Notícias
Comentários 114

Positivo e indetectável: o que isso quer dizer?


Sou soropositivo, faço tratamento e estou indetectável. Então, sai do meu pé!

Por Dave. R. para o PositiveLite.com em 22 de agosto de 2014

Dave R. pergunta: “Você não faria sexo comigo porque eu tenho HIV? Eu ofereço menos risco do que você, meu amigo. Vá em frente, tente provar que estou errado!”

Estou oficialmente cansado de ser tratado como um pária (que no dicionário é definido como: “um termo de censura e abuso: uma pessoa inútil ou desprezível; um miserável, um vira-lata.”)!

De onde vem isso? Sou soropositivo, estou em tratamento e o vírus é indetectável no meu corpo. Ainda assim, sou visto como impuro, indigno de toque e pouco atraente. Por que isso? Porque é que o mundo, em geral, e, sim, os meus companheiros homossexuais, sempre empáticos, acham isso? Você sabe me explicar?

Apesar das últimas pesquisas e do fato de praticamente não haver casos conhecidos de uma pessoa como eu, com carga viral indetectável, infectar outra pessoa, por que eu não entro para o grupo de pessoas consideradas como parceiros sexuais seguros? Rejeições recentes, sutis e rudes, confirmaram o meu status como um pária social, mesmo dentro da minha própria comunidade.

Estou generalizando, é claro. Existem centenas de razões pelas quais as pessoas não me acham atraente, para não falar da minha idade cronológica. Tudo bem, não há problema quanto a isso. Está no olho de quem vê. No entanto, quando sou rejeitado por causa da sigla mais carregada de conotações e histórias antiquadas de todas, o HIV, isso me irrita.

Pessoas que vivem com HIV já passaram por 30 anos de infecção, sobrevivência, tratamento, melhora do tratamento, até tornarem-se saudáveis e indetectáveis, provando-se opções sexuais mais seguras do que alguém que não faz o teste. Ainda assim, somos vistos como “impuros”, que devem evitados e humilhados a todo custo.

Eu aceito que demore algum tempo para que a população em geral acompanhe as notícias e entenda que as pessoas indetectáveis ​​não transmitem o vírus. Mas me aborreço diante do fato de que ninguém está interessado em divulgar esta notícia. Também me irrito diante da covardia das organizações em prol dos soropositivos e dos meios de comunicação LGBT, que também são relutantes em publicar quaisquer descobertas que possam danificar a mensagem de sexo seguro, sempre qualificando qualquer declaração com ressalvas. Quem é que não está farto de ler “A pesquisa sugere …”?

Qual é o problema destas organizações? O problema delas está em recusar a aceitar que o Tratamento como Prevenção [TasP, do inglês Treatment as Prevention] vai derrubar a transmissão do HIV. Ao invés disso, gritam como se a liberdade pessoal estivesse sob ataque, sempre que se sugere que todo mundo deveria ser testado e, se necessário, tratado para o HIV. Não há lógica por trás disso e, ainda assim, as organizações LGBT em todo o mundo estão enterrando a cabeça na areia, se recusando a encarar os fatos.

Aquele idiota, [diretor da Aids Healthcare Foundation, Michael] Weinstein, que disse que o Truvada não é nada mais do que uma droga para festas capaz de nos levar às orgias em uma escala romana, tipifica este grupo de pessoas que, devemos concordar, estão desgostosas com a ideia de um pênis sem camisinha entrar num ânus. São tão arrogantes que não podem confiar que existem pessoas capazes de fazer escolhas sensatas e assumir a responsabilidade pela sua própria saúde. Ainda assim, este homem é chamado de líder dos soropositivos! Porém, não é disso o que precisamos mais. Temos os meios para reduzir o estigma do HIV, mas, mesmo assim, julgamentos morais ainda governam o dia.

Recentemente, tive a experiência pessoal de ser categorizado e rotulado a ponto de humilhação e desprezo. Depois de ter perdido uma relação de amizade, decidi me reerguer voltar ao mundo dos relacionamentos. No entanto, há muito tempo desisti da ideia de esconder o meu status sorológico e minha história — é tanto parte de quem sou, que é inútil tentar escondê-lo. Diferentemente de como fazia antes, em vez de ser passivo e esperar que as pessoas entrassem em contato comigo, decidi enviar mensagens exploratórias para aqueles com quem senti que poderia estar interessado. Não entrei em contato com jovens, ou mesmo com pessoas com menos de 40, pois me sinto atraído por pessoas maduras que já viram um pouco da vida. Minha ideia era falar abertamente da minha condição e não esconder os fatos.

Algumas reações foram francamente horripilantes. Demonstraram negação completa da minha existência e silêncio total a partir da minha revelação, ou até investidas contra minha moral, duvidando e sugerindo que eu tivesse praticado atos de depravação, me acusando de querer espalhar a minha “doença” entre os “inocentes”. Felizmente, nem todo mundo reagiu dessa forma. Houve aqueles que educadamente me disseram que não iriam nunca considerar ter relações sexuais com um cara positivo (o que não é bom para o ego, mas aceitável em nome da liberdade de escolha) e aqueles que francamente admitiram que estavam com medo de serem infectados. Ao meu ver, honestidade nunca é insulto.

Para muitas pessoas, é simplesmente impossível tentar apresentar os fatos. As campanhas de saúde pública dos anos 80 fizeram o seu trabalho muito bem, fazendo todos pensarem que estávamos morrendo — e, de fato, muitos morreram. Porém, agora já se passaram mais de 20 anos. Ainda assim, informar as pessoas sobre as últimas descobertas científicas não vem como crível: elas não estão lendo isso como prova científica e nos meios de comunicação adequados.

Informar as pessoas que soropositivos indetectáveis ​​e em tratamento são sexualmente mais seguros do que a maioria das pessoas seria uma boa notícia, digna de alarde por todos os meios. No entanto, há uma relutância tangível em dar às pessoas os fatos. Provavelmente, porque muito poucos escritores de manchete são capazes de resistir a frase que vem depois dela, como “… orgias sexuais ilimitadas inevitáveis!” Nós já estamos enfrentando o tsunami do uso do Truvada na prostituição, pois a prevenção também é vista como uma porta de entrada para a depravação.

O problema é que, para muita gente, a palavra “indetectável” significa muito pouco. A palavra não representa o que deveria: risco quase nulo de infecção. A palavra não está sendo usada lá fora e eu quero saber o porquê. Precisamos driblar os sites de organizações gays com um pensamento mais liberal e também precisamos — eu odeio dizer isso — que os meios de comunicação heterossexuais façam algum jornalismo sério, educando as pessoas.

Os detratores mais racionais dizem que é muito cedo e que as chances de erro, com todas suas possíveis consequências, são muito grandes. OK. Mas prove para mim que as pessoas indetectáveis ​​são, de algum modo, um perigo para os outros. E traga os fatos: quantas pessoas em tratamento, com um sistema imunológico forte e níveis indetectáveis ​​de HIV no sangue infectaram alguém? Você não pode dizer, porque não existe ninguém.

O argumento contra é o de que o HIV pode permanecer detectável em outros fluídos e órgãos do corpo e que ele é indetectável apenas nos métodos de ensaio atuais. Mesmo supondo que seja assim mesmo, os níveis “invisíveis” pelos exames atuais devem ser minúsculos, dado que a infecção cruzada simplesmente não está acontecendo. Caso contrário, haveria estatísticas de todo o mundo, com pessoas indetectáveis ainda infectando outras pessoas. Se você tem argumentos contra, eu imploro, refute o meu ponto de vista.

Só podemos concluir que, para além do sempre presente perigo de outras DSTs (sempre presente também para o resto da população, gostaria de lembrar), o meu estado presente significa que ninguém pode pegar HIV de mim, se eu fizer sexo seguro ou não. Não fosse verdade, os aumentos de infecção pelo HIV teriam sido inundados por milhões de novos casos, se espalhando como incêndios florestais em todo o mundo.

O ressurgimento do barebacking [sexo anal sem camisinha] (se é que já foi embora um dia) teria visto muitas infecções deste tipo. A cepa mais comum de HIV começou em um lugar e se espalhou em 10 anos por todo o mundo. Algo está impedindo que isso aconteça novamente e este algo é o tratamento antirretroviral eficaz. Sim, casos de novas infecções ainda estão acontecendo, mas eles são em sua maioria de pessoas que não sabem que estão infectadas porque ainda não fizeram o teste. Assim, agora que o pânico do HIV está mais brando, considerando o número de jovens (e idosos) que descartam os preservativos, por que é que não vemos o HIV fora de controle novamente? Porque o tratamento é danado de eficaz.

Pessoas com HIV e indetectáveis são parceiros sexuais seguros. Se você sabe de algo que eu não sei e tem evidência para sustentá-lo, prometo engolir minhas palavras. Enquanto isso, não há razão para não dizer ao mundo os fatos e definir as pessoas indetectáveis longe das algemas do estigma. O problema que temos é um problema de imagem. Nós já estamos contaminados; já estamos sujos demais para deixar esse conhecimento solto no mundo novamente.

Na busca por aceitação entre a sociedade cética, nossas próprias organizações se esqueceram de que o sexo é uma parte integrante da nossa identidade e preferem que não falemos sobre isso. Atrevo-me a dizer que a razão disso é para evitar que os patrocinadores não cortem seu apoio! Estão esperando que toda a primeira e segunda geração de soropositivos morra (de causas naturais) para, em seguida, com um novo tom rosado, as comunidades LGBT ilibadas tomarem o seu lugar na sociedade, imaculadas pela insinuação sexual do HIV.

Os homossexuais continuam a fazer sexo pela bunda — e sempre o farão — e a população hetero nunca vai se esquecer disso, não importa quantos buquês de noiva e casas com cercas brancas em volta apareçam por aí.


Anúncios

114 comentários

  1. Fulano diz

    Texto forte mas sincero. Prefiro uma sinceridade bruta e eficaz do que uma mentira suave e inócua. Parabéns! 🙂

  2. Eve diz

    Sou soro+ a 5 meses (sim, 5 meses pois sei quando e de quem foi o contágio, e possuía histórico de exames que mostram a minha realidade negativa anterior), e logo de cara decidi igual ao texto “[decidi não esconder] o meu status sorológico e minha história — é tanto parte de quem sou, que é inútil tentar escondê-lo”.
    Porém o meu grande medo é justamente estes julgamentos.
    É muito triste que quando compartilho da minha situação com algum pretendente sempre ouço a mesma frase “não tem problema em vc ser +, podemos ser amigos oras”.
    A falta de informação para a sociedade, seja homo ou hetero, é EXTREMA!
    Quando converso com pessoas e relato alguns resultados prévios do PARTNER que dizem que a taxa de transmissão de uma pessoa indetectável é nula para a medicina muitos não acreditam e dizem que é coisa da minha cabeça, ou que a taxa no sexo oral – usando números agora – é menor de 0,00001% o discurso é o mesmo.
    Só repito: A falta de informação para a sociedade, seja homo ou hetero, é EXTREMA!
    Faço das palavras do comentário acima as minhas: Prefiro uma sinceridade bruta e eficaz do que uma mentira suave e inócua.
    É a realidade que infelizmente nos cerca: FALTA DE INFORMAÇÃO.

    • Diogo diz

      Eve, o PARTNER não está bem difundido nem entre os médicos. Na verdade mto pouca gente sabe sobre este estudo tão importante.

  3. Diego diz

    Cara, ótimo seu texto. Pior que antes de ser portador do vírus eu também tinha esse preconceito. É como se tivessemos a obrigação moral de NÃO fazer sexo quando se é diagnosticado. E como vc falou, não existe ninguém lutando (informando) sobre os riscos nulos de um indetectável transmitir o vírus. Entendo e sinto a mesma revolta que você. É um tabu admitir que portadores de HIV fazem sexo!

  4. Sou soronegativo. Posso falar por mim. Existe uma dificuldade de se sentir seguro, de ter a certeza de que aquela pessoa ser realmente quem diz e não possuir sorologia detectável ou estar efetivamente bem. Já precisei usar o PEP e sei que os efeitos colaterais são péssimos, não gostaria de me tornar soropositivo, nem um décimo de milésimo de porcento, mesmo sabendo que é mais fácil um avião cair na minha cabeça. Concordo que é um momento de refletir. Mas a sociedade de um modo geral ainda não está pronta para isso. O problema aqui não é o fato de transmitir ou não transmitir. É confiar na pessoa que possui sorologia positiva. E confiança é um quesito raro.

    • Secret diz

      Você falou mas não disse nada! Você somente se referiu ao “POSITIVO DIAGNOSTICADO E EM TRATAMENTO”. E o cara que você não sabe da sorologia e menti que sabe que é negativo que a carga viral está na casa das centenhas de milhares correndo no sangue?

      Confiar de primeira não podemos nem nos positivos e nem nos negativos!

      Pelo seu tom parece que já sairia transando com a pessoal sem preservativo na primeira noite!

      Me desculpa. Mas achei desnecessário teu comentário!

      • paulo diz

        secret antes de julga-lo leia e entenda oq ele quis dizer….Em momento algum ele quis dizer que pode sair por ai fazendo sexo sem preservativo e sim o preconceito que as pessoas tem com quem é soropositivo, sendo que esta pessoa em tratamento não ira transmitir a ninguém.

        Agora me responda uma coisa a quanto tempo vc fez o teste? Eu mesmo fui descobrir que era soropositivo 6 anos após ter sido contaminado. Sabe com quantas pessoas eu fiz sexo sem proteção?! muitas….

        Hoje mesmo sendo indetectável e não falo minha sorologia mas uso preservativo para preservar a saúde de outros mesmo sabendo que não transmito o vírus….

        Repense nas sua palavras!!

        • MB+ diz

          Paulo,

          Usar preservativo , não só para preservar a saude dos outros , mas a sua também.

          Parabens…

    • Téo diz

      Olá Eduardo.
      Confiança é um “quesito raro” em qualquer pessoa, seja ela soropositiva ou soronegativa. Por isso, camisinha sempre!!!
      Não é porque a pessoa é soropositiva que ela não é digna da sua confiança. Essa sua associação é um “pré-conceito”, tente refletir um pouco sobre isso.

    • Guido diz

      Releia o que escreveu imaginando que vc é soropositivo. Meio caminho pra saber que sua fala está extremamente equivocada. Outro ponto: vc dividiu o mundo em duas polaridades: soronegativos “confiáveis”, e soropositivos nos quais não devemos confiar tanto assim, né? Mas o que é confiança mesmo? Com a sua fala parece mais um ato de fé que nunca vai entrar em contato com situações de risco apoiando-se em conceitos morais, os quais você não citou; mas que ficam óbvios pra quem já sentiu um pouco do pré-conceito destas falas em esferas de nossas vidas que são capitais pra qualquer um de nós (soropositivos ou não): a afetividade, o direito de amar e de continuar sendo a mesma pessoa. Isso tudo com apenas um porém de termos essa característica e alguns cuidados a mais.

  5. Boom diz

    Estou num dilema tão grande! Tenho três meses de tratamento, minha carga viral atual deve sair ainda nesta semana, e tem uma pessoa que se diz apaixonada por mim. Ainda não tivemos relações sexuais, pois receio quando descobrir ser acusado de algo. Estou com muito medo de ser rejeitado. Já pensei em milhares de formas de contar, escrever uma carta, dizer pessoalmente mas sinceramente não sei. Não contraí o vírus em orgias mas sim com um parceiro fixo. Não contei ainda pra ninguém , nenhum amigo ou familiar. Esse blog tem me ajudado muito a permanecer firme. Se eu for rejeitado por alguém que diz me amar, e eu sinto que realmente me ama, não sei qual será minha reação, acho que não irei mais confiar em ninguém. Desculpem o meu bla bla bla, só estou triste. boa noite. E mais uma vez obrigado – deixo meu contato: boommark23@yahoo.com.br

    • Téo diz

      Olá Boom,

      Entendo o que vc sente. Também contraí o vírus de um parceiro fixo (era e continua sendo meu namorado) e também sinto que o peso do julgamento que acompanha esse diagnóstico nos oprime, por ser moralista e ignorante. Tb não contei para nenhum amigo e nenhum familiar, mas por enquanto não senti essa necessidade.

      O medo de ser rejeitado é terrível mesmo. Tente abordar o tema em conversas, veja o que a pessoa fala, avalie a situação. E se vc decidir falar, exponha seus sentimentos explique que vc nunca faria nada que pudesse fazer mal a ela. Explique sua nova condição e que vc acha importante que ela saiba. Também, fale que vc está em tratamento para eliminar o vírus do seu corpo, e que vc bem acompanhado não representa perigo algum pra ela (Forneça algumas informações sobre tratamento e transmissão – essas informações novas que parecem ser tão pouco difundidas, e aconselho que ela vá ao médico tirar todas as dúvidas). No mais, é contar com o bom entendimento da pessoa.

      ps.: No meu caso a carga foi zerada em 6 meses de tratamento. No primeiro retorno (3 meses de tratamento) minha carga caiu para 148 cópias. Estou torcendo para que vc consiga zerar sua carga em poucos meses. Enviarei um e-mail para vc, caso queria conversar, ok?!

    • Camillo diz

      Bota camisinha e manda ver rapá!!! Sem lamentações. Deixa o amor pra depois… isso se constrói com o tempo.

