Artigos
Comentários 161

Nós não estamos sendo objetivos a respeito de HIV/aids

Brasil Post

Você já parou para se perguntar: por que a epidemia de HIV/aids continua a crescer? Uns dizem que o principal motivo é o comportamento sexual dos jovens, que acham que ninguém mais morre de aids e que, se pegar o vírus, basta tomar “um remédio”. Outros acreditam que o problema é confiar nos parceiros. A imprensa nos lembra dos maquiavélicos soropositivos, que contaminam propositalmente seus parceiros sexuais e, depois, avisam por SMS. Ou os que não avisam e, depois de mortos, fazem mulheres sair correndo de um funeral para fazer o teste de HIV, quando descobriram que o falecido, um jovem “mulherengo”, era portador do vírus. E ainda acham surpreendente o marido que não se infectou ao  “arriscar contrair o vírus HIV” depois de transar com sua esposa, portadora do vírus.

Passaram-se mais de três décadas desde o início da epidemia e, de lá pra cá, muita coisa mudou. A principal mudança veio graças à ciência e à medicina, que desenvolveu e aprimorou os medicamentos antirretrovirais. No começo, eles eram muito tóxicos e causavam severos e até irrecuperáveis efeitos colaterais, incluindo redução da densidade óssea e lipodistrofia, que é o acúmulo e a distribuição desproporcional de gordura pelo corpo. Para piorar, era preciso tomar dezenas de comprimidos, em horários precisos ao longo do dia.

Hoje, é mais simples. Esses mesmos remédios já são combinados numa única dose, que pode ser tomada uma vez ao dia e é muito menos tóxica do que no passado. O Dr. Drauzio Varella está certo ao ter lembrado, ontem no Fantástico, que os antirretrovirais ainda causam efeitos colaterais. Isso é verdade! Eles costumam incomodar, especialmente no início do tratamento. Em geral, isso inclui irritações na pele, diarreia, náusea, vômito e fadiga. No entanto, é verdade também que esses efeitos costumam diminuir bastante ou passar completamente com o tempo. Não fosse verdade, o CDC americano não teria criado a recente campanha de prevenção e tratamento, na qual anuncia: O Tratamento de HIV Funciona”.

 Se o incômodo com o tratamento não passa, é quase sempre possível trocar a combinação de medicamentos, alternando para uma que seja mais adaptável para o organismo de quem está tomando e que não cause qualquer efeito colateral  então, se existe esta alternativa, por que é que ainda se fala tanto nos efeitos colaterais?

Uma das razões é que há um vício em tratar a epidemia de HIV/aids através da mesma história que sempre foi contada, de culpa, medo, dor, tragédia e sofrimento. E não se iluda: isso acontece tanto com quem conta a história, como com quem vive a história. Me lembro que meu primeiro infectologista, Dr. O., insistiu num coquetel de antirretrovirais que me causava dores de barriga, vômitos e diarreias como eu nunca experimentara antes. Durante os quatro meses em que segui o tratamento recomendado pelo doutor, sofri todos os dias, ininterruptamente. Tentei melhorar a situação, mudando toda a minha dieta, mas não funcionou. Cheguei a ser hospitalizado por tanto vomitar e emagreci 15 quilos, não por causa da aids, mas  me perdoe a sinceridade  por tanto defecar! Enquanto isso, o doutor insistia que era para ser assim. E isso não se deu só comigo. Num livro que vai ser publicado em breve, intitulado provisoriamente “Histórias da Aids”, da jornalista Naiara Carmo e do infectologista Artur Timerman, uma das soropositivas entrevistadas lembra que, quando reclamou dos efeitos colaterais que sofria, sua médica sentenciou:

“— Não se cuidou… agora aguenta!”

Por alguma razão, a epidemia de HIV/aids tem essa associação de culpa e punição. É como se o imaginário aterrorizante do vírus tivesse um força gravitacional muito forte, da qual até médicos não escapam, que dirá jornalistas que os entrevistam para cobrir suas matérias. É fácil percebê-lo ao ler as notícias acima. Nenhuma delas de fato checa ou questiona pontos tão fundamentais. Será mesmo que a razão da falta de uso de camisinha entre os jovens vem da ideia de que o HIV está “longe”? Afinal, é importante lembrar que, no Brasil, a tendência de aumento nas taxas de diagnóstico não se concentra apenas entre jovens de 15 a 24 anos, mas também em adultos com 50 anos ou mais, os quais viram o terrível começo da epidemia. Nesse sentido, não seria coerente pensar que todos temos a ideia de que o HIV está distante de nós? E, se isso for verdade, qual a razão dessa sensação de distância? Será que não estamos falando o suficiente sobre HIV? Ou, pior: será que estamos mesmo falando de maneira correta, objetiva e atualizada?

Até quando vamos continuar falando que a razão das contaminações é o excesso de “confiança” no outro? Ninguém mais é adulto e responsável por sua própria saúde? Não é hora de pararmos de falar em “confiar”, vitimizando-nos e apontando o dedo para culpar terceiros, quando a responsabilidade de usar camisinha é, igualmente, das partes envolvidas no ato sexual? Será que já não é hora de fazer jornalismo sério quando o assunto é HIV/aids e, antes de publicar sobre o suposto risco vivido pelo marido que queria engravidar a esposa soropositiva, checar com especialistas e fontes especializadas? O sexo desprotegido entre um soronegativo e uma pessoa soropositiva e indetectável é uma realidade possível e segura, que apresenta risco de transmissão mínimo, senão negligenciável, segundo diversos consensos médicos, como americano, britânico, canadense e sueco. E, uma vez que o tratamento antirretroviral é comprovadamente capaz de reduzir para próximo de zero a transmissibilidade de quem tem HIV, por que não passamos a incluir esse dado tão importante nas notícias deste jornalismo “policial” a respeito daqueles que teriam transmitido o vírus propositalmente a seus parceiros e parceiras? Afinal, se transmitiu, é porque não fazia tratamento e, se não fazia tratamento, essencial para manter-se vivo, é porque há ali um distúrbio psiquiátrico muito grave. Isso não é em nada relevante numa matéria séria?

A imprensa não está sendo objetiva a respeito da epidemia de HIV/aids, perdendo-se em questionamentos antiquados e não trazendo à tona assuntos atuais e importantes. Não é mais tempo de procurar, entre os soropositivos, os monstros transmissores de HIV: segundo a Unaids, “a epidemia de HIV é nutrida pelas infecções por HIV não diagnosticadas e não pelas pessoas que conhecem seu status positivo para o HIV.” O risco de ser contaminado pelo HIV está sabidamente no sexo desprotegido com pessoas de sorologia desconhecida, que não fazem o teste de HIV com frequência e respeitando o período da janela imunológica. Por isso, no resto do mundo, o aumento da oferta de testes e o estímulo ao tratamento antirretroviral de quem eventualmente for diagnosticado positivo tem se mostrado um caminho eficaz, e que tem ganhado grande espaço na mídia.

Se todos fizerem o teste de HIV e se, quem precisar, iniciar o tratamento, a epidemia está controlada, sem a necessidade de causar mais medo e pânico. Enquanto não incluirmos essa mensagem nova e atual em nossas campanhas e nas notícias de jornal, a epidemia de HIV/aids vai continuar a crescer.

image_1393626039

Anúncios

161 comentários

  1. Paranaense no Rio diz

    Eu me infectei por achar que isso jamais aconteceria comigo. Me infectei porque não usei camisinha diversas vezes que deveria. Faz pouco mais de um mês que recebi o meu diagnóstico, pouco menos de um mês que estou tomando os antirretrovirais. Tenho a melhor infectologista do mundo. Mas meu mundo virou do avesso… minha vida mudou.

    A gente pensa que a tudo continua como antes. Se lembra da doença apenas na hora de tomar os remédios. Porém, não é bem assim. Sempre acontece alguma coisa que as imagens vem à cabeça. O choro é inevitável muitas vezes.

    Poderia ter evitado tudo isso de uma forma simples: usando camisinha. O teste eu sempre fiz. Mas camisinha nem sempre usei. Tenho 38 anos, sou soropositivo, estou em busca da minha felicidade e sei que vou encontrá-la. Um dia, sei que isso vai acontecer.

    Obrigado, meu jovem, por clarear a vida. Por me mostrar que existe vida depois do HIV. Que é ruim, mas é bom para abrir a cabeça, quebrar tabus, aceitar mais que o perigo mora ao lado… pior, mora em mim. Mas é só se cuidar. Simples assim.

    A gente continua na luta, continua na briga e com esperança.

  2. Luna diz

    Adorei o texto concordo com tudu ….A impensa esta pecando em seu trabalho eles preferem amedrontar do que educar e informar . Hj estava vendo um programa da globo e fiquei chocada estava falando sobre hiv , dai a apresentadora pega e fala. ” No proximo bloco vamos conversar com alguns pais, o que vcs fariam se seu filho fosse gay?” . Agente esta e 2014 e eles vem com o mesmo blablabla preconceituoso dos anos 80. Como se só homo sexuais pegassem o virus. Como pode isso …Estou decepcionada com as reportagens do dia mundial CONTRA a aids Contra mesmo…

  3. Maria de Sá diz

    A minha experiência diz que o Dr. Dráuzio Varella tem razão quando falou dos efeitos colaterais. Uso o coquetel há 17 anos e, apesar de me manter assintomática, de vez em quando surgem alterações novas em meu corpo/meu organismo: lipodistrofia, perda de massa muscular, aumento da glicemia, do colesterol e dos triglicérides, TGO e TGP sempre acima do normal, entre outros. Os nutricionistas e endocrinologistas que consulto não conseguem estabelecer um cardápio eficiente diante da síndrome metabólica que se instalou.
    Óbvio que tenho uma boa qualidade de vida, mas estas alterações são decorrentes, principalmente do uso do inibidor de protease e eu vou convivendo com elas.
    Em outro artigo que foi publicado no blog, senti-me totalmente representada quando foi falado sobre os preconceitos que continuamos sofrendo. Por vezes, até esqueço que sou portadora há 26 anos, mas, meu inconsciente deve emitir sinais do tipo: “não se aproxime”.

  4. Paulo Rodrigues diz

    Infelizmente o que a mídia quer é um jornalismo sensacionalista, que ao invés de educar a respeito e ensinar, trata através do medo da doença e dos hiv positivos, promovendo a exclusão social e semeando o preconceito. Um jornalismo sem vergonha e pudor de colocar os hiv na margem da sociedade.
    Não revelei minha sorologia para meu círculo social pois ainda temo o preconceito e isso é o que mais dói. Tenho HIV há sete anos e minha família sabe, me dá suporte e me apoia quando preciso, mas infelizmente ainda somos tratados como um agente infeccioso.
    Uma vez contei pra um namorado, e ele me disse que se soubesse antes não teria ficado comigo, eu respondi “eu sei sobre minha condição, e você?” ele ficou bravo e terminamos, porém é a realidade.
    Hoje eu pergunto: “eu tenho hiv e você?” muita gente não sabe responder.

  5. Puta que pariu… Hoje estava escutando a uma rádio e determinado jornalista cujo nome não recordo dizia que o portador de HIV se sente uma ameaça constante. Que este pode transmitir a doença às pessoas após um acidente em que haja sangramento. Imbecil, otário, inútil… Como se fôssemos ameaças ambulantes! Otário… PQP!

    Acho que foi na Band FM…

    • Anonimo diz

      Peço a todos desculpas por postar como Anônimo, mas sou novo aqui e criarei um Nick.

      Jovem, em minha opinião isso não deve ficar apenas na conta da imprensa. O Ministério da Saúde também tem sua parte.

      Proponho que nos organizarmos. O mote da campanha brasileira de combate ao HIV deve ser:

      “Hiv/Aids: quem se trata, não transmite”

      Isso associado a caravanas de teste pode funcionar!

      O que acham?

        • Anonimo diz

          Minha idéia seria justamente focar no soropositivo. Destruir o medo das pessoas para incentivar o teste e o tratamento de 100% dos infectados.

          Algo como orientar os soronegativos a exigir sempre um teste negativo ou uma viela indetectável de seis parceiros. Transformar o hiv na doença crônica que é.

          Talvez eu esteja sendo utópico…

          • Anonimo diz

            Nossa… errador ortográfico atacando! Viremia indetectável de seus parceiros.

  6. marcello pacheco diz

    Ola, gosto muito do seu blog, sempre que posso leio, estou com uma duvida, sei que você talvez não possa responder mas se puder me ajudar ficarei feliz, pois bem : Tomo meus medicamentos sempre antes de deita (efa+lami+tenofovir), o que acontece eh que uma vez por semana ou de 15 em 15 dias trabalho durante a noite em eventos e minha medica disse que como isso acontece uma vez por semana ou de quinzenalmente p/ eu tomar no hra que chego (4 ou 5 da manhã), ela ainda ressaltou que o importante eh tomar o esquema uma vez por dia, todos os dias…mas fiquei com medo do virus adquirir resistência, desde já obrigado !!

    • Oi Marcello,
      Acho que você deve seguir a orientação da sua médica.
      Se tomar o remédio todos os dias, como ela falou, não precisa se preocupar com o vírus criar resistência.

  7. marcello pacheco diz

    Muito obrigado pela resposta. E á respeito do primeiro de dezembro concordo plenamente com o seu post, a mídia só quer apavorar e causar panico na população, parece que voltamos para meados dos anos 80 onde o objetivo de campanhas de prevenção era causar medo para que as pessoas utilizassem o preservativo, acho que isso é uma das grandes causas do diagnostico tardio já que as pessoas sorointerrogativas ficam com medo de serem testadas e caso for positiva irão ter a impressão que a vida acabouí. A mídia e os profissionais de jornalismo não conseguem enxergar que alem do vírus existe uma pessoa com sonhos, vontades, desejos, paixões e tudo que outro individuo pode possuir. Esse medo causado pela mídia só aumenta o preconceito e o estigma dentro da sociedade, espero viver o dia que a AIDS seja tratada de outra forma. Eu mesmo me vi cheio de interrogações e angustias quando adquiri o vírus, depois de muito ler e me informar vi que não era um bicho de sete cabeças igual eu pensava. Mas uma vez, parabéns pelo blog e pelas ótimas postagens. Forte abraço !

  8. Tenho que discordar de uma coisa…..

    Os ARVS não “eram muito tóxicos”, eles são muito tóxicos!! Caso contrário eu não estaria beirando uma osteoporose com apenas dois anos de uso dessas drogas.

    • Você trocou de ARVs recentemente, não trocou?
      Eu lembro da sua história com os remédios. Se puder compartilhar com o pessoal como foi, acho que tem tudo a ver com o texto…

        • Claro que compartilho…vamos lá

          Eu iniciei meu tratamento em junho de 2009 tomando kaletra, lamivudina e tenofovir e sofri muito com o temido “kamerda”… Era enjôo, sensação de vazio no estômago, depois dor de estômago, dor de barriga, gases, dores nas articulações, dor óssea, diarréia, muita diarréia que com o passar do tempo foi ficando moderada , “tolerável”.. Me lembro que a cada consulta com meu infecto eu reclamava dessa medicação, pedia para ele mudar e ele sempre dizia: Vida…se os efeitos são toleráveis é melhor não desperdiçarmos essa medicação! E então eu continuava…
          No inicio de 2011, no auge de uma deprê, resolvi ler a bula da medicação e foi o fim….quase me enforquei num pé de couve..rs (gente na boa…não leiam essas bulas). Cismei que tinha algo errado em meus ossos, que aquelas dores não eram normais e pimba! Fiz uma densitometria óssea e descobri uma avançada osteopenia…faltando pouquinho para uma osteoporose e mesmo assim meu infecto não quis mudar a medicação…Disse que só mudaria se o meu tratamento com cálcio não estivesse fazendo efeito. Felizmente fez efeito, minha osteopenia teve uma leve melhora…e então o “kamerda” continuou em minha vida.
          Meu infecto falava tanto que era bobagem desperdiçar a medicação que eu fui alimentando um monstro dentro de mim… o medo! Tive medo de ousar, de arriscar e então permaneci nesse relacionamento conturbado com o meu algoz.. Kaletra por 5 anos!
          Aí um belo dia…
          Como dizia o Chapolin Colorado “não contavam com a minha astúcia!” ou melhor dizendo, com a astúcia do meu querido e amado “Geninho” que reapareceu em minha vida em 2014 e iluminou o meu caminho.
          O “Geninho” para quem não sabe, é o meu “Doutor preferido”…, exclusivo ( exclusivo em partes) 😛 é um anjo que Deus colocou em minha vida , que tirou esse medo de mim, que me incentivou, mostrou que é possível sim mudar, ousar e eu ousei! Marquei uma consulta com meu infecto e “exigi “que ele substituísse o Kaletra pelo Efavirenz sem pestanejar! E não pestanejou!! E então, desde outubro de 2014 eu vivo um relacionamento sério e espero que infinito com o efavironha e estou AMANDO! Está tudo muito bom, muito tranquilo ….só espero que esteja dando certo! E isso saberei em breve …..aí conto “proceis”.
          Boa noite….beijoss!!

          P S: Barasa…você apenas perdeu o posto de meu “doutor preferido” tá?….você continua morando em meu coração, sem pagar aluguel e não corre o risco de ser despejado ..

            • Pois é JS…O seu casamento com o Kaletra durou meses e a separação foi consensual. O meu casamento durou 5 anos e 3 meses e a separação foi litigiosa..rsss

              Beijos Jotinhaaaa

          • Vida, que demais saber que você melhorou. Desculpe as perguntas, toscas muitas vezes, hahah, mas sou novo aqui. Hoje tu consegue viver normalmente, tirando o fato de ter que tomar os medicamentos?

            Te cuida, querida. Parabéns pela persistência.

            • Oi Pedro, tudo bem?? Eu adoro esse nome!! Você foi uma criança sapeca?.rs Todos os Pedros que que conheço são terrivelmente sapecas!..rs
              Pedro, a minha saga ainda continua! Eu melhorei dos efeitos do Kaletra só que a minha osteopenia ainda não! Eu fiz uma nova densitometria óssea recentemente e o resultado sairá agora dia 08 e espero muuuuuito que tenha tido uma boa melhora. E quanto a viver…vivo normalmente sim graças a Deus! Claro que tem dias que tenho meus altos e baixos….mais altos do que baixos..rs

              Um beijo pra você querido!

              Se quiser papear, me adiciona lá no skype luzvidareluz@hotmail.com

    • Sérgio diz

      Olá vida , são tóxicos sim , disso tenho que concordar , agora a infecção pelo hiv por si só , já é um fator determinante na incidência de osteoporose , e dentre os ARVS , o tenofovir tem sido associado a ocorrência de osteoporose. Agora , existem muitos outros fatores extra-hiv que podem levar a osteoporose.

      • Sérgio, eu li na bula do tenofovir que ele pode causar “destruição óssea”. Cheguei a grifar a bula e levar para o meu infecto ver e para o reumatologista também, sei que o HIV também contribui, o consumo de bebidas alcóolicas também né??? rs (eu nem bebo tá?) 😛 Só que eu sempre suspeitei que o Kaletra também contribuiu e muito para a minha osteopenia . Minha vida era no banheiro e consequentemente todos os meus nutrientes iam embora do mesmo jeito que entravam..rss. Minha suspeita foi corroborada numa aula de farmacologia que tive num curso que faço a distância, onde o meu professor me explicou que o Kaletra, por se tratar de um inibidor de protease, pode causar osteoporose sim!

        Gentemmmm… só não me peçam pra explicar o que é um inibidor de protease…

        • Anônimo diz

          A protease é uma das proteínas que garante a replicação do vírus. Quando o vírus entra num linfócito cd4, seu RNA se transforma em DNA mediante a ação da proteína transcriptase reversa. O Tenofovir e a Lamivudina são inibidores dessa proteína. O Efavirenz também, mas age por um mecanismo diferente.
          Depois de transformado em DNA (caso a pessoa não tome os remédios ou caso esses dois falhem), o dna é transportado para o núcleo pela proteína integrase. Dentro do núcleo, a integrase corta um trecho do dna da célula e acopla o dna do virus. O Raltegravir é um inibidor da integrase e impede esse processo.
          Por fim, se o dna acabar por ser acoplado, a celula passa a produzir cópias do rna viral para a confecção de nocas copias do vírus. Para isso, as proteínas desses novos virus têm de ser separadas, depois de copiadas. Essa separação e feita pela protease. O kaletra é um inibidor da protease.
          Procure no youtube, há videos bem interessantes descrevendo a ação dos antirretrovirais. É legal saber!
          Beijo.

  9. Soropositivofeliz diz

    Gostei muito do texto.Aliás. Sempre acompanho o blog. Só fiquei com uma certa dúvida no seguinte trecho: O sexo desprotegido entre um soropositivo e uma pessoa soropositiva e indetectável é uma realidade possível e segura, que apresenta risco de transmissão mínimo, senão negligenciável, segundo diversos consensos médicos, como americano, britânico, canadense e sueco. Por acaso você não quis dizer: o sexo desprotegido entre um soronegativo e uma pessoa soropositiva e indetectável é uma realidade possível e segura?

    Obrigado

  10. Mutatis Mutandis diz

    Caros, concordo com o choque de realidade que Vida comentou. É bom saber onde estamos metidos: um mundo novo que era distante pra nós (remédios no horário, consultas periódicas, efeitos colaterais)…tudo isso é verdade e ponto, meus amigos!

    Mas é bom saber que “A televisão me deixou burro, muito burro demais…”, diriam os Titãs.

    Dráuzio Varella deve ser o médico mais bem sucedido do país, mas faz tempo que ele não consulta ninguém…queria achar o cristão ou a celebridade nacional que fora medicado por esse homem.

    Dráuzio não é uma assumidade, tá longe de ser um “IVO PITANGUY” nesses assuntos que ele se propõe a falar no Fantástico.

    É bem verdade que ele já fez reportagens memoráveis, mas observem que só ficam boas as reportagens não-polêmicas (posso citrar: sobre a vasectomia, sobre aquela doença que se confundia com a TPM na mulher, enfim…foram de fato memoráveis, muito bem montadas e esclarecedoras).

    Mas quando o assunto é HIV/AIDS é só bola fora. Minha gente, se fosse objetivo falar sobre a condição atual do soropositivo, tal qual nós sabemos como é, ele teria falado. Mas não era esse o objetivo. Percebam, vou dizer o óbvio e não estou duvidando da inteligência de ninguém aqui nesse blog, mas a televisão diz algo hoje e você acredita. Diz o contrário amanhã e você acredita de novo…como pode?

    Simples: a televisão nem sempre é fonte confiável, vamos procurar canais melhores pra assistir, infelizmente. Não vou ficar fazendo apologia de canais aqui, não é o caso…mas o Fantástico não é referência para ninguém…muito menos Dráuzio Varela.

    Olha, duvido que Drázio conheça metade dos projetos em andamento sobre HIV/AIDS no mundo. Dráuzio Varela não seria páreo para 05 minutos de conversa com o nosso SÉRGIO aqui do blog, aposto qualquer coisa nisso!

    Poxa, mostrar um cara que ficou cego devido ao Citomegalovirus (que é a doença do beijo, 50% das pessoas têm…) e não falar quanto tempo ele relutou em fazer exame, quanto tempo ele relutou em se medicar, enfim..isso é NAZISMO, NÃO É JORNALISMO.

    ESTAMOS COM HIV! ESTAMOS COM SÉRIOS RISCOS DE OSTEOPENIA, LIPODISTROFIA, DISCRIMINAÇÃO, enfim…ufa..num vou nem falar o restante! MAS E DAÍ?!

    A toxicidade é a mesma dos tempos de AZT? Creio que não! Será que com o TEMPO não tende a melhorar? Creio que sim!

    TEMPO: EIS A RESPOSTA…É A CHAVE DE TUDO! VAMOS GANHAR TEMPO ENQUANTO O TRATAMENTO DEFINITIVO DO HIV CHEGA.

    Nem me refiro a esterilização ou cura funcional, imagino algo assim como a Sífilis: 06 meses de um tratamento pesado que lhe cura, mas que se vacilar pega de novo!, entendem?

    Vamos viver, gente! Vamos ganhar tempo! Se não a gente se ferra e vamos mais cedo morar com Deus. Deus quer a gente aqui, fazendo o bem, morrendo de velho…não de HIV!

    Abraço!

      • Mutatis Mutandis diz

        De fato, JS…conheço 02 colegas que trabalharam comigo numa multinacional de alimentos que se consultaram com Drauzio Varela: ambos em 2013.

        E ambos disseram a mesma coisa e em ocasiões diferentes: como médico ele é um ótimo jornalista.

        Não quero dizer que o Dr. Dráuzio seja incompetente, não é isso.. apenas que ele hoje é muito mais jornalista/escritor do que profissional da medicina propriamente dito. E em sendo jornalista/escritor ele tem muito mais, mas muito mesmo, compromisso com suas emissoras/ editoras.

        Enfatizo que não creio que ele seja a pessoa a qual teria condições de nortear algo para essa enfermidade que estamos vivendo.

        Suponho que ele tenha até conhecimento técnico, mas não lhe é permitido expor as coisas de modo real, tal qual nós sabemos por vivenciarmos.

        Espero que um dia seja feito um documentário na TV aberta, por exemplo, expondo de fato a realidade do soropositivo, sem querer amedrontar ou suavizar nada. Adoraria que fosse Dr. Dráuzio, haja vista a capacidade dele de fazer boas reportagens sobre saúde (como frisei no comentário anterior), mas creio ser uma remota possibilidade, pois esse é um tema polêmico e político, e nesse cenário ele tem “rabo preso”, só vai fazer o que o patrão dele deixar!

        Agradeço a “errata”. Obrigado!

          • Ricardo, simplesmente fantástico. A vida continua. Uma menina linda, um exemplo de superação. Amigos, não desanimem: a vida está aí, VIVAM!

          • Pequena + diz

            Ricardo

            Esse vídeo é perfeito 😉
            Isso que as pessoas deveriam assistir para desmistificar o HIV.
            E mostrar que existe vida após o diagnóstico.
            Obrigada!
            Um forte abraço da Pequena +

    • Sérgio diz

      Mutatis Mutandis , fico grato com suas palavras , espero um dia estar nesse patamar rssss. Um abração , se precisar estou ai.

      • CARA + diz

        Sergião querido!

        tenha certeza que para nós, vc já é nosso Sérgio Varella…hehehe

        • Sérgio diz

          CARA+ , fico feliz em ouvir isso , mas estou anos luz desse patamar rssss . Um grande abraço .

  11. Hope diz

    Vi a reportagem e considerei muito inconsistente realmente… na verdade, encaixa-se no conceito de ineficiência: fazer a mesma coisa esperando resultados diferentes. Há quanto tempo as campanhas têm o mesmo tom, com resultados pífios?
    Hoje, eu posso ser estatística: mulher casada há anos com relacionamento monogâmico blá blá blá… e no que isso me impediu de me colocar em risco? E garanto a todos que tenho idade para ter visto, Cazuza, Fred Mercury, Renato Russo….Por outro lado, meu marido, mais jovem que eu, aparentemente contraiu o vírus no início de sua vida adulta… e nem lembra da imagem do Cazuza… só das músicas. Ou seja, estamos nas duas pontas a curva… e as campanhas não servem a nenhuma delas.
    Concordo inteiramente com o Jovem com relação ao teor que as campanhas deveriam adotar. Mudar o teor não é opção, é uma necessidade… insistir no que já não deu certo é burrice mesmo.

    • Dayane diz

      Olá estou em situação como a sua gostaria de saber se vc continua negativa?

  12. Carioca_positivo diz

    Muito bom o texto JS, será que é tão dificil os formadores de opinião, verem que esta tudo errado? Amedrontando a população eles só afastam as pessoas em fazerem o teste, o HIV é um virus silencioso, quem se expoe ao risco, prefere viver com a dúvida do que fazer o teste e com isso pode transmitir para outras pessoas por não saberem e não se cuidar… tem que se mudar essa politica de “prevenção” e dar mais informação… Parar de dar a cara de quem tem o virus sendo só gays jovens, e pessoas ja debilitadas por terem desenvolvido doenças… sem explicar que só chega a esse ponto quem não se trata. Diagnosticado a dois meses e meio essas imagens ainda me afetam um pouco, não vou mentir, prefiro nem ver… Até porque pra mim não serve como fonte de informação válida. Busco em outras fontes. Principalmente aqui no Blog o serviço que o JS e vocês que comentam prestam aqui, é muito mais valido do que qualquer outro meio de conunicação. A vida é linda, e que Deus nos dê força sempre pra continuar essa luta! Saúde a todos…

  13. CARA + diz

    Pois é…
    também acho que o maior erro está na comunicação, ou melhor, na forma e foco que a comunicação está sendo abordada. Na realidade, aquela máxima conhecida por qualquer jornalista ou profissional do ramo de comunicação, o tal “leade” da informação:o que, onde, quando, para que e para quem.

    A maneira como a doença ainda é abordada, só tende a fazer as pessoas ficarem mais arredias ao exame. Prova disso são os números que comprovam que as pessoas preferem ficar na dúvida, do que saber e se tratar.

    Medo, angústia, intolerância, estigma, preconceito… são resultados da forma como vem sendo abordado o tema. As pessoas desconhecem praticamente tudo. Só sabem que para não pegar, tem que usar camisinha e ponto.

    Acredito sim, que está na hora de uma nova consciência e isso dependerá e muito da forma e foco que forem abordados o tema daqui para frente, porém enquanto essa gama de informações ficar restrito somente a quem as busca, no grande grupo e no grande entendimento de como tudo acontece e funciona, seremos minoria.

    Enquanto isso, vários sorointerrogativos estão transando por ai e proliferando o vírus.

  14. anonimomaranho8 diz

    Quando vejo médicos e aconselhadores falando em entrevistas em janelas de 90dias,06 meses, vejo que temos muito o que avançar ainda!

  15. Alex diz

    Amigos,

    Ficando no mesmo assunto, acho que algo que não costuma ser discutido – e não só na mídia, mas nas conversas sobre HIV em geral – diz respeito ao sexo com camisinha.

    O que é transar COM CAMISINHA? Transar significa penetrar ou significa gozar dentro? O correto seria dizer que não se deveria PENETRAR sem camisinha. O que a galera em geral pensa por aí – e sei bem disso porque já transei um bocado, com tudo que é tipo – é que só se pega HIV se GOZAR DENTRO. Dar uma metida pode. Botar a cabecinha pode. Ficar roçando pode. Só que a metidinha, a cabecinha e a roçada contém líquido seminal, que também é contagiosa. Sem se falar que, depois que penetra, fica muito mais fácil de, no embalo da brincadeira, gozar. E a galera anda deslizando nisso.

    Enfim, desculpem o meu vocabulário bastante gráfico (espero que não haja crianças na sala), mas era essa a problemática que eu trago para a discussão.

    Abraços a todos,
    ALEX

    • Alex, sei que serei rechaçada por muitos “puritanos (as)” do blog diante desse meu comentário….mas o seu “vocabulário gráfico” me reportou a um passado recente e maravilhosoo e saudoso (snif)..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Beijos

  16. Vi a matéria do Fantástico com a minha família. A reação de todos ele foi de pena e comentários do tipo “nossa, isso que dá transar sem camisinha”, “como pode ter gente que fala que hiv não mata”, “esses remédios matam mais que o hiv”, etc. Como alguns aqui disseram, mostrar Cazuza???? Hã??? Para a massa, o HIV é isso. Tá errado. Tá muito errado isso. Fiquei atônito ao ver a matéria. Não tiveram o cuidado de enfatizar que o moço debilitado era um doente de AIDS, que falhou no tratamento. Não esclareceram a diferença entre viver com HIV e ter AIDS. Essa coisa toda só reflete no famoso: “Prefiro não saber, do que ter”. Lamentável! Qual o problema em dizer que há qualidade de vida pós-hiv e seguindo o tratamento?

  17. daniel diz

    meua amigos eu sou o daniel. sabem, eu fiz um teste a trez meses atraz e fui detectado como reagente, hoj ja estou tomando meu terceiro frasco de medicamentos .,agora em dezembro dia 10 vou fazer mais uma consulta com meu infectologista e pegar mais uma receita e no dia 11 vou fazer mais um exame de sangue, para ver em que situaçao eu me encontro, .para mim foi um choque saber q estava infectado, pois nem promiscuo eu sou , so lamento muito ter me infectado, deveria ter me cuidado mais, tem dias q me sinto bem, e tem dias q me bate uma depre tao grande q nao tenho vontade de fazer nada de nao ver ninguem, queria q o mundo acabasse ou que eu nem tivesse existido nesse mundo,mas sabe agora oq esta feito esta feito tenho tomado os medicamentos e espero que esteja surtindo o efeito esperado, depois eu conto a voces o resultado dos exames, vai demorar um pouco, quero muito fazer amigos aqui se alguem quizer me add no skyp e fredh_2008@hotmail.com vou ficar feliz se tiver alguem q queira compartilhar o seu dia a dia comigo, pois tambem sou novo nesta canoa, e nao quero afundar ,rezo muiiito e que DEUS nos ajude, abraços a todos ,daniel

  18. Henrique Pereira diz

    Tomo a medicação há 01 ano e tive que mudar, pois o Efaverinz estava me deixando com uma enorme fadiga, após a mudança do Efaverinz pela Nevirapina, minha vida voltou ao normal. Após o início do uso dos remédios passei em concurso público, trabalho, saio, bebo, faço esporte e faço sexo (com proteção) sem culpa. O HIV é apenas uma doença que exige cuidados diários, mas não é uma sentença de morte. Futuramente, pode ser que eu tenho problemas com a toxicidade dos remédios, mas quem não pode ter um problema futuramente? Tenho 27 anos e descobri a sorologia há 02 anos e acredito que faz parte da vida adulta lidar com situações inesperadas e que não desejaríamos. Até hoje não vou me esquecer do vídeo de uma estadunidense chamada Lizie Velasques que assisti no National Geografic. A garota possui uma doença rara que a faz perder a gordura total do corpo, tendo, assim, uma aparência considerada por nossa cultura, como muito feio. E após saber que não havia uma cura para sua doença, ela decidiu viver um dia de cada vez, sem ansiedades e atualmente profere palestras em escolas sobre o bullying. Portanto, acredito que não sou um caso isolado e acho o tratamento da mídia sobre o HIV lamentável e sensacionalista, pois não procuram ir além das aparências, ficando no superficial.

    • Felipe Rec diz

      Uma dúvida henrique, nesse concurso que vc passou, havia nos exames de saúde, o de hiv? Esse é um medo q tenho,pois tbm presto concursos.

      • CARA + diz

        Desculpe me intrometer no papo, mas exame de HIV não pode e não deve ser solicitado em exames admissionais seja para concursos públicos, ou empresas privadas.

        Isso é garantido por lei!

        Qualquer empregador que se fizer valer de um exame de sorologia para contratar ou não um empregado, corre o risco de ter que se explicar à justiça. É causa ganha do candidato.

        Não somos menos capazes, em nada, pelo fato de sermos soropositivos.

      • Eu também sou concurseiro. Antes eu tbm tinha essa dúvida mas depois de pesquisar descobri que é proibido solicitar exame de hiv para tomar posse em concurso público.

        • Henrique Pereira diz

          Em alguns concursos para carreira militar pedem exame de HIV. Sei que há muita polêmica e o MPF já entrou com ação para que tal exigência seja declarada inconstitucional, mas não sei como anda a jurisprudência sobre tal assunto. Dei uma parada nos estudos este ano, pois estava querendo curtir um pouco, mas em 2015 quero retornar aos estudos.

  19. Th diz

    Pessoal, sou novo no site e ainda estou lendo as matérias com calma pra não me assustar. Gostaria de saber mais a respeito sobre a osteoporose como efeito colateral a longo ou curto parzo.

  20. Paulo Rodrigues diz

    Eu ainda não havia visto o documentário do fantástico, o assisti hoje. Achei um tanto apelativo em relação às informações, pois quem não convive com o HIV, se antes já pintava como um monstro, hoje o fará como um demônio. A pior parte de conviver com o HIV não são os efeitos colaterais, e sim o preconceito que gera em torno de uma sociedade hipócrita e narcisista, disfarçada de boa samaritana. O que realmente mata qualquer um não é a doença, e sim o preconceito. Precisamos desmistificar o HIV como sendo o vilão nessa história, pois o verdadeiro vilão é a sociedade intransigente em que vivemos.

    • CARA + diz

      Sabe Paulo

      não coloco tanto a culpa nas pessoas, mas sim nos meios de comunicação e no que eles “autorizam” ser dito ou não.

      É natural do ser humano procurar as informações, quando estas batem a porta. Digo isso, pois tenho caso de diabetes (doença crônica como o hiv) em familiares próximos e só tomamos conhecimento de tudo o que engloba, quando tivemos esse caso específico. Antes tínhamos aquele vago conhecimento do tal “açúcar no sangue”.

      Muitos especialistas afirmam que o diabetes hoje é muito mais “complicado” do que o hiv e no entanto, fala-se abertamente sobre o tema. Enquanto isso, mete-se medo na cabeça das pessoas e elas ficam por ai, sendo sorointerrogativas e numa dessas alastrando o número de novos infectados simplesmente pela falta de informação correta.

      Acredito que só teremos êxito a longo prazo (pois não vejo a curto prazo pois envolve mudança de cultura, valores intrínsecos da nação) no dia que o HIV for tratado como é aqui e tão bem escrito pelo nosso amigo JS.

      Com informação pautada em conhecimento técnico/científico, caras que estudam e acompanham soropositivos, nossos relatos e principalmente, informação “in loco”, ou seja, escrita por um soropositivo que vive na pele o dia-a-dia da situação.

      • Paulo Rodrigues diz

        Oi Cara +
        O que mais mete medo em relação ao HIV, é sua transmissão e pelo simples fato de no começo da epidemia ter matado em tão pouco tempo tanta gente. Hoje em dia o HIV pode até ser tratado como uma “simples doença crônica” equiparando à diabetes, hipertensão, porém essas doenças não são transmissíveis, por isso o medo infundado do HIV. Quem se cuida e se previne ainda contrai a doença, acho que isso é o que a sociedade e a mídia não aceitam, e por vezes tendem a taxar os soropositivos como promiscuos. Se uma dona de casa contrai, “coitadinha”, agora se é um homossexual, “promiscuos e devasso”. A realidade é que a doença está aí faz tempo e ninguém acha que pode acontecer consigo. Eu mesmo pensava assim. Não tinha muita informação, só sabia que matava, pode até ser ignorância da minha parte, mas da cidade que venho, quase não circulava informação, só se falava do HIV como “bichinho do amor”.

        • CARA + diz

          “Bichinho do amor” hehehe, boa essa.

          Pior que me encaixo justamente nessa condição.

          Verdade, concordo com tudo o que você disse e reforço, tudo o que as pessoas pensam vem sim da falta de informação correta e adequada e enquanto isso, “na sala de justiça” os sorointerrogativos estão a soltas, galanteando e fazendo o “banzé” na vida alheia.

          Mudança de cultura, de valores se faz com informação correta e de qualidade.

          • Cara +, mais uma que aprendi… “bichinho do amor”…também gostei!! Vou inventar o meu próprio significado pra “Tia Sida”

            Que tal COMICHÃO DO AMOR????…KKKKKK

            • CARA + diz

              Vida

              sim, aquela: “sabe fulano, ele está com a tia…” e sua conclusão, vai ver que é por causa da Tia Sida…. hahahaha

              lembrando da sua hilária conclusão e rindo sem parar aqui….

              comichão, bem comichão mesmo!!!! hahahaha

          • Paulo Rodrigues diz

            Jovem
            quem se cuida e se previne contrair sim, pois as vezes é tão seguro de si e se acha tão dono da verdade que uma hora deixa de se cuidar e acaba, infelizmente, contraindo.
            As pessoas acham que por estarem tão seguras que nada vai acontecer, isso é da natureza do ser humano e uma hora se descuidam.

            • Eu entendi o que você quis dizer.
              Mas acho que não podemos espalhar por aí a ideia de que a prevenção e o cuidado, que inclui o tratamento, não funcionam. Eles funcionam.

    • Cida diz

      Qual foi a diferença? O tom empregado continua sendo o do medo e os portadores apresentados no vídeo continuam sendo postos no papel de fragilizados! O pior eh a nova campanha do ministério da saúde. Vcs viram? Aquela que duas garotas olham o perfil do FB de um jovem, lêem a vida dele na rede, de repente, descobrem que ele é soro+. Uma olha pra outra com cara de pena e reprovação. Só faltou entrar o locutor em off dizendo “Evite portadores de HIV. Evite a AIDS”
      O JS tá super certo quando diz que o problema não é quem esta com carga viral indet. Até pq o que eu mais leio aqui é q dificuldade de quem está + de se relacionar, transar etc. Eu mesmo estou bloqueada a 3 anos nesse quesito.
      A mídia vive da tragédia e isso é um conceito que veio do teatro, dos gregos, não vai mudar. Cabe a nós sairmos dessa “matrix” por conta própria e nos informarmos em espaços como este.

    • Tati diz

      MB+ vc andava sumido!! Saudade dos seus comentários… Está td bem com vc??? Bjinhos

      • MB+ diz

        Gente,

        Obrigado …dei uma sumida porque fiz uma merda …bem não uma meeerrda …mas deixa Eu explicar.

        Como todos sabem sou soropositivo a 6 anos e pouco e até o mes de outubro não fazia uso dos ARV’s pois minha progressão era lenta e não se fazia necessaria a medicação…Fato é que tinha um acordop com minha infecto querida que quando meu CD4 ficasse menor de 500 ou minha CV acima de 50.000 iniciaria o tratamento acordo feito e acordo cumprido ao longo destes 6 anos ..nunca fiquei abaixo de 500 de CD4 e minha CV nunca utrapassou os 50.000 então nada de remedinhos…rsrs.

        bem agora a merda que EU fiz…no mes de setembro realizei uma viagem para o Amazonas e fui informado que tinha que tomar a vacina da febre amarela , fiquei meio na duvida e fui bater na porta do primeiro Infecto do E.R que encontrei , tive a resposta – Com CD4 acima dos 500 sem problemas pode tomar…Pimba fui lá e tomei ( DOEU PACAS) …Então viajei , fiz o que tinha que fazer e voltei , a tempo de realizar minha coleta de sangue para meus exames de rotina…BELEZA…como “NUNCA” vejo meus exames de antecedencia no inicio do mes de outubro na minha consulta deu lá 312 CD4 , CV 6000 , vixe assustei falei pra minha infecto vamos começar o tratamento agora…Ela então receitou EFA,TENO, e LAMI peguei os frascos e comecei a tomar , parece que sou do contra mesmo , sem sonhos , sem tonturas , sem alergias , sem boca seca , sem nada …Po fiquei até chateado pois tinha até assistido um filme porno pra ter um sonho vivido da hora …rsrs ….Bem depois de um mes que me lembrei da danada da vacina que tinha tomado PUTZ que merda que eu tinha feito , falei pra minha infecto sobre isso ela riu e disse – BEM VINDO AOS POSITIVOS EM TARV.

        Agora aguardar os resultados para ver os efeitos que os medicamentos estão fazendo no BOSTINHA né?

        Tati querida …estou otimo…esperando convite para a cervejinha…

          • MB+ diz

            Matt,

            Presto serviço para o MS , Mas não sou responsavel pelo MS , segundo o cronograma que eles me enviaram até o 1° semestre de 2015 estará disponivel em todo territorio nacional.
            Há algumas pessoas dando entrevistas e dizendo que até o final de dezembro , inicio de fevereiro , mas acredito no cronograma oficial.

    • MB, será que você poderia intermediar uma reunião minha com o seu amigo Dráuzio? Quero mostrar a ele tudo o que sei sobre a Mutamba… (sua origem, propriedades medicinais, indicações, contra-indicações, etc etc etc… quero o Dr. como meu aliado nessa investida hiper rentável!.rs
      E não é que o trem é bão mesmo? Bom pro couro cabeludo, pra pele, queda de cabelo, calvície, entre outros..rs
      Agora sou empresária do ramo da muamba..ops..Mutamba. A minha produção está a todo vapor.. Lançarei um Workshop -“Mutamba e Vida Muambeira” 😛

      Ahhh e na próxima sexta-feira 13 teremos o black friday da Mutamba..rs

      Beijos

      Vida

      • MB+ diz

        Vida,

        Assim que ver o Drauzio vou perguntar sim …quem sabe ele não vira seu cliente pois se a mutamba é bom para a calvicie ele seria o maior interressado né????? E talvez vire seu garoto propaganda …já pensou ele na globo com uma cabeleira e dizendo – Depois que conheci a Mutamba da VIDA minha careca mudou….KKKKKKKKKKKKKKKKK

  21. Anai diz

    Estava esperando uma postagem do Js rsrsrsrs
    Achei que só eu, tinha reprovado estas campanhas e reportagens.
    Me senti péssima, parece que sou a portadora da doença mais terrível do mundo.
    Eu graças a Deus, não sofri o preconceito, embora só tenha confidenciado pro meu namorado e uma amiga. Porém, sofro em pensamento, quando leio e/ou vejo este tipo de campanha.
    Apesar de falarem dos efeitos colaterais. Ainda não tive nenhum, talvez por pouco tempo de uso, mas ainda não enfrento nada. Minha beleza continua mesma, só meu pensamento mudou.
    Talvez, eu tenha esse “asco” por estas reportagens, por saber da minha sorologia, possivelmente se assistisse o programa, sem saber que era positiva, não teria medo da doença, como nunca tive. A “burrice” foi minha, confiei de mais e me custou um preço alto, o vírus.
    Por outro lado, fui sortuda, com apenas 1 mês de namoro, tomei conhecimento da minha sorologia, contei pro meu namorado, ele fez o teste, deu negativo, fez outro, deu negativo. Liguei pro ex, falei do meu exame, ele fez o teste e deu “reagente”, portanto, contrai do meu ex-namorado. Namorei por 5 anos, uma pessoa maravilhosa, de bom coração e de boa índole, só que infelizmente era um “sorointerrogativo”, provavelmente estava a muito tempo com o vírus, pois seu cd4 estava abaixo de 100, acabei contraindo por me relacionar sexualmente sem proteção, não foi por acreditar que a AIDS não mata, tão pouco, por acreditar que existem “remedinhos” que tratam a doença.
    Me contaminei, primeiro: por irresponsabilidade minha; pois, sempre soube da existência da AIDS, mas arrisquei, como todos dias, muitos se arriscam.
    Pessoas casadas que mantém um relacionamento extraconjugal, podem se contaminar.
    Pessoas solteiras que se relacionam com diversos parceiro(a)s, também podem se contaminar.
    Tive 3 namorados, apenas 1 (um) não se indispôs para fazer uso da camisinha e justamente esse, me transmitiu o vírus.
    Por fim, estas campanhas, reportagens só me dão a certeza: a transmissão continuará e o medo não existirá, pois o medo da AIDS só existe, quando a pessoa conta ser portador, ou quando alguém, descobre a sorologia do outro, porque quando não se sabe, a confiança fala mais alto, daí todos se arriscam! Até porque o HIV não tem cara, se tivesse talvez todos faziam sexo com proteção.

    • Anônimo diz

      Eu acho curioso que as campanhas investem na demonização de duas coisas que são humanas e bonitas: sexo e confiança. Não vai funcionar nunca. Por isso, se temos alternativas de prevenção (PrEP, PEP e TasP), temos que investir mais nessas alternativas.

    • CARA + diz

      Anai

      você disse tudo…
      é preferivel “confiar” e transar sem a devida proteção com uma pessoa de sorologia desconhecida, ou que diz não ter nada (sem conhecer de fato sua condição), do que transar com um soropositivo em tratamento, indetectável, com toda a proteção do mundo. Doce ilusão!

      É esse paradigma que digo que só será mudado, o dia que as pessoas tiverem acesso a informação. Quando digo acesso a informação, quero dizer, elas saberem de fato como as coisas ocorrem sem precisar procurar pela devida informação. Pois a informação está ai, para quem se propõe a procurar.

      Mas enquanto as reportagens, campanhas, especialistas e tudo mais que engloba a doença, estiverem focados na debilidade de quem não se trata, mascararem para dar medo, ficaremos nessa inércia.

  22. Ricardo - Guarulhos diz

    Anai, concordo com vc em tudo que escreveu. Tb contrai o vírus por confiar demais numa pessoa. Enquanto eu estava só no casual nem um herpes adquiri pois não abria mão da camisinha por nada no mundo, com esta pessoa, passado alguns meses de namoro deixamos a camisinha de lado e hoje estou ai, com meus novos amigos, os “ARTVs”, kkkk. Ele simplesmente sumiu e nem tive mais noticias dele, pra falar verdade nem quero, pois o mesmo sabia sim de sua sorologia. Tb fui errado em não exigir nada ou ao menos questionar alguma coisa. Hj faço a minha parte, não saio contando pra ninguém acerca da minha condição (+) mas tb não faço sexo desprotegido nem por decreto…enfim, cada cabeça uma sentença, acredito que se cada um fazer sua parte estaremos contribuindo e muito para a erradicação do vírus.

  23. Mutatis Mutandis diz

    Minha gente,

    tenho que dividir com vocês…cheguei ao excelente patamar de INDETECTÁVEL….GRAÇAS A DEUS!!!

    EXAMES ESTÃO EXCELENTES!!!

    CD4/CD3 – 915MM3 (Quando comecei com os ARV’s era 449)

    Urina
    tudo 100%..achei que estava com urina espumosa, nada disso, graças a Deus!

    Exames de Sangue – Tudo show!

    Bilirrubina é que num tem jeito, muito alterado! 5,4 mg/dL, o normal seria 1,3, puxa!!! Mas o Dr. A. pediu para que eu não me preocupasse, pois já esteve normal e era uma adaptação do meu organismo.

    Colesterol e triglicerídeos também excelentes!

    Queridos, prazer dividir isso com todos. Sei que boas notícias deixam esperanças e perseveranças!

    Desejo o mesmo a todos aqui! De coração!

    Fiquem com Deus!

    • Anônimo diz

      Parabéns! Eu sempre tenho apresentado alteração na Bilirrubina também!
      Como está seu CD8?
      Você começou a se tratar durante a infecção água ou sua infecção era antiga?

    • MB+ diz

      Mutatis Mutandis,

      Parabens, e que as coisas continuem melhorando cada vez mais…fica tranquilo nos exames sempre vão aparecer algumas coisinhas umas para mais outras para menos mas é normal de todo ser humano não exclusividade de HIV positivos.

      O diferencial é que , enquanto os ” Negativos” ou “Sorointerrogativos” fazem exames de quando em nunca nós realizamos no minimo a cada quatro meses ou seja:

      Enquanto eles vão morrendo de varias doenças no dia a dia.
      Nos vamos vivendo com o HIV o nosso dia a dia.

      Forca foco e Fé no tratamento que tudo vai dar certo.

    • Hope diz

      Parabéns! adoro dormir com noticia boa!!! Muito feliz por vocês… por todos!

    • Pequena + diz

      Mutatis Mutandis

      Parabéns 😉
      Fico muito feliz a cada indetectável postado aqui!!!
      Me dá uma injeção de ânimo 🙂
      Um forte abraço da Pequena +

      • Mutatis Mutandis diz

        Valeu, Pequena! Torço pela sua notícia de indetectável o mais rápido possível, Abração!

    • Adri Pr diz

      Parabéns Mutatis, dedicação total ao tratamento!!

      Feliz por você!!

      Isso a mídia não mostra, né?!

      • Mutatis Mutandis diz

        Adri Pr, obrigado mesmo! Mostram nada, não dá audiência boa notíca…Abração!

    • Mu Muuuu…… esse é o resultado mais esperado depois de um trágico resultado +….
      Eu, em 5 anos de tratamento sempre me mantive indetectável só que meu CD4 nunca passou de 750… agora os seus resultados são EXCELENTES!! PARABÉNS!!!!!!

    • Paranaense do Rio de Janeiro diz

      Mutatis.. antes de mais nada: Parabéns!! Em quanto tempo de dedicação aconteceu o “indetectável” pra você?

      • Mutatis Mutandis diz

        Olha, minha combinação ao que parece, e pelo que ouço, é a mais lenta.

        Tenofovir, Lamivudina, Atazanavir e Ritonavir, esse último é inconveniente demais, pois precisa ficar em geladeira.

        Contudo, foi das menos tóxicas, os efeitos foram mínimos (pelo menos até agora, ehehehe). Exceto pelas gemas de ovos nos olhos (bilirrubina elevada), as coisass foram tranquilas.

        Mas me mediquei em 20 de Janeiro/2014 com 242.000 cópias e em agosto cheguei apenas 115 cópias , o que me faz pensar que fiquei indetectável desde de Outubro, mas só fiz exame em Dezembro, devido ao time das consultas (04 meses).

        Paranaense, muito legal tudo isso! Legal mesmo. Mas tenho ciência que preciso caprichar na academia, vou voltar se Deus quiser, porque agora é hora de cuidar dos efeitos futuros (osteopenia, perda muscular, essas coisas..)

        Meu consolo é que Deus está do meu lado, passo a passo, isso é indescritível! Valeu!

        • MB+ diz

          Mumu

          Boa notícia para você já está disponível o ritonavir termo estavel…acabou o sofrimento da geladeira. Ah o 2 em 1 também tenofovir + lamivudina…agora esse 3 em 1 tá meio de rosca né?

  24. Th diz

    Pessoal, sou novo no site e ainda estou lendo as matérias com calma pra não me assustar. Gostaria de saber mais a respeito sobre a osteoporose como efeito colateral a longo ou curto prazo.

  25. Th diz

    MB+,
    É desse tipo de notícia que tinha medo de me deparar.
    Isso me desestabiliza e mexe com meu emocional que estou tentando fortalecer… Mas enfim, não há o que fazer.

    Mas pelo que entendi pode ser remediado com acompanhamento médico antes que a osteoporose seja um fato, certo?

    • CARA + diz

      Th

      justamente por isso é imprescindível que vc e seu médico estabeleçam um “elo” de confiança. Que vc seja muito sincero com tudo o que acontece com vc durante o tratamento, justamente para ele poder, caso necessário seja, fazer as devidas reparações ao seu tempo.

      Os exames periódicos já servem muito para direcionar se além da tarv o paciente precisa de mais alguma coisa, além de relatar ao médico, como vc tem se sentido e o que tem sentido.

      Pensa bem, exames de 4 em 4 meses? Dá para detectar qualquer situação em sua fase inicial e tratar sem maiores problemas.

      Fica tranquilo. O tratamento com o passar dos anos, está cada vez mais livre de efeitos colaterais e a preocupação dos laboratórios, com isso, tem sido uma constante. Justamente para facilitar a adesão.

      No futuro, mesmo que não encontrem a cura a curto/médio prazo, teremos medicações melhores e com menos efeitos colaterais.

      Fé em Deus e pé na tábua!
      Siga sem medo!

  26. Paulo Rodrigues diz

    Queria deixar uma sugestão JS!
    Todos aqui estão no mesmo barco, não tenho contato direto com outros s+, minha sugestão é que possamos realizar um encontro presencial com nossos “pares mínimos”, acho que vale a idéia, o que acham de amadurecer isso?

  27. Kaliul diz

    Algum de vocês teve problema com dermatite seborreica (caspas), sei que do males é o menor, o problema que o meu não ficou só no couro cabeludo. Aparece constantemente no rosto, como uso barba dar pra disfarçar um pouco. Tem alguma coisa que possa tomar ou passar pra amenizar ou se com o tempo diminui com o uso dos TARV? Com relação pratica de atividades físicas, qual a periodicidade? Quais atividades? Vcs sabem dizer se depois que eu conseguir ficar indetectavel (em breve) poderia fazer tattuagem?
    Não sou de postar muito, mas sempre acompanho os comentários de voces que são uma injeção de animo para os dias tristes.

    • Uma dermato me disse que a dermatite é mais comum em soropositivos.
      Já tive no rosto e ela recomendou pomada com corticoide. Tipo fuorato de mometasona.

    • Pequena + diz

      Kaliul

      Descobri em maio minha condição e dessa época para cá tive picos de uma dermatite no rosto, região da testa e nas laterais do rosto.
      Sei que um pouco ela pode ser uma dermatite causada pelo stress da notícia e por estar sobrecarregada no trabalho.
      Um transtorno, para nós mulheres, pois maquiagem só piora a situação.
      Na minha última consulta com meu infecto, ele me passou uma pomada que deu uma acalmada,mas em todo caso estou com dermatologista marcado.
      Enfim qualquer mudança, comunicar sempre a seu infecto.

      Um forte abraço da Pequena +

  28. Cara.. Tenho esse problema desde o diagnóstico ha 11 meses. Já usei de tudo e fui a 3 dermatos, a minha Tb da na barba e nas costas. Usei a pomada cortitop e melhorou 70% mas ainda persiste 😦 . É muito chato este problema, às vezes me sinto constrangido por achar que vai denunciar minha condição. Meu médico disse que melhora com o tempo . É ter paciência!

    • Carioca_positivo diz

      Lui você já deu inicio ao seu tratamento? JS, quando vc teve já estava em tratamento? Ou essas dermatites são realmente efeitos colaterais dos remedios?

      • Cara.. Estou em TARV desde janeiro. Mas meu cd4 ainda esta por volta de 250. Há mais de 2 anos tenho essa dermatite, antes de descobrir que sou portador. Portanto é efeito do vírus sim. O infecto diz que isso vai melhorar com o crescimento do cd4. Isto esta acabando com minha auto estima.

        • CARA + diz

          é… não sei se o que tive foi realmente dermatite, mas antes da tarv, começaram aparecer umas manchas vermelhas, principalmente na barba, que depois secavam e escamavam. Próximo ao nariz tb. Foi começar a tarv que em duas/tres semanas sumiram consideravelmente.

          Ainda, uma ou outra tende a aparecer quando demoro muito entre um barbear e outro (sempre tive a pele sensível, então…) mas uso uma pomada/creme que a infecto prescreveu e que deve ser usada a noite. No outro dia, já somem as manchinhas.

          E realmente está diretamente relacionada a baixa da imunidade.

        • Carioca_positivo diz

          Força Lui, fé e paciência… se cuida que logo logo seu Cd4 aumenta e vc vai se ver livre desse inconveniente… 😉 tmj…

    • Kaliul diz

      Pelo que li não tem cura e depende muito da alimentação, estado emocional… Só queria que diminuisse. Só nos resta esperar

  29. Tiago diz

    Amigos estou meio triste e ao mesmo tempo desesperado. Fui diagnosticado soropositivo em junho deste ano, logo fiz um exame e estava com 25000 de cv e 560 de cd4, uma infeccao recente levando em consideraçao meu resultado negati o de outubro de 2013, por varias questoes nao iniciei meu tratamento e iniciarei em janeiro. Mas o caso é, tenho um namorado que na epoca fez o exame e deu negativo, continuamos nos relacionando com certos cuidados. Porem a tres dias meu namorado vem tendo febre, toma anti termico porem dpios de um tempo a febre continua, mal estar e indisposição. Tenho rezado muito a Deus para que nao tenha se contaminado, mas o desespero bate. Nos protegemos em nossas relações e tomo muito cuidado com ele em tudo. Eu o amo e sei que tbm me ama. Estou meio em desespero pq ninguem mais sabe da minha situaçao, essa angustia esse medo. nesse mes teria que fzer novamente o exame por ter dado negativo em junho para confirma realmente estar soronegativo. O que espero que realmente aconteça e essa febre seja por outro motivo. Nao sei como me infectei e isso tem sido pesado demais para mim, penso todos os dias uma forma de me livrar disso buscando informaçoes. Uma dor misturada a culpa, uma felicidade meio incompleta. É como se eu soubesse o que me matara, so uma questao de tempo. Sei que tem vida apos o HIV, me sinto como naqueles joguinhos de video game sabe? em que nossas vidas vao diminuindo, sinto que perdi uma vida, que estou vulnerável, que algo está acontecendo em mim e que eu não tenho controle sobre isso.Que não posso desabafar com ninguem proximo, E até de certa forma entendo, pq eu tbm tinha esse preconceito, Enfim, uma dor que carregarei, um sorriso acinzentado incompleto

    • Th diz

      É difícil, mas tente ficar calmo, pense positivo, leia este blog, se informe, faça uma lista com TODAS as suas dúvidas iniciais e pergunte a seu médico, se o lugar onde vai se tratar tiver um psicólogo, converse com ele e desabafe. Ele vai saber te orientar, com certeza é um profissional preparado pra lidar com esse problema.

      Pode ser que você tenha se infectado antes, no caso, depois de outubro, que é quando entendi que fez o penúltimo exame… Como? Com quem? Interessa agora?

      Bem, seja forte. E se possível, sejam fortes juntos.

    • Anônimo diz

      Amigo Thiago, vamos rezar para que não seja nada, mas não podemos descartar. Esses sintomas são exatamente os que eu tive quando fui infectado.
      Eu não digo isso pra te desesperar, mas porque tenho uma notícia muito boa.
      Se for HIV, essa febre significa que ele está no início do estágio 2 de Fiebig. Trata-se de uma escala de fases da infecção aguda por HIV, que vai de 1 a 6.
      Se ele estiver infectado e iniciar imediatamente o tratamento, antes da fase 4, ele não terá praticamente nenhuma seqüela em seu sistema imune. É o melhor dos mundos para um HIV positivo.
      Digo que é urgente porque as fases da infecção aguda passam muito rápido. A pessoa vai da fase 1 a 4 em 30 dias, aproximadamente.
      A melhor notícia, contudo, é a de que existe a possibilidade de cura funcional para quem começa o tratamento nessa fase. Há alguns casos na França (Visconti Cohort) de pacientes que iniciaram tratamento durante a fase aguda, interromperam-no depois de 3 anos e permaneceram indetectáveis até hoje. Um desses pacientes está sem remédios há 8 anos.
      É muito, muito, muito importante que vocês consultem um infecto imediatamente e façam exame anti-HIV e carga viral. Não esperem, se não for nada, vocês tiram o peso das costas. Se for, vocês aproveitarão uma importantíssima janelas de oportunidade.
      Tudo isso quem me disse foi Dr. Esper Kallas, mesmo médico do JS.
      Boa sorte e dê notícias!

      • Anônimo diz

        Faço uma correção: não ficou colarinho texto, mas o Dr Esper não recomenda interrupção no tratamento, pelo menos até que seja compreendido se os resultados do grupo Visconti se repetiriam com segurança para outros pacientes.

  30. “Vida” sua forna de lavar essa situação, me estiga a ter mais fé que tudo vai ficar bem. Muito obrigado.

    Dando uma de tio em é poca de Natal, “e os namorados?” Rs alguém na jogada?

    • Davi, não vai ficar bem…ESTÁ TUDO BEM! Viva o hoje…deixe o amanhã para amanhã…Dele a gente não sabe…ninguém sabe!
      Tio em época de Natal foi boa hein?..kkkkkkkk Acho que isso é mania de Tios em reuniões familiares!! Então, eu estou igual a música do Cidade Negra “Tô solteira no Rio de Janeiro” 😛 ou melhor… “tô solteira no Interiorrrrr de SP.”.. 😛
      Tô solteira com alguém em vista..rs

      Beijo

  31. Plick diz

    Oi , gostaria de ressaltar a excelência do blog .
    Enfim preciso que alguém me ajude com uma dica , fiquei sabendo hoje que sou portador do vírus HIV.

    Cerca de 1 mes conheci um rapaz ao qual estou namorando. Depois do nosso terceiro encontro que foi em uma segunda
    comecei apresentar sintomas de “uretrite” e no sabado aconteceu acidente com ele enquanto ele vinha me visitar . Devido ao ocorrido fiquei com receio de falar para ele pois nao era o momento certo . 3 Dias depois tomei coragem e fui a casa dele dizer o que tinha acontecido comigo , entao ele me mostrou diversos exames e todos com resultado negativo , e no dia seguinte ele foi fazer o exame , depois desse dia minha consciência pesou e fiquei com medo de ter transmitido o vírus de uretrite , pois até então não sabia que eu também era portador do HIV.

    Fuia ao médico no dia 12/11/14 fiz os exames e comecei o tratamento. Em menos de uma semana apresentei melhoras e estava livre do vírus .

    Hoje fui buscar o resultado dos exames e infelizmente deu positivo o resultado do HIV .

    Amanhã ele vai buscar o resultado do exame dele , não tive coragem de dizer que deu positivo quando ele me perguntou .

    O que eu faço ele me pediu para ir na casa dele amanhã .

    Nao sinto tao triste por eu ter pegado mais sim por ter transmitido a alguém que eu gosto .

    • Th diz

      Plick,
      Calma…
      Pode ser que ele não tenha pegado.
      No meu caso, meu namorado não pegou mesmo depois de 3 ou 4 meses de relação sem preservativo quando eu já tinha sido infectado sem saber… Foi sorte? Foi. Mas há uma probabilidade dele não ter sido infectado.
      E se foi, diga sempre a verdade. Mentir só piora a situação dos dois e vai causar ressentimentos. Diga que se sente mal pela situação e o apoie no que for preciso.

  32. eliane diz

    Ola:sou eliani
    entrei nesse sat agora estivi lendo algums comentarios eu achei bom demaaaais,agora tenho com quen contar!nos que somos soro positivos ,parece que andamos igual a bandidos
    se escondendo,eles por crimes nos pelo preconceitos.

  33. Luz diz

    A Vida realmente é a “Vida” do blog!
    Ela faz tudo parecer muito leve e isso é realmente muito bom pra gente!!!!

    • Carioca_positivo diz

      A Vida é muito TOP. Quando descobri minha sorologia, me vi desesperado e graças a Deus no primeiro dia achei o blog do JS, e foi com um comentário dela que dei meu primeiro sorriso após o susto inicial da descoberta… Vida vc tem um fã Carioca 😉

      • CARA + diz

        Carioca

        a Vida é o que há de melhor nessa vida e cheia de admiradores aqui no blog. Gaúchos, paulistas, cariocas, nordestinos, mas o que ela quer mesmo, são os mineiros!!!! hehehehe

        • Carioca_positivo diz

          Calma galera… eu sou comprometido… rs meu lance com a Vida vai ser só amizade… 😉

        • Cara +, mas que barbaridade Guri!
          è VIDA de norte a sul, de leste a oeste. VIDA do oiapóque ao chuí, VIDA Itinerante….. òh meu amor, não fique triste..saudade existe pra quem sabe ter…minha VIDA cigana me afastou de você..hehehe
          Então cara….atualmente estou concentrada na região Sudeste..mais precisamente nas Minas Gerais…”óh Minas Gerais” …… e eu não quero “os mineiros” quero o Mineiro!…quero aquele vira-lata do Rodolfo Augusto…rs

          • CARA + diz

            Vida, vida

            uma hora dessas há de chover no teu quintal!!! hehehehe

      • Carioca positivo

        Assim “canta” MC Bola…..” ela é top, capa de revista…..é a mais mais, ela arrasa no look…tira foto no espelho pra postar no “feicibuk”..kkkkkk.. (só que não!) Tô muito funkeira ultimamente. 😀

        O que será que eu escrevi que arranquei um sorriso seu? Faz tempo que descobriu sua sorologia?

        Fico imensamente feliz quando leio esses comentários….fico imensamente feliz em saber que fiz alguém sorrir…que fiz a diferença pra alguém.. me emociono com esses comentários… pensa numa pessoa chorona.. “Essa cara sou eu”..rsssss

        Obrigada!

        Beijão

        • Carioca_positivo diz

          VIDA, dia 16 de Dezembro fazem 3 meses que descobri… Não me lembro exatamente o comentário… mas hj se vejo escrito VIDA, sei que vem coisa boa escrita…. Eu ainda n iniciei o TARV… por N motivos… meus primeiros exames deram tudo ok! meu médico me deu um tempinho se ate o proximo exame que faço esse mes ainda meu CD4 n cair e minha CV se manter baixa…muita coisa ainda pra se estabilizar na minha vida… em breve se Deus quiser vou estar contando um desfeixo feliz a pesar desse bostinha como costumam chamar aqui… rs Minha vontade de viver e minha fé são muito maiores que ele! Bjux 😉

    • Luz, eu vivi por muito tempo na escuridão..não foi fácil não viu? Só o tempo pra colocar tudo no seu devido lugar…tempo e Deus! Eu procuro não pensar na doença, no amanhã… Eu procuro ocupar bastante minha cabeça …..ocupar nem que seja com “galhos”…..ou como dizem no Sul….”guampas”..kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Como já dizia Vinícius de Moraes…”é melhor ser alegre que ser triste…alegria é a melhor coisa que existe”….

      Obrigada pelas palavras.

      Beijão procê!

      • Luz diz

        Vida,vc é um barato!!!se tiver um encontro em sp e vc estiver nele pegarei um vôo do rio pra aí só pra te conhecer!!!

  34. Alessandro - Cuiabá MT diz

    Olá, tbm fui diagnosticado recentemente, faço uso de ARVs a 01 mês e tbm já venho lendo o blog porém até agora apenas como espectador, mas já deu o momento de se calar e agora sim falar, sobre oque deve ser dito em meu ver em um programa de TV seria, não se torne (soropositivo) por isso…

    1° Tomar remédios a vida toda ( exige dedicação ).
    2° Efeitos colaterais de curto, médio e longo prazo.
    3° Preconceito.

    Isso são as coisas que vão enfrentar aqueles que vão descobrir sua soropositividade.

    e também deveria ser dito que, existe um esforço tremendo de muitos grupos de médicos/cientistas em busca de medicamentos menos tóxicos, e a cura propriamente dita tbm é uma busca constante e que cada dia que passa estamos mais e mais perto, porém temos que continuar nossos tratamentos tomando nossos ( antirretrovirais ) e ver isso tudo chegar até nós, nos mantermos o mais saudáveis possível para que quando a cura for alcançada estejamos bem para aproveitar ao máximo tudo isso.

    Eu estava com Sífilis além do HIV e quase perdi minha visão do olho direito, a Sífilis atacou todos os nervos do meu corpo, inclusive o meu nervo ótico, cheguei a ficar com cerca de 20% de visão total do olho direito isso contando acuidade visual e campo visual, criou-se um um edema bilateral de papila, os dois foram afetados, fiz tratamento da sífilis, fiquei internado por 22 dias tomando Penicilina cristalina na veia por um período de 14 dias, e os demais fazendo exames para comprovar que ela havia sido vencida, minha visão esta recuperando aos poucos e se tudo der certo vou voltar a ter uns 85% a 90% da minha visão de volta, hj deve estar em 75%, não fiquei com sequelas, que seriam manchas escurecidas, campo visual diminuído e etc, oque quero dizer aqui é o seguinte, tomem cuidado com as co infecções, a sífilis é silenciosa e mata, eu sempre me cuidei, sempre com camisinha, resolvi namorar, e com minha namorada eu fiz sem, e advinha ?? ela era portadora e não sabia e eu peguei dela, mas já havia terminado o namoro, eu soube recente que ela esta se tratando… é a vida nunca me imaginei com isso e ainda as vezes penso que não é comigo, tento pensar que esses medicamentos é para outra coisa e os tomo rigorosamente no horário 02 vezes ao dia, único colateral que devo ressaltar que senti foi depois do 15° dia tomando por ai aconteceu de algumas noites eu levantar umas 10 vezes para ir ao banheiro fazer o numero 1 kkkkk, no mais o de sempre.

  35. bahia333 diz

    Mensagem: Ola primeiro parabensss bom tenho uma duvida to a 10 anos com meu marido ele tem 40 anos e eu 30 e no ano passado vi sair bolinhas nele no braco ai este ano em marco comecou a emagrecer diarreia e dor do lado esquerdo iamos no hospital falava q era diarreia so um medico q viu a lingua e viu candida e falou q podia ser hiv briguei com ele pq dia 5 /12/2012 fiz deu negativo mas por inssistencia ele fez o teste dia 1 de setembro de 2014 bem imagina o susto meu marido ta com hiv e fiz tambem e eutambem to nao intendi pq fiz o teste deu negativo mas nesse dia internaram ele pq ja tinham emagrecido quase 20 k e tava parecendo ter uma doenca oportunistas ok ficamos 1 mes no hospital o cd4 dele tava 124 e carga viral em 2 milhoes e tava com histoplasmose no figado baco pulmao e outro parasita no intestino tava entre a vida e a morte colocaram cateter no pescoco pra histoplasmose erraram colocaram na cravicula perdeu muito sangue deu hemorragia interna e externa depois infeconou e colocou do mesmo lado no pescoco usou balao de oxigenio ficou com sonda e ja comecou usar tambem a tarv lamivudina efavirenz tenofovir saimos depois de 1 mes saimos em out ele entrou no hospital com 52 k saiu com 46 k e pensar q ele pesava 70 k saiu tomando esses 3 mais medicamentos da histoplasmose q vai ser 1 ano de tratamento mais complexo b e vitaminas so q dava muita reacao vomito mas comecou tomar remedio pra vomito melhorou hoje nem tem reacao hoje ja faz 2 meses ja engordou 10k deus foi muito bom.Mas tira uma duvida foi fazer meu exame de cd4 e carga viral fazia 8 dias sai do hospital tava gripaga e com um nariz intupido a mais de 1 mes nao sarava fora q tinha dado herpes labial bom fiz deu cd4 494 e carga viral 16 000 meu exame so deu reagente citomegavirus bem pouquinho 1m nao disse pra doutora q tava gripada com nariz intupido e com herpes pra doutora no dia do exame ela disse q ta bom q eu ia comecar tomar so em jan 2015 e provalmente peguei entre 1 ano a 2 anos q e infeccao recente que meu marido ta muito tempo mas eo teste q fiz ?e se ele tava muito tempo pq nao peguei desde o inicio pq to com ele a 10 anos? Sera q meu cd4 tava baixo e carga viral alta por causa da gripe e herpes pq li q se vc tiver assim tem q esperar fazer o exame e nao me disseram nada depois fiquei sabendo sera q fiz errado fazer desse jeito?me ajude?

    • CARA + diz

      Bahia333
      realmente casos de resfriados, gripes, ou até mesmo uma vacina para algum outro virus (tipo a da gripe, por exemplo), podem sim, influenciar no cd4, podem puxar ele para baixo. O recomendado é fazer quando se sente bem e sem ter feito essas vacinas.

      quanto ao seu marido, com uma carga viral dessas e cd4 tão baixo, quer dizer que ele contraiu o vírus faz um bom tempo, 4, 5 anos pra mais.

      Vc não ter pego o vírus antes, já que está com ele nos últimos 10 anos? Ta ai uma boa pergunta, mas que também é possível. Agora, explicação científica para isso.

      Sugestão – sempre comente com seu infecto sobre o seu estado de saúde quando foi realizar os exames, principalmente os de cd4 e carga viral.

      • bahia333 diz

        obrigada CARA + olha nao e facil nehh …como disse fiz exame no final de 2012 negativo….e dia 1 setembro de 2014 recebo positivo primeiro dle e em seguida o meu nao o culpei ele imaginou que iria largar dele nao fiz isso fiquei mais de 33 dias com ele no hospital do lado 24h ,ate os enfermeiros falaram pra ele da valor que mulher assim nao acha fiz mais papel de mae do que esposa acho que fiquei meio desesperada por ele e outras pessoas com hiv no hospital e logo quiz fazer o cd4 e carga viral porem tava gripada e fazia so 8 dias q saimos do hospital e logo fiz o exame ….na ultima consulta a medica tinha falado que ele tinha contraido a de 15 a 10 anos o virus pq cd4 124 e carga viral de 2 milhoes nao e de pouco tempo e de muito e como vc disse nem eles sabem pq que eu nao contrai antes a minha infeccao e de 2 a 1 ano…sempre li sobre hiv e era muito certinha esse meu marido e meu 2 namorado serio..e ele e muito certo so que namorou com outras pessoas neh a diferenca nossa e de 10 anos entao ele nao era de ficar e mais de namorar ,nem ele sabe…bom vou começar em janeiro com os mesmos dele lamivudina efavirenz tenofovir tenho duvidas de lipodistrofia a dr me garantiu q nao muda o corpo que esses nao sao como antigamente pq sou muito critica com meu corpo sigo uma alimentaçao correta nao fumo nao bebo ,nem refrigerante entao tenho muita preocupaçao com isso ….e outra nao tenho filhos penso daqui uns 3 anos ate quem sabe to indectavel e ele tambem pra tentar engravidar,,,sao sonhosss neh….bem a familia dele sabe a minnha so contei pra minha mae e meus irmaos somente amigos nao,pra vc ter uma ideia so de ve-lo no hospital internado a gente nem sabia q ele tinha ja falaram q ele tava com hiv pq tinha emagrecido muito e ainda falaram pra q esconder pq o cta e aberto e todo mundo sabe quem vai la a cidade e muito pequena nisso e muito preconceito o cta nao e so de hiv mas so de vc ta la vc tem e muito complicado….E nao acho dificil o virus pq ele e cronico agora logico se vc tomar os cuidados necessarios mas acho dificil e o preconceito as vezes enrustido das pessoas pq se vc emagrece vc ta com hiv ou a gente ta no sec21 ta na hora de acabar com isso neh….tenho duvidas igual vcs raiva de gente preconceituosa acho que campanhas devem ser mais humanas nao tao frias tao banais ….VI que querem a cura ate 2020 torço muito pra isso pq infelizmente muitas meninas de 13 anos e idosos estao com hiv e nao sabem e muito dificil ver alguem quase morrer como eu vi e no hospital vi muita gente morrendo pq nao se cuidou e lamentavel….sai do hospital com outra cabeça pensava so trabalhar pra ter hoje penso pra que tudo isso se nao viajei nao diverti?entao de um lado um virus me trouxe outro lado de ver vida nao e mais uma sentença de morte mas sim uma outra oportunidade que deus me deu que nao devo desperdiça-la e tenho fe que com força de vontade venceremos como se diz o brasileiro nao desiste nunca neh….!

