Artigos
Comentários 59

Literatura pós-coquetel (parte 2)


Por em 16 de outubro de 2015 para Revista Cariri

cariri

As respostas à epidemia aids não podem ser entendidas fora do campo da discursividade. A síndrome surgiu atravessada pelos meios de comunicação que criavam sujeitos e estigmas. Foi assim que a imprensa a denominou inicialmente como Gay-Related Imunodeficience — GRID (Imunodeficiência relacionada a gays) e popularizou-a nos primeiros anos o Câncer Gay.

Naquela mesma época, a escritora norte-americana Susan Sontag deu importante contribuição para o tema das problemáticas discursivas da aids. Talvez por ter passado pelo processo de estigmatização devido a um câncer (experiência que originaria seu ensaio hoje clássico, A Doença como Metáfora), Sontag, ao refletir sobre a aids em 1986, resolveu estender os argumentos do escrito anterior criando um outro texto divisor de águas: A Aids e Suas Metáforas. Como afirmou a autora já nas primeiras linhas do ensaio: “Relendo agora a doença como metáfora pensei […] a metáfora, escreveu Aristóteles, consiste em dar a uma coisa o nome de outra.”

E é especialmente contra as metáforas de guerra no discurso da aids que a escritora desenvolve seu argumento. Combate, defesa, ataque, luta, invasão. Estas seriam, para Sontag, metáforas que contribuíam para dificultar o entendimento “real” da infecção, culpabilizando e estigmatizando as vítimas. Este projeto de acesso ao “real” é relativizado posteriormente, quando a ensaísta afirmará que é impossível falar sem metáforas, mas é possível evitar aquelas que provocam estigmas.

Susan Sontag, autora de Assim Vivemos Agora, A Doença Como Metáfora, entre outros ensaios.

Susan Sontag, autora de Assim Vivemos Agora, A Doença Como Metáfora, entre outros ensaios.

Outro tópico importante desenvolvido dois anos antes pela mesma escritora no conto Assim vivemos agora é a afirmação discursiva de que as pessoas continuavam vivas e eram muito além de suas enfermidades. Naquele momento, as diversas metáforas promoviam a identificação entre doente = doença = morte. Assim como o tuberculoso (sic) ou o leproso (sic), surgia o aidético (sic). A luta semântica contra o uso deste termo pejorativo e a favor da centralidade na vida já aparecia naquele conto originalmente publicada em 1986 pela revista The New Yorker. Como podemos perceber neste trecho:

“Eu estava pensando, Úrsula disse a Quentin, que a diferença entre uma história e uma pintura, ou uma fotografia é que numa história você pode escrever: ‘ele continua vivo’. Mas numa pintura ou numa foto não dá para representar este ‘continua’. Você pode apenas mostrá-lo estando vivo. Ele continua vivo, disse Stephen” (Tradução de Caio Fernando Abreu).

É importante ressaltar que Assim vivemos agora diz respeito à conhecida rede de solidariedade entre amigos e até mesmo novas formas de parentalidade que surgiram a partir da epidemia, uma vez que muitos dos pacientes eram abandonados pelas famílias biológicas. O enredo é composto por 26 personagens, tendo seus nomes iniciados com cada uma das letras do alfabeto, girando em torno da preocupação e dos cuidados com um amigo enfermo de uma doença elipticamente subtendida como a aids.

Não se vive mais daquele jeito. As mudanças promovidas pelos fármacos transformaram também as formas de contar a epidemia. Parece-nos que esta nova dizibilidade caminharia em dois sentidos na literatura:

— O desaparecimento do tema da epidemia, como vemos no romance para jovens Dois garotos se beijando de David Levithan, ou o surgimento de uma espécie de “narrativas de memória” em claras reportações às vivências na origem da síndrome. Como afirmamos no artigo anterior, é o caso da atual fase obra de Michael Cunningham e mesmo de certa narrativa fílmica mainstream adaptando peças teatrais escritas no auge da epidemia como: Rent (2005), Angels in America (2003) e The normal Heart (2012). Ou ainda outros filmes como Clube de Compras Dallas (2013) e Test (2013), todos em um clima de “naquele tempo era assim que se vivia”.

— Outro caminho parece ser o dos relatos/narrativas de “cronificação” da síndrome. O que é o caso de Pílulas azuis de Frederik Peeters. E nos cinemas, o documentário português de Joaquim Pinto em E agora, lembra-me (2014). O filme sintoniza-se com o livro já citado anteriormente Michael Tolliver Lives ao retratar as questões de uma vida pós-coquetel.

dois-garotos-se-beijando1-194x300

Abordamos agora um livro de cada tendência: Dois garotos se beijando (editora Galera Record) é um romance classificado como Young Adult Fiction do escritor norte-americano David Levithan. A história não poderia ser mais prosaica. Após um amigo sofrer homofobia, dois adolescentes gays resolvem quebrar o recorde mundial de mais longo beijo da história para chamar atenção do mundo contra o preconceito. Até aí seria apenas mais um candidato a roteiro de cinema no filão de filmes LGBT, mas o inusitado do livro está no fato do narrador ser uma espécie de coro grego das vozes de pessoas gays que morreram em decorrência da aids na época pré-coquetel. Neste sentido, o que o romance mostra é o contraste de vivências entre duas gerações separadas antes e depois de 1996 (ano de descoberta do conjunto de antirretrovirais). Como é possível perceber no trecho abaixo:

“Se você é um adolescente agora, é improvável que tenha nos conhecido bem. Somos seus tios das sombras, seus padrinhos anjos, o melhor amigo de sua mãe ou da sua avó da faculdade, o autor daquele livro que você encontrou na sessão gay da biblioteca. Somos os personagens em uma peça de Tony Krushner ou nomes em uma colcha que raramente é usada. Somos os fantasmas da geração mais velha que sobrou. Você conhece algumas de nossas músicas.”