  6. Guido diz

    Olha.. Este foi o melhor texto que li por aqui. Sou soropositivo há 2 meses e sempre estive ligado de alguma forma a discussões universitárias de gênero e sobre sexualidade. Minha sexualidade sempre foi uma questão central em minha vida e não seria depois de tomar ciência da minha sorologia que isso mudaria. A cultura gay, que sempre foi subsidiada em suas lutas contra o preconceito (muito válidas, obviamente) por financiamentos do MS por políticas de AIDS e HIV; não consegue abordar com um mínimo de racionalidade e empatia a questão de ser e estar soropositivo no mundo. Se esquivam muito radicalmente, pq não conseguem lidar com a questão com informações e fatos. A fala do texto pode até parecer raivosa, mas tem muita coerência com o momento de hipocrisia e desinformação atual.

  7. MB+ diz

    É dificil mesmo a ideia de expor a situação e ser rejeitado, já tive casos com mulheres sorodiscordantes e com positivas em algumas situações contei a verdade sobre minha condição umas aceitaram numa boa outras se afastaram o engraçado é que as que eram sorodiscordantes quando aceitaram se entregavam de corpo e alma mas as que tinham a mesma condição sempre tinha uma espécie de barreira um tipo de medo que não sei explicar.

  8. Me senti meio “atacado”… Acho que não expliquei o que quis dizer direito. A ideia é que assusta. E vai assustar por muito tempo ainda. Sempre uso camisinha em todas as relações. E vou continuar usando, com qualquer pessoa, em qualquer momento (já aprendi minha lição com o PEP e com uma relação sorodiscordante de 6 meses). Mas não confio em ninguém que me fala que é negativo, e em quem é positivo em tratamento ou qualquer outra situação. Pra mim, o fato de a pessoa estar ou não em tratamento não muda meu cuidado, apenas o medo. Mesmo sabendo que o soropositivo em tratamento apresenta menos risco do que o que desconhece sua situação (aqui no RS praticamente todos os meus amigos e conhecidos tem o costume de fazer o teste. Em inícios de namoro, o teste é quase obrigatório. Levem em consideração que Porto Alegre é a capital do HIV do país). Eu seria hipócrita de dizer que me sinto mais confortável. Entendo a ignorância que isso aparenta ser, mas a autopreservação acaba criando uma barreira muito difícil de ser transposta. Por consequência eu acabo tratando como um ponto a menos na métrica dos relacionamentos, como não gostar de pessoas extremamente magras ou gordas. No fim é um assunto a ser trabalhado, com calma, não despejado com raiva o rancor. Este comportamento não muda as pessoas, só afasta. Desculpa por ser sincero.

    • Guido diz

      Eduardo, vc teria a mesma reação se alguém te dissesse que tem hepatite ou qualquer outra doença crônica?

  9. ex ex ex Deprimido diz

    Boom, desculpe a honestidade, mas acho que voce nao pode agir desta forma. Voce estaria mentindo para alguem, criando um cenario que nao existe, para se sentir amado? Ame a voce mesmo antes de tudo!
    Acredito sim que nao ha necessidade de contar ao mundo todo sobre sua sorologia, mas quando se trata de uma relacao…. woowww, eu acho que tem que ser aberta, honesta e bem clara. Nao pode haver “segredos”.
    Voce nao pode iniciar uma relacao ja baseada em omitindo fatos. Nao precisa contar de imediato, mas tente entender o que esta acontecendo entre voces. Coloque-se na situacao da outra pessoa, e imagine o que voce sentiria se voce fosse naquela posicao.
    Eu tenho um relacionamento de 14 anos, entao acho que eh dificil para mim tecer algum comentario construtivo aqui. Eh dificil entender as pessoas, e como falei uma vez, o preconceito esta em todo lugar, nao somente com quem tem o virus HIV.
    O que eu sei eh que se eu estivesse iniciando uma relacao, e mesmo que eu sentisse que nao fosse a relacao da minha vida para sempre, eu contaria minha condicao sim. Se a pessoa nao souber lidar com isto, entao ela eh quem tem um problema. Nao eu.
    Acho muito melhor ter uma relacao com alguem que saiba de minha sorologia, do que ficar com alguem que a esconde. O que eh o caso de milhares de pessoas ai fora….

  10. ex ex ex Deprimido diz

    Texto otimo, perfeito, contundente!!!
    Prefiro a realidade crua e direta do que o cinismo.
    Este texto me lembra perfeitamente em 1994 quando tive minha primeira relacao com alguem soropositivo. Ele me falou no segundo encontro: se vamos ficar juntos, voce precisa saber que sou positivo. Eu respondi: ainda bem, porque detesto pessoas para baixo, negativas. 🙂
    Ficamos juntos por 7 anos, sem nunca me contaminar, e tivemos uma relacao sempre normal (as vezes… heheheh).
    O Eduardo fala em confiar… bom, eu sou muito mais relax com alguem que me diz que eh soropositivo, do que com alguem que me diz que eh negativo, e na verdade nunca fez o teste!

  11. Eu vejo porai algo assim: HIV pego em transfusão de sangue ou verticalmente… a carga de julgamento é menor pra muita gente.

    Outra coisa : Indetectavel — Nenhum médico esta confiante nisso no Brasil e não sei porque. Aqui no Brasil lemos posts assim … Sobre as pessoas em tratamento transmitindo HIV.

    Claro que eu quero que carga indetectavel seja intransmissivel, mas aqui no Brasil é o unico país tb onde o sexo oral em mulheres positivas transmite HIV. Possivelmente temos um problema médico aqui, seja tecnico ou comportamental.

    Segue um link sobre transmissao em tratamento. Brasil, o país mais divergente da via láctea.

    http://redenacionaldejovens.wordpress.com/2011/10/31/estudo-mostra-que-pacientes-ja-em-tratamento-estao-transmitindo-o-hiv/

  12. Guido e Ex Ex Ex Deprimido…
    Obrigado pelas idéias. Me fizeram pensar bastante.
    Tenho Hepatite B Crônica, já faz alguns anos que me cuido. Também tenho minha parcela de preconceito nos relacionamentos… Não conto pra todo o mundo sobre isso, só pra pessoas que eu realmente gosto. Minha vida sexual mudou muito depois disso (Pra hepatite B não existe “carga negativa”, sou sempre transmissor) Se eu me tornasse soropositivo, seria um imeeenso (x1000) problema, já que a maioria dos remédios é hepatotóxico, o coquetel teria que ser muito bem administrado e a probabilidade de controle seria menor. A diferença é que pra Hepatite B, 95% dos adultos se curam (não se torna Crônica) e existe vacina (que ESPERO REALMENTE que todos vocês tenham tomado). Acho que por isso acabo sendo assim, o preconceito é uma coisa bem complexa, medo do desconhecido e do futuro, baseado em experiências adquiridas. Algo difícil de mudar.Enfim. Menos um comentário interessante, mais uma confissão. Talvez válido. Também pra pensar.

    • Rock Hudson diz

      Também tive Hepatite B, mas graças a Deus não cronifiquei. Acho que a desinformação que beira a hepatibe B é muito maior. Eu por ex nem sabia que era uma doença sexualmente transmissível e incrivelmente contagiosa. Se soubesse teria me vacinado.

  13. Junior diz

    Eu tive um problema com um ex uma vez por que tinha transado com ele sem camisinha e chegou aos ouvidos dele que eu poderia estar com HIV e que ele deveria procurar tratamento o mais rápido possível. Então ele foi e me encheu o saco pra saber se era verdade, lógico, ele estava muito preocupado com aquela situação toda. A informação chegou aos ouvidos dele depois que terminamos. Graças a Deus ele foi e fez exame deu negativo e veio me pedir desculpas pelo constrangimento….em fim!

  14. O celibato já faz parte da minha vida..já me conformei..rs
    Agora estou na dúvida…não sei se vou para a Comunidade das Irmãs Carmelitas Descalças lá de Curitiba ou para o Mosteiro das Monjas Beneditinas de Campos do Jordão ou vou mais além..vou para o Monasterio de Kopan, no Nepal, vou virar Monja Tibetana.

      • MB+ diz

        Camillo,

        Boa voce é dos meus , vamos chamar a vida para tomar uma cerveja ou um vinho….eu pago.

          • Camillo, MB+ …eu topo! “vâmo caí pra dentro”.rs

            Camillo,vc mora no Rio né? Podemos marcar aí nessa cidade maravilhosa..numa dessas praias lindas. Vamos tomar uns “goró”…quero beber como se não houvesse amanhã.rs
            Só que vamos marcar com bastante antecedência..
            Sabe como que é né? Eu com essa minha cor do pecado…(tô branca igual a uma mandioca descascada..kkkkkkkk). preciso antes tomar um sol na laje aqui de casa. Caso contrário eu serei uma réstia em meio ao banhistas.kkkkkkkkkkkkk

            • Camillo diz

              Vou a pé pra Ipanema Vida, moro pertim… posto 9…. vc é de onde? interior de Sampa?

