Mês: outubro 2014

A origem do HIV

Pandemia de HIV teve origem em Kinshasa em 1920, dizem cientistas Cidade próspera com várias ligações de transporte e fluxo de trabalhadores do sexo masculino se tornou incubadora perfeita para cepa pandêmica do HIV. A “tempestade perfeita” de mudança urbana que começou em 1920 em Kinshasa levou à propagação catastrófica do HIV em toda a África e no resto do mundo, de acordo com cientistas que usaram sequenciamento genético e registros históricos para traçar as origens da pandemia. Embora o vírus provavelmente tenha cruzado de chimpanzés para os seres humanos em anos anteriores na região do sul de Camarões, o HIV se manteve uma infecção regional até entrar na capital do que é hoje a República Democrática do Congo. A partir dos anos 1920 até 1960, a cepa pandêmica do HIV — outras cepas fracassaram — se propagou de Kinshasa, atravessou fronteiras para outros países e, finalmente, desembarcou em continentes distantes. Até hoje, já infectou quase 75 milhões de pessoas em todo o mundo. Quando o vírus surgiu, Kinshasa era agitada. Foi o maior e mais rápido …

Avalie isto:

Ensaio sobre a cegueira

Resposta americana ao ebola faz eco dos primeiros dias da epidemia de aids Por Lucy Westcott em 5/10/14 O surto de Ebola, que se tornou uma crise humanitária na África Ocidental, finalmente alcançou os EUA na semana passada, quando um paciente em Dallas, Texas, foi diagnosticado com o vírus. Ebola não é uma doença transmitida pelo ar e só é transmitida através de contato com fluidos corporais como saliva, fezes e urina. Ainda assim, isso não impediu o surgimento de um pequeno pânico, agora que chegou à costa norte-americana. Especialistas em saúde global estão preocupados que, agora, nos EUA, a estigmatização de pessoas dos três países mais afetados da região — Serra Leoa, Guiné e Libéria — venha a seguir. “Estamos vendo uma estigmatização dos três países em grande escala”, disse Laurie Garrett, membro sênior para a saúde global no Conselho de Relações Exteriores, à Newsweek. “Há todo tipo de conversa: se o transporte naval e aéreo deveriam cessar os embarques para estes países ou nações vizinhas, recusando voos de e para esses países”. Essencialmente, isso …

Avalie isto:

Histórias de amor

O Atitude Abril – Aids tem a honra de apresentar a vocês o projeto: “Histórias de amor em tempos de Aids”, que vai contar histórias de amor entre pessoas que vivem ou convivem com o HIV/aids. O projeto contará com histórias de casais soropositivos ou sorodiscordantes, sejam eles héteros, gays, bissexuais ou trans (travestis e transexuais). Envie pra gente a sua história de amor! O objetivo é mostrar para as pessoas que há muita vida, amor, esperança e sonhos mesmo após um diagnóstico difícil como é o HIV. Além de histórias de casais, também são muito bem-vindas histórias de famílias, filhos, adoções, amizade e tudo que mostre o amor independente do vírus. Todo mundo tem uma história de amor, todo mundo tem direito a viver uma história de amor. A aids, ou qualquer outra condição de saúde, não devem ser empecilhos para a magia e a aventura de uma paixão, um carinho, um parceiro, um companheiro de jornada. O preconceito, muito menos. O verdadeiro amor lança o medo ao abismo e abre as portas para …

Avalie isto: