao Medscape Medical News. “Por que testar e não tratar?” Ela destacou que negar a terapia antirretroviral para imigrantes sem documentos impede o progresso em direção à eliminação do HIV.

mapa-tarv-imigrantes

A Espanha parou de fornecer terapia antirretroviral para imigrantes sem documentos em 2012, mas após a pressão da comunidade médica e de organizações não-governamentais, o tratamento foi reintegrado. A implementação da terapia antirretroviral, no entanto, difere entre as 17 regiões autônomas de Espanha, de acordo com o relato da Dra. del Amo. “Médicos na Espanha e em outros países me disseram que conseguem ‘dar um jeito’, burlando o sistema. Mas não deveria ser assim, deveria ser a política”, disse ela.

Ligar a testagem ao tratamento também é importante, disse a Dra. Justyna Kowalska, PhD, do Hospital de Doenças Infecciosas de Varsóvia, na Polônia. “Deve-se investir mais esforços em ligar as pessoas que testem positivo para o HIV aos cuidados de saúde, tanto quanto na ampliação dos serviços de teste”, disse ela.

Na Europa, não há cronograma padrão para ligar as pessoas que testam positivo para o HIV ao tratamento, o que significa que esse tempo pode variar substancialmente entre cada país, explicou a Dra. Kowalska. Muitas vezes mede-se o tempo entre o diagnóstico e a primeira contagem de CD4, e outras vezes mede-se a partir do diagnóstico até primeira consulta clínica. Um componente crítico para resolver esse problema é um registro central. No Reino Unido e na Alemanha, por exemplo, códigos especiais são usados ​​para identificar o caminho de um paciente entre a testagem e a consulta clínica. Na Ucrânia, no entanto, não há qualquer registro central, disse a Dra. Kowalska.

O sistema de saúde muitas vezes influencia onde um paciente procura atendimento. Em alguns países, a terapia antirretroviral só pode ser prescrita por um médico infectologista filiado a um hospital. Para os pacientes que escolhem um especialista em HIV como seu médico primário, o especialista torna-se a pessoa responsável por todas as vacinas, exames de câncer, bem como a gestão de comorbidades.

“Estamos enfrentando uma população em envelhecimento.”

As evidências apontam para a necessidade de um modelo de “cuidado compartilhado” para as pessoas com HIV, disse o Dr. Markus Bickel, do HIV Center em Frankfurt, Alemanha. “O cuidado compartilhado será cada vez mais importante, porque estamos enfrentando uma população em envelhecimento, e a prevenção do câncer irá desempenhar um papel mais importante”, disse ele.

Isso exigirá mais testes e monitoramento. A Sociedade Clínica Europeia de A divulgou diretrizes atualizadas na semana passada, conforme publicado pelo Medscape Medical News. A atualização chama atenção para a necessidade de monitoração agressiva da função renal em pessoas com uma estimativa de declínio na taxa de filtração glomerular ou uma taxa inferior a 90 mL/min. O Dr. Bickel também recomenda o uso de equações para calcular o risco de doença renal crônica, a triagem para prevenir a depressão e campanhas antitabagismo.

Por Marcia Frellick em 27 de outubro de 2015 para Medscape Medical News

Anúncios

56 comentários

  1. Doug diz

    JS, vc sabe como o Brasil se porta no oferecimento das TARVS para imigrantes? Tenho um amigo argentino que está pensando em estudar 1 ano e meio em Sao Paulo, para uma pós graduaçao, no entanto, toma o 3 em 1 lá na Argentina. O Brasil concede tratamento gratuito a estrangeiros aqui tbm?

      • Lucas diz

        Sou brasileiro, morei 1 ano na Argentina (2016 / 2017) e fiz todos os exames (CD4, CD8, carga viral, colesterol, glicemia, etc…) de graça, e tbem recebia os meus antirretrovirais de graça. Antes de ir embora da Argentina a médica ainda deu um jeito para eu conseguir remédio para 3 meses. 🙂 Mas as 2 vezes que eu morei nos Estados Unidos o meu médico de Sao Paulo me enviava os remédios pelo correio.

        • Marcos Felipe S Prudente diz

          oi Lucas,eu vou me mudar para os Eua, eu queria tirar uma duvida com vc, em relação a medicação , ela sempre chegava sem problemas ate você ? e de quanto em quanto tempo seu médico te enviava ?

