Notícias
Comentários 182

Exército brasileiro não pode mais discriminar

Exercito

De acordo com a Revista Consultor Jurídico, a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu que a exclusão de candidatos em processos seletivos para o Exército em razão de limite de altura, saúde bucal ou diagnóstico positivo para HIV configura uma conduta discriminatória. A decisão exige que a União deixe de impor as restrições nos procedimentos de ingresso nas carreiras do Comando Militar do Exército.

Na avaliação do Ministério Público Federal, as exigências “violam o mandamento constitucional da legalidade, assim como da isonomia, da proporcionalidade e da dignidade da pessoa humana”. Assim, requereu tutela antecipada para que a União deixe de praticar tal conduta.

Em primeira instância, o juízo da 22ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal julgou o pedido parcialmente procedente e declarou nulas apenas as restrições de altura. A sentença rejeitou, contudo, o pedido contra o veto a candidatos com HIV ou sífilis, ou a quem tem menos de 20 dentes.

 

Anúncios

182 comentários

  1. Cara+ diz

    que bom! mais uma “barreira” quebrada!!!! Como diz Superman – para o alto e avante!!!!

  2. segunda-feira, 4 de maio de 2015

    Bionor Anuncia Resultados Promissores do Estudo para a Cura Funcional

    A empresa norueguesa Bionor Pharma acaba de divulgar mais um avanço potencial em sua primeira vacina terapêutica para a cura funcional do HIV.
    Uma análise interina da parte B do estudo REDUC, que reúne a vacina VaCC-4x e o inibido de HDAC Romidepsin, mostrou-se seguro e bem tolerado. O objetivo é um possível regime de tratamento para reduzir o reservatório viral latente persistente em pacientes infectados pelo HIV e em tratamento anti-retroviral.
    O estudo REDUC II é um ensaio de Fase I, e um primeiro passo na validação estratégia da Bionor para VaCC-4x que a empresa vê como um componente em uma cura funcional potencial para o HIV.
    Em ensaios clínicos anteriores, VaCC-4x demonstrou uma redução significativa do HIV viral no ponto de ajuste da carga viral e uma resposta imunitária de longo prazo em pacientes infectados, apoiando a estratégia da empresa para tornar VaCC-4x uma frente no regime de cura para o VIH.
    VaCC-4x foi concebido para induzir uma resposta imunitária baseada em células através da geração de células T que podem reconhecer e destruir células infectadas com HIV. Na parte B do estudo REDUC, VaCC-4x foi combinada com Romidepsin, que pode reativar e “chutar” o vírus dos reservatórios virais latentes.
    A análise confirma que a administração de Romidepsin conduz à ativação do vírus em células T CD4 + infectadas. Além disso, os resultados sugerem que a administração de VaCC-4x antes de um inibidor de HDAC permite a morte de vírus reativado, tornando o vírus no plasma, após a reativação, baixa ou indetectável. Por último, os resultados indicam uma redução de níveis totais de DNA de HIV em células T CD4 +, uma medida utilizada como substituto para o tamanho do reservatório viral latente.
    A análise interina mostra que:
    · A carga viral manteve-se abaixo do nível de quantificação em 7 dos 9 pacientes
    · Aumentos nos níveis de acetilação de histona correlaciona com o tempo de Romidepsin + infusões da vacina, que demonstram o efeito farmacodinâmico da Romidepsin
    · Uma reativação viral rápido e temporário nas células CD4 + T
    · A combinação de VaCC-4x e Romidepsin é segura e bem tolerada
    Presidente da Bionor, Dr. David H. Solomon, comentou que os resultados são um marco importante para Bionor em estabelecer a capacidade de VaCC-4x para “matar” o vírus HIV e células CD4 ativadas, e que estejam infectadas, em conjunto com a droga Romidepsin (Istodax®. A reativação do reservatório latente permite reduzí-lo e nos deixa mais próximos ao objetivo de avançar os tratamentos para uma cura funcional do HIV.
    Os próximos resultados serão apresentados em um relatório no final em Janeiro de 2016 e está previsto para ser publicado em uma revista científica.

      • Rafael, não sei ainda mais o mais rapido ira se comprovado uma cura, são mita pesquisas, e mais rapido ainda uma vacina, no lugar dos comprimidos, e uma vez por mes ou a cada seis meses, Força , Foco, Fé, amigo

        • Rafael diz

          Você acha que 5 anos poderia sair a cura?

          Meu medo é todas essas pesquisas, não saírem de pesquisas, pesquisas e pesquisas…

          Gostaria de saber se à alguns anos atras se falava da cura como se fala hoje em dia?

  3. Emily diz

    Oi gente, meu nome é Emily, tenho 20 anos e descobri que sou soropositiva ontem, estou sem chão claro.. quero saber se vcs acreditam de fato que a cura está proxima.

    • Olá Emily,
      Não se preocupe com a cura. Ela virá cedo ou tarde. É inevitável. Procure tirar as suas dúvidas com o infectologista, e tomar os medicamentos. Existe vida, e muita, depois da descoberta da sorologia.
      Pensamentos positivos.

    • caradobemsampa2 diz

      Oi Emily
      momento bem dificil esse…. imagino como se sente.
      Acredite que tudo ficará bem, pois vai ficar.
      Com devido acompanhamento medico, medicaçao e cuidados adicionais, vc vai viver muito hein!
      alem disso, aqui tem muita gente bacana. Estudiosos sobre o tema que sempre dividem boas novas, pessoas felizes, divertidas e amigas.
      vc nao está só!
      abraçao

    • Digo diz

      Emily, não é um conselho, mas apenas o comentário de quem convive com o HIV há 6 anos (5 de tratamento):
      – Desencane com essa de “cura”. Isso só causa ansiedade. Acompanhe as notícias, torça, mas sem fanatismo (como o cara que aprecia futebol, mas que não o torna mais importante que o resto da vida). Seja disciplinada com o acompanhamento médico; tome seus cuidados sem neuras excessivas; chore quando tiver vontade (afinal, não somos só nós, soropositivos, que choramos, não é?); não pense que tudo que acontece na sua vida e saúde está relacionado ao HIV, porque não está.
      Assim, de repente, quando você menos esperar, acordará pela manhã e verá na manchete do jornal a notícia tão esperada por todos nós.
      Fiquei sabendo da minha condição poucas horas antes de entrar para um congresso sobre câncer… Durante o congresso, pensava: bem que essa podia ser minha doença… Quanta ignorância a minha. Se fosse, provavelmente eu não estaria aqui; não teria feito minha primeira viagem internacional; não teria feito pós-graduação; não teria trocado de emprego pra poder ficar mais tempo com a família…
      A vida continua

    • Vida positiva H diz

      Emily descobri em janeiro e tomo a medicação há 2 meses, sem efeitos colaterais sigo uma vida normal e saudável nem gripe eu pego. O primeiro desafio é o psicológico, enfrentar essa nova realidade, mas tudo vai entrando nos eixos, o importante agora é iniciar o tratamento e levar uma vida mais saudável praticando atividades físicas e uma alimentação balanceada. Qualquer coisa estamos aqui pra te ajudar. um abraço

  4. Cauã + diz

    Já dizia a Constituição Brasileira:
    -“Todos são iguais perante a lei…”

    Nada mais a declarar!

  5. Emily diz

    Kaliul, obrigada pelas palavras, ainda estou em choque mas sei que vai ficar tudo bem, minha consulta com o infecto é amanhã.

    • Herivaldo Virulato diz

      Emly,

      O mais importante: hoje a expectativa de vida é normal, os efeitos colaterais do tratamento são inexistentes ou mínimos e depois do início do tratamento vc não mais transmitirá o vírus.
      Leia o post “esqueça tudo o que sabe sobre o hiv”, neste blog, e fique tranquila. Não caia no sensacionalismo da imprensa. Hiv não é o fim do mundo.
      Força e conte conosco!

      • Fernandescarioca diz

        Tenho 35 descobrir que fui infectado há um mês sempre usei camisinha em minhas relações sexuais sempre tive muito medo de contrair o virus e até em relação estáveis que tive nunca tive seque uma relação sem o uso do

    • Todos nós passamos por isso, não quero diminuir sua aflição. O blog tem vários post esclarecedores. Leia, informe-se é a melhor coisa que você faz para lidar com essa nova informação. Leia os comentários tem muito gente aqui atualizada em relação a novas pesquisas. Quanto a adiar a medicação é uma decisão sua e dependendo de como está os seus exames. Eu preferi começar logo. A gente sofre no começo, mas depois se habitua. Estou com quase 8 meses em tratamento. Estou bem melhor agora do que quando comecei.

  6. JM diz

    Não concordo com a presença de soropositivos nas forças armadas, pelo mesmo motivo que não faz sentido permitir um lutador de MMA soropositivo. Em caso de combate real, um soropositivo que fosse acudido com ferimentos abertos representaria risco real de contágio aos demais. Ainda que sob TARV, o risco não vale o ganho.

      • JM diz

        Diante de uma argumentação tão repleta de fundamentos, só me restaria calar. Infelizmente o microcosmos que se vive hoje na política nacional chegou aqui. Ninguém se importa em argumentar o que quer que seja, basta xingar e, quanto mais alto, mais o sujeito tem razão. Mas a ignorância deve ser combatida, porque seus efeitos são tão perniciosos quanto o preconceito.
        Alexandre, eu sou soropositivo e uso TARV desde 2010. Se eu tiver um acidente que envolva sangramento, minha família sabe que não deve ter contato com meu sangue. Ainda que não haja contaminação caso o sangue caia sobre a pele, em uma situação de estresse, tudo pode acontecer. A pessoa dando socorro pode ter um corte na mão de que não lembra, ou pode ter “arrancado um bife” na manicure no dia anterior. Já um profissional de saúde vai estar usando luvas de procedimento e tem obrigação de conhecer melhor os riscos. Sugiro que vc oriente sua família da mesma forma, se não quiser ter companheiros na doença sem necessidade.
        Fui militar e lutei box por muitos anos, antes de me descobrir soropositivo. O contato com sangue em esportes como box e MMA é normal e é IRRESPONSÁVEL achar que está tudo bem permitir que pessoas desavisadas entrem em contato com seu sangue. Isso NÃO É DISCRIMINAÇÃO é CONSCIÊNCIA. Ou daqui a pouco vai-se achar discriminatório que não se aceite doação de sangue de soropositivos! No exército, apesar de não ser regra no atual momento, quem lá está se prepara para o combate. Mesmo nos treinamentos são comuns pequenos ferimentos com sangramento e, às vezes, grandes ferimentos. Em tese, a tropa se prepara para ir à guerra, e não faz sentido admitir um risco desses conhecido. E para que você não se sinta “discriminado”, o mesmo ocorre com a hepatite.

        • Digo diz

          JM, fui militar do EB tb, e concordo 110% com o que você diz. De repente nós, soropositivos, nos transformamos em versões masculinas das feministas radicais: desejamos tanto direitos iguais que acabamos esquecendo de brigar pelo que realmente interessa e gastamos nossas energias em brigas sem sentido algum.

      • Secret Guy diz

        Esse não é o Alexandre que eu conheço! ahuauhuha

        Teve um surto de lucidez!!! Hoje eu vou comemorar!!

              • Secret Guy diz

                Boco é você seu imbecil!!

                Vc e seu companheiro simplista que escreveu esse comentário esdrúxulo e as 12 pessoas que negativaram meu comentário!

                Por acaso, um carreira no exército brasileiro significa você somente ir para uma guerra?

                ME DÁ O NÚMERO DE SOLDADOS MORTOS BRASILEIROS NUMA GUERRA? VOCÊ SABE O PLANO DE CARREIRA DENTRO DO EXÉRCITO?

                ENTÃO CONCORDA EM SIMPLESMENTE DISCRIMINAR OS SOROPOSITIVOS SEM DAR CHANCE DE QUE HAJA OUTRAS ÁREAS EM QUE ELE POSSA ATUAR?

                UM OUTRO AINDA COMENTA QUE ESTAMOS SENDO FEMINISTAS RADICAIS E SOU OBRIGADO A ESCUTAR ESSE TIPO DE PENSAMENTO QUE PARECE QUE SAIU MAIS DE UMA PRIVADA!!!!

                VAI TE CATAR!

                • Secret Guy diz

                  TEM UM OUTRO QUE AINDA DIZ QUE IREMOS CONCORDAR EM DOAR SANGUE DE SOROPOSITIVO NOS COMPARANDO AGORA COM FEMINISTAS RADICAIS!

                  DUPLO PRECONCEITO SEM REFLEXÃO CRÍTICA NENHUMA!! SUBJULGA QUEM DISCORDA DA SUA OPINIÃO INÓCUA REFORÇANDO O ESTEREÓTIPO MACHISTA DE JULGAR O MOVIMENTO FEMINISTA!

                  TEU IDIOTA LEIA ISSO:

                  “Além das tradicionais funções de um combatente, a CARREIRA MILITAR TAMBÉM OFERECE OPORTUNIDADES PARA AQUELES QUE NÃO FARÃO PARTE DA LINHA DE FRENTE, composta pelas Armas-Base (Infantaria e Cavalaria). A pessoa poderá optar, por exemplo, por ingressar nas Armas de Apoio ao Combate (Artilharia, Engenharia e Comunicações), que desenvolvem estratégias de ataque e defesa através do auxílio de armamento bélico e sistemas de controle, OU ATUAR FORA DO CAMPO DE BATALHA, SEJA REALIZANDO SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS, MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS OU PRODUZINDO TECNOLOGIA PARA A CORPORAÇÃO. HÁ AINDA O TRABALHO NA ÁREA DA SAÚDE, QUE ENVOLVE MÉDICOS, DENTISTAS E FARMACÊUTICOS.”

                  EU TENHO HIV MAS DE IMBECIL AQUI NÃO TEM NADA!

    • caradobemsampa2 diz

      Oi JM
      O que tenho lido com frequencia é que um soropositivo em tratamento com TARV reduz em mais de 90% a possibilidade de transmitir o virus. E alem disso, que não existe transmissão registrada por pessoas indetectáveis.

      • JM diz

        É verdade, você está certíssimo! Mas isso vale para relações sexuais, não para transfusões de sangue ou contato com sangue sem proteção. Eu e minha esposa somos um casal sorodiscordante. Eu tenho, ela não. Apesar de ela ser menos preocupada que eu, mesmo sabendo disso que a TARV é até mais eficiente que preservativo, eu jamais correria o risco de expô-la de propósito.

        • caradobemsampa2 diz

          tb tenho relaçao sorodiscordante. e tb sou super cuidadoso.
          abraço

          • rick diz

            Tenho uma relação sorodiscordante mas as vezes tenho medo da transmissão, faço uso do TARV e sou indetectável há anos!

        • REM diz

          Agora me responda como alguém que não tem o vírus no sangue ( que é o caso dos indetectáveis) tem a chance de contaminar alguem pelo contato de sangue? Cara, nao viaja! Nem que alguem que seja zerado queira ela irá conseguir transmitir! vide os fatos de casais que optam por nao usar camisinha e mae soropositivas que dao a luz a bebes sem o virus…

          • REM, pessoas indetectáveis NÃO quer dizer que NÃO TENHAM vírus no sangue, apenas que o exame que apresenta a sensibilidade mínima de 60 und/mm³ não consegue identificar se houver menos que isso. Quanto às mães que dão a luz bebês sem o vírus, o sangue da mãe NÃO se mistura com o do feto na gestação, tanto é que eles pode ter um grupo sanguíneo diferente da mãe (ab, a , b, 0), o único contato de sangue entre ambos é na hora do descolamento da placenta e sangramentos do parto. Durante o sexo, é preciso que haja uma fissura no tecido do outro para que os fluidos com vírus penetre no organismo (e ainda consiga se manter vivo à barreira imunológica), tanto é que uma pele íntegra se derramar sangue infectado em cima, não acontece infecção. Apenas quando um exame apresentar sensibilidade total e for uma pessoa que NUNCA apresente “blip” durante a TARV, aí poderá se dizer com certeza que ela não tem vírus no sangue naquele momento.

            • 27RJ diz

              vivendopositivo, já ouviu falar em barreira placentária? Como você falou, o sangue não se “mistura” mas várias componentes são filtrados e passam, inclusive o virus HIV. Por isso é tão importante o acompanhamento pré-natal com detecção precoce de gestantes soro+ e início imediato da TARV, para reduzir drasticamente a quantidade de virus circulante. É impossível falar de transmissão em infectologia sem considerar duas coisas: A CV e imunidade. Concordo que a CV indetectável é apenas referente ao limiar de detecção e pode sim ter virus circulante… mas a quantidade é pequena demais para ser transmissível.

              • Maxwell diz

                amigo, responda a seguinte questão: um soropositivo com carga indetectável pode doar sangue? Você dá certeza absoluta que não haverá transmissão? Pense nisso.

        • 27RJ diz

          Esqueci o nick que eu usava aqui, já fazia muito tempo que não comentava. JM, não conheço muito das rotinas militares, mas como você mesmo falou, para transmitir HIV (isso é diferente para o HCV) é necessário contato sangue-sangue invivo e CV alta. Há muito tempo sabemos que uma mãe soropositiva com CV indetectável não transmite o HIV para o bebê. Hoje já sabemos que pela mesma lógica, + com CV indetectável também não transmitem em relações sexuais. Sabemos também que o HIV desnatura rapidamente fora da corrente sanguínea tornando impossível a transmissão da maneira que você descreve. A comparação entre contato de sangue em um ferimento e uma transfusão de sangue foi bem equivocada. Bom, gostaria muito que você estivesse certo, já que não tenho a menor afinidade com o exército e 100% dor formandos da minha faculdade estão sendo convocados para essa porcaria escrota. Ou seja, nem a positividade me safará dessa furada agora… enfim, comemorem os que tem pretensão de ingressar na carreira militar…

          • JM diz

            27RJ, o problema é que se está falando de uma regra genérica. Ainda que sua tese seja a mais provável, ainda é uma tese e a ciência muda com frequência excessiva. Além disso, imagine que tal regra alcançaria alguém que não fosse tão consistente com seus remédios, assim exibindo alterações de CV. EU e você sabemos que ainda se morre de AIDS. Para isso é preciso deixar de tomar os remédios, mas ainda acontece. Se você trabalha na área de saúde, sabe que essa transmissão invivo pode sim ocorrem em um ferimento. Estamos falando de ferimentos de guerra. Imagine um soldado tendo que tapar com as mãos, também feridas, um ferimento de bala aberto. O contágio seria ainda mais fácil que em uma relação sexual.

            • Quer dizer que os soldados ficam se abraçando e beijando no campo de batalha enquanto sangram à morte? Pelo amor…

            • Cara+ diz

              Sabe JM

              confesso que fazem dois dias, desde que li seu comentário sobre a questão de portadores do vírus não frequentarem as forças armadas e que me remeto a minha realidade. Gosto de assuntos inquietantes, que nos fazem pensar e dentro disso, crescer e amadurecer para a vida e encarar os fatos, como eles são.

              o meu trabalho exige que eu constantemente frequente cozinhas de estabelecimentos comerciais, restaurantes, hotéis, espaços de eventos e é muito comum, na pressa por entregar/despachar a comida para o saguão, pois na hora do pico é uma verdadeira “batalha naval”, os profissionais se cortarem, se arranharem, se queimarem, se ferirem com algum instrumento cortante e muitas vezes o local de trabalho, não conta nem com um curativo para pequenos ferimentos. Muitas vezes, dependendo do ferimento, outros ajudam a tapá-lo, pois a regra é continuar. A conduta é apenas lavar e continuar o trabalho, pois lá na ponta, tem um cliente esperando (e que quanto menos esperar, melhor para a lucratividade e imagem da casa).

              se entendesse as coisas e as visse dessa forma, como vc defende no seu post, diria que um soropositivo não poderia trabalhar no exército brasileiro, em lutas de qualquer espécie, em ambientes que demandem o preparo de alimentos, com beleza e estética, e/ou em qualquer atividade em que ele possa se cortar, se ferir, se machucar, pois ele é uma espécie de “bomba relógio” e significa um risco para a sociedade, mesmo em tratamento.

              mas minha consciência e meu entendimento, me dizem que sangue é sangue e bem por isso, independente da condição sorológica do cidadão ele demanda cuidados ao ser manipulado e que preferencialmente, o seja feito por quem sabe o que faz. Caso contrário, profissionais da saúde não usariam luvas e outros “aparatos” esterilizados quando sabem que a situação pode envolver sangue e/ou mesmo que não envolva, por uma simples questão de higiene. No caso de um “front” de guerra, como vc defende e descreve aqui, não vejo diferença alguma.

              Sangue é sangue e todo cidadão deve ter a consciência que ao manipulá-lo sem as devidas “proteções” pode sim se infectar com QUALQUER (veja bem, qualquer) “enfermidade” que o paciente (em questão) tenha, ainda mais se expor o seu sangue com o do paciente.

  7. Emily diz

    Gente quero começar a tomar o medicamento o mais tarde que puder caso meus niveis estejam ok, o que vcs acham?

    • Emily, o meu primeiro contato formal com um soropositivo foi do nosso grão guru JS, proprietário deste blog. Ele usou uma frase simples e direta, que de me acolheu e confortou demais.
      Estou em tratamento há seis meses, até tenho um hábito ruim, mas tudo está indo bem.
      Faça suas consultas e exames, tenho que certeza que nenhum ou raros poderão te tirar o sono (claro que você vai se assustar no começo, mas verá que vai aprendendo a cada dia).
      Eu gosto de dizer que eu tenho uma nova agenda, e essa foi a grande mudança que passei. Estou há 70 dias sem ver um médico, e só irei fazê-lo para agendar exames de controle e pegar nova receita.
      Logo você também aprenderá a amar o JS e desejar fazer a festa da cura conosco.

      Você vai ficar bem, pode assegurar-se disso.

    • Emily, quanto mais tempo com HIV passeando livre e solto no sangue, menos capacidade você terá no futuro para recuperar sua imunidade quando ela começar cair, a tendência é que seu organismo perca capacidade de responder ao ataque, e recuperar uma imunidade plena. HIV no sangue causa inflamação nos seus órgãos, fique indetectável o mais rápido possível com a medicação. NÃO CAIA NESSA DE POSTERGAR.

    • Maxwell diz

      Emily leia bastante sobre os prós e contra a tomar ou não a medicação. Vou copiar e colar abaixo um post de um amigo de outro site sobre HIV ao qual eu compartilho do mesmo pensamento:
      “O início da TARV, no Brasil, já foi com CD4=200 …Posteriormente, subiu para 500 e hoje é ofertado a qualquer pessoa que o deseje, sob orientação médica.
      Por que conto isso? Por que “não há risco de ter problema de saúde” ligado ao HIV com quem tem CD4 acima de 500. Este é o valor de uma pessoa normal, sem o vírus.
      Ninguém que iniciava o tratamento na época em que iniciei, quando este começava com 350, morria de doenças oportunistas. Acham que alguém com CD4 de 690 ou 700, vai?
      Isso é pura falta de informação.
      O próprio Protocolo informa que, para pessoas assintomáticas (ou seja, sem alguma doença relacionada ao HIV, afinal há sempre exceções) e com CD4 > 500, os benefícios diretos do início precoce da terapia não estão definidos.
      O que há são benefícios indiretos, como manter a imunidade alta mais facilmente e, principalmente, cortar a cadeia de transmissibilidade, que é o principal motivo apresentado no próprio Protocolo: pessoas indetectáveis dificilmente transmitem o vírus a outras.
      No entanto, o mesmo Protocolo informa que é facultado ao paciente iniciar o tratamento, especialmente se não estiver certo sobre sua capacidade de adesão e pressupõe o monitoramento da imunidade, até o CD4 cair a 500, quando não se recomenda mais o adiamento.
      Acredito que fica claro que o Ministério da Saúde não dá esta opção de escolha para quem tem CD4 > 500 se a pessoa estivesse sob “risco de ter algum problema de saúde”.
      Os benefícios indiretos para você – como a maior segurança no sexo, a certeza de não transmitir para alguém, etc – são fortes o suficiente para iniciar a terapia? Você tem certeza de que, se iniciasse agora, a manteria a contento, pois uma terapia com baixa adesão é pior do que terapia nenhuma e não dá para parar mais, uma vez iniciado o tratamento?
      Responda a essas questões muito personalíssimas e então decida.
      Optar por iniciar o uso porque “pode ter problema de saúde” relacionado ao HIV é bobagem, ainda mais estando você já sob acompanhamento médico que, inclusive, existe exatamente para evitar algo dessa natureza.”

    • 27RJ diz

      Se eu tivesse a compreensão que tenho hoje do HIV, iniciaria imediatamente… a não ser que você seja uma “controladora de elite” e mantenha sua carga viral extremamente baixa, próxima do indetectável…

    • Olá Emily, penso que o melhor seria começar o tratamento logo, eu optei pelo uso da medicação assim que descobri ser soropositivo. Minha imunidade estava boa e a CV estava baixa, mesmo assim resolvi começar a tomar a medicação imediatamente.

      No entanto, isso é uma decisão pessoal, pois exige um comprometimento e a consciência de que o uso da medicação deve ser consistente, para a vida toda. Ou até que surja uma cura, o que não deve demorar muito.

      Abraço.

  8. Madamemin diz

    É sempre bom saber que existem muitos serem pensantes que propiciam a inclusão e combatem a segregação!

    • Secret Guy diz

      Mas aqui tem alguns que se “auto-segregam”! Um outro me xingou porque discordei de um comentário extremamente impertinente baseado na experiência particular do individuo que tem uma visão do exercíto como um “campo de batalha” ignorando todas as outras possibilidades como foi descrito no comentário acima.

      Um comentário que VALIDA a segregação!! E o pior é que teve apoio e vários outros comentários na mesma linha de pensamento! Isso é lamentável!

      As pessoas se limitam a emitir opiniões através de um ponto de vista limitado e subjulgar a opinião contrária. Um outro disse que logo estaríamos reinvidicando o direito de DOAR NOSSO SANGUE! Olha o absurdo! A total falta de senso!

      Será que ela tem noção do tamanho do preconceito contido nessa frase? Será que ela sabe que ela é extremamente preconceituosa com ela mesma? Uma forma de pensamento completamente limitada que vomita preconceitos contra si mesma apoiando a discriminação para subjulgar quem discorda da sua opinião vazia de significado!

      Há que pontos chegamos? Se eles tivessem simplesmente digitado no google: CARREIRA MILITAR. Eles teriam visto que existe um amplo campo de possibilidades dentro do Exército e não somente o front como o alienado com campo de batalha e lutas de MMA pensa que é!! Deve ter sido muito RAMBO na cabeça e menos FOUCAULT!

      Não tem o mínimo de senso de noção de discurso e querem opinar num blog tão especial!

      Será que esses babacas não pensam que hoje o contágio é maior na população mais jovem? Que o Exército é uma instituição pública de âmbito federal? Que a sua abertura a portadores de HIV, nem que seja com restrições como não ir ao campo de batalha, é um exemplo ao resto das instituições públicas e privadas para a nova realidade do que é ser e viver como um portador de HIV?

      • Téo diz

        Caro Secret Guy,
        Parabéns pelas palavras lúcidas diante de tanto preconceito escrito em alguns comentários. Ver soropositivos, que mesmo diante de tanto preconceito vivido, não são capazes de reconhecer essas situações é de dar pena. Não precisamos nem de inimigos, rs.

        Abraço!

  9. mma diz

    Eu acredito que varias noticias vão surgir ainda este ano , vamos torcer

  10. Olem diz

    Meus queridos, Amores e Amoras…

    Hoje tive consulta com o meu infecto para saber de como andam meu CD4 e CV, fiz os exames para a contagem após 30 dias de medicação, como faço, opcionalmente, meu tratamento pelo SUS, os exames demoraram um pouco, precisamente demoraram 45 dias para ficarem prontos, mas prefiro assim, pois a assistencia de profissionais no CTA onde me trato é de primeira qualidade, a equipe é humanizada e o infectologista é um verdadeiro anjo, calmo, atencioso e de uma escuta extremamente qualificada.
    No dia de minha coleta eu estava no inicio de uma virose, até fiquei em dúvida se deveria colher o sangue ou não, mas estava com medo de ultrapassar os 30 dias de inicio, ninguém havia me falado que esse limite não devia ser ultrapassado mas encuquei com isso, rsrsrsrsrs. Coisas de minha cabeça!
    Mas enfim, eu estava com uma CV de quase 20.000 cópias e meu CD4 era de 545.
    em 30 dias de medicação meu cd4 passou para 600 e minha CV quase indetectável, apenas 65 cópias. No momento que o médico me mostrou eu não contive a emoção e chorei baixinho, ele ficou calado me observando e disse: “Você achava que não ia ser isso?” e eu falei para ele que eu nunca imaginei que eu realmente fosse ter uma vida quase normal após o diagnóstico. Ele ficou mais um tempinho calado e disse que não estava tão satisfeito, pois queria que já estivesse indetectável, esclareci que eu havia colhido o sangue em inicio de gripe e ele reforçou que isso pode ter influenciado. Falou também que há pessoas que demoram um pouco mais a ficarem indetectáveis, mas que isso não quer dizer que o tratamento é falho! Queria dividir esse momento com vocês que tanto me ajudam a encarar os momentos dificeis de viver com o HIV. Refletindo sobre esses “momentos dificeis” fiquei me perguntando: Em que momento realmente há dificuldade? quais são? quais os nossos limites? o que devemos temer e o que não devemos temer? Meus amores e minhas amoras… viveremos tempo suficiente para achar essas respostas! Sejamos felizes e sigamos, há tanta vida… como dizia um dos poetas nossos: “Há tanta vida lá fora…” E eu vou viver, porque estou imbuído de coragem, tenho um amigo querido que sempre diz: “É de coragem que a vida pulsa!”

    Obrigado a todos vocês, sigamos!

    • Valensi diz

      Você não sabe como me fez bem ler esse comentário. Eu estou tomando a medicação há algumas semanas, e depois disso fico me perguntando também: “O que me faz de diferente das outras pessoas?” e eu acho que nada. Vamos viver muito e com qualidade de vida. Nossa vida é normal. Fora o fato de ter que tomar um comprimido, que graças a Deus existe. 🙂 Seria tão bom se todos pudessem nos ver assim.

    • Salvador diz

      Estou tão feliz por você. Um beijo grande e bola pra frente. Indetectável, aqui vamos nós.

      • HopeAlways diz

        Salvador , vc é de Salvador ? rsrsr , se for somos conterraneos , se usar skype e quiser conversar pode adicionar hopealways6

    • Grave diz

      Emly, concordo com os demais. Em resumo duas coisas são muito importantes: preservar seu sistema imunológico e parar de transmitir o vírus. Por isso sou favorável do início imediato do tratamento.
      Quando vc estiver indetectável a doença será menos grave que diabetes ou hipertensão. Um comprimido e pronto.
      Vida normal, inclusive filhos sem inseminação,.
      Recentemente comemoramos o nascimento do filho de um soropositivo aqui no blog.
      Fique em paz e vinte conosco.

      • Herivaldo Virulato diz

        Amigos, o corretor ortográfico do celular mudou meu nome para “grave” ignorem esse detalhe, quem escreveu fui eu.

  11. caradobemsampa2 diz

    Ainda bem!
    Já imaginou se vira moda, e pra ser admitido em algum lugar ter que se submeter ao teste?

  12. Fernandescarioca diz

    Tenho 35 anos fiquei sem mundo quando em 18 de março de 2015 peguei reagente para hiv fiquei sem entender o porque sempre me cuidei ao extremo nunca fiz sexo sem camisinha tinha muito medo de contrair o virus porque sempre usei com todos nas relações de penetração. vi que errei e fui contaminado na prática que todos dizem ser 1% ou seguro foi no sexo oral porque sempre tive muito zelo pela minha saúde e tinha um agravante um dente que quebrou onde necessita realizar um canal. Tive uma porta de entrada grave E nao atentei pra isso. Esqueci. Onde desde outubro a dezembro de 2014 contrair de um parceiro fixo que sabia que era portador e faz trat ha 9 anos tinha o virus e tratava e nunca havia aberto p mim a sua sorologia e sempre praticamos oral em ambos sem ejaculacao. Praticava muito oral nele estando com o dente nessa situação e ele também não sabia da minha saude bucal pq pensava q ele não era portador. Hj vejo que contrair o virus de umas formas mais banais e que dizem que o risco e nulo e eu pensava que a saliva matava. Triste. Estou há 1 mes com o 3×1 vou tirar sangue agora dia 14. Comecei o tratamento com CD4 em 488 e CV 16.546. Vamos ver apos 28 dias de tratamento seja o que Deus quiser.

    • caradobemsampa2 diz

      Fernandescarioca
      imagino como se sente, parece que tudo desaba. aos poucos vc vai rejeitando as coisas. Acredite. que bom que já está com acompanhamento médico e medicação.
      Se puder refletir ou tentar explicar, me chamou atenção voce ter comentado que seu parceiro está em tratamento (9 anos?). Parece mesmo quase improvável…
      já pensou na possibilidade de voce ter contraido o virus em uma relação anterior?
      tudo vai ficar bem.
      grande abraço

      • Fernandescarioca diz

        Amigo vou tirar essa dúvida com o infecto porque estou medicado sem te passado pelo infecto pq aqui no rio de janeiro na capital o trat ta sendo nos postos de saúde clinicas de família estarei com o infecto do meu plano particular. O meu parceiro falou que ate existe a possibilidade de ter sido com ele. Fico na dúvida. Vc tem toda razão. Mais a forma de contaminação foi pelo oral com certeza onde pensava que o risco era nulo e devido um deslize meu com o dente. Assumo que errei não atendei para minha saude bucal.

    • Téo diz

      Olá Fernandescarioca,
      Seu caso é igual ao de muitos aqui no blog, que se contaminaram de parceiros(as) fixos(as). Entenda que isso destrói o argumento preconceituoso de que quem é soropositivo é pq tem/teve comportamento promíscuo (mesmo que tivesse tido, não podemos julgar os outros por isso). Não temos uma amostragem oficial, mas grande parte dos relatos aqui são parecidos com o seu. Também me contaminei com um parceiro fixo (ele não sabia a sorologia dele, e nós também usávamos camisinha sempre, mas, mesmo assim por um descuido que passou sem eu perceber e eu nem sei qual é, acabei me contaminando). Eu não o culpo e também não me culpo, afinal sempre tentei me proteger. Agora em diante só quero ficar bem, me cuidar e ser feliz. Encarar as coisas de maneira positiva é a melhor saída. Vc vai ver que logo vc vai ficar indetectável.

      Tive algumas dúvidas com relação a sua história. Não sei se entendi direito , mas vc desconfia que contraiu o vírus de um parceiro fixo que vc teve em 2014? Esse seu parceiro, que vc diz estar a nove anos em tratamento, ele não era indetectável? Ele não tinha adesão correta ao tratamento? Caso ele for indetectável, é possível que vc tenha se contaminado com outra pessoa, pois a chance dele te contaminar dessa forma é apenas teórica. Mas sendo qual for a forma que vc se contaminou, tente pensar em vc, se cuidar e viver uma vida plena e feliz. Se cuide, tome os medicamentos da forma mais correta possível e seja feliz, hehehe
      Abraço

      • Fernandescarioca diz

        Teo

        Obrigado por suas palavras. Vou cuidar da minha saúde ao máximo quem eu envolvi me em 2014 dezembro fez o exame em marco e deu nao reagente o único perigo que corri e afirmo foi no sexo oral sem ejaculacao porque nunca gostei. Agora estou no barco e tenho que aceitar a nova realidade que tanto tive medo e cuidado na prática sexual com penetração Nao atentando para a pratica oral. Abraços a todos.

        • Cara+ diz

          Sabe Fernandescarioca

          longe de mim querer ser o “advogado do diabo”, mas lendo a sua história me vem uma série de colocações, das quais nem deveria estar questionando pois são fatos e conclusões baseadas em muita pesquisa, estudo e acompanhamento. Caso não o fossem, não teriam tantas frentes de estudos para uma cura, mesmo que funcional, que demoram, meses, anos, décadas para se chegar a uma conclusão precisa. E só depois disso é que se dá o “veredicto final”.

          E o que falo agora é a comprovação destes estudos. Não achismo!

          Bem por isso te digo, pouco provável você ter contraído o vírus do seu companheiro. É sabido que o tratamento tem por objetivo reduzir a carga viral em níveis indetectáveis e que desta forma a transmissão é praticamente nula. Médicos renomados, inclusive no Brasil, afirmam que estando em tratamento e indetectável (por mais de 6 meses) é mais garantido a tarv do que a própria camisinha (não que uma coisa anule a outra, ok?)

          Se esse entendimento se dá para mães soropositivas, que geram filhos soronegativos, entendo-se que numa gestação a mãe é que dá todo o suporte e alimentação para o feto se desenvolver dentro dela, imagino como seria em outras formas de contaminação de um indivíduo para o outro.

          Vc diz que seu parceiro é soropositivo tem 9 anos e faz tratamento? Das duas uma, ou o tratamento/acompanhamento dele é falho e você não sabe, ou ele falhou no tratamento e você não sabe!

          Outra questão é a prática de sexo oral, que é sabido que o risco de contaminação por essa forma de sexo é infinitamente menor. Mesmo sem ejaculação e somente com o “precum” o cara teria que estar literalmente “liberando” o vírus pelas “ventas”, com uma carga viral altíssima, para você se contaminar. Não em tratamento durante 9 anos.

          Com tantas afirmações feitas, não por mim, mas por gente séria, estudiosa (médicos, cientistas…), comprometidos com os resultados e afirmações que são feitas, você seria, no mínimo, caso de estudo, pois tudo o que eles dizem estaria sendo posto a prova.

          De verdade, seria mais fácil você ganhar no bilhete da quina premiada, do que contrair hiv da forma como vc relatou no seu comentário.

          Desculpe a franqueza e honestidade no meu post, mas como diria minha avó: melhor ler isso a ser cego.

          • fernandescarioca diz

            è a saída de um pouco de sangue no oral. Mas isso não adianta mais nada. Já estou com o vírus.

            • Cara+ diz

              Bom Fernandescarioca

              reforço o que te escrevi acima, principalmente a parte que diz: “Vc diz que seu parceiro é soropositivo tem 9 anos e faz tratamento? Das duas uma, ou o tratamento/acompanhamento dele é falho e você não sabe, ou ele falhou no tratamento e você não sabe!”

              E caso se comprove essa forma de contaminação, por praticar sexo (seja ele qual for) com um parceiro indetectável, sugiro que procure os órgãos competentes, pois você seria a exceção de toda a fundamentação teórica de vários estudos feitos até então. E isso precisa ser averiguado!

            • Cara+ diz

              Adianta sim, Fernandescarioca, se pensares que esse blog é fonte de informação de milhares de pessoas em busca de maior conhecimento a cerca da doença.

              qualquer desavisado de plantão que lê o seu post, pode ter a falsa idéia de que uma pessoa em tratamento e que se cuide, é um risco, o que não é verdade.

              Informação correta nunca é demais!

    • 27RJ diz

      Fernandescarioca, não acho que você tenha se contaminado com esse parceiro (considerando que ele se trata e tem CV indetectável)… Para a transmissão ocorrer via sexo oral, é preciso ter uma barreira muito aberta e uma secreção com CV lá em cima e não me parece o seu caso. Quando descobri minha sorologia também passei pelo mesmo questionamento que você. E atualmente acredito que fui vítima de alguma camisinha furada propositalmente ou não (e sem que eu percebesse), em tempos que o protocolo não era testou tratou…

  13. Augusto diz

    Boa noite, preciso muito de ajuda há 3 meses descubrí que sou soropositivo fiquei super mal e estou até hoje, na primeira semana fui até o SUS a doutora marcou os exames mas eu não fui, quis realmente esquecer tudo isso pensava que esquecendo não teria mas problema, enfim graças a um programa na TV que assisti resolvi correr atrás do meu prejuízo e encontrei esse site, não sei por que tomei essa atitude de uma pessoa fraca, mas também creio que não tive muito apoio no SUS a doutora não conversou direito comigo somente marcou os exames e pronto sai do hospital as escuras sem saber com o que estava lidando e como tudo funacionava.
    Conto com vocês para me ajudar a tomar asnatitudes corretas, obrigado.

    • Téo diz

      Olá Augusto,

      Pense em vc e no seu futuro. Não enfrentar a doença não vai fazer ela sumir, na verdade só vai criar mais complicações para você num futuro. Pense em você e na sua saúde, faça o favor por vc e enfrente com coragem o vírus. Aqui no blog vc sempre vai encontrar o apoio que precisa e conselhos de outros leitores. Leia bastante sobre o assunto, isso me acalmou muito quando descobri minha sorologia positiva. Desconstruir preconceitos internos é importante pra nós enfrentarmos o vírus sem medos.

      Com relação a médica que te atendeu procure tratamento com outro profissional. Se sentir acolhido nessa etapa é muito importante para que vc tenha a adesão necessária para o tratamento surtir efeito (e se fizer o tratamento certinho não tem outro final senão se tornar indetectável em pouco tempo e ter uma vida sem prejuízos). Marque outra consulta para retirar novas guias e peça que a consulta seja agendada com outro infectologista. Vc tem esse direito. Eu me trato pelo SUS tb e acho o atendimento dispensado a mim ótimo. Tenho certeza que vc vai conseguir encontrar uma equipe que te atenda da maneira que vc precisa.
      Qualquer coisa se precisar conversar me mande email: telesse8@gmail.com

      Abraço,

    • Cara+ diz

      Augusto

      estamos aqui para ajudar. Faça os exames, marque a infecto, faça cd4 e cv para ver como a doença está em seu organismo, comece o tratamento tendo a certeza que a partir de agora você está no comando da situação e te digo que tudo voltará ao seu eixo normal. Esse primeiro impacto é bem complicado, mas estamos aqui e somos a prova de que muita vida de qualidade existe depois do diagnóstico.

      Força e fé! que logo estarás relatando aqui sobre suas conquistas, sobre seus ideias e comemorando com a gente!

  14. Pequena + diz

    Boa noite gente 🙂

    Hoje venho partilhar o que anda acontecendo com minha vida.
    Exatamente finalzinho de abril a descoberta do meu sangue azul fez aniversário , aguentei firme esse tempo sem iniciar o tratamento.
    Tudo com o acompanhamento do meu infectologista.
    Ontem fui saber o resultado da minha última coleta, estava um pouco ansiosa, faz parte..rs..
    Enfim cd4 baixou para 489, mas a cv inexplicavelmente caiu para 900.
    Aí como era nosso trato, se o cd4 baixasse de 500 iria iniciar o tratamento, peguei a receita para o início do tratamento com o 3 em 1.
    Tomei o primeiro comprimido ontem a noite antes de dormir.
    Estava bem apreensiva, pelos relatos de muitos que já li por aqui.
    Apaguei, não vi nada, não sonhei com patos de neon, não tive vômitos , cólicas, nem diarreia, a única coisa que tive foi uma pequena tontura pela manhã.
    Estou super tranquila, graças a esse blog e a ajuda de amigos especias que fiz aqui.
    É vida que segue com força, fé e foco ❤
    Um forte abraço Pequena+

    • caradobemsampa2 diz

      Grande Pequena+
      Estou no 19º do 3×1 e o que senti foi apenas leve tontura ao levantar nos dois primeiros dias. De resto, nao senti nadica de nada.
      Fique firme e forte.
      Vai passar bem por essa.
      abraçao

    • Madamemin diz

      Pequena querida,

      Adorei a história do tal pato neon….kkkkk
      É vida que segue mesmo!
      Bjinhos

    • Luz diz

      Difícil eu rir mas “patos de neon” me fez gargalhar aki!vlw!
      Tontura é o q eu sinto até hoje,infelizmente!
      Mas,tudo bem pois afinal nem num sonho nós que vimos a década de 80 imaginaríamos que poderíamos algum dia ter hiv e tomar um único comprimido e reclamar de tontura pela manhã!!!temos que agradecer a Deus com os joelhos no milho por termos chegado nessa “era”porque os de antes viveram um verdadeiro pesadelo!

      • HOPE diz

        Concordo plenamente com vc.
        Assim como o caradobemdesampa2 tb estou tomando ha 19 dias o 3×1, senti semana passada uma coceira incontrolável na sola do pé quando andava e comecei a notar pequenas pintas vermelhas nos braços… (n sei se era coisa da minha cbça, por ser branco poderia ser qql coisa)
        Falei com minha infecto e ela me receitou Zina. A sensação de formigamento e coceira no pé passou e eu estou me sentindo muito bem.

        Rumo ao indetectável !!!!!

    • Cara+ diz

      Nossa amada Pequena+

      amiga de tantos relatos e conversas via skype.
      Te disse que era tranquilo né? Se já começou assim, daqui para frente é só vida que segue!

      mega beijo

    • Pequena + diz

      Boa tarde pessoal 😉

      Venho dizer que ontem foi meu segundo dia de 3 em 1 e não senti nada.
      Nem tontura dessa vez ao levantar.
      Tudo na maior normalidade 🙂
      Nem parece que os relatos escritos aqui são do mesmo remédio?
      Como pode tantas pessoas sentirem tantas coisas ruins?
      Esses relatos me davam muito medo.
      Enfim, cada pessoa reage de uma forma diferente.
      Mas estou muito feliz e queria muito dividir com vcs essa minha alegria.
      Pois querendo ou não vcs se tornaram parte de minha família ❤
      E o início do tratamento não é um bicho de sete cabeças.
      É vida que segue, correndo atrás dos sonhos que jamais deixei de sonhar ❤
      Um forte abraço da Pequena +

      • Pequena + diz

        Boa tarde pessoal em especial 27 RJ 😉

        Terceiro dia do 3 em 1.
        Não senti absolutamente nada.
        Estou ótima, me alimentando normalmente, indo ao banheiro como de costume, nenhuma alergia, nada mudou.Tudo na normalidade.
        Quanto aos patos de neon, também morria de medo…rs…
        Mas acho que vai muito do nosso psicológico estar bem e do apoio que recebo do pessoal aqui do blog e do pessoal do CTA que me trato.
        Ah, temos que ter confiança que tudo vai dar certo sempre!!!
        Acho que foi isso que me ajudou. 😉
        Se for para o seu bem estar, mude sim 27 RJ e sem encanar, vai dar tudo certo 🙂
        Um forte abraço da Pequena + ❤

        • hmax+ diz

          Ola pequena, fique tranquila, estou no 31º dia de tratamento e ate agora so tive uns sonhos, que por sinal foram engraçados. Tive a sensaçao de que estava bebado ao levantar no meio da noite pra ir ao banheiro e mais nada. Estou muito feliz, tinha medo tambem, agora tomo meu medicamento como se estivesse tomando umas vitaminas.

    • Soropositivo diz

      Hoje conversei longamente com uma prima infecto que é especialista em HIV há anos. Ela tem me dado um suporte legal desde o dia do diagnóstico. Ela foi categórica ao dizer que os prós do início imediato da TARV superam quaisquer contras — não apenas em termos de saúde publica (não-transmissibilidade), como também em termos de benefícios para o infectado. Afinal, além de preservar em maior número as células T, a TARV precoce reduzir consideravelmente a danosa inflamação cronica do HIV no organismo. Ela disse que os regimes atuais não são isentos de toxicidade, mas que é possível mitigar os efeitos colaterais com hábitos saudaveis — além de infecto, ela é dermatologista com foco em soropositivos. Disse também que a terapia atual é bem mais efetiva e segura do que as passadas, e que acredita que a tendência é a ciência só melhorar essa situação, através das novas drogas que serão lancadas (e que chegarão sem demora ao Brasil). Confirmou também aquela coisa da infecção cronica pelo HIV ser menos danosa do que a diabetes para o organismo, e disse que hábitos como o tabagismo, por si, são muito mais danosos do que ter o vírus por décadas sob controle.

      • Antonio diz

        Cara, em que cidade sua prima atua? Se em SP vc passaria contato dela? Quero mudar de médico e precisaria encontrar alguém experiente e confiável…estou com medo e insatisfeito com o infecto atual…..
        gettogether.sp@gmail.com

        • caradobemsampa2 diz

          Oi Antonio
          estou em sampa, meu infecto parece experiente. atende tb no cta sta cruz.
          se interessar…. passo os contatos.
          abs

    • 27RJ diz

      Queria muito trocar para o 3×1…meu médico já propôs…mas “cago” de medo dos tais patos de neon….

      • vivendopositivo diz

        Os meus foram coelhos com rastros de arco iris . Não achei agradável. Pelo menos foi so na primeira noite .

        • Cara do Bem Sampa diz

          Não tive nenhuma alucinação, nem patos, nem coelhos rs
          tomo a medicação e vou dormir…. e tenho acordado ótimo!
          que continue assim rs
          abraçao

          • Wagner-sp diz

            Eu também não tive nenhuma alucinação, mas até que fiquei um pouco curioso sobre como seria!! Só tive uma sonho muito real sobre uma participação num talkshow e a equipe que eu estava ganhava o programa respondendo o PIB do Quênia hahaha (nerd até no sonho)
            Até agora o tratamento vai bem, apesar de uma alergia que tive no 13 dia e que foi controlada com medicação! Ontem retornou levemente, mas nada comparado como fiquei!!!

            • Oi wagner, estou com uma alergia terrível tomando hixizine e nada em qnt tempo passou a sua?

              • Wagner - SP diz

                Lara,
                Praticamente no dia seguinte já tinha sumido qse 100%. Tomei predinisona 20mg por 5 dias e estou tomando outro antialergico que esqueci o nome por mais 10 dias! Tô na casa da mãe e coloquei tudo em porta comprimidos!

    • Tati diz

      Pequena.. fiquei muito feliz por vc, tb me adaptei super rápido ao tratamento, você vai tirar de letra esses remedinhos… Bjokas… 🙂

  15. Um amigo me perguntou sobre a possibilidade de se mudar para outro país quando se é soropositivo. Mais especificamente, para a Holanda. Alguém sabe como é o tratamento lá? É gratuito como no Brasil? Isso também vale para estrangeiros? Ou é igual ao EUA, na política do pagou tá vivo?

  16. Téo diz

    Também gostaria de saber essas informações, dandande.
    As informações sobre essas coisas são bem difíceis de encontrar. Eu gostaria de fazer uma pós fora do país, mas não sei de que forma poderia dar continuidade no tratamento nesse período.

  17. HopeAlways diz

    Só registrando que entrar neste blog diariamente é energizante. Delícia pode encontrar gente forte, de bem com a vida e dispostas a ajudar o próximo. Quanto aprendizado, quanta energia boa. Que Deus possa abençoar a cada um de vcs DEUS LINDOS!!

    • HOPE diz

      hauhuahha.. adorei

      eu tb chego em casa e venho logo para meu pc para ler as matérias e os comentários… confesso que hj não saberia viver sem estes posts… amo todos vcs!!! S2

  18. ManausIndeterminado diz

    Pessoal, tenho um amigo que fez um pós-doutorado em Portugal e deu td certo para ele. Levou uma boa qtde de medicação daqui e lã conseguiu atendimento. Nesse caso, o SUS é muito bom. Mudamdo de assunto…. Hoje (terça) foi meu 10 dia de Pep tomando Kaletra e outro bagulho lá e… surpresa! Comecei a me coçar demais. Alguém ne dê uma ajuda do que passar para melhorar a vermelhidão e a coceira e os inchaços! Tbm meus pés estão meio escuros e ressecados.
    Abs e me add no skype: ManausIndeterminado

    • Cara+ diz

      ManausIndeterminado

      quanto aos pés, sugestão, adote um creme hidratante, que ajudarão bastante. Quanto a vermelhidão, se realmente forem muito incômodos, tente um contato com seu infecto e/ou equipe especializada que te acompanha, que eles te dirão qual outro antialérgico é interessante administrares nesse período.

      Mas tenha certeza, eles passam, e logo!

  19. Pessoal a porcaria da Globo, hj no jornal das 12:30 a tarde informou que portadores de hiv, so vivem no maximo 12 anos, mais uma falta de informação divulgada na midia e na mais ignorante de todas a Rede Globo, eles não divulgam o tratamento e sim a morte por aids, mais como sabemos não temos aids temos hiv, que logo logo eliminaremos, Porcaria de Rede Globo, jornal para assustar a população e não orientar

  20. SPTV da Globo uma Porcaria, deveriam divulgar que aids, é diferente de portadores de hiv

  21. Desde janeiro, a Secretaria de Estado da Saúde recruta voluntários para testes de uma nova vacina contra a AIDS. O ideal são 25 pessoas, mas, até ontem, só 2 tinham sido selecionadas para participar, o que põe em risco a pesquisa. Interessados podem entrar em contato pelos 5087-9915 e 5082-3954, pelo e-mail vacinas@crt.saude.sp.gov.br ou comparecer à Rua Santa Cruz, 81, Vila Mariana.

    • Emily diz

      Oi gente, tudo em paz? Fui marcar meus exames hoje e meu Deuss, quanta coisa, ufa.
      Me trato pelo SUS, perguntei a respeito do 3 em 1 e eles me disseram que só tinha coquetel, mas que os efeitos eram os mesmos, a única diferença do 3 em 1 é que é só um horario pra tomar, ta certo isso?
      Pra quem não sabe descobri ser positiva antes de ontem e bom, o choque já passou, estou ok e vou enfrentar isso com muito otimismo.
      Tudo de bom meus amores ❤

      • Emily, conheço minha TARV, comecei em 07/11/14 com 3 tipos de medicamentos e eram 4 cápsulas. Esses 4 comprimidos equivalem exatamente ao 3×1 de agora e eu os tomava todos juntos uma vez ao dia. Efeitos? Dizem ser iguais, sendo 1 ou as 4 cápsulas. Vc se trata em qual cidade e estado?

  22. Imaginem agora em 2015 e indetectavel

    Entre 1996 e 2008, a expectativa de vida entre os pacientes ingleses com HIV aumentou em 15 anos, segundo estudo publicado nesta quarta-feira no British Medical Journal. A ampliação deve-se principalmente aos novos medicamentos antirretrovirais, principalmente se administrados no começo da doença. Segundo a pesquisa, a aids pode ser considerada uma doença crônica se o tratamento for seguido à risca, embora a expectativa de vida entre os doentes seja menor que entre a população em geral.
    Saiba mais

    O que diz a pesquisa

    A expectativa de vida de pacientes com HIV aumentou em 15 anos, na Inglaterra, no período entre 1996 e 2008

    Por que isso aconteceu

    A introdução de novos medicamentos antirretrovirais combinados com o início do tratamento quando a doença ainda está no começo elevaram a eficiência do tratamento

    Por que isso é importante

    Mostra que a adoção desses tratamentos entre os pacientes e o cumprimento deles à risca impacta de maneira positiva a expectativa de vida, deixando-a próxima da população em geral
    Uma equipe de pesquisadores, coordenados pela Dra. Margaret May, da Universidade de Bristol, comparou dados da população britânica em geral com dados coletados de 17.661 pacientes com aids com mais de 20 anos de idade, entre 1996 e 2008.
    A análise mostrou que a expectativa de vida média para quem tinha 20 anos de idade saltou de 50 para 66 anos de idade. Entre as mulheres com HIV, o acréscimo foi maior: elas chegam até os 70 anos idade, contra 60 dos homens. A expectativa de vida entre a população britânica é de 78 anos para homens e 82 para mulheres.
    O estudo também mostrou que o grande impacto na expectativa de vida causado pelo início do tratamento no tempo certo. Feito de forma errada, pode resultar em uma perda de 15 anos na expectativa de vida.
    O vírus HIV ataca as células de defesa do organismo. Para saber quando é necessário administrar os antirretrovirais, é preciso monitorar a quantidade de células imunológicas chamadas CD4 no organismo. Em alguns casos, porém, o número de células CD4 já está em um nível muito baixo, tornando impossível reverter a queda. Neste caso, o paciente morre em pouco tempo, graças a alguma infecção oportunista.
    Segundo a pesquisa, quando o número de células CD4 por milímetro cúbico de sangue é de até 100, a expectativa de vida média é de 58 anos; se o número for entre 100 e 199, passa para 61 anos; e entre 200 e 350 vai para 73 anos. Em uma pessoa HIV-negativa, o número de células CD4 fica entre 600 e 1.200 por milímetro cúbico.
    “É preciso identificar as pessoas com HIV logo no início da doença para evitar o impacto altamente negativo de se administrar a terapia antirretroviral quando a contagem de CD4 está abaixo de 200 células por milímetro cúbico”, afirma o estudo.
    O estudo deixa claro também que apesar dos ganhos serem encorajadores, nem todos os pacientes apresentam o mesmo grau de melhora com os tratamentos.
    “É preciso alertar que os ganhos na expectativa de vida só foram alcançados graças com a identificação da doença em seu início, monitoramento regular e tratamento ininterrupto”, afirmaram os autores do estudo.

    Ate la estaremos curados

  23. O primeiro estudo a testar uma terapia através de anticorpos potentes em pacientes com HIV reduziu a presença do vírus em até 300 vezes, de acordo com uma matéria publicada ontem na Revista Nature.

    Pesquisas anteriores, com camundongos geneticamente modificados e em primatas não-humanos, com uma versão diferente do vírus da imunodeficiência, mostraram sucesso, mas este foi o primeiro ensaio a testar esta modalidade de terapia em seres humanos.

    “Os achados do presente estudo são muito importantes na medida em que é a primeira prova de que conceitos como uma “anticorpo-terapia” (Imunoterapia) de base pode ser eficaz em controlar infecção por HIV,” disse Barry Zingman, M. D., Diretor Médico da AIDS Center e diretor clínico da Divisão de doenças infecciosas no Moses Montefiore Medical Center.”Se estudos futuros continuarem a mostrar eficácia e ausência de efeitos colaterais,” ele disse, “essa terapia pode substituir ou complementar o padrão atualmente utilizado nas terapias contra o HIV/AIDS”.
    Ilya Ilyich Mechnikov (Carcóvia, 16 de Maio de 1845 — Paris, 16 de Julho de 1916).

    Embora não se trate de um dos autores do estudo, o Zingman é um dos que estão colaborando com o grupo de pesquisa para o estudo do anticorpo e terapias relacionadas (imunoterapia), com seu centro referência, que envia pacientes para o grupo de estudo. O tratamento com anticorpo consistiu em injetar concentrações variadas de anticorpos “amplamente neutralizantes” em 12 pessoas não-infectadas e 17 infectadas pelo vírus HIV, que foram observados por 56 dias. A maior queda na carga viral – até 300 vezes – foi observada em oito pacientes infectados que receberam a maior dose (30) mg por quilo de peso.

    O sistema imune tem uma tarefa difícil na luta contra o HIV, porque ele deve produzir um anticorpo específico para cada cepa viral e esta tem de ir em busca já referida cepa(do vírus), mas no momento em que o organismo consegue gerar o anticorpo específico, a cepa objetivada já passou por uma nova mutação, e o anticorpo não consegue atacá-la, porque não esta apto a identificar a nova cepa.

    O que acontece quando são injetados no organismo anticorpos tão específicos, é que eles podem atingir muitas cepas diferentes do HIV de uma só vez (especificamente 195 de 237).
    Antikörper und VirenMultidão de anticorpos amplamente neutralizantes atacando o HIV
    O anticorpo, chamado 3 BNC117, é um anticorpo humano considerado “amplamente neutralizante”, que cerca de 10 a 30 por cento das pessoas com HIV podem produzir depois de terem sido infectadas por vários anos, mas o vírus quase sempre avançou para além do alcance destes anticorpos quando eles (os anticorpos) são produzidos.

    Assim, injetá-los em indivíduos antes que seus corpos tenham produzido, dá-lhes uma vantagem competitiva.

    O anticorpo visa especificamente o local primário usado pelo vírus (do envelope ou invólucro exterior), para se ligar às células de defesa do organismo conhecidas como “CD4” (aquelas que nós, portadores do vírus, verificamos de três em três meses, ou menos, para saber sobre a nossa saúde. Atacando este receptor específico (o receptor CD4 que dá nome à célula) anula a capacidade do HIV de se ligar às células de defesa, também conhecidas como linfócitos T, e, em seguida, a replicação nas células, através de processos que você poderá entender clicando aqui.

    As aplicações potenciais da pesquisa são de longo alcance, Zingman disse. “Curar uma infecção com esse tipo de terapia é improvável (ainda que remotamente possível), mas pode ter muitos outros usos potenciais se os estudos futuros comprovarem nossas hipoteses:

    Tratar uma infecção por HIV por si só ou em combinação com outros anticorpos ou outros agentes anti-HIV
    Impedir que a infecção por HIV em alguém que foi exposto ou parcialmente exposto ao HIV por meio de uma exposição ocupacional por exemplo, ou mesmo numa Profilaxia Pós Exposição.
    Prevenção profilática para a infecção por HIV em pessoas com alto risco para a infecção (ou seja, uma vacina)
    Prevenir a infecção em recém-nascidos mães soropositivas
    Tratamento alternativo para pacientes com HIV tornou-se resistente a todos os medicamentos contra o HIV/AIDS em seu organismo (falência terapêutica completa).

    Ainda assim, o tratamento não funciona isolada ou magicamente para todos os portadores do HIV.

    “É improvável que um único anticorpo neutralizante possa sustentar a supressão viral por um longo período”, afirmou a coautora do estudo, Florian Klein, M. D., professora assistente de investigação clínica na Universidade Rockfeller, do Laboratório de Imunologia Molecular. “Portanto, anticorpos neutralizantes são mais susceptíveis de serem usados em conjunto com outros anticorpos neutralizantes ou com antirretrovirais atualmente disponíveis.”
    A imunoterapia foi bem tolerada nos participantes, e as cargas virais em metade dos indivíduos que receberam a dose mais elevada mantiveram-se abaixo dos seus níveis iniciais sem qualquer prova de desenvolvimento de resistência viral. No entanto, possíveis danos incluem reações alérgicas se os anticorpos foram reconhecidos e atacados pelo sistema imunológico do hospedeiro (o equivalente a uma rejeição, se fosse um transplante). Outro risco é que os anticorpos possam vincular a outros lugares, diferentes dos que o HIV se utiliza para a “ancoragem ao linfócito”, embora isso seja menos provável, uma vez que o anticorpo é um humano que é altamente específico para o HIV, Klein disse.

    As próximas etapas incluem mais estudos, envolvendo uma diversidade maior de indivíduos soropositivos e explorar formas de melhorar a Imunoterapia, como tentar modificá-la para torná-la mais potente ou testar o seu uso com outros anticorpos ou medicamentos contra o HIV/AIDS.

    Outra possibilidade é observar se os anticorpos podem ir em busca do vírus, depois que ele já tiver invadido as células, onde os antirretrovirais ainda correntemente existentes não conseguem chegar. Além disso, os pesquisadores estão investigando-se o sistema imunológico de uma pessoa não infectada pelo HIV poderia vir “aprender” a produzir estes anticorpos em número suficiente que pudessem vir a evitar uma infecção; neste caso os anticorpos poderiam ser utilizados como uma teórica vacina contra o HIV.

  24. rick diz

    Alguém aqui faz uso de AZT + 3tc, ritonavir + atazanavir? minha bunda está murchando eu acho! srsrsrsr Faço três anos de TARV em setembro! Fiquei indetectável assim que comecei a TARV!

    • Téo diz

      Olá Rick,
      Converse com a equipe que acompanha seu tratamento. Pode ser que vc esteja passando pelo processo de lipodistrofia.
      Seu primeiro coquetel já foi com o AZT + ritonavir + atazanavir? Alguns medicamentos podem desenvolver lipodistrofia mais facilmente. Converse com seu/sua médico(a) e considere, talvez, mudar os medicamentos. Outras orientações serão dadas pela equipe.
      No mais é sempre bom fazer exercícios, ajuda a manter o corpo no lugar (independente de tomar ou não o coquetel, hehehehe) mas nós temos que ter cuidados redobrados com isso. =)
      Fique na paz!

    • Brumo diz

      Rick

      Já conversou com seu médico sobre o esquema lamivudina + tenofovir + atazanavir + ritonavir?

      Talvez o AZT esteja causando esse “problema”…

      • Brumo diz

        Corrigindo: Talvez o AZT + 3TC esteja causando esse “problema”…

        Conversa com o médico e depois nos diga, blz?

        Boa sorte e fica bem. Abss!

          • Brumo diz

            Sim, é que a combinação azt+lamiduvina(3tc) seria mais propensa a lipodistrofia do que se usado atazanavir…

            • D_Pr diz

              Ahh entendi, dai no caso usa só lamivudina e atazanavir! Obrigado

              😀

    • ManausIndeterminado diz

      Rick,

      Estou tomando AZT + 3TC associado á Lvr. Hoje é meu 11 dia de tratamento PEP, ainda faltar 17, mas tbm tive a sensação de bunda meio murcha rsrs. Tirando isso, umas coceiras no 9 dia e um desconforto gastrointestinal básico. Sem patos de neon, o que é uma pena…. (Não uso alucinógenos, mas se estou passando por isso queria ver os patos de neon!).
      Quem quiser me add no skype ManausIndeterminado

    • FG-PR diz

      Rick eu iniciei com essa combinação e tomei por 6 meses, meu rosto começou a afinar devido a Lipoatrofia, eu solicitei a minha infecto a troca do AZT pelo Tenofovir e minha vida mudou para melhor, meia desconfortos estomacais sumiram e passei a tomar remédio apenas uma vez por dia. Eu quero distância do AZT.

      • Rick diz

        FG, tenofovir é o efavirenz? E os pesadelos e colesterol? Como estão suas taxas de triglicérides?

        • FG-PR diz

          Rick, tenofovir não é o Efavirenz, a combinação que tomo e citei acima não eleva níveis de colesterol e trigliceris, desde o início do tratamento meia níveis de colesterol e trigliceris estão abaixo da normalidade como sempre foram, lógico que tenho uma alimentação balanceada.

  25. Tony Pr diz

    Hoje tomei vacina para gripe. O mais engraçado era a cara dos velhinhos se perguntando: o que esse menino deve ter para estar aqui na fila para tomar injeção da gripe ? ):

  26. HopeAlways diz

    Olha que bacana mais uma avanço:
    Um trecho traduzido:

    Implante subdérmico para HIV poderia “revolucionar” a forma como os doentes são tratados, pela liberação de drogas automaticamente para o corpo:

    O dispositivo funciona através da apresentação de uma quantidade controlada de medicamentos anti-retrovirais durante um longo período de tempo.
    Os primeiros testes em animais revelaram nenhum efeito colateral ao longo de um período de 40 dias. O autor do estudo e fundador da Oak Crest, o Dr. Marc Baum, disse: “Para o nosso conhecimento, este é o primeiro implante a ser utilizado para esta finalidade.
    “Este novo dispositivo irá revolucionar a forma como tratar ou prevenir o HIV e a Aids, uma vez que oferece poderosos medicamentos que param o HIV e elimina um dos principais obstáculos na prevenção do HIV / Aids -. Adesão a regimes de dosagem adequados ‘
    Ele disse que os médicos e cientistas reconhecem que um dos principais inconvenientes dos tratamentos atuais é o problema de pacientes tendo que se manter tomando religosamente os medicamentos.