        • CARA + diz

          isso ai Bahia333
          tb sou da opinião que numa situação trágica como essa que vc viveu com seu marido, a gente acorda para a vida, vê ela com outros olhos e passa a entender o real significado da palavra VIDA.

          mantenha seus sonhos, faça seu tratamento direitinho, para realmente poder pô-los em prática. Hoje, ter filhos soronegativos, já é uma realidade. Então…

          Essa combinação que vc vai começar a tomar é a mesma que tomo. Aqui no sul (RS) ,é oferecida em um único comprimido, o chamado 3×1.

          Pelo protocolo do MS, até a metade de 2015
          estará disponível em todo o Brasil. Quando procurei saber sobre o 3×1, encontrei várias entrevistas de especialistas falando que esta combinação foi “reinventada” para facilitar na adesão, visto que é um único comprimido que você toma antes de dormir e com bem menos efeitos colaterais e que já não tem a lipodistrofia como um deles. Então deixe de se preocupar com isso.

          Preocupe-se em estar bem, indetectável, pois somos a geração que vai ver uma cura para isso. Se não a cura, tratamentos cada vez eficazes e com menos efeitos colaterais.

          Saúde para vc e seu marido!

          • bahia333 diz

            obrigada CARA+…torço pra chegar logo a qui moro no interior de mg uaiii e evai ser bem mais pratico emais facil nao tem erro d esquecer ou confundir agora;;;;bem vou desencanar da lipodistrofia como vc falou e a dr os remedios atuais nao provam isso mais…logico as vezes vomito diarreia torço pra eu nao ter mas se tiver nao e um bicho de sete cabecas ne…tenho 2 duvida qdo estiver indectavel se eu fizer um outro exame de hiv da negativo ou positivo pq ouvi falar que da negativo? e outra duvida no hospital conheci um casal todos 2 indectaveis e nao usam camisinha pode isso?

            • CARA + diz

              Oi Bahia333

              não tem porque vc fazer exames de hiv agora, uma vez que vc já sabe que é soropositiva. Veja bem, o que os remédios fazem é diminuir sua carga viral (virus no sangue) em níveis tão baixos que eles ficam indetectáveis, mas não eliminar ele do seu corpo a ponto de vc voltar a ser soronegativa. O vírus permanecerá no seu corpo, só que inibido de se “procriar’.

              Quanto ao transar sem camisinha, bom! Ai o furo é mais embaixo e sugiro que converse muito bem com o seu infecto quanto a isso.Quando quiserem ter filhos, o seu médico deverá acompanhar e estar bem a par da situação de ambos.

              Procure, aqui no blog mesmo, os textos que falam sobre ser indetectável para entender melhor. Existem vários que explicam e todos baseados em pesquisas.

              Transar sem camisinha corre-se o risco de uma reinfecção do vírus (caso um de vocês não esteja no indetectável), tornando-o mais forte no seu corpo e resistente aos remédios.

                • CARA + diz

                  Boa JS!

                  Não tinha me tocado disso!!!

                  Agora aqui pensando e juntando as peças do “quebra cabeças”,entendi que justamente por isso, existem a PrEP e PEP, pois ambos consistem em antirretrovirais que agem diretamente no “possível” vírus entrante, não o deixando se proliferar e ganhar vida dentro do organismo. Ou seja, estou “livre” de me contaminar com o vírus novamente em função do tratamento, que age inclusive, sob possíveis “novos entrantes”. Porém, só deixo de ser um “agente transmissor” (seguro), após chegar ao indetectável.

                  Resumindo, com o tratamento, não nos re-contaminamos e sendo indetectável, não somos agentes transmissores.

                  É isso?

                  Agora desabafo mesmo. Mesmo com essa realidade, de estar “imune” com o tratamento para uma nova reinfecção, e não sendo um agente transmissor em função de estar com carga viral, indetectável, nem passa pela minha cabeça transar sem camisinha!

                • Boy+ diz

                  Caro JS, agora fiquei em dúvida sobre a reinfecção de soro+ em TARV, indetectáveis ou não. Pq né alertaram tanto sobre esse assunto!No caso, infectologista, enfermeiros e psicólogo, inclusive. O soro+ em TARV não corre o risco de se infectar com alguma variação/mutação do próprio HIV?!Dois soro+ podem sem relacionar desprotegidamente sem que ambos corram riscos de se re-infectar?! Fiquei confuso, agora…

                  Obrigado!

                  • Segundo o Dr. Esper, o tratamento deve funcionar como prevenção também para nós. Por isso, com os remédios hoje tão eficientes, não há tanta preocupação com isso.

              • bahia333 diz

                Bom é uma conversa que tive com um casal soropositivo quem me relatou issoque são indectaveis a mais de 6meses que fizeram o teste deram negativo porem o vírus ainda permanece no corpo e eles me relataram também que como são indectaveis podem ficar sem camisinha pra ela engravidar mas tdo começou acompanhamento dos médicos.
                Eu sei que não posso fazer novamente o teste do hiv pois sei desde setembro agora mas tenho que falar com o dr de que meus exames de cd4 e carga viral fiz no momento errado pois estava com resfriado forte,mas pelo que eu vi desde momento q descobre eles ja entram com as tarvs estão certos.e o citomegavirus deu bem pouquinho 1m devo me preocupar? Ela e pior q toxoplasmose?

                • bahia333,
                  Eles devem ter falado de algum outro teste, que não o de HIV. É impossível o teste de HIV ter dado negativo. Você só precisa se preocupar com citomegalovírus e toxoplasmose se não fizer o tratamento antirretroviral, pois são dois vírus que quase todo mundo tem, mas que só agem se o CD4 estiver baixo.

                  • bahia333 diz

                    Jovem soropositivo capaz que confundiram ,mesmo vou começar jan ou fev depende dos médicos.vc me poderia tirar dúvidas pra mim?pq não peguei o hiv antess pqqmeu marido dizem os médicos q ta entre 15 e 10 anos eu de 2 a 1 ano se to com ele quase 11anos e se estiver tomando as tarvs vc não reifecta o seu parceiro e não passasse ele for soro negativo?
                    Aaa parabenss sou agradecida de estar entre vcs vc abriu um leque de informações entre essa galera .

        • bahia333, que tipo de bolinhas surgiram no braço do seu marido? Eram vermelhas e superficiais?

          • bahia333 diz

            ola PEDRO TUDO BEM? Bom comecou no começo de 2013 e foram nos 2 braços umas bolinhas tipo espinha eram vermelhas sim, nao dava dor mas ficava vermelha e depois q secava ficava mancha todas era ate o cotovelo, …a gente achava q era bichinho da usina pq ele trabalhava…depois pesquisei e a dr me disse q se tratava de herpes hoster q da qdo acaba a infeccao sintomatica do hiv…ficou isso 1 ano so deu nos braços…neste ano de 2014 comecou a diarreia febres altissimas ,emagrecimento +de 20k haaa manchas q da no corpo parece dengue ficam 2 dias,candida oral e dor imensa do lado esquerdo pior que dor de pedra nos rins,infelizmente ele ja tava com 2 doenças oportunistas a histoplasmose[figado baço pulmao ]e a outra q nao lembro que tava nos intestinos…o cd4 dele dele tava 124 e carga viral 2 milhoes…apos 2 meses agora em dez ele tinha emagrecido 24k saimos do hospital com 46k hoje ele ja engordou 10k mas os tratamentos das doencas oportunistas e 1 ano ou mais e mais as tarv….

            • bahia333, ótimo saber que vocês estão bem. Parabéns pela mulher espetacular que você foi ao ficar ao lado dele. Tenho certeza em afirmar: sim, nós veremos, E VIVEREMOS, a cura. No mais, a vida segue, aproveite cada momento: faça planos, sonhe, realize, resumindo, VIVA!

              Se precisarem de um amigo, podem me adicionar no Skype

              pedro_reis72

              • bahia333 diz

                Oi
                Pedro obrigada pelas suas palavras …o medico disse q a infecção dele e de 15 a10 anos…a minha e de no máximo 2 a 1 ano fiz o exame em 05de dezembro de 2012 então eu peguei a partir dessa data,mas vc sabe me deu uma raiva no inicio qdo descobriu o hiv dele a família dele falava q eu podia ter pego de manicure e ter passado pra ele pq ele era meu segundo namorado e não era dessas meninas de hoje mal conhece e vai pra cama…mas deus mostrou pra família dele meu esposo sabe que era ele q tinha passado pra mim mas família sabe como e neh …nao guardo rancor desejo sempre o bem…mas pra mim não foi fácil mas nunca desiste nunca desacreditei que ele iria sair dessa…tenho dúvidas ne pq que não peguei antes se to quase 11anos com ele ..?como diz o amigo Cara mais…resposta cientifica..ne mas acredito na palavra Deus e acredito nisso….e em breve num futuro próximo teremos a tal sonhava cura pois os remédios ja não são tão tóxicos eainda são mas não como antes….quero ter amigos aki pra tirar dúvidas e informações e principalmente amizades vou te add ta bjzzx

  36. bahia333 diz

    vc nao pode deixar o virus ser prioridade na sua vida….
    deve ter cuidados como outra doença cronica…se vc vacilar ela vem com tudo neh…
    a vida te obriga a seguir em frente….nao e facil mas quem disse que seria….
    tem uma musica do legiao urbana que sempre penso quando to depre e olha minha situacao descobri em setembro agora a musica diz;
    sempre em frente nao temos tempo a perder….e assim e meu lema desde o dia que descobri….e assim sera nao vou desperdiçar tempo com coisas inuteis e sim coisas pessoas livros pensamentos que levam pra cima sempre ,pq o tempo e muito precioso pra perder como agua que escorre da pia nao volta …entao aprecie um jardim,um passaro,alegre que vc tem vida que pode desfrutar…pois muitos querem e nao podemm..bjzz boa noite so um desabafo….

  37. Tony diz

    Eu nunca mais na minha vida faço sexo sem camisinha mesmo estando indetectavel. Além do hiv tenho hpv. Não vale rir, rsss, mas em 2012 fui cauterizar as verrugas no anus por causa do vírus hpv, doeu muito, mas muito mesmo o pós cirúrgico. A falta da camisinha só trouxe lixo para o meu corpo. Tudo por causa da confiança em um namorado em transar sem proteçao. Ainda bem que não peguei hepatite, sifiliz e gonorreia. Mas a aids e o hpv ( que não tem cura tbm, sempre volta e pode dar câncer) já trouxeram muitos problemas na minha cabeça. Jovens do mundo inteiro, usem preservativo para não terem que passar por isso tudo que nós aqui passamos.

  38. Breno diz

    Galera. Sou soronegativo e tenho algumas dúvidas.
    Conheci uma pessoa, não residi na mesma cidade que eu e recentemente me contou que é positiva. Não é meu amigo, entretanto tivemos uma “química” muito especial. Não realizamos relação sexual desprotegida, apenas beijos. Pretendo reencontra-lo em breve, mas estou com um pouco de medo caso nós venhamos a praticar relação sexual (protegida). Ele diz estar se tratando regularmente, contudo eu não saberia acerca da carga viral existente. Como seria em relação ao sexo oral? E uso do dedo no ânus?
    Eu teria que tomar a medição pós sexo?

    Na oportunidade, desejo muita saúde a todos. Que a fé nunca seja perdida na luta. Abraços.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s