Notícias
Comentários 54

Mais um caso de controle pós-tratamento


Por Liz Highleyman para o Beta em 11 de agosto de 2015

logo_bodypro

Uma adolescente francesa com HIV que tem conseguido manter sua carga viral indetectável há 12 anos sem tratamento antirretroviral foi o principal assunto durante a 8ª Conferência Internacional da Aids Society, que aconteceu no mês passado, em Vancouver. Embora ninguém esteja se referindo ao seu caso como uma cura, ele certamente levanta questões interessantes sobre o “controle pós-tratamento” e pode oferecer pistas a respeito da cura funcional e da remissão do HIV a longo prazo.

Asier Saez-Cirion

Asier Saez-Cirion

Asier Saez-Cirion, do Instituto Pasteur de Paris, descreveu o caso durante uma coletiva de imprensa que aconteceu antes da conferência, no simpósio “A Caminho da Cura”. A jovem, que agora tem 18 anos de idade, foi infectada pelo HIV durante ou antes do parto. Sua mãe, que recebeu os primeiros cuidados médicos somente no final da gravidez, apresentava carga viral alta no momento do parto e, por isso, a bebê recebeu preventivamente doses de Zidovudina (AZT) logo após o nascimento. Depois de seis semanas sob AZT, sua carga viral aumentou a um nível alto, comprovando que ela de fato estava infectada. O tratamento com a terapia antirretroviral foi então iniciado, aos três meses de idade.

Com aproximadamente seis anos idade, a criança foi retirada do acompanhamento médico e do tratamento. Quando retornou, um ano depois, a carga viral em seu sangue estava indetectável, apesar da criança não estar sob terapia antirretroviral. Assim, ela foi mantida sem tratamento. Aos 12 anos de idade ela apresentou um “blip” significativo de replicação viral, que alcançou 500 cópias/ml, e então novamente retornou a níveis indetectáveis.

Hoje, a jovem contabiliza 12 anos sem tratamento e com carga viral indetectável no plasma sanguíneo, de acordo com testes ultrassensíveis, capazes de medir 4 cópias/ml. Sua contagem de células T CD4 se mantém alta e estável. Contudo, os pesquisadores conseguem detectar o DNA do HIV (o material genético viral) em suas células — e células isoladas podem ser reativadas e produzir vírus em laboratório –, mostrando que ela não foi curada.

“Precisamos deixar claro que esse caso é bastante excepcional.”

“Precisamos deixar claro que esse caso é bastante excepcional”, alertou Saez-Cirion durante a coletiva. “A maioria dos pacientes soropositivos, crianças ou adultos, perdem o controle da infecção sempre que interrompem o tratamento, mesmo que este tenha sido iniciado cedo.”

“Esta jovem continua infectada pelo HIV e é impossível prever como seu estado de saúde se comportará com o passar do tempo”, explicou Jean-François Delfraissy, diretor da Agence Nationale de Recherche sur le Sida (ANRS). “O caso dela, contudo, constitui mais um forte argumento a favor do início imediato da terapia antirretroviral em todas as crianças nascidas de mães soropositivas.”

O que esse caso nos diz?

No ano passado, nós tivemos notícias decepcionantes na busca pela cura do HIV. Em julho de 2014, cientistas anunciaram que a “Bebê do Mississippi” — uma criança que muitos especialistas acreditavam estar curada do HIV — ainda tinha o vírus. Além disso, dois pacientes em Boston que receberam transplantes de medula óssea e que não mostravam qualquer sinal do HIV em seu sangue e nas células brancas, tiveram um rebote alguns meses depois da interrupção do tratamento antirretroviral.

Com isso, Timothy Brown, o “Paciente de Berlim”, continua a ser a única pessoa aparentemente curada do HIV. Quase há uma década, Brown recebeu transplantes de medula óssea para tratar leucemia, usando as células de um doador com uma mutação natural (CCR5-delta-32) que protege as células T da infecção pelo HIV. Embora Brown tenha interrompido o tratamento antirretroviral, o HIV não voltou. Depois de mais de sete anos de testes, os cientistas não foram capazes de detectar vírus competente a replicação em seu plasma sanguíneo, nas células do sangue periférico ou em qualquer outro lugar pesquisado.

A jovem francesa não entra para o rol das pessoas curadas pelo HIV, mas faz parte de um pequeno grupo chamado de “controladores pós-tratamento”, (assim como os franceses da Coorte Visconti) os quais aparentam ser capazes de controlar o vírus mesmo depois de interromper o tratamento antirretroviral.