Ao mesmo tempo em que o coro grego assiste e narra os dois garotos se beijando, ele estabelece uma série de comparações entre a sociabilidade gay do início do século XXI e a do final do século XX, assolada pelo refluxo da revolução sexual motivado pela pandemia. Se a aids é o centro da reflexão memorialística do narrador do século XX, ela simplesmente não é tema entre os personagens vivendo no presente.

Pílulas-Azuis2

Pilulas Azuis (editora Nemo), do artista visual suíço Frederik Peeters, é uma história em quadrinhos que conta o cotidiano de um casal heterossexual sorodiscordante (quando apenas um dos parceiros vive com o vírus). A história retrata o relacionamento do casal, os dramas do dia-a-dia: como o receio da transmissão, o modo como parentes reagem, o momento em que o vírus se torna indetectável na personagem soropositiva e aparece a problemática do uso da camisinha. Neste último tema, poderíamos dizer que já estão postas as questões relativas ao tratamento como prevenção (TasP).  Enfim, retrata-se um modo “cronificado” como se vive com HIV no século XXI. Revelando o HIV como uma característica dentre tantas da vida (obviamente, na realidade de um país desenvolvido e de pessoas não-imigrantes que têm acesso à terapia antirretroviral).

Ressaltamos que estas reflexões dizem respeito quase em sua totalidade à literatura norte-americana e de ampla circulação mundial. Outro ponto relevante a se destacar é que quase a totalidade das narrativas abordam personagens homens cisgênero, gays e brancos, demonstrando uma hegemonia da circulação masculina e a invisibilidade de personagens negras e/ou mulheres na literatura mainstream da aids.

“Você tem ideia do que é ser uma bicha positiva nessa cidade?”

As temáticas da PrEP e PEP, por serem relativamente recentes, ainda não aparecem, contudo é importante pontuar que em termos de produto cultural em geral, elas foram abordadas na 2ª temporada do seriado Looking (2015). Inclusive, no corrente ano só foram registrados 2 personagens vivendo com HIV na TV norte-americana.  Eddie, personagem de Daniel Franzese, presente no já citado seriado, e Oliver, vivido por Conrad Ricamora em How to get away with murder (2015). Já em termos de Brasil, vale destacar a obra do escritor Luis Capucho e o espetáculo teatral Boa Sorte, em processo de criação pelo diretor goiano Gabriel Estrela.

As impressões aqui contidas são apontamentos esparsos que em momento algum pretendem dar conta do estado da arte desta que analiticamente, chamamos de “Literatura pós-coquetel”. Nem pretendemos apontar como se configura a epidemia em termos mundiais, mas destacar como a mesma aparece nos discursos de alguns escritores de países centrais, especialmente norte-americanos. Como o acesso à temática se deu praticamente apenas através das obras, agradeço ao blog do Jovem Soropositivo pela pronta disposição em esclarecer dúvidas sobre questões que apenas a literatura ficcional não daria conta.

A leitura destas diversas obras motiva em nós o desejo de que em breve a síndrome seja apenas uma curiosidade histórica e das ficções. Enquanto isto, como diria Caio Fernando Abreu, “a vida grita e a luta continua.”

Alexandre Nunes

Alexandre Nunes
Professor de “Comunicação e Cultura” da Universidade Federal do Cariri – UFCA. Doutorando em “Cultura e Sociedade” pela UFBA.


Anúncios

59 comentários

  1. Riquinho Rico diz

    De pessoas inteligentes e antenadas com o presente e o futuro e de que precisamos … adoro ler textos bem escritos que diferem totalmente da ,chula, mídia sensacionalista e preconceituosa aliadas da total desinformação popular … a vida segue sim da forma mais positiva possível , graças aos pesquisadores, cientistas e médicos .
    A cura vem aí …fé em Deus! !!!

  2. Leonardo diz

    Pessoal, alguém pode listar aqui notícias sobre linhas de pesquisas promissoras na busca da cura do HIV?

  3. s++ diz

    PARIS / BIOSANTECH, l’une des 4 sociétés au monde les plus avancées dans la recherche d’un vaccin contre le sida

    By gilles
    0
    100
    17 h 00 min 19 octobre 2015
    PARIS / BIOSANTECH, société française, est à ce jour l’une des 4 sociétés au monde les plus avancées dans la recherche d’un vaccin contre le sida.