        • Paranaense+ diz

          Lucas, por favor queria sua ajuda por informação de qual era seu procedimento de envio de medicamentos pros EUA, estou indo fazer um intercâmbio mas estou totalmente perdido em como fazer, inclusive quase desistindo.

        • Rick diz

          Ola Lucas!!!
          Estou indo a trabalho para a argentina, acredito que ficarei por la 1 ano. Sabe me dizer qual o procedimento devo fazer assim q chegar para consultas, exames, medicação, etc??
          agradeço o contato.. att. Rick

    • Renatinho diz

      Doug amigo sim só que ele terá que refazer toda a bateria de exames procedurais novamente como ele já toma medicamento instrua ele para trazer medicamento para 2 meses e no dia seguinte que ele chegar no Brasil só procurar um posto de tratamento para Hiv explicar iram fazer cartão do sus e as coisas de rotina q vc já deve conhecer …..
      Boa sorte para ele ……
      Qualquer coisa me mande um e-mail : renatoreiss88@gmail

  2. aventureirousa diz

    Alguem sabe sobre o tratamento com retrovirais no Estados Unidos para o imigrante sem status?(foi com visto de turismo e expirou), é gratuito? como funciona? obrigado.

    • Renatinho diz

      Aventureirousa
      Estou indo para EUA e creio q seja de graça mas ainda não tenho certeza converse com a tua medica e peça medicação para 1 ano pois ai vc deixa alguém para retirar medicação aqui no Brasil e envia para vc a cada 2 meses 3 tiragens .
      Bom ainda não tenho certeza se é gratuito já li varias coisas que me parece q depende muito do estado mas me parece que a maioria oferece tratamento gratuito ….
      Qualquer coisa me manda um e-mail
      renatoreiss88@gmail.com

      • liu diz

        que lastimavel nao ser gratuito, pois foi no EUA que tudo começou…

  3. Doug diz

    Na Argentina o tratamento também é gratuíto a todos os positivos, só não tem a quantidade de medicamentos que temos aqui, mas eles têm medicamentos de todas as classes e atende muito bem a população.
    Outra vantagem, é que lá há muitos postos para recolher a medicação, ficando mais pulverizado à população, oferecendo às pessoas um pouco mais de comodidade em pegar a medicação em postos de saúde diversos em vários bairros.

    Gostaria de saber como é a distribuição de medicação na Europa. Estava planejando morar 10 meses na Espanha como estudante e como tomo o 3 em 1 há 3 semanas, não sei como isso funciona detalhadamente, além da reportagem que postou-se aqui.

    • Doug,
      Morei 2 anos na Espanha e o que ocorre é o seguinte: como informado na reportagem, imigrantes ilegais tem direito a receber atendimento e medicação. Já no caso de você ir regularizado com visto de estudante, por lei você não tem direito a receber a medicação. Se você for nos centros de atendimento de primário, você tem direito a atendimento, exames, vacinas, etc, mas eles não te darão a medicação, a assistente associal dirá para você pedir que alguém te envie do seu país de origem. Contudo, como informado também na reportagem, muitos médicos conseguem uma maneira para que você tenha acesso à medicação. Nesse caso são os médicos de medicina interna dos hospitais gerais que podem fazer isso por você. Me parece que, em geral, todos são contra essa lei, mas fazer isso acho que pode variar de médico para médico.
      Qualquer dúvida pode me escrever,
      um abraço

  4. Cauã+ diz

    Dissse tudo – “por testar e não tratar?”

    Grato pelo tratamento no Brasil ser gratuito.

  5. csrter diz

    Morei 2 anos na Espanha e o que ocorre é o seguinte: como informado na reportagem, imigrantes ilegais tem direito a receber atendimento e medicação. Já no caso de você ir regularizado com visto de estudante, por lei você não tem direito a receber a medicação. Se você for nos centros de atendimento de primário, você tem direito a atendimento, exames, vacinas, etc, mas eles não te darão a medicação, a assistente associal dirá para você pedir que alguém te envie do seu país de origem. Contudo, como informado também na reportagem, muitos médicos conseguem uma maneira para que você tenha acesso à medicação. Nesse caso são os médicos de medicina interna dos hospitais gerais que podem fazer isso por você. Me parece que, em geral, todos são contra essa lei, mas fazer isso acho que pode variar de médico para médico.

