Esqueça tudo o que você sabe sobre HIV

Brasil Post

Meu pseudônimo, Jovem Soropositivo, acaba de fazer aniversário, em 18 de outubro. Escolhi essa data porque me pareceu lógico que ela devesse coincidir com a de meu diagnóstico, que se deu em 18 de outubro de 2010, mas levasse o ano verdadeiro do meu nascimento, 1984. Novo aniversário, mesma idade. Assim, acabo de fazer 30 anos de idade e, de acordo com a lei, deixo de ser jovem. Também deixo de ser um jovem na vida de soropositivo, pois já são quatro anos desde o diagnóstico! Não sou mais um jovem soropositivo, nem um soropositivo jovem.

Mas mais importante do que jovem ou não-jovem é o soropositivo. Por alguma razão, é o que chama mais atenção no meu pseudônimo. A verdade, porém, é que não me identifico mais com esse nome também. Não, não estou curado. Infelizmente. Continuo com HIV, mas o que vejo é que essa designação não serve mais de nada. Não me sinto diferente por ter HIV. Sei que não transmito o HIV, pois, quase involuntariamente, tomo os cuidados mais que necessários para não ser um transmissor. Não me incomodo mais em fazer os exames trimestrais. Sequer me lembro do vírus, mesmo na hora de tomar os antirretrovirais de cada dia. É tudo automático, simples e sem efeitos colaterais. Por isso, também, não me reconheço como uma “pessoa vivendo com HIV/aids”, ou PVHA, termo outorgado pelos ativistas para fazer lembrar que estamos vivendo, e o mais apropriado a ser usado em publicações, pelo governo e pela imprensa, a fim de que não nos ofendam ao se referir a nós.

Mas eu não sou ativista. E posso dizer que acho essa conversa sobre termos corretos uma grande balela. Preto ou negro, caucasiano ou branco, puta, prostituta ou profissional do sexo, gay ou homossexual, soropositivo, portador de HIV ou PVHA, não muda nada. São, sim, um grande engodo da era do politicamente correto, que tenta mascarar o estigma e o preconceito velados em diversas áreas por detrás de títulos que são nada além de mais bonitos. Nomes devem ser usados para fazer distinções úteis e nenhum desses acima é hoje eficiente nessa matéria.

Em algum momento no passado, PVHA foi útil. Fez lembrar às pessoas que quem tem HIV não está mais morrendo, tal como ocorria no início da epidemia, quando todos acabavam descriminados como “aidéticos”, pois inevitavelmente terminavam desenvolvendo a aids. Entretanto, há algumas décadas este não é mais o caso. Estamos, todos nós que nos cuidamos com antirretrovirais, vivendo muito bem, obrigado, e de forma saudável, já há algum tempo.

Hoje, quatro anos depois do meu diagnóstico, percebo que a trajetória de quem recebe o diagnóstico positivo para o HIV não é mais uma trajetória de superação do vírus — este, já está controlado. Ao invés disso, quem recebe agora o diagnóstico positivo para o HIV, encara uma trajetória de superação de um medo, o qual sequer precisaria existir mais. Esse medo não está diretamente ligado ao que o vírus é capaz de fazer, biologicamente, mas à representação imaginária que ele ganhou.

O HIV nos é apresentado com uma aura terrível, cruel e negativa. Um fardo a ser carregado pelo resto da vida. Um vírus de culpa e vergonha, por ter falhado, por ter feito sexo, pouco ou muito, vaginal ou anal, sem camisinha. Pior, quando nós, soropositivos, tomamos consciência da nossa transmissibilidade, percebemos que este é um vírus que tem o poder de trazer rejeição social ao seu portador. Também aprendemos que a camisinha previne totalmente o HIV, mas não por isso é capaz de evitar a discriminação.

Com isso tudo, quem é diagnosticado positivo para o HIV tem medo de ter diante de si uma inescapável vida de suplício. Medo de ser visto como diferente. Indo mais além, medo de que se esqueçam que são humanos. De onde vem tamanho peso?

Desde o século XIV, quando um navio se aproxima da costa trazendo pessoas com alguma doença que apresenta risco de transmissão, hastea-se uma bandeira amarela, que sinaliza o risco de contágio à bordo. É declarada a quarentena. Esse nome não tem origem na sua caixa postal de e-mail, onde ficam guardadas as mensagens spam, mas de quaranta giorni, que em italiano quer dizer 40 dias; embora hoje refira-se também ao isolamento imposto a portadores de algumas doenças transmissíveis durante qualquer que seja o período de transmissibilidade desta.

É o que vem sendo feito no caso do ebola. Enquanto você lê esse texto, pelo menos um bairro inteiro está sob quarentena na Libéria, assegurada pelo exército daquele país, que tem autorização para matar a tiros quem violar o perímetro demarcado por portões, barricadas e fios de arame enfarpado. Ali dentro, a comida e a higiene são escassas e os corpos dos defuntos, altamente transmissores do vírus, são empilhados lado a lado. Separar os doentes, mesmo que em condições desumanas, parece ser o mais humano a se fazer. Tal e qual Ensaio sobre a Cegueira.

Essa mesma prática se deu no século XVII, com os infectados pela peste na Europa, e no século passado, com os portadores de hanseníase, isolados por anos e anos em leprosários. Em Vigiar e Punir, Michel Foucault lembra que quem estava lá dentro era “excluído, separado e estigmatizado. Jogado, juntamente com seus irmãos sofredores, numa massa indiferenciada”. O Dr. Esper Kallás, meu médico, explica que “no caso do ebola, isolar uma região inteira parece não funcionar. Ao contrário, pode piorar a situação, pois as pessoas começam a deixar o local ‘ilegalmente’, tornando o controle da epidemia ainda mais difícil.”

Mesmo que a quarentena coletiva não seja eficaz, nem útil e até contraprodutiva em alguns casos, ela tem um apelo imaginário muito forte. Traz a sensação de poder e controle sobre a doença — e sobre o doente — e também um sentimento de segurança para a população, completamente ignorante a respeito de controle epidemiológico e riscos de transmissão. Libéria, Guiné e Serra Leoa são os únicos países do mundo que atualmente sofrem com a epidemia de ebola e, por isso, viajantes oriundos destes três pequenos países do oeste africano já estão sujeitos à restrição de entrada nos Estados Unidos e em alguns países latino-americanos. No Brasil, onde não foi imposta a restrição de viajantes, a Anvisa mantém estado de alerta em portos e aeroportos.

Ainda que a epidemia de ebola esteja geograficamente delimitada e sejam bem conhecidas as formas de contágio deste vírus, o medo, mesmo infundado, prevalece: qualquer um que viaje para qualquer país da África ou que se pareça fisicamente com um africano pode sofrer discriminação, como tem acontecido nos Estados Unidos e no Brasil. Apesar dos enormes avanços na prevenção, controle e tratamento, o mesmo ainda se dá com o HIV, infinitamente mais estudado e conhecido do que o ebola. Desde meados dos anos 80, vários países ainda mantém leis segregatórias contra soropositivos, impedindo nossa entrada para turismo e residência.

É como se houvesse uma imposição velada de quarentena. É verdade, o isolamento de portadores de HIV nunca foi de fato imposto, mas também nunca foi de fato revogado. Nós, soropositivos, experimentamos algo mais sutil e constante. Inclui alguma semelhança com o requisito básico para a aceitação social do isolamento: as primeiras campanhas de prevenção ao HIV cumpriam a função de transferir o medo da doença para o medo dos portadores do vírus, retratados em peças publicitárias como animais peçonhentos. Não-humanos, mas bichos.

Talvez, essas assustadoras campanhas tenham mesmo tido um profundo impacto no imaginário coletivo, e até hoje nele permanecem, mais fortes do que a camisinha. Ou, quem sabe, o imaginário coletivo é que seja naturalmente predisposto a transferir o medo da doença para o doente, de forma automática. Medo que o mundo vire como o seriado Walking Dead. Seja como for, o que o mundo esquece é de olhar para o lado de quem está sob quarentena. Se o fizesse, talvez se sentisse mais seguro.

Um dos principais anseios experimentados por quem recebe o diagnóstico positivo para o HIV é o medo de transmitir. É o maior de todos os medos. Faz com que muitos soropositivos voluntariamente se isolem, proclamando suas próprias quarentenas, abandonando seus parceiros de sorologia discordante, soronegativos. Faz com que muitos redefinam sua identidade como eternos solteiros e solteiras. E faz com que passem a acompanhar de perto as notícias a respeito da pesquisa da cura, como se esta fosse a única salvação para seu isolamento.

Em algum momento, também pensei que ia ser assim comigo. Também tive medo da minha transmissibilidade e, por isso, não entendia porque meu médico insistia no contrário.

“— Você é um parceiro sexual seguro”, dizia ele.

Ainda assim, essa ideia me parecia mirabolante. Como é que eu poderia ser seguro o suficiente para não ter que hastear nem uma bandeirinha de quarentena? Algum risco, pensei, deve haver! E existe, precisamente quantificado: quem toma antirretrovirais e mantém carga viral, que é a quantidade de vírus no sangue, reduzida a níveis indetectáveis, tem o risco de transmissão reduzido em pelo menos 96%. Esta estimativa foi obtida em dois diferentes estudos, HPTN 052 e Partner, conduzidos em diversos países e endossada por consensos médicos americano, britânico, canadense e, mais recentemente, sueco.

Esses consensos traduzem essa estimativa matemática de risco de transmissão a partir de um soropositivo em tratamento e com carga viral indetectável como “negligenciável”, “mínimo” e “muito baixo”, de acordo com o tipo de sexo, oral, vaginal ou anal, e, no caso do consenso sueco, como “bastante reduzido” para o compartilhamento de seringas durante o uso de drogas injetáveis. Com camisinha e carga viral indetectável, os americanos afirmam que a redução no risco de transmissão é de 99,2%. Parece bastante! Mas será que isso é suficiente para poder me sentir totalmente seguro a respeito da minha transmissibilidade? Para responder à essa pergunta, me pareceu coerente fazer a comparação mais natural de todas; aquela que eu faria, se ainda fosse soronegativo:

“— Um parceiro sexual que faz o teste de HIV e tem resultado negativo é mais seguro do que eu”, disse eu ao Dr. Esper. “É o que dizem esses estudos, HPTN 052 e Partner.”

Nesse momento, o doutor fez que não com a cabeça.

“— Não, Jovem”, disse ele. “Acho que você entendeu errado a mensagem desses estudos. Você é mais seguro do que isso”, corrigiu o doutor. “Vou tentar explicar melhor. Em primeiro lugar, em ciência não existe nada 100% seguro. Em segundo, a margem de redução na transmissibilidade que observamos em pessoas como você, que têm HIV e cuidam da saúde, tomando antirretrovirais e mantendo a carga viral indetectável, é muito alta. Mais alta do que outros métodos de prevenção já observados. Por isso, sabemos que pessoas como você não transmitem o HIV, mesmo em caso de falha no uso da camisinha.”

“— Ainda assim, doutor, soronegativos não tem HIV…”

“— É verdade. Entretanto, eles correm um risco que você não corre mais: o de se tornar uma ‘pessoa de sorologia desconhecida’, um sorointerrogativo, que é um parceiro sexual potencialmente portador do HIV sem saber e, nesse caso, altamente transmissor do vírus. Sempre que um soronegativo fizer sexo desprotegido e, em seguida, não realizar o teste de HIV respeitando o período da janela imunológica, ele é um sorointerrogativo.

Você, por outro lado, é um indivíduo que sabe da sua sorologia positiva e que cuida da saúde, tomando antirretrovirais consistentemente. Por isso, mesmo em caso de falha no uso da camisinha, você está protegido de ser contaminado novamente pelo HIV, pois os mesmos remédios que você toma para controlar o vírus também funcionam como prevenção, e de transmitir o vírus, pois tem sua carga viral indetectável.

Nesse sentido, considerando o risco que os soronegativos têm, de se tornar sorointerrogativos, é, sim, mais seguro manter um relacionamento estável com uma pessoa como você, que vive com HIV, ciente da sua condição, diagnosticado e que se cuida, tomando os antirretrovirais, fazendo exames trimestrais e mantendo carga viral indetectável, do que com uma pessoa soronegativa, que eventualmente pode ‘pular a cerca’ sem camisinha e contrair HIV.

