Artigos
Comentários 271

O que eu gostaria de ouvir quando eu conto que tenho HIV

Brasil Post

Quando um soropositivo contar a você que tem HIV, saiba, esse é um momento muito calculado. Muitas vezes, vem depois de um dilema, pois esse é um assunto que fica no limiar entre falar do íntimo e o temor do preconceito e da discriminação. Não é uma equação simples: pesamos o momento certo, o lugar certo e a pessoa certa para contar.

Quando revelei ter HIV a amigos mais próximos, alguns queixos caíram. Mas em seguida, carinhosos, eles se limitaram a perguntar: “Você está bem?” E nada mais. Nada além do que precisa ser dito para quem porta uma doença que, com o devido cuidado, é plenamente tratável e não mais letal. No entanto, no que diz respeito a relações amorosas, a coisa muda de figura. Quase todas as mulheres a quem contei ser portador do HIV optaram por seguir com o relacionamento que começava, sim, mas somente depois de algum tempo de digestão da notícia que eu revelara. A duração desse tempo de digestão é que costuma variar.

No primeiro caso, M., uma linda jovem de 24 anos precisou de uma semana de lágrimas e emoções intensas para me dizer “Desculpe, eu não consigo!” e um mês para mudar de ideia e me ligar de surpresa dizendo “Vamos para a cama agora! Mas será essa a única vez que iremos transar!”, me deixando então tão nervoso que acabei broxando nos finalmentes de nossa pouco romântica noite de núpcias. No segundo caso, R., uma empresária de 30 anos, estressada em meio ao caos dos papéis de seu divórcio, precisou de apenas uma tarde. Depois da revelação, saiu para caminhar e voltou com a decisão tomada:

“– Fui ao parque, caminhei e voltei. Hora alguma pensei em não ficar com você. Ao contrário, pensei no que poderia fazer para que tudo desse certo.”

Ainda assim, ela continuava assustada. Não sabia o que poderia fazer diante da situação. Chegou a sugerir que imaginava que a única saída seria a abstinência sexual. De olhos arregalados, olhou para mim e lamuriou:

“– E eu achando que meus problemas com o divórcio eram grandes. Agora tudo o que me preocupava tem um peso bem menor!”

“– Bom”, respondi sorridente, “Então, não há de quê!”

O curioso é que, embora o tempo que cada uma precisou para digerir a notícia tenha sido diferente, as perguntas que elas dispararam logo depois que eu contei ter HIV foram incrivelmente idênticas e na exata mesma ordem! Perguntaram sobre meu estado de saúde, a origem da minha infecção, meu tratamento, os riscos de transmissão e o que elas deveriam fazer para que o sexo comigo fosse seguro. Por último, perguntaram sobre como deveriam fazer para ter filhos comigo. Como a maioria dos homens, eu, claro, quase desmaiei quando escutei isso! Filhos era a última coisa que passava pela minha cabeça.

Fosse mais fraco, acho que morreria do coração. Aliás, dizem os médicos que soropositivos têm risco discretamente maior de sofrer de problemas cardíacos do que soronegativos não-fumantes (em fumantes esse risco é muito maior que em soropositivos). A explicação é que o vírus causa um processo inflamatório mínimo, porém constante, enquanto o uso vitalício dos antirretrovirais pode aumentar o colesterol, glicemia e triglicérides. Mas acho que as pesquisas que concluíram isso não levaram em conta que ter que se deparar com uma pergunta sobre filhos a cada revelação da sorologia é o que faz essa taxa de problemas cardíacos ser moderadamente mais alta em soropositivos.

Outra coisa a ser levada em conta é que o stress no ato de revelar a sorologia é realmente muito alto — para ambas as partes, é verdade. No que diz respeito à perspectiva de uma pessoa que vive com HIV, é simplesmente impossível prever a reação de seu parceiro ou parceira diante da relevação da sorologia. E é isso o que nos deixa apreensivos, com medo e, na maioria das vezes, optantes pelo sigilo e discrição. A verdade é que nunca sabemos se ao revelar, após observarmos o tradicional movimento do queixo caindo, a sequência será de pânico, choro ou daquele assustado olhar que continua perguntando: “e agora?!”

O fato dessa reação ser quase sempre a mesma é que mostra o quão defasado está o conhecimento leigo daquilo que os médicos (e os pacientes mais informados) já sabem sobre os riscos de transmissão do HIV. Afinal, o “e agora?!” já está respondido pela ciência, e inclui aquilo que tenho escrito nos meus últimos textos. Entretanto, o que nós soropositivos percebemos é que a maior parte das pessoas simplesmente não sabe de nada disso. E temos que explicar como é a vida de alguém que vive com HIV hoje e sobre os riscos de transmissão a cada vez que resolvemos falar que temos o vírus.

Percebemos também que explicar isso não extingue o medo. Mas diminui. Ou limita-o para onde deve estar, sem paranoias e exageros. Melhor ainda, a informação oferece as ferramentas para que o preconceito seja extinguido. Digo isso porque R., a empresária que mencionei acima, mesmo depois de meu explicativo e até descontraído discurso, ainda sentiu medo. E esse medo só sumiu quando ela ouviu de um amigo a quem resolveu consultar, um jovem médico residente em infectologia. Ele, por acaso, iniciou a conversa com a resposta tão esperada por todo soropositivo. Aquela que tanto gostaríamos de ouvir depois de revelarmos nossa sorologia a quem quer que fosse:

“– Tem HIV, e daí? É só usar camisinha. E você já ia usar camisinha de qualquer forma, não ia?”

image_1393626039

Anúncios

271 comentários

  1. ECO diz

    Que legal, post novo! Parabéns pelo site JS.
    Descobri minha sorologia há pouco tempo e por morar em uma cidade pequena as coisas ficam piores, quando descobri me relacionava com uma pessoa que não deu certo e foi difícil depois do diagnóstico inserir a camisinha no relacionamento (afinal havia chances dele não ter sido infectado e daquele momento em diante cabia a mim protegê-lo).
    Depois me relacionei com outra pessoa, um antigo amigo que virou relacionamento e agora nem amigo é 😦 neste caso fiz uso de preservativo em TODAS as relações, na ultima vez ele demonstrou extrema irritação pois queria transar sem camisinha e eu não deixei, várias vezes ele quis abrir mão e eu não deixei pra proteger a saúde dele.
    Onde quero chegar com essa história?
    Dói não conseguir falar, o medo é tanto que travo, em alguns momentos acho que ele perdeu um pouco o tesão por ter que usar camisinha e dói saber que alguém me deixou por eu estar praticando um ato de amor por ele. Eu também detesto usar camisinha, acho extremamente broxante e eu já tenho HIV poderia simplesmente abrir mão e deixar que ele se ferrasse…mas prefiro dormir com a consciência tranquila.
    Agora resolvi ficar sozinha, tratar de ganhar dinheiro e dar um jeito de ir embora pra uma cidade maior.
    Eu imagino alguém descobrindo, sou de uma cidade de menos de 100 mil habitantes, nascida aqui, aquelas cidades que todo mundo te conhece ou já gravou sua cara porque já te viu inúmeras vezes pela rua, eu ia virar manchete no jornal, ou no mínimo teria pessoas dando voltas de 360° com a cabeça pra me olhar na rua…rs
    Ta froid! (como dizia um amigo meu pra evitar palavrões..rs)

    • Jaime diz

      Eco,
      Sou Homem (gay) e descobri há quase 3 anos, na época morava em São Paulo. Desde então relacionar-se passou a ser mais complicado, e passei então a sentir solidão, então busquei ir viver perto da minha família, e fui morar no interior, numa cidade com menos de 50 mil habitantes. Estar perto da família é bom, melhor que a solidão de São Paulo, mas se em SP estava difícil arrumar um companheiro, imagina no interior!? A minha vida e minha saúde no geral, andam melhor aqui, mas a solidão tá pegando. Enfim, não se pode ter tudo… pensar em voltar para uma cidade grande? Não vejo sentido (pra mim), SP tava me engolindo. Sinceramente não vejo como buscar um namorado.
      Estou vivendo no interior há 5 meses, e nesse tempo comecei a namorar um medido de 30 anos, em um mês contei para ele sobre o HIV e em algumas semanas ele sumiu.

      • Jj diz

        Bom dia jaime,meu nome é X, bom não se sinta assim, meu ex era soropositivo e me contou quando tínhamos três meses, mas sempre fizemos de camisinha, e nem por isso deixei de gostar dele, confesso que no começo morria de medo da camisinha estourar, mas ele fazia o tratamento todo certo. Enfim da para você namorar sim, porém com algumas limitações e seguir uma vida tranquila. Se você se trancar fica pior.

      • Nickolas Valentiny diz

        Muito triste e saber que a pessoa não estava com vc por amor, pois o amor esta acima de qualquer tipo de doença ou virus e algo do tipo. Volte para sp arrume um parceiro e vá embora com ele para o interior.

    • Henry diz

      Li aqui vários relatos sobre o sentimento do portador do vírus HIV, desde a descoberta e os dias, meses e anos que o acompanharão. É verdade que o blog trata bastante da visão de quem é portador do vírus, estando com carga indetectável ou não, com a manifestação da doença ou não. Não sou portador do vírus, mas conheci esse blog há aproximadamente 06 meses e, vez ou outra, sempre volto a ler essa matéria, para me confortar, porque o HIV também faz parte da minha vida.
      O que me chamou a atenção, porém, foi a parte sobre relacionamentos, e sobre isso gostaria de compartilhar minha história com vocês.
      Há aproximadamente 06 meses, eu conheci um rapaz (sou gay). Nos conhecemos numa festa, na qual fomos juntos com um amigo em comum. Achei ele muito bonito e confesso que esperei alguma atitude dele, porque sou tímido, mas nada aconteceu.
      Cerca de um mês depois, chamei-o para sair e ele aceitou. Sou um homem romântico, no primeiro encontro, levei-o para jantar e paguei a conta. Antes disso, porém, ele pediu que eu entrasse em casa para conversar. Entrei e ele me contou que era portador do vírus, havia descoberto há poucos meses e já havia iniciado o tratamento, estando com carga viral indetectável.
      De fato, foi um baque para mim, no momento. É como dizem, nós sabemos que o vírus está por aí, o assunto é sempre noticiado na mídia, há inúmeras campanhas de prevenção, mas nunca conheci, ou mesmo imaginei, que alguém próximo a mim estaria nessa situação.
      De igual modo, a exemplo das mulheres do blog, fiz as mesmas perguntas de praxe (com exceção de filhos), tais como “como foi?”, “com quem foi?”, “por que vocês não usaram camisinha?” e etc, e ele respondeu a tudo pacientemente.
      Escutei tudo e ele me perguntou se eu ainda queria sair com ele. Respondi: “Claro que sim”. Também falei que tinha um pouco de noção sobre o assunto, do tipo, que beijo, abraço e por aí vai não transmite o vírus, mas foi interessante a conversa, e depois a pesquisa, para perceber que o meu conhecimento sobre o assunto era mínimo. Eu, por exemplo, não sabia nem o que era carga viral indetectável.
      Saímos para jantar e foi ótimo e no final nos beijamos.
      Nos dias seguintes fiquei também com aquela pulga atrás da orelha, sobre como seria eventual relacionamento com um soropositivo, daí minhas pesquisas sobre o assunto, mas isso não me desmotivou. Eu também não sou assumido e poucas pessoas sabem da minha orientação sexual, assim como a dele. Todavia, com o tempo, fomos nos envolvendo cada vez mais, até que o pedi em namoro e ele aceitou.
      A vida estava perfeita, eu tinha alguém que amava e que também me amava, alguém que meus amigos aceitavam, tudo estava ótimo.
      A primeira transa realmente foi tensa. Ele estava nervoso (bem mais que eu) e broxou várias vezes. Dizia que tinha medo de a caminha estourar e me contaminar.
      Eu também tinha esse medo (e acho que um soronegativo, mesmo com todo esse conhecimento, sempre terá), mas, fazíamos tudo direitinho. Usávamos camisinha, eu sabia da carga viral dele, havia respaldo médico, ou seja, nosso sexo era até mais seguro do que com qualquer outra pessoa.
      Para encurtar a história, ficamos juntos por seis meses. Cerca de dois meses depois de começarmos a namorar, ele disse que não se sentia confortável em transar comigo, porque tinha medo de me contaminar, então, pediu minha opinião sobre isso. Eu disse que eu o amava e que o que nós tínhamos era maior que desejo sexual, porque eu tinha amor, tinha companheirismo, tinha amizade, tinha alguém com quem contar e que ele também tinha tudo isso de mim.
      Eu procurava respeitá-lo nesse pormenor, sabia que era difícil para ele, e ele sabia que também era para mim. Ele sentia-se culpado de sermos dois jovens, começando um namoro e sentia-se um namorado incompleto por não me satisfazer sexualmente. Eu sempre busquei deixá-lo seguro, e com sinceridade, de que o que eu sentia por ele era maior que desejo sexual. E realmente era, eu o amava.
      Quem se relaciona com um soropositivo, principalmente quando ele acabou de receber o diagnóstico, deve saber que a pessoa estará numa montanha-russa de emoções. Um dia, estará bem, no outro, estará mal. Assim como no nosso relacionamento, no começo, tudo era maravilhoso e depois foi diminuindo. Tinha medo que isso ocorria por ele estar perdendo interesse em mim, mas sabia que no fundo era a questão do vírus. Por isso, sempre busquei deixá-lo seguro. Ele mesmo me disse, no começo da relação, que preferia que, no primeiro dia, eu dissesse que não queria sair com ele, que ele já estava preparado para a rejeição. Não obstante, meu namorado, e aí acho que é a questão astrológica, era ariano e, além da personalidade forte, não se abria. A única coisa que podia fazer era deixar claro que, quando ele precisasse, eu estaria lá por ele.
      Semana passada, nós saímos e ele disse que queria conversar. Interessante que, naquela semana, eu entreguei a ele um presente de aniversário de seis meses de namoro e fiz um cartão, dizendo que o amava e que ele podia contar comigo sempre. Dias depois, então, saímos e ele voltou ao assunto de que não se sentia um namorado completo por todas aquelas razões e não sabia se precisava ficar sozinho, pois tinha medo que eu ficasse com ele e perdesse oportunidade de conhecer outros caras, numa atitude que ele disse interpretar como egoísta da parte dele, e também tinha medo de ficarmos separados e eu encontrar outra pessoa.
      Novamente, procurei garantir que eu estava com ele porque o amava. Que o que nós tínhamos era tudo o que eu precisava, sabia que ele estava num momento crítico da vida dele e que estava lá para apoiá-lo.
      Uma coisa que sempre busquei dizer a ele, era para viver um dia de cada vez. Ele dizia que os sonhos dele foram interrompidos, que havia inúmeras barreiras da frente dele, que tinha medo de nunca na vida poder me satisfazer sexualmente, e eu dizia para ter calma, respirar e viver um dia de cada vez. Ele era bastante ansioso e eu tentava explicar que as coisas não se resolviam da noite para o dia, que era preciso tempo, sendo que ele havia começado a fazer terapia alguns meses antes.
      Apesar disso, ele dizia que, embora eu garantisse a ele o quanto ele me fazia feliz, ele não se sentia feliz por não conseguir acreditar no que eu dizia.
      Nossa conversa durou umas 4 horas, sendo que dessas, umas 2 horas foram um silêncio absoluto, pois, sabia que ele precisava mais falar o que sentia do que me ouvir.
      No fim, ele disse que achava melhor se descobrir sozinho, porque não achava justo “me segurar” enquanto fazia isso.
      Eu respondi que não sabia pelo que ele estava passando, buscava compreender, mas que sabia, ao menos, o que era ficar sozinho para se redescobrir. pois, foi justamente esse o período antes de me assumir. Ficar sozinho pode parecer mais fácil do que lidar com as pessoas e os problemas ao seu redor, no entanto, o problema é que, independente disso, a vida não para. Justamente por ficar anos sozinho, eu perdi oportunidades e deixei de crescer, acabando por acordar num mundo completamente desconhecido, e eu não tinha, na época, com quem contar, especialmente em casa, com meus pais conservadores.
      Eu disse que ficar sozinho não seria a melhor escolha, mas, se ele queria assim, para ser feliz, eu o apoiava. Demorou horas para ele decidir que queria realmente permanecer sozinho.
      Foi terrível.
      Eu achava que o meu amor por ele transcenderia a tudo.
      Aqui no blog, lemos muitos comentários sobre o fato de o portador do vírus HIV estar sozinho, porém, a maioria é sobre querer estar sozinho por medo de se relacionar e por não ter com quem contar, e isso é perfeitamente compreensível. Já eu estou aqui contando o meu lado da história, a narrativa do soronegativo que buscou fazer seu namorado feliz e deixar claro que ele não precisava passar por isso sozinho.
      Como disse, não sei se ele fez a escolha certa. Eu não sei quais os sentimentos que eles e qualquer outra pessoa na mesma situação experimentam. Não acredito que ficar sozinho, quando você tem alguém do seu lado, melhorará sua vida. Na verdade, acredito justamente no contrário.
      Nesse ponto, o soronegativo também sofre. Eu o amo demais, acreditava que meu amor por ele o faria ver que ele não precisava ficar sozinho. Acho que ele é o homem da minha vida. Mas o que posso fazer?
      Ele, todavia, pediu que eu continuasse ao lado dele, segurando a sua mão. Mas o que isso significa?
      Eu quero o bem dele, eu me preocupo com ele, eu queria que ele se sentisse seguro e protegido ao meu lado e às vezes fico pensando: o que mais eu poderia ter feito? Será que o meu relacionamento estava fadado ao insucesso?
      Mas acima de tudo, eu queria que ele soubesse o quanto eu o amo e como eu ficaria feliz se ele permitisse mais uma vez compartilhar a sua vida ao meu lado.
      Outra questão do soronegativo, o que também acho que vale para relacionamentos entre sorodiscordantes, é justamente a falta de alguém na mesma situação para conversar, trocar ideias, porque tudo é novo para nós e, assim, o relacionamento é pautado em tentativa e acerto. A experiência alheia, nesse caso, seria muito bem-vinda.
      Eu estou respeitando o desejo dele de ficar sozinho, mas também estou sofrendo. Não quero conhecer outra pessoa e se precisasse, preferiria passar a vida em abstinência se fosse para ficar ao lado dele. Só espero um dia possamos ficar juntos novamente.

      • Maxwell diz

        O maior medo do portador é o preconceito. É envelhecer sozinho. Existe sim essa possibilidade dele querer um tempo pra que ele coloque suas idéias sobre a doença em ordem e que possa viver de uma forma mais tranquila. Você parece ter muitos conhecimentos, estudos. Ele também procura essas informações?
        Ou pode ser que não haja reciprocidade quanto ao sentimento AMOR por parte dele perante à você. Ele pode nutrir um carinho, um afeto por você querer ter ficado com ele sendo o mesmo portador, mas infelizmente não corresponde ao seu sentimento de amor e quer que você seja feliz com alguém que realmente lhe ame.

      • Ted diz

        Olá, Henry! Muito bonito de sua parte pensar e agir desta forma. Fico feliz que no mundo ainda existam pessoas de bom coração, cabeça bem feita e livres de preconceito. Hoje é muito mais seguro se relacionar com alguém que conhece a sua sorologia e se cuida do que com alguém que não faz questão de saber.

        Estive em uma montanha russa de sentimentos nos primeiros meses quando fui diagnosticado. É um turbilhão de emoções, a gente tem medo de ficar sozinho, de ser rejeitado, do que pode vir a acontecer, se vamos ficar bem, se isso tudo vai passar, sobretudo o medo de infectar alguém que nós realmente gostamos e que nos preocupa com a gente.

        Dê tempo a ele para que ele assimile suas ideias e se mantenha perto, nesse momento acho que ele precisaria de alguém assim. Por muitas vezes, nós sentimos a falta de alguém para conversar, contar como estamos em nossas consultas, sobretudo reclamar de algumas coisas que algumas coisas acontecem.

        Fique bem e coloque uma coisa em sua cabeça: O que tiver de ser será. Se for para ficarem juntos, cedo ou tarde isso acontecerá. Se não for, paciência.

        Sou de São Paulo e atualmente estou buscando por amigos, se for daqui também, podemos sair um dia e tomar um café.

        Abraços.

  2. Andre Salvador Bahia diz

    É sempre muito estranha a sensação de conhecer alguém e ficar imaginando se devo ou não contar sobre a sorologia. Como descobri por adoecer e quase “passar dessa para melhor(ou seria pior?)” logo que havia me recuperado parcialmente me permiti conhecer um cara que já conversava há algum tempo por um site de relacionamentos(ou seria de sexo?). Era a primeira pessoa que me permiti conhecer pelo site e logo, não sei bem se pela carência ou química mesmo, me apaixonei e não deixei que o sexo entrasse na relação antes de contar. Após o choque inicial ele me disse que não habia problema e que poderíamos continuar sem nenhum problema mas uma semana deois de termos transado pela primeira vez voltou com um ex-namorado de sorologia desconhecida. Preferiu o incerto à certeza de que comigo não haveria risco de contaminação. Desde então apenas sexo casual tem acontecido e me falta coragem de “engatar” relação estável com receio de contar e novamente a reação não ser a tão esperada “tudo bem, iremos nos proteger e podemos ficar juntos sim”… Bom saber que podemos contar com blogs como este onde vamos melhorando nossas percepções à respeito da vida com HIV. Bjão a todos.

    • Vida diz

      Por mais que eu queira, tenho evitado relacionamento amoroso. Prefiro morrer na seca a ter que contar minha situação pra quem quer que seja! Ainda mais nessa cidade que é um ovo e todo mundo conhece todo mundo e adoram cuidar da vida dos outros..
      O duro é fugir de comentários do tipo: “solteira, jovem, sozinha…Ahhhhh deve ser sapatão!!” Isso que é fodaaaaaa.

      Js você não quer dar um jeito? prometo que não vou fugir, não vou ficar de queixo caído e não vou perguntar sobre quando e como tudo aconteceu e apesar de amar crianças…eu não vou querer um filho nosso..rsrsrsrsrsrs

      • ECO diz

        Pelo jeito estamos no mesmo barco né Vida, ser soropositiva em cidade pequena é desgraça demais pra uma mulher só.
        Eu costumo dizer que ja carrego preconceitos suficiente, trintona, solteirona, pobre, depressiva, espírita e agora soropositiva. Aí ja é demais!Treva total. Pelo menso modéstia a parte eu sou bonita…dizem que Deus não tira tudo…kkkkk.
        Vejo as pessoas falando que a vida é uma dadiva…pra mim é um fardo!

        • Vida diz

          Eco que exagero!.rsrs
          A vida é uma dádiva sim! E devemos nos alegrar e agradecer diariamente por estarmos vivos e com saúde! Fardo todo mundo tem e nunca é maior do que a gente possa carregar. E tire esses pensamentos de que ser trintona, solteirona, pobre, depressiva, espirita e S+ é defeito ou alvo de preconceitos…Essa treva total é você mesma que está criando nessa cabecinha..rsrsrs
          Bola pra frente!!!

          Beijo

          • ECO diz

            O Vida, tem razão querida. É que as vezes é tão difícil se manter positiva né! Obrigada pelo puxão de orelha, essa semana to me sentindo melhor, conseguindo reagir a depressão. Eu sinto muita falta de um companheiro e ao mesmo tempo boicoto os pretendente por medo do momento de revelar minha soropositividade, mas você tem razão…eu sou uma trintona linda (rs), batalhadora, justa, humana…com meus defeitinhos como todos…mas eu vou superar. Tenho me educado pra pensar que continuo a mesma pessoa…apenas tenho um vírus do qual gente ignorante tem preconceito, mas sei do meu caráter e potencial. Continuo na luta!. Deus te abençoe muito e sempre…Gande beijo!

            • Vida diz

              Eco, assim que se fala menina!!
              Somos duas boicotadoras não é mesmo? rsrs fujo por medo de um dia ter que revelar a minha situação….prefiro assim.

              Que Deus te abençoe infinitamente.

              Beijo

        • vanessa diz

          Meninas, Vida e Eco… Eu tb sou trintona, solteira e moro sozinha… Só minhas irmãs sabem da minha condiçao,… E realmente não temos como saber a reação da pessoa…
          Mas a duas semanas contei pra um amigo meu….
          Falei depois q ele disse pra mim que vai ser pai…não sei o q me deu na cabeça q resolvi contar….
          Ele disse vou ser pai….eu falei sou soropositiva……ele disse logo depois… Se eu pudesse escolher a mãe desse meu filho… Escolheria você!!! E disse q me admira ainda mais!!! Chorei na hora!! Eu sabia qUE ele era meu amigo mas nunca imaginei que a admiração de uma pessoa pudesse aumentar devido a isso!!!
          Fiquei feliz!! Por ter mais uma pessoa próxima a mim com quem posso dividir!!!
          Não sabemos a reação das pessoas nem mesmo as nossas pq eu nunca ia contar pra nenhum amigo e num momento desses pára neh rsrs mas simplesmente saiu rsrs
          Bjs

          • Oi Vanessa, meu nome é Marcos Andre eu sou soro positivo à mais de 17 anos tenho 40 anos yrbalho como Assistente Administrativo,, faço curso superior e moro no Rio de Janeiro, não aparento ter a idade que tenho. É verdade a sua historia e me emocionei, pois parece com a minha gostaria muito de falar por e-mail com você: marcos.andre73@yahoo.com.br. Beijos.

