Notícias
Comentários 188

Acompanhando as pesquisas


AVAC_cura

Uma cura para a infecção pelo HIV é um dos objetivos finais de longo prazo da pesquisa científica atual. A ciência está progredindo, aumentando as esperanças e os desafios.

AVAC

Noções básicas sobre a cura

O termo “cura” refere-se a uma estratégia ou um grupo de estratégias que possa eliminar o HIV do corpo de uma pessoa ou permanentemente controlar o vírus e torná-lo incapaz de causar doença. Dois tipos de “cura” estão sendo pesquisadas. Uma por “esterilização”, que possa eliminar completamente o vírus do corpo. Outra “funcional”, que possa suprimir a carga viral do HIV, mantendo-a abaixo do nível de detecção sem o uso de antirretrovirais. Nesta última, o vírus não seria eliminado do corpo, mas estaria efetivamente controlado e sem risco de transmissão. É difícil distinguir estes tipos de curas e, por isso, alguns estão usando o termo “remissão”, emprestado do campo do câncer, e que geralmente é definido como a ausência de pronta recuperação do vírus detectável por algum período de tempo após a interrupção de medicamentos. Este período de tempo ainda não está definido pela comunidade científica.

É importante saber que os cientistas ainda estão debatendo e descobrindo o que significa estar biologicamente curado do HIV. Apesar de alguns possíveis casos de curas funcionais terem sido relatados, leva tempo para ter a certeza de que o HIV não pode causar doença, uma vez que sabemos que mesmo níveis muito baixos de vírus abaixo do limite de detecção podem aumentar o risco de certas doenças e, em última instância, levar à aids.

Quais tipos de estratégia de cura estão sendo pesquisadas hoje?

cureFactsheetDownloadHá quatro estratégias principais sendo exploradas. Cada uma dessas estratégias tem uma abordagem diferente diante do desafio fundamental da infecção pelo HIV: a habilidade que o vírus tem de se esconder em células que não estão ativas e nem se dividindo. Contanto que as células não estejam se dividindo, o vírus não cria cópias de si mesmo e, nessas condições, é considerado como sendo um “vírus latente”. As células que carregam vírus latente são, coletivamente, referidas como “reservatórios virais”. A maior parte do reservatório viral está nas células de memória T CD4+, que são projetadas para viver no corpo indefinidamente. Uma cura verdadeiramente eficaz terá que eliminar esses reservatórios virais ou garantir que o vírus que é ativado a partir destas células em repouso não restabeleça a infecção no organismo.

“Chutar e matar”: Esta estratégia de duas etapas visa liberar (ou chutar) o vírus para fora das células em repouso e, depois, seguir com um abate eficaz das células infectadas. Muitos dos agentes capazes de chutar, considerados hoje como possíveis alternativas, são atualmente usados ​​no tratamento de câncer. O componente capaz de matar pode incluir uma vacina terapêutica, se uma eficaz vier a ser desenvolvida, ou outras intervenções capazes de melhorar a resposta imunitária contra o HIV.

Manipulação genética: Esta estratégia visa modificar as células de uma pessoa para que o HIV não possa infectá-la. Isto pode ser feito alterando os genes de células do sistema imune de uma pessoa. Os genes são as instruções para a arquitetura da célula. Uma alteração que remova um receptor ou uma proteína chave, utilizada pelo HIV para instalar a infecção, pode tornar a célula resistente à infecção. A terapia génica tem como alvo muitos dos mesmos alvos utilizados no tratamento. Uma vez que o HIV precisa estar dentro de células para copiar a si mesmo, tal estratégia pode efetivamente impedir que o HIV se espalhe pelo organismo. A terapia genética mais avançada é tecnologicamente complexa: envolve a retirada de células T CD4 de indivíduos soropositivos e, em seguida, sua modificação com um método que desativa o gene que codifica o receptor CCR5, o qual a maioria das variantes do HIV usa como apoio para entrar nas células.

Transplantes de células-tronco: As células-tronco hematopoiéticas, produzidas na medula óssea, são a fonte de todas as células sanguíneas no corpo. Transplantes de células-tronco são usados para tratar doenças potencialmente fatais, como o câncer. Eles têm um elevado risco de efeitos colaterais. No caso notável de Timothy Brown, que foi aparentemente curado do HIV, ele recebeu um transplante de células-tronco para tratamento de câncer. Seu transplante continha células que não poderiam ser infectadas pelo HIV, porque lhes faltava o receptor CCR5 em sua superfície. Transplantes de células-tronco são precedidos por um processo chamado de condicionamento, no qual o sistema imune do indivíduo é eliminado, para dar espaço para o sistema doador e diminuir a probabilidade de rejeição do transplante. Em indivíduos soropositivos, o condicionamento elimina muitas células infectadas pelo HIV. Transplantes de células-tronco são o último recurso para pessoas com câncer ou HIV. Esta estratégia não é reproduzível em larga escala.

Vacinas terapêuticas: As vacinas terapêuticas são concebidas para aumentar ou induzir respostas imunes contra o HIV em alguém que já está infectado com o vírus. A maioria destas vacinas é destinada a aumentar a potência das células que naturalmente são capazes de matar o HIV, como, por exemplo, células T CD8+ específicas para o HIV e células Natural Killer (NK). A esperança é que as respostas imunológicas induzidas por vacinas possam contribuir para o controle do vírus na ausência de tratamento antirretroviral e, talvez, também ajudem a eliminar as células infectadas de forma latente.

Quais são os desafios relacionados à pesquisa da cura?

Há muitas questões que dificultam a pesquisa da cura. Em primeiro lugar, não há nenhuma maneira clara para medir o reservatório do HIV. As duas abordagens principais são para medir o número de cópias de RNA do HIV no sangue ou o número de cópias de DNA do HIV nas células. Mas medir apenas o RNA do HIV no sangue não detecta as cópias virais já integradas nas células em repouso, enquanto medir o DNA do HIV não significa, necessariamente, ter uma imagem precisa, uma vez que as tecnologias disponíveis e mais baratas não conseguem distinguir o vírus em fase de replicação. Um teste mais preciso, o exame de crescimento viral quantitativo, requer a utilização de um grande número de células e não pode ser feito a partir de uma simples coleta de sangue.

Um segundo grande desafio é que as estratégias de cura atualmente sob pesquisa carregam riscos e benefícios desconhecidos. Descobrir como comunicar teses incógnitas para os potenciais participantes de estudos será uma parte importante de qualquer estudo clínico da cura. Para testar se uma pessoa foi de fato curada, é preciso interromper o tratamento antirretroviral, para que, se houver um eventual aumento da carga viral, este possa ser medido. Não existem diretrizes padronizadas a respeito da duração da interrupção de tratamento que minimizem os riscos para os participantes do estudo e para seus parceiros. Finalmente, as estratégias de cura podem vir a ser diferentes para homens, mulheres e crianças — diferenças biológicas entre os sexos e diferenças entre sistemas imunes adultos e pediátricos sugerem que é improvável que haja uma única abordagem de cura para todos.

O que acontece depois?

A pesquisa da cura está em expansão, com uma gama de estudos previstos ou em curso. Clique aqui para ver uma lista desses estudos.

Como ativistas podem se envolver?

Muitas das estratégias de pesquisa a ser desenvolvidas exigem equipamentos caros e formação específica para sua administração. Para alcançar o sucesso podem, ser necessários recursos adicionais. Esses recursos não estão disponíveis na maioria das partes do mundo. Os ativistas podem aumentar a conscientização em torno da necessidade destas tecnologias, a fim de prepararem-se para futuros estudos de cura em humanos.

Pesquisas sobre a cura

A pesquisa da cura do HIV está crescendo — incluindo estudos clínicos cujos projetos exigirão participação da comunidade informada. A AVAC está trabalhando com parceiros para tornar isso possível. Para mais informações, veja:

 

AVAC_tasp

Para salvar vidas, o tratamento antirretroviral por si só não é suficiente. Suprimir o HIV e manter a carga viral indetectável é o que importa.

Noções básicas sobre o Tratamento como Prevenção

Desde 1996, a terapia antirretroviral, usando uma combinação de medicamentos, tem ajudado a manter milhões de pessoas que vivem com o HIV vivas e saudáveis. Hoje, os antirretrovirais também são amplamente vistos como a pedra fundamental de uma resposta abrangente de prevenção. Isto é baseado em evidências de estudos entre casais sorodiscordantes (em que uma pessoa está vivendo com o HIV e outra não), nos quais o parceiro soropositivo que faz uso de antirretrovirais mostrou ter significativamente reduzidas suas chances de transmissão do vírus. Há também evidências de que a terapia antirretroviral reduz o risco de transmissão do HIV a partir de mulheres através da amamentação e há uma série de estratégias que utilizam os antirretrovirais, individualmente ou em combinações, para reduzir o risco de transmissão do HIV durante a gravidez e o parto.

TasPfactsheetDownloadO termo “Tratamento como Prevenção” (ou TasP, do inglês Treatment as Prevention) é por vezes utilizado para descrever a ampla função dos antirretrovirais como uma intervenção que apresenta benefício para a saúde do indivíduo e como uma ferramenta de prevenção. No entanto, esta designação pode ser confusa, especialmente nos momentos em que terapia antirretroviral é observada exclusivamente sob o ponto de vista do benefício clínico. Na verdade, sempre que um indivíduo que vive com HIV está em tratamento antirretroviral e apresenta supressão virológica (a carga viral indetectável), há o benefício da prevenção, mesmo que esta não seja a razão pela qual o indivíduo optou estar em tratamento. É importante notar que, atualmente, a decisão de um indivíduo com HIV começar a terapia antirretroviral é baseada em vários fatores, incluindo as diretrizes de tratamento de acordo com as recomendações da região onde vive. Estas diretrizes podem levar em conta fatores como a saúde clínica do indivíduo, a coinfecção com outras doenças e infecções oportunistas, contagem de células T e testes de carga viral. Não existe qualquer evidência relevante a respeito da redução do risco de transmissão através do compartilhamento de seringas quando carga viral é indetectável. Os dados sobre o efeito do tratamento como a prevenção estão limitados a indivíduos cujo principal risco de contrair o HIV é através da exposição sexual.

Hoje, a resposta global à aids está sendo moldada por campanhas que visam ampliar o acesso ao tratamento antirretroviral, para ambos os benefícios clínicos e de prevenção. Em junho de 2013, a Organização Mundial de Saúde (OMS) atualizou suas diretrizes para incluir os benefícios do tratamento como prevenção, e sugere que os países ofereçam antirretrovirais para todos os indivíduos soropositivos com contagens de células CD4 igual ou inferior à 500 e, para grupos específicos, como mulheres grávidas ou amamentando e pessoas soropositivas em relacionamento sorodiscordante, independentemente da contagem de células CD4. Em meados de 2014, o Unaids lançou a meta “90-90-90” para acabar com a epidemia de aids até 2030, a qual exige que 90% das pessoas que vivem com HIV saibam da sua condição, 90% dos indivíduos que sabem de sua condição positiva para o HIV estejam em tratamento antirretroviral e 90% dos indivíduos em tratamento tenham alcançado a supressão virológica, até o ano de 2020.

Ativistas têm um papel fundamental a desempenhar, para garantir que o acesso ao tratamento seja expandido sempre com direito de escolha, sob programas liderados pela comunidade, isentos de coerção e com atenção para uma gama completa de outras estratégias de prevenção necessárias para começar a acabar com a aids.

Quais são os dados sobre antirretrovirais e a prevenção do HIV?

Os primeiros dados vêm de um estudo conhecido como HPTN 052, que envolveu 1.763 casais sorodiscordantes (um parceiro soropositivos e um soronegativo) e observou o tratamento como prevenção em vários países. A pergunta principal era: se o parceiro soropositivo iniciar o tratamento, isso pode ajudar a reduzir o risco de transmissão sexual do HIV para o parceiro soronegativo? Esse efeito é durável? O HPTN 052 descobriu que a terapia iniciada imediatamente reduziu o risco de transmissão do HIV em 96%. Outro estudo, conhecido como PARTNER, encontrou igualmente elevados níveis de proteção no contexto de sexo anal entre casais heterossexuais e gays sorodiscordantes. Uma série de outros estudos clínicos e observacionais de dados estão em andamento, muitos dos quais levam em conta o benefício prevenção e também da expansão do acesso ao tratamento. Esses dados contribuem com os esforços para expandir o acesso global aos antirretrovirais.

Quão realista é a meta “90-90-90” e a sugestão de usar antirretrovirais para começar a acabar com a epidemia de HIV?

O HPTN 052 mostrou um benefício poderoso. No entanto, existem muitos desafios na implantação do tratamento como uma estratégia de prevenção, incluindo as lacunas atuais na cobertura de antirretrovirais para pessoas que são clinicamente elegíveis para eles, baixas taxas de testagem para o HIV, desafios para manter as pessoas sob tratamento, questões científicas adicionais sobre a exata relação entre a carga viral no sangue e o risco de transmissão do HIV e a falta de consenso em torno do melhor momento para os indivíduos iniciarem o tratamento. Estes desafios exigem pesquisas adicionais, bem como discussões políticas e comunitárias.

Pesquisas sobre o Tratamento como Prevenção

Em um dado país, diz-se que a epidemia alcançou seu “ponto de inflexão” quando o número de novas infecções anuais pelo HIV cai abaixo do aumento anual de pacientes começando a terapia antirretroviral. A cobertura de tratamento é importante. Primeiro, o país tem que atingir a cobertura tratamento em cerca de 66% para que um cálculo válido sobre o ponto de inflexão possa ser feito. A qualidade do acompanhamento médico também importa muito, uma vez que não basta apenas começar o tratamento, mas se manter nele e atingir a supressão virológica, importantes para a saúde individual e pública.

Para os ativistas da prevenção, há uma série de questões para acompanhar e amplificar em torno da implementação, monitorização e pesquisa relacionada com o tratamento como prevenção. Para aprender mais:


Anúncios

188 comentários

  1. Fico muito satisfeito em saber que a cada nova pesquisa, o cerco se fecha contra o HIV1. Eu e meu infecto estamos confiantes de que até 2020 a cura, pelo menos funcional, para o vírus causador da AIDS estará desenvolvida, testada e aplicada em grande escala!
    Então, esperemos porque como dizem: o tempo é senhor de tudo!!!………

    • Rafael diz

      Bio, confesso que também estou confiante que em breve teremos boas noticias, já imaginou a explosão de felicidade que o mundo receberá ao ser anunciada a cura? Não vamos desanimar, tenhamos fé que o senhor esta a nosso favor.

  2. V. diz

    Boa síntese, jovem! Lembrando que prudência sempre é necessária quando se trata de algo tão incerto quanto estudos experimentais. Vou indicar esse texto para alguns amigos. Obrigado.

  3. Enquanto há vida, há esperança. diz

    Fé que logo logo descobrem a cura!!!!
    Boa tarde galera, gostaria de saber se algum de vocês indicam um infecto que atua nessa area em sp e regiao. Moro em guarulhos e passo no cta daqui, mais não sinto muito confiança na médica que me atende, gostaria de passar em um especialista para tirar algumas duvidas a respeito do meu tratamento. Obrigado!!!!!

    • regis diz

      Cara tb passo aqui em guarulhos e nao gosto nada nada da medica ela olha pra mim com cara de dó… como se falasse esse n demora muito. Podemos manter contato?

      • Enquanto há vida, há esperança. diz

        eae régis tudo bem, vamos manter contato sim anota meu email enquantohavida@outlook.com para podermos conversar.
        eu passo com a dra.Priscila e voce…to vendo um especialista para passar no particular antes de passar com ela de novo. qualquer coisa chama no email…..abraços

  4. Gustavo diz

    “uma vez que sabemos que mesmo níveis muito baixos de vírus abaixo do limite de detecção podem aumentar o risco de certas doenças e, em última instância, levar à aids” Eu nao sabia.. pra mim, alguém indetectável nao tinha chances de desenvolver esta doença… e alguém indetectável e cd4 alto tbm tem chances de desenvolver doenças oportunistas… eu pensava q nao 😦 Mas enfim…

    • DD+ diz

      Pois é Gustavo…esse trecho tbm me xamou a atenção. Meu medico disse q isso pra mim tb, q mesmo com os medicamentos a aids pode se instalar, mais nao qr dizer q é um fato, pode acontecer ou nao. O que me deixa mais tranquilo é ler historico de pessoas q vivem ha mais de 20 anos com o virus e nao tiveram nada. Nos resta apenas é nos cuidar e seguir o tratamento direitinho. abs. Não desaminem.

      • D_Pr diz

        Olhando através dessa percepção a cura funcional também não vai resolver nada…

      • D_Pr diz

        DD+

        Meu médico pelo contrário me garantiu que disso eu não vou morrer…Mas mesmo assim qualquer frase que traduza a imagem que temos a respeito do HIV, tende a ser mais impactante e nos abala muito! E aí vem a desconfiança, será que essa cambada de médicos não está apenas nos enganando? Sabemos que não, racionalmente falando! Emocionalmente, tudo que ameaça a nossa continuidade, é perturbador!

        • DD+ diz

          O meu tbm falou q n Morria disso…porem falou q ainda sim possa ser q a doença de manifeste maid com is cuidados tudo ficara bem.

        • HopeAlways diz

          Eh verdade sim. Porém só de estarmos vivos já é um risco rsrs. Vamos nos mirar nos tantos exemplos de pessoas vivendo c hiv a décadas e ainda super bem. Vai dar td certo DD+ 😉

    • Calma, Gustavo. Em primeiro lugar, o fato de estar com CD4 alto e indetectável torna o aparecimento de doenças oportunistas tão provável quanto para outros certos grupos de pessoas. Lembre-se que pessoas sem HIV podem adquirir outras doenças debilitantes, sofrer acidentes e ainda deteriorar mais rapidamente sua saúde simplesmente por ignorância. Por exemplo, abusando de drogas, álcool, comidas não saudáveis e etc… Você por estar em tratamento e ter consciência da necessidade de cuidar da sua saúde já tem menos bilhetes na loteria de alguns males da vida. Você até podia não ter consciência disso anteriormente, mas vamos ter todos, infectados ou não, que lidar com inúmeras situações em nossas vidas que não podemos fugir. E doenças é uma delas. Tenha esperança, se não for possível ter fé. E simplesmente continue. O importante é saber que não está sozinho e que sua situação já é melhor que a de muita gente que vive achando que viverá eternamente na adolescência.

  5. Simbiose+ diz

    Oi, pessoal.
    Primeiramente, acho que além dos antirretrovirais eu preciso de uma carga semanal de leitura no JS. Acompanho o blog desde o descobrimento da minha sorologia, em 17/10/2014. São momentos que considero os mais verdadeiros quando vejo os depoimentos de alegria e de tristeza dos leitores.
    Hoje tenho cv indetectável e CD4 quase em 500. O meu único problema hoje é conviver com a diarreia que começou desde o uso do TARV, em 11/2014, e que só tem piorado me causando indisposição é muita tristeza.
    Já fiz todos os exames possíveis para investigar a causa e meu infectologista está considerando mudar a medicação. Estou com muito medo de tudo isso, pois minha vida mudou muito. Não reclamo mais por ter o vírus em meu corpo, mas queria muito a solução para essa diarreia crônica que já dura mais de 4 meses.
    Pela experiência, o que vocês me aconselham?

      • Simbiose+ diz

        D_Pr
        Uso atualmente o 3 em 1. Antes, usava os mesmos medicamentos só que em comprimidos separados…

        • D_Pr diz

          Simbiose+

          Não tenha medo de mudar não… Normalmente essa medicação é bem tolerada, mas hoje tem outras opções! Mude sem medo! Logo logo essa diarreia não será mais problema! Eu pensei que você estava usando o Kaletra e Biovir…(esses são tenso). Carga viral está indetectável? CD4 alto, intermediário? Como está?

          • Simbiose+ diz

            Oi, D_Pr. Obrigado pela resposta.

            Minha infecto quer mudar mesmo pois já não aguento mais esse efeito colateral que não cessa.
            Minha cv está indetectável desde final de dezembro. CD4 está em 440.

  6. Johnny diz

    Uma pessoa com carga viral indetectável e sistema imunológico recuperado – CD4 acima de 500 – pode desenvolver AIDS? Esta é nova para mim. AIDS não ocorre quando o CD4 está abaixo de 200?

  7. E que doenças podemos ter com virus indetectavel e CD4 auto, e AIDS não e considerada apenas para quem tem CD4 menor que 200 e Carga viral alta. Cada dia uma descoberta, e virus maldito, intruso do inferno. Mais Deus e maior

  8. Gustavo diz

    Juro q isso me desanimou muito.. Meu medo cresceu… Eu estava ciente q eu me cuidando tomando os remédios direitinho e indetectável e c4 alto eu estaria muito longe de contrair qualquer doença ligada ao hiv… Meus Deus… então qualquer momento eu posso ter a AIDS e este remedio nao adianta taaanto assim… unica coisa q serve é p nao passar a doença… juro q nao consigo entender nada… então isso tudo respondeu minha duvida de q; quando ouço falar de alguém q morreu de alguma doença oportunista de AIDS e me perguntava o pq se hj em dia tem os remedios etc… se a pessoa descobrisse e se cuidasse nao iria morrer…. entao mesmo nao descobrindo ou descobrindo e tomando a medicação, corremos os mesmos riscos.. aff

    • DD+ diz

      Gustavo…a realidade é q as pessoas q morrem hj com aids, são pessoas q nao sabiam q tinham o virus e nunk se cuidaram. Os antirretrovirais são remedios para prolongar nossas vidas, a probabilidade de termos complicações são curtas, pois vemos pessoas q vivem com o virus e se cuidam e vivem mto bem e sem maiores problemas. ja li relatos de pessoas que vivem ha mais de 10, 20 anos em tratamento. E a tendencia é so melhorar essas pespectivas, pois os remedios estao cada vez mais eficientes. è importante sim descobrir logo e se cuidar. E como meu medico me diz: a cabeça tem que ta mto boa, pq senao o corpo adoece. Fica firme e fé em Deus que vai dá tudo certo.

      • Gustavo diz

        obrigado DD+ é as vezes fico assim mesmo.. meio de saco cheio dessa ” incerteza” mas vai da tudo certo sim 🙂

      • Walter gr diz

        DD+,ótimo seu comentário,é bem isso mesmo, descobri q sou s+ em1996,medicamentos desde 1998,, concordo com vc e seu médico,,abrcs

    • Aí que está o erro. O risco que corremos é muito inferior. Entenda que se uma pessoa tem 50% de contrair uma doença oportunista e essa chance diminui para 0,5% é um avanço considerável. Tenha em mente que há muito o que fazer antes que o surgimento de uma doença possa levar a uma complicação maior. Como por exemplo, experimentar várias combinações de remédios. Além disso, há novos tratamentos entrando a todo o momento. E não existe “cuidar e não morrer”, todos irão morrer em algum dia. Pode ser em 5 anos, pode ser em 50 anos, em mais… E tenha certeza que muitas pessoas saudáveis que você encontra todo dia tem mais chances de adquirir doenças debilitantes e fatalidades do que você. A probabilidade é realmente pouco confortante, pois uma vez que a gente passa a ser estatística pouco importa que tínhamos pouco risco de alguma coisa. Por exemplo, qual era o risco de você se contagiar com HIV antes de contagiar? 0,0001%, 0,0004% 0,001%… Isso faz diferença agora? Uma coisa pode ter certeza é que com CD4 alto e carga viral indetectável você tem menos probabilidade de ter complicações. Muito menos. A ponto de conseguir viver muitos anos para ver uma cura definitiva. Lembre-se da Penicilina, um acidente observado por um cientistas responsável por salvar a vida de milhões de pessoas. Você acabou de experimentar negativamente que um dia é capaz de mudar totalmente o que sabemos cura e tratamento de HIV apenas por conta de uma frase, tenha certeza que o oposto também é possível, um dia pode fazer que tenha grandes e ótimas surpresas, apenas siga em frente…

    • Walter gr diz

      Oi Gustavo, procure não se desesperar dessa forma, olha só sou s+desde 1996, faço uso dos arvs de boa, nesse periodo ,só. tive duas trocas de esquema na medicaçao, qto a esse assunto de morrer de aids ,são os que relaxam no tratamento,ou não procuram o tratamento, rapaz encare isso como doença crônica,, Deus nos deu mais uma chance,viva rapaz,,pare de pensar em morte..doenças ! Se no decorrer alguma doença oportunista,vá aos médicos,,, abrcs ,fique bem,,

  9. Gustavo diz

    e outra, essa merda de expectativa de vida é quase a mesma q uma pessoa negativa é tudo conversa fiada… Eu nao entendo mais merda nehuma.. n sei em quem acreditar.. N sei mais oq é verdade… 😦 pq q precisam mentir? pq a as medicas infectologistas ficam com essa coisa ” vc n vai morrer disso” só morre quem nao sabe ou sabe e nao toma os remedios… Elas deveriam falar a verdade e nao iludir

    • Gustavo, você vive no Brasil, certo? Talvez em alguma grande cidade. Certo? Saiba que a chance de você sofrer um homicídio é maior do que morrer de complicações do tratamento. Você não vai deixar de sair de casa por conta disso? Certo? Os médicos não estão mentindo, mas sim colocando o quadro geral para o paciente que está preocupado que irá morrer em pouquíssimo tempo pela complicação da doença. Lembre-se que há o efeito psicológico sobre a saúde do doente. É melhor que ele diga que você “não vai morrer disso”, o que pode ser verdade, do que dizer você tem chance de 0,00x % de morrer disso… Seria um número que ficaria na sua cabeça sem significar nada de imediato. Como por exemplo, saber que você tem 0,003% de chance morrer em um acidente de trânsito ou em um assalto. Você vai mudar para um país que essa chance seja 10 vezes menos, como em algum na Europa por exemplo? Siga em frente com certeza que você está vivendo o melhor possível e que a vida é generosa em surpresas. Você pode se surpreender com o que acontecerá até o fim do ano. Não sofra pelos 0,0000

  10. Gustavo diz

    hj vou ate tomar um vinho p relaxar… Preciso! kkkk. estressado, dor no olho de sinusite kkk essa matéria q me deixou + nervoso kkk

  11. HopeAlways diz

    Gustavo calma aí. Qto negativismo. Um texto falando de mil possibilidades e que em um trecho de que “em última instância” pode causar a doença significa q se vc se tratar PENSAR POSITIVO e se cuidar as chances são bem pequenas. Cuidado p não contaminar o demais com tanto negativismo. E nenhum médico está mentindo qdo diz q vc viverá mto. Procure nomes como Jack Mackenroth, Magic Johnson, Mark S King e tantos outros que vivem a tantos anos e décadas c o vírus e estão muitíssimo bem. Esse negativismo SP faz mal a vc mesmo. A medicina e as inúmeras pesquisas mostradas não te animam? A vida é um risco e um infinito de possibilidades. Seja feliz viva cada momento valorize o que tem valor e vc vera que tudo dará certo. FOQUE nas novidades nas boas possibilidades que é o isso o que importa.

    • gustavo diz

      Hope, vc ta certo…. hj q n estou em um bom dia acabei explodindo… na verdade nem sou assim, sempre sou positivo srsrs p cima, e acredito sim q vamos ter a vida como qualquer outra pessoa… ou melhor, ja temos. Obrigado pela força

      • HopeAlways diz

        Gustavo baixa o kik instala e me chama lá. Meu kik é o hopealways6. Tem p Android e IPhone. Já temos um grande grupo com mta gente daqui bacana lá. Entra que vc vai adorar. Vc e quem mais quiser. Procura o app KIK. Abs

          • HopeAlways diz

            Tem um grupo. Me add q te incluo Fernandes. Abs meu kik eh hopealways6

    • fernandescarioca diz

      Bonitas palavras e grandes exemplos de pessoas que vivem com o vírus há anos….

    • fernandescarioca diz

      Bonitas palavras e grandes exemplos de pessoas que vivem com o vírus há anos….

    • Salvadorposi diz

      Hope, Gustavo, EGC, Fernando e todos os demais companheiros de jornada,
      Não podemos esquecer que o único pré requisito para morrer é estarmos vivos. Expectativa de vida nunca foi certeza de vida. O nosso foco principal tem que ser o dia de hoje, pois esse é o que temos de certo. Sobre o futuro não temos o menor controle. E hoje, o que estamos fazendo para nos mantermos bem? Nos tratamos, cuidamos do nosso corpo, mente e espirito. Cada um tem sua forma própria de fazê-lo. Seja, malhando, correndo, meditando, nadando, se alimentando bem, trabalhando, amando e sendo amado e outras tantas outras formas. O importante é lembrar sempre que pensamentos negativos deixam o nosso corpo ácido e locais assim são propícios a proliferação de doenças oportunistas. Nas minhas orações eu sempre peço calma e bons pensamentos e saúde, pois eu visualizo a cura e minha vida seguindo. Peço isso pra todos nós. Não sei se JS um dia imaginou que seu blog seria um espaço tão interessante e ajudaria tanta gente.
      É isso. Paz de espírito e fé. Um bj grande em todos e vamos cuidar da vida.

      • M. diz

        Perfeito! É esse tipo de pensamento que tenho tentado alimentar todos os dias Salvadorposi. Alguns dias eu tenho conseguido, outros dias não.

        Obrigado por seu comentário. Abraço!

      • caradobemsampa2 diz

        Muito bom….
        Bora nos informar e nos cuidar…
        A vida segue tranquila…
        abraçao

  12. HenriqueSC+ diz

    Bom noite galera do bem 🙂
    Então, esta semana (segunda), descobri minha sorologia através de um exame de rotina em um hospital particular aqui da minha cidade. O diagnóstico veio graças um estado febril que eu senti durante 1 semana, associado a fadiga e náuseas. Creio que minha infecção ocorreu a 1 ano +-.
    Bom, como já li praticamente cada post desse blog, então me identifiquei muito com algumas pessoas, pois minha situação foi bem similar a do FG-PR, e do marido da Hope, que felizmente não contaminaram suas parceiras (felizmente a minha também não foi).
    Confesso que está sendo MUITO, mas MUITO difícil mesmo. O que me incomoda muito (além da sorologia é claro), é o fato de não conseguir mais fazer NADA! Infelizmente não sinto mais prazer de fazer nada, apenas sentar, chorar e me culpar. Sempre fui muito animado no trabalho, e depois disso, TODOS perceberam que há algo de errado comigo e vivem me perguntando, mas claro, como a dica de muitos aqui, (Cara+, D_Pr etc…), resolvi não falar nada e apenas dizer que não estou bem devido a um problema em casa. A unica pessoa que sabe da minha sorologia é minha esposa, que graças a deus não me abandonou e prometeu ficar ao meu lado para o que der e vier, e provavelmente isso será o maior motivo de eu lutar contra isso até o final.

    Então, ontem foi minha primeira consulta com meu infecto (estou fazendo pelo meu plano), e confesso que fiquei muito feliz em saber que hoje a doença está controlada, e que se seguir todo o tratamento a risca, sem falha, a expectativa de vida é normal. Ele me pediu uma bateria de exames que devem ficar prontos daqui uns dias (posto aqui quando ficarem prontos), e também disse que de acordo com os resultados vai verificar a melhor combinação de ARVs.

    Cheguei em casa hoje bem humorado (dentro do possível), após um longo dia de trabalho, e como de praxe, resolvi dar uma lida no blog como venho fazendo no decorrer da semana.

    Então, pra minha surpresa, assim como o Gustavo e DD+, acabei me deparando com aquele trecho deste post, o que me atirou lá para baixo novamente, pois como o gustavo falou, parece que nossos infectos são treinados na residência (inclusive as conversas são as mesmas), e que o único interesse é não transmitir mais para não aumentar a epidemia, e o paciente que se exploda com uma pseudo vida normal que não existe (espero estar enganado).
    Estou muito triste com toda esta situação, e confesso que provavelmente a ficha não caiu 100% ainda.
    Não sei o que será do meu futuro, meus planos, meu trabalho, e por isso gostaria de trocar algumas ideias com o pessoal daqui. Em julho tenho uma viagem com minha esposa, que já estava marcada desde janeiro, mas até perdi a vontade, porém, como já está tudo pago, não vou deixar de fazê-la.

    Gostaria de algumas dicas de como vocês estão fazendo com o trabalho, vida pessoal, amigos, sair… pois confesso que até agora não consegui erguer a cabeça a enfrentar, pois a unica vontade que tenho é de chorar e me isolar.

    Um bom final de semana a todos, e agora estou no “barco” junto com vocês, mas ainda extremamente deprimido, e neste momento até digitando chorando depois de ler aquele trecho do texto.

    Abraço a todos!

    • Fenix diz

      Essa é a vacina TAT francesa? se for deu certo a primeira etapa em humanos? 2017 parece bem razoável.

      • Rafael diz

        Sim, essa é aquela vacina Francesa e os resultados da primeira fase em humanos serão divulgados no proximo mês (junho 2015), se tudo der certo iniciaram a segunda fase ainda esse ano. Fé.

  13. PequenoGrandeHomem diz

    Amigos preciso de um help!!
    Mais ou menos em 2012 eu descobri ser hiv + porém eu tinha apenas 17 anos e foi um pesadelo para mim e criei um estupidez dentro de mim em ignorar esse fato (mas sem perder o cuidado com o proximo e comigo mesmo). Bom… nunca entrei nesse assunto com ninguem, só leio sites e mais sites, comentarios e mais comentarios tentando criar coragem para enfrentar um infecto.. Sou uma pessoa aparentemente saudavel, malho, alimentaçao 10 mas toda gripe ou virose que me aparece eu ja me cago todo só me tranquilizo quando passa… E nao quero viver nesse filme de suspense, viver de olhos vendados esperando o pior acontecer, hoje me acho maduro o suficiente para encarar isso sozinho e passar pelos benditos efeitos colaterais do tratamento e preconceitos que sao meu maior medo… mas é preciso. Depois de anos hoje veio minha conformaçao que tenho que encarar isso e que nao seja tarde. Quero provar para mim mesmo que posso viver melhor e deitar minha cabeça no travesseiro sem medo(ou menos medo rs). Queria saber qual seriam os melhores medicamentos para iniciar o tratamento, sei que cada organismo corresponde de uma maneira, mas queria fazer um levantamento… Mesmo nao sabendo se sera necessario iniciar ou nao o trat, informaçao nunca é demais. Preciso saber como dar o primeiro passo!! Tenho medo desses medicos negligentes que só querem grana e foda-se seu organismo e o que vc vai passar. Indicaçoes de infectos seria uma boa! Aguardo resposta de vcs #infinitaspossibilidadesdeviver

  14. Cauã + diz

    Lendo estas matérias dá um desânimo de pensar que o resultado destes estudos só serão conclusivos daqui a uns 5, 10 anos e até lá teremos q conviver com este virus em nosso organismo entre o fio e a espada dia após dia.
    É claro q o tratamento hoje se mostra muito eficaz nem se compara a décadas passadas, no entanto a esperança e o anseio por uma cura é tão grande q chega a dar um aperto ter q conviver dia após dia sabendo q vc carrega uma doença incurável por mais X tempo …

    Desculpem a negatividade de hoje, mas é q estou meio Bad!

    Abraços!

  15. vibepositive diz

    Gostaria de saber se alguém teve ocorrencia de rash cutaneo alguns dias após começarem o uso do 3x1medicação foi suspensa de imediato ou se logo o organismo acostumou com a medicação e os rashs sumiram?

  16. O efavirenz tá pesando na galera hein?! Kkk

    Brincadeira à parte, ontem falei muito com meu infecto, perguntei do desenvolvimento da aids em indetectáveis que se cuidam, ele me foi muito franco afirmando que outras situações podem trazer a morte. Ele só perdeu dois pacientes em 2013, um de infarto e outro de câncer (ambos pacientes tinham histórico deste tipo de morte na família). Quando perguntei de como alguém com dengue e hiv passa pela doença ele disse que o comum é que o corpo reaja como o de um soronegativo, no máximo demoramos mais para recuperar a imunidade após a doença.
    Perguntei quando se poderia dizer que alguém é um não respondedor imunológico (em seis meses de tratamento meu CD4 não subiu muito, mas os percentuais melhoraram muuuito), ele me mostrou o gráfico de um paciente que está há 17 anos com ele e é um não respondedor, mas este pega uma gripe aqui ou ali.

    O que eu gostaria de dizer é que não precisamos ter tanto medo. Se pegarmos alguma doença, como todo ser humano pode pegar, devemos ir a um médico e tratar, e ponto (quem não deveria fazer isso?). A exemplo do meu colega de médico eu acho que tenho, tranquilamente, mais 17 anos pela frente e, na boa, neste prazo com certeza a cura terá chegado, seja esterilizante e/ou funcional.
    Opino que quase 100% de nós vai morrer com o fígado, rins, pâncreas e SNC funcionando, bem cansadinhos, pois estaremos bem velhos quando isto acontecer.

    Vamos nos cuidar e vamos viver muito.

    • D_Pr diz

      Oi Binhomais…

      Me desculpe o não entendimento,

      “…ontem falei muito com meu infecto, perguntei do desenvolvimento da aids em indetectáveis que se cuidam, ele me foi muito franco afirmando que outras situações podem trazer a morte…”

      Ele também descarta a possibilidade que o HIV vai nos matar, caso nos cuidemos? O meu descarta e foi assim que interpretei sua frase!

      • binhomais diz

        D_Pr, ele focou em dizer que ele não tem pacientes morrendo de aids pois, não perguntei se ele acha que eu posso morrer devido ser positivo, queria saber da segurança de estar no tratamento e do benefício de estar indetectável.

        Na próxima consulta eu pergunto se ele acredita que o HIV ainda pode matar quem se trata e se cuida, sei que ele admite que há quem morra devido avanço para aids, mas de repente estes são os negacionistas ou caras que nem se tratam e nem se cuidam.

    • Notini diz

      Estranho dizer que uma pessoa indetectável com o CD4 alto pode desenvolver a Aids. Ate o momento que eu saiba, as diretrizes para considerar AIDS é ter uma ou mais doença desenvolvida pela imunidade baixa + cd4 abaixo de 200. Nao consigo entender como pode considerar uma pessoa idectevel, com CD4 alto com AiDs. Isso é estranho.

      • vivendopositivo diz

        Notini, me assustei ao ler mas depois fiquei pensando sobre isso, realmente como pode alguém com CD4 maior 1.000/mL não conseguir dar conta de uma CV indetectável de no máximo 20/30/40 cópias/mL? O infectologista que vou me disse com todas as palavras, quem tem diagnóstico precoce, adere ao tratamento e reage como esperado NUNCA terá AIDS, e não acho que eles combinem entre si de mentir sobre isso. A situação deve ser de fato com pessoas que descobrem tardiamente e apresentam um comprometimento em recompor a imunidade, por mais que já estejam indetectáveis há meses. (Quem frequenta o JS há meses, já deve ter visto comentários pessoas assim).

  17. gustav diz

    Oi gente, tenho 22 anos e fui diagnosticado a uma semana

    gostaria de conversar com pessoas soropositivas também
    saber um pouco como é a vida

    alguém pode deixar o skype?

    desde já agradeço

  18. Renato diz

    Pessoal, alguém que esteja em uso do 3 em 1 e que tenha trocado o laboratório (de fabricação/importação) na hora de retirar uma nova remessa?

    É tranquilo? Sendo a mesma combinação (tenof / efav / lamiv) apenas outro laboratório?

    Abraço a todos!

  19. Pequena + diz

    Gente mais ânimo 😉

    Fui conhecer uma ONG onde acolhe pessoas com sangue azuis em minha cidade.
    Fui como voluntária em um projeto social.
    Me receberam bem escutei relatos de vida incríveis, histórias tristes e lá conheci uma moça que vive a 22 anos com o hiv. Super saudável, vida normal, de bem com a vida.
    Quer coisa melhor para nos dar uma injeção de ânimo 🙂
    Existem todo tipo de pessoas: otimistas, pessimistas, desanimadas, mas que apesar de tudo, continuam com vontade de viver, assim como todos nós que frequentamos esse blog.
    Não podemos nos abater por algumas palavras escritas em um texto e perder a esperança da tão sonhada cura e dos benefícios que o tratamento nos trás 😉
    Imagina se não existisse o tratamento, o que seria de nós 😦
    Tenham fé, força e foco sempre ❤
    Um forte abraço da Pequena +

    Ps:Três semanas de tratamento e tudo joinha, nenhum efeito colateral, dormindo normalmente, nenhuma alteração de humor, nenhum sonho com animais de neon.Na segunda semana de tratamento retornei a uma consulta com meu infecto onde ele disse que estou super bem, e que por estar psicologicamente bem, ajuda bastante a não ter efeitos colaterais.
    Feliz da vida ❤

    • Enquanto há vida, há esperança. diz

      Pequena+ como sempre dando um show de bola nos comentarios, só tenho a te agradecer por ser essa pessoa tão boa, como já te disse por email você me ajudou muito no começo e só tenho a te agradecer….PARABÉNSSSSSS

  20. Brumo diz

    Oi, galerinha… Temos o exemplo da ativista hiv/aids Silvia de Almeida que convive com o vírus a mais de 20 anos e está super bem, um exemplo de luta, chegou a tomar 24 comprimidos por dia e tal.. Vamos tentar viver sem neurose e stress pois um dia a cura chegará… Enquanto não vem, vamos meter a cara no couve, beterraba, kiwi, água, leg press, supinos da vida, e claro, nas nossas vitaminas kkkk Bom fds a todos!! Bjão.

  21. M. diz

    Torço muito pela cura funcional ! Ela me parece muito paupável. A cura esterilizante (se deus quiser) virá, mas confesso que de inicio já ficaria muito satisfeito com a funcional… parece tão perto!
    Acho que temos muito que agradecer que hoje o HIV não mata mais as pessoas que tem acesso ao tratamento, uma cura funcional daria ainda mais qualidade de vida as pessoas que foram infectadas e a cura esterilizante viria depois para coroar a vitória do homem sobre o HIV! Aguardando mais boas notícias e espero que essas direções assertivas sejam tomadas rapidamente! \o/

  22. Mutatis Mutandis diz

    Quero só saber quem é que precisaria de fato de uma cura esterelizante?!?!

    Se tiver a funcional já tá ótimo demais…alguém aí tem o vírus da catapora dentro de si? Eu tenho e nunca mais ela se manifestou! Aliás, quem teve catapora nunca mais tem de novo, o corpo aprendeu a se defender! Não sei se com o HIV será assim, mas vamos parar de exigir cura-isto ou cura-aquilo, a que vier está bom demais!

    Vamos é mudar de atitude na vida, deixar de confiar tanto em si mesmo ou então nos outros…saber que riscos existem e que a adrenalina, ou paixão, ou qualquer outra reação química no nosso corpo que nos dê emoção tem seu preço; e que no dia que for cobrado não adianta choramingar muito, porque no fim das contas a conta é nossa mesmo!

    “Viver é uma dádiva fatal! No fim das contas ninguém sai vivo daqui, mas vamos com calma…” (Renato Russo)

    • Fênix diz

      Se fizesse um levantamento de quantos vírus e outros microrganismos estaoentro de nós de forma crônica e sobre controle deixaríamos de ter essa obecessao com a cura esterelizante. Até porque uma das maiores descobertas desse século e o de que nós humanos somos na verdade um microbioma onde apenas 10 porcento dos genes são e origem humana os outros noventa são de dna e rna viral, bacteriano, fungi e etc.

  23. Ronan diz

    Oi gente, preciso de um conselho! Fui diagnosticado em fevereiro e pela primeira vez estou me relacionando com alguém desde então. Quando é a melhor hora de contar da minha condiçao? To com muito medo da reaçao dele e não sei como contar 😭 E o pior de tudo é que na quarta a noite a camisinha estourou (ele era o ativo no caso), eu sou indetectavel mas mesmo assim estou sentindo um sentimento de culpa tremendo!

  24. HenriqueSC+ diz

    Boa tarde pessoal 🙂

    Preciso de uma ajuda, pois estou muito deprimido com esta situação toda.

    Primeiramente gostaria muito de parabenizar o blog do JSP, pois foi através dele que consegui encontrar conforto e não surtar desde que descobri minha sorologia. Também gostaria de parabenizar todos aqui que estão dispostos a ajudar, dar força, incentivar e todos cheio de vontade de viver.

    Minha história começou na semana passada (segunda), quando num exame de rotina fui diagnosticado +. Pelos meus cálculos e lembranças, fui infectado a +- 1 ano.
    Os sintomas para me levar a buscar um hospital foram bem leves… uma quadro febril que persistiu por 1 semana (37,8), náuseas e uma dor de garganta irritante que não passava, fora isso, tudo OK, tanto que não me atrapalhava em nada no meu dia a dia, muito menos no trabalho.
    Então, quando recebi a notícia do clínico geral do PS, fiquei em estado de choque (e confesso que estou ainda), e mesmo hoje estando um pouco melhor, confesso que a ficha não caiu ainda.
    Após receber a notícia, eu desabei. Durante o restante da semana passada fiquei um lixo, pra baixo e não consegui fazer NADA, a não ser sentar, chorar e me culpar. Obviamente no trabalho todos perceberam que algo estava errado, pois sempre fui bem humorado, brincalhão e no dia seguinte estava um zumbi e totalmente fechado, tentando apenas cumprir meu horário (sou engenheiro) e tenho 36 anos.
    Bom, durante a semana sem ainda postar aqui, me identifiquei muito com a história do FG-PR, HoPE, entres outros. Moro junto a 3 anos, e por sorte assim com o FG-PR e HoPE, minha mulher não foi infectada (fizemos um PCR e ficou pronto ontem), e por sorte deu negativo. Sou um grande fã do caradobemsampa2, Cara+ e de todos que sempre estão dispostos a ajudar nesse momento de tensão pós-diagnóstico, que é um momento tão terrível e avassalador, pois não sabemos nada sobre o assunto.
    Confesso que hoje o que me motiva seguir em frente é o apoio que estou recebendo da minha mulher, e isso talvez seja o que vai me fazer lutar muito contra essa doença.

    Fui a meu infectologista pelo meu plano de saúde, onde fui muito bem atendido. Logo de cara, como ele viu que eu estava bem de saúde, ele me pediu uma bateria de exames que já os fiz, mas ficam prontos somente semana que vem. Quando eu retornar e ele tiver os números em mãos, ele vai analisar a situação e determinar o melhor tratamento com os ARVs.

    Agora vem minhas duvidas e medos, e gostaria de um help de vocês:

    Não estou conseguindo mais trabalhar direito, e isso me preocupa.
    Estou extremamente desanimado, chorando muito e com um sentimento mortal de culpa.
    Não consigo mais sair com os amigos (sempre dava uma volta aos sábados a tarde), agora a vontade é zero.
    Não consigo dormir devido a um pânico terrível durante a noite, então fica perambulando pela casa.
    Meu psicológico está a 1 milhão por hora, e não consigo mais nem raciocinar.

    Abraço a todos e desculpe o desabafo galera!

    Ps: Como funciona o grupo no KIK ? Gostaria de participar.

    • FG-PR diz

      HenriqueSC+ tenta não ficar paranóico, também senti o mesmo que vc tá sentindo, mas procurei me informar e com o apoio da minha esposa superei, hoje após 10 meses do diagnóstico minha está absolutamente normal, família, trabalho e vida social tudo normal, essa sensação vai passar. E quanto ao trabalho tente usar ele como uma válvula de escape, se que não é fácil mas é necessário para continuar a viver. Bola pra frente e vida que segue.

      • HenriqueSC+ diz

        FG,

        Valeu cara, de coração mesmo!

        Fico feliz em saber que você está bem e que conseguiu superar e retomar sua vida normalmente com apoio de sua esposa.

        Minha maior preocupação é o meu psicológico. Cara, não tens noção de como tenho medo do meu psicológico me derrubar (espero superar isso).
        Vou fazer o tratamento corretamente, seguindo todas as orientações e o levando a RISCA. Sempre tive boa tolerância a medicamentos, e torço para não sentir muitos efeitos colaterais.
        Só uma dúvida: Li em um de seus posts que você aderiu a uma combinação menos nociva ao organismo correto? e que só lhe deixava com os olhos amarelos (mas não lembro a combinação).

        Abraço!

        • FG-PR diz

          Na verdade é uma combinação que causa menos esfeitos colaterais, são medicamentos mais novos em relação ao Efavirenz que é usado no 3×1 e consequentemente são considerados “melhores”, principalmente por não alterar níveis de colesterol, glicose e também não causar depressão, lembrando que não são em todas as pessoas que o Efavirenz provoca esses efeitos. No meu caso só tive um desconforto estomacal no início e olhos levemente amarelos no início, hoje não sinto mais nada, é mesma coisa que eu estivesse tomando uma aspirina. A combinação é Atazanavir+Ritonavir+Tenofovit/Lamivudina, quando for escolher o esquema discuta com seu infecto todas as possibilidades, essas é uma delas, não fique com medo de perguntar e escolher a melhor opção, é um direito seu. Essa combinação tem a facilidade de poder ser tomada pela manhã antes do café da manhã, isso ajuda muito pois a noite vc pode sair sem se preocupar em tomar o remédio e pode beber sem nenhum problema. Se quiser bater um papo me adiciona no Skype fgmgapr. Não estou sempre online mas deixa um recado que entro pra batermos um papo. Conversar ajuda bastante.

          • HenriqueSC+ diz

            Valeu brother!

            Vou conversar com meu infecto sobre às combinações quando retornar com os exames.
            Obrigado por passar seu skype. Amanhã mesmo já lhe adiciono.

            Abraço!

            • Uma cervejinha num churras na tarde de sábado de boa. Beber horas próximas, antes ou depois de tomar a medicação, sobrecarrega seu corpo. Encher a cara é muito ruim para qualquer um…

            • Gustavo, é claro que você pode beber!! Só não vai encher a cara!!.rs
              Ahhh e beba antes de tomar a medicação!!

  25. Gil diz

    OLÁ PESSOAL!

    Uma coisa é certa: tudo pode acontecer. HOje se está bem, amanhã, se descobre uma doença terminal na gente, como já vimos. Hoje alguém está condenado, amanhã curado.
    Hoje saudáveis, amanhã, adoecidos. Uns adoecidos, amanhã, curados! É a vida!
    Mas as chances de um soropositivo bem tratado, se cuidando, animado, com planos, com CD4 alto e com carga viral baixa se complicar e desenvolver é uma chance muito baixa.
    Alguns soronegativos sempre tem suas perebas e piripaques, tem gente com “dor que anda”, tomam quilos de remédio e vão morrer com 99 anos, dormindo, após uma vida ameaçando morrer e incomodando a família…
    Meu professor de tenis é hipertenso e toma todo dia um comprimido há 20 anos… outros, diabéticos. Uns tem enfarte, outros AVC e outros hipertensos nada têm.
    Assim como o diabetes, uns amputam, outros entram em choque e a maioria, como os hipertensos tratados, não se comprometem… tudo pode ocorrer.
    Viajar é arriscado? Em estradas e nos aviões, ora…
    É uma ameaça ter HIV no sangue? Sim e não.
    Sair nas ruas do Brasil, é ameaçador? Sim, e sim! Mas a maioria chega onde quer, e viva.
    Tratar com antiretrovirais é uma ameaça? Sim e não.
    Gordura ameaça, triglicerídeos ameaçam, venenos nas verduras ameaçam, as ruas ameaçam, um surto psicótico ameaça. Atendi, anos atrás uma mãe que estava com o filho de 5 anos e a louca do bairro, a andarilha maluquinha inofensiva surtou e empurrou o menino debaixo do ônibus… outro surtado esfaqueou 5 em SC, há uns 10 anos…
    NO entanto, a vida segue e nós seguimos.
    Eu fui infectado por sangue em laboratório,uma monstra sem noção de mundo estava infectando de propósito, com mais sabe-se lá quantas pessoas (3 são sabidas), mas quantos vão no mesmo dia que um desafortunado e não são?
    Hoje é meu 4o dia de TARV. Sem efeitos colaterais.
    Treino tenis, corro, nado, brinco, brigo, meu carro estragou, passei raiva com a assistência peugeot e a vida segue. Nossas rotinas precisam da gente.
    Se adoecer, me trato. Podemos ser mais racionais, podemos dominar o medo.
    Podemos ser maiores que as ameaças e prevenir, depois, se algo ocorre, nos tratar.
    A imensa maioria dos soropositivos vai viver pra ser curado ou comn o virus controlado.
    Esta é a verdade, mas para isso, precisamos nos cuidar, de preferência, um pouco mais que o normal.
    Eu, em particular, estou com muito medo, mas li muito, procurei um psicólogo e, também, na medida do possível. Relaxando, autohipnose, mentalização de pensamentos agradáveis, pois são técnicas que eu indico aos meus pacientes e que os ajudam muito.
    Mas o medo nos preserva e nos protege, também.
    Com o tempo, vou dando umas dicas por aqui, se alguém quiser.
    Somos humanos, somos fracos e falhos, mesmo quando fortes e espertos. Parem de tensionar por algo que não dominamos (cura) e de se cobrar por possibilidades negativas que chegam mais facilmente se estivermos em pânico… um abraço, vamos viver bem o sábado e o domingo.

    • fernandescarioca diz

      Belas palavras Gil, você é psicologo ? Só por curiosidade qual a sua idade. Você é de qual Estado ? Não precisa falar a cidade por motivo de anonimato. Gostei do seu relato, também estou a há praticamente 2 meses com o TARV, no meu caso foi também uma fatalidade, sempre me cuidei ao extremo, foi com um parceiro fixo o qual tinha total confiança e na prática do sexo oral, (onde todos dizem que é o mais seguro, menos arriscado, 1% ) não atentei para um dente que quebrou um pouco e que necessitava de trat. de canal e tinha uma pequena cárie.e plano de saúde demorou autorizar, nunca fiz sexo com penetração na minha vida sem camisinha, foi uma fatalidade o meu caso, tinha tanto cuidado que nunca vi imaginar que um dia iria contrair esse vírus. Não procurei. Foi um deslize, uma rasteira da vida que tive por uma bobeira. Alguns dias até pensei em procurar um tratamento psicológico no meu plano de saúde. Lendo o seu caso é mais revoltante ! Fé em Deus ! Com ele podemos tudo ! O Ser humano é falho, erra, porém não podemos nós entregar, fico triste, ontem chorei, rezei, mais sei que continuo vivendo apesar de carregar um vírus em que os números estão baixando e tenho esperança no futuro e confio na terapia. Não é o fim do mundo ! Um grande abraço.

    • Salvador diz

      Bravo!!!! Muito bom. A vida é isso aí. Viver com um balaio de “se” e “será” na cabeça é que não dá.
      Um bom fim de semana.

    • vivendopositivo diz

      Gostei bastante do seu comentário, soube ponderar os pontos positivos e negativos.
      Você é cognitivo-comportamental?

  26. Pessoal não vamos desanimar com essa pesquisa, até pq existem grandes exemplos de pessoas que vivem anos com o vírus, estando muito bem de saúde, conheço uma soropositiva q foi contaminada de forma vertical, faz o tratamento com o TARV desde de os 6 anos de idade, tendo hoje 20, e nunca teve nenhum problema grave, vive alegre, bem, só vai ao hospital para as consultas semestrais e pra pegar os medicamentos, (exemplo que o tratamento funciona e muito bem rs) claro que ela gripa, e td mais, até pq todo ser humano corre esse risco, afinal sendo positivo ou não, estamos vulneráveis a qualquer virose, vírus, bactérias e hospedeiros. em geral independente da sorologia ė necessário se cuidar e fazer nossa parte, pq o resto meus amores ė consequência. Vamos viver bem, com fé e sem desistir, pq muitas vezes precisamos de passar sim por provações que são dolorosas, mas tanto o bem quanto o mal tem o seu lugar… Por isso eu digo, viva bem e com muita positividade pq ninguém perde nada por isso. Bjos de luz a todos vocês

  27. HenriqueSC+ diz

    Boa tarde pessoal 🙂

    Preciso de uma ajuda, pois estou muito deprimido com esta situação toda.

    Primeiramente gostaria muito de parabenizar o blog do JSP, pois foi através dele que consegui encontrar conforto e não surtar desde que descobri minha sorologia. Também gostaria de parabenizar todos aqui que estão dispostos a ajudar, dar força, incentivar e todos cheio de vontade de viver.

    Minha história começou na semana passada (segunda), quando num exame de rotina fui diagnosticado +. Pelos meus cálculos e lembranças, fui infectado a +- 1 ano.
    Os sintomas para me levar a buscar um hospital foram bem leves… uma quadro febril que persistiu por 1 semana (37,8), náuseas e uma dor de garganta irritante que não passava, fora isso, tudo OK, tanto que não me atrapalhava em nada no meu dia a dia, muito menos no trabalho.
    Então, quando recebi a notícia do clínico geral do PS, fiquei em estado de choque (e confesso que estou ainda), e mesmo hoje estando um pouco melhor, confesso que a ficha não caiu ainda.
    Após receber a notícia, eu desabei. Durante o restante da semana passada fiquei um lixo, pra baixo e não consegui fazer NADA, a não ser sentar, chorar e me culpar. Obviamente no trabalho todos perceberam que algo estava errado, pois sempre fui bem humorado, brincalhão e no dia seguinte estava um zumbi e totalmente fechado, tentando apenas cumprir meu horário (sou engenheiro) e tenho 36 anos.
    Bom, durante a semana sem ainda postar aqui, me identifiquei muito com a história do FG-PR, HoPE, entres outros. Moro junto a 3 anos, e por sorte assim com o FG-PR e HoPE, minha mulher não foi infectada (fizemos um PCR e ficou pronto ontem), e por sorte deu negativo. Sou um grande fã do caradobemsampa2, Cara+ e de todos que sempre estão dispostos a ajudar nesse momento de tensão pós-diagnóstico, que é um momento tão terrível e avassalador, pois não sabemos nada sobre o assunto.
    Confesso que hoje o que me motiva seguir em frente é o apoio que estou recebendo da minha mulher, e isso talvez seja o que vai me fazer lutar muito contra essa doença.

    Fui a meu infectologista pelo meu plano de saúde, onde fui muito bem atendido. Logo de cara, como ele viu que eu estava bem de saúde, ele me pediu uma bateria de exames que já os fiz, mas ficam prontos somente semana que vem. Quando eu retornar e ele tiver os números em mãos, ele vai analisar a situação e determinar o melhor tratamento com os ARVs.

    Agora vem minhas duvidas e medos, e gostaria de um help de vocês:

    Não estou conseguindo mais trabalhar direito, e isso me preocupa.
    Estou extremamente desanimado, chorando muito e com um sentimento mortal de culpa.
    Não consigo mais sair com os amigos (sempre dava uma volta aos sábados a tarde), agora a vontade é zero.
    Não consigo dormir devido a um pânico terrível durante a noite, então fico perambulando pela casa.
    Meu psicológico está a 1 milhão por hora, e não consigo mais nem raciocinar.

    Abraço a todos e desculpe o desabafo galera!

    Ps: Como funciona o grupo no KIK ? Gostaria de participar.

    • HenriqueSC+, como vai?

      Pessoal, desculpem, mas vou escrever um texto longo.

      Henrique, seu dignóstico é recente, no começo é mais complicado. Um dia eu estava quase pegando no sono, quando me acordaram pra jantar eu despertei ao berros. Riram de mim, mas até hoje não sabem o por que da minha reação (disse que estava sonhando e que não conseguia lembrar o que era).

      Eu mudei bastante no trabalho. Meu desempenho deu uma abalada, mas com algum tempo me recuperei.
      Comentei por cima com minha chefe que eu teria que cuidar de minha saúde, pois, eu recebi um diagnóstico. Ela, ética como foi, não me pediu detalhes, só comentou para eu me cuidar e sempre que precisar de algo ou me ausentar é só falar com ela.

      Eu planejei meu tratamento de forma a não mudar minha rotina. Contei somente para uma pessoa do meu círculo de amizades (um advogado amigo meu). Eu não me importo de falar que tenho sangue azul para profissionais de saúde, por sinal, muitos deles nem dão bola para o assunto (só um clínico geral que surtou quando eu estava com o rash cutâneo_ ele estava com mil vezes mais medo que eu kkkkkk).

      Nosso psicológico melhora até que bem rápido, claro que de vez em quando rola umas crises (tipo eu ontem_ um amigo me deu uma tequila barata affff, daí meio que surtei). Mas sempre que estou sob condições normais estou bastante fortalecido (fui diagnosticado em jun/14 e coloquei a cabeça no lugar, na medida do possível, em set/14, quando tive a segunda consulta com meu infecto e ele pediu exames para dali dois meses, quando então decidiria pelo início ou não do tratamento).

      Eu acabei ficando mais compreensivo em relação as pessoas, pois, sempre tendo sido um cara que outros admiravam, alguém que sempre tirou elogios de todos, estava eu ali, frágil, perguntando a mim mesmo por que eu errei, por que fiz coisas que racionalmente eu sabia que não devia.

      Não estou próximo aos meus amigos também, a vida nos afastou um pouco, não tem nada a ver com o HIV (então, dê um tempo para sí mesmo em relação a eles e logo você se recuperará e estará de boa com eles).

      É duro lidar com isto nos primeiros dias e semanas. Eu queria um abraço, um cafuné, mas como se não contei pra ninguém? Então eu vinha muito aqui no blog do JS e lia posts antigos e seus comentários. Passei um mês indo dormir por volta das duas da manhã só lendo posts e comentários, muitos me acalmavam e vários me divertiam. Acredite, a gente consegue rir de algumas coisas relacionadas à nova situação depois de um tempo (a Vida riu tanto de mim quando falei que contei pro meu amigo advogado, eu fui procurá-lo para fazer meu testamento, achando que iria morrer… daí ele me conta que já namorou um soroposito por quase dois anos, que quando fez o teste ele desmaiou por que mandaram ele para uma salinha lá do fundo no final do corredor_ ele deu não reagente, mesmo namorando um indectável o cérebro e instinto humano se desespera, para muitos é só medo e não preconceito).

      Henrique, não dá pra te dizer que mantenha a calma. O que eu te aconselho é, chore tudo o que você tem pra chorar… não guarde a mágoa dentro do peito, externalize-a. Uma hora as lágrimas diminuem ou cessam, daí você estará melhor.

      Você passa a ter uma nova agenda, algumas consultas por ano, alguns coletas de exames e algumas passadas na farmácia para pegar suas vitaminas (isso se não for tudo no mesmo lugar). Cuidar da alimentação, praticar exercícios, dormir bem e não abusar de nenhum vício, é coisa para todos fazerem.

      Receba um abraço virtual, o tempo irá conspirar a seu favor.

      Estamos aí.

      • HenriqueSC+ diz

        binhomais,

        Muito obrigado pelas palavras cara, e pelo seu tempo de redigir o texto. Assim como todos os textos que lemos aqui, é muito confortante para nós, sejam eles direta ou indiretamente.
        Quando descobri, confesso a você que a primeira coisa que pensei foi procurar um advogado também ao invés de um infecto hehe

        Eu sei que parece um clichê, mas está ocorrendo. Resolvi tirar um cochilo agora a tarde, pois a insônia a noite perpetua, sendo assim, sinto sono durante o dia. Então, após 1hr de cochilo, levantei assustado, com um pânico terrível, e pra variar, lá estava eu novamente me culpando e tentando entender como fui estúpido e torcendo para ser um pesadelo, mas sabemos que não é. O que eu fiz? Estou aqui novamente lendo e buscando forças além da minha mulher 🙂

        Me identifiquei muito na parte do seu relato em relação ao trabalho, pois mesmo não falando pra ninguém de lá (e nem vou falar), meu chefe também é tranquilo em relação a isso, e tenho certeza que entenderia se eu precisasse de uns dias de folga. Quando você mencionou que falou com sua chefe e ela concordou se necessário você se ausentar, é porque você não está bem? ou apenas para dar um tempo pra você mesmo? Não sei em relação a você e aos outros, mas eu particularmente prefiro continuar trabalhando, mesmo que seja meio pra baixo, pois como você disse, isso deve voltar ao normal, e pra mim estar com a mente ocupada é importante, embora neste momento a minha mente infelizmente esteja dominando meu corpo.

        Outra coisa que me deixa profundamente triste é que em janeiro deste ano fechei um pacote de viagem com minha mulher para julho (mês que pego férias), e vou ficar 10 dias fora. Confesso a você que estava tão, mais tão feliz com está viagem, que ficava contando nos dedos os dias… aí então… a triste notícia! Hoje nem penso mais na viagem, e na realidade só vou mesmo porque já paguei o pacote todo.

        Desculpe a todos estar sendo um fraco, mas é muito recente ainda.

        Então, falando um pouco de ARVs, li aqui que cada pessoa reage de uma forma em relação aos efeitos colaterais, outros nem os sentem. Como sou recém diagnosticado, ACHO que provavelmente deverei iniciar com o 3×1, mas preciso aguardar meu médico. Gostaria de saber se tomando os medicamentos e seguindo o tratamento a RISCA, sem falhar e nenhuma orientação médica e tendo uma vida plenamente saudável, a expectativa de vida é boa?
        Em relação as consultas… não pretendo trocar meu infecto, pois senti muita confiança nele, e meu plano cobre as consultas particulares no consultório dele, sendo assim, me sinto melhor com ele. Sempre ouvi falar dele aqui na cidade, mas nunca pensei que fosse precisar (infelizmente estava enganado), mas por sorte parece é um grande profissional.

        Abraço a todos!

        • Henrique, no começo achei que talvez eu precisasse chegar mais tarde, sair mais cedo, enfim, reorganizar constantemente meus dias no trabalho. Mas não foi o caso, uma vez cheguei meia hora mais tarde e uma vez tive que sair meia hora mais cedo, isso por que estou para fazer meu primeiro aniversário de diagnóstico (para ver como nem mexeu nas minhas rotinas).

          Parece que você tem uma infecção recente, provavelmente não terá nenhum ou caso tenha algum efeito colateral serão mínimos e passarão muito rápido, acredite. Seu corpo deve estar muito bem, digo, por ser recente não deve ter comprometido sua imunidade e tal.

          Expectativa de vida? Quem está em TARV provavelmente irá continuar com a medicação por poucos anos mais, logo logo haverão alternativas. Tenha certeza, você vai morrer bem velhinho e com a pele toda enrugadinha.

          • HenriqueSC+ diz

            binhomais,

            Valeu cara. Obrigado pelas informações e ajuda.

            Assim que eu tiver meus resultados posto aqui.

            Abraço!

      • Binho, faça o favor de lembrar da Vida na hora de fazer o testamento,tá?
        Nem que seja pra você deixar a Narceja pra mim..rs.

  28. vivendopositivo diz

    Gostaria de fazer um comentário/resumo sobre essa pesquisa HTPN 052 que chegou a conclusão da eficácia de 96% da não transmissão do vírus em casais sorodiscordantes; Fui ler a pesquisa e trata-se do seguinte. Esse dado de 96% é bastante questionável. A carga viral média era 25.200 copias/mL do parceiro contaminado ao inicio da pesquisa, 97% era heterossexuais, o CD4 deles era entre 350 e 550/mm³, dos 1763 casais sorodiscordantes , 886 começaram a TARV imediatamente ao início da pesquisa, e 877 apenas começavam tomar apenas quando apresentavam CD4 abaixo de 250/mm³ ou alguma doença relacionada à AIDS. Eles foram orientados sobre sexo seguro e tinham a disposição preservativos, ocorreram 34 transmissões totais, 4 no grupo que iniciou imediatamente TARV e 28 no grupo que recebeu posteriormente. Só que destes, foi confirmado por análise genética que 28 contraíram de fato DO PARCEIRO. Sendo que APENAS 1 foi no grupo que iniciou imediatamente a medicação. Esta infecção do grupo iniciado imediatamente a TARV foi identificada em três meses do inicio da pesquisa, e todas as outras transmissões do outro grupo foram identificada ANTES de se iniciar a TARV. Destas 28 infecções, 82% ocorreram na África, 67% de quem se contaminou era a mulher. A carga viral assim que foi identificada a transmissão estava em média em 79,432 cópias/mL no grupo de 27.
    APENAS 1 CASAL DOS QUE INICIOU IMEDIATAMENTE A TARV, DOS 886, HOUVE TRANSMISSÃO DO HIV VINDO DO PARCEIRO. Nessa pesquisa não foi computada quantas das vezes era sexo sem preservativo, nem quantos deles estava indetectável. Levando em conta nossa experiência aqui do site do JS em 3 meses a grande maioria dos que se manifestou aqui ficou indetectável (desde janeiro só vi dois casos que não estavam). De onde tiraram a eficácia de “apenas” 96% de não transmissão? Foi apenas 1 de 886. Aguardo manifestações.

    • vivendopositivo diz

      Dos 100% (28) contaminados , 27 (96%) não tomavam a medicação;
      Mas ainda acho questionável essa porcentagem em como foi divulgada.

    • vivendopositivo ,

      Esse único transmissor dentro do estudo provavelmente não estava indetectável. Ele tinha acabado de começar a TARV. Ele foi contabilizado na porcentagem do cálculo final porque o objetivo do HPTN 052, primeiro, era ver o impacto do tratamento iniciado cedo, e não o indetectável.