Leia o artigo completo em BETAblog.org
Anúncios

54 comentários

  1. Cauã+ diz

    Que vírus FDP. É um grande desafio para os cientistas e pesquisadores.
    Mas Fé em Deus havemos de vencer!!

  2. Brumo diz

    Gente, boa tarde! Estou com dispensa de medicação para 3 meses (90 dias), mas no meu cta só consigo pegar para 2 meses. Isso é só comigo ou alguém tmb passa pelo mesmo?

    • Alessandro diz

      eu a cada consulta trago 6 receitas para casa, uma para cada mês, mas onde pego os medicamentos só libera mês a mês, dificilmente consigo pegar para 60 dias.

    • Alex diz

      Também passei por algo semelhante, o médico mandou o pessoal da farmácia liberar por 2 meses, me deu até uma receita mandando liberar por 2 meses, mas nem por esse prazo liberaram.
      Disseram que o Ministério da Saúde só está liberando para mais de 1 mês quem vai viajar para o exterior. Achei que foi meio que mau vontade da pessoa, mas enfim, não quis discutir.

    • Digo diz

      Como só vou ao infecto duas vezes por ano, sempre tenho 3 receitas para 60 dias cada. Portanto, sempre pego medicamentos para 2 meses.
      Acredito que cada Estado tem seus procedimentos para regular o estoque de medicamento.

    • Sérgio diz

      Oi Brumo, essa foi a primeira vez que peguei a medicação e o meu infectologista me deu dispensa para 2 meses. Então, quando fui na farmácia o famaceutico me forneceu duas caixas. O infectolosgista falou que conversando com o famaceutico ele pode até forncer 3 caixas. Breve, irei voltar e aí vou saber se continuo pegando 2 caixas, mais ou apenas 1.

    • Luquinha diz

      Ate eu que sou péssimo em Português, sube enterpretar o texto( mais um )Significa Mais 1 caso, Gustavo dos 35 milhões de soro quantos talvez não precisaria tomar antiretrovirais , e uma notícia da biologia evolutiva sim ,rsrrs

  3. gustavo diz

    Chatinhas estas noticias… quero algo concreto algo q vai acontecer logo logo… sei la, qualquer coisa, ate mesmo a melhoria dessa medicaçao…. acho otimo estudos da cura etc… mas sei la, quero ler algo bom e q vai acontecer d verdade logo logo srsrsrs uma noticia boa ar pelo amor kkkkkkkkk quero ler somente os resultados dos estudos…

  4. Herivaldo Virulato diz

    O tal do Alexandre vai ficar todo ouriçado para dar uma de sabido agora!

  5. Faithfullness diz

    Depois de exatamente um ano de minha infecção (sim fiquei sabendo estar infectado depois de uma situação de risco, no primeiro deu negativo, trinta dias depois…reagente). Sofri, mas levantei a cabeça e descobri que só EU seria minha própria motivação para continuar. Até que fui mais tranquilo do que pensava, mas…..um ano depois a depressão veio, mas o motivo é outro: ME APAIXONEI. estou muito afim mesmo de uma pessoa, faço tudo pensando nesta pessoa e ela tem me retribuído,,,,mas me amarga a ideia de ter de conta lo sobre minha soropositividade. MEDO de perde lo, mas tbm não quero coloca lo em risco logico. Mas agora a dor tem sido muito grande. Hoje tive raiva de ter me deixado contaminar. A vida toda me protegi e fui ser contaminado aos 35 anos por um deslize. E agora isso me impede de viver um amor que achava que não sentiria mais. Quem já passou por isso, me ajuda por favor……..

    • Mi diz

      Siga o seguinte esquema: camisinha + lubrificante + manter-se indetectável.

    • Bruno diz

      Faithfullness, ando meio curioso sobre formas de contágio e sobre o seu relato, queria uma explicação: Vc disse que seu primeiro exame deu negativo e o segundo deu positivo. Vc fez o primeiro sem esperar a janela imunológica de 30 dias, depois de ter passado pela situação de risco? Desculpa a intromissão, responda se quiser, mas o seu deslize foi ter feito sexo sem preservativo? Muitos aqui tem relatado que foram contaminados pelo uso do sexo oral e isso tem me assustado muito e procurado me informar mais. Abraço.

