Artigos
Comentários 161

A notícia que não faz sentido

Brasil Post

Não faz sentido o que tem sido noticiado sobre o “clube do carimbo”, os soropositivos que transmitem propositalmente o HIV, “carimbando” sua vítimas com o vírus e instruindo outros sobre como fazê-lo também, perfurando ou retirando a camisinha sem que seus parceiros percebam. Essa notícia já estampou a imprensa on-line, impressa e, agora, chegou também à tela das emissoras de televisão.

Eu, como uma pessoa que vive com HIV, gostaria que notícias como essa destacassem que o perfil de transmissor intencional do HIV não é o perfil de todo o soropositivo. Não é o meu perfil e sei que não é o da esmagadora maioria das pessoas que vivem com HIV. Mas, se existem pessoas que transmitem propositalmente o HIV, é natural que virem notícia, mesmo que estes sejam uma minoria, um grupo extremamente restrito. Não é preciso que seja atitude de uma maioria para que algo vire notícia. Não é isso o que estabelece a relevância e a seleção dos editores para o que vai ou não para a capa dos jornais. Ao contrário: uma das medidas para algo virar notícia é o inesperado, a exceção. Por isso, eu reconheço que o meu desejo de ter uma nota de rodapé que esclareça a generalização não é mais que vaidade, porque é desnecessário.

É evidente que os soropositivos do “clube do carimbo” não representam todos os soropositivos. Assim como é evidente que o Estado Islâmico não representa os muçulmanos de todo o mundo. Que os indianos que estupram mulheres não representam todos os seus conterrâneos. Que os policiais truculentos não representam todos os policiais. E assim por diante. Tendo o bom senso como medida, não é preciso sempre esclarecer a generalização. Seria chato demais sempre ler e assistir notícias assim. O evidente não preciso ser sempre dito. Para você, um leitor com algum esclarecimento, repetir o que é óbvio não é um insulto à sua inteligência?

Estes soropositivos que transmitem intencionalmente o HIV não cuidam da própria saúde?

Uma eventual generalização ou a falta de uma nota de esclarecimento não torna as notícias sobre o “clube do carimbo” ruins ou incompletas. O que faz delas notícias ruins e incompletas são outras razões, que não a generalização. Uma boa notícia sobre qualquer tema responde às perguntas: o quê?, quem?, quando?, onde?, como? e por quê? No que tem sido noticiado sobre o “clube do carimbo”, faltam respostas para duas dessas perguntas. A primeira é como? Qualquer pessoa com um entendimento mínimo sobre HIV/aids faria uma pergunta que foi deixada para trás, negligenciada. Nenhum dos veículos de imprensa, até agora, se preocupou em questionar: afinal, estes soropositivos que transmitem intencionalmente o HIV não cuidam da própria saúde?

Jornalismo cientiífico

O tratamento antirretroviral é o tratamento essencial para todo soropositivo manter-se vivo e saudável. Sem ele, estamos literalmente mortos. Comparado ao tratamento disponível no começo da epidemia, hoje esse tratamento é simples e eficaz. Quando feito de maneira consistente, é capaz de reduzir a quantidade de vírus no sangue, a carga viral, até um nível indetectável, mesmo nos exames mais precisos de laboratório. Segundo o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, 78% das pessoas que vivem com HIV e fazem tratamento antirretroviral no Brasil apresentam esse perfil: carga viral indetectável.

“Não existe, na história da epidemia, um único caso registrado de transmissão do HIV a partir de quem foi diagnosticado, faz tratamento e tem carga viral indetectável.”

Uma das consequências do tratamento e da carga viral indetectável é que o risco de transmissão do HIV é reduzido em pelo menos 96%, mesmo em caso de falha no uso da camisinha. Esse número é uma estimativa matemática, baseada em estudos que reuniram, até agora, mais de 9 mil casais sorodiscordantes — quando só um dos parceiros é positivo para o HIV — e que optam, deliberada e consensualmente, por não fazer uso consistente do preservativo. Nesses estudos, nunca foi documentado um único caso sequer de transmissão do HIV a partir de quem é soropositivo, faz tratamento antirretroviral e tem carga viral indetectável. “Não existe, na história da epidemia, um único caso registrado de transmissão do HIV a partir de quem foi diagnosticado, faz tratamento e tem carga viral indetectável. Simplesmente isso não foi documentado na literatura médica até hoje”, explica o Dr. Esper Kallás, médico infectologista. “Ou seja: o controle da carga viral no sangue também controla a carga viral nas secreções genitais.”

Incluir essa informação a respeito da redução na transmissibilidade dentro do que tem sido noticiado sobre o “clube do carimbo” é muito importante, porque, se algum dos soropositivos desse clube faz tratamento antirretroviral, tem carga viral indetectável e, mesmo assim, transmitiu o HIV, será o primeiro caso na história da epidemia. É muito importante que este caso seja verificado e documentado porque isso pode mudar o curso mundial da política de prevenção de HIV/aids.

Consensos médicos americano, britânico, canadense e sueco, entre outros, já atualizaram suas diretrizes de tratamento e prevenção com base no que tem sido observado até então. Nesses consensos, o uso correto e consistente da camisinha continua fundamental. Entretanto, é importante saber que, em caso de falha em seu uso, os antirretrovirais também têm um papel de enorme importância na prevenção da transmissão do HIV. As últimas orientações sobre prevenção da transmissão com soropositivos publicadas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano, por exemplo, já incluem recomendações sobre a relação sexual desprotegida programada, como uma alternativa segura para casais sorodiscordantes que desejam ter filhos. Para os britânicos, quem é exposto aos fluidos de uma pessoa com carga viral indetectável não precisa fazer profilaxia pós-exposição (PEP), a medida emergencial de prevenção ao HIV que pode ser adotada em até 72 horas a contar de uma possível exposição ao vírus.

No último mês, a Unaids divulgou uma nota celebrando as últimas evidências na redução da transmissibilidade oferecida pelos antirretrovirais; uma delas, observada num estudo africano, conduzido recentemente no Quênia e Uganda e que reuniu 1.013 casais sorodiscordantes. Neste estudo, também não foi documentado um único caso sequer de transmissão a partir do parceiro positivo para o HIV que estava em tratamento e tinha carga viral indetectável.

Por que alguém negligenciaria a própria saúde para transmitir uma doença incurável?

Se as estimativas científicas e os consensos médicos de vários países estão corretos, o mais provável é que, se ocorreu alguma transmissão a partir de um integrante do “clube do carimbo”, este indivíduo precisou, antes, negligenciar a própria saúde, recusando o tratamento que é essencial para manter-se vivo — o coquetel antirretroviral. Nesse caso, não muda o fato de que houve transmissão intencional do vírus, o que é abominável. Mas fala algo importante a respeito do indivíduo envolvido na história, causador da transmissão, e suscita a segunda pergunta não respondida no que tem sido noticiado a respeito do “clube do carimbo”: por que alguém negligenciaria a própria saúde para transmitir uma doença incurável?

Na televisão, frente a frente com pessoas que assumem ser “carimbadores”, o repórter não fez essa pergunta. Uma dessas pessoas afirma “ter o vírus controlado”, fazendo presumir que faz tratamento adequado e o que levanta outra pergunta não respondida no que tem sido noticiado: será que de fato ocorreram transmissões intencionais a partir de indivíduos como este ou houve o desejo de transmitir, sem a sua concretização? Embora as duas sejam atitudes repudiáveis, a primeira consiste no ato consolidado e não apenas o desejo de cometê-lo. Se de fato houve a concretização de uma transmissão intencional, temos o perfil muito nítido de alguém que negligencia a própria saúde e então viola o preservativo sem o consentimento do parceiro, com a intenção de transmitir o vírus.

Se indivíduos com o perfil do “clube do carimbo” existem, eles certamente não são responsáveis pela maior parte das transmissões de HIV. Em 2009, 91,5% das infecções que ocorreram nos Estados Unidos foram adquiridas a partir de pessoas que não sabiam ter HIV ou que não estavam em tratamento antirretroviral, de acordo com uma análise dos dados de transmissão daquele país, publicada no jornal Jama Internal Medicine. Comparadas com portadores do HIV não diagnosticados, as pessoas diagnosticadas mas sem acompanhamento médico se mostraram 19% menos propensas a transmitir o HIV, enquanto pessoas com carga viral indetectável se mostraram 94% menos propensas a transmitir o HIV.

Segundo a Unaids, “a epidemia de HIV é nutrida pelas infecções por HIV não diagnosticadas e não pelas pessoas que conhecem seu status positivo para o HIV.” A organização também divulgou hoje uma nova nota, em que “expressa preocupação com as recentes notícias divulgadas na imprensa sobre possíveis casos de transmissão intencional do HIV, considerando seu impacto no aumento do estigma e preconceito relacionados ao HIV e as pessoas que vivem com o vírus. O papel da imprensa é o de informar e promover debate sobre as questões importantes para a sociedade. Portanto, convidamos a imprensa e toda a sociedade a discutir a questão do HIV de forma clara e imparcial, sem estigmas ou preconceitos.”

Atitude Abril

Anúncios

161 comentários

  1. HopeAlways diz

    Simplesmente sensacional todo o texto e a sua colocação JS ! Sem mais …

  2. Interior Goiano diz

    Desde que descobri ser portador do vírus HIV, não tive nem coragem de me relacionar com ninguém, pensando em acontecer algum acidente e contaminar uma pessoa que não merecia. Não é porque tenham feito comigo que tenho o direito de fazer com o próximo. Estou louco para iniciar o tratamento com os Antivirais me tornar indetectável e ter consciência que não serei uma “bomba ambulante” para as pessoas.

  3. Juliana :) diz

    Excelente post, JS. Assino embaixo.
    E palmas pra essa nota divulgada pela UNAIDS.

  4. Juliana :) diz

    “O UNAIDS destaca também que não há nenhuma evidência de que o uso de leis criminalizantes em relação ao HIV seja uma ferramenta efetiva de prevenção e resposta à epidemia. Por outro lado, há fortes indícios de que o medo de serem processados ou presos pode desencorajar as pessoas a se testarem para o HIV ou a se manterem em tratamento.”

    Gente, isso é muito tenso.
    Já pensou?
    É perigoso o indivíduo desconfiar mas nem querer fazer o teste de HIV pq daí ele segue sua vida sexual ativa sem poder ser acusado de nada, já que ele não sabe se é soropositivo ou não.
    Realmente, o Brasil precisa aprender que não é através do medo que se combate a AIDS, isso só atrapalha e aumenta o preconceito… Triste!

