Artigos
Comentários 115

Brasil Post

Aceitei o convite. Sou agora um dos blogueiros do Brasil Post, uma associação do Huffington Post com a Editora Abril. No primeiro post que publico neste novo espaço, conto da minha trajetória até aqui. Nada que você, leitor do blog, já não conheça. Apenas julguei apropriado me apresentar por lá, a um novo público com novos leitores.

Brasil Post

No dia 18 de outubro de 2010, por volta das 9 horas da manhã, descobri que sou soropositivo. Faz, portanto, pouco mais de três anos que convivo conscientemente com o vírus da aids, o HIV.

O meu diagnóstico se deu acidentalmente, no primeiro check up de rotina que fiz em minha vida, aos 26 anos de idade. Sim, foi inesperado e foi um susto. A primeira coisa que pensei foi que iria morrer. Essa foi, aliás, uma das perguntas que logo fiz ao médico infectologista que visitei, um dia após do diagnóstico, ainda devastado emocionalmente e depois de uma noite sem dormir.

“— Morre, doutor?”

“— Não, hoje não morre mais.”

Depois de me examinar, procurando por nódulos na garganta, axilas e atrás dos joelhos, o doutor me explicou que eu faria alguns exames. Disse também que, de acordo com os resultados destes, eu começaria um tratamento que deveria aderir diariamente, até o fim de minha vida ou até que descubram a cura. Me garantiu que minha situação de saúde não era alarmante e que, apesar de considerada uma “doença grave” o HIV não é, já há algum tempo, considerado mais como uma “doença letal”.

Ele não perguntou detalhes sobre a origem da minha infecção. Aliás, nunca médico algum fez esta pergunta. Mas, embora isto seja irrelevante do ponto de vista médico, com o tempo compreendi que esta é uma questão que suscita, sim, bastante curiosidade do público leigo. Por alguma razão, uma das primeiras perguntas que um soronegativo ou um indivíduo de sorologia desconhecida isto é, aquele ou aquela que nunca fez o teste de HIV é exatamente esta: como você pegou HIV?

Ouvi essa pergunta de três mulheres com quem saí depois de receber o meu diagnóstico. Por opção minha, e contrariando a sugestão de meu infectologista, eu preferi contar sobre a minha condição sorológica antes de qualquer relação sexual com elas. Como consequência, percebi que acabei criando certa subversão do status quo dos relacionamentos atuais. Afinal, no mundo de hoje, onde o sexo não mais é consequência da intimidade mas parte do processo de criação desta, não é simples encontrar os meios de revelar algo que, no fundo, é nada mais que algo importante e pessoal.

Como contar sem criar medo e pânico? Qual o momento certo? Quem são as pessoas certas e dispostas a ouvir tal revelação? Estas são as perguntas que rondam a mente de todo o soropositivo e soropositiva que pretende contar antecipadamente sobre sua condição sorológica a qualquer parceiro. No pensar demais sobre elas, algumas mulheres sentiram-se enroladas e rejeitadas e distanciaram-se de mim, o parceiro lento em avançar para o sexo. Percebi, então, que esta não era uma equação tão simples. A única solução, ao que me parece, é ser claro e direto, fazendo transpassar em minha fala a mesma tranquilidade que passei a ter com o vírus: com os devidos cuidados, ele não é nada demais nem contra mim e nem contra com quem faço sexo.

Com isso, levantei os pontos mais importantes a serem incluídos nos mesmo discurso da assustadora revelação, que é afinal dizer “eu tenho HIV”. Assim, às três mulheres com quem saí desde que fiquei solteiro, adiantei que bastaria usarmos camisinha para que a relação fosse completamente segura. Questionado sobre os riscos e o que fazer caso a camisinha estourasse, expliquei que minha carga viral isto é, a quantidade de vírus circulante no sangue é indetectável há exatos dois anos e onze meses e que não tenho qualquer outra doença sexualmente transmissível.

Nessas condições, conforme esclarecido pelo estudo HPTN 052, que analisou diversos casais sorodiscordantes, o risco de transmissão do HIV sem o uso de preservativo é reduzido em 96%. Logo, incluindo-se nessa conta o uso do preservativo, que possui estimada eficácia de 99%, a chance de transmissão do vírus é, digamos, quase a mesma de ser atingido por um cometa. A partir deste importante estudo, aliás, conclui-se também que transar com um indivíduo de sorologia positiva para o HIV desde que este esteja em tratamento, com carga viral indetectável há mais de 6 meses e sem nenhuma outra DST é mais seguro do que transar com um indivíduo de sorologia desconhecida. A razão disso é muito simples e lógica. Um indivíduo de sorologia desconhecida é, potencialmente, um portador não-tratado de HIV ou outra DST. Sem tratamento, sua carga viral pode ser alta, especialmente em casos de infecção recente, o que é, sabidamente, o estado mais crítico e arriscado para a transmissão do vírus.

Feito este discurso, duas das três mulheres escolheram em prosseguir com o relacionamento. Uma delas, o fez apenas após confirmar as informações com um médico. A outra, talvez por não ter feito isso, sentiu-se amedrontada e, depois da relação sexual, repetiu três vezes o teste de HIV todos negativos.

Minha ex-namorada, com quem, sem saber que estava infectado pelo vírus, transei diversas vezes ao longo de três anos sem preservativo, também não foi contaminada pelo HIV. Um milagre, sem dúvida alguma. Mas eu sou daqueles que acredita que milagres também têm explicação científica: aprendi depois que, uma vez que minha carga viral era naturalmente baixa, as chances de transmissão também eram baixas. Além disso, por ser descendente direta de europeus nórdicos, é bastante possível que ela seja naturalmente imune ao vírus, graças à mutação CCR5 Delta 32, que não confere às células CD4 do sistema imunológico o principal conector que o vírus usa para estabelecer a infecção.

De tão eficaz, um transplante de medula óssea a partir de um doador com esta mesma mutação a um paciente soropositivo que sofria de leucemia lhe conferiu, até o que se afere até o momento, a condição de primeiro curado do HIV no mundo. Timothy Ray Brown, também conhecido com “o Paciente de Berlim”, não faz mais uso de medicamentos antirretrovirais e não apresenta mais traços de infecção pelo vírus. A cura de Timothy foi reconhecida pela comunidade científica como “cura esterilizante”, isto é, ela eliminou a presença do vírus de seu organismo.

Outros 16 pacientes no mundo também são considerados curados. Quatorze soropositivos que participaram do estudo francês intitulado Coorte VISCONTI, uma bebê do estado americano do Mississippi, cuja mãe não sabia ser soropositiva, e um indivíduo alemão de 67 anos de idade são considerados pacientes “em remissão” ou “curados funcionalmente”, isto é, possuem o vírus, mas em quantidade tão insignificante que este não consegue estabelecer uma infecção propriamente dita.

Esses casos são importantes porque, além de oferecer uma compreensão sobre os avanços no tratamento e na pesquisa da cura do HIV, fazem-nos lembrar da eficácia significativa da profilaxia. A bebê do Mississippi, por exemplo, foi tratada com antirretrovirais imediatamente após seu nascimento, mesmo antes que se identificasse seu status sorológico. Este procedimento é similar ao que, no Brasil, é oferecido pela rede pública a todos aqueles que passam por uma clara situação de risco chamado de profilaxia pós-exposição. Se administrada em até 72 horas da possível exposição ao vírus e mantida pelo paciente seguindo as corretas orientações médicas ao longo das semanas seguintes, ela pode prevenir completamente a infecção do HIV. Graças à grande eficácia dos antirretrovirais, também discute-se hoje o uso da profilaxia pré exposição, isto é, o uso destes medicamentos para situações de conhecida ou premeditada exposição ao risco, como, por exemplo, no caso de casais sorodiscordantes que querem ter filhos, mas não têm obtido sucesso ou não possuem recursos para a inseminação artificial ou, nos casos em que o parceiro soropositivo é o homem, a inseminação artificial com lavagem de sêmen.