É importante salientar esse risco em soronegativos porque, nestes estudos que você mencionou, infecções ocorreram, sim. Em nenhuma delas a origem da transmissão veio do parceiro soropositivo que estava indetectável: todas se deram em situações em que o parceiro soronegativo teve uma relação desprotegida fora do relacionamento estável, provavelmente com alguém que este presumia ser ‘seguro’.”

“— O que esses estudos descobriram é impressionante!”

“— De novo, não é bem assim, Jovem. Ninguém descobriu nada. Quando saiu o resultado do HPTN 052, falei com o médico que coordenou o estudo, a fim de parabenizá-lo por sua fascinante descoberta. Afinal, este é um dos trabalhos na área de HIV mais citados e comentados desde sua publicação. Ele imediatamente me corrigiu e disse: ‘Esper, nós não descobrimos nada. Apenas confirmamos o que já era observado desde o início da epidemia'”.

Depois de uma breve pausa para que eu assimilasse o conteúdo, o doutor continuou:

“— Jovem, não existe, na história da epidemia, um único caso registrado de transmissão do HIV a partir de quem foi diagnosticado, faz tratamento e tem carga viral indetectável. Simplesmente isso não foi documentado na literatura médica até hoje. Ou seja: o controle da carga viral no sangue também controla a carga viral nas secreções genitais.”

“— Eu não apresento risco algum de transmitir HIV?”

“— Não. Só teria se parasse de tomar seus remédios.”

“— Então, doutor”, prossegui, depois de refletir por um instante. “O maior problema do HIV é um problema de imagem?”

O doutor assentiu com a cabeça.

“— Sim. A imagem que o HIV carrega é muito negativa, grave, pesada. E é isso o que mantém vivos o preconceito e a discriminação.”

Saí de seu consultório me sentindo feliz, mais leve. Certo de que não havia razão para manter hasteada em mim qualquer bandeira de quarentena. Mas foi nesse mesmo instante que uma voz ecoou na minha cabeça. Se era o advogado do diabo ou inconsciente coletivo, eu não sei. O fato é que, cada vez mais alta, ela questionava tudo o que eu acabara de aprender. “E se os estudos que concluíram tudo isso estiverem errados?”, dizia. “E se o doutor estiver errado?”

Diante disso, isto é, diante da constatada alforria do risco de transmissão ainda questionar irracionalmente tudo o que acabara de aprender, percebi que eu mesmo sofria com o imaginário temeroso do HIV. Concluí, triste, que ter HIV é viver enfrentando essa imagem negativa, mesmo que total e comprovadamente insubstanciada. Uma batalha constante, sempre que quem tem HIV contar para o outro, o que quase sempre quer dizer ter de convencê-lo de que não somos repugnantes, que não somos um monstro.

Apesar disso, o desejo de contar e ser compreendido prevalece. Queremos muito mudar a ideia das pessoas a respeito do HIV! Queremos poder falar sobre o vírus sem, com isso, causar medo, espanto e pânico. Sem assustar as pessoas e fazer com que nos olhem com dó ou desprezo. Queremos poder contar que temos HIV numa conversa normal, na mesa de um bar ou no café do trabalho, assim como um diabético conta que tem diabetes. O fim da quarentena de quem tem HIV e toma antirretrovirais já é cientificamente possível e, agora, é hora de ser socialmente aceito. Mesmo sabendo que não representamos perigo, é preciso que os outros reconheçam isso também. Mas alcançar essa mudança toda, certamente, é um obstáculo difícil!

Talvez, exatamente por conta dessa dificuldade, acompanhar de perto as notícias da pesquisa da cura seja tão importante para muitas das pessoas que vivem com HIV. É a única saída no horizonte. É como se o fim do vírus fosse mais provável do que o fim do estigma. Para estes, o verdadeiro dia da alforria será o dia cura, quando deixaremos para trás de vez o asqueroso vírus. Aliás, nem basta que seja qualquer cura: a cura “funcional”, em que o vírus continua no organismo, mas em quantidade tão pequena que é incapaz de se multiplicar e de ser infeccioso, não é suficiente. Embora a cura funcional do HIV já tenha sido alcançada em estudos com alguns pacientes, e, inclusive, referida como já sendo o nosso caso atual, o caso de todos os que tomam antirretrovirais consistentemente, ela não extirpa o responsável pelo imaginário aterrorizante. Portanto, não serve! É preciso que a cura seja “esterilizante”, quando cada pedacinho do micróbio é expurgado de cada uma das células, tal como obtido com o “Paciente de Berlim”, Timothy Ray Brown. Apesar de mais difícil para a ciência, e por mais que outros patógenos, como citomegalovírus, toxoplasmose e tantos outros, sigam na contramão dessa premissa, o sonho continua sendo esse: não ter mais nenhum sinal do vírus no organismo.

Os menos radicais, como eu, embora não deixem de desejar a cura também, estão satisfeitos com menos. Primeiro, com novas e inteligentes campanhas de prevenção do HIV e controle da epidemia, como a Help Stop the Virus, da Gilead Sciences.

Em segundo, mas não menos importante, com amplo reconhecimento e divulgação da análise dos resultados de estudos como HPTN 052 e Partner, ou mesmo outros estudos similares, onde, até agora, já foram analisados mais de 6 mil casais sorodiscordantes e a amostragem de transmissão a partir dos parceiros em tratamento e indetectáveis foi, literalmente, zero. Mas será que é possível explicar tudo isso à toda uma população?

Fazer alguém entender tudo isso parece algo distante demais. Me parece tal como afirmar que algumas das complexas teorias de Albert Einstein são hoje fatos comprovados: falar que o tempo é relativo, convenhamos, é quase compreendido como entretenimento! No fundo, quase ninguém vê a aplicação prática em suas vidas. Na mesma medida, o conhecimento leigo ainda está anos-luz atrás do que os médicos mais bem informados sabem sobre transmissibilidade do HIV. De tão distante, a própria campanha Help Stop the Virus prefere começar a explicar do zero e anuncia: “esqueça tudo o que você sabe sobre HIV”.

Então, comecemos do zero. E busquemos por algo mais simples. Quem sabe, algo capaz de resumir todo esse conhecimento num único termo, tal como PVHA fez no passado. No fim, a solução dos ativistas parece ser a melhor mesmo! Entretanto, será que é possível encontrar um termo capaz de contemplar a substanciada sensação de segurança que as pessoas já podem sentir diante de quem tem HIV e se cuida com antirretrovirais, na mesma medida – senão maior – do que a segurança que sentem com seus parceiros e parceiras de sorologia sabidamente negativa? Será que podemos difundir algo que os jornais, governos, blogs e, principalmente, as pessoas passem a usar, de maneira ampla e corriqueira, como o termo mais correto quando se referirem ao nosso caso: pessoas diagnosticadas com HIV e que cuidam da saúde? Será que é possível contar que tenho HIV e, ao mesmo tempo, não despertar medo e fazer entender que não represento um risco porque sou alguém que cuida da saúde e faz tratamento antirretroviral?

Pesquisando, descobri que não estou sozinho nessa busca. Pelo menos três campanhas já tentaram fazer isso. Uma delas, liderada pela organização canadense Aids Vancouver, chegou lá.

Nela, ao invés de procurar algo novo e revolucionário, usou um termo simples, comum e já conhecido por muita gente: indetectável, a nova face do HIV, a terceira condição sorológica. A condição de quem não transmite o vírus, porque cuida da própria saúde, tomando corretamente seus antirretrovirais. A condição de quem pode ser tratado por outros médicos a partir das mesmas premissas de um soronegativo, em quase todos os aspectos. A condição de quem tem expectativa de vida igual a de soronegativos. A meta de qualquer um que for diagnosticado positivo para o HIV. A condição de quem não precisa ser visto como perigoso. A condição de quem não precisa lembrar do vírus no seu dia-a-dia, pois sabe que este é apenas um vírus, e nada mais.

“— É bom esquecer o HIV?”, perguntou o Dr. Esper, em nossa última consulta.

“— É ótimo!”

O doutor, que me escutava enquanto prescrevia a receita de meus próximos exames, interrompeu o que fazia. Parou, olhou para mim por um instante, e disse:

“— Nos faz sentir humanos novamente. Não faz?”

image_1393626039

Anúncios
avatar
304 Comment threads
303 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
327 Comment authors
SilviohudsonKissSolangeThiago Recent comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Inscrever-se  
Receber notificação
Gutemberg Junior
Visitante
Gutemberg Junior

Sensacional!

Camillo
Visitante
Camillo

Verdade Gutemberg, assino embaixo!

indetectavel!!!
Visitante
indetectavel!!!

Com lágrimas nos olhos. Obrigado.

Paulo Rodrigues
Membro
Paulo Rodrigues

Desde meu “nascimemto”como soropositivo, em setembro de 2007, nunca me senti como em quarentena por mim mesmo, acho dificil lutar contra um demonio interno que por um fio solto do destino aconteceu, bai posso dizer que tudo sao mil maravilhas num mar de rosas, ate pq toda rosa tem espinho e quando menos se espera pode se machucar. Sou feliz e bem resolvido com minha condicao sorologica e meu relacionamento sorodiscordante. Parabens pelo artigo.

Hebert
Visitante
Hebert

conta pra mim o segredo desse relacionamento sorodiscordante… estou tendo sérios problemas desse tipo.

Pequena +
Visitante
Pequena +

JS
Perfeito esse depoimento 😉
Obrigada <3

Carvalho+
Visitante
Carvalho+

Sensacional! como dizemos por ai: arrasou!!! Nossa, parabéns; estou muito feliz 😉

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

Todas palavras positivas existentes no mundo definiria este texto ! Emocionante, perfeito, renovador, animador…,! “JS” você é show, agradeço a Deus por sua existência e pela brilhante idéia de ter criando este blog que tem feito a diferença em milhares de vidas, sou uma delas ! Que possamos estar firmes e sempre forte para as boas novidades que estão por vir. Tb com lágrimas nos olhos só tenho a dizer : Obrigado !

Hope
Visitante
Hope

Há tempos não lia um texto tão bem escrito! E quem é meu aluno sabe que não sou muito de elogios…. :-). Minha meta para o momento (apenas 45 dias após o exame reagente de meu marido) é que ele se sinta assim! Igual a todos e humano, e não uma categoria de ser humano diferente. Aguardo para fazer um segundo exame, já que o primeiro deu negativo. Mas independentemente do resultado, tenho o compromisso pessoal de não me colocar em qualquer tipo de quarentena!
Abraços, saúde e alegria a todos.

rafa
Visitante
rafa

o texto me emocionou, me identifiquei em vários momentos…mto bem escrito.
parabéns.

Sérgio
Visitante

JS parabéns pelo texto , nota 1000 , vc é muito bom com as palavras! Abraços !

Tati
Visitante
Tati

Ai ai… Tb derramei lagriminhas! Rs… Sensacional!!! Acho que vou ler esse texto mais umas mil vezes!!! Te desejo em dobro todas as coisas que vc nos passa J.S… Deus o abençõe muito!!

Tati
Visitante
Tati

** coisas boas que nos passa

vanessa
Visitante
vanessa

Muito obrigada JS por escrever algo que tocou minha alma!!
Bjs

oliveira
Visitante
oliveira

Vocês não acham hoje, que fora a busca pela cura e melhora na performance e redução de toxicidade dos medicamentos, é irrevogavelmente necessário que o OMS pare de negligenciar os portadores de HIV-2 ? Hoje na minha opinião, os infectados específicamente por esse vírus vivem próximos das condições no início da epidemia: tomam remédios (e sofrem com efeitos colaterais) que não foram desenvolvidos para o seu tipo de infecção, não possuem exames específicos para controle da carga viral ou avaliação da resistência aos medicamentos. Em resumo, acredito que embora seja um vírus de progressão mais lenta no organismo do hospedeiro,… Ler mais »

Richard
Visitante
Richard

Comentário perfeito!Na verdade, a OMS fez uma crítica “velada” ao governo americano em relação ao Ebola,conhecido desde 1976!Em todo esse tempo ,nada se sabe fazer além de medidas de suporte,uns antivirais experimentais,e infusão de imunoglobulinas de sobreviventes. É aquela coisa,enquanto a imensa maioria de casos estiver concentrado na África,pouco será feito.Embora já tenham sido diagnosticados alguns casos de HIV-2 no Brasil,em pacientes coinfectados com o HIV-1. Se, por exemplo, a dengue ou a Doença de Chagas fossem prevalentes nos EUA,os pacientes se beneficiariam de avanços terapêuticos. Para doença de Chagas,a única medicação existente é bastante tóxica,e só serve para a… Ler mais »

Paranaense do Rio de Janeiro
Visitante
Paranaense do Rio de Janeiro

Eu hoje tive minha segunda consulta com a infectologista. Temos a mesma data de reborn, Jovem!… 18/10. Mas comigo foi agora. Hoje descobri algumas coisas e tirei outras duvidas. Antes de ir li esse post e comentamos no consultório. Que aula a dela e a sua. Obrigado por colocar mais luz no meu horizonte. Optei pelo inicio imediato do tratamento com antirretrovirais. Eu queria mesmo era poder falar da minha situação com as pessoas… parece os tempos em que vivia uma vida dupla por ser gay. Mas esse tempo acabou… Melhor: repensando, não existe motivo para encucar com isso. Vc… Ler mais »

Mike
Visitante

Ótimo texto!!!” “— Nos faz sentir humanos novamente!!” Nosso
Lema!!