  6. aventureirousa diz

    alguem sabe qual seguro saude cobre os medicamentos hiv? pessoas sem status nos estados unidos pode contratar um seguro saude?

  7. Aqui no Canada, o imigrante sem documentacao sofre para conseguir medicacao. Eu consegui pq um laboratorio (ViiV) me forneceu um plano de um ano do Triumeq. Ate mesmo os documentados tem problemas para conseguir o medicamento aqui. Infelizmente, ponto negativo nesse quesito para o Canada.

  8. Jadielson lima diz

    Boa tarde,goataria de saber se na itália eles fornecem o tratamento (Remédios) para nportadores do hiv. Sou Brasileiro mas pretendo ir para a itália ficar um ano na casa de um amigo . Mas não sei como funciona isso lá. Preciso levar a medicação? Ou eles fornecem lá?

  9. Anonimous diz

    Boa noite!! Estou indo para a Italia sem data para retornar ao Brasil, gostaria de saber como funciona o tratamento la na Italia e si eles disponibilizam a medicaçao? Como devo proceder chegando la?

  10. Também gostaria de saber sobre a disponibilidade de medicação anti retroviral para imigrantes ilegais na Itália. Que dúvida… Estou indo passar alguns meses!

  11. Lucas diz

    Estou querendo ir embora para os Estados Unidos, Já faz um ano que eu descobri que tenho HIV. Alguém pode me indicar algum link algum documentário que fala se remédios são gratuitos nos Estados Unidos para Imigrante.
    Ou tem como alguém do Brasil Enviar os remédios para mim?

  12. Nino diz

    Saudações positivas! Hoje faz quase um ano e meio que descobri minha “positividade”. Estou mais calmo, sereno, confiante, mas também por vezes angustiado. Aquela vontade de voltar no passado e fazer as coisas diferente.Já dizia o poeta Cazuza:”o tempo não para e a gente ainda passa correndo”. Recebi um proposta de morar na Itália. Medos me consomem, ansiedade de uma vida nova me tomam, a vontade de ir é grande e o medo de ficar assusta. Mas estou pensando calmamente pra chegar ao veredito da minha própria vida. Alguém dos meninos que postaram, conseguiram ir e medicar-se? Abraços!

  13. Léo R. diz

    Pessoal, vi que muitos comentaram sobre o tratamento na Itália. Eu fiquei três meses naquele país em 2010. Como o período foi curto, fiquei com visto de turista e legal; e levei daqui do Brasil a quantidade necessária para os 3 meses. Entretanto, fui a um hospital me consultar com um médico lá para perguntar sobre o tratamento. Na época, eu tinha inclusive um seguro saúde de viagem para aquele período. Todavia, o médico disse que eu poderia ter o tratamento, porém, deveria pagar para adquirir os remédios – uma quantia que naquele ano girava em torno de uns € 200,00 e pcos (euros) – pois meu plano não cobria. Se eu tivesse a cidadania, por exemplo, eu poderia ter o tratamento de graça como acontece aqui no Brasil.
    No entanto, isso foi há 6 anos. Não sei como está hoje, e se eles possuem um programa para atendimento aos imigrantes, ilegais ou não.
    Achei o sistema público de saúde na Itália bom e o médico foi atencioso. Correu atrás da informação para mim. Por via das dúvidas, acho que é bom ter planejado o esquema de ter alguém aqui no Brasil que envie a medicação daqui de tempos em tempos. Eu tinha uma amiga que ficou de stand-by aqui, caso eu precisasse, mas isso não chegou a acontecer.

  14. Carlos diz

    Olá! Estou indo estudar medicina na Argentina, e gostaria de saber se Buenos Aires disponibiliza a medicação 3 em 1 para estrangeiros? Ou tenho que levar uma certa quantidade daqui do Brasil? Já procurei bastante na internet algo relacionado e nada responde a minha dúvida.

          • Carlos diz

            Não consigo encontrar esse app! Preciso saber disso, pra eu poder decidir sei irei ou não! 😳😔

            • Rejane diz

              Carlos, gostaria de obter essa informação. Favor me adicionar pelo whatsapp : 83 998830681.