            • Jonathan diz

              Boa noite marcos descobri hj .. To meio sem cjao a ficha nao caiu to me sentindo sufocado sozinho moro no rj tbm sera que poderia mandar um email para trocar uma ideia nao sei acom quem falar. E o que fazer .. Meu email. jonathangois31@hotmail.com

        • Gra diz

          Eco, minha querida, vc é espírita e pensa assim… Tb sou e estou vendo a vida de um ponto de vista muito diferente depois da descoberta, dificil, mas diferente… Se quiser conversar podemos conversar pelo e-mail grapositividade@bol.com.br

          • Gra diz

            Eco, qd mandei o post acima só havia lido seu primeiro comentário, mas o q li abaixo me deixou muito feliz… continuo a disposição para conversarmos por e-mail, sinto falta de debater sofre o meu caso com soropositivos q tenham a espiritualidade como doutrina… Existem coisas que só nós conseguimos compreender…

        • pathylopes diz

          Só não curto seu comentário, por ser um pouco deprecivo ,ame a vida.

  3. Rafael diz

    Em 17/03/14 assinei meu divórcio depois de 7 anos, muitas brigas e uma descoberta de que minha ex-esposa me traía. Como descobri que as traições foram com várias pessoas, e ela nunca assumiu nada, decidi fazer o exame de hiv, e descobri que sou soropositivo em 09/04/14. Foi um choque, pois eu fiz apenas pelo fato de sempre ter sido paranóico, e precavido. Chorei muito, pois pra mim, fui infectado da forma mais cruel que consigo imaginar… aliás ainda choro muito. Na primeira consulta com o infecto, descobri que tenho HIV há anos, e que devo começar com os retrovirais assim que sair os exames complementares. Cheguei a achar que tivesse há pouco tempo, mas até isso de mim foi tirado.

    o exame de carga viral deu 322.176 cópias/ml e 560.586 Ul/ml.

    e o de cd4 absoluto de 270,5. exame datado de 11/04/14.

    confesso que nem faz muito sentido, esses números pra mim. Mas entendi que quando o medico já pede exames complementares pra começar os retrovirais, é porque já tenho há um tempo.

    Fico p*to da vida, pois até isso me foi tirado. o direito de me cuidar desde o começo…

    Mas uma das coisas que me incomodam muito são meus amigos. Muitos me deram muito apoio no meu divórcio, pois foi extremamente doloroso… Mas odeio a sensação de esconder isso deles. É como se eu tivesse de me esconder de algo que eu nem provoquei, diretamente.

    Tem um amigo que quer me tatuar (pois foi algo que me prometi fazer, antes de sair o resultado do hiv), e simplesmente não consigo deixá-lo fazer sem falar sobre minha condição. Ele utiliza materiais descartáveis e tal, mas eu tento me colocar no lugar dele, e não posso dar um tapa no ombro DEPOIS da tatuagem e falar “então, sou soropositivo!”

    A verdade é que minha vida está totalmente tumultuada.
    Não bastasse isso, fui depenado nessa droga de divórcio, mais o plus de assumir TODAS as dívidas e problemas para que fosse amigável (não tivemos filhos, graças a deus)
    Choro muito, e tenho medo de meus amigos, minha família, meu trabalho. Pra mim, descobrir isso foi a cereja do bolo mais zoado do mundo que engoli nos últimos 2 anos.

    Meus pais sabem, contei no dia que soube. E vejo que eles também sofrem com isso, de não poderem contar a mais ninguém, da minha condição.

    Bem, queria perguntar uma coisa, e acabei falando um monte de outras coisas. Mas acho que isso reforça o porquê de eu odiar o fato de esconder minha condição.

    A pergunta que queria fazer é: devo contar, ou não (amigos próximos)? Meu medo não é a rejeição, pois pra mim, se tem gente que vira a cara pq vc tem, isso é porque tem preconceito, e nunca foi seu amigo. Meu medo é das pessoas falarem umas pras outras, e aí sim o preconceito da sociedade te massacrar, e trazer mais problemas ainda. Pra quem vcs contaram, como foi? não devo contar, é pessoal demais?

    Nem quero entrar na questão sexual/relacionamentos, porque pra mim isso está “suspenso” até eu entender melhor minha condição física, e mental. Nunca fiz mal a ninguém, e nem quero. Mas preciso saber, como dar cada passo a partir de agora.

    • Bem, eu e um ex namorado meu descobrimos que eramos portadores do virús hiv há 4 anos eu acho que contaminei ele por que um rapaz que eu havia ficado sem camisinha tinha morrido em decorrencia da falta de tratamento e somente um amigo, minha mãe, minha irmã e um ex namorado sabem da minha situação. Eu não recomendo contar para qualquer um, somente para quem vc realmente tem confiança, estou conhecendo um rapaz e já transamos com camisinha e pelo que vejo vamos mais longe na relação e eu estou tomando coragem para contar para ele mas o medo de rejeição é grande demais e penso em não contar, mas aí penso que não será justo esconder isso dele e devo claro dar o direito a ele de querer ficar comigo ou não sabendo da minha atual situação, uma das coisas que mais me cansam e me deprimem é carregar esse peso sozinho, não poder contar para mais ninguem por causa do medo de rejeição, do preconceito e se eu fosse você escolheria bem a pessoa para a qual você quer compartilhar a sua condição. add no skype se quiser conversar, desabafar ou até um novo amigo! skype: maurilioj abraço

      • Eder diz

        Pessoal,

        Tbm sou soropositivo, e acredito ter contraído do meu ex-namorado. Já fui rejeitado, por umas 3 vezes quando falei, e hj, digitei essa pergunta no google, e acabei nesse post… e exatamente hj, irei encontrar um rapaz que conheci, já transamos com camisinha uma vez, e já me pediu em namoro. Esse peso que todos aqui falam na hora de contar é horrível, a sensão após ser rejeitado, pior ainda (já senti 3 vezes), e lá vai eu, daqui 20 minutos encontrá-lo e contar.

        Apesar de tentar me preparar para a rejeição, sei que tenho direito de amar alguém, e Deus irá preparar alguém que me aceite e me ame de verdade….. e pra todos vcs também!!!! Issso faz parte de uma luta, que nos deixa mais forte pra essa vida, independente de quem ou como contraímos essa doença!

        Sei que se for rejeitado, irei chorar, mais uma vez, mais um dia de tristeza, mas isso faz parte, pois, tenho coração e sentimentos, porém, a força de Deus é maior que nossas dificuldades! Portanto, lá vou eu mais uma vez, tentar isso novamente! Tentem também, não desistam, não caiam em depressão. POodem chorar e colocar pra fora, pois, precisamos, mas no dia seguinte levantem a cabeça e confiem na mão de Deus!

        Todos temos o direito de sermos felizes, e salvo qualquer outro propósito que não saibamos (mesmo assim, certos), Deus quer que sejamos felizes. E lá vamos nós!!! Todo mundo, cabeça erguida… e vcs de cidade pequena… VEnham pra cidades maiores, quem sabe se sintam melhor! Isso também é uma mudança que ajuda muito.

        Abçs,

        faltam 10 minutos agora … ai ai ai

        • Olha parabéns amiga e obrigado. Pelas palavras eu estava me sentindo tão não achei que era so comigo que acontecia eu até hj estou solteira sei que Deus esta preparando a pessoa certa! Todos nos um dia vamos sorrir muito dessa situação porque acura vai chegar e essas pessoas que nos dispensaram. A inda vão aquerer namora com nos kkkkkk bjs a todos que Deus abençoe cada um de nós e não se esqueca Deus so dar o que podemos carregar 😚😚❤❤

          • robert Mark diz

            oiii claudinha lir o seu comentario…. estes caras te despencaram vc, pq não sabe do seu valor….

        • Luiz diz

          tô lendo agora seu post, Eder. Não sei se o tal encontro foi promissor. Espero, sinceramente que sim. Mas as suas palavras são de um incentivo enorme, adorei mesmo. Descobri minha condição de soropositivo há pouco mais de um mês. Está sendo terrivel. Só penso em me isolar dessas causas amorosas. Tá difícil! Mas ler um relato como o seu me deixa esperançoso e melhor. Obrigado.

    • ECO diz

      Oi Rafael,
      Eu descobri a pouco tempo também e provavelmente quem me passou foi um namorado, namorei dois anos com uma pessoa e depois dele um mês com outro rapaz, tenho pra mim que a doença veio de um dos dois pois antes de iniciar o namoro que durou dois anos me testei e deu negativo.
      Quanto a sua pergunta acho legal contar a alguém de fora da família, alguém pra você conversar a respeito que te ama, te respeita, mas não na intensidade com que seus pais te amam, assim você pode desabar pro amigo e não pros pais pra poupa-los de sofrimento (ja que você percebe que eles sofrem com você)…afinal desabar em alguns momentos é algo inevitável não é? A gente se mantem forte, agindo com bravura a maior parte do tempo…da pra controlar algumas quedas, mas não pra evitar,
      Espero ter ajudado….Beijos

    • Rita JC diz

      Rafael, que barra hein?

      Pois bem, eu descobri minha condição de soropositiva em um lugar magnífico, tipo conto de fadas, eu posso dizer assim. Enfim, vi meus sonhos e planos desabarem, meu namorado que graças a Deus não foi infectado, atualmente ex-namorado, na ocasião me apoiou, ele estava junto comigo quando descobrimos, exatamente de frente pra médica… então em relação a contar essa condição e para quem contar, eu acredito que você fez muito bem em revelar a teus pais… Depois de Deus eles são as pessoas que mais te querem bem nessa vida… Pelo menos foi isso que eu fiz, contei pra minha família que me apoiou em todos os momentos, minha mãe disse: Minha filha nós vamos te apoiar, enquanto eu tiver vida você não estará desamparada… olha, naquele momento eu senti um refrigério tão grande… fiquei surpresa, confesso à você, pois sempre optei em não contar com a compreensão de ninguém para não me decepcionar.
      Depois da tua família eu acredito não ter necessidade de falar isso para outras pessoas, salvo, quando não restar dúvidas em teu coração… se o teu coração tem paz, nada pode te abater.

      Desejo melhoras, que Deus te abençoe e te guie.
      Meu e-mail é rcnn13@gmail.com, se quiser conversar, pode contar comigo.

      Abç Rita

    • Tatynha diz

      Rafael,

      Embora você esteja pedindo uma dica para pessoas que passaram ou passam o mesmo que você, e não é o meu caso, ainda assim, arrisco um comentário, pois sua história me comoveu…

      Acredito que as únicas pessoas para quem de fato você precisaria contar, você já contou, seus pais, pessoas que realmente sentem amor por você, quando o assunto são todas as outras pessoas, antes de contar qualquer coisa procure um terapeuta, pois o nível de stress e angustia que está vivendo proporciona um quadro de profunda ansiedade.

      Quando estamos ansiosos metemos os pés pelas mãos e falamos muito, dando detalhes e ênfase em coisas que podemos nos arrepender posteriormente, pois a dor, o medo e desconforto estão pulsantes; tenha calma e respire fundo! Segure a ansiedade só um instante, reflita, pois, após contar sobre algo tão íntimo você não terá como voltar atrás e enquanto não contar a qualquer momento poderá fazê-lo… pense nisso.

      Acredito que um profissional ajudará você ter mais clareza, se deve ou não contar e para quem contar, enquanto isso venha e converse por aqui… ‘local’ no qual você encontrará pessoas que estão na mesma situação que você, ou pessoas que por motivos diversos olham para o tema com mais humanidade e afeto.

      Beijos com carinho!

      • Vida diz

        Tatynha que fofa você é! Que palavras bonitas menina!
        Você também está no mesmo barco que nós?

        Grande beijo.

        • Tatynha diz

          Vida querida,

          Sou simpatizante da causa, por meses fui sorodesesperada, após contrair uma DST, eu vim tanto ao blog que passei a conhecer as histórias, e sentir muito carinho por todos.

          Quando finalmente consegui sair do limbo, do desespero e refazer meu exame, que felizmente deu negativo, eu optei por continuar visitando o blog, afinal depois de tanto tempo, passei gostar de todos por aqui… São tantas histórias… e eu gosto tanto de gente e de histórias, afinal, sou também, historiadora por formação…

          O engraçado é que tudo está ao alcance dos nossos olhos, mas não vemos até que algo desvele o que sempre esteve ali, vim tanto aqui, li tantas coisas que comecei compartilhar com outros o que eu aprendia, um dia estava no trabalho e surgiu o tema HIV e ouvi alguns impropérios e rebati, depois da conversa um dos colegas me procurou, contou que é HIV+, eu expliquei que sabia o que sabia pois tinha lido aqui e descobri que ele também é leitor. Veja que mundo pequeno!!!

          Minha fase sorodesespero me fez olhar para coisas que eu nunca tinha visto antes… Esse foi o lado feliz!

          Beijão procê!

    • CBSul diz

      Olá Rafael, eu também descobri num momento tumultuado da minha vida, contei pra minha família, e alguns amigos próximos, muito próximos apenas. Acredito ter contado pras pessoas certas, poucos amigos, e família, não parentes, FAMÍLIA, pessoas que dão apoio quando necessário. E hoje dois anos após a descoberta e início do tratamento, me sinto muito bem, com uma pessoa que me compreende, que sabe da minha situação sorológica, sendo que ele não é…. Enfim, o que eu quero dizer, é que sempre é uma tempestade no início, mas com calma as coisas se ajeitam, aos poucos você consegue retomar a sua vida normal, compreende toda a sua situação, e de certa forma se liberta dessa tormenta……

    • ROBERTO diz

      Prazado Rafael, sou soropositivo e descobri em fevereiro/14 e contraí de uma mulher também, estou tomando os remédios religiosamente nos horários e nunca deixo de toma-los. Bem, com relação a sua pergunta é, conte para aqueles que vc acha que são seus verdadeiros amigos, será nessa hora que vc verá quem é quem, no meu caso, eu ainda não contei a nenhum dos meus amigos pq eu sei que a grande maioria irá se afastar, nem mesmo aos mais próximos e tão pouco aos amigos de infância, somente as pessoas da minha família que vivem comigo é que sabem, com relação ao trabalho não conte a ninguém dos seus colegas, pois na minha opinião no trabalho não temos amigos e sim colegas, se vc contar pra um, todos saberão logo e vai acabar caindo na boca do chefe e dependendo da postura da empresa se for uma preconceituosa irá demiti-lo. Sei que é um baque ao saber da doença, mas, levante a cabeça, tome os remédios nos horários certinhos faça os exames no tempo certo e vá periodicamente ao seu ou a sua infectologista e bola pra frente. Podemos viver e levar uma vida tranquilamente com o vírus se tbm fizermos a nossa parte. Não chore mais! Os mesmos pensamentos que vc tem eu tbm tive, mas nesses quase três meses de tratamento estou me sentindo ótimo e foi o tempo que me fez refletir melhor sobre a vida sem a necessidade de procurar um psicólogo, que não vale a pena ficar chorando pelos cantos e ficar triste por aí se lamentando e ficar se perguntando, pq fizeram isso comigo? e sim levantar a cabeça de lutar com a mesma erguida o preconceito que quase 100% das pessoas que são soronegativas têm por simplesmente por falta de pesquisa e conhecimento. Lembre-se que nós estamos muito mais saudáveis do que muita gente por aí e que HIV hoje, não é sentença de morte e não chore mais e tão pouco abaixe a cabeça e quando vc começar a sentir bem e VC VAI SE SENTIR MUITO BEM, conte para aqueles que vc acha que são meus amigos e comece a enxergar quem é quem. Abraços a vc e muita boa sorte no seu tratamento, pois agora só dependerá de você.

    • Rafael diz

      Obrigado pelas respostas de todos. Tudo tá muito difícil pra mim. Espero achar meu caminho, e erguer minha cabeça. A verdade é que agora, estou no “luto”, o momento q a gente chora e odeia, chora e odeia… mas espero que logo passe.

      Tentei contar a uma pessoa, que sei que guardaria segredo e, pra mim, é a pessoa mais lúcida, racional e com caráter que já conheci. Ouvi desta pessoa (poucas) coisas que me espantaram, e percebo que o preconceito da sociedade é gigantesco. Além desta experiência, eu li comentários de alguns soronegativos em alguns lugares, e desconfio de um padrão: os que não tem acham que têm o direito de saber quem tem, e que temos a obrigação de informar… Pra mim, apenas mostra o quanto estamos atrasados.

      Acho que devo me resguardar por um tempo. Mas assim mesmo, futuramente, pretendo contar a amigos próximos, a minha condição. Mais uma vez, obrigado pelo carinho de todos.

      • cbsul diz

        Isso ae Rafael, primeiro se reorganize, sua vida e sua cabeça, siga as orientações médicas direitinho….. Ás vezes precisamos deixar que o tempo passe para tapar os buracos que a vida fez…… Aos poucos a tempestade passa…… 🙂

      • Michele diz

        Olá…
        Me chamo Michele e moro no sul do país, descobri q sou soro + a mais ou menos 8 anos, mas pelos meus cálculos e lembranças devo ter contraído o vírus aos meus 18 anos!
        Hj tenho 32 anos, me trato a dois anos, quando realmente me aceitei soro +, pois fui fazer meus exames q a anos não fazia e vi q minha carga viral estava quase me matando sem eu ter sintomas, em três meses com retroviral, alimentão saudável, exercício e muita fé, estava com vírus indetectável!

        Já fui casada duas vezes, meu primeiro marido estava comigo quando descobri minha doença, automático ele tbm se contaminou, só q ele escolheu não lutar e hj não está muito bm!
        O segundo lutou por viver, e segue uma vida mega normal, não ficamos juntos depois de relacionamento de três anos, mas ele está com uma pessoa que sabe q ele é soro + e o aceitou vencendo todas as barreiras!

        Resumindo, vivo uma vida mega normal perante a sociedade, somente os mais próximos da minha família sabem q sou portadora do vírus, isso dificulta com q eu me relacione com outros homens, pois eles nem sonham e muitos nem aceitariam por preconceito e não conhecerem a doença!

        A 4 anos Deus colocou na minha vida uma amiga q me deu uma afilhada, e a um ano descobri q a criança nasceu soro +, lutei com todas minhas forças e hj ela tbm está com o vírus indetectável, claro q nada disso é coincidência!

        A um mês atrás estou procurando sites e blogs na internet sobre hiv para q eu possa ajudar algumas pessoas de alguma forma, lendo minha história e vendo q o fim da linha não é quando recebemos o diagnóstico de soro + muitas vezes dado por maus profissionais, (como foi meu caso) sem capacidade nenhuma de dar o diagnóstico, pois se dependesse da residente q me passou a informação q eu era soro + na época eu já teria comedido suicidio na mesma hora, pois fui apenas fazer uns exames de rotina, mas nesse hospital pelo fato de ser referencia em atendimentos femininos eles pedem hiv junto!

        Deixo meu e-mail para conversar e se souberem de algum local onde posso fazer trabalhos voluntários para poder auxiliar pessoas soro + agradeço!

        Gauchasouza31@outlook.com

    • Vida diz

      Rafael,
      Que nome lindo! Em hebraico ele significa “Deus cura” . Ele é medicina de Deus e deve ser invocado ante nossas enfermidades…

      Rafael, que exames complementares ele pediu? Eu certamente me contaminei no finalzinho de 2007 e descobri por acaso no início de 2009 . Fiz o tal “elisa” e posteriormente o confirmatório Western blot e fui encaminhada na sequência para um infecto que pediu exames de CD4 e carga viral que teve o resultado de 30.000 mil cópias e se não me falhe a memória 230 de CD4 e com pouco mais de 1 ano de contaminação eu fui orientada a começar com a medicação imediatamente e que eu enrolei ainda uns 3 meses pra iniciar.
      Quando eu descobri foi um choque e não chorava. Só depois que realmente caiu a ficha…chorei muito muito muito todos os dias e me apaguei. A minha tristeza e minha angústia eram visíveis o que foi facilmente percebido por meus pais e amigos. A principio contei para duas grandes amigas e que trabalhavam comigo e são de extrema confiança e depois de um tempinho criei coragem e contei somente para meus pais…mais ninguém. Para minhas amigas foi um choque, uma disse que chorou e ficou dias sem dormir pensando na minha situação e nada mudou entre nós..continuamos grandes amigas! O meu maior medo era de contar para meus pais..ahhh isso me matava!! Criei coragem e contei e pra mim foi o mesmo que tirar uns 1000 kilos das costas!! Eles aceitaram na boa, me apoiam e nunca me perguntaram nada sobre como tudo aconteceu. ….aqui esse assunto morreu.

      Um conselho que te dou Rafael é o de não contar para mais ninguém, pelo menos por enquanto! Seus pais sabendo é o mais importante. Isso é uma particularidade sua e você não tem que sair contando pra amigo, colega de trabalho, etc. Amadureça essa situação e quando estiver tudo no seu devido lugar você resolve se conta ou não.
      Tenha paciência meu amigo que tudo vai se ajeitar.
      E caso queira conversar pode me escrever tá? meu e-mail é luzvidareluz@hotmail.com

      Grande beijo e fica com Deus!
      Vida

    • carioca diz

      Rafael, meu xará, o que eu tenho pra dizer a você, certamente, você ja ouviu várias vezes: o tempo é o melhor remédio!
      A dor da separação vai passar. A dor provocada pela descoberta da doença também passará.
      EU dividi com dois amigos quando descobri. Eles foram incríveis no, mas, por ignorância sado não sabiam como me ajudar e, muitas vezes, eu precisava de mais força para tranquiliza

    • carioca diz

      Rafael, meu xará, o que eu tenho pra dizer a você, certamente, você ja ouviu várias vezes: o tempo é o melhor remédio!
      A dor da separação vai passar. A dor provocada pela descoberta da doença também passará.

      EU dividi com dois amigos quando descobri. Precisava contar pra alguém. Eu faço terapia, mas, ainda assim, queria dividir com um amigo… No início, foi bom, eles foram parceiros e prestativos, ms por ignorância, dado o ineditismo da circunstância, não sabiam como me ajudar. Minha terapeuta me ajudou a entender que nem eu sabia bem qual tipo de ajuda eu precisava, quem dirá aqueles que eram exteriores à situação.

      Como disse antes, o tempo é a soluçao. Fui diagnosticado em dezembro de 2013 tbm por exame “preventivo”. No mesmomês comecei com o coquetel. Passei muito mal. Adaptação foi difícil. Tive enjoo, perda de apetitite, emagreci… Mas hoje, cinco meses depois, to inteiraço. Já faz algum tempo não tenho efeito colateral, minha cabeça ta em ordem, minha carga viral zerada.

      Eu lia o autor do blog dizendo q o q mudaria na rotina seriam os remédios diários. De fato, foi o que aconteceu. Do resto, minha vida voltou a ser como antes.

      Força, tudo vai melhorar!

    • Pri. diz

      Rafael,boa tarde!

      Por experiência própria quando descobri sobre a minha condição há exatos 13 anos me abri para alguns amigos ,pois me sentia perdida e por mais estranho que pareça o meu companheiro na época(ele que me contaminou) não me deu apoio. E quando percebi virei assunto de muitas pessoas e isso me deixou muito mal,então nesse momento procure um psicologo para conversar,e não se abra logo de cara com todos os seus amigos pois é nessa hora que sentimos o preconceito maior.

      Boa sorte.

    • Eu quero que vc tenha muita força e fé eu tmb sou mais estou muito bem gostaria muito de ter contato como vc a minha estoria e mais ou menos como a sua bjs

    • Bom dia rafael, me chamo j, quase chorei com sua história, porém a dor maior é de sair depenado de um divórcio, sou do tipo materialista, então se alguém fica com aquilo que suei p conseguir dói muoto.Mas enfim sua situação é meio chata msm,não sei como você não arrebentou a cara dela.Bom sei q é difícil todo isso p vc e se vc precisar conversar tem um amigo aqui, o mais importante é cuidar da sua saúde nesse momento e de início não aconselho contar p seus amigos agora, pois ja vivi isso de perto e sei que o maior problema das pessoas é a falta de informação, qq coisa anota meu zap 21991340326, abc irmão..

    • Rosiene França diz

      Nossa que triste Rafael. Descobri a pouco tempo também é tá difícil realmente.

  4. Belo diz

    e aí pessoal, gostaria de saber se alguem teve um efeito comum ao meu com o Efavirens, pois a 2 semanas estou tomando Efavirens, Lamivudina e Tenofovir, e a 3 dias estou tendo uma alergia horrível (parecido com sarampo ou urticária), pontos vermelhos pelo corpo inteiro que coçam muito (braços, pernas e tronco). Falei com meu infecto hoje, e ele suspendeu por hora os medicamentos e me receitou allegra 120 mg, e vou até ele amanhã para uma consulta de urgência.
    Em outro post nosso amigo Caçula até me respondeu falando sobre, mais se alguém teve algo parecido com isso, e tb se pode continuar tomando os medicamentos gostaria de saber.
    Agradeço,
    abraços a todos !!

  5. Camilo diz

    Boa Noite,

    Há exatos vinte e dois dias descobri, de uma maneira um tanto inusitada, que sou soropositivo e há duas semanas a existência deste Blog que, de cara, me causou uma excelente impressão. São relatos muito bem situados, sem falar dos textos brilhantes escritos pelo autor que conseguem com sua singularidade nos emanar boas energias para seguirmos adiante. É absurdamente incrível. Parabéns JS! No entanto, tudo ainda está muito confuso na minha mente. É um misto de incertezas, medos e decepções que insistem em me tirar aquilo que deve ser a maior expressão do ser humano: a arte de viver com prazer.

    Hoje gostaria de ser menos telespectador e poder compartilhar com todos tudo isso que estou vivendo e sentindo. Peço, de antemão, desculpas pela extensão do meu texto, mas prometo ser breve em outras postagens. Minha história não tem nada de “espetacular”, pelo contrário, se assemelha talvez a tantas outras por aqui. Porém, decidi escrever porque tenho certeza que logo sairão palavras de conforto, conselhos, relatos e orações que em muito me ajudarão a enfrentar essa nova condição de uma forma mais otimista e humana, pois afinal vocês sabem como fazer isso.

    Tenho recém completados vinte e poucos anos e contrai o vírus há poucos meses. Sou universitário e estou no último ano do curso de medicina, por mais questionável que possa parecer a quem não entenda que este vírus não segrega, não escolhe condição social ou define nível educacional; ou a quem não compreenda que tropeços são inerentes a qualquer pessoa ao longo de sua caminhada. Mas enfim, durante anos reprimi meus desejos homossexuais, até que tomei conhecimento desses aplicativos de celulares afins e acabei saindo com alguns garotos. Em todas as ocasiões, por incrível que pareça a muitos e a mim mesmo, transei com preservativo, mas não tenho dúvidas que alguma falha grosseira passou despercebida em algum momento dessas aventuras, e a contaminação de fato aconteceu.

    Em meados de fevereiro deste ano tive um daqueles quadros virais inespecífico e, por ter evoluído de uma forma um tanto atípica, inclui nos meus exames um anti-HIV 1 e 2, mesmo tendo um rotineiro de dezembro de 2013 que dava como resultado não reagente. A questão é que tenho um Western Blot com duas bandas positivas. A forma como recebi o resultado foi por demais desprovida de qualquer auto-proteção, talvez como tenha acontecido com muitos aqui, mas graças a Deus em nenhum momento perdi o controle. No dia seguinte, procurei um infectologista que confio bastante, cuja abordagem não poderia ter sido a melhor naquele momento. Foi pouco mais de uma hora de conversa em seu consultório, não para discutirmos os pormenores técnicos da doença ou do tratamento, mas para que ele pudesse me escutar talvez como um futuro colega de profissão. Tentar de alguma forma me mostrar que, no auge da tempestade que me envolvia, eu não deveria perder o autocontrole nem, tampouco, pensar em mudar os rumos da minha história, já que eu não seria o primeiro e nem o último a conviver com o vírus dentro da nossa profissão. Contei ainda com sua ajuda para pegar os ARV´s, que são distribuídos no hospital em que estudo, sem que minha identidade fosse revelada e contarei com a gentileza de uma outra pessoa, de inteira confiança do serviço, também em outras ocasiões.

    Pois bem pessoal, diante das novas normas do Ministério da Saúde e da experiência do meu médico com outros pacientes, decidimos iniciar precocemente o tratamento com o esquema Efavirenz, Lamivudina e Tenofovir. Passei no primeiro dia pelos famosos sonhos vividos e uma fadiga tamanha me abateu nos outros seguintes. Estou experimentando talvez os piores onze dias da minha vida. A sonolência e, especialmente, a tontura são efeitos colaterais que ainda me atormentam, mesmo em menor intensidade, ao longo de quase toda manhã. Um certo sentimento de angústia parece que começa a surgir, especialmente após o início do tratamento. No entanto, talvez o que mais me aflige neste momento são as dúvidas quanto ao meu futuro profissional e a necessidade de conviver com este segredo perante meus pais e irmãos, quem amo incondicionalmente ou ao menos sabem que sou gay.

    Ao final do ano terei que decidir sobre a residência médica, e meu sonho de ser cirurgião parece que hoje foi colocado em cheque. Uma especialidade que estava praticamente definida terá agora que ser repensada, mesmo eu sabendo dos pormenores técnicos da situação e da segurança que poderei passar aos meus pacientes com os cuidados devidos. Não tenho pretensões de contar a mais ninguém sobre a retrovirose hoje. Talvez aos meus irmãos em um momento mais oportuno, pois somos muito unidos e sei que nossa cumplicidade só aumentaria. Mas acho injusto da minha parte trazer esse “pesar” a eles nas circunstâncias atuais, quando estamos passando por uma fase de boas mudanças. Só queria mesmo desabafar com pessoas como vocês, que passaram ou que estão passando por uma situação semelhante e que conseguem enviar boas energias ao próximo de forma tão bonita e desprovidas de quaisquer interesses. Ainda não parei para estudar a fundo sobre o assunto, buscar artigos em portais acadêmicos a que tenho acesso ou coisas do tipo. Não me interessa neste momento nada mais do que conforto espiritual! Sei que as pesquisas estão a todo vapor mundo a fora. Prémios Nobel sairão nessa área talvez mais cedo do que pensamos e que a cura da doença chegará bem antes da cura do preconceito.

    Mas hoje, estou aqui como leigo, não como um futuro médico, tentando compartilhar um pouco da minha história com todos vocês. Não sei como, mas espero criar forças para esconder essa angústia da minha família, desvencilhar esses atuais efeitos colaterais da TARV e voltar a sorrir como antes tão breve. Peço a Deus todos os dias que nos dê saúde e que me permita levar aos meus pacientes o conforto que tanto precisam. Não estou poupando esforços para cumprir com minhas obrigações acadêmicas, a fim de não perder meu ritmo de estudo. Ao final do ano, prestarei concurso para a residência médica e espero ser aprovado em uma especialidade que me traga paixão, mas que não me traga culpas. Espero, o quanto antes, recuperar toda minha autoestima com a humildade que sempre tive, de voltar a ter o entusiasmo de construir todas as minhas estradas no hoje, de reavivar meus sonhos com a intensidade que sempre os cultivei, de encontrar uma pessoa que possa entender essa condição e me amar. Enfim, espero que essa nítida e natural fase de incertezas vá embora o quanto antes e que eu volte a sorrir como sempre fiz. Sem máscaras. De verdade!

    Para concluir, antecipo meus pedidos de desculpas caso tenha magoado alguém com alguma palavra mal colocada e reitero meus agradecimentos a todos vocês que estão me ajudando a não se sentir sozinho. Que Deus continue nos dando suporte e saúde para enfrentar tudo isso.

    Um forte abraço a todos!

    • bruxa diz

      Sabe camilo, agente da área da saúde é um pouco estranha, eu adoro o blog mais vou contar um breve relato, eu tenho 20 anos, começo do ano eu me neguei a dadiva de ser mãe, sim eu o fiz! e muita gente julga acham que a mulher que faz isso é uma sem vergonha, sem moral…sabe fui pro hospital, e lá tive a pior noite da minha vida, além de estar abalada perdida e com medo, com uma sensação estranha, como se tivesse perdido um pedaço do coração, me sentindo suja, eu não sou leiga, sou auxiliar de enfermagem e faço faculdade de enfermagem, me lembro de dois médicos uma era mulher eu disse tudo a ela, ela me compreendeu, foi carinhosa educada e humanizada. me lembro de outro medico um quis enfiar a mão na minha vagina e queria que eu ficasse quieta, que eu não gritasse, e me lembro que ele deixou as cortinas abertas, tinha um monte de gente na sala, a cada um que passa ele me mostrava, tirava o lençol e mostrava o feto preso no canal vaginal, me lembro a dor e o preconceito que sofri, dos olhares, de tudo, e HOJE bom hoje quero ser uma enfermeira obstetra, eu quero fazer diferente, tratar as pessoas diferente do modo ao qual fui tratada, e oque você tem haver com isso? sei que nada, sei que pode assim com diversas pessoas ser contra e achar um ” bem feito” você tem esse direito, mais só queria dizer que as vezes aquilo que mais nós atormenta, aquilo que realmente nos fez sofrer, nós impulsionam para realizar coisas maravilhosas, e ser pessoas melhores!

      Obrigada futuro colega!
      espero que faça a diferença!

      • Tatynha diz

        Bruxa,

        Dentro de você mora uma fadinha, que fez a e escolha que tinha condições de fazer no momento, por isso, não se culpe.

        É clichê, mas muito assertivo, ‘somos quem podemos ser’, e ser mãe, só é possível quando damos conta de nós mesmas, por isso, se cuide, se ame, e no dia certo virá um filho para você, e não se espante, pois, muitas vezes acontece de uma forma que você nem espera; não somos mães somente das pessoas que colocamos no mundo, a maternidade perpassa muitas relações, podemos amar e acolher como mães pessoas que não conhecemos e ainda assim teremos vivenciado a maternidade, pois teremos amado sem interesse, somente para zelar, confortar e fazer o bem, e o que é ser mãe senão isso?

        Mas antes de qualquer coisa pense, você, eu, todos nós, independente do sexo, precisamos ser mães de nós mesmos; quando nos tornamos adultos essa se torna a nossa função primária, ainda que tenhamos mãe viva, é nossa a responsabilidade de lembrarmos da blusa afinal, vai que esfria… É nossa a responsabilidade de escolhermo bem o que comer, afinal temos que cuidar da saúde… É nossa a obrigação de nos resguardarmos e nos protegermos de pessoas ruins, assim como nossas mães faziam quando eramos pequenos…

        Perceba, a maternagem é exercida sempre que nos amamos, que nos cuidamos e zelamos por nós mesmos, a criança que vive dentro de cada um de nós para sempre será faltante de mãe, mãe essa que cada um têm que ser para si, pois, é intransferível esse papel a partir de uma certa altura da vida.

        Fique com o seu coração em paz e deixe essa história triste na caixinha das coisas que doeram mas te fizeram crescer.

        Grande beijo e um abraço bem grande com muito carinho.

      • Amoroso diz

        olá sou da area tbm de Enfermagem acredito que me contaminei com o virus do Hiv estou com medo de fazer o exame e tenho medo de continuar na area de fazer a faculdade nao sei o q faço!

        • Não fazer nada não resolve o medo. Se a exposição foi há menos de 72 horas, procure um posto de saúde e solicite profilaxia. Se foi há mais de 72 horas, faz o teste dentro de 30 dias a contar da suposta exposição. Estou torcendo para que dê tudo certo!

    • Jonnas diz

      Ola Camilo seja bem vindo! bem no exame de Dezembro para o exame de fevereiro vc teve algum tipo de relação sexual nesse espaço? e quanto tempo vc teve a relação com o período para cada exame, só por questão de curiosidade.
      obrigado antecipadamente.

    • solidário diz

      Oi Camilo, que história…
      Gostaria tb de saber igualmente o colega acima, se vc fez um exame em dez, qual foi o sua última relação? nov? out?
      Obrigado por compartilhar.

    • Vida diz

      Futuro Dr. Camilo, boa noite!
      Estamos cheios de doutores aqui no blog !! Doutores jovens e com futuro promissor!! e tenho certeza que você é um deles!! Seja bem-vindo ao clube meu amigo…. clube este que eu jamais imaginaria me associar e até o momento com direito a cadeira cativa!!..rsrsrs

      Grande beijo Doutor!

      • Camilo diz

        Obrigado Vida, gosto muito dos seus posts. Me parece ser um ser muito especial. Atualmente estou sem os AVR’s porque tive um rash moderado do Efav. Tentamos segurar por alguns dias com antihistamínicos e prednisona, mas não tivemos bons resultados. Enfim, estou aguardando ficar 100% pra voltar pra um novo esquema, que ainda estar sendo pensado pelo meu médico. Aproveito a colocação para saber se alguém passou por algo parecido e qual esquema proposto neste caso?
        Um bom fds moçada!

        • Vida diz

          Camilo, há cinco anos eu tomo Kaletra (4), Tenofovir(1) e Lamivudina (2) no início eu tinha muita diarréia, gases e sentia um pouco de enjôo, queimação. Hoje em dia ainda tenho uma diarréia leve e assim que tomo os remédios sinto um vazio no estômago.. Esse Kaletra ou “Kamerda” como diz meu amigo K2K é terrível , fedido, amargo..rs e o tenofovir e o lamivudina também não ficam atrás não..rs
          Dias atrás eu fui tomar o tenofovir e grudou no céu da boca e o lamivudinha também…menino..pensa num remédio amargo…afffffffffffffffffffffffffffffffffff. SÓ POR DEUS…..fui salva por um pedaço de chocolate..rsrsrs

          • sampapoa diz

            ai, vidinha! só você pra fazer dar uma gargalhada gostosa e abrir um sorriso a cada post seu!

          • Dom diz

            Vida, vc é otima!!! hahahahahahaahahahahaha!
            TODOS são maravilhosos, nesse ótimo blog, incluindo seu criador, JS, q eu creio já te-lo visto (de costas) e ouvido seu depoimento em um vídeo sobre o tema, na vdd, um TCC de faculdade. Sinpatizei com ele de imediato, inteligente e sensato!Foi neste vídeo q descobri este blog.
            Outro dia, li aqui um relato de alguém q deixou um comprido de uma dessas drogas dissolver e ficou com a língua anestesiada!Gente eu q estava chorando, acabei rindo, rs
            Enfim, adoro todos vcs!
            Sou soro+ há exato 1 ano e 1 mês e há 1 ano em TARV clássica (E/L/T). Tive a sorte de já pegar o 3×1…
            2015 foi punk, não foi fácil!Mas sobrevivi, inclusive, aos efeitos colaterais, tive rash cutâneo e MTA alergia por 3 meses, e não falei nada para o médico com receio dele querer mudar meu esquema, e me receitar um pior, tenho pânico do Kaletra!!!
            Enfim, quero agradecer ao JS pela criação deste blog de tão alto nível e a todos q aqui compartilham suas histórias e q, msm sem saber tanto me ajudaram e ainda me ajudam!
            Oq acho terrível é q, infelizmente, a informação q temos em rel ao HiV/AIDS é mto superficial. Sabemos q se deve sempre usar preservativo em todas as relações sexuais, mas temos duvidas qto ao sexo oral, por ex. Sabemos das formas de contágio e só.
            Qdo ocorreu cmg (acredito q em dez/14) eu sequer sabia da existência da PEP. Por pânico, e por desacreditar q pudesse ter me infectado, não fiz o teste. Tive os sintomas da infecção aguda ou da “soroconversão” (se euestiver enganado, me corrijam, pfvr!) Mas achei q fosse apenas uma gripe forte ou uma virose. Jamais imaginei q pudesse ser HiV!
            Enfim, qq dia conto o meu relato aqui, ok?
            Vidinha, vc é necessária e ótima!rs
            JS, parabens pela nobre iniciativa em criar o blog, pois mto do q sei hj, aprendi AQUI!
            Um grande beijo a todos vcs!
            Um salve de amor a todos!

            PS1: desculpe-me pelo texto gde
            PS2: penso em criar um grupo no whatsapp

        • Pri. diz

          Camilo,

          Já estou na minha 4º modalidade de medicamento,o último o meu médico mudou para um mais moderno,mas continuo com o efavirenz. O que posso te dizer é normal termos rejeição ,vômitos diarreia,entre outras coisinhas,são os efeitos colaterais eu procuro identificar e amenizar esses sintomas,com uma alimentação mais saudável e menos gordurosa. O meu calcanhar de aquiles foi ter desenvolvido a lipodistrofia. Já até peguei a H1N1 quando teve o surto a alguns anos á trás.
          Mas de resto me sinto bem e é claro tenho meus altos e baixos o que é compreensível.

          Se cuida.

        • Camilo se você ver essa mensagem vamos conversar estou muito triste com o diagnostico … Minha história é quase igual a sua … Como vc está hoje?

    • carioca diz

      Camilo, os efeitos colaterais, especialmente do efavirenz, sao terríveis no início. Mas nosso organismo eh fabuloso e logo você não os sentirà mais.
      EU. vomitava quase todos os dias no começo. Na maioria das vezes ngm viu. Mas uma vez, vomitei a tarde na frente da minha família. Isso me deixava apavorado.
      Passei a tomar Dramin tds os dias. Foi minha salvação! Tomei durante os 2 primeiros meses. hj em dia não uso mais e meu apetite já voltou ao normal. To mais guloso que nunca. Rs

      • Eu não cheguei a vomitar no início do tratamento com o Efavirenz mas eu sentia uma azia muito forte, não conseguia comer nada, mas já passou e os efeitos colaterais são praticamente nulos hoje em dia!

    • Positive Vibe diz

      Ola, Camilo, Puxa, tenha certeza de que com o tempo tudo se assenta, palavra de um cara que ha 7 meses esta enfrentando esse virus. Te falo que o pior eh sofrer por antecipacao. nao vale, realmente, a pena. se quiser conversar por skype ou email, anota ai sp.positivevibe@gmail.com

    • pf diz

      Ola, Camilo, tdo bem?!
      Então, a gente tem uma historia meio parecida! Com diferença de apenas um detalhe… Estou afim de trocar uma ideia com vc, o que acha?! Se estiver afim tbm, entre em contato: pf.positivo@bol.com.br Vou ficar esperando’

    • Nossa Camilo…
      Sinceramente, estou impressionado com sua perfeição em relatar de maneira tão clara as suas angustias, aflições e esperanças. É tão gratificante saber que existem pessoas tão maravilhosas como você, que em meio tanta “tempestade e turbulências” na vida, procura pensar muito bem o que vai dizer, fazer ou escrever…notamos com clareza sua preocupação com o próximo neste seu texto e a maneira tão linda com que está superando tudo serve de lição pra muitos de nós.
      Também sou um profissional da área da saúde e quero te dar os meus parabéns por ter esse belo e admirável caráter, por ter tanta força de vontade e amar o que faz.
      Quero pedir para Papai do Céu multiplicar na Terra pessoas tão amáveis quanto você…pois é disso que o mundo precisa para que vivamos com muito mais harmonia e para alcancemos todos a felicidade.
      Percebo que você é um garoto extremamente culto, dedicado e com excelentes raízes ( raízes estas que não nega) e sinto-me até envergonhado de lhe dirigir um texto cheio de erros de português, mas me conforta saber que ao menos está compreensível.
      Que Deus te abençoe infinitamente Dr. Camilo e que guie os seus sonhos e objetivos.
      Passo – a partir da leitura do teu texto – a me tornar um grande admirador teu.

      Gostaria, se possível , saber notícias suas…pra isso deixo meu email pessoal.

      email : nick.caffiole@gmail.com
      Att: Nick Caffiole.

    • Michele diz

      Olá…
      Me chamo Michele e moro no sul do país, descobri q sou soro + a mais ou menos 8 anos, mas pelos meus cálculos e lembranças devo ter contraído o vírus aos meus 18 anos!
      Hj tenho 32 anos, me trato a dois anos, quando realmente me aceitei soro +, pois fui fazer meus exames q a anos não fazia e vi q minha carga viral estava quase me matando sem eu ter sintomas, em três meses com retroviral, alimentão saudável, exercício e muita fé, estava com vírus indetectável!

      Já fui casada duas vezes, meu primeiro marido estava comigo quando descobri minha doença, automático ele tbm se contaminou, só q ele escolheu não lutar e hj não está muito bm!
      O segundo lutou por viver, e segue uma vida mega normal, não ficamos juntos depois de relacionamento de três anos, mas ele está com uma pessoa que sabe q ele é soro + e o aceitou vencendo todas as barreiras!

      Resumindo, vivo uma vida mega normal perante a sociedade, somente os mais próximos da minha família sabem q sou portadora do vírus, isso dificulta com q eu me relacione com outros homens, pois eles nem sonham e muitos nem aceitariam por preconceito e não conhecerem a doença!

      A 4 anos Deus colocou na minha vida uma amiga q me deu uma afilhada, e a um ano descobri q a criança nasceu soro +, lutei com todas minhas forças e hj ela tbm está com o vírus indetectável, claro q nada disso é coincidência!

      A um mês atrás estou procurando sites e blogs na internet sobre hiv para q eu possa ajudar algumas pessoas de alguma forma, lendo minha história e vendo q o fim da linha não é quando recebemos o diagnóstico de soro + muitas vezes dado por maus profissionais, (como foi meu caso) sem capacidade nenhuma de dar o diagnóstico, pois se dependesse da residente q me passou a informação q eu era soro + na época eu já teria comedido suicidio na mesma hora, pois fui apenas fazer uns exames de rotina, mas nesse hospital pelo fato de ser referencia em atendimentos femininos eles pedem hiv junto!

      Deixo meu e-mail para conversar e se souberem de algum local onde posso fazer trabalhos voluntários para poder auxiliar pessoas soro + agradeço!

      Gauchasouza31@outlook.com

  6. Ellen diz

    Pessoal eu não canso de ver esse blog e ficar feliz, feliz por existir tantas que estão enfrentando e colocando aquela imagem que tínhamos de soros positivos, gostaria de dizer a todos ECO, CAMILO, VIDA BELO, ANDRE TODOS MESMO…lí um livro ( a cabana) que dizia que DEUS não faz que as coisas ruins aconteçam, mais ele através delas faz coisas maravilhosas, que só entenderemos quando estivermos prontos. sabe pessoal eu desejo tudo de mais maravilhoso que existe pra vcs, queria muito poder ajudar de alguma forma, CAMILO poxa vida, vc pode ser oque quiser cara, o que quiser! pessoal todos fazem parte da minha conversa com o cara lá de cima, obrigada a TODOS! E ATE A PROXIMA POSTAGEM! 🙂

    • Vida diz

      Ellen, eu creio que através de coisas ruins Deus vai nos mostrar coisas maravilhosas e que um dia eu vou entender tudo isso.

      Beijosss

  7. Andre Salvador Bahia diz

    Muito interessante voltar a ler rodos esses relatos. Camilo: como professor universitário e pesquisador também me debrucei a ler artigos científicos para tentar traçar algum caminho que permitisse desviar minhas pesquisas, que hoje são focas em doenças negligenciadas, para o combate ao HIV mas percebi que seria apenas um conforto a mais nessa situação que vivo. Também não tenho ido buscar meus medicamentos e conto com um ex namorado que também faz uso dos mesmo para não me “expor” e cada veez mais acho que com esse comportamento estou apnas reforçando o meu próprio preconceito sobre a minha sorologia. De qualquer forma comtinuo vivendo e frequentando meu infecto muito mais como conselheiro pscológico para tentar encontrar o melhor caminho de conviver com todos os meus medos. Faço uso do efa e nunca tive nenhum efeito colateral. Tenho tentando me relacionar normalmente mas não assumindo relacionamento como estável antes de contar sobre a sorologia. Sei que posso espantar alguns pretendentes mas prefiro que seja assim pois tenho receio de deixar as coisas acontecerem, me apaixonar e depois ao contar ser simplesmente descartado mesmo que ele me ame mas não consiga conviver com a sorodiscorância. Contei para meus melhores amigos e minha familia soube pelo meu infecto já que era situação extrema pois estava em coma e não havia esperança médica na minha recuperação. Minha familia ficou todo tempo ao meu lado e hoje já revuperado em com CD4 em 900, relação CD4/8 em 0,98 e carga “zerada” vejo que tive uma outra chance de viver e quero aproveitá-la da melhor forma possível.

    E Camilo você pode fazer qualquer residência e seguir sua vida com responsabilidade com seus pacientes.

    Grande abraço

    • Camilo diz

      Ellen, André, Bruxa é muito confortante ouvir tudo isso. Muita saúde a todos!

      • Jp diz

        Camilo,tudo bem contigo? Entao minha situação e a seguinte. Descobri ser soro positivo em março deste ano 2015. Estava me sentindo estranho, desanimado, pele ressecada, algumas diarreias, tremederas, dores nas articulaçoes, enfim.. O medo pairava no ar.Criei coragem e fui fazer o teste no posto ,mas com a sensação que daria positivo,.. E assim foi.. naquele momento,não senti nada ,e a pessoa que me deu o resultado ficou surpresa com minha reaçao naquele momento! Fui encaminhado ao infectologista, para começar aquela porrada de exames. Meu CD4 estava em 139 ,mas a carga viral nao estava tão alta 22.864 copias CD8 1462 68,8% Meu hemograma deu bom, sem anemia, raioX torax bom tbem.. plaquetas estvam baixa em 71.000 mil.. começei com o Tarv, fiz outro hemograma, e bactrim.. depois que iniciei o tratamento, plaquetas despencaram para 32 mil, fiz outro hemograma subiu para 36 mil! O fato é que estou em pânico pq fui encaminhado ao hematologista . Hemograma bom, mas essas plaquetas estao me tirando o sono.. ! Minha pergunta é será por causa do início do tratamento isso? Vc conhece alguém que teve essas quedas de plaquetas? Enfim desde ja agradeço ,e descupa pelo desabafo. Minha ficha está caindo só agora depois de 3 meses de tratamento. Abraços e Deus nos abençõe e a vc tbem na sua profissão!

    • Gemini diz

      André, seu relato me deixou muito esperançoso. Também sou de Salvador e descobri há mais ou menos 02 meses. Estou na medicação e me interesse quando falou sobre a carga zerada. Sei que nunca poderemos parar de tomar a medicação, mas com quanto tempo de uso os resultados dos seus exames voltaram a ser “normais”.?? rsrsrsr Podemos nos falar por e-mail. Sinto falta de conversar com pessoas na mesma condição que eu. Tenho apoio integral da família e dos amigos, mas gostaria de me engajar mais e saber mais sobre essa condição que os acompanha. e-mail: gemini_ssa@hotmail.com. Grande abraço.

  8. fernando diz

    Olá pessoal!
    Tbm sou da área da saúde, mais precisamente da pesquisa!

    Descobri minha sorologia em fevereiro, pois comecei um relacionamento sério e queria ter certeza que poderíamos fazer sexo sem nenhum problema. Ele fez o teste antes de mim e o resultado deu não reagente. Eu fui fazer o teste quase 1 mês depois e para a minha surpresa, o resultado deu reagente! Eu não estava acreditando no que estava acontecendo! Achava que não teria muito tempo de vida, como poderia contar isso aos meus familiares ou aos meus amigos. Pensei que não poderia seguir na área científica ou qualquer outra coisa que eu quisesse fazer. Logo depois que fiz a sorologia, contei ao meu namorado. No começo ficamos muito tristes, ele achava que eu não teria muito tempo de vida. Mas, ele é a pessoa quem eu mais confio hoje em dia, compreendeu minha situação e não se importa com isso.Mas, com todos as pessoas com quem eu conversava, diziam que a expectativa de vida é bem maior do que antes e que qualquer pessoa soropositiva que seguir com o tratamento viverá como qualquer pessoa soronegativa. E, logo na época que eu descubro minha sorologia, vejo pesquisas sobre o HIV avançarem. Fiz a contagem de CD4 e deu em torno de 302, o que significa que estou infectado há algum tempo. Fiz a carga viral, mas ainda aguardo resultados. Quando eu fiz o teste rápido numa unidade de saúde pública, quis também fazer um teste particular pra realmente confirmar. E, todos os testes confirmaram. Esse médico particular me disse que o tratamento deveria ser seguido na rede pública, que os medicamentos seriam disponibilizados por lá. Mas, descobri em fevereiro e só consegui marcar uma consulta para o final de maio. Essa intervalo da rede pública me preocupa um pouco. Vejo por aqui que as pessoas começam o tratamento logo. O que vcs acham desse intervalo da consulta?

    • CBSul diz

      Olá Fernando, eu no início tinha o Cd4 em 133, e logo comecei o tratamento. Eu tenho convenio, porém se não o tivesse faria consultas com infecto da rede privada, não desmerecendo o SUS, que nesse quesito são muito bons. Mas os medicamentos de fato são pelo SUS. Inicialmente o melhor é controlar de 3 em 3 meses até a carga viral zerar.
      Eu no inicio fazia assim, hoje em dia eu faço o teste de 6 em 6 meses, conforme prescreve meu infecto. E tudo tem se saído muito bem….. Boa sorte! Espero ter ajudado.

    • Phoenix diz

      Oi Fernando… O tratamento não precisa ser na rede pública. Um médico particular pode fazer seu acompanhamento. Na rede pública, vc pega os remédios – que um médico particular pode fazer a prescrição preenchendo um formulário específico. O diferencial que no particular você terá de pagar os exames caso não tenha um plano de saúde. Demorei uns dois meses para saber disso.

  9. CB diz

    JS sempre se superando nos posts!
    Agora sou da área da saúde, mas por que troquei de curso em decorrência das experiências que vivi durantes estes dois últimos anos.
    Passei por algumas várias situações de risco, e fiquei inundada de medo de saber sobre minha sorologia. Enquanto não tinha coragem de fazer um exame, procurei me reconfortar com horas e horas de pesquisa sobre HIV. O que me levou a mudar da engenharia para a enfermagem.
    E o blog foi mais um grande motivo, que vale a pena fazer a diferente! Com um pouco de perseverança de cada um, podemos fazer grandes coisas, assim como as palavras de um blog podem mostrar um mundo anônimo que existe entre nós.
    Hoje sou muito feliz com a minha profissão, e acredito que as coisas/pessoas podem mudar pra melhor!
    Acabei conhecendo ano passado(2013) o amor da minha vida, no entanto uma pessoa sem conhecimento e sem compreensão sobre o HIV, ele disse que jamais ficaria com alguém que fosse soropositivo.Nossa isso doeu demais, achei cruel. Aquele homem também fazia parte daquele grande grupo que constrói o preconceito, aquilo que não nos deixa dormir e/ou viver.
    Enfim ele me obrigou a fazer o teste, e então já que de fato eu precisava ir fui. Foi sem dúvida o dia mais melancólico da face da Terra, e ao fim do dia recebo o NÃO REGENTE. Fiquei muito feliz na hora, mas ao mesmo tempo me pergunto e se fosse diferente… será que ele ainda me amaria.
    O que a gente espera dos outros, seria o mínimo de amor?

    • Camilo diz

      Muita gente assinando por Camilo nesse blog. Mas, enfim, olha que coisa. Eu também faço engenharia e depois de passar um tempo sorodesesperada também pensei em mudar pra área de saúde. No meu caso, eu acredito que não tive muitas relações de risco, apenas muitas relações com camisinha. E como a gente ouve de tudo -até gente que se contamina com camisinha- minha aflição nunca foi totalmente embora. Recentemente fiz meu 10º teste desde o começo da minha vida sexual -não reagente-.

      • CB diz

        Ele doa sangue geralmente, mas desde que estamos juntos só uma vez no início. Só que acho um pouco estranho ele sempre querer usar camisinha, com medo de gravidez. Apertei ele tanto que acabou me falando que engravidou um mulher casada e ela abortou o filho.
        Fiquei chocada e decepcionada,bom isso serviu pra perceber que por mais tempo que a gente conheça as pessoas elas sempre podem nos surpreender com uma face desconhecida.
        As vezes sinto que se for pensar assim jamais vou ficar ou acreditar em alguém, tenho que limitar a razão e dar vazão a ilusão..

  10. Mayconjp40 diz

    Olá Amigos!

    Alguns já sabem da minha história, em Dezembro de 2011 apliquei um medicamento intravenoso em um amigo que tem HVI o mesmo tinha sido diagnosticado e não me revelou nada, enfim, quando terminei de administrar, não me perguntem como foi, simplesmente me furei, passados uns 6 meses tive febre e como tenho bronquite alérgica, meu pneumologista solicitou alguns exames e comecei a tomar vacinas, que não resultaram em nada.
    OBS: Descobri que meu amigo tinha, pois uma amiga em comum chorando muito me falou.

    Como não melhorei fui ate um hematologista, ela solicitou todos os exames inclusive o HIV, pois eu tinha contado a ela sobre o furo com agulha, ela disse que era quase 0,00001% digamos assim para contaminar, passados 15 dias fui chamado ao laboratório para refazer os exames, ai o meu mundo começou a mudar, pois se ela mandou refazer por que algo de errado tinha, fiz e deu positivo, recebei o resultado na frente da minha mãe, chorei, mas nunca culpei meu amigo.

    Hoje após 2 anos quase 3 anos com o vírus, a 1 ano tomando: 2 Fosamprenavir
    2 Lamivunida
    1 Tenovofir
    1 Ritover

    A única coisa que eu tenho, quando tomo é minha boca fica dormente, perdi 16kg estava muito gordo, estou com meu peso normal, estou namorando esse ano vou fazer 10 anos de namoro eu e meu namorado somos felizes, ele não tem HVI, me aceitou do jeito que sou, me respeita muito, cuida de mim, estamos nos organizando para se casar se Deus permitir ano que vem, temos 41 anos.

    Esse mês fiz meus exames: 10/03

    CD4 44,9% 454,0/mm³
    CD8 44,2% 447mm³

    Anterio4 : 23/09

    CD4 32,8% 642/mm³
    CD8 41,1% 804/mm³

    Fui ao meu infecto e ele disse que estava tudo ok! Pois minha carga viral desde que comecei o tratamento é indetectável, mas para mim tem algo de errado, pois os indices estão descendo.

    Agora mais do que nunca, só quero viver, crer em Deus que a CURA TÁ MUITO PERTO!

    Feliz Páscoa a todos!

    Se alguém desejar pode me add no SKYPE:

    MAYCONJP40

    • Miguel diz

      Olá Mayconjp40!

      Podes-me explicar melhor o que querem dizer esses valores de cd4 e cd8? Afinal quantos cd4 e cd8 tens? Em valores absolutos? Acima de 200?

  11. Miguel diz

    Olá a todos!!
    Escrevo desde Portugal. Estive a ler o blog as vossas histórias, experiÊncias de vida e achei muito interessante.
    Uma coisa que me deixou bastante admirado é o facto de no Brasil parecer ainda existir muito preconceito em relação ao HIV. Pel menos pelo que vejo em alguns textos. Aqui em Portugal e na Europa em geral mesmo nas cidades mais pequenas, nas vilas e aldeias o hiv não é tabu, as pessoas na generalidade não marginalizam os soropositivos, felizmente!!!
    Em Setembro/Outubro do ano passado tive relações sexiaus não protegidas com duas amigas e umas semanas depois uma delas que era dadora de sangue disse-me que tinha a sifilis. O susto foi de tal ordem que fui logo ao médico e pedi exames à Siffilis, Clamidia, Hepatite C Hiv 1 e 2 etc, o que me deu tudo negativo até ao último exame que fiz com 4 meses e meio após esse episódio.
    Foram meses de angústia e arrependimento que me levaram a repensar todo o meu comportamento sobre o sexo.
    Antes quando me relacionava com mulheres sem preservativo, eu pedia sempre exames ao Hiv e a siffilis. So quando sabia o resultado é que me envolvia. Nunca me tinha lembrado da famosa janela imunologica. Por acaso sou soropositivo, mas podia ser. Nem com sifilis fiquei.
    Gostaria de vos enviar um forte abraço de amizade e de muita força porque ainda têm muitos anos de vida pela frente.
    Nos ultimos meses li tudo e mais alguma coisa sobre o hiv e fiquei particularmente interessado em saber mais sobre a janela imunologica e os sintomas iniciais. Alguns de vocÊs disseram que descobriram que eram soropositivos quando foram ocasionalmente ao médico.
    Gostaria de vos perguntar o seguinte. Quais os primeiros sintomas que tiveram que vos levou a desconfiar da vossa actual condição? E quanto tempo depois de terem sido expostos ao virus?

  12. Miguel diz

    Desculpem apenas para completar o meu texto anterior.
    Não sou soropositivo.

  13. bruxa diz

    Olá pessoal, eu estava fazendo um levantamento e me assustei com uma como, com a incidência de sexo sem preservativos entre soros positivos, comecei a conversar com pessoas e tals e vou fazer um trabalho cientifico com esse tema, oque acham?

  14. thiagopositivo32 diz

    Olá companheiros de batalha!

    Estou muito ausente aqui no blog e no skype, mas, na medida do possível, dou uma olhada, pois não estou com internet em casa e para completar tendo que resolver alguns problemas.

    Como se não bastasse tudo que estou passando, do nada, apareceu uma forte coceira na parte de cima do pé e no calcanhar, que agora também já ocorre na região do coccix e embaixo de uma axila. Coça bastante e a pele fica bastante vermelha e bem grossa, cheia de bolinhas vermelhas, mas não há nada no interior delas.

    Já estou com consulta marcada com uma dermatologista, mas, ando muito apavorado. Já estou tomando o TARV há quase 4 meses e é a primeira vez que isso me ocorre. Alguém passou por isso ou está passando e pode me orientar um pouco?

    Agradeço àqueles que puderem me informar a respeito.

    Um abraço e vamos continuar nessa luta!

    • Phoenix diz

      Olá Thiago. Logo que comecei a TARV tive herpes zoster. O médico me disse que é uma reação normal do sistema imunológico em reação à medicação (algo como uma reação normal do sistema imulógico reagindo à nova demanda), tomei remédios e passou… Só é meio estranho em todos esses locais ao mesmo tempo. De qualquer forma, o melhor a fazer é conversar com seu médico. Não se desspere, o começo é cheio de surpresas, mas a situação vai se acertando… Abração.

  15. Vanessa diz

    Olá,vi a entrevista sobre seu blog na globo.com e achei bastante interessante a sua ideia..acho realmente que a desinformação é a pior doença,então Parabéns!

  16. Vida diz

    Gente, me emocionei com tantos comentários aqui.
    Aos novos integrantes do “clube” só posso dizer: Se tiver vontade de chorar, chore! Em algum momento vai bater uma angústia, um desespero e é normal diante dessa situação. Só tentem controlar esses sentimentos, não deixem que ele tome grandes proporções. Isso passa, pode demorar um pouquinho mais passa e aquela nuvem negra vai embora, trazendo de volta o brilho do sol.

    Beijos e saúde à todos..

    se alguém quiser conversar fica o meu e-mail: luzvidareluz@hotmail.com

  17. Vida diz

    Lindo é você JS que sempre arruma um tempinho pra escrever essas coisas lindas pra gente.

    Obrigada menino!

    Beijossss

    • CB diz

      É verdade Vida, esse JS vai direto para o céu 🙂
      e isso que eu não curto blogs, é só esse mesmo!

      beijinhos

  18. Jana diz

    Oi pessoal! Hoje tive um tempo e entrei no blog, estava com saudades, voltei a trabalhar e estou numa correria. Eu e meu bebê estamos muito bem, estou tomando a medicação certinho, estou tranquila me cuidando mas pensando um pouco menos sobre a minha condição. Realmente é difícil contar a alguém sobre o vírus, não consegui contar aos meus pais por medo da reação deles por terem pouca informação sobre o vírus, estou bem e não quero preocupa los, por isso acho melhor não contar por enquanto, em relação as outras pessoas existe o preconceito, a rejeição, a falta de informação, q chega ser pior q o vírus.

    Um grande beijo a todos!!!

  19. JuJo diz

    Descobri ser soropositivo porque tive Herpes Zoster. Meu dermatologista me passou o exame de HIV e disse que eu deveria fazer pois Herpes Zoster geralmente não dá em pessoas de 23 anos. Bom, me descobri soropositivo. Tive o apoio dos meus pais, tive o apoio do meu namorado. Não sofri muito. Não cheguei a chorar por isso…
    Algumas coisas me amarguram… sinto que alguns sonhos me foram arrancados.
    Sempre sonhei em fazer o mestrado fora do país, mas vejo que sendo HIV+, isso se torna semi impossível.

    Outra coisa que tem me chateado bastante é o plano de saúde, por eu ter feito 24 anos, perdi o direito de ser dependente do meu pai no plano de saúde dele. Tenho que fazer um próprio. Simplesmente estou me negando em aderir o plano da minha própria empresa pelo simples fato de eu ter que informar ser soropositivo antes de aderir ao plano. Acho isso uma violação de privacidade. Como minha empresa é muito pequena, seria muito fácil que isso se espalhasse pela empresa assim que eu assinasse o documento. Estou tendo que gastar dinheiro com um plano de saúde próximo e estou tendo muita dor de cabeça com isso.

    Acompanho todos os comentários das pessoas aqui, e parabéns!!! somos todos guerreiros!

    • sampapoa diz

      pedir resultado de sorologia para HIV é proibidol!!! sua empresa está cometendo um crime!!!

  20. Feliz diz

    Belo texto, jovem.. Descobri seu blog a pouco tempo, e amei! Me deu muitas informações que eu buscava com muita segurança.

    Será que alguém pode me ajudar? Estou com algumas dúvidas.

    Me relaciono com um soro + e sou – , passamos por uma situação de risco da camisinha escapar e perceber pouco tempo depois que estávamos transando sem camisinha (sou gay e estava sendo passivo) logo paramos e meu parceiro colocou outra camisinha e terminou o ato de forma segura. Em todas as nossas transas foram com camisinha, a única que aconteceu esse problema foi nessa, eu já havia tocado no assunto de HIV com ele, mas ele nunca se mostrava tão interessado em conversar comigo sobre este assunto… No dia em que aconteceu o problema, fiquei preocupado, pq eu nunca transo sem camisinha, e só de ter um problema com isso já me tira o sono, fui insistindo perguntando se ele já havia feito exames, se já tinha tido relações não seguras, até que ele afirmou que sim, foi meu desespero. Ele me vendo desesperado me contou que tinha hiv, foi a noite mais triste que eu já passei, não dormi nada e fiquei em choque durante toda madrugada.
    Na mesma noite peguei o celular e comecei a pesquisar, li sobre a profilaxia que eu poderia fazer, no outro dia logo que amanheceu estávamos os dois no hc e foi assim comecei o tratamento e foi um mês duro pra mim e pra ele tbm.. Mas no primeiro exame depois do tratamento já deu negativo.
    Meu parceiro tem a carga viral indetectavel, faz uso da medição correta, e esta tudo em ordem com sua saúde.
    Depois do meu relato eu finalmente vou dizer minhas dúvidas rsrs

    Já fiz o primeiro exame com os 30 dias, e o de 60 dias todos negativos.. Agora tenho o ultimo com 90 dias que pedem, é mesmo necessário? Ainda corro risco? Por conta da janela?
    Não tivemos nenhuma outra relação desprotegida. Continuamos tendo relações sempre seguras, e sempre conferindo a camisinha rsrs

    Pessoal confesso pra vcs que antes de conviver com um soro+ eu sabia da importância da camisinha e tal, mas nunca afundo como foi com o HIV, e eu era preconceituoso mesmo.. Depois da minha experiência, vi o que cada um passa, senti os efeitos da medicação,os preconceitos internos e finalmente se relacionar com alguém positivo (coisa que jurava pra mim que não faria)
    Meu parceiro em todos os momentos ficou comigo se preocupou cuidou de mim e agradeço muito a ele por ter me dito a verdade e me preservado..Hoje depois da minha experiência, vejo o quanto sou mais maduro, mais humano e o melhor de tudo é que eu não carrego mais o preconceito, não faz mais parte de mim.
    Nossa escrevi um monte, acho que eu queria mesmo é passar minha história, depois de todas que eu li me deu animo de compartilhar minha vidinha com vocês hehe..
    Pessoal, muita saúde felicidades pra vcs, e não deixem a peteca cair nunca, a vida é maravilhosa, vc está vivo, tem coisa melhor?
    Um beijo gente boa!

  21. Si diz

    Oi pessoal,

    Descobri esse blog, meio que por acaso (estava estudando para um concurso, fui pesquisar sobre alguma dúvida que surgiu, e encontrei o site) e comecei a lê-lo!! E achei muito interessante!!

    Gostaria de parabenizar o JS, muito interessante sua iniciativa, o blog é extremamente rico, tanto as matérias quanto cada comentário feito.

    Que Deus abençoe a vida de cada um, certamente esse não é o fim da vida de vcs, mas sim um recomeço!! Cheio de dúvidas, incertezas, questionamentos, emoções, descobrimentos e etc. Mas o mais importante que vocês sempre encontrarão apoio seja na família, amigos, ou até mesmo pelo novos amigos do blog!!

    Achei tudo muito lindo!! E força para todos vocês!! A vida de todos é feito de altos e baixos (independente da sorologia), e que possamos sempre pegar os momentos em baixo para tirarmos lições e seguir em frente!!

    Bjo

  22. FmaamF diz

    Voltando por aqui, e comentando. Escrevo este comentário com quem vê a situação pelo outro lado. Estava há algum tempo sem ninguém, curtindo a vida meio que ficando com um aqui, outro ali, mas sempre adepto do sexo seguro (não cogito a possibilidade de transar sem preservativo), e no início do mês, eu comecei a conversar com um rapaz, da mesma cidade que eu, papo bom, sem pressa, vida tranquila e fomos estreitando os laços. Até que domingo, ele me chama para conversar, pensava eu que seria uma prensa, uma vez que eu sou meio independente e tranquilo, o meu gostar vem com o tempo e a convivência, mas, não. O assunto não era esse. Ele tinha se descoberto soropositivo dois dias antes. Tivemos a conversa no domingo e ele se descobriu (fez os últimos exames comprobatórios, na sexta). Está ali, naquele dia e sendo alvo de uma confiança enorme por parte dele, me tocou o coração literalmente. Lembro que em determinado momento ele me disse: “To te contando isso para que eu não saia da sua vida, como hoje acontece com as pessoas, que somem do nada”.
    Eu não fiquei em choque, mas, confesso que por alguns instantes fiquei em um misto de ansiedade, medo, orgulho pela confiança depositada. O respondi, com a serenidade de quem acompanha esse blog aqui, e ler relatos e mais relatos, que independente de qualquer coisa, não iríamos avançar o sinal. Uma coisa de cada vez e no final, tudo se resolveria. Gosto da companhia dele, adoro seu sorriso e me dá uma paz enorme quando a gente faz qualquer coisa junto. Ele é carinhoso, sensível e conquistou boa parte dos meus amigos. Seria muita idiotice minha eu jogar pro alto qualquer coisa que possa nos aproximar. E ele foi completando: “Eu não quero transar com você, até meus exames iniciais saírem”. E não somos obrigados a transar, não somos obrigado a avançar o sinal em nada. Eu tô calmo e quero passar um pouco dessa calma para ele. Ele já iniciou o tratamento, no mesmo dia em que soube do diagnóstico, sem sequer pensar duas vezes e até agora não teve nenhum efeito colateral. Vejo que mais que um companheiro, ele vê em mim alguém que confia, e isso me dá tanto orgulho, que não me cabe explicar. Marquei uma consulta com um outro profissional, para que ele possa ouvir outra opinião, além da que ele já está escutando e iremos juntos. Se o nosso namoro irá decolar ou não, eu não sei. O que posso afirmar é que agora, hoje, nesse momento, eu não me imagino longe dele. Somos homens, não somos santos e nem temos pretensão em ser, mas, acho que dá para controlar nossas vontades e fazer tudo dentro do seu tempo. Das poucas pessoas que resolvi me permiti conhecer de uns tempos para cá, ele tem me conquistado e acho que a recíproca é verdadeira. O medo me ronda, mas não é maior que a possibilidade de não tentar. Que o futuro nos reserve dias felizes, sinceramente é só isso que desejo a cada um de nós.
    Abraços,

    FmaamF

  23. boom diz

    Penso que quem me contaminou foi um atual namorado! Digo penso pois já havia feito exames anteriormente e era negativo. Ainda estou com ele acho que por um pouco de amor que ainda me resta e principalmente por medo de ficar só – muitas vezes em pensamento o culpo, mas depois me culpo por eu não ter me cuidado e passa, mas é um pensamento recorrente. Não contei pra ninguém, e acho que vou viver assim. Mudei de medico recentemente pois não me identifiquei com anterior que era um verdadeiro estúpido, sem qualquer sensibilidade. Na minha primeira consulta estava com CD4 508 e 68000 copias, pedi pra ser medicado mas ele não consentiu, disse “quando você começar a passar mal com os remédios vai lembrar de mim quando não queria receitar os medicamentos” entre outras frases que me deixaram um nada naquela sala. hj, mesmo sem medicação o número de cópias diminuiu, achei estranho, mas junto o CD4 caiu para 420 , vou pedir novamente para iniciar o tratamento.

  24. fernando diz

    Oi pessoal de uns tempos para ca tenho sofrido com diarreia ,minha combinação é biovir+efavirenz tem algo que eu possa fazer para melhorar isso?

    • Lefeu diz

      Ir ao seu médico é o aconselhável! Urgente e necessário!
      Não anda na onda das opiniões que fazem parte de diferentes experiências…. vá e procure o seu médico Fernando, ele é a pessoa mais capacitada para lhe auxiliar.
      Um forte abraço!
      PS: alimentação, bom sono e exercícios auxiliam naturalmente!

  25. Entre anti-retrovirais e sorridos. diz

    É incrível como este blog proporciona um momento de reflexão único. Saber que outras pessoas enfrentam o mesmos problemas que você e não deixaram se abater é magnífico.
    Bom, esta será a primeira vez que eu irei comentar no blog, mesmo tendo conhecido há bastante tempo, mesmo antes de saber da minha condição sorológica.
    Tenho 19 anos e descobri há 4 meses que sou soropositivo, doença que já estava instalada em meu organismo há bastante temo, 5 anos, decorrente de um abuso sexual. Logo, comecei a tomar a medicação e meu parceiro, que foi recentemente infectado, por mim, também começou. Graças a Deus, tivemos todo o apoio de nossas famílias e dos amigos, próximos, que sabem.
    Vejo neste blog uma ferramenta para quebrar os vários paradigmas e axiomas criados por nós mesmo. Cada relato carrega consigo respostas para dúvidas comuns e, muitas vezes, extremamente importantes para quem descobriu a condição sorológica recentemente. Além, claro, de ser um lugar onde podemos ver que as pessoas se apoiam, pois em um sociedade onde o preconceito ainda é grande e pouco se faz para que seja sanado é difícil encontrar pessoas para falar sobre o assunto.
    Quero parabenizar o criador do blog e todas as pessoas que relatam suas experiências, pois isso é de fundamental importância. E mesmo, sem comentar muito, pois quando começo a escrever não paro mais, alguém tem que me controlar. Confesso que estou sempre aqui, sempre lendo as publicações e seus respectivos comentários, pois como já supracitei “este é um lugar de reflexão”, pois podemos contar com o apoio de pessoas que, mesmo sem saber quem é, estão dizendo “Não importa a sua condição sorológica, felicidade é só questão de ser”.

    Abraços.

    • Entre anti-retrovirais e sorrisos. diz

      Uma correção: É “sorrisos” e não sorridos.

  26. Junior diz

    No final do ano passado (2013) passei por momentos muito difíceis no trabalho, sou arquiteto e estava entregando uma obra. Obra essa que me deu um grande prejuízo financeiro. Acredito que por conta disso tive gastrite. Fiz endoscopia e iniciei tratamento que durou um mês. Logo em seguida passei a ter dores de garganta, febre e perdi muito peso. O médico diagnosticou DRGE (Doença do refluxo gastresofágico). Tomei antibióticos que me ajudaram na dor de garganta, porém a febre e todas as mazelas que ela causa não sumiram. Durante mais ou menos quatro meses estes sintomas persistiram e no final de Janeiro deste ano (2014) fui diagnosticado com o HIV. Como estava muito debilitado e anêmico fui internado e fiquei cerca de 21 dias no hospital. Iniciei tratamento com Kaletra, Lamivudina e Tenofovir. Carga viral em 240.000 e CD4 em 22. Já são três meses de tratamento e ainda desconheço a eficácia do mesmo, tenho consulta marcada para o dia 29 de maio.
    Há mais de dois anos não tenho relações sexuais, me tornei, não sei por que, uma pessoa antissocial. Não saio de casa, tenho vivido solitário e depressivo, antes mesmo da descoberta. Tenho baixa autoestima, me acho feio e chato e de muito poucos amigos.
    Inicialmente, quando descobri ser soropositivo fiquei até feliz por finalmente saber o porquê de estar tão doente, mas o medo e a angustia hoje me perseguem. Sinto-me doente.
    Hoje convivo diariamente com a diarreia causada pelo Kaletra, uma renite alérgica que perdura a mais de um mês, um edema no dedinho do pé esquerdo que também não sara, uma fissura anal e um possível quadro de trombose anal. Além de dores nas articulações do pé direito e cotovelo esquerdo. E por conta da febre alta, chegou em determinado momento a 41 graus, fiquei surdo. Só sinto dor!
    Endividado, doente e triste!
    Não tenho vontade de trabalhar, mas preciso comer. Não sei como viver assim. Penso em procurar um psicólogo, mas não acredito que ele possa me ajudar. Não acredito em deus. Aguardo uma consulta a ser marcada pelo SUS com um proctologista.
    Enfim, só queria desabafar.
    Junior

    • Entre anti-retrovirais e sorrisos. diz

      Júnior meu caro se precisar de alguém para conversar me manda seu e-mail, gostaria de lhe ajudar.

    • Lefeu diz

      Júnior, o melhor que tens a fazer é procurar um psicólogo, principalmente no SAE onde é atendido através do SUS.
      O trabalho de um psicólogo é IDEAL para todos os soropositivos, independente de idade e gênero. Em verdade todo o ser humano necessitaria de tratamento psicológico… mas no nosso caso é ideal porque existe um sofrimento interno que deve ser encarado. E esse profissional sabe o melhor caminho. A cada sessão é uma descoberta nova e mudanças surgem ao longe do tempo.
      Não precisas acreditar em Deus ou no psicólogo…
      precisas acreditar em ti mesmo.
      Abraços!

    • Téo diz

      Olá Junior,

      Procure um psicólogo na rede pública. Possivelmente o psicologo irá te encaminhar para um psiquiatra caso seja diagnosticado um quadro depressivo. Provavelmente no local onde vc faz o tratamento contra o HIV vc consiga encaminhamento para a área de psicologia. Isso pode poupar um tempo e agilizar as sessões.

      Acredite, isso vai te ajudar muito. Não deixe de procurar ajuda psicológica.

      Descobri que sou soropositivo no final do ano passado e logo iniciei o tratamento. Fiquei arrasado psicologicamente. O que me ajudou muito nesse momento foram as sessões com a psicologa (na rede pública). Assim como vc sou ateu e me considero uma pessoa mais fechada por natureza. O fato de vc poder conversar com a(o) psicóloga(o) já vai te deixar melhor, externar as coisas ajudam e ouvir bons conselhos profissionais também, rs. Quando estamos depressivos não conseguimos ver lado positivo em nada, na verdade interpretamos as coisas da pior maneira possível, e esse tipo de coisa a(o) psicóloga(o) poderá te ajudar.

      Força ai, e pense que os problemas que vc está enfrentando têm solução, encare cada um deles e tente ser feliz, vc merece isso.

    • Camila diz

      Olá junior, entendo muito bem o seu desanimo pois tb passei por situacao parecida com a sua, e te falo com sinceridade que a minha procto nao resolveu o meu problema (verrugas e fistula anal) varias sessoes de acido no local nao geravam resultados, mas um belo dia girando na net descobri a autohemoterapia, apos ler varios relatos eu resolvi aderir ao tratamento e gracas a ele hj sou uma pessoa feliz mesmo sendo soro+,

    • júnior diz

      A sua doença já afetou seu psicológico, que por sua vez esta afetando a sua saude debiitada. quando ficamos angustiados com determinada situação, nosso sistema imunológico fica enfraquecido. Se envolver a parte financeira o problema tende a se agravar. O importante nesses momentos é buscar ajuda financeira primeiramente se a falta de dinheiro envolve princípios básicos como alimentação, moradia e medicamentos. Se este não for o caso deve-se dar prioridade ao tratamento da doença e procurar grupos de auto-ajuda ou apenas um psicólogo na mesma unidade de referência em que você faz o tratamento. Boa sorte!

    • Greg diz

      Olá, Junior! Me encontro na mesma situação. Não tinha conhecimento da doença. Quando quando tive relações sexuais com um cara. E ele me passou a doença.

  27. fernando diz

    Junior não desista da sua vida,tenha paciência é fé de que tudo vai dar certo.Passei também por muita coisa mais hoje estou ótimo.

  28. Junior…Meu e-mail soropositiva@outlook.com. Se sentir vontade fique a vontade pra escrever. Criei esse pra ninguém desconfiar de quem sou pelo endereço de e-mail….to em situação semelhante a sua, a diferença é que minhas feridas são apenas emocionais ainda…mas a dor é similar com certeza.

  29. Maycon diz

    Gente boa noite! Conheci um cara lindo, ficamos fizemos sexo oral sem camisinha não foi ate o final, enfim, passados alguns dias, ele me disse que estava apaixonado e queria namorar etc. Abri o jogo com ele, sua reação de cara foi:
    “VOCÊ PASSOU PRA MIM, ETC.ETC.ETC”

    Gente estou mal comigo duas vezes,
    Primeiro que não contei antes de acontecer algo
    Segundo aconteceu, estou sentindo um nojo tão grande de mim mesmo.

    Estou pra lá de triste, pois era uma pessoa que demonstrava ser uma pessoa esclarecida. Contei que minha carga viral encontra-se indetectável a mais de 1 ano, mesmo assim não acreditou, me excluiu do Facebook.
    O pior de tudo conheço uma pessoa que é HIPER AMIGO dele, no caso vai ficar sabendo.

    Não sei o que fazer estou com uma sensação de IMPOTÊNCIA.

    Agora é aguardar, gente jamais passaria algo pra ninguém.

    Quem poder tc: Mayconjp40@live.com

    • Pri. diz

      Maycon,não sinta nojo de você,não fique se martirizando aconteceu não tem como retroceder.
      Erga a sua cabeça.
      Mas fica uma dica use camisinha independente de sua carga viral estar indetectável ou não é uma proteção para você e o seu parceiro.
      E quando você perceber que irá rolar alguma coisa ,converse e diga a verdade se a pessoa realmente gostar de você irá aceitar a tua condição atual.
      Se acalme e deixe a poeira abaixar e os ânimos se acalmarem e depois tente conversar com o teu amigo.
      Já me deparei com esse tipo de preconceito, e mesmo usando camisinha o cara foi ao médico achando que eu o tinha infectado,(detalhe ele tinha pego hpv de uma amiga) depois disso percebi o quanto de preconceito existe.

      Seja forte e siga em frente e mantenha a calma.

  30. fernando diz

    Após a vacina quando tempo devemos esperar para fazer cd4 ,cd8 e carga viral.Ou se n tem nada haver e ja posso realiza-los normalmente.

  31. Lucas Castro diz

    Grato pela exclusão dos meus comentários sobre as absurdas reportagens sobre o paciente zero. Sei que é crime infectar deliberadamente uma pessoa, mas meu propósito era apenas excluir fantasmas que não tinham o menor conhecimento sobre a epidemia no início dos anos 80. Assim sendo, acho injusto responsabilizar parceiros que ainda estão aprendendo sobre a dinâmica epidemiológica. Além disto, meu objetivo em sugerir que mude seu visual com terno escuro, caracteriza-se pela esperança que tenho em que você transmita ainda mais força e alegria aos soropositivos. Existe também apenas mais uma pequena observação no que diz respeito aos seus comentários científicos sobre a epidemia. Quero deixar claro aqui que suas observações sobre os processos oportunistas, efeitos colaterais dos ARV`s, quadro depressivo associado, transmissão neonatal e fases da doença são altamente esclarecedoras para um leigo como você se intitula. Caro Jovem Soropositivo, apenas tomei a liberdade de criticar o mito científico do paciente zero. Se você não concorda, peço-lhe desculpas. Continue co o seu belo trabalho elucidativo. Um abrço, Lucas Castro, Médico Infectologista.

  32. Lucas Castro diz

    Amigos, sinto muito informá-los mas tenho uma posição pessimista com relação aos rumos da epidemia HIV AIDS. O números no Brasil e no mundo não param de crescer, sendo a situação na África meridional absolutamente crítica. Os ARV (Anti-retrovirais), resolvem apenas uma pequena parte do problema, pois seus efeitos colaterais são terríveis, causando anemia, esplenomegalia, diarreia, febre intermitente, gastrite, artrite, hepatomegalia, insuficiência renal aguda ou crônica, lipodistrofia, queda de glóbulos brancos, cegueira parcial e, em alguns casos, até mesmo câncer no sistema linfático. É claro que pessoas mais jovens que iniciam o tratamento mais cedo, (como recomenda o protocolo), possuem melhores possibilidades de controlar a carga viral e o CD4 +, melhorando a condição de vida. Mesmo assim, quero lembrar que isto está sujeito a ser uma condição transitória, pois o vírus revelou esconderijos de hibernação jamais imaginados pela ciência, dificultando a cura funcional pela carga indetectável. A produção de uma vacina continua sendo um quebra cabeças, pois a capacidade mutagênica do vírus é algo que intriga a ciência. Por favor caros amigos, Aids continua sendo uma doença que mata e não tem cura. Protejam-se e tenham muito cuidado. Só para acrescentar um dado interessante, números oficiais atestam que o Brasil possui cerca de 712 mil soropositivos vivos ), (http://www.aids.gov.br/pagina/2010/36374), alguns em tratamento e outros não. Pois bem, se formos considerar o número de infectados oficial, causados pelo HIV AIDS já em óbito, teremos um número próximo a 1 milhão de pessoas. De fato é um dado muito duro e, por isto mesmo, queridos amigos, tomem todas as medidas preventivas possíveis de prevenção. Aids é uma doença séria e que não pode ser menosprezada, principalmente pelos jovens que não presenciaram o início da epidemia na primeira metade dos anos 80. Espero, com isto, ter dado minha minúscula contribuição. Um abraço, Lucas Castro, Médico Infectologista.

    • Pri. diz

      Sabe Lucas,o que tenho visto é que as pessoas relaxaram muito em relação a Aids e não é por falta de informação e muitos acham que por ter um remédio que controla o vírus ninguém precisa se preocupar. O que me assusta muito é a falta de informação,pois os efeitos colaterais da doença em conjunto com a medicação é devastador no organismo.
      Descobri que tinha aids em 2001,e desde então vivo uma batalha diária apesar do vírus estar indetectável.muitos acham que é fácil, mas não é não.
      Como eu já disse use sempre camisinha mesmo como sexo oral.
      Obrigada pela sua contribuição.

  33. Lucas Castro diz

    Grato Pri e tenha muita força e luz nesta sua batalha valoroza pela vida. Seja feliz e um abraço!!

  34. L L diz

    Perfeito JS! Adorei o texto.
    Recentemente um amigo de trabalho revelou e vi nos olhos dele essa apreensão…
    Ler seu blog me fez entender a importância desse momento e ao msm tempo expressar, como vc bem disse “nada além do que precisa ser dito para quem porta uma doença que, com o devido cuidado, é plenamente tratável.” Bjs. 🙂

    • LL vc tem há 15 anos porque eu ja li. Apos 15 anos uma pessoa soro+ consegue trabalhar. Eu tava dando uma olhada no povo do face do rnp+ 90% estava desempregado.

  35. Icarus.
    Veja só uma coisa interessante… você possivelmente sem um tratamento psiquiatrico/psicologico, ficaria e ficará sem emprego somente de achar que é soropositivo.

    Assim, o HIV não impede nada, mas sim o emocional. Se você acha que seu mundo acabou, ele se acabará.

    Mas certamente o HIV não tem este poder físico nos dias de hoje.

    Eu achava antes que portadores de HIV morriam. Hoje, estudando e conhecendo, eu tenho certeza que todos vão morrer. Ah, todos os soronegativos também vão. Todos os soro-interrogativos também vão.

    Espero que não tenha sido uma informação muito forte para você, mas acredito que um dia você morre também.

  36. andrielson diz

    Ola amigos!
    Estou aqui e como ja disse em um breve comentario, tenho 20 anos e descobri minha sorologia dia 13/05/2014. Foi um choque tremendo, a principio nao queria contar a ninguem, mas apos a psicologa me dar a noticia meu melhor amigo me ligou e não tive como esconder dele. Conversamos muito e disse que posso contar com ele sempre, hoje em dia alem dos medicos que faço as consultars apenas tres Amigos/Anjos sabem da minha condição.
    Comecei o tratamento dia 07/07 com Efavirenz, Lamivudina e Ternoforvir. Quando eu acordava pela manhã parecia que eu tinha enchido a cara a noite anterior rs .
    Não moro com meus pais, moro sozinho pois estudo em outra cidade. Então tem dias que parece que tudo vai ter um fim logo logo e me deparo chorando o dia todo . Por mais que saibamos dos avanços, sempre tem um momento que bate aquela agustia, aquele medo…
    Não tenho coragem de contar a meus pais, não suportaria ver minha mãe chorando e sofrendo com isso e Eu ter que carregar essa doença por ela e por mim.
    Força amigos!
    Hora de tomar o remdio!

    • CB Sul diz

      Na época que descobri, após fazer inúmeros exames, minha mãe já desconfiava que eu tinha HIV pelos meus sintomas (queda de cabelo, emagrecimento, etc) emtão, morando com ela fui obrigada a abrir o jogo com ela. Sabe que na época apesar de eu estar muito mal, ela lutou dia-a-dia pela minha recuperação, e hoje apesar de tomar remédios, ela não sente “essa dor”. É impactante a primeira vista, um choque mesmo, mas se tu contar e tiver bem esclarecido das perguntas que ela com certeza vai te fazer, ela compreenderá bem a situação…. Ninguém melhor que a nossa mãe, ela é nossa melhor amiga, sempre!!!! Só uma idéia pra ti, Andrielson, fique bem, esse choque também vai passar….

  37. Aline diz

    Jovem SP,
    eu descobri seu site num momento extremamente delicado da minha vida: uma pessoa com a qual eu tive um breve relacionamento me ligou revelando ser soropositiva. ele já sabia há um mês e meio, de acordo com o que me disse e contou tudo por telefone. eu fiquei desesperada! em meio ao furacão, li uma série de posts seus que me acalmaram e elucidaram, me trouxeram paz de espírito e um pouco de conforto. a primeira coisa que fiz no dia seguinte foi realizar o teste no CTA, e o resultado foi negativo, mas pretendo repetir os exames e checar minha saúde de modo geral. descobri o quanto a negligencio após esse episódio difícil. e não me refiro a cuidados e proteção durante o ato sexual, mas a saúde como um todo. então afirmo, que não passarei alheia a essa experiência! meu olhar mudou drasticamente e penso que sim, com todos os cuidados seria possível me relacionar com um soropositivo, assim como qualquer outra pessoa que passar pela minha vida de agora em diante. só me chateei porque voltei para o blog e os textos com os quais me emocionei de verdade e que tiveram um profundo impacto sobre minha maneira de pensar/agir, não estão mais disponíveis. eles são de cunho pessoal, como quando contou da sua revelação para a senhorita L., mas tenho certeza que assim como impactaram profundamente a minha visão de mundo, também impactariam milhares de outras vidas, soropositivas, negativas, ou qualquer pessoa que venha a se relacionar com o assunto. não deixe de nos presentear com a sua sensibilidade, sinceridade e com esse coração genuinamente belo. desculpe invadir os somentários, mas não encontrei outra maneira de contatá-lo.
    parabéns e muito obrigada!

      • Aline diz

        Jovem, agradeço pela resposta!
        Espero que a mudança seja pra melhor!
        Estou encantada com o blog, gostaria que todos os meus amigos tivessem a oportunidade de ler os teus textos!
        Já compartilhei alguns vídeos daqui, acredito na informação como ferramenta de mudança! Eu apoio a causa! Eu apoio que as pessoas façam o teste com maior frequência. Falta orientação! A minha médica só me pediu o teste de HIV duas vezes! A partir de agora, mesmo com todo cuidado, vou aumentar a frequência do exame, pois só assim poderemos conscientizar as pessoas sobre o tratamento e não expor as pessoas ao contagio.
        Obrigada pela forma incrível que encontrou para alcançar as pessoas com teu relato de vida e com tanta informação que certamente elucidará as pessoas e será uma fonte de luz para diminuir o preconceito causado pela ignorância.
        Muito amor pra você, Jovem! ❤️❤️❤️❤️

  38. Bernardo diz

    Olá. Sou HIV+ a 8 anos e somente agora minha infecto resolveu entrar com os ARV´s. Disse que eu sou o tal do “paciente slow progress”. Comecei na última Sexta-feira: Lamivudina+Tenofovir+Efavirenz. Gosto estranho na boca, um pouco de enjôo, nada demais durante o dia. Mas à noite, quando tomo todos incluindo o Efavirenz, vem a tontura que persiste ainda um pouquinho pela manhã, quando acordo. Não tive os tais pesadelos, mas o sono ficou bem leve e toda hora acordo. Porém, lá atrás na minha vida tive Síndrome do Pânico, e o EfavirenZ tirou ela da gaveta. Estou tendo crises de ansiedade, pânico e angústia ABSURDAS. Minha médica pediu que eu não tome hoje e amanhã o Efavirenz, que continue com os outros medicamentos e na quarta entro com o Kaletra. Estou otimista depois dos depoimentos que li aqui, muitos relatando o quanto melhoraram após mudarem para esse mesmo remédio. Mesmo sabendo que cada indivíduo é único, que cada organismo responde de um jeito, tenho fé em Deus e nessa nova combinação. Em Deus, sempre tive. No medicamento é que é a novidade. FORÇA, galera!!!

  39. Hope diz

    Olá. Acho que já está meio repetitivo dizer o quanto esse blog é legal! Gostaria de pedir umas dicas a vocês: meu marido teve resultado reagente para HIV há 50 dias (ninguém esquece uma data dessas). Estamos juntos há 7 anos e não acreditei no resultado por que faço exames anuais junto com os demais de rotina e sempre foram não reagentes. Por ignorância, apesar do PHD (não quer dizer nada nesse caso :-). achei que meu exame era suficiente para ele. Ele não teve meias palavras e contou-me assim, de supetão, no mesma hora que soube, no caminho para levar-me a um laboratório. O meu teste, estranhamente, deu não reagente, apesar de nunca termos usado preservativos… não é definitivo, pois tenho que repetir em 3 meses (agora dois).
    Ele já estava com carga viral alta e Cd4 muito baixa, então começou o tratamento imediatamente e tem poucos efeitos colaterais – basicamente rash.
    O grande problema para mim – que atualmente tomo mais remédios do que ele, basicamente, ansiolíticos e remédios para dormir, é que, como ele não quer contar para ninguém, sobra para mim. Não posso ficar triste, deprimida, chorar, trabalhar (o que sempre fiz feito louca), cuidar dos filhos e nem mesmo ter medo de meu próximo exame dar positivo… apenas parecer sorridente e carinhosa. Meu terapeuta acha que não é justo.
    Senhores, o que acham? Independentente de meu resultado definitivo, vamos ficar juntos! Nem que tenha que ir buscá-lo no inferno, mas a decisão de não contar a seus pais, é apenas dele? Eu como esposa não poderia interferir, ou pedir ajuda?
    O que posso fazer para ajudá-lo, em dias como hoje, quando ele quer morrer, se matar, não tomar os antibióticos profiláticos ou mandar mensagens para sua médica?
    Desculpe-me mas quero ajudá-lo por que ele é o amor da minha vida, mas sou meio pragmática demais… algum conselho???

    • Logan diz

      Olá Hope.
      Já q vc ama o seu marido, não tem pq pensar numa situação da doença q não mata mais, só apenas carrega vírus e remédio para viver, resultando controle normal da vida… Agora vc tem q saber como teu marido pegou, q só podia ser fora da sua relação, desculpe eu dizer isto.

      • Hope diz

        Olá Logan,
        Sinceramente não acho relevante agora saber como ele pegou, a não ser para avisar a alguém que poderia estar infectado. Pelo quadro dele, de acordo com a infectologista, o mais provável é que ele tenha se contaminado há muitos anos…
        De qualquer maneira, se parece estranho para você também pareceu para o meu terapeuta o fato disso não me perturbar. A maioria das pessoas pensaria como você. Confio nele quando diz que nunca me traiu! Está na minha natureza não atribuir culpa aos outros sobre o que me acontece… independentemente no resultado de meu próximo exame, ele foi consequência de minhas escolhas pessoais. No momento, minha escolha pessoal mais relevante é manter nossa família junta e feliz! Abraços e muita saúde para você.

        • MB+ diz

          Parabens por essa atitude belissima…O importante não é o que aconteceu e sim o que acontecerá e tenho certeza que o futuro será muito melhor que o passado.

  40. Logan diz

    Boa noite! Sou jovem acadêmico de Direito, entro pelo sétimo período no proximo semestre.
    Bem q queria contar muitos detalhes mas ficaria grande o texto.
    Então, uma relação sem uso preservativo foi minha primeira vez… Alguns dias depois, senti sintomas, procurei na net sobre isto, fui na medica, e ela me esclareceu. Peguei uma Dst, a clamídia. Minha mãe quando contei, ela moralmente me chicoteou pelas minhas costas, e minha irmã me apoiou, disse p/ não ficar preocupado com aquilo na cabeça. Sofri muito, chorei 3 ou 4 vezes muito forte. Era um choro por dia. Tomei remedio e fiquei curado. Mas gente, neste periodo entrei numa depressão de duas semanas, fiz algumas orações p/ Jesus, claro q uma oração por dia. E o milagre veio, senti uma ‘energia boa’ caindo pelos meus rostos. Terminei minha oração, minha preocupação/depressão tinha ido embora. Senti sede, fui beber muita agua. Depois de 4 meses, fiz exame completo de sangue, o hiv deu Não reagente.
    Acredito na cura do Senhor Jesus, por me curar da depressão, pois estava no fundo do poço por causa da minha mãe.
    Busque a Jesus se estiveres com o fardo pesado em sua vida. Oração tem poder.

  41. jr69 diz

    Alo amigos
    A minha historia começa de seguinte modo, só espero que não seja longa ao ponto de vos cansar:
    Conheci uma mulher a quase 9 anos (desde 2005), nesse período não existia indícios de namoro e nenhum afecto entre ambos “éramos simples colegas da escola” e nada rolou entre a gente.
    Em 2010 parti para a grande cidade com objectivos de continuar os estudos após ter passado nos vestibulares para cursar Engenharia.
    Graças a DEUS consegui me formar em 2014, durante a minha formação tive varias namoradas mas sempre acreditei que não fossem as mulheres escolhidas por Deus para mim, e pedia sempre a DEUS “Me indique ou me mostre a verdadeira mulher mediante os seus princípios e aos seus olhos”, esperei a mulher aos olhos de DEUS pedindo sempre e com muita força.
    Do nada, sem explicações, apareceu em mim uma mulher com os requisitos que precisava, com as qualidades (a mulher que conheci em 2005 e que era simples colega da escola), e pelos sinais que tinha diante dela acreditei ser ela mesmo a mulher aos olhos de DEUS que ele escolheu para mim.
    Mostrei os meus interesses diante dela, ela se empolgou, iniciou um período de criação de afectos um pelo outro, paixão, inicio de construção de grandes sonhos e projectos em comum, eu me sentia o homem mais completo do mundo.
    Num belo dia ela disse que gostaria de ter uma conversa seria comigo, tivemos a conversa e ela me disse “EU SOU HIV POSITIVO”, e pelas indicações teria contraído por meio do ultimo namorado dela.
    Felizmente era antes de manter-mos nenhuma relação sexual, ela saiu do meu quarto a chorar e eu praticamente seco, imóvel,inconsciente não consegui me movimentar para nenhum lugar e ela me pediu para que eu não lhe procurasse.
    Ai eu me pergunto, onde vão parar os nossos sonhos, os nossos projectos, as nossas emoções, o amor que construímos, a família que queríamos ter?
    Deu-me tempo para pensar-mos e decidir-mos sobre o futuro, e ela me coloca a cada dia que passa mais distante dela.
    Somos bastante jovens com um futuro pela frente eu tenho 23 anos recém formado e ela 22 anos também formada.
    Me ajudem a não deixar cair os planos, os sonhos e os objectivos construídos juntos.
    A conta de tudo isso eu já não consigo dormir, a cabeça doe-me bastante e não posso me abrir com ninguém, as unicas pessoas diferente de mim e o medico dela que sabem dessa historia sois vos.

    • Aline diz

      Jr 69, bom dia!
      o que exatamente a afastou de ti?
      se a soropositividade dela não afeta a maneira como você a ama, então faça com que ela se sinta segura e tenha o máximo de informações possíveis para que tenham os cuidados necessários e fiquem tranquilos.
      boa sorte!

  42. Marcelo diz

    Ola! Bom…em primeiro lugar um Feliz Ano Novo a todos.
    Sendo a primeira vez que exponho minha situação de soropositivo, queria dizer que me sinto super a vontade em faze-lo após ler os relatos postados, descobri que sou soropositivo a 22 anos, por acidente, rs… minha esposa que a proposito faleceu a 2 anos em decorrência da doença (na verdade foi em função de ela não tomar os ART) esse lance de Igreja e tal, achou que a fé iria salva-la,mais é um assunto que abordarei em um possível próximo relato, continuando minha esposa viajou para o Nordeste para fazer uma laqueadura e após fazer os exames de praxe descobrimos que ambos estava-mos infectados, e passei por todos o processo dramatico de achar que iria morrer rapido e tal me vinha logo em mente a imagem de Cazuza, Lauro Corona, enfim, como nasci em um lar protestante dessas igrejas pentecostais que acreditam em “dons” entrei de cabeça, e só pedia a Deus que popasse meus filhos, um com 2 anos e outra com 1 ano nessa época (hj estão respectivamente com 21 e 20 anos e saudáveis) porem nessa época só queria ve-los pelo menos ingressar no colégio, o que aconteceu, e depois queria ve-los terminar o colegial o que aconteceu tbm, Aleluia!!! pensei minhas orações foram atendidas … Deus é Fiel! só que com o passar dos tempos minha esposa que até então tbm tomava o coquetel,parou de tomar em função dos efeitos colaterais, e eu sem saber de nada achava que ela estava seguindo o tratamento direitinho e tal, á 7 anos ela começou a adoecer, pra resumir, foi acometida de 2 avc’s no qual deixou um aneurisma, tinha constantes convulsóes, direto tinha que levá-la ao Emilio Ribas as pressas, eu comecei a ler muitas outras coisas além da Biblia que li de cabo a rabo 2 vzs, sabe aquele lance de vc querer saber o porque de tudo o significado e tal,nesse meio tempo estava bem envolvido na igreja que congregava, obreiro, tesouraria,rs… pois é o final vcs ja devem imaginar, decepção total, de tudo e todos, até então meus filhos nem ninguem sabiam da nossa soropositividade, até que não aguentei mais a pressão e contei pros meus 3 filhos (1 enteada filha dela) conclusão, minha filha filha até então com 13 anos se envolveu com um camarada mais velho,meu filho com 14 começou a usar drogas e amais velha com 17 saiu de casa,eu que sempre fui o Paizão, que sempre dependeram de mim, agora era visto como um cara que eles não teriam ” pra sempre” entrei em uma depressão profunda,me tornei dependente quimico de cocaina a ponto de só produzir atraves da quimica, se não fosse assim nem saia da cama, elafaleceu no carnaval de 2013 no Hospital Emilio Ribas, 6 meses depois eu fui acometido por uma das inumeras ” oportunistas” neorotoxoplasmose,hepatite, pneumonia, fui internado com 68 kg no Emilio fiquei um mes e 15 dias, reestabeleci a saude, voltei aos meus 92kg, ah esquessi de mencionar tenho 43 anos e 1,88mts…só que as coisas começaram a piorar meu filho começou a se envolver como crime…a depre voltou e com ela a dependencia quimica, tudo isso aconteceu em um bairro no extremo sul de sampa Jd. Angela, pedi socorro para uns parentes e agora estou morando no interior da Bahia, estou a 8 meses aqui,fiquei 6 meses limpo, só que de 2 meses pra ca começou de novo, ta foda, choque cultural, distancia dos filhos que ficaram, desempregado, sou técnico em informatica e modestia a parte era um dos melhores onde morava, hj é dia 02 de Janeiro de 2015…. perdi a motivação os pensamentos suicidas voltaram, não quero dramatizar nem vitimizar a situação,mais é fato! preciso trabalhar, voltar a ser útil pra alguem,desculpem o desabafo mais precisava…

    • júnior diz

      Com ou sem doença pode acontecer de os filhos partirem para o lado do mau e os pais ficam sem saber o que fazer. Entretanto, o mais importante agora é buscar ajuda psicológica, depois uma ocupacao. Isso mesmo. Eu não sou cristão, sou agnóstico e acredito na ciência. Porém, tenho plena convicção que os únicos tratamentos que fazem efeito no ser humano são os remédios produzidos em laboratórios mais os principais: especialistas capacitados para resolver situações como a sua, entre eles psicólogos e grupos religiosos cristãos. Procurar o apoio de uma igreja ajuda e muito a nos equilibrar na vida e em todos os sentidos. É como uma dieta a ser seguida. E para não esquecermos temos que praticar o tempo todo seguindo o manual. Volte para onde você nunca deveria ter saído: a igreja. Ficar sem reagir não vai ajudar em nada.

      • Não deveria ter saído, rs… porque Junior, não achei as respostas la, como ja dizia um filosofo bem conhecido: “existe muito mais entre o çéu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia” a igreja não me ajudou,muito pelo contrario, e não vai ser agora que não acredito mais que ela seria util, mesmo assim obrigado pela “ajuda” ok!”

  43. Alee diz

    ola pessoal , fui diagnosticada com HIV praticamente a 2 meses e meio , estou gravida e fui fazer os exames para pré-natal e descobri a doença , foi um choque no começo e até agora esta sendo , sou casada meu marido não tem a doença , fiquei preocupada por ele mas ainda bem que ele não tem , as vezes ando triste lembro da doença , choro muito , ainda não contei para meus pais ,ta sendo difícil fico com vergonha e na mesma hora triste , não sei oque eles vão achar , qual vai ser a reação … ta sendo muito difícil , mas graças a Deus meus esposo me da a maior força ele tem muita paciência comigo e eu penso muito no meu bebe que logo vai chegar … abraço

  44. aline diz

    adorei seu caso…. eu passo por isso tbm… tenho 25 anos, para falar para alguem que estou me relacionando chego ate me tremer por medo …. antes nao era assim, pois 2 namoros que tive na hora que falei aceitaram na hora q durou muito tempo o namoro e o fim deles nao vou nem por conta da doença. depois desses namoros ficou dificil , ai que vi o preconceito 😦

  45. Cara do Bem Sampa diz

    Olá! Que Deus abençoe a todos.
    Li cada relato aqui. Com cuidado e carinho, anotei todos os contatos disponíveis e entrarei em contato e ficarei feliz em poder conversar sobre tudo que vem acontecendo comigo e ouvir o que vem acontecendo com vocês. Pois o que mais me animou ao ler seus relatos, é que percebo que NÃO ESTOU SOZINHO nessa situação.
    Bem, fui surpreendido pelo resultado positivo para HIV há um pouco mais de 48hs. E minhas reações não foram tão diferentes de vocês. Através de um checkup de rotina, que faço há anos, pelo menos 1 vez ao ano e que inclui exames anti hiv,
    Fiquei atordoado e não sabia o que fazer.A primeira pergunta que me fiz foi… Em que momento me descuidei?
    Minha vida inteira passou na minha mente em questão de segundos… E a conclusão? Que todo cuidado que sempre busquei ter, não foram suficientes. Não consegui chorar, não consegui lamentar… A primeira coisa que passou pela minha cabeça foi me informar… Pesquisei na internet, busquei informações, que não se esclareciam, entrei num chat pra tentar trocar experiências com que viveu o mesmo dilema que eu estava vivendo e que pudesse me ajudar, inicialmente sem sucesso.
    Então decidi ligar para uma pessoa que confio. Dividi o que aconteceu comigo, fui ouvido e ouvi muito apoio e carinho e tem me apoiado desde então. Isso me deu um conforto enorme. Depois dessa conversa, entrei no chat de novo e consegui contato com uma pessoa que também passou pela mesma situação que eu, me ouviu, me acalmou, e me deu as orientações iniciais necessárias para seguir. Me orientou a refazer o exame (refeito hoje) e buscar um centro de tratamento e aconselhamento (que vou amanhã). Dividiu as experiências comigo, reafirmando tudo que li aqui. A vida continua.
    Pra mim o pior é contar pra minha namorada, sim tenho namorada, e depois de contar que tenho hiv, vou ter que contar que tive relações fora do nosso namoro, e que não me cuidei como deveria. Acreditem… A pior sensação pra mim, e que me atormenta é a possibilidade latente de te-la infectado.
    O que passa na minha cabeça agora? Me informar, procurar orientações e acompanhamento de um especialista e contar pra ela (o que será feito nos próximos dias). Depois aguardar a pior das reações dela. E desejar do fundo do meu coração que ela não tenha se infectado.
    Além disso, tenho um grande amigo, que é médico, e ontem conversei com ele também. E ao invés de uma sessão de sermão (que imaginei que ele faria)… fui surpreendido ao ouvir ele dizer, que agora é preciso me cuidar. Que existem muitas pessoas, que inclusive devo conhecer, e que levam uma vida normal há anos tendo HIV.
    Sim, estou muito triste, me sentindo culpado, me vendo ter que enfrentar situações que nunca imaginei que viveria. Me sinto sozinho, e sem saber o que virá….
    A vida me deu um grande chacoalhão, tirou tudo do lugar… E estou tentando organizar as coisas. Ainda não sei como está minha saúde, como está a saúde da minha namorada. Como ficará a nossa relação e o que vem pela frente.
    Mas ao ler tudo aqui, me resta esperança e superar cada obstáculo que virá.
    Adoraria manter contato com vocês.
    Meu email: Caradobemsampa2@hotmail.com
    meu skype: Caradobemsampa2
    Gde abraço a todos

  46. robert Mark diz

    Eu desconbrir q tenho HIV a um ano…. e a vida mudou completamente… não a doença em si… mais em familia, fui expulso de casa, e eles “falaram” pra todos da familia q tenho, e hj nao tenho contato com mais ninguem …todos me deixaram. Mais me cuidado, tomo meus remedios e me alimento bem

    • D_Pr diz

      Robert, desejo que fique bem! Sério! Relação familiar é complicada, mas saiba que o mundo dá voltas! Um dia, veremos o fim do HIV e pra doença dessas pessoas que te julgaram e apontaram como criminoso não tem cura! Jamais desejo o mal para o próximo, mas a lei de ação e reação, pode coloca-los no seu destino novamente, sendo eles precisando de apoio e ajuda!

      • robert Mark diz

        OBRIGADO…..gente assim igual a vcs.. q dao força pra gente continua….. abc

    • Cara do Bem Sampa diz

      Robert
      Que os acontecimentos ruins se transformem em determinação e força pra você.
      Continue se cuidando.
      Tenho certeza que dias melhores virão.
      Se precisar, conte comigo. Estamos juntos nessa jornada.
      grande abraço

    • Aline diz

      A eu não tenho o vírus, mas nem porisso tenho preconceito, pois tenho amigos aideticos e os amo, tenho nojo de gente preconceituosa, e a vc desejo força e que não ligue para essas pessoas isso so é sinal de que essas pessoas na verdade nunca foram seus amigos pois quem ama, ama em todos os momentos.

    • Cara,imagino o que voce esta passando…sei que nao nos conhecemos,mas se quiser um amigo pra conversar pra desabafar,enfim pode falar comigo.sem preconceito ok?Deus abençoe.

      • robert Mark diz

        valeu gente… pessoas assim.. q dar mais força pra gente seguir na fe

      • robert Mark diz

        obrigado… cara..
        pessoas assim tao especial dao forca pra nos… seguir na fe

    • HopeAlways diz

      Robert Mark , cria um skype pra todos podermos te adicionar. Acho que vai ser muito bom pra voce e pra gente tambem ! abraços

  47. ADRIANA diz

    Oi pessoal, sou mãe de uma garotinha que há cinco anos foi vitima de um namorado, infelizmente ele infectou ela quando ela tinha 15 anos, seu primeiro namoradinho, graças a Deus, esses cinco anos nunca precisou tomar remédio, pois seu CD4 ´sempre está alto, e assim vamos vivendo dia a dia, com a frequência das consultas e exames realizados a cada 3 meses, sempre com o preconceito logico de esbarrar com conhecidos funcionários em laboratórios, mas eu acredito que hoje a maior dificuldade de um soro positivo é o preconceito !!! bom amigos, como mãe estou doente, devido a preocupações com ela, pois é minha filha única, bom resumindo um pouco, ela já teve alguns namoradinhos, nessa face de namoricos, não contamos p nenhum deles, mas ano passado ela conheceu um rapaz que hj já tem quase 11 meses, e estamos vivendo a verdadeira tortura que uma família possa viver, ela não quer falar, e não sabemos a reação dele, eles se amam de verdade, são lindos juntos, mas vcs não sabem que é receber um whats app a cada 1 hora da filha me perguntando: Mãe ele vai me aceitar !!!! isso durante todos esses 11 meses. Na minha família, somente eu , marido e minha mãe sabem disso.. somente eles e o medico… não vou divulgar p ninguém pois PRECONCEITO EXISTE SIM, e vai acabar com a vida dela, pois mais sofrida q ela já é… Então amigos me ajudem uma forma de contar p rapaz, eles tem sim relação sexual, mas ela esta sempre prevenida, mas não podemos continuar com isso, não é certo, ele tem que saber.. ME AJUDEM POR FAVOR, quem já passou por isso.. obrigada e que todos tenham muita fé e continue vivendo felizes e que com certeza a cura está perto !!!.. bjs para todos.,.. hoje muito triste já chorei muito… as vezes me pergunto por que DEUS ESCOLHEU MINHA FILHA para passar por isso.. tão inocente…

    • efra diz

      Ola Sra… Lir e sei como e passar um momento tão dificil, na nossa vida, infelizmente tenho HIV e fui expulso de casa… faz 2 anos q não vejo minha mamae, irmao e ate filhos (e este ano, fui na casas da familia da mamae, ninguem me atendeu, fiquei muito triste.. a sra faz bem não compartilhar com ninguém.. pois preconceito “existe”… e sobre o namorado da sua moça.. a melhor coisa, chama o rapaz e conta a “VERDADE”, se ele “AMA” ela, com certeza ira intender….

    • D_Pr diz

      Oi Adriana, tudo bem? Coração apertado, imagino e sei como está difícil! Bom, a verdade é irrefutável e por melhor que seja a intenção em proteger sua filha, se fosse situação contrária como você reagiria? Essa é a reação mínima que pode esperar do rapaz no primeiro momento, que vai de desespero, medo e revolta por ter sido “enganado” e um tempo até que ele “processe” a informação, esse tempo eu sugiro, deve vir acompanhada dele conhecer como funciona o tratamento e a opinião do infecto de sua filha, pra ele conhecer realmente o que implica viver com HIV hoje! Bem como esperar uma atitude surpreendente, pois o amor, só é amor se não muda quando as coisas ou a situação muda! Aí é amor, do contrário não!

      Outra coisa é que deve ser bem pensado, pois com certeza será sugerido o inicio do tratamento antirretroviral, visando aumentar a segurança do relacionamento entre eles, e uma nova adaptação na rotina da vida dele também, bem simples que são exames a cada seis meses! Desculpe a curiosidade, já pincelou o assunto nele pra ver quais as possíveis reações e como ou quanto ele é preparado emocionalmente pra viver um relacionamento sorodiscordante (supondo que ele seja hiv negativo)? Sem neuras, sem “reviver” diariamente esse fardo? Ele vai precisar conhecer sobre hiv, informações sérias, talvez isso o ajude!

      Desejo que encontre forças e sabedoria na condução desse diálogo, infelizmente, logo ele vai e precisa existir!

      Sobre a transmissão intencional, é crime, consentido ou não! Não adianta ou RESOLVE buscarmos culpados (coisas do tipo: “por que eu não orientei”, por que foi transar tão cedo ou mesmo expor quem foi o menino que contaminou sua filha (faz parte do passado dela, apesar desse golpe de má sorte, acredito que ela foi feliz com ele.), esse é o preço, muito alto por sinal, pago por viver), pois o tempo é implacável e não permite voltar. Não culpe a Deus, não é ele o nosso algoz, o homem é o carrasco de si próprio!

      Abri meu coração e me sensibilizo por histórias como a sua, me perdoe se algumas palavras soem com dureza, não são!

      Obs.: vivo feliz da vida um relacionamento sorodiscordante!

    • Adriana eu sondaria a reação dele. Conheço quem acha que quem tem o vírus irá morrer a qualquer momento como acontecia há 30 anos. Mas vemos aqui o pessoal se cuidando e ficando muito bem, eu mesmo sou um deles. De repente iniciar a medicação para minimizar riscos pode ser uma boa. Estou na torcida e com pensamento positivo para que encontrem força para prosseguir e conseguir alguma calma nos seus corações.

    • Th diz

      Adriana,
      sei muito bem o que é esse preconceito, já fui jogada de um carro de um ex meu, por a camisinha ter estourado e eu não ter contado na da pra ele, ligaram anonimamente pra ele e disse tudo sobre mim, sofri uma base de uns 3 meses não dormia nao comia, mas dai pensei que não valia apena infelizmente o preconceito acaba conosco que somos soros, aconselho a ela sei que não é fácil mas falar, se eles se preservam não tem o ´porque ela se esconder.

      abraços tudo vai ficar bem.

  48. ADRIANA diz

    Pessoal retificando, ela foi vitima sim, pois o rapaz sabia da doença, e mesmo assim não usou preservativo, portanto ele agiu de muita má fé !!! e só ficamos sabendo devido a uma doença que ela teve no útero e o médico pediu o exame para tirar a dúvida, nos namoradinhos q teve anterior não contamos pois eram passageiros, mas, sabemos que não é correto omitir isso dele, por isso vamos contar, mesmo que tenha passado todo esse tempo e pedir p DEUS que ele aceite.. aqui é uma mãe que não dorme sem saber o q vai ser o amanhã e é muito triste ver q pessoas não se sensibilizam com isso, mas é direito de vocês opiniar e eu aceito qualquer opinião, pois não há mais o que fazer e sim pedir ajuda para quem já passou por isso e num grupo q todos estão na mesma situação !!! obrigada !!!

    • Cara do Bem Sampa diz

      Boa noite
      Escolha bem difícil e que martela a cabeça de todos nós!
      Se contar, corre o risco da rejeição, preconceito e por aí vai…. Mas também existe a possibilidade do amor e aceitação. e se não contar, as possibilidades tendem a ser as mesmas, só que tardia….
      Imagino as angústias diárias que vocês estão passando….
      Conversem vocês duas sobre as possibilidades existentes em contar ou não e como poderão lidar com as reações e todos os sentimentos que virão….
      Creio que vocês juntas encontrarão o melhor caminho.
      “Tudo que é seu, encontrará uma maneira de chegar até você.” Chico Xavier
      Que Deus acalme seus corações.
      Grande abraço

    • Giovanni diz

      Horrível isso, é dureza!!! Mas meus amigos, é bom encontrar pessoas com os memos problemas, infelizmente, gostaria que não existissem tais problemas, mas vamos nos juntar e fazer um círculo positivo e com isso tentar ajudar e amenizar esses sofrimentos que passamos, no passado e no presente… Para quem sabe em um futuro não exista mais tipos como este e pessoas sem preconceito e discriminação. Pois tenho passado e muito quando me abro com as pessoas! Graças a Deus meus famíliares me apoiaram e até hj me apoiam, infelizmente a nível de relacionamento as coisas ficam impossíveis digamos assim, de darem certo! Abraços à todos e conto com a amizade e carinho de todos vocês!!!

  49. Jovem+ diz

    Adriana,

    Sugiro que vocês carreguem consigo todas as informações necessárias pra quando chegar a hora de contar vocês quebrarem os preconceitos com informação. E quanto mais, melhor.
    Façam uma análise do perfil do rapaz, vc acha que ele é uma pessoa sensata? mente aberta? de fácil entendimento e tals? Vai minando tudo isso pra chegar e não ter erro. Pergunte pra sua filha se ela acha se realmente ele a ama, porque nessa nossa situação, a única coisa que segura uma relação é o amor incondicional, e que bom, porque eu me sentiria mal porque alguém estar comigo sem me amar.
    Mande notícias, e fique tranquila, sua filha está e continuará bem de saúde. O cenário atual para o soropositivo é bastante promissor, cada dia tem notícias novas, protocolos novos, tratamentos novos, a tendência é melhorar, sempre.
    Estamos contigo
    Boa sorte!!!

  50. ADRIANA diz

    Obrigada pela carinho de todos, infelizmente acredito ser eu a culpada por não ter instruído tanto ela para uso da camisinha, tão nova e tão exposta à isso, pensa numa menina que nem de casa saia, para nós também foi muito difícil aceita achando que ela ia morrer, mas com o tempo fomos vendo que dá sim para viver em paz, e com acompanhamentos médicos, mas é o PRECONCEITO, que infelizmente abate um soro positivo, não sabemos a reação dele, eu acredito que ele vá ficar muito triste por omitirmos isso dele, e dele não ter tido a escolha de se relacionar com uma pessoa assim, mas penso também que se contarmos no inicio sem que ele tenha um pouco de amor a ela, não saberíamos a reação dessa pessoa de ficar comentando sobre isso com outras pessoas, esse foi nosso maior medo, só que com o tempo nos apaixonamos por ele também e ela o ama muito, e chega a me torturar todos os dias, ela já chegou a falar muitas coisas negativas para mim, caso ele não a aceite, ontem fui para pronto socorro de minha cidade, pois estava com pressão 19/10, é triste amigos, mas infelizmente não consigo viver assim agradeço muito o que vocês me falaram, agora em abril faz 1 ano q eles estão juntos, ela quer esperar essa data, mas ate lá nem sei se vou estar forte o suficiente para chegar o dia; penso no coraçãozinho dela se desmanchando caso ele não aceite e morro de medo q ela faça alguma besteira. 😦 😦 ;(… ela é linda, parece uma boneca, coração muito apertado…. Quando soubemos que o namorado tinha feito isso com ela, fomos ate a casa dele, e ele muito cínico, nos falou q não sabia q passava sem o preservativo, mesmo assim, conversamos com ele, chorou muito, e ela ate ficou um mês com ele, mas infelizmente a índole dele se mostrou, NÃO PRESTA MESMO, além de ter sido um mostro, fazendo isso com uma adolescente, poderia mesmo ter colocado ele na cadeia, por ordens do próprio médico, mas deixei p lá… não havia voltas.. ele era de maior e ela com 15 anos. somente aqui posso me expor e me tranquilizar um pouco…

    • Robert Efra diz

      Adriana não pense assim… quem e a culpa e tal…
      olha fui garoto de programa 7 anos e nunca peguei nada, nenhuma doença… (escondido da familia e da esposa) e quando me separei.. conheci uma pessoa, e acreditei q era tudo pra mim… e infelizmente peguei o virus e preocupado avisei pra minha ex-esposa fazer o exame… e ela falou pra todos da familia, que tinha Aids e era garoto de programa. “A MELHOR COISA”… sra. dar apoio a ela sempre… pq eu nao tive nenhum apoio, no começo dos tratamentos (remedios era fortes) e com isso chorava todos os dias e varias vezes pensei fazer algo na minha vida e como moro sozinho, não tinha nem uma linha de roupa (graça a Deus, por isto)… e antes de sai de casa, minha mãe falou.. se estiver morrendo não procure nós, neste momento, sai de casa e não voltei mais. ja faz 2 anos

      • Th diz

        Robert, graças a DEus tive apoio da minha filha em peso, mas em compensação de companheiros a qual me relacionei sempre fui ignorada sempre, alguns antes de manter. relação outros depois, hoje penso que uma hora vai chegar uma pessoa pra mim, como sempre converso com meu medico e sempre teclo na mesma tecla “eu não ter niguem que me aceita como eu sou” infelizmente.
        Posso sentir o que vc sentiu com a ignorância de sua família e uma fase chata, mas não um bixo de sete cabeça, uma hora eles iram olhar pra tras e ver o erro.

        Fica na Paz!

        • robert Mark diz

          Ta sendo dificil… pq penso comigo e melhor ter morrido sem o apoio da família.. mas to levando a vida.. em fevereiro fiquei internado um mes, quase fiquei cego……..

          • Th diz

            nao pense assim, você ainda tem uma vida pela frente, eu também sofro muito não com minha família, mas com as exclusão que recebo quando estou com um companheiro e ele vira pra mim e diz que não quer nada comigo. isso é horrível.
            Eu penso comigo “nunca vou me casar , nunca vou ter ninguem”

  51. Robert Efra diz

    Adriana… dar carinho, amor, atenção
    Fale a verdade pra o rapaz, mesmo se a reação for a FAVOR ou CONTRA

    pq hj to sozinho, levo comigo a dor, a familia não esteja comigo e tenho ate merdo
    no futuro…. mais entreguei a minha vida na mão do papai do ceu.

  52. ADRIANA diz

    Robert, que triste sua história, que DEUS ilumine seu caminho, pois a dor é bem maior quando não se tem o apoio da família, e isso graças a DEUS ela terá sempre comigo e com meu marido, a minha dor maior é vê-la sofrer, mas você está sofrendo bem mais, que papai do céu abençoe você e lhe dê alegria e forças para batalhar sempre, obrigada pelo carinho de suas palavras.. não posso imaginar ficar sem minha filha e com certeza seus pais irão se arrepender disso, mas tem muitos que o orgulho e o preconceito prevalece… obrigada de coração.

    • robert Mark diz

      Adriana
      OBRIGADO PELA VOSSA PALAVRAS….
      converso q no inicio fiquei muito triste
      e me afundei mais e mais… perdi 30% visão e hj to mais tranquilo/confiante e me cuidado …q cada dia e uma vitoria……

      ha me add no face efraiim@bol.com.br (se quiser e claro)
      todos os amigos

    • Adriana, muitas das respostas você tem, que é apoiar, não discriminar e colocar o amor na frente. São respostas certas que você já colocou. Tantos queriam estar nestes termos, então, tente se tranquilizar, é muito provável que não levará muito tempo para tudo se resolver. Logo o JS vai anunciar aquela festa dando adeus a este vírus de me#$@!!!!! E vamos todos participar, como anfitriões, coadjuvantes ou ainda convidados!

  53. D_Pr diz

    Eu vou ouvir logo, todos vamos ouvir, todos vamos LER!! “Esqueçam isso, descobrimos a cura!”

    Enquanto ela escapa das nossas mãos, pois estamos cada dia mais perto, vamos tomando nossos suplementos, abandonando maus hábitos e seguir o quanto mais leve possível for!

    Beijo e abraços em todos!

