Mês: agosto 2015

Prêmio Top Blog

O Diário de um Jovem Soropositivo está participando de um concurso entre blogs voltados ao público brasileiro: o Prêmio Top Blog 2015, na editoria Saúde e Bem-estar, direcionada a temas como alimentação, atividade física, medicina, entre outros relacionados. Vote aqui! De acordo com o regulamento dessa competição, o período de votação do Primeiro Turno pelo Júri Popular, representado pelos internautas por meio de voto eletrônico, vai até o dia 18/12/2015, às 18h (horário de Brasília). No dia 11/01/2016, será divulgada a lista dos 100 blogs mais votados em cada editoria, que passam para o Segundo Turno da votação pelo Júri Popular. Os votos do Primeiro Turno não serão computados para o Segundo Turno. Os blogs que não se classificarem entre os 100 blogs mais votados de cada editoria ainda podem concorrer no Segundo Turno à premiação pelo Júri Técnico, formado por profissionais atuantes nos segmentos relacionados às editorias. A divulgação dos finalistas será no dia 20/04/2016. Os três blogs vencedores pela votação do Júri Popular e os três blogs vencedores pela avaliação do Júri Técnico serão …

Avalie isto:

Drogas com antirretrovirais

Por Roger Pebody em 24 de agosto de 2015 para o Aidsmap Os dois medicamentos envolvidos no tratamento do HIV que têm mais chances de apresentar interação com drogas recreativas e estimulantes sexuais não têm diretamente efeito anti-HIV: são os medicamentos de reforço, usados para impulsionar os antirretrovirais — Ritonavir e Cobicistat. [Segundo o Dr. Esper Kallás, professor associado da Disciplina de Imunologia Clínica e Alergia da Faculdade de Medicina da USP, os medicamentos de reforço inibem a enzima do sistema citocromo P450, ou CYP3A4, e podem aumentar o nível de toxicidade com outras drogas.] O Cobicistat é um dos componentes do Stribild (com Elvitegravir, Tenofovir e Emtricitabina), Darunavir e Atazanavir. Em geral, o Ritonavir é prescrito junto com inibidores de protease. É parte do Kaletra, junto com Lopinavir, e do tratamento para hepatite C, Viekira Pak. As chances de interação entre os medicamentos de ação direta anti-HIV com drogas recreativas também pode potencialmente existir, mas não é objeto de tanta preocupação, se comparado aos medicamentos de reforço. Além disso, nem todas as drogas têm …

Avalie isto:

A contagem regressiva começou

A amfAR, uma organização sem fins lucrativos sediada em Nova York, começou sua Contagem Regressiva para a Cura da Aids, uma campanha que quer intensificar o programa de pesquisa da organização focado na cura do HIV. A amfAR não espera curar a todos os soropositivos até 2020, mas alcançar os fundamentos científicos necessários para a cura até esta data, para que, em seguida, ela seja exaustivamente testada e então colocada em produção. Por que a amfAR acredita que a cura é possível até 2020? “Pela primeira vez na história, os obstáculos científicos diante da cura foram claramente iluminados. Com um esforço de pesquisa dirigido, colaborativo e agressivo, acreditamos que estes desafios podem ser superados, se fizermos os investimentos certos agora.” amfAR A história da amfAR data dos anos 80. Naquela altura, a epidemia estava no começo. Muitos dos ativistas, que poderiam falar em nome das pessoas com HIV/aids ou em apoio dos fundos federais americanos para pesquisa e prevenção da doença, não sobreviveram ao vírus. Foi para ajudar a preencher essa lacuna de vozes e …

Avalie isto:

Pesquisas para acabar com a pandemia

Declaração de esforços do National Institutes of Health em concentrar as pesquisas para acabar com a pandemia de aids Um progresso extraordinário tem sido feito na pesquisa de HIV/aids nos últimos 34 anos, transformando uma doença quase inevitavelmente fatal em uma condição tratável. Hoje, pessoas com HIV/aids podem experimentar uma expectativa vida quase próxima do normal, se os antirretrovirais são iniciados de imediato e continuados por toda a vida. Contudo, a doença ainda permanece como uma significativa preocupação de saúde pública, com aproximadamente 50 mil novas infecções a cada ano nos Estados Unidos e 2 milhões de novas infecções no mundo todo. Os custos humanos e econômicos continuam impressionantes. “Precisamos focar os escassos recursos em prioridades de pesquisa que ajudem a acabar com a pandemia de aids no menor tempo possível.” Agora, estamos numa conjuntura crítica na pesquisa do HIV/aids, na qual novas oportunidades de pesquisa estão emergindo e apontado para a possibilidade de acabar com a pandemia. Avanços muito disputados na pesquisa básica e clínica trazem nova esperança para o desenvolvimento de uma vacina e …

Avalie isto:

