Notícias
Comentários 37

Uma estratégia para desentocar o HIV


Cientistas descobrem maneira de expulsar o HIV de células infectadas

Por Alice Park @aliceparkny em 21 de junho de 2014

A técnica aborda o problema dos reservatórios de HIV escondidos no corpo e pode vir a ser uma nova maneira de combater a infecção viral

Uma vez que o HIV entra no organismo, ele não quer mais sair. Toda estratégia que os cientistas desenvolveram ou estão desenvolvendo para combater o vírus — de poderosos medicamentos anti-HIV à vacinas promissoras que agem contra ele — sofre do mesmo problema. Nenhuma consegue desentocar todo vírus no organismo e o HIV tem a tendência de se esconder, permanecendo inerte por anos, até irromper e causar a doença.

Nenhuma estratégia conseguiu desentocá-lo, até hoje. Kamel Khalili, diretor do Comprehensive NeuroAIDS na Temple University School of Medicine, e seus colegas, usaram uma nova técnica de edição genética para recortar o vírus das células nas quais ele havia infectado — fazendo-o voltar a seu estado pré-infecção. A estratégia é baseada na detecção e ligação do material genético do HIV e representa a primeira plataforma anti-HIV que poderia encontrar até mesmo vírus dormentes isolados dentro de células imunes.

Ainda mais encorajador é o fato de que os cientistas também usaram este sistema para proteger as células saudáveis ​​de ser infectadas, através da construção de bloqueios genéticos que repelem o material genético do HIV. “É o que chamamos de uma cura por esterilização”, diz Khalili.

Seu trabalho foi feito em células humanas infectadas pelo HIV em uma cultura de células em laboratório. No entanto, ele acredita que os resultados são robustos o suficiente para seguirem para testes com animais e, eventualmente, em pacientes humanos.

A chave para a estratégia é a técnica de edição de gene conhecida como CRISPR, uma maneira de cortar o DNA com precisão, em locais pré-especificados. A CRISPR atua como uma tesoura molecular customizável que pode ser programada para encontrar certas sequências de DNA e, em seguida, utilizando uma enzima, fazer cortes nesses locais. Como o HIV é um retrovírus, seu material genético vem sob a forma de RNA; o vírus coopta a célula de um hospedeiro para transformar seu RNA em DNA, o qual, em seguida, é inserido no genoma da própria célula. Então, os genes do HIV, que ele precisa para sobreviver, são produzidos pela célula.

Khalili projetou um CRISPR que reconhece o início e o fim do DNA do HIV e, em seguida, viu a enzima cortar o genoma de HIV para fora da célula. “Eu tenho trabalhado com HIV quase desde o dia 1 [da epidemia] e nós desenvolvemos uma série de moléculas que podem suprimir a transcrição ou diminuir a replicação do vírus. Mas eu nunca vi esse nível ou erradicação”, diz ele. “Quando você remove os genes virais de cromossomos, você basicamente converte as células ao seu estado pré-infecção.”

A vantagem do sistema reside no fato de que o CRISPR pode reconhecer os genes virais onde quer que estejam — em células infectadas ativas ou dormentes. Estratégias baseadas nos medicamentos atuais só podem atingir as células que se dividem e liberam cópias do HIV, razão pela qual o vírus ativo se torna indetectável, mas, depois,  [se interrompido o tratamento antirretroviral] os níveis de HIV podem subir novamente. Esse é o caso da bebê Mississippi, que nasceu soropositiva e recebeu um poderoso coquetel anti-HIV horas após seu nascimento. Ela parecia estar funcionalmente curada do HIV. O vírus não pode ser detectado por quase quatro anos, mas depois voltou.


Anúncios

37 comentários

  1. AM diz

    Aí sim hein!! Agora senti firmeza. Pena a matéria não dar mais detalhes sobre os próximos passos da pesquisa. Mas vamos aguardar com fé. Já estivemos mais longe 🙂

  2. Alexandre diz

    A sensação é que estamos recomeçando. Há muito tempo estamos vendo notícias de estudos entrando em fase 2 ou até 3, mas nesse congresso estamos vendo anúncios somente de estudos em estágios embrionários. Parece que houve um pequeno balde de água fria nas notícias sobre curas ou até mesmo sobre fármacos de longa duração. A vacina italiana, que era uma que eu apostava muito, será usada juntamente com os atuais ARV. Pensei que fosse para substituir. A TAT francesa tentará a redução da CV por somente 2 meses e em no máximo 30% dos vacinados. Sei não, mas acho que o HIV está colocando suas manguinhas de fora e está mostrando a todos que ele é quem dá as cartas.