    #adeusHIV

  54. ADRIANA diz

    Amigos confesso a todos que estou um pouco melhor, pois aqui vejo que somos todos iguais na esperança de um mundo melhor, e além de tudo vocês nos deixam com a estima e com força p seguir em frente, como disse a ela ontem, vamos deixar nas mãos de DEUS, pois graças a ele hoje você está bem, e com o amor tudo e se ele for para ser seu SERÁ… como falou o amigo bem sampa: Tudo que é seu, encontrará uma maneira de chegar até você.” Chico Xavier !!! Que todos tenham um ótimo dia, hj tô melhor, entro aqui e leio o que me escrevem me tranquilizo… obrigada de coração.

    • Cara do Bem Sampa diz

      Adriana,
      que bom que está melhor. Fico realmente feliz!!!!
      Sempre que precisar, conte comigo.
      grande abraço

  55. robert Mark diz

    Obrigado aline…. pela palavras
    cada palavras de vcss e um conforto e coloca em nos uma coragem
    fora do incomum pra continua nesta jornada///

    Grato a todoss….

  56. robert Mark diz

    Cara do Bem Sampa obrigado pelas palavras…
    aqui pude percebe somos todos iguais eeeee aprendir a vive
    dar valor as coisas da vida.. menor ao maior…. abracosss

  57. Mineiro diz

    Sou soropositivo há 10 anos, minha saúde está ótima! Há seis meses terminei um relacionamento que durou estes mesmos 10 anos… Sim, eu optei por continuar o relacionamento quando ele revelou ser soropositivo, quando fiz o teste não deu outra. Iniciamos o tratamento juntos, nos cuidamos, nos apoiamos… Tudo caminhava bem, até que o relacionamento esfriou e nos separamos, como acontece em outros relacionamentos. A vida continua!!
    Nunca tive de enfrentar a questão “conto ou não conto?”. Há um mês venho lutando com este dilema… A possibilidade de ser rejeitado me paralisa!!! Porém, como posso dizer que o amo se não revelar minha situação e, principalmente, se não der a ele o direito de decidir se quer ou não correr este “risco”? Já entendi que está questão é inevitável e que não posso levar adiante um relacionamento to sem a verdade. Difícil é descobrir o melhor momento pra revelar.
    Obrigado!!

  58. Th diz

    tenho 26 uma filha de 6,Descobri que sou soropositivo tem 4 anos, não sei de quem peguei mas também não me importa… hoje vivo intensamente, quem olha pra mim jamais imagina que sou assim, vivo uma vida normal, malho faço faculdade me formo esse ano, não namoro, sou uma pessoa sorridente feliz da vida, tomo meus medicamentos diários, tenho um ´grande amigo que sempre me ampara que e meu infectologista.. tenho amigos que me apoiam que não viraram as costas pra mim, tive parceiros que viraram as costas outros simplesmente disseram que iriamos apenas ser amigos, mas a vida segue..
    tenho sede de vida, todos os dias agradeço a deus por existir, e sou um exemplo que você pode viver muito bem com isso.

    abraços!

  59. robert Mark diz

    querida amiga Th..
    nao sei qual e o pior….
    pior mesmo e a familia.. nao te apoia neste momento tao dificil
    sobre um relacionamento, acho q a pessoa nao aceitou as suas condições
    pq ele nao te amava…..

  60. Re diz

    Boa noite pessoal,Bom eu tenho 17 anos sou mulher e sou modelo, tive relaçao de risco ha uns 45 dias, fiz o teste rapido com 30 deu negativo mas vou fazer com 60 tambem…carinha que eu cinheci garantiu nao ter nada mas mesmo assim fiquei na duvida! Pesquisei muito sobre o assunto e realmente me sensibilizei mt cm os soro+ sao pessoas tao guerreiras, amaveis e precisam de acolhimento e apoio! Se eu estiver com hiv nao vou me abater pois isso n e o fim, vou me tratar e apoiar todos os que tem a nao desistir jamais! Estou disposta a fazer um curso de enfermagem, largar a minha carreira como modelo para dedicar a minha vida aos soro+, ajudar, trabalhar em um cta e dar conselhos e apoio pois existe mt gente ruim nesse mundo, pessoas preconceituosas, que nao pensam que esse risco todo mundo corre pois todo mundo ja errou e transou sem preservativo! Eu acredito que esse preconceito um dia vai acabar e se eu estiver contaminada nao vou esconder e vou continuar forte!

    • robet mark diz

      Re…. parabêns pela suas palavras…. gostei muito
      so nao desista dos seus sonhos de modelo… eu sou soro+ .. designer e modelo
      e quando fiquei sabendo desisti de tudo ou melhor a familia desistiuu de mim… e continuei com meu planos de vida… vive a vida… sempre

    • Cara do Bem Sampa diz

      Oi Re
      Não passou de um susto pelo visto.
      Pelo menos agora, vc está mais informada e terá menos preconceito rs
      Se cuida hein.
      abração

  61. Re diz

    Assim espero, mas caso de alguma coisa ja estou preparada psicologicamente cara, e robert e mt complicada a sua situaçao e vc continua de pe, eu graças a deus tenho uma tia que e como uma mae pra mim e ela ja disse que independente do resultado ela smp vai me apoiar e me amar! Realmente, antes eu n tinha mt conhecimento sobre o hiv, mas depois que corri o ridco pesquisei tanto que acho q ja posso ser medica aql ne kkkkk, percebi q o hiv nao e aql monstro q as pessoas imaginam e julgam tanto sem ao menos peaquisar e saber pelo menos um pouco sobre o assunto, realmente eu ja estou atras de curso de enfermagem e seja o que Deus quiser, vou me dedicar pois quero muitoooo ajudar! (Caso o meu teste com 60 dias de negativo) torçam por mim amores! Fiquem cm Deus ❤

  62. Asheley diz

    Oi gente, esse é meu primeiro comentário sobre isso, sou TRAVESTI tenho 24 anos.. A menos de um ano fiz um teste rápido e meu mundo caiu com o resultdo positivo.. Antes eu pensava se acontecesse comigo iria me suicidar.. Mas sempre achei que estava limpa.. Mas quando me peguei assim não tive coragem… Eu morando em uma capital sozinha sem familia sem poder contar para ninguém.. Com medo de contar para minha própria mãe… Fikei quase uma semana escondendo a armagura, os choros e desesperos na hora do banho, morando em república sem poder confiar em ninguém pois erao todas travestis tbm e nosso mundo e cheio de falcidades.. Eu me vi sozinha sem rumo.. Com 23 anos me sentindo morta.. Na linguagem das travesti quem e soro é morta.. Eu 23 anos,morando em capital prostituindo em busca de meus sonhos tudo caiu no chão.. Perdi meus sonhos me amargurei completamente.. mal o pessoal de ksa sabia o que eu estava passando naquele momento.. Tendo que infrentar frio da madrugada.. Transar sabendo que foi assim que me contaminei.. Foi uma fase péssima… Escutava as meninas reclamar da vida e ficava pensando nossa se souber o que to passando bem pior que vcs… Com uma semana contei para uma colega minha e ela contou para minha mãe.. Minha mãe queria que eu voltasse para cara.. Como que eu voltava? La ia ser pior cidade pequena povo fala muito.. Optei ficar por lá … Com um mês fiquei muito, muito doente.. Desabafei para dona da ksa.. Que tinha uma amiga soro a anos.. Ai fui onde fix o teste marquei os exames.. Mas esse prosseso demorou.. Muito voltei pro interior… Depois decidi começar a medicação meu vírus estava mto alto 560mil por ml mas com o CD4 de 600 ..mas fui peguei os retrovirais.. Primeira semana foi fodaa.. Fiquei pessima dopadaaa.. Mas com ajuda da minha mãe e meu pai eu me reergui.. Já tem 3 meses de tratamento fiz exames esses dias agora esperar e ver se baixou…
    Falei tanto nusss desabafei tbm rs…
    Fui casada a dois anos Com um rapaz.. Terminamos Dois anos depois fui para vida… Fico na duvida se foi com ele ou outro.. Sempre me cuidei.. Nem tanto se não não estaria aki Né .. Eu e ele sempre temos conversamos por watts.. Mas não tive a coragem de contar.. Ele gosta de mim.. Tbm gosto dele .. Mais sei lá … Tenho que ficar só com ele pq sou soro? Ele é minha válvula de escape? Ele vai aceitar? Essas perguntas me torturam… Vejo que nos comentários são a maioria heterossexual .. Imaginem eu… Travesti, 24 anos, bonita, feminina .. Mas soro.. Minha vida amorosa nossa acabou 😦 … Fico com os moços uso sempre preservativo não quero para eles isso que passo 😦 .. Conto ou não para o ex ?

    • caradobemsampa2 diz

      Ashley
      o importante é que vc está bem de saude e psicologicamente.
      o mais importante de contar é pra ele pode se testar , se nao tem o costume e se cuidar.
      mas é um grande dilema ne?
      a melhor resposta vc descobrirá. coloque na balança os prós e contras e veja o que é melhor pra vc.
      desejo que tudo de certo.
      abraços

      • Asheley, não dá pra ter certeza, mas parece que aqui há uma grande quantidade de homossexuais comentando no blog, eu mesmo sou um. É muito difícil a decisão do contar ou não, meu raciocínio lógico diz que sim, meu coração se aperta e diz não.
        Pra você eu só digo e desejo um ótimo tratamento, segura as pontas, você é nova e se Deus quiser antes dos 30 vai estar curada!

        Bjo

  63. TOM diz

    Boa noite a todos. Ashley por sua carga viral estar alta é por que vc foi infectada a muito tempo ou foi infectada varias vezes pela mesma pessoa, no meu caso ano passado em fevereiro fiz o teste e deu negativo,este ano em fevereiro fiz de novo e deu positivo, fiz todos os exames recomendados, e minha carga viral estava no limite,entao questionei minha infecto; mas doutora ano fiz o teste de sangue e deu nao reagente,como isso é possivel ? ela me disse assim; pela sua cv estar alta ou vc foi infectado a uns 3 anos atras ou nesse ultimo ano vc ficou mais de uma vez com uma pessoa infectada, (detalhe eu sou casado,fiz o teste ano passado para ter mais liberdade na hr do sexo). Mas uma coisa ela me disse, nao se culpe e nem se martirizando por isso, hj o hiv é uma doença que tem tratamento eficaz e pode acontecer com qlqr um. FOCO FORÇA E FÉ

  64. Giovanni Dias diz

    Me chamo Giovanni, há dois anos descobri que sou soropositivo, passo sérios problemas de relacionamento, minha companheira que não adquiriu, me trata como se eu fosse algo horrível, não quer ter mais relações, mesmo usando preservativo. O engraçado que percebi, é que ela não contraiu tendo relações comigo, pois nunca em 4 anos de relacionamento usamos preservativo e eu nunca vivi pulando a cerca, tive relacionamento somente com ela, como podem me explicar isso? como ela diz que fez exames e deu negativo? mas nunca me mostrou!

  65. Asheley diz

    CARADOBEMSAMPA Graças a Deus estou bem piscicologicamente e saúde… As vezes bate akelas tristezas sabe.. Tenho muito medo do povo da minha cidade descobrir.. Cidade pequena é foda viuh.. Aki tem 50 mil abtantes.. Muitos casos d hiv.. Mas os conhecidos são 2 pessoas acredita.. Aki tinha que ter o teste rápido nossa tantas pessoas Ia descobrir… Pesso a Deus que eu consiga esconder o max do max.. O bom que o povo tem na cabeça que quem tem hiv é feio,doente erc.. Bom que descobri cedo. Brigada viuhh pela força

    BINHOMAIS
    sim aki tem muitos homossexuais… Mas meu caso é diferente.. Me relaciono com heteros.. Normal já é dificil.. Agora soro nuss piorouu

    TOM
    É vc me deixou na dúvida será que contraí a mto tempo? Tipo sempre me cuidei sabe.. Nao totalmente Né mas não ficava com tdos sem preservativo.. Tive uns parceiros fixos sem camisinha .. Antes de saber pq agora morro de medo..!!

    GIOVANNI.. imagino como está difícil sua relação com ela nossa.. Pior que vc não viuh exames dela.. Mas acho que por vc ser portador ela não esconderia de vc e sim apoiasse em vc …. Dificil nossos casos.

    • Giovanni diz

      Pois é… Não sei muito o que fazer! Fico perdido, sem caminhos à tomar. Muitas vezes penso em desistir do relacionamento e procurar alguém que tenha o mesmo que eu. Quem sabe ai seria tudo um pouco mais fácil, mas o difícil e largar deste relacionamento, pois não é fácil deixar de amar alguém e achar outra que vc ame e é claro, seja correspondido.

  66. Asheley diz

    Giovanni
    Verdade deixar de amar é dificil…
    Mas seria muito nos relacionar com alguém como agente… Mas é difícil de achar Maioria se esconden como nós.
    Será que tem alguma rede social para soro? Vi uma vez mas não era brasileiro.. Grupo de watts seria bom viuh

  67. Tom diz

    Boa noite!
    Asheley nao fique na duvida assim, consulte seu medico e explique tudo a ele ou ela. Que assim vc vai chegar uma conclusao, na minha eu ja cheguei, nao quero saber de quem foi e quando foi, pq assim me sinto mau, agora é seguir em frente com FÉ EM DEUS,beijos gata xxx…

    Giovanni seu caso é bem claro,se vc so teve relaçoes com ela e nunca a traiu, creio que ela que te passou o virus, e esta passando a culpa para vc, o certo é vc se saparar dela, melhor sozinho do que junto e sofrendo, e tem um grupo chaamdo radar possitivo, e um chat no oul para s+..

    • Giovanni diz

      Oi Tom, obrigado pela força… Tbém acho que ela me passou e está evitando em dizer a verdade. Mas é duro mesmo. Quanto ao site, já visitei e não me adaptei muito, pensei encontrar pessoas sérias, mas não enconttrei, acredito que muitas mulheres procuram evitar divulgar pq não aceitam a condição, existem inúmeras pessoas que tem essa dificuldade, por isso até o momento não encontrei uma mulher séria que quisesse viver um romance. Posso estar enganado, mas que existe uma dificuldade, existe mesmo! abraços amigo!!!

  68. Leonino diz

    Gente! Nos dias de hoje existem doenças tão mais perigosas, sem tratamentos e que levam à morte. estamos em 2015, século 21. Assim como existem pessoas “saudáveis, bonitas, ricas, pobres, brancas, lindas, feias…Onde quero chegar? Quem nunca levou um fora por não se encaixar no perfil desejado pelo outro? O preconceito está na cabeça de cada um! primeiro: Se valorize, se ame, viva, dance, beba até cair, o resto é consequência. você diz no primeiro encontro que é pobre e está desempregado para uma pessoa mais bonita e mais rica do que você. Eles não precisa ter medo de mim ou de você, nós que precisamos ter medos deles e mais cuidadosos por conta de doenças oportunistas. Se não aceitaram, vai chegar a pessoa certa, no momento certo e nada de ficar pra baixo pow! Sou 100% normal, vivo como qualquer outra pessoa. Bebo, danço, viajo, me alimento super bem e sou indetectável, e bebo todos finais de semana, não sinto uma dor na unha! Parem com esse “tabu” conheça seu corpo e seu limite. Um conselho…Viva a sua vida, para de ser coitadinho, pois você não é! Quantas crianças morrem antes mesmo de nascer, você está vivo, para de reclamar e começa a agradecer, quem sabe esse quebra cabeça comece a se encaixar! Se joga com responsabilidade.

  69. Tuga diz

    Boa pessoal,
    Estou a comentar apenas para deixar o meu testemunho, e espero que o mesmo possa servir de animo, para quem descobriu o seu estado recentemente.

    Sou um rapaz Português de 28 e sou positivo à cerca de 7 anos. Fui infectado pelo meu primeiro namorado que ao inicio se pintou como um “santo” mas com o tempo descobri que era tudo menos santo. Mas teve a consciência de me contar meses depois de descobrir. Passei um pouco mal pois via o meu ex como a única opção para não ficar sozinho, mas com o tempo apercebi-me que a relação só me destruía mais e acabei por deixa-lo.
    A minha carga viral, quando descobri, era de 1250, e por opção comecei logo o tratamento e desde ai tem estado sempre indectetavel. As CD4, é que mesmo depois deste tempo teimam em subir muito, nunca passaram das 500.

    Quanto aos relacionamentos, actualmente namoro vai fazer 3 anos e ele é negativo, mas ao longo destes 7 anos nunca tive dificuldade em encontrar e ter namorado. Aconselho a primeiro conhecerem bem a pessoa, apalpar terreno sobre o assunto e só depois de conhecer bem a pessoa e saber que realmente é uma relação para se investir, contar-se sobre o estado positivo. O preservativo é sempre essencial antes, durante e depois dos namoros, pois não existe só o risco de infectar outras pessoas como também de poder contrair outras estirpes do vírus ou outras DSTs. Caso o namoro não de ou a pessoa não aceite, apesar de ser muito mau para a nossa auto-estima, temos de erguer a cabeça e avançar em frente, pois a cada nascer do sol um novo dia começa e existe tantas pessoas no mundo que haverá alguma que nos complete e aceite.

    Quanto à família por opção ninguém sabe, pois este problema é meu e não quero ninguém a sofrer com isto alem de mim. Sei que provavelmente é um medo inconsciente da rejeição, ou de um possível tratamento diferente que quero evitar.

    Todos os amigos mais próximos sabem e graças a Deus nunca sofri nem senti qualquer tipo de descriminação ou tratamento diferenciado sempre me apoiaram.

    Em resumo desde o resultado positivo que tirando a toma diária de medicação e as idas ao medico nada se alterou na minha vida. Entrei para a universidade, terminei o meu curso. Infelizmente devido a crise económica no meu pais tive de emigrar. Encontro-me actualemente à 5 meses na Alemanha e pouco a pouco vou adaptando-me à minha nova vida, mas claro que não podia vir para a Alemanha sem o apoio do meu namorado que me envia a medicação para que a possa tomar diariamente.

    É claro de durante todo este tempo nem sempre foi um mar de rosas, tive altos e baixos. Momentos mais complicados que outros, mas nunca desisti.

    • Giovanni Dias diz

      Meu caropatrício, também sou Português, e sei da sua dificuldade, estamos aqui sempre, para ajudar-nos a passar pelas dificuldades na vida na qual estamos vivemos, não pela doença em si, mas pelo preconceito que há muito vêm nos prejudicando. Estou por aqui e se quiser me contactar, estarei sempre por aqui… Um valente abraço amigo…

  70. ana diz

    descobri que tenho o virus tem umas duas semanas acho que estou reagindo bem so o que ta me consumindo e o fato de como vou contar pro meu ex namorado me ajudem

    • robert Mark diz

      ana…. entendo o q tu estais passando…
      eu passei por isso…. e tinha q fala pra minha ex-esposa
      a reação não foi a +favorável pra o meu lado.. mais falei
      …. tome coragem, pense bem.. converse com ele

    • Giovanni Dias diz

      Oi Ana, passei pelo mesmo problema que vc em ter que contar para minha ex companheira, mas respirei fundo e contei, pois me senti na obrigação de dizer, para que ela pudesse fazer os exames também. E ela fez, mas graças a Deus, ela não contraiu o virus, fez inúmeros exames e faz até hj e até o momento, nada! Isso aconteceu há dois anos atrás. Hj vivo sozinho, somos amigos, massss… acabou o relacionamento e sofro com isso, pois agora que sou ela não me quis mais e vivo a procura de alguém, e vou lhe dizer, não é facil encontrar alguém que aceite o fato de ser soropositivo, mas vou vivendo a vida na medida do possível. Mas conte sim, é importante que ele saiba, para que ele vá fazer os exames e torcer é claro que ele não tenha, mas se tiver, torço para que vcs se unam e combatam o preconceito juntos. Boa sorte!

      • robert Mark diz

        Giovanni Dias… a sua historia e a mesma da minha…. so um pouco pior….
        ela contou pra os meus familiares… e familiares de longe… hoje nao tenho contato com ninguem… e graca Deus ela nao tem o virusss

    • caradobemsampa2 diz

      Ana
      qdo descobri, li esse post, ele me ajudou a contar pra minha namorada.
      foi dificil, mas me preparou.
      fique bem e que tudo de certo
      abraçao

  71. robert Mark diz

    ana —– ou converse com o seu medico, sobre este assunto… pos o q aconteceu comigo hj, ela falou pra minha familia toda… fui expulso de casa.. nao vejo ninguem da famillia

  72. ana diz

    eu ainda nao fui ao medico a consulta vai ser so no fim de junho meu medo e de der passado pra ele e ele passar a adiante

    • robert Mark diz

      Ana… Pense positivo, vai dar tudo certo
      eu tb pensava assim, “mãe dos meus filhos e tal”… minha obrigacao era avisar-la
      e ela nao pegou o virus….

  73. ana diz

    e o que eu espero robert markt quanto a mim eo tratamento to confiante so nao quero que saibam so uma pessoa sabe

    • robert Mark diz

      ok Aninha
      me add face… se quiser e claro..rs – efraiim@bol.com.br
      meu caso foi diferente, infelizmente tinha q fala pra ex fazer o exame, ela fez, mais tb falou pr minha familia toda.. hj não tenho contato com ninguem….

  74. SAGITARIANO diz

    OLA PESSOAL !!!!! SOU HOMEM, NÃO SOU SOROPOSITIVO, HÁ ALGUNS DIAS CONHECI UM CARA ATRAVÉS DE UM APLICATIVO QUE ME ABORDOU, ME DISSE QUE TINHA UM NAMORADO , ENTÃO DISSE A ELE QUE NÃO QUERIA NADA COM QUEM TEM COMPROMISSO, PORÉM CONTINUAMOS O PAPO VI QUE ERA GENTE BOA E RESOLVI CONHECER O MOÇO, MUITO PAPO MUITA CONVERSA ME GANHOU, NO SEGUNDO DIA MUITO BEIJO , ABRAÇO, CARINHO, FIQUEI AMARRADO, E ELE ME REVELOU SUA SOROLOGIA E O PORQUE DE TENTAR BUSCAR OUTRA PESSOA!! ENGOLI FIQUEI ARRASADO PENSATIVO, CONVERSEI COM UMA AMIGA MINHA QUE É INFECTOLOGISTA E EM 24 HORAS ESTAVA EU AO LADO DELE QUERENDO MUITO FAZE-LO FELIZ, RESULTADO GOSTEI TANTO DELE QUE SE O FATO DO HIV ESTAR ENTRE NÓS SERIA UM EMPECILHO, CONVERSAMOS ABERTAMENTE E ME PEDIU PARA ESPERAR ELE RESOLVER A SITUAÇÃO ATUAL DELE!! EU PRECISO DE UMA PESSOA COMO ELE NA MINHA VIDA!! ELE VIVE UMA SITUAÇÃO COM UM CARA QUE TAMBÉM NÃO É SOROPOSITIVO E QUE PARECE ESTAR FAZENDO UM FAVOR DE FICAR COM ESSE CARA TÃO MARAVILHOSO !! MESMO NÃO CONSEGUINDO FICAR COM ELE NOS FINS DE SEMANA, OS DIAS QUE ESTAMOS CADA VEZ FICAM MELHORES!! ELE É CANCERIANO!!! O QUE EU QUERIA DIZER AQUI É QUE SE EU FICAR COM ELE VOU SER MUITO FELIZ NOS CUIDAREMOS VOU COM ELE NAS CONSULTAS MUITO CARINHO E PARTICIPAR DE TUDO COM ELE E AGRADECER A DEUS POR ELE TER ME CONTADO, EU PRECISAVA CONHECER UMA PESSOA ASSIM!! A VIDA É 1000 VAMOS AMAR!! NÃO DEIXA O PRECONCEITO ENTRAR NA SUA VIDA, SE TIVER SENTIMENTO A PESSOA NÃO SAI DE PERTO DE VOCÊ!! DESCULPA AI PESSOAL ESPERO QUE ENTENDAM ESSA BAGUNÇA QUE ESCREVI!! BEIJOS A TODOS!!

    • Robert Mark diz

      cara se todas pessoas fosse igual a vc… o mundo seria melhor em viver

    • Robert Mark diz

      ao descobrir hiv positivo a 02 anos….tive a certeza q não terei mais vida… realmente aconteceu
      #amigos proximos # familiares todos se afastaram de mim…. hj vivo sozinho, sem sonho de se aproxima da miha familia.. cada dia vejo a distancia

  75. Apenas um estudante diz

    Boa noite! Eu estou escrevendo aqui porque somente hoje parei para ler TODOS os comentários. Por meses eu fui contido por angustia e medo em fazer os exames. Tenho 22 anos, faço medicina e sou hetero. O problema é que, apesar do curso que faço, sempre deixei a camisinha de lado e por inumeras vezes me relacionei sem. A minha paranoia se deu quando comecei a estudar sobre o Hiv, parecia que tinha todos os sintomas e por meses me neguei a fazer o exame. Felizmente, deu negativo, mas me apeguei ao blog, visto que nos meses de desespero vinha sempre aqui ler os comentários. Para mim, o resultado foi uma segunda chance. Eu acho sensacional a maneira como a grande maioria dos comentários passou por cima da situaçao, vocês estão de parabéns! Um dos maiores motivos pra estar aqui escrevendo agora é a tamanha admiraçao que senti, mesmo desconhecendo, por autores de diversos relatos. Um grande abraço a todos!