Um sonho impossível agora é promissor

Por Mary Engel para Fred Hutch News Service em 13 de agosto de 2015 “Tome seus remédios e se cuide”, disse Jeff Sheehy — um experiente ativista do movimento civil LGBT de São Francisco — a um jovem de 23 anos de idade, que tinha acabado de receber seu diagnóstico positivo para o HIV. “Como um homem gay, você tem muitas possibilidades. Você pode ser casar. Pode ter uma família. Quando eu tinha sua idade, isso não era possível.” Ele também disse ao jovem: “Nós vamos poder curar você do HIV. Em seu tempo de vida, você será curado.” Sheehy, hoje com 58 anos de idade, não era tão esperançoso quando recebeu seu próprio diagnóstico, em março de 1997. “Naquela altura, eu torcia para que conseguisse sobreviver”, disse ele, durante uma entrevista por telefone, a partir de sua casa, em São Francisco, pouco antes de seguir para Seattle, onde participaria da Conferência sobre Terapia Celular e Genética para a Cura do HIV, que aconteceu nos dias 13 e 14 de agosto no Fred Hutchinson Cancer …

Avalie isto:

Pílulas azuis

Uma história em quadrinhos autobiográfica, vencedora do prêmio Polish Jury Prize. Frederik Peeters, um dos quadrinistas mais celebrados da Europa, traduz com delicadeza sua vivência real e complexa em um relacionamento assombrado pelo HIV. Foi em uma noite festiva de verão que Fred conheceu Cati. Anos depois, eles se reencontram e vivem uma conexão instantânea, que os levam a embarcar em uma comovente e verdadeira história de amor. Nesse momento, Cati encara a árdua tarefa de revelar ao seu parceiro ser soropositiva, assim como o fato de ter um filho de três anos. É quando Frederik Peeters escolhe amar mesmo em face a grandes desafios.   Com ilustrações em preto e branco, Peeters narra o desenvolvimento da intimidade do casal, a maneira como assume seu enteado, o preconceito, as surpresas e sua reveladora relação com um médico cuja afeição e franqueza o permite encontrar meios para quebrar todas as barreiras que ainda existem na sua relação. A história mergulha nas angústias, dificuldades e realizações de um casal que vive um misto de amor e medo causado …

Avalie isto:

Mais um caso de controle pós-tratamento

Por Liz Highleyman para o Beta em 11 de agosto de 2015 Uma adolescente francesa com HIV que tem conseguido manter sua carga viral indetectável há 12 anos sem tratamento antirretroviral foi o principal assunto durante a 8ª Conferência Internacional da Aids Society, que aconteceu no mês passado, em Vancouver. Embora ninguém esteja se referindo ao seu caso como uma cura, ele certamente levanta questões interessantes sobre o “controle pós-tratamento” e pode oferecer pistas a respeito da cura funcional e da remissão do HIV a longo prazo. Asier Saez-Cirion, do Instituto Pasteur de Paris, descreveu o caso durante uma coletiva de imprensa que aconteceu antes da conferência, no simpósio “A Caminho da Cura”. A jovem, que agora tem 18 anos de idade, foi infectada pelo HIV durante ou antes do parto. Sua mãe, que recebeu os primeiros cuidados médicos somente no final da gravidez, apresentava carga viral alta no momento do parto e, por isso, a bebê recebeu preventivamente doses de Zidovudina (AZT) logo após o nascimento. Depois de seis semanas sob AZT, sua carga …

Avalie isto:

Especialista explica como HIV causou a pandemia de aids

Pela Agência FAPESP em 13 de agosto de 2015 A FAPESP e a Fundação de Pesquisa Alemã (DFG) realizam em 17 de agosto, às 15h, na sede da FAPESP, a palestra “Por que o HIV-1 foi capaz de causar a pandemia de aids?”, pelo professor Frank Kirchhoff, diretor do Instituto de Virologia Molecular da Universidade de Ulm, na Alemanha, e ganhador do Prêmio Leibniz em 2009. O virologista Kirchhoff é um dos principais pesquisadores no mundo sobre a aids. Nos últimos 20 anos ele contribuiu para a melhoria da compreensão sobre o desenvolvimento da doença e sobre a evolução do HIV. Sua pesquisa tem se concentrado em proteínas responsáveis pela patogenicidade do vírus em seres humanos, apontando novos caminhos para prevenir a transmissão da doença. Em sua palestra, o pesquisador irá descrever a origem e a evolução do HIV-1 grupo M, responsável pela maior parte dos casos de aids, e discutir propriedades específicas desse vírus que contribuem para a sua alta virulência e expressiva propagação. Concedido desde 1986 pelo Programa Gottfried Wilhelm Leibniz, da DFG, …

Avalie isto:

Novo protocolo brasileiro de profilaxia pós-exposição

  “Estamos unificando os protocolos para qualquer tipo de acidente com risco de exposição ao HIV.” O diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, concedeu entrevista na tarde desta terça-feira (11/08) ao programa Repórter DF, da TV Brasil, sobre as mudanças no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para Profilaxia Pós-Exposição (PEP) de Risco à Infecção pelo HIV, que unificou os três tipos de PEP até então existentes (acidente ocupacional, violência sexual e falha no uso do preservativo). Segundo ele, o Ministério quer facilitar o acesso a este tipo de tratamento preventivo ao HIV. “Estamos unificando os protocolos para qualquer tipo de acidente com risco de exposição ao HIV”, afirmou Mesquita na entrevista. O tratamento com a PEP ainda deve ser iniciado em até 72h após a exposição ao vírus em mantido por 28 dias. O novo protocolo vem depois de uma consulta pública, cujo texto original assinado pelo Ministério da Saúde, além de sugerir um tratamento único para todos os tipos de exposição, também recomendava que …

Avalie isto: