Artigos
Comentários 152

Meter medo ou encorajar?

Brasil Post

Em 2008, Nick Rhoades, um homem soropositivo do estado de Iowa, nos Estados Unidos, foi preso sob a lei de “Transmissão Criminosa do HIV” porque não contou a um parceiro, com quem transou uma única noite, que era portador do HIV. Rhoades usou camisinha, tinha carga viral indetectável — o que quer dizer que não é possível detectar o vírus em seu sangue mesmo nos exames mais precisos de laboratório — e não transmitiu o vírus. Ele foi condenado a 25 anos de prisão.

Nos Estados Unidos, 33 estados possuem leis específicas que consideram criminosos os soropositivos que, conscientes de sua condição, não revelam a condição sorológica positiva antes do sexo, compartilham seringas, doam órgãos ou sangue ou cuspam em outras pessoas — muito embora seja amplamente sabido que a saliva não transmite HIV. Essas leis já foram aplicadas em 442 processos, condenando 251 indivíduos. Em estados americanos onde não há leis específicas, muitas vezes aplicam-se acusações de agressão, tentativa de homicídio ou bioterrorismo.

Vários países seguiram esse mesmo modelo jurídico, ora aplicando leis específicas, ora leis mais abrangentes. A Suécia chegou a ser o país com maior índice de processos per capita contra soropositivos. A Suíça criou duas leis diferentes e não-específicas para o HIV, as quais já foram usadas em processos de casos de exposição ou transmissão do HIV e não precisam de um denunciante. Graças a elas, desde 1989 foram abertos 39 processos, os quais resultaram em 26 condenações. Em breve, o Brasil pode entrar para o rol dos países com leis criminalizantes do HIV. O deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) reapresentou uma proposta do ex-deputado federal Enio Bacci, de 1999, com o Projeto de Lei (PL) 198/2015, o qual pretende mudar a Lei dos Crimes Hediondos e punir quem “transmitir e infectar, consciente e deliberadamente a outrem com o vírus da aids.”

Brasilia

Mas será que essa lei é boa e pode de fato prevenir as transmissões de HIV? Reavaliando os casos de processo contra soropositivos, alguns países europeus perceberam que grande parte das condenações se davam quando os acusados eram estrangeiros — especialmente de origem africana e asiática. Nos Estados Unidos, a maioria dos acusados são negros, latinos, gays e mulheres e o processo segue mesmo em casos em que a transmissão do HIV não ocorreu. Muitas vezes, o soropositivo é processado mesmo tendo feito uso do preservativo ou num tipo de contato sexual que não poderia ter infectado seu parceiro.

Em 2009, um estudo suíço sobre as condenações impostas pelas leis criminalizantes do HIV no país mostrou que oito delas se deram após a divulgação voluntária do parceiro soropositivo a respeito de sua condição sorológica, antes do sexo, o qual foi feito sob pleno consentimento do parceiro soronegativo. Em outras palavras: o parceiro soropositivo avisou que tinha HIV, o parceiro soronegativo consentiu ao sexo e, mesmo assim, houve condenação do primeiro. Quando se deram conta disso, as autoridades daquele país perceberam que havia algo errado e a jurisprudência suíça mudou drasticamente. Naquele mesmo ano, o Tribunal de Justiça de Genebra anulou uma condenação de exposição ao HIV, depois de ouvir o testemunho de especialistas, autores da declaração da Comissão Nacional de Aids Suíça, segundo a qual a falta de infecciosidade observada em indivíduos soropositivos que estão sob tratamento antirretroviral há pelo menos seis meses, com carga viral indetectável e sem coinfecção com outra DST, torna o risco de transmissão do HIV tão baixo que ele é, nas palavras da Comissão, “hipotético”.

“Não existe, na história da epidemia, um único caso registrado de transmissão do HIV a partir de quem foi diagnosticado, faz tratamento e tem carga viral indetectável.”

Até então, a declaração da Comissão Nacional de Aids Suíça se baseava unicamente na observação de médicos desde o início da epidemia de HIV/aids. “Não existe, na história da epidemia, um único caso registrado de transmissão do HIV a partir de quem foi diagnosticado, faz tratamento e tem carga viral indetectável. Simplesmente isso não foi documentado na literatura médica até hoje. Ou seja: o controle da carga viral no sangue também controla a carga viral nas secreções genitais”, explica o Dr. Esper Kallás, médico infectologista e professor associado da Disciplina de Imunologia Clínica e Alergia da Faculdade de Medicina da USP.

A afirmativa do Dr. Esper não é uma fala isolada. Hoje, mais de 9 mil casais sorodiscordantes — quando só um dos parceiros é positivo para o HIV — e que optam, deliberada e consensualmente, por não fazer uso consistente do preservativo, foram ou estão sendo acompanhados em pelo menos quatro diferentes estudos: HPTN 052, Partner, Opposites Attract e Partners Demonstration Project, já reconhecidos por consensos médicos americano, britânico, canadense e sueco, entre outros. Nesses estudos, também nunca foi documentado um único caso sequer de transmissão do HIV a partir de quem é soropositivo, faz tratamento antirretroviral e tem carga viral indetectável. Segundo o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, 78% das pessoas que vivem com HIV e fazem tratamento antirretroviral no Brasil apresentam esse perfil: carga viral indetectável.

“A criminalização desconsidera o avanço da ciência em relação à prevenção e ao tratamento do HIV.”

Em uma nota na qual apela ao Congresso Nacional para que rejeite e arquive o PL 198/2015, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) lembra que “a criminalização desconsidera o avanço da ciência em relação à prevenção e ao tratamento do HIV. Estudos demonstraram que tratamento antirretroviral efetivo e consistente reduz até em 96% as chances de uma pessoa vivendo com HIV transmitir o vírus para seu parceiro sexual em relações desprotegidas. Portanto, uma pessoa em tratamento antirretroviral efetivo, ou seja, com carga viral indetectável, mesmo que tenha a intenção de transmitir o vírus, provavelmente não conseguirá fazê-lo.”

Hoje, a Suprema Corte americana entende que um risco de transmissão “hipotético”, tal como sugerido pelos suíços, é diferente de “razoável”. Em uma decisão por 6 a 1, a condenação de Nick Rhoades pelo estado de Iowa foi derrubada, sob o argumento de que os promotores não tinham provado uma “base factual” para o fundamento, inclusive em virtude da carga viral indetectável do condenado. Em 2013, um tribunal da Suécia também deu indícios de mudança de rumo: um relatório do Centro Nacional de Controle de Doenças Transmissíveis (Smittskyddsinstitutet, SMI) foi citado para absolver um homem soropositivo condenado a um ano de prisão por ter tido relações sexuais com quatro mulheres que nunca contraíram o vírus.

“Os dados são claros: pessoas com carga viral indetectável não estão transmitindo o HIV.”

“A menos que esteja vivendo em uma caverna nos últimos anos, você deve saber que alguém com carga viral indetectável não transmite HIV”, afirma o Dr. Joel Gallant, médico que cuida de pacientes com HIV no Southwest Care Center, em Santa Fé, Novo México, e que tem respondido em seu blog à várias perguntas sobre a segurança oferecida pelo tratamento como prevenção (TasP, do inglês treatment as prevention) e pela redução da transmissibilidade observada em quem vive com HIV, em tratamento e tem carga viral indetectável. “Pode ser difícil para algumas pessoas lidar com mudanças de paradigmas e mudar o pensamento que se tornou dogma por mais de três décadas e meia. Ainda há boas razões para usar preservativos: estamos vendo taxas inaceitavelmente altas de sífilis, gonorreia, clamídia e hepatite C entre homens gays sexualmente ativos que não usam camisinha. Mas os dados são claros: pessoas com carga viral indetectável não estão transmitindo o HIV”, explica Gallant.

“A transmissão intencional do HIV é atípica e incomum.”

Para ajudar a mudar esse paradigma e as leis criminalizantes, em 2014, aconteceu em Iowa a conferência “HIV não é Crime”. Pouco depois, o Departamento de Justiça americano publicou o Guia com as Melhores Práticas para Reformar as Leis Criminais Específicas de HIV e para se Alinhar com Fatos Amparados Cientificamente, no qual afirma: “Muitas das leis estaduais criminalizam comportamentos que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) consideram apresentar risco nulo ou insignificante para a transmissão do HIV, mesmo na ausência de medidas de redução de riscos. A maioria destas leis foi aprovada antes do desenvolvimento da terapia antirretroviral, a qual o CDC reconhece reduzir o risco de transmissão do HIV em até 96%.” E conclui: “Os dados do CDC e outros estudos nos dizem que a transmissão intencional do HIV é atípica e incomum.”

Mas o deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC), relator que votou pela aprovação do PL 198/2015, discorda do CDC. Ele pensa que “o nosso País experimenta uma verdadeira epidemia de contaminação dolosa de pessoas com o HIV, como noticiado pelos meios de comunicação”, provavelmente se referindo ao “clube do carimbo”, o grupo de soropositivos que transmitem propositalmente o HIV, “carimbando” sua vítimas com o vírus e instruindo outros sobre como fazê-lo também, conforme televisionado na reportagem do Fantástico, da Rede Globo. Paradoxalmente, dois dos entrevistados nesta reportagem — Georgiana Braga-Orillard, diretora do Unaids Brasil, e o ativista Diego Callisto — reclamaram publicamente sobre a edição feita pelo programa. Segundo eles, as entrevistas na íntegra foram editadas de maneira a alterar o teor daquilo que consideravam como mais importante em suas falas, as quais teriam incluído, em grande parte, explicações sobre o tratamento como prevenção. O Unaids emitiu uma nota de esclarecimento, manifestando preocupação com a reportagem, e a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia) também repudiou a abordagem do assunto. O Fantástico fez então uma nova reportagem, no dia 22 de março, quando entrevistou o Dr. Jean Gorinchteyn, infectologista do Hospital Emílio Ribas. “A maior parte dos portadores de HIV são extremamente conscientes e preservam a saúde própria, bem como a dos próximos. O ‘carimbo’ acaba acontecendo principalmente para aqueles indivíduos que não fazem o tratamento”, explicou Gorinchteyn.

Indivíduos que negligenciam sua própria saúde e transmitem intencionalmente o HIV já podem ser condenados com base na legislação atual e vigente, sem a necessidade de uma lei específica. Na esfera criminal, entende-se que casos assim configuram lesão corporal grave, de acordo com o Artigo 129 do Código Penal, parágrafo 2º, inciso II. Então, por que a necessidade do PL 198/2015? Segundo o relator, porque “deve o Estado responder de forma rígida e justa, repreendendo o infrator de forma proporcional e deixando clara mensagem à sociedade de que não admite o cometimento dessa repugnante infração” — portanto, essa é uma lei que quer transmitir uma mensagem, mais do que ter uma eficiência penal.

“Sob a ameaça de ser considerada criminosa e de ser presa, a pessoa tende a fugir dos serviços de saúde, evitando o teste para o HIV.”

Quando o assunto é saúde pública, no entanto, a mensagem deve ser mais cuidadosa e mais calculada. O Unaids, o CDC, o Departamento de Justiça americano e muitos dos países que, no passado, criaram leis criminalizantes do HIV, hoje concordam que o medo da discriminação faz com que muitos evitem conhecer sua condição sorológica, falar sobre ela ou procurar tratamento de saúde — o mesmo tratamento que pode evitar a transmissão. “Uma vez sob a ameaça de ser considerada criminosa e de ser presa, a pessoa tende a fugir dos serviços de saúde, evitando o teste para o HIV, iniciando o tratamento em um estágio muito avançado da infecção e, portanto, tornando-se potencialmente mais propensa a transmitir o vírus de forma involuntária”, diz a nota do Unaids.

A resposta brasileira à epidemia de HIV/aids sempre foi elogiada e é referência no mundo todo. Somos pioneiros em questões importantes, como a quebra de patentes de medicamentos e o acesso universal ao tratamento antirretroviral. As campanhas de prevenção sempre se esforçaram para passar uma mensagem objetiva e isenta de moralismo. É hora de decidir se queremos continuar assim ou retroceder, indo na contramão da tendência mundial de abolir ou reformar as leis de criminalização do HIV. É hora de decidir se queremos meter medo ou encorajar as pessoas a fazer o teste, pois, tal como explica o Dr. Esper Kallás, “esta é a melhor ferramenta para controlar a epidemia de HIV/aids.”

Atitude Abril

Anúncios

152 comentários

  1. Cauã + diz

    O grande medo dos profissionais da área e do estado é q as pessoas tenham acesso ao atual estado da doença, com o uso correto dos antivirais não se desenvolve e tão pouco morre de Aids. Pois se a população leiga souber disto, logo imaginam q as pessoas sairão fazendo sexo sem camisinha e a todo direito, imaginam q a coisa irá se banalizar e virá mais despesas para o país com mais pessoas necessitando dos TARVS q é oferecido gratuitamente.

    São pessoas de mentes pequenas, pois nós portadores do HiV hoje, com todo esse tratamento e informação ainda entramos em desespero ao saber nossa sorologia positiva. É claro q preferíamos não ser, mas damos graças a Deus pelo avanço do tratamento e temos o maior cuidado do mundo para não transmitirmos aos nossos parceiros.

    Medo não é e nunca foi a melhor opção para se combater o preconceito e educar alguém e nunca será. Vivemos a herança de 2, 3 a 4 gerações atrás em q o medo talvez fosse a melhor opção, pela submissão e falta de questionamento.
    Se faz necessário entender q os tempos mudam, e o q ontem parecia resolver hoje já não é mais, pois são pessoas diferentes vivendo em mundos diferentes com pensamentos diferentes.

  2. Marcus Souza diz

    Mais um gtande desserviço prestado à sociedade por jornalistas desinformados em busca de promoção desonesta! Agravam o preconceito já existente contra os soropositivos, num surto de irracionalidade que remetem à idade média.

  3. Espero que essa reportagem chegue aos olhos do Deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), pois essa lei pode causar um dano muito maior ao combate da doença do que ajudar. Aliás, já está previsto na lei, então por que fazer essa redundância legal?

  4. E um outro comentário, o argumento que ele colocou na lei é de 1999, ou seja, 16 anos de pesquisas e avanços científicos simplesmente foram ignorados.

  5. caradobemsampa2 diz

    Excelente matéria JS!
    Meter medo não é o melhor caminho com certeza.
    Encorajar a realizar o teste de hiv periodicamente e informar a população de forma mais eficaz sobre o tema, podem ajudar muito a quem não tem o virus, se prevenir e a quem tem não sofrer com o preconceito.
    grande abraço

  6. Meus deus, oq querem fazer com nossas vidas ? Os pesquisadores falam e provam q um soro positivo em ttratamento e carga viral iindetequitavel não transmite o vírus .e a querem nos condenar como criminosos! Tenho raiva sabe do que, eu duvido que estas pessoas que nos julgam como se fosemos lixo eu duvido q usem ccamisinha, duvido duvido!

  7. Juliana :) diz

    Sensacional esse post!

    É uma pena que as mesmas pessoas que são rápidas em dar opiniões ignorantes (do tipo: “tem que punir esses aidéticos com pena de morte”) não querem ter o trabalho de ler ou se informar sobre o assunto – tem preguiça. Ainda que esse post fosse publicado na Folha de São Paulo, não sei qual alcance teria de fato.

    É triste, mas acho que estamos mais próximos do fim da doença (descoberta da cura) do que do fim do preconceito.

  8. Bio diz

    Um fato a ser considerado é que este senhor, o deputado Pompeo de Mattos, quer se mostrar atuante com desserviços desta natureza. Hedionda é a atitude de um parlamentar que, imbuído pelo desejo ilusório de fazer jus à remuneração suntuosa (paga por nós) e sobretudo pela vontade de estar sob os holofotes da mídia, apresente uma proposta tão retrógrada quanto ele e as informações em que se baseia para por em pauta um Projeto de Lei tão insano quanto esse 198/2015. Sinceramente, duvido que uma Lei como esta, absolutamente ultrajante à Comunidade Científica e aviltante à nação brasileira, seja aprovada. Ainda mais se forem levados em consideração todos os avanços no combate ao HIV nos últimos anos que corroboraram para derrubada contundente dessa proposta absurda!!!
    Cabe ao senhor Pompeo, antes de querer aparecer, basear-se em estudos atuais sobre o tema que pôs em evidência na câmara (HIV/aids), para não constranger as pessoas. Principalmente as que votaram nele!!

    #ficaadica!!…hehehehehehe……..

    • Wagner-sp diz

      Argumentação perfeita e bem embasada JS!!
      Também concordo contigo Bio, fico impressionado como o Legislativo brasileiro constantemente apresenta projetos e leis baseados em matérias sensacionalistas, sem ao menos realizar uma pesquisa básica antes de apresentar tosqueiras como essa PL 198/2015…

  9. TOM diz

    Fico sem palavras para comentar tipos de coisas que vejo, leio e escuto sobre qualquer tipo de preconceito contra pessoas que são ” diferentes ” dos outros que se jugam perfeitos.

  10. Carlos diz

    Boa noite. Leio o blog há algum tempo, mas nunca escrevi nada aqui.
    Tenho 24 anos, sou soropositivo com conhecimento desde 2008 e passei a fazer uso da TARV em 2014.
    Vivo uma espécie de oscilação de estados de espírito. Entre o otimismo e o pessimismo, em proporções bem diferentes: muito mais desânimo que qualquer outra coisa .Desculpem a sinceridade, mas infelizmente eu não acredito em cura próxima, distante, total ou funcional, e muito menos que eu possa ter uma vida longa e normal como jovens da minha idade. Talvez longa, mas não normal.
    Ninguém sabe da minha sorologia a não ser minha família. Não consigo me permitir a ter amigos, sempre converso assuntos superficiais com meus colegas, pois não considero ninguém apto a saber da minha realidade e não acho que ninguém precise fazer parte desse meu mundo.
    Como leitor desse blog, sei que há muitas pessoas bem humoradas, esperançosas, e cheias de de outras formas de encarar as situações da vida. Mas acreditem, não está sendo fácil e eu gostaria sinceramente de ver as coisas de outra maneira, mas a verdade é que o HIV levou tudo que havia de bom em mim, levou meus planos, meus méritos, minhas conquistas, minhas vontades, minhas certezas(?), levou minha esperança, e levou minha essência. Acho que nem sei mais quem sou. Não consigo reorganizar meus pensamentos e acho que já estou morto por dentro.
    Desculpem a maneira como escrevo, se pareço pessimista e peço para que não confundam esse texto com um grito de alerta de quem precisa ser reanimado ou que está à beira da loucura. Não, eu estou bem, lúcido, conformado, apenas não consigo associar minha realidade à realidade das demais pessoas. Mas também peço que não me condenem como “ingrato”, “mimado”, ou qualquer adjetivo que possa me denegrir por tal modo de ver a vida, pois estou sendo sincero com o que está se passando comigo e escrevo apenas para poder esvaziar um pouco minha mente atribulada.

    • caradobemsampa2 diz

      Oi Carlos.
      Diferente de vc, descobri minha sorologia recentemente. .. Em fevereiro desse ano. Me sinto em muitos momentos como vc.
      Por muitas vezes me vejo só e triste.
      Aprender a conviver com essa nova realidade é bem difícil. Tenho certeza que para vc tenha sido tb ao longo desses anos.
      Mas acredito verdadeiramente que é possível ter sonhos e planos. Venho mantendo os meus. .. e olha que sou bem mais velho que vc rsrss… Mesmo quase chegando aos 40 não deixarei de planejar meu futuro.
      Sozinho seria mais complicado, mas não tô só. . encontrei aqui cia para essa jornada.
      Se quiser papear será otimo. Meu skype: caradobemsampa2@hotmail.com
      Abraçao

    • Madamemin diz

      Carlos

      Descobrimos a nossa sorologia no mesmo ano.
      Entendo esses sentimentos que vc tem vivido durante esses anos, embora eu tenha encarado de forma um pouco mais tranquila a aids.
      Será que você não está precisando se aceitar um pouco mais?
      Acho que todos temos monumentos ruins e cheios de questionamentos, mas temos que sempre ter em mente que ser feliz é quase um dever.
      Você já fez algo que muitas pessoas tiveram dificuldade: contar para a família. E certamente eles dão suporte para você.
      Contar para amigos, uma hora você conseguirá.
      Enquanto isso, converse com o pessoal aqui, vai ser bom.
      Se quiser, manda email, estou à disposição.
      madamemin1963@gmail.com
      Bjos

    • JTh diz

      Carlos,
      me coloco no seu lugar, minha vida e uma montanha russa ja sao 4 anos assim, dias la em cima do nada pooooow caiu,
      mas a vida segue, nao como voce alguns amigos meus sabem da minha situação, tneho muito apoio de amigos (as) e da minha família e algumas pessoas do meu trabalho, as vezes e bom contarmos com pessoas que realmente podemos saber que possamos contar agradeço muito a Deus por estas pessoas…

      abraços.

  11. Dere diz

    Gostei da matéria, apesar que desde a época que descobri a doença não consigo sair com ninguém, não correspondo olhares nem cantadas, fico na minha e evito isso.. espero que um dia isso passe.. sei que não é medo de transmitir porque eu me cuido mas é algo mais psicológico….

    • vivendopositivo diz

      E eu ando fugindo até dos antigos amigos, duas pessoas falaram que tô magro, perdi 2kg apenas e não consigo recuperar. Gente o que faz pra ganhar peso??? Sei que perdi peso por conta de ter saído da academia há mais de seis meses, voltei essa semana, mas mesmo COMENDO, eu não engordo. Será que pode apelar pra sorvete?

