Notícias
Comentários 42

Ensaio sobre a cegueira


Resposta americana ao ebola faz eco dos primeiros dias da epidemia de aids

Por Lucy Westcott em 5/10/14

Um trabalhador vestindo roupa para proteção chega ao apartamento onde um homem diagnosticado com o vírus ebola estava hospedado, em Dallas, Texas, 03 de outubro de 2014 REUTERS / Jim Young.

O surto de Ebola, que se tornou uma crise humanitária na África Ocidental, finalmente alcançou os EUA na semana passada, quando um paciente em Dallas, Texas, foi diagnosticado com o vírus. Ebola não é uma doença transmitida pelo ar e só é transmitida através de contato com fluidos corporais como saliva, fezes e urina. Ainda assim, isso não impediu o surgimento de um pequeno pânico, agora que chegou à costa norte-americana. Especialistas em saúde global estão preocupados que, agora, nos EUA, a estigmatização de pessoas dos três países mais afetados da região — Serra Leoa, Guiné e Libéria — venha a seguir.

Estamos vendo uma estigmatização dos três países em grande escala”, disse Laurie Garrett, membro sênior para a saúde global no Conselho de Relações Exteriores, à Newsweek. Há todo tipo de conversa: se o transporte naval e aéreo deveriam cessar os embarques para estes países ou nações vizinhas, recusando voos de e para esses países”. Essencialmente, isso permite que a doença apodreça dentro dos países afetados, uma vez que restringe o acesso dos profissionais de saúde para tratar os doentes e inibe o processo de contenção da doença.

Na sexta-feira, a Universidade do Hospital Howard de Washington disse que tinha admitido um possível paciente com ebola em uma abundância de cautela.Essa notícia foi acompanhada pelo anúncio dos Centros de Controle de Doenças (CDC), dizendo que Thomas Duncan, a primeira pessoa diagnosticada com ebola nos EUA, tinha sido internado em um hospital em Dallas.

Cerca de 50 pessoas em Dallas que entraram em contato com Duncan estão sendo monitoradas diariamente, incluindo 10 pessoas que são consideradas de alto risco, segundo David Lakey, comissário do Departamento de Serviços de Saúde do Texas, durante uma conferência de imprensa na sexta-feira. Membros da família de Duncan foram postos em quarentena em seu apartamento e os lençóis de Duncan permanecem sobre o colchão e ainda não foram removidos de seu apartamento.

Os números mais recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS) colocam o número de mortos pela doença em mais de 3.430, com mais de 7.470 infectados a partir de outubro 3. Milhares de crianças na África Ocidental perderam pelo menos um dos pais para o vírus e são evitados pelos membros da família, com medo de levá-los para casa e contrair a doença.

A Canadian Broadcasting Corporation encontrou Esther, uma menina de Monróvia, capital da Libéria, que venceu o ebola, mas perdeu ambos os pais para o vírus. Esther acredita ter entre oito e dez anos de idade, mas ninguém sabe ao certo, uma vez que a mãe e o pai estão mortos.

Aqui nos EUA há muita razão para se preocuparque as pessoas que recentemente visitaram a África Ocidental serão estigmatizadas, disse Garrett. “Eu vejo isso apenas rastreando pelo Twitter: é muito, muito evidente que os americanos estão dizendo que ninguém destes países deve ter entrada permitida nos EUA.

Comunidades da África Ocidental em todos os EUA estão antecipando uma reação pública: uma mulher em Minnesota removeu “Africano” do nome de seu restaurante e lojistas tomam precauções de higiene extra, segundo o New York Times.

“Há pessoas que pensam que, na era da globalização, você pode construir um muro em torno de uma epidemia e usar táticas para parar o ebola que seriam aplicadas à pragas no século 18″, diz Garrett. Examinar no embarque, não deixar embarcar e examinar antes do desembarque“, segundo Garrett, não é realista. Não mais se leva duas semanas para ir do ponto A ao ponto B. Demora horas”, disse ela.

A desinformação sobre como ebola se propaga e as especulações da imprensa, incluindo uma reportagem do The Telegraph citando Anthony Banbury, o representante especial para o ebola escolhido pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, quem diz que o ebola teria o potencial para se tornar uma doença transmitida pelo ar, bem como Elisabeth Hasselbeck da Fox News perguntando aos profissionais de saúde sobre por que eles não estão mais em pânico, não ajuda.