    • quatir diz

      faithfullness
      vc é concerteza mais um q se infectou por desconhecimento da PEP pois após a situaçao de risco vc deveria ter procura esse tratamento e nao só fazer o teste de hiv
      eu tambem tou fazendo..um ano q descobrir em 2014 e so depois de ja saber q estava infectado é q fiquei sabendo q existia esse tratamento pós exposiçao eu sofro muito. .com isso pois se eu sobesse da existencia desse medicamento tenho certeza que hoje nao estaria nessa triste situação ja q a PEP ja estar disponivel no sus desde 2011 porém assim como nois a pep ainda desconhecida da maio.parte da sociedade.

    • cariocarj diz

      Eu também contato com sangue (sexo oral) no lábio e no dente onde tinha uma pequena cárie, aos 36 anos, também sempre me protegei e fui fazer exames de rotina e nem esperava o resultado, final das contas +.

  6. Maupr diz

    Preciso que me tire uma dúvida?

    Estou indetectável desde começo do ano e essa semana fui ao dentista. Após aplicar uma anestesia , o próprio acabou sofrendo um acidente com agulha. Ele corre o risco de se contaminar?

    • TheKing diz

      Olá Maupr
      Sobre esse acidente, acredito que pode ficar despreocupado. Vc está indetectável a mais de 6 meses e conforme os estudos, a chance de transmissão do vírus é muito próximo de zero. Muitos lugares do mundo já nem indicam a PEP para esses casos. No Brasil, o Novo Protocolo da PEP deixa a cargo de cada infectologista em passar a PEP ou não.
      De forma geral, seria interessante orientá-la para acompanhar junto ao CTA uma possível infecção futura. Mas repito: é muito difícil de infectar estando indetectável.
      Abraços!!

    • Digo diz

      Suponho que ele, como profissional da área de saúde, deve estar mais que ciente de que deve procurar ajuda.

  7. Matheus diz

    Maupr…o dentista deve ser avisado o mais breve possível…ligue para ele e informe o ocorrido,ele tem até 72h para tomar a PEP (profilaxia pós exposição).

    • Herivaldo Virulato diz

      Nada disso. O dentista sabe perfeitamente o que deve fazer e não compete-nos paciente se expor para orientá-lo.

  8. Matheus diz

    The king em caso de acidentes com objetos perfuro cortantes é indicado que ele use a PEP mesmo que o paciente seja indetectável.

  9. Gil diz

    Pessoal.
    Hoje fui pegar meus remédios e tinha uma cartaz sobre este tema: profissionais da saúde com acidentes com material perfurocortantes devem comunicar e fazer uso de PeP.
    O cartaz foi feito lá mesmo, era de formato word/power point. Como li mais cedo sobre o assunto, perguntei sobre o fato e disseram que eles não esperarão o governo federal começar campanha de cartazes, pois tiveram reunião na semana passada, após vários casos. Citei que li num site uma situação de acidente, onde a pessoa com virus indetectável há meses perguntou, após seu dentista se acidentar. Pelo que a enfermeira disse, é MUITO MELHOR tomar a PeP, pois não se sabe se na semana, na quinzena houve ou não uma “replicação viral” (termo dela), ou qualquer azar.
    É melhor avisar, sim.
    A enfermeira disse que descobriram que os estudantes de Enfermagem, odonto e Bioquímica do meu estado não estavam sabendo nada sobre PeP, nada sobre informações de quais ações, e estão montando uma campanha. Não sabiam nada sobre hepatite, sobre HIV, sobre prevenção, TARV… é esta a impressão que tenho com os alunos que trabalho na universidade. As maiores lacunas na aprendizagem e de falta de informação.
    Um abraço.

  10. Pedro diz

    Pessoal descobri que sou soropositivo ha pouco mais de 03 meses, tinha um namorado no qual imediatamente o informei sobre o exame, ele fez exames (ainda está fazendo) e permanece soronegativo. Ontem ele terminou o relacionamento comigo 😥

    Estou completamente perdido, sem chão. Gostaria de saber se vocÊs conhecem algum grupo no facebook, whatsapp sei lá, que eu possa conversar com outras pessoas que partilham dos mesmos medos e dores.desde ja agradeço

    • Renatinho diz

      Pedro Amigo então este processo é super complicado mesmo até entendermos o que estamos vivendo nos sentimos perdido com raiva um turbilhão de sentimentos sensações novas, só quem vivencia pode dizer o que é , mas te digo estas sensações amenizam e passamos a intender e compreender a vida de outra forma.
      me add no skype e podemos conversar melhor: renatinhoreiss88

  11. HB diz

    Pedro, passei pelo mesmo processo! Temos um grupo no kik, baixe e peçao ao the king pra te add em algum grupo… Nos ajudamos sempre lá… E ajuda bastante esse apoio!!!