      • Dere diz

        No meu caso eu recupero o peso em duas semanas, mas sempre bate uma diarreia de noite e perco tudo que consegui… já tem um mês…. assim fica difícil.. chego no meu peso e de noite bate uma diarreia e perco tudo… a medicação esta judiando…kkkkkkk

        • Vivendopositivo e Dere…Honestamente, isso é neurose! Todo ser humano normal perde 2 kg (alias eu to precisando perder 12…kkkk). O problema é que como a AIDS está relacionada a perda de peso vocês estão com mania de perseguição achando que tem que ficar gordo pra ninguém suspeitar! Dere, de todos os efeitos colaterais da TARV o único que desejei foi a diarréia pra ver se perdia um pouco de peso, mas ganhei um amargo na boca que me da vontade de comer doce…kkkkk. Resumindo D.E.S.E.N.C.A.N.EEEEEEE.M. Vivendopositivo, se você parou a academia perdeu 2 kg de massa magra…vai substituir por gordura? Bobagem! Se seu metabolismo é acelerado você corre o risco de não engordar e ainda aumentar seu colesterol…para com isso. Cêis dois tão precisando é de umas palmadas…deixa de bobeira garotada!…Beijux!

      • Wagner - SP diz

        Fazia tempos que eu estava numa vida mais contida por isso já perdendo peso e sempre que alguém me via comentavada perda de peso, mas de fevereiro pra cá o negocio desandou….Não sei se foi por causa do vírus ou por causa dos meus esforços, mas tô aproveitando e curtindo os elogios! No meu caso ainda tenho bastante reserva adiposa pra perder hehe

      • Secret Guy diz

        Vivendopositivo,

        Isso também aconteceu comigo. Eu perdi muito peso! Fiquei uma caveira. Mas já recuperei mesmo sem ter ainda começado a medicação. A médica mesmo me disse que isso era devido ao abalo psicológico do diagnóstico. Passados quase 10 meses do “dia D” estou eu tendo que entrar numa dieta pra perder peso em breve!

      • A volta do peso vem aos poucos comigo foi assim , passado o estresse emocional do início do tratamento com
        O tempo tudo tende a se normalizar. No meu caso meu infecto me receitou um complexo vitamínico que tomei por 6 meses . Mas você já essa no caminho certo exercícios físicos são necessários e importantes. Tente melhorar seus hábitos alimentares e comer de 3 em 3 horas. Eu perdi 9 quilos hoje recuperei e ganhei 2 , agora tento manter porque o ganho de peso excessivo não faz bem a ninguém.

  12. TOM diz

    Amigo isso vai muito do psicológico de cada um,nosso psicológico depois que sofremos um trauma ou abalo muito serio é normal que o organismo nao absorva os nutrientes que precisamos corretamente, depois que descobri q sou positivo eu perdi 4 kg, e isso em um 1 mes, agora estou voltando ao normal de novo, as pessoas são assim mesmo, sempre falam, se estamos acima do peso falam se estamos magros falam do mesmo jeito, nao ligue pra nada disso,o que vc deve fazer é voltar a malhar e ter uma vida saudavel de sempre, hj me falaram que estou mais magro, ai brinquei com meu amigo que era a “tia” realçando kkkk, mas me sento do mesmo jeito só um pouco mais magro, FORÇA A TODOS E FÉ EM DEUS…

  13. Eles, políticos, tem tanto medo da doença que não conseguem estudar o assunto para terem o “p” do perigo de pegarem o virus.
    Aproveitam-se da mídia tendenciosa para embazar seus argumentos pertubados.
    Isso era o minino que poderíamos esperar dos atuais deputados e senadores.

  14. vivendopositivo diz

    Me da um arrepio na espinha ouvir/ler esse nome “AIDS” porque me remete logo a pessoas hospitalizadas com aspecto do cazuza. Mas muita gente continua usando o termo AIDS como sinônimo de HIV. Os médicos são enfáticos em dizer, quem tem hiv, e se trata nunca vai ter AIDS. É como se já antecipassem um futuro prognóstico. Sempre falam a cura da AIDS, mas a gente não tem AIDS, tem HIV “apenas”. Fico pensando, isso seria uma maneira minha de racionalizar separando o aspecto técnico “HIV”, de toda a carga emocional de “AIDS”, evitando que isso me atinja? A impressão que eu tenho as vezes é que superei o luto da notícia extremamente rápido, e outras vezes penso que apenas recalquei tudo isso, pra não lidar com esse sentimento. Li em um comentário do binhomais de uns 8 meses atrás, sobre a sensação dele de medo ir e vir. As vezes penso que muitos aqui desconsideram a gravidade dessa infecção, seria pelo fato de ela realmente não ser esse bicho? ou talvez pelo otimismo exagerado? ou de ser como eu, preferir não pensar nessa possibilidade de prognóstico…. AIDS? O recalque nunca elimina o conteúdo do sentimento, só esconde pra baixo do tapete, e faz esse sentimento se manifestar de outras formas. Por isso se diz que entrar em contato e falar sobre aquilo que incomoda é sempre melhor do que reprimir ou negar, porque faz com ele perca a força ou importância que se dá a ele. Parece que o melhor antídoto pra esse medo é informação, mas até que ponto essa informação não causa otimismo exagerado que faz com que a gente não pense em possibilidades ruins? Ai podem perguntar, e por que pensar em outras possibilidades? Aos que fazem terapia, como lidam com esse tema na terapia?

    • Wagner-sp diz

      Vivendopositivo,
      Também fiquei em choque, luto, por pouquíssimo tempo, no meu caso específico durou apenas 5 dias: quando vi saírem os primeiros resultados dos exames confirmatórios fiquei “em paz” com o meu diagnóstico e resolvi que ia viver bem! Claro que encontrar este blog, ter o apoio incondicional dos meus dois melhores amigos e ter um infectologista muito bom foi fundamental neste processo!
      Mas eu também tenho o mesmo medo que vc e até conversei com uma psiquiatra conhecida sobre isso…meu medo é ter guardado todos os sentimentos numa portinha e em algum momento eles arrombarem a porta e saírem descontrolados.
      Mas nessa conversa percebi que o meu “ficar bem” a princípio não foi fruto de uma alienação, mas sim consequência de informação sobre o vírus e de uma decisão de não me prostar. Eu não joguei os dados e deixei a consequência nas mãos do destino, mas tomei a rédea desse processo e vou fazer tudo ao meu alcance para viver bem…lendo seu post e da maioria daqueles que escrevem por aqui, acredito que vcs também pensam e agem assim!
      Quanto as possibilidades do futuro eu ainda não tive tempo de pensar em nenhuma delas hehe, nem no cenário de cura e nem no cenário de desenvolvimento da doença em si. Tenho me apegado mais ao desenvolvimento de novos tratamentos, com menos efeitos colaterais e que deixem o vírus lá quietinho…
      Eu ainda não senti necessidade de fazer terapia profissional, pois os bate papos por aqui e com meus amigos tem sido suficientes, mas se eu precisar vou atrás! Vida que segue!!
      Valeu JS e os demais pelo apoio nestas últimas semanas, me ajudou demais!! Hoje estou viajando para férias mais que merecidas e na volta começo o TARV!!!
      Bom fds a todos!

      • Wagner-sp,

        Se você fizer o tratamento direitinho, não tem “desenvolvimento da doença”. Outro dia, o Dr. Esper comentou comigo que faz anos que não vê um único paciente ter que trocar de remédios por causa de resistência.

    • CARA + diz

      Vivendopositivo

      Relato aqui, algo que fiz nessa quinta feira passada e que deixo como sugestão a todos presentes no blog.

      Me descobri soropositivo em exames de rotina em agosto do ano passado. Já em setembro, estava fazendo uso da tarv, pois como nunca havia sentido nada de diferente, minha carga viral estava alta e meu cd4 baixo, o que configura uma transmissão de mais longo prazo. Em praticamente três meses cheguei ao indetectável. Por opção, por medo de “repressão” ou mesmo, por não gostar que os outros me olhem com um certo ar de pena (o que fatalmente acontece por pura falta de informação correta), não contei a ninguém sobre minha sorologia. Me mantive! Minha cabeça é meu guia e procuro, a medida do possível, manter ela em dia, de bem com a vida.

      Como nunca expus verbalmente sobre o tema, as pessoas com quem conversava/converso (virtualmente) fazem parte deste blog. Me permiti quinta feira, conhecer o Sampapoa (aqui do blog), que mora perto de minha cidade e fizemos uma amizade próxima e verdadeira em meses de relatos via email. Digo a vocês que foi uma das melhores coisas que fiz nos últimos tempos. Pela primeira vez, depois desse diagnóstico, pude ouvir e ser ouvido sobre todo esse universo que nos cerca, sem medos, sem “devaneios”, sem “pudores”, sem “rótulos” e perceber que os medos, as incertezas, os conteúdos, a fisionomia, as risadas, ou seja, o cotidiano que nos cerca, é exatamente o mesmo de sempre.

      Essa atitude tão simples, me fez “desmistificar” uma série de “monstros” que a gente inevitavelmente cria na cabeça. Eu que já havia feito terapia tempos atrás (por outros motivos) entendi o quão bom é a gente conversar abertamente sobre algo, sem o medo do pré-julgamento, mas não com um profissional, que está ali para nos ouvir, mas alguém como a gente, que sente, passa, entende a coisa como a gente. A conversa foi de grande valia pois percebi que ao mesmo tempo que ajudo, sou ajudado.

      Sugestão: Se deem essa possibilidade. Se permitam viver tal experiência…

      Passamos o dia conversando, desde trivialidades cotidianas, até coisas bem sérias e que são realidades nossas, que só nós, que temos “esse fardo” para carregar entendemos. Nos tornamos amigos, conversamos como conhecidos e grandes amigos de longa data.

      Sampapoa, obrigadão meu amigo, que venham inúmeros encontros e bate papos como esse!

      Cris, Baixinha+, não esqueci, viu! MarcosFortal e Vida, esse ano nos promete!!!!

      Vida que segue! E tendo amigos + positivos é melhor ainda!

        • CARA + diz

          com “céééérrrrteza” meu amigão….desse ano NÃO passa NÃO!!!!

          sendo bem nordestino, bem arretado, bem cabra da pexxxxte!!!!! hehehehehe

      • Pequena + diz

        Cara +

        Pôxa que lindo ❤
        É verdade, quando podemos conversar com alguém abertamente sobre o nosso sangue azul tudo parece tão simples e alivia a alma.
        Isso que o diga minha Mamys Cris Gaúcha que tive o prazer de conhecer pessoalmente no carnaval.
        Tive a impressão que éramos amigas de infância 😉
        Quem tiver oportunidade, sentir vontade e seguro para encontrar alguém aqui desse blog permita-se.
        É bom por D +
        Ainda quero encontrar pessoalmente muitos que a tempos mantenho contato.
        Não vou citar nomes, pois a lista é bem grande…hehehe
        A Pequena + aqui se apega fácil ❤
        E esse ano promete sim, muitos encontros e risadas escancaradas de muita alegria.
        E lógico a tão sonhada cura 🙂
        Um forte abraço Cara +

        Ps: Vc errou meu nick…kkkkkkkk

        Beijão da Pequena + ❤

  15. Madamemin diz

    Muito me assusta esse projeto de lei!

    Não é a primeira vez que apelo midiático edita leis e altera o código penal.
    E os nossos parlamentares fazem isso imbuídos de um desejo tosco de conquistar simpatizantes e votos. E justificam seus atos em algo que para a grande massa é aparentemente genuíno (o intuito de proteger a população saudável de pessoas como nós – seres desprezíveis).

    Sim, eles são despreparados.
    Não, eles não estão preocupados em se informarem, tampouco nas consequências dos atos que eles editam.

    Mas voltando ao projeto de lei.
    O que efetivamente me apavora é o seguinte: para que o crime de transmissão voluntária do vírus HIV seja considerado um crime hediondo há a necessidade de criar esse crime específico e a intenção do legislador é incluir um parágrafo ao artigo 131 do código penal.
    Esse artigo trata do crime de Perigo de contágio de moléstia grave.

    Ao contrário do crime de lesão corporal, que exige um resultado naturalístico para a sua consumação (ou seja, um delito de lesão corporal efetivamente se consuma quando ocorre a lesão propiamente dita, do contrário, haverá um crime tentado), o crime de perigo nnão exige um resultado efetivo.
    Em outras palavras no crime de perigo o simples ato capaz de gerar uma contaminação, ainda que essa não ocorra, é suficiente para a consumação do delito.

    Pelo o que li do dito projeto de lei, contudo, haveria um novo crime, com pena de 2 a 8 anos de prisão, para o caso de esse ato efetivamente gerar a contaminação pelo vírus HIV.
    Olhaaa, uma notícia boa. Em tese, somente seremos presos se houver contaminação.

    Na verdade tem mais (notícia boa) : há necessidade de provar que tivemos a intenção de contaminar essa outra pessoa!
    Ufaaa.
    A exceção dos carimbadores, ninguém quer contaminar ninguém, certo? Então, presumo eu, se houvesse uma contaminação, ela seria casual e involuntária. Obra do destino. E não haveria crime.
    Claaaro.
    Pois é! Mas sabem como essa intenção de contaminar seria demonstrada em um processo? Através de uma frase mais ou menos assim: Tendo o réu mantido relações sexuais com a vítima, sabendo da sua condição de soropositividade, resta claro que ele tinha a intenção, ou, no mínimo, assumiu o risco, de contaminar esta. PONTO FINAL.

    Portanto, seria uma lástima a aprovação desse projeto de lei.

    E olha que eu sou bem positiva e vejo o lado bom da vida, em regra.

    Desculpem o desabafo!

    • luizgaucho02 diz

      Muito bom Madamemin, o que preocupa realmente é essa parte final, o “assumiu o risco”, um prato cheio para aplicação do dolo eventual. Aí estaremos literalmente f…kkkk.

      Abraços.

    • CARA + diz

      Madamin,

      Estava agora mesmo escrevendo um comentário sobre isso e vi que você escreveu brilhantemente sobre.

      Uma lástima! Que Deus escute nossas orações e tal projeto não passe!

  16. farmacêutico diz

    Bom dia!

    Não sou especialista em direito, meus conhecimentos se limitam a regulação do mercado farmacêutico, existe algo chamado presunção de inocência, aquele que acusa têm que provar que a transmissão foi intencional e convenhamos isto não é nada fácil, NÂO ESTOU AQUI DEFENDENDO AQUELES QUE DELIBERADAMENTE TRANSMITEM O VÍRUS, só estou querendo demonstrar como esta PL é apenas uma forma de satisfazer de forma tola um eleitorado desinformado, em ultima análise este PL só conseguira aumentar o estigma e a discriminação .

    • CARA + diz

      Sabe Farmaceutico…

      também penso como você…será necessário comprovar e tal, mas até se comprovarem as vias de fato, quantas pessoas serão envolvidas no processo? Quantas pessoas ficarão sabendo da sua condição sorológica por conta disso? para quem, mesmo em tratamento, indetectável, preservando a sua saúde e a dos outros, e que por todo estigma que existe, prefere se manter no anonimato, ter seu diagnóstico na bancada de um juíz sob tal acusação, seria no mínimo um grande desgaste emocional e psicológico.

      e tendo como base de que em direito sempre existe um “viés” e/ou uma outra interpretação, dependendo de como vc “olha para o caso”, esse projeto de lei é no mínimo “constrangedor” a todos nós!

      • farmacêutico diz

        Boa noite a todos!

        CARA + você tem razão!
        Analisando por este angulo de fato será grande desgaste emocional, será muito constrangedor!

        • CARA + diz

          sabe o que me “apavora” nessa lei, farmacêutico?

          poxa, todos, quando solteiros (outros fazem quando casados tb), e porque não dizer sorointerrogativos e/ou soronegativos, e/ou soropositivos tb, estamos livres para uma noitada regada a um bom vinho, uma boa companhia, sexo do bom e por ai vai, no melhor estilo: – e ai foi bom para você? Ou seja, sexo casual.

          fico imaginando, como será isso, caso essa lei seja aprovada. Eu (diga-se de passagem, que no quesito sexo ando mais tranquilo do que água de poço, como se diz aqui no sul), vou literalmente ficar para “titio”, pois não me imagino tendo que “abrir” o jogo assim, antes das preliminares….e mesmo abrindo o jogo, corro o risco de responder por um processo ao qual não tenho culpa alguma!!!!

          melhor nem pensar para não “sofrer por antecipação”….

  17. rc-palmas@bol.com.br diz

    tem -se que ira s ruas e fazer um grande protesto em frente ao congresso, demais mesmo nesse brasil. tudo é cópia, querrme copias outros paises, sendo que aqui nem a lei vigente funciona, sempre condenando e expondos inocentes em vários casos.Uma vergonha um deputado federal se preocupar com isso, sendo que no país há muito mais coisas importantes pra se preocupar, eu repudio isso, essa lei e espero que esse congresso, impuro e interesseiro tenha cabeça e rejeite esse projeto.vamos as ruas gente, protestar contra isso….

  18. Dere diz

    Oi galera, alguém aqui toma whey protein para malhar? estou em um dilema.. minha infectologista disse que era melhor não tomar, já meu endócrino que tem 10 pacientes com HIV disse que devo tomar normal os dias que for malhar se não irei perder massa magra…. agora não sei o que fazer?! alguém aqui toma?

    • Cauã + diz

      Oi Dere

      Eu vou começar a tomar suplementos mês q vem
      Em Minha consulta ao infecto, perguntei minha medica se tinha alguma restrição por tomar a medicação, e ela disse q não e me apoiou disse q devo tomar normalmente e ir malhar. Citei os exemplos ainda de Whey Protein, Creatina, Albumina …
      Ela disse q não há problema algum e q devo tomar sem medo.

      • Dere diz

        Nossa.. como é bom ler isso, meu endócrino disse que poderia tomar normal, e tudo .. pq se eu não tomar minha dieta não vai dar certo e iria perder massa magra.. e minha infecto tinha falado que ela acha melhor não tomar whey, bcaa, creatina, caseira e glutamina me tirou tudo… sendo que meu CD4 esta a 861 e minha CV=120000.. sei que a carga viral não esta baixa isso foi a um mês e meio atras e não sinto nenhum sintoma da doença, aliás nunca senti nada da doença descobri graças a um exame de 8 e 8 meses que faço. enfim.. muito feliz de saber que posso tomar e vou conversar com ela direito.. estou tomando o 3em1.

  19. Wil diz

    Gente estou com uma dúvida. Algum de vocês teve ou está tendo problemas com acne? Isso passa sozinho ou vou ter que fazer tratamento?
    Outra Dere, ou outra pessoa que saiba, se eu malhar sem tomar suplementos não vou conseguir definir e tal?

    • Dere diz

      oi will, sobre a acne isso eu não sei porque sempre tive. Eu tive algumas reações com o medicamento mas passaram em questão de uma semana. Suplemento é para te ajudar, você tem que ver sua alimentação, seus exercícios na academia e saber da sua genética.. no meu caso sempre fui magro além de fazer esporte e malhar então necessito disso para poder ganhar massa e melhorar meu rendimento dentro de quadra.

    • FG-PR diz

      Wil eu percebi um aumento sim, nada absurdo, mas vire e mexe aparece um espinha enchendo o saco, mas no caso acredito estar relacionado ao aumento no nível de bilerubina no sangue devido ao Atazanavir, pois quando não bebo pelo menos 2 litros de água por dia minha pele fica oleosa e logo em seguida aparece uma espinha.

  20. HopeAlways diz

    Seguinte, não sou médico, porém sabemos que um dos efeitos colaterais do tenofovir está ligado a função renal. Então sobrecarrega-los com muita proteína não é legal. Vai fazê – lo trabalhar demais. Acho que tudo tem a ver com o bom senso. Se for p tomar não esquece de beber muita água. Uns 3 litros de agua por dia certo? No mais, malhar, se exercitar e ser muito feliz!!! 🙂

    • FG-PR diz

      Também acho que quem usa Tenofovir não deve exagerar em nada que possa sobrecarregar os rins, a atividade física intensa por si só já libera creatinina no sangue que faz o rim trabalhar mais, com a ingestão de proteína é mais trabalho para os rins. Quando fui me consultar com o Dr Ésper eu perguntei sobre se beber muita água evitaria do tenofovir atacar os rins e ele disse que se tiver que atacar vai atacar de qualquer maneira, mas que devemos evitar sobrecarrega-los.

      • Dere diz

        Faço uso de Tenofovir, no 3 em 1, sou atleta, necessito de tomar whey protein, necessito desta suplementação, malho 5 vezes na semana e treino 3 vezes sendo 2:30h dentro de quadra.. não tomo creatina por conta dos rins .. e sei que é prejudicial mas proteína para eu é fundamental. Faço tratamento com uma infectologista, um endocrinologista metabologia longevidade humana e fisiologia hormonal aplicada, ainda tem meu personal ambos com pacientes com HIV, DIABETES, LÚPUS E PRESSÃO ALTA. Sei que cada doença tem sua restrição, mas desde de sempre fazia dieta, vida saudável.. então sei que estou cercado de profissionais competentes, sei que são humanos e também erram…. problema nos rins PODE vir a acontecer, se cuidando SE acontecer será pouco conheço pessoas que vive tomando água e tem, pessoas que não tomam e não tem, pessoas que bebem álcool todos os dias e não tem e pessoas que bebem só nos finais de semana e tem… enfim.. o corpo humano é muito louco! Acho que isso é muito relativo! mas tenho uma consulta neste FDS e vou conversar com minha infectologista direito.E fiz exames meu CD4 subiu para mais de 800 e NUNCA tive ele baixo de 700, minha CV abaixou para 50.000 estava de 120.000. sei que não esta baixa mas estou a caminho do indetectável. FORÇA E FÉ QUE TUDO VAI DAR CERTO!