Zinio
Visitante
Zinio

Nossa, esse final foi pra derrubar em lágrimas! Parabéns pelo post! Pra mim foi o melhor até hoje do site!

Ricardo
Visitante
Ricardo

Não sei se vou conseguir expressar com palavras toda a gama de sensações,lembranças e sentimentos que me deixou com um nó na garganta ao devorar tão esclarecedor e belo texto. Desde meu diagnóstico em 11/10/2011, tinha feito tão minuciosa e despretensiosa análise sobre minha nova “condição”. JS é como se você tivesse fazendo uma leitura perfeita de tudo o que vai em meus pensamentos e meus devaneios, as vezes cheios de esperanças,noutras repletos de insegurança. Não consigo deixar de fixar o horizonte ante meus olhos ,que agora começam a deixar escapar suas primeiras lágrimas,quentes mas reconfortantes…….sim ,você conseguiu me fazer… Ler mais »

Richard
Visitante
Richard

Excelente texto.Vou comentar rapidamente minha história!Sou alguns anos mais velho que você,médico,porém não infecto.Circunstâncias de uma condição da vida me fizerem seguir outra especialidade,mas ainda sonho em fazer infecto,quando melhorarem minhas dores crônicas. Há um mês, conheci uma garota de sorologia desconhecida,fiz a besteira básica,e a 1 coisa que me veio a mente foi esse estudo.Pensamento:seria melhor se ela fosse soropositiva! Como médico sempre tende a pensar no pior,já me auto diagnostiquei sem fazer o exame,principalmente porque tive um quadro viral a seguir.Nesse momento de angústia,encontrei seu blog,e pelos textos e depoimentos,consegui dormir algumas noites.Felizmente a besteira que fiz não… Ler mais »

vanessa
Visitante
vanessa

Richard,

Você não falou qual seu problema de saúde, mas espero de coração que suas dores acabem, e fique bom logo!!
bj

Rita JC
Visitante
Rita JC

O que dizer sobre o texto?
Nothing ha ha ha… it’s wonderful ♥

Mas não posso deixar de expressar o que esse texto significou pra mim:

Livre!
Leve! 🙂
Liberta ha ha ha
Aaaaaa JS i love you ha ha ha…
Que luz, que paz que você como Nosso Atalaia me transmitiu!

Bem vindos à todos ha ha ha… bem vindos ao mundo colorido ha ha ha

Escutem Somewhere over the raimbow… nosso hino.
Sim podemos, podemos, podemos ha ha ha vencemos ha ha ha!

Meu desejo à todos que usam ARV fiquem indetectáveis…

Million kisses :-*

Rapaz
Visitante
Rapaz

FANTASTICO!!!!

luqiam
Visitante
luqiam

Me fez refletir muito. E confesso que me ajudou bastante. Gratidão por compartilhar.

luizgaucho02
Visitante

Ótimo texto como sempre. Sabe captar os sentimentos de todos e colocar para fora com belas palavras. Parabéns!!!

Vida
Visitante

Luiz…anda sumidinho Guri!

Beijão procêe

andersonbsb
Visitante
andersonbsb

Excelente!!! Ser indetectável deveria ser algo admirada pela sociedade. Ou seja, “aquela pessoa passou por uma experiencia ruim, adquiriu HIV, mas agora ela é indetectável, que significa automaticamente não transmitir e nem se atrapalhar em nenhum sentido.” Estou entusiasmado em discutir esse assunto, em levar para as pessoas do meu ciclo essas informações. É no mínimo fascinante a afirmação de que o risco de se infectar com o virús é menor com uma pessoa indetectável. Vai gerar muita discussão, e estou pronto para discutir pois acredito na explicação do Dr. Ésper ao JS.

Parabéns!!!

Hebert
Visitante
Hebert

Nossa, esse texto caiu como um luva pra mim. Sou soropositivo há algum tempo, tenho 26 anos. Graças a Deus eu consegui com facilidade aceitar e conviver com a aids, mas nos ultimos dias está sendo tão dificil pra mim. Fui casado por 3,5 anos com um cara, éramos sorodiscordantes e não havia problema algum em nossa relação quanto a isso. O casamento não deu certo, uma pena, mas a vida segue. Há 5 meses atras eu conheci um cara bastante interessante e estamos namorando há 4 meses. A partir do 15º dia que havíamos nos conhecido eu me abri… Ler mais »

binhomais
Visitante

Hebert, como vai?
Vc escreve algo que me chama a atenção: Há muita informação… Informação na nossa era é faca de dois gumes, a coisa é tão volumosa que é fácil de se perder. E ainda mais alguém que pode, mesmo que não admita, estar surtando de medo. Se o ama dê mais um tempo. Esta é minha opinião.

Hebert
Visitante
Hebert

Ola binho, sim, o amo demais, estou esperando ele chegar de viagem pra conversarmos. Eu estou disposto a dar mais tempo, mas ele precisa querer mudar e isso eu nao vi nos ultimos 5 meses. Espero que desta vez queira de vdd. Obrigado pelo apoio. Abraco!

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

JS, quando eu crescer quero ser igual a você….kkkkk! Habilidoso com as palavras e com um conteúdo impecável. Vou imprimir e mostrar pro meu infecto na minha próxima consulta. Minha intenção é apenas mostrar a ele que estou bem informado e também perguntar as dúvidas que terei ao ler pela terceira vez esse texto esclarecedor. Dessa forma, creio eu, nossos próximos diálogos ( meu com ele) passarão a ser mais sérios do que o que já são; existem bons médicos, o meu é um deles, mas é preciso que eles saibam que não somos sorodesesperados, que não estamos na internet… Ler mais »

Vida
Visitante

Que isso Mu Mu….você também é habilidoso com as palavras!! e pelo visto habilidoso na cozinha!!.rs
Que tal preparar um jantar para todos nós aí nessa sua cidade linda? Eu lavo toda a louça..rs

Beijo

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Vida, Vida, Vida….diria o cantor Daniel….kkkkk

Você não se deixe levar por minhas palavras, costumam ser traiçoeiras…kkkkk. A última mulher que se deixou levar por minhas palavras casou-se comigo a 10 anos, viu?! KKKK

A proposito, ficou muito boa a massa. Mas sou um cozinheiro medíocre…confesso. Gosto mais de comer que preparar, prefiro lavar a louça tb….

Abraço!

Vida
Visitante

Tá Mutatis….me engana que eu gosto!!.rs
Então façamos o seguinte: eu cozinho pra nós todos….faço um escondidinho de carne seca 😛 Gosta?

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Escondidinho…..típico aqui da minha terra…feito com mcaxeira (aipim) então. …é bom demais…Vamos combinar, tenho fé em Deus que um dia,não muito distante, o povo desse blog vai se encontrar…

Alexandre
Visitante

JS, mais uma vez parabéns! Minha pergunta direta é: posso ter filhos da maneira convencional, desde que tenha CV indetectável há mais de 6 meses e não tenha nenhuma outra DST? Me desculpem as mulheres, mas eu posso comer a minha mulher de todas as formas que eu não transmito? Posso gozar dentro dela e engravidá-la sem risco de transmitir?

Alexandre
Visitante

Me desculpem mais uma vez, mas eu sou neurótico com a possibilidade de transmitir pra minha esposa: eu posso fazer inclusive anal com ela, mesmo eu sendo bem dotado? Não quero ostentar turma, é dúvida mesmo.

Vida
Visitante

Alexandre

úuuu lá lá!

Você é um homem ou um jegue?…rs ou é a mistura dos dois?… Garanhão você já contou aqui no blog que é…agora bem dotado pra mim é novidade!!….rs. Sua esposa deve viver com o sorriso de orelha a orelha!

Fica fazendo propaganda aí fica..rs

Alexandre
Visitante

Vida, nunca disse que sou garanhão. Disse uma vez aqui que com a minha esposa eu pareço um cavalo inteiro. Kkkkkkk. Um beijo Vida!

Vida
Visitante

Alê,

Viu quanta negativação eu tive??? Ahhhh quanto pudorrrr!!! Qual o problema de comparar você com um jeguinho???..kkkkkkkkkkkk Ahh! já sei!! Muitos aqui nunca viram ou ouviram falar em jegue…Vou mudar a comparação…. Será você o Kid Bengala?????? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

PS:

para mim garanhão e cavalo inteiro são as mesmas coisas!!… (lembro perfeitamente desse comentário).. 😀

Beijoss

Sérgio
Visitante

Eita Vida , vc é terrível ! Rsss

Sérgio
Visitante

Faltou a éguinha pocotó kkkk!

Vida
Visitante

Sim MC Serginho… kkkkkkkkkkkkk

O Jumento e o cavalinho eles nunca andam só …quando saem pra passear levam a eguinha pocotó..kkkkkkkkkkkkkkkkk

No caso em tela, levam a potranca.. 😀

Sérgio
Visitante

A popozuda kkkk

Vida
Visitante

Vc que é terrível mocinho!!!

Alexandre
Visitante

Deixa pra lá Vidinha. É a mesma pessoa e a gente já sabe. Precisamos marcar um encontro nosso. Chamar o Barasa, o Sérjão, Jeremias, a Rita, entre outros.

Vida
Visitante

Opaaaa…é só marcarmos Alexandre!

Sérgio
Visitante

Beleza Alexandre , estou dentro . Abraço.

Alexandre
Visitante

Serjão e Vida, me mandem um email:
Otimista22@bol.com.br

Tony
Visitante
Tony

Não acredito que estou lendo isso ….

Rita JC
Visitante
Rita JC

Kkkkkkkk Alexandre kkkkkkkk… nunca ri tanto, kkkkkkkkk faz assim não transa kkkkkkkkk…

Alexandre
Visitante

Olha só Rita, o tamanho do membro masculino, bem como a intensidade da relação, está cada vez mais ligado a contaminação masculina numa transa hétero, imagina então para a mulher. Por isso toquei nesse assunto. Um Bj Rita!

Vida
Visitante

Nesse caso…tamanho é documento,,rs

Pedro
Visitante
Pedro

Manda fazer masturbação e ganhar a vida como ator pornô nos EUA, onde agora é obrigatório usar camisinha, e pronto!

Lara
Visitante
Lara

JS parabéns mais uma vez pelo trabalho maravilhoso !!! Fico muito feliz cada vez que venho aqui e leio seus artigos, todos geniais!!! Queria eu ter o poder de internalizar nas pessoas todas essas informações e extirpar o preconceito que nada mais é do que um PRÉ – CONCEITO a respeito do que nao se sabe e apenas imagina. Mas enfim, sigamos otimistas!!! Mais bênçãos na sua vida e que vc siga sempre firme nessa caminhada. Beijos em todos!!! Vida, Barasa onde andam???

Vida
Visitante

Lara, Larocaaaaa que saudades menina!! Nunca mais te vi on no skype….sumiu…nos abandonou!! Está tudo bem com você!!
Apareça aqui ou no skype pra gente papear…falar besteira..

Beijão pra você!

oliveira
Visitante
oliveira

A propósito Jovem Soropositivo (mesmo com 30 ou 80 este será seu apelido entre nós rs) queria parabenizá-lo calorosamente pelo post e pelo blog, afinal vc é por mérito e direito o ministro da saúde e da cultura de muita gente aqui rs. Desculpe-me se quis acrescentar uma pitada a mais nas reivindicações de dezembro próximo com meu ccomentário acima,mas enxergo q essa lacuna está escancarada aqui principalmente. Parabéns pelos 30 (tb sou de 10/84) e parabens pelo belo trabalho.