    Matéria completa em: http://www.dailymail.co.uk/health/article-3070052/HIV-implant-revolutionise-way-patients-treated-releasing-drugs-automatically-body.html

  27. Soropositivo diz

    Agora uma dúvida: estou há 10 dias em TARV com o 3 em 1. Tenho me sentido deprimido e sonolento como nunca. Tenho depressão (trato-a com antidepressivo), mas estou com medo dessa piora se dever ao Efavirenz, e estou com medo que ela permaneça — a ideia de trocar de combinação tão cedo não me apetece, embora minha prima infecto não veja problemas. Alguém com experiência parecida pode me dar uma luz? Obrigado.

    • Soropositivo, eu fico meio deprê se tomo café depois da TARV (e a depressão bate na hora e no outro dia fico mal humorado).
      É só o que pude notar comigo, claro.

    • Também tenho ficado com muito sono e preguiçoso. Tomava bupropiona que me deixava super esperto o dia todo, mas ele tem interação com efavirenz, então voltei a tomar citalopram. Deprimido mesmo não me sinto, só com preguiça danada. Ontem tava de folga, dormi de meio dia a 21h num piscar de olhos.

    • Tony PR diz

      Mudei de combinação faz 1 mês por conta do efavirenz. Estou bem melhor. Nada de pesadelos e problemas de memória e concentração. Eu recomendo a mudança, efavirenz faz muito mal ao nosso sistema nervoso.

    • Wagner-sp diz

      No meu caso, com exceção da alergia, não senti mais nenhum problema! E nem dificuldade para estudar e trabalhar!!

  28. farmacêutico diz

    Bom dia !

    As diretrizes do governo americano colocam regimes a base a base de Efavirenz para segunda linha de tratamento, na primeira quase todas as combinações contam com inibidores de integrase.
    Recomendo a todos lerem as diretrizes, muito do que discute aqui esta lá, é um documento de 300 páginas nas vale a pena ler!
    colocarei dois link , um comas diretrizes e um com um breve resumo.

    http://aidsinfo.nih.gov/contentfiles/lvguidelines/adultandadolescentgl.pdf
    http://i-base.info/htb/28242

  29. Emily vc e de SP recomendo se vc for da zona sul ou oeste o CTA do Butantã, muito humanizado

  30. “Molécula-Abridora” do HIV expõe as partes mais vulneráveis do vírus; o que significa um “possível desenvolvimento de uma vacina. ”

    Maio de 2015

    Seria esta, uma esperança?

    Ao testar uma molécula desenvolvida recentemente, JP-III-48, em amostras de sangue de pacientes HIV-positivos, os pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá observaram algo inovador. A molécula tinha a capacidade de abrir o HIV “como uma flor.” Embora este achado ainda esteja em seus estágios iniciais, a equipe espera que possam definir uma base para novas medidas preventivas e, possivelmente, mesmo uma maneira de eliminar o vírus de pessoas já infectadas pelo HIV.

    Parte da razão pela qual os cientistas encontram uma grande dificuldade em criar uma vacina para o HIV é que o vírus tem uma maneira única de escapar ao sistema imunológico. Embora o hospedeiro crie anticorpos contra o HIV, não existe uma maneira de alcançar fisicamente o vírus, é difícil para o corpo humano montar uma resposta imune efetiva contra ele. Um estudo recentemente publicado pela Academia Nacional das Ciências, sugere uma maneira de contornar as defesas do HIV.

    O vírus é semelhante a um pacote hermeticamente fechado. Descobrir uma forma de ”abrir” o HIV permitiria que os anticorpos cheguem a regiões mais vulneráveis do vírus e eliminem, assim, a infecção.

    Harvard e a Universidade da Pensilvânia os pesquisadores desenvolveram JP-III-48, mas em Montreal, Canadá, pesquisadores foram os primeiros a testar com sucesso em pacientes HIV-positivos. A molécula imita a CD4, uma proteína localizada na superfície dos linfócitos T. A proteína CD4, que dá seu nome às células específicas do sistema imunológico que o HIV infecta, funciona como uma porta de entrada para as células T e permite que o HIV entre e infecte as células. Foi em Montreal o primeiro estudo em que os pesquisadores adicionaram a molécula JP-III-48 em pacientes infectados com HIV-1 (a forma mais comum do vírus) e testemunhou-se a “abertura das estruturas virais como flores”.

    “A adição da pequena molécula viral envolve as forças necessárias para abrir o vírus como uma flor “, disse o autor do estudo, Jonathan Richard, explicando em um Comunicado à Imprensa. A molécula força o vírus a expor as partes que são reconhecidas por anticorpos do hospedeiro. Os anticorpos e, em seguida, cria uma espécie de ponte com algumas células do sistema imune e forma um ataque. “Os anticorpos que estão presentes naturalmente após a infecção podendo direcionar as células infectadas pelo vírus para que elas sejam mortas pelo sistema imunológico,” acrescentou Richard.

    Até agora, os efeitos da molécula JP-III-48 sobre o HIV só foram observadas no soro de pacientes HIV-positivos, mas os pesquisadores esperam que em breve o teste desta “molécula-abridora” em primatas com uma versão símia do vírus.

    Os pesquisadores especulam que esta descoberta poderia ter enorme potencial em pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina contra o HIV/AIDS. Outro fator que torna tão difícil a luta contra o HIV é que, mesmo se eliminando o vírus totalmente da corrente sanguínea, restam vestígios ainda latentes do HIV em reservatórios, à espera de retornar assim que cessa o tratamento.

    A equipe acredita que a “molécula-abridor” possa desempenhar um papel importante na superação desta defesa viral. Se os cientistas puderem desenvolver uma forma de “patrulha-choque” contra os vírus, de forma a força-los a deixarem seus reservatórios eles podem ser mortos usando a “molécula-abridora” como na estratégia explicada no início deste artigo, utilizando os anticorpos que o organismo é capaz de gerar.

  31. Tem, D_Pr, serio, muita coisa né, logo logo, sai uma definitiva e viavel para todos nós, com fé em Deus

  32. gutto diz

    eu tbm ainda nao entendo sobre esta coisa de indetectável.. sou indetectável desdo segundo mes q tarv e ha 6 mes estou no tratamento.. Vejo, leio sobre a transmissão do vírus nao é possível neste caso, mas nao vejo ninguém transando sem camisinha mesmo sendo indetectável.. claro, existem risocos de outras doenças… mas casais q ambos sao soropositivos e indetectáveis, nao podem fazer sexo oral? ( gente é só uma duvida me perdoem se é ignorância da minha parte) srs

  33. Gledson diz

    Ola amigos,

    Gostaria de tirar uma dúvida em relação ao tenofovir, ele de fato eh prejudicial aos nossos rins? Há mais ou menos duas semanas estou sentido umas dores na região, estou um pouco preocupado com isso. Irei informar ao infecto na próxima consulta, mas é somente no mês que vem… Enquanto isso, vou me acostumando a beber água, pq n sou muito acostumado. Ainda por cima parei com a atividade física..

    Mas, espero que n seja nada demais..
    Abraços a todos!!

    • FG-PR diz

      Gledson o Tenofovir ataca os rins sim, mas a única maneira de avaliar isso é por exames de creatinina e uréia, dores na região dos rins na maiorias dos casos é na verdade dores nas costas ou cálculo nos rins.
      Quanto a água é importante que se tome, mas quando fui na consulta com o Dr. Ésper ele me disse que não existe nenhuma relação entre o efeito que o Tenofovir causa com a quantidade de água tomada, segundo ele se tiver que atacar irá acontecer independente da quantidade de água tomada. Sugiro que vc converse com seu infecto e peça um encaminhamento para um urologista. Eu tá vá com dores esses dias e acabei descobrindo que era cálculo renal, enchi a cara de água e a pedrinha saiu e acabou ninjas dores.

      • Gledson diz

        Obrigado amigo!

        Irei fazer exames no próximo mês ainda para a próxima consulta, mas acho que vou fazer logo esse de creatinina e uréia.

        Abs.

  34. M. diz

    gente hj completei 1 semana de tratamento 3×1. nenhum efeito colateral. mt feliz!

  35. Wagner-sp diz

    Galera uma pergunta/dúvida..Das combinações de tarv existentes no Brasil, qual vcs consideram que é a menos tóxica a longo prazo e que causa menos efeitos colaterais?

    • D_Pr diz

      Gutto, eu já vi e existem umas pessoas que concordam com isso, que não são portadoras do vírus, é claro…Sobre o Peter Duesberg segue um fato:

      “…Entre 1999 e 2007, o governo da África do Sul implementou políticas de saúde de combate à AIDS baseadas nas teorias de Duesberg. Tais políticas foram totalmente mal-sucedidas, causando mais de 300 mil mortes no país neste período, e em consequente impacto na reputação de Peter Duesberg e descrédito na Hipótese de Duesberg.”

      Inclusive, existe uma retratação pública da revista superinteressante sobre isso, se pesquisar vai achar!

      No youtube tem um monte de vídeos do Luc Montagnier falando sobre o vírus, mas lembre que o conteúdo não está disponibilizado na íntegra, sim editado!

  36. Gutto diz

    O doutor Peter Duesberg é agora “persona non grata” para a indústria da AIDS, e tudo porque ele provou que o HIV não transmite a AIDS.

    Professor de Biologia Molecular da Universidade da Califórnia, Peter Duesberg teve a coragem de desafiar a indústria da AIDS, que é formada pelos produtores de medicamentos alopatas, de preservativos e pela medicina mercantilista – que vive da doença; não vive da saúde.

    Ele mantém 4 mil pacientes diagnosticados como portadores do HIV, ou seja, os chamados soropositivos, que não tomam remédio algum; são proibidos de tomar remédio.

    Não são 4.

    Não são 40.

    Não são 400.

    São 4.000 pacientes e em quase a metade dele o HIV desapareceu espontaneamente, o que levou o doutor Peter Duesberg a concluir que a AIDS decorre exatamente do remédio que se toma para combater o HIV.

    Eu li o trabalho do doutor Peter Duesberg e confesso que cheguei ao orgasmo da satisfação pessoal, porque, ainda que me falte engenho e arte, eu sempre desconfiei da existência de um submundo por trás da AIDS – um negócio lucrativo, por certo.

    Segundo o doutor Peter, o HIV ( Human Immunodeficiency Virus )”é um vírus passageiro e inofensivo, existente muito antes da epidemia de AIDS”.

    De fato, o HIV foi identificado e isolado em 1938 pelos cientistas Robert Gallo e Lue Montagnier e a AIDS é uma “invenção” da década de 1980.

    O professor Peter Duesberg concorda que o HIV pode ser transmitido no ato sexual, mas, em relação à AIDS, ele provou que se trata apenas do “marcador substituto” – ou seja, é a variável intimamente relacionada com outra, que é a verdadeira causa da doença.

    E, agora, pasmem! O doutor Peter Duesberg disse que “o consumo de drogas ( remédios ) equivocadamente usada para combater o HIV, leva à AIDS”.

    Não por coincidência, todos que morreram de AIDS estavam sob cuidados médicos.

    E, agora, pasmem novamente com o que disse o doutor Peter:

    -“O AZT e outras drogas usadas para combater o HIV estão, na verdade, provocando a doença (AIDS) em pessoas que seriam HIV positivas saudáveis”.

    Ao ler o trabalho do doutor Peter Duesberg eu me lembrei da música do Chico Buarque de Holanda, “Fado Tropical”, que diz assim:

    Todos nós herdamos do sangue lusitano uma boa dosagem de lirismo, além das sífilis, é claro.

    Ou seja: o HIV pode estar presentes no sangue e isto não quer dizer que a pessoa está condenada. E como ensina o doutor Peter, não deve jamais tomar remédio para combater o HIV.

    Portanto, se um dia eu for diagnosticado como soropositivo eu nem me preocupo. E se vierem me dar remédio para combater o HIV eu chamo o doutor Peter.

    Ah! Ia esquecendo de dizer que o doutor Peter Duesberg tem o apoio de dois prêmios Nobel de Química e acaba de ser contratado pelo governo da África do Sul para coordenar o programa de combate à AIDS.

    E por que a tese dele não se alastrou?

    Porque a mídia capitalista também depende da indústria da AIDS, pois é de lá que vem as gordas verbas publicitárias.

    Então, gente, vamos deixar de paranoia e procurem ler o trabalho do doutor Peter. Apesar de ele ter sido considerado “persona non grata” pela indústria da AIDS, não conseguiram ( ainda ) destruir o trabalho dele.

    Por Roberto Vilanova (Blog do Bob)

    • hmax+ diz

      Gutto, pelo amor de Deus, quanta baboseira. A Africa do Sul foi nessa onda do Dr. Peter e hoje 10% da população é soropositiva, acho que isso basta para provar que ele esta errado. E mais, essa noticia e muito antiga, a mais anos sem atualização, se fosse tao certa, porque não vemos mais nada a respeito? Outra coisa, não acreditem nessa industria da AIDS, é muito mais barato, economicamente falando, tratar o soropositivo do que impedir a doença. Outra coisa é fato, o laboratório que descobrir a cura da AIDS, vai levar tanta grana logo de cara que e inviável não tentar descobrir a cura.

      • gutto diz

        eu tbm achei… kkk só quis postar isto aqui pq uma pessoa me mandou e ficou meio assustada de ler isto.. eu disse ” oq q é isso, quanta idiodice” mas queria saber explicar melhor , por isso postei aqui p ve oq vcs iriam falar. srsrs

    • Luiz Carlos diz

      Se fosse assim meu namorado não teria 120 de CD4 e 400 mil de CV quando descobriu…

  37. Lara diz

    oi meus amores… Alguém que toma o 3×1 ou efavirenz pode me dizer se essa sensação de estar bêbada é para sempre ou só no início da tarv? Hj sai pra jantar e tomei o medicamento no restaurante, mas me deu uma zonzeira parecia qud eu tinha bebido litros de álcool e eu só na água . Se assim for, nunca mais poderei sair à noite? Please, help me!

    • Luz diz

      Meu infecto diz pra tomar antes de dormir apenas!algumas vezes tomei quando estava numa boate pq não queria que passasse da hora e fiquei completamente bêbado e zonzo(nunca bebi nem me droguei mas imagino qual seja a sensação).

    • Cara+ diz

      Oi Lara

      quanto tempo vc tem de tarv? geralmente esse desconforto é inicial, apenas. Muitos nem o sentem, como foi o meu caso.

      Caso perceba que persista, converse com seu infecto para juntos definirem o que melhor se adequará ao seu caso!!!! Vida que segue!

      • Lara diz

        Oi Cara+ desde 2011 estou em tarv e mudei pro 3×1 agora não por falha mas por conveniência do tratamento. Pois e fico na dúvida de tomar Qnd fir dormir por conta da mudança de horário que pode haver e de repente esse antipático criar resistência . Estou no meu oitavo dia com o 3×1.foi punk dirigir qnd cheguei em casa desmaiei e olha que eu não sou de mimimimi !

        • Cara+ diz

          poxa Lara…
          realmente o que percebemos pelos relatos do pessoal aqui é que cada organismo é um organismo e bem por isso, “se comporta” de forma diferente ao medicamento. As vezes tão diferente, que nem parece que estamos falando do mesmo tratamento, mas vamos em frente, pois o que é sabido é que, se existirem, os efeitos colaterais iniciais, ou seja, seu corpo se adequando à medicação, eles são passageiros.

          caso o desconforto seja muito grande, sempre é recomendável estar alinhado com o médico que te atende que ele saberá como proceder para que esses efeitos colaterais sejam minimizados até se tornarem inexistentes.

          tenho certeza que logo, logo vc estará nos relatando aqui que passou e que não sente mais nada. Força e fé!

    • gutto diz

      no inicio me deu muito tbm… mas depois foi passando.. Hj, depois de alguns meses ja quase nao sinto nada

    • Salvador diz

      Tome a medicação somente na hora de dormir. Essa tontura vai desaparecer logo.
      Um beijo e fique bem.

      • Salvador mas e a tal da resistência por conta da mudança de horário? Esse foi o mais horripilante de todos fiquei muito tonta!

        • Larocaaaa..

          Estou tomando efavirenz desde outubro do ano passado e sempre na hora de dormir, pois se eu eu tomar e ficar acordada…afffffffffff parece que bebi todas !!!

          • Vidaaaaa amoooorrreeee saudades de vc garota quanto tempo!!! Menina Depois de véia dei pra me dopar, vejo so!!! Kkkkk eu hein to no 8 dia td Bem ate agora fora essa intercorrencia ontem MAs vamos la . Vida que segue D. Vida! Bjs

          • Cara+ diz

            Vida, Vida
            então já sei o que vou fazer quando te conhecer. Vou esperar tu tomar a medicação no horário e querer te encontrar depois…..e depois minha negaaaaaa, só Deus sabeeeee!!!! kkkkkkkkk

            “eu sou o lobo mau, mau, mau, que pega as criancinhas pra fazer mingauuuuu!!!!!!”

        • Wagner-sp diz

          Lara…meu infecto orientou que eu tome a medicação antes de dormir, não importa que horas seja!! A meia-vida da medicação é longa!!!

    • Cauã + diz

      Oi Lara tomo o 3×1 há qse 2 meses. No início me senti como vc tipo que embriagado.
      sempre tomo antes de dormir por volta das 22hrs e vou deitar, ainda sinto a embriaguez depois de umas 2hrs q tomo a tarv. Conversei sobre isto com meu infecto e o mesmo me disse para tomar a tarv e tentar ficar acordado o máximo q eu pudesse, pois assim forçaria meu sistema a adaptar com a tarv, e assim estou fazendo e a cada dia q passa a embriaguez diminui.
      Tente fazer o mesmo!

    • Pequena + diz

      Lara

      Meu infecto prescreveu para apenas tomar antes de deitar.
      Caso eu saia para uma baladinha, da mesma forma, tomar o medicamento antes de deitar independente do horário de costume.
      Tomo e me deito, mas percebi que apago…rs..
      Não sei se é psicológico 😉
      Só senti tontura no primeiro dia ao me levantar.
      Hoje já será o quinto dia, estou ótima sem nenhum efeito colateral, nem mudança de humor.
      É vida que segue e muitos sonhos a se realizar 🙂
      Um forte abraço Pequena + ❤

      • Piquiticaaaa… e eu achando que você já fazia uso dos ARVS. Quando eu tomava o Kaletra eu sofria muiiiitoooooo Essa combinação (efa, lamivudina e tenofovir) é super tranquila!!! Só acho que fico com a cabeça “oca” de vez em quando..rs

        • Pequena + diz

          Vidinha Linda 🙂

          Ôxe menina havia te dito que não tomava nada…rs…
          Segurei por 1 ano o inicio da medicação, mas como foi meu trato com o infecto, ele baixou para 489 aí iniciei 🙂
          Ah e a cv caiu de 9000 para 900, vê se pode..rs..
          Beijão menina, saudades de ti ❤
          Pequena +

      • Pequena so tenho medo de mudar o horario por conta da resistencia. Tomo às 22 e me deito, mAs eu quero ter a Liberdade de sair e não ficar mal. Só tenho consulta dia 20 e até lá queria algumas dicas sobre isso. Bjs meu amor!!!

    • caradobemsampa2 diz

      Oi Lara, seja bem-vinda.
      hoje será meu 22º dia com 3×1, devido aos meus horarios, meu infecto orientou que tentasse tomar sempre no mesmo horario. meia-noite tomo e vou deitar….
      Só senti leve tontura ao levantar nos dois primeiros dias…. depois disso… nao sinto mais nada, nada, nada….
      ah, ele tb orientou a nao tomar alcool proximo a medicaçao, pois podia ficar doidao…..
      torcendo pra vc se adaptar logo
      abraços

  38. Luiz Carlos diz

    Bom, vamos falar de algo menos polêmico (mentira). Como muitos já comentaram, o Efavirenz deixou de ser considerado tratamento de primeira linha e passou a ser considerado tratamento alternativo. Infelizmente ainda não temos o Dolutegravir disponível no Brasil, e o Abacavir requer teste genético para previnir uma possível hipersensibilidade notada em 3% da população que pode levar até a morte.
    Das 5 opções de primeira linha publicadas ontem, nos restam apenas duas no Brasil:
    1) Inibidor de Integrase: RAL + TDF+3TC (2 comprimidos)
    2) Inibidor de protease: DRV/r + +TDF+3TC (3 comprimidos)

    Estou tendo sérios problemas de adaptação ao 3 em 1 por conta do Efavirenz, pois tenho histórico de depressão acompanhado por psiquiatra, e ambos perguntaram se desejo trocar a linha de tratamento já que venho apresentando novos sinais de depressão. Decidi continuar com o 3 em 1 pela praticidade e pelo fato de ter começado TARV há pouco mais de 1 mês, porém depois de ler tais diretrizes estou pensando seriamente em optar pelo RAL + TDF+3TC.

    Alguém tem alguma experiência com Raltegravir?

    Abraços,

    LC

    • Secret Guy diz

      LC,

      Provavelmente vão te passar o Atazanavir ou o Kaletra! O Raltegravir é usado somente em terapia de resgate. Eu mesmo adquiri o sangue azul com resistência ao Efavirenz e não foi autorizado eu usar o Raltegravir!

    • FG-PR diz

      Luiz vc já pensou em tomar Atazanavir+RTV+TDF+ 3TC? São 3 comprimidos que podem ser tomados no café da manhã, no almoço ou na janta. Tomo desde o início do tratamento e não sinto nada.

  39. vanessa diz

    Depois de quase 2 anos em tarv peguei pela primeira vez o meu 3×1 que alívio pq pra justificar pra quem vê a gente tomando um comprimido em vez de 4 é bem melhor da pra falar que é um remédio qualquer… Ufa fiquei feliz!!
    Uma pergunta alguém aqui já sacou o FGTS?? Sabe se a empresa fica sabendo se aparece algum código que da pra identificar??
    Bjs

    • Luiz Carlos diz

      Vanessa, a empresa pode consultar seu saldo, mas nada além disso. O máximo que pode acontecer é a empresa lhe questionar qual o motivo do saque, e você tem o direito de responder “não lhe interessa!”. Eu já saquei o meu e saco quando tenho necessidade, e até hoje a empresa não me questionou sobre nada.

      Abraços,

      LC

      • vanessa diz

        Luiz Carlos! Muito obrigada por me falar isso eu Tava com medo de sacar e ficarem sabendo o motivo, qualquer coisa falo que foi pra compra de imóvel!!
        Fica com Deus!!
        Bjs

  40. HOPEFULL diz

    Luiz Carlos,

    eu uso o Raltegravir desde o início do tratamento! São duas doses diárias, uma pela manhã e outra pela noite! Fez um ano em março e nunca senti nenhum sintoma de qualquer espécie, muito menos alterações de humor!!

    Espero que tenha ajudado!!
    Abração!!

  41. vitor augusto diz

    queria saber se quem é soropositivo pode trabalhar na area farmaceutica?

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s