    • Giovanni Nogueira Dias diz

      Meu caro amigo estudante, tbém passei por vários dilemas para fazer os exames, pensei no princípio que era uma simples doênça e por acaso, fui fazer o exame e a médica me pediu p fazer e o fiz achando que não daria em nada, ppois tive muito pouco relacionamentos na vida… e por hironia do destino deu positivo, o chão se abriu diante dos meus pés, descobri já fazem dois anos, foi difícil, mas estou conseguindo superar. Antes fazia fac de fisioterapia e acabei largando, devido aos problemas psicológicos, mas hj voltei a fazer fac e estou fazendo licenciatura em história e acredito que desta vez eu vá terminar. A vida é assim mesmo, temos que superar todos os obstáculos e seguir adiante. Mas use sempre o preservativo, somente deixe de usar no dia em que encontrar uma parceira maravilhosa e se casem e tenham uma linda família e nunca deixe de ser fiel a ela. Cuide-se e meus parabém e agradeço o seu apoio a todos nós que vivemos este drama, nunca tenha preconceito sobre pessoas que tenham esta doença e seja lá tbém qual, pois preconceito de nenhuma espécie é bom para ninguém. Faça e termine sua faculdade e excerça a sua profissão dignamente, espero que vc seja feliz e faça de tudo para ajudar as pessoas que tenham este ou outros problemas de saúde, força e fé amigo!

  76. Parabens pela sua atitude e pela sua sinceridade , se todos fossem igual a vc o mundo seria bem melhor , muitos quando pega o virus toma raiva da vida e passa para as pessoas inocentes. Realmente nao é fácil namorar alguem soro positivo mais saber que uma pessoa foi honesta com vc e te livrou da doença já vale muito , vooc ainda vai encontrar alguem que te aceite como é porque VOOOCE MERECE nem precisa te conhecer para saber ,só pela sua dignidade de nao esconder isso da sua namorada ja agradou muito a deus pode ter certeza . PARARABÉNS

  77. Solitário,

    Olá começo meu tratamento hj, trabalho à noite vou tomar as 07h e me deitar , ansiedade de ter pesadelos, tonturas, vômitos e tantos outros comentários, preciso de amigos, skype dferreira35 add pessoal, sou homo, abs

    • Michele diz

      Oi, olha só eu tomo medicamentos a 2 anos e nunca tive reações, já mudei duas vezes e nunca tive sintomas ruins nenhum, pelo contrário me sinto muito bm!
      Ninguém é igual a ninguém amigo!
      Relaxa!

  78. Desde que entrei em janela imunológica, de suspeita de HIV positivo – pois meus testes davam indeterminado sempre – comecei a pesquisar tudo que podia sobre HIV, e a diferença do vírus em cada pessoa, e entender que HIV não significa Doença ou Aids. Encontrei nas pesquisas o blog e desde então passou a ficar favoritado no navegador do celular e do pc em casa.
    Resolvi comentar pela primeira vez, porque a duas semanas aproximadamente obtive a confirmação de ser soropositivo. Atualmente estou formado e desempregado, o que me obriga a ter que procurar tratamento e ajuda pelo sistema publico de saude do SUS (sou de São Paulo Capital). Provável que eu tenha contraído o virus a pouco mais de 4 meses apenas, mas sempre fui uma pessoa desregrada em termos de alimentação e atividades físicas o que sempre me deu a condição de naturalmente ter a imunidade baixa. Não sei ate que ponto isso influenciara no avanço das taxas do vírus em mim. No SUS fui obrigado a marcar meu primeiro exame completo de CD4 apenas para final de novembro onde o resultado e a consulta com algum infectologista não ocorrera antes de janeiro. Ou seja…
    Mas, vim comentar Porque por incrível que pareça, minha maior preocupação imediata não é adoecer de fato ainda, por que acho que ainda não ponderei totalmente a gravidade do vírus em mim. Mas minha maior preocupação que tem me tirado o sono, é como assumir para mim mesmo e pro mundo, ou aceitar, minha nova identidade politica e social. Ano passado finalmente comecei a entender a importância social e politica de me aceitar, me empoderar e me assumir- a mim primeiro – e pro mundo minhas identidades. Minha identidade sexual, quanto gay que sou. Minha identidade Étnica, quanto negro que sou. Ate mesmo minha identidade econômica, quanto pobre que sou. Pois tudo isso me deixa num nicho de minorias sociais que interferem na minha visão de mundo e em como o mundo me vê. Afora, o que mais me assusta é como lidar e me assumir soropositivo no mundo, uma vez que to ainda aprendendo a lidar com minhas identidades de negro, gay, pobre e etc… Não sei a resposta ainda, mas o blog e principalmente os comentários tem me feito bem. Me identificar em cada relato faz o peso diminuir um pouco. Obrigado.

    • SAGITARIANO diz

      Cara, levanta a cabeça, siga em frente, não olhe para trás, vc não é a minoria, !! Eu não tenho o vírus mas tenho um namorado que tem!! postei la emcima!! Seja positivo, se de tempo se apegue na sua fé vc vai ver como as coisas devagar vão mudar!!! Força sempre!!!

  79. Mineiro diz

    Estava ensaiando esse texto a mais de um ano.Vou tentar resumir minha historia o mais breve possível.
    Final de 2014 conheci uma pessoa pela internet, ele morava á 900 km de distancia de mim. Na hora não botei fé que fosse dar certo, mas fui conversando com ele sem nenhuma expectativa.
    Ele sempre muito empenhado, me mandava mensagens o tempo todo, me ligava todo dia, se sumisse ele dava sempre um jeito de falar comigo. Achava aquilo um máximo, porque nunca ninguém havia se empenhado tanto por mim.
    Por fim ele me pediu em namoro, eu meio desconfiado aceitei, fiquei tao feliz, era meu primeiro namorado. Então se passaram 3 meses, e ele queria que fosse visitá lo na sua cidade, mas eu disse que esperasse um pouco mais.
    Um dia o senti preocupado, me dizia que iria morrer, eu o questionava, mas não queria me dizer. Passou um tempo naquele mesmo dia a noite, ele me contou o real motivo daquele preocupação, ele desconfiava que tinha HIV. Que suspeitava, pois seu ex namorado o havia infectado com a sífilis. Na hora foi um susto, mas eu sinceramente me preocupei pelo fato dele suspeitar, e não ter ido fazer o teste. No dia seguinte, ele fez o teste e deu positivo. Minha reação na hora foi, agora você vai ser forte e começar o seu tratamento. Ele fez todos procedimentos para o inicio do tratamento, mas a consulta para pegar os remédios seria no mês seguinte.
    Continuamos conversando normalmente, na mesma frequência, todo tempo, toda hora. Nos tornamos um dependente do outro. Nesse momento que passamos de namorados para “amigos”, apesar de conversamos todo tempo, não tínhamos outros assuntos a não ser o HIV, e eu não percebi.
    Ele queria que fosse até a cidade dele, para acompanhar na primeira consulta dele, ele disse que se sentiria forte comigo do lado dele. Eu relutei um pouco, mas acabei aceitando ir. Um dia ele chegou para mim pelo face e me pediu em casamento, eu estava louco para aceitar, mas não podia até que nos conhecêssemos e até que ele cuidasse da sua saúde. Ele ficou triste mas me entendeu. Mas sempre falava de casamento, da nossa casa e do quanto me amava. E eu já o amava tanto, mas tanto, que nem pensava na possibilidade de ficar sem ele.
    Então no mês seguinte peguei um ônibus e fui ao encontro dele. Foram 15 hora de ônibus ate chegar na cidade dele. Quando cheguei senti que jamais voltaria para minha cidade novamente, mesmo minha família “não sabendo que eu era gay”, iria me assumir e viver aquele amor.
    No mesmo dia tivemos relacoes, na segunda vez quando ia penetra lo a camisinha estourou logo no inicio, e sinceramente não me preocupei, ele ficou preocupado, segurei na mão dele e disse tudo bem.
    No mesmo dia fomos na igreja evangélica que ele tinha acabado de começar a frequentar. E lá tinha um “amigo” dele. Eu estranhei pois esse “amigo” estava flertando com ele, e ele o correspondia, mas continuei na minha, e esse “amigo” me tratava como se não estivesse ali.
    No dia seguinte haveria um culto na mesma igreja, então fomos a esse culto. Quando chegamos ao culto, que descobrir que seria um culto de batismo na igreja, fiquei surpreso, mas continuei na minha, pra minha maior surpresa ele se levantou e foi batizar, mas tudo bem, acredito que a fé pode mover montanhas.
    Voltamos do culto e conversando com ele, questionei um presente que ele tinha em seu quarto, ele me explicou que esse “amigo” que o havia dado, o questionei se esse amigo era o mesmo que uma vez havia me dito que era apaixonado por ele, só que não o correspondia e nem tinha contato com ele, ele sem saída, confirmou o que suspeitei. Naquela hora já me senti enganado, pois o que sempre deixei claro, que pra mim a coisa mortal desse mundo era a mentira.
    Depois disso ele mudou completamente comigo, não podia beija lo e nem transar com ele, pois segundo ele havia acabado de batizar na igreja.
    Sinceramente minha vontade era de voltar para casa, mas mesmo assim preferi continuar e tentar novamente. Pra minha surpresa esse “amigo” ligava todos os dias e toda hora para ele, e eu simplesmente era ignorado. A partir daí só houve brigas e mais brigas sempre pelo mesmo motivo, me sentia tao enganado, mas tao enganado. Um dia ele resolveu terminar comigo, a justificativa foi a mais inexplicável do mundo, eu fiquei arrasado, e minha vontade de ir embora foi mais forte ainda. Numa discussão ele disse entre linhas que namorou comigo porque achou que ia morrer, aquilo foi como se um facão atravessasse meu coração. Então decidi voltar para minha casa. Voltei com meus sonhos destruídos, sem esperança, sem rumo. Depois de um tempo “descobri” que esse “amigo” supostamente tinha um relacionamento com ele. Sofri demais, achei que fosse morrer, tentava achar motivos para me culpar, achar meus erros, fiquei assim por meses. Bom não digo que sou perfeito, porque ninguém é. Pior seria alguém ficar comigo sem gostar de mim.
    Hoje não conversamos como antes, ele se afastou e eu fui juntando os meus cacos aos poucos, fui aprendendo a viver sem ele. Mas aprendi muito com tudo isso.
    Hoje posso falar que não sinto magoa nenhuma dele, e nem procuro motivos para julga lo, pois realmente é uma barra e o inicio da descoberta desesperador. Torço por ele, que ele encontre alguém que o faça ter uma felicidade completa.
    Mas acho que devemos sempre ser honestos e sinceros. Se hoje em dia tiver que passar por algo semelhante, e namorar alguém soropositivo, namoraria novamente, se for pra ser amigo, seria amigo sim, porque descobri que a felicidade está dentro de você, antes achava que pra ser feliz dependia de alguém.
    Então você que é soropositivo, se achar alguém que te de segurança, que você ame, e que te ame também, e que principalmente aceite suas condições se entregue sem medo. Mas se você encontrar alguém que não preencha suas necessidades, sonhos e expectativas, você não precisa disso, você não precisa passar por isso, ninguém precisa passar por isso.
    Se ame e queira sempre o melhor para sua vida, queira muito, não aceite pouco. E assim vamos levando.
    Quero parabenizar ao blog Diário de um Jovem Soropositivo, pois faz um ótimo trabalho de incentivo e informação as pessoas. Lia muito para ajudar meu ex, e continuo sempre acessando.
    Beijos e Abraços…

  80. Binho diz

    Boa noite a todos,

    É difícil falar sobre HIV, pra mim em alguns momentos. Descobrir que tinha HIV devido uma outra doença que tive nos olhos, no qual tive que fazer um tratamento para os olhos para não ficar cego.
    Quando descobri eu me desabei, e mesmo assim contei para meus pais e irmãos. Mas eu não tinha chão, só sentia um vazio em mim, por conta disso eu me afastei de todos meus amigos e familiares.
    Comecei fazendo um tratamento que dava muito diarréia, mais um motivo para eu deixar de sair, visitar parentes e/ou festa em família, eu era o primeiro a chegar e o primeiro a ir embora.
    Eu já estava totalmente desgostoso da vida.
    Depois de 1 ano comecei a namorar, mas não tinha relações com ela, até que fomos ficar sozinho e ela começou a questionar, “O que tanto você quer me falar e não fala, você não me toca mas não deixa de ser carinhoso”. Foi então que tomei coragem de falar que tinha HIV e que por conta disso eu não tenho coragem de toca-la.
    Para minha surpresa ela não me ignorou, e conversamos bastante sobre. Tivemos um relacionamento por mais dois anos, mas devido o meu sofrimento interno que parece que não cura eu achei melhor não impacar a vida dela.
    É difícil pra mim ter contatos manter amizades por não querer que alguém saiba. Mas nunca vou relacionar com alguém sem que ela saiba.
    Eu não quero fazer o que fizeram comigo, não se deve repassar o que não faz o bem.
    E por conta disso eu me sinto um inútil. Não sei usar camisinha e sempre que tento eu não tenho ereções, já namorei com outras mulheres maravilhosas, simples e educadas, e aceitaram estar comigo e não tem HIV.
    Desculpem pelo desabafo, mas hoje minha vida está para o trabalho até que alguém me entenda e melhor, que me mostre o outro lado da vida que não tenho forças para caminhar só.
    Tem muitas coisas que gostaria de falar mas eu não consigo nem falar para eu mesmo.

    Um excelente natal a todos e um próspero ano novo, cheio de esperanças e sucesso.

    • Efraim emaki diz

      Cara não pense assim…. bola pra frente seja feliz. Não deixe o vírus atrapalha a sua vida mostre para o virus vc tem um grande Deus nada irá te atrapalha. #paranunca #avancasempre #recuarjamais

      Eu tb fiquei morto vivo. Esquecido pelos amigos e familiares ao saber do virus, minha mãe me mandou embora ha 2 anos. Não sei o q Natal e reveillon. 1 ano conheci uma moca tem 0% ao preconceito. fiquei um pouco melhor. tive coragem corre atras dos meus objetivos na juntica pra ver minhas criancas. Ate pra ver eles bloquearam. estou hj 0% indectavel. Cd4 760

    • Rosiene França diz

      Me adiciona no whatssap 22998038384. Preciso conversar com alguém na mesma situação. 😦

  81. Binho diz

    Efraim muito obrigado pelo apoio. Tenho fé em Deus que tudo vai melhorar só preciso de mais confiança e segurança.
    Mais uma vez muito obrigado.

  82. Michele diz

    Olá…
    Me chamo Michele e moro no sul do país, descobri q sou soro + a mais ou menos 8 anos, mas pelos meus cálculos e lembranças devo ter contraído o vírus aos meus 18 anos!
    Hj tenho 32 anos, me trato a dois anos, quando realmente me aceitei soro +, pois fui fazer meus exames q a anos não fazia e vi q minha carga viral estava quase me matando sem eu ter sintomas, em três meses com retroviral, alimentão saudável, exercício e muita fé, estava com vírus indetectável!

    Já fui casada duas vezes, meu primeiro marido estava comigo quando descobri minha doença, automático ele tbm se contaminou, só q ele escolheu não lutar e hj não está muito bm!
    O segundo lutou por viver, e segue uma vida mega normal, não ficamos juntos depois de relacionamento de três anos, mas ele está com uma pessoa que sabe q ele é soro + e o aceitou vencendo todas as barreiras!

    Resumindo, vivo uma vida mega normal perante a sociedade, somente os mais próximos da minha família sabem q sou portadora do vírus, isso dificulta com q eu me relacione com outros homens, pois eles nem sonham e muitos nem aceitariam por preconceito e não conhecerem a doença!

    A 4 anos Deus colocou na minha vida uma amiga q me deu uma afilhada, e a um ano descobri q a criança nasceu soro +, lutei com todas minhas forças e hj ela tbm está com o vírus indetectável, claro q nada disso é coincidência!

    A um mês atrás estou procurando sites e blogs na internet sobre hiv para q eu possa ajudar algumas pessoas de alguma forma, lendo minha história e vendo q o fim da linha não é quando recebemos o diagnóstico de soro + muitas vezes dado por maus profissionais, (como foi meu caso) sem capacidade nenhuma de dar o diagnóstico, pois se dependesse da residente q me passou a informação q eu era soro + na época eu já teria comedido suicidio na mesma hora, pois fui apenas fazer uns exames de rotina, mas nesse hospital pelo fato de ser referencia em atendimentos femininos eles pedem hiv junto!

    Deixo meu e-mail para conversar e se souberem de algum local onde posso fazer trabalhos voluntários para poder auxiliar pessoas soro + agradeço!

    Gauchasouza31@outlook.com

  83. Gre diz

    Me chamo Greg tenho 22 anos. E a mais o menos onze meses descobrir que sou soro positivo. Sou homem tive minha primeira relação sexual com um homem. Nessa relação fui contaminado pelo vírus. Confesso que eu não tinha conhecimento sobre o HIV. Hoje vivo com medo, sem saber se amanhã vou está vivo. Minha família não sabe da minha sorologia. Tenho medo, vergonha de contar a eles. Nunca tinha ido a um hospital sozinho. Sempre quando doente ia com minha mãe. Hoje em dia tenho que me vira sozinho. Já faço uso da medicação. Mas ainda não me acostumei com a medicação. Queira uma pessoa com que eu pôde-se conversa a respeito. Vivo uma vida vazia sem saber se amanhã estarei vivo.

  84. Sorte diz

    Tenho 16 anos e me descobri soropositivo por volta de 5 meses atrás, desde então estou me sentindo consumido pelo fardo da culpa, do auto preconceito e da indignação com a vida, estou muito deprimido e solitário (não contei e não pretendo contar a ninguém sobre minha sorologia) por isso meu infecto me pediu para que eu fizesse acompanhamento com psiquiatra ou psicologo, mas tenho tantas preocupações cotianas (sou estudante e estagiário) que me gastam o tempo e de certo modo até me fazem bem por manter a mente ocupada, porém devido a minha adesão ao tratamento com os anti retrovirais juntamente com meu quadro psicológico instável estou sentindo que a situação que desde então venho tentado manter apenas no meu controle está me fazendo muito mal, muito mal mesmo. São tantas questões não resolvidas na minha vida (sim, eu me apaixonei) que me fez seguir o conselho do meu infecto. Nessa semana vou marcar minha consulta com o psiquiatra e pra ser sincero apenas quero diluir um pouco desse fardo que estou carregando e acumulando.

    Lhes desejo sorte!

  85. Olá pessoal tenho 22 anos moro em São Paulo e mais ou menos 3 meses descobri que sou soro positivo, iniciei com a medicação e graças a Deus até o momento não sinto nenhum efeito colateral. Estou aqui para desabafar e me comunicar com pessoas que vivam a mesma situação que a minha, não tenho com quem conversa abertamente sobre isso, me sinto solitário e desanimado com a vida. Ainda não dilui toda essa situação, situação a qual vou superar. Vários relatos e histórias de vidas aqui nesse blog, pessoas que vivem bem. Aguardo!!

  86. Amiga diz

    Olá pessoal, li tantos e tantos relatos, alguns tristes e outros mais leves. Mas acredito que ninguém aqui está sozinho. Eu vim aqui buscar conhecimento para poder ajudar um grande amigo meu, que há alguns dias soube da sua sorologia positiva. Confesso q mal dormi à noite com a notícia, mas já q aconteceu, vamos encarar essa barra juntos, nunca vou abandoná-lo por isso. Ele contou pra poucas pessoas, as quais ele confia e pode contar totalmente com nosso apoio. Encontrar esse blog foi uma luz, e acredito q será muito bom pra ele se inteirar e se esclarecer. O que estiver ao meu alcance eu vou fazer por ele.
    Desde já, agradeço por todos os posts, tão válidos pra quem ainda está na sombra da ignorância, como eu.
    Espero que todos que aqui escreveram estejam se sentindo cada dia melhores.
    Um beijo! Fiquem com Deus.

  87. VG diz

    Boa noite caros!
    Mediante a mesma situação na qual eu me encontro com vocês, posso dizer que hoje me sinto mais leve. Descobri o HIV há três anos atrás, quando descobri eu era casado, meu companheiro também fez todos os exames e não foi diagnosticado com o HIV. Mesmo assim, ele continuou comigo, vivemos por mais dois anos juntos, só que infelizmente não deu certo, mas não acabou pela doença e sim, pelos problemas diários. Talvez seja minha culpa a separação, pois passei a ter medo de me entregar a ele, mas hoje temos uma amizade incrível e, ele sempre está presente sobre minha saúde. Hoje atualmente moro em Curitiba, mas me sinto uma pessoa muito só, vivo a base de depressivos e Psicoterapias. Decidi estar de agora em diante perto da minha família, estou de mudança para uma cidade pequena, com menos de 100 mil/h. Não sei como será minha vida lá vivendo com o HIV, só sei que preciso estar do lado de pessoas que me amam, penso em ainda encontrar alguém para minha vida, mas dizer sobre, ainda não é fácil pra mim. Mas com tudo, pude aprender uma coisa, valorizar minha vida, cuidar melhor dela, arrumei minha alimentação, passei a praticar esportes e dar mais atenção a música, um dom que sempre tive mas que havia enterrado ele, logo após a descoberta ressuscitei isso, que me faz muito bem.
    Não sejamos infeliz por isso, existem pessoas em situações muito piores, graças a Deus temos medicações, na qual nos da uma qualidade de vida bem melhor. É bom poder compartilhar essa história com vocês, ainda não consegui ler todos os depoimentos, mas prometo entender melhor a história de cada um. Que Deus abençoe e cuide de todos nós. Abraços.

  88. Joker diz

    Meu ex-namorado saia com outros caras e me passou HIV. Descobri em um exame de rotina e nunca cheguei a ficar doente. Embora minha carga viral sempre tenha sido indetectável, já tentei me matar duas vezes mas sempre encontraram meu corpo antes de eu passar pro outro lado. Acho que vaso ruim não assim quebra tão fácil. De uma hora pra outra toda minha confiança sumiu, engordei, fiquei careca por conta do estresse e cheguei a perder a capacidade de ler. Já fazem 5 anos mas pra mim é como se eu tivesse recebido o resultado ontem. O tempo parou só pra mim mas não pro espelho. De um ano pra cá eu resolvi voltar a estudar, comecei uma outra faculdade e perdi peso. Conhecer pessoas novas me faz bem. Ainda não fiz sexo depois de descobrir minha soropositividade. Porém por esses dias conheci alguém que me trata tão bem e que me faz perder o chão. Conhecê-lo me tirou do inferno que vivo a 5 anos e estou morrendo de medo da hora de contar, sei que essa hora vai chegar. E por mais que eu tente mandar pra cabeça que eu tô preparado pra pior resposta, sei que não tô preparado pra ela. Dói. Eu não sei o que fazer.

    • cogitei a tarde toda em me matar… mas eu tenho uma pessoa que eu amo demais. E eu sei que sofretei e farei ele sofrer 😦

  89. lupy diz

    Ola bruxa e Camilo, sou universitária de enfermagem e ando desesperada, atormentada e apesar de amar a enfermagem por medo do preconceito, estou pensando em me afastar do meu sonho, aqui na minha cidade os hospitais pedem exames de hiv, tenho medo de ser rejeitada e nunca conseguir emprego, alcancei o indetectavel, porém não tenho paz. Estou depressiva e muito triste, preciso de uma amiga para conversar. Se possível deixe um email, quero entrar em contato . Preciso muito dá ajuda de vcs.
    Abraços.

    • imaki diz

      lu… fica na paz… entregue tudo na maos do papai do ceu… e viva o seu melhor
      infelizmente muitas pessoas tem preconceito exclusive minha familia.. mandou embora, ha 3 anos
      hj.. cada dia q vivo. .. agradeco a Deus.. por mais uma oportunidade……
      meu email.. sou de sp///// somentefra@hotmail.com

    • Descobri nesta tarde, e eu faço curso biomedicina. Como será? e eu pensei nisso hoje a tarde na hora de conseguir emprego no laboratorio 😦 meu email é lc101905@gmail.com.

  90. Ygor diz

    Boa tarde, me chamo “Y”, bom acabei de sair de um relacionamento, sou homosexual tinha um namorado. Durante o nosso relacionamento vim descobrindo coisas dele.
    Traição.
    Dai com o tempo o nosso relacionamento ficou desgastante. No ato sexual não usávamos preservativo porque confiava nele, dai com o término resolvi fazer os exames e um desses exames pedi o de HIV, por minha surpresa deu Positivo. Fiquei sem chão conversei com o médico e hoje procurei um Infectologista, para saber mas a respeito da carga viral.
    Ainda não contei para o meu Ex.
    E nem para a minha família.

  91. Y, imagino como deve estar difícil. Mas divida esse fardo com sua família. Vc não precisa suportar isso sozinho. Tudo vai se ajeitar. Vou rezar por vc. Se cuida, e principalmente cuide dá sua mente.

  92. Me chamo L. Descobri hoje atraves de uma doacao de sangue, fui ao trabalho e nao consegui parar de chorar. Fui ao hospital e estava confirmado. Fiquei perambulando sem rumo a tarde toda, e nesse momento que vos falo estou sem reação. Me sinto no ultimo dia de alguma coisa, fiz o exame viral. O olhar da medica me confirmando, os medicos olhando o meu exame… isso acabou comigo, e estou esperando o meu marido chegar para contar ou tentar, dizer a ele. Sei que nao terei forças, a culpa não é dele…e nem minha. Sofri um abuso no passado e desde então é um fantasma em minha vida. Aos 22 anos descobri algo que ha anos me atormentava, estou com a faca e o queijo na mão. Sei que sera dificil, cogitei nesta tarde inumeras vezes me jogar na frente de um carro, de um caminhao para livrar essa dor. Mas algo me diz que farei mais pessoas sofrerem.. ainda nao sei o que fazer.

    • D_Pr diz

      Escrevi para você L.

      Por favor veja seu email e respire fundo, toda essa dor vai passar. Esse espaço é pra isso, ajudarmos uns aos outros e seguirmos a vida com nossos sonhos, carreira e tudo normal como qualquer outra pessoa.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s