    Elle souhaite aujourd’hui trouver un acquéreur ayant la capacité financière de poursuivre ses recherches.
    Le Pr Mark A. Wainberg présentera les résultats obtenus par BIOSANTECH dans le cadre de l’essai EVA TAT dont BIOSANTECH est promoteur, cherchant à démontrer l’efficacité de la protéine TAT Oyi dans la recherche d’un candidat vaccin contre le virus du VIH1. Acteur internationalement reconnu dans le monde scientifique du sida, le Pr Mark A. Wainberg est le premier scientifique au monde à avoir identifié le problème de résistances croisées aux traitements précédents et il est l’initiateur du traitement par trithérapie.
    Il est aussi l’ancien président de la Société Internationale du Sida et nous fait l’honneur de faire le voyage depuis les Etats-Unis pour assurer cette conférence de presse.

    La société BIOSANTECH SA organise une conférence de presse mercredi 28 octobre 2015.

    VIH-SIDA : Dr Mark Wainberg

    Le Dr Mark A. Wainberg, chercheur de renommée mondiale dans le domaine du VIH/sida, fut directeur de la recherche à l’Institut Lady Davis de recherches médicales de l’Hôpital général juif (HGJ) entre 2000 et 2009. Ancien président de la Société internationale sur le sida, le Dr Wainberg a collaboré étroitement à la fondation de l’Association canadienne de recherche sur le VIH. Il est le premier scientifique au Canada à travailler directement avec le VIH et à avoir mis sur pied des installations de bioconfinement parfaitement équipées pour mener cette recherche spécialisée. Il est également le premier scientifique au monde à avoir identifié le problème de résistance du VIH aux médicaments. Le Dr Wainberg est réputé notamment pour sa collaboration en 1989 avec BioChem Pharma Inc. dans l’identification initiale du 3TC en tant que médicament antiviral. Son laboratoire à l’HGJ continue d’être impliqué dans la mise au point de médicaments, tout en recherchant de nouveaux concepts relatifs à la prévention de l’infection au VIH dans les pays en voie de développement. En reconnaissance de ses réalisations avant-gardistes, le Dr Wainberg a été promu au rang d’officier de l’Ordre du Canada en 2001, de l’Ordre du Québec en 2005 et a été nommé Chevalier de la Légion d’honneur de la France en 2008.. Directeur du Centre du sida McGill à l’HGJ et membre honorifique du Collège royal des médecins et chirurgiens du Canada, cet éminent chercheur a également été récipiendaire de nombreux prix et distinctions, incluant un prix national de recherche sur le sida (1990) décerné par Santé Canada et un prix de distinction (1993) attribué par le Réseau canadien des essais VIH. Le Dr Wainberg a été coprésident du 16e congrès international sur le sida à Toronto en 2006, et il a été étroitement impliqué dans l’organisation du 13e congrès international sur le sida à Durban, Afrique du Sud, en l’an 2000.

    Né à Montréal, le Dr Wainberg est professeur aux départements de microbiologie et d’immunologie, de pédiatrie et de médecine de l’Université McGill. Il est aussi titulaire d’un baccalauréat en sciences de l’Université McGill et d’un doctorat de l’université Columbia à New York. Après son travail de chercheur et de chargé de cours à la Hebrew University Hadassah Medical School à Jerusalem, le Dr Wainberg joint les rangs de l’Hôpital général juif, en 1974, en tant qu’investigateur membre du personnel.

  4. Victor diz

    Cara, como se diz no face… Vc mitou!
    Tão brilhante quanto o texto!
    Toma aqui meu like 😂😂😂

  5. Zimba diz

    Olá pessoal,
    Desculpe sair do foco do texto, que por sinal está excelente!!

    Falei com vocês aqui há um pouco mais de 1 mês, pois fui diagnosticado dia 03/09, hoje exatos 47 dias.
    Já fiz todos os exames que meu infecto pediu, mas ainda não saíram os resultados, apesar da minha saúde estar indo bem, mesmo em meio a festas com bebidas e até drogas. 😦

    Minha dúvida é:
    Tenho uma forte dermatite seborreica no rosto… Não sei quanto tempo eu tenho o vírus, pode ser um pouco mais de 1 ano e ou pode fazer até 6-7 anos, eu não sei, pois foi a 1ª vez que fiz o teste para HIV.
    Quando menor, tinha esse problema no cabelo, porem de uns 2-3 anos pra cá piorou no rosto, não posso deixar a barba crescer que descama, e até na sombrancelha isso acontece.
    Isso piorou muito agora neste último mês.
    Li que em pessoas Soro+ a dermatite piora.
    Alguém já passou por isso?
    E sabem dizer se com o uso dos ARV’s isso pode melhorar?

    abração a todos, queridos! 😉

    • Paulo Roberto diz

      Zimba, eu tive dermatite seborréica, sim, e passou com o tempo. Usei shampoos, cremes, loções… não sei se foi efeito de tudo isso ou do tratamento, mas passou. De qualquer forma, converse com o seu médico. Ele é quem pode te dar maiores informações.
      Agora, uma pergunta: ao se drogar, você sabe que está botando veneno para dentro do teu corpo, né?
      Procure passar longe disso. Faça isso por você mesmo. Já ingerimos DROGAS demais, não há organismo que suporte mais uma carga…
      Seja feliz. E não fique chateado por eu te pedir que largue as drogas, por favor.
      Você não precisa delas.

      • Zimba diz

        Obrigado pela resposta Alex, Paulo Roberto e Tonzinho.
        Sim Paulo, tenho consciência que vou ter que parar de usar certas coisas (as famosas balinhas), até pq não combina com os ARV’s, mas ainda não iniciei o tratamento ainda.
        Estou aguardando os resultados dos meus exames que só saem dia 29/10 para então voltar ao meu infecto.
        To naquela despedida das “loucuras”, sabe? Pq sei que não vou poder mais… mas isso é o de menos ainda p/mim… O pior mesmo é essa dermatite que tem piorado, pele descascando toda hora, aff não aguento mais!
        Torcer para que o 3X1 me ajude! Fé

        abraços

    • Gil diz

      Leve em conta o stress da descoberta, pois dermatite seborreica tem um forte componente emocional.

    • Fernando diz

      Olá Zimba,

      eu tbm estou numa situação parecida com a sua, fui diagnosticado em julho desse ano, mas como estava sem infectologista no SAE onde me trato eu só pude fazer os exames de CV e CD4 e começar a tomar o 3×1 no começo de Outubro.
      Eu também tinha e ainda tenho os mesmos receios/medos/dúvidas que você e procurei ajuda aqui nesse blog o qual me ajudou bastante. Eu tbm não tenho com quem conversar, pois ainda não falei pra ninguém próximo a minha, nem parentes, nem amigos, se vc quiser pode me enviar Email fernandopositivo2015@gmail.com, assim podemos trocar experiencias.
      No mais lhe digo para ter força, não dar créditos a tudo que ler na internet e tentar conversar com outros pacientes que estejam nesse blog, até pq todos estamos na mesma situação e sinto que juntos somos mais fortes.
      qualquer coisa pode falar.
      saúde e abraços.
      Fernando-Recife/PE

  6. Matheus diz

    Traduzi aqui seu texto S++…Vai ter uma conferência dia 28 desse mês onde a Biosantech vai revelar seus resultados de testes da vacina Tat Oyi que será nos Estados Unidos onde o próprio Dr. Mark Wainberg (um dos pioneiros da terapia tripla) irá ministrar a conferência. Vamos torcer para que venha boas notícias!

  7. Tonzinho diz

    Zimba, eu quando fui diagnosticado desenvolvi uma leve alergia na mão, após o início da Tarv passou. Mas não sei se há relação. Abraço!

  8. rpz diz

    Oi pessoal boa noite, antes dentudo desejo muita saúde pra nós! Hoje eu fui pegar minha segunda caixa de comprimidos para o tratamento… Quando a moça me deu, percebi que era outro laboratorio, com caixa e frasco menos esse sentrata do laboratorio Mylan, algum de voces toma desse? O meu primeiro frasco era do laboratorio Hetero… fiquei meio desconfiado sei la.. queria saber de vcs qual é o laboratorio do comprimido que vcs tomam.
    Obrigado e saúde a todos nós!

    • Digo diz

      Normal… laboratórios diferentes fazem os mesmos medicamentos genéricos…

  9. RMS diz

    Olá. Tenho 25 anos, fazem 4 meses que recebi a notícia que mudou minha vida mais uma vez… sim sou soro positivo. Vou explicar pq mudou minha vida mais uma vez. Há aproximadamente 4 anos fiz cirurgia bariatrica pq n conseguia emagrecer e estava como fotma desesperada optei pela cirurgia. Tdo bem hj tenho 75 quilos e estou muito feliz com meu corpo, óbvio que nada é perfeito e à alguns meses estou na academia tentando ganhar massa muscular pra pra ficar gostosinho rs. Continuando… No início desse ano fiz outra cirurgia ortognatica que mudou bastante meu rosto e arrumou minha mordida… eu pensei que essa seria a última e mais sofrida mudança em minha vida mas não…. Com o resultado do exame positivo em mãos (após contrair sifilis fiz o exame tbm de hiv e foi assim q descobri) corri para um infectologista e em menos de 1 mês depois já iniciei o 3×1 pois minha imunidade estava muito baixa. Mudei totalmente minha vida, parei de beber exageradamente e tento me alimentar melhor, devido a cirur