...tHeCuRrE!!!
Visitante

…descoberta sorologia 2012… 2013 um ano de medo e assimilação… 2014 início de TARV e sem nenhum efeito colateral e chego em novembro depois de 8 meses com a noticia: VC esta INDETECTAVEL e CD4 em 1000 e com sua matéria de hoje iníciarei 2015 abandonando o lado soronegativa e soropositivo e sendo mais SOROINDETECTAVEL e sendo feliz e vivendo esta vida maravilhosa…valeu JS

Leonardo Domingues (@leotstb2)
Visitante

Nossa, ótimo texto JS. Demais!

MarcosFortal
Visitante

Esse texto foi um verdadeiro cafuné para a alma! Parabéns e obrigado, JS

Vida
Visitante

Marcos …..realmente, um verdadeiro cafuné pra alma!! Eu quero é fazer um cafuné nocê meu bemmmmm!!

Um beijo nesse seu rostinho de bebê… 😀

MarcosFortal
Visitante

Vida,
Olha que vou cobrar quando nos encontrarmos em 2015…. Sem falta 🙂 bjão

Luz
Visitante
Luz

Maravilhoso texto,parabéns!!!!vou levar pro meu infecto ler tb!
Me deu paz!!!!

Rafaella
Visitante
Rafaella

Lindo texto, JS. Obrigado por deixar nossas vidas mais leves a cada dia. Bjim 🙂

Vida
Visitante

Jotinha meu lindo, bem-vindo ao mundo dos balzaquianos!!..rs..
Parabéns pelo seu post…é o máximo!! Você e o seu blog são muito importantes para mim, pois foi aqui que encontrei o que precisava no momento mais terrível da minha história….encontrei vida!!! ..
Agora rasgando um pouco mais de seda….VOCÊ É O MÁXIMO!! Muito obrigada meu amigo querido….

Pedro
Visitante
Pedro

Cara, sou sorodiscordante e, independentemente, fiquei com vontade de te conhecer…

Vida
Visitante

Pedro, quem você quer conhecer?

Pedro
Visitante
Pedro

o autor 😡

Alexandre
Visitante

Putz! Chama o Bolsonaro!!!

Vida
Visitante

Eu também quero Pedro…e como quero!

Felipe Rec
Visitante
Felipe Rec

Bom, diante do texto, agora senti a necessidade de escrever aqui, eu sou de Pernambuco, tenho 32, diagnosticado a um mês e meio, inclusive, descobri numa data e 8 dias depois completei 32 anos. Sou gay, porém não assumido pra todos, sempre fui muito extrovertido, gosto de tomar cerveja com amigos, um boêmio, sempre requisitado. Achava que o hiv só atingia pessoas beeeem descuidadas, até que veio o baque, ache q tinha pego sífilis, quando fiz os exames, a assistente social me deu o resultado, eu chorei na sala dela, ela não quis me deixar ir pra casa só, pois… Ler mais »

Caetano
Visitante
Caetano

Oi Felipe,td bem ? Vc tem skype ou email pra conversarmos! Abraço,essas coisas que vc pensa vão diminuindo,ainda não faz um ano que descobri,mas me culpo quase todos os dias ainda…

J+
Visitante
J+

Olá Felipe, todos nós passamos por essa fase. É um momento difícil mas que logo você vai superar, pode apostar.
Se quiser podemos trocar algumas ideias por email ou por skype: jivan79@hotmail.com
Eu já tenho alguns amigos por aqui e sempre é bom compartilhar.

J+
Visitante
J+

corrigindo email: jivann79@hotmail.com

Vida
Visitante

Felipe,

Nem sei muito o que te dizer …Infelizmente não sou boa nas palavras…
Uma coisa posso garantir…dê tempo ao tempo e tudo se ajeitará aí dentro de você!
Me adiciona no skype para conversarmos luzvidareluz@hotmail.com

Beijão pra você!

Alexandre
Visitante

Vc é gay e quer ter filhos? A medicina ainda não evoluiu tanto assim não. A cura do HIV vem antes deles conseguirem fazer com que um homem se engravide de outro.

Pedro
Visitante
Pedro

Ele não falou que quer engravidar outro homem! E todos sabem que existem barrigas solidárias etc, quer dizer, todos menos vc. Acredito que a cura do hiv venha antes da cura da sua demência, bbk!

Alexandre
Visitante

Poxa Positive, eu só estava brincando cara. Relaxa boneca.

Alexandre
Visitante

Pedro, quem sabe a cura venha antes de vc aprender a ler? Vou repetir as palavras dele isolando o restante do texto para que vc tenha apenas 1 informação, pq 2 informações vc já não consegue assimilar: “O que me deixa mais triste é, não poder ter filhos, que é um sonho que eu tinha,e não poder me envolver com negativos pra namoro. ” prefiro ser jegue por outro motivo do que pelo seu.

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Felipe Rec, o bom é que tudo isso passa…mas passa mesmo, pode acreditar! Todos aqui um dia se sentiram assim como você está se sentindo: o pior de todos os seres humanos, um lixo social, enfim…esses adjetivos que NOSSA imensa capacidade humana de auto-piedade fica a toda hora nos sugerindo. Caia nessa não! Pode não ser fácil, mas está longe de ser impossível. Você vai se medicar, vai restaurar sua saúde, vai vibrar com os exames cada vez mais perto do ideal, vai se cuidar melhor do que antes (geralmente é assim….rsrrs) e vai ver a vida com outros olhos… Ler mais »

Cara +
Visitante
Cara +

Mumu
show as tuas colocações!
estamos todos nessa!

ótimo texto, ótima colocação!

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Cara +, você também me é muito querido!

CARA +
Visitante
CARA +

Cara, de verdade verdadeira só tento retribuir, se é que isso é possível, a tamanha importância que esse blog teve e tem, quando descobri minha sorologia. num dos momentos mais desesperadores da minha vida, encontrei esse blog e me senti confortável com o novo cenário que a vida estava me apresentando. Ao ler os relatos de todo mundo aqui, não tive dúvidas para começar logo com a tarv e enfrentar. Cheguei cheio de medos, inseguranças, impotência perante a situação, mas encontrei aqui o acalento e a palavra animadora, forte, amiga para me fazer ver que a gente pode muito mais!… Ler mais »

Luis
Visitante
Luis

Obrigado menino ! seu texto é maravilhoso! O mais coerente e informativo que já li desde que descobri minha condição há três anos. Confesso que muitas das informações ali existentes eu já havia tomado conhecimento, seja em matérias existentes na net, ou conversando com o médico que me acompanha. Isso não importa. O que fez toda diferença foi a maneira coerente e sempre amparada em fontes confiáveis que você se utilizou. Sem falar, é claro, na qualidade narrativa que você imprimiu ao seu post. Conseguiu me ajudar a colocar uma pá de cal na sensação de insegurança e receio que… Ler mais »

CARA +
Visitante
CARA +

JS parabéns pelo novo post. Você é o cara! Penso que esse texto deveria ser quase que um “abre alas” para todas as pessoas que buscam informações sobre hiv. Tão importante quanto saber sobre a doença, como não pegar e blá, blá, blá… deveriam saber como funciona do outro lado da moeda. Deveria estar em todos os sites, em todas as buscas, estampado em todas as campanhas, enfim, em todos os lugares para diminuir um pouco desse estigma que fatalmente carregamos por pura falta de informação. parabéns meu amigo e obrigado por esse blog, pela sua genialidade, pela sua destreza… Ler mais »

Ricardo Ledust
Visitante

Eu acho tudo isso bonitinho… mas percebi uma coisa. O Doutor Kallas fala sobre a não transmissão SOMENTE com um pseudonimo chamado JP. E quando ele vai oficialmente falar, ele não defende esta idéia. E JP posta aqui sobre um assunto que não vemos o médico falar ou comentar.

William
Visitante
William

Quando fiz a primeira contagem de CD4, estava pouco abaixo de 900, bom, porém CV altíssima… Decidi iniciar a TARV, tive problemas com o efavirenz, passei 1 semana sem tomar, fiquei com medo de haver falha no tratamento, mas a recompensa veio 6 meses depois: CV indetectável e CD4 de mais de 1200!

Isso me deu uma autoconfiança tremenda, ajudou a superar uma desilusão com um cara que só enxergava o próprio umbigo.

S.
Visitante
S.

Pessoal, vocês sabem algo sobre isenção de imposto de renda para portadores de HIV?

Tony
Visitante
Tony

Se não me engano, não há tributação do Ir nos proventos de aposentadoria para portadores do hiv, mas no rendimento normal mensal e na declaração incide como todo mundo.

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

Hoje pela manhã tive consulta com a infecto, primeiramente ela me elogiou acerca do aumento do CD4 e queda da CV, em ato continuo, passou uma solicitação para que eu comparecesse numa UBS e lá tomasse duas vacinas; Pneumo 23 e influeza. Falou que agora eu poderia tomar por estas vacinas pois estou com CD4 acima de 500. Fico com receio de tomar estas vacinas uma vez que nem pigarro na garganta eu tenho, enfim, gostaria de saber se posso esperar mais um pouco para tomar as vacinas uma vez que me sinto bem melhor do que qq outro momento… Ler mais »

J+
Visitante
J+

Quando eu estava com cd4 de 543 a infecto passou 4 vacinas incluindo estas duas. Tomei e nao tive nenhuma reacao. Sao vacinas que tema validade de 5 ou 10 anos.

Alyne Brito
Visitante
Alyne Brito

Parabéns pelo texto, JS!

Vi e compartilhei no Facebook, porque acredito que seja tão importante para soronegativos quanto para soropositivos ou indeectaveis, para que a sociedade abrace este assunto com a importância que merece!

Sucesso a todos e que Deus abençoe o comprometimento que carrega neste blog! 😉

Tony
Visitante
Tony

Três anos já com hiv, exame da semana passada deu cd4 711 e carga viral indetectavel, segue vida normal fisicamente e medico disse que em janeiro aqui no Paraná já deva ter o 3 em 1. Será que vai dar tontura e náusea que nem o efavirenz ?…

CARA +
Visitante
CARA +

Tony
não vai dar nada!
Você já toma a combinação do 3×1? As quantidades são as mesmas. O que diferencia é a praticidade de administrar o tratamento.

Vai sem medo. Pode confiar!

Tony
Visitante
Tony

Oi Cara+, ainda tomo os 3 comprimidos diários, odeio o efavirenz, hehe. O 3 em 1 acho que só no comecinho do ano que vem para mim aqui. Obrigado !

CARA +
Visitante
CARA +

Oi Tony, não sei bem ao certo se o protocolo é esse para todo o Brasil, mas aqui no sul, os recém diagnosticados já começam com o 3×1 desde junho/2014. Após isso, os demais que tomam a mesma combinação do 3×1, passaram gradativamente a tomá-lo.

Como te disse, é trocar 6 por meia dúzia no que diz respeito ao conteúdo em si, o que facilita e muito é a administração e a fácil adesão.

forte abraço e espero que logo esteja com o 3×1 ai e que logo tenhamos tratamentos melhores e até quem sabe, a cura!

Ricardo
Visitante
Ricardo

Pessoal eu sempre dou uma espiada aqui desde o ano passado, quando tive um relacionamento de risco e usei a PEP, mas tudo ocorreu bem, graças a Deus, e hoje em dia entendo muito bem o lado de um soropositivo, fico feliz por esse texto do autor, é bem animador.. e me alegro em ver vocês felizes também, isso me comove bastante e me deixa feliz.. essa troca de energia boa que tem no site é ótimo!!! se cuidem, sejam felizes e cuidem bem de quem vocês amam, beijos para todos.

T.
Visitante
T.

Devo agradecer muito por encontrar esse artigo na minha timeline. Meu diagnostico foi em 18/10/2014 e apesar de saber dos estudos bem como do risco zero de transmissao dos indetectaveis, me fez um bem tao grande ler isso aqui. Obrigado por me fazer lembrar que, muito em breve, serei um indetectavel e toda essa sensacao estranha que estou vivendo vai passar.