              • Sim Camillo.. sou do interiorrrr or..rs

                Eu moro bem perto da capital… moro nas redondezas da terra da linguiça! ( tem cada linguiça gostosa! hummm)
                Depois vc digita aí no google onde fica a essa terra.rs

  15. Isso ocorre com soropisitivos heteros também, não só com homosexuais. lamento muito, sinto a mesma dificuldade e chego à conclusão de que o brasileiro, mais que um europeu, por exemplo, é extremamente preconceituoso, em todos os sentidos. Venho pensando muito em ser uma ativista para divulgação disso, que governo nenhum e mídia nenhuma se dispõem a informar. Preciso de ajuda, claro, então, quem quiser se juntar será bem-vindo.

  16. MB+ diz

    Gente, da uma olhada no meu caso:
    5 anos positivo, minha infecto teima em dizer que sou um controlador de elite , portanto não tomo medicação ainda , 5 anos CV entre 1000 a 15000 e CD 500 e 600 nunca muda , sou um transmisor em potencial pois como disse nunca tomei ARV e também nunca fiquei indetectavel.
    Já tive relacionamentos sorodiscordante otimos em que minha parceira se entregava por completo sem medo ou preconceito (claro sempre usando camisinha).
    Já tive relacionamento concordante onde sofri não com preconceito mas com o medo , sabe toda hora ela verificando se a camisinha estava no lugar , não deixava rolar oral nem passivo nem ativo, um espirro meu já me olhava diferente coisa de louco.
    Hoje optei por somente compartilhar minha condição num relacionamento somente quando tiver a certeza que este é bem solido e a confiança mutua , deixei o amor de lado este só atrapalha , vi aqui mesmo um relato de uma garota que o rapaz acabara de a pedir em casamento e quando soube da sua condição a largou , o amor acabou? culpa do HIV? acho que não.
    Agora se ficase indetectavel e segundo os estudos não transmisor transaria sem camisinha? e a hepatite ? a sifilis ? HPV ? correria o risco de me infectar com uma dessas ? bem sincero acho que não.

  17. Interessante como todos colocam as outras DSTs sempre no caminho. É como dizer que se a pessoa é positiva, ela tem de ter algum tipo de DST junto, Me conta mais sobre isso… Pois um casal não faz brotar sifilis nem hepatite do nada.

  18. MB+ diz

    Ricardo.

    É verdade não brota do nada ” graças a Deus” mas imagina, só imagina… Voce indetectavel num relacionamento onde aboliram a proteção tudo vai bem até que derrepente surge uma briga de casal ela soronegativa vai esfriar a cabeça e derrepente conhece um cara e com raiva se entrega …resultado pega sifilis… ai passa um tempo voces voltam e ela vai te jurar de pé junto que não se envolveu com ninguem nesse tempo …beleza voces voltam a transar sem proteção pois voce continua indetectavel …resultado voce pega sifilis e ai que a coisa complica pois os estudos disem queo risco de contaminação de um casal soro discordante e que o positivo esteja em tratamento e com CV indetectavel é proximo ao zero desde que estejam livres de outras DST … não seria mais o seu caso…resultado voce com HIV e Sifilis e Ela também.
    Outra coisa HIV + não é sinonimo de outras DST mas os soros negativos por não se cuidarem são bem propensos a se contaminar a coisa é inversa … pensa bem o indice de contaminação das prostitutas no brasil é baixo, porque? tenta transar com uma sem camisinha , vai ser bem dificil.

  19. Por onde anda o povo desse blog?

    Barasa, Hermanateu, Lara, Vivi, Lopes, Jana, K2k, JCS, Luiz Gaúcho, Alexandre (meu malvado favorito 1), Cezinha (Meu malvado favorito 2), Hilton, LL, Gatucho Hétero(ops, Gaúcho Hetero), Hilton, Vitória, Marcelo Vida, Paracetabem…(ahh o delicinha do Paracetabem)..

      • Paracetabemmmmm..você veio! De santo você não tem nada!!! Aliás, você tem nomes de Santo..rs

        a vida que te invoca, te clama, te suplica, te implora.. a vida é alegria!! a vida é bela e te quer sempre pertimm dela. enquanto há vida, há esperança. (putz..rs)

        Só que essa Vida* é tãoooo bandida;;rs

        Beijimmm

          • Esse pode ser meu hino sim! !!!
            Mas segundo o nosso DJ Hilton, a minha música é a do Cazuza…

            Vida louca vidaaaa, vida breve
            Já que eu não posso te levarrrrr
            Quero que você me leveeeee..rs

            Acho que essa condiz com o momento que estou vivendo.. “meio fora da casinha”..rs

            • Lara diz

              Eu to sumida sim, admito, mas “ouvi ” ao chamado não exitei!!! Um Beijo meus amores!!! PS: Provavelmente temos duas Larissas por aqui e eu Definitivamente nao sou ” a rechaçada” kkkkk… Muitos beijos !!!

      • Secret diz

        Não diga isso, Larissa!! Vc é a famosa teórica da conspiração, não é?? Eu sou novo aqui! Na época de teu debate eu tava hiper recem-diagnosticado então nem tava conseguindo escrever nada. Mas já deu pra perceber que o povo é igual bêbado nesse blog. Brigam, discutem e depois se abraçam!!.

        Com certeza, o povo lembra de você também!!

    • Vidoca… Povo tá sumido mesmo.

      Eu ainda estou trabalhando demais, mas entro aqui todos os dias!

      Sumidos estão Lara, K2K, Hermanateu, Luizão, Gaúcho Hétero…
      ‘Uns par de gente!’
      Espero que todos estejam saudáveis!

      Beijo

  20. RUI MONTEIRO diz

    Meus senhores,senhoras eos q estao no meioLol

    Vamos para com essa palhacada porq n vejo outro nome para isso de pedirmos as pessoas para tentares se colocar na posicao de um sero+ . Porq uma pessoa com uma saude boa ia se arrisacar nem q seje a 0, 0001 ou a sei la quanto de risco. Enfrentar o problema do pscologico por nada por pessoas q se infectaram na sua maioria por querer simplesmente viver uma vida sem regras xeia de aventuras e bla bla bla. A problema do hive e.muito simples se as.pessoas tao mas tao egoistas tao depravadas malvadas. O problema eq ninguem quer viver com regras. E uma pessoa q esta infectada te menos a perder doq uma q n esta. Parem com esses comentarios de merda n se trata de d preconseito nenhum, sem a divulgacao sobre esses assuntos q voces tanto kerem o hiv n para de crescer imagina colocando isso nos moldes q voces gostqriam vao todas a puta q vos pariu as pessoas sao livres e justas ao fugirem de um seropositivo colocar a vida em risco por nada para depois de uns dias encontrar a vaca ou o baytola com outro na cama acabar tudo e depois descobrir q tens o virus parem la com essa merda…,

    • paulo diz

      você deve ser uma bixona depravada que não quer assumir!!! Alem disso deve ter a saúde pior do que qualquer um….

    • Rodrigo Nascimento diz

      O direito de escolha é de cada pessoa, ninguém pode criticar ou incentivar com quem fazer sexo. Quanto ao risco existe uma ignorância muito grande por parte das pessoas que são ou pensam ser soronegativas, sim porque muitas pessoas desconhecem sua condição e nem tem coragem de fazer um exame. Vou esclarecer para que a informação chegue de forma correta e as pessoas tenham elementos científicos comprovados para escolher. O ápice de transmissibilidade ocorre por volta de uma semana depois que a pessoa foi infectada e tende a crescer no primeiro mês de contágio. Pensando assim é fácil perceber que a maioria dos casos de transmissão ocorre por pessoas que desconhecem sua sorologia e acabam transmitindo sem saber para outra e essa a mais outra e assim sucessivamente. Com o tratamento antirretroviral, com cerca de seis meses aproximadamente a pessoa atinge o status de indectável, ou seja a quantidade de vírus no seu sangue e no seu semem é tão pequena não transmite o vírus para outra pessoa (isto é comprovado, até porque não existem registros de alguém que foi contaminado por um indectável). No entanto é evidente que uma pessoa que não tenha HIV tenha medo e até uma certa repulsa natural a ideia de manter relações com uma pessoa soropositiva ainda que indetectável, para elas o fato de ser indetectável não muda nada, ou seja a pessoa representa um risco de transmissão.
      O Direito reconhece o direito da pessoa soropositiva que faz tratamento antirretroviral, atingiu o status de indetectável e usa preservativo em todas as suas relações de esconder sua condição. Se conhecendo sua condição de soropositivo e faz sexo sem proteção, ou antes de estar indetectável escondendo sua situação e colocando a outra pessoa em risco, isto incorre em crime.
      Falamos de ciência, medicina, leis e esquecemos algo que passa desapercebido por muitos que a humanidade e o sentimento de uma pessoa soropositiva, não estou dizendo que as pessoas devam praticar sexo com pessoas soropositivas ou que não devam, mas que assim como ao soronegativo é dado o direito de com quem transar, ao soropositivo assiste o direito de se sentir desprezado, preterido e até mesmo desqualificado. No comentário acima o seu autor compara o soropositivo como um devasso que fez perversões até atingir seu status de soropositivo, isto pode ter ocorrido com algumas pessoas é verdade, mas não com todas, uma contaminação pode ter ocorrido por outras vias que não a sexual, transfusão de sangue por exemplo, ou por um vacilo de momento num momento de amor e sexo o qual qualquer um pode se render. Sou soropositivo, descobri minha condição ao mesmo tempo que me apaixonei, a pessoa que eu amo escolheu me ter apenas como amigo e eu sofro todos os dias por seu desprezo e pelo desejo que eu tenho por ela. Não posso força-la a manter relações sexuais comigo, isso acabou acontecendo somente uma única vez depois de ambos sabermos de minha condição e eu já me encontrava indetectável, fiquei feliz e achei que tudo fosse mudar a partir de então o que não acabou ocorrendo.
      Portanto não julgue nem um, nem o outro, busque se informar, busque se proteger sempre, independente se esta com um soropositivo ou soronegativo ou que pensa ser soronegativo e lembre-se não foi eu que escolhi estar nesta condição, nem você pode ter certeza que estará sempre em outra condição, respeite sempre. E o amor? Bem isso é com cada um. Bom dia a todos.