Jennifer Kates, vice-presidente e diretor de saúde global e política para o HIV na Fundação Família Kaiser, disse à Newsweek que ela teme que nas próximas semanas a resposta do público ao ebola, nos EUA, poderia espelhar o medo visto durante os primeiros dias da epidemia de aids, quando alguns profissionais de saúde se recusaram a tratar pacientes com aids.

Nos primeiros dias da epidemia de aids nos EUA, o medo, o estigma, a recusa de tratar as pessoas, de tocar as pessoas, foi um grande desafio”, disse Kates à Newsweek. “Já existem histórias de medo e preocupação sobre quem tem visitado países na África Ocidental”.

Kates compara isso às atitudes expressas para com o povo do Haiti, nos primeiros dias da epidemia de aids. Haitianos passaram a fazer parte dos “quatro H” de “homossexuais, viciados em heroína, hemofílicos e haitianos”, segundo a Avert, uma organização internacional sem fins lucrativos para combater HIV e aids.

O receio de que as crianças em Dallas possam ter sido expostas ao vírus ebola vai aumentar a probabilidade de respostas públicas estigmatizantes  à doença, diz Garrett. Ela usa o exemplo do abuso sofrido por hemofílicos durante a epidemia de aids, quando milhares dos quais foram infectados com aids a partir de produtos sanguíneos contaminados. Assim que você inclui as crianças em uma história, o nível de ansiedade sobe como um foguete”, disse ela.

A última pesquisa de opinião pública sobre a resposta americana contra o ebola foi realizada antes do paciente de Dallas ser diagnosticado. Em agosto, 39% dos adultos estavam preocupados que haveria um grande surto” nos EUA e 26% se achavam que seus familiares poderiam ficar doentes, de acordo com a Escola de Saúde Pública de Harvard e com a enquete da Social Science Research Solutions (SSRS).

Gillian SteelFisher, vice-diretor do Programa de Pesquisa de Opinião na Harvard School of Public Health, disse à Newsweek que novos dados com base na opinião pública, agora que há um caso de ebola em os EUA, serão publicado nas próximas semanas.

“Não me surpreenderia em nada que, agora em que há um caso na comunidade, que veio em um avião e que foi dispensado de uma unidade de saúde, que o público tenha novos e revigorados temores sobre o ebola“, diz SteelFisher. “O que acontecerá nos próximos dias e semanas é fundamental para moldar a percepção do público sobre qual o tamanho do risco eles enfrentam.

Se este caso for contido, então eu acho que não vai haver muita mudança. Se houver mais pessoas que entraram em contato e mais pessoas que adoeceram, eu esperaria maior temor“, disse ela. O presidente Barack Obama chamou a ameaça do ebola de uma ameaça à segurança global, quando falou nas Nações Unidas na semana passada. No entanto, ele não mencionou o estigma que provavelmente será enfrentado pelas pessoas que são diagnosticadas com a doença.


Anúncios

42 comentários

  1. Sérgio diz

    Sim agora os Eua estão com o c na mão. Agora deram outra droga experimental Brincidofovir , que estava em testes contra o citomegalovírus e adenovírus , porque não deram o Zmapp? Talvez por ele ser Liberiano? Sei lá. Segundo matérias o Zmapp se esgotou e está sendo produzido mais.
    http://www.xconomy.com/raleigh-durham/2014/10/06/texas-ebola-patient-gets-chimerix-drug-clinical-trials-planned/
    http://www.ibtimes.com/ebola-outbreak-2014-thomas-eric-duncan-will-be-treated-brincidofovir-experimental-drug-1700054
    http://noticias.univision.com/article/2117787/2014-10-07/estados-unidos/noticias/el-paciente-con-ebola-atendido-en-dallas-recibe-un-nuevo-farmaco-experimental
    Nessa última , muitos até estão questionando porque não lhe deram o Zmapp. É complicado demais !!!!

  2. Niño diz

    Olá pessoal! Tenho acompanhado o blog em off. Hoje faz um mês que descobri sobre o virus. Comecei a medicação ontem e hoje fiquei grogue. Nenhum efeito a mais. Apenas tontura e um pouco de sonhos estranhos. Normal para os primeiros dias. No mais fiz alguns amigos que tem conversado bastante e fico muito feliz de está me abrindo pro mundo novamente. Um grande abraço e sobre a notícia, como sempre muito alarme para pouco problema. Mas importante está ciente da situação. Quem quiser mandar um email ou skyp para conversar. pequeninolemos@gmail.com ou pequeninolemos no skp. Abraços

    • pequeno silva diz

      Lemos,

      broder, dará tudo certo e estou sempre a postos!!!