Noutras palavras, a ciência e a medicina já oferecem condições plenamente seguras para que todos convivam bem o HIV. Temer o vírus é natural, mas não é preciso temer quem o porta. Enquanto soropositivos devem se tratar, todos devemos sempre nos prevenir. Por sua vez, aqueles que não sabem qual é exatamente sua condição sorológica devem procurar sabê-la, em prol de sua própria saúde e do controle da epidemia no mundo.

É preciso ter em mente que basta usar a camisinha para se proteger e que a falha, a qual bem sei que é tão humana, virá. Nessas condições, lembre-se da profilaxia e não exponha parceiros e parceiras ao risco até ter ciência de seu estado de saúde. No caso de um eventual diagnóstico positivo você certamente vai chorar e sentir medo, claro. Mas, com o tempo, garanto, perceberá que este vírus não muda tanta coisa em sua vida nada além da necessidade de cuidar da saúde, tomar as medicações todos os dias e fazer os exames de controle a cada três ou quatro meses. E, quando resolver contar a parceiros e parceiras sobre sua condição sorológica, ouvirá, assim como eu ouço “como você pegou HIV?” A resposta, pura e simples, é apenas: transei sem camisinha.

image_1393626039

Anúncios

115 comentários

  1. JS, quanto a origem nórdica da sua ex-namorada , explique pra nós o que isso interfere na probabilidade de uma possivel infecção??Abraço!!

      • Cris.. diz

        Com todo respeito que tenho ao jovem, mas por ter vivido uma mesma situação de ter mantido relações com meu parceiro sem ainda saber da minha condição de soropositiva. Após o início da descoberta e tratamento, me vi no desespero de pesquisar o maximo possível.. E durante minhas consultas com minha infecto, eu questionei o fato de não ter transmitido ao meu parceiro, pois fizemos uns 5 exames e ainda bem todos negativos e sem explicação, pois minha carga viral estava nas alturas então eu perguntei se ele seria um portador da mutação, então minha médica me disse, que ainda que ele fosse portador da mutação, os exames da pessoa com certeza dariam positivo para HIV, porém a carga viral seria indetectavel, pois os virus teriam morrido devido não ter onde se instalar… Então é fato que quando nosso organismo entra em contato com um vírus, criamos uma defesa contra o mesmo e por mais que o tal não se desenvolva, mas pela sabedoria do nosso organismo ele produz anticorpos que ficam registrado em nós. Então baseado na explicação da infecto certamente os mesmos não entraram em contato com virus com certeza…

        • Cris,

          Sim, podemos especular que eles jamais tenham sido expostos ao vírus. Entretanto, é preciso considerar também que o organismo leva até 30 dias para criar uma resposta imune que positive os exames e que o próprio Timothy Brown hoje está negativando seus exames, que por muito tempo deram positivo.

  2. Victória diz

    Olá JS!!!
    Meus parabéns pela conquista!!!
    *Congratulations*
    Eu já tinha lido sua história aqui, mas, como adoro seus textos, fiz questão de ler tudo novamente, e pode ter certeza, passou um filme na minha cabeça. Enfim, graças a Deus e a ciência, somos sobreviventes!!!!!
    Bom, aproveitando o espaço aqui, quero desejar-lhe um ano maravilhoso, com muitas alegrias e claro, conquistas, muita saúde, amor, paz, e fé! Para vc caro amigo, JS e todos os leitores do blog!!! Que em 2014 cada um possa realizar seus sonhos!!!!
    AHHH JS !!!! Estou hiper, mega feliz!
    Voltei de viagem, (EUA) e foi esse o motivo, essa viagem, que na época, me trouxe até você!! Medos e tal!!!
    Tudo certo amigo! Voltei apaixonada pelos Estados Unidos, só penso em voltar, estou naquele “mundo da lua” sabe, sofrendo a tal crise de abstinência da viagem, rsrs.
    Foi tudo lindo, tudo maravilhoso, foi um presente de Deus em minha vida, poder fazer essa viagem ao lado do meu filho, essa será mais uma história, um momento que está guardado para sempre aqui dentro do meu coração!
    Voltei a ser criança por alguns dias…tudo é possível nessa vida, quando se tem coragem, pra mim, fazer essa viagem, significou muito, foi uma resposta sabe, “Estou bem, estou viva, consegui, eu fui lá, e venci!!!! ”
    Bom, não quero ocupar muito espaço aqui, mas, deixa eu falar a parte importante, que talvez, sirva para alguém!!
    REMÉDIOSxBAGAGEMxVIAGEM
    Segui as orientações da minha médica, levei dois frascos, pois tomo dois tipos de remedios, cada tipo no seu frasco original ; juntei os dois e enrolei a receita com ajuda de um elástico, e seguindo as normas de transporte de remédios , coloquei dentro de um saquinho plástico transparente, com zip , e , despachei na mala, na parte interna da mesma, dentro do bolso, juntamente com meus outros pertences…etc.
    Os outros remédios, que não precisam de receita, levei todos na mala de bordo, e pode acreditar, leve todo tipo de remedio, (para infecções em geral, (garganta/urina) dor de cabeça. enjoo, dor de garganta, dor de estomago, azia, dor de barriga, ) A minha médica, me fez um kit, e me ajudou muitoo. Eu precisei tomar o antibiotico, pois tive uma dor de garganta muito chata, que, graças ao remedio não evoluiu para febre e tudo mais, depois de uns quatro dias já estava ótima, tomei a dose por 10 dias, conforme prescrição da dra.
    Bom, chegando lá, aquele medo, emoção, e tantos outros sentimentos, fila na imigração, cansaço, enfim, chegou nossa vez, tudo certo, e o som dos carimbos!!! Respirei fundo, sem dar pistas claro, do meu nervosismo, estava eu alí feliz demais, aliviada, e logo adiante, nossas malas, acomodamos nos carrinhos, e fizemos o trajeto, seguindo a placa “EXIT” e avistei “Welcome to United States of America” É isso aí, esse foi o começo da nossa grande aventura,.
    No hotel, abri minha mala, não tenho 100% de certeza, mas 99% que eles não mexeram nas minhas coisas!
    Bom , é isso! Foi uma linda viagem!
    Abraços à todos!
    JS suas dicas aqui, me ajudaram bastante, muito obrigada por tudo, amigo.
    😉

  3. LRGod diz

    JS, tbm já tinha lido, e assim como a Victoria li e me emocionei mais uma vez!

    Tbm corri o mesmo risco de infectar o meu parceiro sem ter conhecimento da minha sorologia, que graças a Deus não ocorreu. Mas essa é uma história no próximo capitulo 🙂

    Victória, acho que deve se juntar ao JS, pois escreve muito bem tbm!