    • Eliseu diz

      É, e o pior é que no campo dos investimentos pode aparecer o fenômeno que em Economia é chamado de Moral Hazard, ou Risco Moral: após “aturar” os reiterados fracassos das pesquisas, mesmo com muito cacau investido, os caras vão se sentindo desconfiados do processo como um todo–das pesquisas básicas e dos constantes apelos por mais e mais munição financeira até a liberação legal– e a quantia de dinheiro tem sua vazão bruscamente estancada. Acho bom os caras começarem a falar algo de mais concreto, porque senão os donos da bufunfa podem mudar de planos…

  3. Barney diz

    Acompanhando diariamente o blog, e vejo notícias animadoras, obrigado Jovem Soropositivo por nos manter informados.

    • Alexandre diz

      Observem que agora, na Austrália, nem as tão promissoras e faladas drogas de longa duração foram citadas. Sequer novos fármacos foram citados. O tema central está sendo prevenção e distribuição dos ARV. Nada nada nada de novo. A pesquisa acima nada mais é que mais uma que se inicia e se arrastará por longos 30 anos sem dar em nada. Desde que acompanho as notícias ouvia muito dizer em nanopartículas, que seriam medicamentos totalmente isentos de resistência do vírus, e totalmente sem efeitos colaterais, e agora vc vê uma pesquisinha que ainda engatinha, falar sobre elas. E não adianta falar que a vida de um soro+ é rigorosamente igual a de qualquer outro ser humano, pq não é. Inclusive essas pesquisas que divulgam que a expectativa de vida de um positivo é a mesma de um negativo se contradizem imediatamente. E o envelhecimento precoce? E as inflamações crônicas? E a perda óssea? E o fígado? E infartos? E insuficiência renal? Isso é ter vida normal? E os horários? E as dietas? No quadro de pesquisas em andamento, postado anteriormente aqui, têm vários cientistas falando que a expectativa de vida de um soro+ é infinitamente inferior a de uma pessoa normal. E não adianta me criticar não, pq foram os cientistas, especialistas na área, que disseram isso. Ou melhor, escreveram. Em conversa com meu amigo Barasa chegamos a uma triste conclusão: morreremos com essa merda dentro de nós. Tô achando que o míssil foi um cala boca nos cientistas, ou eles estão vendo o quanto esse vírus é inteligente. Muito mais forte e sábio que a máquina mais perfeita que Deus criou: o ser humano.

      • Cezar diz

        ainda nao eh o momento pra cura. e, quando acontecer, serah à revelia dos cientistas. e claro que teremos algum espertinho que irá lucrar politicamente com isso.

      • eduardo diz

        Vc e o doutor Barasa ao gênios! Conseguiram derrubar poderosos estudos de coorte com a simples lógica.Realmente, as pesquisas sobre a expectativa de vida estão todas erradas. A pesquisa correta é a feita por vocês em um boteco de esquina.

      • eduardo diz

        Vc e o doutor Barasa são gêniaiss! Conseguiram derrubar os poderosos estudos de coorte com a simples lógica.Realmente, as pesquisas sobre a expectativa de vida estão todas erradas. A pesquisa correta é a feita por vocês em um boteco de esquina.

      • Eliseu diz

        Tem também um outro dissabor. Qualquer mudança sensível na caderneta de tratamentos irá evidenciar logo sob qual tipo de regra fria o universo farmacológico está submetido . Por exemplo, se ficar provado que alguma substância impossibilita o surgimento de resistência por parte do vírus então a tomada de decisão mais coerente seria a aposentadoria de todos os esquemas de coquetéis antigos seguida da adoção desta nova opção. Certo? Mas isso aconteceria? Os médicos iriam chegar aos pacientes mais bem informados despejando o mesmo tipo de embromação sacal de sempre e ainda terminariam a consulta com um belo e educado “o mundo é assim mesmo, pegue a receita dos teus três comprimidos ultrapassados e potencialmente tóxicos e vá para casa”. Provavelmente ele só estaria à mão de pessoas com 20, 25, 30 anos de tratamento no lombo. Lembram do estudo argentino do ano passado? Segundo ele seria viável a eliminação de um ARV e seguir a vida com apenas duas classes ao invés das três prescritas agora(Para quem vai iniciar). Ou vocês acham que não haveria grita em ver tudo reduzido, repentinamente, sei lá, ao Dolutegravir?Assim, Alexandre, além da esperteza do vírus destacada por você ,ainda precisamos sofrer os efeitos do lado nefasto da “perfeição” da máquina humana; uma perfeição que não se cansa nunca, aparentemente, de agir contra o seu agraciado.

        Ps: A respeito do míssil atingindo uma aeronave lotada de estudiosos anti-aids, parece-me ter sido somente uma coincidência desastrosa mesmo. O separatismo naquela região não é só um modismo guerrilheiro qualquer; ele está ligado, entre outras coisas, à velha utopia de uma Mão Rússia unida em torno de um centro poderoso; ele pode, portanto, está relacionado a uma tentativa obscura de ressuscitar a variante mais recente desse delírio: A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas(U.R.S.S).O buraco ali é bem embaixo.

      • Adorei JS, Alexandre responda por vc! Pq a minha vida é super normal sim, a diferença é que tomo alguns comprimidos por dia e me cuido mais! Infinitamente menor?estranho pois aqui na minha cidade conheço um sr que está com 79 anos vive com o hiv a 26 e está otimoooo!!! Cada caso é um caso, um dia todos temos que ter algum problema pra poder desencarnar!!! Vc querendo ou não um dia temos que fechar os olhos!!!pelo hiv ou não,não sabemos.vc pode cair agora bater a cabeça e fechar os olhos! e ai?? foi o hiv que matou vc? Pode diminuir sim mais não infinitamente se vc não tem fé que as coisas vão melhorar não tente tirar de quem tem!!!

      • …o batman e o robin (alexandre & eliseu) do pessimismo deveriam criar um blog nomeado de “o diário dos positivos negativos”…meu, esquece passado, esquece futuro viva o presente vai…vocês são malas demais!!!

  4. Poxa, um vírus tão frágil e tão insignificante, mas que em nosso organismo é tão avassalador e tão difícil de desentocar… OMG! Dai-nos uma luz!

    • Lar diz

      O HIV é intracelular obrigatório, é um vírus inativo ao ambiente, diferentemente de outros vírus. Além disso, eu já li artigos que comprovaram já terem conseguido expulsar o HIV de células reservatórios, bom, o resto não vou dizer senão vão me rechaçar aqui. Esperança, todos nós temos, independentemente da sorologia, mas há outros interesses envolvidos. Há muitas pessoas que vivem com HIV há anos e não sabem do diagnóstico, muitos que mantêm uma vida saudável conseguem não manifestar os sintomas. Os ARVs, sim, têm trocentos efeitos colaterais avassaladores ao corpo humano, parafraseando o que você disse. Esperemos a cura para que as pessoas fiquem livres da intoxicação desses medicamentos. E veja o exemplo do JS, se infectou com 20, 21 anos e só foi descobrir quase 6 anos depois em um exame de rotina, vai me dizer que o vírus é tão avassalador assim? Outros vírus sim, fazem um estrago imediato, o HIV hiberna por 7,10 anos e não provoca nada em quem tem hábitos de vida saudáveis. É um caso a pensar e estudar com detalhes.

      • Lar diz

        Uma pessoa que morre de septicemia e não tem o HIV circulante, ok, essa pessoa morreu de septicemia. Agora, se essa pessoa tivesse o HIV, morreria das complicações da AIDS? Por que qualquer sintoma, infecção, manifestação cutânea em um HIV+ estão relacionados com AIDS e não com outra causa, e quem manifesta o mesmo que um portador, não seria AIDS, então seria o quê? Odeio essa fraude intelectual na área da saúde, como também acredito que eles sempre fazem de tudo para tocar o terror em quem é soropositivo e segregar soropositivos de soronegativos. Veja o tratamento em hospitais comuns, não falo em CTAs e outros centros especializados. Muitos soropositivos adoecem mais pelo terror que a medicina ortodoxa/indústria da morte farmacêutica geram ao redor do HIV do que o que o próprio vírus pode causar.

      • O HIV não hiberna, mas cria um reservatório que procria novos vírus. Estes, aos poucos, vão minando o sistema imune até o seu esgotamento. Sem tratamento, os vírus são produzidos pelo reservatório e a doença está sempre presente.

  5. Josue diz

    Oi, amigos. Vcs conversam com seus médicos sobre possibilidade de cura? Acreditam que nossa geracao poderá se beneficiar disso?

  6. Soro+feliz diz

    Desanimar não podemos nunca!!! Devemos é lutar pelo que acreditamos. E eu acredito estar vivo pra vermos juntos essa cura. Se Deus é por nós, quem será contra?
    Rumo a cura!!

  7. Esperançoso!! diz

    Sinceramente, tem gente aqui que tá tão de mal com a vida que prefere ficar negativando as coisas e assustar os leigos que vem aqui no blog procurar um apoio, gente vão viver ficar duvidando do trabalho dos especialistas é fácil quero ver ir lá e fazer alguma coisa. Ao invés de ficar falando besteira aqui no blog deveria ir fazer algo de útil pra si proprio, “já que ficar reclamando porque é um + e não encontram a cura logo e nem vão encontrar… blablabla”

    Vão viver!!

