Notícias
Comentários 68

Europa atualiza avisos sobre efeitos colaterais nas bulas dos antirretrovirais


Publicado em 23 de outubro de 2015 pela European Medicines Agency

EMA

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, do inglês European Medicines Agency) atualizou as recomendações sobre o risco de alterações da gordura corporal e de acidose láctica com medicamentos para o tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Assim, medicamentos para o HIV deixarão de requerer uma advertência relativa a redistribuição de gordura nas informações sobre os produtos, e uma série de medicamentos da classe nucleosídeos e dos nucleosídeos análogos deixarão de exigir um aviso sobre acidose láctica.

Alterações na gordura corporal:

O aviso sobre as alterações de gordura corporal (lipodistrofia) foi introduzido no início do ano 2000, à luz dos achados clínicos em pacientes que tomavam as combinações de medicamentos disponíveis naquele momento. O termo “lipodistrofia”, neste contexto, refere-se às alterações na quantidade de gordura corporal, bem como a distribuição de gordura no organismo. As análises mais recentes sugerem que apenas alguns medicamentos provocam alterações de gordura — Zidovudina (AZT), Estavudina (d4T) e Didanosina (DDI), provavelmente — e estas alterações dizem respeito à perda de gordura subcutânea (lipoatrofia). Não existem evidências claras de que medicamentos para o HIV causem acúmulo de gordura. A partir da evidência atual:

  • A advertência geral sobre lipodistrofia será, portanto, removida das bulas dos medicamentos para o HIV;
  • Uma advertência específica relacionada com a perda de gordura subcutânea permanecerá em medicamentos contendo Zidovudina, Estavudina, e Didanosina.

Acidose láctica:

Da mesma forma, um aviso sobre acidose láctica, que é o acúmulo nocivo de ácido láctico no corpo, foi introduzido no início de 2000 para os medicamentos nucleosídeos e nucleosídeos análogos. No entanto, uma análise de estudos de caso, de relatórios e da literatura publicada atualmente mostra que o risco de acidose láctica difere substancialmente entre os medicamentos desta classe.

Em consonância com as evidências atuais, o aviso sobre a acidose láctica será removido dos medicamentos nucleosídeos e dos nucleosídeos análogos, com exceção dos produtos que contêm Zidovudina, Estavudina e Didanosina.

As empresas afetadas por estas recomendações vão agora iniciar os procedimentos de regulamentação para atualizar as informações dos medicamentos em seus produtos.

Informações para pacientes e profissionais de saúde:

  • A informação dos medicamentos para o HIV serão atualizadas para refletir o conhecimento atual sobre as mudanças na gordura corporal e acidose láctica, para que os pacientes e os profissionais de saúde possam decidir sobre o tratamento, utilizando as recomendações atualizadas.
  • Esta avaliação não levantou quaisquer novos riscos ou preocupações; os pacientes podem ter certeza de que, para vários medicamentos, as informações anteriores sobre o risco de alterações na gordura corporal e acidose láctica já não são consideradas relevantes.
  • Os pacientes devem continuar a tomar seus medicamentos tal como prescrito.
  • Os pacientes que têm dúvidas devem discuti-las com o seu profissional de saúde.

Mais sobre os medicamentos¹:

A avaliação da EMA inclui medicamentos autorizados para o tratamento do HIV. Os seguintes medicamentos autorizados já não necessitam de uma advertência sobre redistribuição da gordura: Aptivus, Atripla, Combivir, Crixivan, Edurant, Emtriva, Epivir, Eviplera, Evotaz, Intelence, Invirase, Kaletra, Kivexa, Lamivudina ViiV, Norvir, Prezista, Reyataz, Rezolsta, Stribild, Sustiva, Telzir, Triumeq, Trizivir, Truvada, Viramune, Viread, Zerit e Ziagen.

Para acidose láctica, os seguintes medicamentos que já não necessitam de aviso são: Atripla, Emtriva, Epivir, Eviplera, Kivexa, Lamivudina ViiV, Stribild, Triumeq, Truvada, Viread e Ziagen.