  12. Positivo33 diz

    Olá alguém me ajuda a encontrar um grupo no kik? Baixei o aplicativo agora. Obrigado

  13. M. diz

    Gente agora estou com essa dúvida. Indetectável deve ou não informar que tem o vírus no caso do dentista? Na verdade sei que não somos obrigados, pois os dentistas devem tratar todos os pacientes como se fosse, mas eU pensei que eu não poderia mais transmitir estando indetectável.

  14. Matheus diz

    Como Gil disse antes todo profissional de saúde que se fere durante um atendimento deve tomar a PEP…não custa nada avisa-lo.

    • Digo diz

      Essa questão da nutrição é complicada.
      Como faço controle pelo plano de saúde, não tenho acesso a nutricionistas – pois o plano não cobre.
      Ao mesmo tempo, não tenho acesso aos nutricionistas do hospital público que faz atendimento dos soropositivos, pois somente quem faz todo o acompanhamento pelo SUS é que pode ser atendido por essa especialidade.

  15. paraense+ diz

    Pô , não tem ninguém aqui do Pará pra trocar uma idéia comigo… será que só eu tenho HIV neste estado ?.vamos aparecer gente !.

  16. Gil diz

    Digo,
    Por determinação da agência reguladora dos planos de saúde, agora sei lá qual sigla, acho que ANS, todos os planos de saúde precisam atender especialidades, se não me engano, desde 2008, mas não divulgam.
    Eu, por exemplo, na área de Psicologia, já atendi por planos de saúde (por um breve período, pelo plano do BB). Mas a nutrição e a Fonoaudiologia, também são cobertos por seu plano de saúde. A UNIMED tem nutricionistas. é OBRIGATÓRIO!
    O problema é que o plano paga tão pouco, mas tão pouco aos profissionais não-médicos, que muitos não divulgam ou mesmo não se credenciam.
    Eu não atendo mais planos de saúde e não aderi à UNIMED. Imagine, em Santa Catarina, pagavam 24 reais por sessão, tributados e pagos após 60 dias. Agora, aqui, no estado que moro no NOrdeste, a UNIMED paga 11 reais… o preço médio de uma consulta está em 120, 150 reais por sessão. E o psicólogo fica, no mínimo, 45 minutos com o paciente.
    O médico recebia, em 2014, de 65 a 72 reais por consulta, que dura em média 12 minutos e olhe lá…
    O nutricionista também recebe igual ao psicólogo na maioria dos planos, por isso, muitos nem conseguem credenciamento porque – acredite – tem plano que paga menos ainda que UNIMED.
    Daqui a pouco, os planos vão pagar ao profissional um vale-transporte pela sessão, ou um cigarro solto.
    Muitas vezes, questionam por que não há psicólogos, fonoaudiólogos, nutricionistas por planos… pagando esta merreca, quem quer? E ainda, para os usuários, limitam o número de atendimentos…
    Agora, eu sei que é obrigação do plano, se você solicitar, te arranjar uma nutricionista que atenda pelo plano. Insista!

    • Digo diz

      Boa dica, Gil. Vou aferiguar… E, realmente, é uma vergonha o que esses planos fazem com as duas pontas do sistema: profissionais e pacientes! Aff!

  17. BG diz

    O cabelo de vocês também caiu muito antes de começarem o tratamento? Eu devo começar somente próxima semana, e espero que isso pare de acontecer. Depois do tratamento, eles voltaram a crescer em voces?

    • DD+ diz

      BG..
      Meu cabelo tava caindo mto antes de iniciar o tratamento, mais após 5 meses de tratamento voltou ao normal. Abs

  18. Gledson diz

    Olá a todos. Em relação a planos de saúde gostariam de fazer também pois tenho mais tranquilidade. Aqui na minha cidade tem o unimed. Alguém sabe quanto é a média de preço dele? Eles fazem algum tipo de exame antes da pessoa fazer o plano?

    Valeu.. Abraços.

  19. JM diz

    Olá pessoal, .. A pouco mais de um mês descobri que era soropositivo, me senti muito mal, como todos se sente assim que descobre, ainda estou sofrendo muito, pois estou fora do Brasil, longe dos meus pais… Neste momento conto com o apoio do meu esposo que fez exames também e deu soronegativo.. A medica me disse que o fator dele não ter se contaminado é pq sou indetectavel… Ele esta me apoiando muito.. mas enfim, tenho fé em Deus que vamos todos vencer… Gostaria de saber se é normal ter queda de cabelo? muita dores de cabeças?