    Bjs para todos

  4. DoBemDF diz

    JS e seu impressionante poder de sintese….tres anos em UM POST! Bom demais…. 🙂

  5. Nando diz

    JS, Parabéns pelo Blog.. Você realmente é um guerreiro..
    Continue sempre a postar, pois é de grande ajuda a muitos ok?? Quanto a mim amigos, preciso urgente de ajuda… Preciso de conselhos afim de não tomar atitudes precipitadas…
    Tentarei resumir meu dilema…
    A exatamente 5 anos atrás, conheci uma pessoa…
    Namoramos e decidimos ficar juntos.. No entanto, durante 4 anos lutei pela nossa felicidade, pois cheguei a ser traído e isso gerou uma forte contenda.. No entanto acreditei que ele realmente poderia mudar, e dei nova oportunidade a ele…
    Regras postas, a após várias brigas chegamos a nos separar.. Pois Ele me disse que estava com outra pessoa, e ainda confessou ser portador do vírus hiv…
    Só que me escondeu ser soropositivo a exatos 4 anos…
    Neste dia fui abandonado, e meu amor, ou pelo menos acreditava que assim era, foi ficar com outra pessoa…
    Passado 4 meses, eis que retorna..
    Magro… Abatido… Com uma infecção, Febre alta…
    Resolvi cuidar dele.. E Foi extremamente difícil p/ mim e p/ ele…
    Quando nos separamos, em maio de 2013, tive de fazer exames anti hiv… Resultado: Negativo após várias exposições ao vírus em alto risco, pois não sabia…
    Nem acreditei…
    Atualmente conversei com ele e exigi algumas regras no relacionamento.. Ele me prometeu mudar..
    Acontece, que é difícil negociar com ele o uso do preservativo, pois alega que não é a mesma sensação…
    Repudio isso.. E Novamente Brigas…
    Agora aceitou, pois fui ao CTA onde ele faz tratamento, e conversei com o médico dele…
    Novamente Broncas, mas desta vez foi o médico que deu esporro nele…
    Bem.. Tive de fazer novamente os exames, pois várias vezes o preservativo rompeu…
    Tive erupçõs semelhantes a manifestação da fase aguda do hiv…
    Esperei 2 meses e novamente o Resultado deu negativo…
    O Cd4 dele estava em pouco mais de 200 em maio do ano passado.. E agora subiu p/ mas de 600.. Carga Viral indetectável…
    O aconselhamento que tive, foi p/ usar muito lubrificante, quando não conseguir negociar o uso do preservativo, e também devio a ele fazer uso de Biovir e Efavirenz sem falhar o tratamento… Desta forma segundo o aconselhamento, diminui muito o risco de contágio… Lá no CTA me foi dito ontem…
    Acontece que penso em me separar definitivamente dele, pois ando muito inseguro, e devido ao fato de não ter pego até o momento a infecção…
    Gosto , amo.. Mas assim desta forma, como posso dar continuidade???
    Pois ele não gosta do uso de camisinha, e sendo assim quais são as chances de eu adquirir a doença, mesmo com sua carga viral indetectável??
    Pois penso assim: Se realmente ele me amasse, estaria preocupado em me proteger.. Mas vez ou outra me diz que se eu não o agradar, vai voltar ao mundo e morrer fazendo sexo pois ao menos ele morreria feliz.. É o que me disse..

    Conversei, expliquei, informei ao médico dele.. Mas devo ou não devo me separar definitivamente, ou cuido dele e tentamos ser felizes?
    Minha família ja me aconselhou a separar…
    Mas nossa relação ja dua praticamente 5 anos… E sinto amor de verdade…
    Mas não me sinto seguro completamente, e sempre angustiado

    • LRGod diz

      Nossa, que historiaum heim Nando!!

      Olha, não sei bem o que dizer… mas de algo vc está certo… QUEM AMA CUIDA, PROTEGE, não expõe ao perigo.
      Ficar ou não com ele, não é uma decisão fácil, mas é unica e exclusivamente sua.
      Mas, há um exercício que pode fazer:
      Em uma balança imaginário coloque motivos para que permaneça tentando em um lado da balança e motivos para desistir no outro lado… veja para que lado pende mais… 😦
      Não é nada comodo, mas as vezes a decisão certa nos requer alguns sacrificios.
      Independente da sua escolha, não se fira… seja feliz e estarei aqui caso precise conversar.
      lrgod1@hotmail.com

      • Nando diz

        LRGod.. Agradeço pelo conselho… Infelizmente a balança imaginária facilmente tende para o lado negativo… O que me deixa muito triste.. E sim, se precisar conversar espero contar com esta ajuda.. Desde ja agradeço à todos

    • Junior diz

      Nando, sinceramente, antes de tudo, veja qto de amor existe dentro de vc para com si mesmo. Vc se ama mais do que ele, então, separe; já que ele, parece não se importar com as consequências de vc se contaminar, em virtude de ter apenas um prazer. Será que ama vc mesmo? negando botar a camisinha? Será que só ele quer ter prazer? E vc?

      • Nando diz

        Junior, eu tentei mudar a situação… Fiz de tudo, mas parece que não surte efeito por muito tempo… Eu questionei e perguntei sobre a outra pessoa com quem ele ficou, se a protegeu e se contou a verdade… Também escondeu dela, e disse mais: Se ela fosse contaminada, culparia outra pessoa… Acho que realmente ele não irá mudar.. E sim, ele se importa muito com o próprio prazer.. exijo camisinha, mas logo após tenho que aguentar reclamações…

    • JCS diz

      Nando,

      Independentemente de qualquer coisa, JAMAIS abra mão do preservativo, tanto com ele quanto em relações fortuitas que possa vir a ter. Não negocie uso de preservativo. Torne isso inegociável.

      • Nando diz

        JCS… Ótimo Conselho… Mas tb penso o seguinte:
        Como somos casais sorodiscordantes, não seria melhor incluir o Truvada como prevenção além da camisinha???
        Afinal ocorre algumas vezes o rompimento do preservativo…
        Será que este medicamento será distribuído pelo SUS??

        • Cris diz

          Nando querido, eu acho que o problema consiste em seu parceiro. Não vale a pena lutar por uma relação onde somente vc ama.. Sofrer com chantagens e ainda ver o descaso do seu parceiro é muito delicado. Pense muito mais em vc e não espere contrair o HIV pra começar a fazer isso. Não é o fato dele ter o vírus, é simplesmente pela falta de respeito dele para com vc.. Cuide- se pois, mesmo com todo cuidado que temos conosco, se pudéssemos ter a consciência que temos hj, certamente teríamos o cuidado mais que redobrado para que não estivéssemos na condição de soropositivo…

          • Nando diz

            Cris…
            Vc não tem idéia do que passei e lutei p/ que tudo se resolvesse…
            Pois realmente amei, perdoei, cuidei e tive esperança de uma grande mudança afim de que a felicidade pudesse ser alcançada entre nós…
            Quando ele voltou a mim, estava muito abatido e precisando de ajuda…
            Acolhi, cuidei dia e noite , inclusive ele me disse que não passaria daquela noite, pois a febre e a infecção não passava, mesmo com injeções e remédios…
            O abracei e disse p/ acreditar… Ele chorava e me dizia que queria desistir de viver e de tomar os remédios.. Até o momento em que aos poucos foi se recuperando…
            Foi o resultado da traição,,,
            Foi o que aconteceu 4 meses após ele me abandonar…
            Conversei muito com ele sobre isso.. Ele prometeu mudar, realmente só está comigo atualmente, mas sempre acaba me magoando…
            Eu quero me separar, mas sei que ele não irá se cuidar…
            Agora engordou, o CD4 subiu bastante, mas… Falta o amor por parte dele,,
            Valeu mesmo pelos conselhos Cris,,, Assim que acontecer, comunico aqui e espero uma ajuda ainda que com palavas, pois sei que no começo irei sofrer.. Mas preciso me amar

        • JCS diz

          Nando,

          Qualquer fator de prevenção é bem vindo.

          Quanto ao preservativo, evidente que pode haver rompimento, mas se isso ocorre frequência algo está errado. Eu nunca em toda minha vida tive um preservativo rompido. Por incrível que pareça muitas pessoas não sabem usar preservativo corretamente. Devemos ser cuidadosos ao colocá-lo, para não deixar ar dentro, pois com isso ele pode se romper. Se a ereção for perdida, o preservativo deverá ser trocado. Se a transar envolver mais de duas pessoas, isso também pode ser necessário. E camisinha, como qualquer produto, tem os de pior e melhor qualidade. Prefira os melhores, lubrificados.

          Veja bem, Nando, o HIV não inviabiliza relacionamento. O que pode inviabilizar é a postura das pessoas envolvidas. Pelo seu relato, percebo que você está mexido com essa situação. Muitas vezes o nosso estado emocional nos faz cair numa armadilha e nos leva a vacilar. Fique firme. Não permita que isso aconteça.

          Boa sorte, irmão.

          Abraço!

          • Nando diz

            Obrigado pelo conselho dado JCS…Vou seguir suas instruções sobre o uso do preservativo…
            Como vc disse, “Muitas vezes o nosso estado emocional nos faz cair numa armadilha e nos leva a vacilar” … Realmente aconteceu comigo, mas pedirei forças e Tentarei mudar a situação… Obrigado a todos vcs pelo apoio… Abraços

    • Rodrigo diz

      Olha Nando, realmente é muito complicado opinar quando estamos fora da história. Mas tentando ser o máximo prático – se é que é possível aplicar nas situações relacionadas ao coração… Diria que antes de qualquer coisa, você tem que se amar e se amando é óbvio que você irá tomar todos os cuidados necessários em sua vida, em qualquer que seja a esfera.