  10. RMS diz

    Olá. Tenho 25 anos, fazem 4 meses que recebi a notícia que mudou minha vida mais uma vez… sim sou soro positivo. Vou explicar pq mudou minha vida mais uma vez. Há aproximadamente 4 anos fiz cirurgia bariatrica pq n conseguia emagrecer e como forma desesperada optei pela cirurgia, hj tenho 75 quilos e estou muito feliz com meu corpo, óbvio que nada é perfeito e à alguns meses estou na academia tentando ganhar massa muscular pra pra ficar gostosinho rs. Continuando… No início desse ano fiz outra cirurgia chamada cirurgia
    ortognatica que mudou bastante meu rosto e arrumou minha mordida… eu pensei que essa seria a última e mais sofrida mudança em minha vida mas não…. Com o resultado do exame positivo em mãos (após contrair sifilis fiz o exame tbm de hiv e foi assim q descobri) Corri para um infectologista e em menos de 1 mês depois já iniciei o 3×1 pois minha imunidade estava muito baixa. Mudei totalmente minha vida, parei de beber exageradamente e tento me alimentar melhor, devido a cirurgia bariatrica eu como pouco e preciso repor vitaminas tomando 1 comprimido de quelatus ao dia tbm. Reforcei os exercícios físicos e tenho alguns objetos com meu corpo que é ficar sarado. Será que eu consigo ? fiquem tranquilos que n vou tomar bomba nem nada disso, tenho paciência e força de vontade para treinar todo dia. Não uso drogas ilicitas e meu único mal é a bebida aos finais de semana, o que vcs acham ? tenho medo do meu fígado n aguentar acho que às vezes é paranoia da minha cabeça. Estou em uma faze de aumento do cd4 e caminhando para ficar indetectavel. Minha carga viral depois de 1 mês com o 3×1 ja era 1000 copias do vitus agora vou repetir em novembro o exame e espero estar indetectavel. Minha vida mudou hoje em dia tudo que mais quero é me manter saudável. As pessoas da minha idade muitas vezes n ligam pra saúde e eu era assim.. N fico mais triste por conta da sorologia apenas algumas preocupacoes com a saúde principalmente e muita esperança de vivenciar a cura! Sigo esse blog desde que descobri minha sorologia e vocês me ajudaram muito !!! MUiTO OBRIGADO!

  11. Alexnadre diz

    Nada demais no texto do S++. Fala mais da conferência que acontecerá agora do que dos resultados dos testes. Aliás, não fala nada sobre os ensaios. Só fala que eles estão atrás de parceiros investidores para seguir em frente com as pesquisas, de resto, nada de interessante.

  12. Lucas diz

    Vemos o mesmo pessimista de sempre por ora errar como qualquer ser humano… a gente ou agente? Alexandre ou Alexnadre?

    Gente só eu que sinto a nuvem negra e o pessimismo em certas pessoas? Amargura, amar cura!!!

  13. Zimba diz

    Gente, preciso de um help de vcs.
    Meu exame de CV só sai semana que vem, dia 29/10.
    Fiz todos os exames, incluindo toxoplasmose, triglicerídios, hemograma, urina, vitaminas, colesterol ….
    Todos OK, dentro do esperado, inclusive toxoplasmose já imune,
    Porem já até chorei de medo quando vi o CD4/CD8:
    CD4: 276
    CD8: 1540
    CD4/CD8: 0,18.
    Caramba, muito baixo né?
    Galera preciso de uma força de vcs… Ainda NÃO INICIEI O TRATAMENTO, descobri o vírus tem 50 dias hoje… Volto com os exames, inclusive o Raio X do torax que meu médico pediu dia 03/11,
    Alguém já passou por esse resultado similar? Po, eu tava na expectativa que mesmo descobrindo o vírus, ainda estaria com o CD4 pelo menos regular.

    😦

  14. Cauã+ diz

    Zimba

    Tive resultados similares ao teu quando descobri o diagnóstico positivo
    CD4 254

    Após 4 meses de Tarv subiu para CD4 359.

  15. Cauã+ diz

    Zimba

    Tive resultados similares ao teu

    Meu CD4 era de 254
    Após 4 meses de Tarv subiu para CD4 359

    Fique tranquilo siga o tratamento direitinho, alimente se bem, faça exercícios, que tudo se ajeita.

      • Cauã+ diz

        Zimba,

        Recebi o resultado positivo em Fevereiro através de check-up geral. Logo após fiz exame pra saber carga viral e depois de umas duas semanas fiz exame de CD4, comecei a Tarv no final de Março. Ao todo foram quase 2 meses entre o descobrimento do Hiv e o inicio do tratamento.
        Fique tranquilo ainda mais se vc está com boa saúde, sem gripes ou coisas do tipo…
        Iniciei o tratamento com o 3×1. Único Efeito colateral foi tontura nos 3 primeiros dias, hoje após 7 meses de tratamento ainda sinto tontura logo após uma hora e meia ter tomado a Tarv, mas é coisa atoa, nada demais.
        Com 4 meses de tratamento já estava indectável, minha carga viral era de 180.081 cópias, ou seja, muito alta e cd4 baixo, infecção tinha mais de 1 ano no mínimo. E estou ótimo mais vivo q nunca.
        Então relaxe, q dará tudo certo!

        • Zimba diz

          Obrigado Cauã!
          Hj estou mais tranquilo, só com medo de pegar qualquer gripe.
          Chovendo forte por aqui, fiquei com corpo molhado e já sinto garganta ruim pra engolir saliva, mas sei que grande parte é psicológico meu por ter visto o exame do CD4 ontem.
          Espero que aconteça comigo o que aconteceu com vc.
          Pretendo encarar essa “barra” sozinho, to aguentando firme!
          Agradeço se coração pela sua msg!
          😉

  16. Zimba diz

    Que bom Cauã+!!! Vc usa o 3X1.
    Po, to com muito medo de, nesse período ainda sem TARV, aconteça algo,
    Poxa, eu tava tão bem, agora que vi esses exames deu uma bad total!

    😦
    😦

    • Victor diz

      Fica tranquilo cara!
      Quando vc começar a toma com TARV
      Seu CD4 vai começar a subir rápido!
      Já li casos em que pessoas descobriram com CD4 em 26 e não sentiam nada é incrível com o corpo pode ser resistente
      Vc ainda tem tempo, fica de boa, quando vc começar o tratamento então… Esquece vai ficar tudo sussa!! Kkkkkkkkk
      A proposito como vc descobriu?
      O que te levou a fazer o teste?