  29. Dere diz

    Boa noite galera, depois de 3 meses com o 3 em 1 hoje descobri.. estou indetectável… super feliz.. nenhum problema de saúde tudo ótimo nos exames.. muito feliz… vida renovada, saudável.. agora só cuidando ainda mais da saúde, no resto tudo normal…..boa noite a todos!

    • Pequena + diz

      Parabéns Dere 😉

      Fico feliz por vc ❤
      Vida que segue!!!
      Um forte abraço da Pequena +

  30. Gil diz

    OLÁ FERNANDES CARIOCA!
    Sim, sou psicólogo, 42 anos, moro numa bela capital nordestina, recentemente saí do Sul.
    Não estou muito preocupado com o sigilo, estou pensando em abrir para todos, mas ainda não.
    Mas se me perguntarem, digo a verdade. Mas para meus filhos não serem vítimas de preconceito, ainda evito. Não cometemos nenhum crime. Não me colocarei na posição de vítima, mas vou atrás da (ir) responsável por infectar sabe-se lá quantos.
    Também não tive tempo nem vontade de chorar por mim. Me emocionei duas vezes, por depoimentos dos colegas daqui.
    Minha esposa, que não se infectou, me dá incrível força sempre, em tudo, agora, ainda mais!
    Sempre atendi soropositivos (no Sul) e agora, estou do outro lado da situação. Eles estavam bem, tomavam retrovirais. Me lembrei muito deles, da força que buscavam e que recebiam. Do meu otimismo, do que dizia a meus alunos da universidade, quando falavam de seus problemas. Eu tinha essa força (não, não sou o He-Man), tenho esta força, o choque passou, não morri e não morrerei com este vírus. Mas claro, dá angústia de depender dos outros, de um futuro incerto…vamos viver o hoje, então!!
    Procure, sim, um bom psicólogo. Muitos que atendem por planos estão atendendo menos tempo que o previsto em lei, por receberem uma ninharia (falha técnica e ética). E outros, que aceitam atender por tão pouco que é pago pelo plano ao profissional, ou querem cobrar por fora (crime) ou limitam as vagas de plano (discriminação).
    Isso, sem contar que o pagamento tão baixo impede o profissional, na maioria das vezes, de se qualificar como deveria.
    Fique atento à qualidade do profissional e do atendimento dispensado,se não notar um atendimento que te faça pensar e repensar suas questões, se vier de aconselhamento moral, indução à fé religiosa, ditar normas… “fuja” e procure um outro profissional, nem que tenhas de ir em todos os credenciados ou mesmo pagar um particular.
    Para os soropositivos um psicólogo preparado faz a diferença para nossa melhor qualidade de vida!

    • desbravador diz

      Mas Gil, conte-nos mais detalhes sobre isso.Como assim você foi infectado com sangue em laboratório? Foi na coleta para exames? A pessoa estava aplicando com agulhas previamente contaminadas por ela? Conte-nos mais, porque isso foi uma das coisas mais assustadoras que li por aqui, inclusive para quem já tem o HIV; quer dizer, você está a mercê de um louco te reinfectar?????

    • Salvador diz

      Mais uma vez tenho que concordar. O apoio do(a) parceiro (a) e de um bom psicólogo são fundamentais. Eu tenho muita sorte de ter os dois, um parceiro e uma boa psicóloga cognitiva comportamental. Eles me ensinaram muito sobre dados de realidade.
      Um abraço e bom domingo.

  31. vpositive diz

    Alguém tem algum relato de problemas cutâneos (rash) devido ao uso do antiretroviral 3×1? O medicamento deve de ser substituído ou os rashs cutâneos sumiram após o organismo acostumar?

    • vivendopositivo diz

      vpositive, pelo visto você é novo aqui. A maioria das pessoas apresenta rash de alguns dias a semanas por causa principalmente do efavirenz. o meu durou 49 dias, e dependendo da gravidade e extensão da alergia é feita a indicação de troca. O esperado é o organismo se adaptar ao remédio e a alergia sumir logo, um antialérgico diminui os sintomas.

    • fernandescarioca diz

      Estou tendo nas costas, pequenos rash vermelhos. Estou tomando anti alergico.

  32. Guerreiro Azul diz

    Boa noite,
    Alguém em algum determinado momento sente o corpo muito quente tomando o 3×1?

    • DD+ diz

      No começo EU senti SIM…agora dos de qse 3 meses nao sinto absolutamente mais nada. Abs

  33. Gil diz

    OI DESBRAVADOR,
    Eu fiz um exame de sangue porque fui chamado no concurso público. NO grupo do facebook dos aprovados falavam da tal Policlínica XXX, que era rápida e barato, fazia toda a listagem dos exames. Não conhecendo nada da cidade, fui lá…
    Bem, a policlínica era imunda, cheia de gente muito simples, indo pelo preço. A mínima noção de higiene se notava lá.
    Eu sou casado, monogâmico, não fiz sexo inseguro, tinha outros exames pré cirúrgicos dando negativo. Não vi a seringa que a moça colocou, só me chamou a atenção a moça tensa, mas com tanta gente, um atrás do outro… vá lá. Não olho para a agulha, virou o rosto, por ter pressão baixa, estar em jejum, medo de apagar (desmaiar).
    Bem, duas semanas depois tive uma gripe, perto do Natal, Não era igual outras gripes, pois não tinha coriza. Aqui falam em muita virose… logo depois, veio uma alergia que me empipocou todo. Passei Natal e Ano-Novo de molho. Logo saiu isso tudo.
    Já suava à noite, aumentou muito. Comecei a me sentir mais fraco, tive diarreias fortes agora em abril, no início, fui ao hospital duas vezes.
    Fui fazer exames, pedi ao amigo médico para realizar hemograma completo, vitaminas…
    Aí, deu HIV…Mas deu sífilis, hepatite B, toxoplasmose, citomegalovirus: tudo IgG, ou seja, cicatriz imunológica, com IgM negativo, mas indicando contato com estes vírus.
    Meu corpo conseguiu debelar as outras infecções, mas o HIV, não.
    Não tive contato sexual mais frequente com minha esposa, umas duas ou 3 vezes até o Carnaval. Depois deu uma discussão, viajei, eu estava doente uns dias, paramos uns 70 dias.
    Ela deu negativo pra tudo. Ufa…
    Os médicos disseram que, pela reação imunológica, pela taxa de proteína C, pelas CD4 ainda altas, pelo elevado nível de anticorpos, é uma infecção recente.
    A data de exames fecha com a reação retroviral inicial do corpo por HIV.
    No Hospital de Referência da minha cidade veio um menino de 10 anos, que estava mal e deu HIV e a mãe negativa, nega violência sexual, afirma que não houve nada assim. Eu vi, eu falei com a mãe, assim que a assistente social terminou de falar com ela.
    Onde ele fez exames no final do ano 2014? Na mesma policlínica.
    Uma colega aprovada no concurso, que entrou comigo está com sintomas de várias doenças, está de atestado, só chora, nada disse, ainda, mas creio que ela deve saber de algo da saúde dela não falado, ainda… Onde fez os exames? Na policlínica, mesmo dia que eu…
    E se nunca tive estas doenças, como pegaria todas assim, transaria com puta de cais de porto?
    E com tantos agentes infecciosos liberando meus antígenos em tais números, juntos, como?
    Não tive nenhum sintoma de sífilis, nada de DST… mas constava que tive contato e me curei, tinha os anticorpos. Hepatite B, também… Como?????
    A enfermeira infectologista disse que as características são de contágio por sangue.
    Se é ou não, tudo bate… e como provar?
    Se mais casos aparecerem, das centenas que lá fizeram coleta de sangue, teremos certeza.
    Já comuniquei a Vigilância Sanitária e o Centro de Assistência do Hospital de Referência e vou ao MPE.
    Mais reclamações desse lugar vieram, isso já disseram na hora que denunciei.
    Agora, provar, é difícil, não é uma ação coletiva de uma gang. Se for é uma pessoa que tem alguma péssima intenção.
    Uma amiga já ouviu, na espera de um hospital, isso lá no Sul: a moça atrás dela sussurrando à amiga: Tenho sim, vou me foder toda, sim, mas vou levar muita gente comigo pro inferno…
    Imagina uma dessas num hospital ou num laboratório?
    Há casos horripilantes na saúde: um pessoal que eu dei aula, num estado vizinho, me mostrou a gravação das meninas do estágio em enfermagem, que flagraram as efetivas trocando medicações e não desinfectando a ferida de enfermos idosos, num esquema para facilitar amputações, liberar leitos pelo óbito de quem já estava com o “pé na cova”…
    E no que deu? EM NADA!
    No que vai dar a minha denúncia (nem provas eu tenho!)?? NADA!
    Desculpa o desabafo, mas tudo é tão recente, estou meio indignado…

    • D_Pr diz

      Gil,

      Que história, estou surpreso, triste e decepcionado com alguns “semelhantes”! Mas agora é tocar o barco, e fazer o que podemos nesse momento que é manter bem a saúde!

      • fernandescarioca diz

        Deus sabe todas às coisas. Acredito muito em Deus ! Sou Católico. É o dia que essa infeliz partir… ela dará conta de toda maldade, ruindade, vingança e desgraça feita com o seu próximo. Nós estamos aqui de passagem ! Eu expliquei meu caso acima como foi a minha forma de contaminação também de forma banal, estúpida que muitos dizem ser praticamente nula, mas acontece, sexo oral, pois sempre me cuidei sexualmente e assumo meu erro, culpa, falha. Sempre Amei a vida e Preservo a minha ao máximo e continuo com mais vontade de viver, quando descobri minha sorologia em março de 2015, Estava com viagem marcada para Foz do Iguaçu para ver minha amiga, que não há vejo desde 2012, deixei isso tudo pra trás vôo, milhas, perda de dinheiro… , pensei em 1º (primeiro) lugar na minha saúde o nosso maior Bem e todo Ser Humano. Comecei realizar uma bateria de exames, RX etc e queria urgência em iniciar a terapia, devido o medo, a desinformação, sintomas, angústia no peito, pra quando fosse ao Infecto, está com tudo na mão, foi o que fiz…Ele me tranquilizou isso hoje em dia não é um Atestado de Óbito, você tem uma doença crônica e tem tratamento, apenas se tratar. Passei numa Vestibular no final de 2014 pra cursar Biologia, numa Universidade Pública do Estado do RJ, perdi as primeiras provas que foram no final de março, pois não tive condições de estudar e fazer uma boa prova, pois não esperava isso…somos de carne e osso, qualquer Ser Humano por mais equilibrado que seja ficaria abalado e até mesmo um amigo acima com formação em Psicologia ficou… Sempre tive muito medo de contrair o vírus e hábito de realizar exames de rotina hemograma, glicose etc e preventivos sem medo e o último Hiv tinha sido feito em dezembro 2014 dando com não reagente, pois sabia dos meus atos. Procurei entender onde errei e relatei tudo ao meu Infecto essa possibilidade no sexo oral, uma pequena cárie sem ejaculação (apenas com o líquido da lubrificação) na minha boca, foi o suficiente e ele ainda falou mais: Isso só pode ter agravado, porque a própria mucosa labial não tem proteção. Nem por isso guardo ódio, mágoa, rancor no meu coração da pessoa, não tenho esse espirito de vingança ao meu semelhante e muito menos da pessoa que infectou-me. As pessoas não tem culpa dos nossos problemas, nossas ” cruzes ” que estamos carregando, passando… por mais forte que seja a turbulência, o tempo é o melhor remédio…ambas não merecem ser crucificadas, meu diagnóstico veio junto (na mesma) semana com o acidente do co-piloto que jogou o avião nos Alpes, pensei ele foi um covarde, fraco em mata pessoas inocentes naquele vôo. Jamais pensei em suicídio e jamais levaria o meu semelhante numa tragédia. Porque lembrei de Deus, da minha fé e suas palavras na hora da minha dor e sofrimento, só perdi conforta meu coração, porque foi uma dor no peito que jamais tinha sentido na vida e nem esperava sentir. Quando sabia de algum amigo que fazia sexo sem camisinha, além de conselhos, orientação, doava camisinha o qual pegava nos PS. Esse é o meu desabafo, já estou me sentindo melhor e inclusive já emiti novas passagens com milhas vou viajar cada vez mais… voar cada vez mais alto, estou indo a foz na 1ª semana de junho, aprendi que a Vida é Agora, Hoje, o amanhã pode não existir, então viva cada vez mais sem prejudicar ninguém, com sabedoria, respeito, honestidade ao próximo como se esse fosse o último minuto de sua vida, sendo positivo ou negativo. A Vida é agora e a certeza que temos é o hoje, agora, nosso presente ! Bola pra frente que tudo vai se normalizar na medida do seu tempo, porque toda dor passar… não é eterna, por mais forte que seja o vento da tempestade.

    • Gil sem querer criar polêmica, mas eu também só sosseguei quando confirmei onde e quando me contaminei também. Só como informação mesmo, a única forma de ter certeza que era uma infecção recente era pelo western blot, e ausência de algumas bandas. Carga viral e CD4 não são dados para médico algum dizer se é recente ou antiga (tem gente que mesmo depois de um ano tem cv de mil, e gente que na fase aguda passa a mais de cem mil). O infectologista me falou na primeira consulta apesar de eu estar com inúmeros sintomas da fase aguda, só pôde ser confirmado dias depois ser realmente fase aguda pelo resultado do WB. Você pode ter profundas suspeitas disso pelo fato das duas pessoas terem adoecido depois de terem feito exames lá também, e afirmar ser monogâmico e fiel. Mas outras doenças também tem sintomas semelhantes da fase aguda. Uma sugestão era tentar cruzar os dados do nome da técnica que coletou o sangue de vocês, identificar a sorologia dela (meio complicado isso), ela pode ter feito isso de forma dolosa (usando o sangue dela contaminado – já que num sangue armazenado o virus morreria em minutos), ou irresponsável sem usar material descartável novo. Sobre o iGG destas outras doenças, eles ficam reagente a vida inteira uma vez tendo sido exposto, e isso pode ter acontecido a qualquer momento da sua vida.