Combivir, Trizivir e Zerit terão agora um aviso sobre a perda de gordura (lipoatrofia) e também irão manter o aviso sobre acidose láctica.

pdfUpdated advice on body fat changes and lactic acidosis with HIV medicines –  23/10/2015. (English only)


¹ Tabela de conversão de medicamentos:
Nome comercial: Princípio ativo:
Aptivus Tipranavir
Atripla Efavirenz + Emtricitabina + Tenofovir
Combivir (também conhecido como Biovir) Lamivudina + Zidovudina
Crixivan Indinavir
Edurant Rilpivirina
Emtriva Emtricitabina
Epivir Lamivudina
Eviplera Emtricitabina + Rilpivirina + Tenofovir
Evotaz Cobicistat
Intelence Etravirina
Invirase Saquinavir
Kaletra Lopinavir + Ritonavir
Kivexa Abacavir + Lamivudina
Lamivudina ViiV Lamivudina
Norvir Ritonavir
Prezista Darunavir
Reyataz Atazanavir
Rezolsta Darunavir + Cobicistat
Stribild Elvitegravir + Cobicistat + Emtricitabina + Tenofovir
Sustiva Efavirenz
Telzir Fosamprenavir
Triumeq Abacavir + Dolutegravir + Lamivudina
Trizivir Abacavir + Lamivudina + Zidovudina
Truvada Tenofovir + Emtricitabina
Viramune Nevirapina
Viread Tenofovir
Zerit Estavudina
Ziagen Abacavir
Anúncios

68 comentários

  1. Alex diz

    Interessante.

    Eu tomo o chamado “3 em 1”, composto por Tenofovir, Lamivudina e Efavirenz, então quer dizer que definitivamente eles não causam perda ou aumento de gordura? Na notícia fala que o “Lamivudina ViiV” não causa redistribuição de gordura, ele seria o mesmo que o “Lamivudina” (sem o “ViiV”, pois no que tomo vem escrito apenas assim)?

    Uma curiosidade, alguém sabe se existe algum nome comercial para esse remédio chamado “3 em 1”?

    • Eve diz

      Alex, a lamivudina viiv é o nome comercial vendido na Europa cujo princípio ativo é a lamivudina que contém no 3×1.
      A lamivudina, tenofovir e efavirenz que compõem o 3×1 fazem parte desta relação deste comunicado, ou seja, não causam alterações da distribuição de gordura e ácidos e láctica.

  2. Victor diz

    Em breve nada disso será necessário
    Somente o pro140 uma vez por semana e totalmente sem toxicicidade!!
    Desde 2007 em ensaios clínicos e entrou na fase final no dia 22 de outubro desse, em um ensaio com 300 pacientes por 25 semanas!
    Uma monoterapia um inibidor de entrada e fusão predominante… Nada desse blá blá de inibidor de protease, integrase e transcriptase reversa!
    Jovem, poderia fazer uma sugestão? Quem sabe vc poderia fazer um matéria completa sobre o pro140 desde o incio até hoje uma vez que já estar perto de ser comercializado!

    • Alex diz

      Que bom, então pelo o q vc falou e pelos meus cálculos, a fase final vai durar ainda mais cerca de 6 meses, colocando aí mais um mês de margem de erro para divulgação, chegamos em 7 meses, então o resultado final do pro140 seria divulgado por volta de maio de 2016.

      Após isso, aprovada a comercialização, caso o Brasil queira utilizar esse remédio imagino que deve colocar em consulta pública, o que levaria mais uns 6 meses, assim, deve chegar por aqui pelo SUS por volta de 2018 ou 2019.

      Em tese, tirando a toxidade, a efetividade do pro140 é a mesma que do 3 em 1?

      • Ombro Amigo diz

        Alex, cada país tem um protocolo diferente para medicações. Embora o FDA seja referência mundial no assunto, o Brasil deve analisar se deve ou não adotar a medicação. Se os resultados animadores do Pro140 se mantiveram o FDA deve aprova-lo em meados de 2016 e estipular um período para a sua comercialização [cujo o prazo pode variar]. Mas creio eu que em 2 ou 3 anos, o Pro140 já poderá estar disponível no Brasil. O que será um marco no tratamento.

        Respondendo a sua pergunta: sim! a efetividade dele é a mesma do 3×1

        • daniellemos diz

          ai gente, se aprovar esse negocio eu vou pra paulista protestar por agilidade.

      • Victor diz

        O pro140 é injetável… Ele não tem nada a ver com o 3×1, ele não tem efeitos secundários e são apenas anticorpos humanizados…
        Vai ser tomado um vez por semana e não tem efeitos colerais e nem risco de resistência ao longo do uso!
        Ele já foi testado em 6 ensaios de fase 1 e 2 com absoluto suçesso e o melhor já foi usado em humanos e foi eficaz, essa fase 3 e só uma espécie de comfirmação é a fase de segurança!
        Nos E.U.A em 2017 pela perspectiva da empresa que criou o pro140, que ele já seja comercializado para o tratamento!
        Mas no Brasil as coisas são mais devagar, o 3×1 por exemplo chegou aqui com 10 anos de atraso!
        Mas, eu acho que a implantação do pro140 no Brasil vai ser mais agilisada, devido a sua alta eficácia! Acho que em 2019 ou 2020!

        • Alex diz

          Em relação a custos, tem ideia se o custo do tratamento mensal do pro140 deve ser igual, inferior ou maior ao custo do 3 em 1?

          • Victor diz

            A empresa disse se o medicamento for aprovado pela FDA o que estar bem próximo, eles pretendem faturar um bilhão de dólares no primeiro ano de uso, dps o preço vai caindo e é aonde o Brasil 1 ou 2 anos dps eu acho.
            Ou tbm pode ser que devido a facilidade no tratamento e a não toxicicidade e tbm outro fator importante o pro140 vai ser usado na prevenção para os soronegativos substituído profilaxia pré e pós exposição ao vírus, pode ser que por esses motivos o governo agilize o processo de implantação no SUS
            Mas, concerteza o pro140 vai ser bem mais caro que o 3×1!!

  3. Matheus diz

    Alex “3×1” é o Atripla que está lá na tabela…é que em nosso país ele recebeu esse “apelido”.

    • Alex diz

      Matheus, mas o Atripla segundo consta na tabela é composto do “Efavirenz + Emtricitabina + Tenofovir”, ou seja, diferente da composição com o “3 em 1” que é “Tenofovir, Lamivudina e Efavirenz”, ou não?

      • Marcos Silva diz

        O atripla não é exatamente o mesmo que o 3×1, por conta da diferença entre Emtricitabina e da Lamivudina. Mas eles são irmãos, muito parecidos.

    • Salvador diz

      Não. Artripla é outra combinação. Efavirenz+ Emtricitabina+ Tenofovir.
      O nosso 3X1 é Efavirenz+Lamivudina+Tenofovir. Essa combinação só existe em genéricos na versão de 1 comprimido.
      Pode ser importado direto da India por U$170 a cx com 30 comprimidos. É o mesmo que o governo brasileiro nos fornece.

  4. Digo diz

    Fiquei um pouco confuso.
    Neste parágrafo, diz que a Zidovudina (AZT) manterá o alerta:
    “As análises mais recentes sugerem que apenas alguns medicamentos provocam alterações de gordura — Zidovudina (AZT), Estavudina (d4T) e Didanosina (DDI), provavelmente — e estas alterações dizem respeito à perda de gordura subcutânea (lipoatrofia).”
    Neste outro parágrafo diz o seguinte:
    “Os seguintes medicamentos autorizados já não necessitam de uma advertência sobre redistribuição da gordura: Aptivus, Atripla, Combivir,”
    Na tabela explica-se que o Combivir é o mesmo Biovir (Lamivudina + Zidovudina).
    Então fiquei na dúvida: a Zidovudina sozinha trará o alerta e na combinação com a Lamivudina (Combivir ou Biovir) não trará?
    Este é o medicamento que uso com o Efavirenz

    • farmacêutico diz

      Boa noite a todos!
      Digo, tudo bem? No ultimo paragrafo do texto esclarece quais os medicamentos deverão continuar com a advertência “Combivir, Trizivir e Zerit terão agora um aviso sobre a perda de gordura (lipoatrofia) e também irão manter o aviso sobre acidose láctica.”,
      A tabela serve para associar o principio ativo ao nome comercial , todos os três medicamentos sozinhos ou associados devem conter a advertência, notem que este medicamentos são da primeira geração de ARVs o que mostra a evolução dos novos medicamentos com relação aos efeitos colaterais.