      Abraços

    • Sérgio diz

      Camillo essa guerra contra o hiv gera muitas controvérsias , na década de 90 começaram a fazer vários testes com a interleucina , nossa famosa revista sensacionalista chegou a falar que levaria a cura do hiv : http://super.abril.com.br/saude/rasteira-hiv-437955.shtml , depois afirmaram que os resultados dos testes foram negativos
      Agora , estão fazendo novos testes com a interleucina , após terem feito no passado e afirmarem que não tinha obtido resultados positivos.
      http://www.jbc.org/content/early/2013/05/02/jbc.M113.468975
      É muita informação que chega a confundir a nossa mente kkk. Abraços .

      • Camillo diz

        Sérgio, a medicina é assim mesmo, não é matemática. Muitas vezes um remédio testado pra uma doença não funciona, mas seu efeito colateral é a cura de outra… então… por isso muitos testes e cuidados.

        • Sérgio diz

          Vc não entendeu Camillo , ela foi testada contra o hiv (década de 90), e dita como promissora na época , e que poderia levar até a cura. Depois afirmaram que os resultados foram decepcionantes . Agora estão fazendo testes com ela de novo , consegue entender ? Se fizeram vários testes e afirmaram claramente que não funcionou com o hiv , porquê novos testes? A doença é a mesma!!!!

    • cris diz

      So pra ficarmos felizes juntos, hjeu recebi meu exame que deu indetectavel…. to feliz

      • Pequena + diz

        cris

        Parabéns!!!
        Fico feliz por vc 😉
        Terça que vem vou colher exame de carga viral…
        Ansiosa 😦

        • Cris Gaucha diz

          Não Camillo meu amor…,

          Ainda não sou eu com essa noticia maravilhosa. Mas ela logo virá.

          Mas estou feliz pela Cris e por todos que já estão.

          Bjinnn

      • Parabéns Cris!! Eu mudei a minha medicação também e espero também que esteja dando certo!

        Beijosss

        • CARA + diz

          uhuuuullllll Vida!
          que ótima notícia para começar bem o final de semana!
          nós te amamos!!!

  3. Sérgio diz

    Sim Camillo , mais uma de várias e várias noticias , que não fique por ai como algumas descobertas , na matéria que vc passou diz no final “Estes anticorpos neutralizantes mantém a proteína em estado fechado, prevenindo a disseminação do vírus” isso significa mais uma vez , que seria necessário a utilização , que já gerou polêmica , dos anticorpos monoclonais , para fazer cópias desses anticorpos neutralizantes . Já disse e repito , o caminho mais perto de um melhor tratamento são os anticorpos monoclonais.

  4. tc diz

    Você está lá na fria Philadelphia,dentro de um avião que, em breve, vai te levar para as tão sonhadas férias em Punta Cana! Até que um desgraçado espirra e diz “brincando” que estava com EBOLA. Meu amigo. Se você está nos estados unidos da america, brincar com algo que é ameçador é um ultraje.
    Olha a M que deu.

    Em tempo, JS, valeu por ter respondido o e-mail. Comecei o tratamento hoje! Fui segunda no infecto e ele me perguntou se eu estava bem, disse a ele: Eu que te pergunto!E os resultados foram CD4, 284 CV 64 mil e poucas cópias. Ele me perguntou se eu estava bem psicologicamente para começar a adesão, disse que sim, conversamos um pouco, e ele me deixou mais tranquilo. Falou que eu poderia esperar se quisesse, eu neguei, quanto antes melhor! Ele me falou um pouco sobre as reações adversas, e foi até bem brando. Efavirenz, lamivudina e tenofovir, meus novos amigos. Tomei fazem duas horas, tonteira do efavirenz – CHECK! Estou escrevendo deitado, as letras as vezes ficam um pouco turvas, mas já escrevi com essa sensação antes, bêbado. Se for só essa tonturinha tá tranquilo, dá até um barato. Costumo ser assim, levar as coisas mais leves e rir. Não tem outra saída, é viver ou viver! Vivo como sempre vivi, já vinha cuidando do meu físico há 6 meses malhando diariamente, aliás, minha única preocupação é que os efeitos colaterais me fizessem perder umas semanas de academia, acho que vou não. Também li a respeito do WHEY e tem estudos muito bons a respeito e as conclusões são positivas! (rs) Então bora malhar galera!

    Por hoje é isso gente, tomara que não se confirme o EBOLA no Paraná.

  5. happylife diz

    Descobri a uma mês que tenho o vírus e já faz uma semana que estou tomando a medicação, hoje acordei muitoooo fraco, situação a qual não ocorria quando estava sem o medicamento, outros sintomas como os ditos sonhos vividos e insônia não aconteceram, porém essa fraqueza vem me incomodando. Alguém sente esse tipo de sintoma?