      • Felipe Rangel diz

        Olá também gostaria de saber se a Argentina libera medicamentos por favor qualquer informação me responda.
        Whatsapp:092993263367

  15. Kcal diz

    Bom dia a todos! Estou pretendendo ir estudar na Alemanha porém preciso saber antes se existe medicação de fácil acesso a imigrantes. No caso terei visto de estudante pois vou com bolsa do governo. Alguém sabe dizer se, já que não é gratuita a medicação nesse país, o preço para compra é viável pra ser custeado com o valor de um bolsa de estudos para despesas.

    • Bruno diz

      Estou atualmente na Alemanha e sofrendo um bocado pra conseguir minha medicação. Assim como você tenho visto de estudante, seguro saúde, e iniciei minha terapia há alguns meses no Brasil, eu consegui trazer pra cá medicação suficiente pra três meses, mas minha família ficaria responsável por pegar minha medicação no SUS e me mandar pelo correio. Com essa atual crise, o meu posto não está liberando mais medicamento para três meses e somente de mês em mês, acontece que o primeiro medicamento chegou certinho, o segundo foi bloqueado pela anfândega, disseram que é proibido enviar medicamentos pelos correios para a Alemanha, quer dizer, de certo não controlaram meu pacote da primeira vez, no ultimo dia que tomei meu medicamento eu corri num médico aqui, do qual já havia feitos exames pra controlar meu CD4, e consegui uma caixinha de Atripla para um mês, vale lembrar que essas consultas não foram cobertas pelo meu seguro saúde, eu tive que pagar do meu próprio bolso, só o exame de CD4 foi 700 euros. Enfim, tive muita dor de cabeça, ligando para o departamento de saúde da minha cidade, pro Deutsche Post etc, indo pessoalmente na AIDS Hilfe e tentar achar uma solução. Bem, a mulher da AIDS Hilfe que é uma instuição não governamental que ajuda soro positivos foi super grossa comigo, me chamou de irresponsável por não verificar essas pendências antes de vir para cá. Eu sabia que meu seguro não iria pagar meu medicamento, nenhum seguro para estudante internacional cobra. A impressão que eu tive foi que eles estão pouco se fudendo e tudo que eles querem é lucrar e proteger a industria farmaceutica alemã, aqui não existem genéricos, e a medicação chega custas 1,500 euros por mês caso pago privado, é inviável. Enfim, no departamento de saúde eles liberarão com a alfândega para três meses o medicamento que eu receber do Brasil, consegui pegar um agora e já tem outro a caminho. Eu preciso renovar meu visto em outubro, mas acho que voltarei ao Brasil e largarei os estudos. Uma alternativa que a moça da AIDS-Hilfe me disse é ter um seguro saúde do Brasil que cubra, eu estou procurando e não acho muitas informações, a maioria deles não cobrem, foi fazendo essa pesquisa que cai nessa página. Bom, nessas horas a gente vê que nosso país é muito mais avançado no tratamento ao HIV, tudo isso me deixa muito decepcionado, porque nunca vou esquecer o que meu médico disse quando avisei que estaria vindo pra Europa e se haveria problemas pra mim: “viva a sua vida como uma pessoa normal, não deixe essa doença te impedir de realizar seus sonhos”. Mas na prática a realidade é outra e muitas portas se fecham para nós.

      • André diz

        Oi, Bruno. Como ficou sua situação? Estou cogitando estudar na Alemanha próximo ano e já estou pesquisando a respeito dos medicamentos. Só espero não ter que ficar vindo ao Brasil periodicamente só para buscar os medicamentos. Principalmente porque agora aqui o medicamento só é liberado com consultas semestrais.
        Gostaria de mais informações de você. Vc chegou a conseguir a medicação na Alaemanha ou não? Onde, como e qual a dificuldade?