    Ate mais pessoal.

    • DD+ diz

      JM…

      Não é normal pra ngm ter dores de cabeça ou queda de cabelo, o que vc deve ta passando é por fortes emoções e com isso abala seu sistema imune, procure um medico! E sobre a queda de cabelo eu tive e tbm perca de peso, porem apos 5 meses de tratamento o cabelo parou de cair e o peso voltou ao normal…tudo tende de voltar ao lugar com o tempo. Como meu médico me disse: a cabeça tem que ta boa pro corpo nao adoecer. Fica bem, te cuida!

      • Bya diz

        Ola em relação a queda de cabelo e emagrecimento pode ta sendo causado pelo emocional msm como nosso amigo disse. Eu mesma tive tudo isso junto com diarreia e meu médico pediu exames e sempre estão bons. Só melhorou ágora q comecei a me aceitar, não devemos achar q tudo e culpa do vírus.

  20. Caso novo diz

    Dia 17 de agosto fui receber os resultados de uma bateria de exames de rotinas que resolvi fazer por conta própria, e como estava retomando minha relação com meu ex namorado, após 4 anos separados…o laboratório pediu pra eu fazer recoleta, meu namorado e um amigo de infância estavam comigo….fiquei desesperado…nunca tinha feito recoleta… Deu positivo…chorei, me desesperei…pedi pró meu namorador sumir q eu estava marcado pró resto da vida…. Ele me abraçou e ficou do meu lado….tive q fazer o exame confirmatório o WB…e no dia 25/08, foi confirmado minha sorologia para o HIV tipo 1 o mais comum no Brasil…. Meu chão caiu…e nesse período entre o dia 17 de agosto e o dia 25, agendei uma consulta com infecto pró dia 25 e meu namorado que é farmacêutico junto com a biomedica do laboratório me orientaram a fazer logo o exame de carga viral pra levar todos os resultados pró infecto e começar o qto antes o tratamento…hj já estou tomando há 11/dias a medicação e ainda estou com meu namorado…mais desde de então não tivemos relação sexual ele repetiu os exames e graças a Deus ele é negativo….tenho medo, medo de transar com ele, medo de não conseguir ficar com carga viral indetectável, medo de descobrirem q sou soropositivo, mas estou tentando levar sem transparecer pra ninguém, não quero colocar esse peso na minha relação, por isso estou procurando um grupo pra conversar e tirar dúvidas …alguém pode me.ajudar?

  21. Caso novo diz

    Pra complementar, não tive muitos efeitos colaterais… O tratamento está bem simples, somente um comprimido após o café da manhã… Tive até sétimo dia diarréia e até o nono dia uma tontura muito forte, hj quase nem fico tonto…eu já tinha hábitos bem saudáveis, prático musculação há dez anos, faço acompanhamento com nutricionista tenho uma alimentação bem balanceada e a única droga que fazia uso era o álcool, confesso q agora tenho medo de beber tbm…meus exames todos normais…. Sempre tive uma saúde muito boa, agora estou naquela fase de achar q nada vai dar certo, que meu namorado vai me.deixar que não vou conseguir responder bem ao tratamento , fico lendo, pesquisando tentando me acalmar, mas sempre pensamentos ruins ficam martelando em minha cabeça. Uma pergunta, quem segue direito o TARV, consegue atingir níveis indetectáveis de carga viral??

  22. cejs diz

    Meu segundo dia tomando retroviral , me sinto mal sem dormir tomo a3 1 comprimido por dia sinto náusea descobri a um mês justamente no mês do meu aniversário pensei que belo presente de aniversário estava na dêpre sem conseguir trabalhar direito etc. Após lê esses relatos estou bem melhor mentalmente , sinto – me mais confiante em continuar apesar dessas reações do medicamento , sou da bahia se alguém tiver algum grupo que fale sobre hiv me add 71 88484633 quero entender mais .

  23. GompMais diz

    Iniciei a Tarv há 2 dias, tomo os medicamentos após o almoço, 3 comprimidos – ritonavir, tenofovir/lamivudina e atanazavir – e não tive um efeito colateral sequer até o momento. Isso me tranquilizou muito.

    • Gabriel P. diz

      Os efeitos colaterias costumam aparecer depois do terceiro dia, tive uma relação de risco e tomei os antiretrovirais tenofovir/lamivudina, senti mta ânsia e desânimo de viver, mas espero que você não sinta essas sensações.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s