      Amar alguém e abrir mão desse alguém é algo realmente complicado, mas percebo que o seu parceiro não se ama, pois ele ao se negar usar o preservativo está colocando você e ele próprio em risco. Em suma, como uma pessoa que se ama e ama o próximo pode fazer isso?! – acho um tanto complicado.

      Não acho que você deva negligenciar o cuidado à ele, principalmente nesse momento em que ele está mais suscetível, mas de verdade, trabalhe tudo isso em você e abra mão desse relacionamento, caso ele não mude. Não acho “saudável” ficar nessa “roleta russa”, uma hora os exames podem não dar negativos e aí?!

      Pense, reflita e tome a decisão que lhe for mais apropriada, pois independentemente de qualquer coisa, a escolha é sua! Cuide-se e boa sorte!

      • Nando diz

        Você tem toda a razão Rodrigo…
        Se todos se amassem, teríamos um mundo bem melhor..
        E chegou a hora de me amar mais…
        Mas se eu não tivesse cuidado dele, ele poderia ter chegado ao óbito…
        Mas ficar nessa “roleta russa”, realmente não dá…
        Sei que ele precisa de ajuda, mas até quando???
        Me ouve por pouco tempo, mas depois fica dando trabalho arriscando minha vida…
        Acho melhor separar, e cuidar mais de mim…
        Ainda estou em janela imunológica… Se pode confiar em um teste rápido com apenas 2 meses??

        • Junior diz

          Sim, 60 dias é confiável e já tem 99% de segurança. Mas como vc é sorodiscordante o ideal é fazer com 90 dias.

    • Ame a si mesmo primeiro…

      E agradeça por estar livre do hiv depois de tantos deslizes e falta de cuidado.

      Voce esta tendo a oportunidade de ter uma vida livre do virus, oportunidade esta que tantos queriam…
      Pare de jogar essa oportunidade fora.

      Abraço!

  6. JCS diz

    JS,

    Admiro sua coragem de ter contado antes para suas parceiras. Não é fácil.

  7. Davi Soares diz

    Olá, Parabéns pelo texto! Falar como soropositivo em nossa sociedade sempre foi um grande tabu e você faz isso com clareza e com a delicadeza necessárias em seu texto. Eu tenho um pequeno jornal cultural na cidade de Alagoinhas, na Bahia, o jornal tem como público principal o jovem, gostaria de saber se posso publicar seu texto no jornal. Caderno Cultural Expresso 18. Obrigado! Davi Soares. cadernocultural.expresso18@hotmail.com

  8. Rodrigo diz

    JS, parabéns! o seu blog e toda a sua experiência contribui e muito para nossas vidas! Que você seja cada vez mais reconhecido e nos presentei ainda mais com novas informações, histórias e trocas…
    abs,

  9. Gomes diz

    Cada dia que passa fico mais surpresa com depoimentos aqui deixados.

    Têm sido muito difícil pra mim desde que descobri minha condição.

    Minhas emoções oscilam o tempo todo, inclusive tenho perdido cada vez mais o interesse pelas coisas, não tenho ânimo pra nada, se deixar durmo o dia todo, só levanto pra comer.

    Não consigo mais ser aquela pessoa alegre que eu sempre fui, estou me tornando uma pessoa amargurada e angustiada, sem contar minha impaciência!

    Dai me bate um desespero e começo a pensar na minha vida, agora a pouco mesmo cheguei a desejar nunca ter nascido, gostaria de ser uma pessoa mais forte e não estou conseguindo ser, talvez isso passe, talvez não

    Só sei que cada dia que entro aqui e vejo as pessoas dando apoio e ajudando outras que nem conhecem isso me faz sentir que ainda existe uma luz no fim do túnel mas tá difícil!

    • Remo diz

      Fala sério né Gomes!!! Vai engolir tuas tarv’s, fazer um bom sexo seguro e pronto!!! A fila anda e atrás vem gente!

    • LRGod diz

      Olá Gomes!

      Olha cara, fico triste em ler alguns relatos e querer estar mais proximo para poder ajudar, as vezes com um simples abraço, mas não poder 😦

      Aqui mesmo no blog já li histórias de pessoas que precisaram chegar no fim do poço para se reerguerem. Mas, qdo finalmente isso aconteceu, em cada letra digitada, pude perceber a alegria de viver, da volta por cima, de poder contar e emocionar a cada um que os lê.
      Espero, do fundo do coração que a sua história tbm seja assim, com um “final” feliz!!

      Estamos aqui para apoiá-lo e abraça-lo sempre 🙂

      • Ricardo diz

        Esse é o meu Amigo LR!!!!! Feliz demais ter conhecido você e pessoas tão legais. era tudo que eu estava precisando no momento. Você é muito alto astral kra!! Saudades demais. Grande Abraço!

        • LRGod diz

          Ricardooooooooo… ue, é o Ricardo cabelo? É isso?
          Meninoooooooooo… nunca mais apareceu… Dispensou o meu convite para um jantar com o Davi, né seu cachorro??

          Realmente este encontro foi demais, fala ai se vc já havia rido tando na sua vida?? O Marcelo e o Davi são o máximo não é?? E a nossa globeleza?? Pode contar, ela é simplesmente gata não é??

          Como um cheff vc deveria ter prestado mais atenção nos emails e visto que seria meu niver, preparado um belo bolo. Kakakakakka..

          Bom, qdo puder se comunica, estou sempre dando uma olhada no blog, lendo meus emais 🙂

          Um forte abraço.

          • Ricardo diz

            Pois é amigão,não aguentei o calor de Sampa. rsrsrsrs brincadeira!!!! Mas que tava quente,tava viu? Resolvi antecipar a viagem de volta,mas não por vontade própria……alguns compromissos familiares. Mas, não se “iluda”,como dizemos por aqui,agora que aprendi o caminho,quero voltar em breve.Com direito a “jantarzinho”,bolo e tudo mais. Valeu amigos! Obrigado por vcs existirem!!!!!!! Abraços Fraternos!!!

            • LRGod diz

              Não, não… só com direito a jantarzinho e bolo… tudo mais não pode pq eu sou ksado. rsrsrsrsr..

              Bjs

    • Positive Vibe diz

      Amigo, Gomes!

      Entendo como vc esta se sentindo, pois passei por isso nos 3 primeiros meses e hoje estou apenas no 4o mes de soropositividade. No entanto, já percebi que a vida continua, que podemos nos cuidar e que temos medicação para manter nossa imunidade elevada.
      No mais, faça algum esporte (musculação é mto bom e faz vc se sentir cada vez mais vivo, vai por mim.. eu mesmo detestava, hoje nao vivo sem), caminhe, tome sol, beba mta água, ouça música, dance! A vida continua! Meu lema é: se nao sinto, não sofro! Entendeu?
      Acho bacana você também procurar alguma ajuda terapeutica ou mesmo conversar com outros soro+s, que foi o que me ajudou e me tirou dessa tristeza comum nos primeiros tempos.
      Força e se quiser, me add no Skype
      sp.positivevibe@gmail.com

          • Positive Vibe diz

            LR, aquela sua frase “o problema dos outros eh sempre pior que o seu” foi uma coisa de gênio, sabia? já adotei!

            • LRGod diz

              Nossa Positive, agora penso que realmente não estava no meu estado normal, não me lembro de ter dito isso. Rsrsrsrsr

              Mas, acredito que tenha sido algo mais ou menos assim:
              “O meu problema é maior que o dos outros”.

  10. Jovem,

    vi primeiramente o texto na página do Brasil Post, graças a um compartilhamento de um amigo pelo Facebook. Como soropositivo, fiquei muito feliz por estar sendo “representado” por você e mais feliz ainda com os comentários receptivos, por assim dizer, dos leitores. Quer dizer, você conseguiu, na minha opinião, passar muito bem a mensagem.

    Enfim… Um parabéns, um muito obrigado e um vida longa às suas postagens (lá e cá). 🙂

    Abração.

  11. Nossa!
    Fazia muito tempo que eu não voltava aqui.
    Me descobri soro em 2010, acho que foi o pior momento de minha vida, eu havia acabado de me casar com um rapaz lindo. Passei noites, meses em claro chorando por dentro, culpa , medo, DOR,eu quis muito morrer.
    O tempo passou nos separamos e eu comecei a minha maratona, fiz dezenas de testes acreditando que a qualquer hora um deles poderia da negativo, mas isso não aconteceu. Fui encontrando forças em Deus( sou catolico) e continuei a minha jornada, mesmo estando em pedaços segui o meu caminho em busca de um outro em mim.
    Hoje tenho outra alma, um pouco melhor, lancei um livro que é um sucesso, tenho inumeros seguidores e sou relativamente conhecido.
    Hoje eu lembro de tudo que passei e acho que não fiz nada de errado, eu apenas quis sentir o corpo do meu amor dentro de mim eu quis ele quis e foi maravilhoso, não me arrependo nem um segundo do que vivi, não me arrependo de ter deixado ele gozar dentro de mim,foi lindo aquele momento de entrega, não fui motivado por um desejo sexual , fui guiado pela minha afetividade,porque não sei amar aos pedaços.
    Paguei um preço caro eu sei, mas ta valendo, o que eu senti naquele dia que eu completava 28 anos, nunca vai se apagar do meu coração, transar sem camisinha com ele foi o mesmo que cumungar em seu orgasmo, não estamos mais juntos mas ficou em meu coração a lembrança, docê lembrança daquele momento PERIGOSO, mas cheio de ternura e confiança.
    Hoje tomo medicação, nunca tive efeitos colaterais de nenhum tipo e vivo bem.
    As vezes acho que não conseguiria viver sem o hiv,as vezes acho que essa doença autenticou a minha passagem por essa encarnação.
    Nunca contei pra ninguem que sou soro, passei por tudo sozinho, mas foi bom porque aprendi a ouvir a voz de Deus e da virgem Maria,
    Hoje olho pra tras e vejo que esta tudo certo, fiz tudo certo, porque so sei amar sem limites e sem treguas.
    Com relação ao hiv, so tenho a agradecer, esse virus me apresentou a minha segunda alma e nela eu consigo reconciliar a dureza dos metais e a sensibilidade das flores.
    Estou bem, como é bom esta bem sem aquela angustia matadora que havia em mim, tenho um namorado lindo que me ama e consegue despertar o melhor de mim, tenho fé em Deus, acredito na ciencia e nos sonhos.
    O hiv me tirou do mundo das utilidades e me colocou no mundo dos significados.
    Façamos a alquimia da dor!
    Esse depoimento desorganizado é apenas pra dizer que não deixei de ser rosa apesar dos espinhos.
    Boa sorte a todos nós.
    Deus esta conosco o tempo inteiro.

    • Neto diz

      Juliano,

      Quão sublime foi seu comentário. Também sou católico (daqueles ativos e fervorosos, sabe?), e quando do fato de descobrir ser soropositivo aproximei-me mais de Deus. Foi Nele que me apeguei.
      Aos 29 anos de idade, namorei duas pessoas. Meu último foi meu primeiro homem e meu primeiro amor. Cauteloso, mantínhamos relações com camisinha no começo, e que “liberei” somente após exames (que deram, meu e dele, negativos). Pois ele traiu minha confiança e foi buscar afeto em “sabe-se Deus quem”. O preço que ele pagou foi adoecer com uma infecção pulmonar, descobrir-se aidético, e vir a falecer aos 23 anos de idade. Tudo isso, pasme-se, em menos de 1 ano, uma vez que, nos exames de rotina, eu sempre incluía o teste de HIV, e até então dava negativo. Vivemos 3 anos juntos, e foram anos felicíssimos que passei ao lado dele. Sinto muitas saudades, mas Deus tem me dado forças pra ser firme em tudo.
      Desde então não tenho relações sexuais com ninguém. Sou bonito, corpo atlético, nado e malho diariamente, tenho uma condição financeira estável e confortável.. Atraio atenção de olhares por onde passo, meu sorriso é minha marca… Saio, danço, bebo, me divirto, faço amigos, arrisco até uns beijinhos.. Mas sempre fui “difícil e chato”, preferindo o sexo com amor do que o sexo vão. É uma escolha minha, sabe?
      E fico pensando: “tanta ‘frescura’ em selecionar companheiros, um só parceiro em 29 anos de existência, e por quê contraí HIV?”… São planos de Deus. Tenho convicção que tinha que ser assim..
      Por isso que quis registrar aqui uma síntese da minha história, e também comentar que, de suas palavras, emergem conforto e fé. Fiquei contentíssimo em saber que posso encontrar pessoas que pensem de forma parecida ao que penso e que se permanecem firmes com Ele.

      Muitíssimo obrigado pelas palavras, vou dormir um tanto melhor agora.

    • Eu nunca vi tanta heresia e atentado ao bom senso em um só post…

      Se depois de dezenas de testes positovos viesse um negativo, seria o primeiro caso de cura “miraculosa” do hiv.

      Quis sentir o corpo do seu amor dentro de voce… A quem interessa suas intimidades? Aqui é um local serio e não um ponto de depoimentos eróticos!!!

      Dizer que nao se arrepende, que foi lindo, que valeu a pena, que nao sabe como seria sua vida sem o hiv, sugere que mesmo que tivesse certeza do risco, o correria novamente! Insanidade!!!

      E por fim, para consagrar a sua falta de noção da realidade, diz que consegue ouvir a voz da Virgem Maria…
      O seu problema nao é e nem será o hiv, o seu problema é MENTAL!!

      Sem mais!!

  12. Oi Neto!
    Que bom que minhas palavras servem para alguma coisa, que bom que estamos vivos, que bom que Deus nos deu essa linda oportunidade de renascer através da dor.
    Grande abraço!

  13. diz

    Pessoal, acho que já estou preparado para contar a minha história;
    Tive o meu primeiro relacionamento homossexual em 1997, fiquei 3 anos com ele e descobri que ele me traía constântemente, com homens e mulheres, fiquei apavorado, por transavamos sem preservativo, fiz os exames e deu negativo. Terminei o relacionamento e me tornei doador de sangue, passaram 10 anos e eu me apaixonei novamente. O rapaz parecia ser a melhor pessoa do mundo, estudioso, responsável, cara de bom moço ( totalmente o oposto do primeiro), e começamos a nos relacionar. Foi que ele começou a querer transar sem preservativo e eu cobrava dele exames e mostrava os meus. ele me enrolou e eu apaixonado, depois de 10 meses de namoro cedí a insistência dele.
    Foi quando ele me ligou me xingando, dizendo que eu tinha passado gonorreia para ele, fiquei inconsolado e respondi a ele que nao era o modo dele resolver a situação, que eu tinha certeza que eu não tinha nada e que ele é que deveria ter pego com outra pessoa. Então disse a ele para irmos ao medico juntos e ele se negou, entao fui eu. O resultado deu negativo, liguei para ele, ele nao me atendia, mandei um email com o resultado do meu exame. Foi ai que ele desapareceu e eu comecei a me preocupar; fui ao medico e pedi todos os exames de DST, inclusive HIV.
    No dia mundial da AIDS saiu o resultado e era positivo!
    Fiquei trastornado, chorei muito e pensei que ia morrer, ao mesmo tempo fiquei com ódio dele e de mim mesmo. fui atrás dele mas sem sucesso, acabei mandando um email contando que eu tinha descoberto o diagnóstico.
    Ele simplesmente sumiu do mapa. acabei contando para os meus pais, querendo um conforto, um norte, uma ajuda, e eles simplesmente me condenaram.
    Estava sozinho…consegui o apoio com os médicos e com a terapeuta e com 3 amigos, (inclusive uma amiga que é soropositiva ha 15 anos).O tempo passou ( 3 nos agora) e ano passado descobri que o meu ex continua fazendo o mesmo que fez comigo com outros rapazes. Consegui entrar em contato com um deles e o alertei, mas não fui nenhum pouco bem recebido, uma pena.
    Tomo remedio, cuido da minha saúde, estou indetectável mas nao consigo me relacionar com mais ninguem por medo da rejeição. Me sinto sem rumo e com a vida sem graça.
    Gostei de ter encontrado esse site e queria deixar aqui o meu depoimento, pois, infelizmente nesse mundo existe sim gente ruim e que passa para os outros propositalmente, gostaria de abrir os olhos das pessoas apaixonadas a não confiarem nos seus parceiros por mais amor que sintam, amem em primeiro lugar a sí mesmo e se cuidem!
    abraços