  21. Marvin diz

    Quer dizer que o nobre relator ao afirmar tal fato e defender “que o Estado deve responder de forma rígida e justa, repreendendo o infrator de forma proporcional e de que não admite o cometimento dessa repugnante infração”. Deveria ser incisivo …

  22. Marvin diz

    … e enfático na luta contra a corrupção, tbm respondendo de forma “rígida e justa” contra os infratores da pandemia q contamina tdas as áreas onde a política está envolvida, já q é sabido q a corrupção é tão niciva quanto um homicídio.

  23. Cara bh diz

    Boa noite galera! Alguem ja deve problema quando sai do banho o corpo comeca a pinicar todo? Tem 8 meses que tomo a medicacao.

    Obrigado

    • Marvin diz

      Boa noite, Cara Bh! VC VEM SENTINDO ESSES SINTOMAS A QUANTO TEMPO?

      • Cara bh diz

        Ola Marvin,

        Tem mais ou menos uns 15 dias! Amanha vou no dermatologista pra verificar.. Da desespero..

        Abracos

        • Marvin diz

          Boa tarde, BH! Faz 6 anos q descobri minha sorologia + e só no inicio q tive reações, tipo tontura e pesadelo. Mas foi caso de menos de 1mes. Tenho essas coceira no corpo qndo uso sabonete de esfoliação. Fico pinicando o corpo todo.

    • Cara Bh, vc trocou a marca de sabonete que usa? Ou talvez, devido a crise de água, o abastecimento na sua casa não está sendo feito com uma agora com maior quantia de cloro? Ana tomando banho muito quente?

      São três hipóteses não relacionadas ao HIV nem à TARV…

    • Pequena + diz

      Cara bh

      Olha eu nem tomo medicação e tenho isso.
      Mas é devido ao tipo de sabonete que vc usa…rs..
      Troque por um neutro ou de bebê.
      Não tem nada haver com a medicação.
      Como Dr Sérgio Varela diz…rs…
      Prestamos mais atenção ao que acontece em nosso corpo, apenas isso 😉
      Desencana e mantenha a fé, foco e força.
      Bjus no ❤ da Pequena +

    • vivendopositivo diz

      Eu tinha umas dessas também, mas bem antes da infecção. Até pensei que fosse alergia a banho. Acho que tem a ver com o cloro, ficava todo me coçando depois de banhar, mas faz tempo não tenho isso.

  24. Que louco! Desta forma a “vitima” infectada, depois do julgamento, vai se tornar uma pontencial “ré”.

    Dois debates que, para mim, vão de encontro. Um adolescente de 16 anos mata e não pode ser preso porque não tem maturidade suficiente para responder pelos próprios atos. Ai, um positivo, utilizando camisinha e com carga viral indetectável faz sexo sem informar a sorologia, é julgado, condenado e preso mesmo não havendo contaminação. É isso mesmo?

    Para tudo. Vamos explodir o congresso.

  25. Olha, vergonha de ser soropositiva eu não tenho não, agora de ser Brasileira eu mooooro de vergonha. Uma pancada de bandido na rua e essas topeiras brincando de criar leis inúteis e inaplicáveis. Ta querendo ibope esse oportunista. Deixa criar a lei, afinal nesse país lei nenhuma se cumpre mesmo…só mais um testinho pra cair em algum concurso pra contratar profissionais de saúde..kkkkk. Eu vou rir, só pode ser piada! RIDÍCULO…

  26. luquinha diz

    Gente olha só ,estou indignado assim que fui diagnosticado meu imunologista disse assim Luquinha isso não e de agora não deve ser coisa de uns 11 anos ,ai eu vou transar com uma mulher , ai calha de ela fazer um teste de hiv , da positivo e eu que vou levar a culpa por ter carterinha de positivo eu logo eu, e quem vai saber pra quem ela deu no período de 11 anos ,gente crime hediondo homicídio simples , homicídio qualificado ,ESTUPRO , estupro de vulnerável , epidemia com resultado de MORTE , falsificação , adulteração , corrupção etc
    Esses bando de ladrão que tá roubando ai ninguém prende né , agora querem me prender ?Uma vez vi uma entrevista do doutor macha lenta Dráuzio varella ele falou que um andar do hospital antigamente era so pra soro , e vi também o Ney Matogrosso falar que já foi 4 vezes no cemiterio por por semana , e os religiosos afros que abria cura fechava cura com a mesma gilette e as mãe que engravidava e se recusava a tomar a medicação para as crianças não nascer infectada , isso sim era pra ser crime .
    Sabe de uma coisa teve um que comentou que isso e culpa dos políticos e e mesmo ,Eu queria é ser mulher sabe o que eu ia fazer eu ia dar , isso mesmo eu ia dá eu ia da na casa Branca , casa rosada casa vermelha casa do caralho , eu ia dá pro Barack Obama , eu ia dar pro parlamento Francês , eu ia dar pros ministros , eu ia dá pro Lula eu ia da pra Dilma , eu ia dá pro Aécio Neves eu ia dá pro Tancredo Neves, Deputado, Governadores , eu ia adentrando naqueles gabinetes e ia dá dá dá depois não iam me prender sabe porque ia fugir pra Russia queria ver se não ia encontrar a cura rapidinho
    Me sentindo triste , Feliz Pascoa !

  27. luquinha diz

    Gente ratificando , gilette é marca no caso é lamina de barbear ,pois este blog tem tanto acesso que não podemos fazer propagandas , a não ser que nos paguem , e muito dinheiro

  28. luquinha diz

    Coelhinhos da pascoa que trazes pra mim , uma cura duas cura três cura pra mim .

    • Marta Mello diz

      Prezados, saúde a todos! Às vezes penso que estão banalizando a doença. Sigo este blog desde que um parente meu foi diagnosticado e vou acompanhando os comentários e sinto uma tristeza muito grande quando percebo que todos os dias um novo infectado se apresenta. Me ponho a pensar: Por que tantos novos infectados se a informação é tão ampla hoje em dia? Camisinhas são distribuidas gratuitamente nos postos de saúde. Será que as pessoas perderam o medo da doença porque hoje há um tratamento eficaz? Este meu parente é uma pessoa muito bem informada, mas confessou que teve comportamento promíscuo e irresponsável. Hoje vive um dilema de culpa por ver os pais sofrendo. Por favor, não pensem que estou julgando. É preocupação mesmo pois são pessoas tão jovem tendo suas vidas de uma certa forma modificada.

  29. luquinha diz

    Gente eu queria pedir desculpas do palavrão que falei ,pois não é do meu costume e da minha índole ,mais parece que tão perseguindo agente .

  30. luquinha diz

    Tudo culpa daquele cara ( O funcionário publico ) mais ele vai se ferrar pois o Ministério Publico já esta atrás dele , vai se ferrarrrrrrrrrr aposto que é professor de inglês , pois americanos que tem essas ideias , mais quando ele menos esperar a Diretora da escola vai falar pra ele assim ; professor visita ,ele diz ; nossa gente visita , guando a visita chegar quero todos em uma só voz welcomeeeeeee sim querido professor diz a turma
    O ministério publico chega com os tiras e ele arregala os olhinhos e a turma diz Welcomeeeeee o professor diz io tenho la onra de los recebelos ? quiem são los vocês quierem dar passaem pala nos viajarmos ? Ou oces gostiariam de la sistir numa aulinha gratiees ? Não o sr mister esta preso, queira nos acompanhar .

    • Juliana :) diz

      Luquinha owwww, vc é mto doido.
      Eu fico rindo alto dos seus comentários! hahaha
      Me adiciona ai no skype pra eu rir mais???
      Por favoooooooooooooor!!
      😀

    • Poff…e eu que pensava que eu era doida. Ta maluco Luquinha? Eu sou professora de inglês e isso nem de longe significa que adoto ideias de americano. Eu só aprendi a falar o idioma mais falado no mundo e ensino. Mando mal colega…
      Boa semana!
      Choquei…to pensando cá com meus “butões” sob que tipo de influência esse comentário foi escrito! Drogas, bebado…esqueceu de tomar o gardenal? Só pode gente….kkkkkkkkkk

      • luquinha diz

        Dinheiro e cura que e bom ninguém me da né ! agora me criticar

  31. Tratamento de longa duração

    Para aqueles com HIV totalmente suprimido, a mudança para um regime de duas drogas de cabotegravir uma vez por dia e Edurant (rilpivirina) funciona tão bem como tomar um Sustiva (efavirenz) à base de regime triplo. Pesquisadores do ensaio de Fase IIb LATTE de 243 participantes HIV-positivos e virgens de tratamento apresentaram suas descobertas em 2015 na Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas (CROI), em Seattle.

    Os participantes foram aleatoriamente designados para iniciar o julgamento, quer com uma das três doses potenciais da próxima geração cabotegravir inibidor da integrase (10, 30 ou 60 miligramas), ou com 600mg de Sustiva, junto com dois nucleótidos reverter inibidores nucleosídeos da transcriptase / (NRTIs). Após 24 semanas, 87 por cento (160 pessoas) dos pacientes que tomavam cabotegravir que tinha supressão viral estável trocou o inibidor não nucleosídeo da transcriptase reversa (NNRTI) Edurant para dois NRTIs. Enquanto isso, 47 pessoas que tomam Sustiva também prosseguem na fase de manutenção do estudo.

    Como relatado anteriormente, 82 por cento de todos os participantes que iniciou o regime cabotegravir e 71 por cento das pessoas no regime Sustiva ainda tinham uma carga viral indetectável 48 semanas para o estudo. A diferença entre estes valores não foi estatisticamente significativa, o que significa que pode ter corrido por acaso.

    Na CROI deste ano, os pesquisadores relataram que 76 por cento de todo o grupo cabotegravir e 63 por cento das pessoas no grupo Sustiva mantiveram a supressão viral por 96 semanas. Entre aqueles que entraram na semana pós-24 de fase de manutenção do julgamento, 86 por cento e 83 por cento respectivamente mantiveram uma carga viral indetectável.

    Estas descobertas apoiam a investigação da ação prolongada, versões injetáveis de cabotegravir e Edurant, o que permitiria a dosagem mensal ou trimestral.

    segue o link original: http://www.aidsmeds.com/articles/cabotegravir_edurant_1667_27049.shtml

    • André diz

      Eu andei lendo num dos sites por aí, que tinha um estudo Argentino que dizia que seria possível fazer o tratamento somente com 2 remédios ao invés de 3.