    • daime luz diz

      eu acho que uma denúncia sua ajuda bastante. vá onde for preciso. caso tudo se comprove evitará outras infecções e ajudará as pessoas que tb passaram por essa clínica e tiveram posteriormente o diagnóstico positivo a entender pq estão nessa condição, visto que muitos podem não fazer a mínima ideia de como tiveram tal resultado.

  34. Timóteo diz

    Tenho uma grande dúvida na diferença de ter hiv e ter aids. Há 7 meses fui diagnosticado com aids. Meu cd4 estava em 37, muito baixo. Tenho 35 anos. Sou homossexual. Pelo que um médico disse eu contrai o hiv há muitos anos. Contrai agoravestando com aids ao mesmo tempo tuberculose, sífilis e meningite. Fiquei mais de um mês internado. As três doenças oportunistas foram curadas. Não fiquei com sequelas. No hospital mesmo comecei a tomar os antirretrovirais. 3 meses depois fiz novo exame de sangue pra ver o cd4 e etc. Subiu pra 200. Fui diagnosticado como Indetectavel. A sobrevida de quem tem hiv seria maior de quem tem aids? Se quem tem aids não pode voltar a ser apenas hiv, qual seria a diferença? E por que fui curado se estava quase zerado na imunidade? Lógico que creio em Deus e no poder da oração. Gostaria de uma resposta baseada nos estudos referentes ao hiv/aids. Agradeço quem me trouxer essa luz. Às vezes dá uma tristeza silenciosa. Um abraço a todos.

    • vivendopositivo diz

      Timóteo, para quem há 7 meses estava com apenas 37 de cd4 e atualmente nos 200, você tem evoluído bem, provavelmente você já passou da fase mais crítica. Você se curou da tuberculose, sífilis e meningite sem nenhum antibiótico? Certamente você tomou remédios que o curaram, não foi sua imunidade sozinha que fez isso. AIDS é um conjunto de sintomas, não é uma “doença”. Passando dos 250 de cd4 e não tendo mais doenças oportunistas você perde o “rótulo” de AIDS. O que se espera é que como agora indetectável é você recuperar aos poucos a imunidade, mas a experiência médica mostra que ela PODE ser mais demorada em infecções antigas para alcançar níveis de pessoas soronegativas (entre 560-2700) do que pessoas que iniciam o tratamento com o contágio recente. Recuperando a imunidade normal (maior de 560), é de se esperar que você terá uma sobrevida semelhante a de um soronegativo, porque o que mata não é o HIV e sim a imunodeficiência que ele causa (AIDS) dando abertura para doenças oportunistas.

  35. Mauro dj diz

    Galera peguei a zika!!!
    Que negócio ruim…
    Alguém mais…já estou melhor dos sintomas primcipais mais a coceira já vai pro 15 dia…
    Alguma sugestão pois já tomei dois tipos de antialérgicos….

  36. RDV diz

    Bom dia. Faço uso de TARV (comprimido único) já há uns 4 meses. Tudo normal. Nunca senti nada. Sem efeitos colaterais. Entretanto, ontem à noite esqueci de tomar o comprimido e resolvi fazê-lo hoje cedo. Acontece que meu corpo ficou todo “pintado”. Estou cheio de pinguinhos pelo corpo todo, como uma reação alérgica. Estou desesperado. E, como é domingo, não tenho como procurar meu médico. Alguém sabe me dizer o que pode ser isso?

  37. Paulof diz

    Rdv

    Pouco provavel ser dos Arvs. Provavelmente eh uma virose ou una alergia a outra coisa!!! Usa um antialergico, caso n melhore procura emergencia!!! Pode usar loratadina ou Alegra de 120mg.

  38. vpositive diz

    vivendopositivo, sou relativamente novo por aqui sim (leio o blog a dois meses já), minha primeira postagem foi a uns 14 dias atrás relatando meu primeiro dia de 3X1, senti uma forte tontura ao acordar e tive refluxo após minha primeira alimentação do dia, nos dias restantes não senti absolutamente nenhum sintoma, eu já estava bastante confiante com o início do tratamento. Eis que no 11º dia, eu acordei com rashs pelo corpo e as manchas ainda persistem, não sei se paro com a medicação ou aguardo minha próxima consulta para ver o que o infectologista dirá.

    • vpositive, vá num pronto socorro, conte o que está acontecendo, eles provavelmente te receitarão anti-alérgico e talvez te dêm um anti-alérgico intravenoso no dia para uma resposta rápida, mas não pare a medicação sem falar com O SEU infecto (frizei que tem que ser o seu médico, pois, me recomendaram no pronto socorro a ir num hospital de referencia e o infecto de lá me pediu para parar)… se eu tivesse parado eu não iria ter a oportunidade de usar o 3×1, que vou buscar amanhã na farmácia.

      Para ajudar a aliviar use algum gel pós sol a base de aloe-vera.

      Semana que vem nos conte sobre sua melhora.

      • vpositive diz

        Torço para que realmente essas reações alérgicas cessem o quanto antes, ainda não tive coragem de contar para nínguém sobre minha soropositividade e um possível prolongamento dos rashs pode me trazer inúmeros questionamentos por parte de pessoas próximas, seja amigos ou colegas de faculdade.

        Muito obrigado pela atenção de vocês aqui do blog, espero em breve trazer boas notícias.

    • Reparei que é novo pela pergunta, ela costuma ser feita uma vez por mês, e justamente pelos iniciantes à TARV. A alergia começa no fim da primeira semana mesmo. Não pare a medicação sem indicação médica (a não ser que a alergia piore de verdade), senão não poderá voltar mais com a mesma. Mais uma vez repito, essa alergia acontece na maioria das pessoas ao iniciar o tratamento com efavirenz e costuma se resolver em menos de uma semana. A minha durou 49 dias e fiquei também manchado no peito, costas e braços. Se for comentar mais algo sobre isso, aproveita esse mesmo thread. Mantenha o anti alergico até sumir as manchas.

      • vpositive diz

        as manchinhas que você teve causavam algum tipo de coceira? Além das manchas algum outro sintoma foi observado? É comum as manchas aparecerem nas pernas e nos pés também?

        • vpositive, as minhas coçavam no pescoço e clavícula, as manchas minhas eram principalmente peito, barriga, parte mais clara do braço, mas nas coxas e pernas por conta dos pelos não eram tão visíveis. se clicar no meu apelido pode ver algumas fotos de como eu estava na época. Nos pés vc diz na palma dos pés? Se você tiver manchas na palma dos pés/mãos seria bom fazer um exame de sífilis.

  39. E aí galera….
    Vamos puxar o freio de mão desse caminhão cheio de incertezas??

    Bem, começo minha postagem lembrando a todos que a única garantia da vida é a morte. A partir do momento que todo ser vivente, de todo reino, filo, classe, ordem, família, gênero, espécie e até os que estão fora dessa classificação, tem um “sopro de vida” está passível de perdê-la a qualquer tempo. Da mesma forma que no mundo não existe NADA nem NINGUÉM 100% bom ou 100% ruim, também não há NADA nem NINGUÉM imortal. Portanto, TODOS estamos tentando prolongar a nossa vida desde o momento em que ela nos foi concedida. Assim, devemos seguir a premissa existencial de TODOS os organismos: manterem-se vivos o maior tempo possível. O HIV e os demais agentes patógenos estão fazendo isso!
    E nós, que temos anos de evolução a frente deles, vamos desistir de prolongar a nossa vida tão facilmente ou vamos continuar lutando para viver o máximo que quisermos e pudermos?

    Lembrem-se: somos muito mais evoluídos e isto nos torna mais aptos para luta!!!…..

    Boa semana galerinha do bem…….

    • D_Pr diz

      Bio

      Infelizmente não somos os animais mais evoluídos! E existem seres vivos imortais!

      Peixe Sebates Aleutianus; (Rockfish)
      Tartaruga Chrysemys Picta; (sobrevive até 5 meses sem comida e oxigênio)..
      Hydra e;
      Até mesmo uma Lagosta é mais evoluído que o homem em termos de sobrevivência!
      Água-viva imortal (Turritopsis dohrnii)
      “Esta espécie de água-viva é o “Benjamin Button” do oceano. Encontrado em 1988 pelo então estudante de biologia marinha Christian Sommer, este curioso ser exibiu um comportamento que intrigou o pesquisador alemão: a água-viva se recusava a morrer. Mais que isso, parecia estar seguindo o caminho inverso, tornando-se cada vez mais “jovem”, em uma regressão que a levou de volta à sua primeira fase de desenvolvimento. Pã. Chegando lá, começou um novo ciclo de vida. Duplo pã.
      Foi apenas em 1996 que um estudo sobre a reveladora descoberta foi publicado – contrariando o que consideramos o ciclo natural da vida (que inclui a inevitável morte), a Turritopsis dohrnii é capaz de voltar ao seu primeiro estágio de vida em qualquer fase de seu desenvolvimento, escapando da morte e alcançando potencial imortalidade. Não bastasse isso, a espécie ainda é espertinha – pegando carona em cascos de navios, a Turritopsis hoje é encontrada não apenas na região do Mediterrâneo, mas também nas costas de Panamá, Espanha, Japão e Flórida, parecendo ser capaz de sobreviver e se proliferar em todos os oceanos do mundo. Limitações tecnológicas ainda impedem que pesquisadores determinem o que exatamente permite que o bichinho viva para sempre, mas é bom ficar atento: se descobrirem o segredo desta água-viva, isso pode também afetar nossa mortalidade. Quem viver, verá…”

      • D_ Pr
        Eu me Referi a imortalidade de forma genérica. Leia “imortalidade” como perpetuação da espécie e “evolução” como capacidade intelectual para manter-se vivo. Afinal, como se saberia dessas peculiaridades do peixe, da tartaruga, da hydra e da água-viva, se os humanos não fossem os seres mais evoluídos??

        Se tirarmos as condições de sobrevivência de qualquer ser, ele inevitavelmente perecerá em sua forma primitiva e Charles Darwin já nos provou isso!!

        De qualquer forma, entendi a sua argumentação. Talvez eu não tenha me expressado de forma tão clara no post anterior.

        Abraço fraterno e muita força a todos nós para continuarmos essa luta!!!

        • D_Pr diz

          Bio, eu entendi claramente, talvez você que não pegou o espírito que quis passar!

          Evoluídos que somos…cometemos algumas barbáries…é nesse sentido! Aí peguei algumas espécies só pra colocar de bode expiatório…

          Entende que o “homem” é um fiasco para ele mesmo e os demais?

    • HopeAlways diz

      Arrasou BIO , entendi a sua mds, eh bem isso , VIVAM pra serem felizes e se cuidarem e JAMAIS para o virus, ele nao merece. OTIMA SEMANA TODOS !!

      • HopeAlways

        Você captou a essência do post. Me mata de orgulho esse rapaz!!!hehehehe……

  40. vanessa diz

    Oi gente! Faz um tempinho que não venho por aqui mas enfim precisando de ajuda de vcs..
    Conheci um rapaz, estou apaixonada por ele, e a famosa dúvida em que momento devo contar pra ele minha condição? Que medo estou de perde lo, não sei o que fazer! Detalhe ele se recusa a usar camisinha… Tô desesperada!!
    JS sinto saudades das suas histórias, acho boas as matérias sobre pesquisa mas sinto falta das histórias pessoais!!
    Bjs

    • FG-PR diz

      Vanessa sei que não é fácil, mas eu contaria, até mesmo porque ele se recusa a usar camisinha, imagina que algo aconteça vc pode até ser processada por saber da sorologia e não usar um método de prevenção. Sei que muitos dizem que é quase impossível a contaminação de quem está indetectável a mais de 6 meses, mais vai que acontece. E tem outra, se ele gostar de vc ele vai ficar com vc mesmo sabendo, se ele não quiser ficar é sinal que ele não merece seu amor.

      • vanessa diz

        Fg-pr obrigada por me ajudar, mas eu já tinha tomado minha decisão de contar a ele no nosso próximo encontro, pensa numa pessoa que só sabe chorar… Eu tenho que fazer isso mas não tá sendo fácil… Mas tem que ser feito por dois motivos um que ele se recusa a usar camisinha e outra que no fundo eu sinto como se tivesse vivendo uma ilusão, pq todos querem ser aceitos como somos !!
        Obrigada
        Bjs

        • Salvador diz

          Vanessa,
          Você só está olhando um ângulo da questão. Ele não querer usar camisinha é um grande risco prá você. Imagina vc ter um co-infecção. Usar a camisinha não é só segurança para o moço, você indetectável não pode contaminá-lo, mas você sabe se ele não tem alguma doença. É nessa de paixão e confiança que a gente se contamina. Se cuide e se proteja.

  41. HopeAlways diz

    Querido JS , nosso grupo do aplicativo KIK ja tem 34 pessoas aqui do blog e TODOS querem a sua presença lá !! Baixa o KIK e me add pra vc entrar no grupo , PLEASE , campanha JS ENTRA NO KIK !! Campanha lançada rsrs , o meu nick la é o hopealways6

  42. Gil diz

    OLÁ VIVENDO POSITIVO. FIZ O WB. Com ausência de algumas bandas, sim!
    Fiz tudo quanto é exame.
    Fui em dois infecto, com TODOS os exames possíveis. É que a reação para alguns antígenos foi bem alta, foi isto que disseram, por isso a suspeita de infecção recente, disseram as infecto e a hepatologista.
    Mas sigo em frente, 5 dias de TARV e nenhum efeito colateral.
    Até um vinho bebi no final de semana (uma taça de manhã, uma à noite).

  43. D_Pr diz

    Malawi: Get to Know – Malawian Herbalist Claiming to Have Found HIV Cure
    Meet Dr Writing Zigowe Kaunda, a Malawian herbalist who together with an American Scientist Dr Jeffy Metzger have discovered the drug for the fight against the deadly virus, HIV.

    Metzger who five years ago camped at Kaunda Herbal Clinic at Chintheche, Nkhatabay for the research of his multipurpose Wizika drug believed to be curing HIV has revealed during his emails to Dr Kaunda that their laboratory research is progressing well at Medicine research of Bastyr University in the United States of America. ln a telephone conversation with Kaunda the researchers told him that they are expected to reveal final results soon.