    Se forem de comentar e compartilhar algo, compartilhe o bem que transborda!!

    Até mais.!! To aqui torcendo para que tudo dê certo essa cura venha logo logo !! Amém !!

    • É a mais pura verdade. Só focam no lado negativo das coisas e não acrescentam em nada com os comentários “super inteligentes”, pois somente eles é que possuem uma visão crítica e culta do mundo.

      Pelo amor de Deus, vão se ferrar…

      • Alexandre diz

        Ué Luizão, pq vc não mandou eu me ferrar pessoalmente? Aqui é fácil, mas vc teve a oportunidade de me falar isso pessoalmente e não falou. Pq?

        • Não mandei tu te ferrar porque na época tu não eras tão chato como estás sendo nos últimos tempos.

          Mas se tu quiseres venha até Porto Alegre que eu te digo pessoalmente, sem nenhum problema.

  8. Hans Castorp diz

    Elas estão descontroladas

    Bonde do Tigrão

    Ah! Que isso?
    Elas estão descontroladas
    Ah! Que isso?
    Elas estão descontroladas
    Ela sobe, ela desce, ela dá uma rodada
    Elas estão descontroladas
    Ela sobe, ela desce, ela dá uma rodada
    Elas estão descontroladas
    Não para, não para, não para, não!
    Não para, não para, não para, não!
    Não para, não para, não para, não para, não para
    Até o chão!
    Vai, vai
    A paradinha, a paradinha, a paradinha
    A paradinha, a paradinha, a paradinha
    A paradinha, a paradinha, a paradinha…vai

    • Hans Castorp

      Essa música veio em boa hora!!

      Dancei até o chão agora..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  9. Ed diz

    Deixando otimismo/pessimismo mimimi de lado, durante a conferência deste ano, avanços em duas estratégias:

    Kick and kill:

    http://www.smh.com.au/national/health/hiv-research-cancer-drug-breakthrough-in-kicking-disease-out-of-hiding-place-20140722-zvnke.html

    O pesquisador norueguês que introduziu o conceito de kick and kill conseguiu com sucesso expulsar o vírus latente das células com uma droga para tratamento de câncer (não se sabe se pouco ou muito, vão iniciar um teste com mais tempo e maior escala)

    Vacina terapêutica: (pelo que entendi, aplicada a cada 2 meses)

    http://medianet.com.au/releases/release-details?id=806573

    Vacina terapêutica francesa está na fase de testes em humanos e por enquanto apresenta sucesso em 48 pacientes (de 48) – 2 meses sem ARVs e carga indetectável. A fase atual termina em dezembro, e se confirmados os resultados, vai para a III (centenas ou milhares de pessoas para se confirmar eficácia) e o laboratório responsável calcula disponibilizar em 2017 no mercado, se obtiver sucesso nos testes.

    • Secret diz

      Oi Ed e Js,

      Vocês saberiam responder se esta é a vacina desenvolvida pelo professor Loret?

      abraços!

  10. Pris diz

    Ah como tenho aprendido com essas postagens…meu parceiro e soropositivo e mesmo com muita dificuldade de aceitar esse impasse,toda vez que leio uma materia aqui,fico um pouco mais esperançosa!

  11. Luiz Milani diz

    Me descobri + há 2 meses e criei um hotmail que é um recado para mim, para meu corpo, para o virus e para quem mais tomar conhecimento: hivencercwb. Apesar da minha idade (63) estou certo que verei, vivenciarei, viverei e celebrarei a cura. Força a todos.

  12. M. End. diz

    É lastimavel o bebê ter tido essa reação após tantos anos.
    Porém o metodo que está sendo desenvolvido é o mais promissor atualmente .
    O que podemos fazer é ajudar na prevençao.
    As escolas são realmente o foco nesses tempos de devacidão, cometido por uma evolução cultural de ” o quê que tem” , e sexo desprovidos de segurança.

    Se somos corajosos pra teclar nossos coméntarios em sites . Por que não ajudar em trabalhos sociais .

    Vamos ajudar, eu não tive palestras em meus tempos de estudantes, e hoje em dia estou aflito esperando pela cura. Mas não quero que mais pessoas fiquem desprocidas de acoselhamentos.

    Estou desenvolvendo um projeto de aconselhamento em meu bairro . Até agora está no papel . Mas mal posso esperar para ser uma pequena luz , que pode ajudar na precençao de muitos .

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s