  32. Observador diz

    Vejo a aprovação dessa lei, PL 198/2015 como um retrocesso, só irá reforçar o estigma e preconceito contra nós soropositivos. De fato a transmissão intencional é crime e deve ser punida, mas creio que essa lei generaliza e criminaliza todo soropositivo. Já temos uma legislação que pune essa prática, reforçar isso com a criação de uma lei que em nada especifica essa questão da transmissão.
    Se for para criar uma lei, que ela apresente pontos relevantes, até por que há que se ter uma investigação e apuração sobre tais transmissões. Como condenar alguém que revela a seu parceiro que é soropositivo, faz tratamento e usa preservativo? Não se pode ter o mesmo peso e medida para todos.
    Já em relação ás matérias do Fantástico e as entrevistas do “Ativista”. O que ele esperava da edição do programa? Que o editor do Fantástico fosse imparcial e não procurasse sensacionalismo para o Clube do Carimbo?
    Óbvio que não. Geralmente essas pautas são editadas com intuito de alcançar o ibope. Por isso penso que foi ingenuidade demais ou ânsia por mais likes em páginas pessoais que concederam entrevista sem pensar na edição que o programa iria fazer.

    Ainda sobre “ATIVISMO”, tenho observado que agora é moda ser ativista. Como soropositivo participo de grupos e páginas no facebook que antigamente tinham a função de disseminar informações e conhecimento, mas hoje é algo que se perdeu. O que vemos é um desfile de aberrações em procura de curtidas. Classifico essa galera como NEO ATIVISTAS. Infelizmente ter HIV acabou virando um negocio para alguns. Boa parte é mais preocupada em levantar a bandeira da AIDS em beneficio próprio, como forma autopromoção.
    O ativismo sempre teve um papel importante na sociedade e contribuiu de forma louvável para muitas causas. Mas o que venho observando nessa questão da AIDS, é que boa parte desses jovens que se expõem e se dizem “ativistas” procuram os holofotes. Com isso ganham seguidores em suas páginas, representatividade, passeios, viagens, brindes, tudo em nome de um “ativismo”, mas que no fundo alimenta e multiplica a carga viral do EGO. Gostaria que o JS debatesse ou falasse a respeito de como ele vê o papel dos nossos Ativistas ou Neo ativistas atuais.

    • Acho que seria uma baita notícia explicar que o tratamento do HIV também funciona como prevenção, provavelmente com mais Ibope do que o “clube do carimbo”. Ao meu ver, o problema é a mania de contar sempre a mesma história – escrevi sobre isso aqui.

  33. luquinha diz

    É muito bom ver a vitória do meu Botafogo , agora no maraca vou ver a derrota do fla x flu haaaaaaaaaaaaaaaa EU SOU BOTAFOGOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  34. Lucas+ diz

    Galera, eu to assustado novamente,
    após o diagnóstico no começo de janeiro desse ano, eu comecei a ir ao médico certinho, antes dos meus exames de rotina ficarem prontos os de cd4 e carga viral ficaram, o médico me ligou no mesmo dia para que eu fosse lá pois minha cd4 estava mto baixa 350 eu caí novamente, já estava me acostumando; Iniciei logo o tratamento com o 3 em 1, isso no dia 25 de março, hoje 05/4 não sei se por loucura ou verdade parece que começa a me sair umas manchinhas vermelhas na mão. q nao coçam nem nada, mas o médico disse que reações alergicas eram extremamente graves. Estou assustado de novo. Preciso de uma palavra amiga. ):

    • vivendopositivo diz

      Alergia ao efavirenz, aparece na maioria de todos que tomam por volta do 7o dia. Corra na farmácia e peça um loratadina, (loratamed R$10 com 12und). O esperado é que dure uma semana. Alguns duram mais e outros menos, o nome é rash cutâneo, urticária, exantema, etc… Tente falar com seu médico enquanto isso, senão pode piorar se não tomar nada. Ele vai prescrever o anti-alérgico do mesmo jeito. Muitos aqui passaram por isso, os médicos deviam até já deixar o paciente avisado, não sei pq não avisam!

      http://euvivendopositivo.blogspot.com.br/2015/02/a-alergia-ao-efavirenz.html

    • vivendopositivo diz

      Essa alergia, muitas pessoas passam sem apresentar nada, mas eu mesmo até hoje 50 dias, ainda tomo anti alergico. Não é do tipo grave que precise trocar o 3×1, mas é chata pq tá sendo persistente. Existem casos excepcionais, como desses que seu médico falou, que a alergia é tão séria que precisa trocar o remédio. Quanto ao seu cd4, mais importante que o número em si, está a manifestação de doenças oportunistas, se você não está tendo nenhuma, e se apresenta saudável, ótimo! Não fique noiado com esse número, em poucos meses ele já passou dos 500.

    • Dere diz

      Oi Lucas+, tive está reação começando nas mãos e passou para o antebraço, notei na terça… passei a tomar loratadina uma vez ao dia em 3 dias sumiram e nunca mais voltaram… tive também queimação no estomago e diarreia só de noite isso durou uma semana.. depois tudo voltou ao normal…. vai depender de cada organismo.. não fique preocupado maioria das pessoas aqui tiveram isso e passaram em dias ou semanas mas passa… vá ao seu infectologista que ele te explica direitinho, e cuida do seu psicológico ele é FUNDAMENTAL nesta fase de início… pense e coisas boas que tudo vai dar certo!

      • Lucas+ diz

        Ola, obrigado!!

        Fui ao infecto hj, ele falou que e normal, e me receitou um anti-alergico, que comearei tomar hoje, agora e esperar que isso passe… outros sintomas nao tive . Vamos la, tem dias que ficamos meio pra baixo, ai venho ca e leio algumas palavras boas, obrigado queridos!!

        Otima noite

        • CARA + diz

          Sabe Lucas+ e Dere o que procuro pensar e “averiguar” quando estou me sentindo para baixo?se não me sentia assim antes de saber do diagnóstico e pimba, tinham dias que eu me sentia para baixo mesmo sem um motivo aparente. É da própria natureza humana isso, faz parte do processo.

          O que percebo muitas vezes é que a gente acaba colocando toda a culpa na tia! E a Tia Sida vira a grande vilã da história, até mesmo naqueles dias que a gente se sente para baixo pela própria natureza humana. Logo vem o pensamento involuntário: – poxa, por que eu sou +?

          mas, um dia de cada vez, um passo de cada vez, tendo a certeza que passa…. E passa!!!!

  35. The Faithfullness diz

    Acho válido cada um contar sua experiência com os remédios. Fui infectado em setembro de 2014 (sei pq tive relação c soropositivo e fiz o exame). Meu primeiro exame em dezembro de 2014 tive CV=2000 copias e CD4 930. Sei que a carga viral é baixa mas decidi tomar o 3×1 porque tenho pressa de me tratar. muitos disseram que era muito cedo e tal. Bom, estou no 23º dia que tomo o comprimido. Primeiro dia foi horrível, passei o dia inteiro tendo alucinações e não tinha controle sobre meu corpo,uma tontura imensa. Segundo dia isso caiu pela metade e aos poucos vem diminuindo. Acho que não tive alergia, nem percebi coceiras. Mas tive algumas espinhas no rosto, coisa que nunca tinha tido. Única coisa que não passou foi a tontura. Mas antes ela durava quase q o dia inteiro,, hj não mais. Tomo o remédio as 23:00 e lá pelas 10:00 da manha a tontura passa. Superei a fase das neuroses. Encaro como uma doença tal qual diabetes, alias, diabetes tem muito mais restrições que um soropositivo. Um amigo me disse q não devia ter começado com o remédio agora pois terei efeitos no organismo como nos rins. Meu infecto disse que hj em dia, desde 2013 os médicos são orientados a indicarem o tratamento logo de cara seja em qual nível de carga viral o paciente estiver. Basta um vírus e seu corpo esta infectado, logo, como não há cura, deve -se sim começar com o tratamento. Ele disse que antes os médicos eram orientados a esperarem chegar a CV próximo de 300 pq era uma restrição do ministério da saúde (p diminuir o gasto com numero de pessoas infectadas). Mas em 2014 foi editada uma lei q autoriza os médicos a prescreverem o remédio a qualquer tempo em que a infecção for descoberta, portanto, não é uma escolha de esperar o tempo necessário para tomar. Faço musculação cinco vezes na semana e tomo wey protein. Não perdi sequer um quilo (alias estou nos 76 quilos já tem uns cinco anos). Claro que para quem descobre num estagio avançado ou já com aids desenvolvida o tratamento é mais difícil. Bom, prefiro conviver com essas tonturas a ter que esperar os vírus espalharem no meu corpo. Se a cura esta perto ou longe ou se nunca verei pouco importa, pois o que tenho é pressa de viver. Claro que nossa autoestima cai sim. Seus planos, suas conquistas tem um sabor de desilusão até. Tenho 36 anos, tenho um corpo sarado, me acho bonito, sou reconheciodo no trabalho e tenho um filho….essas coisas é que me importam e me impulsionam a querer viver. Conheci uma pessoa de 21 anos e que soronegativa. Contei a ela minha situação de soropositivo no terceiro encontro nosso e ele me disse que isso não mudava o que estava sentindo por mim e queria namorar comigo. Estamos juntos, saímos juntos para dançar, beber, conversar e transamos protegidos e sem neuras. Encontrar esse blog foi fundamental para encontrar respostas que nem os médicos me disseram. Enfim….a cura não existe, mas a vontade de viver e a autoestima são remédios mais eficazes até que os benditos 3×1. Vamos curtir a vida gente e naõ deixemos que uma doença crônica nos impeça de buscar a felicidade…esta sim, procurada por soropositivos, negativos e interrogativos…..

  36. gustavo diz

    Uma pessoa q esta com o cd4 abaixo de 200 e cv bem alta, começando o tratamento com os remwdios de hj, consegue recuperar a saude? N e meu caso, mas e ao uma duvida 🙂

    • D_Pr diz

      Bom dia Gustavo,

      Consegue recuperar, entretanto, precisa também iniciar uma quimioprofilaxia contra infecções oportunistas!

    • luquinha diz

      consegue sim Gustavo eu estava com 60 há 2 anos atrás depois ficou 450 por um bom tempo agora deu uma leve subida e foi para 600 e carga viral estava em 500 mil agora indetectável , geralmente nesse tipo de paciente trata com a mesma droga que impede do filho se contaminar , pois e a mais eficaz , isso a curto e médio prazo , abraços

  37. D_Pr diz

    Bom dia!!! Vi no blog do Alexandre e penso ser extremamente válido compartilhar!

  38. D_Pr diz

    Olha aí, o chefe tá de folga em plena segunda! JS ativo nos comentários!

  39. DD+ diz

    Pessoal…gostaria de tirar uma duvida com vcs. lendo algumas coisas na net (Prometo pra mim mesmo q vou parar de ta lendo sobre essas coisa), me veio uma duvida: Qdo já se tem a doença (aids) não tem como ficar bom? mesmo fazendo o tratamento com os remedios? ou uma vez com a doença ela nao some?

    desde ja agradeço.

  40. Brumo diz

    Bom dia, amigos.

    Estou no 7 dia do 3×1, e venho sentido muita tonteira ao longo do dia e confusao mental de madrugada ou após tomar o comprimido (23h).