      • Digo diz

        Oi, farmacêutico… é que no texto tem essas duas frases:
        1) “Os seguintes medicamentos autorizados já não necessitam de uma advertência sobre redistribuição da gordura: Aptivus, Atripla, Combivir”,

        2) “Combivir, Trizivir e Zerit terão agora um aviso sobre a perda de gordura (lipoatrofia) e também irão manter o aviso sobre acidose láctica.”

        Ou seja, uma hora diz que o Combivir já não necessita da advertência e noutra diz que terão o aviso… rs.

        Minha preocupação é que eu uso o Biovir – e, segundo a tabela, Biovir e Combivir são o mesmo medicamento.

    • Victor diz

      Alessandro, ler de novo meu comentário sobre o pro140… Eu sei que o jovem já falou sobre o pro140 mas foi de forma resumida!
      Se vc prestar a atenção no que eu escrevi, vc vai ver eu pedindo ele uma abordagem desde o início dos teste que são quase 10 anos!
      É um medicamento bem perto de vir ao mercado, não é falsas esperança… Só se a fase 3 da errado o que eu acho quase impossível, pq já foram 6 ensaios de testes em fase 1 e 2 inclusive usado em humano mostrando eficácia em 98% ou seja: taxa altíssima de suçesso, por eles foram para fase 3 a fase de segurança para que o medicamento seja aprovado pela FDA… Tanto que o pro140 já é tido como uma nova classe de medicamentos para o tratamento e tbm prevenção contra o HIV…
      Ler isso tirei do site oficial da cytodyn
      Vc falou tbm sobre resistência, presta a atenção no primeiro benefício do pro140 citado pela empresa!
      Acreditamos que o PRO 140 pode ter um número de papéis potenciais no tratamento e prevenção de HIV incluindo:

      Os pacientes com vírus resistentes às drogas única ou multi
      Pacientes com dificuldade em aderir a regimes diários de drogas
      Os pacientes que não toleram terapias existentes
      Os pacientes com a função do órgão comprometido, ou seja, HCV co-infecção
      Os doentes com necessidades médicas concomitantes complexos
      Pré-exposição (PrEP) ou pós-exposição (PEP) profilático em indivíduos seronegativos de alto risco

  5. Alessandro diz

    E outra coisa… Isso de lipoatrofia… Lipodistrofia… Nunca me incomodou oque quero é estar vivo, mas muita gente deve estar preocupado se vão ficar sem bumbum ou sei lá oque, são preocupações extremamente fúteis comparados com a sobrevida que teremos nos medicando, pense só… Sem a medicação é morte na certa… Oque prefere ??? Será que ainda precisa ser dito mais alguma coisa ???

  6. Matheus diz

    Amanhã a Biosantech irá divulgar alguns resultados dos testes da sua vacina terapêutica Tat Oyi, pensamentos positivos 🙂

  7. Joseph diz

    Amigo, o termo “sobrevida” está em desuso. Aliás, se a mudança de conceitos mediavais não partir de nós, soropositivos, de quem partirá? O correto é utilizar expectativa de vida ou vida após o HIV.

    Abraços.