    • Boom diz

      olá happylife! Vc deve estar usando o mesmo que eu efa+tenof+lamiv , essa fraqueza matinal, apatia, irão passar com o tempo. Tente levar sua vida tranquila, estudando, trabalhando, cuidando da alimentação, e sempre com pensamento positivo. Fique bem. Estou com 5 meses de tratamento, já sem os efeitos colaterais, estudando, trabalhando e ainda vivendo uma relação sorodiscordante…rsrs.. Acompanhe o blog e veja outros comentários e postagens “positivas”. Cada corpo funciona de uma forma, no meu caso, quando diminuí a ingestão de gorduras e doces minhas tonturas e fraqueza muscular diminuíram.

    • CARA + diz

      Happylife

      como disse o Boom, cada corpo acaba reagindo de uma maneira. Você vai ver que com o passar dos dias, esses sintomas desaparecem. Eu mesmo, não tive nenhum efeito colateral, mas vez ou outra surge uma espécie de “alergia” em alguma parte do corpo, que em seguida some.

      Sabe qual o meu segredo? não dar bola para ela!!! hehehe, pois se inventar de colocar a unha encima para coçar, já vira um vermelhão!!!!

      Agora, na quinta feira tenho consulta e vou comentar com minha infecto sobre isso, mas como se trata de algo beeeemmmm leve, nada que não possa suportar, to de boa!!!

      O negócio é ter uma vida feliz (happylife). Curti o nick!

    • Camillo diz

      Oi Lúcia, vamos acompanhar né, vai que.. Dizem já ter curado o HCV após 48 semanas e acreditam em resultados efetivos contra o HIV. Sairão mais resultados de testes com 30 pessoas antes do final de 2014. Espero que mencionem algo sobre o HIV. Fiz comentários lá no somos mais positivos.

  6. LUCIA diz

    Estou com dor nas pernas , nas veias das pernas e uma gripe ou seja uma coriza , verifiquei minha temperatura esta trinta e oito e meio será que os vasos estão inflamados ? diagnosticada a um ano e meio torcem por mim ,pois febre assusta , outra duvida não tenho muito conhecimento cientifico , pelo que vocês acompanham tipo sobre proteínas e demais descobertas estamos perto do fim ? Um ótimo fim de domingo e torçam por mim ,também estou espirando .

    • Seth RJ diz

      Lucia, procure um médico pois pode ser trombose.
      Você usa Antiretrovirais?

      Eu tenho pavor de febre!

  7. Gledson diz

    Olá pessoal, boa noite!! Fui diagnosticado como soropositivo no mês passado, já marquei uma consulta com o Infectologista para semana que vem. Infelizmente tenho que depender do Sus, pois essa consulta é muito cara. Até o momento estou tranquilo, porém eu sei que não será fácil, apesar do que todos falam ” você terá uma vida praticamente normal”. Mas, quero deixar aqui meus parabéns a JS e a todos que participam desse maravilhoso espaço para trocar informações, foi realmente uma ideia genial.
    Ao longo do tempo pretendo aparecer mais vezes para comentar como está sendo o meu tratamento.

    Abraços a todos!

  8. Camillo diz

    Gledson, felizmente você tem o SUS para se consultar e pegar os remédios gratuitamente.No início é realmente difícil se acostumar com a condição de soropositivo, sentença de morte há 16 anos. Hoje em dia você leva vida normal, com o compromisso de ingerir diariamente os abençoados arv’s, o que não é nada complicado. Os efeitos colaterais passam relativamente rápido. Bola pra frente!

    • Gledson diz

      Camilo,

      Obrigado pela força! Talvez você não tenha entendido minha colocação. Eu acho um pouco demorado essa questão de marcação de consulta, sobretudo quando a pessoa pega o resultado e é informado que está contaminado. No meu caso, só quero resolver logo a situação, mas infelizmente as coisas são demoradas. Se dependesse de mim, já me consultaria com o Infectologista no outro dia.

      Mas, vamos em frente!
      E como você falou, felizmente temos o SUS para pegar as medicações e fazer o tratamento.

  9. Aquela “ressaca” que eu sentia assim que tomava o efavirenz eu já não sinto mais!!
    Substituir o kaletra pelo efavirenz foi a melhor coisa que fiz na minha vida!! Só espero que esteja fazendo o efeito desejado!!

    Posso dizer que estou “amando” o efavironha. 😛 ..

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s