Flor
Visitante

Quanta vida por aqui! S2

alejo
Visitante
alejo

Estoy totalmente deacuerdo con cada una de las cosas espuestas por este chico! me siento muy feliz por el y por los q nos identificamos con el texto es muy confortable saber q si se puede seguir una vida completamente nornal sin causar ningun tipo de daño tanto a la persona con la cual se esta como para uno mismo . felicitaciones a quien escribio este texto. es un duro abrazo.

Sérgio
Visitante

Ensaio fase II duplo-cego placebo da Vacc-4x + Revlimid (Lenalidomida) foi altamente positivo , os cientistas estão muito entusiasmados em busca dessa cura funcional.

luizgaucho02
Visitante

Show essa informação Sérgio.

Sérgio
Visitante

Sim luizgaucho02 , muito bom. Abraço.

Felipe Rec
Visitante
Felipe Rec

cura funcional significa só tirar o vírus do sangue, e não do esconderijo nas células?

Camillo
Visitante
Camillo

Felipe, cura funcional é vc continuar com o vírus no corpo, porém não precisando mais tomar arv’s. Cura esterilizante, por outro lado, é eliminar o vírus completamente do corpo.

Sérgio
Visitante

Só complementando o que o Camillo disse corretamente abaixo , cura funcional o seu corpo mantém o vírus sob controle sem a necessidade de medicação , vc adquire imunidade ativa contra ele.

Guilherme
Visitante
Guilherme

Caramba, que texto lindo, cara!!! Parabéns!!! Vou compartilhá-lo.

Principiante
Visitante
Principiante

Parabéns pelo post. Eu descobri, na primeira semana de novembro, que também sou soropositivo. Fiquei desesperado, já procurei um infectologista e comecei o tratamento. Não está sendo nada fácil para mim. A culpa e a certeza de ter cometido um erro estão me torturando. Não consigo dormir direito e, para piorar, estou sofrendo um pouco com os efeitos colaterais dos remédios. Creio que o efavirenz está me dando enjôo, refluxos e está aumentando minha depressão. Tenho a impressão que, desde que comecei o tratamento, estou tendo mais crises de choro e a idéia de me matar tem aparecido com mais… Ler mais »

Felipe Rec
Visitante
Felipe Rec

Cara, a gente pensa em suicídio sim, mas depois vemos que não vale a pena, até pq de uma forma ou de outra, descobrirão depois, pensa assim: se vc não contar a ninguém, ninguém vai saber… nós temos um vírus, talvez por uma forma que a vida arranjou de nos mostrar, de reorientar a nossa vida, uma forma bastante cruel, é verdade mas que agora, vamos ter q nos cuidar mais,da alimentação,da saúde, tbm estou bem recente, um mês e meio, não choro tanto, mas fico deprimido, não comecei os remédios, me espanta vc ter começado tão rápido, mas enfim…… Ler mais »

Principiante
Visitante
Principiante

Eu já fui para o infectologista com o resultado da carga viral, cd4 e cd8. Aí, ele já me passou os remédios. Estou tomando desde sexta-feira. No domingo, já senti o efeito forte da depressão.

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

“Principiante”, muitos destes efeitos “são monstros imaginários” criados por nós mesmos ! Qdo sentir que algo não vai bem, tente mudar o foco, coloque uma musica bacana, dance, converse com pessoas agradáveis, vá tomar um açaí, vá ao shopping…mude o pensamento ! Sei que não é fácil, passei por isto e decidi que além do tratamento diário, não gostaria de acrescentar mais uma carga de depressão sob minha pessoa. Converse com seu infecto, neste momento talvez um ansiolítico (indico clonazepan) seria bom, pois deixa a gente mais tranquilo e não causa “dependência”. Fica na paz, estamos aqui para ajuda-lo, precisando… Ler mais »

Anonimo
Visitante
Anonimo

Amigo, descobri a minha há um mês e meio, estou em tratamento porque o diagnóstico foi bem precoce. O que posso te dizer é: tomo antidepressivos que me ajudam muito a ver a vida como ela é e, portanto, não dar ao vírus mais importância do que ele tem. Talvez você deva considerar essa via – o remédio me ajuda muito. Além disso, procuro afastar os pensamentos de culpa. Não tenho culpa. Contraí o vírus fazendo sexo sem preservativo com pessoa em quem confiei. Confiança e um sentimento humano e um bom sentimento. Sexo é uma necessidade humana e uma… Ler mais »

Felipe Rec
Visitante
Felipe Rec

pra um mês e meio vc tá melhor que eu
=/
mas sexo,realmente,não ando fazendo mais… tá fogo, me animo pra outras coisas (na verdade pq preciso,pra ninguém perceber)
mas complicado demais que acho: sexo,medo de contaminar e medo de descobrirem.

Principiante
Visitante
Principiante

Anonimo,
Foi o infecto te passou antidepressivo? O meu não quis nem me passar remédio para dormir. Disse que o sofrimento faz parte do processo e vai me fortalecer. Mas, está dificil, viu?

Secret Guy
Visitante
Secret Guy

Oi Principiante!

Eu por conta própria resolvi seguir sem nenhum tipo de remédio por mais que tivesse vontade de tomar um calmante pra apagar a noite ou antidepressivo pra conseguir ver a vida melhor. Hoje, quase 6 meses depois eu realmente concordo com seu médico. Essa nuvem negra passa logo, você vai ver! É realmente um choque que libera vários fantasmas que ficaram trancados durante toda nossa vida!! Mas, aos poucos, você vai os conhecendo e colocando cada um no seu lugar. No final, você vai ver que eles nem são tão horríveis assim!!!

Anônimo
Visitante
Anônimo

No meu caso (sou o Anônimo do comentário anterior), eu já tomava antidepressivo antes. Acho importante apenas para quem precisa. No meu caso, é fundamental, porque tenho depressão crônica. Mas se você não tem essa tendência não deve mesmo tomar. Quanto ao sexo, tenho parceria fixa sorodiscordante que está do meu lado em todos os momentos. Isso também facilita…

Felipe Rec
Visitante
Felipe Rec

é uma novo estilo de vida que a gente vai ter, vamos valorizar pequenas coisas, é cafona né? mas estou sentindo que é verdade. estou bem parecido com vc, mas eu tento e tento…sempre pensando: ninguem sabe q tenho, me abraçam, me beijam , me tratam bem,pois não sabem, e assim permanecerá, muito cuidado se for contar a amigos, o ideal é que nao conte, os psicologo me falou, pois se amanhãvc brigar com ele, é uma arma q ele tem contra vc, não queremos isso, por mais q sejamos informados, nem todos são , podem nos hostilizar e nos… Ler mais »

Pequena +
Visitante
Pequena +

Anônimo

Isso de não conseguir dormir é muito da pessoa, como ela encara os problemas.
Passei por uns dias conturbados assim que soube meu diagnóstico.
Mas logo passou 😉
Percebi que não iria mudar minha condição de soropositiva e que a vida seguia.
E a forma de como viveríamos (deprimidos, tristes,de bem com a vida, alegres) era uma escolha minha.
Enfim…
Escolhi ser feliz.
Pois temos muita vida dentro de nós <3
O vírus é tão insignificante diante da vontade de viver.

Bjus da Pequena +

Beliver
Visitante
Beliver

Amigo Principiante, se sentir culpado é mais que natural, porem nao é necessario, pois a maioria das pessoas se infectam por confiar no outro, maior que o peso da culpa por se deixar levar, é o peso de transmitir o virus conscientemente do risco que a pessoa esta tendo. Faço aniversario dia 01/12, que por coincidencia eh o dia Mundial da Luta contra a AIDS, e fui diagnosticado no dia 02/12, um dia depois do meu aniversario. Este dia foi sem duvida o pior da minha vida, parecia que o chao tinha aberto e eu estava afundando, mas tive o… Ler mais »

Hope
Visitante
Hope

Principiante…
Também sou principiante…
Os efeitos colaterais de meu marido passaram em 3 semanas! Ele também teve enjôo e refluxo e não dormia direito, além de chorar muito, mas agora não sente mais nada e na maior parte do nosso dia nem lembramos do vírus.
Alegria e saúde para você!

Lucas
Visitante
Lucas

Eu não tive nenhum efeito colateral dos medicamentos.
Apenas no primeiro dia eu fiquei muito zonzo. Mais depois nada de diferente…

hvivendo
Visitante
hvivendo

Também senti a mesma coisa no início ja estou tomando o medicamento a um mês e nao tenho dito nenhuma inflamação que eu tinha antes dos tipo amigdalite .

Henrique
Visitante
Henrique

Vai passar sim Amigo! No começo é muito dificil mesmo….muitas alucinações…enjôos.. depressão…perca de peso… mais vai passar, isso é só no início até seu organismo se acostumar!

Principiante
Visitante
Principiante

Espero que passe logo. Eu acho a depressão o pior desses efeitos. Eu faço análise já faz 1 ano e nem isso tem me ajudado muito. Talvez a maior dor seja pensar que eu não vou ter a vida que eu tinha antes e não conseguir enxergar felicidade nessa nova vida.

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

Porque não vai consegui enxergar felicidade nesta nova vida ? Primeiro não é nova vida, é a mesma vida, vc não morreu e não nasceu de novo, continua ai, firme, forte e lindo (acredito,rsss). Cara, é uma nova realidade, você deixou de ser soronegativo para ser soropositivo. A diferença é que apartir de então, vc terá um aliado que será os medicamentos. Pensando por um lado positivo, vc agora cuidará mais de sua alimentação, de suas atividades diárias, do seu bem estar, vai estar de três em três meses sendo monitorado (antes do diagnóstico, qdo vc teria este cuidado com… Ler mais »

Sam
Visitante
Sam

Principiante não fique assim descobri a 1 mês e estou tendo reações alérgicas na pele em relação ao remedio, pense que vc não é o único que tem é nem será o último independente da forma que vc pegou. Se apegue a deus e passe por um psicólogo seria legal abraços sam

Will
Visitante
Will

Cara relaxa, existem tantas pessoas q vivem com o vírus e acredite, a maioria q eu conheço, vive melhor q muita gente por ai.
Encare isso com um alerta da seguinte maneira:
Agora vou me policiar e ter uma saúde mais regrada, me alimentar direito, ñ extrapolar muito por ai e se proteger… sempre.
A vida continua…

Rodolfo
Visitante
Rodolfo

Fiquei bastante tocado com o texto e com seu comentário.
Descobri no final de 2008 e desde lá concordo com o texto…
Seu esforço tem q se voltar a curar o estigma provocado pelos imaginarios sociais muito crueis. Suas celulas já estao encaminhadas com o TAR. Desde 2008 estou como texto fala…
De novo, o efeito colateral que vc tá sentindo é o estigma. Procure um acompanhamento psicologico vai ser tao importante quanto seu medico (ou até mais). Quanto aos enjoos é normal…vai passar em breve.

vida boa
Visitante
vida boa

Amigo o efavirenz me dava as mesmas reações, troquei de combinação e hoje estou com a mesma medicação a mais de 10 anos e indetectavel a 11 graças a Deus vivo uma vida normal.

Cara +
Visitante
Cara +

vida boa, que bom ler seu relato, saber que faz tanto tempo que está com os arvs e super bem. Obrigado pelo relato!

pedro
Visitante
pedro

Muito bom texto. Mas e como fica o caso do sexo oral?

vanessa
Visitante
vanessa

Principiante, o começo é assim desespero terrível mas com o tempo tudo isso vai passar comigo foi a mesma coisa, tive efeitos colaterais como esses mas passaram no primeiro mês o que durou bem mais foi a tontura pela manhã do efavirenz uns 3 meses, mas depois Vida super normal, nem lembro o que tenho nem quando vou tomar os remédios!
Fique tranquilo e força é só uma fase!!
Bjs

Carvalho+
Visitante
Carvalho+

E sobre un zunido no ouvido durante o dia. Alguem tem esse efeito colateral? Tenho sentido bastante.

Camillo
Visitante
Camillo

Carvalho, eu tive esses zumbidos sim. Acredito que seja provocado pelo Efavirenz. No início eram mais fortes, hoje nem percebo mais se tenho.

Will
Visitante
Will

Relaxa… é só no começo… e os efeitos são mais psicológicos … nem todos apresentam efeitos colaterais, a maioria é só no início (como qualquer medicação) depois o corpo se acostuma, a questão é… não ficar preocupado com isso.
Viva e deixe viver… 😉
Relaxa q passa!!!