  8. Victor diz

    Não sei se vcs concordam, mas eu queria ver uma matéria detalhada do jovem que é categorico e inteligente falando sobre o pro140 desde o início até hoje e as perspectivas!
    Já que o medicamento já estar na última fase de testes!!
    #Pro140Jovem kkkkkkkkkkkkkkk

    • Alexandre diz

      O Pro-140 não será usado como monoterapia, não. A recomendação inicial será de usá-lo juntamente com pelo menos 1 droga a mais. Os ensaios divulgados são de monoterapia, justamente pra provocar que todos foquem nele, mas a maioria dos testes do Pro-140 tem sido de terapia conjunta, mas que não foram, ainda, divulgados. O JS uma determinada vez fez o seguinte comentário para mim, aqui mesmo: ” Essa Cytodyn parece que é uma empresa que trabalha bem seu Marketing. ”
      Sempre coloquei muita fé no Pro-140, tanto é que falo dele desde 2010. Inclusive o post do JS foi devido a muita insistência minha, na época, mas não podemos desprezar a questão de que 14 pacientes em 40 tiveram falha na monoterapia. É quase 50%.
      Acredito que poderemos usá-lo juntamente com a injeção trimestral do Dolutegravir. Aí matamos a pau!!!

  9. RMS diz

    eu estava com esperanças de ter a pro140 disponível o ano que vem já. pelo jeito vai demorar então… ;( Mas nem comprando será possível? n entendo dessas coisas…

  10. Lucas diz

    Me ajudem por favor? Estou leso e esses nomes me complicam… afinal o 3×1 que tomamos, está fora tanto do risco de lipoatrofia como acidose láctica? Outra dúvida, lipoatrofia é o mesmo que lipodistrofia?

    Abraços meu povo

  11. Rafa diz

    Galera quero compartilhar com vocês os últimos resultados do me tratamento, que fazem 3 meses que iniciei. Antes de iniciar com o 3×1 eu estava com CD4 235 e CV 292.094 (coleta em 22/06/15). Hoje fui a infecto e para minha surpresa e felicidade meu CD4 subiu para 506 e minha CV caiu para 602 cópias do vírus (coleta em 30/09/15). Embora isso melhorou muito tive alterações no hemograma que dizem respeito ao fígado e meus triglicéridios ficaram bem altos. Agora começo um tratamento para diminuir os triglicérides. Abraços e luz a todos… 🙂

  12. Digo diz

    Lucas, bom dia

    Lipo: gordura
    Atrofia: perda…
    ou seja, lipoatrofia é perda de gordura (mais ou menos comum em soropositivos nas faces, pernas, glúteos)
    Distrofia: desenvolvimento irregular de órgãos/tecidos…
    ou seja, distribuição irregular de gordura, no caso de alguns soropositivos (principalmente acúmulo de gordura no abdomen, nuca)

    De toda forma, são fenômenos menos comuns com os medicamentos atualmente em uso e com cuidados básicos de alimentação e exercícios físicos. Eu, por exemplo, perdi gordura nas nádegas e pernas, mas já tô até mais bonitinho depois que comecei a malhar…kkkk

  13. Digo diz

    Notícia muito aguardada:
    “Os portadores do vírus HIV poderão contar com um novo medicamento para seu tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) deu aval para que seja disponibilizado aos pacientes o Dolutegravir Sódico, produzido pela multinacional britânica GSK.
    O medicamento era amplamente aguardado, pois faz parte do tratamento de primeira linha em países como Estados Unidos, França, Espanha e Portugal. Por lá, costuma ser ministrado assim que o paciente inicia o tratamento.
    No Brasil, será utilizado principalmente para o tratamento de segunda linha, quando o soropositivo vem apresentando resistência ao tratamento inicial. Entre as vantagens reportadas por médicos e pacientes está a maior potência do princípio ativo, a conveniência de ser ministrado em uma dose diária e poucas interações com outros medicamentos.”

    Fonte:

    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/?p=1135839?utm_source=redesabril_veja&utm_medium=twitter&utm_campaign=redesabril_veja&utm_content=feed&

  14. Leonardo diz

    Pessoal,

    17 dias depois da minha relação de risco, fiz um teste rápido no CTA, que deu REAGENTE.Realizei outro teste rápido que também deu REAGENTE.

    Em seguida, marquei uma consulta com um infectologista, que pediu alguns exames. Entre estes, fiz dois testes “Anticorpos Anti HIV 1 e 2”, “HLTV 1 e 2 – Pesquisa” e “HIV – Quantitativo”. Todos estes 3 testes deram NÃO REAGENTE ou, no caso do último, NÃO DETECTÁVEL.