    Alguém saberia me dizer qm qnt tempo o organismo se acostuma com esse esquema? Esses efeitos tendem a diminuir a partir de qnd?

    Obrigado e boa semana tds nós.

    • gustavo diz

      Depende da pessoa.. tem gente q nem tem nada. Srsr eu tive bastante no inicio.. no primeiro dia foi tenso, mas depois foi bem mais leve … hj ta quase nada

    • DD+ diz

      Brumo…relaxa! Isso depende do organismo de cada um. meu companheiro não teve nenhum sintoma, ja eu todos rsrs, e apos uma semana ja tava tudo normal, ainda (tomo ha 20 dias) tenho tonturas, (qdo acordo na madrugada). tente tomar o remedio mais cedo e vá dormir logo.

    • vicente+ diz

      Bruno, boa tarde!

      Eu faço uso do TARV desde Jan/2015. Nos 3 primeiros dias eu senti muita tontura e muito sono, mas depois me adaptei facilmente.
      Como faço faculdade eu optei por tomar o remédio após 23hrs, no inicio, devido as férias da faculdade, eu conseguia jantar bem mais cedo e esperar dar a hora do remédio, o que, ao meu ver, facilitou pra ficar menos tonto. Hoje por conta das aulas eu chego em casa depois das 22hr faço algo pra comer e tomo o remédio, por ter um espaço mais curto entre a refeição e uso do remédio eu sinto que a tontura as vezes persiste (parece que tomei doce … rsrsrs)
      Aqui no blog mesmo, eu já li relatos sobre isso, que o ideal é se alimentar umas 2hrs antes de tomar a medicação. Tenta fazer dessa forma e veja se há melhora.

      • Brumo diz

        Boa noite!

        Eu estudo à noite tb, por isso resolvi tomar a medicação as 23h. Uns falam que 30 min antes deve-se fazer uma refeição, para não ingerir o remédio de estomago “vazio”… Agora deu um nó na minha cabeça rs

        • GilPR diz

          Oi Brumo, boa noite!

          Eu iniciei o tratamento há 20 dias, na bula do 3 em 1 recomenda-se tomar o medicamento com o estômago vazio. Um dia tomei com estômago cheio e senti os efeitos mais intensos do que nos outros dias.

    • The Faithfullness diz

      Olá Brumo. Depende de cada organismo meu amigo. Tudo q vc disse eu senti. O primeiro dia foi o pior de todos. Agora estou na terceira semana e essa tonteira diminuiu bastante. A primeira semana é a pior mesmo.

  41. JTh diz

    infelizmente nao é facil de primeira antes de voce manter relação sexual com um parceiro, ja aconteceu varias e varias vezes de eu me manter com uma pessoal e depois de alguns meses criar coragem de falar, e acabei sendo rejeitada, por a pessoa ter um pensamento de merda, ontem eu tive a experiencia de contar a uma pessoa que estou a menos de um mes, mantemos relação por DUas vezes, ontem depois de tudo contei com lagrimas nos olhos, sobre minhas historia, ele ficou sem reaçao e eu disse mesmo sabendo que a partir daquele momento ele nao iria me querer mais eu iria entender, mas foi ao contrario ele me abraçou e disse que nao ia me deixar so, nao disse que iriamos ficar juntos ou continua um relacionamento mas.. o que me deu mais força foi de ele nao me deixar… ja tenho 4 anos com o virus, vivo uma vida que quem olha jamais diria que sou assim.. tenho uma filha de 6 anos.. ate hoje nao consegui me relacionar duradoramente com alguem e muito dificil!

  42. VidaSemSentido diz

    Olá pessoal, descobri a minha sorologia dia 24/02/2015 e desde então venho acompanhando o blog e os comentários positivos que são postados aqui. Mesmo mais de um mês da descoberta eu ainda me sinto mal de vez em quando, bate um desespero, sei que nunca vou esquecer a data, ainda mais porque descobri na véspera do aniversário da minha mãe. Estava decidido a não contar a ninguém, nem ela, porém, só consegui esconder durante uma semana… Ela me pegou chorando, sentou do meu lado e perguntou o que estava acontecendo, daí eu não aguentei e chorei mais ainda e lhe contei a verdade e aproveitei e contei também que era gay (na verdade oficializei, pois pela reação ela já sabia).
    Ela foi muito tranquila (coisa que nunca imaginei) e está me apoiando.
    Fiz todos os exames necessários inicialmente e mais um baque: Minha carga viral estava em 130 mil cópias e o CD4 em apenas 113.
    A infectologista disse que deveriamos começar com a medicação imediatamente, Então no mesmo dia já recebi o 3em1. Graças a Deus tive pouquissimos efeitos colaterais desde que estou tomando (23 dias).
    Meu maior medo é em ficar feio, que todos percebam que estou infectado com a doença, toda noite durmo pedindo a Deus para que o dia não amanheça para mim, a cada dia que passa fico mais triste. Gostaria de alguma palavra de apoio, alguém pra conversar …
    Meu e-mail é: vidapositiva240215@gmail.com
    Obrigado.

  43. FG-PR diz

    Vejo muitas pessoas com dificuldade de adaptação aos medicamentos, pricipalmente em relação ao Efavirens que faz parte do 3X1, acredito que muitos saibam, mas aos que não sabem existem outras combinações possíveis de tratamento e é um direito nosso solicitar a troca da combinação caso não estejamos se sentindo bem. Falo isso por que eu quando descobri não sabia de nada disso é aceitei a primeira combinação indicada pela infecto, acabei ficando por 6 meses passando mal do estômago e após me informar solicitei a troca de um dos medicamentos, solicitei porque fui atrás e aprendi tudo que pude sobre o tratamento e desde então minha vida é normal, não sinto absolutaemente nada, tomo meus 3 comprimidos antes do café da manhã e posso sair, beber, me divertir e viver uma vida normal como deve ser. Quando solicitei a troca a infecto veio com o papo de que no CTA eles poderiam querer não trocar, mas não foi isso que aconteceu, pelo contrario eles trocaram na hora quando levei a receita e expliquei o que estava sentindo.

    • Brumo diz

      Eu espero que o meu organismo se acostume com o 3×1, pois é muito prático. Mas está sendo desconfortavél essas reações da primeira semana (tonteira e confusão mental). Só quero fazer meu tratamento em paz sem esses efeitos chatos…

      • JTh diz

        eu tomoo Efavirens 600 mg, meu medico me disse que esses efeitos colaterais e porque ele tem uma pequena composição com maconha por isso causa esse desconforto,
        eu no inicio me dava ansia de vomitos desmaio quase morri hahha (drama), tive ate que pegar atestado porque nao consiga trabalhar foi ai que tiver que me abrir com meus superiores no trabalho.
        hoje ja com 3 anos tomando nao sinto nada.. ainda nao estou coom o 3×1 mas meu medico disse que o proximo mes ja irei tomar…

  44. Pessoal, quero a opinião de vocês!

    Faz umas duas semanas que estou tendo fortes colicas no intestino. Tem horas que só falto subir as estrelas com a dor. 😦 Não tenho diarréia, nem febre, nem dor de cabeça. As vezes sinto umas puxadas nas costas, perto dos rins.

    To doido pra fazer um endoscopia pra saber se tá inflamado ou se tem alguma coisa empatando.
    Estou indetectável e meu CD4 tá em 560.

    Alguém já passou por isso? Mimha combinção da TARV é a inicial. Será que pode ser um efeito colateral?

    Abraço

    • DD+ diz

      Davi, EU tbm estou com esses sintomas. Iniciei o remedio ha 25 dias. Sinto mta colica e pra piorar estou com hemorroidas inflamadas…dói demais. Ainda n falei pro meu infecto, ja markei um gastro e um proctologista. Ta insuportavel.

  45. mineiro+ diz

    Entao pessoal como estao vcs? Olha ultima vez que postei aqui foi a 9 meses atras. Sobre minhas insegurancas sobre tratamento e como era conviver com hiv, olha admito pra vcs nao mudou muita coisa, ate pq descobri cedo eu imagino C.V 6.000 e CD4 670, porem como li muito sobre o tratamento nao tinha pq adiar. Recentemente vou pro meu primeiro exame apos a medicacao de C.V e CD4 pq nao tive alteracao em nada em 4 meses de uso no hemograma, medico falou pra me manter saudável como sempre tentei.
    Porem agora vamos as angustias me chateou muito essa noticia de abrir uma brexa na lei que permite pessoas que se cuidam e querem o bem do proximo ( se tratam) serem prejudicadas por ignorancia de uma minoria, como dito no texto, uma minoria que se faz o tratamento nao transmite! E ai vai minha historia conheci um rapaz bacana e aconteceu como qualquer pessoa e decidi contar, parecia td lindo, houve aceitacao “verbal”, porem com passar das semanas um afastamento fisico, como se tivesse medo ;/ sim to bem triste pela situação, pq acabou nao por mim mais pela frieza que a relacao ficou. Espero com sinceridade que essa lei nao entre em vigor pois quem vai ficar encurralado sera nos. Enfim vou tocando a vida amorosa por ai.
    Sobre os efeitos a unica coisa que me incomoda é dor no estomago e uma suadeira de doido parecendo que tomei um termogenico, mais falarei com medico na proxima semana e passo pra vcs! Alguem sente isso tbm?

    No mais bjs no coração de cada um.
    Se cuidem, temos muita vida pela frente. Ate pq só tenho 20 anos ne kkkkk.

  46. GuiPR diz

    Olá amigos, boa noite.

    Descobri que sou positivo em 01 de dezembro de 2014. Meu CD4 é de 876, mas minha carga viral de 156,004 cópias estava elevada. Sendo assim optei por começar o tratamento com o 3 em 1. Há 20 dias iniciei com o medicamento, tomo por volta de 00:00. Bebo bastante água, procuro me alimentar bem e a alergia no sétimo dia passou em umas 36 horas. Porém há uns 5 dias sinto cansaço e sono, estou achando que é início de anemia. Também sinto um leve incômodo nos rins. Alguém já passou por isso ou algo parecido? Passou com o tempo?

    • A Lu diz

      Oi Gui! Também tive algumas reações aos remedios… até hj dificilmente tem um dia q eu não tenha um tipo de caimbra na barriga e costas ao msm tempo (achei q poderia ser os rins, fiz exames e está tudo bem)!! Notei q quando estou bem (beeeeeeem msm) hidratada não sinto essas dores! No mais, só inicio de lipodistrofia… nada q uma boa atividade fisica não resolva!

      Assim q soube da minha sorologia já imaginei q teria q fazer por mim o q eu já deveria ter feito dsd sempre: boa alimentação, boa noite de sono, atividade fisica, essas coisas.. o q todo ser humano saudável deve fazer por si!