  21. Diogo diz

    Concordo com o texto. Porém, senti uma ponta de mágoa ou preconceito com os heterosexuais em dois momentos do artigo. Ou entendi errado? Espero que tenha entendido errado, pq gosto mto deste blog e leio sempre.
    Minha namorada é soropositiva e eu não. Já transamos sem camisinha, mas atualmente decidimos por utilizar o preservativo, buscando 100% de segurança.
    Porém, a cada dia que passa nós consideramos mais a possibilidade de não utilizar sempre a camisinha, já que algumas coisas e alguns prazeres são totalmente distorcidos qdo utilizamos a borracha entre as peles.
    Sexo oral já fazemos sem proteção, com o risco calculado [que é quase zero].
    Agora, o que mais dói [e aí concordo na totalidade do texto] é a relutância da imprensa [seja LGBT, Hetero ou seja lá qual for a nomenclatura] em divulgar que SIM, os indetectáveis são mais seguros que se imagina e NÃO, não existiram infecções conhecidas entre indetectáveis e soronegativos com relações sem camisinha.
    Eu realmente não entendo esta imprensa. Entendo o medo e entendo a preocupação da notícia não ser totalmente entendida, mas pesquisas como a dos suecos e a PARTNER, deveriam ser, PELO MENOS, bem niticiadas. Mas eu não via NADA sobre isso na imprensa aberta comum. E isso é triste…

  22. MB+ diz

    Gente,

    Usar camisinha ou não? Eis a questão.
    Cada individuo é provido de um senso de responsabilidade uns com mais outro com menos mas que sabem exatamente onde devem ou não enfiar o nariz (neste caso o penis) então acredito que não há motivo para se discutir se deve ou não usar a malfadada camisola … tem confiança , esta indetectavel , não tem nenhuma outra DST …não quer usar , não usa …somente não vá chorar se algo der errado no futuro , pois a responsabilidade é de cada um e se querem o bonus tem que arcar com o onus se este vier.

  23. Oi. Eu cheguei do hospital e a medica disse : Sua está esposa indetectavel e o tarv OK. Mas se estourar a camisinha, voce precisa fazer profilaxia urgentemente. Esta é a opinião do maior centro de tratamento e prevenção de HIV da america latina, em SP. Agora, ela mesma me disse…. estes estudos estão na internet e não são aceitos por nós médicos.
    Então ???

    • RUI MONTEIRO diz

      Entao nada muito simples porq arriscar a vida por nada? Simplesmente por um caprixo me digao so. Ter q tomar remedio todos os dias a vida toda…parem de ser criancas, a maioria de voces esta nessa condicao justamente porq n soube se contralar considerem essa a vossa condicao de S+ com uma segunda oportunidade aqui na terra ea ultima e tentem fazer o melhor possivel seus idiotas

      • Diogo diz

        Rui, é por opiniões como a sua que o autor do artigo estava revoltado.

        • RUI MONTEIRO diz

          Caro diogo ele tem todo direito de ficar revoltado assim como eu tenho o direito de dizer a verdade, oq tenho notado aki blog eq grande parte do pessoal Sao como as ondas no alto Mar andam ao saber do vento, querem defender causas sem sentido como a dessa ultima e nem argumentos teem para tal. A unica pergunta q faco eq agora n tenho nenhuma resposta de nenhum de voces ea seguinte porq arriscar a vida de alguem por um caprixo tolo? Por outro lado por uma pessoa saudavel ia se colocar em risco de ter q passar a vida a tomar remedios voces melhor doq ninguem sabem q merda de vida e essa o quao dura e dificil ela e. Porq por n protejer ao maximo os vossos parceiros ou as pessoas q voces amam de passar por esse drama

          • Diogo diz

            Entendi seu comentário, Rui. Minha intenção não foi criticá-lo e sim expor o que eu entendi da crítica do autor do texto.
            Quanto que vc chama de prazer tolo, creio que seja uma opinião pessoal sua e também a respeito. Mas não concordo que o desejo de transar sem camisinha seja uma coisa tola.
            Conheço pessoas que transam com camisinha a vida toda. Por opção, mesmo. Mas também existem pessoas que não se adaptam. Eu sou um desses. O sexo não é a mesma coisa com e sem camisinha. Quem diz que é a mesma coisa não fala a verdade. Jamais será a mesma coisa.
            O que uma parte do pessoal soropositivo busca é exatamente uma chance de poder voltar a fazer isso sem culpa. Não os critico. E estudos como o PARTNER dão uma nova esperança a este nicho de pessoas.
            E existe também um outro ponto: Se vc ama uma pessoa soropositiva, vc vai abandoná-la só pq pode vir a se contaminar [palavra feia], mesmo que as chances sejam extremamente baixas?
            Acho que esta decisão cabe somente a quem está passando pela situação. E cada casal deve analisar até onde deve ou não ir.

            • RUI MONTEIRO diz

              Antes de tudo obrigado pelo exercicio de tentar entender oq quero realmente expor, coisa q quase ninguem aqui no blog faz (OBRIGADO MESMO)prova disso eq qualquer pessoa q tenha uma opiniao diferente e logo vitima de criticas ou simplesmente e ignorada, traduzir oq se pensa nem sempre e facil e sempre corremos o risco de ser mal enterpretados quanto a a questao de abandorar ou n o parceiro e uma escolha pessoal eq depende de muitos outros factores… mas diogo quero apenas lembralo q em momento nenhum falei sobre isso, quando falei em porq arriscar a vida falava apenas sobreno acto d fazer sexo sem preservativo e nao por ter um parceiro S+… e quanto a outra questao de eu ter xamado de caprixo tolo foi na seguinte prespectiva: tenho alguem q amo e quero ter prazer pleno duranteno acto sexual mais q podecustar a vida da pessoa q amo colocando as duas coisas na balanca oq vai pesar mais? E alem disso quero aqui apelar a.todos q pensem bem sobre isso como disse a maioria dennos se encontra nessa condicao exatamente por essa busca desenfreiada pelo prazer e olha como as coisas ficaram…

              • MB+ diz

                RUI,

                Como assim arriscar a vida dos outros? somos HIV positivo e não estamos morrendo e nem matando por causa disso, desta forma que voce diz da se a impresão que somos armas abulantes pronta para atirar e matar o primeiro que aparecer , isto não é verdade o que o pessoal quer é sim poder gozar a vida de uma forma plena como qualquer um em nenhum momento estamos falando em promiscuidade e nem de busca desenfreiada pelo prazer , estamos querendo fazer sexo seguro com nossas parceiras(os) e como o estudo diz se estivermos sob tratamento e indetectave a segurança é igual a estar usando camisinha , para esse seu julgamento de que todos os positivos se contaminam na sua opniao pela “busca desenfreiada pelo prazer” ta na hora de mudar esse conceito pois Eu sou positivo e não me contaminei fazendo sexo e sim ajudando um proximo , e nem por esse motivo tenho raiva de ter me contaminado dessa forma e as vezes até fico agradecido pois o virus me trouxe uma forma melhor de enchergar a vida sem esses preconceitos e jugamentos , cabe a cada um pesar dentro si e avaliar se deve ou não usar camisinha com seu ou sua amada.
                Nunca tive e não tenho medo do HIV tenho medo sim de opinoes como a sua pois não há camisinha no mundo que nos proteja delas.