    • LRGod diz

      Nossa Fê, me arrepiei inteirinho aqui!
      O blog tem esse acolhimento que buscamos logo de cara, né? Tive a sorte de encontrar essa gente cheia de boas vibrações assim que descobri a minha Soro+, além de ótimos amigos com quem pude dividir este fardo.
      Aos recem chegados, não se desesperem, tudo passa (esse clichê é verdadeiramente real)… hoje vivo bem, tranquilo, normal. E posso garantir que depois de aceitar minha nova condição me tornei uma pessoa melhor, mais paciente e aprendi a amar e me amar ainda mais. 🙂

  14. diz

    PS: tenho uma pergunta que não quer calar; qual é a media de vida de um soropositivo? não vejo nenhum publicação e, lugar algum que fale a respeito e não sei de nenhum soropositivo idoso. tenho 36 anos e queria sim, morrer bem idoso e com saúde.

    • Greta diz

      Olá Fê!
      A doença exista ha 30 anos, então as pessoas estão envelhecendo com HIV.
      Vc vai viver muito sim, e vai morre bem velhinho!
      Abraço Greta

    • Fê ,se vc se cuidar, tomar os remédios conforme o infectologista pedir, pode ter certeza que vc vai viver muito, e em tempo, a medicina tem avançado muito, mesmo se ocorrer da cura demorar, tenha certeza que o tratamento será cada vez mais eficaz.. 🙂

    • Junior diz

      Não existe uma estatística, já que o vírus foi descoberto há 30 anos. Como pode ver, com os remédios vem dando conta do recado. Com certeza vc estará presente qdo descobrirem a cura. Força!.

    • Nando diz

      Fê…
      Descobri que meu parceiro Faz tratamento em um CTA ja a 10 anos desde que soube que era soropositivo…
      Conversei com o médico dele que me passou as informações pois somos casais sorodiscordantes…
      Quando ele faz uso corretamente dos anti retroviras, tudo fica mais fácil…
      Somente quando ele teima em fazer certas coisas que não convém a um soropositivo. “pois ele é muito teimoso” .. aí é que a situação complica…
      Então uma boa alimentação, e ter hábitos saudáveis tomando corretamente os medicamentos, você muito provavelmente terá uma vida longa, pois ele nem parece que possui hiv quando se trata corretamente…
      Então ja soma 10 anos de vida após o início do tratamento…
      Mas como ele não tem a cabeça muito boa, é bem provável que após nossa separação ele recaia…
      Felicidades e uma vida próspera é o que desejo a vc

    • LRGod diz

      Fê, concordo que não conhecemos muitos soropositivos idosos, assim como na verdade, não conhecemos muitos soropositivos, não é mesmo? Afinal, para quantas pessoas dividimos nossa soropositividade? Assim como nós escolhemos as pessoas para quem vamos falar sobre isso, as outras pessoas tbm. Agora, se hoje mesmo depois de muito ter evoluido em relação ao preconceito sobre este assunto… imagine só como as pessoas que convivem com isso a muito tempo não estão bloqueadar para abordar o tema de forma aberta, não é mesmo?

      Sem falar que o nº de casos de idosos com soro+ aumentou muitissimo nos ultimos anos, logo, é uma questão de exposição do problema, não é que não exista 🙂

    • JP .a infecção aguda é muito complexa, muda de pessoa pra pessoa…os sintomas são diferentes…muitas pessoas nem tem infecção aguda..algumas qdo a tem tem o figado inchado…mas não existe um parâmetro …se vc ta com algo no figado ,e tá com medo, pro exemplo….vai no médico…pq a probabilidade de ser infecção para HIV tende a ser pequena…em contrapartida ,pode ser algum outro problema…ta com dor …tem algo estranho no corpo..procura um médico…abraçoo!!!

  15. DoBemDF diz

    JS, olha q legal. Um infectologista muito respeitado na área, conhecido meu, mas q desconhece minha sorologia, compartilhou o seu texto na pagina dele do facebook, com a seguinte frase: “gostaria que todo cidadão brasileiro lesse esse texto” e deixou claro que distribuirá a seus pacientes em primeira consulta. Creio que isso é um trabalho de escrita exitoso, ou seja, que consegue comunicar bem tanto ao publico especialista quanto ao leigo. Parabéns! 🙂

    • LRGod diz

      Olha DoBemDF, que bom que vc disse isso, pois há tempos eu venho falando que o blog deveria ser complemento das tarv’s, só que ninguém me deu atenção… acho que esse infecto me deve… ele deve ter lido um dos meus posts aqui. Rsrsrsr

      Bom, fato é que realmente melhor do que efavirenz, lamivudina e tenofovir é esse blog mara que o JS nós oferece, em parceria com a Tim, por R$ 0,50 o dia que usar. rsrsrsr

  16. Gomes diz

    Da última vez que entrei aqui estava super pra baixo mas confesso que hj estou bem melhor, acho que isso vai ser normal por uns tempos, enfim…
    Adorei as respostas que me deram e adoro entrar aqui e ver as pessoas super animadas falando de solidariedade, qualidade de vida, tratamento e de amizade. Muito bacana isso! Faz a gente se sentir comum, pois acho que como todo soro positivo, eu acho que acabamos nos deixando um pouco de lado por fazer parte da tal “sociedade secreta” assim dito por um colega lá atrás e é verdade pois desde que me descobri eu só contei pra dois amigos e não se se um dia vou ter coragem de contar pra alguém da minha família.

    Eu sei que eu pergunto demais e peço desculpas meus amigos mas sabe como é novato, né??? rsrsr

    Preciso de uma orientação: Só consegui marcar um infectologista pra maio!!! Isso é normal? Achei que logo que fossemos diagnosticados o tratamento fosse ser imediato e olha que é no particular hein! Fico com receio desse tempo ser tão longe, pois tinha a expectativa de começar logo com o tratamento e principalmente ver como está minha situação!

    Me falaram que nos postos de saúde o atendimento também demora, isso é verdade???

    • Flaviana diz

      Bom dia Gomes..

      Seria bom vc tentar agendar em um posto de saúde, pois acho que não demora tanto assim, não.. eu descobri ser soro + em novembro, e já fiz duas consultas com o médico infectologista através do posto de saúde.. o atendimento é excelente..

      Abraços

      se quiser manter contato ana-mariana@bol.com.br

    • estudiosodemais diz

      Gomes, maio? Nesse caso não sei oque te falar, mas logo algum amigo(a) aparece e te ajuda, mas posso dar uma dica de amigo, se alimenta direito, evite excessos, alimentação saudável, pro sistema imunológico estar bem…boa sorte e força!!!

      • LRGod diz

        Boa dica tudiosodemais… afinal, o Marcelo Vida é um exemplo de que praticas saudáveis é um ótimo remédio para aumentar o nosso CD4, não é Mar??
        Já vou adiantando o bafo… o Marcelo não toma medicamentos , mas pratica esportes (malhação) e tem uma alimentação muito boa… só com esse conjunto o CD4 dele já subiu… e se Deus assim permitir vai continuar assim 🙂

        Bjs

  17. Flaviana diz

    Pessoal!!!