      • Zimba diz

        Obrigado pelas palavras Victor,
        po, não tenho 1 pessoa se quer que eu possa me abrir p/falar sobre… to muito angustiado, hj principalmente! 😦
        saiba que tuas poucas palavras e o exemplo que vc deu já me deu uma baita força aqui!

        Então, ano passado peguei sifilis, e minha infecto já tinha pedido pra eu fazer HIV tbm, e como eu vacilei em algumas relações que eu tive, tinha medo e risquei da folha do exame o HIV.
        Depois de 1 ano, tive sintomas da fase aguda do HIV, mas na verdade se tratava de Mononucleose,a tal doença do beijo, que tem caracteristicas parecida com HIV (como ingua no pescoço e garganta inflamada, etc..)
        Ela falou de novo pra fazer o teste do HIV, e me convenceu!
        Infelizmente o que eu já esperava era realidade: deu positivo!
        Eu achava que se descobrisse isso, iria querer me isolar numa praia por no mínimo 1 semana, mas não! Me surpreendi com minha força, e claro, lendo relatos da galera aqui nesse site maravilhoso!
        No mesmo dia chorei, porem levantei a cabeça, fui treinar e parece q nada aconteceu.
        Porem hj, ao ver o exame de CD4 pela primeira vez, tive um baque… um medo de morrer muito grande!
        Minha consulta com o infecto é só daqui 10 dias, e até pegar o medicamento creio que demore, né? por isso meu medo desse tempo é ficar doente.

        obrigado mesmo queridão!

        • Victor diz

          Zimba, fica tranquilo! Eu li tanta coisa sobre HIV, tantas histórias de pessoas com HIV
          Pessoas q nasceram com HIV e hoje são vivos e tem filhos… HIV não é facil, mais já foi o tempo q o HIV era um monstro… Hoje os antirretrovirais são modernos e eficazes
          Quando vc começar com a TARV vc vai melhorar muito até psicologicamente, talvez vc nem sinta os temidos efeitos colaterais, e se senti algumas coisa vai passar com semanas é o que todo mundo fala aqui… Alias, a maioria fala q só sentiu tonteiras!!
          Basta se tratar e vida que segue mermão kkkkkkkkkkkkkkk fica de boa… Vc tem tempo pra começar seu tratamento!
          Há muitas controvérsias sobre isso, no passado o tratamento era inicia com o CD4 em 150 !

        • Paciente e Otimista diz

          Oi, quando descobri meu CD4 tava 160 e carga viral 280,000 kkkkk não senti nada descobri o HIV pq tive uma outra DST e decidi fazer o teste, hoje após 1 ano e meio, já a dois exames estou indetectável e cd4 quase 1000 fica tranquilo.

          • Zimba diz

            Obrigado pelas respostas Vicotr e Paciente e Otimista.
            Acordei mais tranquilo hj!
            Estava colocando na cabeça q iria iniciar o TARV só em Janeiro, mas agora depois disso quero pra ontem! kk

            abração p/vcs!

  17. Victor diz

    Galera, fiz um teste de fluídos orais dps de 34 dia de uma suposta situação, vou repetir daqui mais um mês pq é recomendação do ministério da saúde, eu li lá que 97% das pessoas se soroconvertem com 1 mês e 99,9% com 2 meses
    Mas minha pergunta pra vcs é: testes de fluidos orais tem a mesma confiabilidade que o de sangue!
    O normal dos testes rápidos e aquele de espetar o dedo e fazer com uma gota de sangue, mas comigo fizeram com a saliva!

  18. Mhbs27 diz

    Galera, boa tarde!!

    Tinha uma dívida comigo mesmo, e precisava muito voltar aqui ( apesar de visitar o site e acompanhar, nunca participei ), e ajudar as pessoas. Deixe eu explicar um pouco do ocorrido.