                  • RUI MONTEIRO diz

                    Essa msg e para todo o pessoal do blog, primeiramente queria PEDIR DESCULPA A TODAS AS PESSOAS Q MAGOEI COM ALHUMA COISA Q TENHA ESCRITO, acreditem q nunca foi essa a intencao pois como ja disse tramsmitir oq se pensa nem sempre a tao simples… aqui vai tb o meu muito obrigado a todos membros do blog q apesar de n concordarem com o q digo nem com a minha forma de pensar fizeram oq poucos fazem se contrapuzeram de modo inteligente quando podiam simplesmentee ignorar como a maioria. Se eu estivesse falando as coisas q todos gostariam de ouvir se eu estivesse na mesma iinja de.pensamento acredito q o resto do pessoal ia se comportar de.maneira diferente. Mais lembrem sempre q e na diferenca de opnioes q se encontra o mais certo.

                • RUI MONTEIRO diz

                  N a regra sem excepcao eu n disse q todos se contaminaram na busca desenfreiada pelo prazer mais sim a maioria e isso ninguem pode negar. O maior meio de propagacao do virus e pela via sexual feliz ou infelizmente e outra coisa para com essa hipocrezia de dizer q agradece pelo virus q ninguem faz isso ed querer o impossivel por agora (ter uma vida completamente normal) e infelizmente muitos dos S+ sao sim bombas ambulantes se assim n fosse os numeros de novos casos n estariam aumentando tanto n se trata de preconseito nem de nada do genero.a muito coisa ainda ppr se decobrir sonbre a doenva a sempre variacoes no estado de saude de um s+ q podem aim colocar a vida de um parceiro (a) em risco. Mais atencao n estou julgando nada nem.minguem apenas defendendo oq axo kusto e akilo q realmente penso…

                  • MB+ diz

                    Rui,

                    Ainda não concordo com você, mas vou respeitar pois um ser assexuado como você tem e deve pensar assim.
                    Olha sem hipocrisia ao ler o que você escreve fico feliz ,sim, pelo meu HIV estar aqui me lembrando que no mundo existem pessoas como você com com esses pensamentos que nenhum Tarv vai tornar indetectável.
                    Quem falou que não podemos ter uma vida completamente normal ? só se o parâmetro da normalidade é você ou sua vidinha ai nem pensar.
                    Sabe no ponto proteção você esta certo pois faz 05 anos que me contaminei e 05 anos que só transo com a camisinha não abro mão disso; Sabe por que? Uso pois posso adquirir de pessoas “normais” como você doenças que podem me matar.
                    Você fala como fazer sexo sem camisinha fosse uma decisão unilateral,talvez no seu caso sim, mas geralmente é necessário duas pessoas para o realizar , duas decisões , duas sentenças , duas vidas, Você é do tipo que se transar com uma mulher , se isso um dia acontecer , e ela engravidar a culpa é dela né? Pois ela que deveria se proteger tomando anticoncepcional e não você.

                    Mas fazer o que né ? cada cabeça uma cabeça e cada cabeça sua sentença.

                    • RUI MONTEIRO diz

                      MB+, diogo ea todos os outros valeu pela troca de ideias, nada doq defendo esta relacionado com o facto de ser ou n ser S+, e apenas o meu jeito de olhar para as coisas, at porq eu nunca fiz o exame para saber, sou hetero nada contra nem a favor de quem n e, resumindo os meus comentarios nada tem haver com o meu estado de saude nem com a minha opcao sexual. Paz e amor pessoal…

                  • Secret diz

                    BOMBA AMBULANTE deve ser você que nunca fez o teste pra saber a sua sorologia!

                    Realmente você é muito ignorante pois não sabe que um S+ positivo em tratamento tem na maioria dos casos a carga viral indetectável. (alguém poderia fornecer a porcentagem exata?)

                    O número de casos aumenta por pessoas como você. IGNORANTES que não sabem sua condição sorológica.

                    Você deveria se informar mais antes de emitir uma opinião a respeito de um assunto!

      • Secret diz

        IDIOTA é a tua mãe que te trouxe ao mundo e não te deu educação!

        • MB+ diz

          SECRET,

          kkkkkkkkkkk, deixa isso pra lá , pois como disse este caso não tem cura , pois esse vírus da ignorância somente morre com uma vacina chamada desprezo …. vamos viver nossa vida pois a desse ai já acabou faz tempo.

      • Cala a boca Magda!!!!

        Você não sabe em que condições muitos aqui adquiriram o vírus. Portanto, recolha-se a sua insignificância!!!!!

        Mania que esse povo tem de pensar que só se pega isso quem fica “dando” pra todo mundo. Ledo engano meu bem…

  24. MB+ diz

    Faço minhas as palavras de meu amigo ” Alexandre”.

    ANTES DO RESULTADO ‘POSITIVO PARA HIV’, ELE(A) ERA UMA PESSOA…

    Após a ‘confirmação do resultado’, ele(a) continua sendo a mesma pessoa, o mesmo ser Humano Igual a Você!
    Quando uma pessoa que (con) VIVE com hiv se olha no espelho, a imagem que ela vê NÃO É A DE UM VÍRUS, como ilustrado na foto acima.

    Ela também continua vendo o seu rosto, seus cabelos, seus olhos, seu nariz, sua boca e as suas orelhas.

    Portanto se você (con) VIVE com hiv, não permita que o(a) tratem como um vírus, e delete da sua vida aquelas pessoas que querem influenciá-lo(a) a acreditar que você deixou de ser humano(a).

  25. manob@uol.com diz

    O Rui além de falar bobagens não sabe escrever. Está cego de preconceito e também desconhece a língua portuguesa.

  26. Pelo amor dos meu filhinhos! Creio que Aurélio Buarque de Holanda Ferreira esteja revirando em seu jazigo perpétuo.rs

  27. Guilherme diz

    Quero parabenizar o criador do site jovemsoropositivo. Realmente falta informação a respeito do HIV e de suas particularidades, e nada melhor do que publicar e compartilhar informação, para que então possamos ter conhecimento e conseguir lidar com as diversas situações que nos afligem.

    O gay, por si só, em muitas das vezes, já passa por grandes dificuldades no momento em que assume seus sentimentos para si e para a sociedade. Também aqui, por pura falta de conhecimento. Por experiência própria, quando contei aos meus pais, a primeira imagem que tiveram foi a de que eu, na manhã seguinte, sairia de casa de salto alto e batom nos lábios.

    Sou muito bem aceito e tenho uma família maravilhosa e acolhedora. Mas, sem dúvida, o pouco contato com essa realidade e a banalização da mídia em torno do tema impedem que se estabeleça uma relação positiva logo de cara. É preciso muito trabalho.

    O mesmo acontece aqui. Os soropositivos passam por esse dilema, mas em outra circunstância. No meu caso, confiei no meu namorado e acreditei que ele estava com os exames em dia e que não era portador. Graças a Deus, em menos de 30 dias tive uma esofagite e descobri que ele era, sim, portador. E que não sabia, simplesmente não se cuidava. Havia mentido quanto ao fato de estar em dia com seus exames médicos.

    É difícil lidar com isso no começo. Tenho excelentes médicos auxiliando meu tratamento, justamente na clínica do Dr. Ésper. Em menos de 3 meses após minha infecção, já atingi o grau de “indetectável”. E sinceramente, eu não encaro a vida com negatividade. O erro foi meu em não me proteger, em expor meu corpo, em confiar. O importante, de agora em diante, é permitir nova conquista de confiança, em bases mais sólidas, para, aí sim, voltar a namorar. E caso isso não ocorra, não serei menos feliz. A felicidade está em nós mesmos. Temos é que nos cercar de pessoas boas, felizes, de momentos prazerosos, de amor e de carinho, em todas as escalas.

    E acredito piamente que quando eu estiver com um novo alguém, seja ele soropositivo ou não, saberei lidar com isso de forma adulta e transparente, estabelecendo um elo de confiança que permita que o relacionamento flua, mesmo com a presença do HIV.

    Abraço a todos,

    • MB+ diz

      Cara,

      Me emocionei … é isso mesmo,fico muito feliz ao me deparar com pessoas assim como voce … PARABENS.

  28. Ricardo - Guarulhos diz

    Antes de ter adquirido o HIV, eu recusei um relacionamento com um cara super bacana pois ele abriu o jogo comigo e naquele momento, diante do preconceito idiota que rondava minha cabeça, preferi “sair fora’ e deixei a vida seguir. Ele nunca mais voltou a me procurar e sempre vejo a pagina dele no face e vejo o quanto esta lindo e super bem, viajando sempre, curtindo a vida, namorando…Do outro lado, acabei me apaixonando por uma pessoa omissa, que passado algum tempo da relação, sem nunca termos tocado no assunto DST, abrimos mão da camisinha. Transamos durante dois meses, até que ele do nada sumiu, excluiu conta nas redes sociais, mudou celular, desapareceu, tudo isto no começo deste ano. Em Abril comecei a sentir alguns sintomas (febres, diarreias, falta de apetite), em Maio fiz o exame já sabendo do possível resultado, mas sem querer enfrentar e realidade, só fui buscar o mesmo no final de Junho, positivo claro ! Assim que deparei diante do diagnostico positivo, percebi o quanto fui imaturo no relacionamento anterior e mais ainda naquele “atual”. O mês de Julho foi um mês horrível, culpas, incertezas, choros, uma busca nos “porquês”, tudo sem encontrar. Resolvi então encarar a nova realidade e segundo informações que obtive pela infectologista a pessoa que me passou o vírus sabia de sua sorologia. Já iniciei meus tratamentos, estou super bem, graças a Deus não tive nenhum efeito colateral, tb não sinto a necessidade de falar pra ninguém acerca de eu ser positivo, até porque sei que magoei uma pessoa e não quero me sentir magoado ou desprezado por ninguém, a única certeza que tenho é que sendo ou indetectável, jamais irei transar sem camisinha, pois o HIV é apenas uma das tantas DSTs existentes… acabei pagando um preço por não confiar numa pessoa que me disse a verdade. Poderia estar num relacionamento estável,com uma pessoa que de fato me amou, com proteção e cuidado, uma pessoa super alto astral e por desconhecimento ou preconceito quis um “normal” para relacionar. Queria ter coragem, ir atrás e procurar aquela pessoa que feri, mas agora acredito que agora é tarde demais….

  29. MB+ diz

    Ricardo,

    Gostei da sinceridade ao relatar os fatos , quanto a procurar aquela pessoa cara se eu fosse voce , procuraria com certeza abriria meu coração , pediria perdão e se talvez não houver mais tempo para uma paixão pode ser o inicio de uma grande amizade.

  30. paulo diz

    O autor desse texto é o cara…..Ao contrario de muito ignorantes como esse Rui, ele não quis dizer que quer sair por ai fazendo sexo sem camisinha e expondo todos e sim o referimento ao preconceito pois durante 5 anos estive contaminado e não sabia, nesse tempo varias relações não usei preservativo, e ai? Sera que posso ter contaminado alguém sem saber? Hoje que tenho a carga negativa e sou um privilegiado por ser tratado por um dos melhores infectos do brasil, uso preservativo em todas a relações para não prejudicar a ninguém.

    Pois oq o autor do texto quis dizer é que o preconceito é tão ridículo que mesmo com 10 camisinhas uma pessoas não aceita ter o ato com um s+ e que sai com uma pessoa que não sabe seu diagnostico e pode se contaminar pois ira fazer sem proteção. Ao contrario de uma pessoa que sabe de sua sorologia e se cuida para não transmitir.

    Liberdade a todos mas hipocrisia não!!!!

  31. édinho diz

    adoro esse blog ,tem me ajudado a superar a cada dia minha nova condição

  32. Boom diz

    Oi amigos , lembram do meu caso….em comentários acima narrei meu dilema de contar ou não contar para aquele que supostamente me amava e que me rondava declarando juras de amor, e meu medo de declarar minha condição e ser rejeitado, pois é! Como não consigo deixar o amor de lado contei da minha sorologia; dias antes havia recebido meus exames após 3 meses de medicação: carga viral 30 (tô quase lá), CD4 540, relação com o CD8 0,7.
    Após narrar minha história “positiva” recebi um abraço forte, um eu continuo te amando, um a gente vai enfrentar isso juntos, e um ainda vou te ver curado! Não me encheu de perguntas , e falou que confiava em mim! O engraçado era que eu queria enchê-lo de informações o tempo todo: que em breve estaria indetectável, e que a gente sempre iria usar camisinha, e que gostaria que ele procurasse um infecto, e que existiam outros casais sorodiscordantes, e que a porcentagem tal, o índice tal rsrs … ele simplesmente me silenciou com um beijo e perguntou se poderia dormir comigo. Na minha novela mexicana mental havia mais dramas, gritos, e questionamentos, acho que assisti muito a Maria do Bairro kkkk. O comentário foi a fim de estimular o “não sofrer por antecipação” e estimular o “siga o seu coração”. Bom dia e boa vida, do seu amigo positivo. E Muito obrigado JS, vc fez e faz diferença na minha vida.

  33. Binho diz

    Boom, de “dedo na cara” já basta muitas vezes nossa mente que teima em dar um tom acusatório para tudo né. A gente precisa mesmo de pessoas assim. Que bom que você encontrou nele a possibilidade de confiança. Sem dúvida, é do que mais precisamos.

    • MB+ diz

      Boom.

      Muitos perguntam se já existe uma cura para o HIV ….Posso afirma com toda certeza :

      SIM… Há cura e se chama AMOR … um amor verdadeiro como o do seu namorado , um amor sem culpa , sem preconceito , sem hipocrisia , sem porquês , simplesmente AMOR …

      Esse amor é o que nos torna verdadeiramente indetectável para o HIV …pois ele cura a alma … a mente …o coração então daqui pra frente só resta uma coisa para voce fazer ” VIVER”.

      abraços.

      • Guilherme diz

        Fico muito feliz por ler essa mensagem.. são essas as pessoas que merecem nossa cia! 😉

  34. Rafael diz

    Qual a combinação seria menos toxica e com menos efeitos colaterais?

  35. Sergio Cabral diz

    Me identifiquei em todos os aspectos por ser soro positivo indetectável e só pode avaliar quem passa pela experiência, que é dura e muito cruel.

  36. TATA diz

    Eu nao sou soropostiva, mas ficaria com a consciencia pesada se tivesse hiv e transasse sem camisinha..nunca faria isso..Mesmo com essa tal carga indectável. Perdi um amigo com HIV em tratamento.

  37. Renan Santos diz

    Ao pesquisar sobre HIV NO GOOGLE, cheguei neste site. parabens pelo autor da pagina em reunir informaçoes para quem precisa de ajuda nesta barra que é ser soropositivo. Eu nao tenho HIV, mas ja passei por alguns sustos….me dei ao trabalho de ler todos os post aqui.

    Entendo e sei que a vida com HIV nao é nada facil, quem diz isso esta mentindo! tenho um amigo que tem e ele me fala a barra que é, nem tanto a física, mas a psicilogica e o medo de ser rejeitado. Mas veja bem, eu fico com medo lendo alguns comentarios de voces. Gente, que é isso, voces acham mesmo seguro transar sem camisinha mesmo sendo indetectaveis ? parece que esta é a palavra da moda entre voces infectados…..so que o buraco é bem mais embaixo !

    Eu sinceramente, se fosse HIV, +, e quisesse transar com alguem que estivesse me relacionando, FALARIA que tinha a doenca sim ! Ja vi casos em que o pior aconteceu ( o cara nao falou que tinha , transou, camisinha estourou e nao deu tempo de fazer o tratamento pos exposiçao) e ai? vcs acham isso certo ? eu acho de certo modo ate uma atitude criminosa, pois poderia evitar o dano e nao o fez !!!

    É melhor falar, galera. Medo de rejeicao nao é nada comparado a dor na consciencia de ter passado algo tao danoso a outra pessoa. Ninguem merece ser infectado, nao to falando que voces fariam isso de proposito, mas acidentes ocorrem ! e nem toda cidade tem centro de tratamento pos infeccao por perto, e nisso .ja era ! mais um pra estatística !!!

    Eu moro em santos, no litoral de SP, e aqui o HIV está bombando, nao param de surgir novos casos, e todos em gays jovens e que nao tomaram os devidos cuidados. Tem muitos caras novinhos aqui, todos HIV +, e todos usando app de caça e ainda seguem nesta vida de pu.taria, ou seja, parece que este ciclo nao tera fim, nem pegando o virus certas pessoas sossegam, parece que nao cai a ficha ! Eu sempre usei camisinha, obvio que nunca perguntei pra nenhum cara que sai, se ele tinha ou nao HIV, mas como os casos aqui nao param de aumentar, acabei sabendo que 2 caras que sai e transei, eram HIV +. Legal ne ? nao foi sexo casual, cheguei a sair com eles algumas vezes, eram ficantes, poderiam ter sido honestos e jogado a real. Felizmente nao peguei nada, mas ficou uma grande liçao: Cuida da sua propria saude e nao confie em ninguem, pois as pessoas nao cuidam nem de si proprias, que dirá da saude dos outros! grande abraco a todos voces !

  38. MB+ diz

    Renan,

    Você usa camisinha em todas as suas relações …Ótimo continue assim.
    Se a camisinha estourar e vir acontecer uma acidente , você sabe que tem 72 horas para iniciar a PEP…Parabéns novamente vejo que você é uma pessoa esclarecida e bem informada.
    Você tem razão quando diz que pessoas mesmo estando indetectável deve usar camisinha …e deve mesmo pois estas pessoas podem encontrar um cara como você e pegar uma outra DST né?
    Portanto acredito que deveria ser o inverso em vez de contarmos a todos que somos HIV positivo porem indetectáveis e portanto não transmissores , Voces que deveriam contar para nós que são saudáveis cheio de vida sem nenhuma doença …mas são extremamente vazio de sabedoria e lucides .