      • Douglas diz

        Oi Bruno,

        eu também estou na Alemanha e de fato a realidade é esta… Antes de vir pra Berlin, morei um ano em Dublin na Irlanda onde fiz meu tratamento com medicação e tudo sem pagar nada além dos impostos (somente se você venha a trabalhar, claro!). Quando procurei auxílio ao Berlin Aids Hilfe ainda na Irlanda, os voluntários disseram-me para arrumar um trabalho na Alemanha para então ser inscrito no seguro de saúde público daqui (não me informaram se é preciso trabalhar legalmente ou não). Ou a segunda opção seria entrar para uma universidade na Alemanha para assim aplicar para o visto de estudante universitário e ter direito ao seguro de saúde público alemão.
        De fato, mesmo com o seguro púbico, o tratamento e medicação não saem 100% gratuitos mas já são cifras incomparavelmente menores do que as se fizermos no privado. (cada frasco aqui sai por 10 euros pelo seguro público… pelo privado pode sair entre 800 e 900 euros).
        Quando fui pessoalmente ao Aids Hilfe, a voluntária que me atendeu foi direta em dizer que era mais barato ir a Irlanda de seis em seis meses para buscar mais medicamentos do que fazer o tratamento por aqui (ÓBVIO!) e que se eu conseguisse vaga na universidade eu poderia levar os documentos aos Ailds Hilfe que eles me ajudariam na inscrição ao seguro público.
        Enfim, ainda estou a tentar as duas opções. Independente de qual for o resultado, posto aqui as informações depois

      • Lucas Lopes de Souza diz

        cara, me passa seu email ou telefone. quero muito entrar em contato contigo.
        gracias

  16. Karla Oliveira diz

    Olá gostaria de saber sobre receber o tratamento e entrega de medicamentos imigrantes ilegais em Portugal alguém poderia me ajudar?

    • Ajuda diz

      O tratamento para o VIH e SIDA em Portugal é gratuito e acessível a todas as pessoas, independentemente do país de origem e situação legal em Portugal. O levantamento da medicação ocorre sempre numa farmácia hospitalar, sendo que são disponibilizados medicamentos para um período mínimo de 90 dias.

      No cenário de um cidadão brasileiro viver em Portugal, mesmo que com visto de turista, recomendamos que faça uma inscrição esporádica no Centro de Saúde da sua área de residência. Nesse Centro de Saúde pode efectuar uma marcação de consulta para o médico que lhe for atribuído, para que este a reencaminhe para o Centro de Tratamento de VIH e SIDA, que será um Hospital da sua zona geográfica – é também nesse Hospital que ficará a farmácia hospitalar onde levantará a medicação.

      Estou a presumir que já se encontra a viver em Portugal. Se sim, tem medicação para quanto tempo? Se ainda não se tiver mudado, sugiro que traga consigo o formulário PB4 o processo poderá ser mais simples.

      Sinta-se à vontade para nos contactar caso tenha mais dúvidas!

      Com os melhores cumprimentos,

      Pelo GAT,

      • Ricardo diz

        Boa noite!! Sou brasileiro e pretendo mudar para Portugal início do ano que vêm, então consigo continuar meu tratamento? Os medicamentos tem algum custo?
        Primeiramente vou entrar como turista depois iniciar o processo de residência.
        O que é o formulário PB4? Onde consigo?

  17. Bruno diz

    Como funciona a entrega de medicamentos em portugal para imigrantes ilegais?

  18. Italo diz

    Boa noite… Alguém poderia me tirar uma dúvida?
    O medicamento contra HIV no Canadá são distribuídos gratuitamente ou são pagos? Se forem pagos, qual o valor em média?
    Meu companheiro é portador do vírus HIV e ele faz o tratamento aqui no Brasil. Temos vontade de ir para o Canadá daqui a um tempo (para Quebec), mas para viver lá, a única coisa que ainda não conseguimos descobrir/resolver é sobre a medicação.
    Já vi dicas de alguns que foram para outros países de conversar com médicos aqui e fazer receitas para 1 ano, e alguém enviar os medicamentos… seria algo bastante viável, mas indo com intenção de morar lá de vez, isso teria de se sustentar até a naturalização, que leva em torno de 5 anos, o que implicaria de nós dois ou somente ele voltar ao Brasil de vez em quando para fazer exames, preparar novas receitas etc.
    Queríamos resolver isso de uma forma bem mais simples, então gostaríamos de saber como funciona o fornecimento de medicamentos para imigrantes no Canadá… Se alguém souber me responder, eu agradeço muito!

  19. Alexandre Henrique diz

    Ola Boa Tarde! Sou soropositivo a 2 anos,com carga viral indetectavel a um ano e meio,já faço tratamento com retrovirais aqui no Brazil,gostaria de saber como e o tratamento para imigrantes soropositivos na França,se eles fornecem medicação gratuita para soropositivos imigrantes lá,porque eu vou levar para 3 meses apenas,depois meu visto vai vençer e tenho que conseguir lá,alguém ai sabe como funciona para imigrantes na França? Se eu consigo medicação lá? E se eles não vão me deportar por ser soropositivo e estar ilegal no país?