    Alguém sabe me dizer o que foi feito do Alexandre..?
    Saudades dos seus comentários.. kkk..

    Bjos pra todos…

    • LRGod diz

      Flaviana, acho que ele se casou com a Luciana… eles viviam entre tapar e beijos 🙂

  18. MarceloVida diz

    Oi gente,
    Estou aqui para contar como foi nossa saidinha 02/01/2014.
    Desta vez fomos em 11 pessoas, quem compareceu foi o Lrgod e W., Ana, Davi, Positive vibe, Joe, Rique, rrs rrs, o rfz, o Fernando e eu é claro.

    Foi tão chique que o Joe veio da BA, a rrs rrs do RJ e o Rique de MG.

    Quando cheguei a maioria já estava ali pelo MASP na Av.Paulista, estavam lá alguns novos rostos que eu estava ansioso em conhecer, cumprimentei e me apresentei, notei cada um e pude dar rosto aos nomes de todos, outros não neh, por que já eram meus amigos de curta data (Do outro encontro de novembro) porém amados como se fossem de vidas passadas.

    Foi maravilhoso e natural, assim o como dá primeira vez, desta vez fomos parar em uma pizzaria onde o atendimento era péssiiiiiiiiimo e inclusive os atendentes tinha cara de mal comidos hahaha! Conversamos e saímos de lá e fomos batendo perna pela Rua Augusta, andando, andando fomos parar em um padaria alí na esquina da Frei que inclusive vende um Beirute que deveria estar na parte de gastronomia da Veja SP.

    Não sei dizer como foram todas as conversas, porque com tanta gente, acabaram formando varias grupinhos na mesa com várias conversas, mas sou observador e via o sorriso estampado na face de cada um em clima de descontração, desta vez eu falei menos sobre o HIV em si, falei é muita bobeira e ri demais.

    Para mim o mais importante foi ver alguns vencendo os medos e comparecendo. Porque gente isto é um remédio!!! Ver pessoas com o mesmo problema e tão bem ou pelo menos buscando nesse convívio social um tratamento mental, social, sentimental, psicológico. Nós já podemos contar com os remédios para nosso problema físico e até psiquiatras e psicólogos para problemas de ordem emocional ou mental, mas uma coisa acho que depende muito de nós dar o passo de buscar essa e ajuda.

    De qualquer forma, eu pelo menos na primeira vez que nos vimos estava desesperado, tipo por dentro sabe? Acho que muitos que foram se sentiam assim, acredito que ir foi um remédio para sentir um refrigério e um bom motivo também é conhecer essa galerinha que se fazem perto e ao mesmo tempo longe, perto porque conversamos tanto por e-mail, skype, whatsapp, facebook e longe porque PQP !!! BA, MG e RJ é longinho mesmo neh?

    Eu havia pensado e expus isso na mesa, que eu não quero que esses encontros sejam para fins técnicos ou visto como convenções ou eventos, quero que sejam naturais que não existam nomenclaturas, apesar de ser essa problemática que nos reuniu, somos pessoas e não o HIV então eu pelo menos não aceito que ele seja o foco dos nossos encontros. O pessoal parece ter entendido o toque de leveza que eu reivindico e inclusive por isso não teve fotos com rostos cobertos ou melhor, não tivemos foto nenhuma, pois isso de novo seria repetição tipo um “ritual do encontro”.

    Rolou até paraquera viu, pelo menos da minha parte…O meu olho que o diga hahaha! Gente bonita tinha e gostosa também.
    Agradeço de coração a todos, vocês são de fato muito importantes para mim.

    Cidade Maravilhosa aí vamos nós …
    Bjim

    • Ricardo diz

      Realmente foi algo inexplicável,sensações diversas,novos contatos, e ainda conheci São Paulo.hehehehe Obrigado aos amigos que me proporcionaram uma noite tão agradável. Valeu demais!!!!!! Divulguem logo a data do próximo ,pra ver se dá pra encaixar na Agenda.rsrsrsrr Grande Abraço a todos.

        • LRGod diz

          Mar, já está definido né?? O próximo encontro vai ser no RJ mesmo, certo?
          Não vejo a hora… cadê a Rosi que tah sumida desse blog minha gente?

    • Davi diz

      Foi MARAVILHOSO hehehe, conhecer gente nova sempre é muito bom, especialmente gente buuuunita né Marcelo?? huauhauhuhahua
      #táparei
      gente linda do blog se preparem para o próximo, o nosso encontro é o maior legal hahaha *-*
      meu email e skype: davi_ferreiratorres@hotmail.com podem add a vontade hihihi

      • MarceloVida diz

        Sim, gente tipo miss e mister universo haha
        Mas ninguém ganha de você neh Davi 😛
        É gente vamos?

    • LRGod diz

      Meu povoooo… nossa, a cada novo encontro percebo o quanto só faz bem estar com pessoas que compreendem exatamente o que estamos passando… e melhor do que chorar pelo motivo ao qual nos reunimos é poder perceber que a vida segue exatamente como antes… (Obs.: tem gente que até bebe igual uma vaca louca, derruba bebida nos amigos, fala mais que a boca e depois ainda consegue carona pra ir embora 🙂 ).
      Bom, devo agradecer tbm a presença de cada um, que fez toda diferença, que tornou aquela noite (dia do meu niver) ainda mais especial.
      Quero agradecer o meu lindo namorado Mrs W, que está sempre presente, e me faz sentir cada vez melhor, mais normal, mais indiferente a minha nova condição 🙂 . Te amo muito amor!
      Bom, não poderia esquecer de mencionar o queridíssimo Marcelo Vida, que se dedica sempre na organização de cada encontro, e faz com que tudo ocorra bem, com muito bom senso e com muita animação 🙂 Obrigado gatão!
      Bjs XoXo

  19. MarceloVida diz

    Js,

    Parabéns meu querido pela conquista, como se não bastasse ser só talentoso, com mais essa está se tornando um bloqueiro Divo!
    Te admiro demais cara!
    Adoro seus textos, já te disse que me sinto tão você enquanto leio, parece que encarno o JS e na encarnação até beijo garotas e o mais incrível é que como JS encarnado eu goxto KKK.
    Deus te abençoe muito por fazer parte daquilo que nos faz bem no meio de tudo isso.

    Abçs Divo!!

  20. Yokoshi diz

    Queria agradecer ao blog pelo conforto que me proporciona. É realmente muito bom sabermos que nao estamos sozinhos. Tenho 26 anos e me descobri soropositivo em agosto do ano passado, apenas um amigo sabe da minha condição pois achei muito dificil superar a barra sozinho. Encontrei um grande alívio em Deus.
    90% das minhas relações foram com preservativos, mas descuidos acontecem e acabei me infectando.
    Gostaria de dizer que passarei a acompanhar o blog e os depoimentos … e quem sabe conhecer vocês em algum encontro desses que vocês tanto falam!

    Obrigado por tudo!

    • LRGod diz

      Yokoshi, tenho certeza que vai adorar muito fazer parte desse grupo super positivo (sem trocadilhos)… todos muito divertidos, são maravilhosos!
      Bom, o que tudo indica é que o próximo encontro será no RJ… aquela cidade linda de viver!
      O Marcelo Vida é o dono do Buffet, se realmente estiver afim de interagir acho melhor adicionar ele, pois ele é mega comunicativo e vai introduzi-lo (novamente sem duplo sentido) no grupo 🙂
      Ah… e se quiser trocar ideias… tbm estou sempre acessando o meu email.
      lrgod1@hotmail.com

  21. FmaamF diz

    Grande JS, (permita-me chamá-lo assim).

    Que fantástico é a tua escrita. A cada vez que entro aqui me deparo com uma postagem melhor que a outra, o final do seu texto é o “óbvio” para muita gente, mas, ele nos coloca no eixo de uma forma tão simples e lógica, que eu li e reli o “transei sem camisinha”, para que fique martelado em minha mente.
    Os testemunhos que leio aqui, são tão viscerais e intensos que por inúmeras vezes me emociono. É uma grande miscelânea de tristes e bonitas histórias, cada uma com os seus pesos, suas alegrias, suas dores. Dia desses, no início de 2014, conheci um cara muito gente boa, daqueles que a gente demora para encontrar na vida, saca? Não era super em nada, mas, pra mim, estava sendo mega. Papeamos de monte, rimos, rolou cinema, rolou jantar japa, rolou caminhada no parque, uma pequena viagem… Mas, uma coisa me deixava inquieto: Ele não curtia usar camisinha. O discurso era sempre o mesmo: “Sou doador de sangue, não me relacionei com ninguém nos últimos dois anos…”.
    Sugeri que poderíamos pensar nisso um pouco mais para frente, afinal nossa história estava no começo, porém, muito embora acredito que não conseguiria transar sem preservativo com ele ou quem quer que fosse. E então, o negócio desandou, sem um motivo aparente.
    Não teria problema algum em me relacionar com um soropositivo, sinceramente. Acho que encararia isso numa boa, desde que fosse acordado um senso comum, acho importante apenas uma conversa, um bom diálogo.
    Uma vez, a minha analista me disse uma frase que nunca esqueci: “O amor é o sentimento mais sublime do mundo, se algo vier de encontro à ele, pode ser tudo, menos amor”.
    Verdade! Se o medo, a insegurança ou qualquer outro fator externo for superior, não é amor. Certeza.
    Acho que o fato de ter colegas soropositivos vivendo com uma tranquilidade gostosa, me dá a segurança suficiente para não fugir de algo, caso surja. E torço para que isso aconteça com cada um de vocês. Que pessoas de bons corações, cruzem seus caminhos e mais ainda que o medo de tentar algo, seja infinitamente menor, que a vontade de se estar juntos.

    Um forte abraço em todos,

    FmaamF

  22. C. diz

    Pessoal, vim dividir com vocês uma coisa que me deixou muito feliz.
    Ontem (10/02) tive consulta com minha infectologista pra falar dos primeiros dias do tratamento (comecei em 24/01). Em algum momento eu falei pra ela que agora que eu comecei a tomar a medicação é que a presença do vírus no meu corpo é lembrada todos os dias, e que agora essa lembrança seria para sempre, por causa dos remédios. No mesmo instante, ela tratou de me corrigir e falou que muita coisa boa vem aí, até porque ela acredita muito que a curto ou médio prazo surgirá alguma medicação que não precise ser tomada todos os dias.

    É isso aí, galera! Otimismo sempre!

    • LRGod diz

      C. Adoro boas noticias assim! 🙂
      Tbm acredito que logo, logo virá algo muito bom para todos… e não estou querendo apenas ser otimista, estou sendo realista mesmo… os estudos estão muito avançados… já já vem um remédio mensal, depois anual e em seguida… tcham tcham tcham A CURAAAAAAAAAAAAA

  23. Joe diz

    Olá JS!

    Bom saber da sua parceria com o Brasil Post! Com certeza mais pessoas terão acesso a informações sobre o HIV, informações essas que muitas vezes só são conhecidas e entendidas após o contágio. E melhor, textos escritos por alguém inteirado e que pode falar com mais propriedade sobre o assunto, evitando mais desgastes do recém-diagnosticado, que em alguns casos só possue seu infectologista como base de informações, limitando-se até a inverdades das muitas espalhadas por aí.
    Alguns textos encontrados na internet tratam os soropositivos de forma genérica, não levando em consideração que cada caso é um caso, que os organismos das pessoas podem reagir de formas diferentes ao vírus e às medicações, onde se devem considerar até mesmo as implicações emocionais após o recebimento do diagnóstico, como foi no meu caso.
    Enfim, descobri o blog em Novembro de 2013, após nove meses do diagnóstico e oito do início do tratamento. Hoje tenho carga viral indetectável e estou muito bem! Muitas dúvidas foram esclarecidas com suas publicações e os comentários dos leitores, que acabam por se tornar grandes aliados com suas histórias em meio a tantos questionamentos, medos e incertezas que vem à tona na fase inicial do tratamento.
    Melhor ainda pra mim foi no início desse mês sair do âmbito virtual e conhecer o rosto de cada um de vocês: Marcelo, Davi, Rique, Fernando, Lr God / W., Ana, Positive Vibe, Rrs e Rfz .
    Seria redundante falar do ambiente afável que se formou naquele dia, pois o Marcelo já descreveu muito bem, mas posso afirmar que sobrou alegria e que o convite para o próximo encontro é extensivo aos demais que queiram compartilhar dessa mutualidade que só nos impulsiona para uma vida ainda melhor!
    Afinal, como diria Kant: “- Acredite em milagres, mas não dependa deles”
    Quanto ao que meus amigos falaram sobre mim…apenas bondade deles!

    Abraços!

  24. Luz diz

    Eu moro no rio.quando o encontro for aqui-e espero que seja logo-eu quero estar nele,hein!abraços!

  25. Moah diz

    olá… há 4 anos me casei e hoje tem 2 meses que me separei. Estou desconfiada de que o meu ex me transmitiu o HIV mas não teve coragem para me contar. Hoje sinto alguns sintomas como dor no joelho, uma pequena herpes na palpebra e agora uma íngua no pescoço que me deixa tensa. Eu quero muito ser diagnosticada, mas escondo a situação da minha família com medo da rejeição. Preciso ter amigos também pois tenho tendência à depressão e não posso ficar só. Seu blog está me ajudando muito! +Obrigada!

    • LRGod diz

      Linda Moah, espero que esteja tudo bem…
      Independente dos resultados, estaremos aqui para te apoiar! 🙂
      Sinta-se abraçada!

    • Assim, faz o teste, é melhor pra tua saúde, se por ventura ocorreu algo, começa a tratar logo que você terá uma qualidade de vida melhor!! Mas assim, esses sintomas podem se de outras doenças, não sofra por antecipação tá???Força!!

    • João Bastos diz

      Moah, na dúvida vai urgente fazer o teste ! herpes para imunosuprimidos é terrível !!! sério. não quero te amendontrar.. somente ajudar !!

      abs !

  26. andré diz

    Porque o médico procurou nódulos? eles são manifestação do hiv no início ou já relacionam um linfoma?

  27. estudiosodemais diz

    André , nódulos, “inguas” podem ocorrer na fase aguda…mas vc ter os mesmos não que dizer obrigatoriamente que tenha o HIV, ok???

  28. Fe diz

    Pessoal, faz tempo que eu nao apareco….
    Completei um ano de medicacao e indetectavel, eu estava tendo muitas dores nas juntas e musculares, de tanto eu reclamar com o medico ele me disse que o AZT e quem faz isso e mudou a minha medicacao, sou outra pessoa, nem sinto mais nada, estou tao feliz! voltei a ser a pessoa alegre e bem humorada que eu sempre fui e o jovem que todos goztam, antes eu vivia com dor e mau humorado…pena que eu nao soube do encontro, espero ir em um aqui em sao paulo, acho que estou disposto a sair do celibato e voltar a namorar….

    • Wagner-sp diz

      Que delícia saber deste encontro!! Peguei meu “reagente” no dia 17/03 e estou dissecando este blog, confesso que estou muito melhor do que eu imaginaria, inclusive, um amigo meu simplesmente não acredita que estou com HIV: ele está mais arrasado que eu! Enfim, pelo que li, haverá um próximo encontro no RJ?? Sou novo por aqui, mas realmente amaria participar e interagir com a galera do blog! Grande abraço!

  29. Nando diz

    Ola pessoal,
    desde o meu ultimo post, faz um ano e meio. Na epoca eu comentei que o meu medico tinha mudado a medicacao sem AZT, o AZT me trazia dores horriveis nas juntas, e agora estou tomando um comprimido por dia somente. Estou me sentindo muito bem, com carga viral indetectavel e CD4 altissimo. Gostaria de deixar um testemunho para todos, continuem firme e fortes, nao vamos deixar o virus nos derrotar, somos maior que ele! beijos e boa vida!!!!

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s