      Espero q fique bem!! bjs

        • A Lu diz

          uso efavirez e um q tá escrito ‘farmanguinhos lamivudina + zidovudina’

          desculpe a demora p responder, D_Pr

    • vivendopositivo diz

      Também passei algumas semanas sentido uma leve dor na cintura dos dois lados que ia da metade da barriga e arrodeava ate quase a espinha. Mas sumiu com umas duas semanas ou três.

      • CARA + diz

        Sugestão de amigos que convivem com o vírus por mais de 10 anos? bebam muita água. Adotem uma garrafinha de 500ml e andem com ela a tira colo. Tendem a fazer sumir essas possíveis dores lombares, uma vez que o organismo está se adaptando a medicação.

        Lembrando que, todos, sendo soropositivos ou não, deveriam ingerir no mínimo 2L de água por dia!!!!!

        • Brumo diz

          Verdade! A nutricionista do cta disse que é para levar uma garrafinha com água pra onde for.

    • GuiPR diz

      Obrigado amigos! Esse blog tem sido essencial pra mim desde meu diagnóstico. Se alguém quiser/estiver precisando pode falar comigo nesse e-mail gilundetectable@outlook.com, fiz esse e-mail justamente para interagir no blog. Abraços.

  47. To na TARV a 11 meses. E já senti isso outras vezes.

    O que vocês recomendam eu fazer? (Luquinha e DD+)
    Procuro qual especialista?

    Só terei consulta no infecto na segunda que vem. Já queria levar exames (além dos de rotina e CD4 e Carga Viral). Mas quais exames pedir?

    To pensando em ir na Unidade de Pronto Atendimento – UPA e tomar alguma coisa pra dor. Por que não tá sendo fácil.

    AOS NOVATOS NO BLOG que se assustaram com o meu relato, caso seja diverticulite, como “diagnosticou” Luquinha, essa complicação é normal entre jovens de 20 e 34 anos. Não tem nada haver com o vírus. Pode ser má alimentação e ausencia de fibras. Não existe uma “precaução” contra isso. Mas tem tratamemto.

    Abraços

  48. DD+ diz

    Davi…procurei um gastro. No meu caso aparentemente n ten nada a ver com o virus nem com o medicamento.

  49. HOPEFULL diz

    Bom dia amigos!! É a primeira vez que posto aqui. Fui diagnosticado em março do ano passado!! De lá pra cá tenho acompanhado o blog e agradeço a todos, em especial ao JS pelos textos esclarecedores. Tenho tido uma vida normal e feliz. Nada mudou..tomo minha medicação que me tira alguns segundos do meu dia. Graças a Deus meu psicológico não foi tão abalado e eu consigo encontrar bem-estar em um monte de coisa que a vida ainda me permite ter!! Enfim..tenho uma dúvida: Recebi o diagnóstico bem cedo, um mês após a relação de risco. Meu teste rápido deu negativo, fiz o Elisa e pediram pra fazer um confirmatório, o Western Blot. Fiz esse e deu indeterminado tbm. Aí o médico passou o exame de carga viral.Fiiz e deu pouco mais de 1.000 cópias. O mesmo médico achou por bem eu começar logo a medicação, numa tentativa de cura funcional e passou o Raltegravir pra mim, não o esquema tradicional com o efavirenz. Ele disse que o raltegravir tem um poder de esvaziar mais os reservatórios (???)..e essa é a primeira dúvida, procurei e não encontrei nada que confirmasse essa informação. Descobri que sou o único que recebe esse remédio na farmácia onde pego minha medicação. Eu sei que é um remédio mais avançado!! A questão é: Será que com ele tenho chance de uma cura funcional mesmo?? Eu já pedi pra mudar pro efavirenz, por ser 3×1 agora (muito mais fácil de tomar). O Raltegravir tem que tomar duas vezes ao dia. O médico não deixou, disse que estava com o melhor remédio disponível pra HIV no Brasil. E o mais caro tbm!! Mas enfim: queria saber se a informação sobre os reservatórios procede!! Um abraço a todos.

  50. miner diz

    Boa Noite! Alguém do blog decidiu adiar o início do tratamento com orientação do médico? Ainda não estou fazendo o uso dos medicamentos. É verdade que é possível ficar assim por meses e até anos? A impressão que tenho lendo os comentários aqui no blog é de que todos iniciaram o tratamento assim que tiveram o resultado positivo – mesmo tendo bons números em relação ao CD4. Tive o resultado da minha sorologia há dois meses e já consigo lidar melhor com a ideia de ter HIV, mas estou ansioso e preocupado se estou no caminho certo e como será quando iniciar o tratamento. Outra angustia é que trabalho a noite e fico pensando como será o uso do medicamento nessas condições. Só durmo durante o dia :/

    • Chico diz

      Boa noite, tinha a mesma dúvida! meu médico disse que eu não precisava começar imediatamente pois meus exames estavam bons! Me arrependo muito pois estava engatando um namoro e acabei ficando sem coragem de comentar sobre minha situação e acabou não indo pra frente, se eu tivesse começado o tratamento antes talvez eu já estivesse indetectável e estivesse com mais confiança para compartilhar com meu parceiro.

      • miner diz

        Pois é, Chico. Ainda tem essa lado também! Sem a medicação fica ainda mais complicado pensar em um relacionamento. E agora? Você iniciou o tratamento?

    • boa noite
      seja bem-vindo
      apesar da minha cv ser relativamente baixa (1100) e cd4 bom (594) meu medico indicou começar a medicaçao
      pelo que vi aqui é o melhor caminho
      pense bem.. e se entender necessario, peça pra começar
      abraçao

  51. Brumo diz

    Bom dia, gente!

    Quem tomou Loratadina para rash cutanea/alergia que aparece no 3×1, poderia me dizer se foi de 12/12h ou 1 comprimido por dia? As tonteiras abaixaram bastante, mas agora estou todo empolado kkk (rir pra n chorar).

    Obrigado.

  52. HOPEFULL diz

    Bom dia!! Obrigado pelas boas vindas JS!!
    Quanto à decisão de tomar medicação cedo, eu acredito que vale a pena sim, tanto em relação à sensação de segurança numa nova relação sexual, garantindo ao parceiro ou parceira um risco negligenciável de transmissão e a si mesmo de reinfecção, como também em relação ao aspecto social. Aos poucos eu acredito que a ideia de sorologia indetectável vai entrar no vocabulário do mundo, junto com a convicção científica de que não somos um risco pra ninguém que se relaciona conosco. Eu mesmo já expliquei isso para umas dezenas de pessoas, mesmo sem dizer minha condição sorológica. A maioria absoluta delas ficaram espantadas sobre a ideia de quem se trata não transmite. Não sabiam de algo tão importante, mas abafado pela mídia. E o melhor, quase todas elas conseguiram chegar a conclusão de que a melhor prevenção é o tratamento. É na verdade uma questão matemática básica, quanto mais indetectáveis, menor o número de novas infecções. E o senso comum de que essa estratégia iria aumentar o número de relações sexuais sem camisinha vem na contramão das evidências. É só fazer uma enquete na amostra razoável de soropositivos que temos aqui no blog. Quantos de nós deixamos de usar camisinha depois de soropositivos indectáveis, mesmo munidos da informação de que o risco é estatisticamente bastante reduzido? Acredito que quase ninguém. Eu uso camisinha sempre porque existe uma gama bem maior de vírus no mundo, além do HIV. Portanto, posso não ser um risco, mas alguém pode ser pra mim. A ignorância quanto a esse assunto é a regra. E todo preconceito tem como sua refeição favorita essa mesma ignorância. Eu me sinto bem por saber que estou fazendo algo a respeito, não deixando que esse vírus ganhe uma só batalha sequer, o que dirá a guerra!!

  53. Deborah diz

    Socorro, socorro, socooorrrrrrro

    Me ajudem pelo amor de Deus,

    estou tomando o 3×1 a 15 dias e não consegui contar pra ninguém da minha família sobre a minha atual condição, ainda não estou pronta pra contar e acho que nunca estarei, mas tenho que fazer uma endoscopia amanhã, que tem que ser com um acompanhamento é estou apavorada, achei que a psicóloga que está me acompanhado poderia me ajudar a ter uma idéia, mais o que ela fala é que devo contar a todos tipo, o médico que irá fazer a endoscopia, o médico do pronto socorro se precisar de um pronto atendimento, o meu ginecologista. Só de pensar nisso já quero morrer, pois moro em uma cidade pequena, tenho muito medo.
    Gente, se eu não contar pro médico que irá fazer o exame, que faço o uso da medicação estarei correndo risco?

    • TheKing diz

      No meu caso, ptei em não contar minha condição a ninguém , mas precisei ir a um nefrologista, e como acreditei que poderia ajudar no diagnóstico, resolvi falar pro médico sem medo. Ele ouviu atentamente e passou exames para avaliar o meu caso.
      O que quero dizer, é que vc terá q avaliar o seu caso e ver se realmente é necessário revelar sua sorologia. Em nenhum exame q faço revelo q tomo medicamentos. Se eu sentir uma dor de dente, não vou revelar minha sorologia, pois sei q não tem relação.
      O melhor que você tem a fazer é esperar, aguarde o médico lhe entrevistar e conforme as perguntas dele vc analisa se realmente é importante dizer ou não.
      Outra dica é: por mais que tenhamos que nos preservar pra evitar preconceito, acho que temos que entender q essa é a nossa nova condição, e sempre que a nossa saúde falar mais alto, teremos que levantar a cabeça, priorizar pelo nosso bem e afirmar sem medo: sou soropositivo.
      Médicos entendem totalmente nossa condição, meu médico msm falou que é uma doença crónica totalmente tratável, algo mais fácil de lidar como diabetes por exemplo; Te garanto que os médicos ja estão acostumados com a presença dos S+ no mundo. Vc será só mais uma paciente.
      E fique tranquila, ele não comentará com ninguém sua sorologia. Boa sorte, e cuida dessa saúde menina!!

      • Deborah diz

        Obrigada Theking,

        Estou com medo de tudo, e uma situação muito NOVA, descobri no dia 23/02/15,e ainda não me caiu a ficha sabe,não tenho com quem compartilhar esses meus medos, acho que conseguirei lidar com a doença, mas o preconceito e algo que me assusta muito.

  54. Olhando as siglas dos partidos envolvidos, não fico surpreso. O PDT, partido do deputado que está tentando emplacar essa PL, está pra se fundir com o DEM, que por sua vez sempre foi conhecido por suas posições conservadoras. Depois da fusão, o PDT com certeza vai passar para oposição. Também não é surpresa que o relator Marco Tebaldi pertença ao PSDB. No passado, o PSDB podia até ser visto como um partido progressista e foi responsável por várias das conquistas que dispomos hoje. Entretanto, assim como o PDT, o PSDB foi tomado por conservadores. O movimento conservador está forte. Isso para nós, como minoria que somos, é algo terrível e preocupante.

  55. alguem mg diz

    E ai pessoal, nao sei se vcs curtem bbbmais vi um video que a angelica foi perfeita nas palavras dela sobre hiv, vai ai o link

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s