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

Fiquei com a audição muito aguçada, ouvia até o barulho de uma agulha caindo, mas isto bem no inicio, agora tudo voltou ao normal…deixe de pensar que tudo que acontece é por causa dos remédios/HIV…a vida segue normalmente, pense sempre assim. Forte abraço !

blastoisegun
Visitante

Lindo texto! Parabéns! Eu me lembro de ti, do teu blog desde que descobriste e começaste a escrever. Descobrimos ser soropositivos no mesmo período de tempo e em minhas buscas pela net encontrei este lugar. Tentei ver nos comentários do primeiro post se encontrava o meu, mas são tantos! Seu Blog cresceu imenso! Hoje és uma pessoa que forma opiniões. Seu blog é visionário e passa uma bela mensagem às pessoas que mais necessitam! Fico triste por não ter acompanhado essa trajetória, mas igualmente feliz em saber que estas a superar tudo! Me senti na primeira pessoa ao ler o… Ler mais »

Will
Visitante
Will

É isso ai… diabetes, hiv entre outras doenças, é tudo doença crônica… não tem cura, o q não significa q vc não pode ter uma vida normal, é só se policiar e viver tudo o q há pra viver, com responsabilidade… melhor q viver com a pulga atrás da orelha…
Seja feliz garoto!!!

Leo
Visitante
Leo

Parabéns pelo texto. Sou estudante de medicina e pelo que li, as informações que seu médico passou e a forma como ele te transmitiu isso, além do apoio, mostra que ele é um grande médico. Tive um relacionamento em que meu parceiro descobriu ser portador do vírus.Quando isso aconteceu, vivemos momentos de pânico e tensão. Ele estava mais preocupado em ter transmitido pra mim, que com sua própria saúde. Por isso entendo muito bem esse estado de auto-quarentena. Conversamos bastante, nos informamos mais. Tomei todos os cuidados profiláticos, fiz os exames e deram negativos. Hoje ele faz seu tratamento e… Ler mais »

Will
Visitante
Will

Excelente medico, ele foi um dos responsáveis pelo estudo do IPREX no Brasil, q nada mais era uma pesquisa onde voluntários tomavam um medicamente q inibia o vírus caso entrasse em contato com ele em alguma relação de risco. Mas os paciente não sabiam se estavam tomando o remédio ou placebo, forçando sempre o uso do preservativo q ainda é a forma eficaz de controlar a epidemia.

Kenia
Visitante
Kenia

Não sou soropositivo…mas fiquei encantada com o texto e com tamanha clareza q nos proporciona sobre o assunto. O maior preconceito, na maior parte das vezes começa dentro de casa. Eu como leiga, penso q tais informações não são amplamente divulgadas, pelo temor que as autoridades e secretarias de saúde têm de que o vírus seja banalizado e ninguém se cuide mais… essa é a única conclusão coerente que tive sobre manter a população ainda na ignorância. Obrigada por me tornar menos ignorante à partir de agora.

Hope
Visitante
Hope

Olá pessoal, uma pergunta: alguém por aqui é alérgico a medicamentos como anti-térmicos e anti-inflamatórios e toma os ARVs sem problema? Alguém com alergia aos ARVs? Não falo de vermelhidão ou coceira, mas alergia do tipo ficar inchado e ter edema de glote mesmo… Meu marido está há pouco mais de um mês tomando Efavirenz, Lamivudina e Tenofovir e não apresenta mais nenhum efeito colateral, Graças a Deus…assim, aos que estão começando, no caso dele todos os efeitos se foram em 3 semanas! Eu ainda não tenho que repetir os exames já que os primeiros deram negativos, mas, sinceramente, estou… Ler mais »

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

Hope, “para ce ta bem” ! Não fique grilada com o que pode acontecer, isto é sofre antes da hora, tudo ao seu tempo.E mais, pelo que li vc já fez mais que um exame e nada, né ? Deixe de bobeira, vc está ótima ! É soro- com certeza ! Ah, e “para ce tá bem” viu ? kkkkkkk.

Hope
Visitante
Hope

Ricardo… obrigada pela resposta! Realmente já fiz dois exames (com janelas de 30 e 40 dias) mas tenho que repetir com 3 meses já que meu marido é soropositivo e passamos mais de 7 anos transando sem camisinha…Dá para crer? Espero que continue assim e seremos um casal sorodiscordante muito feliz, para sempre!

Hoje ele fomos na infecto pela segunda vez e ela me deu o mesmo conselho que você. E ele está fisicamente bem… ainda com recaídas de tristeza mas sei que vai passar!

Gostei do Para ce tá bem… mas também não posso ASS nem Dipirona…. kkkkk.
Obrigada pela força!

Will
Visitante
Will

Muito interessante e de muita utilidade essa matéria. Acaba com mitos e o melhor, sob o olhar de um médico conceituado e um paciente q vive com o vírus.
Isso só prova q é mais fácil e muito menos arriscado ter um relacionamento com um soro positivo q se cuida do q a ilusão do “negativo” …

Sam
Visitante
Sam

Como disse anteriormente descobri a um mês hj e estou tomando a medicação e estou tendo uma alergia horrível no rosto é normal?

CARA +
Visitante
CARA +

Oi Sam
que tipo de alergia vc está tendo?

tb tive alergia no rosto, que se deu em função da baixa imunidade e que gradativamente sumiram com o andamento do tratamento. Ela surgia, principalmente por causa da barba.

Se for algo muito incomodo, entre em contato com seu médico, pois certamente ele te indicará alguma pomada, ou até um dermatologista para averiguar a situação.

CARA +
Visitante
CARA +

Complementando a resposta…
no meu caso eram manchas avermelhadas que saiam no rosto e coçavam. Passei a pomada por 3 dias, antes de dormir e não tive mais problemas com isso.

Lucas
Visitante
Lucas

Olha achei incrivel o texto e com certeza vou tirar muitas duvidas de pessoas que convivem comigo, Pessoas que acham que so pq tenho o virus ja estou morto. Não… Eu faço o tratamento e sei que posso ir mais longe. Sei que isso não me impede de viver em nada, ao contrario deve me dar mais força pra continuar, e mostrar o quão aqueles que são infectados podem viver tranquilamente bem ou melhores do que os não infectados, Pois como vc fala, ja não corremos o risco de contaminação, e fazendo os tratamentos certos estaremos totalmente seguros de nós… Ler mais »

Miriam marcelino Tavares
Visitante
Miriam marcelino Tavares

Parabéns pelo texto !! Ótima forma de esclarecimento para leigos no assunto como eu.Mas tenho ainda uma dúvida, a pessoa que toma todos os medicamentos e segue seu tratamento certinho e tem carga viral baixíssima , esta pode fazer sexo sem camisinha e não contamina-la e até mesmo vir a engravida-la?

novato
Visitante
novato

Descobri há menos de uma semana, e ainda estou esperando a confirmação do segundo teste. Mas a vida parece ter acabado. Não estou indo para a aula (deveria estar lá agora) e pensamentos obsessivos de perda do futuro são uma constante. Se soubessem a vida e a esperança que essa reportagem me trouxe, estariam chorando de alegria comigo agora. Nem sei ainda se realmente sou PVHA, mas caso não seja, com certeza minha profissão (e futuras pesquisas estarão ligadas à questão do HIV/Aids. Muito obrigado, o texto é perfeito. 🙂

Vinícius
Visitante
Vinícius

Oi pessoal, descobri ser soropositivo faz 5 meses e tomo o medicamento a 3, faço o tratamento apenas pelo sus aqui no Rio e sinto falta de informaçao por parte da minha médica..parece que ela nao joga limpo,ela diz que devo continuar vivendo normal,comendo as mesmas coisas,tomando cervejas as sextas e sabados.. o medico de vcs tbm falam isso ? Sabem se o alcool tem.alguma interferencia no remedio ? Nao tive nenhum efeito colateral mt latente,o que percebi foi uma mudança na coloracao da parte branca dos olhos,zumbido no ouvido e a barriga um pouco diferente rs maior! E vcs… Ler mais »

Carvalho+
Visitante
Carvalho+

Vinicius, zumbido no ouvido eu tenho sentido, mas ja me falaram por aqui e acredito que com o tempo passa.

CARA +
Visitante
CARA +

Oi Vinicius tb faço acompanhamento pelo SUS aqui. Até pensei em fazer particular, mas te digo que fui muito melhor atendido pelo SUS do que pelo próprio plano, uma vez que quando fiz o exame para hiv, me entregaram o resultado assim, como outro qualquer sem me dar uma única orientação para onde recorrer. Aqui no sul, é uma equipe que te acompanha, de médico, enfermeiros, psicóloga, farmaceutico, etc… e percebi, nesses 3 meses de medicação, que são sempre os mesmos que acompanham cada paciente. O que é ótimo, pois vc acaba fazendo amizades lá dentro do centro de atendimento… Ler mais »

christian
Visitante

Texto muito bom e perfeito, eu descobri a sete anos e por varias vezes me vi fugindo pra um universo somente meu tentando apagar minha memória, mas é impossivel…
Eu descobri em 2007, mas meu tratamento com ARV só começou este ano, pois, por incrivel que pareça, minha CV de 2007 para 2013 caiu de 36.000 para 9.000 sem remédio.
Quem quiser trocar contato (Skype, Facebook) para conversar e compartilhar sobre o assunto, fique a vontade pra me adicionar… No começo toda ajuda é bem vinda, eu senti muito a falta disso!
christian_nunes_@hotmail.com

Ricardo - Guarulhos
Visitante
Ricardo - Guarulhos

Caramba Christian parabéns por esta baixa da CV mesmo sem medicamento…quando eu tomei conhecimento de minha soropositividade a CV estava altíssima e eu não pensei duas vezes em iniciar o tratamento, graças a Deus em três meses de ARTVs já cheguei ao indetectável. E quanto a CD4 pelo visto é bem alta tb né ? Enfim, o negocio é continuar no tratamento e seguir a vida sem neuras. Forte abraço ! Ricardo.

christian
Visitante

Obrigado Ricardo… De fato as coisas foram surpreendentes pra mim, naquele período meu CD4 estava muito baixo, mas com o tempo o mesmo foi aumentando, sempre tive boa imunidade apesar de não tomar providencias pra mudar isso, entretanto, o tempo ia passando CV baixando e CD4 aumentando. Minha maior surpresa foi este ano que devido ao stress e outras circunstancias minha CV pulou pra 76000 e meu CD4 pra 720 e ai veio a parte 2 do desafio, começar com a terapia ARV, chorei, tive medo, mas ao iniciar não tive nenhum efeito colateral, graças a Deus. Agora em janeiro… Ler mais »

Vinícius
Visitante
Vinícius

Vlw pessoal!! Que coisa boa poder dividir experiências com vcs !!

Pequena +
Visitante
Pequena +

Boa tarde a todos 😉
Queria compartilhar com vcs que são como uma família para mim.
Fiz meus exames de rotina, cd4 beirando os 600, e carga viral 9000.Resolvi ainda não tomar os medicamentos.
Estou bem desde que descobri em maio esse hóspede indesejável.
Nada mudou, tem horas que até esqueço 😉
Enfim…
Bôra lá vivendo de bem com a vida, aguardando a tão sonhada ” cura ” <3

Bjus da Pequena +

Sérgio
Visitante

Muito bom Pequena + , parabéns , felicidades! Bjs

Positivo.RJ
Visitante
Positivo.RJ

Pequena+, ainda não iniciei meu tratamento também, me descobri positivo em Setembro, CD4 em 460, e CV 9.000 meu medico me deu até dezembro pra subir meu CD4 se não subir ele me aconcelha a iniciar o tratamento. O que vcs acham? Com essa contagem ja deveria ter iniciado? Um grande abraço a todos vcs que tanto me ajudam com seus depoimentos, fé sempre…

William
Visitante
William

Cara, desculpa, mas sua contagem de CD4 não vai subir. Desde o ano passado está disponível a liberação de TARV pra quem for diagnosticado com o vírus. Antes disso, o limite era CD4 menor ou igual a 500. Sugiro que você comece logo, quanto antes, melhor fica sua contagem de CD4. Alguém publicou que estava com CD4 = x e CV de 9.000… Esse é o papel dos linfócitos TCD4: diminuir a carga viral. Eles fazem isso, mas aos poucos vão perdendo a batalha. Então se a sua CV está relativamente baixa, muitos CD4 trabalharam pra isso. Um amigo meu… Ler mais »

Positivo.RJ
Visitante
Positivo.RJ

Obrigado por sua opinião Willian. 😉

Secret Guy
Visitante
Secret Guy

A contagem de cd4 é muito variável. Ela pode subir sim!! EU descobri com cd4 +- 450 e agora está em +- 800 nos últimos dois exames! Semana que vem faço novos exames pra ver como está cd4 e cv!

abs!

William
Visitante
William

Mas você tá tomando a TARV, não é?

Pequena +
Visitante
Pequena +

Positivo Rj
Foi eu mesma quem decidiu não iniciar o tratamento agora, meu trabalho é muito corrido no final de ano, não teria como trabalhar podendo ter efeitos colaterais causados pela medicação. Tudo com o aval do meu médico.
Mas sempre atenta com minha saúde física e mental.
Qualquer sinal não conforme, corro para o CTA.
Boa sorte para vc 😉
Vai dar tudo certo, tenha fé.

Um forte abraço da Pequena +

Sam
Visitante
Sam

Oi cara + obrigado por me exclarecer pois só descobri a um mês e essa alergia é bem forte cria até casca no rosto região da barba e tudo mais e vermelidao no meu corpo como sarampo será pq descobri a pouco tempo e minha imunidade está baixa ainda pois emagreci e agora estou voltando no meu peso falta ainda 11 Kilos mas chego lá . Desculpe incomodar vcs mas sou novo e estou cheio de dúvidas obrigado mesmo segue meu email samys1209@gmail.com

Cara +
Visitante
Cara +

Oi Sami tentei te add no skype, mas não aceitou. Tenta me add por ai. carapositivo@outlook.com Pelo o que vc está relatando, é muito parecido com o que aconteceu comigo. Surgiam umas pequenas manchas no rosto (barba) e coçavam. Inclusive achei que era alergia a lâmina, ou coisa parecida. Depois que descobri que tem haver com a baixa imunidade. A infecto me receitou uma pomada – Betnovale 1mg/g e se caso continuasse, me encaminharia para um dermatologista. Isso some com o tratamento. Quanto ao corpo, bom, provavelmente seja o seu corpo se acostumando com a medicação, mas se for algo… Ler mais »

Philippe
Visitante
Philippe

Tbem fui diagnosticado há 4 anos. No começo tive depressão e efeitos colaterais. Durou uns 4 meses. Desde o 3 mes de tratamento o virus está indetectavel. Percebi mudanças no meu corpo, perda de gordura nas pernas, nádegas , braços e acúmulo na região abdominal. Estou com problemas de osteoporose no femoral e quadril. A infecto disse que é por causa dos retrovirais. Estou vivo e isso é o melhor da vida. Não serei hipócrita dizendo que levo uma vida normal. Nunca mais me relacionei com alguem.

Cida
Visitante

qual a medicacão que você usa, Philippe? Todos dizem que as mais recentes não causam lipoatrofia/distrofia… será que não é impressão sua ou mesmo algo psicológico?

Marques
Visitante
Marques

Cida, TODOS os antiretrovirais tem potencial de causar lipoatrofia/distrofia. A diferença é que os medicamentos antigos (didanossina, estavudina) causavam em um grau muito maior. Antes era lipodistrofia severa, os remedios atuais, tem potencial de causar lipodistrofia leve ou moderada.

Cida
Visitante

Descordo, Marques. Sei que os médicos falam isso, mas de qualquer for acho pouco provável e a minha justificativa é muito simples: quem aqui, que usa anti-retrovirais ha 5 anos ou menos, teve lipodistrofia? Se alguém realmente tiver disso DIAGNOSTICADO, e não uma impressao, deve ser uma minoria e olha lá. Enfim, alguém teve?

Cida
Visitante

*discordo…

Vida
Visitante

Philippe, você está fazendo tratamento para osteoporose?
Eu faço tratamento para osteopenia…

Henrique
Visitante
Henrique

Oi Cara +, vi sua conversa com o Sam, eu tbm tenho essa alergia no rosto região da barba, gostaria de saber qual pomada vc usou?
Eu descobri ser soropositivo esse ano em maio e comecei o tratamento com os ARTVs dia 26 de junho, tbm sou novo por aqui…. só descobri o blog ontem e confesso que era tudo q eu estava precisando!!!
Não conheço ninguém que seja soropositivo pessoalmente e essa falta de informação estava me fazendo muita falta!
Desde já agradeço a atenção, obrigado e forte abraço!

Cara +
Visitante
Cara +

Henrique

Betnovate 1mg/g, mas sua infecto que irá analisar e te dar a receita. Geralmente usada a noite, por no máximo 7 dias, pois podem causar manchas na pele. No terceiro dia, as manchas sumiram.

mas converse com ela pois acho que não conseguirás comprar sem laudo médico!

Henrique
Visitante
Henrique

Obrigado Cara +!
Vou sim conversar com ele!

Cara +
Visitante
Cara +

ahhhh, bem vindo seja!!!
vai quer que o pessoal é muito do bem aqui.

Marcos
Visitante
Marcos

Baita texto!

xan
Visitante
xan

Boa tarde galera, esse texto é muito válido pra minha vida, pois eu tmb pensei um monte de coisas ruins, mas já estou melhor, perguntei pro médico se eu um dia teria que tomar remédios, e ele me disse: que sim, um dia, pois meu CD4 estava 680 então eu pedi para começar, pois melhor antes do que tarde, ele aceitou, não senti tinturas somente um leve enjoo, mas já estou bem.

Ju Moura
Visitante
Ju Moura

Essas informações foram muito esclarecedoras. Sou professora de biologia e conheço pessoas soropositivas, sempre atualizo-me sobre o assunto. Gosto de manter meus alunos com informações coerentes. Mas de tudo que já li, esse esclarecimento foi o mais humano. Recentemente um amigo do meu pai descobriu ser soropositivo e morreu, depressivo, em poucos meses após o diagnóstico. Um caso lamentável mas que demonstra exatamente como essa auto-segregação pode ser séria. Parabéns pela iniciativa. Vou compartilhar com vários colegas.

Leo+
Visitante
Leo+

No começo é difícil mas com o tempo tudo fica normal, desde que vc se adapte a esta nova situaçao; é bem mais fácil do que parece. Faço exercícios, cuido da alimentação, vou ao médico e faço os exames regularmente a 4 anos (claro que continuo tomando meus pileques de vez enqdo tb, normal). O difícil realmente é se abrir para as pessoas e principalmente com seu parceiro (nunca consegui) devido ao preconceito e o medo de não ser aceito, porém sempre uso camisinha, sigo o tratamento e consequentemente estou indetectável. Vcs que descobriram agora, tenham paciencia e calma, continuem… Ler mais »

kim
Visitante
kim

Alguem com carga indetectavel, no sexo oral sem ejaculaçao entre ambas as partes(hxh) pode ocorrer a transmissao?? Ainda fica muitas duvidas sobre esse ato sexual, pois nao vemos quase nada

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Kim, na boa, pergunte exatamente com essas palavras ao seu infectologista. Tecnicamente o risco é mínimo, mas existem protocolos que um profissional da área médica tem de seguir, então ele não costuma fazer certas afirmativas sem que o protocolo seja autorizado. Ou seja, corretamente, ninguém quer se responsabilizar por uma possível contaminação alheia…vai que ela ocorre: de imediato o paciente irá processar o médico, não é assim?! Nesse caso, como nós(os soropositivos) somos os mais interessados temos de saber e entender de fato qual o risco para que (cada qual com seu respectivo parceiro) possamos decidir se iremos assumí-lo ou… Ler mais »

Visitante
Visitante
Visitante

Lindo texto, super bem escrito e com informações preciosas! Não sabia de muitos fatos, obrigada por ajudar a difundir um conhecimento tao importante. Força a todos que estão passando por isso e bora compartilhar essas informações para a sociedade!

dns
Visitante
dns

Acabei de descobrir hj q sou soro positivo. Estou em choque. Já chorei a tarde toda. E ainda tendo q esconder dos meus familiares, já q moramos na MSM casa. Não tive coragem de contar a minha mãe.
E não sei nem por onde começar. Pra contar pro meu namorado… Nem sei aonde ir pra procurar ajuda. Qro me cuidar o mais rápido possível.
Só não tirei minha vida por causa da minha mãe e do meu namorado. Não qro q eles sofram mais…

Hope
Visitante
Hope

Caro DNS, meu marido me contou – e só a mim, que seu exame havia sido positivo sem meias palavras, depois de check up por conta de uma febre intermitente. Isso enquanto me levava ao laboratório para fazer o exame. Disse ainda no caminho que iria se matar. Já fazem quase dois meses.
Hoje, ele está trabalhando normalmente, tomando seus remédios e pensamos pouco sobre o assunto. Claro que nas primeiras semanas ele chorava muito e eu tive que ser meio equilibrista por causa de meus filhos.
Garanto a você que as coisas vão melhorar.
Deus te abençoe.

kim
Visitante
kim

Porque se matar?? Leia varios topicos aqui no blog, eles irao fazer vc se sentir melhor, se precisar imprima pra seus familiares as reportagens e tome seu remedio regularmente. Viva

Pequena +
Visitante
Pequena +

dns

Sei como vc está se sentindo 🙁
Olha, a princípio procure um CTA, explique sua situação, e lá vc irá encontrar apoio psicológico e informações necessárias.
Todos lá estão preparados para nos acolher.
Quanto a contar, respire fundo, não saia contando para todo mundo nesse primeiro instante.
As coisas vão se acalmar.
Confie e tenha fé 🙂

Bjus da Pequena +

Ricardo
Visitante
Ricardo

Meu amigo esta fase chsta acontece com td mundo, daqui a pouco vera o quanto foi exagerado pois ira ver q a vida segue quase q normalmente, falo quase porque ira iniciar a
TARV, te falo por experiencia propria, nao eh nenhum bicho papao, alias, passa a ser nosso maior aliado nesta nova fase da vida…Fique calmo, pense a partir de agora no que vc pode melhorar ! Se quiser algumas dicas me mande um email: rick_vade@hotmail.com.

Felipe Rec
Visitante
Felipe Rec

DNS, eu descobri a um mês e meio, olha, não conte pra ninguém ainda, talvez nem haja necessidade de contar, como já disseram, procure um CTA deve haver algum em sua cidade, ou uma cidade próxima, o psicólogo vai te dar as orientações, é muuuuuuuuuuuuuuuuito difícil , mas, a gente não morre disso, então precisamos trabalhar, estudar, pagar as contas, vc terá que representar, ser ator várias vezes, pra que pessoas não percebem seu estado deprimido, é necessário. Quanto a seu namorado, escolha as palavras certas e o momento certo, depois da conversa com o psicólogo,pois aí vc vai passar… Ler mais »

Beliver
Visitante
Beliver

Amigo DNS, fica em paz! É natural o choque, normal para a a grande maioria dos casos. Eu choquei no primeiro dia, no segundo ainda nao estava mto bem, mas Orei mto, pedi para que Deus consolasse meu coração, e assim Ele o fez querido DNS! Tente isso de todo seu coração e verá que td pode melhorar! dia 02/12 faz 1 ano do meu diagnostico, JAMAIS passou pela minha cabeça me matar, sempre peço a Deus, serenidade, sabedoria e mta força pra seguir em frente firme e forte! As pessoas ainda acham que ter HIV é o mesmo que… Ler mais »

Tatá
Visitante
Tatá

Muito bom e informativo. Faltam campanhas para incentivar a população a fazer exames de HIV. Esse ano fiz pela primeira vez e, como dizia que não era conclusivo e eu não sabia como funcionava a janela imunológica, esse texto me deu uma segurança quanto ao resultado negativo, portanto, acho eu que hoje posso me considerar uma soronegativa, mas pretendo sempre continuar a fazer os exames, pois qualquer doença torna-se mais perigosa quando não é diagnosticada a tempo.

fabricio
Visitante
fabricio

Sabe eu ja to de saco cheio disso tudo cada hora uma coisa diferente os remedios so de pensar em tomar quero morrer ,to so o coro e o osso ,sem vontade de viver sem humor ,se tudo isso nao acabar logo e nao tiver uma cura eu mesmo terei que acabar com isso tenho 26 anos descobri eu tava com 17 imagina pra mim ja chega .

Secret Guy
Visitante
Secret Guy

Vc não usa medicação, Fabrício?