  5. EMGS diz

    Essa reportagem teve e está tendo um efeito negativo e multiplicando a estigmatização de uma forma muito cruel.
    Será que – 30 anos após a epidemia – a mídia ainda não se deu conta que esse tipo de terrorismo não alcança resultado? Basta olhar o aumento do número de infectados no Brasil.
    Além disso, informações sobre as vantagens de ser indetectável são negligenciadas.
    Já tinha ficado triste com as reportagens em blogs, depois de ontem então.. Será que as pessoas não percebem o impacto que esse tipo de TERRORISMO tem na vida dos outros?

    • Juliana :) diz

      Pior que essa mídia sensacionalista só quer saber de ibope, audiência acima de tudo.
      Estão se lixando se vai aumentar o preconceito ou impactar negativamente a vida dos soropositivos de qualquer outra forma.

  6. J.S. muitíssimo obrigada por esse texto!

    Deixo aqui meu apelo: Jornalistas deste mundo vão, cuidado com o que vocês produzem e reproduzem meus caros, há muitas vidas em jogo, humanizem-se e estudem!

      • Legal saber Juliana… Lá é o cantinho onde liberto as palavras sem chão, feito jardim sem cerca, feito campo com borboletas, diário das minhas abstrações.
        Volte quando quiser. 😀

  7. Mary Vaz diz

    Pois e JS, pena que nenhuma destas noticias sejam motivo de um “Fantastico”, pelo menos para fazer equilibrio. Sem duvida que esta informacao passada desta maneira “breve” e sem suporte nem medico nem didactico, nao e nada bom para ninguem e serve so para fomentar confusao nas pessoas.

  8. Madamemin diz

    Muitíssimo bem ponderado Jovem.
    Parabéns!!

    Talvez se todos nós voltássemos no tempo a reportagem de ontem teria causado asco, raiva, indignação e medo em relação a atitude desses carimbadores e suas consequências. Já que, muito provavelmente, não teríamos a conhecimento e a informação que temos hj.

    É realmente a informação incompleta a geradora da manchete…o medo (e penso que um pouco desse sentimento faz bem) vende muito mais do que a informação.

    Qual das pessoas que assistiu à reportagem vai certificar-se do que ouviu?
    Nós teríamos nos certificado?

    É tudo tão triste.
    Qtos aqui (como eu) deixam de se relacionar amorosamente e de coração aberto por medo da rejeição?!
    Particularmente eu ultrapassei a fase de ter medo de contaminar alguém (até pq meu tratamento sempre foi exitoso) , mas ter “aquela conversa franca” me assusta tanto que prefiro não dar a chance de algum sentimento brotar.

    Como disse o Jovem, bastariam uma ou duas perguntas ou um esclarecimento final para que o stigma começasse a ser quebrado.

    Sinto por nós todos….

    • Juliana :) diz

      Sabe Madamemin, nem precisa voltar no tempo não, eu fico com asco, raiva, indignação e “medo” em relação a atitude desses carimbadores e suas consequências. Porque eu sei que não é tudo invenção, tem gente que faz isso mesmo, que não se cuida, não é indetectável, e transmite o vírus propositalmente sim. Gente má, louca, desequilibrada psicológicamente. E isso tem que causar raiva e indignação em qualquer um, porque é uma atitude abominável.
      O problema dessa reportagem foi tudo o que o JS falou aí no post, a falta de informação, as contradições, etc.
      Eu acredito que vc concorda comigo, mas eu só quis salientar. hehe. 🙂

  9. R. diz

    muito bom ler esse seu texto, jovem soropositivo…desde que comecei a ler sobre o “clube do carimbo” e quando assisti a matéria no fantástico hoje, foram exatamente essas questões que não me saíram da cabeça.
    sou soropositivo há um ano, em tratamento antiretroviral e indetectável…comecei um relacionamento há pouco mais de um mês e a hora de contar me parece cada vez mais próxima…não por nenhum dilema ético, uma vez que sempre fizemos sexo com segurança, e continuaremos fazendo depois que contar (caso ele queira bancar uma relação sorodiscordante), mas porque contar, entender a hora certa pra isso é sempre delicado.
    e fico pensando que reportagens assim, incompletas, sempre pioram o já difícil abismo que separa a soropositividade do ponto de vista cientifico do ponto de vista social/afetivo.
    ora, se vários estudos apontam que pessoas em tratamento e indetectáveis são praticamente pessoas que não transmitem o HIV e que isso é consenso entre os mais variados e sérios e principais cientistas do mundo, fico pensando porque isso não é amplamente divulgado, popularmente divulgado…isso melhoraria tanto a vida dos soropositivos afetivamente falando…e a maioria dos soropositivos, eu me incluo aí, não querem isso para sair por aí trepando horrores sem camisinha mas sim para que cada vez mais a normalidade (se é que podemos falar assim) paire sobre as relações sorodiscordantes ou que pelo menos status sorológicos diferentes não sejam problemas para relações surgirem e vingarem…
    eu ainda tenho muito medo de que a hora que contar, talvez esse relacionamento, que está tão legal e apaixonante, acabe, perca algo, ganhe uma camada de sombra, e que o medo e a ignorância vençam…
    e isso é muito idiossincrático, pois eu acabo sendo hoje talvez uma das pessoas mais seguras pra se relacionar ( mantendo o tratamento e a carga viral indetectável) do que pessoas que desconhecem seus status…
    porque nunca se fala sobre isso tão abertamente no início das relações..
    e sinto que as pessoas ainda preferem se relacionar sem saber disso ou fingindo que está tudo bem do que relações onde eu sei que meu companheiro é soropositivo ( em tratamento) e por isso fazemos sexo com proteção (ou sem proteção consensual) e isso acaba sendo muito mais seguro do que fingir que por não se dizer o status ele simplesmente parece ‘ser’ negativo…
    e assim continuamos privilegiando reportagens com caráter mais sensacionalistas (não que não seja relevante a denúncia desse tipo de prática criminosa) do que de deixar cada vez mais claro pra todos que a sorodiscordância não devia ser um grande impedimento para pessoas se encontrarem, se apaixonarem e construírem relações potentes, belas e construtivas pela vida afora…

    R.

    • Juliana :) diz

      Nossa, R., é difícil isso né? Me coloco no seu lugar e dá até frio na barriga.
      Sei que, provavelmente, uma hora isso vai acontecer comigo (ter que revelar que sou soropositiva pra um carinha em um relacionamento que está ficando sério).
      Te desejo muita força e coragem e estou torcendo para que essa pessoa não tenha preconceitos e que o afeto supere o medo!
      Beijos!

    • Madamemin diz

      R.
      Muito boa sorte…

      Viver tb é poder fazer sexo…a gente tb precisa de sexo!!
      Sexo com proteção, óbvio!!
      Faz bem, deixa feliz, melhora a pele, o rendimento no trabalho….enfim, faz parte da NOSSA VIDA TAMBÉM!

  10. luquinha diz

    A Globo não sabe de nada , quem sabe é nos . ( De pé receba meus aplausos JS ) Mais do nada veio um enxame de matérias relacionadas ao carimbo , Gente vocês não tem nocão de ongs que se prevalece de nós , aqui no Rio tem uma que é mantida por uma empresa que esta na mídia , uma que tem um ouro preto , vocês precisam ver a marra dos caras , no fundo no fundo , mais o carimbo já mandei fazer e vou dar uma carimbada em 35 milhões de pessoas , adivinham o que esta escrito no carimbo ? CURADO

      • Tony diz

        Ele deve tomar o mesmo remédio que uso para dormir, rsss, depois de 15 minutos começo a escrever nada com nada, maior confusão. Falando nisso, deixa eu ir que ta começando a fazer efeito. Tchau !!

      • luquinha diz

        Alguém poderia traduzir para esta pessoa o que eu disse , pois só os fortes entenderão

        • Olá luquinha sou novo por aqui e descobrir recente também ser + será q teria como conversar com vc por emails pra vc me dar alguns conselhos e dicas?

      • D_Pr diz

        Ele está dizendo que eles colocam esses assuntos em pauta de propósito, pra continuarem a receber dinheiro, pois colocam os soropositivos em patamar de extrema fragilidade emocional, física e não tem interesse NENHUM que a população se informe e saiba a realidade, em quanto andam os estudos atuais, sobre expectativa de vida, qualidade e etc! A deturpação da informação é tanta, que chegamos ao cúmulo do INFECTO AFIRMAR: SUA VIDA HOJE PODE SER IGUAL A DO SORONEGATIVO, E NÓS REJEITAMOS COM BASE NA INFORMAÇÃO QUE TÍNHAMOS E RECEBEMOS DA MÍDIA. Se assim for, as ONG’s beneficiadas, que vivem exclusivamente do HIV, deixam de arrecadar! Talvez não seja isso que ele quis dizer, quem quis fui eu, será? Não sei! Faz logo o carimbo da CURA Luquinha!

  11. Que alívio te ler JS! Obrigada por me lembrar de tantas informações… Até mesmo eu sendo soropositiva relativamente bem informada me preocupei com tanta confusão e desinformação desta reportagem! Parabéns é muito obrigada! Bjo

  12. Anderson Luiz diz

    Lamentável esta reportagem , mas muita coisa ali é verdadeira principalmente quando se comenta sobre o submundo do sexo fácil e das orgias que imperam nas grandes cidades principalmente. Mas eu acho que a decisão de transar sem o uso de preservativo é de cada um então não existe culpado. Explicar a uma população ignorante e preconceituosa que nós tratados e conscientes não somos riscos seria tema pra pelo menos um Globo reporter ou camera record inteiro. É por estas e outras que mantenho meu anonimato os estigmas ainda existem e vão perdurar por muito tempo, por mais que o mundo tenha evoluído. Só nós sabemos o que se passa e como é conviver com o hiv , não se pode culpar os ignorantes as campanhas educativas não mencionam nada do que também deveria ser importante. E se alguém julga ser fácil viver com hiv experimente então, eu particularmente não acho , tenho vida normal, mas claro que ela foi afetada por isso em muitos sentidos , não é apenas tomar um ou dois comprimidos/dia como muita gente pensa. É um cuidar de si constante e diário , coisa que deveria ser normal a todas as pessoas mas nós sabemos que em nossos casos é um pouco mais complicado. Evito tomar chuva, quase não bebo nada alcoolico mais , faço atividades fisicas regulares, tive mudança de alimentação. Gente na boa ser assim tão regrado como sou agora as vezes cansa . Até hoje me pergunto se tomei a decisão certa quando me descobri positivo em iniciar imediatamente a medicação. Tinha e ainda tenho um CD4 acima dos 700 , acho que eu poderia ter adiado tudo isso mais um pouco. Se conheço alguém ainda não me sinto psicologicamente preparado pra falar o que se passa comigo, então, procuro ainda não me envolver, não faço 1/3 do sexo que fazia antes e me previno e a quem esta comigo também . Enfim meus amigos é a vida que segue , meu amigo infecto é meu anjo a distância e meu infecto em minha cidade o meu porto seguro, meu plano de saúde um certo alívio para que não precise do sistema unico de saude. Mas não é fácil e quando se aberrações como a de ontem na TV eu desanimo um pouco mais. Abraço a todos !!!

  13. Juliana :) diz

    Gente, eu sei que eu já perguntei isso antes, mas como não apareceu ninguém, quem sabe dessa vez parece…
    Alguém aqui tem o HIV tipo 2? Alguém???
    Acho que provavelmente a resposta é não, mas não custa tentar… :/

    • Dayane diz

      Oi Ju eu tenho um amigo q e tipo 2 são poucos aqui no Brasil ele me disse q a medicação dele tem q vim de fora…

        • Dayane diz

          Vou falar com ele sim…. e pergunta se posso passa o contato dele pra vc ele é do Rio de Janeiro, Vc também é tipo 2?

          • Juliana :) diz

            sim. 😦
            por favor, fala com ele mesmo. É muito importante pra mim.
            Obrigada!

            • binhomais diz

              Juzinha, aqui super na torcida por ti! Vamos todos participar da festa do “Adeus Bostinha tipo 1 e 2” que o JS vai conduzir no Brasil todo… poucos aninhos e isso irá acontecer!

    • Secret Guy diz

      Juliana!!

      Eu acho bem difícil, viu!! Seu sangue azul tipo 2 é bem raro. Eu nunca conheci ninguém com esse tipo. Você é a primeira pessoa que eu ouvi falar.

  14. Vida positiva H diz

    O Brasil e principalmente a imprensa brasileira caminha no caminho oposto quando se trata do controle da epidemia. Ficou muito claro no texto do JS que o maior número de infectados são de pessoas que tiveram relações com pessoas que não sabem a sua sorologia, que não sabem que são portadoras do vírus hiv e daí continuam com carga viral alta, mesmo aparentando ser saudáveis, transmitindo o vírus. Como incentivar as pessoas a fazerem o teste e saberem se são portadoras do vírus hiv, para assim seguirem o tratamento adequado e ter uma vida normal e indetectável, diminuindo para quase zero as chances de contaminar mais pessoas, se a imprensa insiste em fazer terrorismo sobre a condição de ser soropositivo? Ser soropositivo não é fácil, todos nós sabemos disso, não só pelos efeitos colaterais dos medicamentos que são passageiros, ou que muitas vezes nem surgem, como no caso de várias pessoas que aqui já relataram, mas pelo estigma social, pela reclusão de culpa e de medo que enfrentamos dia após dia, a pior coisa não é ter o vírus, já que esse é controlado graças a medicação, mas sim ter que viver numa sociedade que não busca informação, que condena e martiriza. O nosso maior adversário não é o vírus, mas o preconceito.

  15. Kaliul diz

    Posso tá fazendo errado, mas sinceramente prefiro não assistir essas matérias. Ainda que tenho que lidar com muitas coisas, principalmente no campo emocional, e eu sei que uma matéria dessa mexeria muito comigo. Prefiro vir aqui no blog e ler as palavras de bom senso de vocês.

  16. gustavo diz

    acabei de ir buscar os remédios…. O rapaz da farmácia disse q o 3×1 ja chegou, porem, só esta sendo liberado para quem esta começando… Ainda nao tem prazo p começar a liberar p gente q já começou… sobres efeitos, ainda, as vezes, quando eu tomo o da noite me da uma quentura no corpo ou fico um pouco tonto, caso eu fique acordado ate tarde… Mas acho q é só quando eu como muito próximo de tomar o remédio, acho q descobri isso kkkk uma vez comi um monte de pizza e logo em seguida tomei o remédio… me senti quente… Minha mãe toma uma remédio p dormir q segundo ela tbm da isso se ela comer. srsr.

  17. CARA + diz

    essas notícias sobre hiv/aids para a grande massa, são sempre um “mais do mesmo”. Não trazem nada de muito novo no que diz respeito ao tratamento, a “facilidade” de adesão, ao fato de que estando em tratamento o objetivo maior é ficar indetectável e no que isso implica na qualidade de vida do soropositivo, pessoas ao seu redor e sociedade como um todo.

    pregam a educação pela falta de informação e/ou informação editada. A falta de informação gera dúvida e em consequência, o medo. Medo esse, que está diretamente ligado ao “prevernir-se para não pegar”. Ou seja, educam pelo medo.

    só que ai, tem o outro lado da moeda: os que não fazem o teste por medo do resultado e assim, o vírus tem suas portas abertas para continuar se proliferando através do bando de sorointerrogativos que andam por ai.

    a imprensa no que diz respeito ao hiv, faz como aquele pai que acredita que sendo severo, ríspido, grosseiro, que se usa de meias palavras, autoritário… está cumprindo seu papel de educador, fazendo seu filho amadurecer para a vida, com base no medo.

    acredito, sinceramente que isso só mudará quando ONGs que abordam tal tema, UNAIDS, órgãos ligados e interessados na causa e porque não dizer, nós mesmos, mesmo que no anonimato, começarmos a fazer algum “barulho” que gere uma certa movimentação.

    educação só se dá por meio de informação correta.

    caso contrário, teremos o que vemos por ai, os índices de novos casos crescendo no Brasil, enquanto mundo afora, estão diminuindo.

    • Madamemin diz

      Eu super concordo que não se educa pelo medo.
      Só penso que esse sentimento pode ser útil às vezes. E se o medo de contaminar-se gerar maior prevenção….ótimo.
      No mais, concordo com vc.

  18. Dere diz

    Bom, gostaria de saber se tem alguém que vive normal? só gostaria de saber isso…… que vive sem efeitos colaterais, que bebe normalmente, sai com amigos pra baladas, que faz esporte.. enfim.. vive como antes do HIV…. porque mesmo de um mês de medicação minha vida não esta normal …. medo de a qualquer momento meu organismo não aguentar estes medicamentos fortes, medo de ter que parar de fazer esporte( e acabar perdendo minha bolsa atleta), medo de ter lipodistrofia ( já fui modelo e cuido muito do corpo), medo de ficar dependendo dos outros debilitado.. sei que isso é uma visão antiga que tive… MAS GOSTARIA DE SABER.. quando minha infecto fala que vou ter vida normal as vezes não acredito acho que é só para eu não me desesperar as vezes fico pensando.. quando vou a academia, quando vou a campeonatos, quando vou a festas…. e penso daqui… só eu devo ter esta porra de doença… será que vou ter minha vida de antes de volta… será que esta doença ira me limitar nos meus desejos?! será que esta doença vai me aprisionar… conheço 3 pessoas que tem e dizem que vive normal… mas não sei…. fico pensando e martelando.. será que vive normal mesmo?! por isso que gostaria de alguém que vive normal, com poucas ou nenhuma limitação de viver… pesquisei e vi que só dois caras no estrangeiro que são atletas fazem, natação, triatlo e corre maratona tem a saúde que muitos dizem perfeita… mas vi que só 2.. isso me deixa assustado…. mas queria saber daqui… pessoas que vivem muito em…… agradeço desde já e boa semana!

    • MB+ diz

      Dere,

      O que é viver normal para você? se a resposta é ser um “Super Homem” , ai a coisa complica né?
      Bem, sou soropositivo a 6 anos quase 7 o tempo passa né? e posso dizer que sou e vivo uma vida normal sim, mas lhe adianto:
      – Pego resfriado.
      – Tenho dor de Barriga.
      – Dor de dente.
      – Preciso usar óculos (que bosta).
      – Olho pros lados antes de atravessar a rua.
      – Posso ter uma parada cardíaca (rsrs)
      – Se não tratar do resfriado posso pegar uma pneumonia.
      – Se não parar de “FUMAR” posso adquirir um câncer no pulmão.
      – Se ” BEBER” posso ter uma Cirrose.
      – Se não fazer sexo seguro , posso contrair SÍFILIS , GONORREIA entre outras DST’S.
      – Se não me alimentar direito posso ter problemas com o COLESTEROL.

      Ou seja posso ter tudo isso e mais um pouco pois “SOU NORMAL” e pessoas “NORMAIS” podem ter enfermidades sem ter o HIV na vida.

      Agora ficar pensando o que você pode ou não ter é perca de tempo né?

      Vou te dar um exemplo real:

      Tenho um amigo que adora esportes tipo BOMBADÃO , corria , jogava futebol, participava da São Silvestre , Malhava feito louco…estereoides, BCAA, Whey , Massa entre outros era sua rotina , num belo dia ao sair do trabalho , em sua moto na Marginal se envolveu em um acidente que causou um trauma em sua espinha …não ficou paraplégico mas esta proibido de fazer o que fazia antes …ELE TEM HIV? NÃO…

      Então? …Ser normal é estar sujeito a todos os problemas e dificuldades da VIDA independente de ter HIV ou NÃO.

      • Madamemin diz

        Aplausos pra vc MB
        Por sinal qquase fui atropelada lendo seu comentário
        Hahaha

    • gustavo diz

      Dere, vc faz tudo normal o pq do medo? olho eu mesmo nao contei p ninguem, só mesmo meus irmaos q sabem pq descobriram meu exame.. Mas ninguem mais sabe… Eu vivo normal, trabalho, malho, cuido da minha beleza kkk uso protetor solar, passo crme no rosto como pizza ( as vezes) eu sofro sim, com muuita senusite q eu sempre sofri muito muito antes de ter o virus eu ja era assim.. a senusite é meu problema e sempre foi kkkkkk é foda ser alergico a certos perfumes etc.. Mas nada por causa do virus…

      • Juliana :) diz

        Compartilho do seu drama, Gustavo. HIV, alergia e sinusite. Rs

    • Vida positiva H diz

      Dere o começo não é fácil mesmo, depende de cada organismo, e principalmente do nosso pensamento, muitas coisas que passamos está no nosso psicológico e não no vírus ou na medicação, viver uma vida normal é viver bem consigo mesmo, apesar de qualquer problema que surge em nossa vida. Pode ter certeza meu caro existem pessoas soronegativas que não vivem tão bem quanto pessoas soropositivas, não estou dizendo que ser soropositivo seja melhor, mas que tudo depende de um contexto e da forma que vemos a vida. Em alguns momentos precisamos de uma ajuda psicológica para enfrentar situações que não estamos preparados para enfrentar. Tudo é válido para que retome sua vida como antes. Procure ficar calmo, tudo voltará ao normal, tente tirar coisas positivas de uma situação como essa. Eu iniciei meu tratamento agora, estou me adaptando a medicação e a um novo estilo de vida, bem mais saudável, eu quero viver mais do que antes e isso que me impulsiona a enfrentar todos os meus medos e conflitos que surgiram após o diagnóstico dessa doença, e pra te falar a verdade nem se quer eu lembro que tenho, só à noite quando tomo o meu remédio. Pensamento positivo sempre, esse é capaz de superar qualquer dificuldade.

    • sampapoa diz

      dere, minha vda é normal. e como você, ADORO ESPORTES. relaxe. o HIV afeta bastante o psicológico, deixando a pessoa depressiva, atucanada, cheia de noias… faça o tratamento e verá como tudo seguirá normal.
      abraço! 🙂

    • sampapoa diz

      lembrei de um caso bastante curioso (e triste ao mesmo tempo): eu sempre malhei, sou um cara que tem um corpo legal, curto estudar, sempre fui muito sério em relação a relacionamentos e de certa forma sempre entrei no conceito do que se acredita popularmente ser “um bom partido”. porém, quando me descobri soropositivo, fiquei mais introspectivo. não queria mais sair, não aceitava convites, queria me isolar. nesse meio tempo alguns caras do meu convívio queriam me conhecer melhor, sair comigo, etc. um deles era o que pode se dizer “deus grego”, parecia ser sério, boa pessoa, etc. por medo de rejeição e vendo “esmola tão grande”, eu simplesmente me enclausurei e deixei o cara de lado (talvez era um tempo que eu precisava pra mim, todos precisamos de um tempo para reflexão. inclusive você).
      nisso, um belo dia, um de meus melhores amigos me liga dizendo: “O fulano teve ataque cardíaco e morreu!!!”… fiquei bastante atordoado e surpreso: caras bonitos, jovens, instruídos, malhados, e com ótima colocação no mercado de trabalho também morrem!
      ninguém tem garantias de uma vida longa, perfeita, rica, bela e feliz como (naturalmente) desejamos. todos temos problemas e inquietudes!
      bem, talvez essa situação (bastante triste e que cheguei a comentar para minha infectologista) tenha sido um divisor de águas na forma como eu encaro o HIV e a pretensa “normalidade”…
      o que contei é uma história triste mas que me serviu de lição: qualquer ser humano está susceptível a mil e uma doenças, acidentes ou acontecimentos desagradáveis que não distinguem cor, credo, classe social ou orientação sexual.
      e não vou ser hipócrita: mesmo sabendo disso tudo, sendo ávido leitor de albert camus e lembrando de sua reflexão sobre o “MITO DE SISÍFO” ( http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Mito_de_S%C3%ADsifo ), ainda assim existem dias que estou triste e tragado por um sentimento de “injustiça” (ultimamente tenho andado meio “down”, com os “faróis baixos”, outros dias me distraio e me pego bastante alegre e feliz…)
      o HIV tem o poder de nos desestabilizar bastante psicologicamente. e é por isso que é tão importante reiterar para nós mesmos nossa humanidade, fortalecer essa rede de contatos que aqui firmamos, que mesmo virtuais não são nada superficiais!!!
      espero que eu tenha ajudado você a refletir um pouco e aceitar essa nova condição (que está longe de ser a pior e mais horrível coisa da existência)… desnude essa idealização de “normalidade”… eu, soropositivo, me sinto muito bem, saudável, amado por meus amigos e familiares (ainda a procura de um amor diferente… aceito propostas, hahhahahah)
      e não esqueça: viver, para qualquer um, é uma aventura…
      e como toda grande aventura, tenha sempre em mãos seu chicote e chapel de indiana jones! aventuras, mesmo as difíceis, são as coisas mais incríveis do mundo!!!

      • HopeAlways diz

        Mto bom Sampapoa. Eu ainda n tô em tarv. Tô naquela fase de confirmações e exames complementares, consulta com infecto etc. Tenho estado mto reflexivo e as vezes triste, mas ler essa sua história só endossa a certeza de que cada dia é um milagre e que o conceito de “normalidade” é uma questão mto subjetiva já que todos estamos sujeitos a todo tipo de “acontecimentos” independente de qualquer coisa. Me identifiquei muito com o seu relato. Um abraço.

      • caradobemsampa2 diz

        Sampapoa
        Seu relato realmente gera reflexão…
        Mesmo quase chegando aos 40, não tenho tempo a perder….
        Realmente existem momentos em que bate aquela sensação ruim, mas faço o possivel pra logo me livrar dela;
        Tenho pressa! Ser feliz não pode esperar!
        E seu amor? como diz a musica… “pode estar do seu lado”.
        abraçao

  19. R. diz

    Olha Dere, eu acho que vivo normal sim…eu tento…os remédios, depois de um ano já tomando, não causam efeitos colaterais…é claro que tem de se cuidar (mas qq pessoa tem)…não fumo, nunca fumei, bebo socialmente ( e isso continuo fazendo), vou a baladas com amigos ( mas não viro noite, porque acho que não precisa mesmo…rs), faço exercícios regularmente ( qd não, é por preguiça mesmo…rs), faço terapia ( o que é muito bom), mas sim tem questões de ordem social/afetiva, não dá pra dizer que é a mesma coisa que não ser portador do HIV, mas dá pra seguir em frente, com força e determinação…
    acho que agente tem a ciência a nosso favor, essa doença é muito pesquisada, muito estudada, muitos caminhos novos apontam pra cada vez mais melhorar a qualidade de vida dos portadores, e inclusive chegar a tão aguardada cura…
    siga sem desespero…

    R.

  20. TheWho diz

    É muita burrice, parece até piada. Um cara que toma os remédios, muito provavelmente tem carga viral indetectável, e faz sexo sem camisinha pra tentar transmitir HIV. O que pode ocorrer na verdade é ele colecionar outras DST´s.
    E é daí que pode surgir o problema, ele vai acabar transmitindo outras DST´s.
    Também me surgiu um questionamento: Uma pessoa, mesmo tomando os remédios mas com outra DST, apresenta um risco maior de transmitir HIV?

  21. Células treinadas para matar na guerra contra a Aids

    Estudo mostra que células do sistema imune precisam aprender novas táticas para atacar reservas latentes do HIV no organismo, maior obstáculo para a cura definitiva da doença
    POR CESAR BAIMA

    O HIV na corrente sanguínea: vírus forma reservas latentes no organismo, cujo funcionamento agora é alvo dos cientistas na busca de uma cura definitiva para a Aids

    O HIV na corrente sanguínea: vírus forma reservas latentes no organismo, cujo funcionamento agora é alvo dos cientistas na busca de uma cura definitiva para a Aids – Latinstock

    Ao invadir o corpo humano, o HIV, vírus causador da Aids, usa algumas das próprias células do sistema imune do infectado, conhecidas como T-CD4+, para se reproduzir e tomar o organismo de assalto. Mas, tal qual um cauteloso general, ele mantém algumas destas células inativas, construindo uma reserva oculta de novos recrutas. Assim, mesmo que perca a batalha contra o exército formado pelas células T-assassinas do sistema imune, reforçado pelos coquetéis de drogas antirretrovirais usados no combate à doença, hoje capazes de erradicá-lo de tal forma que ele se torna praticamente indetectável, a guerra não estará perdida. Caso os remédios sejam retirados, as células inativas são prontamente convocadas, passando a replicar o vírus e retomando a invasão.

    Conhecidos como reservatórios latentes de HIV, estes vírus escondidos são atualmente um dos maiores obstáculos na busca por uma cura definitiva da Aids. Diante disso, nos últimos anos os cientistas têm procurado maneiras de fazer com que eles sejam ativados artificialmente. A ideia por trás da estratégia é expor os vírus latentes — e as células onde estão abrigados — à ação dos remédios e do sistema imune, destruindo os reservatórios. Experimentos recentes, no entanto, mostraram que só forçar a ativação das reservas não é suficiente. Agora, porém, um novo estudo publicado na edição desta semana da revista “Nature” identificou o porquê disso e indicou uma estratégia que pode libertar os soropositivos da obrigação de tomar os coquetéis antirretrovirais indefinidamente ou mesmo até levar finalmente à erradicação do HIV em seus organismos.

    No estudo, pesquisadores das universidades Johns Hopkins e de Yale, nos EUA, analisaram amostras do DNA das células T-CD4+ infectadas pelo HIV e inativas de 25 pacientes, dos quais dez começaram a terapia antirretroviral menos de três meses depois de contraírem o vírus e os 15 restantes só após este período. Com isso, eles primeiro descobriram que, nas pessoas que iniciaram o tratamento logo, havia poucas mutações nos genes do vírus integrados ao DNA das células para criar estruturas chamadas “provírus”, que as instruem a se tornarem verdadeiras fábricas de HIV se ativas. Já as que só começaram a tomar os remédios depois, estas mutações eram tão numerosas que tanto as células latentes quanto os vírus que elas produzem se ativadas poderiam continuar a escapar da detecção pelo sistema imune.

    — Nossos resultados sugerem que tirar o HIV de seu esconderijo é vencer apenas metade da batalha — explica Robert Siliciano, professor da Universidade Johns Hopkins e líder da pequisa. — Descobrimos que estes reservatórios de vírus latentes carregam mutações que tornam o HIV invisível para as próprias células do sistema imune capazes de matá-lo, então, mesmo quando sai do esconderijo, ele continua a escapar da detecção.

    A análise, no entanto, também revelou que, mesmo com tantas mutações do HIV, o DNA das células reservatório infectadas mantém intactas algumas proteínas do vírus original. Isso levou os pesquisadores a testar uma possível solução para este problema de reconhecimento pelas células T-assassinas do sistema imune, tal como uma pequena falha na camuflagem revela o alvo a um atirador de elite.

    — Imaginamos que se as células T-assassinas forem treinadas para identificar estes pequenos segmentos inalterados do vírus, elas matariam as células infectadas — conta Kai Deng, pesquisador na Universidade Johns Hopkins e primeiro autor do artigo na “Nature”.

    Para isso, os cientistas primeiro isolaram células T-assassinas dos pacientes e as expuseram ou às várias formas mutantes do HIV que os infectava ou a uma mistura contendo proteínas alteradas ou não do vírus. Alguns dias depois, estas células assassinas foram colocadas junto com células reservatório do vírus dos próprios pacientes contendo as mutações, obtendo uma resposta imune vigorosa principalmente no segundo caso, com as células assassinas matando 61% das infectadas.

    PUBLICIDADE

    Mas para saber se a estratégia também funcionaria em seres vivos, eles também recorreram a camundongos “humanizados”, ou seja, alterados genética e fisiologicamente para que seus sistemas imunes replicassem os dos pacientes do estudo. Os animais foram infectados com as linhagens dos vírus que afetava cada um dos seus correspondentes pacientes, desenvolvendo a Aids. Então, eles receberam ou as células T-assassinas treinadas só com as variações mutantes do vírus ou com a mistura de proteínas alteradas ou não. No primeiro caso, eles continuaram a sucumbir à infecção, mas, no segundo, a carga viral chegou a cair a ponto do HIV não poder mais ser detectado.

    — A comunidade científica já tinha indícios de que para eliminar os reservatórios de vírus latentes e curar a infecção pelo HIV só o coquetel antirretroviral não era suficiente e que era preciso contar também com a atuação do sistema imune — comenta Amilcar Tanuri, chefe do Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ que também pesquisa estratégias para atrair o HIV para fora de seus esconderijos no corpo dos infectados. — Com esta pesquisa, eles mostraram que há sim chance de controlar os vírus que estão saindo dos reservatórios.

    Estratégia tripla contra o HIV

    Segundo Tanuri, as descobertas abrem caminho para a adoção de uma estratégia tripla que pode, teoricamente, levar à erradicação total do HIV do organismo ou, pelo menos, fazer com que os portadores se transformem, ainda que temporariamente, nos chamadas “controladores de elite”, o raro grupo pessoas que mesmo infectadas pelo vírus nunca desenvolvem a Aids. Nesta abordagem, os coquetéis primeiro seriam usados para suprimir a replicação do HIV e reduzir a carga viral ao mínimo possível. Depois, os reservatórios latentes seriam ativados ao mesmo tempo em que elas recebessem vacinas ou outras intervenções capazes de estimular e treinar suas células T-assassinas a atacar os novos recrutas e suas bases de replicação.

    • Anderson Luiz diz

      E Dona Dilma estara disposta a pagar por estes novos tratamentos? Num pais com tantos problemas na área da saúde até podemos nos considerarmos privilegiados porque ARV nunca falta, pelo contrário, se você atrasar na retirada ja vão atrás de ti para ver se abandonou o tratamento.

        • Anderson Luiz diz

          Na minha cidade se você sumir por um longo período o pessoal do centro procura saber sim se você abandonou o tratamento até em casos de suspensão médica como já aconteceu comigo quando o esquema do efavirenz falhou , meu infecto enviou um documento notificando que meu tratamento estava temporariamente suspenso. Mas não se preocupe não é terrorismo.

          • binhomais diz

            Qual cidade e estado? Não pensei em terrorismo, mas sim em cautela.

            • Anderson Luiz diz

              Todo mundo quando vai ao centro inciar o tratamento ou começar a retirada dos medicamentos assina um termo de busca consentida, no caso de você simplesmente ´desaparecer de la , eles podem sim procurar saber o que houve contigo. Não é terrorismo é um cuidar das pessoas tentando fazer com que as mesmas não abandonem o tratamento.

  22. Luquinha:

    ajuda ai, pesquisa mais, rs e o IGT sera que ja esta sendo testado em humanos.

    • CARA + diz

      Uma pena que essa “retratação” seja dada somente ao público de interesse, ou seja, nós aqui do site e/ou pessoas que buscam informações a cerca de hiv/aids e por ai vai.

      O grande grupo, a grande massa, aquela que assiste pacificamente ao Fantástico no domingo a noite no conforto de sua casa, ficará com aquela imagem “horrenda” que a matéria quis passar, fazendo com que a exceção (no caso da matéria, 02 casos), sejam o todo e a realidade dos soropositivos, o que sabemos que não é, nem de longe, a verdade.

      Difícil viu!!!!

  23. Doc+ diz

    Eu tive pena do “carimbador” que achava que transmitia HIV mesmo em tratamento regular. Na verdade, ele não transmite HIV pra ninguém, mas sim se expõe ao risco de contrair outras DSTs ou ainda entrar em contato com alguma cepa de HIV resistente a TARV que ele faz uso.

  24. Anderson Luiz diz

    Gente , estes caras são uns imbecis fazem isso pra chamar atenção.
    Mas eu queria lançar uma pergunta aqui e responda quem quiser. “Quando da descoberta do Vírus HIV em vocês aqui, quem seguiu o conselho dos médicos em fazer uma linha do tempo de um determinado período e saiu procurando pessoa por pessoa para dizer que ela deveria fazer o exame???? ” Por favor só responda quem quiser e respostas sinceras , sem moralismo, sem julgamento, vamos falar sobre a verdade de cada um.
    Começo por mim tenho exame hiv do ano de 2012, no mesmo ano comecei a ter uma relação que pra mim era séria , terminamos fui morar em outra cidade , neste período não fiz sexo desprotegido , mas fiz e recebi sexo oral. No meu caso eu vim a descobrir que meu havia descoberto ser portador e não me avisou. Olha sinceramente a ultima coisa que me passou pela cabeça no momento da descoberta foi fazer a tal linha do tempo e avisar as pesssoas mesmo tendo sido apenas sexo oral desprotegido , sei que não deveria ter agido assim, mas eu precisa encontrar forças pra me reeguer e não pra ser julgado , apontado ou discriminado.

    • Juliana :) diz

      Anderson,
      engraçado como as pessoas reagem diferente. Assim que eu recebi o diagnóstico eu só conseguia pensar nos caras que ja transaram sem camisinha comigo, pensando que eu poderia ter transmitido, pois estava me sentindo mto culpada.
      A médica do CTA ainda disse: “calma, vamos pensar em vc primeiro. Vc não deve se culpar. Se vcs transaram sem camisinha foi pq houve consentimento e a culpa de qualquer transmissão é tanto sua quanto deles.”
      Logo no dia seguinte eu já saí ligando para os caras, mandando msg por whatsapp e combinando de encontrar. Sempre falando com muito “jeitinho”, com muito tato, pois é uma notícia muito desesperadora e impactante pra maioria.
      Eu geralmente tentava usar camisinha, mas não era a pessoa mais exigente do mundo em todos os momentos (não estou me justificando, sei que errei e não tem desculpa).
      Daí, como eu não sabia desde quando tinha o HIV, a lista de ex namorados e caras que fiquei não era pequena (eu incluí os que apenas o oral tinha sido sem camisinha).
      Nem sei onde arrumei coragem, mas me senti como o cara do Porta dos Fundos naqueles episódios do Viral – quem não souber do que eu to falando, é só jogar no YouTube.
      Fui pessoalmente ao CTA com 6 caras. A reação deles todos foi boa. Nenhum me hostilizou, humilhou ou nada do tipo.
      Pelo menos a minha parte eu fiz.
      A notícia boa é que o resultado de todos eles foi negativo! êêê!!! rs
      Todos ficaram muito assustados (depois aliviados) e falaram a mesma coisa:
      “Nossa! Nunca mais vou transar sem camisinha! Que susto! Que alívio! Estou vendo a vida com outros olhos! Boa sorte, no que vc precisar pode contar comigo!”
      Uma semana depois um deles me bloqueou e outro comentou comigo que transou com uma desconhecida sem camisinha e nem foi se testar depois.
      Certas pessoas não aprendem nunca!

      • Anderson Luiz diz

        Parabéns pra você Juliana, confesso eu que tive um comportamento egoista no início aonde eu era o centro do mundo. E como resolvemos falar abertamente aqui acredito sim que você teve esta atitude tão generosa , diferente de mim . E como você disse certas pessoas nunca aprendem, tenho uma relação hoje em dia sorodiscordante que pelo simples fato de me encontrar indetectável já acha que podemos abandonar o uso do preservativo. Ai, ai, não caio mais nessa não, até porque uma recontaminação pode ser dai sim uma sentença de morte ou de dias muito ruins.

        • Juliana :) diz

          Ah querido, não julgo, as pessoas reagem diferente mesmo, é uma notícia mto desconcertante descobrir que é soropositivo.

          Fico muito feliz em saber que vc está indetectável e vive um relacionamento com alguém mente aberta! 🙂

  25. Gledson diz

    Galera, alguém pode me tirar uma dúvida. Iniciei o tratamento com Lamividuina+Zidovudina e Efavirez. Na minha última consulta o médico perguntou pq eu comecei com essa medicação no caso a Lami+Zido, pois ele falou que era uma medicação mais antiga.. expliquei pra ele que a Lami+teno estava em falta, mas pediu para que eu trocasse. Já tenho mais ou menos 4 meses de TARV e praticamente zero de efeito colateral.. só o Efavirez que ainda me deixa tonto as vezes.. Estou com receio em trocar.. Lami+Teno é uma medicação que causa muitos efeitos?

    Valeu.. abraços a todos!

    • FG-PR diz

      Gledson eu comecei usando Atazanavir+Ritonavir+Lamivudina+Zidovudina e depois de tanto atormentar minha infecto ele enfim me receito o tenofovir no lugar da Zidovudina, insisti na troca porque a Zidovudina causa Lipodistrofia e o tenofovir não, até onde eu sei o tenofovir causa em alguns casos problemas renais, minha infecto me fez prometer que beberia 2 litros de água por dia pelo menos. Como eu ainda não comecei a usar o tenofovir porque estou esperando terminar a zidovudina e também porque estou com o pé atrás com a infecto devido a diversas falhas de instrução sobre o início do tratamento que eu só descobri pesquisando é muito em artigos científicos, eu marquei um consulta pra amanhã com o Dr Ésper Kallas e pretendo tirar essa dúvida é posto aqui após a consulta, ai vc terá algumas informações.

      • Gledson diz

        FG-PR..

        Justamente foi o que a médica falou, essa combinação que eu tomo atualmente causa lipodistrofia, mas ela falou que eh a longo prazo… Como inicei com essa mediação por falta da outra, irei no posto dia 20/03 para pegar mais e vou ver se já tem o tenofovir e em especialmente o 3×1. Só estou com um pouco de receio doa efeitos.

        Abraços.

        • FG-PR diz

          Gérson Acabei de sair da consulta com o Dr Esper e quando eu perguntei se devia trocar ele na hora disse “troca”, pois segundo ele é uma medicação mais moderna e tem a facilidade de ser tomada apenas uma vez por dia, enquanto o Biovir (lamivudina+Ziduvidina) tem que ser tomado 2 vezes as dia.
          Minha medicação é diferente da sua, mas estou contente com ela, só pelo fato de não alterar os níveis de colesterol e glicose já é bem animador, o fato de tomar 3 comprimidos não me incomoda, ficaria feliz se fosse apenas 1 comprimido com apenas um princípio ativo.

          Sai de lá muito contente pois ele foi capaz de me dar uma injeção de ânimo, inclusive disse que eu estando indetectável por 1 ano poderei até ter filhos sem a necessidade de inseminação, pois ele foi enfático ao afirmar que uma pessoa indectavel tem risco próximo a zero em transmitir o vírus. Mas também foi enfático ao uso da camisinha mesmo com risco quase zero.

    • Digo diz

      Gledson, essa é a minha combinação, que tomo há 5 anos.
      Na última consulta com meu infecto, perguntei sobre o 3 x 1. A resposta dele foi a seguinte:
      – Por enquanto, ele é só para os pacientes virgens. Quando tiver para todos, você fará a escolha. VAMOS CONVERSAR SOBRE AS VANTAGENS E DESVANTAGENS, MAS É O PACIENTE QUEM DÁ A ÚLTIMA PALAVRA, JÁ QUE VOCÊ NÃO APRESENTA NENHUM EFEITO COLATERAL DA COMBINAÇÃO (lipodistrofia, anemia, problemas hepáticos).
      – Tipo assim: em time que está ganhando não se mexe?, perguntei.
      – Sim, é por aí.

  26. Fabuloso diz

    Gente, alguém de SP foi retirar medicamentos e pegou o 3 em 1 jah?

    • binhomais diz

      Fabuloso, o pessoal que vai retirar e que ainda são virgem de tratamento já estão pegando. Em dezembro tinham me dito que agora em fevereiro eu já pegaria, mas os estoques não estavam propícios para liberarem para mim (comecei TARV no início de nov/14), não sei se por excesso de TNF ou do 2×1 ou se por estoque baixo do 3×1.

      Abç

  27. Cara do Bem Sampa diz

    Salve Jovem Soropositivo.
    Realmente seu texto é esclarecedor…
    Obrigado por compartilhar esse espaço conosco.
    grande abraço

  28. Bruno diz

    Hoje fui ao posto de saúde buscar os medicamentos, que acabam na semana que vem e algo que sempre temi aconteceu .. ABACAVIR em falta nos postos de saúde do Distrito Federal. Sem certeza de que vão repor o estoque a tempo, talvez eu tenha que trocar de medicação. Enquanto a mídia faz matérias sensacionalistas sobre nós que vivemos com HIV/AIDS, se esquece de fiscalizar como anda o funcionamento de um programa que já foi referência mundial. Duas notícias tristes num dia.

    • Procure nas redes sociais o João Geraldo Netto ele é soropositivo e trabalha no ministério da saúde ele pode ver o que ocorre em Brasília e tentar ajudar vocês de Brasília com o
      Problema da falta de medicamentos.

  29. Mike + diz

    Pessoal,
    Queria tirar uma dúvida que ainda não pude discutir com a médica. Antes de descobrir da minha nova sorologia já havia um tempo que eu queria fazer uma tatuagem… Algum de vcs sabe se há alguma contra indicação para soropositivos? Li uma notícia em um blog de tatuagens uma vez, que quem tem hiv nao pode fazer tatuagem. Não vi muito sentido nessa afirmação e ela me deixou bastante confuso.

    • Mike,

      Eu tinha a mesma dúvida, o meu médico disse que não tinha problema nenhum. Tou querendo fazer um no final do mês.

    • Mike,

      Eu tive a mesma dúvida, o meu médico disse que não tinha problema nenhum. Tou querendo fazer um no final do mês.

      • Mike + diz

        Vlw, Kaliul!
        Vou perguntar pra minha médica pra garantir tb, pq vou esperar um pouco pr fazer a minha. Mas obrigado pela informação! 😉

    • Renatinho diz

      Mike +
      Depois que descobri a minha sorologia eu fiz 3 tatoooo e sem problema algum e nem comente com o tatuador, assim ele tem que usar luvas e também não pode usar o material sem esterilizar em outra pessoa e agora tem algumas agulhas q são descartaveis .
      Na boa vai e faz tua tatooo eu fiz 3 e vou fazer mais 2
      Qualquer coisa me chama no skype: renatinhoreiss88

    • Olha toda tatuagem sai muito sangue tenho algumas eu não sei teu nível de contaminação , se a luva ou algo acontecer você precisa contar ao tatuador e mais ou menos o problema do dentista o certo seria notificar , mas será que estamos fazendo isso ? A constituição te permite o anonimamato mas caso seja comprovada também a contaminação de outrem podemos ser responsabilizados. Fica a seu critério.

  30. Kaliul diz

    Demorou mas enfim veio a noticia que esperava. INDETECTAVEL. Cd4 = 505. A glicose que deu alterada, já esperava, pois vinha comendo doce feito um louco, é meu fraco. Rsrsrs

    • CARA + diz

      parabéns Kaliul, pelos resultados.

      Agora só monitorar sua glicose que tudo ficará bem!

    • Mike + diz

      Parabéns, Kaliul!
      Comecei a minha TARV a 1 semana e mal vejo a hora de estar indetectável tb haha

    • Cara do Bem Sampa diz

      Kaliul
      ótima noticia!!!!!
      fico feliz por você!
      e diminui o doce hein kkkkk
      abraçao

  31. gustavo diz

    Uma duvida.. o 3×1 é a combinação de qual remédio??? eu tomo tres q a medica disse q vai chegar este 3×1 todos oq eu tomo vai ser um so comprimido.. Eu quero saber se oq q eu tomo sao os atuais q nao causam Lipodistrofia, pois nao lembro o nome deles agora srsrs

    • CARA + diz

      Gustavo, tá na mão, o 3×1 é um composto dessa combinação:

      Efavirenz 600mg
      Lamivudina 300mg
      Tenofovir 300mg

      Um único comprimido ingerido antes de deitar.

    • Vida positiva H diz

      Gustavo tomo há 2 semanas e o medicamento 3 em 1 não me deu nenhum efeito colateral preocupante por enquanto, espero que continue assim. Estou também bebendo muito líquido e fazendo atividades físicas, enfim é vida que segue.

    • CARA + diz

      Brumo

      não causa… tem uma resposta bem científica que o D_Pr postou no post anterior a esse. Procure lá nos comentários. Ele colocou um trecho do perguntas e respostas feita ao responsável pelo 3×1 e dentre elas se tratava da lipodistrofia.

    • Mike + diz

      Brumo,
      Vale ressaltar tb, que a Lipodostrofia é algo que qualquer pessoa pode desenvolver, soropositiva ou não. É normal com envelhecimento perdermos gordura da face, glúteos, coxas e acumularmos gordura principalmente na região abdominal. Alguns medicamentos contribuem para esse processo, mas se deseja evitar a lipodistrofia, atividade física é indiapensável. Portanto, bora colocar o corpo pra trabalhar! 😉

  32. Eu tenho pesquisado a respeito do assunto. Também sou soro e desde que li as primeiras notícias sobre o “clube do carimbo” em meados de Janeiro eu fiquei tendo diversas teorias a respeito. Agora, lendo o texto, uma coisa não sai da cabeça: seria então o “clube do carimbo” uma espécie de fetiche sexual, pura e simplesmente pelo prazer do perigo e violação de uma “ditadura” (expressão comum para os barebackers) da camisinha? Porque até então os casos de pessoas ‘carimbadas’ não evidenciam exatamente isso que está exposto no texto. E outra coisa, é difícil a gente ter noção sem um ~histórico sexual~ de uma pessoa que possivelmente se colocou numa situação de risco (intencionalmente ou sem conhecimento de causa).

      • Isso eu sei. Um deles se definiu como “Jesus” numa conversa anônima. Outro disse que faz por puro prazer. Na real é uma galera meio desinformada a respeito do próprio vírus, pseudo-anarquista, que acham ideológico todo o processo de “carimbamento” (ou nem isso). Mas mesmo assim, eu queria entender melhor como esses personagens são construídos, porque são pessoas que não fazem menor ideia do papel do ridículo (e que realmente se levam a sério, o que é mais aterrorizante!). Enfim, o importante no momento é se informar bem, e dar a cara a tapa quando formos todos colocados num mesmo balaio que esse pessoal.

  33. luquinha diz

    Hoje me olhei no espelho , vi um homem tão bonito , de ótimo caráter , nunca menosprezo ninguém , para mim tanto faz comer salmão com manga ou ovo frito , dormir no hotel Fasano ou na casa da minha secretaria , para mim a simplicidade esta acima de tudo , penso assim hoje ? Hoje e sempre isso vem de berço , mais talvez neste Homem esteja escondido algo de tão ruim , é e isso mesmo , hoje esta indetectável , mais eu te juro , um dia vamos nos encontrar e eu vou olhar pra você e vou dizer ; tá vendo ? Sou eu estou novo novamente , e você vai falar pra mim , nossa vamos recomeçar ? E sabe o que eu vou te responder assim ; Nossa você continua tão linda , mais olha só , antes o meu sistema imunológico me protegia , depois eu passei a proteger ele , quer saber você não me merece , siga a sua vida , procura um cara que te faça feliz .

    • Cara do Bem Sampa diz

      kkkkkk luquinha
      Sempre faço o mesmo, as vezes me olho no espelho e digo, como estou bonito, sou bacana, do bem e etc….
      Tb creio que a boa educação e que isso contribui com o homem que nos tornamos!

      Qto ao passado, é isso mesmo, passou….
      E que encontre alguem que te faça feliz tb!

      Gosto de gente feliz…. pois gente feliz nao enche o saco.
      E aqui tem um monte. uhuuulll
      abraçao

  34. luquinha diz

    Title: Keystone Symposia- HIV Vaccines (X5)
    Dates: 03/22/2015 – 03/27/2015
    City: Banff
    Provence: Alberta
    Country: Canada

  35. muitafe diz

    Boa noite gente,
    Recebi hoje meus exames e deu o seguinte
    CD4 – 530 mm3
    CD8 – 780 mm3
    Alguém sabe se isso é bom ou ruim? Só tenho infecto dia 10/04.

    • D_Pr diz

      Referente ao valor do CD4 nos resultados ele também expressa um valor em percentual, nos informe por aqui…Com base nisso podemos te dizer, do contrário seria uma informação pelas metades…dizer que está tudo bem! Mas as referências são essas:

      Valores de referência:
      CD4 (%): 32-61%
      CD4 VALORES ABSOLUTOS: 493-1666/mm³

      CD8 (%)14-43
      CD8 mm³ 224-1112
      Relação cd4/cd8: 0,8-3,5

      fonte de pesquisa: Laboratório do…(deixa pra lá)

      Você está com a contagem de ambos normais, entretanto, li em algum lugar que o valor percentual do CD4 em 16% equivale a contagem de células CD4 de 200, por isso te perguntei do percentual! Alguns médicos dizem que a relação CD4/CD8 não importa, outros como o Dr. Ésper Kallas, diz que essa é a relação importante pra se verificar a condição do sistema imune, por assim dizer…E que apenas o valor do CD4 não deve preocupar tanto! O que importa é uma visão geral da sua saúde!

      Olhando pelos números expressos, podemos dizer…tá tudo normal!

      Gostei do teu nick! Muita fé!

      • muitafe diz

        D_Pr obrigado pelas informações, em relação aos percentuais, foram os seguintes:
        CD4 – 33,8%
        CD8 – 45,1%
        Relação CD4/CD8 – 0,7

        Abraço

      • Madamemin diz

        D_Pr

        Conversei com meu infecto sobre aquela história da falha na memória e a resposta dele foi mais ou menos assim:
        Não guarda qualquer relação com a medicação, tampouco com o HIV. É provável que a causa seja excesso de trabalho.
        Ele finalizou escrevendo que exercício físico ajudaria.
        Portanto, não se preocupe.

        In off: eu sou bem sedentária….(vergonha).

        • D_Pr diz

          Eu não lembro Madamemin de ter te perguntado! 😉

          Ou será que esqueci?

          p.s.: somos dois (parei de jogar meu tênis), só jogo “bituca” agora!

      • Juliana :) diz

        D_Pr

        Fiz meus exames no Laboratório Hermes Pardini, nesse mês de fevereiro. Acho que a diferença dos valores é pouca, mas pode ser interessante comparar com os seus.
        No resultado do meu exame fala:

        Valores de referência:
        CD4 (%): 27 a 57 %
        Valores absolutos:
        CD4: 560 a 2.700 /mm³

        Valores de referência:
        CD8 (%): 14 a 34 %
        Valores absolutos:
        CD8: 330 a 1.400 /mm³

        Relação CD4/CD8: 0,98 a 3,24

      • Muitafe diz

        Obrigado binhomais, ainda não, descobri recente , recebi os exames hoje, mas ainda falta o da carga viral. Vou mostrar ao infecto somente próximo mês.

        Abraço

  36. Luquinha Fé, bola para frente, dias melhores viram e pessoas maravilhosas tambem, ainda mais quando destruimos esse invasor, logo mais, tenho Fé, abraço.

  37. luquinha diz

    Ecg você falou tudo , bola pra frente ,embora muitas das vezes parece que eu estou dentro da bola da abertura da novela o Dono do mundo , mais eu vou sair , aqui tem pessoas que estão há quase 30 anos e tem muito pra me ensinar , pessoas guerreiras ,sabe agente vê muita tristeza devido ao preconceito , pois se nos olharmos para trás vamos ver que tem algo pior , eu tenho muita fé em Deus e não o glorificado que muitas igrejas hoje em dia prega , mais sim o crucificado , embora acredito que ele cure , que ele traz prosperidade , mais hoje em dia tem muitas igrejas pregando o glorificado para ganhar vantagens , agora o crucificado este nunca me abandonou .
    ECG sempre que eu vejo você postar eu lembro de alguma sigla de exames , tipo Cardiotocografia Mais você foi legal obrigado mesmo , posso ser sincero , a melhor coisa que este menino fés foi o blog , nunca puxo saco de ninguém , mais este rapaz foi muito sábio ao criar este blog , hoje a tarde toda fiquei lendo , eu estava me sentido só , hoje fiquei sabendo que a mulher que eu amava esta se relacionando , tive que vir embora pra casa , pois não havia lagrimas que continha esta dor , mais vai passar abraços a todos e minha admiração

    • desbravador diz

      Tenha paciência, Luquinha.Além de ser um cara engraçado, percebe-se pela maneira de escrever que és uma pessoa de coração aberto. Quanto as mulheres; bem, se tu és um cara tão bonitão assim, tá preocupado com o que, rapaz?kkkkkkk

    • Renatinho diz

      LUQUINHA
      Amigo eu li os teus posts e entendooo tudo que está sentindo e é F*** mas vc não deve ficar pra baixo levante a tua cabeça siga em frente , ver a pessoa que ama com outro é ruim sim .
      Por tudo que li nos teus posts vc parece ser super bacana e também de mente e coração aberto tenha FÉ e força .
      me add no skyp e conversamos melhor ::: renatinhoreiss88

    • Juliana :) diz

      “a melhor coisa que este menino fés foi o blog , nunca puxo saco de ninguém , mais este rapaz foi muito sábio ao criar este blog , hoje a tarde toda fiquei lendo , eu estava me sentido só ”

      Verdade, Luquinha! Bendita hora em que o JS resolveu criar esse blog. Me ajudou demais, ainda ajuda, e eu sempre recomendo a leitura para as pessoas!

      Fica bem, vc parece ser um cara muito jóia. ❤

      • Brumo diz

        Concordo! Esse blog e as pessoas que aqui participam tem me ajudo mto a encarar tudo isso!

        Abs em tds.

  38. Muito bom o texto JS, parabéns!!!

    Infelizmente, por conta do preconceito, nos escondemos no anonimato. É horrível isso, pois ficamos tolhidos de reivindicar um tratamento mais humano pela sociedade em geral, que só toma conhecimento do HIV quando são veiculadas notícias escandalosas, que só causam mais desinformação e preconceito.

    Aí, eu que estou iniciando um relacionamento, fico apavorado no momento de contar essa minha condição, tenho muito medo. Vontade de fugir, sei lá…

    O que vcs acham pessoal, tem dois meses e meio de namoro, está na hora de falar?

    Se alguém quiser trocar uma ideia aí vai meu e-mail: lgaucho02@gmail.com.

    Só para constar, saíram meus exames, estou indetectável há dois anos aproximadamente e meu CD4 está em 598. Nenhuma alteração metabólica também.

    Abraços.

    • Cara do Bem Sampa diz

      luizgaucho02
      Indetectável a dois anos?otima noticia hein…
      Imagino a tensão que está passando com esse dilema de contar ou não….
      Dificil opinar por você…. Creio que vc mais do que nós aqui, sabe a relação que existe entre vocês…. E sei que você, vai sentir em seu coração o melhor momento para falar…
      Pense nas reações dela que podem te agradar ou não…. E, enfim, faça o que sentir melhor!
      Tenho certeza que descobrira o melhor momento.
      fique bem
      grande abraço

  39. Luquinha Fé, uma cura ha por vim, e tudo isso vai passar

    A Fundação para Pesquisa da aids (amFAR) lança ação “Countdown to a Cure for HIV/AIDS” (Contagem Regressiva para a Cura do HIV), uma iniciativa de pesquisa que visa a encontrar a cura para o HIV amplamente aplicável em 2020. O objetivo é investir US$ 100 milhões em pesquisas sobre a cura do vírus nos próximos seis anos. O lançamento oficial ocorre no baile anual da amFAR em Nova York, nos Estados Unidos.

    — Uma década atrás, a cura do HIV foi considerada por muitos, se não por todos, da comunidade científica, como algo impossível. Mas a ciência deu grandes passos nos últimos anos e, atualmente, há um consenso generalizado entre os pesquisadores de que uma cura para o HIV é possível e inclusive provável — afirma Kevin Robert Frost, diretor executivo da amfAR.

    — Hoje estamos em um momento histórico na luta contra a aids. Com uma economia crescente, os recentes avanços tecnológicos e o dinamismo da comunidade científica, agora é a hora de nos comprometermos a encontrar uma cura acessível e, finalmente, por fim à epidemia global de HIV / aids — acrescentou o Presidente do Conselho da amfAR, Kenneth Cole.

    Desde a descoberta da doença há quase 30 anos, a amfAR tem estado na frente das pesquisas do HIV e foi a primeira organização a incentivar constantemente os estudos focados na cura. Em 2010, a fundação lançou o Consórcio de Pesquisa sobre a Erradicação do HIV (CPEH), que apoia equipes de cientistas nas principais instituições de pesquisa ao redor do mundo, em um esforço direcionado para explorar potenciais estratégias para eliminar a infecção pelo HIV.

    “Countdown to a Cure for HIV/AIDS” é projetada para engrenar a intensidade desses esforços e dar concentração absoluta à pesquisa da amfAR nos próximos anos. A amfAR também pretende formar um conselho de cura, um grupo de voluntários que inclui alguns dos principais pesquisadores do mundo para garantir que os investimentos serão feitos nas áreas mais promissoras.

    • HOPE diz

      ECG, por favor, nao me interprete mal… eu ainda tenho muito que aprender sobre essa minha “nova vida”, mas no mundo capitalista em que vivemos acredito piamente que a “cura” pode já ter sido descoberta, porém financeiramente falando é muito mais viável termos a obrigatoriedade de tomar remedios para o resto da vida e com isso os laboratórios faturarem milhoes em cima das naçoes que de uma certa forma ainda “se preocupam” com os seus.
      Juro msm que adoraria ser contrariado, mas hj penso desta forma.
      digo mais uma vez. Tomara que esteja enganado!!!

  40. HOPE diz

    É sempre uma alegria imensa chegar em casa e ler os post que encontro aqui sabia?
    Me sinto confiante, determinado e a cada dia mais certo de que sim, SOU UMA PESSOA NORMAL!
    Meu nick eh Hope, sim. ESPERANÇA é a palavra de ordem da minha vida à partir do dia que soube que estava infectado,
    acredito que todos aqui tem seus altos e baixo.. mas quem no mundo “normal” nao tem?
    eu tinha no mês passado e nao posso culpar meu corpo hj por qualquer instabilidade emocional.
    sou esperança, vou respirar esperança e daqui pra frente vou adotar uma vida diferente. Deixar de lado pequenos aborrecimentos, picuinhas desnecessárias e preguiça de viver.
    Já que meu psicológico tenta me dizer que terei uma vida comedida; (mesmo vendo na vida de muitos aqui que isso é uma verdadeira mentira) vou tentar usar isso a meu favor e fazer da minha vida nova uma vida ESPECIAL.
    Viver cada dia como se fosse o último; o que teria de ser feito com qqr ser humano, soropositivo ou naão.

    H O P E galera, H O P E!!
    🙂

    • Cara do Bem Sampa diz

      Hope
      tb to nessa, lendo todos os dias os comentários e conversando com os novos amigos e amigas pelo skype.
      Esperança para todos nos
      abraços

  41. Ricardo diz

    Boa noite a todos.
    Me descobri soropositivo no dia 22/01 desse ano. Meu namorado de 6 anos veio a falecer mas antes ser internado foi feito exame de hiv e deu positivo. Assim acabei fazendo e também deu positivo. Não quero acreditar que houve traição em nosso relacionamento, sendo assim, ele já era infectado quando começamos a namorar. Após 1 ano de relacionamento acabamos deixando de usar camisinha e foi assim até o fim. Mas nunca senti nada, e nem ele. Só ficamos sabendo mesmo agora no fim da vida dele. Fui ao médico do SUS e ele passou os exames e tal, mas como eu não tenho nenhum sintoma ele disse pra eu “ficar tranquilo”. Mas até agora os resultados dos exames não saíram. É normal essa demora toda ? Eu fiz os exames no fim de janeiro. Outra pergunta: alguém sabe informar se posso fazer acompanhamento por um médico particular ? E os exames ?