    Kaunda boasted that they have been confirming to him through a phone call that there is good progress and his medicine and is curing people.

    “l am very pleased with this development because this is what l have been looking forward so l want them to send me a report on the findings so that l can have copy for my reference,” explained Kaunda he further said they are really impressed with the work that is why Dr Metzger stayed with him for two weeks conducting his studies.

    “He went to America with a sample of my Wizika drug to their laboratory,” Kaunda said he cured Metzger of diabetes in 1996 while he was on his tour to Africa later publicized the new development to fellow scientists together with Dr Lisa Meselore a botanical Medical instructor at Bastyr University in USA and Dr Carlo Calabrese the team leaders.
    By Tendayi Chabvunguma

    A Universidade de Bastyr (Bastyr University) começou em 1978 e é uma universidade privada, sem fins lucrativos que oferece cursos de graduação e pós-graduação com um currículo multidisciplinar em medicina natural baseada na ciência. A universidade está localizada em Kenmore, WA. Atualmente 1.101 alunos estão matriculados na universidade. Oferece programas de graduação em medicina naturopata, nutrição, acupuntura e medicina oriental, ciência do exercício e bem-estar, psicologia da saúde, ciência comportamental aplicada, obstetrícia, nutrição e psicologia da saúde clínica e ciência de ervas.

    Bom, se isso confirmar, só temos a ganhar…mas eu não acredito muito!

      • D_Pr diz

        Rafael, eu li em uma reportagem e agora não lembro o site (mas não é o clinicaltrials.gov), aí acabei pesquisando sobre a existência da universidade e compartilhei aqui…

  44. HOPEFULL diz

    Vanessa,
    Também estou preocupado com a perspectiva que você tem encarado sua relação com esse rapaz!! Ele se recusa a usar camisinha? Que é isso gente?!! Imagina os riscos que ele pode representar pra você!! Ele deve ter um histórico de relações desprotegidas, tendo em vista a aversão que demostra pelo uso do preservativo! Isso o torna um potencial portador de diversas doenças sexualmente transmissíveis!! Cuidado querida!!
    Abraço carinhoso!!

    • vanessa diz

      Hopefull e Salvador eu também estou pensando nessa questão é muito viu pq me coloco em risco e totalmente desnecessário, é uma das questões que vou conversar com ele assim que falar sobre minha condição isso é um ponto que não me agrada!!
      Só estou tomando coragem pra conversar! Rs
      Obrigada pela ajuda!!
      Bjs

    • daime luz diz

      alguém com carga viral indetectável pode ser reinfectado? não entendo isso

      • daime luz diz

        na verdade eu me expressei mal. O que eu quero saber é se alguém que faz uso de antirretrovirais de forma contínua tem chances de se reinfectar, afinal os remédios não servem para matar o vírus no sangue? então a PREP não se apresenta como meio de prevenção viável aqueles não reagentes? perdoe-me, é que sou bastante leigo!

    • vanessa diz

      Oi gente tudo bem? Passado uns dias, contei a essa pessoa sobre minha condição, olha desde o meu diagnóstico não tinha vivido nada tão tenso e difícil, ele fez o exame eu tb! E tá tudo certo graças a Deus!! Com relação ao meu relacionamento… Só o tempo vai dizer, ele não teve uma reação tão ruim como imaginei, carinhoso, atencioso, preocupado comigo, agora dizer que meu relacionamento vai seguir… Já é uma outra história…. Que o tempo vai se encarregar de responder!!
      Bjs

  45. Gustavo diz

    tenho uma duvida sobre o 3×1 toma anoite… Vi um post acima q a pessoa disse q toma uma combinação pela manha q assim ele ate pode beber alguma coisa de noite sem porblema.. Quem usa o 3×1 durante a noite, se quiser as vezes, tomar um negocinho, pode? ou por tomar o remedio anoite n pode misturar… é uma duvida. Obrigado!

    • Gustavo a maioria opta por tomar a noite, porque caso fique tonto basta ir se deitar e dormir.
      Se você não fica tonto de jeito nenhum, pode tomar o 3×1 em qualquer outro horário pré determinado do dia.

    • Geni Positiva diz

      Ah essa matéria fala de um portador que vive há 33 anos com o vírus, nasceu com ele.Bjs

  46. O mais esquisito disso :
    “sabemos que mesmo níveis muito baixos de vírus abaixo do limite de detecção podem aumentar o risco de certas doenças e, em última instância, levar à aids.”

    Agora não sei mais o que é verdade ou o que nao é…. até o doutor Kallas deveria sair de frente com esta reportagem, pois ele defende a segurança de uma vida saudavel com a TARV

    • Adora polemizar, Ricardo… O que eu mais escrevo sobre o que o Dr. Esper fala é especialmente sobre o risco de transmissão, você sabe disso.

      Sobre o trecho “sabemos que mesmo níveis muito baixos de vírus abaixo do limite de detecção podem aumentar o risco de certas doenças”, o texto provavelmente se refere ao aumento da inflamação, que é medido pelo exame de proteína C reativa. Com o tratamento antirretroviral, essa inflamação é reduzida a níveis extremamente baixos (em geral, mais baixos do que em fumantes) mas, por ser constante, com o passar do tempo ela pode resultar em algum dano aos tecidos que podem ocasionar problemas de saúde, como cardíacos.

      Isso não é novidade e já foi abordado algumas vezes aqui:

      https://jovemsoropositivo.com/2015/02/06/indetectavel-e-o-novo-negativo/
      https://jovemsoropositivo.com/2015/01/13/passado-presente-e-futuro/
      https://jovemsoropositivo.com/2014/04/21/o-que-eu-gostaria-de-ouvir/

      Ainda assim, mesmo com a inflamação crônica, a expectativa de vida de quem vive com HIV hoje é quase a mesma de um soronegativo saudável, com tendência “a se equiparar com os que não vivem com HIV”, conforme disse o Dr. Esper.

      Sobre o trecho “em última instância, levar à aids”, não é à toa que inclui “última instância”, o quer dizer que é na pior das hipóteses e provavelmente no longo prazo, para aqueles que não têm recuperação do sistema imune, mesmo sob tratamento e indetectáveis.

      • D_Pr diz

        JS, hoje eu li no blog do Dr. Joel Gallant…falava sobre a recuperação do sistema imune (contagens de CD4), mas ele foi bem taxativo em dizer que a partir do momento que você obtém carga viral indetectável, o vírus não tem “forças” pra causar danos significativos no organismo, a pergunta em questão era de um paciente com CD4 em 110…Dr. Joel disse que leva até 7 anos pra gente recuperar (mais ou menos)…e para o paciente ficar “tranquilo”.

        Vida normal!

      • D_Pr diz

        Outra coisa, a universidade Washington está começando um estudo que usa estatinas para tratar pacientes soropositivos com objetivo de diminuir a inflamação crônica e risco de doenças cardiovasculares… Cada dia que passa, soropositivos estarão vivendo melhor!

      • HopeAlways diz

        EU disse JS, eu falei , mas é do ser humano dar valor a “noticia ruim”, vc citou mil avanços e frentes de pesquisa e pessoal pega UMA FRASE e esquece todo o resto dito. Vc como sempre dando um banho de sensatez.

  47. Gil diz

    Alguém aqui sabe sobre a questão da incidência de doenças cardiovasculares ou sobre a inflamação crônica nos tecidos cardíacos pelo HIV? Qual a porcentagem, qual a probabilidade após 5, 10 anos?
    É maior do que em fumantes moderados?
    É maior do que pessoas que bebem bebida alcoólica de forma moderada duas vezes na semana?
    E o uso de ácido acetil salicílico (aspirina) uma vez ao dia, como mecanismo preventivo, associado à TARV, traz ganhos?:
    E o uso de estatinas é indicado?
    Se alguém puder responder a pelo menos alguma dessas questões (as próximas que levarei para minha infectologista) ou indicar reportagens ou artigos, eu agradeceria muito!!!!

    • D_Pr diz

      Gil

      Muito dessas perguntas ou a maioria são respondidas através dos seus exames trimestrais… Qual intervenção realizar, quando e a medicação!

      Eu comentei sobre um estudo da estatina que ainda caminha em fases iniciais, não existe nenhuma recomendação específica…

      Como paciente também, te digo, jamais faça uso de auto-medicação! Eu sou fumante e não sei se você também é, mas o que escuto do meu médico que o meu único problema de saúde hoje é esse, o tabagismo. O HIV está sob controle.

  48. Paulof diz

    Eu uso atorvastatina 10 mg, a noite durante a semana como medida preventiva

  49. J. b diz

    Oi galera.. Seguinte alguém sabe algum site que venda o teste rápido de hiv. Aquele que se faz com a.saliva. Só pra esclarecer. Um dúvida minha. Eu já estou indetectavel a mais de 1 ano. E queria fazer o teste caseiro apenas para saber qual seria o resultado. Acho que também muitos já tiveram está dúvida aqui. Kkk grande abraço. positividade e vida longa. Gosto de pensa assim que no final tudo vai da certo.se ainda não deu e pq o fim
    .Ainda não. Chegou.

    • JB , mesmo estando indetectável, é claro que o seu exame dará positivo. Não perca dinheiro com isso..rs

  50. To na farmácia, primeiros frascos de 3×1… Podiam criar venda em farmácia comum, seria mais discreto.

    Não ligo tanto, mas da um friozinho na barriga… Medo! Estigma!

    É duro se livrar 100%… 3 pessoas na frente…

    • Binho, este mês também peguei o meu primeiro frasco de 3×1…o meu é branquinho!!.rs

      • HopeAlways diz

        Oww vida kd vc no KIK ?? todos perguntando por vc rsrs , baixa o app e me add : hopealways6 que te incluo no grupo, mas corre que so tem 2 vagas !!

  51. paraense+ diz

    pessoal, eu troquei de tarv recentemente e, (estou tomando atazanavir, norvir e o 2 em 1 ) eu gostaria de saber se alguém aí faz uso dessa combinação e se ao iniciar teve baixa de pressão arterial ,pois eu notei que minha pressão baixou para 9 x 5 mas não sinto efeito algum.

  52. Ola pessoal,queria saber se com algum de vcs esta acontecendo de os cabelos estarem ficando grisalhos branco mesmo! Rapidamente? Tenho notado que comigo está. obrigado pessoal força pra todos.

  53. J. b diz

    Parabéns+
    Eu uso essa combinação. Tomo de manhã tudo de um vez e depois tomo um café. E vou trabalhar. No começo.sentia uma sonolência sim. Mas.eu achava.que por trabalhar sentado e debaixo do ar condicionado rsrs. Talvez podia ser a pressão. Mas enfim já faz mais.de.1 ano que eu a uso. Desde. Antes de ser. 2×1. E super zem. Não sinto nenhum efeito. E ainda tomo uma gelada moderado as vezes. O importante é vc tomar muito liquido

    • paraense+ diz

      Pois é J.B , é exatamente isso que eu sinto , muita sonolência mas é apenas isso. Antes, eu tentei a combinação efa.+lami.+ teno. por cinco meses eu segurei essa combinação mas senti muita insônia,mudança de humor depressão e ansiedade, no começo deste mês passei a usar o 3 em 1 porém os efeitos continuaram os mesmos e mais o zumbido no ouvido . Passei para essa combinação que é muito tranquila aí fui aferir minha pressão e descobri que estava muito baixa mas quem sabe deva ser do hipinótico zolpidem que eu tomo às vezes … não sei ,quanto a gelada pô desde de novembro quando me descobri assim não tive mais coragem de tomar , larguei tudo : cigarro… bebida e olha que eu fui fumante durante trinta anos…estou com 51 e espero ainda ter uns 10 para ver os meus três filhos já adultos e encaminhados…efim… é isso !, vamos tocar esse barco pois .Agora que é bem estranho é ! um cara com 51 anos e PA de 9X5.

  54. s5 diz

    Oi Galera Descobri q tinha o virus mes passado e como muitos fiquei pra baixo acabei meu relacionamento enfim minha vida ta um lixo hj tou melhor pq tem q estar se nao ja sabe piora tudo minha mae nao sabe tenho 22 anos e tou preocupado porq peguei o exame e meu
    CD4 ta em 324
    Fiquei preocupado e muito com isso e alguem me explica essa vacina q esta sendo analizada pelos especialistas se ela vai curar ou vai diminuir o virus obg confusso

  55. Petrus diz

    Pessoal não sei o que pensar sobre isso… e parece que toda vez que leio alguma coisa que menciona algo de ruim pra nós, eu fico abatido e começo a sentir dores… Há dias estou com dores na região dos rins, e essas dores surgiram com mais intensidade após iniciar o tratamento com o 3×1. Semana que vem pretendo retornar à minha querida infectologista. Espero estar com o número de CD4 alto, pois quando comecei o tratamento estava apenas com 89. A última vez que fiz os exames estava com 208 e com carga viral indetectável. Faz 6 seis meses que não vou à infectologista. Hoje levo uma vida quase perfeita, se não fosse essas dores nas costas, e uma leve dor no estômago de vez em quando, tudo tava tranquilo. Malho pesado todos os dias, larguei a cerveja de vez, raramente tomo um vinho, estou abandonando o refrigerante e tô procurando viver mais tranquilo. Ainda quero estar vivo pra ver a cura dessa doença terrível.

    P.S. GOSTARIA DE SABER SE ALGUÉM TEM ESTATÍSTICAS DE QUANTAS PESSOAS MORREM DE HIV/AIDS POR MÊS/ANO EM CADA ESTADO.

    Fé e saúde a todos.

  56. Petrus, eu não leio coisas ruins, sou impressionável e sei que ficarei mal. Estatísticas então, mesmo algumas boas eu evito.
    Não que eu queira fingir que não tenho nada, mas a nova agenda que ganhei já tá de bom tamanho.
    Agora, largar a cerveja, como quero chegar neste nível… Vou tentar!

    Abç

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s