    Isso quer dizer que há uma chance dos 2 testes rápidos que fiz no CTA estarem errados?

    • BYA diz

      Ola Leonardo provavelmente os dois teste rápidos teve resultados errados. Para eles te dado positivo vc ja teria o vírus antes dessa última relação q vc teve de 17 dias atrás.
      Vc fez outros testes mais precisos que deram negativos, graças a Deus! Um deles q busca pelos anti-corpos também e que deve ser 4 geração e outro q busca pelo vírus.

      Ou vc está soro convertendo, seria mas provavel q os outros exames desse indeterminado do q o teste rápido positivo e os outros negativos.

      Espero q tudo de certo não esqueça de da notícia. Por desencargo de consciência o repita daqui uns meses.

        • Bya diz

          Então Leonardo os de 4 geração alem de pesquisar os anticorpos buscam também pela proteina p24, msm que se não fosse encontrado os anticorpos a proteina ja estaria la. E não foi encontrada. O outro exame que vc fez q deu indefectível e um exame q busca pelo próprio virus e não foi encontrado. Faça outro daqui uma mês so por desencargo sms. Eu não sou especialista mais acredito q vc nao esteja infectado ate pq os exames q sao muito mais sensíveis deram negativos

    • ARLAN diz

      Leonardo isso é muito estranho mesmo,mas me parece que os dois primeiros e que estavam errados,quando vc fez os primeiros não fizeram west blot para confirmar? E esses que vc fez depois foram qtos dias após sua exposição.

      • Victor diz

        Arlan, dps de uma suposta situação de risco eu esperei 1 mês e 3 dias e fiz um teste rápido em um CTA e o resultado foi: não reagente! Agora dps de 2 meses e 9 dias, realizei um Elisa em um laboratório particula os métodos usados nesse tipo de Elisa q eu fiz foram: Lisado viral e peptídeos sintéticos não sei por esses metodos qual a geração desse Elisa… Mas, o resultado tbm foi: Não reagente!
        E aí Arlan ou qualquer outro que possa me responder, são resultados confiaveis ?

        • ARLAN diz

          Victor resultados com essa janela de 69 dias pelo que sei são bem seguros,se a sua situação não foi de risco muito elevado já pode descartar a infecção agora se o risco for muito grande e bom repetir com 90 dias só para garantir,mas o resultado não deve mudar.

  15. Tradução crua do site lepoint.fr

    AIDS: em direção a uma vacina curativa?
    Na ausência de publicação científica, o anúncio Biosantech certamente resultados encorajadores, mas preliminares, que exigem cautela.
    POR ANNE JEANBLANC
    Publicado 10.28.2015

    Esta manhã, o francês start-up Biosantech apresentou os resultados de um teste em seres humanos de uma vacina terapêutica (não preventiva) contra a AIDS. Isto é, para ser mais específico, um teste da referida fase IIa, portanto, a primeira parte de estudos em um número limitado de pacientes homogénea para determinar a dosagem óptima do produto em termos de eficiência e tolerância em relação ao placebo. Apenas Fase III ajuda a mostrar que a molécula se reúne – ou não – a sua finalidade original, ou seja, ele irá substituir as terapias triplas pesados ​​a ser tomadas pelos pacientes. O maior cuidado é necessário hoje, e isso, tanto mais que estes resultados foram apresentados à imprensa, mas não para a comunidade científica ou publicado em uma revista médica, como é normalmente a regra.
    Em setembro já, Biosantech foi apresentado à imprensa em ensaios de Fase IIa realizados no centro de investigação de assistência pública Marseille. A declaração lembrou que este teste começou a 02 de setembro de 2013, com o julgamento da terapia de combinação do primeiro paciente por dois meses. Esteja ciente de que você deve parar de tomar medicamentos anti-retrovirais leads, na grande maioria dos HIV-positivos, um rápido aumento na carga viral (quantidade de vírus no sangue) no espaço de quinze ursos de um mês. “Esta é a primeira vez que uma vacina terapêutica passa esta fase, em seguida, afirmou Corinne Treger, CEO da Biosantech. Ela segue Fase I, que começou a 25 de marco de 2013, com a pré-inscrição do primeiro paciente. ”