    • Brumo diz

      Oi, Ricardo.

      Eu descobri a menos de um mês, e estou fazendo as consultas com o infecto e os exames pelo meu plano de saúde. Quando eu for começar a medicação terei que ir busca-la no cta/sae.

      Fique bem.

      Abs!

    • Muitafe diz

      Oi Ricardo, eu descobri tem menos de um mês, na verdade meu namorado fez o exame e deu positivo, foi um desespero, no outro dia procuramos o CTA, fiz o meu teste rápido e tmb deu positivo. Ainda estamos aprendendo a lhe dar com a situação, mas que bom que temos um ao outro. Marcamos uma consulta com infecto particular, você pode sim fazer o acompanhamento pelo particular e pegar os remédios na rede pública. Nós optamos, por orientação do CTA, em continuar lá, mesmo acompanhados pelo particular. Lá eles só tratam disso e o médico tem uma grande experiência e eles são super atenciosos com a gente. Nossos exames ficam prontos no final desse mês, alguns já foram liberados. Ah os exames foram pelo plano mas o CTA também tem, só que demora um pouco mais.

      Boa sorte e muita fé pra você…

      • Ricardo diz

        Entendo. Obrigado. Os exames pelo SUS já estão demorando quase 2 meses. Vou na clínica e eles falam que ainda não receberam o resultado. E só. Não dão nem uma previsão.
        Eu infelizmente perdi meu noivo. Iríamos nos casar no final desse ano… Está sendo devastador. Dissemos que iríamos enfrentar o HIV juntos. Que cuidaríamos um do outro… mas infelizmente ele não resistiu as complicações que teve. Agora eu não sei o que fazer. Me sinto perdido, sem chão. Com uma saudade desesperadora dele. Choro todos os dias, não tenho ânimo pra nada. Tenho pensado em realmente deixar o hiv pra lá e nem me tratar… seria uma forma de deixar esse mundo.

        • Cara do Bem Sampa diz

          Ricardo
          Imagino a saudade…
          Tenho certeza que ele nao ficaria feliz em saber que vc está desistindo…
          Não desista de você!
          qq coisa conte comigo
          fique bem
          grande abraço

        • guegu21 diz

          Não faça isso com você, não faça isso com ele. Não deixe esse vírus ser maior do que você. Não desista! Se trate. Hoje essa dor pode parecer insuportável mas o tempo ameniza tudo.

        • muitafe diz

          Ricardo, por mais difícil que seja, tente lutar e não desista de você. Como disso o amigo, ele não ficará feliz em ver que você desistiu. Não é fácil, mas com todos as possibilidades de tratamento, hoje podemos ter um vida normal. Conte com o nosso apoio. Me passe seu e-mail para conversarmos e trocarmos idéias a apoio. Conte comigo. Grande abraço e tenha fé meu amigo.

  42. Brumo diz

    Bom dia, galera!

    Semana que vem fará um mês que descobri minha sorologia, e ainda acordo com o pensamento de que sou positivo. Alguém já passou por isso ou está na mesma situação? Será que algum dia isso passa?

    Obg!

    • gustavo diz

      sim.. quando eu descobri, eu acordava no meio da noite e era a primeira coisa q eu pensava.. pela manha eu ja acordava pensando; ” meu Deus, n to acreditando q eu tenho isso” depois foi passando…. hj, depois de meses, acordo pensando.. “ai q sono vontade de dormir mais um pouco” ou penso ” Jesus hj é sexta feira OBAAAAAAAAAAAAAA

    • Bruno,

      Ainda tem dias que me pergunto, por que comigo? No fundo eu sei a resposta, mas a culpa diminui com o tempo. O tempo ajuda a compreender melhor. As partes quebradas vão se ajustando ao novo. Tenha paciência que as coisas melhorarão.

  43. Pessoal alguem sabe se a medicação PROSTRATIN, esta em teste ou que fim deu, se deu certo ou nada ainda?

  44. Bruno ja faz dois meses que descobrir e é um tormento toda hora penso nisso, mais com fé em Deus eu sei que vai passar, nos temos a mania de acreditar que isso nunca iria acontecer com a gente ou mesmo, nunca pensamos nisso, mais agora temos que ter fé irmão

    • Brumo diz

      É isso ae!! Vamos fazer o tto a risca e manter nosso psicológico bem! Vlw, EGC.

  45. +FelizRJ diz

    Descobri ser soro positivo antes do carnaval deste ano, exatamente no dia 11/02/15. Foi uma surpresa, na realidade não foi tanto. E logo eu que já tinha namorado um soropositivo anteriormente, sem nenhum preconceito, porém quando eu descobri que estava positivo eu me abalei um pouco. O engraçado que depois de estar “nesta condição” (e já me tratando, deixo claro – Antevi o infecto, fui num clinico pedi todos os exames que o infecto poderia pedir, e já na primeira consulta iniciei o tratamento com o 3X1 – que aqui no RJ já começou a ser distribuído) comecei a me sentir um pouco melhor em relação a minha estima, aos meus medos. Me deu uma vontade maior de viver, sabe. Descobri amigos que tem a mais de 10 anos e nunca contaram pra mim pois antes, eu confesso, era preconceituoso (antes do meu ex soropositivo), mas não preconceituoso, eu era ignorante! A ignorância me fazia acreditar que não existia próximo a mim.
    Enfim, venho aqui só relatar que apesar de ser pouco tempo, de estar tomando o antirretroviral (e não tive nenhuma reação – a não ser um sonho louco no primeiro dia que achei maneiro rs), que me sinto vivo, tanto quanto qualquer outro, e o melhor, consciente da minha condição. Tive o medo de não ser aceito por futuros parceiros, tive o medo de machucar os outros, mas li numa reportagem de um psicólogo americano: “Vivemos sempre com a possibilidade dos 50% para a morte quanto para a vida, ninguém está livre de morrer.”. A única coisa que faço agora que não fazia a dois meses atrás, é cuidar mais de mim! Me sinto até mais bonito! rs. Voltei pros esportes, troquei o cigarro por coisas saudáveis, e quanto mais cedo melhor!
    Espero poder voltar aqui e partilhar com vocês mais alegrias sobre meus dias.
    Não estamos sozinhos e muito menos somos nichos isolados, somos seres humanos e só nascemos com um objetivo: SERMOS FELIZES! (sem prejudicar o próximo, é claro!)
    Qualquer coisa quiserem papear, estou por aqui!
    Grandes abraços

    • Cara do Bem Sampa diz

      +FelizRJ
      descobri um dia antes de vc….
      no inicio realmente é dificil, mas depois , com informação percebemos que tudo vai ficando melhor….
      E bora continuar sendo felizes!
      assim que se fala!
      abraçao

  46. Pessoal alguem sabe se a medicação PROSTRATIN, esta em teste ou que fim deu, se deu certo ou nada ainda.

  47. ProcurandoInformação diz

    Oi, galera!
    Descobri meu diagnóstico recentemente e estou ainda em pânico. Muito pela desinformação que tenho sobre a doença. Alguns comentários que li me elucidaram algumas dúvidas, no entanto outros me criaram mais pulgas atrás da orelha. Enfim, quero viver e não “sobreviver” sendo soropositivo. Tô em busca de trocar informações. Quem quiser se comunicar, meu e-mail é querovivercomaids@gmail.com.

    • paulo henrique diz

      força amigo vai da certo sim no final vamos vencer essa doença segue firme e forte
      esse e so o seu começo de uma nova vida !!!!!!

  48. paulo henrique diz

    Bom descobrir que tenho hiv a 5 messes meu irmão e soro positivo também
    porém não contei a minha familia pois tenho medo de minha mãe
    não aguentar essa carga tenho um relacionamento serio á 1 ano e meio
    e foi quem transmitiu pra mim aceitei entendi ele foi tão descuidado como
    eu estou esperando meu convenio autorizar pra começar meu tratamento
    pois preciso estar bem pra minha mãe ela precisa que eu seja forte e seja
    o filho perfeito saudável estou tão triste preciso converçar e desabafar e
    não posso falar com ninguém queria pedir ajudar sair da minha casa para
    minha faculdade mais tenho que ser forte preciso criar força tenho que me apegar
    a cura e saber que vou ficar bem que tudo vai da certo.. estou desesperado para
    começar o tratamento preciso correr atrás logo preciso da força não so pra mim como pro meu namorado e nos dois seguir em frente tenho 20 anos

  49. Marvin diz

    Essa reportagem me fez me sentir sujo. Até qdo nos tratarao cmo transmissores de doenças, msmo fzendo uso do coqtel e tdo virus indetectavel. Penso nesses idiotas CARIMBADORES, q transam s camisinha achando q passarao HIV e poem a saude em risco.

  50. JCS diz

    Acredito que os caras que presumem ter infectado a vítima, o que provavelmente nem sempre ocorre. De qualquer forma, a tentativa por si só já é criminosa e execrável.

    Acho difícil divulgarem esse tipo de informação como o estudo PARTNER em programas massificados como o Fantástico. Inclusive por causa da negligência da juventude em relação ao HIV, tida pelos especialistas como um grande entrave no controle da epidemia, inclusive o Dr E, que tem uma discurso bastante moderado nesse sentido em pronunciamentos televisivos.

  51. daniel diz

    Descobri q tenho hiv esse ano ainda nao saiu meu resultado de carga viral meu ex tambem tem não tem como saber quem pegou de quem e isso não importa
    estou ancioso pelo tratamento ainda penso q nao posso mais ter um relacionamento com ninguem tenho medo sei la

    • antonio diz

      Daniel, pare e pense um pouco, as fases na vida acontecem e ela devem ser enfrentadas, porém, está sempre em nós a energia para lutar e sobressair,e a meu ver, este é o anuncio que vai ter seu momento exato(se preocupar com relacionamento) visto que se tu não se amar e não se cuidar tudo isso perde o valor.Outro assunto existe várias outras “infecção” hoje no ser humano, e a meu ver, o virus do HIV não é o pior, perde feio para a injustiça, roubos, humilhação, ódios, ciumes ..por isso te digo leve a tua vida e teu amor e viva como diz super homem ..”pra frente e avate sempre!!”, abraços.Ahh tbm sou soro positivo e já passei por esses primeiros meses e estou hoje como se diz forte e gordo…abração

  52. Devid Fagundes diz

    Concordo plenamente com o texto acima! Acontece meu companheiro que infelizmente a imprensa quer vender propaganda e utiliza meios incontroversos para tanto! O maior problema do HIV é a forma como tema é abordado, e como se transmite a informação! E por acaso você acha que rádios e redes de TV imprensa escrita, estão de fato preucupado com isso! A não ser a partir do momento que vira algo pessoal é particular! Um abraço seu blog super esclarecedor!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s