Rod
Visitante
Rod

Ótimo texto! Sou soronegativo e namoro um soronegativo. Namoramos durante 2 anos antes dele entrar em contato com o virus, terminamos o namoro durante um intercâmbio que fiz durante um ano e nesse meio tempo ele foi contaminado pelo vírus. Ao retornar do intercâmbio, sabendo de tudo isso e que ele já estava se tratando, nós decidimos sim continuar o namoro. Foi bem difícil fazer sexo nas primeiras vezes, não tirava da minha cabeça o fato dele ter o vírus. Mas depois de muitas pesquisas sobre o assunto eu vi o quanto mais seguro eu estava com ele do que… Ler mais »

Rod
Visitante
Rod

Correção: Namoro um soropositivo*

Beliver
Visitante
Beliver

Que lindo de ler isso Rod!!! Esse tipo de atitude demonstra para o pessoal que acha que a vida acabou, que é possivel sim ter um relacionamento estavel. Eu tive a oportunidade de namorar um soronegativo, só nao deu certo, pois o rapaz era um psicopata, louco, maníaco possessivo, caso contrario, estaria com ele ate hj. Deus o abençoe!

eddy
Visitante
eddy

Olá… Descobri que sou soro positivo hoje, confesso ter ficado sem chão… Porem não estou tão desesperado. Mês que vem farei a primeira consulta com o infecto…o que mais me chateia é como chegar para falar para o meu namorado?!

Nayara Alves batista
Visitante
Nayara Alves batista

Oi galera isso tudo e uma maravilhaaa..tudo que voces falam,e uma grande ajuda ,minha mae e soropositiva..descobriu a 5 anos ..ela entro em depressão uma fase muito ruim..mas hoje ela intende a AIDS e convive normalmente com tudo ..queria saber se pessoas com AIDS vivem por muito tempo ??

Cara +
Visitante
Cara +

Nayara

se vc der uma procurada no tio Google, vai ver que a média de vida é quase a mesma de um soronegativo, desde que tomados alguns cuidados e tratamento.

Vida normal que segue!

Luke
Visitante
Luke

Já havia me adentrado no seu blog antes mesmo de me descobrir soropositivo e me serviu de grande ajuda quando fui diagnosticado.
Hoje me deparei com o seu texto sendo disseminado pelas páginas do facebook por diversas pessoas leigas.
Incrível como suas palavras tem o poder de informar e serem de maneira tão esclarecedoras a ponto de fazer alguém soronegativo compartilhar suas ideias. Fascinante.
Lembre-se que apesar de atingir a idade cujo larga a juventude atrás, a juventude sempre nos acompanhará aqui dentro. Serás sempre jovem.
Parabéns pela superação e pela capacidade de ajudar.
Fica aqui o cumprimento de um admirador.

minhaexperiencia
Visitante
minhaexperiencia

Olá pessoal, vi alguns comentários e li quase todo o texto. Minha estória não é das melhores, sou gay porém sou do tipo super discreto, eu e meu parceiro tínhamos uma vida fora do mundo gay, super discreta tanto que a maioria das pessoas pensavam que eramos bons amigos. No segundo semestre do ano passado meu parceiro começou a apresentar alguns sintomas como febre e micoses pelo corpo, corri pra fazer exame e não deu nada, repeti tb negativo. Ele meio relutante em fazer mas como meus tinham dados negativos não insisti. Melhorou e mudamos fomos morar juntos e nos… Ler mais »

Marques
Visitante
Marques

Sinto muito. Percebe-se que você realmente ficou muito abalado, não precisava repetir vários exames durante um ano. A janela imunológica é de 60 dias.
Se vocês dois moravam juntos, você deve dar entrada no pedido de aposentadoria no INSS. Só precisa comprovar a união com ele.

Cara +
Visitante
Cara +

história bem triste minhahistória.

Obrigado por partilhar aqui no blog sobre a importância em diagnosticar o quanto antes e principalmente, proteger a quem se ama!

meus mais sinceros sentimentos!

junior
Visitante
junior

Essas infornaçoes sao otimas, um pouco de cada um aprendemos mais e mais, descobri a pouco tempo eu e meu ex parceiro , ele teminou por conta de outros problemas no relacionamento, me deixou ao relento e assim q me sinto, esta sendo muito dificil pra mim nao sei o q fazer nem como agir , a unica coisa q me da força p continuar e pensando na minha familia, se alguem poder me add no whatsapp pra conversar melhor agradeço e muito , sou do rio de janeiro. Whatsapp 21 993581904

Adri
Visitante
Adri

Novata no blog e em tratamento há 4 meses.

Apesar de todo o sentimento de culpa, tristeza e desespero em alguns momentos.. encontrei esse blog que têm me confortado bastante..tenho acompanhado de longe, mas também quero fazer parte deste grupo..

Parabéns Jovem e a todos que compartilham nosso problema!

Superação
Visitante
Superação

Olá, tenho 22 anos e recebi meu diagnotisco aos 18 de novembro de 2014, por volta das 09h45. Eu me senti mais aliviado por ter tirado a dúvida e me senti muito triste, afinal todos ficamos. Eu penso na vida, nos sonhos, na família. Eu agradeci a Deus pela sua Justiça. E tenho pedido forças. Irei continuar na faculdade, no meu trabalho, irei vencer. Queridos, nada acontece por acaso. Eu sou jovem, isso não vai me derrubar, é preciso ir além. Já agendei meus novos exames e minha primeira consulta com meu novo “pai”. Vamos orar uns pelos outros. Não… Ler mais »

Beliver
Visitante
Beliver

Vc foi o primeiro alem de mim que eu vi falar de Deus, de que agradeceu, que pede forças, a vontade de viver e mais… Fico extremamente feliz em saber que existe pessoas como vc amigo! É assim que todos devemos pensar e agir… A vontade de vencer, deve ser maior que o mede de sucumbir ao virus! Eu tenho essa vontade, e sou um vencedor tbm! Descobri minha situação no penultimo semestre da faculdade (Me formei em Farmácia), e isso nao me impediu de seguir em frente! Me formei, tive meu grande baile e ele foi lindo! E Deus… Ler mais »

Bruno Monteiro
Visitante
Bruno Monteiro

Excelente texto. Realmente me parece difícil fazer a sociedade como um todo, da noite para o dia, mudar seu entendimento sobre os soropositivos. No entanto, a única coisa que faz alguém mudar de ponto de vista é o conhecimento. É necessário que a informação chegue. Eu, hoje, depois de ler esse texto, já aprendi muito mais do que sabia até alguns minutos atrás e certamente isso permite que eu modifique meu ponto de vista. Porém, para atingir uma sociedade, é preciso que se veicule essa informação em mídias de massa, como a televisão. Não há outro jeito. Tem que ser… Ler mais »

Paula
Visitante
Paula

O problema da nossa sociedade é a generalização, a preguiça de conhecer e de pensar. Vivemos em um mundo em que apenas um esteriótipo tem valor e todo o restante é considerado impróprio e simplesmente desprezado. A maioria da população sofre preconceito: velhos, mulheres, gays, deficientes, negros, doentes… Precisamos criar a consciência da diversificação, precisamos disseminar a cultura do pensar de forma lógica e racional. Se nunca houve perigo em conversar com alguém que tem HIV porque o medo descontrolado de fazer isso até nos dias de hoje? Se alguém é gay qual diferença isso faz na vida? Ela ainda… Ler mais »

Sérgio
Visitante

Perfeita colocação Paula.

FNX
Visitante
FNX

Contrai o vírus em 2011, porém nunca achei que iria morrer por causa disso. Quando descobri, já estava com muita febre, dor de garganta, alergia no couro cabeludo e na barba e meus pés estavam ambos com muita micose. Havia perdido cerca de 20kg e o jeito era começar logo o tratamento. Tonturas, enjôo, e pesadelos ai decorrer da noite me faziam pensar e refletir sobre o que tinha feito. Cheguei a pensar em me suicidar, mas em um centro espírita descobri que foi eu que escolhi essa vida, e não poderia acabar com ela desse jeito. Vou lutar até… Ler mais »

salles
Visitante
salles

Olá galera,há dois meses tomo atvr e em mim não surgiu nenhum efeito colateral, eu nem lembro que tenho HIV,vivo normal,trabalho,estudo e faço minhas atividades normais do dia a dia,hj eu me cuido mais me alimento melhor como tem que ser ne gente . E logo logo essa cura ta surgindo ai gente,e quando surgir isso será uma grande lição pra nós viu um grande aprendizado de amadurecimento, e de saber que somos fortes por ter conseguido superar,seremos pessoas muito.melhores que antes…

Curiosa
Visitante
Curiosa

Bom dia! Acabo de ler não só o excelente texto, como também os comentários… Gostaria de dizer aos nossos amigos principiantes,que vcs não precisam se sentir culpados, pois, culpados são pessoas como eu (sorointerrogativa) e não tenho coragem de fazer o exame… com certeza o medo q a sociedade nos impõe faz com que o vírus se propague… Não saber se tem o vírus por medo de julgamento, é muito mais terrível do Q saber e cuidar para não transmitir… portanto, a culpada sou eu… pessoas como eu Q não tem coragem e nem responsabilidade cm o próximo… Depois desse… Ler mais »

Believer
Visitante
Believer

Sem palavras pra descrever o quao bom e informativo foi esse texto. Me identifiquei com algo, a data de diagnostico. Faço aniversario no dia Mundial da Luta contra a AIDS (tenho 27 anos) , e meu diagnostico se deu no dia seguinte! Sou da area da saude, sempre tive curiosidade com esse tema e qustao, e sempre quis poder ajudar, fazer algo louvável a pessoas neste condiçao. Nao mudei meu pensamento, apenas nao sei por onde começar, ou se teria psicologico pra isso. Mes que vem faz 1 ano que fui diagnosticado, ainda nao preciso de medicamentos, esta td bem… Ler mais »

kim
Visitante
kim

Ninguem me respondeu, sniff

Mutatis Mutandis
Visitante
Mutatis Mutandis

Kim, me arisquei a comentar. Espero que lhe ajude! Abraço!

jaime
Visitante
jaime

Fui diagnósticado em março de 2012. O primeiro ano foi muito difícil. Me isolei e não me relacionei com ninguém. A medicação me causava muita diarréia (tomo lopinavir, ritonavir, lamivudina e zidovudina) fui detectado com um carga muito alta e cd4 muito baixo, então entraram com medicação pesada, e continuo com a mesma até hoje. Me aconselharam a não ficar trocando a medicação. Hoje minha dificuldade é encontrar namorado, por causa do preconceito, mas fora isso vivo muito bem e sou feliz. Tenho 34 anos.

junior
Visitante
junior

Gostaria de conhecer alguem q possa me ajudar em conselhos e tudo mais, me sinto perdido por nao ter ninguem ao meu lado.

Whatsapp – 21 993581904 ou me liguem ,serao muito bem vindo

USE CAMISINHA
Visitante
USE CAMISINHA

É extremamente importante que junto a luta contra o preconceito e a falta de informação venha o incentivo e a informação de que as pessoas NÃO deixem de usar camisinha. Infelizmente o contagio por HIV tem crescido no Brasil, principalmente na faixa etária de 15 a 24 anos, justamente porque essa é uma geração que não viu os horrores provocados pela doença e que cresceu achando que a doença é uma coisa simples. Que o tratamento é como o tratamento de uma gripe e que por isso podem sair transando por aí, após as baladas com muito álcool e drogas,… Ler mais »

Alessandra
Visitante
Alessandra

O texto é incrível, extremamente informativo, mas as duas imagens das propagandas são tão agressivas e inapropriadas – como bem dito no texto – que quase não abri o link para ler, pela aflição q me dão. =/ Parabéns pelo blog. Compartilharei!

Sonhos!
Visitante
Sonhos!

Eu só tenho apenas uma semana , quando fiz os exames eu estava quase ciente , eu sou bonito , joven , bom , trabalhador , uma pessoa do bem , eu não sou frio , eu eu penso em amar eu tenho sonhos. , aparte dali eu respeito meus limites , e se eu tenho vida , eu vou aproveitar. ,o preconceito existe eu quero. Apenas me conscientizar q tenho q ser mais forte q ele , lutar contra ele está sendo muito mais difícil do que ter q tomar todos os remédios , eu não me vejo diminuído… Ler mais »