  20. Leandro diz

    Olá gostaria de saber sobre receber o tratamento e entrega de medicamentos imigrantes ilegais em Portugal alguém poderia me ajudar?

  21. Bruno diz

    Olá! Italo…e todos que pensam em ir para o Canadá!
    meu marido e ambos fazemos tratamento no Brasil, e estamos pensando em migrar para o canada pelo E,entry,(Toronto) sabemos que são pedidos exames de HIV, e uma empresa que faremos consultoria nós falou que depende de quem analisa o processo, que já foram aceitos e negados pedidos de portadores! Já me foi informado aonde pegamos nossos medicamentos que PODE ser possível levar os remédios por um período longo, talvez um ano, mas não certeza nenhuma, mas, que mesmo pequena existe a possibilidade.
    Já pesquisei muito e sei que em Londres e Irlanda o tratamento é gratuito e fácil acesso.
    Inclusive quem pretende ir para londres procure contatar a ong NAZ VIDAS, eles ajudam em tudo, e eles acolhem trabalho voluntario na prevenção a DSTs/hiv , eles trabalham para o consulado brasileiro
    Gostaria de saber se alguém esta no Canada, como esta, e podemos manter contato? Italo, podemos manter contato tb. Abraço a todos, e não desistam do sonho de estudar ou morar fora do Brasil!!

  22. Leonardo diz

    Boa Tarde,

    Estou indo para Espanha e comecei a fazer meu tratamento a 1 mês. Vou ficar por 6 meses na Espanha e segunda a média eu posso levar 3 caixas que corresponde a 3 meses, depois preciso procurar um local lá para conseguir mais outras 3 caixas.
    Alguém sabe me informar onde eu vou la na Espanha para conseguir essa medicação?

    Para sair daqui do Brasil com elas é preciso de uma receita em Inglês?
    Ainda é tudo muito novo e fico perdido e com medo de chegar na Espanha e meu tratamento ser interrompido.

    • Leonardo,

      Sempre viajei com uma receita em inglês, mas nunca me pediram para mostrá-la. Mas, de acordo com as normas de transporte de remédios em viagem internacional, é bom ter uma receita em inglês e as embalagens originais.

  23. Henrique diz

    Ola Boa Tarde!

    Gostaria de saber como e o Tratamento para Soropositivos imigrantes sem documentação Em Portugal e na Espanha,pois estou querendo ir sem data prevista pra volta ao Brasil para Portugal ou Espanha, gostaria de saber se nos dois países o tratamento e gratuito,se conseguiria a medicação gratuita,bem como os exames e tal,pois leverei medicação para no maximo 06 meses,após isso teria que recorrer ao tratamento no país que eu estivesse.Gostaria de informaçoes de como e o tratamento nesses dois países para os imigrantes, pois estou com medo de ir e voltar por não conseguir o tratamento!

    Desde já agradeço

  24. Olá,
    Estou planejando realizar intercambio na Irlanda de 8 meses, gostaria de saber se é possível pegar medicação gratuita lá com o visto de estudante (com autorização de trabalho), e se posso levar daqui a medicação para o tempo que estarei por lá?
    Já vi alguns comentários aqui e em outros blogs falando que não é oferecida a medicação para visto de estudante, procede essa informação?
    Desde já agradeço!!!

  25. Mineiro 1964 diz

    E para Cuba, na qualidade de turista. Alguém já teve esta experiência?

  26. RafaRR diz

    Boa noite estou planejando me mudar para Espanha. Também gostaria de me informar sobre o procedimento para dar continuidade ao tratamento por lá. Quem tiver kik me chame para trocarmos ideias e experiências : dofael

  27. Marcelo diz

    Olá, boa noite. Gostaria de saber por gentileza, como faço para obter o tratamento para HIV Austrália, mais específicamente em Sydney.
    Pretendo fazer intercâmbio de aproximadamente um ano por lá, mas não achei muitas informações a respeito.
    Por favor, se alguém souber alguma coisa, me avisem!
    Grato!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s