    Tenho 27 anos, e meses atrás, tive uma relação sem proteção, a menina era desconhecida e minutos antes da relação, ela ainda disse, eu sou limpinha.. ( isso nunca mais saiu da cabeça ), estávamos sem camisinha e acabou acontecendo no apartamento dela, havia conhecido ela em uma festa. Enfim, nunca senti nada estranho, mas normalmente isso acontece quando se tem HIV, não há nenhum sintoma, apenas a gripe forte.. .. febre.. enfim, todos sabem. E meses depois, comecei a ter esses sintomas e fiquei preocupado, porque acabei tendo relação sexual com uma outra moça, só que dessa vez COM camisinha, mas soube que ela era garota de programa ( apesar de saber que elas se previnem muito ), mas fiquei encucado, comecei a ler, e tudo que lia, eu sentia. Procurei inguas no meu corpo, na axila, chegava a me tocar tão forte procurando que acabava me machucando e a dor que aparecia, eu automaticamente dizia, tá vendo.. tô com o vírus, meu Mundo acabou. Passei uns 3 meses assim, até que um dia, apareceu um negocio na minha língua, como um inchado, sem feridas, apenas um “catombo”, ( mesmo não tendo realizado nenhum tipo de sexo oral nas pessoas que tive relação.. ) e nisso, acabei me diagnosticando portador de HIV, já estava dizendo que meu mundo ia acabar, preferia morrer…… enfim.. após ler tudo na internet sobre HIV e AIDS, comecei a sentir tudo que vocês podiam imaginar, meu coração estava quase tendo um troço, e devido a essa pressão, sentia caimbras constantes do lado esquerdo, meu corpo querendo paralisar.. isso sim poderia me matar, foi aí, que eu pensei, preciso fazer o exame, preciso saber se sou portador desse vírus, e vou à partir daí, não falar pra ninguém e viver só eu e ele.. Após muito choro, pressão, dor… SOFRIMENTO, fiz o exame, HIV, hepatite, e sífilis .. todos negativos. Glória a Deus. Mas eu fiz uma promessa, que iria vir aqui, falar o que aconteceu comigo e que eu gostaria de montar alguma forma, para ajudar vocês ( que não diferem EM NADA de minha pessoa ), e manter o máximo possível o vínculo, um ajudando o outro, um acalmando o outro nos momentos difíceis ( porque foi assim que eu fui amparado, tive ajuda de um cara chamado RODRIGO, aqui no site, ele foi um anjo aqui na terra e tirou um peso grande, me ajudando, e é assim que eu quero fazer com vocês.. aliviá-los e dizer, VAI DÁ TUDO CERTO, positivo ou negativo, somos todos iguais!.. Penso em fazer um grupo no whatsapp, juntar o maior número de pessoas que possam dar informações, mensagens, trocar experiências e mostrar que o vírus não escolhe classe social.. vamos nos ajudar!!

    Não tenho autorização do dono do blog, que há propósito OBRIGADO por este meio de comunicação e ajuda que você possibilitou para todos, mas deixo aqui um e-mail “mcbsilva31@hotmail.com” se você quiser participar do grupo que vou criar, deixa seu telefone lá com DDD, vou criar e ir adicionando os participantes… ou se quiser deixar algum recado lá para conversar comigo, fiquem a vontade.

    Desculpem o texto GIGANTESCO.
    Força sempre!! Deus os abençoe. 😉

    Abraço!

    MHBS

  19. RMS diz

    Uma pergunta. o tratamento 3×1 interfere na musculação e atividades fisicas? o que vcs sabem sobre isso ?

    • Zimba diz

      RMS, meu médico garantiu que não interfere em nada. Pelo contrário, aconselhou continuar, pois é parte fundamental p/sucesso do tratamento.
      Ainda n comecei tbm, mas espero e creio que seja isso mesmo!

      • RMS diz

        Obrigado. Tbm tive muita queda de cabelo, ficando com varias falhas no couro cabeludo. Será que com tratamento ele voltará a nascer como antes? eu era bem cabeludo hehe

        • Zimba diz

          Espero que sim cara!!
          tb tenho o mesmo problema, sem contar a dermatite nas regiões da barba e em volta do nariz e sobrancelha.
          Não aguento mais isso, inclusive! 😦

    • Amigo diz

      RMS

      Eu também tive esse medo, mais passou! Faço musculação depois que comecei tomar o 3X1 e achei que fiquei até mais musculoso e gostoso RS RS, faça sua malhação viva e seja feliz!

  20. Leonardo diz

    Bem, vou explicar meu caso aqui:
    Tive uma exposição de risco no dia 02 de outubro último. No dia 05 de outubro, fiz um teste rápido no CTA e deu NÃO reagente. Retornei ao CTA no dia 19, quando fiz um teste rápido, que deu reagente e, na realização de outro teste rápido, deu reagente também. Minha infecção é muito recente e amanhã terei consulta com o infectologista. Tendo em vista quem, de acordo com o que tenho lido, quanto antes a pessoa usar os antirretrovirais, mais rapidamente ela dará resposta ao vírus, não dando tantas chances para ele devastar o organismo. O que vocês acham de eu pedir para o meu infecto já receitar os antirretrovirais na consulta de amanhã? Isso seria possível?

    • Victor diz

      Leonardo, seus testes foram de fluidos orais?
      Ou com sangue?
      Eu fiz um de fluidos orais (saliva)
      34 dias dps da suposta situação de risco e deu não reagente!
      Teste de fluidos orais são confiáveis?

      • ARLAN diz

        Teste com fluido orais são confiáveis,e um ótimo indicio de que vc não foi infectado fique tranquilo e repita o teste apos 60 dias da situação de risco de preferencia com o teste rápido de sangue e terá certeza do resultado..

    • ARLAN diz

      Sim,mas ele vai pedir para vc fazer alguns exames antes,depois dos resultados provavelmente se vc realmente quiser ele te passara a medicação.

    • Amigo diz

      Eu acho difícil ele passar os medicamentos, pois ele terá que pedir seus exames para ver a carga viral e o seu cd4, mas procure manter a calma pois o stress diminui bastante o sistema imunológico. Vá a consulta procure tirar todas suas dúvidas e não se deixe abater por esse vírus de merda, lembre se que você pode está com o vírus do HIV,muito diferente de ter AIDS, se cuida evite ler besteira e porcarias que postam por aí, seja feliz
      Forte abraço!