    Parabéns novamente pelo que você disse:

    “CUIDE DE SUA VIDA”

    Agora vou te dizer :

    “QUE DA MINHA CUIDO EU”

    • Renan Santos diz

      MB+ …

      Por favor, nao distorça os fatos, seu sarcasmo beira a falta de inteligencia, e é bastante incongruente. Nao, quem nao tem HIV e sabe que é saudavel, nao precisa contar ao parceiro que nao tem nada ( partindo do principio que a pessoa é idonea e tem todos seus exames em dia)
      Não , nao deveria ser o inverso, nao seja irresponsavel, NAO HA FUNDAMENTO CIENTIFICO AINDA QUE ATESTE QUE UM SORO+ INDETECTAVEL NAO VA PASSAR A DOENCA ! nao existe 100% de certeza ! . Voce com esse discurso totalmente utopico e sem embasamento necessario é que parece estar vazio, carece de maior discernimento. A gente sabe que a maioria esmagadora dos HIV + NAO vai falar que tem o virus pra um parceiro ( fortuito , no caso) com o obvio medo de rejeicao, o que e totalmente compreensivel. Por isso, deve-se usar a camisinha SEMPRE, SEM EXCEÇÃO ! Deixando claro que eu também tenho mais receio de quem nunca fez um teste e se acha saudavel, do que aquele que sabe que tem e toma todas as precauções. Sabedora e lucidez, como voce mesmo disse, ok ? 😉

  39. Phab diz

    Boa noite. Sou namorado de um soropositivo. Sinceramente não tenho medo da contaminação. Ele cumpri rigorosamente o tratamento e atualmente está indetectável. Na verdade, usamos camisinha mais para preveni-lo de que a mim. Sou muito esclarecido e sei que ele não me causa riscos. Eu o amo e jamais vou abandoná-lo. Obs: Ele contraiu no emprego (trabalhado com pessoas soropositivo), desde entao segue à risca o tratamento. Abraço a todos.

    • Guilherme diz

      Phab, parabéns pela atitude. São poucos os esclarecidos e adultos o suficiente para estudar e realmente entender o processo. Parabéns. E feliz páscoa a todos, desejo que esqueçam os chocolates e realmente mantenham vivo o real espírito da renovação, caridade e amor!

      • Fab diz

        Obrigado. Ele descobriu tem pouco tempo. Na verdade ainda estamos nos adaptando a essa nova realidade. Este blog tbem me ajudou muito.

    • felipe diz

      quero aqui deixar meus parabés a você, se pessoas como você existissem o mundo seria melhor, sou soropostivo para hiv, sou academico de enfermagem e me contaminei no estagio do curso, pois na epoca estava com escabiose(sarna), mesmo assim meu namorado me deixou, foi enbora pois ele era de outro estado, ele nem se quer me disse adeus. Tive uma segunda depressão pois o amava de mais, mas to aqui vivendo como deus quer, tomo meus remedios diariamente, sei que vou ficar só pois no nordeste a mentalidade das pessoas relativas ao hiv ainda é de medo e preconceito. Que deus abençoe vocês. Feliz em saber que existem pessoas que amam de verdade, na saúde e na doença. Um grande abraço

      • Fab diz

        Sinto muito por você. Tbem sou do Nordeste e torço que vc arrume um cara legal. Na verdade ele tem mais medo do que, é que desde dos meus 15 anos eu tenho conhecimento sobre a doença e acompanho os avanços e os tratamento. Conheço pessoas que convivem com o HIV fazem 12 e ate 16 anos. Não seria hipócrita de dizer que eu receberia a notícia de boa. Mas sei q ele faz o tratamento e quanto a isso estou tranquilo. Abraço e fica c Deus

  40. Roger+ diz

    Boa tarde, eu preciso da ajuda de vcs, de um conselho ou uma palavra amiga,
    bom sou soropositivo e estou em tratamento a 3 anos sempre tomando meu
    medicamento corretamente e sem falhas, vou ao meu infectologista
    regularmente, meu exames de carga viral sempre estao indetectaveis, meu cd4
    esta acima de 1000, e vivo com uma boa saude e sem outras dsts, eu tenho um
    companheiro que nao tem o virus, a gente sempre se cuidou usando preservativos, mais ele nao sabe que eu tenho o virus, o problema eh que
    teve 3 relaçoes que tivemos que por irresponsabilidade nao usamos o
    preservativo, e nessas relaçoe eu fui o receptivo(passivo) e ele o
    insertivo(ativo), gostaria de saber se vcs podem me ajudar quanto ao risco
    dele ter contraido o virus, sera que existe um risco muito grande disso ter
    acontecido diante da minha carga viral indetectavel e por eu nao ter outras
    dsts, por meu cd4 esta bom e ele ter sido o ativo? Por favor me ajudem,
    estou muito preocupado, desde ja obrigado.

    • Fab diz

      Acho que você deveria ter falado para ele, primeiro de TUDO! Eu namoro há 7 meses e ele descobriu que estava infectado há 4 meses. Eu n sou soro positivo. Mas ele me contou assim que recebeu os exames, mesmo c medo que eu o abandonasse. Ele segue o tratamento e nós usamos SEMPRE camisinha. No seu caso acho que ocorreu game over para ele, tomara que não! Mas se n passou dessa vez, não arrisca mais e procura um melhor momento para contar. Boa sorte

    • Guilherme diz

      Roger+,
      Considerando o seu caso e sendo exatamente como vc relatou, acho que são poucas as chances de contaminação pelo seu parceiro. Não sou eu quem digo, mas minha médica com quem faço tratamento. De qualquer forma, independentemente disso, ter relações sem preservativo na sua condição, sem contar para o parceiro, seja fixo ou não, é super errado..
      Se vcs realmente se gostam, a sinceridade vai permitir que vcs continuem juntos mesmo depois que vc contar. Claro que vc vai precisar se esforçar, mostrar os exames, talvez até ir ao médico com ele, enfim. Mas não ser sincero com certeza pode acabar com seu relacionamento…pense nisso!

      • Roger+ diz

        Guilherme bom dia, muito obrigado pela força, eu sei que errei bastante, e eu peço a Deus que me de muita força nesse momento, mais eu voi contar pra ele sim, nao sei como mais vou fazer, mais preciso fazer, tenho que tirar esse peso das minhas costas, vou contar a ele e vou pedir pra ele fazer o teste, eu li muitos relatos de que a pessoa que é indetectavel o risco de transmissao eh muito baixo, mesmo assim vou contar e pedir pra ele fazer o teste, peço muito a Deus que nao de nada, e muito obrigado pela força.

        • Guilherme diz

          Roger+,
          Já aconteceu comigo. Duas vezes. E os testes do meu parceiro foram todos negativos, mesmo 90 dias depois da exposição. E minha situação é como a sua: indetectável e CD4 acima de 1000.
          Meu parceiro sabia que sou soropositivo, mesmo assim ele quis ter relações sem preservativo e fizemos todo o acompanhamento e ficou tudo bem.
          Mas converse com ele, tenha uma conversa franca, honesta.. e esteja munido de informações, porque caso ele não tenha muita informação, a primeira reação sempre será ruim. Mas com conhecimento, as reações mudam. Se vocês realmente se gostam, tudo terminará bem…
          Ah! E se ele precisar conversar com alguém a respeito, que seja com seu médico, sempre melhor!
          Boa sorte!

          • Roger+ diz

            Guilherme, muito obrigado mesmo, de coraçao, a gente como ser humano numa situaçao dessas se ve sem saida, minha vontade era sumir, mais isso nao vai mudar as coisas, a gente conversar com quem ja teve essas experiencias eh sempre um bom começo, eu agradeço muito pela sua atençao, e pode ter certeza q vou fazer a coisa certa, alias ja deveria ter feito, mais como nao tenho como voltar atras o jeito eh assumir as consequencias, mesmo que sejam doloridas, Deus abençoe voce, muito obrigado

            • Fab diz

              Sei que é uma situação complicada. Mas é bem provável que Ele não tenha se infectado. O bom seria ele estar ciente, pq acontecendo esses acidentes ele pode tomar o PEP que eu ja tomei, pois o meu namorado é positivo e acabou acontecendo um acidente e eu fiquei exposto. Fiz o tratamento e acredito que tudo ocorreu bem. Que Deus que de a direção certa para contar a ele e se ele te amar e tiver conhecimento suficiente, não irá deixa-lo. Boa sorte.

  41. Roger+ diz

    Oi Fab, eu sei que errei em nao ter contado, sei que errei muito, so que nao sei como contar, sinceramente, to muito abalado, nao sei qual vai ser a reaçao dele, passa milhoes de coisas pela cabeça, mesmo assim muito obrigado pelo seu comentario.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s