    Determinar a dose mais eficaz

    Este ensaio de Fase II, foi realizado em 48 pacientes no total: 12 receberam placebo e os outros 3 grupos de 12, diferentes dosagens. Semana passada, o diretor científico do Biosantech Jean de Mareuil, observou que este trabalho demonstrou a ausência de toxicidade da proteína Tat Oyi utilizado (o nome de Oyi foi adicionado em referência a um paciente do Gabão naturalmente resistentes HIV e em que esta proteína foi capaz de gerar uma boa resposta imunitária). Ele também foi usado para determinar a dose mais eficaz. “Aos 33 microgramas, a vacina permitiu quatro dos 12 pacientes para diminuir sua carga viral (quantidade de vírus no sangue) na dose” virtualmente indetectável “, um mês após a interrupção HAART”, ele especificada. Este resultado, no entanto, é apresentado como “não significativa” devido ao número pequeno de pessoas incluídas no estudo.
    Outros resultados anunciados, Biosantech cita uma diminuição de um ano o reservatório estoque de células de HIV – onde o vírus se esconde e torna-se inacessível aos medicamentos – em alguns pacientes vacinados. Para confirmar estes resultados, Biosantech espera lançar até o final deste ano um novo julgamento envolvendo 80 pacientes, após a obtenção do acordo da Agência Farmacêutica. Mas enquanto isso, Corinne Treger parece disposta a entregar: “Eu preciso de dinheiro, eu quero alguém para assumir”, disse ela, esta manhã. Seu chamado ele vai ouvir?

    • Paulo Roberto diz

      Vamos ter esperança… Eles ainda vão acertar, podem ter certeza disso!

      • Alexandre diz

        Paulo Roberto, a questão é que essa vacina caça níquel está há muitos anos em estudo, e os pesquisadores participantes aparecem de 6 em 6 meses pedindo verba para continuarem avançando. Mas agora, com esse resultado pífio, duvido que mais alguém invista ali. Acho que se me derem o tanto de dinheiro que deram pra esses franceses filhos de putas e me derem o tempo que deram pra eles, eu consigo fazer uma vacina melhor que a deles. Bem que meu amigo Barasa sempre falou: “essa vacina é balela.”

  16. Matheus diz

    http://www.ouest-france.fr/sida-les-scientifiques-reserves-sur-les-resultats-dun-vaccin-curatif-3800439

    Resumindo…o resultado foi nada significativo, o teste foi aplicado em 48 soropositivos onde a dosagem de 33mg foi a que obteu melhores resultados onde dos 12 soropositivos desse grupo apenas 4 mantiveram virtualmente indetectáveis após a suspensão da TARV. O pesquisador ainda foi questionado porque não apresentou um artigo científico do estudo e sim apenas uma apresentação para a imprensa em busca de fundos para sua pesquisa.

    • Alexandre diz

      Resumindo, essa TAT não valeu bosta nenhuma, infelizmente. Muito peido pra pouca bosta.

      • Alex diz

        Pensei que esse grupo de pesquisadores eram sérios e teriam feito tanto alarde para divulgar algo realmente significante, fiquei meio triste com isso, põe um pouco em cheque as outras pesquisas “animadoras” que foram divulgadas no sentido de achar a cura. :/

  17. Matheus diz

    É verdade Victor…agora podemos contar com o Tivicay(Dolutegravir)

    • Victor diz

      Valeu matheus!!!
      Agora só falta a cura ou vacina ou o tratamento mais espaçados sem efeitos ou a cura funcional
      Kkkkkkkkkkkkkkk

  18. Brumo diz

    Torço para que o pro140 seja aprovado, porém só de lembrar que o 3×1 chegou ao Brasil quase 10 anos depois, e tendo em sua composição o efavirenze (medicamento praticamente descartado para uso nos EUA/Canadá/Europa) é muito frustrante.

  19. Ser+H diz

    Após quanto tempo de uso da TARV 3×1 seria necessário mudar de medicação para outra composição em caso de falha no tratamento? Pergunto porque li isso: “Há uma previsão, segundo o infectologista Ricardo Diaz, de que 25% das pessoas em tratamento no Brasil apresentam falha no tratamento. Ou seja, os medicamentos que estão usando no momento não fazem mais efeito.”

    • gatoguerreiro diz

      Ser+H
      Esse percentual de 25% que se refere a falha terapeutica esta FORTEMENTE ligada a questao da adesao ao tratamento, ou seja, falta de disciplina e regramento quanto a administracao da medicacao no horario certo, esquecimento…Isso causa a resistencia ou falha virologica. Sobre o 3×1 eu tomo ele ha 5 meses, sendo que em 3 meses eu estava INDECTAVEL. A minha manicure que toma ARV ha 8 anos, ela hoje esta usando o 3×1 :). O que eu quero dizer… se voce faz a administracao correta, comecou a terapia sem ter ficado com a imunidade baixa e cv hiper elevada… Fique tranquilo que voce pode manter este esquema por muitos e muitos anos… A nao ser que algo melhor esteja disponivel, por exemplo, o Dolutelgravir que causa menos impactado nas enzimas do figado, aumento de triglicerideos… Ai sim, voce troca 🙂
      Fique tranquilo! No inicio do tratamento eu ficava buscando informacoes sobre validade do uso de um ARV… com medo que fosse por pouco tempo e teria que chegar ao ponto de tomar 10 cp ao dia… e que faltaria opcoes…
      Enfim, a vida continua mesmo… O HIV eh uma informacao ao meu respeito. Porem como nos aqui somos conscientes, ou seja, tomamos a nossa medicacao… vivemos as nossas vidas… amamos… trabalhamos… estudamos… A vida segue amigao! E esses fantasmas que surgem no inicio da descoberta… a avidez por informacao que nos console… a negacao… o medo…. vao embora e fica tudo bem 😊

  20. Gledson diz

    Olá a todos.

    Alguém sabe me informar se é possível, mesmo com carga viral indetectável e cd4 acima de 500 o soropositivo desenvolver uma tuberculose ou pneumonia?

    Estou meu preocupado, do nada fiquei gripado e agora com uma tosse chata. Será que devo me preocupar? Minha próxima consulta vai demorar um pouco.

    Abraços.

  21. Tonzinho diz

    Os portadores do vírus HIV poderão contar com um novo medicamento para seu tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) deu aval para que seja disponibilizado aos pacientes o Dolutegravir Sódico, produzido pela multinacional britânica GSK.

    O medicamento era amplamente aguardado, pois faz parte do tratamento de primeira linha em países como Estados Unidos, França, Espanha e Portugal. Por lá, costuma ser ministrado assim que o paciente inicia o tratamento.

    No Brasil, será utilizado principalmente para o tratamento de terceira linha, quando o soropositivo vem apresentando resistência aos tratamentos anteriores. Entre as vantagens reportadas por médicos e pacientes está a maior potência do princípio ativo, a conveniência de ser ministrado em uma dose diária e poucas interações com outros medicamentos.

  22. Débora diz

    JS, por favor

    Existe alguma pesquisa em relação a resistência do vírus fora do organismo, pois, assim como M. em um relato anterior manifestou preocupação, eu também estou, ao cutucar um fio de meu aparelho alguns dias atras, sangrou bastante em um de meus dedos e eu apenas limpei rapidamente na roupa, mas não observei se tinha resto em baixo das unhas e logo após peguei um pedaço de pizza com a mesma mão para meu filho, e hoje ele esta com diarreia.

    Caso alguém tenha alguma matéria de fonte confiável eu ficarei grata.
    Obrigada.

    • Victor diz

      Débora, esse é meu whats 028 999687579 posso te responder isso por áudios pra vc entender melhor

    • Victor diz

      Debora, esse é meu whats 028 999687579
      Posso te explicar por áudio vai ser melhor

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s