  21. Rodrigo Silva diz

    Pessoal, alguém que toma o 3 em 1 já passou mal por causa de bebida alcoolica?
    Meu médico falou para eu evitar o álcool por causa do Efavirenz. Amanhã devo começar a tomar o remedio e devo ficar alguma semanas se beber, mas ficar a vida todo sem tomar um cerveja não dar.
    Alguém poderia me falar mais sobre álcool X tarv.

  22. Rodrigo Silva diz

    Leonardo, sou de bsb, eu consulto com o GORKI GRINBERG. Gostei dele por causa q foi bem cuidadoso para fazer a melhor escolha do medicamento: passou o exame de genotipagem, que ver se o vírus tem resistência, e o farmacogenetica, que verifica o risco dos efeitos colaterais no organismo. Por exemplo, nesse exame demostrou q com azt eu tenho risco alto para ter lipoatrofia.

  23. Rodrigo Silva diz

    Termo usado para expressar as mudanças que ocorre devido a má distribuição de gordura no corpo. Ocorre uma perda de gordura no rosto, glúteos, pernas, braços, além do acúmulo no abdômen, costas, pescoço e mamas.

  24. Positivo33 diz

    Zimba tive uma história parecida cm a sua tb.. Tinha um relacionamento estável e depois de 6 anos e meio comecei a me sentir mal e fizemos teste e deu positivo.. Meu cd4 chegou a 2!!!! Quando vi o exame pensei que ia morrer… Minha cabeça e rosto teve muita dermatite… Parecia que tinha feito um peeling… Ficou horrível.. Cabelo caiu.. Comecei o tratamento é um tempo depois melhorou tudo! Tenho um pouco na cabeça ainda as vezes fere mas meu cd4 ainda é baixo.. Está quase em 200.: um ano que faço tratamento.. Infelizmente meu namorado teve um lindona e faleceu a 5 meses e descobri depois que a família dele soube que isso veio do antigo relacionamento dele.. Era um relacionamento sério mas essa notícia meio que traumatizou ele e elebloqueou… Contou para a mãe uns 7 anos atrás e depois desmentiu.. Não sei os motivos que o levaram a fazer isso e não me contar mas te falo que cuidei dele até o final e ele me ver com essa doença fez ele sofrer muito.. Não acho que tenha feito nada de propósito pq éramos um pelo outro mas enfim.. Isso me fortaleceu e agradeço a Deus todos os dias por estar vivo tendo chegado a um cd4 2! Sou um milagre.. Adoro beber finais de semana sempre deixo sempre pro sábado quando saio e hj malho e me cuido.. Sua pele ficará ótima pode ter certeza! Engordei 10 kilos e sou outra pessoa!! Força pq passei por isso é achei que não fosse aguentar mas Deus nos dá força!!!

    • Zimba diz

      Positivo33, curti muito o que vc escreveu!
      Muito obrigado pela força cara! E eu aqui reclamando de CD4 com 276! o.O
      me impressionou sua história, parabéns!
      Só não entendi o lance que ocorreu com seu namorado… Foi um linfoma, isso?
      ele tinha HIV tbm? n consegui entender essa parte, desculpe!
      Que bom cara, espero que melhore essa dermatite que tem piorado muito p/mim.. Me deu a ideia agora que tenho o vírus a bastante tempo, já que isso me atormenta há tempos, mas agora piorou muito!
      Estou ansioso p/iniciar meu tratamento logo e melhorar!
      Agradeço de coração sua msg!

      😉

  25. Positivo33 diz

    Então zimba meu namorado tinha sim… Só que eu descobri em mim pq estava muito mal… O cd4 dele estava baixo tb tipo uns 50.. Pelo cd4 a medica calculava que tínhamos isso a uns 6 ou 7 anos.. Era o tempo que eu estava com ele.. Dai ele teve uma pneumonia ano passado.. E esse ano um linfoma.. Que é um câncer que da em pessoas com cd4 baixo. Dai fui descobrir depois que ele faleceu que ele contou pra família a 7 anos atrás que tinha HIV e desmentiu… Fiquei muito chateado com tudo isso pq ele teve anos pra se cuidar e simplesmente bloqueou isso na cabeça dele.. E acabei sendo infectado em um relacionamento sério… Éramos um pelo outro… Acabei nem procurando o ex dele pelo que a família me disse eles eram leigos e acreditaram que ele desmentiu e ficou por isso mesmo.. A família ficou arrasada pq na época escondemos tudo… E eu mais ainda.. Mas enfim agradeço por estar vivo e não ter adoecido graças a Deus!!!! Vc vai ficar bem acredite.. Minha pele hj está ótima das pessoas elogiarem!!! Força pra nós todos!!!!

  26. Positivo33 diz

    Zimba Se quiser conversar pra alguma dúvida me manda seu e-mail! Abraços

  27. mhbs27 diz

    FORÇA SEMPRE!!! Pela dores já superadas, aprendemos que não há sofrimento que dure para sempre!!! Zimba, você vai ficar bem.. não se preocupe!! Qualquer coisa, assim como positivo33, me manda um email tb.. mcbsilva31@hotmail.com tentarei te responder sempre de imediato, sei o que é está aflito.. Abraço!!!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s